SlideShare uma empresa Scribd logo
TRINDADE E ANTITRINITARIANISMO  NA HISTORIA ADVENTISTA Por: Jerry Moon
José Bates escreveu em 1827 – na sua conversão à  Igreja Conexão Cristã: “ Com respeito à Trindade, concluí que me  era impossível crer que o Senhor Jesus  Cristo, o filho do Pai, era também o Deus  Todo-Poderoso, o Pai, um e o mesmo ser” (p. 216 ) 1869 – “Existia uma multidão de pontos de  vista sobre a Trindade” ( p. 216 ). Introdução
A história da doutrina da Divindade no  contexto da IASD em cinco períodos: 1. 1846-1888: O período antitrinitariano 2. 1888-1898: A insatisfação com o antitrinitarianismo 3. 1898-1915: A mudança de paradigmas 4. 1915-1946: O declínio do antitrinitarianismo 5. 1946 até o presente: O predomínio do trinitarianismo Introdução – cont.
1. O Predomínio Antitrinitariano: 1846-1888 A maioria dos adventistas rejeita o conceito da Trindade. Seis razões para esta rejeição : A. Não viam evidência bíblica para três pessoas em uma  Divindade. B. A concepção errônea de que a Trindade tornam o Pai e o  Filho idênticos (a mesma pessoa). C. A concepção errônea de que ela ensina a existência de  três deuses. D. A crença na Trindade iria diminuir o valor da expiação.
1. O Predomínio Antitrinitariano: 1846-1888 – cont. Seis razões para a rejeição da Trindade  – cont.: E. Jesus deveria ter uma origem mais recente que a de  Deus o Pai (Apoc. 3.14) F. Algumas expressões bíblicas indicavam que o  Espírito Santo não poderia ser considerado  propriamente uma pessoa. * Rom. 5:5  “ser derramado no coração” * Joel 2:28  “derramado sobre toda a carne”.
2.   Insatisfação com o Antitrinitarianismo 1888   -1898
1888 – Sessão da Conferência Geral   Foco – “Cristo, nossa justiça” A exaltação da cruz provocava um questionamento: será que a natureza e o caráter de Cristo estão bem representados por uma Divindade subordinada e derivada?   2. Insatisfação com o Antitrinitarianismo:1888-1898
E. J. Waggoner, apesar de ainda não ser  plenamente trinitariano, fez algumas declarações que com certeza impulsionaram o trinitarianismo :   Cristo não havia sido criado, “Ele possui imortalidade  inerente a Si mesmo” ( p. 221 ). Havia “uma divina unidade do Pai e do Filho” (p. 221).  Cristo é “por natureza da mesma substância de Deus, possuindo vida em Si mesmo, e assim adequadamente e chamado de Jeová, o que existe por Si mesmo - João 10:17; Jer. 23:6 (p. 221). Cristo “é igual a Deus (Fil. 2:6), tendo todos os atributos de Deus” (p. 221). 2. Insatisfação com o Antitrinitarianismo:1888-1898 – cont.
“ O fato de que Cristo é parte da Divindade, possuindo todos os atributos da Divindade, sendo igual ao Pai em todos os aspectos, como Criador e Legislador, é a única força presente na expiação. ... Cristo morreu ‘para poder trazer-nos a Deus’ (I Pedro 3:18 ); mas se Lhe faltasse um jota para ser igual a Deus, não poderia levar-nos ao Pai” (p. 222). Cristo é igual ao Pai também em termos de preexistência.
Em 1890 D. T. Bordeau, um respeitado evangelista e missionário, diante o contexto histórico provido pela dinâmica da justificação pela fé e suas consequências fez o seguinte comentário provocativo:   “ embora afirmemos ser crentes e adoradores de um único Deus, tenho chegado a pensar que entre nós existem tantos deuses quantas são as concepções da Divindade” (p. 222). Este comentário parece indicar-nos que a confiança coletiva no paradigma antitrinitariano começava a mostrar algumas rachaduras .
Em 1892 a Pacific Press publicou um panfleto intitulado “A Doutrina Bíblica da Trindade”, escrito por Samuel Spear. O panfleto corrigiu dois falsos conceitos prevalecentes da doutrina da trindade mostrando que: “não se trata de tritreísmo, ou a doutrina de três deuses, antes é a doutrina de um Deus subsistindo e agindo em três pessoas, com a qualificação de que o termo ‘pessoa’... não deve, quando usado nesta relação, ser entendido em qualquer sentido que o torne incoerente com a unidade da Divindade” (p. 222).
A Obra de Uriah Smith, “Contemplando a Jesus” era a mais abrangente e cuidadosa exposição do ponto de vista não-trinitariano entre os adventistas. Ele sustentou que: “ Deus (o Pai) unicamente era sem princípio” (p. 222). “ Num período tão remoto que para as mentes finitas ele representa essencialmente a eternidade, apareceu o verbo” (p. 223). “ Através de algum impulso ou processo divino, que não a criação” (p. 223), o Pai havia trazido Cristo a existência.
Num de seus parágrafos Smith se aproxima surpreendentemente de uma declaração trinitariana:  “ A união entre o Pai e o Filho não diminui a nenhum d’Eles, antes fortalece a ambos. Através da conexão com o Espírito Santo, temos a Divindade toda” (p. 223).
Mas esse lento debater-se rumo a uma compreensão mais completa a respeito da trindade foi eclipsado pela enfática declaração de  O Desejado de Todas as   Nações , publicado neste mesmo ano, 1898.
3. Mudança de Paradigma: 1898-1915 1898-1915: Reversão quase completa “ Antigos líderes que tendiam ao velho ponto de  vista  permaneceram com influência por muitos  anos ”  (Burt).  1898: Publicação do DTN (E. G. White) Principal marco para a compreensão Adventista  da  Trindade.  “ Ela discordou fortemente da maioria dos líderes    pioneiros em relação à preexistência de Cristo”      (p. 223).
“ Desde os dias da eternidade o Senhor Jesus Cristo era um com o Pai; era a imagem de Deus, a imagem de Sua grandeza e majestade, o resplendor de Sua glória.  Foi para manifestar essa glória que Ele veio ao mundo.”  (DTN, p. 19)
“ Em Cristo há vida original,  não emprestada,  não  derivada”  (DTN, p. 530) Ellen White, comentando a Sua ressurreição, mais uma vez assevera Sua plena  divindade e igualdade com o Pai, declarando: “ O Salvador saiu do sepulcro  pela vida que havia  em Si mesmo” (DTN, p. 785 ).
Isso era uma clara refutação dos pontos de vista semi-arianos dos primeiros adventistas e da ortodoxia tradicional, que sustentavam que “ Cristo derivara do Pai, sendo, portanto, subordinado ao Pai em Sua própria essência ” . (p. 224) “ O Espírito deveria ser concedido como um agente regenerador, e sem isso o sacrifício de Cristo haveria sido sem valor. ...O pecado somente poderia ser resistido e vencido através da poderosa agência da  terceira pessoa da Divindade , que viria não com energia modificada, mas na plenitude do divino poder ”.  ( DTN, 671 )
Testemunho de Ellen White sobre textos bíblicos  que dão  apoio à visão trinitariana  João 10:30; Col. 2:9 e Heb. 1:3 (Evangelismo pp. 613 e 614) Repetidamente seremos chamados a enfrentar a influência de homens que estão estudando ciências de origem satânica, por meio das quais Satanás está operando a fim de fazer parecer que Deus e Cristo não são entidades. O Pai e o Filho têm ambos personalidade. Cristo declarou: "Eu e o Pai somos um."    João 10:30.  Evangelismo, pág. 613. O Pai é toda a plenitude da Divindade corporalmente, e invisível aos olhos mortais. O Filho é toda a plenitude da Divindade manifestada.   Evangelismo, pág. 614.
Mat. 28:19,20; Prov. 8:30 e João 1:1 (p. 615) O Consolador que Cristo prometeu enviar depois de ascender ao Céu, é o Espírito em toda a plenitude da Divindade, tornando manifesto o poder da graça divina a todos quantos recebem e crêem em Cristo como um Salvador pessoal. Há três pessoas vivas pertencentes à trindade celeste; em nome destes três grandes poderes - o Pai, o Filho e o Espírito Santo - os que recebem a Cristo por fé viva são batizados, e esses poderes cooperarão com os súditos obedientes do Céu em seus esforços para viver a nova vida em Cristo. (...) Cristo é o Filho de Deus, preexistente, existente por Si mesmo. ... Falando de Sua preexistência, Cristo conduz a mente através de séculos incontáveis. Afirma-nos que nunca houve tempo em que Ele não estivesse em íntima comunhão com o eterno Deus. Aquele cuja voz os judeus estavam então ouvindo estivera com Deus como Alguém que vivera sempre com Ele. Ele era igual a Deus, infinito e onipotente. ... É o Filho eterno, existente por Si mesmo.   Evangelismo, pág. 615.
