SlideShare uma empresa Scribd logo
POS-GRADUAÇÃO EM ARTE-EDUCAÇÃO COM ENFASE EM MÚSICA
DISCIPLINA: HISTORIA DA MÚSICA
ASSUNTO: EVOLUÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE SOPRO
PROFESSOR: Ricardo Emílio
ALUNOS(AS):
Leonilson Alves do Nascimento Paulo
Lidia Alves do Nascimento Paulo
Jonas Martins de Lima Filho
Cláudia Carvalho
Regina Lúcia
Francisca Magna
BREVE HISTORIA DA MÚSICA
Música pré-histórica
-2 milhões a 4000
a.C
Música da
Antiguidade
4000 a.C a 500
d.C
Música Medieval
500 a 1450 Música
Renascentista
1450 a 1600
Música Barroca
1600 a 1750
Música Clássica
1750 a 1810 Música
Romântica
1810 a 1910
Modernismo
1900 em diante
• O homem pré-
histórico descobriu os
sons , numa expansão
impulsiva e instintiva
do movimento sonoro
ou apenas um
expressivo meio de
comunicação, sempre
ligada às palavras, a
caça, aos ritos e a
dança. Mas a música
pré-histórica não se
configurou como arte.
PRIMEIRO INSTRUMENTO DE SOPRO
• O mais antigo instrumento
musical fabricado pelo
homem de que se tem
notícia: uma flauta com
cerca de 35 mil anos,
retirada de uma caverna no
sul da Alemanha. A
descoberta indica que os
primeiros europeus
modernos já tinham uma
tradição musical
estabelecida. Os homens
das cavernas dançavam ao
som de flautas. É o que
sugere um artigo publicado
na Nature que descreve.
• A povo egípcio representa a
civilização mais antiga de
que se tem conhecimento. A
Música desempenhava
importante papel nas
batalhas, animando as tropas
e também alegrando os
banquetes e festas, em
tempos de paz. Vários eram
os instrumentos usados por
esses povos, já divididos
entre instrumentos de sopro,
corda e percussão, entre eles:
flautas, tímpanos, gongo e
lira. Por falta de
documentação escrita, pouco
se sabe sobre a arte musical
destes povos, apenas em
monumentos encontrados.
MÚSICA MEDIEVAL
500 a 1450
Constituíam um grupo de músicos profissionais que trabalhavam para um rei, nobre,
igreja ou poder municipal, de uma forma mais ou menos permanente. Existiam os menistréis
baixos, que tocavam instrumentos de sonoridade mais fraca, e os menistréis altos, que tocavam
instrumentos de sopro com forte sonoridade tais como trombetas, charamelas, sacabuxas
cornetas e mais tarde as dulcianas (baixão e baixãozinho).
BAIXÃO
BOMBARDA
CORNETA
CHARAMELA
BOMBARDA
SACABUXA
OUTROS INSTRUMENTOS
•
Alem de outros
instrumentos: flautas
doces de vários
tamanhos: a
aveludada flauta
medieval; o trompete
medieval; alaúde,
gaitas de fole, atc.
MUSETA FLAUTA E TAMBORI ALBOCA
MÚSICA RENASCENTISTA
1450 a 1600
Até o começo do século XVI, os instrumentos eram considerados muito
menos importantes do que as vozes. Eram usados nas danças, acompanhando o
canto. Porém, durante o século XVI, os músicos começaram a escrever somente
para grupos instrumentais. Os instrumentos se dividiam em dois grupos: os
instrumentos bas ( baixo ou suave ), para uso doméstico, e os haut ( alto ), para
serem tocados em igrejas, grandes salões ou céu aberto.
INSTRUMENTOS
• Alguns
instrumentos,
como as
charamelas,
as flautas e
alguns tipos
de cornetos
medievais,
continuavam
populares.
Outros, como
o alaúde,
foram
modificados
e outros
foram
inventados.
FLAUTA DOCE
. Cromorne: Instrumento de madeira, com pequeno tampão encobrindo uma palheta
dupla, produzia um som suave, mas agudo.
.Cervelato: Instrumento de palheta dupla e sons graves; tinha um tubo comprido,
enroscado dentro de um cilindro medindo 30 centímetros aproximadamente.
. Sacabuxa: Foi o antepassado do trombone de vara; tinha uma campana a menos
bojuda e produzia som mais melodioso e cheio.
. Trompete: seu tubo foi dobrado, fazendo voltas, ficando assim mais fácil de ser
manejado. Até o século XIX, enquanto ainda não havia sido inventado o sistema de
válvulas, foi instrumento de poucas notas, obtidas pela pressão dos lábios.
CROMORNE
CERVELATO
SACABUXA
TROMPETE
MÚSICA BARROCA
1600 a 1750
O período Barroco é muito importante porque a polifonia utilizada nas vozes
no Renascimento passou para os instrumentos musicais. Nasceu assim a música
absoluta, que é a música instrumental pura, e não só para acompanhamento do canto e
dança, mas sim, só para ser ouvida. Neste período, extremamente rico, nasceu a
orquestra e a ópera.
INSTRUMENTOS DO BARROCO
Instrumentos de teclas com funcionamento
mecânico de ar para os tubos.
OUTROS INSTRUMENTOS
MÚSICA CLÁSSICA
1750 a 1810
O classicismo foi um período curto, de menos de um século – 70 anos
aproximadamente. Estende-se desde a morte dos últimos mestres do Barroco, até o final da era
Beethoveniana. A música deste período tem um estilo ceracterizado por um, refinado sentido de
harmonia, equilíbrio de expressão e disciplina do espírito. É uma música que transmite
claridade, repouso e lirismo.
Instrumentos da Música Clássica
Os quatros principais tipos de instrumentos
da família das madeiras eram: a flauta , o oboé , o
recém – inventado clarinete e o fagote. Passaram a
figurar aos pares, dando independência ao naipe das
madeiras. As cordas já possuíam sua organização e
independência.
