SlideShare uma empresa Scribd logo
Métodos de Separação de Misturas
Misturas Homogêneas e Heterogêneas
Catação
⚫ Compostos e adubos orgânicos
⚫ Plástico
⚫ Alumínio
⚫ Papel e papelão.
Catação é um método de separação
de misturas heterogêneas sólidas.
Esse processo, que separa substâncias
sólidas de outras substâncias também
sólidas (sólido + sólido), é feito de
forma manual.
Tamisação ou Peneiração
⚫ Na indústria são usadas várias que separam as diferentes
granulações. Ex. areia + cascalho ou areia + água.
Separação Magnética
⚫ Vale ressaltar que pelo menos um dos componentes da mistura deve
apresentar(pode ser atraído por um imã ou um eletroímã).
⚫ No Brasil, é um método muito utilizado na área de processamento
ou purificação de minérios, assim como na separação de
componentes metálicos presentes no lixo que podem ser reciclados.
Alguns exemplos de produtos obtidos a partir da separação
magnética são: Cobalto, Ferro e Níquel.
Separação Magnética
Materiais que podem ser atraídos na separação magnética
⚫ Com relação ao magnetismo, os materiais podem ser chamados de
três formas diferentes:
◦ : trata-se de materiais que são
por um campo magnético. Exemplos: alumínio, magnésio,
sulfato de cobre, bário, cálcio, sódio etc.;
◦ : trata-se de materiais que são
um campo magnético. Exemplos: ferro,,níquel,
por cobalto e ligas
metálicas formadas por todos estes metais.
◦ : Existem metais e materiais que
por um ímã, já que, quando em contato com ele, sofrem uma
repulsão do campo eletromagnético. Exemploso: bismuto, cobre, prata,
ouro e chumbo.
Separação Magnética
⚫ O“
” é um interessante material
desenvolvido originalmente pela NASA, e trata-se
de um líquido que contém nano- partículas
magnéticas que sob o efeito de um ímã, cria
espantosas formas.
Dissolução Fracionada
⚫ Técnica bastante utilizada para
de uma mistura. Ela por si só não realiza a separação
dos componentes de uma mistura, mas é o primeiro passo para tal.
⚫ O objetivo principal é o de
para, logo em seguida, por meio de outros
métodos, completar a separação total dos componentes.
Flotação
de separação de misturas
⚫ A flotação é um tipo de
heterogêneas.
⚫ Essa técnica consiste em ao meio, o que faz com que as p
suspensão no líquido passem a aderir- se a essas bolhas.
⚫ Essa espuma formada pode então ser removida, as partículas de
impurezas.
leva as partículas à superfície da mistura.
A
(flotação em inglês), inclusive, transmite a ideia de
⚫ Aflotação
palavra
“ ”
.
Flotaçã
o
. Em
são adicionados à
água
⚫ Outra aplicação importante é no
determinada etapa desse
tratamento, coagulantes químicos.
◦ Um exemplo é o sulfato de alumínio, que forma flóculos ao reagir com o hidróxido
de cálcio. Esses flóculos incorporam-se à sujeira da água (lama, argila e micro-
organismos) em um processo chamado de floculação.
, e
⚫ Outras aplicações é na
,
separação de micro-organismos.
⚫ Uma das áreas mais importantes de
utilização , principalmente
desse método é na
na
da calcopirita (CuFeS2
).
Sublimaç
ão
⚫ É o processo físico em que as partículas de uma substância passam
do , ou do
, diretamente, sem passar pela fase intermediária do estado
líquido.
Levigaçã
o , onde o
⚫ Utilizada para separar
menos denso é separado por uma corrente de água.
⚫ É usada, por exemplo, :
a areia por ser menos densa é arrastada pela água corrente; o ouro,
por ser mais denso, permanece no fundo da bateia.
Decantaçã
o
⚫ Método utilizado para separar os componentes de
misturas
com as seguintes características:
◦ Formadas por que não estádissolvido. Exemplos: água
barrenta, água e areia.
, isto é, que não
se
◦ Formadas por
