SlideShare uma empresa Scribd logo
HOLOCAUSTO

Miguel Salgueiro Meira
O que foi o Holocausto?
“O Holocausto foi a perseguição e assassinato sistemáticos e
burocráticos de aproximadamente seis milhões de Judeus
fomentada pelo regime Nazi e pelos seus colaboradores”

                                               in www.ushmm.org




“Holocausto”
palavra de origem grega que significa “sacrifício pelo fogo”.
Porque aconteceu?

Como aconteceu?

Como foi possível?
HITLER, chanceler da Alemanha




                        30/01/1933
Incêndio no Reichstag – 28/02/1933




Governo suspende os direitos civis constitucionais e decreta o
Estado de Emergência, em que podem ser emitidos decretos sem
confirmação parlamentar.
Agosto de 1934




    Morre o Presidente alemão Paul von Hindenburg

        Hitler assume os poderes da presidência
Exército alemão faz juramento de lealdade pessoal a Hitler.
HITLER PASSA A TER A ÚLTIMA PALAVRA NA
POLÍTICA INTERNA E EXTERNA DA ALEMANHA.

Política NAZI é guiada pela crença racista que a Alemanha
está biologicamente destinada a expandir-se para leste pela
força militar e de que a racialmente superior população
alemã deverá governar a Europa de Leste e a União
Soviética.



Os povos “racialmente inferiores” (tal como os JUDEUS e
os Ciganos) devem ser ELIMINADOS da região.
JUDEUS TORNAM-SE O PRINCIPAL INIMIGO
“RACIAL” DA ALEMANHA
APROVAÇÃO DE LEGISLAÇÃO ANTI-SEMITA
                       (1933-1939)


O anti-semitismo e a perseguição aos judeus tem um papel
especial na ideologia NAZI.

No seu programa de 25 pontos, aprovado em 1920, os
membros do Partido NAZI manifestam a sua intenção de
segregar os judeus da sociedade “Ariana” e de revogar os
direitos políticos, legais e civis dos judeus.

Entre 1933 e 1939 são aprovados mais de 400 decretos e
regulamentos que restringem todos os aspectos da vida dos
judeus, retirando-lhes todo tipo de direitos
LEIS DE NUREMBERGA
       (1935)
Em 15 de Setembro de 1935, no congresso de Nuremberga,
os líderes NAZIS anunciam novas leis que institucionalizam
muitas das teorias raciais da ideologia NAZI.


• Reichsflaggengesetz (lei da bandeira do Reich);
• Reichsbürgergesetz (lei da cidadania do Reich);
• Gesetz zum Schutze des deutschen Blutes
  und der deutschen Ehre             (Lei da proteção do
  sangue e honra alemães).
LEIS DE NUREMBERGA


• Tendo por base a origem dos 4 avós de um indivíduo,
  estabelece-se se ele é alemão (4 avós alemães), judeu (4 ou
  3 avós judeus) ou mestiço (se descendia de 1 ou 2 judeus).

• Baseados nessa distinção, os judeus alemães são excluídos
  da cidadania do Reich e proibidos de casar ou de ter
  relações sexuais com pessoas de sangue alemão
As “Leis de Nuremberga” de 1935 marcaram o início de
uma nova vaga de legislação anti-semita que trouxe a
imediata e concreta segregação dos judeus:

Por ex.
• Os judeus não eram admitidos no Hospital Municipal de
  Dusseldorf;
• Os juízes alemães não podiam citar comentários legais ou opiniões
  escritas por autores judeus;
• Oficiais judeus foram expulsos do exército alemão;
• Os estudantes universitários judeus não eram autorizados a
  apresentarem-se a exames de doutoramento
1937-1939
INTENSIFICAÇÃO DA PERSEGUIÇÃO LEGAL
         AOS JUDEUS ALEMÃES

ARIANIZAÇÃO da economia

• Judeus são obrigados a registar o seu património
• Despedimento dos trabalhadores gestores judeus.
• Os negócios de judeus são adquiridos por não judeus a preços
  exorbitantemente baixos, fixados pelo governo NAZI
• Os médicos judeus são proibidos de tratar pacientes não judeus
• É revogada a licença para os advogados judeus poderem praticar o
  direito.
“KRISTALLNACHT”
 (9-10 de Novembro de 1938)
Na sequência da “Kristallnacht”, aprovam-se medidas para isolar
fisicamente e segregar os judeus:

    Judeus são impedidos de frequentar todas as escolas e universidades
     públicas, os cinemas, teatros e recintos desportivos

    Os judeus são impedidos de entrar em “zonas Arianas”

    Aumenta o número de decretos que proibe os judeus de exercerem a
     sua vida profissional

    Os judeus são obrigados a identificar-se de modo a os distinguir da
     demais da população;

