SlideShare uma empresa Scribd logo
Professora: Gisa Eneida
Aluno: Andrey Carvalho
A seleção natural é a “força” que atua sobre a
diversidade fenotípica e que seleciona os melhores
genes, ou seja, os que produzem as adaptações
morfofisiológicas ou os comportamentos que
permitem a um indivíduo superar a concorrência
na dura tarefa de sobreviver e deixar seus
descendentes.
Processo pelo qual os seres vivos dão origem a
seres vivos semelhantes.

A reprodução pode ser: assexuada ou sexuada
Na reprodução assexuada, o animal tem
capacidade de se dividir e dar origem a outros
animais iguais a si próprio.
Na reprodução sexuada, dois animais, de sexos
diferentes, dão origem a animais diferentes
geneticamente.
Mas, afinal, qual seria a vantagem dessa
reprodução para o indivíduo?



1975- Willians: Diversidade genética favorece a
dispersão no ambiente.
1982- Bell: Indivíduos geneticamente distintos
ocupam nichos também diferentes.
Na maioria das espécies o comportamento é
sazonal e dependente de maturação. A
sazonalidade é regulada principalmente pela
duração do fotoperíodo diário.
1. Variação nos Traços Comportamentais Dentro da Espécie

Instinto: comportamentos que aparecem em forma
completamente funcional na primeira vez que eles são
executados (Alcock1998). Supõe-se que eles sejam determinados
geneticamente.
Aprendizagem: modificações de um comportamento em
resposta a experiências específicas.
Essa dicotomia é simplificada. A expressão de uma característica
comportamental pode variar entre genótipos, e dentro de um
genótipo ela pode variar devido a variações na experiência
prévia (aprendizagem) e a outros fatores ambientais. Ou seja, o
genótipo pode variar a extensão na qual ele se expressa em
resposta a aprendizagem ou a outros fatores.
2. Diferenças Entre Espécies

Diferenças entre comportamentos típicos de espécies têm
bases genéticas. Em muitos casos, existe pouco ou
nenhuma oportunidade de aprendizagem.
Exemplo, algumas espécies de pássaros só aprendem o
canto típico de sua espécie ouvindo-o quando jovens.
Alguns comportamentos de uma espécie podem ser
modificados pela aprendizagem.
A extensão na qual o comportamento de uma espécie pode
ser apreendido parece ser adaptativo. P. ex., o
pássaro Nucifraga columbianaestoca sementes em centenas
de lugares e, assim, possui uma grande habilidade para
aprender e recordar localizações.
São responsáveis pela ativação dos circuitos
cerebrais envolvidos na programação e
organização dos padrões de comportamento
sexual dismórficos. Também estão envolvidos na
maturação sexual periférica.
Envolvem três sequências comportamentais
específicas de cada espécie, as das primeiras
dismórficas: corte sexual e acasalamento e os
cuidados parentais.
Sequências comportamentais complexas, estereotipadas que envolvem um dos parceiros
sexuais ou ambos. Também pode ser responsável pela ativação da resposta sexual por
parte do parceiro, podendo tomar papel de persuasão ou apaziguamento, e por fim, está
relacionado com a seleção sexual.
O acasalamento no comportamento sexual e dividido de um modo
geral em três mecanismos, que são eles: os padrões modais de
comportamento sexual, os reflexos genitais e a fecundação. Os padrões
modais de comportamento sexual compreendem posturas que
permitem a penetração peniana. Os reflexos genitais são modificações
reflexas das estruturas genitais que permitem a cópula. A fecundação
envolve a fertilização do óvulo pelo espermatozoide, dependendo,
portanto, da ovulação.
Em muitas espécies de invertebrados, peixes,
reptes e, praticamente, em todas as aves e
mamíferos, os pais despendem grande quantidade
de tempo e energia cuidando da prole, até que os
filhotes possam sobreviver sozinhos.
Nem todos os mamíferos copulam de forma igual. Com isso, Dewsbury
(1972) propôs uma classificação dos modelos de cópula em função da
combinação de quatro fatores:
1° Presença de mecanismo de fixação mecânica (lock) do pênis na
vagina durante a cópula.
2° Ocorrência de movimentos de vaivém (thrusting) do pênis na
vagina.
3° Ocorrência de múltiplas penetrações antes da ejaculação (cada
penetração aumenta o estímulo sexual, levando o macho a ultrapassar
o limiar ejaculatório).
4° Ocorrência de múltiplas ejaculações durante um episódio de cópula.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Caprinos e Ovinos
Caprinos e OvinosCaprinos e Ovinos
Caprinos e Ovinos
Sheila Cassenotte
 