dissolvem. Exemplos: água e óleo, água e
gasolina.
⚫ A decantação tem como princípio deixar a mistura
heterogênea em repouso para que a diferença de entre
os materiais atue, fazendo com que um deles desça para o
fundo do recipiente e o outro flutue sobre ele.
Decantaçã
o denso
⚫ O, por ser mais
(sedimentação).
Sedimentação
Sifonação
Filtraçã
o
⚫ Método de separação dos componentes de
misturas heterogêneas que apresentam as
seguintes composições:
◦ Mistura formada por um sólido e um gás.
Exemplo: ar e poeira;
◦ Mistura formada por um sólido e um líquido.
Exemplo:
água e areia;
Filtração
Simples
⚫ A fase sólida é separada com o auxílio de papéis de filtro.
⚫ A preparação do café e o filtro de água são dois exemplos do uso da
filtração no dia-a-dia.
Filtração à
Vácuo
⚫ O processo de filtração pode ser acelerado pela filtração à vácuo,
onde uma trompa de vácuo " " o ar existente na parte interior do
kitassato, permitindo um mais rápido escoamento do líquido.
Aparelhagem
Montada
Funil de Buchner
(porcelana)
Filtração à
Vácuo
⚫ A mistura passa , onde o sólido fica retido.
⚫ Esse processo é muito utilizado nas indústrias, principalmente para
evitar o lançamento de partículas sólidas na atmosfera.
⚫ A filtração é também usada nos aspiradores de pó, onde o sólido é
retido (poeira) à medida que o ar é aspirado.
Centrifugaç
ão
⚫ O processo de decantação pode ser acelerado por meio da utilização
de um equipamento chamado de . Nesse equipamento a mistura é
submetida a sucessivas rotações, o que favorece a deposição do
material mais denso no fundo do recipiente.
Decantaçã
o
⚫ Quando a mistura heterogênea é
formada por dois ou mais líquidos
imiscíveis, é interessante realizar
a decantação no interior de um
equipamento de laboratório
denominado de funil de bromo
(ou funil de separação ou funil de
decantação).
Evaporaçã
o
⚫ É o fenômeno que envolve a passagem de determinado material do
. Tal processo ocorre lentamente na
superfície dos líquidos com a ascensão das massas d'água sob a
forma de vapor.
⚫ Ela é iniciada com o aquecimento do material por
ou então por meio manual.
⚫ De modo mais específico, podemos dizer que o fenômeno acontece
a partir da vaporização do líquido que se dá em uma superfície livre,
a uma temperatura menor do que a temperatura de .
Destilação
Simples
⚫ É um dos processos de que
ocorre através da ebulição, donde o líquido é vaporizado e depois
condensado.
⚫ Assim,
as
misturas que serão
separadas apresentam diferentes
pontos de ebulição.
Destilação
Simples
Destilação
Simples
Destilação
Simples
Destilação
Fracionada
⚫ Consiste no aquecimento da mistura de líquidos miscíveis, cujos
pontos de ebulição (PE) sejam muito próximos.
⚫ A destilação fracionada costuma ser utilizada para separar
misturas do tipo líquido-líquido. Porém, essas misturas não podem
ser azeotrópicas
Destilação
Fracionada
Destilação
Fracionada
⚫ Produção de álcool: O caldo de cana fermentado passa por um
processo de destilação dos alambiques.
⚫ Esse processo pode ser repetido, e o resultado são bebidas com
teores mais elevados de álcool.
⚫ Algunsexemplos de bebidas destiladas são a cachaça,
uísque, conhaque, rum e tequila.
Destilação
Fracionada
⚫ Refino do petróleo: O petróleo bruto consiste em uma mistura
complexa de hidrocarbonetos, além de pequenas quantidades de
nitrogênio, oxigênio e enxofre.
Cromatografi
a
⚫ Para separar corantes presentes numa mistura. Útil para pequenas
quantidades de amostra. Ex.: Separar os pigmentos que existem
num marcador preto.
Seguranç
a
Seguranç
a
Seguranç
a
Seguranç
a
Seguranç
a
Seguranç
a
Materi
al
Fundamental e
Médio