    Os homens e mulheres judeus que não tenham nome judaico são
     obrigados, respectivamente, a acrescentar aos seus nomes o nome
     “Israel” e “Sara”

    Todos os judeus são obrigados a ter cartões de identidade que indiquem
     a sua descendência judaica, passando todos os seus passaportes a ser
     identificados com a letra “J”
CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO
        1933-1939
Campos de concentração na Alemanha
          (Agosto de 1939)
GUERRA
PROGRAMA DE “EUTANÁSIA”
PROGRAMA DE EUTANÁSIA NAZI
Termo eufemístico utilizado para o programa de assassinato
clandestino de pacientes com deficiências físicas ou mentais
internados em estabelecimentos na Alemanha e nos
territórios anexados.



Medida eugenista destinada a restaurar a “integridade” racial da
nação alemã.

Objectivo: eliminar aquilo a que os eugenistas apelidavam de “vida
sem valor” que representava um “encargo genético e financeiro” para a
sociedade alemã e o Estado.
Inicialmente:
        Destinada a crianças de idades inferiores a 3 anos.
        Método: injecções letais ou à fome.
Depois:
       Ampliada a indivíduos até aos 17 anos e depois a adultos.


   PROGRAMA “T4” (Tiergartenstrasse 4)

   Criadas 6 INSTALAÇÕES DE GASEAMENTO
   Pacientes transportados em autocarros especiais ou de comboio
   dos reformatórios até às estações de gaseamento.

   Janeiro de 1940-Agosto de 1941 – 70 000 mortos
   Até ao final da guerra – 200 000 mortos
GUETOS
(“GHETTO”)

Bairros fechados nos quais os alemães
concentravam a população judaica e os
forçavam a viver em condições
miseráveis.

Medida provisória de controlo e
segregação dos judeus enquanto as
autoridades NAZIS deliberavam sobre
qual a opção de remoção dos judeus.

   Administrados pela JUDENRAETE

Durante a guerra foram estabelecidos
cerca de 1000 guetos na Alemanha, na
Polónia e URSS ocupadas.
GUETOS
         Os judeus tinham que usar sinais
         identificativos (emblema e braçadeira) e
         executar trabalhos forçados a favor do
         Reich.

         Com a implementação da “Solução
         Final”, os alemães destruiram os guetos,
         fuzilando os seus residentes e
         enterrando-os em valas comuns nas
         imediações ou deportando-os para
         campos de extermínio.

         Foram passo central no processo NAZI
         de controlo, desumanização e assassínio
         em massa dos judeus.
“EINSATZGRUPPEN”
(Esquadrões da Morte)
“EINSATZGRUPPEN”
COMPOSIÇÃO: membros das “SS” e polícia alemãs.
TAREFAS: execução dos inimigos raciais e políticos, encontrados atrás
das linhas de combate alemãs na parte ocupada da URSS.
ALVOS: judeus, ciganos, e funcionários do estado soviético e do Partido
Comunista da URSS.

 Junho de 1941: a seguir à invasão da URSS, seguem o exército
  alemão (de quem obtem apoio logístico), levando a cabo execuções
  em massa.
   Ao contrário do que sucederá posteriormente com os “campos de
   extermínio”, as “Einsatzgruppen” vão directamente às
   comunidades judaicas executar os massacres.
Por onde quer que passem, fuzilam
homens, mulheres e crianças, sem
atender à idade ou a sexo, enterrando-os
em valas comuns




                                           Os judeus de uma localidade são
                                           identificados e conduzidos a um ponto de
                                           concentração comum.

                                           Depois são obrigados a caminhar ou
                                           transportados para o local de execução
                                           onde já os esperam valas abertas.

                                           Em muitas situações, as vítimas são
                                           obrigadas a abrir as valas onde serão eles
                                           próprios sepultados.
As vitimas são obrigadas a despir-se e a
ficar a pé junto à vala comum ou deitadas
na vala de cabeça para baixo, sendo
depois fuziladas.

O fuzilamento era o método mais
comum utilizado pelas “Einsatzgruppen”.

Final do Verão de 1941, Heinrich
Himmler, solicita um método de
exterminação mais eficiente.


                                            “CARRINHA DE GASEAMENTO”:

                                            Câmara de gás móvel, instalada sobre o
                                            chassi de uma carrinha, que utiliza o
                                            monóxido de carbono da exaustão do
                                            motor para matar as vítimas.
O massacre de BABI YAR – Kiev (Ucrânia)
(29-30 de Setembro de 1941)

Em 28 de Setembro de 1941, as tropas das “SS” fixaram um aviso nos postes e muros
de Kiev que dizia:


                              “Ordena-se a todos os judeus residentes em Kiev e suas
                              vizinhanças que compareçam na esquina das ruas Melnyk e
                              Dokterivsky, às 8 horas da manhã de segunda feira, 29 de
                              Setembro de 1941, transportando documentos, dinheiro,
                              roupas interiores, etc.. Aqueles que não comparecerem serão
                              fuzilados. Aqueles qe entrarem nas casas evacuadas por
                              judeus e roubarem pertences destas casas serão fuzilados”



           33 771 judeus foram fuzilados em apenas dois dias.
CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO/EXTERMÍNIO
             (1939-1945)
1939-1942 – Expansão              no     sistema    de    CAMPOS        DE
CONCENTRAÇÃO.

