SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
10:00
ESCOLA BÍBLICA DISCIPULADORA
1
EBD - ESCOLA BÍBLICA DISCIPULADORA – 2024 – 1º SEMESTRE
Facilitadores: José Luiz Rissotto e Francisco Tudela
A chegada do evangelho à Europa
SURGE UMA NOVA LIDERANÇA: TIMÓTEO
16.1-3 “Chegou a Derbe e depois a Listra, onde vivia um discípulo chamado
Timóteo. Sua mãe era uma judia convertida e seu pai era grego. Os irmãos
de Listra e Icônio davam bom testemunho dele. Paulo, querendo levá-lo
na viagem, circuncidou-o por causa dos judeus que viviam naquela região,
pois todos sabiam que seu pai era grego.".
17.2 “Segundo o seu costume, Paulo foi à sinagoga ...”
Timóteo foi circuncidado por razão estratégica, pois para frequentar uma
sinagoga era exigida a circuncisão (considerasse judeu que tem mãe judia,
independe do pai ser judeu), Timóteo era judeu incircunciso
Ainda hoje, para um homem se converter ao Judaísmo, a circuncisão é parte
do processo.
https://pt.wikihow.com/Se-Converter-ao-Juda%C3%ADsmo
2
LUCAS SE JUNTA À VIAGEM MISSIONÁRIA
16.7-10 “Quando chegaram à fronteira da Mísia, tentaram entrar na Bitínia, mas o
Espírito de Jesus os impediu. Então, contornaram a Mísia e desceram a
Trôade. Durante a noite Paulo teve uma visão, na qual um homem da Macedônia
estava em pé e lhe suplicava: "Passe à Macedônia e ajude-nos". Depois que Paulo
teve essa visão, PREPARAMO-NOS imediatamente para partir para a Macedônia,
concluindo que Deus nos tinha chamado para lhes pregar o evangelho.”
Destaque para o uso da primeira pessoa do plural, indicando que Lucas juntou-se à
equipe de Paulo em Trôade.
A agenda missionária da igreja deve ser dirigida por Deus, e não pelos obreiros.
Paulo abriu mão do seu projeto missionário e abraçou o projeto de Deus, e assim o
evangelho entrou na Europa.
3
16.12 “Dali partimos para Filipos...
colônia romana...ficamos vários dias.”
16.16-18 “Certo dia, indo nós para o lugar de oração, encontramos uma escrava
que tinha um espírito pelo qual predizia o futuro. Ela ganhava muito
dinheiro para os seus senhores com adivinhações. Essa moça seguia a
Paulo e a nós, gritando: "Estes homens são servos do Deus Altíssimo e
lhes anunciam o caminho da salvação". Ela continuou fazendo isso por
muitos dias. Finalmente, Paulo ficou indignado, voltou-se e disse ao
espírito: "Em nome de Jesus Cristo eu lhe ordeno que saia dela! " No
mesmo instante o espírito a deixou. ”
Pelo visto não havia sinagoga em Filipos e iam pregar o evangelho na beira do rio,
local de oração, pois lá estariam os judeus.
Interessante é essa moça deixar de fazer seu trabalho, deixar de ganhar dinheiro
para seus senhores por muitos dias, para segui-los anunciando quem eram e o que
vieram fazer e seus senhores não reclamarem da perda de ganho, mas tinham
esperança da sua volta. 4
Comentaristas sugerem que foi uma estratégia do diabo usar a adivinhadora para
dizer quem eram e o que anunciavam para prejudicar a credibilidade de Paulo.
Paulo antevendo problemas com os senhores dela se controlou por muitos dias, até
perder a paciência e, intempestivamente, expulsar o mau espírito da moça.
Veremos a seguir que com isso findará a pregação em Filipos.
PERGUNTA 28: Vc acha que o diabo venceu?
Jo 2.13-15 “... Jesus subiu a Jerusalém. No pátio do templo viu alguns vendendo ...
Então ele fez um chicote de cordas e expulsou todos do templo ...”
PERGUNTA 29: Vc já perdeu a paciência e fez coisas que não gostaria de ter feito?
Quais foram as consequências?
5
16.19-24 “Percebendo que a sua esperança de lucro tinha se acabado, os donos da
escrava agarraram Paulo e Silas ...levando-os aos magistrados, disseram: "Estes
homens são judeus e estão perturbando a nossa cidade, propagando costumes
que a nós, romanos, não é permitido aceitar nem praticar". A multidão ajuntou-se
contra Paulo e Silas, e os magistrados ordenaram que se lhes tirassem as roupas
e fossem açoitados. Depois de serem severamente açoitados, foram lançados na
prisão. O carcereiro recebeu instrução para vigiá-los com cuidado. Tendo recebido
tais ordens, ele os lançou no cárcere interior e lhes prendeu os pés no tronco.”
As acusações: “são judeus” – mostra o preconceito / “perturbando” – um erro, pois
quem gritava era a moça / “propagando costumes proibidos aos romanos” – sim,
pois a religião romana oficial era politeísta.
Se Lucas estava junto, por que não foi preso?
Lucas não era judeu, embora a Bíblia não declare explicitamente sua etnia:
Col 4.10-14 “Aristarco...Marcos...Justo...Estes são os únicos da circuncisão...Epafras
...Lucas, o médico amado, e Demas, enviam saudações. 6
16.25-29 “Por volta da meia-noite, Paulo e Silas estavam orando e cantando hinos a
Deus; os outros presos os ouviam. De repente, houve um terremoto tão
violento que os alicerces da prisão foram abalados. Imediatamente todas
as portas se abriram, e as correntes de todos se soltaram. O carcereiro
acordou e, vendo abertas as portas da prisão, desembainhou sua espada
para se matar, porque pensava que os presos tivessem fugido. Mas Paulo
gritou: "Não faça isso! Estamos todos aqui! O carcereiro pediu luz, entrou
correndo e, trêmulo, prostrou-se diante de Paulo e Silas.“
As portas se abriram porque seus batentes foram abalados pelo terremoto, mas as
correntes se soltarem não é algo a se esperar de um terremoto.
Por que será que nenhum preso fugiu?
Num exemplo da diferença que o evangelho faz, Paulo cuidou de quem o mantinha
preso impedindo seu suicídio, fato que será motivo para a sua conversão, o