Noções de Cladistica
Noções de CladisticaNoções de Cladistica
Noções de Cladistica
emanuel
 
Introdução ao comportamento animal - etologia e bem-estar animal
Introdução ao comportamento animal - etologia e bem-estar animalIntrodução ao comportamento animal - etologia e bem-estar animal
Introdução ao comportamento animal - etologia e bem-estar animal
Marília Gomes
 
Teorias evolutivas
Teorias evolutivasTeorias evolutivas
Teorias evolutivas
URCA
 
VI.1 Sistema ósseo
VI.1 Sistema ósseoVI.1 Sistema ósseo
VI.1 Sistema ósseo
Rebeca Vale
 
Distribuição genética
Distribuição genéticaDistribuição genética
Distribuição genética
Marília Gomes
 
Sistemas de acasalamento
Sistemas de acasalamentoSistemas de acasalamento
Sistemas de acasalamento
unesp
 
Anatomofisiologia da reprodução e manejo reprodutivo de suínos
Anatomofisiologia da reprodução e manejo reprodutivo de suínosAnatomofisiologia da reprodução e manejo reprodutivo de suínos
Anatomofisiologia da reprodução e manejo reprodutivo de suínos
Marília Gomes
 
Fisiologia animal
Fisiologia animalFisiologia animal
Fisiologia animal
Marília Gomes
 
REPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS .pptx
REPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS .pptxREPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS .pptx
REPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS .pptx
RonaldoAlves313237
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
III. 1 Histórico Biotecnologia
III. 1 Histórico BiotecnologiaIII. 1 Histórico Biotecnologia
III. 1 Histórico Biotecnologia
Rebeca Vale
 
IV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espéciesIV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espécies
Rebeca Vale
 
Seleção sexual
Seleção sexualSeleção sexual
Seleção sexual
unesp
 
Genetica hereditariedade
Genetica hereditariedadeGenetica hereditariedade
Genetica hereditariedade
Adrianne Mendonça
 
Zoonoses emergentes e reemergentes e sua importância para saúde e produção an...
Zoonoses emergentes e reemergentes e sua importância para saúde e produção an...Zoonoses emergentes e reemergentes e sua importância para saúde e produção an...
Zoonoses emergentes e reemergentes e sua importância para saúde e produção an...
Cristiane Assis
 
Gametogênese e fecundação
Gametogênese e fecundaçãoGametogênese e fecundação
Gametogênese e fecundação
Nicki Rosberg Ferreira maia
 
Introdução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animal
Introdução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animalIntrodução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animal
Introdução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animal
Marília Gomes
 
Espécies
EspéciesEspécies
Espécies
unesp
 
Termorregulação
TermorregulaçãoTermorregulação
Termorregulação
gueste5c943
 

Mais procurados (20)

Caprinos e Ovinos
Caprinos e OvinosCaprinos e Ovinos
Caprinos e Ovinos
 
Noções de Cladistica
Noções de CladisticaNoções de Cladistica
Noções de Cladistica
 
Introdução ao comportamento animal - etologia e bem-estar animal
Introdução ao comportamento animal - etologia e bem-estar animalIntrodução ao comportamento animal - etologia e bem-estar animal
Introdução ao comportamento animal - etologia e bem-estar animal
 
Teorias evolutivas
Teorias evolutivasTeorias evolutivas
Teorias evolutivas
 
VI.1 Sistema ósseo
VI.1 Sistema ósseoVI.1 Sistema ósseo
VI.1 Sistema ósseo
 
Distribuição genética
Distribuição genéticaDistribuição genética
Distribuição genética
 
