SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
Baixar para ler offline
17 de Dezembro de 2023
Lição 12
O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia
TEXTO ÁUREO
“E, servindo eles ao Senhor e jejuando,
disse o Espírito Santo: Apartai-me a
Barnabé e a Saulo para a obra a que os
tenho chamado.” (At 13.2)
VERDADE PRÁTICA
A ação do Espírito Santo é a
garantia do sucesso de toda a obra
missionária.
LEITURA DIÁRIA
Segunda - At 11.19,20 A igreja em Antioquia da Síria era estratégica para
missões.
Terça - At 8.1 A dispersão em Jerusalém contribuiu para a fundação da igreja
em Antioquia.
Quarta - 1 Co 12.28; Ef 4.11 Os dons espirituais e ministeriais servem à obra
missionária.
Quinta - At 13.2,3 O jejum e a oração são necessários para o envio
missionário.
Sexta - At 14.8-28 Missões em diversas cidades e países não alcançados
Sábado - Sl 126.5,6 Na obra missionária quem planta com lágrimas colhe com
alegria
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Atos 11.19-26; 13.1-5
Atos 11
19 - E os que foram dispersos pela perseguição que sucedeu por causa de
Estêvão caminharam até à Fenícia, Chipre e Antioquia, não anunciando a
ninguém a palavra senão somente aos judeus.
20 - E havia entre eles alguns varões de Chipre e de Cirene, os quais,
entrando em Antioquia, falaram aos gregos, anunciando o Senhor Jesus.
21 - E a mão do Senhor era com eles; e grande número creu e se
converteu ao Senhor.
22 - E chegou a fama destas coisas aos ouvidos da igreja que estava em
Jerusalém; e enviaram Barnabé até Antioquia,
23 - o qual, quando chegou e viu a graça de Deus, se alegrou e
exortou a todos a que, com firmeza de coração, permanecessem no
Senhor.
24 - Porque era homem de bem e cheio do Espírito Santo e de fé. E
muita gente se uniu ao Senhor.
25 - E partiu Barnabé para Tarso, a buscar Saulo; e, achando-o, o
conduziu para Antioquia.
26 - E sucedeu que todo um ano se reuniram naquela igreja e
ensinaram muita gente. Em Antioquia, foram os discípulos, pela
primeira vez, chamados cristãos.
Atos 13
1 - Na igreja que estava em Antioquia havia alguns profetas e
doutores, a saber: Barnabé, e Simeão, chamado Níger, e Lúcio,
cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes, o tetrarca, e Saulo.
2 - E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo:
Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado.
INTRODUÇÃO
Nesta lição, estudaremos a respeito da primeira igreja cristã
formada por gentios: a igreja de Antioquia. Veremos a sua
fundação e formação, sua vida ministerial e de comunhão, como
foram os resultados produzidos da prática missionária da igreja.
Teremos, portanto, uma amostra clara de que nessa igreja havia
uma dinâmica simples, porém, profunda: jejum e oração para
pedir orientação ao Espírito Santo; jejum e oração para executar a
orientação do Espírito Santo (fazer missões); uma prática
missionária na dependência do Espírito Santo.
PALAVRA-CHAVE: Modelo
I – A IGREJA DE ANTIOQUIA: NATUREZA
E CARACTERÍSTICAS
1. Antioquia da Síria. Antioquia da Síria era conhecida como “A
rainha do Oriente”. A cidade tinha uma população estimada de 500
mil habitantes. Antioquia era constituída de diversas nacionalidades e,
por isso, dizia-se ser possível conhecer os costumes do mundo inteiro
pela mistura de povos que frequentavam suas praças. Não por acaso,
essa cidade tornou-se “a segunda capital do Cristianismo”, depois de
Jerusalém, e a sede de Missões da Igreja Cristã. Por isso, o evangelista
Lucas altera o foco de sua narrativa, outrora centralizada em
Jerusalém, para o ministério aos gentios, a partir de Antioquia da Síria,
e a subsequente disseminação da igreja pelo mundo (At 11.19).
Outrossim, não se deve confundir essa cidade com Antioquia da
Pisídia, mencionada em Atos 13.14.
2. A igreja em Antioquia. Após a perseguição que sucedeu por
causa da morte de Estevão, que fez os membros da igreja de
Jerusalém se dispersarem para a Judeia e Samaria (At 8.1), o
Espírito Santo dirigiu os passos dos primeiros cristãos dispersos
para os confins da Terra, chegando, portanto, à Antioquia da Síria
(At 11.22,23). Nessa cidade, após uma série de conversões,
ocorreu a fundação da primeira igreja gentílica (At 11.26). Essa
igreja tornou-se o centro da obra missionária de Paulo, o apóstolo
dos gentios. É importante ressaltar que havia apenas duas cidades
mais importantes do que Antioquia da Síria: Roma e Alexandria.
Portanto, o Evangelho pregado a partir de Antioquia para outras
regiões do mundo era espiritualmente estratégico.
3. Uma obra de leigos. Não foram os apóstolos ou obreiros, mas os
leigos, os discípulos e os crentes em geral, outrora dispersos por causa
da perseguição em Jerusalém, que anunciaram o Evangelho aos
gentios e, consequentemente, fundaram a igreja em Antioquia (At
11.19). Por causa do anúncio do Evangelho, a mão do Senhor estava
sobre os crentes dispersos em Antioquia, o que fez com que muita
gente se convertesse a Cristo. Essa notícia chegou a Jerusalém, a ponto
de os apóstolos enviarem Barnabé para verificar de perto o que estava
acontecendo. Barnabé viajou mais de 400 quilômetros, de Jerusalém
até Antioquia. Ao chegar à cidade, ele se alegrou ao constatar que a
graça de Deus havia alcançado muita gente e exortou a todos que
permanecessem firmes no Senhor. Nessa oportunidade, pela primeira
vez, os discípulos da igreja em Antioquia foram chamados de cristãos
(At 11.26).
SINOPSE I
A igreja de Antioquia foi fundada
por leigos e, consequentemente, por
cristãos gentílicos.
II – UMA IGREJA MISSIONÁRIA EM AÇÃO
1. “Havia alguns profetas e doutores” (At 13.1). A igreja em
Antioquia tinha uma boa liderança exercendo a vocação. Nessa igreja,
Deus estabeleceu profetas e doutores (1 Co 12.28; Ef 4.11). Os
profetas eram pessoas que exerciam o dom de transmitir a mensagem
Deus sob inspiração do Espírito Santo e de maneira espontânea. Os
doutores, ou mestres, eram cheios do Espírito Santo e ensinavam a
Palavra de Deus com autoridade e sabedoria do alto; não eram,
portanto, homens orgulhosos e cheios de sabedoria meramente
humana.
2. Uma liderança servidora (v.2). A liderança da igreja de
Antioquia era constituída sem barreiras raciais ou espirituais,
por exemplo: Barnabé – consolador, misericordioso; Simeão
– negro, africano; Lúcio – cireneu, africano; Manaém –
irmão de criação ou de leite de Herodes, o Tetrarca
(Herodes Antipas), que matou João Batista; Saulo – fariseu,
ex-perseguidor da Igreja. Essa profunda comunhão de
adoração, oração e serviço na diversidade de pessoas salvas
trazia uma convicção de trabalho em favor das multidões
não alcançadas da Ásia Menor e da Europa.
3. “Apartai-me a Barnabé e a Saulo” (v.2). Nesse ambiente de
sensibilidade espiritual, o Espírito Santo ordenou que separassem
Barnabé e Saulo. Em seguida, eles foram enviados para o campo.
Note que, antes de receberem a orientação do Espírito Santo, a