O cravo, como baixo contínuo,
caiu em desuso e no seu lugar passaram
a usar duas trompas, que faziam o papel
dele na música barroca, preenchendo as
harmonia, mantendo a unidade do
conjunto. Quase sempre eram também
incluídos um par de trompetes e outros
de tímpanos.
MÚSICA ROMÂNTICA
1810 a 1910
A música Romântica foi influenciada por
temas da literatura, das artes plásticas e pelos cenários
naturais. A música, mais do que nunca, procurava
pintar um quadro ou contar uma historia.
Beethoven representou a transição do estilo
clássico para o romântico.
INSTRUMENTOS MÚSICAIS
Surgiram novos instrumentos, onde tivemos Adolf
Sax como o inventor do saxofones, saxhorn, bombardino e
tubas.
O alemão chamado Heinrich Stölzel, criou o
sistema de válvulas para instrumentos de metal, e em 1939
o francês Périnet patentiou um sistema de válvulas
chamado de “gros piston” que é a origem das válvulas que
utilizamos hoje no trompete.
A evolução musical e a união dos instrumentos de
cordas, madeira e metais vão dar todo um ar sinfônico
MODERNISMO OU MÚSICA DO SÉC.XX
1900 em diante
O homem desse período teve de se adaptar a muitos progressos que se refletiram
no seu dia-a-dia. Surgiram então músicas muito avançadas para a época, refletindo a rápida
mudança do homem nesse período. Por isso, muitas vezes soam-nos de maneira estranha,
pois rompem com todas as idéias tradicionais até então vistas. O século XX é o único da
história da musica que teve o privilégio de ouvir música de todos os períodos, ligada à
imagem, por causa do cinema.
INSTRUMENTOS MÚSICAIS
É um instrumento de sopro usado, na maioria
das vezes, na Bossa-nova
O acordeon foi desenvolvido por
volta de 1829 em Viena (Áustria) Cirilus
Demian. Anteriormente houveram várias
construções mais rudimentares até o seu
aprimoramento. Sua construção foi baseada
num instrumento de sopro chinês chamado
Cheng, com o mesmo sistema de palhetas.
No século XIX .
CHENG
Os instrumentos já existente foram se modernizando com o
avanço e os recursos tecnológicos. Como por exemplos alguns
instrumentos de sopros ganharam um toque eletrônico.
Antes não existia a gravação, o rádio, a televisão, o
cinema, e a música se perdia no momento em que acabava de
ser executada. Hoje podemos passear pela história da música,
desde o canto gregoriano da Idade Média, a polifonia da
Renascença, a música do período Barroco, Clássico e do
período Romântico até os dias de hoje, no mesmo dia e à
nossa escolha, devido o grande avanço científico e
tecnológico.
INSTRUMENTOS ATRAVÉS DA HISTÓRIA
 PRIMÓDIOS
FLAUTAS TROMBETAS TROMPAS
 ANTIGUIDADE
FLAUTAS TROMBETAS TROMPAS
 IDADE MÉDIA
CHARAMELA BOMBARDAS BAIXÃO
FLAUTAS DE BAMBU E METAIS
CORNETA SACABUXA MUSETA
 RENASCENÇA
CROMORNE FAGOTE TROMPETE
 BARROCO
OBOÉ TROMPA ORGÃO
 CLASSICISMO
FAMÍLIA DAS MADEIRAS E DOS METAIS
 ROMÂNTISMO
SAX – SAXHORN – TROMPETE – BOMBARDINO
TUBA E SOUSAFONE
 SÉCILO XX
EVOLUÇÃO E DIVISÃO DOS INSTRUMENTOS
DE SOPROS
 FAMILÍA DAS MADEIRAS :
os instrumentos de sopro conhecidos como madeiras
são, como seu nome sugere, feitos basicamente de madeira,
apesar de os modernos flautins, flautas e saxofones serem
de metal.
Os sons são produzidos pelo sopro do instrumentista,
que faz vibrar uma palheta ou, no caso da flauta e do
flautim, penetra no instrumento. Enquanto os sons
produzidos pela família das cordas fundem-se em um todo,
os sons do naipes das madeiras são mais individuais,
tendendo mais ao contraste do que à fusão. Muitas vezes
solam e por esse motivo é que estão disposto no centro da
orquestra, em um plano mais elevado que o das cordas,
diretamente em frente ao regente.
EVOLUÇÃO DAS MADEIRAS
História da Música - FVJ
História da Música - FVJ
História da Música - FVJ
História da Música - FVJ
História da Música - FVJ
 FAMÍLIA DOS METAIS :
Metais é o nome dado aos instrumentos de sopro
originalmente feitos de latão, mas que hoje em dias são
construídos de uma liga de metais, em vez de puro latão ou
bronze.
Os metais, quando tocam juntos, são a glória da
orquestra, pois possuem um impacto arrasador. É
importante entender que a diferencia principal entre os
instrumentos do naipe de metais e do naipe das madeiras
não é o material com que eles são construídos, mas a
maneira como eles produzem os sons. Nas madeiras, os
sons são produzidos pela vibração das palhetas (menos na
flauta), enquanto nos metais o som é produzido pela
vibração dos lábios do instrumentista. A localização da
seção de metais na plataforma de concerto é atrás e acima
das cordas e das madeiras.
História da Música - FVJ
História da Música - FVJ
História da Música - FVJ
NAS MADEIRAS OS SONS É PRODUZIDO POR
PALHETAS
Guaita instrumento de sopro
cujos sons são produzidos por
um conjunto de palhetas
NOS METAIS OS SONS É PRODUZIDO
POR BOCAIS
História da Música - FVJ
História da Música - FVJ
ESCOLA DE INSTRUMENTOS DE
SOPROS
História da Música - FVJ
História da Música - FVJ
História da Música - FVJ
História da Música - FVJ
História da Música - FVJ
História da Música - FVJ
História da Música - FVJ