Sistemas de acasalamento
Sistemas de acasalamentoSistemas de acasalamento
Sistemas de acasalamento
 
Anatomofisiologia da reprodução e manejo reprodutivo de suínos
Anatomofisiologia da reprodução e manejo reprodutivo de suínosAnatomofisiologia da reprodução e manejo reprodutivo de suínos
Anatomofisiologia da reprodução e manejo reprodutivo de suínos
 
Fisiologia animal
Fisiologia animalFisiologia animal
Fisiologia animal
 
REPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS .pptx
REPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS .pptxREPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS .pptx
REPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS .pptx
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
III. 1 Histórico Biotecnologia
III. 1 Histórico BiotecnologiaIII. 1 Histórico Biotecnologia
III. 1 Histórico Biotecnologia
 
IV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espéciesIV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espécies
 
Seleção sexual
Seleção sexualSeleção sexual
Seleção sexual
 
Genetica hereditariedade
Genetica hereditariedadeGenetica hereditariedade
Genetica hereditariedade
 
Zoonoses emergentes e reemergentes e sua importância para saúde e produção an...
Zoonoses emergentes e reemergentes e sua importância para saúde e produção an...Zoonoses emergentes e reemergentes e sua importância para saúde e produção an...
Zoonoses emergentes e reemergentes e sua importância para saúde e produção an...
 
Gametogênese e fecundação
Gametogênese e fecundaçãoGametogênese e fecundação
Gametogênese e fecundação
 
Introdução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animal
Introdução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animalIntrodução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animal
Introdução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animal
 
Espécies
EspéciesEspécies
Espécies
 
Termorregulação
TermorregulaçãoTermorregulação
Termorregulação
 

Semelhante a Comportamento reprodutivo

A evolução de populações
A evolução de populaçõesA evolução de populações
A evolução de populações
unesp
 
segundo W Inglesh trablho Sifa.docx
segundo  W Inglesh trablho Sifa.docxsegundo  W Inglesh trablho Sifa.docx
segundo W Inglesh trablho Sifa.docx
abondio
 
www.AulasParticulares.Info - Biologia - Evolução
www.AulasParticulares.Info - Biologia -  Evoluçãowww.AulasParticulares.Info - Biologia -  Evolução
www.AulasParticulares.Info - Biologia - Evolução
AulasPartInfo
 
EducSpam Evolucao e Selecao Natural
EducSpam Evolucao e Selecao NaturalEducSpam Evolucao e Selecao Natural
EducSpam Evolucao e Selecao Natural
Educ Spam
 
EvoluçAo
EvoluçAoEvoluçAo
EvoluçAo
juniormaximo
 
www.AulasParticulares.Info - Biologia - Evolução
www.AulasParticulares.Info - Biologia -  Evoluçãowww.AulasParticulares.Info - Biologia -  Evolução
www.AulasParticulares.Info - Biologia - Evolução
AulasParticularesInfo
 
www.TutoresNaWebCom.Br - Biologia - Evolução
www.TutoresNaWebCom.Br - Biologia -  Evoluçãowww.TutoresNaWebCom.Br - Biologia -  Evolução
www.TutoresNaWebCom.Br - Biologia - Evolução
Cris Santos Tutores
 
www.videoaulagratisapoio.com.br - Biologia - Evolução
www.videoaulagratisapoio.com.br - Biologia -  Evoluçãowww.videoaulagratisapoio.com.br - Biologia -  Evolução
www.videoaulagratisapoio.com.br - Biologia - Evolução
Video Aulas Apoio
 
Neodarwinismo
NeodarwinismoNeodarwinismo
Neodarwinismo
rickmatos
 
8 ano reprodução E sistema reprodutor
8 ano reprodução E  sistema reprodutor8 ano reprodução E  sistema reprodutor
8 ano reprodução E sistema reprodutor
Giselle Marques Goes
 
Conceito de espécie e especiação
Conceito de espécie e especiaçãoConceito de espécie e especiação
Conceito de espécie e especiação
Kamila Joyce
 