carcereiro viu Jesus em Paulo.
7
16.30-34 “Então levou-os para fora e perguntou: "Senhores, que devo fazer para ser
salvo? " Eles responderam: "Creia no Senhor Jesus, e serão salvos, você e
os de sua casa". E pregaram a palavra de Deus, a ele e a todos os de sua
casa. Naquela mesma hora da noite o carcereiro lavou as feridas deles;
em seguida, ele e todos os seus foram batizados. Então os levou para a
sua casa, serviu-lhes uma refeição e com todos os de sua casa alegrou-se
muito por haver crido em Deus.”
O carcereiro só levou Paulo e Silas para fora e manteve os demais presos.
O carcereiro perguntou sobre salvação sem Paulo e Silas terem dito nada a respeito.
Destaque para a família do carcereiro que correu para vê-lo após o terremoto.
A liderança familiar: “Creia no Senhor Jesus, e serão salvos, você e os de sua casa”
PERGUNTA 30: Quais são suas prioridades em relação à igreja? Primeiro os
interesses pessoais e depois a igreja?
8
16.35-40 “Quando amanheceu, os magistrados mandaram os seus soldados ao
carcereiro com esta ordem: "Solte estes homens". O carcereiro disse a Paulo:
"Os magistrados deram ordens para que você e Silas sejam libertados. Agora
podem sair. Vão em paz". Mas Paulo disse aos soldados: "Sendo nós cidadãos
romanos, eles nos açoitaram publicamente sem processo formal e nos lançaram
na prisão. E agora querem livrar-se de nós secretamente? Não! Venham eles
mesmos e nos libertem". Os soldados relataram isso aos magistrados, os quais,
ouvindo que Paulo e Silas eram romanos, ficaram atemorizados. Vieram para se
desculpar diante deles e, conduzindo-os para fora da prisão, pediram-lhes que
saíssem da cidade. Depois de saírem da prisão, Paulo e Silas foram à casa de
Lídia, onde se encontraram com os irmãos e os encorajaram. E então partiram.”
Paulo é marrudo mesmo!!!
Embora Paulo e Silas não tenham sido libertos em segredo no sentido literal, a sua
saída da cidade foi discreta e sem alarde, sem causar tumulto ou chamar atenção
para si mesmos, nem para a humilhação que impusera aos magistrados, pois o foco
principal era continuar pregando o Evangelho. 9
17.1-3 “Tendo passado por Anfípolis e Apolônia, chegaram a Tessalônica, onde
havia uma sinagoga judaica. Segundo o seu costume, Paulo foi à sinagoga e por
três sábados DISCUTIU (1) com eles com base nas Escrituras, EXPLICANDO (2) e
PROVANDO (3) que o Cristo deveria sofrer e ressuscitar dentre os mortos. E
DIZIA (4): "Este Jesus que proclamo é o Cristo"..”
10
Paulo privilegiava as capitais, pois delas o evangelho
se disseminaria com maior facilidade: Efeso (Ásia);
Tessalônica (Macedônia); Corinto (Acaia).
A técnica oratória de Paulo:
(1) DISCUTIU – ou debateu, trocou argumentos.
(2) EXPLICANDO – apresentou o evangelho de modo direto e objetivo
(3) PROVANDO – com argumentos sólidos, que em Jesus se cumpriam as profecias
(4) DIZIA – concluindo com convicção que Jesus é o messias esperado.
A oratória é a técnica de falar em público de forma eficaz e persuasiva, e para tanto
utiliza recursos vocais, corporais e linguísticos.
Alguns objetivos da oratória:
Informar: transmitir conhecimentos, ideias e informações de forma clara e objetiva.
Persuadir: o público a adotar um ponto de vista ou tomar uma ação específica.
Entreter: prender a atenção do público.
Habilidades importantes no discurso:
(1) Clareza: deve ser facilmente compreendido pelo público.
(2) Concisão: deve ser direto e objetivo, evitando desvios e redundâncias (repetir o
que já foi dito, mesmo que com outras palavras)..
(3) Persuasão: deve utilizar argumentos sólidos.
(4) Confiança: ser apresentado com segurança, autoconfiança e com convicção.
(5) Engajamento: usar meios que prendam a atenção: humor, histórias e exemplos
Assim devemos procurar fazer ao pregar o evangelho. 11
17.4-8 “Alguns dos judeus foram persuadidos e se uniram a Paulo e Silas, bem como
muitos gregos tementes a Deus e não poucas mulheres de alta posição. Mas os
judeus ficaram com inveja. Reuniram alguns homens perversos dentre os
desocupados e, com a multidão, iniciaram um tumulto na cidade. Invadiram a casa
de Jasom, em busca de Paulo e Silas, a fim de trazê-los para o meio da
multidão. Contudo, não os achando, arrastaram Jasom e alguns outros irmãos para
diante dos oficiais da cidade, gritando: "Esses homens que têm causado alvoroço por
todo o mundo, agora chegaram aqui, e JASOM OS RECEBEU EM SUA CASA. Todos
eles estão agindo contra os decretos de César, dizendo que existe um outro rei,
chamado Jesus". Ouvindo isso, a multidão e os oficiais da cidade ficaram agitados.”
A oposição não partiu da religião pagã, mas do judaísmo e a motivação não foi
sobre o conteúdo da mensagem, mas inveja dos seus resultados.
Destaque para o judeus invejosos que declaram a eficácia do projeto missionário ao
afirmarem que eles “têm causado alvoroço por todo o mundo”
Os judeus e os pagãos incrédulos entenderam a pregação da 2ª vinda de Jesus
como uma profecia de mudança de imperador, “um outro rei, chamado Jesus”.
12
17.9,10 “Então receberam de Jasom e dos outros a fiança estipulada e os
soltaram. Logo que anoiteceu, os irmãos enviaram Paulo e Silas para
Beréia. Chegando ali, eles foram à sinagoga judaica.”
Interessante que quem despediu os missionários foi quem os acolhera.
17.11 “Os bereanos eram mais nobres do que os tessalonicenses, pois receberam a
mensagem com grande interesse, examinando todos os dias as Escrituras,
para ver se tudo era assim mesmo.”
Assim como nossos alunos, os bereanos estudavam a Palavra não apenas aos