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Romantismo musica
Romantismo musicaRomantismo musica
Romantismo musica
inessoarescm
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
Anna Caroline
 
Historia da musica renascimento e barroco
Historia da musica renascimento e barrocoHistoria da musica renascimento e barroco
Historia da musica renascimento e barroco
Carlos Elson Cunha
 
Cultura do Mosteiro - Arte carolíngia
Cultura do Mosteiro - Arte carolíngiaCultura do Mosteiro - Arte carolíngia
Cultura do Mosteiro - Arte carolíngia
Carlos Vieira
 
História da Música
História da MúsicaHistória da Música
História da Música
BE/CRE
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
Andrea Dressler
 
Períodos Da Música Ocidental
Períodos Da Música OcidentalPeríodos Da Música Ocidental
Períodos Da Música Ocidental
cecilianoclaro
 
Arte 2 médio slide
Arte 2 médio   slideArte 2 médio   slide
Arte 2 médio slide
Eponina Alencar
 
A música clássica (Classicismo)
A música clássica (Classicismo)A música clássica (Classicismo)
A música clássica (Classicismo)
Wesley Germano Otávio
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
Ana Beatriz Cargnin
 
O maneirismo
O maneirismoO maneirismo
O maneirismo
Ana Barreiros
 
Arquitetura românica
Arquitetura românicaArquitetura românica
Arquitetura românica
Ana Barreiros
 