Apostila bio2
Apostila bio2Apostila bio2
Apostila bio2
resolvidos
 
67347132 sesi-texto-sobre-reproducao
67347132 sesi-texto-sobre-reproducao67347132 sesi-texto-sobre-reproducao
67347132 sesi-texto-sobre-reproducao
Maria Jaqueline Mesquita
 
AULA_2_CLASSIFICAÇÃO E FILOGENIA ANIMAL.pptx
AULA_2_CLASSIFICAÇÃO E FILOGENIA ANIMAL.pptxAULA_2_CLASSIFICAÇÃO E FILOGENIA ANIMAL.pptx
AULA_2_CLASSIFICAÇÃO E FILOGENIA ANIMAL.pptx
MagnoSaSouza
 
Insetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
Insetos e Crustáceos by Ernandez OliveiraInsetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
Insetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
Ernandez Oliveira
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
paulogrillo
 
Evoluo 110225171814-phpapp01
Evoluo 110225171814-phpapp01Evoluo 110225171814-phpapp01
Evoluo 110225171814-phpapp01
carolinedousseau
 
3 critérios de classificação 1
3   critérios de classificação 13   critérios de classificação 1
3 critérios de classificação 1
Pelo Siro
 
Genética e evolução: mecanismos de especiação
Genética e evolução: mecanismos de especiaçãoGenética e evolução: mecanismos de especiação
Genética e evolução: mecanismos de especiação
Roulber Carvalho
 
Aula 1. 1 ano caracteristicas gerais dos seres vivos
Aula 1. 1 ano   caracteristicas gerais dos seres vivosAula 1. 1 ano   caracteristicas gerais dos seres vivos
Aula 1. 1 ano caracteristicas gerais dos seres vivos
Amanda Fernanda Nunes Ferreira
 

Semelhante a Comportamento reprodutivo (20)

A evolução de populações
A evolução de populaçõesA evolução de populações
A evolução de populações
 
segundo W Inglesh trablho Sifa.docx
segundo  W Inglesh trablho Sifa.docxsegundo  W Inglesh trablho Sifa.docx
segundo W Inglesh trablho Sifa.docx
 
www.AulasParticulares.Info - Biologia - Evolução
www.AulasParticulares.Info - Biologia -  Evoluçãowww.AulasParticulares.Info - Biologia -  Evolução
www.AulasParticulares.Info - Biologia - Evolução
 
EducSpam Evolucao e Selecao Natural
EducSpam Evolucao e Selecao NaturalEducSpam Evolucao e Selecao Natural
EducSpam Evolucao e Selecao Natural
 
EvoluçAo
EvoluçAoEvoluçAo
EvoluçAo
 
www.AulasParticulares.Info - Biologia - Evolução
www.AulasParticulares.Info - Biologia -  Evoluçãowww.AulasParticulares.Info - Biologia -  Evolução
www.AulasParticulares.Info - Biologia - Evolução
 
www.TutoresNaWebCom.Br - Biologia - Evolução
www.TutoresNaWebCom.Br - Biologia -  Evoluçãowww.TutoresNaWebCom.Br - Biologia -  Evolução
www.TutoresNaWebCom.Br - Biologia - Evolução
 
www.videoaulagratisapoio.com.br - Biologia - Evolução
www.videoaulagratisapoio.com.br - Biologia -  Evoluçãowww.videoaulagratisapoio.com.br - Biologia -  Evolução
www.videoaulagratisapoio.com.br - Biologia - Evolução
 
Neodarwinismo
NeodarwinismoNeodarwinismo
Neodarwinismo
 
8 ano reprodução E sistema reprodutor
8 ano reprodução E  sistema reprodutor8 ano reprodução E  sistema reprodutor
8 ano reprodução E sistema reprodutor
 
Conceito de espécie e especiação
Conceito de espécie e especiaçãoConceito de espécie e especiação
Conceito de espécie e especiação
 
Apostila bio2
Apostila bio2Apostila bio2
Apostila bio2
 
67347132 sesi-texto-sobre-reproducao
67347132 sesi-texto-sobre-reproducao67347132 sesi-texto-sobre-reproducao
67347132 sesi-texto-sobre-reproducao
 
