SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Baixar para ler offline
Erga-se
A. W. Pink (1886-1952)
Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra
Ago/2017
2
P655
Pink, A.W.–1886 -1952
Erga-se – A. W. Pink
Tradução, adaptaçãoe ediçãoporSilvioDutra – Rio de
Janeiro, 2017.
11p.; 14,8 x 21cm
1. Teologia. 2. Vida Cristã 3. Graça 4. Fé. 5. Alves,
Silvio Dutra I. Título
CDD 230
3
"Levanta do pó o pobre, do monturo eleva o
necessitado, para os fazer sentar entre os
príncipes, para os fazer herdar um trono de glória;
porque do Senhor são as colunas da terra, sobre
elas pôs ele o mundo." (1 Samuel 2: 8)
Que incrível amor é este - a partir do seu trono no
céu dos céus, o Senhor se aproxima dos
escombros da terra - para que ele livre os que estão
em uma condição perdida e repugnante.
Nada é atribuído ao livre arbítrio ou à criatura.
"Exaltar-te-ei, ó Senhor, porque tu me levantaste,
e não permitiste que meus inimigos se alegrassem
sobre mim." (Salmo 30: 1). O homem é uma
criatura caída, e tão miserável é a sua situação que
ele é bastante incapaz de se levantar. Ele deve ser
divinamente levantado do horrível poço em que o
pecado o mergulhou. Disse o salmista: "Tu que
me levantas das portas da morte." (Salmo 9:13), e
esse é o reconhecimento de toda alma regenerada
e instruída. Como alguém bem expressou, ao se
referir à extrema miséria e desamparo da
humanidade caída, "Se um bom pensamento os
salvaria do Inferno - está totalmente fora de seu
poder de conceber, e muito menos de pensar."
O que foi apontado acima foi ilustrado
abençoadamente pelo jovem possuído pelos
4
demônios, cujo caso desconcertou os apóstolos e
de quem somos informados: "Jesus o tomou pela
mão e o levantou" (Marcos 9:27).
Mas 1 Samuel 2: 8 nos fala de algo ainda mais
maravilhoso do que a graça que procura objetos
imundos que são uma massa de corrupção, dando
a conhecer quão alto ela os eleva: "Colocá-los
entre os príncipes e fazê-los herdar o trono de
glória."
Deus não faz nada a nível de ninharias. Ele exalta
mendigos ao status de "queridos filhos". Ele leva-
os ao lugar de proximidade a Si. Ele os une em
união com Seu querido Filho, tornando-os
"herdeiros de Deus e coerdeiros com Cristo"
(Romanos 8:17). Ele os tira da argila de um estado
não regenerado - e coloca-os sobre a rocha. Que
transição maravilhosa e exaltação é esta! Trazido
da condição mais abjeta - para a mais alta
dignidade possível!
A vergonha é substituída pela honra;
Os trapos imundos são substituídos pela
imaculada túnica da justiça,
A pobreza é substituída pelas riquezas
insondáveis de Cristo!
5
Nós, com razão, nos maravilhamos com a
bondade e o poder de Deus ao levantar-nos de tais
profundidades a tais alturas - mas também
ficamos maravilhados recordando ainda o preço
horrível que tinha que pagar antes que isso
pudesse ser feito com justiça. O abatimento do
Filho de Deus era necessária para a elevação de
vil vermes da terra. Aquele que era rico teve que
ser reduzido ao nível mais baixo de pobreza -
antes que pudéssemos ser enriquecidos. O amado
do Pai teve que ser um objeto de vergonha - antes
que pudéssemos ser feitos novas criaturas. O
Senhor da glória deve morrer - para que os
pecadores que merecem o inferno sejam
vivificados.
"Levantado" foi Ele sobre o madeiro de um
condenado. Levado para ser um espetáculo de
escárnio aos Seus inimigos! Levado para ser
ferido pela mão da justiça divina! Mas também
"levantado" para que todos os homens possam ser
atraídos para ele (João 12:32) - isto é, homens de
todos os tipos e condições, de todas as nações, de
todas as classes, de todas as idades. Levados para
ser o objeto da fé, as vítimas de mordidas de
serpentes podem olhar para Ele e serem curadas.
(João 3: 14-15).
E qual deve ser a nossa resposta à abundante graça
de Deus e ao amor que transporta o conhecimento
6
de Cristo? Porque, tendo provado e visto que o
Senhor é bom, devemos deleitar-nos nele, fixar
nossas afeições nele e colocá-lo "como um selo
sobre o coração" (Cantares 8: 6). Devemos estar
envolvidos com Suas perfeições e buscar uma
comunhão mais íntima com Ele. Como aqueles
que foram sobrenaturalmente levantados,
devemos fazer como Davi: "A ti, Senhor, elevo a
minha alma." (Salmo 25: 1). Isso é um ato de
adoração, pois a verdadeira adoração é a adoração
da alma. É a posse de Deus como a Fonte da nossa
felicidade. Isto é confirmado por: "Alegra a alma
do teu servo, pois a ti, Senhor, elevo a minha
alma." (Salmo 86: 4). Isso é muito mais do que um
levantamento da voz, ou seja, um anseio profundo
e fervoroso a ser moldado de acordo com a
vontade divina. É somente Deus quem pode
colocar a verdadeira alegria no coração e, se
quisermos continuar com a sua continuação,
devemos ter o cuidado de manter a comunhão com
Ele.
Para a continuação daquela comunhão, temos que
prestar atenção aos preceitos de Deus e
determinar: "Também levantarei as minhas mãos
para os teus mandamentos, que amo, e meditarei
nos teus estatutos." (Salmo 119: 48). Esse é o
gesto de alguém que ansiava abraçar os objetos de
seu desejo e estima, de alguém que teve fome e
sede por justiça (prática).
7
Como repreende a indiferença de muitos cristãos
professos em direção aos estatutos divinos e
manifesta a inimizade da mente carnal, que
estigmatiza a obediência aos mandamentos de
Deus como "legalismo" e "escravidão".
