SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
10:41
ESCOLA BÍBLICA DISCIPULADORA
1
EBD - ESCOLA BÍBLICA DISCIPULADORA – 2024 – 1º SEMESTRE
Facilitadores: José Luiz Rissotto e Francisco Tudela
O CONCÍLIO DE JERUSALÉM
14.1-3 “Em Icônio, Paulo e Barnabé, como de costume, foram à sinagoga judaica. Ali
falaram de tal modo que veio a crer grande multidão de judeus e
gentios. Mas os judeus que se tinham recusado a crer incitaram os gentios e
irritaram lhes os ânimos contra os irmãos. Paulo e Barnabé passaram
bastante tempo ali, falando corajosamente do Senhor, que confirmava a
mensagem de sua graça realizando sinais e maravilhas pelas mãos deles.".
Os milagres não são o evangelho, mas abrem portas para ele.
Os milagres não são realizados pelos missionários, mas por Deus por meio deles.
Os judeus incrédulos querem minar o relacionamento da membresia da igreja com
fofocas ditas aos membros gentios intrigando-os contra os membros judeus.
Note que isso não aconteceu, pois a divisão se deu no povo e não na igreja:
14.4 “O povo da cidade ficou dividido: alguns estavam a favor dos judeus, outros a
favor dos apóstolos.”
2
A CONFIANÇA EM DEUS NÃO DISPENSA A PRUDÊNCIA
14.6,7 “Formou-se uma conspiração de gentios e judeus, juntamente com os seus
líderes, para maltratá-los e apedrejá-los. Quando eles souberam disso, fugiram
para as cidades licaônicas de Listra e Derbe, e seus arredores, onde
continuaram a pregar as boas novas.”
A confiança em Deus não dispensa a prudência e o cuidado.
Deus nos deu o bom senso e agir de modo contrário a ele é tentar a Deus.
Nos deu entendimento e sabedoria para serem usados em favor da Sua obra e
preservação da nossa vida.
Se Paulo e Barnabé tivessem teimado em permanecer naquela região poderiam ter
sido silenciados precocemente com severas consequências para a obra de Deus.
PERGUNTA 25: Considerando que há muitos lugares que desconhecem o evangelho,
vc acha que se deve pregar o evangelho onde ele é proibido? Note que
Paulo e Barnabé fugiram, obviamente do lugar para onde foram. 3
14.8-12 “Em Listra havia um homem paralítico dos pés, aleijado desde o
nascimento, que vivia ali sentado e nunca tinha andado. Ele ouvira PAULO
FALAR.(evidentemente com muita atenção) Quando Paulo olhou diretamente
para ele (seu interesse lhe chamara a atenção) e viu que o homem tinha fé para
ser curado, disse em alta voz: "Levante-se! Fique de pé! " Com isso, o homem deu
um salto e começou a andar (quando o homem se dispôs a obedecer, Deus o
curou). Ao ver o que Paulo fizera, a multidão começou a gritar em língua
licaônica: "Os deuses desceram até nós em forma humana! " A Barnabé
chamavam Zeus e a Paulo Hermes, porque era ele quem trazia a palavra.”
Zeus - O deus supremo da mitologia grega, governante do Monte Olimpo, lar dos
deuses gregos. Barnabé foi considerado Zeus por acharem ser o líder.
Hermes - O deus grego com muitos talentos, filho de Zeus e Maia, associado à
eloquência e ao entendimento (daí a palavra hermenêutica). Paulo foi considerado
Hermes por pregar a palavra com eloquência e perfeito entendimento.
Eloquência é expressar-se de forma fluente, precisa, elegante e persuasiva.
Hermenêutica é a filosofia que estuda a teoria da interpretação.
4
14.13-17 “O sacerdote de Zeus ... trouxe bois e coroas de flores à porta da cidade,
porque ele e a multidão queriam oferecer-lhes sacrifícios. Ouvindo isso, os
apóstolos Barnabé e Paulo rasgaram as roupas e correram para o meio
da multidão, gritando: "Homens, por que vocês estão fazendo isso? Nós
também somos humanos como vocês. Estamos trazendo boas novas para
vocês, dizendo-lhes que se afastem dessas coisas vãs e se voltem para o
Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há. No passado
ele permitiu que todas as nações seguissem os seus próprios
caminhos. Contudo, não ficou sem testemunho: mostrou sua bondade,
dando-lhes chuva do céu e colheitas no tempo certo, concedendo-lhes
sustento com fartura e enchendo de alegria os seus corações".
“Ouvindo isso”, estavam falando na língua licaônica - um idioma indo-europeu, hoje
extinto, que Paulo e Barnabé entendiam.
Esse versículo destaca o amor e a providência de Deus por toda a humanidade,
independente de religião ou crença, mesmo dos que não creem em Deus. 5
14.18-20 “Apesar dessas palavras, eles tiveram dificuldade para impedir que a
multidão lhes oferecesse sacrifícios Então alguns judeus chegaram de
Antioquia e de Icônio e mudaram o ânimo das multidões. Apedrejaram Paulo
e o arrastaram para fora da cidade, pensando que estivesse morto. Mas
quando os discípulos se ajuntaram em volta de Paulo, ele se levantou e
voltou à cidade. No dia seguinte, ele e Barnabé partiram para Derbe.”
Inicialmente, Paulo e Barnabé eram vistos como deuses, mas logo chegam alguns
judeus de Antioquia e Icônio, cidades que já se haviam oposto a Paulo, e convencem
a multidão de que não eram deuses.
A multidão sentindo-se enganada apedreja Paulo.
Destaque para o milagre da cura instantânea de Paulo; da sua coragem em ficar na
cidade mais um dia; de não terem apedrejado Barnabé.
6
14.20-26 “No dia seguinte, ele e Barnabé partiram para Derbe... pregaram as boas
novas naquela cidade e fizeram muitos discípulos. Então voltaram para
Listra, Icônio e Antioquia, fortalecendo os discípulos e encorajando-os a
permanecer na fé, dizendo: "É necessário que passemos por muitas