João 8:57,58; 11:25; 16:8; Rom. 8:16 e 1 Cor. 2:11,12 (pp. 616 e 617) Ao passo que a Palavra de Deus fala da humanidade de Cristo quando na Terra, fala também positivamente de Sua preexistência. A Palavra existia como um ser divino, mesmo como o Eterno Filho de Deus, em união e unidade com Seu Pai. Desde a eternidade fora o Mediador do concerto, Aquele em quem todas as nações da Terra, tanto judeus como gentios, caso O aceitassem, seriam abençoados. "O Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus." João 1:1. Antes que os homens ou os anjos fossem criados, o Verbo estava com   Deus e era Deus   .   Evangelismo, págs. 615-616.
Precisamos reconhecer que o Espírito Santo, que é tanto uma pessoa como o próprio Deus, está andando por esses terrenos. O Espírito Santo é uma pessoa, pois dá testemunho com o nosso espírito de que somos filhos de Deus. Uma vez dado esse testemunho, traz consigo mesmo sua própria evidência. Em tais ocasiões acreditamos e estamos certos de que somos filhos de Deus.  Evangelismo, pág. 616.
O Espírito Santo tem personalidade, do contrário não poderia testificar ao nosso espírito e com nosso espírito que somos filhos de Deus. Deve ser também uma pessoa divina, do contrário não poderia perscrutar os segredos que jazem ocultos na mente de Deus. "Por que qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus." I Cor. 2:11.  (...)  O príncipe da potestade do mal só pode ser mantido em sujeição pelo poder de Deus na terceira pessoa da Trindade, o Espírito Santo.  Evangelismo, págs. 616-617.  
  Cumpre-nos cooperar com os três poderes mais altos no Céu - o Pai, o Filho e o Espírito Santo - e esses poderes atuarão por nosso intermédio, fazendo-nos coobreiros de Deus.   Evangelismo, pág. 617.
João 14:16-18 e 26; 16:8, 12-14  (O Desejado de Todas as Nações, pp.669-671)  Antes disto o Espírito havia estado no mundo; desde o próprio início da obra de redenção Ele estivera atuando no coração dos homens. Mas enquanto Cristo estava na Terra, os discípulos não tinham desejado nenhum outro auxiliador. Não seria senão depois que fossem privados de Sua presença, que experimentariam a necessidade do Espírito, e então Ele havia de vir. O Espírito Santo é o representante de Cristo, mas despojado da personalidade humana, e dela independente. Limitado pela humanidade, Cristo não poderia estar em toda parte em pessoa. Era, portanto, do interesse deles que fosse para o Pai, e enviasse o Espírito como Seu sucessor na Terra. Ninguém poderia ter então vantagem devido a sua situação ou seu contato pessoal com Cristo. Pelo Espírito, o Salvador seria acessível a todos. Nesse sentido, estaria mais perto deles do que se não subisse ao alto.   O Desejado de Todas as Nações, pág. 669.
O poder do mal se estivera fortalecendo por séculos, e alarmante era a submissão dos homens a esse cativeiro satânico.  Ao pecado só se poderia resistir e vencer por meio da poderosa operação da terceira pessoa da Trindade, a qual viria, não com energia modificada, mas na plenitude do divino poder.  É o Espírito que torna eficaz o que foi realizado pelo Redentor do mundo. É por meio do Espírito que o coração é purificado. Por Ele torna-se o crente participante da natureza divina. Cristo deu Seu Espírito como um poder divino para vencer toda tendência hereditária e cultivada para o mal, e gravar Seu próprio caráter em Sua igreja.  O Desejado de Todas as Nações, pág. 671.
1902 – 1907: Crise Kellogg E. G. White  – Repetidamente usou expressões como: “ As três pessoas viventes do trio celestial”.  Mantendo a unidade essencial da Divindade. Afirmando ainda “a pluralidade e a unicidade como os elementos fundamentais de uma compreensão simples e bíblica da Trindade” (p.226).
1913 – Review and Herald   * F. M. Wilcox –  Publica o Resumo das Crenças  Adventistas, sendo uma evidência do reconhecimento do  DTN e removendo supostas objeções bíblicas à doutrina da  Trindade: “ Na divina Trindade. Essa Trindade consiste do eterno Pai,  ...do Senhor Jesus Cristo, ... [e] do Espírito Santo, a terceira  pessoa da Divindade”. ( p. 226 ) “ Os eternos dignitários celestes – Deus, Cristo e o Espírito  Santo, - munindo-os [aos discípulos] de energia  sobre-humana, ... avançariam com eles para a obra e  convenceriam o mundo do pecado. (  Manuscrito  145, 1901  Evangelismo, p. 616 ).
4. Declínio do Antitrinitarianismo: 1915 - 1946 Intenso debate nas primeiras décadas do séc. XX *  Conferência bíblica de 1919 “ A eternidade de Cristo e Sua relação com o Pai  constituíam o maior e não resolvido assunto em debate”  (p. 226). *  W.W. Prescot:  “A existência de Cristo era de alguma forma derivada do Pai” (p. 226). Ellen White, em DTN: a vida de Cristo era  não derivada. “ No mínimo, a liderança buscava uma compreensão bíblica e  não estavam satisfeitos em simplesmente aceitar o  pronunciamento de White sem o conferirem nas Escrituras” (p. 226)
1930: Pedido da Divisão Africana “ Uma declaração daquilo que os adventistas crêem, que  pudesse ajudar os oficiais do governo e outros a  compreenderem melhor o nosso trabalho” (p. 227). A Comissão da Associação Geral indica uma subcomissão: * M.E. Kern – Secretário associado da AG * F. M. Wilcox – Editor da Review (Fez o esboço) * E. R. Palmer – Administrador da Review and Herald * C. H. Watson – Presidente da AG 1931: declaração com 22 pontos é publicada no Yearbook. “ O segundo ponto falava da Trindade e o terceiro  afirmava que Cristo é verdadeiramente Deus” (p. 227).
“ Os autores do documento não buscaram apoio formal ou  oficial para o mesmo” (p. 227). 1946: A declaração é tornada oficial na Assembléia da  Associação Geral. É decidido que: “ Nenhuma revisão desta Declaração de Crenças  Fundamentais, conforme agora aparece no Manual da  Igreja, deve ser feita em tempo algum, exceto numa  sessão da Associação Geral” (Fifthen Meeting,  Review  and Herald, 14 de junho de 1946, p. 197) “ Isso marcou o endosso oficial ao ponto de vista  trinitariano pela igreja” (p. 227).
LeRoy E. Froom ,  de 1950 até 1971 foi o mais conhecido campeão do trinitarianismo entre os adventistas do sétimo dia. Seu livro “A Vinda do Consolador” era sem precedentes na IASD, com exceção de algumas citações de E. White.  Na obra ele apresenta sistematicamente a personalidade  do Espírito Santo e  a natureza trinitária da Divindade.
* Seu papel foi marcante na obra  “Questions on Doctrine”   (1957). Embora tenha recebido críticas sobre outros  assuntos (cristologia e expiação), não foi atacado sobre a  Trindade celestial. Talvez porque seu principal oponente  fosse um trinitariano – M. L. Andreasen. * Sua palavra final sobre o assunto foi publicada em  1971, em sua obra  “Movement of Destiny”,  onde  documenta o crescimento da teologia “Adventista” rumo  a um consenso sobre essa doutrina bíblica.
Associação Geral * O clímax desta fase de desenvolvimento doutrinário foi  uma nova declaração da IASD na Assembléia da  Associação Geral de 1980 em Dallas, onde foi afirmada a Doutrina da Trindade de modo mais conciso, embora em termos parecidos com a declaração de 1931. Raoul Dederen Escreveu um notável artigo em1972, usando ambos os  Testamentos, baseando-se unicamente na Bíblia e  deixando de lado o pensamento especulativo das pressuposições filosóficas gregas.
Fernando Canale * Em 1983, em sua dissertação “A Criticism of  Theological Reason” afirmou que a teologia católica e  protestante a respeito da natureza de Deus era  fundamentada com base na filosofia aristotélica. Uma  teologia tem que se fundamentar na Bíblia. * Defende que os adventistas, por terem se afastado das  concepções filosóficas a respeito de Deus e abraçado a  concepção histórica como a Bíblia apresenta,  conseguiram desenvolver uma visão bíblica a respeito da  Trindade.
Conclusão Embora muitos pioneiros tenham rejeitado a doutrina da Trindade, Deus conduziu Seu povo a buscarem a verdade unicamente nas Escrituras até se convencerem de que o conceito de um Deus em três pessoas, de fato está na Bíblia. Bibliografia: Whidden, Woodrow; Moon, Jerry e Reeve Jonh W.  A Trindade.  Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2003.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

IASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITE
IASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITEIASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITE
IASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITE
ASD Remanescentes
 
Ellen White alerta sobre Mudanças nas Crenças da Igreja Adventista
Ellen White alerta sobre Mudanças nas Crenças da Igreja AdventistaEllen White alerta sobre Mudanças nas Crenças da Igreja Adventista
Ellen White alerta sobre Mudanças nas Crenças da Igreja Adventista
ASD Remanescentes
 
Do Deus unico para o deus triuno
Do Deus unico para o deus triunoDo Deus unico para o deus triuno
Do Deus unico para o deus triuno
ASD Remanescentes
 
Quem é o espírito santo
Quem é o espírito santoQuem é o espírito santo
Quem é o espírito santo
Cristian Gonçalves
 
Nenhuma nova organização
Nenhuma  nova organizaçãoNenhuma  nova organização
Nenhuma nova organização
ASD Remanescentes
 
Citações chocantes de Ellen White sobre a IASD
Citações chocantes de Ellen White sobre a IASDCitações chocantes de Ellen White sobre a IASD
Citações chocantes de Ellen White sobre a IASD
ASD Remanescentes
 
Estudo sobre a Trindade na Bíblia
Estudo sobre a Trindade na BíbliaEstudo sobre a Trindade na Bíblia
Estudo sobre a Trindade na Bíblia
Fernando Xavier China
 
Ellen white e o texto de mateus 28:19
Ellen white e o texto de mateus 28:19Ellen white e o texto de mateus 28:19
Ellen white e o texto de mateus 28:19
ASD Remanescentes
 
Mateus 28 falso ou verdadeiro
Mateus 28 falso ou verdadeiroMateus 28 falso ou verdadeiro
Mateus 28 falso ou verdadeiro
Eduardo Sousa Gomes
 
Dois povos adventistas
Dois povos adventistasDois povos adventistas
Dois povos adventistas
Eduardo Sousa Gomes
 
A Nova Teologia Adventista e a Mensagem do Anticristo.
A  Nova Teologia Adventista e a Mensagem do Anticristo.A  Nova Teologia Adventista e a Mensagem do Anticristo.
A Nova Teologia Adventista e a Mensagem do Anticristo.
ASD Remanescentes
 
Confirmações de EGW. O Espírito Santo é o Espírito de Jesus
Confirmações de EGW. O Espírito Santo é o Espírito de JesusConfirmações de EGW. O Espírito Santo é o Espírito de Jesus
Confirmações de EGW. O Espírito Santo é o Espírito de Jesus
Fernando Xavier China
 
Egw confirma es
Egw confirma esEgw confirma es
Egw confirma es
Jose Moraes
 
A IASD não é Babilônia, nem Filha dela. é Irmã!
A IASD não é Babilônia, nem Filha dela. é Irmã!A IASD não é Babilônia, nem Filha dela. é Irmã!
A IASD não é Babilônia, nem Filha dela. é Irmã!
ASD Remanescentes
 
Jesus o Filho Literal de Deus antes da Eternidade
Jesus o Filho Literal de Deus antes da EternidadeJesus o Filho Literal de Deus antes da Eternidade
Jesus o Filho Literal de Deus antes da Eternidade
ASD Remanescentes
 
IASD irmã de Babilônia nas Profecias.
IASD irmã de Babilônia nas Profecias.IASD irmã de Babilônia nas Profecias.
IASD irmã de Babilônia nas Profecias.
ASD Remanescentes
 
A Ordem e a Forma do Batismo Segundo Ellen White e a Bíblia.
A Ordem e a Forma do Batismo Segundo Ellen White e a Bíblia.A Ordem e a Forma do Batismo Segundo Ellen White e a Bíblia.
A Ordem e a Forma do Batismo Segundo Ellen White e a Bíblia.
ASD Remanescentes
 
Papa Bento XVI e João Paulo II diz que Mateus 28:19 é invenção de Roma
Papa Bento XVI e João Paulo II diz que Mateus 28:19 é invenção de RomaPapa Bento XVI e João Paulo II diz que Mateus 28:19 é invenção de Roma
Papa Bento XVI e João Paulo II diz que Mateus 28:19 é invenção de Roma
ASD Remanescentes
 
Previsões de Ellen White sobre a IASD e o Ecumenismo
Previsões de Ellen White sobre a IASD e o EcumenismoPrevisões de Ellen White sobre a IASD e o Ecumenismo
Previsões de Ellen White sobre a IASD e o Ecumenismo
ASD Remanescentes
 
A TRINDADE
A TRINDADEA TRINDADE
A TRINDADE
ASD Remanescentes
 

Mais procurados (20)

IASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITE
IASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITEIASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITE
IASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITE
 
Ellen White alerta sobre Mudanças nas Crenças da Igreja Adventista
Ellen White alerta sobre Mudanças nas Crenças da Igreja AdventistaEllen White alerta sobre Mudanças nas Crenças da Igreja Adventista
Ellen White alerta sobre Mudanças nas Crenças da Igreja Adventista
 
Do Deus unico para o deus triuno
Do Deus unico para o deus triunoDo Deus unico para o deus triuno
Do Deus unico para o deus triuno
 
Quem é o espírito santo
Quem é o espírito santoQuem é o espírito santo
Quem é o espírito santo
 
