SlideShare uma empresa Scribd logo
 
Teorias acerca da Formação do Sistema Solar Buffon, 1749 Num dado momento da história do Universo ter-se-ia registado uma catástrofe. Um cometa (na época era considerado com características de estrela) teria chocado com o Sol e deste choque resultaria a emissão de um filamento de matéria solar que, esfriando e condensando, teria dado origem aos planetas dispersos em rosário no filamento.
Teorias acerca da Formação do Sistema Solar Chamberlain e Moulton, 1900 Antes de existirem os planetas uma outra estrela teria passado junto do sol, arrancando parte dele. O material ter-se-ia condensado em blocos que ficariam orbitando na direcção em que haviam sido arrancados. Os pedaços ter-se-iam juntado, formando, deste modo, os planetas.
Teorias acerca da Formação do Sistema Solar Kant (1755) O Sistema Solar ter-se-ia formado a partir de uma nébula gasosa, da qual condensaram corpos que terão originado o Sol e os planetas, girando todos na mesma direcção.
Teorias acerca da Formação do Sistema Solar Laplace(1796)– “HIPÓTESE NEBULAR” A nébula giratória terá começado a arrefece e contrair, aumentando a velocidade de rotação. Formaram-se anéis que condensaram em planetas.
Não há verdades absolutas Em Ciência não existem consensos generalizados, nem verdades absolutas. É a discórdia entre várias correntes de pensamento que promove a pesquisa e impulsiona o desenvolvimento científico.
Não há verdades absolutas Actualmente, a teoria mais aceite para explicar a formação do Sistema Solar é a Teoria Nebular Reformulada, baseada na teoria de Kant e Laplace. Contudo, ainda existem questões em aberto – para as quais não temos respostas… Só o desenvolvimento científico as poderá fornecer, quem sabe, numa nova teoria!
Teoria Nebular Reformulada Todos os corpos do Sistema Solar formaram -se a partir de um aglomerado nebular constituído, principalmente por hidrogénio e hélio . (tabela I pág.90)
Teoria Nebular Reformulada Durante a evolução da nébula solar são considerados os seguintes momentos:
Teoria Nebular Reformulada Uma nébula, composta por minúsculas partículas e gases, teria começado a contrair-se em resultado da sua própria força gravitacional;  A contracção do material da nebulosa teria provocado o aumento da sua velocidade de rotação.
Teoria Nebular Reformulada Lentamente, a nébula começaria a arrefecer e a adquirir a forma de um disco achatado; ocupando uma posição central estava uma massa de gás densa e luminosa - o proto-sol. Durante o arrefecimento do disco nebular, ter-se-ia verificado a condensação dos materiais da nébula em grãos sólidos e dispersos.
  As regiões situadas na periferia, em contacto com o espaço intersideral, arrefeciam mais rapidamente do que as situadas próximo do proto-sol.   No disco protoplanetário  as partículas iam agregando-se (acreção) originando corpos cada vez maiores –  PLANETESIMAIS   (Os Cometas e os Asteróides são restos desses planetesimais) Teoria Nebular Reformulada
Teoria Nebular Reformulada Os planetesimais, pequenos corpos com diâmetro de cerca de 100 metros, ter-se-iam formado por aglutinação de poeiras devido à força da gravidade. Os corpos maiores teriam começado a atrair os corpos mais pequenos, que colidindo uns com os outros fizeram surgir corpos com dimensões cada vez maiores -os  protoplanetas . Por  acreção  de novos materiais, os protoplanetas ter-se-iam transformado nos  planetas. Actividade 3 – pág. 92
Acreção
Acreção Filme 1 Filme 2
Zonação mineralógica A relação entre a temperatura e o ponto de condensação  dos materiais conduziu a uma zonação mineralógica de acordo com a distância ao Sol.  Os planetas mais densos formar-se-iam mais próximo do Sol e os menos densos mais afastados dele.
Argumentos a favor da teoria Idade idêntica para todos os corpos do Sistema Solar Regularidade das órbitas planetárias órbitas complanares formando um disco (excepto Plutão) os planetas orbitam em sentido directo todos os planetas têm movimentos de rotação no sentido directo excepto Vénus e Úrano. Os planetas mais próximos do Sol são mais densos do que os mais afastados.
Por explicar… O sentido de rotação retrógrado de Vénus e úrano Baixa velocidade rotação do Sol As questões em aberto são objecto de investigação científica permanente – países com recursos económicos vastos investem na investigação: EUA e Rússia
Sentido e eixo de rotação dos planetas principais
Formação da terra - Acreção e diferenciação Tal como os outros planetas do Sistema Solar, a Terra formou-se por  acreção  de materiais da nébula solar por acção da força gravítica. Seguiu-se um processo de  diferenciação   em camadas. Embora o inicio da sua formação se tenha dado há 4600 M.a. Continuou a crescer durante 120 a 150 M.a.  Rochas mais antigas 3825 M.a. – baía de Hudson, Canadá.
Acreção Acumulação de matéria na superfície de um astro, proveniente do meio circundante, a partir da atracção gravitacional entre as partículas: corpos de massa superior exercem uma força de atracção gravitacional sobre outros corpos superior à exercida por corpos de menor massa relativa.
A Terra está dividida em camadas Segundo muitos investigadores, originariamente, a Terra teria uma estrutura homogénea, com uma distribuição regular de Ferro, silicatos e água. A estrutura em camadas concêntricas e a existência de uma atmosfera exterior levou à procura de uma explicação para esta diferenciação estrutural e química.
Acreção e Diferenciação
 