tribulações para entrarmos no Reino de Deus". Paulo e Barnabé designaram-
lhes presbíteros em cada igreja; ... Passando pela Pisídia, chegaram à
Panfília e, tendo pregado a palavra em Perge, desceram para Atália. De
Atália navegaram de volta a Antioquia, onde tinham sido recomendados à
graça de Deus para a missão que agora haviam completado.”
Nessa volta eles não se afastam dos redutos de tensão e passam pelas mesmas
cidades onde foram perseguidos - Listra, Icônio e Antioquia da Pisídia.
Não vão à Sinagoga, apenas nas igrejas testemunhando das dificuldades que
tiveram na viagem missionária, afim de fortalecê-los e encorajá-los a perseverar.
Elegem presbíteros para pastoreá-las, para que não surja um dono da igreja.
7
FIM DA PRIMEIRA VIAGEM MISSIONÁRIA
14.27,28 “De Atália navegaram de volta a Antioquia, onde tinham sido
recomendados à graça de Deus para a missão que agora haviam
completado. Chegando ali, reuniram a igreja e relataram tudo o que Deus
tinha feito por meio deles e como abrira a porta da fé aos gentios.
Vemos no texto que missões são ações planejadas pela igreja e não por crentes de
forma isolada, como os que haviam sido dispersos pela perseguição em 11.19.
Inicia-se por uma decisão deliberada da igreja, inspirada pelo Espírito Santo, com
metas, objetivo, roteiro e apoio logístico.
Ao fim deve-se apresentar um relatório da viagem missionária para avaliação da
igreja de modo a procurar minimizar, nas próximas viagens, as dificuldades.
8
O Itinerário da Primeira Viagem Missionária:
1. Antioquia da Síria (At 13.1-3):
•Paulo e Barnabé são enviados pela igreja local.
•João Marcos os acompanha como auxiliar.
2. Chipre (At 13.4-12):
•Chegada em Salamina, pregação nas sinagogas.
•Viagem a Pafos, encontro com o procônsul.
3. Perge na Panfília (At 13.13-14):
•João Marcos decide retornar a Jerusalém.
•Paulo e Barnabé continuam a viagem.
4. Antioquia da Pisídia (At 13.14-52):
•Pregação na sinagoga, grande receptividade.
•Paulo trata da salvação e a ressurreição de Jesus.
•Oposição dos líderes judeus, expulsão da cidade.
5. Icônio (At 13.51-14.7):
•Pregam na sinagoga, conversão de gentios e judeus.
•Divisão na cidade, conflito entre judeus e gentios.
•Paulo e Barnabé apedrejados e fogem para Listra.
6. Listra (At 14.8-20):
•Cura de um coxo.
•Judeus de Antioquia e Icônio, apedrejam Paulo.
•Paulo é dado como morto, se levanta e vai a Derbe.
7. Derbe (At 14.20-21):
•Pregação do Evangelho.
•Discipulado de novos crentes.
8. Retorno (At 14.21-28):
•Retorno por Listra, Icônio, Antioquia e Perge.
•Relato da viagem à igreja em Antioquia da Síria.
Duração da viagem: +/- 1,5 ano (At 13.1-14.28).
1º CONCÍLIO EDUCACIONAL DA IGREJA PRIMITIVA – JERUSALÉM - 49 d.C.
15.1 “Alguns homens desceram da Judéia para Antioquia e passaram a ensinar aos
irmãos: "Se vocês não forem circuncidados conforme o costume ensinado por
Moisés, não poderão ser salvos".“
Esses homens estavam a “ensinar aos irmãos", logo, devem ter apresentado
credenciais para que a igreja permitisse.
15.2 “Isso levou Paulo e Barnabé a uma grande contenda e discussão com eles.
Assim, Paulo e Barnabé foram designados, juntamente com outros, para irem a
Jerusalém tratar dessa questão com os apóstolos e com os presbíteros.”
Interessante não terem se entendido com esses homens e irem discutir o assunto
com os apóstolos e presbíteros em Jerusalém.
A contenda não estava nos métodos de ensino e aprendizagem, mas no conteúdo.
Convoca-se um Concílio Educacional para tratar do conteúdo a ser ministrado.
Será uma sessão de alinhamento de conteúdos objetivando o consenso doutrinário.
10
AGENDA DO CONCÍLIO EDUCACIONAL
Questão: Gentios convertidos precisam ser circuncidados?
Contexto: Expansão do cristianismo para além do judaísmo.
ARGUMENTOS A FAVOR DA CIRCUNCISÃO
 Tradição judaica: A circuncisão era sinal da aliança com Deus.
 Lei mosaica: A circuncisão fora ordenada por Deus.
 Precedente: Jesus e os apóstolos eram circuncidados.
ARGUMENTOS CONTRA A CIRCUNCISÃO
 Graça de Deus: A salvação vem pela fé em Jesus, não por obras da Lei.
 Liberdade em Cristo: Os gentios não devem ser obrigados a seguir a Lei Mosaica.
OBJETIVO
 Unidade da Igreja: Evitar que se forme uma igreja de judeus e outra de gentios.
ORGANIZAÇÃO DO CONCÍLIO DE JERUSALÉM:
1º) DESIGNAR UMA COMISSÃO para estudar e propor alternativas sobre a questão.
15.6 “Os apóstolos e os presbíteros (a comissão) se reuniram para considerar essa
questão.
2º ) ELEGER UM RELATOR para as conclusões da comissão:
15.7-11 “Depois de muita discussão, Pedro (o relator) levantou-se e dirigiu-se a eles:
"Irmãos ... Deus, que conhece os corações ... não fez distinção alguma entre nós e
eles, visto que purificou os seus corações pela fé... Cremos que somos salvos pela
graça de nosso Senhor Jesus, ASSIM COMO ELES TAMBÉM".
3º) CONVOCAR UMA ASSEMBLEIA para deliberar sobre a proposta da comissão:
15.12a “Toda a assembleia ficou em silêncio.”
4º) ABERTURA DA ASSEMBLÉIA COM UMA REFLEXÃO:
15.12b “... enquanto ouvia Barnabé e Paulo falando de todos os sinais e maravilhas
que, por meio deles, Deus fizera entre os gentios.” 12
5º) O PRESIDENTE APRESENTA A PAUTA (o pastor da igreja local):
Como pastor da igreja de Jerusalém e presidente do Concílio, Tiago apresenta a
proposta da comissão para aprovação.
15.13-18 “... Tiago (presidente da assembleia) tomou a palavra e disse: "Irmãos,