Nenhuma nova organização
Nenhuma  nova organizaçãoNenhuma  nova organização
Nenhuma nova organização
 
Citações chocantes de Ellen White sobre a IASD
Citações chocantes de Ellen White sobre a IASDCitações chocantes de Ellen White sobre a IASD
Citações chocantes de Ellen White sobre a IASD
 
Estudo sobre a Trindade na Bíblia
Estudo sobre a Trindade na BíbliaEstudo sobre a Trindade na Bíblia
Estudo sobre a Trindade na Bíblia
 
Ellen white e o texto de mateus 28:19
Ellen white e o texto de mateus 28:19Ellen white e o texto de mateus 28:19
Ellen white e o texto de mateus 28:19
 
Mateus 28 falso ou verdadeiro
Mateus 28 falso ou verdadeiroMateus 28 falso ou verdadeiro
Mateus 28 falso ou verdadeiro
 
Dois povos adventistas
Dois povos adventistasDois povos adventistas
Dois povos adventistas
 
A Nova Teologia Adventista e a Mensagem do Anticristo.
A  Nova Teologia Adventista e a Mensagem do Anticristo.A  Nova Teologia Adventista e a Mensagem do Anticristo.
A Nova Teologia Adventista e a Mensagem do Anticristo.
 
Confirmações de EGW. O Espírito Santo é o Espírito de Jesus
Confirmações de EGW. O Espírito Santo é o Espírito de JesusConfirmações de EGW. O Espírito Santo é o Espírito de Jesus
Confirmações de EGW. O Espírito Santo é o Espírito de Jesus
 
Egw confirma es
Egw confirma esEgw confirma es
Egw confirma es
 
A IASD não é Babilônia, nem Filha dela. é Irmã!
A IASD não é Babilônia, nem Filha dela. é Irmã!A IASD não é Babilônia, nem Filha dela. é Irmã!
A IASD não é Babilônia, nem Filha dela. é Irmã!
 
Jesus o Filho Literal de Deus antes da Eternidade
Jesus o Filho Literal de Deus antes da EternidadeJesus o Filho Literal de Deus antes da Eternidade
Jesus o Filho Literal de Deus antes da Eternidade
 
IASD irmã de Babilônia nas Profecias.
IASD irmã de Babilônia nas Profecias.IASD irmã de Babilônia nas Profecias.
IASD irmã de Babilônia nas Profecias.
 
A Ordem e a Forma do Batismo Segundo Ellen White e a Bíblia.
A Ordem e a Forma do Batismo Segundo Ellen White e a Bíblia.A Ordem e a Forma do Batismo Segundo Ellen White e a Bíblia.
A Ordem e a Forma do Batismo Segundo Ellen White e a Bíblia.
 
Papa Bento XVI e João Paulo II diz que Mateus 28:19 é invenção de Roma
Papa Bento XVI e João Paulo II diz que Mateus 28:19 é invenção de RomaPapa Bento XVI e João Paulo II diz que Mateus 28:19 é invenção de Roma
Papa Bento XVI e João Paulo II diz que Mateus 28:19 é invenção de Roma
 
Previsões de Ellen White sobre a IASD e o Ecumenismo
Previsões de Ellen White sobre a IASD e o EcumenismoPrevisões de Ellen White sobre a IASD e o Ecumenismo
Previsões de Ellen White sobre a IASD e o Ecumenismo
 
A TRINDADE
A TRINDADEA TRINDADE
A TRINDADE
 

Destaque

A FAMILIA WHITE ACREDITAVA NA TRINDADE?
A FAMILIA WHITE ACREDITAVA NA TRINDADE?A FAMILIA WHITE ACREDITAVA NA TRINDADE?
A FAMILIA WHITE ACREDITAVA NA TRINDADE?
ASD Remanescentes
 
Mateus 28:19 em Hebraico e não em Grego - Estudo Completo
Mateus  28:19 em Hebraico e não em Grego  - Estudo CompletoMateus  28:19 em Hebraico e não em Grego  - Estudo Completo
Mateus 28:19 em Hebraico e não em Grego - Estudo Completo
ASD Remanescentes
 
TEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIA
TEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIATEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIA
TEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIA
ASD Remanescentes
 
Papa diz que mat 28.19 é invenção de roma
Papa diz que mat 28.19 é invenção de romaPapa diz que mat 28.19 é invenção de roma
Papa diz que mat 28.19 é invenção de roma
ASD Remanescentes
 
70 razões porque não cremos na doutrina da trindade
70 razões porque não cremos na doutrina da trindade70 razões porque não cremos na doutrina da trindade
70 razões porque não cremos na doutrina da trindade
ASD Remanescentes
 
Citações de ellen g. white que o seu pastor não faz a menor questão que você ...
Citações de ellen g. white que o seu pastor não faz a menor questão que você ...Citações de ellen g. white que o seu pastor não faz a menor questão que você ...
Citações de ellen g. white que o seu pastor não faz a menor questão que você ...
ASD Remanescentes
 
PERGUNTAS DE UM CATÓLICO QUE DEIXA QUALQUER ADVENTISTAS EMBARAÇADO.
PERGUNTAS DE UM CATÓLICO QUE DEIXA QUALQUER ADVENTISTAS EMBARAÇADO. PERGUNTAS DE UM CATÓLICO QUE DEIXA QUALQUER ADVENTISTAS EMBARAÇADO.
PERGUNTAS DE UM CATÓLICO QUE DEIXA QUALQUER ADVENTISTAS EMBARAÇADO.
ASD Remanescentes
 
Textos adulterados da biblia
Textos adulterados da bibliaTextos adulterados da biblia
Textos adulterados da biblia
ASD Remanescentes
 
UIV - O Mistério Da Trindade - 2009
UIV - O Mistério Da Trindade - 2009UIV - O Mistério Da Trindade - 2009
UIV - O Mistério Da Trindade - 2009
Ramón Zazatt
 
Gramática crase
Gramática craseGramática crase
Gramática crase
Walter Mendes
 
A trindade e toda sua origem
A trindade e toda sua origemA trindade e toda sua origem
A trindade e toda sua origem
ASD Remanescentes
 
Crença na Trindade é uma das causas do incendio na Review and Herald
Crença na Trindade é uma das causas do incendio na Review and HeraldCrença na Trindade é uma das causas do incendio na Review and Herald
Crença na Trindade é uma das causas do incendio na Review and Herald
ASD Remanescentes
 
Etimologia do nome de jesus
Etimologia do nome de jesusEtimologia do nome de jesus
Etimologia do nome de jesus
ASD Remanescentes
 
A Doutrina da Trindade 1
A Doutrina da Trindade 1A Doutrina da Trindade 1
A Doutrina da Trindade 1
Rodrigo Eleutério
 
Desmascarando o Dogma da Trindade a Luz da Biblia
Desmascarando o Dogma da Trindade a Luz da BibliaDesmascarando o Dogma da Trindade a Luz da Biblia
Desmascarando o Dogma da Trindade a Luz da Biblia
ASD Remanescentes
 
Jesus criado ou gerado
Jesus criado ou geradoJesus criado ou gerado
Jesus criado ou gerado
ASD Remanescentes
 
Trindade
TrindadeTrindade
Trindade
Rogerio Sena
 
Quanto Ganha um Pastor Adventista?
Quanto Ganha um Pastor Adventista?Quanto Ganha um Pastor Adventista?
Quanto Ganha um Pastor Adventista?
ASD Remanescentes
 
Santíssima Trindade
Santíssima TrindadeSantíssima Trindade
Santíssima Trindade
CatequesedoSagrado
 

Destaque (20)

A FAMILIA WHITE ACREDITAVA NA TRINDADE?
A FAMILIA WHITE ACREDITAVA NA TRINDADE?A FAMILIA WHITE ACREDITAVA NA TRINDADE?
A FAMILIA WHITE ACREDITAVA NA TRINDADE?
 