São estabelecidos novos campos de concentração nas vizinhanças das
fábricas ou de sítios de extracção de matérias primas (por exemplo, a
pedreira de Mauthausen) para aproveitar a mão-de-obra.

Há medida que as tropas NAZIS vão conquistando territórios, vão
sendo criados novos campos de concentração já não apenas na
Alemanha mas nos territórios conquistados, particularmente na
Polónia.

Ex.
      Gusen (1939), Neuengamme (1940), Gross-Rosen (1949), Auschwitz (1940),
      Natzweiler (1940), Stutthof (1942) e Madjanek (Fevereiro de 1943).
Após o início da guerra os campos de concentração tornam-se locais de
assassinio em massa para pequenos grupos-alvo entendidos como racial
ou politicamente perigosos pelas autoridades NAZIS.

São   construídas CÂMARAS DE GÁS para assassinar pessoas.

Entre 1939-1942 são construídas CÂMARAS DE GÁS em Mauthausen,
Sachsenhausen, Auschwitz I e outros campos.
CONFERÊNCIA DE WANNSEE
     (20 de Janeiro de 1942)




             A SOLUÇÃO FINAL
CAMPOS DE EXTERMÍNIO




Ao contrário dos CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO (campos de detenção e
centros de trabalho), os CAMPOS DE EXTERMÍNIO são verdadeiras
“fábricas de morte”: visam tornar eficiente o assassínio em massa.

Neles serão assassinados 2   700 000 judeus (gaseamento ou fuzilamento).
CENTROS DE EXTERMÍNIO
AUSCHWITZ-BIRKENAU
AUSCHWITZ I
AUSCHWITZ II
Chegada
Selecção
A caminho da câmara de gás
AS CÂMARAS DE GÁS E OS CREMATÓRIOS
Os que não iam directamente para a camara de gás….
SODERKOMMANDO
“KANADA”
Libertação de Auschwitz
(Janeiro de 1945)
“MARCHAS DA MORTE”
AUSCHWITZ (Estatística)

4 CÂMARAS DE GÁS em funcionamento (apartir da Primavera de 1943)
6.000 judeus gaseados/dia

        ETNIA/NACIONALIDADE    NÚMERO
        JUDEUS                 1.000.000
        POLACOS                70.000 - 75.000
        CIGANOS                21.000
        POW SOVIÉTICOS         15.000
        OUTROS                 10.000 – 15.000

        TOTAL                  1,1 MILHÕES
FINAL DA GUERRA
8 de Maio de 1945




                          JULGAMENTOS DE
                             NUREMBERGA
                    (18 de Outubro 1945/1 de Outubro 1946)
HOLOCAUSTO

6.000.000
  Judeus mortos
Miguel Salgueiro Meira   Maio de 2012

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Grande depressão
Grande depressãoGrande depressão
Grande depressão
Simone P Baldissera
 
O Nazismo
O NazismoO Nazismo
O Nazismo
Jorge Almeida
 
O Nazismo
O NazismoO Nazismo
O Nazismo
Jorge Almeida
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
Jorge Almeida
 
Holocausto nazi
Holocausto nazi Holocausto nazi
Holocausto nazi
Marisa_Sousa
 
II Guerra Mundial
II Guerra MundialII Guerra Mundial
II Guerra Mundial
Jorge Almeida
 
A Era Estalinista
A Era EstalinistaA Era Estalinista
A Era Estalinista
Rainha Maga
 
Crise 1929
Crise 1929Crise 1929
Crise 1929
Rui Neto
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
Janaína Tavares
 
Auschwitz
AuschwitzAuschwitz
Auschwitz
Paulo Ricardo
 
O nazismo[1]
O nazismo[1]O nazismo[1]
O nazismo[1]
Ana Barreiros
 
Nazismo e a história do Hitler - Trabalho Escolar.
Nazismo e a história do Hitler - Trabalho Escolar.Nazismo e a história do Hitler - Trabalho Escolar.
Nazismo e a história do Hitler - Trabalho Escolar.
RebecadeFreitasLima
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
Joana Melo
 
As opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IAAs opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IA
Carlos Vieira
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
Fatima Freitas
 
