SlideShare uma empresa Scribd logo
ANDREY MOREIRA
MITOSE e MEIOSE
Mitose e meiose
COMO ISSO ACONTECE?
Quando as células se dividem o nº de cromossomos é mantido
MITOSE e MEIOSE
Divisões Celulares ≠ (processo e função)
Características moleculares comuns:
Replicação do DNA
Adesão dos cromossomos replicados
Movimento ordenado dos cromossomos nas células filhas
A mitose nos seres pluricelulares é responsável pelo crescimento, devido ao aumento do
número de células e reposição das células mortas, por exemplo, a epiderme é renovada a
cada 28 dias.
QUAL É O GENÓTIPO DAS CÉLULAS FILHAS DE UM
HETEROZIGOTO (Aa) APÓS A MITOSE ?
A MITOSE é o processo que permite que um núcleo se
divida originando dois núcleos-filhos, cada um contendo
uma cópia de todos os cromossomas do núcleo original e,
consequentemente, de toda a informação genética.
Esta divisão nuclear é seguida de uma divisão do
citoplasma, designada citocinese. Assim, a partir de uma
célula-mãe formam-se duas células-filhas, idênticas à
célula-mãe e idênticas entre si. Depois de uma célula se
dividir, é necessário algum tempo para que essa célula
esteja pronta para uma nova divisão, reiniciando-se todo o
processo. A alternância entra períodos de divisão e
períodos de não divisão chama-se Ciclo Celular.
COMO SÃO OS GAMETAS DE UM HETEROZIGOTO (Aa)
APÓS A MEIOSE ?
MITOSE
Divisão assexuada das células (somáticas)
Antes da célula entrar em divisão que processo deve
ocorrer?
Unicelulares (leveduras) → mitose provoca crescimento da população
INTÉRFASE
G1: síntese de RNA e de proteínas
S: replicação do DNA
G2: reparo do DNA
Interfase:
G1 – grande atividade de síntese de proteínas, glícidos e lípidos, é a
fase em que o RNAm copia a informação do DNA para a produção das
moléculas orgânicas.
S – Replicação do DNA! As novas moléculas de DNA conduzem à
formação dos cromossomas constituídos por 2 cromatideos.
G2 – síntese de mais proteínas e estruturas membranares (ex.
mitocôndria)
Mitose e meiose
Prófase:
Durante a prófase, ocorre duplicação dos centríolos, a formação de ásteres ao redor dos
mesmos e formação do fuso mitótico. Enquanto os cromossomos iniciam a sua condensação, o
nucléolo e a carioteca desintegram-se até desaparecer, e os cromossomos ligam-se ao fuso
mitótico através do centrômero. É a etapa mais longa da mitose. Os cromossomas enrolam-se,
tornando-se progressivamente mais condensados, curtos e grossos. Os centrossomas (dois pares
de centriolos) afastam-se para pólos opostos, formando entre eles o fuso acromático. O fuso
acromático é formado por feixes de fibrilas de microtúbulos.
Metáfase:
Os cromossomos atingem o grau máximo de condensação, tornando-se bem visíveis ao
microscópio. Ocupam a região equatorial da célula. Nessa fase, é possível fazer a análise do
cariótipo da célula e descobrir se há uma anomalia cromossômica
Anáfase:
Separação das cromátides irmãs, que passam a formar cromossomos simples (fita única).Fibras
do fuso tracionam os cromossomos para os polos.
Telófase:
Ocorre a citocinese, divisão do citoplasma. Os cromossomos descondensam-se e desaparece o
fuso mitótico. No final da telófase, temos duas células - filhas idênticas entre si e idênticas à
célula - mãe.
Bipartição (ou cissiparidade) – é o processo através do qual a célula ou o indivíduo se divide
em dois, semelhantes, que depois vão crescer até atingirem o tamanho do progenitor.
Fragmentação – obtêm-se vários indivíduos a partir da regeneração de fragmentos de um
indivíduo progenitor. (ex. planária, minhoca, a estrela-do-mar, algas-espirogira).
O termo "mosaico" refere-se a um indivíduo ou tecido com, pelo menos, duas linhas
celulares diferentes relativamente ao seu genótipo ou cariótipo, originário de único
zigoto. Trata-se, pois, de uma anomalia cromossómica presente em todas as células
da linha celular, a qual pode ser numérica (forma mais frequente) ou estrutural.
Cerca de 1% dos doentes com síndrome de Down apresentam mosaicismo,
principalmente nas populações de células com cariótipo normal ou com trissomia
21.Parece que muitos destes doentes resultam de zigotos com trissomia 21, devido
à não disjunção dos cromossomas 21 ocorrida durante as primeiras divisões mitóticas
pós-zigóticas. O zigoto com mais um cromossoma 21 poderá perder o cromossoma
extra na divisão mitótica e continuar a desenvolver-se como um mosaico 46/47,+21. O
fenótipo é mais suave do que o dos doentes com a forma típica de trissomia 21,
apesar de existir uma maior variabilidade no fenótipo dos primeiros, o que
possivelmente reflecte a quantidade variável de células com trissomia 21 durante o
desenvolvimento do embrião. O mosaicismo de baixo grau no tecido germinativo de
um familiar é uma das causas do síndrome de Down, especialmente entre os doentes
nascidos de mães jovens ou nas famílias (raras) com mais de uma criança trissómica.
Mitose e meiose
QUAIS FATORES INFLUENCIAM NA FIDELIDADE DA
DIVISÃO NUCLEAR?
Aparelho de fuso, complexo cinetócoro e centrômero
Fuso acromático
- Distribuição correta dos cromossomos
- Microtúbulos - fibras ligadas ao
centrômero
- Força para separar os cromossomos
- Forma durante a prófase.
DESPOLARIZAÇÃO DA TUBULINA
Divisão nuclear
1. Microtúbulos se ligam ao cinetócoro
2. Centrômero liga-se ao cinetócoro
3. Tubulina despolariza
4. Microtúbulo é encurtado → separa as
cromátides irmãs.
A fidelidade da divisão nuclear
é garantida pelo aparelho de
fuso, pelo complexo cinetócoro
e pelos centrômeros.
MITOSE: Mantém nº de cromossomos constante na divisão celular
MEIOSE
Quando ocorre a união de 2 células (gametas) na fertilização o nº de
cromossomos é mantido
Como isso acontece?
A meiose é um processo de divisão celular, a partir do qual uma célula diploide (2n) origina
quatro células haplóides (n), isto quer dizer que as células-filhas apresentam metade do
numero de cromossomas da célula-mãe. A meiose consiste em 2 divisões sucessivas,
designadas divisão I e divisão II. Na divisão I/divisão reducional: um núcleo diploide (2n) origina
dois núcleos haplóides (n). Na divisão II/divisão equacional: ocorre a separação de cromatideos,
obtendo-se, 4 núcleos haplóides (n), cujos cromossomas são constituídos por um cromatideo.
Através desse processo, a espécie mantém constante o seu númerode cromossomos (devido e
redução) e aumento da variabilidadegenética (crossing – over).
• 2 divisões nucleares sucessivas (meiose I e II)
• Reduz a metade o nº de cromossomos
2n → 4n → 2n → n
MEIOSE
• Ocorre nas células das gônadas
Animais - meiócitos
Plantas - meiósporos
MEIOSE
Profase I: é a fase mais longa da meiose, no início desta fase o núcleo aumenta de volume. Os