Mateus 28:19 em Hebraico e não em Grego - Estudo Completo
Mateus  28:19 em Hebraico e não em Grego  - Estudo CompletoMateus  28:19 em Hebraico e não em Grego  - Estudo Completo
Mateus 28:19 em Hebraico e não em Grego - Estudo Completo
 
TEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIA
TEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIATEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIA
TEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIA
 
Papa diz que mat 28.19 é invenção de roma
Papa diz que mat 28.19 é invenção de romaPapa diz que mat 28.19 é invenção de roma
Papa diz que mat 28.19 é invenção de roma
 
70 razões porque não cremos na doutrina da trindade
70 razões porque não cremos na doutrina da trindade70 razões porque não cremos na doutrina da trindade
70 razões porque não cremos na doutrina da trindade
 
Citações de ellen g. white que o seu pastor não faz a menor questão que você ...
Citações de ellen g. white que o seu pastor não faz a menor questão que você ...Citações de ellen g. white que o seu pastor não faz a menor questão que você ...
Citações de ellen g. white que o seu pastor não faz a menor questão que você ...
 
02.A Trindade
02.A Trindade02.A Trindade
02.A Trindade
 
PERGUNTAS DE UM CATÓLICO QUE DEIXA QUALQUER ADVENTISTAS EMBARAÇADO.
PERGUNTAS DE UM CATÓLICO QUE DEIXA QUALQUER ADVENTISTAS EMBARAÇADO. PERGUNTAS DE UM CATÓLICO QUE DEIXA QUALQUER ADVENTISTAS EMBARAÇADO.
PERGUNTAS DE UM CATÓLICO QUE DEIXA QUALQUER ADVENTISTAS EMBARAÇADO.
 
Textos adulterados da biblia
Textos adulterados da bibliaTextos adulterados da biblia
Textos adulterados da biblia
 
UIV - O Mistério Da Trindade - 2009
UIV - O Mistério Da Trindade - 2009UIV - O Mistério Da Trindade - 2009
UIV - O Mistério Da Trindade - 2009
 
Gramática crase
Gramática craseGramática crase
Gramática crase
 
A trindade e toda sua origem
A trindade e toda sua origemA trindade e toda sua origem
A trindade e toda sua origem
 
Crença na Trindade é uma das causas do incendio na Review and Herald
Crença na Trindade é uma das causas do incendio na Review and HeraldCrença na Trindade é uma das causas do incendio na Review and Herald
Crença na Trindade é uma das causas do incendio na Review and Herald
 
Etimologia do nome de jesus
Etimologia do nome de jesusEtimologia do nome de jesus
Etimologia do nome de jesus
 
A Doutrina da Trindade 1
A Doutrina da Trindade 1A Doutrina da Trindade 1
A Doutrina da Trindade 1
 
Desmascarando o Dogma da Trindade a Luz da Biblia
Desmascarando o Dogma da Trindade a Luz da BibliaDesmascarando o Dogma da Trindade a Luz da Biblia
Desmascarando o Dogma da Trindade a Luz da Biblia
 
Jesus criado ou gerado
Jesus criado ou geradoJesus criado ou gerado
Jesus criado ou gerado
 
Trindade
TrindadeTrindade
Trindade
 
Quanto Ganha um Pastor Adventista?
Quanto Ganha um Pastor Adventista?Quanto Ganha um Pastor Adventista?
Quanto Ganha um Pastor Adventista?
 
Santíssima Trindade
Santíssima TrindadeSantíssima Trindade
Santíssima Trindade
 

Semelhante a História da Trindade na Igreja Adventista do Sétimo Dia

A Trindade na IASD
A Trindade na IASDA Trindade na IASD
A Trindade na IASD
José Silva
 
A Trindade
A TrindadeA Trindade
A Trindade
Wesley Arruda
 
Em que acreditavam_pioneiros
Em que acreditavam_pioneirosEm que acreditavam_pioneiros
Em que acreditavam_pioneiros
Jose Moraes
 
A trindade
A trindadeA trindade
A trindade
Jose Moraes
 
Doutrinas biblicas
Doutrinas biblicasDoutrinas biblicas
Doutrinas biblicas
Lemuell Canario
 
Trindade Deus Jesus E. santo
Trindade Deus Jesus E. santoTrindade Deus Jesus E. santo
Trindade Deus Jesus E. santo
jb1955
 
Oi flávia
Oi fláviaOi flávia
Oi flávia
Jose Moraes
 
Lição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoasLição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoas
Éder Tomé
 
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoasLição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Daniel Felipe Kroth
 
A santissima trindade
A santissima trindadeA santissima trindade
A santissima trindade
Pr Neto
 
A santissima trindade um so deus em tres pessoas
A santissima trindade um so deus em tres pessoasA santissima trindade um so deus em tres pessoas
A santissima trindade um so deus em tres pessoas
Hamilton Souza
 
A doutrina da trindade
A doutrina da trindadeA doutrina da trindade
A doutrina da trindade
Marcianno Teofilo
 
A doutrina da trindade
A doutrina da trindadeA doutrina da trindade
A doutrina da trindade
Marcianno Teofilo
 
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
Márcio Martins
 
Em que acreditavam os Pioneiros?
Em que acreditavam os Pioneiros?Em que acreditavam os Pioneiros?
Em que acreditavam os Pioneiros?
Luciano Armando
 
Igreja Adventista e os Pioneiros Adventistas
Igreja Adventista e os Pioneiros AdventistasIgreja Adventista e os Pioneiros Adventistas
Igreja Adventista e os Pioneiros Adventistas
ASD Remanescentes
 
EM QUE ACREDITAVAM OS PIONEIROS
EM QUE ACREDITAVAM OS PIONEIROSEM QUE ACREDITAVAM OS PIONEIROS
EM QUE ACREDITAVAM OS PIONEIROS
ASD Remanescentes
 
Como descobrir adulteracoes_nas_traducoes_de_egw
Como descobrir adulteracoes_nas_traducoes_de_egwComo descobrir adulteracoes_nas_traducoes_de_egw
Como descobrir adulteracoes_nas_traducoes_de_egw
Jose Moraes
 
A trindade
A trindadeA trindade
A trindade
Igor Queiroz
 
A Fé dos Adventistas Pioneiros
A Fé dos Adventistas PioneirosA Fé dos Adventistas Pioneiros
A Fé dos Adventistas Pioneiros
Osvair Munhoz
 

Semelhante a História da Trindade na Igreja Adventista do Sétimo Dia (20)

A Trindade na IASD
A Trindade na IASDA Trindade na IASD
A Trindade na IASD
 
A Trindade
A TrindadeA Trindade
A Trindade
 
Em que acreditavam_pioneiros
Em que acreditavam_pioneirosEm que acreditavam_pioneiros
Em que acreditavam_pioneiros
 
A trindade
A trindadeA trindade
A trindade
 
Doutrinas biblicas
Doutrinas biblicasDoutrinas biblicas
Doutrinas biblicas
 
Trindade Deus Jesus E. santo
Trindade Deus Jesus E. santoTrindade Deus Jesus E. santo
Trindade Deus Jesus E. santo
 
Oi flávia
Oi fláviaOi flávia
Oi flávia
 
Lição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoasLição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoas
 
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoasLição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
 
A santissima trindade
A santissima trindadeA santissima trindade
A santissima trindade
 
A santissima trindade um so deus em tres pessoas
A santissima trindade um so deus em tres pessoasA santissima trindade um so deus em tres pessoas
A santissima trindade um so deus em tres pessoas
 
A doutrina da trindade
A doutrina da trindadeA doutrina da trindade
A doutrina da trindade
 
A doutrina da trindade
A doutrina da trindadeA doutrina da trindade
A doutrina da trindade
 
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
 
Em que acreditavam os Pioneiros?
Em que acreditavam os Pioneiros?Em que acreditavam os Pioneiros?
Em que acreditavam os Pioneiros?
 