A História da Música
A História da MúsicaA História da Música
A História da Música
Meire Falco
 
Arte Medieval - Românica, Bizantina e Gótica
Arte Medieval -  Românica, Bizantina e GóticaArte Medieval -  Românica, Bizantina e Gótica
Arte Medieval - Românica, Bizantina e Gótica
Andrea Dressler
 
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕESQuimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
Jessica Amaral
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DOS METAIS ALCALINOS E OBTENÇÃO DO HIDROG...
 RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DOS METAIS ALCALINOS E OBTENÇÃO DO HIDROG... RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DOS METAIS ALCALINOS E OBTENÇÃO DO HIDROG...
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DOS METAIS ALCALINOS E OBTENÇÃO DO HIDROG...
Ezequias Guimaraes
 
Jazz
JazzJazz
Música renascentista
Música renascentistaMúsica renascentista
Música renascentista
helenavf1
 
Neoclassicismo - Arte Neoclássica
Neoclassicismo - Arte NeoclássicaNeoclassicismo - Arte Neoclássica
Neoclassicismo - Arte Neoclássica
Andrea Dressler
 
A origem da dança circular e de roda
A origem da dança circular e de rodaA origem da dança circular e de roda
A origem da dança circular e de roda
Elisangela Prismit
 

Mais procurados (20)

Romantismo musica
Romantismo musicaRomantismo musica
Romantismo musica
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
 
Historia da musica renascimento e barroco
Historia da musica renascimento e barrocoHistoria da musica renascimento e barroco
Historia da musica renascimento e barroco
 
Cultura do Mosteiro - Arte carolíngia
Cultura do Mosteiro - Arte carolíngiaCultura do Mosteiro - Arte carolíngia
Cultura do Mosteiro - Arte carolíngia
 
História da Música
História da MúsicaHistória da Música
História da Música
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
Períodos Da Música Ocidental
Períodos Da Música OcidentalPeríodos Da Música Ocidental
Períodos Da Música Ocidental
 
Arte 2 médio slide
Arte 2 médio   slideArte 2 médio   slide
Arte 2 médio slide
 
A música clássica (Classicismo)
A música clássica (Classicismo)A música clássica (Classicismo)
A música clássica (Classicismo)
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
 
O maneirismo
O maneirismoO maneirismo
O maneirismo
 
Arquitetura românica
Arquitetura românicaArquitetura românica
Arquitetura românica
 
A História da Música
A História da MúsicaA História da Música
A História da Música
 
Arte Medieval - Românica, Bizantina e Gótica
Arte Medieval -  Românica, Bizantina e GóticaArte Medieval -  Românica, Bizantina e Gótica
Arte Medieval - Românica, Bizantina e Gótica
 
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕESQuimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DOS METAIS ALCALINOS E OBTENÇÃO DO HIDROG...
 RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DOS METAIS ALCALINOS E OBTENÇÃO DO HIDROG... RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DOS METAIS ALCALINOS E OBTENÇÃO DO HIDROG...
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DOS METAIS ALCALINOS E OBTENÇÃO DO HIDROG...
 
Jazz
JazzJazz
Jazz
 
Música renascentista
Música renascentistaMúsica renascentista
Música renascentista
 
Neoclassicismo - Arte Neoclássica
Neoclassicismo - Arte NeoclássicaNeoclassicismo - Arte Neoclássica
Neoclassicismo - Arte Neoclássica
 
A origem da dança circular e de roda
A origem da dança circular e de rodaA origem da dança circular e de roda
A origem da dança circular e de roda
 

Destaque

História da Arte: Romantismo - França e Itália
História da Arte: Romantismo - França e ItáliaHistória da Arte: Romantismo - França e Itália
História da Arte: Romantismo - França e Itália
Raphael Lanzillotte
 
A música e o ruído (aula interativa)
A música e o ruído (aula interativa)A música e o ruído (aula interativa)
A música e o ruído (aula interativa)
Marcos Feitosa
 
História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.
História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.
História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.
Mauricio Mallet Duprat
 
História da Música I: aula inaugural
História da Música I:   aula inauguralHistória da Música I:   aula inaugural
História da Música I: aula inaugural
Leonardo Brum
 
Arte classica
Arte classicaArte classica
Arte classica
frazao
 
Historia da musica
Historia da musicaHistoria da musica
Historia da musica
Felipe Pouchucq
 