ouçam-me. Simão nos expôs como Deus, no princípio, voltou-se para os gentios
a fim de reunir dentre as nações um povo para o seu nome. Concordam com
isso as palavras dos profetas ... conhecidas desde os tempos antigos.”
6º) LEITURA DO RELATÓRIO feita pelo presidente da assembleia
15.19-21 “Portanto, julgo (parecer da comissão) que não devemos pôr dificuldades
aos gentios que estão se convertendo a Deus. Pelo contrário, devemos
escrever a eles, dizendo-lhes que se abstenham de comida contaminada
pelos ídolos, da imoralidade sexual, da carne de animais estrangulados e
do sangue. Pois, desde os tempos antigos, Moisés é pregado em todas as
cidades, sendo lido nas sinagogas todos os sábados".
13
Questão: O assunto era circuncisão, por que, do nada, fazem quatro restrições tão
desconexas do assunto?
Estrategicamente a comissão não negociou a essência, mas deu algo em troca.
A salvação unicamente pela fé em Cristo não podia ser negociada, porém, a
sensibilidade cultural às leis dietéticas e aos relacionamentos imorais devia ser
obedecida para não separar crentes judeus dos crentes gentios.
O propósito da decisão não foi para dizer aos cristãos que a lei só é válida nesses
quatro pontos – “abstenham de comida contaminada pelos ídolos, da imoralidade
sexual, da carne de animais estrangulados e do sangue.”, mas que esse foi o
consenso encontrado para que pudessem conviver sem haver um choque cultural
naquela época.
Atitude que Paulo apresentará 6 anos depois - 55 d.C. – dizendo que todos devem
ter cuidado com as coisas secundárias que podem fazer tropeçar outro irmão.
1Co 8.13 “Portanto, se aquilo que eu como leva o meu irmão a pecar, nunca mais
comerei carne, para não fazer meu irmão tropeçar.” 14
7º) VOTAÇÃO E APROVAÇÃO DO RELATÓRIO:
15.28,29 “Pareceu bem (o relatório foi aprovado) ao Espírito Santo e a nós não impor
a vocês nada além das seguintes exigências necessárias: Abster-se de
comida sacrificada aos ídolos, do sangue, da carne de animais
estrangulados e da imoralidade sexual. Vocês farão bem em evitar essas
coisas. Que tudo lhes vá bem.”
8º) NOMEAR A COMISSÃO PARA REGISTRAR EM ATA E PUBLICÁ-LA :
15.22-30 “Então os apóstolos e os presbíteros (a Comissão), com toda a igreja (a
Assembleia), decidiram escolher alguns dentre eles e enviá-los a Antioquia ...Com
eles enviaram a seguinte carta (a Ata): ... Saudações. Soubemos que alguns saíram
de nosso meio, sem nossa autorização, e os perturbaram, transtornando suas
mentes com o que disseram. Assim, concordamos todos em escolher alguns homens
e enviá-los a vocês ... para confirmarem verbalmente o que estamos
escrevendo. Pareceu bem ao Espírito Santo e a nós não impor a vocês nada além
das seguintes exigências necessárias: Abster-se de comida ... Uma vez despedidos,
os homens desceram para Antioquia, onde reuniram a igreja e entregaram a carta.
15
E assim fazemos até hoje na nossa igreja
1º) Designar uma comissão
2º) Eleger um relator
3º) Convocar uma assembleia
4º) Abertura da assembleia com uma reflexão
5º) O presidente apresenta a pauta
6º) Leitura do relatório
7º) Votação e aprovação do relatório
8º) Nomear a comissão para registrar em ata e publicá-la
16
15.35-41 “Mas Paulo e Barnabé permaneceram em Antioquia, onde, com muitos
outros ensinavam e pregavam a palavra do Senhor. Algum tempo depois,
Paulo disse a Barnabé: "Voltemos para visitar os irmãos em todas as cidades
onde pregamos a palavra do Senhor, para ver como estão indo". Barnabé
queria levar João, também chamado Marcos. Mas Paulo não achava
prudente levá-lo, pois ele, abandonando-os na Panfília, não permanecera
com eles no trabalho. Tiveram um desentendimento tão sério que se
separaram. Barnabé, levando consigo Marcos, navegou para Chipre, mas
Paulo escolheu Silas e partiu, encomendado pelos irmãos à graça do
Senhor. Passou, então, pela Síria e pela Cilícia, fortalecendo as igrejas.“
Barnabé aceita voltar para as cidades que haviam estado, e quer levar seu primo
Marcos, que os havia abandonado em Perge (13.13), surge um impasse:
- Paulo, talvez, se questionasse: O que Marcos poderia fazer para o reino de Deus
com o testemunho de ter abandonado a missão?
- Barnabé, talvez, se questionasse: O que o reino de Deus poderia fazer por Marcos?
17
Lição de casa:
1. Rever o estudo de hoje
2. Ler At 16 e 17
Resolva seus conflitos segundo a vontade de Deus, senão...
BIBLIOGRAFIA
1. Bíblia NVI – Editora Vida – 2000
2. Comentário Bíblico do professor – Lawrence Richards – 3ª Ed. Vida - SP
3. Comentário Bíblico Moody – Charles F Pfieffer – Ed. Batista Regular,2017
4. Comentário Bíblico Popular - MacDonald, Willian, SP, Ed. Mundo Cristão, 2008
5. Comentário Bíblico NVI -. BRUCCE, F. F, SP, Ed. Vida, 1ª edição, 2008
6. Atos dos Apóstolos: Texto e Comentário, por F. F. Bruce (Editora Cultura Cristã)
7. Atos dos Apóstolos: Uma Perspectiva Pastoral, por Hernandes Dias Lopes (Ed. Hagnos)
8. Atos dos Apóstolos: A Missão do Espírito Santo, por Luiz Sayão (Ed. Vida Nova)
9. Atos dos Apóstolos: Uma História da Igreja, por Augustus Nicodemus Lopes (Ed. Cultura Cristã)
10.Atos dos Apóstolos: Um Estudo Bíblico, por Hernandes Dias Lopes (Ed. Hagnos)
11.Bible Project
12.Reflexões extraídas da World Wide Web
13.ROTA 66, Rádio Transmundial, Sayão, Luiz, https://www.rtmbrasil.org.br/radio/programas/rota-66/pagina/1>.
Esta apresentação está disponível no site: www.escolabiblicavirtual.com.br 20