cromossomas sofrem uma espiralizaçao, a qual faz com que se tornem mais grossos, curtos e
visíveis. Os cromossomas homólogos emparelham num processo denominado Sinapse. (estes
pares de cromossomas designam-se díadas cromossómicas ou bivalentes.)
Depois começam-se a visualizar dois cromatideos em casa cromossoma dos bivalentes.
Nos pontos de Quiasma, pode ocorrer troca de informação genética, isto é, quebras e trocas de
segmentos entre os cromatideos de cromossomas homólogos. Este fenómeno designa-se
sobrecruzamento ou Crossing-over.
Nas células animais, os centríolos dividem-se e colocam-se em pólos opostos, a partir dos quais
se forma o fuso acromático. Finalmente, as díadas cromossómicas deslocam-se para a zona
equatorial do fuso.
PRÓFASE I- Dividida em 5 partes
Leptóteno: Os cromossomos duplicados começam a condensar-se.
Zigóteno: Ocorre o pareamento dos homólogos;
Paquíteno: ocorre a permutação ou crossing– over, ou seja trocas de fragmentos entre as
cromátides dos cromossomos homólogos
Diplóteno: os cromossomos homólogos começam a afastar-se um do outro. Nas regiões onde
ocorrem as permutações, aparece uma figura em X, denominada quiasma.
Diacinese: terminalização dos quiasmas.
Metáfase I: os cromossomas homólogos de cada bivalente dispõem-se aleatoriamente na
placa equatorial, equidistantes dos pólos e presos pelos centrómeros às fibras do fuso
acromático. Ao contrario da metáfase da mitose, não são os centrómeros que se localizam no
plano equatorial do fuso acromático, mas sim os pontos de quiasma.
Anafase I: os cromossomas homólogos separam-se aleatoriamente e afastam-se para pólos
opostos. Esta ascensão polar ocorre devido à retracção das fibras do fuso acromático. Cada um
dos dois conjuntos cromossómicos que se separam e ascendem aos pólos, para além de serem
constituídos por metade do número de cromossomas, possuem informações genéticas
diferentes. Este Facto contribui para a variabilidade genética dos novos núcleos que se irão
formar.
Telofase I: Os cromossomas depois de chegarem aos pólos, começam a sua desespiralização,
tornando-se finos e longos. Desorganiza-se o fuso acromático e diferenciam-se os nucleolos e as
membranas nucleares, formando-se dois núcleos haploides (n).
Divisão II da meiose
Profase II: os cromossomas com dois cromatideos condensam-se. O fuso acromático forma-se,
após a divisão do centrossoma. Os cromossomas dirigem-se para a placa equatorial, presos pelo
centrómero às fibras do fuso acromático.
Metáfase II: Os cromossomas dispõem-se na placa equatorial, equidistantes dos pólos e sempre
presos pelo centrómero às fibras do fuso acromático.
Anafase II: ocorre a divisão do centrómero e dá-se a ascensão polar, os cromatideos do mesmo
cromossoma separam-se para pólos opostos. Os dois conjuntos de cromossomas que acabam de
se separar são haploides.
Telofase II: os cromossomas atingem os Pólos e iniciam a sua desespiralização, tornando-se
finos, longos e invisíveis ao microscópio.
Desorganiza-se o fuso acromático e diferenciam-se os nucleolos e as membranas nucleares,
formando-se 4 núcleos haploides.
MEIOSE
Replicação do DNA (2n → 4n)
Condensação dos cromossomos
Pareamento cromátides irmãs
Complexo sinaptonêmico
CÊNTROMERO
MEIOSE
Complexo Sinaptonêmico
MITOSE
Cinetócoro
QUAL O PROCESSO ESPECÍFICO DA MEIOSE QUE INICIA-
SE NA PRÓFASE I E TEMINA NA METÁFASE I?
Processo de crossing over
Essencial para a separação ordenada
Variabilidade dos indivíduos
CROSSING OVER
Mecanismo quebra e união cromátides durante a formação da tétrade
manifestações visíveis dos crossings
CROSSING OVER
1) (FUVEST) Considere os processos de mitose e meiose.
a)Qual o número de cromossomos das células originadas, respectivamente, pelos dois
processos, na espécie humana?
b) Qual é a importância biológica da meiose?
2) (PUC-SP) Certa espécie animal tem número diploide de cromossomos igual a 8 (2n = 8).Uma
célula de um indivíduo dessa espécie encontra-se em divisão e apresentou quatro cromossomos
simples sendo puxados para cada polo. A partir dessa informação, pode-se afirmar que a
referida célula se encontra:
a) Na metáfase da mitose.
b) Na anáfase da mitose.
c) Na metáfase da primeira divisão da meiose.
d) Na anáfase da primeira divisão da meiose.
e) Na anáfase da segunda divisão da meiose
3) Qual dos seguintes processos ocorre exclusivamente na meiose?
a)Divisão do centrômero.
b) Pareamento dos cromossomos.
c) Duplicação dos cromossomos.
d) Espiralização dos cromossomos.
e) Migração dos cromossomos ao longo do fuso
4)O ciclo celular envolve a interfase e as divisões celulares, que podem ser mitose ou meiose. A
meiose é um tipo de divisão celular que originará quatro células com o número de
cromossomos reduzido pela metade. Com base no texto e em seus conhecimentos sobre o
assunto, é correto afirmar que:
a) interfase é um período em que ocorre apenas a duplicação do material genético.
b) na anáfase I cada cromossomo de um par de cromossomos homólogos é puxado para um dos
pólos da célula.
c) o crossing-over ocorre em todos os cromossomos não homólogos.
d) na telófase I os cromossomos separados em dois lotes sofrem duplicação do material
genético e as membranas nucleares se reorganizam.
e) quiasmas são as permutas que ocorrem entre cromátides irmãs que permitem a variedade de
gametas.
5) Durante a prófase da primeira divisão meiótica, ocorre a troca de fragmentos entre
cromossomas homólogos, possibilitando uma maior variabilidade genética. A esse evento dá-se
o nome de:
a) formação de bivalentes.
b) formação de tétrades.
c) citocinese.
d) intercinese.
e) crossing-over
6) Das afirmativas abaixo:
I- O crossing-over permite a recombinação dos genes localizados em cromossomos homólogos.
II- Meiose é um tipo de divisão celular na qual uma célula diplóide dá origem a quatro células
haplóides. III- A intérfase é um período de grande atividade metabólica no núcleo. É nessa fase
que o DNA se duplica e o RNA é sintetizado.
a) apenas a afirmativa I é correta.
b) apenas a afirmativa II é correta.
c) apenas a afirmativa III é correta.
d) apenas duas afirmativas são corretas.
e) todas as afirmativas são corretas.
7) Quando uma célula conclui a sua primeira divisão meiótica, resultam:
a) duas células diplóides.
b) quatro células diplóides.
c) quatro células haplóides.
d) duas células haplóides.
e) duas células somáticas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Divisão celular - Mitose e Meiose
Divisão celular - Mitose e MeioseDivisão celular - Mitose e Meiose
Divisão celular - Mitose e Meiose
Victor Hugo
 