3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria
Daniel Alves Bronstrup
 
Adolf Hitler _ Prof.Altair Aguilar
Adolf  Hitler _ Prof.Altair AguilarAdolf  Hitler _ Prof.Altair Aguilar
Adolf Hitler _ Prof.Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Ficha de trabalho da 2ª Guerra Mundial
Ficha de trabalho da 2ª Guerra Mundial Ficha de trabalho da 2ª Guerra Mundial
Ficha de trabalho da 2ª Guerra Mundial
marcelinaregente
 
9º ano - Segunda guerra mundial
9º ano - Segunda guerra mundial9º ano - Segunda guerra mundial
9º ano - Segunda guerra mundial
Janaína Bindá
 
Ascensão do fascismo e nazismo
Ascensão do fascismo e nazismoAscensão do fascismo e nazismo
Ascensão do fascismo e nazismo
Colégio Basic e Colégio Imperatrice
 

Mais procurados (20)

Grande depressão
Grande depressãoGrande depressão
Grande depressão
 
O Nazismo
O NazismoO Nazismo
O Nazismo
 
O Nazismo
O NazismoO Nazismo
O Nazismo
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
 
Holocausto nazi
Holocausto nazi Holocausto nazi
Holocausto nazi
 
II Guerra Mundial
II Guerra MundialII Guerra Mundial
II Guerra Mundial
 
A Era Estalinista
A Era EstalinistaA Era Estalinista
A Era Estalinista
 
Crise 1929
Crise 1929Crise 1929
Crise 1929
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 
Auschwitz
AuschwitzAuschwitz
Auschwitz
 
O nazismo[1]
O nazismo[1]O nazismo[1]
O nazismo[1]
 
Nazismo e a história do Hitler - Trabalho Escolar.
Nazismo e a história do Hitler - Trabalho Escolar.Nazismo e a história do Hitler - Trabalho Escolar.
Nazismo e a história do Hitler - Trabalho Escolar.
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
 
As opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IAAs opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IA
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria
 
Adolf Hitler _ Prof.Altair Aguilar
Adolf  Hitler _ Prof.Altair AguilarAdolf  Hitler _ Prof.Altair Aguilar
Adolf Hitler _ Prof.Altair Aguilar
 
Ficha de trabalho da 2ª Guerra Mundial
Ficha de trabalho da 2ª Guerra Mundial Ficha de trabalho da 2ª Guerra Mundial
Ficha de trabalho da 2ª Guerra Mundial
 
9º ano - Segunda guerra mundial
9º ano - Segunda guerra mundial9º ano - Segunda guerra mundial
9º ano - Segunda guerra mundial
 
Ascensão do fascismo e nazismo
Ascensão do fascismo e nazismoAscensão do fascismo e nazismo
Ascensão do fascismo e nazismo
 

Destaque

Holocausto
HolocaustoHolocausto
Holocausto
garciarivero
 
HOLOCAUSTO
HOLOCAUSTOHOLOCAUSTO
HOLOCAUSTO
zaida_
 
El holocausto nazi
El holocausto naziEl holocausto nazi
El holocausto nazi
Vicky Uribe Guarín
 
Etapas del holocausto
Etapas del holocaustoEtapas del holocausto
Etapas del holocausto
wimmmer
 
A perseguição aos judeus......
A perseguição aos judeus......A perseguição aos judeus......
A perseguição aos judeus......
turma9amarinhas
 
Holocausto
HolocaustoHolocausto
Holocausto
waldog
 
O holocausto
O holocaustoO holocausto
O holocausto
Stelian Ravas
 
Campos De ConcentraçãO
Campos De ConcentraçãOCampos De ConcentraçãO
Campos De ConcentraçãO
crie_historia9
 
Os Campos De ConcentraçãO
Os Campos De ConcentraçãOOs Campos De ConcentraçãO
Os Campos De ConcentraçãO
Sílvia Mendonça
 
Campos De Concentracion!!
Campos De Concentracion!!Campos De Concentracion!!
Campos De Concentracion!!
guest03b037
 
Holocausto
HolocaustoHolocausto
Auschwitz Holocausto
Auschwitz HolocaustoAuschwitz Holocausto
Auschwitz Holocausto
Joaquim Almeida
 
Dia do holocausto
Dia do holocaustoDia do holocausto
Dia do holocausto
anapaulaoliveira
 
O Holocausto Ii
O Holocausto IiO Holocausto Ii
O Holocausto Ii
luisant
 
Campos de concentração
Campos de concentraçãoCampos de concentração
Campos de concentração
Atitude Profissional
 
Campos De Exterminio
Campos De ExterminioCampos De Exterminio
Campos De Exterminio
crie_historia9
 