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx

Aprendendo com-mulheres-da-biblia-lidia
Aprendendo com-mulheres-da-biblia-lidiaAprendendo com-mulheres-da-biblia-lidia
Aprendendo com-mulheres-da-biblia-lidia
Gleydson Teixeira
 
01-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-igreja-no-perc3adodo-apostc3b3lic0.ppt
01-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-igreja-no-perc3adodo-apostc3b3lic0.ppt01-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-igreja-no-perc3adodo-apostc3b3lic0.ppt
01-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-igreja-no-perc3adodo-apostc3b3lic0.ppt
Tiago Silva
 

Semelhante a O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx (20)

Lição 12 O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia.pptx
Lição 12 O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia.pptxLição 12 O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia.pptx
Lição 12 O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia.pptx
 
Influenciado e Influenciando a partir das 3 Boas Razões
Influenciado e Influenciando a partir das 3 Boas RazõesInfluenciado e Influenciando a partir das 3 Boas Razões
Influenciado e Influenciando a partir das 3 Boas Razões
 
Aprendendo com-mulheres-da-biblia-lidia
Aprendendo com-mulheres-da-biblia-lidiaAprendendo com-mulheres-da-biblia-lidia
Aprendendo com-mulheres-da-biblia-lidia
 
SEGUNDA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptx
SEGUNDA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptxSEGUNDA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptx
SEGUNDA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptx
 
A CHEGADA DO EVANGELHO À EUROPA - ATOS 16 e 17.pptx
A CHEGADA DO EVANGELHO À EUROPA - ATOS 16 e 17.pptxA CHEGADA DO EVANGELHO À EUROPA - ATOS 16 e 17.pptx
A CHEGADA DO EVANGELHO À EUROPA - ATOS 16 e 17.pptx
 
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGRLição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
 
atos
atosatos
atos
 
Trabalho de Novo Testamento
Trabalho de Novo TestamentoTrabalho de Novo Testamento
Trabalho de Novo Testamento
 
CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...
CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...
CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...
 