Era uma resolução para uma determinada
observância deles, significando que eu estenderei
meus maiores esforços para obedecer; e esse é
sempre o caso em que a vontade de Deus está
encantada. Isto é confirmado pela próxima frase:
"e eu meditarei nos seus estatutos" (Salmo 119:
48). Vou aplicar minha mente a eles, pensando em
como atendê-los em todos os detalhes da minha
vida. Conhecimento e louvor devem terminar na
prática - compare com Tiago 2:12, "Então fale e
faça". A obediência deve ser séria e diligente,
tornando-se a nossa primeira preocupação e
trabalho.
No entanto, a resolução do amor não pode ser
realizada sem a força necessária, e isso deve ser
buscado definitivamente de cima. "Ouve a voz das
minhas súplicas, quando a ti clamo, quando
levanto as minhas mãos para o teu santo templo."
(Salmo 28: 2). O levantamento e o espalmar das
mãos são mencionados com frequência no Antigo
Testamento como uma postura de oração, Êxodo
9:29, 33; 1 Reis 8:22; Salmo 88: 9; 141: 2, etc. No
Novo Testamento também: "Portanto, os homens
8
orarão em todos os lugares, levantando mãos
santas, sem ira e animosidade." (1 Timóteo 2: 8).
É uma atitude de súplica sincera. É uma expressão
enfática que implica toda a dependência da alma
sobre Deus, quando todos os que procuram a
criatura são renunciados. É o ato de um mendigo
implorando esmola para que ele possa obter ajuda
e apoio. Isso revela uma sensação de necessidade,
buscando o provimento de desejos. Significa um
esforço para "tomar posse" do Senhor (Isa 64: 7),
para que possamos aproveitar a plenitude dele -
compare com Marcos 5:28, 30!
É também uma atitude de expectativa, um anseio
para receber as coisas prometidas e solicitadas.
Para que possamos estar mais preparados para
fazê-lo em confiança, a fé deve ser definitiva e
diligentemente ocupada com o seu Objeto. "Eu
levanto os meus olhos para os montes, de onde
vem a minha ajuda" (Salmo 121: 1) - esses montes
inamovíveis, duráveis e imutáveis das mãos de
Deus - eles mesmos são os símbolos de Sua
imutabilidade e poder. Somos exortados:
"Levantai ao alto os vossos olhos, e vede: quem
criou estas coisas? Foi aquele que faz sair o
exército delas segundo o seu número; ele as
chama a todas pelos seus nomes; por ser ele
9
grande em força, e forte em poder, nenhuma
faltará." (Isaías 40:26).
O que vemos na criação deve elevar nossos
pensamentos ao Criador, e mover nossos corações
em homenagem a Ele. "Levante os seus olhos para
os céus" (Isaías 51: 6) e veja as suas perfeições,
como elas se refletem neles, proclamando o Seu
poder eterno e Divindade. Considere o que pode e
a sabedoria que Ele deve possuir, em que luz
deslumbrante Ele deve habitar, com qual glória
ele deve ser cercado! Esse é o idioma da
segurança, pois as pessoas envergonhadas não
conseguem olhar para cima (Lucas 18:13),
aqueles que caminham com ele exclamam:
"Nossos olhos são para você". (2 Crônicas 20:12
e ver Salmos 25:15).
"Portanto levante as mãos que pendem e fortaleça
os joelhos fracos" (Heb 12. 12). Os cristãos devem
se lembrar que são membros de um só corpo; daí,
quando aqueles que são comparativamente
espirituais, veem alguns de seus irmãos ou irmãs
em um caso fraco e desamparado, é seu dever e
privilégio dar-lhes uma ajuda. Como mostra
Ezequiel 7: 16-17 e 21: 7, as mãos que pendem e
os joelhos fracos são figuras de fraqueza. Por
oposição e perseguição, alguns ficam abatidos,
outros desfalecem trêmulos sob a vara de Deus,
outros ficam desencorajados por causa de
10
esperanças não realizadas. Mas seja qual for a
causa, quando um crente percebe que qualquer um
de seus companheiros dá lugar a um espírito de
preguiça e se cansa de fazer o bem, deve orar por
eles, colocar diante deles um exemplo de fé,
coragem e alegria, e tentar dar uma palavra na
ocasião própria. "Diga aos que são de coração
temeroso:" Seja forte, não tenha medo: eis aí o teu
Deus." (Isaías 35: 4).
Lembre-os da fidelidade e da suficiência divinas,
cite algumas das promessas de Jesus, relacione as
poderosas libertações que você experimentou
pessoalmente da mão do Senhor.
Para aqueles que estão gemendo sob o peso do
pecado, conte-lhes sobre o sangue e a intercessão
de Cristo.
"Clama em alta voz, não te detenhas, levanta a tua
voz como a trombeta e anuncia ao meu povo a sua
transgressão, e à casa de Jacó os seus pecados."
(Isa 58: 1). Essa é uma palavra para o pregador, e
um momento mais oportuno para a hora atual.
Deus vê o pecado em Seu povo, e está descontente
com isso. Mas muitas vezes eles não estão
dispostos a reconhecê-lo, e devem ser mostrados.
O trabalho dos ministros é de vários lados. A
ternura deve ser combinada com firmeza,
compaixão com ousadia, amor pelas almas com
11
preocupação com a glória de Deus. Eles não são
chamados apenas para consolar o Seu povo (Isaías
42: 1), mas para "levantar a sua voz como uma
trombeta" (Isa 58: 1), soar o alarme, não poupar
hipócritas, colocar a sua força ao fazê-lo. Por mais
impopular que seja, faça ouvir a sua voz ao
repreender o mundanismo e a carnalidade, a frieza
e a formalidade dos santos. Não haverá melhoria
no banco de ouvintes - a menos que o púlpito mais
uma vez desempenhe esse dever.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Licao 3 Davi Na Corte Real
Licao 3  Davi Na  Corte  RealLicao 3  Davi Na  Corte  Real
Licao 3 Davi Na Corte RealFUNVIC
 