liderança (profetas, mestres) e toda a igreja estavam no propósito
de jejum e oração (v.2). Após receberem a orientação do Espírito
e, antes de enviarem Barnabé e Saulo ao campo missionário,
profetas, mestres e toda a igreja continuavam jejuando e orando
(v.3). A lição aqui é muito clara: na obra missionária, e em
qualquer projeto na obra de Deus, devemos entrar num propósito
de jejum e oração para receber a orientação do Espírito, bem
como para executar a orientação do Espírito. Sem dúvida, essa era
a base do sucesso missionário da igreja em Antioquia.
SINOPSE II
Profetas e doutores constituíam uma
liderança servidora, estabelecida sem
barreiras raciais ou espirituais.
III – O SERVIÇO DE MISSÕES
1. O início das missões cristãs. A narrativa de Lucas, que
denominamos de primeira viagem missionária de Paulo, começa em
Antioquia com a escolha de Barnabé e Paulo, pelo Espírito Santo,
para uma obra especial. João Marcos, autor do Evangelho que leva o
seu nome, permaneceu em Jerusalém até ser levado para Antioquia
por Barnabé (seu primo) e Paulo, que regressavam de uma missão
de socorro a Jerusalém (At 12.25). Quando partiram para Chipre, na
sua primeira viagem missionária, levaram João Marcos em sua
companhia (At 13.5). Porém, ao chegarem a Perge, na Ásia Menor,
Marcos os deixou e regressou para Jerusalém (At 13.5).
2. Roteiro da viagem e atividades missionárias. Nos capítulos 13
e 14 de Atos, encontramos diversas localidades onde a atividade deles
foi desenvolvida: Missões em Chipre (At 13.4-13); Missões em
Antioquia da Pisídia (At 13.14-52); Missões em Icônio (At 14.1-7);
Missões em Listra (At 14.8-20a); Missões em Derbe (At 14.20b-21b);
Missões em lugares antigos e novos (At 14.21b-28); Regresso à
Antioquia da Síria (At 14.27). Basicamente, nessas regiões, a obra
missionária foi caracterizada por uma variedade de estratégias de
evangelização, visitas a cidades e países em que o Evangelho não
havia chegado, perseguição e oposição ao Evangelho, batismo no
Espírito Santo, separação de líderes para igrejas plantadas, contatos e
revisões das igrejas plantadas e muitas outras atividades missionárias.
Havendo cumprida essas e outras tarefas, os missionários voltaram a
Antioquia da Síria, cheios de alegria, ansiosos para contar o que Deus
havia feito entre os gentios (At 14.24-28). Eles poderiam dizer, de sã
consciência: “Missão Cumprida”.
3. Prestando contas. Ao final de cada uma das viagens missionárias, Paulo
e sua equipe prestavam contas à igreja que os havia recomendado. A
despeito das fortes perseguições que sofreram no cumprimento da nobre
tarefa missionária, Paulo e a equipe que estava com ele evidenciaram a
manifestação do poder de Deus na primeira viagem missionária. Muitos
gentios e judeus creram e aceitaram Jesus como Salvador, muitas igrejas
foram fundadas, curas divinas e libertação ocorreram. A obra do Espírito
Santo foi notória nessa jornada missionária. Assim, o grande legado
missionário deixado pela igreja de Antioquia foi a porta da fé que Deus abriu
aos gentios (At 14.27). Aqui, aprendemos algumas lições preciosas. Primeira,
a ideia “missionários independentes”, que respondem “somente ao Senhor”
não é bíblica; o apóstolo Paulo não deixava de relatar a atividade missionária
à sua igreja de origem (14.27-28). Segunda, teremos oposição e obstáculos na
obra missionária, mas também teremos resultados que glorificarão o Senhor
que nos chamou. E finalmente, não esqueça de que, na obra missionária,
quem “leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida,
com alegria, trazendo consigo os seus molhos” (Sl 126.6).
SINOPSE III
A primeira viagem missionária de Paulo
começa em Antioquia com a escolha e
envio de Paulo e Barnabé por meio do
Espírito Santo.
CONCLUSÃO
À luz desta lição, podemos afirmar que a igreja cristã cumpre o seu
propósito quando a cultura de missões faz parte da sua rotina. Uma
das provas de que o Espírito Santo age na igreja é o investimento
em Missões. Assim, é nossa a tarefa de evangelizar, participar dos
projetos missionários de nossa igreja local, orar e jejuar por
missões, contribuir e se colocar à disposição para ir ao encontro de
quem precisa ouvir de Jesus. Quando o Espírito Santo encontra
pessoas despojadas e sedentas por almas, Ele as capacita com
talentos e dons espirituais para que se lancem inteiramente na mais
sublime missão: ganhar vidas para o Reino de Deus.
REVISANDO O CONTEÚDO
1. Como a Antioquia da Síria era conhecida?
Antioquia da Síria era conhecida como “A rainha do
Oriente”.
2. Quem anunciou o Evangelho e, depois, fundou a igreja em
Antioquia?
Não foram os apóstolos ou obreiros, mas os leigos, os
discípulos e os crentes em geral, outrora dispersos por causa
da perseguição em Jerusalém, que anunciaram o Evangelho
e, consequentemente, fundaram a igreja em Antioquia (At
11.19).
3. Quem eram os líderes da igreja em Antioquia?
Barnabé – consolador, misericordioso; Simeão – negro,
africano; Lúcio – cireneu, africano; Manaém – irmão de
criação ou de leite de Herodes o Tetrarca (Herodes Antipas),
que matou João Batista; Saulo – fariseu, ex-perseguidor da
Igreja.
4. Qual lição podemos aprender em relação ao jejum e à
oração?
A lição aqui é muito clara: na obra missionária, e em
qualquer projeto na obra de Deus, devemos entrar num
propósito de jejum e oração para receber a orientação do
Espírito, bem como para executar a orientação do Espírito.
5. Cite uma lição preciosa que podemos aprender com a
experiência missionária da igreja em Antioquia.
A ideia “missionários independentes”, que respondem
“somente ao Senhor” não é bíblica; o apóstolo Paulo não
deixava de relatar a atividade missionária à sua igreja de
origem (14.27-28).
REFERÊNCIAS
CPAD. Até os Confins da Terra: pregando o Evangelho a todos os povos
até a Volta de Cristo. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias
de Deus (CPAD), 2023. (Lições Bíblicas, Adultos CPAD).
SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL (org.). Bíblia De Estudo Plenitude
Revista E Atualizada. Barueri, SP: SBB, 2005.
EBD | 4° Trimestre De 2023 | CPAD Adultos |
Tema: Até os Confins da Terra – Pregando o Evangelho a
todos os Povos até a Volta de Cristo | Escola Bíblica
Dominical | Lição 12 O Modelo de Missões da Igreja de
Antioquia
Slides elaborados por Celso Napoleon
LIÇÕES:
1. A Grande Comissão: Um Enfoque Etnocêntrico
2. Missões Transculturais: À sua Origem na Natureza de Deus
3. Missões Transculturais no Antigo Testamento
4. Missões Transculturais no Novo Testamento
5. Uma Perspectiva Pentecostal de Missões
6. Orando, Contribuindo e Fazendo Missões
7. A Responsabilidade da Igreja com os Missionários
8. Missionários Fazedores de Tendas
9. A Igreja e o Sustento Missionário
10. O Desafio da Janela 10/40
11. Missões e a Igreja Perseguida
12. O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia
13. O Propósito de Missões
14. Missões e a Volta do Senhor Jesus