sábados, mas todos os dias, e sem superficialidade, numa leitura corrida, mas com
senso crítico, isto é, procurando o correto entendimento.
17.12 “E creram muitos dentre os judeus, bem como dentre os gregos, um bom
número de mulheres de elevada posição e não poucos homens.”
A resposta dos bereanos à Palavra não foi apenas emocional, mas alicerçada numa
convicção intelectual, e como resultado muitos deles se converteram
13
17.13-15 “Quando os judeus de Tessalônica ficaram sabendo que Paulo estava
pregando a palavra de Deus em Beréia, dirigiram-se também para lá, agitando e
alvoroçando as multidões. Imediatamente os irmãos enviaram Paulo para o
litoral, mas Silas e Timóteo permaneceram em Beréia. Os homens que foram
com Paulo o levaram até Atenas, partindo depois com instruções para que Silas
e Timóteo se juntassem a ele, tão logo fosse possível.”
Foram 40Km até o mar e mais 450Km até Atenas, terra de Aristóteles, Sócrates,
Platão, Eurípedes e outros filósofos.
14
17.16-18 “Enquanto esperava por eles em Atenas, PAULO FICOU PROFUNDAMENTE
INDIGNADO AO VER QUE A CIDADE ESTAVA CHEIA DE ÍDOLOS. Por isso,
DISCUTIA na sinagoga com judeus e com gregos tementes a Deus, bem como na
praça principal, todos os dias, com aqueles que por ali se encontravam. Alguns
filósofos epicureus e estoicos começaram a discutir com ele.”
DISCUTIA – ou debatia, trocava argumentos.
Epicureus – criam que a felicidade é alcançada numa vida simples e equilibrada
Estoicos – criam que a felicidade é alcançada aceitando os eventos da vida com
serenidade e resignação e não viver buscando riqueza, fama e prazer físico..
15
17.19,22,23 “Então o levaram a uma reunião do Areópago, onde lhe perguntaram:
"Podemos saber que novo ensino é esse que você está anunciando?”
Então Paulo levantou-se na reunião do Areópago e disse: "Atenienses!
Vejo que em todos os aspectos vocês são muito religiosos, pois,
andando pela cidade, observei cuidadosamente seus objetos de culto e
encontrei até um altar com esta inscrição: AO DEUS DESCONHECIDO.”
“em todos os aspectos vocês são muito religiosos”, quais aspectos?
Religioso: A cidade era conhecida por sua devoção à religião politeísta e assim terem
um grande número de templos e santuários.
Cultural: Festivais religiosos, rituais e sacrifícios eram eventos frequentes.
Político: Magistrados iam nos rituais religiosos e juravam por deuses específicos
“Paulo ficou profundamente indignado ao ver que a cidade estava cheia de ídolos”
(17.16), mesmo assim inicia sua pregação elogiando a religiosidade dos atenienses e
não condenando e julgando, e assim devemos proceder quando abordamos uma
pessoa para apresentar o evangelho. 16
17.32,33 “Quando ouviram sobre a ressurreição dos mortos, alguns deles
zombaram, e outros disseram: "A esse respeito nós o ouviremos outra
vez". Com isso, Paulo retirou-se do meio deles.”
Essa atitude mostra a sabedoria de Paulo em discernir quando é apropriado
continuar falando e quando é melhor se retirar, mantendo o equilíbrio entre a
proclamação corajosa e as circunstâncias e pessoas envolvidas.
Epicurismo: negava a existência de uma alma imortal e, consequentemente, a
possibilidade de uma ressurreição após a morte: a morte era o fim da existência.
Estoicismo: acreditava na reencarnação, mas não na ressurreição do corpo físico.
Religião grega: cria na vida após a morte no Hades, um submundo sombrio.
1Co 15.16,17 “Pois, se os mortos não ressuscitam, nem mesmo Cristo ressuscitou.
E, se Cristo não ressuscitou, inútil é a fé que vocês têm, e ainda estão
em seus pecados.”
PERGUNTA 31: Por que a ressurreição de Jesus é tão importante?
17
17.34 “Alguns homens juntaram-se a ele e creram.
Entre eles estava Dionísio, membro do Areópago, e
também uma mulher chamada Dâmaris, e outros
com eles.”
O Areópago, responsável por questões religiosas,
morais e jurídicas, era composto pela elite ateniense
e fazer parte dele dava prestígio e influência.
18.1 “Depois disso Paulo saiu de Atenas e foi para
Corinto.
Comentaristas acham que Paulo partiu de Atenas
devido aos modestos resultados “Alguns homens”
18
Lição de casa:
1. Rever o estudo de hoje
2. Ler At 18 a 20
Participe do WhatsApp com seus comentários
BIBLIOGRAFIA
1. Bíblia NVI – Editora Vida – 2000
2. Comentário Bíblico do professor – Lawrence Richards – 3ª Ed. Vida - SP
3. Comentário Bíblico Moody – Charles F Pfieffer – Ed. Batista Regular,2017
4. Comentário Bíblico Popular - MacDonald, Willian, SP, Ed. Mundo Cristão, 2008
5. Comentário Bíblico NVI -. BRUCCE, F. F, SP, Ed. Vida, 1ª edição, 2008
6. Atos dos Apóstolos: Texto e Comentário, por F. F. Bruce (Editora Cultura Cristã)
7. Atos dos Apóstolos: Uma Perspectiva Pastoral, por Hernandes Dias Lopes (Ed. Hagnos)
8. Atos dos Apóstolos: A Missão do Espírito Santo, por Luiz Sayão (Ed. Vida Nova)
9. Atos dos Apóstolos: Uma História da Igreja, por Augustus Nicodemus Lopes (Ed. Cultura Cristã)
10.Atos dos Apóstolos: Um Estudo Bíblico, por Hernandes Dias Lopes (Ed. Hagnos)
11.Bible Project
12.Reflexões extraídas da World Wide Web
13.ROTA 66, Rádio Transmundial, Sayão, Luiz, https://www.rtmbrasil.org.br/radio/programas/rota-66/pagina/1>.
Esta apresentação está disponível no site: www.escolabiblicavirtual.com.br 20
21
Paulo estava na 2ª
viagem missionária,
acompanhado por
Silas, Timóteo e
Lucas, com o
propósito de
evangelizar a Ásia,
mas o ES os
direcionou para a
Macedônia (Europa).
16.12 “Dali partimos
para Filipos...colônia
romana...ficamos
vários dias.”