O aperfeiçoamento da fé_242014_GGR
O aperfeiçoamento da fé_242014_GGRO aperfeiçoamento da fé_242014_GGR
O aperfeiçoamento da fé_242014_GGRGerson G. Ramos
 
16. como aceita nosso trabalho
16. como aceita nosso trabalho16. como aceita nosso trabalho
16. como aceita nosso trabalhopohlos
 
43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 milpohlos
 
O conflito cósmico sobre o caráter de Deus_Resumo_1242013
O conflito cósmico sobre o caráter de Deus_Resumo_1242013O conflito cósmico sobre o caráter de Deus_Resumo_1242013
O conflito cósmico sobre o caráter de Deus_Resumo_1242013Gerson G. Ramos
 
Aquietai vos e sabei que eu sou deus - jonathan edwards
Aquietai vos e sabei que eu sou deus - jonathan edwardsAquietai vos e sabei que eu sou deus - jonathan edwards
Aquietai vos e sabei que eu sou deus - jonathan edwardsDeusdete Soares
 
Sendo Aprovado - T. Austin-Sparks
Sendo Aprovado - T. Austin-SparksSendo Aprovado - T. Austin-Sparks
Sendo Aprovado - T. Austin-SparksSilvio Dutra
 
A gloriosa predestinação charles haddon spurgeon
A gloriosa predestinação   charles haddon spurgeonA gloriosa predestinação   charles haddon spurgeon
A gloriosa predestinação charles haddon spurgeonDeusdete Soares
 
Todos os adventistas receberão luz sobre a questão de uma não TRINDADE?
Todos os adventistas receberão luz sobre a questão de uma não TRINDADE?Todos os adventistas receberão luz sobre a questão de uma não TRINDADE?
Todos os adventistas receberão luz sobre a questão de uma não TRINDADE?Eduardo Sousa Gomes
 
O homem segundo o coração de deus
O homem segundo o coração de deusO homem segundo o coração de deus
O homem segundo o coração de deusClaudio Melo David
 
❉ Respostas 4 - Repreensão e represália_GGR
❉ Respostas 4 - Repreensão e represália_GGR❉ Respostas 4 - Repreensão e represália_GGR
❉ Respostas 4 - Repreensão e represália_GGRGerson G. Ramos
 
29. preparação do povo de deus
29. preparação do povo de deus29. preparação do povo de deus
29. preparação do povo de deuspohlos
 
A Santidade de Deus - Thomas Watson
A Santidade de Deus - Thomas Watson A Santidade de Deus - Thomas Watson
A Santidade de Deus - Thomas Watson Silvio Dutra
 

Mais procurados (20)

Perfeição cristã
Perfeição cristãPerfeição cristã
Perfeição cristã
 
Licao 3 Davi Na Corte Real
Licao 3  Davi Na  Corte  RealLicao 3  Davi Na  Corte  Real
Licao 3 Davi Na Corte Real
 