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slides Lição 1, CPAD, A ORIGEM DA IGREJA, 1Tr24.pptx
Slides Lição 1, CPAD, A ORIGEM DA IGREJA, 1Tr24.pptxSlides Lição 1, CPAD, A ORIGEM DA IGREJA, 1Tr24.pptx
Slides Lição 1, CPAD, A ORIGEM DA IGREJA, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Lição 04: Ídolos na Família.pptx
Lição 04: Ídolos na Família.pptxLição 04: Ídolos na Família.pptx
Lição 04: Ídolos na Família.pptxCelso Napoleon
 
Lição bíblica 4º trim 2016 cpad
Lição bíblica 4º trim 2016 cpadLição bíblica 4º trim 2016 cpad
Lição bíblica 4º trim 2016 cpadAndrew Guimarães
 
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptxLição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptxCelso Napoleon
 
Lição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptx
Lição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptxLição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptx
Lição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptxCelso Napoleon
 
Estudo do evangelho de João
Estudo do evangelho de JoãoEstudo do evangelho de João
Estudo do evangelho de JoãoRODRIGO FERREIRA
 
Curso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEPCurso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEPMoisés Sampaio
 
Lição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptx
Lição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptxLição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptx
Lição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptxCelso Napoleon
 
Profetas maiores e menores
Profetas maiores e menoresProfetas maiores e menores
Profetas maiores e menoresPaulo Ferreira
 
Slides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Escrita Lição 3, CPAD, A Natureza da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Escrita Lição 3, CPAD, A Natureza da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Escrita Lição 3, CPAD, A Natureza da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Escrita Lição 3, CPAD, A Natureza da Igreja, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Escrita Lição 2, CPAD, Imagens Bíblicas da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Escrita Lição 2, CPAD, Imagens Bíblicas da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Escrita Lição 2, CPAD, Imagens Bíblicas da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Escrita Lição 2, CPAD, Imagens Bíblicas da Igreja, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Mais procurados (20)

Dons espirituais
Dons espirituaisDons espirituais
Dons espirituais
 
Slides Lição 7, CPAD, O Relacionamento entre Nora e Sogra.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Relacionamento entre Nora e Sogra.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Relacionamento entre Nora e Sogra.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Relacionamento entre Nora e Sogra.pptx
 
Slides Lição 1, CPAD, A Grande Comissão, Um Enfoque Etnocêntrico.pptx
Slides Lição 1, CPAD, A Grande Comissão, Um Enfoque Etnocêntrico.pptxSlides Lição 1, CPAD, A Grande Comissão, Um Enfoque Etnocêntrico.pptx
Slides Lição 1, CPAD, A Grande Comissão, Um Enfoque Etnocêntrico.pptx
 