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a MISTURAS.pdfMISTURASMISTURASMISTURASMISTURAS

Sedimentacao
SedimentacaoSedimentacao
Sedimentacao
Antenor Carmelio
 
Métodos de separação de misturas
Métodos de separação de misturasMétodos de separação de misturas
Métodos de separação de misturas
Karol Maia
 
Técnicas de Separação de Componentes de Misturas
Técnicas de Separação de Componentes de MisturasTécnicas de Separação de Componentes de Misturas
Técnicas de Separação de Componentes de Misturas
crisnetocosta
 
Separação misturas
Separação misturasSeparação misturas
Separação misturas
crisnetocosta
 
Relatorio
RelatorioRelatorio
Relatorio
Mariana Quintas
 
Processo de separação de misturas.
Processo de separação de misturas.Processo de separação de misturas.
Processo de separação de misturas.
Polo UAB de Alagoinhas
 
Aula de estações de tratamento
Aula de estações de tratamentoAula de estações de tratamento
Aula de estações de tratamento
Marlos Nogueira
 
Aula 2 - Separação de misturas
Aula 2 - Separação de misturasAula 2 - Separação de misturas
Aula 2 - Separação de misturas
profmauricioquimcia
 
Métodos de separação fab
Métodos de separação fabMétodos de separação fab
Métodos de separação fab
EEB Francisco Mazzola
 
Extracao por solventes equipe 4
Extracao por solventes   equipe 4Extracao por solventes   equipe 4
Extracao por solventes equipe 4
EEB Francisco Mazzola
 
Separacão de materiais
Separacão de materiaisSeparacão de materiais
Separacão de materiais
EEB Francisco Mazzola
 
Capitulo 02 processo de separação de misturas
Capitulo 02   processo de separação de misturasCapitulo 02   processo de separação de misturas
Capitulo 02 processo de separação de misturas
Marcos França
 
Aula 4 processos de separação de misturas, eta e petróleo
Aula 4   processos de separação de misturas, eta e petróleoAula 4   processos de separação de misturas, eta e petróleo
Aula 4 processos de separação de misturas, eta e petróleo
profNICODEMOS
 
Separação de materiais!
Separação de materiais!Separação de materiais!
Separação de materiais!
EEB Francisco Mazzola
 
Slides de separação de misturas
Slides de separação de misturasSlides de separação de misturas
Slides de separação de misturas
Auricéia Farias
 
Separação de materiais!
Separação de materiais!Separação de materiais!
Separação de materiais!
EEB Francisco Mazzola
 
Separação de misturas.pdf
Separação de misturas.pdfSeparação de misturas.pdf
Separação de misturas.pdf
Giovanna Stefanello
 
Separação de misturas - www.quimicaempratica.com
Separação de misturas - www.quimicaempratica.comSeparação de misturas - www.quimicaempratica.com
Separação de misturas - www.quimicaempratica.com
Karoline dos Santos Tarnowski
 
Separacao de mistura
Separacao de misturaSeparacao de mistura
Separacao de mistura
Lucas pk'
 
Separacao misturas -_3
Separacao misturas -_3Separacao misturas -_3
Separacao misturas -_3
Matheus Oliveira Santana
 

Semelhante a MISTURAS.pdfMISTURASMISTURASMISTURASMISTURAS (20)

Sedimentacao
SedimentacaoSedimentacao
Sedimentacao
 
Métodos de separação de misturas
Métodos de separação de misturasMétodos de separação de misturas
Métodos de separação de misturas
 
Técnicas de Separação de Componentes de Misturas
Técnicas de Separação de Componentes de MisturasTécnicas de Separação de Componentes de Misturas
Técnicas de Separação de Componentes de Misturas
 
Separação misturas
Separação misturasSeparação misturas
Separação misturas
 
Relatorio
RelatorioRelatorio
Relatorio
 
Processo de separação de misturas.
Processo de separação de misturas.Processo de separação de misturas.
Processo de separação de misturas.
 
Aula de estações de tratamento
Aula de estações de tratamentoAula de estações de tratamento
Aula de estações de tratamento
 
Aula 2 - Separação de misturas
Aula 2 - Separação de misturasAula 2 - Separação de misturas
Aula 2 - Separação de misturas
 
Métodos de separação fab
Métodos de separação fabMétodos de separação fab
Métodos de separação fab
 
Extracao por solventes equipe 4
Extracao por solventes   equipe 4Extracao por solventes   equipe 4
Extracao por solventes equipe 4
 
Separacão de materiais
Separacão de materiaisSeparacão de materiais
Separacão de materiais
 
Capitulo 02 processo de separação de misturas
Capitulo 02   processo de separação de misturasCapitulo 02   processo de separação de misturas
Capitulo 02 processo de separação de misturas
 
Aula 4 processos de separação de misturas, eta e petróleo
Aula 4   processos de separação de misturas, eta e petróleoAula 4   processos de separação de misturas, eta e petróleo
Aula 4 processos de separação de misturas, eta e petróleo
 
Separação de materiais!
Separação de materiais!Separação de materiais!
Separação de materiais!
 