Diferenciação foi provocada por energia de diferentes fontes: Calor resultante do impacto dos planetesimais Calor resultante da compressão dos materiais constituintes da Terra Calor resultante da Desintegração radioactiva
 
 
 
Fontes de Calor responsáveis pela diferenciação: Impacto dos Planetesimais Compressão de materiais Desintegração radioactiva de compostos rochosos
 
Diferenciação É o resultado da diferença e variação de densidades após a fusão e aquecimento dos materiais. Este fenómeno deu origem ás várias camadas que o nosso planeta tem, dispostas da periferia para o interior, de acordo com densidades crescentes.
Diferenciação Os materiais sofreram fusão. Sendo o Ferro mais denso, e com um ponto de fusão mais elevado, deslocou-se na direcção do centro do planeta, e os menos densos movimentaram-se para a periferia que, ao arrefecerem, originaram a crosta primitiva. Na crosta recém formada, os fenómenos de vulcanismo seriam generalizados.
Diferenciação Durante os fenómenos de vulcanismo intenso, foram libertadas enormes quantidades de lava e gases que permitiram o aparecimento da atmosfera primitiva.  O vapor de água libertado ter-se-ia condensado por arrefecimento, originando abundantes chuvas, que caindo sobre a Terra formaram os oceanos primitivos. Actividade 6, pág.102
Diferenciação Inicialmente, a Terra era uma massa homogénea de Ferro e silicatos. Ocorre fusão de materiais provocada pelas fontes de calor (impacto de planetesimais, compressão e desintegração radioactiva) Movimentação de materiais mais densos em direcção ao centro da Terra (Ferro) e dos menos densos em direcção à superfície. Arrefecimento Crosta primitiva Atmosfera primitiva Oceanos primitivos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

4 sistema solar
4   sistema solar4   sistema solar
4 sistema solar
margaridabt
 
O sistema solar origem
O sistema solar   origemO sistema solar   origem
O sistema solar origem
Isabel Lopes
 
A Terra – acreção e diferenciação
A Terra – acreção e diferenciaçãoA Terra – acreção e diferenciação
A Terra – acreção e diferenciação
Liliane Morgado
 
8 vulcanologia
8   vulcanologia8   vulcanologia
8 vulcanologia
margaridabt
 
Datação relativa
Datação relativaDatação relativa
Datação relativa
catiacsantos
 
Sexto ano cap 9 o sistema solar
Sexto ano cap 9 o sistema solarSexto ano cap 9 o sistema solar
Sexto ano cap 9 o sistema solar
Sarah Lemes
 
1 a terra e os subsistemas terrestres
1   a terra e os subsistemas terrestres1   a terra e os subsistemas terrestres
1 a terra e os subsistemas terrestres
margaridabt
 
7 métodos estudo interior da terra
7   métodos estudo interior da terra7   métodos estudo interior da terra
7 métodos estudo interior da terra
margaridabt
 
Origem do Sol e dos Planetas
Origem do Sol e dos PlanetasOrigem do Sol e dos Planetas
Origem do Sol e dos Planetas
Rita Galrito
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
José Luís Alves
 
Ppt 19 Compreender A Estrutura E A DinâMica Da Terra (MéTodos Indirectos ...
Ppt 19    Compreender A Estrutura E A DinâMica Da Terra (MéTodos Indirectos  ...Ppt 19    Compreender A Estrutura E A DinâMica Da Terra (MéTodos Indirectos  ...
Ppt 19 Compreender A Estrutura E A DinâMica Da Terra (MéTodos Indirectos ...
Nuno Correia
 