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a A CHEGADA DO EVANGELHO À EUROPA - ATOS 16 e 17.pptx

Aprendendo com-mulheres-da-biblia-lidia
Aprendendo com-mulheres-da-biblia-lidiaAprendendo com-mulheres-da-biblia-lidia
Aprendendo com-mulheres-da-biblia-lidia
Gleydson Teixeira
 
O projeto de paulo
O projeto de paulo  O projeto de paulo
O projeto de paulo
Ana Nunes
 

Semelhante a A CHEGADA DO EVANGELHO À EUROPA - ATOS 16 e 17.pptx (20)

Histórias do Atos dos Apóstolos para crianças – Livro para colorir
Histórias do Atos dos Apóstolos para crianças – Livro para colorirHistórias do Atos dos Apóstolos para crianças – Livro para colorir
Histórias do Atos dos Apóstolos para crianças – Livro para colorir
 
Atos 5
Atos 5Atos 5
Atos 5
 
Atos 9
Atos 9Atos 9
Atos 9
 
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igreja
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igrejaA conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igreja
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igreja
 
Atos - Evangelho na Judeia e samaria.pdf
Atos - Evangelho na Judeia e samaria.pdfAtos - Evangelho na Judeia e samaria.pdf
Atos - Evangelho na Judeia e samaria.pdf
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
 
Aprendendo com-mulheres-da-biblia-lidia
Aprendendo com-mulheres-da-biblia-lidiaAprendendo com-mulheres-da-biblia-lidia
Aprendendo com-mulheres-da-biblia-lidia
 
Histórias da Bíblia: Superando obstáculos
Histórias da Bíblia: Superando obstáculosHistórias da Bíblia: Superando obstáculos
Histórias da Bíblia: Superando obstáculos
 