Slides Licao 11, CPAD, O Avivamento e a Missao da Igreja.pptx
Slides Licao 11, CPAD, O Avivamento e a Missao da Igreja.pptxSlides Licao 11, CPAD, O Avivamento e a Missao da Igreja.pptx
Slides Licao 11, CPAD, O Avivamento e a Missao da Igreja.pptx
 
Slides Lição 1, CPAD, A ORIGEM DA IGREJA, 1Tr24.pptx
Slides Lição 1, CPAD, A ORIGEM DA IGREJA, 1Tr24.pptxSlides Lição 1, CPAD, A ORIGEM DA IGREJA, 1Tr24.pptx
Slides Lição 1, CPAD, A ORIGEM DA IGREJA, 1Tr24.pptx
 
Lição 04: Ídolos na Família.pptx
Lição 04: Ídolos na Família.pptxLição 04: Ídolos na Família.pptx
Lição 04: Ídolos na Família.pptx
 
Slideshare Lição 1, O Sermão Do Monte, O Caráter Do Reino De DEUS, 2Tr22, Pr ...
Slideshare Lição 1, O Sermão Do Monte, O Caráter Do Reino De DEUS, 2Tr22, Pr ...Slideshare Lição 1, O Sermão Do Monte, O Caráter Do Reino De DEUS, 2Tr22, Pr ...
Slideshare Lição 1, O Sermão Do Monte, O Caráter Do Reino De DEUS, 2Tr22, Pr ...
 
Lição bíblica 4º trim 2016 cpad
Lição bíblica 4º trim 2016 cpadLição bíblica 4º trim 2016 cpad
Lição bíblica 4º trim 2016 cpad
 
Slides Licao 8, CPAD, O Avivamento Espiritual no Mundo,Pr Henrique.pptx
Slides Licao 8, CPAD, O Avivamento Espiritual no Mundo,Pr Henrique.pptxSlides Licao 8, CPAD, O Avivamento Espiritual no Mundo,Pr Henrique.pptx
Slides Licao 8, CPAD, O Avivamento Espiritual no Mundo,Pr Henrique.pptx
 
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptxLição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
 
A doutrina do pecado
A doutrina do pecadoA doutrina do pecado
A doutrina do pecado
 
Lição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptx
Lição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptxLição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptx
Lição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptx
 
Estudo do evangelho de João
Estudo do evangelho de JoãoEstudo do evangelho de João
Estudo do evangelho de João
 
Curso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEPCurso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEP
 
Lição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptx
Lição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptxLição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptx
Lição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptx
 
Profetas maiores e menores
Profetas maiores e menoresProfetas maiores e menores
Profetas maiores e menores
 
Slides Licao 7, A Responsabilidade e Individual, 4Tr22, Pr Henrique, EBD NA T...
Slides Licao 7, A Responsabilidade e Individual, 4Tr22, Pr Henrique, EBD NA T...Slides Licao 7, A Responsabilidade e Individual, 4Tr22, Pr Henrique, EBD NA T...
Slides Licao 7, A Responsabilidade e Individual, 4Tr22, Pr Henrique, EBD NA T...
 
Slides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptx
 
Slides Escrita Lição 3, CPAD, A Natureza da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Escrita Lição 3, CPAD, A Natureza da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Escrita Lição 3, CPAD, A Natureza da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Escrita Lição 3, CPAD, A Natureza da Igreja, 1Tr24.pptx
 
Slides Escrita Lição 2, CPAD, Imagens Bíblicas da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Escrita Lição 2, CPAD, Imagens Bíblicas da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Escrita Lição 2, CPAD, Imagens Bíblicas da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Escrita Lição 2, CPAD, Imagens Bíblicas da Igreja, 1Tr24.pptx
 

Semelhante a Modelo missionário da igreja de Antioquia

Lição 12 - O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia(COM ANIMAÇÃO) (1).pptx
Lição 12 - O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia(COM ANIMAÇÃO) (1).pptxLição 12 - O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia(COM ANIMAÇÃO) (1).pptx
Lição 12 - O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia(COM ANIMAÇÃO) (1).pptxGeraluciaAbreu1
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
atos-170402225925.pdf
atos-170402225925.pdfatos-170402225925.pdf
atos-170402225925.pdfTiago Silva
 
Lição 11: O Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11: O Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11: O Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11: O Avivamento e a Missão da Igreja.pptxCelso Napoleon
 
[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 13 - A missão profética da Igreja | ...
[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 13 - A missão profética da Igreja | ...[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 13 - A missão profética da Igreja | ...
[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 13 - A missão profética da Igreja | ...José Carlos Polozi
 
SLIDE LIÇÃO 13 - O PODER DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA - TEXTO ÁUREO.pdf
SLIDE LIÇÃO 13 - O PODER DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA - TEXTO ÁUREO.pdfSLIDE LIÇÃO 13 - O PODER DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA - TEXTO ÁUREO.pdf
SLIDE LIÇÃO 13 - O PODER DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA - TEXTO ÁUREO.pdfAdriano Fernando Cangussu
 
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaLição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaErberson Pinheiro
 
Lição 12 - Cosmovisão Missionária
Lição 12 - Cosmovisão MissionáriaLição 12 - Cosmovisão Missionária
Lição 12 - Cosmovisão MissionáriaAndrew Guimarães
 
Lição 12 - Cosmovisão Missionária
Lição 12 - Cosmovisão MissionáriaLição 12 - Cosmovisão Missionária
Lição 12 - Cosmovisão MissionáriaAndrew Guimarães
 
Lição 2 - A Beleza e a Glória do Culto Levítico
Lição 2 - A Beleza e a Glória do Culto LevíticoLição 2 - A Beleza e a Glória do Culto Levítico
Lição 2 - A Beleza e a Glória do Culto LevíticoÉder Tomé
 