Atos lição 9
Atos   lição 9Atos   lição 9
Atos lição 9
 
A Fundação Da Assembléia De Deus No Brasil
A Fundação Da  Assembléia De  Deus No  BrasilA Fundação Da  Assembléia De  Deus No  Brasil
A Fundação Da Assembléia De Deus No Brasil
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
 
01-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-igreja-no-perc3adodo-apostc3b3lic0.ppt
01-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-igreja-no-perc3adodo-apostc3b3lic0.ppt01-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-igreja-no-perc3adodo-apostc3b3lic0.ppt
01-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-igreja-no-perc3adodo-apostc3b3lic0.ppt
 
IASD irmã de Babilônia nas Profecias.
IASD irmã de Babilônia nas Profecias.IASD irmã de Babilônia nas Profecias.
IASD irmã de Babilônia nas Profecias.
 
O exemplo apostólico (1Ts 2:1-12)_Lição da escola sabatina_original_com_textos
O exemplo apostólico (1Ts 2:1-12)_Lição da escola sabatina_original_com_textos O exemplo apostólico (1Ts 2:1-12)_Lição da escola sabatina_original_com_textos
O exemplo apostólico (1Ts 2:1-12)_Lição da escola sabatina_original_com_textos
 
Lição 5 - A Evangelização Urbana e suas Estratégias
Lição 5 - A Evangelização Urbana e suas EstratégiasLição 5 - A Evangelização Urbana e suas Estratégias
Lição 5 - A Evangelização Urbana e suas Estratégias
 
História do cristianismo ii - Um resumo histórico
História do cristianismo ii - Um resumo históricoHistória do cristianismo ii - Um resumo histórico
História do cristianismo ii - Um resumo histórico
 
Dicionário de Escatologia Bíblica - Claudionor Correia de Andrade.pdf
Dicionário de Escatologia Bíblica - Claudionor Correia de Andrade.pdfDicionário de Escatologia Bíblica - Claudionor Correia de Andrade.pdf
Dicionário de Escatologia Bíblica - Claudionor Correia de Andrade.pdf
 
PRIMEIRA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptx
PRIMEIRA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptxPRIMEIRA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptx
PRIMEIRA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptx
 

Último

Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
MilyFonceca
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
StelaWilbert
 

Último (10)

Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 

O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx

  • 1. 10:41 ESCOLA BÍBLICA DISCIPULADORA 1 EBD - ESCOLA BÍBLICA DISCIPULADORA – 2024 – 1º SEMESTRE Facilitadores: José Luiz Rissotto e Francisco Tudela O CONCÍLIO DE JERUSALÉM
  • 2. 14.1-3 “Em Icônio, Paulo e Barnabé, como de costume, foram à sinagoga judaica. Ali falaram de tal modo que veio a crer grande multidão de judeus e gentios. Mas os judeus que se tinham recusado a crer incitaram os gentios e irritaram lhes os ânimos contra os irmãos. Paulo e Barnabé passaram bastante tempo ali, falando corajosamente do Senhor, que confirmava a mensagem de sua graça realizando sinais e maravilhas pelas mãos deles.". Os milagres não são o evangelho, mas abrem portas para ele. Os milagres não são realizados pelos missionários, mas por Deus por meio deles. Os judeus incrédulos querem minar o relacionamento da membresia da igreja com fofocas ditas aos membros gentios intrigando-os contra os membros judeus. Note que isso não aconteceu, pois a divisão se deu no povo e não na igreja: 14.4 “O povo da cidade ficou dividido: alguns estavam a favor dos judeus, outros a favor dos apóstolos.” 2
  • 3. A CONFIANÇA EM DEUS NÃO DISPENSA A PRUDÊNCIA 14.6,7 “Formou-se uma conspiração de gentios e judeus, juntamente com os seus líderes, para maltratá-los e apedrejá-los. Quando eles souberam disso, fugiram para as cidades licaônicas de Listra e Derbe, e seus arredores, onde continuaram a pregar as boas novas.” A confiança em Deus não dispensa a prudência e o cuidado. Deus nos deu o bom senso e agir de modo contrário a ele é tentar a Deus. Nos deu entendimento e sabedoria para serem usados em favor da Sua obra e preservação da nossa vida. Se Paulo e Barnabé tivessem teimado em permanecer naquela região poderiam ter sido silenciados precocemente com severas consequências para a obra de Deus. PERGUNTA 25: Considerando que há muitos lugares que desconhecem o evangelho, vc acha que se deve pregar o evangelho onde ele é proibido? Note que Paulo e Barnabé fugiram, obviamente do lugar para onde foram. 3
  • 4. 14.8-12 “Em Listra havia um homem paralítico dos pés, aleijado desde o nascimento, que vivia ali sentado e nunca tinha andado. Ele ouvira PAULO FALAR.(evidentemente com muita atenção) Quando Paulo olhou diretamente para ele (seu interesse lhe chamara a atenção) e viu que o homem tinha fé para ser curado, disse em alta voz: "Levante-se! Fique de pé! " Com isso, o homem deu um salto e começou a andar (quando o homem se dispôs a obedecer, Deus o curou). Ao ver o que Paulo fizera, a multidão começou a gritar em língua licaônica: "Os deuses desceram até nós em forma humana! " A Barnabé chamavam Zeus e a Paulo Hermes, porque era ele quem trazia a palavra.” Zeus - O deus supremo da mitologia grega, governante do Monte Olimpo, lar dos deuses gregos. Barnabé foi considerado Zeus por acharem ser o líder. Hermes - O deus grego com muitos talentos, filho de Zeus e Maia, associado à eloquência e ao entendimento (daí a palavra hermenêutica). Paulo foi considerado Hermes por pregar a palavra com eloquência e perfeito entendimento. Eloquência é expressar-se de forma fluente, precisa, elegante e persuasiva. Hermenêutica é a filosofia que estuda a teoria da interpretação. 4
  • 5. 14.13-17 “O sacerdote de Zeus ... trouxe bois e coroas de flores à porta da cidade, porque ele e a multidão queriam oferecer-lhes sacrifícios. Ouvindo isso, os apóstolos Barnabé e Paulo rasgaram as roupas e correram para o meio da multidão, gritando: "Homens, por que vocês estão fazendo isso? Nós também somos humanos como vocês. Estamos trazendo boas novas para vocês, dizendo-lhes que se afastem dessas coisas vãs e se voltem para o Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há. No passado ele permitiu que todas as nações seguissem os seus próprios caminhos. Contudo, não ficou sem testemunho: mostrou sua bondade, dando-lhes chuva do céu e colheitas no tempo certo, concedendo-lhes sustento com fartura e enchendo de alegria os seus corações". “Ouvindo isso”, estavam falando na língua licaônica - um idioma indo-europeu, hoje extinto, que Paulo e Barnabé entendiam. Esse versículo destaca o amor e a providência de Deus por toda a humanidade, independente de religião ou crença, mesmo dos que não creem em Deus. 5
  • 6. 14.18-20 “Apesar dessas palavras, eles tiveram dificuldade para impedir que a multidão lhes oferecesse sacrifícios Então alguns judeus chegaram de Antioquia e de Icônio e mudaram o ânimo das multidões. Apedrejaram Paulo e o arrastaram para fora da cidade, pensando que estivesse morto. Mas quando os discípulos se ajuntaram em volta de Paulo, ele se levantou e voltou à cidade. No dia seguinte, ele e Barnabé partiram para Derbe.” Inicialmente, Paulo e Barnabé eram vistos como deuses, mas logo chegam alguns judeus de Antioquia e Icônio, cidades que já se haviam oposto a Paulo, e convencem a multidão de que não eram deuses. A multidão sentindo-se enganada apedreja Paulo. Destaque para o milagre da cura instantânea de Paulo; da sua coragem em ficar na cidade mais um dia; de não terem apedrejado Barnabé. 6