Ciclo celular
Ciclo celularCiclo celular
Ciclo celular
margaridabt
 
Ciclo celular e mitose
Ciclo celular e mitoseCiclo celular e mitose
Ciclo celular e mitose
emanuel
 
Meiose
MeioseMeiose
Mitose
MitoseMitose
Mitose
Isabel Lopes
 
Meiose
MeioseMeiose
Meiose
Victor Nunes
 
Mitose e Meiose
Mitose e MeioseMitose e Meiose
Mitose e Meiose
Gisele A. Barbosa
 
Mitose e meiose
Mitose e meioseMitose e meiose
Mitose e meiose
Aline Silva
 
Mitose e meiose primeiro ano
Mitose e meiose primeiro anoMitose e meiose primeiro ano
Mitose e meiose primeiro ano
Professora Raquel
 
Mitose Meiose
Mitose MeioseMitose Meiose
Mitose Meiose
guesta61019
 
Divisão celular
Divisão celularDivisão celular
Mitose e meiose
Mitose e meioseMitose e meiose
Mitose e meiose
Professora Raquel
 
Núcleo celular
Núcleo celularNúcleo celular
Núcleo celular
César Milani
 
Núcleo celular
Núcleo celularNúcleo celular
Núcleo celular
MARCIAMP
 
Meiose
MeioseMeiose
Meiose
emanuel
 
Organização celular - tipos de célula
Organização celular - tipos de célulaOrganização celular - tipos de célula
Organização celular - tipos de célula
Roberta Almeida
 
Membrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETOMembrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETO
Sheila Cassenotte
 
Recombinação genetica
Recombinação geneticaRecombinação genetica
Recombinação genetica
UERGS
 
Conceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de GenéticaConceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de Genética
Adriano Muniz
 
Heranca ligada sexo
Heranca ligada sexoHeranca ligada sexo
Heranca ligada sexo
Iuri Fretta Wiggers
 

Mais procurados (20)

Divisão celular - Mitose e Meiose
Divisão celular - Mitose e MeioseDivisão celular - Mitose e Meiose
Divisão celular - Mitose e Meiose
 
Ciclo celular
Ciclo celularCiclo celular
Ciclo celular
 
Ciclo celular e mitose
Ciclo celular e mitoseCiclo celular e mitose
Ciclo celular e mitose
 
Meiose
MeioseMeiose
Meiose
 
Mitose
MitoseMitose
Mitose
 
Meiose
MeioseMeiose
Meiose
 
Mitose e Meiose
Mitose e MeioseMitose e Meiose
Mitose e Meiose
 
Mitose e meiose
Mitose e meioseMitose e meiose
Mitose e meiose
 
Mitose e meiose primeiro ano
Mitose e meiose primeiro anoMitose e meiose primeiro ano
Mitose e meiose primeiro ano
 