História do cristianismo ii - Um resumo histórico
História do cristianismo ii - Um resumo históricoHistória do cristianismo ii - Um resumo histórico
História do cristianismo ii - Um resumo históricoGustavo Messias
 
2016 3 TRI LIÇÃO 3 - IGREJA, AGÊNCIA EVANGELIZADORA
2016 3 TRI LIÇÃO 3 - IGREJA, AGÊNCIA EVANGELIZADORA2016 3 TRI LIÇÃO 3 - IGREJA, AGÊNCIA EVANGELIZADORA
2016 3 TRI LIÇÃO 3 - IGREJA, AGÊNCIA EVANGELIZADORANatalino das Neves Neves
 
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptxLição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptxCelso Napoleon
 
Evangelização Urbana e suas Estratégias
Evangelização Urbana e suas EstratégiasEvangelização Urbana e suas Estratégias
Evangelização Urbana e suas EstratégiasMárcio Martins
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptxPIB Penha
 
Lição 5 – Uma Perspectiva Pentecostal de Missões.pptx
Lição 5 – Uma Perspectiva Pentecostal de Missões.pptxLição 5 – Uma Perspectiva Pentecostal de Missões.pptx
Lição 5 – Uma Perspectiva Pentecostal de Missões.pptxCelso Napoleon
 

Semelhante a Modelo missionário da igreja de Antioquia (20)

Lição 12 - O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia(COM ANIMAÇÃO) (1).pptx
Lição 12 - O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia(COM ANIMAÇÃO) (1).pptxLição 12 - O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia(COM ANIMAÇÃO) (1).pptx
Lição 12 - O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia(COM ANIMAÇÃO) (1).pptx
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
atos-170402225925.pdf
atos-170402225925.pdfatos-170402225925.pdf
atos-170402225925.pdf
 
Lição 11: O Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11: O Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11: O Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11: O Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
 
[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 13 - A missão profética da Igreja | ...
[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 13 - A missão profética da Igreja | ...[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 13 - A missão profética da Igreja | ...
[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 13 - A missão profética da Igreja | ...
 
SLIDE LIÇÃO 13 - O PODER DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA - TEXTO ÁUREO.pdf
SLIDE LIÇÃO 13 - O PODER DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA - TEXTO ÁUREO.pdfSLIDE LIÇÃO 13 - O PODER DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA - TEXTO ÁUREO.pdf
SLIDE LIÇÃO 13 - O PODER DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA - TEXTO ÁUREO.pdf
 
atos
atosatos
atos
 
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaLição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
 
Lição 12 - Cosmovisão Missionária
Lição 12 - Cosmovisão MissionáriaLição 12 - Cosmovisão Missionária
Lição 12 - Cosmovisão Missionária
 
Lição 12 - Cosmovisão Missionária
Lição 12 - Cosmovisão MissionáriaLição 12 - Cosmovisão Missionária
Lição 12 - Cosmovisão Missionária
 
Lição 2 - A Beleza e a Glória do Culto Levítico
Lição 2 - A Beleza e a Glória do Culto LevíticoLição 2 - A Beleza e a Glória do Culto Levítico
Lição 2 - A Beleza e a Glória do Culto Levítico
 
História do cristianismo ii - Um resumo histórico
História do cristianismo ii - Um resumo históricoHistória do cristianismo ii - Um resumo histórico
História do cristianismo ii - Um resumo histórico
 
2016 3 TRI LIÇÃO 3 - IGREJA, AGÊNCIA EVANGELIZADORA
2016 3 TRI LIÇÃO 3 - IGREJA, AGÊNCIA EVANGELIZADORA2016 3 TRI LIÇÃO 3 - IGREJA, AGÊNCIA EVANGELIZADORA
2016 3 TRI LIÇÃO 3 - IGREJA, AGÊNCIA EVANGELIZADORA
 
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptxLição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
 
Evangelização Urbana e suas Estratégias
Evangelização Urbana e suas EstratégiasEvangelização Urbana e suas Estratégias
Evangelização Urbana e suas Estratégias
 
EB112-a igreja missionária
EB112-a  igreja  missionáriaEB112-a  igreja  missionária
EB112-a igreja missionária
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
 
Atos
AtosAtos
Atos
 
Lição 5 – Uma Perspectiva Pentecostal de Missões.pptx
Lição 5 – Uma Perspectiva Pentecostal de Missões.pptxLição 5 – Uma Perspectiva Pentecostal de Missões.pptx
Lição 5 – Uma Perspectiva Pentecostal de Missões.pptx
 
AMestreEduardo.pptx
AMestreEduardo.pptxAMestreEduardo.pptx
AMestreEduardo.pptx
 

Mais de Celso Napoleon

Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptx
Lesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptxLesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptx
Lesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptxCelso Napoleon
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 1- The Beginning of the Walk.pptx
Lesson 1- The Beginning of the Walk.pptxLesson 1- The Beginning of the Walk.pptx
Lesson 1- The Beginning of the Walk.pptxCelso Napoleon
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptx
Lesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptxLesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptx
Lesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptxCelso Napoleon
 
Lição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptx
Lição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptxLição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptx
Lição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptx
Lesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptxLesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptx
Lesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptxCelso Napoleon
 
Lição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptx
Lição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptxLição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptx
Lição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptx
Lesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptxLesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptx
Lesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptxCelso Napoleon
 
Lição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptx
Lição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptxLição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptx
Lição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptxCelso Napoleon
 
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptxLição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 8 - Discipline in the Church.pptx
Lesson 8 - Discipline in the Church.pptxLesson 8 - Discipline in the Church.pptx
Lesson 8 - Discipline in the Church.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 7 - The Ministry of the Church.pptx
Lesson 7 - The Ministry of the Church.pptxLesson 7 - The Ministry of the Church.pptx
Lesson 7 - The Ministry of the Church.pptxCelso Napoleon
 