Arte Clássica
Arte ClássicaArte Clássica
Arte Clássica
CPH
 
História da arte romantismo
História da arte   romantismoHistória da arte   romantismo
História da arte romantismo
Ana Cristina D Assumpcão
 
Plano de aula de Introdução à História da Música Ocidental
Plano de aula de Introdução à História da Música OcidentalPlano de aula de Introdução à História da Música Ocidental
Plano de aula de Introdução à História da Música Ocidental
nayferreiracosta
 
MúSica
MúSicaMúSica
MúSica
martinsramon
 
O romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pinturaO romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pintura
Carlos Pinheiro
 

Destaque (11)

História da Arte: Romantismo - França e Itália
História da Arte: Romantismo - França e ItáliaHistória da Arte: Romantismo - França e Itália
História da Arte: Romantismo - França e Itália
 
A música e o ruído (aula interativa)
A música e o ruído (aula interativa)A música e o ruído (aula interativa)
A música e o ruído (aula interativa)
 
História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.
História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.
História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.
 
História da Música I: aula inaugural
História da Música I:   aula inauguralHistória da Música I:   aula inaugural
História da Música I: aula inaugural
 
Arte classica
Arte classicaArte classica
Arte classica
 
Historia da musica
Historia da musicaHistoria da musica
Historia da musica
 
Arte Clássica
Arte ClássicaArte Clássica
Arte Clássica
 
História da arte romantismo
História da arte   romantismoHistória da arte   romantismo
História da arte romantismo
 
Plano de aula de Introdução à História da Música Ocidental
Plano de aula de Introdução à História da Música OcidentalPlano de aula de Introdução à História da Música Ocidental
Plano de aula de Introdução à História da Música Ocidental
 
MúSica
MúSicaMúSica
MúSica
 
O romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pinturaO romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pintura
 

Semelhante a História da Música - FVJ

História da Música
História da MúsicaHistória da Música
História da Música
be23ceb
 
Powerpoint bibliomusica
Powerpoint bibliomusicaPowerpoint bibliomusica
Powerpoint bibliomusica
RuteFolhas
 
Powerpoint bibliomusica
Powerpoint bibliomusicaPowerpoint bibliomusica
Powerpoint bibliomusica
Regina Coutinho
 
Historia da musica
Historia da musica Historia da musica
Historia da musica
Shinnayder
 
A Orquestra
A OrquestraA Orquestra
A Orquestra
HOME
 
Música
MúsicaMúsica
Música
Sandraferraz
 
História instrumentos de sopro!
História instrumentos de sopro!História instrumentos de sopro!
História instrumentos de sopro!
EmersonMoura25
 
Historia dos instrumentos
Historia dos instrumentosHistoria dos instrumentos
Historia dos instrumentos
Saulo Gomes
 
musica A ORQUESTRA
musica A ORQUESTRAmusica A ORQUESTRA
musica A ORQUESTRA
joanaroxopereira
 
A Música no período de Da Vinci e o seu Desenvolvimento
A Música no período de Da Vinci e o seu DesenvolvimentoA Música no período de Da Vinci e o seu Desenvolvimento
A Música no período de Da Vinci e o seu Desenvolvimento
Jofran Lirio
 
Historia da música clássica
Historia da música clássicaHistoria da música clássica
Historia da música clássica
Umberto Pacheco
 
Historia da musica
Historia da musicaHistoria da musica
Historia da musica
diogo_lopes
 
A clave setembro 10
A clave setembro 10A clave setembro 10
A clave setembro 10
FilarmonicaCortense
 
Violino, Formas Musicais Etc
Violino, Formas Musicais EtcViolino, Formas Musicais Etc
Violino, Formas Musicais Etc
HOME
 
A HistóRia Da MúSic1
A HistóRia Da MúSic1A HistóRia Da MúSic1
A HistóRia Da MúSic1
HOME
 
Musicapédia - A Orquestra Sinfónica
Musicapédia - A Orquestra SinfónicaMusicapédia - A Orquestra Sinfónica
Musicapédia - A Orquestra Sinfónica
Hugo Pereira
 
História da música
História da músicaHistória da música
História da música
Meire Falco
 
História da música i – 11ª aula
História da música i – 11ª aulaHistória da música i – 11ª aula
História da música i – 11ª aula
Leonardo Brum
 
A história da flauta doce
A história da flauta doceA história da flauta doce
A história da flauta doce
Partitura de Banda
 