Aula Caridade Segundo Paulo de Tarso
Aula Caridade Segundo Paulo de TarsoAula Caridade Segundo Paulo de Tarso
Aula Caridade Segundo Paulo de Tarso
 
livro de atos dos apóstolos- Cap 22 a 24 - o julgamento de Paulo
livro de atos dos apóstolos- Cap 22 a 24 - o julgamento de Paulolivro de atos dos apóstolos- Cap 22 a 24 - o julgamento de Paulo
livro de atos dos apóstolos- Cap 22 a 24 - o julgamento de Paulo
 
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
 
Aula 60. Escola de Aprendizes do Evangelho. Paulo defende-se em Jerusalém
Aula 60. Escola de Aprendizes do Evangelho. Paulo defende-se em JerusalémAula 60. Escola de Aprendizes do Evangelho. Paulo defende-se em Jerusalém
Aula 60. Escola de Aprendizes do Evangelho. Paulo defende-se em Jerusalém
 
Paulo é vítima de fake news e o primeiro culto num domingo
Paulo é vítima de fake news e o primeiro culto num domingoPaulo é vítima de fake news e o primeiro culto num domingo
Paulo é vítima de fake news e o primeiro culto num domingo
 
O projeto de paulo
O projeto de paulo  O projeto de paulo
O projeto de paulo
 
Apócrifos evangelho de Nakdimon
Apócrifos   evangelho de NakdimonApócrifos   evangelho de Nakdimon
Apócrifos evangelho de Nakdimon
 
1 coríntios 4
1 coríntios 41 coríntios 4
1 coríntios 4
 
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGRLição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
 
“Anunciando a Palavra – O ministério da evangelização"
“Anunciando a Palavra – O ministério da evangelização"“Anunciando a Palavra – O ministério da evangelização"
“Anunciando a Palavra – O ministério da evangelização"
 
“Anunciando a Palavra – O ministério da evangelização"
“Anunciando a Palavra – O ministério da evangelização"“Anunciando a Palavra – O ministério da evangelização"
“Anunciando a Palavra – O ministério da evangelização"
 
Crianças e jovens na Bíblia: Livro para colorir
Crianças e jovens na Bíblia: Livro para colorirCrianças e jovens na Bíblia: Livro para colorir
Crianças e jovens na Bíblia: Livro para colorir
 

Último (7)

Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
 
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
 
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
 
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
 

A CHEGADA DO EVANGELHO À EUROPA - ATOS 16 e 17.pptx

  • 1. 10:00 ESCOLA BÍBLICA DISCIPULADORA 1 EBD - ESCOLA BÍBLICA DISCIPULADORA – 2024 – 1º SEMESTRE Facilitadores: José Luiz Rissotto e Francisco Tudela A chegada do evangelho à Europa
  • 2. SURGE UMA NOVA LIDERANÇA: TIMÓTEO 16.1-3 “Chegou a Derbe e depois a Listra, onde vivia um discípulo chamado Timóteo. Sua mãe era uma judia convertida e seu pai era grego. Os irmãos de Listra e Icônio davam bom testemunho dele. Paulo, querendo levá-lo na viagem, circuncidou-o por causa dos judeus que viviam naquela região, pois todos sabiam que seu pai era grego.". 17.2 “Segundo o seu costume, Paulo foi à sinagoga ...” Timóteo foi circuncidado por razão estratégica, pois para frequentar uma sinagoga era exigida a circuncisão (considerasse judeu que tem mãe judia, independe do pai ser judeu), Timóteo era judeu incircunciso Ainda hoje, para um homem se converter ao Judaísmo, a circuncisão é parte do processo. https://pt.wikihow.com/Se-Converter-ao-Juda%C3%ADsmo 2
  • 3. LUCAS SE JUNTA À VIAGEM MISSIONÁRIA 16.7-10 “Quando chegaram à fronteira da Mísia, tentaram entrar na Bitínia, mas o Espírito de Jesus os impediu. Então, contornaram a Mísia e desceram a Trôade. Durante a noite Paulo teve uma visão, na qual um homem da Macedônia estava em pé e lhe suplicava: "Passe à Macedônia e ajude-nos". Depois que Paulo teve essa visão, PREPARAMO-NOS imediatamente para partir para a Macedônia, concluindo que Deus nos tinha chamado para lhes pregar o evangelho.” Destaque para o uso da primeira pessoa do plural, indicando que Lucas juntou-se à equipe de Paulo em Trôade. A agenda missionária da igreja deve ser dirigida por Deus, e não pelos obreiros. Paulo abriu mão do seu projeto missionário e abraçou o projeto de Deus, e assim o evangelho entrou na Europa. 3 16.12 “Dali partimos para Filipos... colônia romana...ficamos vários dias.”
  • 4. 16.16-18 “Certo dia, indo nós para o lugar de oração, encontramos uma escrava que tinha um espírito pelo qual predizia o futuro. Ela ganhava muito dinheiro para os seus senhores com adivinhações. Essa moça seguia a Paulo e a nós, gritando: "Estes homens são servos do Deus Altíssimo e lhes anunciam o caminho da salvação". Ela continuou fazendo isso por muitos dias. Finalmente, Paulo ficou indignado, voltou-se e disse ao espírito: "Em nome de Jesus Cristo eu lhe ordeno que saia dela! " No mesmo instante o espírito a deixou. ” Pelo visto não havia sinagoga em Filipos e iam pregar o evangelho na beira do rio, local de oração, pois lá estariam os judeus. Interessante é essa moça deixar de fazer seu trabalho, deixar de ganhar dinheiro para seus senhores por muitos dias, para segui-los anunciando quem eram e o que vieram fazer e seus senhores não reclamarem da perda de ganho, mas tinham esperança da sua volta. 4
  • 5. Comentaristas sugerem que foi uma estratégia do diabo usar a adivinhadora para dizer quem eram e o que anunciavam para prejudicar a credibilidade de Paulo. Paulo antevendo problemas com os senhores dela se controlou por muitos dias, até perder a paciência e, intempestivamente, expulsar o mau espírito da moça. Veremos a seguir que com isso findará a pregação em Filipos. PERGUNTA 28: Vc acha que o diabo venceu? Jo 2.13-15 “... Jesus subiu a Jerusalém. No pátio do templo viu alguns vendendo ... Então ele fez um chicote de cordas e expulsou todos do templo ...” PERGUNTA 29: Vc já perdeu a paciência e fez coisas que não gostaria de ter feito? Quais foram as consequências? 5
  • 6. 16.19-24 “Percebendo que a sua esperança de lucro tinha se acabado, os donos da escrava agarraram Paulo e Silas ...levando-os aos magistrados, disseram: "Estes homens são judeus e estão perturbando a nossa cidade, propagando costumes que a nós, romanos, não é permitido aceitar nem praticar". A multidão ajuntou-se contra Paulo e Silas, e os magistrados ordenaram que se lhes tirassem as roupas e fossem açoitados. Depois de serem severamente açoitados, foram lançados na prisão. O carcereiro recebeu instrução para vigiá-los com cuidado. Tendo recebido tais ordens, ele os lançou no cárcere interior e lhes prendeu os pés no tronco.” As acusações: “são judeus” – mostra o preconceito / “perturbando” – um erro, pois quem gritava era a moça / “propagando costumes proibidos aos romanos” – sim, pois a religião romana oficial era politeísta. Se Lucas estava junto, por que não foi preso? Lucas não era judeu, embora a Bíblia não declare explicitamente sua etnia: Col 4.10-14 “Aristarco...Marcos...Justo...Estes são os únicos da circuncisão...Epafras ...Lucas, o médico amado, e Demas, enviam saudações. 6
  • 7. 16.25-29 “Por volta da meia-noite, Paulo e Silas estavam orando e cantando hinos a Deus; os outros presos os ouviam. De repente, houve um terremoto tão violento que os alicerces da prisão foram abalados. Imediatamente todas as portas se abriram, e as correntes de todos se soltaram. O carcereiro acordou e, vendo abertas as portas da prisão, desembainhou sua espada para se matar, porque pensava que os presos tivessem fugido. Mas Paulo gritou: "Não faça isso! Estamos todos aqui! O carcereiro pediu luz, entrou correndo e, trêmulo, prostrou-se diante de Paulo e Silas.“ As portas se abriram porque seus batentes foram abalados pelo terremoto, mas as correntes se soltarem não é algo a se esperar de um terremoto. Por que será que nenhum preso fugiu? Num exemplo da diferença que o evangelho faz, Paulo cuidou de quem o mantinha preso impedindo seu suicídio, fato que será motivo para a sua conversão, o carcereiro viu Jesus em Paulo. 7