2ª Guerra Mundial e Holocausto
2ª Guerra Mundial e Holocausto2ª Guerra Mundial e Holocausto
2ª Guerra Mundial e Holocausto
Ruben Fonseca
 
Os Regimes Fascista e Nazi
Os Regimes Fascista e NaziOs Regimes Fascista e Nazi
Os Regimes Fascista e Nazi
Rui Neto
 
Fin de la Segunda Guerra Mundial: Holocausto Judio
Fin de la Segunda Guerra Mundial: Holocausto JudioFin de la Segunda Guerra Mundial: Holocausto Judio
Fin de la Segunda Guerra Mundial: Holocausto Judio
Cuartomedio2010
 
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair AguilarCampos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 

Destaque (20)

Holocausto
HolocaustoHolocausto
Holocausto
 
HOLOCAUSTO
HOLOCAUSTOHOLOCAUSTO
HOLOCAUSTO
 
El holocausto nazi
El holocausto naziEl holocausto nazi
El holocausto nazi
 
Etapas del holocausto
Etapas del holocaustoEtapas del holocausto
Etapas del holocausto
 
A perseguição aos judeus......
A perseguição aos judeus......A perseguição aos judeus......
A perseguição aos judeus......
 
Holocausto
HolocaustoHolocausto
Holocausto
 
O holocausto
O holocaustoO holocausto
O holocausto
 
Campos De ConcentraçãO
Campos De ConcentraçãOCampos De ConcentraçãO
Campos De ConcentraçãO
 
Os Campos De ConcentraçãO
Os Campos De ConcentraçãOOs Campos De ConcentraçãO
Os Campos De ConcentraçãO
 
Campos De Concentracion!!
Campos De Concentracion!!Campos De Concentracion!!
Campos De Concentracion!!
 
Holocausto
HolocaustoHolocausto
Holocausto
 
Auschwitz Holocausto
Auschwitz HolocaustoAuschwitz Holocausto
Auschwitz Holocausto
 
Dia do holocausto
Dia do holocaustoDia do holocausto
Dia do holocausto
 
O Holocausto Ii
O Holocausto IiO Holocausto Ii
O Holocausto Ii
 
Campos de concentração
Campos de concentraçãoCampos de concentração
Campos de concentração
 
Campos De Exterminio
Campos De ExterminioCampos De Exterminio
Campos De Exterminio
 
2ª Guerra Mundial e Holocausto
2ª Guerra Mundial e Holocausto2ª Guerra Mundial e Holocausto
2ª Guerra Mundial e Holocausto
 
Os Regimes Fascista e Nazi
Os Regimes Fascista e NaziOs Regimes Fascista e Nazi
Os Regimes Fascista e Nazi
 
Fin de la Segunda Guerra Mundial: Holocausto Judio
Fin de la Segunda Guerra Mundial: Holocausto JudioFin de la Segunda Guerra Mundial: Holocausto Judio
Fin de la Segunda Guerra Mundial: Holocausto Judio
 
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair AguilarCampos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
 

Semelhante a Holocausto (Miguel Salgueiro Meira)

Holocausto miguelsalgueiromeira-120508083632-phpapp02
Holocausto miguelsalgueiromeira-120508083632-phpapp02Holocausto miguelsalgueiromeira-120508083632-phpapp02
Holocausto miguelsalgueiromeira-120508083632-phpapp02
becastanheiradepera
 
Nazismo
Nazismo Nazismo
Nazismo
Kerol Brombal
 
Holocausto
Holocausto Holocausto
Holocausto
capell18
 
Alemanha
AlemanhaAlemanha
Anti semitismo
Anti semitismo Anti semitismo
Anti semitismo
Bruna Marques Ferreira
 
Livro aristides
Livro aristidesLivro aristides
Nazismo
NazismoNazismo
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
Marilia Pimentel
 
A perseguição aos judeus......
A perseguição aos judeus......A perseguição aos judeus......
A perseguição aos judeus......
turma9amarinhas
 
O holocausto foi a perseguição e o extermínio sistemático
O holocausto foi a perseguição e o extermínio sistemáticoO holocausto foi a perseguição e o extermínio sistemático
O holocausto foi a perseguição e o extermínio sistemático
Jose Martins Silva Silva
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
Lú Carvalho
 
O Nazismo
O NazismoO Nazismo
O Nazismo
AnaM187
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
Ana Barreiros
 
Holocausto e resistência
Holocausto e resistênciaHolocausto e resistência
Holocausto e resistência
Maria Gomes
 
16220
1622016220
16220
Pelo Siro
 
Holocausto + Direitos Humanos
Holocausto + Direitos HumanosHolocausto + Direitos Humanos
Holocausto + Direitos Humanos
débora Santos
 
Dia internacional em memória das vítimas do holocausto
Dia internacional em memória das vítimas do holocaustoDia internacional em memória das vítimas do holocausto
Dia internacional em memória das vítimas do holocausto
Escola Secundária Sta Maria do Olival
 