(3) biologia e geologia 10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
(3) biologia e geologia   10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...(3) biologia e geologia   10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
(3) biologia e geologia 10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
Hugo Martins
 
6 métodos estudo interior da terra
6   métodos estudo interior da terra6   métodos estudo interior da terra
6 métodos estudo interior da terra
margaridabt
 
Resumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º Ano
Resumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º AnoResumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º Ano
Resumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º Ano
Vitor Perfeito
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
Tânia Reis
 
8 sismologia
8   sismologia8   sismologia
8 sismologia
margaridabt
 
A terra e os seus subsistemas em interação
A terra e os seus subsistemas em interaçãoA terra e os seus subsistemas em interação
A terra e os seus subsistemas em interação
Marília Pereira
 
3 tectónica de placas
3   tectónica de placas3   tectónica de placas
3 tectónica de placas
margaridabt
 
Vulcanologia
VulcanologiaVulcanologia
Vulcanologia
Gabriela Bruno
 
Teoria da deriva 2020
Teoria da deriva 2020Teoria da deriva 2020
Teoria da deriva 2020
CecliaGuise
 

Mais procurados (20)

4 sistema solar
4   sistema solar4   sistema solar
4 sistema solar
 
O sistema solar origem
O sistema solar   origemO sistema solar   origem
O sistema solar origem
 
A Terra – acreção e diferenciação
A Terra – acreção e diferenciaçãoA Terra – acreção e diferenciação
A Terra – acreção e diferenciação
 
8 vulcanologia
8   vulcanologia8   vulcanologia
8 vulcanologia
 
Datação relativa
Datação relativaDatação relativa
Datação relativa
 
Sexto ano cap 9 o sistema solar
Sexto ano cap 9 o sistema solarSexto ano cap 9 o sistema solar
Sexto ano cap 9 o sistema solar
 
1 a terra e os subsistemas terrestres
1   a terra e os subsistemas terrestres1   a terra e os subsistemas terrestres
1 a terra e os subsistemas terrestres
 
7 métodos estudo interior da terra
7   métodos estudo interior da terra7   métodos estudo interior da terra
7 métodos estudo interior da terra
 
Origem do Sol e dos Planetas
Origem do Sol e dos PlanetasOrigem do Sol e dos Planetas
Origem do Sol e dos Planetas
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
Ppt 19 Compreender A Estrutura E A DinâMica Da Terra (MéTodos Indirectos ...
Ppt 19    Compreender A Estrutura E A DinâMica Da Terra (MéTodos Indirectos  ...Ppt 19    Compreender A Estrutura E A DinâMica Da Terra (MéTodos Indirectos  ...
Ppt 19 Compreender A Estrutura E A DinâMica Da Terra (MéTodos Indirectos ...
 
(3) biologia e geologia 10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
(3) biologia e geologia   10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...(3) biologia e geologia   10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
(3) biologia e geologia 10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
 
6 métodos estudo interior da terra
6   métodos estudo interior da terra6   métodos estudo interior da terra
6 métodos estudo interior da terra
 
Resumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º Ano
Resumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º AnoResumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º Ano
Resumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º Ano
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
 
8 sismologia
8   sismologia8   sismologia
8 sismologia
 
A terra e os seus subsistemas em interação
A terra e os seus subsistemas em interaçãoA terra e os seus subsistemas em interação
A terra e os seus subsistemas em interação
 
3 tectónica de placas
3   tectónica de placas3   tectónica de placas
3 tectónica de placas
 
Vulcanologia
VulcanologiaVulcanologia
Vulcanologia
 
Teoria da deriva 2020
Teoria da deriva 2020Teoria da deriva 2020
Teoria da deriva 2020
 

Destaque

Geologia 10 formação do sistema solar
Geologia 10   formação do sistema solarGeologia 10   formação do sistema solar
Geologia 10 formação do sistema solar
Nuno Correia
 
11.3 A Terra, acreção e diferenciação
11.3 A Terra, acreção e diferenciação11.3 A Terra, acreção e diferenciação
11.3 A Terra, acreção e diferenciação
guestf7e853
 
Formação do Sistema Solar
Formação do Sistema SolarFormação do Sistema Solar
Formação do Sistema Solar
guestdbe434
 
Ppt 12 DiferenciaçãO Da Terra
Ppt 12   DiferenciaçãO Da TerraPpt 12   DiferenciaçãO Da Terra
Ppt 12 DiferenciaçãO Da Terra
Nuno Correia
 