AULA_2_CLASSIFICAÇÃO E FILOGENIA ANIMAL.pptx
AULA_2_CLASSIFICAÇÃO E FILOGENIA ANIMAL.pptxAULA_2_CLASSIFICAÇÃO E FILOGENIA ANIMAL.pptx
AULA_2_CLASSIFICAÇÃO E FILOGENIA ANIMAL.pptx
 
Insetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
Insetos e Crustáceos by Ernandez OliveiraInsetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
Insetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Evoluo 110225171814-phpapp01
Evoluo 110225171814-phpapp01Evoluo 110225171814-phpapp01
Evoluo 110225171814-phpapp01
 
3 critérios de classificação 1
3   critérios de classificação 13   critérios de classificação 1
3 critérios de classificação 1
 
Genética e evolução: mecanismos de especiação
Genética e evolução: mecanismos de especiaçãoGenética e evolução: mecanismos de especiação
Genética e evolução: mecanismos de especiação
 
Aula 1. 1 ano caracteristicas gerais dos seres vivos
Aula 1. 1 ano   caracteristicas gerais dos seres vivosAula 1. 1 ano   caracteristicas gerais dos seres vivos
Aula 1. 1 ano caracteristicas gerais dos seres vivos
 

Mais de Andrey Moreira

Introdução a fisiologia
Introdução a fisiologiaIntrodução a fisiologia
Introdução a fisiologia
Andrey Moreira
 
Mitose e meiose
Mitose e meioseMitose e meiose
Mitose e meiose
Andrey Moreira
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
Andrey Moreira
 
Sistema digestório
Sistema digestórioSistema digestório
Sistema digestório
Andrey Moreira
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Andrey Moreira
 
Introdução à genética
Introdução à genéticaIntrodução à genética
Introdução à genética
Andrey Moreira
 
Sistema Cardio respiratório
Sistema Cardio respiratórioSistema Cardio respiratório
Sistema Cardio respiratório
Andrey Moreira
 
Mata atlântica
Mata atlânticaMata atlântica
Mata atlântica
Andrey Moreira
 
Filogenia arthropoda
Filogenia arthropodaFilogenia arthropoda
Filogenia arthropoda
Andrey Moreira
 
Ciclo do enxofre
Ciclo do enxofreCiclo do enxofre
Ciclo do enxofre
Andrey Moreira
 

Mais de Andrey Moreira (10)

Introdução a fisiologia
Introdução a fisiologiaIntrodução a fisiologia
Introdução a fisiologia
 
Mitose e meiose
Mitose e meioseMitose e meiose
Mitose e meiose
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Sistema digestório
Sistema digestórioSistema digestório
Sistema digestório
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Introdução à genética
Introdução à genéticaIntrodução à genética
Introdução à genética
 
Sistema Cardio respiratório
Sistema Cardio respiratórioSistema Cardio respiratório
Sistema Cardio respiratório
 
Mata atlântica
Mata atlânticaMata atlântica
Mata atlântica
 
Filogenia arthropoda
Filogenia arthropodaFilogenia arthropoda
Filogenia arthropoda
 
Ciclo do enxofre
Ciclo do enxofreCiclo do enxofre
Ciclo do enxofre
 

Último

Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Militao Ricardo
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
O livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdf
O livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdfO livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdf
O livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdf
dataprovider
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
A justiça divina segundo o Espiritismo (V2).pdf
A justiça divina segundo o Espiritismo (V2).pdfA justiça divina segundo o Espiritismo (V2).pdf
A justiça divina segundo o Espiritismo (V2).pdf
MarcoAurlioResende
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 

Último (20)

Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
O livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdf
O livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdfO livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdf
O livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdf
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
A justiça divina segundo o Espiritismo (V2).pdf
A justiça divina segundo o Espiritismo (V2).pdfA justiça divina segundo o Espiritismo (V2).pdf
A justiça divina segundo o Espiritismo (V2).pdf
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 