Minorias na II guerra mundial
Minorias na II guerra mundial Minorias na II guerra mundial
Minorias na II guerra mundial
Colégio Basic e Colégio Imperatrice
 
Nazismo
NazismoNazismo
A era dos extremos
A era dos extremosA era dos extremos
A era dos extremos
Jorge Miklos
 

Semelhante a Holocausto (Miguel Salgueiro Meira) (20)

Holocausto miguelsalgueiromeira-120508083632-phpapp02
Holocausto miguelsalgueiromeira-120508083632-phpapp02Holocausto miguelsalgueiromeira-120508083632-phpapp02
Holocausto miguelsalgueiromeira-120508083632-phpapp02
 
Nazismo
Nazismo Nazismo
Nazismo
 
Holocausto
Holocausto Holocausto
Holocausto
 
Alemanha
AlemanhaAlemanha
Alemanha
 
Anti semitismo
Anti semitismo Anti semitismo
Anti semitismo
 
Livro aristides
Livro aristidesLivro aristides
Livro aristides
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 
A perseguição aos judeus......
A perseguição aos judeus......A perseguição aos judeus......
A perseguição aos judeus......
 
O holocausto foi a perseguição e o extermínio sistemático
O holocausto foi a perseguição e o extermínio sistemáticoO holocausto foi a perseguição e o extermínio sistemático
O holocausto foi a perseguição e o extermínio sistemático
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
 
O Nazismo
O NazismoO Nazismo
O Nazismo
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
 
Holocausto e resistência
Holocausto e resistênciaHolocausto e resistência
Holocausto e resistência
 
16220
1622016220
16220
 
Holocausto + Direitos Humanos
Holocausto + Direitos HumanosHolocausto + Direitos Humanos
Holocausto + Direitos Humanos
 
Dia internacional em memória das vítimas do holocausto
Dia internacional em memória das vítimas do holocaustoDia internacional em memória das vítimas do holocausto
Dia internacional em memória das vítimas do holocausto
 
Minorias na II guerra mundial
Minorias na II guerra mundial Minorias na II guerra mundial
Minorias na II guerra mundial
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
 
A era dos extremos
A era dos extremosA era dos extremos
A era dos extremos
 

Último

Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 

Último (20)

Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 

Holocausto (Miguel Salgueiro Meira)