Igreja Adventista e os Pioneiros Adventistas
Igreja Adventista e os Pioneiros AdventistasIgreja Adventista e os Pioneiros Adventistas
Igreja Adventista e os Pioneiros Adventistas
 
EM QUE ACREDITAVAM OS PIONEIROS
EM QUE ACREDITAVAM OS PIONEIROSEM QUE ACREDITAVAM OS PIONEIROS
EM QUE ACREDITAVAM OS PIONEIROS
 
Como descobrir adulteracoes_nas_traducoes_de_egw
Como descobrir adulteracoes_nas_traducoes_de_egwComo descobrir adulteracoes_nas_traducoes_de_egw
Como descobrir adulteracoes_nas_traducoes_de_egw
 
A trindade
A trindadeA trindade
A trindade
 
A Fé dos Adventistas Pioneiros
A Fé dos Adventistas PioneirosA Fé dos Adventistas Pioneiros
A Fé dos Adventistas Pioneiros
 

Mais de Walter Mendes

Gramática regência
Gramática regênciaGramática regência
Gramática regência
Walter Mendes
 
Gramática concordância
Gramática concordânciaGramática concordância
Gramática concordância
Walter Mendes
 
Claude Monet - parte 2
Claude Monet - parte 2Claude Monet - parte 2
Claude Monet - parte 2
Walter Mendes
 
Claude Monet - parte 1
Claude Monet - parte 1Claude Monet - parte 1
Claude Monet - parte 1
Walter Mendes
 
Remanescente 4 - Entre a Santidade e a Verdade
Remanescente 4 - Entre a Santidade e a VerdadeRemanescente 4 - Entre a Santidade e a Verdade
Remanescente 4 - Entre a Santidade e a Verdade
Walter Mendes
 
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e MissãoRemanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Walter Mendes
 
Remanescente 2 - De Noé a Lutero
Remanescente 2 - De Noé a LuteroRemanescente 2 - De Noé a Lutero
Remanescente 2 - De Noé a Lutero
Walter Mendes
 
Remanescente 1 - Realidade ou Ilusão?
Remanescente 1 - Realidade ou Ilusão?Remanescente 1 - Realidade ou Ilusão?
Remanescente 1 - Realidade ou Ilusão?
Walter Mendes
 
Como Será Viver no Céu
Como Será Viver no CéuComo Será Viver no Céu
Como Será Viver no Céu
Walter Mendes
 
O Concerto do Grande Mestre
O Concerto do Grande MestreO Concerto do Grande Mestre
O Concerto do Grande Mestre
Walter Mendes
 
O Tamanho da Terra e do Amor de Deus
O Tamanho da Terra e do Amor de DeusO Tamanho da Terra e do Amor de Deus
O Tamanho da Terra e do Amor de Deus
Walter Mendes
 
Vislumbres de um Criador
Vislumbres de um CriadorVislumbres de um Criador
Vislumbres de um Criador
Walter Mendes
 

Mais de Walter Mendes (12)

Gramática regência
Gramática regênciaGramática regência
Gramática regência
 
Gramática concordância
Gramática concordânciaGramática concordância
Gramática concordância
 
Claude Monet - parte 2
Claude Monet - parte 2Claude Monet - parte 2
Claude Monet - parte 2
 
Claude Monet - parte 1
Claude Monet - parte 1Claude Monet - parte 1
Claude Monet - parte 1
 
Remanescente 4 - Entre a Santidade e a Verdade
Remanescente 4 - Entre a Santidade e a VerdadeRemanescente 4 - Entre a Santidade e a Verdade
Remanescente 4 - Entre a Santidade e a Verdade
 
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e MissãoRemanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
 
Remanescente 2 - De Noé a Lutero
Remanescente 2 - De Noé a LuteroRemanescente 2 - De Noé a Lutero
Remanescente 2 - De Noé a Lutero
 
Remanescente 1 - Realidade ou Ilusão?
Remanescente 1 - Realidade ou Ilusão?Remanescente 1 - Realidade ou Ilusão?
Remanescente 1 - Realidade ou Ilusão?
 
Como Será Viver no Céu
Como Será Viver no CéuComo Será Viver no Céu
Como Será Viver no Céu
 
O Concerto do Grande Mestre
O Concerto do Grande MestreO Concerto do Grande Mestre
O Concerto do Grande Mestre
 
O Tamanho da Terra e do Amor de Deus
O Tamanho da Terra e do Amor de DeusO Tamanho da Terra e do Amor de Deus
O Tamanho da Terra e do Amor de Deus
 
Vislumbres de um Criador
Vislumbres de um CriadorVislumbres de um Criador
Vislumbres de um Criador
 

Último

Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 

Último (20)

Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 

História da Trindade na Igreja Adventista do Sétimo Dia

  • 1. TRINDADE E ANTITRINITARIANISMO NA HISTORIA ADVENTISTA Por: Jerry Moon
  • 2. José Bates escreveu em 1827 – na sua conversão à Igreja Conexão Cristã: “ Com respeito à Trindade, concluí que me era impossível crer que o Senhor Jesus Cristo, o filho do Pai, era também o Deus Todo-Poderoso, o Pai, um e o mesmo ser” (p. 216 ) 1869 – “Existia uma multidão de pontos de vista sobre a Trindade” ( p. 216 ). Introdução
  • 3. A história da doutrina da Divindade no contexto da IASD em cinco períodos: 1. 1846-1888: O período antitrinitariano 2. 1888-1898: A insatisfação com o antitrinitarianismo 3. 1898-1915: A mudança de paradigmas 4. 1915-1946: O declínio do antitrinitarianismo 5. 1946 até o presente: O predomínio do trinitarianismo Introdução – cont.
  • 4. 1. O Predomínio Antitrinitariano: 1846-1888 A maioria dos adventistas rejeita o conceito da Trindade. Seis razões para esta rejeição : A. Não viam evidência bíblica para três pessoas em uma Divindade. B. A concepção errônea de que a Trindade tornam o Pai e o Filho idênticos (a mesma pessoa). C. A concepção errônea de que ela ensina a existência de três deuses. D. A crença na Trindade iria diminuir o valor da expiação.
  • 5. 1. O Predomínio Antitrinitariano: 1846-1888 – cont. Seis razões para a rejeição da Trindade – cont.: E. Jesus deveria ter uma origem mais recente que a de Deus o Pai (Apoc. 3.14) F. Algumas expressões bíblicas indicavam que o Espírito Santo não poderia ser considerado propriamente uma pessoa. * Rom. 5:5 “ser derramado no coração” * Joel 2:28 “derramado sobre toda a carne”.
  • 6. 2. Insatisfação com o Antitrinitarianismo 1888 -1898
  • 7. 1888 – Sessão da Conferência Geral Foco – “Cristo, nossa justiça” A exaltação da cruz provocava um questionamento: será que a natureza e o caráter de Cristo estão bem representados por uma Divindade subordinada e derivada? 2. Insatisfação com o Antitrinitarianismo:1888-1898
  • 8. E. J. Waggoner, apesar de ainda não ser plenamente trinitariano, fez algumas declarações que com certeza impulsionaram o trinitarianismo : Cristo não havia sido criado, “Ele possui imortalidade inerente a Si mesmo” ( p. 221 ). Havia “uma divina unidade do Pai e do Filho” (p. 221). Cristo é “por natureza da mesma substância de Deus, possuindo vida em Si mesmo, e assim adequadamente e chamado de Jeová, o que existe por Si mesmo - João 10:17; Jer. 23:6 (p. 221). Cristo “é igual a Deus (Fil. 2:6), tendo todos os atributos de Deus” (p. 221). 2. Insatisfação com o Antitrinitarianismo:1888-1898 – cont.
  • 9. “ O fato de que Cristo é parte da Divindade, possuindo todos os atributos da Divindade, sendo igual ao Pai em todos os aspectos, como Criador e Legislador, é a única força presente na expiação. ... Cristo morreu ‘para poder trazer-nos a Deus’ (I Pedro 3:18 ); mas se Lhe faltasse um jota para ser igual a Deus, não poderia levar-nos ao Pai” (p. 222). Cristo é igual ao Pai também em termos de preexistência.
  • 10. Em 1890 D. T. Bordeau, um respeitado evangelista e missionário, diante o contexto histórico provido pela dinâmica da justificação pela fé e suas consequências fez o seguinte comentário provocativo: “ embora afirmemos ser crentes e adoradores de um único Deus, tenho chegado a pensar que entre nós existem tantos deuses quantas são as concepções da Divindade” (p. 222). Este comentário parece indicar-nos que a confiança coletiva no paradigma antitrinitariano começava a mostrar algumas rachaduras .
  • 11. Em 1892 a Pacific Press publicou um panfleto intitulado “A Doutrina Bíblica da Trindade”, escrito por Samuel Spear. O panfleto corrigiu dois falsos conceitos prevalecentes da doutrina da trindade mostrando que: “não se trata de tritreísmo, ou a doutrina de três deuses, antes é a doutrina de um Deus subsistindo e agindo em três pessoas, com a qualificação de que o termo ‘pessoa’... não deve, quando usado nesta relação, ser entendido em qualquer sentido que o torne incoerente com a unidade da Divindade” (p. 222).
  • 12. A Obra de Uriah Smith, “Contemplando a Jesus” era a mais abrangente e cuidadosa exposição do ponto de vista não-trinitariano entre os adventistas. Ele sustentou que: “ Deus (o Pai) unicamente era sem princípio” (p. 222). “ Num período tão remoto que para as mentes finitas ele representa essencialmente a eternidade, apareceu o verbo” (p. 223). “ Através de algum impulso ou processo divino, que não a criação” (p. 223), o Pai havia trazido Cristo a existência.
  • 13. Num de seus parágrafos Smith se aproxima surpreendentemente de uma declaração trinitariana: “ A união entre o Pai e o Filho não diminui a nenhum d’Eles, antes fortalece a ambos. Através da conexão com o Espírito Santo, temos a Divindade toda” (p. 223).
  • 14. Mas esse lento debater-se rumo a uma compreensão mais completa a respeito da trindade foi eclipsado pela enfática declaração de O Desejado de Todas as Nações , publicado neste mesmo ano, 1898.
  • 15. 3. Mudança de Paradigma: 1898-1915 1898-1915: Reversão quase completa “ Antigos líderes que tendiam ao velho ponto de vista permaneceram com influência por muitos anos ” (Burt). 1898: Publicação do DTN (E. G. White) Principal marco para a compreensão Adventista da Trindade. “ Ela discordou fortemente da maioria dos líderes pioneiros em relação à preexistência de Cristo” (p. 223).
  • 16. “ Desde os dias da eternidade o Senhor Jesus Cristo era um com o Pai; era a imagem de Deus, a imagem de Sua grandeza e majestade, o resplendor de Sua glória. Foi para manifestar essa glória que Ele veio ao mundo.” (DTN, p. 19)
  • 17. “ Em Cristo há vida original, não emprestada, não derivada” (DTN, p. 530) Ellen White, comentando a Sua ressurreição, mais uma vez assevera Sua plena divindade e igualdade com o Pai, declarando: “ O Salvador saiu do sepulcro pela vida que havia em Si mesmo” (DTN, p. 785 ).
  • 18. Isso era uma clara refutação dos pontos de vista semi-arianos dos primeiros adventistas e da ortodoxia tradicional, que sustentavam que “ Cristo derivara do Pai, sendo, portanto, subordinado ao Pai em Sua própria essência ” . (p. 224) “ O Espírito deveria ser concedido como um agente regenerador, e sem isso o sacrifício de Cristo haveria sido sem valor. ...O pecado somente poderia ser resistido e vencido através da poderosa agência da terceira pessoa da Divindade , que viria não com energia modificada, mas na plenitude do divino poder ”. ( DTN, 671 )
  • 19. Testemunho de Ellen White sobre textos bíblicos que dão apoio à visão trinitariana João 10:30; Col. 2:9 e Heb. 1:3 (Evangelismo pp. 613 e 614) Repetidamente seremos chamados a enfrentar a influência de homens que estão estudando ciências de origem satânica, por meio das quais Satanás está operando a fim de fazer parecer que Deus e Cristo não são entidades. O Pai e o Filho têm ambos personalidade. Cristo declarou: "Eu e o Pai somos um."   João 10:30. Evangelismo, pág. 613. O Pai é toda a plenitude da Divindade corporalmente, e invisível aos olhos mortais. O Filho é toda a plenitude da Divindade manifestada. Evangelismo, pág. 614.
  • 20. Mat. 28:19,20; Prov. 8:30 e João 1:1 (p. 615) O Consolador que Cristo prometeu enviar depois de ascender ao Céu, é o Espírito em toda a plenitude da Divindade, tornando manifesto o poder da graça divina a todos quantos recebem e crêem em Cristo como um Salvador pessoal. Há três pessoas vivas pertencentes à trindade celeste; em nome destes três grandes poderes - o Pai, o Filho e o Espírito Santo - os que recebem a Cristo por fé viva são batizados, e esses poderes cooperarão com os súditos obedientes do Céu em seus esforços para viver a nova vida em Cristo. (...) Cristo é o Filho de Deus, preexistente, existente por Si mesmo. ... Falando de Sua preexistência, Cristo conduz a mente através de séculos incontáveis. Afirma-nos que nunca houve tempo em que Ele não estivesse em íntima comunhão com o eterno Deus. Aquele cuja voz os judeus estavam então ouvindo estivera com Deus como Alguém que vivera sempre com Ele. Ele era igual a Deus, infinito e onipotente. ... É o Filho eterno, existente por Si mesmo. Evangelismo, pág. 615.