O aperfeiçoamento da fé_242014_GGR
O aperfeiçoamento da fé_242014_GGRO aperfeiçoamento da fé_242014_GGR
O aperfeiçoamento da fé_242014_GGR
 
Paz
PazPaz
Paz
 
16. como aceita nosso trabalho
16. como aceita nosso trabalho16. como aceita nosso trabalho
16. como aceita nosso trabalho
 
43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil
 
A glória de deus
A glória de deusA glória de deus
A glória de deus
 
O conflito cósmico sobre o caráter de Deus_Resumo_1242013
O conflito cósmico sobre o caráter de Deus_Resumo_1242013O conflito cósmico sobre o caráter de Deus_Resumo_1242013
O conflito cósmico sobre o caráter de Deus_Resumo_1242013
 
Licao 10
Licao 10Licao 10
Licao 10
 
Aquietai vos e sabei que eu sou deus - jonathan edwards
Aquietai vos e sabei que eu sou deus - jonathan edwardsAquietai vos e sabei que eu sou deus - jonathan edwards
Aquietai vos e sabei que eu sou deus - jonathan edwards
 
O selamento e os selados
O selamento e os seladosO selamento e os selados
O selamento e os selados
 
Sendo Aprovado - T. Austin-Sparks
Sendo Aprovado - T. Austin-SparksSendo Aprovado - T. Austin-Sparks
Sendo Aprovado - T. Austin-Sparks
 
A gloriosa predestinação charles haddon spurgeon
A gloriosa predestinação   charles haddon spurgeonA gloriosa predestinação   charles haddon spurgeon
A gloriosa predestinação charles haddon spurgeon
 
Todos os adventistas receberão luz sobre a questão de uma não TRINDADE?
Todos os adventistas receberão luz sobre a questão de uma não TRINDADE?Todos os adventistas receberão luz sobre a questão de uma não TRINDADE?
Todos os adventistas receberão luz sobre a questão de uma não TRINDADE?
 
O homem segundo o coração de deus
O homem segundo o coração de deusO homem segundo o coração de deus
O homem segundo o coração de deus
 
❉ Respostas 4 - Repreensão e represália_GGR
❉ Respostas 4 - Repreensão e represália_GGR❉ Respostas 4 - Repreensão e represália_GGR
❉ Respostas 4 - Repreensão e represália_GGR
 
29. preparação do povo de deus
29. preparação do povo de deus29. preparação do povo de deus
29. preparação do povo de deus
 
RELACIONAMENTO COM DEUS
RELACIONAMENTO COM DEUSRELACIONAMENTO COM DEUS
RELACIONAMENTO COM DEUS
 
A Santidade de Deus - Thomas Watson
A Santidade de Deus - Thomas Watson A Santidade de Deus - Thomas Watson
A Santidade de Deus - Thomas Watson
 
Jesus, meu modelo (jm) mm
Jesus, meu modelo (jm)   mmJesus, meu modelo (jm)   mm
Jesus, meu modelo (jm) mm
 

Semelhante a Erga se

Reforma: consequência do reavivamento_resumo_932013
Reforma: consequência do reavivamento_resumo_932013Reforma: consequência do reavivamento_resumo_932013
Reforma: consequência do reavivamento_resumo_932013Gerson G. Ramos
 
42. a oração
42. a oração42. a oração
42. a oraçãopohlos
 
51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outros51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outrospohlos
 
Os Atributos de Deus.pdf hhij hh. HB vfuj bj
Os Atributos de Deus.pdf hhij hh. HB vfuj bjOs Atributos de Deus.pdf hhij hh. HB vfuj bj
Os Atributos de Deus.pdf hhij hh. HB vfuj bjbigbang519
 
O reino de Cristo e a lei_1322014_GGR
O reino de Cristo e a lei_1322014_GGRO reino de Cristo e a lei_1322014_GGR
O reino de Cristo e a lei_1322014_GGRGerson G. Ramos
 
Método do-cerco-de-jericó-em-equipe
Método do-cerco-de-jericó-em-equipeMétodo do-cerco-de-jericó-em-equipe
Método do-cerco-de-jericó-em-equipeElizangela Serrati
 
Qual a condição da iasd nos últimos dias
Qual a condição da iasd nos últimos diasQual a condição da iasd nos últimos dias
Qual a condição da iasd nos últimos diasJosé Silva
 
❉ Respostas 12 - Paulo: missão e mensagem_GGR
❉ Respostas 12 - Paulo: missão e mensagem_GGR❉ Respostas 12 - Paulo: missão e mensagem_GGR
❉ Respostas 12 - Paulo: missão e mensagem_GGRGerson G. Ramos
 
Encontrando o equilíbrio - Paul Washer
Encontrando o equilíbrio - Paul WasherEncontrando o equilíbrio - Paul Washer
Encontrando o equilíbrio - Paul WasherPortal Cristão
 