Slides de separação de misturas
Slides de separação de misturasSlides de separação de misturas
Slides de separação de misturas
 
Separação de materiais!
Separação de materiais!Separação de materiais!
Separação de materiais!
 
Separação de misturas.pdf
Separação de misturas.pdfSeparação de misturas.pdf
Separação de misturas.pdf
 
Separação de misturas - www.quimicaempratica.com
Separação de misturas - www.quimicaempratica.comSeparação de misturas - www.quimicaempratica.com
Separação de misturas - www.quimicaempratica.com
 
Separacao de mistura
Separacao de misturaSeparacao de mistura
Separacao de mistura
 
Separacao misturas -_3
Separacao misturas -_3Separacao misturas -_3
Separacao misturas -_3
 

Mais de alessandraoliveira324

Classificação de Materiais.pdf Classificação de Materiais.pdf
Classificação de  Materiais.pdf Classificação de Materiais.pdfClassificação de  Materiais.pdf Classificação de Materiais.pdf
Classificação de Materiais.pdf Classificação de Materiais.pdf
alessandraoliveira324
 
radiação.pdf radiação.pdf radiação.pdf radiação.pdf
radiação.pdf radiação.pdf radiação.pdf radiação.pdfradiação.pdf radiação.pdf radiação.pdf radiação.pdf
radiação.pdf radiação.pdf radiação.pdf radiação.pdf
alessandraoliveira324
 
crescimentoedesenvolvimentodocorpohumano-231110190442-e093e204.pptx
crescimentoedesenvolvimentodocorpohumano-231110190442-e093e204.pptxcrescimentoedesenvolvimentodocorpohumano-231110190442-e093e204.pptx
crescimentoedesenvolvimentodocorpohumano-231110190442-e093e204.pptx
alessandraoliveira324
 
41350_d4224dddac86ec1209ac865fde9b2feb (1).pdf
41350_d4224dddac86ec1209ac865fde9b2feb (1).pdf41350_d4224dddac86ec1209ac865fde9b2feb (1).pdf
41350_d4224dddac86ec1209ac865fde9b2feb (1).pdf
alessandraoliveira324
 
25052023110328Cone (1).pptx25052023110328Cone (1).pptx
25052023110328Cone (1).pptx25052023110328Cone (1).pptx25052023110328Cone (1).pptx25052023110328Cone (1).pptx
25052023110328Cone (1).pptx25052023110328Cone (1).pptx
alessandraoliveira324
 
Aula4_Sistemas Lineares.pptvAula4_Sistemas Lineares.ppt
Aula4_Sistemas Lineares.pptvAula4_Sistemas Lineares.pptAula4_Sistemas Lineares.pptvAula4_Sistemas Lineares.ppt
Aula4_Sistemas Lineares.pptvAula4_Sistemas Lineares.ppt
alessandraoliveira324
 
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologiaEcologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
alessandraoliveira324
 
reproduoanimais c.n 8º ano.pdfreproduoanimais
reproduoanimais c.n 8º ano.pdfreproduoanimaisreproduoanimais c.n 8º ano.pdfreproduoanimais
reproduoanimais c.n 8º ano.pdfreproduoanimais
alessandraoliveira324
 
9-ano-ondas.pptx 9-ano-ondas.pptx 9-ano-ondas.pptx
9-ano-ondas.pptx 9-ano-ondas.pptx 9-ano-ondas.pptx9-ano-ondas.pptx 9-ano-ondas.pptx 9-ano-ondas.pptx
9-ano-ondas.pptx 9-ano-ondas.pptx 9-ano-ondas.pptx
alessandraoliveira324
 
operaescomnmerospositivosenegativos- 7º ano).pptx
operaescomnmerospositivosenegativos- 7º ano).pptxoperaescomnmerospositivosenegativos- 7º ano).pptx
operaescomnmerospositivosenegativos- 7º ano).pptx
alessandraoliveira324
 
2-classificaodamatria- quimica 1ª série.pptx
2-classificaodamatria- quimica 1ª série.pptx2-classificaodamatria- quimica 1ª série.pptx
2-classificaodamatria- quimica 1ª série.pptx
alessandraoliveira324
 
eletricidade-160923012658-220818134913-677763c7.pptx
eletricidade-160923012658-220818134913-677763c7.pptxeletricidade-160923012658-220818134913-677763c7.pptx
eletricidade-160923012658-220818134913-677763c7.pptx
alessandraoliveira324
 