  • 8. 16.30-34 “Então levou-os para fora e perguntou: "Senhores, que devo fazer para ser salvo? " Eles responderam: "Creia no Senhor Jesus, e serão salvos, você e os de sua casa". E pregaram a palavra de Deus, a ele e a todos os de sua casa. Naquela mesma hora da noite o carcereiro lavou as feridas deles; em seguida, ele e todos os seus foram batizados. Então os levou para a sua casa, serviu-lhes uma refeição e com todos os de sua casa alegrou-se muito por haver crido em Deus.” O carcereiro só levou Paulo e Silas para fora e manteve os demais presos. O carcereiro perguntou sobre salvação sem Paulo e Silas terem dito nada a respeito. Destaque para a família do carcereiro que correu para vê-lo após o terremoto. A liderança familiar: “Creia no Senhor Jesus, e serão salvos, você e os de sua casa” PERGUNTA 30: Quais são suas prioridades em relação à igreja? Primeiro os interesses pessoais e depois a igreja? 8
  • 9. 16.35-40 “Quando amanheceu, os magistrados mandaram os seus soldados ao carcereiro com esta ordem: "Solte estes homens". O carcereiro disse a Paulo: "Os magistrados deram ordens para que você e Silas sejam libertados. Agora podem sair. Vão em paz". Mas Paulo disse aos soldados: "Sendo nós cidadãos romanos, eles nos açoitaram publicamente sem processo formal e nos lançaram na prisão. E agora querem livrar-se de nós secretamente? Não! Venham eles mesmos e nos libertem". Os soldados relataram isso aos magistrados, os quais, ouvindo que Paulo e Silas eram romanos, ficaram atemorizados. Vieram para se desculpar diante deles e, conduzindo-os para fora da prisão, pediram-lhes que saíssem da cidade. Depois de saírem da prisão, Paulo e Silas foram à casa de Lídia, onde se encontraram com os irmãos e os encorajaram. E então partiram.” Paulo é marrudo mesmo!!! Embora Paulo e Silas não tenham sido libertos em segredo no sentido literal, a sua saída da cidade foi discreta e sem alarde, sem causar tumulto ou chamar atenção para si mesmos, nem para a humilhação que impusera aos magistrados, pois o foco principal era continuar pregando o Evangelho. 9
  • 10. 17.1-3 “Tendo passado por Anfípolis e Apolônia, chegaram a Tessalônica, onde havia uma sinagoga judaica. Segundo o seu costume, Paulo foi à sinagoga e por três sábados DISCUTIU (1) com eles com base nas Escrituras, EXPLICANDO (2) e PROVANDO (3) que o Cristo deveria sofrer e ressuscitar dentre os mortos. E DIZIA (4): "Este Jesus que proclamo é o Cristo"..” 10 Paulo privilegiava as capitais, pois delas o evangelho se disseminaria com maior facilidade: Efeso (Ásia); Tessalônica (Macedônia); Corinto (Acaia). A técnica oratória de Paulo: (1) DISCUTIU – ou debateu, trocou argumentos. (2) EXPLICANDO – apresentou o evangelho de modo direto e objetivo (3) PROVANDO – com argumentos sólidos, que em Jesus se cumpriam as profecias (4) DIZIA – concluindo com convicção que Jesus é o messias esperado.
  • 11. A oratória é a técnica de falar em público de forma eficaz e persuasiva, e para tanto utiliza recursos vocais, corporais e linguísticos. Alguns objetivos da oratória: Informar: transmitir conhecimentos, ideias e informações de forma clara e objetiva. Persuadir: o público a adotar um ponto de vista ou tomar uma ação específica. Entreter: prender a atenção do público. Habilidades importantes no discurso: (1) Clareza: deve ser facilmente compreendido pelo público. (2) Concisão: deve ser direto e objetivo, evitando desvios e redundâncias (repetir o que já foi dito, mesmo que com outras palavras).. (3) Persuasão: deve utilizar argumentos sólidos. (4) Confiança: ser apresentado com segurança, autoconfiança e com convicção. (5) Engajamento: usar meios que prendam a atenção: humor, histórias e exemplos Assim devemos procurar fazer ao pregar o evangelho. 11
  • 12. 17.4-8 “Alguns dos judeus foram persuadidos e se uniram a Paulo e Silas, bem como muitos gregos tementes a Deus e não poucas mulheres de alta posição. Mas os judeus ficaram com inveja. Reuniram alguns homens perversos dentre os desocupados e, com a multidão, iniciaram um tumulto na cidade. Invadiram a casa de Jasom, em busca de Paulo e Silas, a fim de trazê-los para o meio da multidão. Contudo, não os achando, arrastaram Jasom e alguns outros irmãos para diante dos oficiais da cidade, gritando: "Esses homens que têm causado alvoroço por todo o mundo, agora chegaram aqui, e JASOM OS RECEBEU EM SUA CASA. Todos eles estão agindo contra os decretos de César, dizendo que existe um outro rei, chamado Jesus". Ouvindo isso, a multidão e os oficiais da cidade ficaram agitados.” A oposição não partiu da religião pagã, mas do judaísmo e a motivação não foi sobre o conteúdo da mensagem, mas inveja dos seus resultados. Destaque para o judeus invejosos que declaram a eficácia do projeto missionário ao afirmarem que eles “têm causado alvoroço por todo o mundo” Os judeus e os pagãos incrédulos entenderam a pregação da 2ª vinda de Jesus como uma profecia de mudança de imperador, “um outro rei, chamado Jesus”. 12