  • 21. João 8:57,58; 11:25; 16:8; Rom. 8:16 e 1 Cor. 2:11,12 (pp. 616 e 617) Ao passo que a Palavra de Deus fala da humanidade de Cristo quando na Terra, fala também positivamente de Sua preexistência. A Palavra existia como um ser divino, mesmo como o Eterno Filho de Deus, em união e unidade com Seu Pai. Desde a eternidade fora o Mediador do concerto, Aquele em quem todas as nações da Terra, tanto judeus como gentios, caso O aceitassem, seriam abençoados. "O Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus." João 1:1. Antes que os homens ou os anjos fossem criados, o Verbo estava com  Deus e era Deus . Evangelismo, págs. 615-616.
  • 22. Precisamos reconhecer que o Espírito Santo, que é tanto uma pessoa como o próprio Deus, está andando por esses terrenos. O Espírito Santo é uma pessoa, pois dá testemunho com o nosso espírito de que somos filhos de Deus. Uma vez dado esse testemunho, traz consigo mesmo sua própria evidência. Em tais ocasiões acreditamos e estamos certos de que somos filhos de Deus. Evangelismo, pág. 616.
  • 23. O Espírito Santo tem personalidade, do contrário não poderia testificar ao nosso espírito e com nosso espírito que somos filhos de Deus. Deve ser também uma pessoa divina, do contrário não poderia perscrutar os segredos que jazem ocultos na mente de Deus. "Por que qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus." I Cor. 2:11. (...)  O príncipe da potestade do mal só pode ser mantido em sujeição pelo poder de Deus na terceira pessoa da Trindade, o Espírito Santo. Evangelismo, págs. 616-617.  
  • 24.   Cumpre-nos cooperar com os três poderes mais altos no Céu - o Pai, o Filho e o Espírito Santo - e esses poderes atuarão por nosso intermédio, fazendo-nos coobreiros de Deus. Evangelismo, pág. 617.
  • 25. João 14:16-18 e 26; 16:8, 12-14 (O Desejado de Todas as Nações, pp.669-671) Antes disto o Espírito havia estado no mundo; desde o próprio início da obra de redenção Ele estivera atuando no coração dos homens. Mas enquanto Cristo estava na Terra, os discípulos não tinham desejado nenhum outro auxiliador. Não seria senão depois que fossem privados de Sua presença, que experimentariam a necessidade do Espírito, e então Ele havia de vir. O Espírito Santo é o representante de Cristo, mas despojado da personalidade humana, e dela independente. Limitado pela humanidade, Cristo não poderia estar em toda parte em pessoa. Era, portanto, do interesse deles que fosse para o Pai, e enviasse o Espírito como Seu sucessor na Terra. Ninguém poderia ter então vantagem devido a sua situação ou seu contato pessoal com Cristo. Pelo Espírito, o Salvador seria acessível a todos. Nesse sentido, estaria mais perto deles do que se não subisse ao alto.  O Desejado de Todas as Nações, pág. 669.
  • 26. O poder do mal se estivera fortalecendo por séculos, e alarmante era a submissão dos homens a esse cativeiro satânico. Ao pecado só se poderia resistir e vencer por meio da poderosa operação da terceira pessoa da Trindade, a qual viria, não com energia modificada, mas na plenitude do divino poder. É o Espírito que torna eficaz o que foi realizado pelo Redentor do mundo. É por meio do Espírito que o coração é purificado. Por Ele torna-se o crente participante da natureza divina. Cristo deu Seu Espírito como um poder divino para vencer toda tendência hereditária e cultivada para o mal, e gravar Seu próprio caráter em Sua igreja.  O Desejado de Todas as Nações, pág. 671.
  • 27. 1902 – 1907: Crise Kellogg E. G. White – Repetidamente usou expressões como: “ As três pessoas viventes do trio celestial”. Mantendo a unidade essencial da Divindade. Afirmando ainda “a pluralidade e a unicidade como os elementos fundamentais de uma compreensão simples e bíblica da Trindade” (p.226).
  • 28. 1913 – Review and Herald * F. M. Wilcox – Publica o Resumo das Crenças Adventistas, sendo uma evidência do reconhecimento do DTN e removendo supostas objeções bíblicas à doutrina da Trindade: “ Na divina Trindade. Essa Trindade consiste do eterno Pai, ...do Senhor Jesus Cristo, ... [e] do Espírito Santo, a terceira pessoa da Divindade”. ( p. 226 ) “ Os eternos dignitários celestes – Deus, Cristo e o Espírito Santo, - munindo-os [aos discípulos] de energia sobre-humana, ... avançariam com eles para a obra e convenceriam o mundo do pecado. ( Manuscrito 145, 1901 Evangelismo, p. 616 ).
  • 29. 4. Declínio do Antitrinitarianismo: 1915 - 1946 Intenso debate nas primeiras décadas do séc. XX * Conferência bíblica de 1919 “ A eternidade de Cristo e Sua relação com o Pai constituíam o maior e não resolvido assunto em debate” (p. 226). * W.W. Prescot: “A existência de Cristo era de alguma forma derivada do Pai” (p. 226). Ellen White, em DTN: a vida de Cristo era não derivada. “ No mínimo, a liderança buscava uma compreensão bíblica e não estavam satisfeitos em simplesmente aceitar o pronunciamento de White sem o conferirem nas Escrituras” (p. 226)
  • 30. 1930: Pedido da Divisão Africana “ Uma declaração daquilo que os adventistas crêem, que pudesse ajudar os oficiais do governo e outros a compreenderem melhor o nosso trabalho” (p. 227). A Comissão da Associação Geral indica uma subcomissão: * M.E. Kern – Secretário associado da AG * F. M. Wilcox – Editor da Review (Fez o esboço) * E. R. Palmer – Administrador da Review and Herald * C. H. Watson – Presidente da AG 1931: declaração com 22 pontos é publicada no Yearbook. “ O segundo ponto falava da Trindade e o terceiro afirmava que Cristo é verdadeiramente Deus” (p. 227).
  • 31. “ Os autores do documento não buscaram apoio formal ou oficial para o mesmo” (p. 227). 1946: A declaração é tornada oficial na Assembléia da Associação Geral. É decidido que: “ Nenhuma revisão desta Declaração de Crenças Fundamentais, conforme agora aparece no Manual da Igreja, deve ser feita em tempo algum, exceto numa sessão da Associação Geral” (Fifthen Meeting, Review and Herald, 14 de junho de 1946, p. 197) “ Isso marcou o endosso oficial ao ponto de vista trinitariano pela igreja” (p. 227).
  • 32. LeRoy E. Froom , de 1950 até 1971 foi o mais conhecido campeão do trinitarianismo entre os adventistas do sétimo dia. Seu livro “A Vinda do Consolador” era sem precedentes na IASD, com exceção de algumas citações de E. White. Na obra ele apresenta sistematicamente a personalidade do Espírito Santo e a natureza trinitária da Divindade.
  • 33. * Seu papel foi marcante na obra “Questions on Doctrine” (1957). Embora tenha recebido críticas sobre outros assuntos (cristologia e expiação), não foi atacado sobre a Trindade celestial. Talvez porque seu principal oponente fosse um trinitariano – M. L. Andreasen. * Sua palavra final sobre o assunto foi publicada em 1971, em sua obra “Movement of Destiny”, onde documenta o crescimento da teologia “Adventista” rumo a um consenso sobre essa doutrina bíblica.
  • 34. Associação Geral * O clímax desta fase de desenvolvimento doutrinário foi uma nova declaração da IASD na Assembléia da Associação Geral de 1980 em Dallas, onde foi afirmada a Doutrina da Trindade de modo mais conciso, embora em termos parecidos com a declaração de 1931. Raoul Dederen Escreveu um notável artigo em1972, usando ambos os Testamentos, baseando-se unicamente na Bíblia e deixando de lado o pensamento especulativo das pressuposições filosóficas gregas.
  • 35. Fernando Canale * Em 1983, em sua dissertação “A Criticism of Theological Reason” afirmou que a teologia católica e protestante a respeito da natureza de Deus era fundamentada com base na filosofia aristotélica. Uma teologia tem que se fundamentar na Bíblia. * Defende que os adventistas, por terem se afastado das concepções filosóficas a respeito de Deus e abraçado a concepção histórica como a Bíblia apresenta, conseguiram desenvolver uma visão bíblica a respeito da Trindade.
  • 36. Conclusão Embora muitos pioneiros tenham rejeitado a doutrina da Trindade, Deus conduziu Seu povo a buscarem a verdade unicamente nas Escrituras até se convencerem de que o conceito de um Deus em três pessoas, de fato está na Bíblia. Bibliografia: Whidden, Woodrow; Moon, Jerry e Reeve Jonh W. A Trindade. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2003.