12-ciencias-7o-ano-fenomenos-naturais-tsunamis-terremotos-e-vulcoes-2023-11-2...
12-ciencias-7o-ano-fenomenos-naturais-tsunamis-terremotos-e-vulcoes-2023-11-2...12-ciencias-7o-ano-fenomenos-naturais-tsunamis-terremotos-e-vulcoes-2023-11-2...
12-ciencias-7o-ano-fenomenos-naturais-tsunamis-terremotos-e-vulcoes-2023-11-2...
alessandraoliveira324
 
01-ciencias-7o-ano-formas-de-transmissao-de-calor-2023-11-16-15-52-52.pdf
01-ciencias-7o-ano-formas-de-transmissao-de-calor-2023-11-16-15-52-52.pdf01-ciencias-7o-ano-formas-de-transmissao-de-calor-2023-11-16-15-52-52.pdf
01-ciencias-7o-ano-formas-de-transmissao-de-calor-2023-11-16-15-52-52.pdf
alessandraoliveira324
 
05-ciencias-8o-ano-reproducao-2023-11-16-15-56-27.pdf
05-ciencias-8o-ano-reproducao-2023-11-16-15-56-27.pdf05-ciencias-8o-ano-reproducao-2023-11-16-15-56-27.pdf
05-ciencias-8o-ano-reproducao-2023-11-16-15-56-27.pdf
alessandraoliveira324
 
regra de tres simples.pptx regra de tres simple regra de tres simple
regra de tres simples.pptx regra de tres simple regra de tres simpleregra de tres simples.pptx regra de tres simple regra de tres simple
regra de tres simples.pptx regra de tres simple regra de tres simple
alessandraoliveira324
 
PolígonosPolígonos-.pptxPolígonosPolígonos
PolígonosPolígonos-.pptxPolígonosPolígonosPolígonosPolígonos-.pptxPolígonosPolígonos
PolígonosPolígonos-.pptxPolígonosPolígonos
alessandraoliveira324
 
introduoati.pptxintroduoatiintroduoatiintroduoati
introduoati.pptxintroduoatiintroduoatiintroduoatiintroduoati.pptxintroduoatiintroduoatiintroduoati
introduoati.pptxintroduoatiintroduoatiintroduoati
alessandraoliveira324
 
_PERMUTACAO.pptxPERMUTACAO.PERMUTACAO.PERMUTACAO.PERMUTACAO.
_PERMUTACAO.pptxPERMUTACAO.PERMUTACAO.PERMUTACAO.PERMUTACAO._PERMUTACAO.pptxPERMUTACAO.PERMUTACAO.PERMUTACAO.PERMUTACAO.
_PERMUTACAO.pptxPERMUTACAO.PERMUTACAO.PERMUTACAO.PERMUTACAO.
alessandraoliveira324
 
anlisecombinatria.pptxanlisecombinatriaanlisecombinatria
anlisecombinatria.pptxanlisecombinatriaanlisecombinatriaanlisecombinatria.pptxanlisecombinatriaanlisecombinatria
anlisecombinatria.pptxanlisecombinatriaanlisecombinatria
alessandraoliveira324
 

Mais de alessandraoliveira324 (20)

Classificação de Materiais.pdf Classificação de Materiais.pdf
Classificação de  Materiais.pdf Classificação de Materiais.pdfClassificação de  Materiais.pdf Classificação de Materiais.pdf
Classificação de Materiais.pdf Classificação de Materiais.pdf
 
radiação.pdf radiação.pdf radiação.pdf radiação.pdf
radiação.pdf radiação.pdf radiação.pdf radiação.pdfradiação.pdf radiação.pdf radiação.pdf radiação.pdf
radiação.pdf radiação.pdf radiação.pdf radiação.pdf
 
crescimentoedesenvolvimentodocorpohumano-231110190442-e093e204.pptx
crescimentoedesenvolvimentodocorpohumano-231110190442-e093e204.pptxcrescimentoedesenvolvimentodocorpohumano-231110190442-e093e204.pptx
crescimentoedesenvolvimentodocorpohumano-231110190442-e093e204.pptx
 