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptxLição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptxCelso Napoleon
 
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptxLição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 6 - Church: Organism and Organization.pptx
Lesson 6 - Church: Organism and Organization.pptxLesson 6 - Church: Organism and Organization.pptx
Lesson 6 - Church: Organism and Organization.pptxCelso Napoleon
 
Lição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptx
Lição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptxLição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptx
Lição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptx
Lesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptxLesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptx
Lesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptxCelso Napoleon
 
Lição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptx
Lição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptxLição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptx
Lição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptxCelso Napoleon
 

Mais de Celso Napoleon (20)

Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
 
Lesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptx
Lesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptxLesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptx
Lesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptx
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
 
Lesson 1- The Beginning of the Walk.pptx
Lesson 1- The Beginning of the Walk.pptxLesson 1- The Beginning of the Walk.pptx
Lesson 1- The Beginning of the Walk.pptx
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
 
Lesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptx
Lesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptxLesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptx
Lesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptx
 
Lição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptx
Lição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptxLição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptx
Lição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptx
 
Lesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptx
Lesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptxLesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptx
Lesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptx
 
Lição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptx
Lição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptxLição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptx
Lição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptx
 
Lesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptx
Lesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptxLesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptx
Lesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptx
 
Lição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptx
Lição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptxLição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptx
Lição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptx
 
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptxLição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
 
Lesson 8 - Discipline in the Church.pptx
Lesson 8 - Discipline in the Church.pptxLesson 8 - Discipline in the Church.pptx
Lesson 8 - Discipline in the Church.pptx
 
Lesson 7 - The Ministry of the Church.pptx
Lesson 7 - The Ministry of the Church.pptxLesson 7 - The Ministry of the Church.pptx
Lesson 7 - The Ministry of the Church.pptx
 
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptxLição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
 
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptxLição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
 
Lesson 6 - Church: Organism and Organization.pptx
Lesson 6 - Church: Organism and Organization.pptxLesson 6 - Church: Organism and Organization.pptx
Lesson 6 - Church: Organism and Organization.pptx
 
Lição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptx
Lição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptxLição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptx
Lição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptx
 
Lesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptx
Lesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptxLesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptx
Lesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptx
 
Lição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptx
Lição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptxLição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptx
Lição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptx
 

Último

LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaWillemarSousa1
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoRicardo Azevedo
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalAmaroJunior21
 
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxGestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxSebastioFerreira34
 
2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx
2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx
2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptxhenrygabrielsilvarib
 
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...silvana30986
 
10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José OperárioNilson Almeida
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresAntonino Silva
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EMicheleRosa39
 
07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA
07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA
07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JAhenrygabrielsilvarib
 

Último (11)

LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
 
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxGestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
 
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.pptFluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
 
2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx
2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx
2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx
 
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
 
10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
 
07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA
07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA
07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA
 