FormaçãO Do Sistema Solar
FormaçãO Do Sistema SolarFormaçãO Do Sistema Solar
FormaçãO Do Sistema Solar
Nuno Correia
 
A Terra, um planeta muito especial
A Terra, um planeta muito especialA Terra, um planeta muito especial
A Terra, um planeta muito especial
essg
 
BioGeo10-rochas
BioGeo10-rochasBioGeo10-rochas
BioGeo10-rochas
Rita Rainho
 
Sistema Solar: formação e constituição
Sistema Solar: formação e constituiçãoSistema Solar: formação e constituição
Sistema Solar: formação e constituição
Ana Castro
 
11.1 FormaçãO Do Sistema Solar
11.1 FormaçãO Do Sistema Solar11.1 FormaçãO Do Sistema Solar
11.1 FormaçãO Do Sistema Solar
guestf7e853
 
ApresentaçãO 1 PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 1)
ApresentaçãO 1   PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 1)ApresentaçãO 1   PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 1)
ApresentaçãO 1 PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 1)
Nuno Correia
 
Princípios Básicos do Raciocínio Geológico
Princípios Básicos do Raciocínio GeológicoPrincípios Básicos do Raciocínio Geológico
Princípios Básicos do Raciocínio Geológico
Tânia Reis
 
Oceanos
OceanosOceanos
Oceanos
limpar
 
Paleomagnetismo e Expansão dos Fundos Oceânicos
Paleomagnetismo e Expansão dos Fundos OceânicosPaleomagnetismo e Expansão dos Fundos Oceânicos
Paleomagnetismo e Expansão dos Fundos Oceânicos
Ana Castro
 
Geologia 10 raciocínio geológico
Geologia 10   raciocínio geológicoGeologia 10   raciocínio geológico
Geologia 10 raciocínio geológico
Nuno Correia
 
Perfil do fundo do oceano
Perfil do fundo do oceanoPerfil do fundo do oceano
Perfil do fundo do oceano
talexandra
 
Geologia 10 planetas, asteróides e cometas
Geologia 10   planetas, asteróides e cometasGeologia 10   planetas, asteróides e cometas
Geologia 10 planetas, asteróides e cometas
Nuno Correia
 
Morfologia Dos Continentese Fundos Oceanicos
Morfologia Dos Continentese Fundos OceanicosMorfologia Dos Continentese Fundos Oceanicos
Morfologia Dos Continentese Fundos Oceanicos
guest638ae3a
 
13. Sistema Terra Lua
13. Sistema Terra Lua13. Sistema Terra Lua
13. Sistema Terra Lua
guest15d2569
 
Continentes e fundos Oceânicos
Continentes e fundos OceânicosContinentes e fundos Oceânicos
Continentes e fundos Oceânicos
Tânia Reis
 
Princípios básicos do raciocínio geológico
Princípios básicos do raciocínio geológicoPrincípios básicos do raciocínio geológico
Princípios básicos do raciocínio geológico
margaridabt
 

Destaque (20)

Geologia 10 formação do sistema solar
Geologia 10   formação do sistema solarGeologia 10   formação do sistema solar
Geologia 10 formação do sistema solar
 
11.3 A Terra, acreção e diferenciação
11.3 A Terra, acreção e diferenciação11.3 A Terra, acreção e diferenciação
11.3 A Terra, acreção e diferenciação
 
Formação do Sistema Solar
Formação do Sistema SolarFormação do Sistema Solar
Formação do Sistema Solar
 
Ppt 12 DiferenciaçãO Da Terra
Ppt 12   DiferenciaçãO Da TerraPpt 12   DiferenciaçãO Da Terra
Ppt 12 DiferenciaçãO Da Terra
 
FormaçãO Do Sistema Solar
FormaçãO Do Sistema SolarFormaçãO Do Sistema Solar
FormaçãO Do Sistema Solar
 
A Terra, um planeta muito especial
A Terra, um planeta muito especialA Terra, um planeta muito especial
A Terra, um planeta muito especial
 
BioGeo10-rochas
BioGeo10-rochasBioGeo10-rochas
BioGeo10-rochas
 
Sistema Solar: formação e constituição
Sistema Solar: formação e constituiçãoSistema Solar: formação e constituição
Sistema Solar: formação e constituição
 
11.1 FormaçãO Do Sistema Solar
11.1 FormaçãO Do Sistema Solar11.1 FormaçãO Do Sistema Solar
11.1 FormaçãO Do Sistema Solar
 