Comportamento reprodutivo

  • 2. A seleção natural é a “força” que atua sobre a diversidade fenotípica e que seleciona os melhores genes, ou seja, os que produzem as adaptações morfofisiológicas ou os comportamentos que permitem a um indivíduo superar a concorrência na dura tarefa de sobreviver e deixar seus descendentes.
  • 3. Processo pelo qual os seres vivos dão origem a seres vivos semelhantes. A reprodução pode ser: assexuada ou sexuada
  • 4. Na reprodução assexuada, o animal tem capacidade de se dividir e dar origem a outros animais iguais a si próprio.
  • 5. Na reprodução sexuada, dois animais, de sexos diferentes, dão origem a animais diferentes geneticamente.
  • 6. Mas, afinal, qual seria a vantagem dessa reprodução para o indivíduo? 1975- Willians: Diversidade genética favorece a dispersão no ambiente. 1982- Bell: Indivíduos geneticamente distintos ocupam nichos também diferentes.
  • 7. Na maioria das espécies o comportamento é sazonal e dependente de maturação. A sazonalidade é regulada principalmente pela duração do fotoperíodo diário.
  • 8. 1. Variação nos Traços Comportamentais Dentro da Espécie Instinto: comportamentos que aparecem em forma completamente funcional na primeira vez que eles são executados (Alcock1998). Supõe-se que eles sejam determinados geneticamente. Aprendizagem: modificações de um comportamento em resposta a experiências específicas. Essa dicotomia é simplificada. A expressão de uma característica comportamental pode variar entre genótipos, e dentro de um genótipo ela pode variar devido a variações na experiência prévia (aprendizagem) e a outros fatores ambientais. Ou seja, o genótipo pode variar a extensão na qual ele se expressa em resposta a aprendizagem ou a outros fatores.
  • 9. 2. Diferenças Entre Espécies Diferenças entre comportamentos típicos de espécies têm bases genéticas. Em muitos casos, existe pouco ou nenhuma oportunidade de aprendizagem. Exemplo, algumas espécies de pássaros só aprendem o canto típico de sua espécie ouvindo-o quando jovens. Alguns comportamentos de uma espécie podem ser modificados pela aprendizagem. A extensão na qual o comportamento de uma espécie pode ser apreendido parece ser adaptativo. P. ex., o pássaro Nucifraga columbianaestoca sementes em centenas de lugares e, assim, possui uma grande habilidade para aprender e recordar localizações.
  • 10. São responsáveis pela ativação dos circuitos cerebrais envolvidos na programação e organização dos padrões de comportamento sexual dismórficos. Também estão envolvidos na maturação sexual periférica.
  • 11.
  • 12. Envolvem três sequências comportamentais específicas de cada espécie, as das primeiras dismórficas: corte sexual e acasalamento e os cuidados parentais.
  • 13.
  • 14. Sequências comportamentais complexas, estereotipadas que envolvem um dos parceiros sexuais ou ambos. Também pode ser responsável pela ativação da resposta sexual por parte do parceiro, podendo tomar papel de persuasão ou apaziguamento, e por fim, está relacionado com a seleção sexual.
  • 15. O acasalamento no comportamento sexual e dividido de um modo geral em três mecanismos, que são eles: os padrões modais de comportamento sexual, os reflexos genitais e a fecundação. Os padrões modais de comportamento sexual compreendem posturas que permitem a penetração peniana. Os reflexos genitais são modificações reflexas das estruturas genitais que permitem a cópula. A fecundação envolve a fertilização do óvulo pelo espermatozoide, dependendo, portanto, da ovulação.
  • 16. Em muitas espécies de invertebrados, peixes, reptes e, praticamente, em todas as aves e mamíferos, os pais despendem grande quantidade de tempo e energia cuidando da prole, até que os filhotes possam sobreviver sozinhos.
  • 17. Nem todos os mamíferos copulam de forma igual. Com isso, Dewsbury (1972) propôs uma classificação dos modelos de cópula em função da combinação de quatro fatores: 1° Presença de mecanismo de fixação mecânica (lock) do pênis na vagina durante a cópula. 2° Ocorrência de movimentos de vaivém (thrusting) do pênis na vagina. 3° Ocorrência de múltiplas penetrações antes da ejaculação (cada penetração aumenta o estímulo sexual, levando o macho a ultrapassar o limiar ejaculatório). 4° Ocorrência de múltiplas ejaculações durante um episódio de cópula.