Mitose Meiose
Mitose MeioseMitose Meiose
Mitose Meiose
 
Divisão celular
Divisão celularDivisão celular
Divisão celular
 
Mitose e meiose
Mitose e meioseMitose e meiose
Mitose e meiose
 
Núcleo celular
Núcleo celularNúcleo celular
Núcleo celular
 
Núcleo celular
Núcleo celularNúcleo celular
Núcleo celular
 
Meiose
MeioseMeiose
Meiose
 
Organização celular - tipos de célula
Organização celular - tipos de célulaOrganização celular - tipos de célula
Organização celular - tipos de célula
 
Membrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETOMembrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETO
 
Recombinação genetica
Recombinação geneticaRecombinação genetica
Recombinação genetica
 
Conceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de GenéticaConceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de Genética
 
Heranca ligada sexo
Heranca ligada sexoHeranca ligada sexo
Heranca ligada sexo
 

Destaque

Aula1 mitose e meiose
Aula1   mitose e meioseAula1   mitose e meiose
Aula1 mitose e meiose
Grupo UNIASSELVI
 
1EM #16 meiose
1EM #16 meiose1EM #16 meiose
1EM #16 meiose
Professô Kyoshi
 
Aula mitose e_meiose primeiros anos
Aula mitose e_meiose primeiros anosAula mitose e_meiose primeiros anos
Aula mitose e_meiose primeiros anos
Raquel Freiry
 
13 Lecture BIOL 1030-30 Gillette College
13 Lecture BIOL 1030-30 Gillette College13 Lecture BIOL 1030-30 Gillette College
13 Lecture BIOL 1030-30 Gillette College
deskam2
 
Ciclo celular mitose e meiose
Ciclo celular mitose e meioseCiclo celular mitose e meiose
Ciclo celular mitose e meiose
Paulo Vitor
 
Meiose
MeioseMeiose
Meiose
gdw147
 
Lista respondida ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular setembro 2014
Lista respondida  ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular  setembro  2014Lista respondida  ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular  setembro  2014
Lista respondida ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular setembro 2014
Ionara Urrutia Moura
 
Ficha de Trabalho nr 5 - Unidade 5 (soluções)
Ficha de Trabalho nr 5 - Unidade 5 (soluções)Ficha de Trabalho nr 5 - Unidade 5 (soluções)
Ficha de Trabalho nr 5 - Unidade 5 (soluções)
Isaura Mourão
 
Mitose meiose completa
Mitose meiose completaMitose meiose completa
Mitose meiose completa
Flávio Lima
 
Ciclo Celular - Biologia Celular
Ciclo Celular - Biologia CelularCiclo Celular - Biologia Celular
Ciclo Celular - Biologia Celular
erronda
 
Anatomia Artistica
Anatomia ArtisticaAnatomia Artistica
Anatomia Artistica
mamedealbuquerque
 
Resumo Ciclo celular e mitose
Resumo Ciclo celular e mitoseResumo Ciclo celular e mitose
Resumo Ciclo celular e mitose
Bio Sem Limites
 
Prova de química 1º ano
Prova de química 1º anoProva de química 1º ano
Prova de química 1º ano
ananiasdoamaral
 
Ciclo Celular
Ciclo CelularCiclo Celular
Ciclo Celular
Maria Almeida
 
Ciclo celular mitose e meiose
Ciclo celular mitose e meiose  Ciclo celular mitose e meiose
Ciclo celular mitose e meiose
Thais Benicio
 
Mitose e meiose
Mitose e meioseMitose e meiose
Mitose e meiose
aulasdotubao
 
mitose e meiose
mitose e meiosemitose e meiose
mitose e meiose
Ana Paula
 
Ciclo Celular
Ciclo CelularCiclo Celular
Ciclo Celular
Ana Arsénio
 
Hormônios Esteroides
Hormônios EsteroidesHormônios Esteroides
Hormônios Esteroides
Yasmin Casini
 
Mitose
MitoseMitose

Destaque (20)

Aula1 mitose e meiose
Aula1   mitose e meioseAula1   mitose e meiose
Aula1 mitose e meiose
 
1EM #16 meiose
1EM #16 meiose1EM #16 meiose
1EM #16 meiose
 
Aula mitose e_meiose primeiros anos
Aula mitose e_meiose primeiros anosAula mitose e_meiose primeiros anos
Aula mitose e_meiose primeiros anos
 
13 Lecture BIOL 1030-30 Gillette College
13 Lecture BIOL 1030-30 Gillette College13 Lecture BIOL 1030-30 Gillette College
13 Lecture BIOL 1030-30 Gillette College
 
Ciclo celular mitose e meiose
Ciclo celular mitose e meioseCiclo celular mitose e meiose
Ciclo celular mitose e meiose
 
Meiose
MeioseMeiose
Meiose
 
Lista respondida ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular setembro 2014
Lista respondida  ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular  setembro  2014Lista respondida  ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular  setembro  2014
Lista respondida ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular setembro 2014
 
Ficha de Trabalho nr 5 - Unidade 5 (soluções)
Ficha de Trabalho nr 5 - Unidade 5 (soluções)Ficha de Trabalho nr 5 - Unidade 5 (soluções)
Ficha de Trabalho nr 5 - Unidade 5 (soluções)
 
Mitose meiose completa
Mitose meiose completaMitose meiose completa
Mitose meiose completa
 
Ciclo Celular - Biologia Celular
Ciclo Celular - Biologia CelularCiclo Celular - Biologia Celular
Ciclo Celular - Biologia Celular
 