41350_d4224dddac86ec1209ac865fde9b2feb (1).pdf
41350_d4224dddac86ec1209ac865fde9b2feb (1).pdf41350_d4224dddac86ec1209ac865fde9b2feb (1).pdf
41350_d4224dddac86ec1209ac865fde9b2feb (1).pdf
 
25052023110328Cone (1).pptx25052023110328Cone (1).pptx
25052023110328Cone (1).pptx25052023110328Cone (1).pptx25052023110328Cone (1).pptx25052023110328Cone (1).pptx
25052023110328Cone (1).pptx25052023110328Cone (1).pptx
 
Aula4_Sistemas Lineares.pptvAula4_Sistemas Lineares.ppt
Aula4_Sistemas Lineares.pptvAula4_Sistemas Lineares.pptAula4_Sistemas Lineares.pptvAula4_Sistemas Lineares.ppt
Aula4_Sistemas Lineares.pptvAula4_Sistemas Lineares.ppt
 
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologiaEcologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
 
reproduoanimais c.n 8º ano.pdfreproduoanimais
reproduoanimais c.n 8º ano.pdfreproduoanimaisreproduoanimais c.n 8º ano.pdfreproduoanimais
reproduoanimais c.n 8º ano.pdfreproduoanimais
 
9-ano-ondas.pptx 9-ano-ondas.pptx 9-ano-ondas.pptx
9-ano-ondas.pptx 9-ano-ondas.pptx 9-ano-ondas.pptx9-ano-ondas.pptx 9-ano-ondas.pptx 9-ano-ondas.pptx
9-ano-ondas.pptx 9-ano-ondas.pptx 9-ano-ondas.pptx
 
operaescomnmerospositivosenegativos- 7º ano).pptx
operaescomnmerospositivosenegativos- 7º ano).pptxoperaescomnmerospositivosenegativos- 7º ano).pptx
operaescomnmerospositivosenegativos- 7º ano).pptx
 
2-classificaodamatria- quimica 1ª série.pptx
2-classificaodamatria- quimica 1ª série.pptx2-classificaodamatria- quimica 1ª série.pptx
2-classificaodamatria- quimica 1ª série.pptx
 
eletricidade-160923012658-220818134913-677763c7.pptx
eletricidade-160923012658-220818134913-677763c7.pptxeletricidade-160923012658-220818134913-677763c7.pptx
eletricidade-160923012658-220818134913-677763c7.pptx
 
12-ciencias-7o-ano-fenomenos-naturais-tsunamis-terremotos-e-vulcoes-2023-11-2...
12-ciencias-7o-ano-fenomenos-naturais-tsunamis-terremotos-e-vulcoes-2023-11-2...12-ciencias-7o-ano-fenomenos-naturais-tsunamis-terremotos-e-vulcoes-2023-11-2...
12-ciencias-7o-ano-fenomenos-naturais-tsunamis-terremotos-e-vulcoes-2023-11-2...
 
01-ciencias-7o-ano-formas-de-transmissao-de-calor-2023-11-16-15-52-52.pdf
01-ciencias-7o-ano-formas-de-transmissao-de-calor-2023-11-16-15-52-52.pdf01-ciencias-7o-ano-formas-de-transmissao-de-calor-2023-11-16-15-52-52.pdf
01-ciencias-7o-ano-formas-de-transmissao-de-calor-2023-11-16-15-52-52.pdf
 
05-ciencias-8o-ano-reproducao-2023-11-16-15-56-27.pdf
05-ciencias-8o-ano-reproducao-2023-11-16-15-56-27.pdf05-ciencias-8o-ano-reproducao-2023-11-16-15-56-27.pdf
05-ciencias-8o-ano-reproducao-2023-11-16-15-56-27.pdf
 
regra de tres simples.pptx regra de tres simple regra de tres simple
regra de tres simples.pptx regra de tres simple regra de tres simpleregra de tres simples.pptx regra de tres simple regra de tres simple
regra de tres simples.pptx regra de tres simple regra de tres simple
 
PolígonosPolígonos-.pptxPolígonosPolígonos
PolígonosPolígonos-.pptxPolígonosPolígonosPolígonosPolígonos-.pptxPolígonosPolígonos
PolígonosPolígonos-.pptxPolígonosPolígonos
 
introduoati.pptxintroduoatiintroduoatiintroduoati
introduoati.pptxintroduoatiintroduoatiintroduoatiintroduoati.pptxintroduoatiintroduoatiintroduoati
introduoati.pptxintroduoatiintroduoatiintroduoati
 