Atividade_1.pdf
Atividade_1.pdfAtividade_1.pdf
Atividade_1.pdf
Joel Elias
 

Semelhante a História da Música - FVJ (20)

História da Música
História da MúsicaHistória da Música
História da Música
 
Powerpoint bibliomusica
Powerpoint bibliomusicaPowerpoint bibliomusica
Powerpoint bibliomusica
 
Powerpoint bibliomusica
Powerpoint bibliomusicaPowerpoint bibliomusica
Powerpoint bibliomusica
 
Historia da musica
Historia da musica Historia da musica
Historia da musica
 
A Orquestra
A OrquestraA Orquestra
A Orquestra
 
Música
MúsicaMúsica
Música
 
História instrumentos de sopro!
História instrumentos de sopro!História instrumentos de sopro!
História instrumentos de sopro!
 
Historia dos instrumentos
Historia dos instrumentosHistoria dos instrumentos
Historia dos instrumentos
 
musica A ORQUESTRA
musica A ORQUESTRAmusica A ORQUESTRA
musica A ORQUESTRA
 
A Música no período de Da Vinci e o seu Desenvolvimento
A Música no período de Da Vinci e o seu DesenvolvimentoA Música no período de Da Vinci e o seu Desenvolvimento
A Música no período de Da Vinci e o seu Desenvolvimento
 
Historia da música clássica
Historia da música clássicaHistoria da música clássica
Historia da música clássica
 
Historia da musica
Historia da musicaHistoria da musica
Historia da musica
 
A clave setembro 10
A clave setembro 10A clave setembro 10
A clave setembro 10
 
Violino, Formas Musicais Etc
Violino, Formas Musicais EtcViolino, Formas Musicais Etc
Violino, Formas Musicais Etc
 
A HistóRia Da MúSic1
A HistóRia Da MúSic1A HistóRia Da MúSic1
A HistóRia Da MúSic1
 
Musicapédia - A Orquestra Sinfónica
Musicapédia - A Orquestra SinfónicaMusicapédia - A Orquestra Sinfónica
Musicapédia - A Orquestra Sinfónica
 
História da música
História da músicaHistória da música
História da música
 
História da música i – 11ª aula
História da música i – 11ª aulaHistória da música i – 11ª aula
História da música i – 11ª aula
 
A história da flauta doce
A história da flauta doceA história da flauta doce
A história da flauta doce
 