Estudo adicional_O Espírito Santo_332014
Estudo adicional_O Espírito Santo_332014Estudo adicional_O Espírito Santo_332014
Estudo adicional_O Espírito Santo_332014Gerson G. Ramos
 
A Igreja Remanecente - Ellen G. White
A Igreja Remanecente - Ellen G. WhiteA Igreja Remanecente - Ellen G. White
A Igreja Remanecente - Ellen G. Whitefrenjr
 
Uma Vida de Constante Oração
Uma Vida de Constante OraçãoUma Vida de Constante Oração
Uma Vida de Constante OraçãoMarcelo Lieuthier
 
Leituras: Dia de Todos os Santos - Ano B
Leituras: Dia de Todos os Santos - Ano BLeituras: Dia de Todos os Santos - Ano B
Leituras: Dia de Todos os Santos - Ano BJosé Lima
 

Semelhante a Erga se (20)

Reforma: consequência do reavivamento_resumo_932013
Reforma: consequência do reavivamento_resumo_932013Reforma: consequência do reavivamento_resumo_932013
Reforma: consequência do reavivamento_resumo_932013
 
42. a oração
42. a oração42. a oração
42. a oração
 
Oração tipos
Oração tiposOração tipos
Oração tipos
 
51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outros51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outros
 
Os Atributos de Deus.pdf hhij hh. HB vfuj bj
Os Atributos de Deus.pdf hhij hh. HB vfuj bjOs Atributos de Deus.pdf hhij hh. HB vfuj bj
Os Atributos de Deus.pdf hhij hh. HB vfuj bj
 
O reino de Cristo e a lei_1322014_GGR
O reino de Cristo e a lei_1322014_GGRO reino de Cristo e a lei_1322014_GGR
O reino de Cristo e a lei_1322014_GGR
 
Método do-cerco-de-jericó-em-equipe
Método do-cerco-de-jericó-em-equipeMétodo do-cerco-de-jericó-em-equipe
Método do-cerco-de-jericó-em-equipe
 
Qual a condição da iasd nos últimos dias
Qual a condição da iasd nos últimos diasQual a condição da iasd nos últimos dias
Qual a condição da iasd nos últimos dias
 
❉ Respostas 12 - Paulo: missão e mensagem_GGR
❉ Respostas 12 - Paulo: missão e mensagem_GGR❉ Respostas 12 - Paulo: missão e mensagem_GGR
❉ Respostas 12 - Paulo: missão e mensagem_GGR
 
Encontrando o equilíbrio - Paul Washer
Encontrando o equilíbrio - Paul WasherEncontrando o equilíbrio - Paul Washer
Encontrando o equilíbrio - Paul Washer
 
Estudo adicional_O Espírito Santo_332014
Estudo adicional_O Espírito Santo_332014Estudo adicional_O Espírito Santo_332014
Estudo adicional_O Espírito Santo_332014
 
A Igreja Remanecente - Ellen G. White
A Igreja Remanecente - Ellen G. WhiteA Igreja Remanecente - Ellen G. White
A Igreja Remanecente - Ellen G. White
 
Uma Vida de Constante Oração
Uma Vida de Constante OraçãoUma Vida de Constante Oração
Uma Vida de Constante Oração
 
Leituras: Dia de Todos os Santos - Ano B
Leituras: Dia de Todos os Santos - Ano BLeituras: Dia de Todos os Santos - Ano B
Leituras: Dia de Todos os Santos - Ano B
 
Cerco de jericó
Cerco de jericóCerco de jericó
Cerco de jericó
 
A. w. pink os atributos de deus
A. w. pink   os atributos de deusA. w. pink   os atributos de deus
A. w. pink os atributos de deus
 
A. w. pink os atributos de Deus
A. w. pink   os atributos de DeusA. w. pink   os atributos de Deus
A. w. pink os atributos de Deus
 
Bem estar temporal
Bem estar temporalBem estar temporal
Bem estar temporal
 
Fé e obras
Fé e obrasFé e obras
Fé e obras
 
A Maravilhosa Graça de Deus (MG) - MM
A Maravilhosa Graça de Deus (MG) - MMA Maravilhosa Graça de Deus (MG) - MM
A Maravilhosa Graça de Deus (MG) - MM
 

Mais de Silvio Dutra

A Vida Alcançada por uma Aliança
A Vida Alcançada por uma AliançaA Vida Alcançada por uma Aliança
A Vida Alcançada por uma AliançaSilvio Dutra
 
AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...
AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...
AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...Silvio Dutra
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdfSinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdfSilvio Dutra
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdfSinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdfSilvio Dutra
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2Silvio Dutra
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdfSinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdfSilvio Dutra
 
Deus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdfDeus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdfSilvio Dutra
 
Deus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdfDeus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdfSilvio Dutra
 
O Pecado Inviabiliza a Paz Mundial
O Pecado Inviabiliza a Paz MundialO Pecado Inviabiliza a Paz Mundial
O Pecado Inviabiliza a Paz MundialSilvio Dutra
 