_PERMUTACAO.pptxPERMUTACAO.PERMUTACAO.PERMUTACAO.PERMUTACAO.
_PERMUTACAO.pptxPERMUTACAO.PERMUTACAO.PERMUTACAO.PERMUTACAO._PERMUTACAO.pptxPERMUTACAO.PERMUTACAO.PERMUTACAO.PERMUTACAO.
_PERMUTACAO.pptxPERMUTACAO.PERMUTACAO.PERMUTACAO.PERMUTACAO.
 
anlisecombinatria.pptxanlisecombinatriaanlisecombinatria
anlisecombinatria.pptxanlisecombinatriaanlisecombinatriaanlisecombinatria.pptxanlisecombinatriaanlisecombinatria
anlisecombinatria.pptxanlisecombinatriaanlisecombinatria
 

Último

Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 

Último (20)

Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 

MISTURAS.pdfMISTURASMISTURASMISTURASMISTURAS

  • 1. Métodos de Separação de Misturas Misturas Homogêneas e Heterogêneas
  • 2. Catação ⚫ Compostos e adubos orgânicos ⚫ Plástico ⚫ Alumínio ⚫ Papel e papelão. Catação é um método de separação de misturas heterogêneas sólidas. Esse processo, que separa substâncias sólidas de outras substâncias também sólidas (sólido + sólido), é feito de forma manual.
  • 3. Tamisação ou Peneiração ⚫ Na indústria são usadas várias que separam as diferentes granulações. Ex. areia + cascalho ou areia + água.
  • 4. Separação Magnética ⚫ Vale ressaltar que pelo menos um dos componentes da mistura deve apresentar(pode ser atraído por um imã ou um eletroímã). ⚫ No Brasil, é um método muito utilizado na área de processamento ou purificação de minérios, assim como na separação de componentes metálicos presentes no lixo que podem ser reciclados. Alguns exemplos de produtos obtidos a partir da separação magnética são: Cobalto, Ferro e Níquel.
  • 5. Separação Magnética Materiais que podem ser atraídos na separação magnética ⚫ Com relação ao magnetismo, os materiais podem ser chamados de três formas diferentes: ◦ : trata-se de materiais que são por um campo magnético. Exemplos: alumínio, magnésio, sulfato de cobre, bário, cálcio, sódio etc.; ◦ : trata-se de materiais que são um campo magnético. Exemplos: ferro,,níquel, por cobalto e ligas metálicas formadas por todos estes metais. ◦ : Existem metais e materiais que por um ímã, já que, quando em contato com ele, sofrem uma repulsão do campo eletromagnético. Exemploso: bismuto, cobre, prata, ouro e chumbo.
  • 6. Separação Magnética ⚫ O“ ” é um interessante material desenvolvido originalmente pela NASA, e trata-se de um líquido que contém nano- partículas magnéticas que sob o efeito de um ímã, cria espantosas formas.
  • 7. Dissolução Fracionada ⚫ Técnica bastante utilizada para de uma mistura. Ela por si só não realiza a separação dos componentes de uma mistura, mas é o primeiro passo para tal. ⚫ O objetivo principal é o de para, logo em seguida, por meio de outros métodos, completar a separação total dos componentes.
  • 8. Flotação de separação de misturas ⚫ A flotação é um tipo de heterogêneas. ⚫ Essa técnica consiste em ao meio, o que faz com que as p suspensão no líquido passem a aderir- se a essas bolhas. ⚫ Essa espuma formada pode então ser removida, as partículas de impurezas. leva as partículas à superfície da mistura. A (flotação em inglês), inclusive, transmite a ideia de ⚫ Aflotação palavra “ ” .
  • 9. Flotaçã o . Em são adicionados à água ⚫ Outra aplicação importante é no determinada etapa desse tratamento, coagulantes químicos. ◦ Um exemplo é o sulfato de alumínio, que forma flóculos ao reagir com o hidróxido de cálcio. Esses flóculos incorporam-se à sujeira da água (lama, argila e micro- organismos) em um processo chamado de floculação. , e ⚫ Outras aplicações é na , separação de micro-organismos. ⚫ Uma das áreas mais importantes de utilização , principalmente desse método é na na da calcopirita (CuFeS2 ).
  • 10. Sublimaç ão ⚫ É o processo físico em que as partículas de uma substância passam do , ou do , diretamente, sem passar pela fase intermediária do estado líquido.