  • 2. O que foi o Holocausto?
  • 3. “O Holocausto foi a perseguição e assassinato sistemáticos e burocráticos de aproximadamente seis milhões de Judeus fomentada pelo regime Nazi e pelos seus colaboradores” in www.ushmm.org “Holocausto” palavra de origem grega que significa “sacrifício pelo fogo”.
  • 5. HITLER, chanceler da Alemanha 30/01/1933
  • 6. Incêndio no Reichstag – 28/02/1933 Governo suspende os direitos civis constitucionais e decreta o Estado de Emergência, em que podem ser emitidos decretos sem confirmação parlamentar.
  • 7. Agosto de 1934 Morre o Presidente alemão Paul von Hindenburg Hitler assume os poderes da presidência
  • 8. Exército alemão faz juramento de lealdade pessoal a Hitler.
  • 9. HITLER PASSA A TER A ÚLTIMA PALAVRA NA POLÍTICA INTERNA E EXTERNA DA ALEMANHA. Política NAZI é guiada pela crença racista que a Alemanha está biologicamente destinada a expandir-se para leste pela força militar e de que a racialmente superior população alemã deverá governar a Europa de Leste e a União Soviética. Os povos “racialmente inferiores” (tal como os JUDEUS e os Ciganos) devem ser ELIMINADOS da região.
  • 10. JUDEUS TORNAM-SE O PRINCIPAL INIMIGO “RACIAL” DA ALEMANHA
  • 11. APROVAÇÃO DE LEGISLAÇÃO ANTI-SEMITA (1933-1939) O anti-semitismo e a perseguição aos judeus tem um papel especial na ideologia NAZI. No seu programa de 25 pontos, aprovado em 1920, os membros do Partido NAZI manifestam a sua intenção de segregar os judeus da sociedade “Ariana” e de revogar os direitos políticos, legais e civis dos judeus. Entre 1933 e 1939 são aprovados mais de 400 decretos e regulamentos que restringem todos os aspectos da vida dos judeus, retirando-lhes todo tipo de direitos
  • 13. Em 15 de Setembro de 1935, no congresso de Nuremberga, os líderes NAZIS anunciam novas leis que institucionalizam muitas das teorias raciais da ideologia NAZI. • Reichsflaggengesetz (lei da bandeira do Reich); • Reichsbürgergesetz (lei da cidadania do Reich); • Gesetz zum Schutze des deutschen Blutes und der deutschen Ehre (Lei da proteção do sangue e honra alemães).
  • 14. LEIS DE NUREMBERGA • Tendo por base a origem dos 4 avós de um indivíduo, estabelece-se se ele é alemão (4 avós alemães), judeu (4 ou 3 avós judeus) ou mestiço (se descendia de 1 ou 2 judeus). • Baseados nessa distinção, os judeus alemães são excluídos da cidadania do Reich e proibidos de casar ou de ter relações sexuais com pessoas de sangue alemão
  • 15. As “Leis de Nuremberga” de 1935 marcaram o início de uma nova vaga de legislação anti-semita que trouxe a imediata e concreta segregação dos judeus: Por ex. • Os judeus não eram admitidos no Hospital Municipal de Dusseldorf; • Os juízes alemães não podiam citar comentários legais ou opiniões escritas por autores judeus; • Oficiais judeus foram expulsos do exército alemão; • Os estudantes universitários judeus não eram autorizados a apresentarem-se a exames de doutoramento
  • 16. 1937-1939 INTENSIFICAÇÃO DA PERSEGUIÇÃO LEGAL AOS JUDEUS ALEMÃES ARIANIZAÇÃO da economia • Judeus são obrigados a registar o seu património • Despedimento dos trabalhadores gestores judeus. • Os negócios de judeus são adquiridos por não judeus a preços exorbitantemente baixos, fixados pelo governo NAZI • Os médicos judeus são proibidos de tratar pacientes não judeus • É revogada a licença para os advogados judeus poderem praticar o direito.
  • 17. “KRISTALLNACHT” (9-10 de Novembro de 1938)
  • 18. Na sequência da “Kristallnacht”, aprovam-se medidas para isolar fisicamente e segregar os judeus:  Judeus são impedidos de frequentar todas as escolas e universidades públicas, os cinemas, teatros e recintos desportivos  Os judeus são impedidos de entrar em “zonas Arianas”  Aumenta o número de decretos que proibe os judeus de exercerem a sua vida profissional  Os judeus são obrigados a identificar-se de modo a os distinguir da demais da população;  Os homens e mulheres judeus que não tenham nome judaico são obrigados, respectivamente, a acrescentar aos seus nomes o nome “Israel” e “Sara”  Todos os judeus são obrigados a ter cartões de identidade que indiquem a sua descendência judaica, passando todos os seus passaportes a ser identificados com a letra “J”
  • 19.
  • 21.
  • 22. Campos de concentração na Alemanha (Agosto de 1939)
  • 25. PROGRAMA DE EUTANÁSIA NAZI Termo eufemístico utilizado para o programa de assassinato clandestino de pacientes com deficiências físicas ou mentais internados em estabelecimentos na Alemanha e nos territórios anexados. Medida eugenista destinada a restaurar a “integridade” racial da nação alemã. Objectivo: eliminar aquilo a que os eugenistas apelidavam de “vida sem valor” que representava um “encargo genético e financeiro” para a sociedade alemã e o Estado.
  • 26. Inicialmente: Destinada a crianças de idades inferiores a 3 anos. Método: injecções letais ou à fome. Depois: Ampliada a indivíduos até aos 17 anos e depois a adultos. PROGRAMA “T4” (Tiergartenstrasse 4) Criadas 6 INSTALAÇÕES DE GASEAMENTO Pacientes transportados em autocarros especiais ou de comboio dos reformatórios até às estações de gaseamento. Janeiro de 1940-Agosto de 1941 – 70 000 mortos Até ao final da guerra – 200 000 mortos