  • 13. 17.9,10 “Então receberam de Jasom e dos outros a fiança estipulada e os soltaram. Logo que anoiteceu, os irmãos enviaram Paulo e Silas para Beréia. Chegando ali, eles foram à sinagoga judaica.” Interessante que quem despediu os missionários foi quem os acolhera. 17.11 “Os bereanos eram mais nobres do que os tessalonicenses, pois receberam a mensagem com grande interesse, examinando todos os dias as Escrituras, para ver se tudo era assim mesmo.” Assim como nossos alunos, os bereanos estudavam a Palavra não apenas aos sábados, mas todos os dias, e sem superficialidade, numa leitura corrida, mas com senso crítico, isto é, procurando o correto entendimento. 17.12 “E creram muitos dentre os judeus, bem como dentre os gregos, um bom número de mulheres de elevada posição e não poucos homens.” A resposta dos bereanos à Palavra não foi apenas emocional, mas alicerçada numa convicção intelectual, e como resultado muitos deles se converteram 13
  • 14. 17.13-15 “Quando os judeus de Tessalônica ficaram sabendo que Paulo estava pregando a palavra de Deus em Beréia, dirigiram-se também para lá, agitando e alvoroçando as multidões. Imediatamente os irmãos enviaram Paulo para o litoral, mas Silas e Timóteo permaneceram em Beréia. Os homens que foram com Paulo o levaram até Atenas, partindo depois com instruções para que Silas e Timóteo se juntassem a ele, tão logo fosse possível.” Foram 40Km até o mar e mais 450Km até Atenas, terra de Aristóteles, Sócrates, Platão, Eurípedes e outros filósofos. 14
  • 15. 17.16-18 “Enquanto esperava por eles em Atenas, PAULO FICOU PROFUNDAMENTE INDIGNADO AO VER QUE A CIDADE ESTAVA CHEIA DE ÍDOLOS. Por isso, DISCUTIA na sinagoga com judeus e com gregos tementes a Deus, bem como na praça principal, todos os dias, com aqueles que por ali se encontravam. Alguns filósofos epicureus e estoicos começaram a discutir com ele.” DISCUTIA – ou debatia, trocava argumentos. Epicureus – criam que a felicidade é alcançada numa vida simples e equilibrada Estoicos – criam que a felicidade é alcançada aceitando os eventos da vida com serenidade e resignação e não viver buscando riqueza, fama e prazer físico.. 15
  • 16. 17.19,22,23 “Então o levaram a uma reunião do Areópago, onde lhe perguntaram: "Podemos saber que novo ensino é esse que você está anunciando?” Então Paulo levantou-se na reunião do Areópago e disse: "Atenienses! Vejo que em todos os aspectos vocês são muito religiosos, pois, andando pela cidade, observei cuidadosamente seus objetos de culto e encontrei até um altar com esta inscrição: AO DEUS DESCONHECIDO.” “em todos os aspectos vocês são muito religiosos”, quais aspectos? Religioso: A cidade era conhecida por sua devoção à religião politeísta e assim terem um grande número de templos e santuários. Cultural: Festivais religiosos, rituais e sacrifícios eram eventos frequentes. Político: Magistrados iam nos rituais religiosos e juravam por deuses específicos “Paulo ficou profundamente indignado ao ver que a cidade estava cheia de ídolos” (17.16), mesmo assim inicia sua pregação elogiando a religiosidade dos atenienses e não condenando e julgando, e assim devemos proceder quando abordamos uma pessoa para apresentar o evangelho. 16
  • 17. 17.32,33 “Quando ouviram sobre a ressurreição dos mortos, alguns deles zombaram, e outros disseram: "A esse respeito nós o ouviremos outra vez". Com isso, Paulo retirou-se do meio deles.” Essa atitude mostra a sabedoria de Paulo em discernir quando é apropriado continuar falando e quando é melhor se retirar, mantendo o equilíbrio entre a proclamação corajosa e as circunstâncias e pessoas envolvidas. Epicurismo: negava a existência de uma alma imortal e, consequentemente, a possibilidade de uma ressurreição após a morte: a morte era o fim da existência. Estoicismo: acreditava na reencarnação, mas não na ressurreição do corpo físico. Religião grega: cria na vida após a morte no Hades, um submundo sombrio. 1Co 15.16,17 “Pois, se os mortos não ressuscitam, nem mesmo Cristo ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, inútil é a fé que vocês têm, e ainda estão em seus pecados.” PERGUNTA 31: Por que a ressurreição de Jesus é tão importante? 17
  • 18. 17.34 “Alguns homens juntaram-se a ele e creram. Entre eles estava Dionísio, membro do Areópago, e também uma mulher chamada Dâmaris, e outros com eles.” O Areópago, responsável por questões religiosas, morais e jurídicas, era composto pela elite ateniense e fazer parte dele dava prestígio e influência. 18.1 “Depois disso Paulo saiu de Atenas e foi para Corinto. Comentaristas acham que Paulo partiu de Atenas devido aos modestos resultados “Alguns homens” 18 Lição de casa: 1. Rever o estudo de hoje 2. Ler At 18 a 20 Participe do WhatsApp com seus comentários
  • 19.
  • 20. BIBLIOGRAFIA 1. Bíblia NVI – Editora Vida – 2000 2. Comentário Bíblico do professor – Lawrence Richards – 3ª Ed. Vida - SP 3. Comentário Bíblico Moody – Charles F Pfieffer – Ed. Batista Regular,2017 4. Comentário Bíblico Popular - MacDonald, Willian, SP, Ed. Mundo Cristão, 2008 5. Comentário Bíblico NVI -. BRUCCE, F. F, SP, Ed. Vida, 1ª edição, 2008 6. Atos dos Apóstolos: Texto e Comentário, por F. F. Bruce (Editora Cultura Cristã) 7. Atos dos Apóstolos: Uma Perspectiva Pastoral, por Hernandes Dias Lopes (Ed. Hagnos) 8. Atos dos Apóstolos: A Missão do Espírito Santo, por Luiz Sayão (Ed. Vida Nova) 9. Atos dos Apóstolos: Uma História da Igreja, por Augustus Nicodemus Lopes (Ed. Cultura Cristã) 10.Atos dos Apóstolos: Um Estudo Bíblico, por Hernandes Dias Lopes (Ed. Hagnos) 11.Bible Project 12.Reflexões extraídas da World Wide Web 13.ROTA 66, Rádio Transmundial, Sayão, Luiz, https://www.rtmbrasil.org.br/radio/programas/rota-66/pagina/1>. Esta apresentação está disponível no site: www.escolabiblicavirtual.com.br 20
  • 21. 21 Paulo estava na 2ª viagem missionária, acompanhado por Silas, Timóteo e Lucas, com o propósito de evangelizar a Ásia, mas o ES os direcionou para a Macedônia (Europa). 16.12 “Dali partimos para Filipos...colônia romana...ficamos vários dias.”