Modelo missionário da igreja de Antioquia

  • 1. 17 de Dezembro de 2023 Lição 12 O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia
  • 2. TEXTO ÁUREO “E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado.” (At 13.2)
  • 3. VERDADE PRÁTICA A ação do Espírito Santo é a garantia do sucesso de toda a obra missionária.
  • 4. LEITURA DIÁRIA Segunda - At 11.19,20 A igreja em Antioquia da Síria era estratégica para missões. Terça - At 8.1 A dispersão em Jerusalém contribuiu para a fundação da igreja em Antioquia. Quarta - 1 Co 12.28; Ef 4.11 Os dons espirituais e ministeriais servem à obra missionária. Quinta - At 13.2,3 O jejum e a oração são necessários para o envio missionário. Sexta - At 14.8-28 Missões em diversas cidades e países não alcançados Sábado - Sl 126.5,6 Na obra missionária quem planta com lágrimas colhe com alegria
  • 5. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Atos 11.19-26; 13.1-5 Atos 11 19 - E os que foram dispersos pela perseguição que sucedeu por causa de Estêvão caminharam até à Fenícia, Chipre e Antioquia, não anunciando a ninguém a palavra senão somente aos judeus. 20 - E havia entre eles alguns varões de Chipre e de Cirene, os quais, entrando em Antioquia, falaram aos gregos, anunciando o Senhor Jesus. 21 - E a mão do Senhor era com eles; e grande número creu e se converteu ao Senhor. 22 - E chegou a fama destas coisas aos ouvidos da igreja que estava em Jerusalém; e enviaram Barnabé até Antioquia,
  • 6. 23 - o qual, quando chegou e viu a graça de Deus, se alegrou e exortou a todos a que, com firmeza de coração, permanecessem no Senhor. 24 - Porque era homem de bem e cheio do Espírito Santo e de fé. E muita gente se uniu ao Senhor. 25 - E partiu Barnabé para Tarso, a buscar Saulo; e, achando-o, o conduziu para Antioquia. 26 - E sucedeu que todo um ano se reuniram naquela igreja e ensinaram muita gente. Em Antioquia, foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos.
  • 7. Atos 13 1 - Na igreja que estava em Antioquia havia alguns profetas e doutores, a saber: Barnabé, e Simeão, chamado Níger, e Lúcio, cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes, o tetrarca, e Saulo. 2 - E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado.
  • 8. INTRODUÇÃO Nesta lição, estudaremos a respeito da primeira igreja cristã formada por gentios: a igreja de Antioquia. Veremos a sua fundação e formação, sua vida ministerial e de comunhão, como foram os resultados produzidos da prática missionária da igreja. Teremos, portanto, uma amostra clara de que nessa igreja havia uma dinâmica simples, porém, profunda: jejum e oração para pedir orientação ao Espírito Santo; jejum e oração para executar a orientação do Espírito Santo (fazer missões); uma prática missionária na dependência do Espírito Santo. PALAVRA-CHAVE: Modelo
  • 9. I – A IGREJA DE ANTIOQUIA: NATUREZA E CARACTERÍSTICAS 1. Antioquia da Síria. Antioquia da Síria era conhecida como “A rainha do Oriente”. A cidade tinha uma população estimada de 500 mil habitantes. Antioquia era constituída de diversas nacionalidades e, por isso, dizia-se ser possível conhecer os costumes do mundo inteiro pela mistura de povos que frequentavam suas praças. Não por acaso, essa cidade tornou-se “a segunda capital do Cristianismo”, depois de Jerusalém, e a sede de Missões da Igreja Cristã. Por isso, o evangelista Lucas altera o foco de sua narrativa, outrora centralizada em Jerusalém, para o ministério aos gentios, a partir de Antioquia da Síria, e a subsequente disseminação da igreja pelo mundo (At 11.19). Outrossim, não se deve confundir essa cidade com Antioquia da Pisídia, mencionada em Atos 13.14.
  • 10. 2. A igreja em Antioquia. Após a perseguição que sucedeu por causa da morte de Estevão, que fez os membros da igreja de Jerusalém se dispersarem para a Judeia e Samaria (At 8.1), o Espírito Santo dirigiu os passos dos primeiros cristãos dispersos para os confins da Terra, chegando, portanto, à Antioquia da Síria (At 11.22,23). Nessa cidade, após uma série de conversões, ocorreu a fundação da primeira igreja gentílica (At 11.26). Essa igreja tornou-se o centro da obra missionária de Paulo, o apóstolo dos gentios. É importante ressaltar que havia apenas duas cidades mais importantes do que Antioquia da Síria: Roma e Alexandria. Portanto, o Evangelho pregado a partir de Antioquia para outras regiões do mundo era espiritualmente estratégico.
  • 11. 3. Uma obra de leigos. Não foram os apóstolos ou obreiros, mas os leigos, os discípulos e os crentes em geral, outrora dispersos por causa da perseguição em Jerusalém, que anunciaram o Evangelho aos gentios e, consequentemente, fundaram a igreja em Antioquia (At 11.19). Por causa do anúncio do Evangelho, a mão do Senhor estava sobre os crentes dispersos em Antioquia, o que fez com que muita gente se convertesse a Cristo. Essa notícia chegou a Jerusalém, a ponto de os apóstolos enviarem Barnabé para verificar de perto o que estava acontecendo. Barnabé viajou mais de 400 quilômetros, de Jerusalém até Antioquia. Ao chegar à cidade, ele se alegrou ao constatar que a graça de Deus havia alcançado muita gente e exortou a todos que permanecessem firmes no Senhor. Nessa oportunidade, pela primeira vez, os discípulos da igreja em Antioquia foram chamados de cristãos (At 11.26).
  • 12. SINOPSE I A igreja de Antioquia foi fundada por leigos e, consequentemente, por cristãos gentílicos.
  • 13. II – UMA IGREJA MISSIONÁRIA EM AÇÃO 1. “Havia alguns profetas e doutores” (At 13.1). A igreja em Antioquia tinha uma boa liderança exercendo a vocação. Nessa igreja, Deus estabeleceu profetas e doutores (1 Co 12.28; Ef 4.11). Os profetas eram pessoas que exerciam o dom de transmitir a mensagem Deus sob inspiração do Espírito Santo e de maneira espontânea. Os doutores, ou mestres, eram cheios do Espírito Santo e ensinavam a Palavra de Deus com autoridade e sabedoria do alto; não eram, portanto, homens orgulhosos e cheios de sabedoria meramente humana.
  • 14. 2. Uma liderança servidora (v.2). A liderança da igreja de Antioquia era constituída sem barreiras raciais ou espirituais, por exemplo: Barnabé – consolador, misericordioso; Simeão – negro, africano; Lúcio – cireneu, africano; Manaém – irmão de criação ou de leite de Herodes, o Tetrarca (Herodes Antipas), que matou João Batista; Saulo – fariseu, ex-perseguidor da Igreja. Essa profunda comunhão de adoração, oração e serviço na diversidade de pessoas salvas trazia uma convicção de trabalho em favor das multidões não alcançadas da Ásia Menor e da Europa.