  • 7. 14.20-26 “No dia seguinte, ele e Barnabé partiram para Derbe... pregaram as boas novas naquela cidade e fizeram muitos discípulos. Então voltaram para Listra, Icônio e Antioquia, fortalecendo os discípulos e encorajando-os a permanecer na fé, dizendo: "É necessário que passemos por muitas tribulações para entrarmos no Reino de Deus". Paulo e Barnabé designaram- lhes presbíteros em cada igreja; ... Passando pela Pisídia, chegaram à Panfília e, tendo pregado a palavra em Perge, desceram para Atália. De Atália navegaram de volta a Antioquia, onde tinham sido recomendados à graça de Deus para a missão que agora haviam completado.” Nessa volta eles não se afastam dos redutos de tensão e passam pelas mesmas cidades onde foram perseguidos - Listra, Icônio e Antioquia da Pisídia. Não vão à Sinagoga, apenas nas igrejas testemunhando das dificuldades que tiveram na viagem missionária, afim de fortalecê-los e encorajá-los a perseverar. Elegem presbíteros para pastoreá-las, para que não surja um dono da igreja. 7
  • 8. FIM DA PRIMEIRA VIAGEM MISSIONÁRIA 14.27,28 “De Atália navegaram de volta a Antioquia, onde tinham sido recomendados à graça de Deus para a missão que agora haviam completado. Chegando ali, reuniram a igreja e relataram tudo o que Deus tinha feito por meio deles e como abrira a porta da fé aos gentios. Vemos no texto que missões são ações planejadas pela igreja e não por crentes de forma isolada, como os que haviam sido dispersos pela perseguição em 11.19. Inicia-se por uma decisão deliberada da igreja, inspirada pelo Espírito Santo, com metas, objetivo, roteiro e apoio logístico. Ao fim deve-se apresentar um relatório da viagem missionária para avaliação da igreja de modo a procurar minimizar, nas próximas viagens, as dificuldades. 8
  • 9. O Itinerário da Primeira Viagem Missionária: 1. Antioquia da Síria (At 13.1-3): •Paulo e Barnabé são enviados pela igreja local. •João Marcos os acompanha como auxiliar. 2. Chipre (At 13.4-12): •Chegada em Salamina, pregação nas sinagogas. •Viagem a Pafos, encontro com o procônsul. 3. Perge na Panfília (At 13.13-14): •João Marcos decide retornar a Jerusalém. •Paulo e Barnabé continuam a viagem. 4. Antioquia da Pisídia (At 13.14-52): •Pregação na sinagoga, grande receptividade. •Paulo trata da salvação e a ressurreição de Jesus. •Oposição dos líderes judeus, expulsão da cidade. 5. Icônio (At 13.51-14.7): •Pregam na sinagoga, conversão de gentios e judeus. •Divisão na cidade, conflito entre judeus e gentios. •Paulo e Barnabé apedrejados e fogem para Listra. 6. Listra (At 14.8-20): •Cura de um coxo. •Judeus de Antioquia e Icônio, apedrejam Paulo. •Paulo é dado como morto, se levanta e vai a Derbe. 7. Derbe (At 14.20-21): •Pregação do Evangelho. •Discipulado de novos crentes. 8. Retorno (At 14.21-28): •Retorno por Listra, Icônio, Antioquia e Perge. •Relato da viagem à igreja em Antioquia da Síria. Duração da viagem: +/- 1,5 ano (At 13.1-14.28).
  • 10. 1º CONCÍLIO EDUCACIONAL DA IGREJA PRIMITIVA – JERUSALÉM - 49 d.C. 15.1 “Alguns homens desceram da Judéia para Antioquia e passaram a ensinar aos irmãos: "Se vocês não forem circuncidados conforme o costume ensinado por Moisés, não poderão ser salvos".“ Esses homens estavam a “ensinar aos irmãos", logo, devem ter apresentado credenciais para que a igreja permitisse. 15.2 “Isso levou Paulo e Barnabé a uma grande contenda e discussão com eles. Assim, Paulo e Barnabé foram designados, juntamente com outros, para irem a Jerusalém tratar dessa questão com os apóstolos e com os presbíteros.” Interessante não terem se entendido com esses homens e irem discutir o assunto com os apóstolos e presbíteros em Jerusalém. A contenda não estava nos métodos de ensino e aprendizagem, mas no conteúdo. Convoca-se um Concílio Educacional para tratar do conteúdo a ser ministrado. Será uma sessão de alinhamento de conteúdos objetivando o consenso doutrinário. 10
  • 11. AGENDA DO CONCÍLIO EDUCACIONAL Questão: Gentios convertidos precisam ser circuncidados? Contexto: Expansão do cristianismo para além do judaísmo. ARGUMENTOS A FAVOR DA CIRCUNCISÃO  Tradição judaica: A circuncisão era sinal da aliança com Deus.  Lei mosaica: A circuncisão fora ordenada por Deus.  Precedente: Jesus e os apóstolos eram circuncidados. ARGUMENTOS CONTRA A CIRCUNCISÃO  Graça de Deus: A salvação vem pela fé em Jesus, não por obras da Lei.  Liberdade em Cristo: Os gentios não devem ser obrigados a seguir a Lei Mosaica. OBJETIVO  Unidade da Igreja: Evitar que se forme uma igreja de judeus e outra de gentios.
  • 12. ORGANIZAÇÃO DO CONCÍLIO DE JERUSALÉM: 1º) DESIGNAR UMA COMISSÃO para estudar e propor alternativas sobre a questão. 15.6 “Os apóstolos e os presbíteros (a comissão) se reuniram para considerar essa questão. 2º ) ELEGER UM RELATOR para as conclusões da comissão: 15.7-11 “Depois de muita discussão, Pedro (o relator) levantou-se e dirigiu-se a eles: "Irmãos ... Deus, que conhece os corações ... não fez distinção alguma entre nós e eles, visto que purificou os seus corações pela fé... Cremos que somos salvos pela graça de nosso Senhor Jesus, ASSIM COMO ELES TAMBÉM". 3º) CONVOCAR UMA ASSEMBLEIA para deliberar sobre a proposta da comissão: 15.12a “Toda a assembleia ficou em silêncio.” 4º) ABERTURA DA ASSEMBLÉIA COM UMA REFLEXÃO: 15.12b “... enquanto ouvia Barnabé e Paulo falando de todos os sinais e maravilhas que, por meio deles, Deus fizera entre os gentios.” 12