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John Owen
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John OwenA firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John Owen
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John OwenSilvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 74
Deus requer santificação aos cristãos 74Deus requer santificação aos cristãos 74
Deus requer santificação aos cristãos 74Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 73
Deus requer santificação aos cristãos 73Deus requer santificação aos cristãos 73
Deus requer santificação aos cristãos 73Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 72
Deus requer santificação aos cristãos 72Deus requer santificação aos cristãos 72
Deus requer santificação aos cristãos 72Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 71
Deus requer santificação aos cristãos 71Deus requer santificação aos cristãos 71
Deus requer santificação aos cristãos 71Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 70
Deus requer santificação aos cristãos 70Deus requer santificação aos cristãos 70
Deus requer santificação aos cristãos 70Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 69
Deus requer santificação aos cristãos 69Deus requer santificação aos cristãos 69
Deus requer santificação aos cristãos 69Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 68
Deus requer santificação aos cristãos 68Deus requer santificação aos cristãos 68
Deus requer santificação aos cristãos 68Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 67
Deus requer santificação aos cristãos 67Deus requer santificação aos cristãos 67
Deus requer santificação aos cristãos 67Silvio Dutra
 

Mais de Silvio Dutra (20)

Poder
PoderPoder
Poder
 
A Vida Alcançada por uma Aliança
A Vida Alcançada por uma AliançaA Vida Alcançada por uma Aliança
A Vida Alcançada por uma Aliança
 
AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...
AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...
AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdfSinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdf
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdfSinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdf
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdfSinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdf
 
Deus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdfDeus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdf
 
Deus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdfDeus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdf
 
O Pecado Inviabiliza a Paz Mundial
O Pecado Inviabiliza a Paz MundialO Pecado Inviabiliza a Paz Mundial
O Pecado Inviabiliza a Paz Mundial
 
O Começo e o Fim
O Começo e o FimO Começo e o Fim
O Começo e o Fim
 
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John Owen
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John OwenA firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John Owen
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John Owen
 
Deus requer santificação aos cristãos 74
Deus requer santificação aos cristãos 74Deus requer santificação aos cristãos 74
Deus requer santificação aos cristãos 74
 
Deus requer santificação aos cristãos 73
Deus requer santificação aos cristãos 73Deus requer santificação aos cristãos 73
Deus requer santificação aos cristãos 73
 
Deus requer santificação aos cristãos 72
Deus requer santificação aos cristãos 72Deus requer santificação aos cristãos 72
Deus requer santificação aos cristãos 72
 
Deus requer santificação aos cristãos 71
Deus requer santificação aos cristãos 71Deus requer santificação aos cristãos 71
Deus requer santificação aos cristãos 71
 
Deus requer santificação aos cristãos 70
Deus requer santificação aos cristãos 70Deus requer santificação aos cristãos 70
Deus requer santificação aos cristãos 70
 
Deus requer santificação aos cristãos 69
Deus requer santificação aos cristãos 69Deus requer santificação aos cristãos 69
Deus requer santificação aos cristãos 69
 
Deus requer santificação aos cristãos 68
Deus requer santificação aos cristãos 68Deus requer santificação aos cristãos 68
Deus requer santificação aos cristãos 68
 
Deus requer santificação aos cristãos 67
Deus requer santificação aos cristãos 67Deus requer santificação aos cristãos 67
Deus requer santificação aos cristãos 67
 

Último

Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxManoel Candido Pires Junior
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Nilson Almeida
 
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfFrancisco Baptista
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024Fraternitas Movimento
 
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfDaddizinhaRodrigues
 

Último (7)

Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
 
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
 
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
 

Erga se

  • 1. Erga-se A. W. Pink (1886-1952) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra Ago/2017
  • 2. 2 P655 Pink, A.W.–1886 -1952 Erga-se – A. W. Pink Tradução, adaptaçãoe ediçãoporSilvioDutra – Rio de Janeiro, 2017. 11p.; 14,8 x 21cm 1. Teologia. 2. Vida Cristã 3. Graça 4. Fé. 5. Alves, Silvio Dutra I. Título CDD 230
  • 3. 3 "Levanta do pó o pobre, do monturo eleva o necessitado, para os fazer sentar entre os príncipes, para os fazer herdar um trono de glória; porque do Senhor são as colunas da terra, sobre elas pôs ele o mundo." (1 Samuel 2: 8) Que incrível amor é este - a partir do seu trono no céu dos céus, o Senhor se aproxima dos escombros da terra - para que ele livre os que estão em uma condição perdida e repugnante. Nada é atribuído ao livre arbítrio ou à criatura. "Exaltar-te-ei, ó Senhor, porque tu me levantaste, e não permitiste que meus inimigos se alegrassem sobre mim." (Salmo 30: 1). O homem é uma criatura caída, e tão miserável é a sua situação que ele é bastante incapaz de se levantar. Ele deve ser divinamente levantado do horrível poço em que o pecado o mergulhou. Disse o salmista: "Tu que me levantas das portas da morte." (Salmo 9:13), e esse é o reconhecimento de toda alma regenerada e instruída. Como alguém bem expressou, ao se referir à extrema miséria e desamparo da humanidade caída, "Se um bom pensamento os salvaria do Inferno - está totalmente fora de seu poder de conceber, e muito menos de pensar." O que foi apontado acima foi ilustrado abençoadamente pelo jovem possuído pelos
  • 4. 4 demônios, cujo caso desconcertou os apóstolos e de quem somos informados: "Jesus o tomou pela mão e o levantou" (Marcos 9:27). Mas 1 Samuel 2: 8 nos fala de algo ainda mais maravilhoso do que a graça que procura objetos imundos que são uma massa de corrupção, dando a conhecer quão alto ela os eleva: "Colocá-los entre os príncipes e fazê-los herdar o trono de glória." Deus não faz nada a nível de ninharias. Ele exalta mendigos ao status de "queridos filhos". Ele leva- os ao lugar de proximidade a Si. Ele os une em união com Seu querido Filho, tornando-os "herdeiros de Deus e coerdeiros com Cristo" (Romanos 8:17). Ele os tira da argila de um estado não regenerado - e coloca-os sobre a rocha. Que transição maravilhosa e exaltação é esta! Trazido da condição mais abjeta - para a mais alta dignidade possível! A vergonha é substituída pela honra; Os trapos imundos são substituídos pela imaculada túnica da justiça, A pobreza é substituída pelas riquezas insondáveis de Cristo!
  • 5. 5 Nós, com razão, nos maravilhamos com a bondade e o poder de Deus ao levantar-nos de tais profundidades a tais alturas - mas também ficamos maravilhados recordando ainda o preço horrível que tinha que pagar antes que isso pudesse ser feito com justiça. O abatimento do Filho de Deus era necessária para a elevação de vil vermes da terra. Aquele que era rico teve que ser reduzido ao nível mais baixo de pobreza - antes que pudéssemos ser enriquecidos. O amado do Pai teve que ser um objeto de vergonha - antes que pudéssemos ser feitos novas criaturas. O Senhor da glória deve morrer - para que os pecadores que merecem o inferno sejam vivificados. "Levantado" foi Ele sobre o madeiro de um condenado. Levado para ser um espetáculo de escárnio aos Seus inimigos! Levado para ser ferido pela mão da justiça divina! Mas também "levantado" para que todos os homens possam ser atraídos para ele (João 12:32) - isto é, homens de todos os tipos e condições, de todas as nações, de todas as classes, de todas as idades. Levados para ser o objeto da fé, as vítimas de mordidas de serpentes podem olhar para Ele e serem curadas. (João 3: 14-15). E qual deve ser a nossa resposta à abundante graça de Deus e ao amor que transporta o conhecimento
  • 6. 6 de Cristo? Porque, tendo provado e visto que o Senhor é bom, devemos deleitar-nos nele, fixar nossas afeições nele e colocá-lo "como um selo sobre o coração" (Cantares 8: 6). Devemos estar envolvidos com Suas perfeições e buscar uma comunhão mais íntima com Ele. Como aqueles que foram sobrenaturalmente levantados, devemos fazer como Davi: "A ti, Senhor, elevo a minha alma." (Salmo 25: 1). Isso é um ato de adoração, pois a verdadeira adoração é a adoração da alma. É a posse de Deus como a Fonte da nossa felicidade. Isto é confirmado por: "Alegra a alma do teu servo, pois a ti, Senhor, elevo a minha alma." (Salmo 86: 4). Isso é muito mais do que um levantamento da voz, ou seja, um anseio profundo e fervoroso a ser moldado de acordo com a vontade divina. É somente Deus quem pode colocar a verdadeira alegria no coração e, se quisermos continuar com a sua continuação, devemos ter o cuidado de manter a comunhão com Ele. Para a continuação daquela comunhão, temos que prestar atenção aos preceitos de Deus e determinar: "Também levantarei as minhas mãos para os teus mandamentos, que amo, e meditarei nos teus estatutos." (Salmo 119: 48). Esse é o gesto de alguém que ansiava abraçar os objetos de seu desejo e estima, de alguém que teve fome e sede por justiça (prática).