Anatomia Artistica
Anatomia ArtisticaAnatomia Artistica
Anatomia Artistica
 
Resumo Ciclo celular e mitose
Resumo Ciclo celular e mitoseResumo Ciclo celular e mitose
Resumo Ciclo celular e mitose
 
Prova de química 1º ano
Prova de química 1º anoProva de química 1º ano
Prova de química 1º ano
 
Ciclo Celular
Ciclo CelularCiclo Celular
Ciclo Celular
 
Ciclo celular mitose e meiose
Ciclo celular mitose e meiose  Ciclo celular mitose e meiose
Ciclo celular mitose e meiose
 
Mitose e meiose
Mitose e meioseMitose e meiose
Mitose e meiose
 
mitose e meiose
mitose e meiosemitose e meiose
mitose e meiose
 
Ciclo Celular
Ciclo CelularCiclo Celular
Ciclo Celular
 
Hormônios Esteroides
Hormônios EsteroidesHormônios Esteroides
Hormônios Esteroides
 
Mitose
MitoseMitose
Mitose
 

Semelhante a Mitose e meiose

Mitose
MitoseMitose
Mitose
Ana Curado
 
Apostila divisão celular - UFF
Apostila divisão celular - UFFApostila divisão celular - UFF
Apostila divisão celular - UFF
Guellity Marcel
 
Mitose
MitoseMitose
Divisão celular
Divisão celularDivisão celular
Divisão celular
Nathalia Fuga
 
Núcleo FIJ
Núcleo FIJNúcleo FIJ
Núcleo FIJ
Dalu Barreto
 
(2) Divisão celular
(2) Divisão celular(2) Divisão celular
(2) Divisão celular
Hugo Martins
 
Núcleo e rep celular
Núcleo e rep celularNúcleo e rep celular
Núcleo e rep celular
paulogrillo
 
Biologia ppt -_aula_14_diviso_
Biologia ppt -_aula_14_diviso_Biologia ppt -_aula_14_diviso_
Biologia ppt -_aula_14_diviso_
Gov. Estado do Paraná
 
Trabalho de bilogia celular
Trabalho de bilogia celularTrabalho de bilogia celular
Trabalho de bilogia celular
Tuany Cristina
 
Mitose PROF SIMONE
Mitose PROF SIMONEMitose PROF SIMONE
Mitose PROF SIMONE
raahsalemi
 
A CéLula
A CéLulaA CéLula
A CéLula
Fabianez
 
2ª Aula Núcleo
2ª Aula Núcleo2ª Aula Núcleo
2ª Aula Núcleo
Flávia Albuquerque
 
Mitose meiose prof jaison
Mitose meiose prof jaisonMitose meiose prof jaison
Mitose meiose prof jaison
Gov. Estado do Paraná
 
Ciclo Celular - Mitose e Meiose
Ciclo Celular - Mitose e MeioseCiclo Celular - Mitose e Meiose
Ciclo Celular - Mitose e Meiose
Alexandra Arêa
 
Ciclo celular mitose e meiose
Ciclo celular mitose e meioseCiclo celular mitose e meiose
Ciclo celular mitose e meiose
Péricles Penuel
 
Divisao celular
Divisao celular Divisao celular
Divisao celular
paula aragao
 
Aula 4- Ciclo Celular Mitose e Meiose .pdf
Aula 4- Ciclo Celular Mitose e Meiose .pdfAula 4- Ciclo Celular Mitose e Meiose .pdf
Aula 4- Ciclo Celular Mitose e Meiose .pdf
HllemSimone
 
2016 Frente 1 módulo 5 meiose
2016 Frente 1 módulo 5 meiose2016 Frente 1 módulo 5 meiose
2016 Frente 1 módulo 5 meiose
Colégio Batista de Mantena
 
Ciclo celular(1) siva
Ciclo celular(1) sivaCiclo celular(1) siva
Ciclo celular(1) siva
Cassia Fernanda Yano
 
Ciclo celular - PowerPoint resumo da matéria
Ciclo celular - PowerPoint resumo da matériaCiclo celular - PowerPoint resumo da matéria
Ciclo celular - PowerPoint resumo da matéria
anacarol88454
 

Semelhante a Mitose e meiose (20)

Mitose
MitoseMitose
Mitose
 
Apostila divisão celular - UFF
Apostila divisão celular - UFFApostila divisão celular - UFF
Apostila divisão celular - UFF
 
Mitose
MitoseMitose
Mitose
 
Divisão celular
Divisão celularDivisão celular
Divisão celular
 
Núcleo FIJ
Núcleo FIJNúcleo FIJ
Núcleo FIJ
 
(2) Divisão celular
(2) Divisão celular(2) Divisão celular
(2) Divisão celular
 
Núcleo e rep celular
Núcleo e rep celularNúcleo e rep celular
Núcleo e rep celular
 
Biologia ppt -_aula_14_diviso_
Biologia ppt -_aula_14_diviso_Biologia ppt -_aula_14_diviso_
Biologia ppt -_aula_14_diviso_
 
Trabalho de bilogia celular
Trabalho de bilogia celularTrabalho de bilogia celular
Trabalho de bilogia celular
 
Mitose PROF SIMONE
Mitose PROF SIMONEMitose PROF SIMONE
Mitose PROF SIMONE
 
A CéLula
A CéLulaA CéLula
A CéLula
 
2ª Aula Núcleo
2ª Aula Núcleo2ª Aula Núcleo
2ª Aula Núcleo
 
Mitose meiose prof jaison
Mitose meiose prof jaisonMitose meiose prof jaison
Mitose meiose prof jaison
 
