SlideShare uma empresa Scribd logo
FÍSICA
TIO ROSY
Corrente elétrica
Área = Q
i =
Q
Δt
Corrente contínua –CC
Os portadores de cargas deslocam-se sempre no mesmo
sentido
São geradores CC: Pilhas, baterias e dínamos
Corrente alternada – CA
Os portadores de cargas deslocam-se alternadamente de
um sentido para outro
São geradores CA: alternadores de carro e usinas
Corrente elétrica é o movimento ordenado dos portadores de
carga num certo sentido conforme o campo elétrico.
i(A)
Corrente elétrica
t(s)
Corrente Alternada
Corrente Contínua
i(A)
t(s)
Sentidos da Corrente
Sentido convencional da
corrente
Sentido real da corrente
-
+
Resistor
Resistor é o dispositivo que transforma energia elétrica em
energia térmica.
Todo condutor é resistor, pois um fio condutor quando
percorrido por corrente elétrica dissipa energia no aquecimento
(Efeito Joule).
X
(PEIES 04) Sejam as seguintes afirmativas sobre a corrente
elétrica num condutor usual:
I. A intensidade de uma corrente elétrica é definida como o
número de elétrons que atravessaram um plano que corta o
condutor por unidade de tempo.
II. Do ponto de vista físico, sempre existe corrente elétrica
quando existe movimento de elétrons num condutor.
III. A causa da corrente elétrica é a existência de um campo
elétrico não-nulo no interior do condutor.
Está(ão) correta(s):
a) apenas I
b) apenas II
c) apenas III
d) apenas II e III
e) I, II e III
Solução:
I  A corrente elétrica é definida como a
carga que passa na unidade de
tempo. 
II  Não. Deve haver movimento
ordenado dos portadores de carga. 
III . 
Resistência Elétrica (R)
É definido como a relação entre a tensão que um
resistor é submetida e a corrente que passa por
ele.
A unidade de resistência elétrica é o ohm(Ω)
Resistor
i
U
R 
Resistores ôhmicos
É o resistor que apresenta resistência constante.
Resistor
Resistores não-ôhmicos
É o resistor que não apresenta resistência constante.
U
U
i
i
Lei de ohm
U
i
= R
Não depende da tensão ou
da corrente elétrica
“Nos materiais ôhmicos a diferença de potencial
(ddp) num segmento de condutor é proporcional a
corrente.”
“Nos resistores ôhmicos, alternando a polaridade
do resistor ou variando a tensão a resistência
permanece constante.”
U = R.i + 0
Simbologia:
Resistividade
R = ρ
ℓ
A
resistividade
característica do material
(não depende das dimensões
do mesmo)
varia com a temperatura
A resistência elétrica R depende de três fatores:
• comprimento do condutor ℓ
• área da secção reta transversal do condutor A
• material que ele é feito (resistividade ρ)
A condutividade elétrica C é o inverso da
resistência elétrica R
X
(UFSM 03) Considere as seguintes afirmativas:
I- Um dispositivo condutor obedece à Lei de Ohm, quando
sua resistência é independente do valor e da polaridade da
diferença de potencial (ddp) aplicada.
II- A relação entre a diferença de potencial (ddp) aplicada em
um fio condutor e a corrente que nele circula define a lei de
Ohm.
III- A lei de Ohm diz que a resistência de um fio condutor é
diretamente proporcional às suas dimensões.
Está(ão) correta(s):
a) apenas I
b) apenas II
c) apenas III
d) apenas I e II
e) apenas II e III
Solução:
I  É uma das formas de enunciar a lei de
Ohm. 
II  A relação entre a diferença de potencial
(ddp) aplicada em um fio condutor e a
corrente que nele circula define a
resistência elétrica e não lei de Ohm. 
III . A lei de Ohm não faz referencia as
dimensões do resistor.
R = ρ
ℓ
A
X
(PEIES 99) Um fio de resistência R é ligado a uma fonte que
fornece uma tensão. Se for reduzida à metade a área da
seção reta do fio, sem alterar o seu comprimento, e se ele
permanecer ligado à mesma fonte, a corrente fica:
Solução:
Reduzindo a área A a metade a
resistência R dobra:
Como i=U/R, dobrando-se a
resistência R, reduz-se a
corrente i a metade.
a) reduzida à quarta parte
b) quadruplicada
c) igual
d) duplicada
e) reduzida à metade
Associação de resistores
Série
is = i1 = i2 = i3
Rs = R1 + R2 + R3
Us = U1 + U2 + U3
Paralelo
i = i1 + i2 + i3
1
Rs
1
R1
1
R2
1
R3
= + +
Associação de resistores
Us = U1 = U2 = U3
Energia → volt . Ampère . segundo = Joule
1KWh = 3.600.000j
Efeito Joule
Potência → volt . Ampère = Watt
P = U2
R
P = R.i2
P = U.i
Potência - P
Efeito Joule é a dissipação de energia elétrica (E)
em térmica motivada pelo movimento de elétrons
no condutor.
Energia elétrica - E E = P. Δt
Efeito Joule
Análise de proporcionalidade
Potencia
elétrica
P = U.i
P = R.i2
P =
U2
R
P = E
Δt
Qualquer circuito
Circuito em
paralelo
Circuito em série
Circuito em série →maior resistência → maior a potência
Circuito em paralelo →maior resistência → menor a potência
X
(UFSM 00) Em uma residência, estão ligados 6 lâmpadas de
60 W cada uma, um ferro de passar roupa de 400 W e uma
ducha de 3200 W. Se a tensão na rede é de 220 V, a corrente
que circula nos fios que levam a energia elétrica à
residência, tem uma intensidade, em A, de
Solução:
P=U.i
Potência total: 6x60w = 360w
+ 1x400w = 400w
+ 1x3200w =3200w
P =3960w
P=U.i
3960=220xi
i=18A
a) 8
b) 10
c) 15
d) 18
e) 20
Medidores elétricos
Amperímetro
É o equipamento destinado a medir corrente
elétrica.
Deve ser ligado em série.
Deve apresentar resistência interna pequena.
O amperímetro ideal deve ter resistência interna
nula.
Voltímetro
É o equipamento destinado a medir ddp
(tensão).
Deve ser ligado em paralelo.
Deve apresentar resistência interna grande.
O voltímetro ideal deve ter resistência interna
infinita.
Geradores elétricos
Pilha
Etotal Eútil
Energia química Energia elétrica
Edissipada
Energia térmica
São os equipamentos destinados a transformar
outras formas de energia em energia elétrica.
U
ε
i
icc
Equação do Gerador
Eútil = Etotal - Edissipada
U = ε – r.i
cc
i
r