  • 15. 3. “Apartai-me a Barnabé e a Saulo” (v.2). Nesse ambiente de sensibilidade espiritual, o Espírito Santo ordenou que separassem Barnabé e Saulo. Em seguida, eles foram enviados para o campo. Note que, antes de receberem a orientação do Espírito Santo, a liderança (profetas, mestres) e toda a igreja estavam no propósito de jejum e oração (v.2). Após receberem a orientação do Espírito e, antes de enviarem Barnabé e Saulo ao campo missionário, profetas, mestres e toda a igreja continuavam jejuando e orando (v.3). A lição aqui é muito clara: na obra missionária, e em qualquer projeto na obra de Deus, devemos entrar num propósito de jejum e oração para receber a orientação do Espírito, bem como para executar a orientação do Espírito. Sem dúvida, essa era a base do sucesso missionário da igreja em Antioquia.
  • 16. SINOPSE II Profetas e doutores constituíam uma liderança servidora, estabelecida sem barreiras raciais ou espirituais.
  • 17. III – O SERVIÇO DE MISSÕES 1. O início das missões cristãs. A narrativa de Lucas, que denominamos de primeira viagem missionária de Paulo, começa em Antioquia com a escolha de Barnabé e Paulo, pelo Espírito Santo, para uma obra especial. João Marcos, autor do Evangelho que leva o seu nome, permaneceu em Jerusalém até ser levado para Antioquia por Barnabé (seu primo) e Paulo, que regressavam de uma missão de socorro a Jerusalém (At 12.25). Quando partiram para Chipre, na sua primeira viagem missionária, levaram João Marcos em sua companhia (At 13.5). Porém, ao chegarem a Perge, na Ásia Menor, Marcos os deixou e regressou para Jerusalém (At 13.5).
  • 18. 2. Roteiro da viagem e atividades missionárias. Nos capítulos 13 e 14 de Atos, encontramos diversas localidades onde a atividade deles foi desenvolvida: Missões em Chipre (At 13.4-13); Missões em Antioquia da Pisídia (At 13.14-52); Missões em Icônio (At 14.1-7); Missões em Listra (At 14.8-20a); Missões em Derbe (At 14.20b-21b); Missões em lugares antigos e novos (At 14.21b-28); Regresso à Antioquia da Síria (At 14.27). Basicamente, nessas regiões, a obra missionária foi caracterizada por uma variedade de estratégias de evangelização, visitas a cidades e países em que o Evangelho não havia chegado, perseguição e oposição ao Evangelho, batismo no Espírito Santo, separação de líderes para igrejas plantadas, contatos e revisões das igrejas plantadas e muitas outras atividades missionárias. Havendo cumprida essas e outras tarefas, os missionários voltaram a Antioquia da Síria, cheios de alegria, ansiosos para contar o que Deus havia feito entre os gentios (At 14.24-28). Eles poderiam dizer, de sã consciência: “Missão Cumprida”.
  • 19. 3. Prestando contas. Ao final de cada uma das viagens missionárias, Paulo e sua equipe prestavam contas à igreja que os havia recomendado. A despeito das fortes perseguições que sofreram no cumprimento da nobre tarefa missionária, Paulo e a equipe que estava com ele evidenciaram a manifestação do poder de Deus na primeira viagem missionária. Muitos gentios e judeus creram e aceitaram Jesus como Salvador, muitas igrejas foram fundadas, curas divinas e libertação ocorreram. A obra do Espírito Santo foi notória nessa jornada missionária. Assim, o grande legado missionário deixado pela igreja de Antioquia foi a porta da fé que Deus abriu aos gentios (At 14.27). Aqui, aprendemos algumas lições preciosas. Primeira, a ideia “missionários independentes”, que respondem “somente ao Senhor” não é bíblica; o apóstolo Paulo não deixava de relatar a atividade missionária à sua igreja de origem (14.27-28). Segunda, teremos oposição e obstáculos na obra missionária, mas também teremos resultados que glorificarão o Senhor que nos chamou. E finalmente, não esqueça de que, na obra missionária, quem “leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos” (Sl 126.6).
  • 20. SINOPSE III A primeira viagem missionária de Paulo começa em Antioquia com a escolha e envio de Paulo e Barnabé por meio do Espírito Santo.
  • 21. CONCLUSÃO À luz desta lição, podemos afirmar que a igreja cristã cumpre o seu propósito quando a cultura de missões faz parte da sua rotina. Uma das provas de que o Espírito Santo age na igreja é o investimento em Missões. Assim, é nossa a tarefa de evangelizar, participar dos projetos missionários de nossa igreja local, orar e jejuar por missões, contribuir e se colocar à disposição para ir ao encontro de quem precisa ouvir de Jesus. Quando o Espírito Santo encontra pessoas despojadas e sedentas por almas, Ele as capacita com talentos e dons espirituais para que se lancem inteiramente na mais sublime missão: ganhar vidas para o Reino de Deus.
  • 22. REVISANDO O CONTEÚDO 1. Como a Antioquia da Síria era conhecida? Antioquia da Síria era conhecida como “A rainha do Oriente”. 2. Quem anunciou o Evangelho e, depois, fundou a igreja em Antioquia? Não foram os apóstolos ou obreiros, mas os leigos, os discípulos e os crentes em geral, outrora dispersos por causa da perseguição em Jerusalém, que anunciaram o Evangelho e, consequentemente, fundaram a igreja em Antioquia (At 11.19).
  • 23. 3. Quem eram os líderes da igreja em Antioquia? Barnabé – consolador, misericordioso; Simeão – negro, africano; Lúcio – cireneu, africano; Manaém – irmão de criação ou de leite de Herodes o Tetrarca (Herodes Antipas), que matou João Batista; Saulo – fariseu, ex-perseguidor da Igreja. 4. Qual lição podemos aprender em relação ao jejum e à oração? A lição aqui é muito clara: na obra missionária, e em qualquer projeto na obra de Deus, devemos entrar num propósito de jejum e oração para receber a orientação do Espírito, bem como para executar a orientação do Espírito.
  • 24. 5. Cite uma lição preciosa que podemos aprender com a experiência missionária da igreja em Antioquia. A ideia “missionários independentes”, que respondem “somente ao Senhor” não é bíblica; o apóstolo Paulo não deixava de relatar a atividade missionária à sua igreja de origem (14.27-28).
  • 25. REFERÊNCIAS CPAD. Até os Confins da Terra: pregando o Evangelho a todos os povos até a Volta de Cristo. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD), 2023. (Lições Bíblicas, Adultos CPAD). SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL (org.). Bíblia De Estudo Plenitude Revista E Atualizada. Barueri, SP: SBB, 2005.
  • 26. EBD | 4° Trimestre De 2023 | CPAD Adultos | Tema: Até os Confins da Terra – Pregando o Evangelho a todos os Povos até a Volta de Cristo | Escola Bíblica Dominical | Lição 12 O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia Slides elaborados por Celso Napoleon
  • 27. LIÇÕES: 1. A Grande Comissão: Um Enfoque Etnocêntrico 2. Missões Transculturais: À sua Origem na Natureza de Deus 3. Missões Transculturais no Antigo Testamento 4. Missões Transculturais no Novo Testamento 5. Uma Perspectiva Pentecostal de Missões 6. Orando, Contribuindo e Fazendo Missões 7. A Responsabilidade da Igreja com os Missionários 8. Missionários Fazedores de Tendas 9. A Igreja e o Sustento Missionário 10. O Desafio da Janela 10/40 11. Missões e a Igreja Perseguida 12. O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia 13. O Propósito de Missões 14. Missões e a Volta do Senhor Jesus