ApresentaçãO 1 PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 1)
ApresentaçãO 1   PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 1)ApresentaçãO 1   PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 1)
ApresentaçãO 1 PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 1)
 
Princípios Básicos do Raciocínio Geológico
Princípios Básicos do Raciocínio GeológicoPrincípios Básicos do Raciocínio Geológico
Princípios Básicos do Raciocínio Geológico
 
Oceanos
OceanosOceanos
Oceanos
 
Paleomagnetismo e Expansão dos Fundos Oceânicos
Paleomagnetismo e Expansão dos Fundos OceânicosPaleomagnetismo e Expansão dos Fundos Oceânicos
Paleomagnetismo e Expansão dos Fundos Oceânicos
 
Geologia 10 raciocínio geológico
Geologia 10   raciocínio geológicoGeologia 10   raciocínio geológico
Geologia 10 raciocínio geológico
 
Perfil do fundo do oceano
Perfil do fundo do oceanoPerfil do fundo do oceano
Perfil do fundo do oceano
 
Geologia 10 planetas, asteróides e cometas
Geologia 10   planetas, asteróides e cometasGeologia 10   planetas, asteróides e cometas
Geologia 10 planetas, asteróides e cometas
 
Morfologia Dos Continentese Fundos Oceanicos
Morfologia Dos Continentese Fundos OceanicosMorfologia Dos Continentese Fundos Oceanicos
Morfologia Dos Continentese Fundos Oceanicos
 
13. Sistema Terra Lua
13. Sistema Terra Lua13. Sistema Terra Lua
13. Sistema Terra Lua
 
Continentes e fundos Oceânicos
Continentes e fundos OceânicosContinentes e fundos Oceânicos
Continentes e fundos Oceânicos
 
Princípios básicos do raciocínio geológico
Princípios básicos do raciocínio geológicoPrincípios básicos do raciocínio geológico
Princípios básicos do raciocínio geológico
 

Semelhante a Formação do Sistema Solar

Formação das Rochas
Formação das RochasFormação das Rochas
Formação das Rochas
Sara Carmo
 
Sistema Solar Guião
Sistema Solar GuiãoSistema Solar Guião
Sistema Solar Guião
Tânia Reis
 
Deriva0002
Deriva0002Deriva0002
Deriva0002
YagoVerling
 
C:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema Solar
C:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema SolarC:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema Solar
C:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema Solar
guestd7f9cbb
 
Acreção e Diferenciação
Acreção e Diferenciação Acreção e Diferenciação
Acreção e Diferenciação
Rita Galrito
 
G10 formação do sistema solar
G10   formação do sistema solarG10   formação do sistema solar
G10 formação do sistema solar
Nuno Correia
 
FormaçãO Do Sistema Solar
FormaçãO Do Sistema SolarFormaçãO Do Sistema Solar
FormaçãO Do Sistema Solar
Cidalia Aguiar
 
G10 - Formação do Sistema Solar
G10 - Formação do Sistema SolarG10 - Formação do Sistema Solar
G10 - Formação do Sistema Solar
Isaura Mourão
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
karolpoa
 
Acreção e diferenciação
Acreção e diferenciaçãoAcreção e diferenciação
Acreção e diferenciação
Miguel Ferreira
 
Origem e formação da terra
Origem e formação da terraOrigem e formação da terra
Origem e formação da terra
karolpoa
 
Aula formação do universo
Aula formação do universoAula formação do universo
Aula formação do universo
kaliandra Lisboa
 
Astronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃO
Astronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃOAstronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃO
Astronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃO
Nuricel Aguilera
 
Geologia 1
Geologia 1Geologia 1
Geologia 1
Adsson Luz
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Geografia natureza e riscos ambientais
Geografia   natureza e riscos ambientaisGeografia   natureza e riscos ambientais
Geografia natureza e riscos ambientais
geografiafelipe
 
Geografia natureza e riscos ambientais
Geografia   natureza e riscos ambientaisGeografia   natureza e riscos ambientais
Geografia natureza e riscos ambientais
geografiafelipe
 
Geografia natureza e riscos ambientais
Geografia   natureza e riscos ambientaisGeografia   natureza e riscos ambientais
Geografia natureza e riscos ambientais
felipedacarpereira
 
Sistema Solar
Sistema SolarSistema Solar
Sistema Solar
margaridabt
 
Geologia apostila
Geologia apostilaGeologia apostila
Geologia apostila
rvmc2013
 

Semelhante a Formação do Sistema Solar (20)