Atividade_1.pdf
Atividade_1.pdfAtividade_1.pdf
Atividade_1.pdf
 

História da Música - FVJ

  • 1. POS-GRADUAÇÃO EM ARTE-EDUCAÇÃO COM ENFASE EM MÚSICA DISCIPLINA: HISTORIA DA MÚSICA ASSUNTO: EVOLUÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE SOPRO PROFESSOR: Ricardo Emílio ALUNOS(AS): Leonilson Alves do Nascimento Paulo Lidia Alves do Nascimento Paulo Jonas Martins de Lima Filho Cláudia Carvalho Regina Lúcia Francisca Magna
  • 2. BREVE HISTORIA DA MÚSICA Música pré-histórica -2 milhões a 4000 a.C Música da Antiguidade 4000 a.C a 500 d.C Música Medieval 500 a 1450 Música Renascentista 1450 a 1600 Música Barroca 1600 a 1750 Música Clássica 1750 a 1810 Música Romântica 1810 a 1910 Modernismo 1900 em diante
  • 3. • O homem pré- histórico descobriu os sons , numa expansão impulsiva e instintiva do movimento sonoro ou apenas um expressivo meio de comunicação, sempre ligada às palavras, a caça, aos ritos e a dança. Mas a música pré-histórica não se configurou como arte.
  • 4. PRIMEIRO INSTRUMENTO DE SOPRO • O mais antigo instrumento musical fabricado pelo homem de que se tem notícia: uma flauta com cerca de 35 mil anos, retirada de uma caverna no sul da Alemanha. A descoberta indica que os primeiros europeus modernos já tinham uma tradição musical estabelecida. Os homens das cavernas dançavam ao som de flautas. É o que sugere um artigo publicado na Nature que descreve.
  • 5. • A povo egípcio representa a civilização mais antiga de que se tem conhecimento. A Música desempenhava importante papel nas batalhas, animando as tropas e também alegrando os banquetes e festas, em tempos de paz. Vários eram os instrumentos usados por esses povos, já divididos entre instrumentos de sopro, corda e percussão, entre eles: flautas, tímpanos, gongo e lira. Por falta de documentação escrita, pouco se sabe sobre a arte musical destes povos, apenas em monumentos encontrados.
  • 6. MÚSICA MEDIEVAL 500 a 1450 Constituíam um grupo de músicos profissionais que trabalhavam para um rei, nobre, igreja ou poder municipal, de uma forma mais ou menos permanente. Existiam os menistréis baixos, que tocavam instrumentos de sonoridade mais fraca, e os menistréis altos, que tocavam instrumentos de sopro com forte sonoridade tais como trombetas, charamelas, sacabuxas cornetas e mais tarde as dulcianas (baixão e baixãozinho).
  • 8. OUTROS INSTRUMENTOS • Alem de outros instrumentos: flautas doces de vários tamanhos: a aveludada flauta medieval; o trompete medieval; alaúde, gaitas de fole, atc. MUSETA FLAUTA E TAMBORI ALBOCA
  • 9. MÚSICA RENASCENTISTA 1450 a 1600 Até o começo do século XVI, os instrumentos eram considerados muito menos importantes do que as vozes. Eram usados nas danças, acompanhando o canto. Porém, durante o século XVI, os músicos começaram a escrever somente para grupos instrumentais. Os instrumentos se dividiam em dois grupos: os instrumentos bas ( baixo ou suave ), para uso doméstico, e os haut ( alto ), para serem tocados em igrejas, grandes salões ou céu aberto.
  • 10. INSTRUMENTOS • Alguns instrumentos, como as charamelas, as flautas e alguns tipos de cornetos medievais, continuavam populares. Outros, como o alaúde, foram modificados e outros foram inventados. FLAUTA DOCE
  • 11. . Cromorne: Instrumento de madeira, com pequeno tampão encobrindo uma palheta dupla, produzia um som suave, mas agudo. .Cervelato: Instrumento de palheta dupla e sons graves; tinha um tubo comprido, enroscado dentro de um cilindro medindo 30 centímetros aproximadamente. . Sacabuxa: Foi o antepassado do trombone de vara; tinha uma campana a menos bojuda e produzia som mais melodioso e cheio. . Trompete: seu tubo foi dobrado, fazendo voltas, ficando assim mais fácil de ser manejado. Até o século XIX, enquanto ainda não havia sido inventado o sistema de válvulas, foi instrumento de poucas notas, obtidas pela pressão dos lábios. CROMORNE CERVELATO SACABUXA TROMPETE
  • 12. MÚSICA BARROCA 1600 a 1750 O período Barroco é muito importante porque a polifonia utilizada nas vozes no Renascimento passou para os instrumentos musicais. Nasceu assim a música absoluta, que é a música instrumental pura, e não só para acompanhamento do canto e dança, mas sim, só para ser ouvida. Neste período, extremamente rico, nasceu a orquestra e a ópera.
  • 13. INSTRUMENTOS DO BARROCO Instrumentos de teclas com funcionamento mecânico de ar para os tubos.
  • 15. MÚSICA CLÁSSICA 1750 a 1810 O classicismo foi um período curto, de menos de um século – 70 anos aproximadamente. Estende-se desde a morte dos últimos mestres do Barroco, até o final da era Beethoveniana. A música deste período tem um estilo ceracterizado por um, refinado sentido de harmonia, equilíbrio de expressão e disciplina do espírito. É uma música que transmite claridade, repouso e lirismo.