Ciclo Celular - Mitose e Meiose
Ciclo Celular - Mitose e MeioseCiclo Celular - Mitose e Meiose
Ciclo Celular - Mitose e Meiose
 
Ciclo celular mitose e meiose
Ciclo celular mitose e meioseCiclo celular mitose e meiose
Ciclo celular mitose e meiose
 
Divisao celular
Divisao celular Divisao celular
Divisao celular
 
Aula 4- Ciclo Celular Mitose e Meiose .pdf
Aula 4- Ciclo Celular Mitose e Meiose .pdfAula 4- Ciclo Celular Mitose e Meiose .pdf
Aula 4- Ciclo Celular Mitose e Meiose .pdf
 
2016 Frente 1 módulo 5 meiose
2016 Frente 1 módulo 5 meiose2016 Frente 1 módulo 5 meiose
2016 Frente 1 módulo 5 meiose
 
Ciclo celular(1) siva
Ciclo celular(1) sivaCiclo celular(1) siva
Ciclo celular(1) siva
 
Ciclo celular - PowerPoint resumo da matéria
Ciclo celular - PowerPoint resumo da matériaCiclo celular - PowerPoint resumo da matéria
Ciclo celular - PowerPoint resumo da matéria
 

Mais de Andrey Moreira

Introdução a fisiologia
Introdução a fisiologiaIntrodução a fisiologia
Introdução a fisiologia
Andrey Moreira
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
Andrey Moreira
 
Sistema digestório
Sistema digestórioSistema digestório
Sistema digestório
Andrey Moreira
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Andrey Moreira
 
Introdução à genética
Introdução à genéticaIntrodução à genética
Introdução à genética
Andrey Moreira
 
Sistema Cardio respiratório
Sistema Cardio respiratórioSistema Cardio respiratório
Sistema Cardio respiratório
Andrey Moreira
 
Mata atlântica
Mata atlânticaMata atlântica
Mata atlântica
Andrey Moreira
 
Filogenia arthropoda
Filogenia arthropodaFilogenia arthropoda
Filogenia arthropoda
Andrey Moreira
 
Comportamento reprodutivo
Comportamento reprodutivoComportamento reprodutivo
Comportamento reprodutivo
Andrey Moreira
 
Ciclo do enxofre
Ciclo do enxofreCiclo do enxofre
Ciclo do enxofre
Andrey Moreira
 

Mais de Andrey Moreira (10)

Introdução a fisiologia
Introdução a fisiologiaIntrodução a fisiologia
Introdução a fisiologia
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Sistema digestório
Sistema digestórioSistema digestório
Sistema digestório
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Introdução à genética
Introdução à genéticaIntrodução à genética
Introdução à genética
 
Sistema Cardio respiratório
Sistema Cardio respiratórioSistema Cardio respiratório
Sistema Cardio respiratório
 
Mata atlântica
Mata atlânticaMata atlântica
Mata atlântica
 
Filogenia arthropoda
Filogenia arthropodaFilogenia arthropoda
Filogenia arthropoda
 
Comportamento reprodutivo
Comportamento reprodutivoComportamento reprodutivo
Comportamento reprodutivo
 
Ciclo do enxofre
Ciclo do enxofreCiclo do enxofre
Ciclo do enxofre
 

Último

O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 

Último (20)

RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 

Mitose e meiose

  • 3. COMO ISSO ACONTECE? Quando as células se dividem o nº de cromossomos é mantido MITOSE e MEIOSE Divisões Celulares ≠ (processo e função) Características moleculares comuns: Replicação do DNA Adesão dos cromossomos replicados Movimento ordenado dos cromossomos nas células filhas A mitose nos seres pluricelulares é responsável pelo crescimento, devido ao aumento do número de células e reposição das células mortas, por exemplo, a epiderme é renovada a cada 28 dias.
  • 4. QUAL É O GENÓTIPO DAS CÉLULAS FILHAS DE UM HETEROZIGOTO (Aa) APÓS A MITOSE ? A MITOSE é o processo que permite que um núcleo se divida originando dois núcleos-filhos, cada um contendo uma cópia de todos os cromossomas do núcleo original e, consequentemente, de toda a informação genética. Esta divisão nuclear é seguida de uma divisão do citoplasma, designada citocinese. Assim, a partir de uma célula-mãe formam-se duas células-filhas, idênticas à célula-mãe e idênticas entre si. Depois de uma célula se dividir, é necessário algum tempo para que essa célula esteja pronta para uma nova divisão, reiniciando-se todo o processo. A alternância entra períodos de divisão e períodos de não divisão chama-se Ciclo Celular.
  • 5. COMO SÃO OS GAMETAS DE UM HETEROZIGOTO (Aa) APÓS A MEIOSE ?
  • 6. MITOSE Divisão assexuada das células (somáticas) Antes da célula entrar em divisão que processo deve ocorrer? Unicelulares (leveduras) → mitose provoca crescimento da população
  • 7. INTÉRFASE G1: síntese de RNA e de proteínas S: replicação do DNA G2: reparo do DNA
  • 8. Interfase: G1 – grande atividade de síntese de proteínas, glícidos e lípidos, é a fase em que o RNAm copia a informação do DNA para a produção das moléculas orgânicas. S – Replicação do DNA! As novas moléculas de DNA conduzem à formação dos cromossomas constituídos por 2 cromatideos. G2 – síntese de mais proteínas e estruturas membranares (ex. mitocôndria)
  • 10. Prófase: Durante a prófase, ocorre duplicação dos centríolos, a formação de ásteres ao redor dos mesmos e formação do fuso mitótico. Enquanto os cromossomos iniciam a sua condensação, o nucléolo e a carioteca desintegram-se até desaparecer, e os cromossomos ligam-se ao fuso mitótico através do centrômero. É a etapa mais longa da mitose. Os cromossomas enrolam-se, tornando-se progressivamente mais condensados, curtos e grossos. Os centrossomas (dois pares de centriolos) afastam-se para pólos opostos, formando entre eles o fuso acromático. O fuso acromático é formado por feixes de fibrilas de microtúbulos.
  • 11. Metáfase: Os cromossomos atingem o grau máximo de condensação, tornando-se bem visíveis ao microscópio. Ocupam a região equatorial da célula. Nessa fase, é possível fazer a análise do cariótipo da célula e descobrir se há uma anomalia cromossômica
  • 12. Anáfase: Separação das cromátides irmãs, que passam a formar cromossomos simples (fita única).Fibras do fuso tracionam os cromossomos para os polos. Telófase: Ocorre a citocinese, divisão do citoplasma. Os cromossomos descondensam-se e desaparece o fuso mitótico. No final da telófase, temos duas células - filhas idênticas entre si e idênticas à célula - mãe.
  • 13. Bipartição (ou cissiparidade) – é o processo através do qual a célula ou o indivíduo se divide em dois, semelhantes, que depois vão crescer até atingirem o tamanho do progenitor.
  • 14. Fragmentação – obtêm-se vários indivíduos a partir da regeneração de fragmentos de um indivíduo progenitor. (ex. planária, minhoca, a estrela-do-mar, algas-espirogira).
  • 15. O termo "mosaico" refere-se a um indivíduo ou tecido com, pelo menos, duas linhas celulares diferentes relativamente ao seu genótipo ou cariótipo, originário de único zigoto. Trata-se, pois, de uma anomalia cromossómica presente em todas as células da linha celular, a qual pode ser numérica (forma mais frequente) ou estrutural. Cerca de 1% dos doentes com síndrome de Down apresentam mosaicismo, principalmente nas populações de células com cariótipo normal ou com trissomia 21.Parece que muitos destes doentes resultam de zigotos com trissomia 21, devido à não disjunção dos cromossomas 21 ocorrida durante as primeiras divisões mitóticas pós-zigóticas. O zigoto com mais um cromossoma 21 poderá perder o cromossoma extra na divisão mitótica e continuar a desenvolver-se como um mosaico 46/47,+21. O fenótipo é mais suave do que o dos doentes com a forma típica de trissomia 21, apesar de existir uma maior variabilidade no fenótipo dos primeiros, o que possivelmente reflecte a quantidade variável de células com trissomia 21 durante o desenvolvimento do embrião. O mosaicismo de baixo grau no tecido germinativo de um familiar é uma das causas do síndrome de Down, especialmente entre os doentes nascidos de mães jovens ou nas famílias (raras) com mais de uma criança trissómica.
  • 17. QUAIS FATORES INFLUENCIAM NA FIDELIDADE DA DIVISÃO NUCLEAR? Aparelho de fuso, complexo cinetócoro e centrômero Fuso acromático - Distribuição correta dos cromossomos - Microtúbulos - fibras ligadas ao centrômero - Força para separar os cromossomos - Forma durante a prófase.
  • 18. DESPOLARIZAÇÃO DA TUBULINA Divisão nuclear 1. Microtúbulos se ligam ao cinetócoro 2. Centrômero liga-se ao cinetócoro 3. Tubulina despolariza 4. Microtúbulo é encurtado → separa as cromátides irmãs. A fidelidade da divisão nuclear é garantida pelo aparelho de fuso, pelo complexo cinetócoro e pelos centrômeros.
  • 19. MITOSE: Mantém nº de cromossomos constante na divisão celular MEIOSE Quando ocorre a união de 2 células (gametas) na fertilização o nº de cromossomos é mantido Como isso acontece? A meiose é um processo de divisão celular, a partir do qual uma célula diploide (2n) origina quatro células haplóides (n), isto quer dizer que as células-filhas apresentam metade do numero de cromossomas da célula-mãe. A meiose consiste em 2 divisões sucessivas, designadas divisão I e divisão II. Na divisão I/divisão reducional: um núcleo diploide (2n) origina dois núcleos haplóides (n). Na divisão II/divisão equacional: ocorre a separação de cromatideos, obtendo-se, 4 núcleos haplóides (n), cujos cromossomas são constituídos por um cromatideo. Através desse processo, a espécie mantém constante o seu númerode cromossomos (devido e redução) e aumento da variabilidadegenética (crossing – over).
  • 20. • 2 divisões nucleares sucessivas (meiose I e II) • Reduz a metade o nº de cromossomos 2n → 4n → 2n → n MEIOSE • Ocorre nas células das gônadas Animais - meiócitos Plantas - meiósporos