Formação das Rochas
Formação das RochasFormação das Rochas
Formação das Rochas
 
Sistema Solar Guião
Sistema Solar GuiãoSistema Solar Guião
Sistema Solar Guião
 
Deriva0002
Deriva0002Deriva0002
Deriva0002
 
C:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema Solar
C:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema SolarC:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema Solar
C:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema Solar
 
Acreção e Diferenciação
Acreção e Diferenciação Acreção e Diferenciação
Acreção e Diferenciação
 
G10 formação do sistema solar
G10   formação do sistema solarG10   formação do sistema solar
G10 formação do sistema solar
 
FormaçãO Do Sistema Solar
FormaçãO Do Sistema SolarFormaçãO Do Sistema Solar
FormaçãO Do Sistema Solar
 
G10 - Formação do Sistema Solar
G10 - Formação do Sistema SolarG10 - Formação do Sistema Solar
G10 - Formação do Sistema Solar
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Acreção e diferenciação
Acreção e diferenciaçãoAcreção e diferenciação
Acreção e diferenciação
 
Origem e formação da terra
Origem e formação da terraOrigem e formação da terra
Origem e formação da terra
 
Aula formação do universo
Aula formação do universoAula formação do universo
Aula formação do universo
 
Astronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃO
Astronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃOAstronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃO
Astronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃO
 
Geologia 1
Geologia 1Geologia 1
Geologia 1
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Geografia natureza e riscos ambientais
Geografia   natureza e riscos ambientaisGeografia   natureza e riscos ambientais
Geografia natureza e riscos ambientais
 
Geografia natureza e riscos ambientais
Geografia   natureza e riscos ambientaisGeografia   natureza e riscos ambientais
Geografia natureza e riscos ambientais
 
Geografia natureza e riscos ambientais
Geografia   natureza e riscos ambientaisGeografia   natureza e riscos ambientais
Geografia natureza e riscos ambientais
 
Sistema Solar
Sistema SolarSistema Solar
Sistema Solar
 
Geologia apostila
Geologia apostilaGeologia apostila
Geologia apostila
 

Mais de Tânia Reis

ficha 1 moc.pdf
ficha 1 moc.pdfficha 1 moc.pdf
ficha 1 moc.pdf
Tânia Reis
 
Condições da Terra que permitem a existência de vida
Condições da Terra que permitem a existência de vidaCondições da Terra que permitem a existência de vida
Condições da Terra que permitem a existência de vida
Tânia Reis
 
Princ geologia
Princ geologiaPrinc geologia
Princ geologia
Tânia Reis
 
Etapasp
EtapaspEtapasp
Etapasp
Tânia Reis
 
Deriva dos continentesp
Deriva dos continentespDeriva dos continentesp
Deriva dos continentesp
Tânia Reis
 
Datacaop
DatacaopDatacaop
Datacaop
Tânia Reis
 
Condiçoes da terra p
Condiçoes da terra pCondiçoes da terra p
Condiçoes da terra p
Tânia Reis
 
A terra no espaço p
A terra no espaço pA terra no espaço p
A terra no espaço p
Tânia Reis
 
A terra no espaço
A terra no espaçoA terra no espaço
A terra no espaço
Tânia Reis
 
Rochas solo tr
Rochas solo trRochas solo tr
Rochas solo tr
Tânia Reis
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
Tânia Reis
 
Transmissão da vida
Transmissão da vida Transmissão da vida
Transmissão da vida
Tânia Reis
 
Saúde individual e comunitária
Saúde individual e comunitáriaSaúde individual e comunitária
Saúde individual e comunitária
Tânia Reis
 
Instrumentos de exploração espacial
Instrumentos de exploração espacialInstrumentos de exploração espacial
Instrumentos de exploração espacial
Tânia Reis
 
A terra no espaço p
A terra no espaço pA terra no espaço p
A terra no espaço p
Tânia Reis
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
Tânia Reis
 
Sistema circulatório
Sistema circulatórioSistema circulatório
Sistema circulatório
Tânia Reis
 
Sistema hormonal
Sistema hormonalSistema hormonal
Sistema hormonal
Tânia Reis
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
Tânia Reis
 
4hereditariedade
4hereditariedade4hereditariedade
4hereditariedade
Tânia Reis
 

Mais de Tânia Reis (20)

ficha 1 moc.pdf
ficha 1 moc.pdfficha 1 moc.pdf
ficha 1 moc.pdf
 
Condições da Terra que permitem a existência de vida
Condições da Terra que permitem a existência de vidaCondições da Terra que permitem a existência de vida
Condições da Terra que permitem a existência de vida
 