  • 13. 5º) O PRESIDENTE APRESENTA A PAUTA (o pastor da igreja local): Como pastor da igreja de Jerusalém e presidente do Concílio, Tiago apresenta a proposta da comissão para aprovação. 15.13-18 “... Tiago (presidente da assembleia) tomou a palavra e disse: "Irmãos, ouçam-me. Simão nos expôs como Deus, no princípio, voltou-se para os gentios a fim de reunir dentre as nações um povo para o seu nome. Concordam com isso as palavras dos profetas ... conhecidas desde os tempos antigos.” 6º) LEITURA DO RELATÓRIO feita pelo presidente da assembleia 15.19-21 “Portanto, julgo (parecer da comissão) que não devemos pôr dificuldades aos gentios que estão se convertendo a Deus. Pelo contrário, devemos escrever a eles, dizendo-lhes que se abstenham de comida contaminada pelos ídolos, da imoralidade sexual, da carne de animais estrangulados e do sangue. Pois, desde os tempos antigos, Moisés é pregado em todas as cidades, sendo lido nas sinagogas todos os sábados". 13
  • 14. Questão: O assunto era circuncisão, por que, do nada, fazem quatro restrições tão desconexas do assunto? Estrategicamente a comissão não negociou a essência, mas deu algo em troca. A salvação unicamente pela fé em Cristo não podia ser negociada, porém, a sensibilidade cultural às leis dietéticas e aos relacionamentos imorais devia ser obedecida para não separar crentes judeus dos crentes gentios. O propósito da decisão não foi para dizer aos cristãos que a lei só é válida nesses quatro pontos – “abstenham de comida contaminada pelos ídolos, da imoralidade sexual, da carne de animais estrangulados e do sangue.”, mas que esse foi o consenso encontrado para que pudessem conviver sem haver um choque cultural naquela época. Atitude que Paulo apresentará 6 anos depois - 55 d.C. – dizendo que todos devem ter cuidado com as coisas secundárias que podem fazer tropeçar outro irmão. 1Co 8.13 “Portanto, se aquilo que eu como leva o meu irmão a pecar, nunca mais comerei carne, para não fazer meu irmão tropeçar.” 14
  • 15. 7º) VOTAÇÃO E APROVAÇÃO DO RELATÓRIO: 15.28,29 “Pareceu bem (o relatório foi aprovado) ao Espírito Santo e a nós não impor a vocês nada além das seguintes exigências necessárias: Abster-se de comida sacrificada aos ídolos, do sangue, da carne de animais estrangulados e da imoralidade sexual. Vocês farão bem em evitar essas coisas. Que tudo lhes vá bem.” 8º) NOMEAR A COMISSÃO PARA REGISTRAR EM ATA E PUBLICÁ-LA : 15.22-30 “Então os apóstolos e os presbíteros (a Comissão), com toda a igreja (a Assembleia), decidiram escolher alguns dentre eles e enviá-los a Antioquia ...Com eles enviaram a seguinte carta (a Ata): ... Saudações. Soubemos que alguns saíram de nosso meio, sem nossa autorização, e os perturbaram, transtornando suas mentes com o que disseram. Assim, concordamos todos em escolher alguns homens e enviá-los a vocês ... para confirmarem verbalmente o que estamos escrevendo. Pareceu bem ao Espírito Santo e a nós não impor a vocês nada além das seguintes exigências necessárias: Abster-se de comida ... Uma vez despedidos, os homens desceram para Antioquia, onde reuniram a igreja e entregaram a carta. 15
  • 16. E assim fazemos até hoje na nossa igreja 1º) Designar uma comissão 2º) Eleger um relator 3º) Convocar uma assembleia 4º) Abertura da assembleia com uma reflexão 5º) O presidente apresenta a pauta 6º) Leitura do relatório 7º) Votação e aprovação do relatório 8º) Nomear a comissão para registrar em ata e publicá-la 16
  • 17. 15.35-41 “Mas Paulo e Barnabé permaneceram em Antioquia, onde, com muitos outros ensinavam e pregavam a palavra do Senhor. Algum tempo depois, Paulo disse a Barnabé: "Voltemos para visitar os irmãos em todas as cidades onde pregamos a palavra do Senhor, para ver como estão indo". Barnabé queria levar João, também chamado Marcos. Mas Paulo não achava prudente levá-lo, pois ele, abandonando-os na Panfília, não permanecera com eles no trabalho. Tiveram um desentendimento tão sério que se separaram. Barnabé, levando consigo Marcos, navegou para Chipre, mas Paulo escolheu Silas e partiu, encomendado pelos irmãos à graça do Senhor. Passou, então, pela Síria e pela Cilícia, fortalecendo as igrejas.“ Barnabé aceita voltar para as cidades que haviam estado, e quer levar seu primo Marcos, que os havia abandonado em Perge (13.13), surge um impasse: - Paulo, talvez, se questionasse: O que Marcos poderia fazer para o reino de Deus com o testemunho de ter abandonado a missão? - Barnabé, talvez, se questionasse: O que o reino de Deus poderia fazer por Marcos? 17
  • 18. Lição de casa: 1. Rever o estudo de hoje 2. Ler At 16 e 17 Resolva seus conflitos segundo a vontade de Deus, senão...
  • 19.
  • 20. BIBLIOGRAFIA 1. Bíblia NVI – Editora Vida – 2000 2. Comentário Bíblico do professor – Lawrence Richards – 3ª Ed. Vida - SP 3. Comentário Bíblico Moody – Charles F Pfieffer – Ed. Batista Regular,2017 4. Comentário Bíblico Popular - MacDonald, Willian, SP, Ed. Mundo Cristão, 2008 5. Comentário Bíblico NVI -. BRUCCE, F. F, SP, Ed. Vida, 1ª edição, 2008 6. Atos dos Apóstolos: Texto e Comentário, por F. F. Bruce (Editora Cultura Cristã) 7. Atos dos Apóstolos: Uma Perspectiva Pastoral, por Hernandes Dias Lopes (Ed. Hagnos) 8. Atos dos Apóstolos: A Missão do Espírito Santo, por Luiz Sayão (Ed. Vida Nova) 9. Atos dos Apóstolos: Uma História da Igreja, por Augustus Nicodemus Lopes (Ed. Cultura Cristã) 10.Atos dos Apóstolos: Um Estudo Bíblico, por Hernandes Dias Lopes (Ed. Hagnos) 11.Bible Project 12.Reflexões extraídas da World Wide Web 13.ROTA 66, Rádio Transmundial, Sayão, Luiz, https://www.rtmbrasil.org.br/radio/programas/rota-66/pagina/1>. Esta apresentação está disponível no site: www.escolabiblicavirtual.com.br 20