  • 7. 7 Como repreende a indiferença de muitos cristãos professos em direção aos estatutos divinos e manifesta a inimizade da mente carnal, que estigmatiza a obediência aos mandamentos de Deus como "legalismo" e "escravidão". Era uma resolução para uma determinada observância deles, significando que eu estenderei meus maiores esforços para obedecer; e esse é sempre o caso em que a vontade de Deus está encantada. Isto é confirmado pela próxima frase: "e eu meditarei nos seus estatutos" (Salmo 119: 48). Vou aplicar minha mente a eles, pensando em como atendê-los em todos os detalhes da minha vida. Conhecimento e louvor devem terminar na prática - compare com Tiago 2:12, "Então fale e faça". A obediência deve ser séria e diligente, tornando-se a nossa primeira preocupação e trabalho. No entanto, a resolução do amor não pode ser realizada sem a força necessária, e isso deve ser buscado definitivamente de cima. "Ouve a voz das minhas súplicas, quando a ti clamo, quando levanto as minhas mãos para o teu santo templo." (Salmo 28: 2). O levantamento e o espalmar das mãos são mencionados com frequência no Antigo Testamento como uma postura de oração, Êxodo 9:29, 33; 1 Reis 8:22; Salmo 88: 9; 141: 2, etc. No Novo Testamento também: "Portanto, os homens
  • 8. 8 orarão em todos os lugares, levantando mãos santas, sem ira e animosidade." (1 Timóteo 2: 8). É uma atitude de súplica sincera. É uma expressão enfática que implica toda a dependência da alma sobre Deus, quando todos os que procuram a criatura são renunciados. É o ato de um mendigo implorando esmola para que ele possa obter ajuda e apoio. Isso revela uma sensação de necessidade, buscando o provimento de desejos. Significa um esforço para "tomar posse" do Senhor (Isa 64: 7), para que possamos aproveitar a plenitude dele - compare com Marcos 5:28, 30! É também uma atitude de expectativa, um anseio para receber as coisas prometidas e solicitadas. Para que possamos estar mais preparados para fazê-lo em confiança, a fé deve ser definitiva e diligentemente ocupada com o seu Objeto. "Eu levanto os meus olhos para os montes, de onde vem a minha ajuda" (Salmo 121: 1) - esses montes inamovíveis, duráveis e imutáveis das mãos de Deus - eles mesmos são os símbolos de Sua imutabilidade e poder. Somos exortados: "Levantai ao alto os vossos olhos, e vede: quem criou estas coisas? Foi aquele que faz sair o exército delas segundo o seu número; ele as chama a todas pelos seus nomes; por ser ele
  • 9. 9 grande em força, e forte em poder, nenhuma faltará." (Isaías 40:26). O que vemos na criação deve elevar nossos pensamentos ao Criador, e mover nossos corações em homenagem a Ele. "Levante os seus olhos para os céus" (Isaías 51: 6) e veja as suas perfeições, como elas se refletem neles, proclamando o Seu poder eterno e Divindade. Considere o que pode e a sabedoria que Ele deve possuir, em que luz deslumbrante Ele deve habitar, com qual glória ele deve ser cercado! Esse é o idioma da segurança, pois as pessoas envergonhadas não conseguem olhar para cima (Lucas 18:13), aqueles que caminham com ele exclamam: "Nossos olhos são para você". (2 Crônicas 20:12 e ver Salmos 25:15). "Portanto levante as mãos que pendem e fortaleça os joelhos fracos" (Heb 12. 12). Os cristãos devem se lembrar que são membros de um só corpo; daí, quando aqueles que são comparativamente espirituais, veem alguns de seus irmãos ou irmãs em um caso fraco e desamparado, é seu dever e privilégio dar-lhes uma ajuda. Como mostra Ezequiel 7: 16-17 e 21: 7, as mãos que pendem e os joelhos fracos são figuras de fraqueza. Por oposição e perseguição, alguns ficam abatidos, outros desfalecem trêmulos sob a vara de Deus, outros ficam desencorajados por causa de
  • 10. 10 esperanças não realizadas. Mas seja qual for a causa, quando um crente percebe que qualquer um de seus companheiros dá lugar a um espírito de preguiça e se cansa de fazer o bem, deve orar por eles, colocar diante deles um exemplo de fé, coragem e alegria, e tentar dar uma palavra na ocasião própria. "Diga aos que são de coração temeroso:" Seja forte, não tenha medo: eis aí o teu Deus." (Isaías 35: 4). Lembre-os da fidelidade e da suficiência divinas, cite algumas das promessas de Jesus, relacione as poderosas libertações que você experimentou pessoalmente da mão do Senhor. Para aqueles que estão gemendo sob o peso do pecado, conte-lhes sobre o sangue e a intercessão de Cristo. "Clama em alta voz, não te detenhas, levanta a tua voz como a trombeta e anuncia ao meu povo a sua transgressão, e à casa de Jacó os seus pecados." (Isa 58: 1). Essa é uma palavra para o pregador, e um momento mais oportuno para a hora atual. Deus vê o pecado em Seu povo, e está descontente com isso. Mas muitas vezes eles não estão dispostos a reconhecê-lo, e devem ser mostrados. O trabalho dos ministros é de vários lados. A ternura deve ser combinada com firmeza, compaixão com ousadia, amor pelas almas com
  • 11. 11 preocupação com a glória de Deus. Eles não são chamados apenas para consolar o Seu povo (Isaías 42: 1), mas para "levantar a sua voz como uma trombeta" (Isa 58: 1), soar o alarme, não poupar hipócritas, colocar a sua força ao fazê-lo. Por mais impopular que seja, faça ouvir a sua voz ao repreender o mundanismo e a carnalidade, a frieza e a formalidade dos santos. Não haverá melhoria no banco de ouvintes - a menos que o púlpito mais uma vez desempenhe esse dever.