  • 16. Instrumentos da Música Clássica Os quatros principais tipos de instrumentos da família das madeiras eram: a flauta , o oboé , o recém – inventado clarinete e o fagote. Passaram a figurar aos pares, dando independência ao naipe das madeiras. As cordas já possuíam sua organização e independência.
  • 17. O cravo, como baixo contínuo, caiu em desuso e no seu lugar passaram a usar duas trompas, que faziam o papel dele na música barroca, preenchendo as harmonia, mantendo a unidade do conjunto. Quase sempre eram também incluídos um par de trompetes e outros de tímpanos.
  • 18. MÚSICA ROMÂNTICA 1810 a 1910 A música Romântica foi influenciada por temas da literatura, das artes plásticas e pelos cenários naturais. A música, mais do que nunca, procurava pintar um quadro ou contar uma historia. Beethoven representou a transição do estilo clássico para o romântico.
  • 19. INSTRUMENTOS MÚSICAIS Surgiram novos instrumentos, onde tivemos Adolf Sax como o inventor do saxofones, saxhorn, bombardino e tubas. O alemão chamado Heinrich Stölzel, criou o sistema de válvulas para instrumentos de metal, e em 1939 o francês Périnet patentiou um sistema de válvulas chamado de “gros piston” que é a origem das válvulas que utilizamos hoje no trompete.
  • 20. A evolução musical e a união dos instrumentos de cordas, madeira e metais vão dar todo um ar sinfônico
  • 21. MODERNISMO OU MÚSICA DO SÉC.XX 1900 em diante O homem desse período teve de se adaptar a muitos progressos que se refletiram no seu dia-a-dia. Surgiram então músicas muito avançadas para a época, refletindo a rápida mudança do homem nesse período. Por isso, muitas vezes soam-nos de maneira estranha, pois rompem com todas as idéias tradicionais até então vistas. O século XX é o único da história da musica que teve o privilégio de ouvir música de todos os períodos, ligada à imagem, por causa do cinema.
  • 22. INSTRUMENTOS MÚSICAIS É um instrumento de sopro usado, na maioria das vezes, na Bossa-nova O acordeon foi desenvolvido por volta de 1829 em Viena (Áustria) Cirilus Demian. Anteriormente houveram várias construções mais rudimentares até o seu aprimoramento. Sua construção foi baseada num instrumento de sopro chinês chamado Cheng, com o mesmo sistema de palhetas. No século XIX . CHENG Os instrumentos já existente foram se modernizando com o avanço e os recursos tecnológicos. Como por exemplos alguns instrumentos de sopros ganharam um toque eletrônico.
  • 23. Antes não existia a gravação, o rádio, a televisão, o cinema, e a música se perdia no momento em que acabava de ser executada. Hoje podemos passear pela história da música, desde o canto gregoriano da Idade Média, a polifonia da Renascença, a música do período Barroco, Clássico e do período Romântico até os dias de hoje, no mesmo dia e à nossa escolha, devido o grande avanço científico e tecnológico.
  • 24. INSTRUMENTOS ATRAVÉS DA HISTÓRIA  PRIMÓDIOS FLAUTAS TROMBETAS TROMPAS
  • 26.  IDADE MÉDIA CHARAMELA BOMBARDAS BAIXÃO FLAUTAS DE BAMBU E METAIS
  • 30.  CLASSICISMO FAMÍLIA DAS MADEIRAS E DOS METAIS
  • 31.  ROMÂNTISMO SAX – SAXHORN – TROMPETE – BOMBARDINO TUBA E SOUSAFONE
  • 33. EVOLUÇÃO E DIVISÃO DOS INSTRUMENTOS DE SOPROS  FAMILÍA DAS MADEIRAS : os instrumentos de sopro conhecidos como madeiras são, como seu nome sugere, feitos basicamente de madeira, apesar de os modernos flautins, flautas e saxofones serem de metal. Os sons são produzidos pelo sopro do instrumentista, que faz vibrar uma palheta ou, no caso da flauta e do flautim, penetra no instrumento. Enquanto os sons produzidos pela família das cordas fundem-se em um todo, os sons do naipes das madeiras são mais individuais, tendendo mais ao contraste do que à fusão. Muitas vezes solam e por esse motivo é que estão disposto no centro da orquestra, em um plano mais elevado que o das cordas, diretamente em frente ao regente.
  • 40.  FAMÍLIA DOS METAIS : Metais é o nome dado aos instrumentos de sopro originalmente feitos de latão, mas que hoje em dias são construídos de uma liga de metais, em vez de puro latão ou bronze. Os metais, quando tocam juntos, são a glória da orquestra, pois possuem um impacto arrasador. É importante entender que a diferencia principal entre os instrumentos do naipe de metais e do naipe das madeiras não é o material com que eles são construídos, mas a maneira como eles produzem os sons. Nas madeiras, os sons são produzidos pela vibração das palhetas (menos na flauta), enquanto nos metais o som é produzido pela vibração dos lábios do instrumentista. A localização da seção de metais na plataforma de concerto é atrás e acima das cordas e das madeiras.
  • 44. NAS MADEIRAS OS SONS É PRODUZIDO POR PALHETAS Guaita instrumento de sopro cujos sons são produzidos por um conjunto de palhetas
  • 45. NOS METAIS OS SONS É PRODUZIDO POR BOCAIS