  • 22. Profase I: é a fase mais longa da meiose, no início desta fase o núcleo aumenta de volume. Os cromossomas sofrem uma espiralizaçao, a qual faz com que se tornem mais grossos, curtos e visíveis. Os cromossomas homólogos emparelham num processo denominado Sinapse. (estes pares de cromossomas designam-se díadas cromossómicas ou bivalentes.) Depois começam-se a visualizar dois cromatideos em casa cromossoma dos bivalentes. Nos pontos de Quiasma, pode ocorrer troca de informação genética, isto é, quebras e trocas de segmentos entre os cromatideos de cromossomas homólogos. Este fenómeno designa-se sobrecruzamento ou Crossing-over. Nas células animais, os centríolos dividem-se e colocam-se em pólos opostos, a partir dos quais se forma o fuso acromático. Finalmente, as díadas cromossómicas deslocam-se para a zona equatorial do fuso.
  • 23. PRÓFASE I- Dividida em 5 partes Leptóteno: Os cromossomos duplicados começam a condensar-se. Zigóteno: Ocorre o pareamento dos homólogos; Paquíteno: ocorre a permutação ou crossing– over, ou seja trocas de fragmentos entre as cromátides dos cromossomos homólogos Diplóteno: os cromossomos homólogos começam a afastar-se um do outro. Nas regiões onde ocorrem as permutações, aparece uma figura em X, denominada quiasma. Diacinese: terminalização dos quiasmas.
  • 24. Metáfase I: os cromossomas homólogos de cada bivalente dispõem-se aleatoriamente na placa equatorial, equidistantes dos pólos e presos pelos centrómeros às fibras do fuso acromático. Ao contrario da metáfase da mitose, não são os centrómeros que se localizam no plano equatorial do fuso acromático, mas sim os pontos de quiasma.
  • 25. Anafase I: os cromossomas homólogos separam-se aleatoriamente e afastam-se para pólos opostos. Esta ascensão polar ocorre devido à retracção das fibras do fuso acromático. Cada um dos dois conjuntos cromossómicos que se separam e ascendem aos pólos, para além de serem constituídos por metade do número de cromossomas, possuem informações genéticas diferentes. Este Facto contribui para a variabilidade genética dos novos núcleos que se irão formar.
  • 26. Telofase I: Os cromossomas depois de chegarem aos pólos, começam a sua desespiralização, tornando-se finos e longos. Desorganiza-se o fuso acromático e diferenciam-se os nucleolos e as membranas nucleares, formando-se dois núcleos haploides (n).
  • 27. Divisão II da meiose Profase II: os cromossomas com dois cromatideos condensam-se. O fuso acromático forma-se, após a divisão do centrossoma. Os cromossomas dirigem-se para a placa equatorial, presos pelo centrómero às fibras do fuso acromático. Metáfase II: Os cromossomas dispõem-se na placa equatorial, equidistantes dos pólos e sempre presos pelo centrómero às fibras do fuso acromático.
  • 28. Anafase II: ocorre a divisão do centrómero e dá-se a ascensão polar, os cromatideos do mesmo cromossoma separam-se para pólos opostos. Os dois conjuntos de cromossomas que acabam de se separar são haploides. Telofase II: os cromossomas atingem os Pólos e iniciam a sua desespiralização, tornando-se finos, longos e invisíveis ao microscópio. Desorganiza-se o fuso acromático e diferenciam-se os nucleolos e as membranas nucleares, formando-se 4 núcleos haploides.
  • 29. MEIOSE Replicação do DNA (2n → 4n) Condensação dos cromossomos Pareamento cromátides irmãs Complexo sinaptonêmico
  • 31. QUAL O PROCESSO ESPECÍFICO DA MEIOSE QUE INICIA- SE NA PRÓFASE I E TEMINA NA METÁFASE I? Processo de crossing over Essencial para a separação ordenada Variabilidade dos indivíduos
  • 32. CROSSING OVER Mecanismo quebra e união cromátides durante a formação da tétrade manifestações visíveis dos crossings
  • 34. 1) (FUVEST) Considere os processos de mitose e meiose. a)Qual o número de cromossomos das células originadas, respectivamente, pelos dois processos, na espécie humana? b) Qual é a importância biológica da meiose? 2) (PUC-SP) Certa espécie animal tem número diploide de cromossomos igual a 8 (2n = 8).Uma célula de um indivíduo dessa espécie encontra-se em divisão e apresentou quatro cromossomos simples sendo puxados para cada polo. A partir dessa informação, pode-se afirmar que a referida célula se encontra: a) Na metáfase da mitose. b) Na anáfase da mitose. c) Na metáfase da primeira divisão da meiose. d) Na anáfase da primeira divisão da meiose. e) Na anáfase da segunda divisão da meiose 3) Qual dos seguintes processos ocorre exclusivamente na meiose? a)Divisão do centrômero. b) Pareamento dos cromossomos. c) Duplicação dos cromossomos. d) Espiralização dos cromossomos. e) Migração dos cromossomos ao longo do fuso
  • 35. 4)O ciclo celular envolve a interfase e as divisões celulares, que podem ser mitose ou meiose. A meiose é um tipo de divisão celular que originará quatro células com o número de cromossomos reduzido pela metade. Com base no texto e em seus conhecimentos sobre o assunto, é correto afirmar que: a) interfase é um período em que ocorre apenas a duplicação do material genético. b) na anáfase I cada cromossomo de um par de cromossomos homólogos é puxado para um dos pólos da célula. c) o crossing-over ocorre em todos os cromossomos não homólogos. d) na telófase I os cromossomos separados em dois lotes sofrem duplicação do material genético e as membranas nucleares se reorganizam. e) quiasmas são as permutas que ocorrem entre cromátides irmãs que permitem a variedade de gametas. 5) Durante a prófase da primeira divisão meiótica, ocorre a troca de fragmentos entre cromossomas homólogos, possibilitando uma maior variabilidade genética. A esse evento dá-se o nome de: a) formação de bivalentes. b) formação de tétrades. c) citocinese. d) intercinese. e) crossing-over
  • 36. 6) Das afirmativas abaixo: I- O crossing-over permite a recombinação dos genes localizados em cromossomos homólogos. II- Meiose é um tipo de divisão celular na qual uma célula diplóide dá origem a quatro células haplóides. III- A intérfase é um período de grande atividade metabólica no núcleo. É nessa fase que o DNA se duplica e o RNA é sintetizado. a) apenas a afirmativa I é correta. b) apenas a afirmativa II é correta. c) apenas a afirmativa III é correta. d) apenas duas afirmativas são corretas. e) todas as afirmativas são corretas. 7) Quando uma célula conclui a sua primeira divisão meiótica, resultam: a) duas células diplóides. b) quatro células diplóides. c) quatro células haplóides. d) duas células haplóides. e) duas células somáticas.