  • 27.
  • 28. GUETOS (“GHETTO”) Bairros fechados nos quais os alemães concentravam a população judaica e os forçavam a viver em condições miseráveis. Medida provisória de controlo e segregação dos judeus enquanto as autoridades NAZIS deliberavam sobre qual a opção de remoção dos judeus. Administrados pela JUDENRAETE Durante a guerra foram estabelecidos cerca de 1000 guetos na Alemanha, na Polónia e URSS ocupadas.
  • 29. GUETOS Os judeus tinham que usar sinais identificativos (emblema e braçadeira) e executar trabalhos forçados a favor do Reich. Com a implementação da “Solução Final”, os alemães destruiram os guetos, fuzilando os seus residentes e enterrando-os em valas comuns nas imediações ou deportando-os para campos de extermínio. Foram passo central no processo NAZI de controlo, desumanização e assassínio em massa dos judeus.
  • 30.
  • 32. “EINSATZGRUPPEN” COMPOSIÇÃO: membros das “SS” e polícia alemãs. TAREFAS: execução dos inimigos raciais e políticos, encontrados atrás das linhas de combate alemãs na parte ocupada da URSS. ALVOS: judeus, ciganos, e funcionários do estado soviético e do Partido Comunista da URSS.  Junho de 1941: a seguir à invasão da URSS, seguem o exército alemão (de quem obtem apoio logístico), levando a cabo execuções em massa. Ao contrário do que sucederá posteriormente com os “campos de extermínio”, as “Einsatzgruppen” vão directamente às comunidades judaicas executar os massacres.
  • 33. Por onde quer que passem, fuzilam homens, mulheres e crianças, sem atender à idade ou a sexo, enterrando-os em valas comuns Os judeus de uma localidade são identificados e conduzidos a um ponto de concentração comum. Depois são obrigados a caminhar ou transportados para o local de execução onde já os esperam valas abertas. Em muitas situações, as vítimas são obrigadas a abrir as valas onde serão eles próprios sepultados.
  • 34. As vitimas são obrigadas a despir-se e a ficar a pé junto à vala comum ou deitadas na vala de cabeça para baixo, sendo depois fuziladas. O fuzilamento era o método mais comum utilizado pelas “Einsatzgruppen”. Final do Verão de 1941, Heinrich Himmler, solicita um método de exterminação mais eficiente. “CARRINHA DE GASEAMENTO”: Câmara de gás móvel, instalada sobre o chassi de uma carrinha, que utiliza o monóxido de carbono da exaustão do motor para matar as vítimas.
  • 35. O massacre de BABI YAR – Kiev (Ucrânia) (29-30 de Setembro de 1941) Em 28 de Setembro de 1941, as tropas das “SS” fixaram um aviso nos postes e muros de Kiev que dizia: “Ordena-se a todos os judeus residentes em Kiev e suas vizinhanças que compareçam na esquina das ruas Melnyk e Dokterivsky, às 8 horas da manhã de segunda feira, 29 de Setembro de 1941, transportando documentos, dinheiro, roupas interiores, etc.. Aqueles que não comparecerem serão fuzilados. Aqueles qe entrarem nas casas evacuadas por judeus e roubarem pertences destas casas serão fuzilados” 33 771 judeus foram fuzilados em apenas dois dias.
  • 37. 1939-1942 – Expansão no sistema de CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO. São estabelecidos novos campos de concentração nas vizinhanças das fábricas ou de sítios de extracção de matérias primas (por exemplo, a pedreira de Mauthausen) para aproveitar a mão-de-obra. Há medida que as tropas NAZIS vão conquistando territórios, vão sendo criados novos campos de concentração já não apenas na Alemanha mas nos territórios conquistados, particularmente na Polónia. Ex. Gusen (1939), Neuengamme (1940), Gross-Rosen (1949), Auschwitz (1940), Natzweiler (1940), Stutthof (1942) e Madjanek (Fevereiro de 1943).
  • 38. Após o início da guerra os campos de concentração tornam-se locais de assassinio em massa para pequenos grupos-alvo entendidos como racial ou politicamente perigosos pelas autoridades NAZIS. São construídas CÂMARAS DE GÁS para assassinar pessoas. Entre 1939-1942 são construídas CÂMARAS DE GÁS em Mauthausen, Sachsenhausen, Auschwitz I e outros campos.
  • 39. CONFERÊNCIA DE WANNSEE (20 de Janeiro de 1942) A SOLUÇÃO FINAL
  • 40. CAMPOS DE EXTERMÍNIO Ao contrário dos CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO (campos de detenção e centros de trabalho), os CAMPOS DE EXTERMÍNIO são verdadeiras “fábricas de morte”: visam tornar eficiente o assassínio em massa. Neles serão assassinados 2 700 000 judeus (gaseamento ou fuzilamento).
  • 43.
  • 44.
  • 46.
  • 47.
  • 48.
  • 52. A caminho da câmara de gás
  • 53. AS CÂMARAS DE GÁS E OS CREMATÓRIOS
  • 54.
  • 55.
  • 56.
  • 57.
  • 58.
  • 59.
  • 60.
  • 61.
  • 62.
  • 63. Os que não iam directamente para a camara de gás….
  • 66.
  • 68.
  • 70.
  • 71. AUSCHWITZ (Estatística) 4 CÂMARAS DE GÁS em funcionamento (apartir da Primavera de 1943) 6.000 judeus gaseados/dia ETNIA/NACIONALIDADE NÚMERO JUDEUS 1.000.000 POLACOS 70.000 - 75.000 CIGANOS 21.000 POW SOVIÉTICOS 15.000 OUTROS 10.000 – 15.000 TOTAL 1,1 MILHÕES
  • 72. FINAL DA GUERRA 8 de Maio de 1945 JULGAMENTOS DE NUREMBERGA (18 de Outubro 1945/1 de Outubro 1946)
  • 74. Miguel Salgueiro Meira Maio de 2012