  • 11. Levigaçã o , onde o ⚫ Utilizada para separar menos denso é separado por uma corrente de água. ⚫ É usada, por exemplo, : a areia por ser menos densa é arrastada pela água corrente; o ouro, por ser mais denso, permanece no fundo da bateia.
  • 12. Decantaçã o ⚫ Método utilizado para separar os componentes de misturas com as seguintes características: ◦ Formadas por que não estádissolvido. Exemplos: água barrenta, água e areia. , isto é, que não se ◦ Formadas por dissolvem. Exemplos: água e óleo, água e gasolina. ⚫ A decantação tem como princípio deixar a mistura heterogênea em repouso para que a diferença de entre os materiais atue, fazendo com que um deles desça para o fundo do recipiente e o outro flutue sobre ele.
  • 13. Decantaçã o denso ⚫ O, por ser mais (sedimentação). Sedimentação Sifonação
  • 14. Filtraçã o ⚫ Método de separação dos componentes de misturas heterogêneas que apresentam as seguintes composições: ◦ Mistura formada por um sólido e um gás. Exemplo: ar e poeira; ◦ Mistura formada por um sólido e um líquido. Exemplo: água e areia;
  • 15. Filtração Simples ⚫ A fase sólida é separada com o auxílio de papéis de filtro. ⚫ A preparação do café e o filtro de água são dois exemplos do uso da filtração no dia-a-dia.
  • 16. Filtração à Vácuo ⚫ O processo de filtração pode ser acelerado pela filtração à vácuo, onde uma trompa de vácuo " " o ar existente na parte interior do kitassato, permitindo um mais rápido escoamento do líquido. Aparelhagem Montada Funil de Buchner (porcelana)
  • 17. Filtração à Vácuo ⚫ A mistura passa , onde o sólido fica retido. ⚫ Esse processo é muito utilizado nas indústrias, principalmente para evitar o lançamento de partículas sólidas na atmosfera. ⚫ A filtração é também usada nos aspiradores de pó, onde o sólido é retido (poeira) à medida que o ar é aspirado.
  • 18. Centrifugaç ão ⚫ O processo de decantação pode ser acelerado por meio da utilização de um equipamento chamado de . Nesse equipamento a mistura é submetida a sucessivas rotações, o que favorece a deposição do material mais denso no fundo do recipiente.
  • 19. Decantaçã o ⚫ Quando a mistura heterogênea é formada por dois ou mais líquidos imiscíveis, é interessante realizar a decantação no interior de um equipamento de laboratório denominado de funil de bromo (ou funil de separação ou funil de decantação).
  • 20. Evaporaçã o ⚫ É o fenômeno que envolve a passagem de determinado material do . Tal processo ocorre lentamente na superfície dos líquidos com a ascensão das massas d'água sob a forma de vapor. ⚫ Ela é iniciada com o aquecimento do material por ou então por meio manual. ⚫ De modo mais específico, podemos dizer que o fenômeno acontece a partir da vaporização do líquido que se dá em uma superfície livre, a uma temperatura menor do que a temperatura de .
  • 21. Destilação Simples ⚫ É um dos processos de que ocorre através da ebulição, donde o líquido é vaporizado e depois condensado. ⚫ Assim, as misturas que serão separadas apresentam diferentes pontos de ebulição.
  • 25. Destilação Fracionada ⚫ Consiste no aquecimento da mistura de líquidos miscíveis, cujos pontos de ebulição (PE) sejam muito próximos. ⚫ A destilação fracionada costuma ser utilizada para separar misturas do tipo líquido-líquido. Porém, essas misturas não podem ser azeotrópicas
  • 27. Destilação Fracionada ⚫ Produção de álcool: O caldo de cana fermentado passa por um processo de destilação dos alambiques. ⚫ Esse processo pode ser repetido, e o resultado são bebidas com teores mais elevados de álcool. ⚫ Algunsexemplos de bebidas destiladas são a cachaça, uísque, conhaque, rum e tequila.
  • 28. Destilação Fracionada ⚫ Refino do petróleo: O petróleo bruto consiste em uma mistura complexa de hidrocarbonetos, além de pequenas quantidades de nitrogênio, oxigênio e enxofre.
  • 29. Cromatografi a ⚫ Para separar corantes presentes numa mistura. Útil para pequenas quantidades de amostra. Ex.: Separar os pigmentos que existem num marcador preto.