Princ geologia
Princ geologiaPrinc geologia
Princ geologia
 
Etapasp
EtapaspEtapasp
Etapasp
 
Deriva dos continentesp
Deriva dos continentespDeriva dos continentesp
Deriva dos continentesp
 
Datacaop
DatacaopDatacaop
Datacaop
 
Condiçoes da terra p
Condiçoes da terra pCondiçoes da terra p
Condiçoes da terra p
 
A terra no espaço p
A terra no espaço pA terra no espaço p
A terra no espaço p
 
A terra no espaço
A terra no espaçoA terra no espaço
A terra no espaço
 
Rochas solo tr
Rochas solo trRochas solo tr
Rochas solo tr
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
 
Transmissão da vida
Transmissão da vida Transmissão da vida
Transmissão da vida
 
Saúde individual e comunitária
Saúde individual e comunitáriaSaúde individual e comunitária
Saúde individual e comunitária
 
Instrumentos de exploração espacial
Instrumentos de exploração espacialInstrumentos de exploração espacial
Instrumentos de exploração espacial
 
A terra no espaço p
A terra no espaço pA terra no espaço p
A terra no espaço p
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
 
Sistema circulatório
Sistema circulatórioSistema circulatório
Sistema circulatório
 
Sistema hormonal
Sistema hormonalSistema hormonal
Sistema hormonal
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
4hereditariedade
4hereditariedade4hereditariedade
4hereditariedade
 

Último

Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 

Último (20)

Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 

Formação do Sistema Solar

  • 1.  
  • 2. Teorias acerca da Formação do Sistema Solar Buffon, 1749 Num dado momento da história do Universo ter-se-ia registado uma catástrofe. Um cometa (na época era considerado com características de estrela) teria chocado com o Sol e deste choque resultaria a emissão de um filamento de matéria solar que, esfriando e condensando, teria dado origem aos planetas dispersos em rosário no filamento.
  • 3. Teorias acerca da Formação do Sistema Solar Chamberlain e Moulton, 1900 Antes de existirem os planetas uma outra estrela teria passado junto do sol, arrancando parte dele. O material ter-se-ia condensado em blocos que ficariam orbitando na direcção em que haviam sido arrancados. Os pedaços ter-se-iam juntado, formando, deste modo, os planetas.
  • 4. Teorias acerca da Formação do Sistema Solar Kant (1755) O Sistema Solar ter-se-ia formado a partir de uma nébula gasosa, da qual condensaram corpos que terão originado o Sol e os planetas, girando todos na mesma direcção.
  • 5. Teorias acerca da Formação do Sistema Solar Laplace(1796)– “HIPÓTESE NEBULAR” A nébula giratória terá começado a arrefece e contrair, aumentando a velocidade de rotação. Formaram-se anéis que condensaram em planetas.
  • 6. Não há verdades absolutas Em Ciência não existem consensos generalizados, nem verdades absolutas. É a discórdia entre várias correntes de pensamento que promove a pesquisa e impulsiona o desenvolvimento científico.
  • 7. Não há verdades absolutas Actualmente, a teoria mais aceite para explicar a formação do Sistema Solar é a Teoria Nebular Reformulada, baseada na teoria de Kant e Laplace. Contudo, ainda existem questões em aberto – para as quais não temos respostas… Só o desenvolvimento científico as poderá fornecer, quem sabe, numa nova teoria!
  • 8. Teoria Nebular Reformulada Todos os corpos do Sistema Solar formaram -se a partir de um aglomerado nebular constituído, principalmente por hidrogénio e hélio . (tabela I pág.90)
  • 9. Teoria Nebular Reformulada Durante a evolução da nébula solar são considerados os seguintes momentos:
  • 10. Teoria Nebular Reformulada Uma nébula, composta por minúsculas partículas e gases, teria começado a contrair-se em resultado da sua própria força gravitacional; A contracção do material da nebulosa teria provocado o aumento da sua velocidade de rotação.
  • 11. Teoria Nebular Reformulada Lentamente, a nébula começaria a arrefecer e a adquirir a forma de um disco achatado; ocupando uma posição central estava uma massa de gás densa e luminosa - o proto-sol. Durante o arrefecimento do disco nebular, ter-se-ia verificado a condensação dos materiais da nébula em grãos sólidos e dispersos.
  • 12. As regiões situadas na periferia, em contacto com o espaço intersideral, arrefeciam mais rapidamente do que as situadas próximo do proto-sol.  No disco protoplanetário as partículas iam agregando-se (acreção) originando corpos cada vez maiores – PLANETESIMAIS (Os Cometas e os Asteróides são restos desses planetesimais) Teoria Nebular Reformulada
  • 13. Teoria Nebular Reformulada Os planetesimais, pequenos corpos com diâmetro de cerca de 100 metros, ter-se-iam formado por aglutinação de poeiras devido à força da gravidade. Os corpos maiores teriam começado a atrair os corpos mais pequenos, que colidindo uns com os outros fizeram surgir corpos com dimensões cada vez maiores -os protoplanetas . Por acreção de novos materiais, os protoplanetas ter-se-iam transformado nos planetas. Actividade 3 – pág. 92
  • 15. Acreção Filme 1 Filme 2
  • 16. Zonação mineralógica A relação entre a temperatura e o ponto de condensação  dos materiais conduziu a uma zonação mineralógica de acordo com a distância ao Sol. Os planetas mais densos formar-se-iam mais próximo do Sol e os menos densos mais afastados dele.
  • 17. Argumentos a favor da teoria Idade idêntica para todos os corpos do Sistema Solar Regularidade das órbitas planetárias órbitas complanares formando um disco (excepto Plutão) os planetas orbitam em sentido directo todos os planetas têm movimentos de rotação no sentido directo excepto Vénus e Úrano. Os planetas mais próximos do Sol são mais densos do que os mais afastados.
  • 18. Por explicar… O sentido de rotação retrógrado de Vénus e úrano Baixa velocidade rotação do Sol As questões em aberto são objecto de investigação científica permanente – países com recursos económicos vastos investem na investigação: EUA e Rússia
  • 19. Sentido e eixo de rotação dos planetas principais
  • 20. Formação da terra - Acreção e diferenciação Tal como os outros planetas do Sistema Solar, a Terra formou-se por acreção de materiais da nébula solar por acção da força gravítica. Seguiu-se um processo de diferenciação em camadas. Embora o inicio da sua formação se tenha dado há 4600 M.a. Continuou a crescer durante 120 a 150 M.a. Rochas mais antigas 3825 M.a. – baía de Hudson, Canadá.
  • 21. Acreção Acumulação de matéria na superfície de um astro, proveniente do meio circundante, a partir da atracção gravitacional entre as partículas: corpos de massa superior exercem uma força de atracção gravitacional sobre outros corpos superior à exercida por corpos de menor massa relativa.
  • 22. A Terra está dividida em camadas Segundo muitos investigadores, originariamente, a Terra teria uma estrutura homogénea, com uma distribuição regular de Ferro, silicatos e água. A estrutura em camadas concêntricas e a existência de uma atmosfera exterior levou à procura de uma explicação para esta diferenciação estrutural e química.
  • 24.  
  • 25. Diferenciação foi provocada por energia de diferentes fontes: Calor resultante do impacto dos planetesimais Calor resultante da compressão dos materiais constituintes da Terra Calor resultante da Desintegração radioactiva
  • 26.  
  • 27.  
  • 28.  
  • 29. Fontes de Calor responsáveis pela diferenciação: Impacto dos Planetesimais Compressão de materiais Desintegração radioactiva de compostos rochosos
  • 30.  
  • 31. Diferenciação É o resultado da diferença e variação de densidades após a fusão e aquecimento dos materiais. Este fenómeno deu origem ás várias camadas que o nosso planeta tem, dispostas da periferia para o interior, de acordo com densidades crescentes.
  • 32. Diferenciação Os materiais sofreram fusão. Sendo o Ferro mais denso, e com um ponto de fusão mais elevado, deslocou-se na direcção do centro do planeta, e os menos densos movimentaram-se para a periferia que, ao arrefecerem, originaram a crosta primitiva. Na crosta recém formada, os fenómenos de vulcanismo seriam generalizados.
  • 33. Diferenciação Durante os fenómenos de vulcanismo intenso, foram libertadas enormes quantidades de lava e gases que permitiram o aparecimento da atmosfera primitiva. O vapor de água libertado ter-se-ia condensado por arrefecimento, originando abundantes chuvas, que caindo sobre a Terra formaram os oceanos primitivos. Actividade 6, pág.102
  • 34. Diferenciação Inicialmente, a Terra era uma massa homogénea de Ferro e silicatos. Ocorre fusão de materiais provocada pelas fontes de calor (impacto de planetesimais, compressão e desintegração radioactiva) Movimentação de materiais mais densos em direcção ao centro da Terra (Ferro) e dos menos densos em direcção à superfície. Arrefecimento Crosta primitiva Atmosfera primitiva Oceanos primitivos