Geradores elétricos
U
ε
i
icc
r
Pmáx
4
2


Pmáx
Icc/2
P
i
icc
U = ε –r.i
Icc/2
ε/2
P = ε.i – r.i²
A máxima potência de um gerador é
obtida quando a corrente e a tensão
são respectivamente:
i = icc/2
U = ε/2
A potência máxima é dada por.
Receptores elétricos
São os equipamentos destinados a
transformar energia elétrica em outras
formas de energia exceto térmica.
Motor
Etotal Eútil
Energia elétrica Energia mecânica
Edissipada
Energia térmica
U
ε´
i
) α
Equação do receptor
Etotal = Eútil + Edissipada
U = ε´ + r´.i
r = tg α
X
(PEIES 07) Um gerador tem uma força eletromotriz de 1,5 V e
uma resistência interna de 0,1 Ω. Ligando-se seus terminais
a um resistor com uma resistência de 0,4 Ω, a diferença de
potencial entre esses terminais (em V) é
Solução:
ε =1,5V
r =0,1Ω
R =0,4 Ω
U = ?
Para o gerador: U = ε – r.i
Para o resistor ligado ao gerador: U = R.i
Logo: ε – r.i = R.i
1,5 – 0,1.i = 0,4.i
1,5 = 0,5.i logo: i = 3A
U = R.i
U = 0,4.3
U= 1,2V
a) 1,0
b) 1,2
c) 1,5
d) 1,8
e) 3,0
X
(PEIES 05) Um motor elétrico que está ligado a uma bateria
de 12V e que lhe fornece uma corrente elétrica de 5,0A,
desenvolveu uma potência mecânica de 55W. Considerando
que o restante da energia foi transformado em energia
interna, qual a resistência interna do motor?
Solução:
U = 12V (tensão útil do gerador logo total do
receptor)
i = 5A
P = 55w (potência útil do motor: P = ε’.i )
r’ = ?
Como P = ε’.i
55= ε’.5 logo: ε’ = 11V
Para o motor: U = ε’ + r’.i
12 = 11 +r’.5
1 = 5.r’
r’ = 0,2Ω
a) 2,0
b) 1,0
c) 0,5
d) 0,2
e) 0,1
LEIS DE KICHHOFF
1º LEI (lei de nós)
“Em um nó, a soma das correntes que chegam
no nó é igual a soma das correntes que saem
do nó.”
2º LEI (lei das malhas)
“Percorrendo-se uma malha, em um ciclo, a
soma das tensões é nula”.
Observação:
A tensão nas extremidades de um ramo é a
soma algébrica da tensão em cada
componente do ramo.
Nó A: i1+i2 = i3
Malha α: -12 +0,5.i1 -1.i2 +7 = 0
Malha β: -7 +1.i2 +10.i3 = 0
LEIS DE KICHHOFF
A
β
B
α
i1 i2
i3
i1= 4A
i2 = -3A
I3 = 1A
Resolvendo
o sistema
i1+ i2 -i3 =0
0,5.i1 -1.i2 = 5
1.i2 +10.i3 = 7
4A
1A
3A
LEIS DE KICHHOFF
A B
12V 60V
6Ω 8Ω
O potencial do ponto A é 30V. Qual o potencial do ponto B?
2A
VB -VA = -8.i +60 -6.i -12
VB - 30 = -8.2 +60 -6.2 -12
VB - 30 = -16 + 60 -12 -12
VB = 30 +20
VB = 50v
Observe que UAB = 20v

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Eletrodinmica. Corrente elétrica, Corrente Contínua, Corrente Alternada

Segunda parte do curso de eletrônica apresentado no Hackerspace Uberlândia - MG
Segunda parte do curso de eletrônica apresentado no Hackerspace Uberlândia - MGSegunda parte do curso de eletrônica apresentado no Hackerspace Uberlândia - MG
Segunda parte do curso de eletrônica apresentado no Hackerspace Uberlândia - MG
evandrogaio
 
Física – eletricidade corrente elétrica 01 – 2013
Física – eletricidade corrente elétrica 01 – 2013Física – eletricidade corrente elétrica 01 – 2013
Física – eletricidade corrente elétrica 01 – 2013
Jakson Raphael Pereira Barbosa
 
Circuitos elétricos 1
Circuitos elétricos 1Circuitos elétricos 1
Circuitos elétricos 1
msmarquinhos
 
Corrente e resistores
Corrente e resistoresCorrente e resistores
Corrente e resistores
Ricardo Bonaldo
 
Lei de Ohm
	 Lei de Ohm	 Lei de Ohm
Corrente elétrica Fisica
Corrente elétrica FisicaCorrente elétrica Fisica
Corrente elétrica Fisica
Lucas Pinheiro
 
Eletricidadebasica senai
Eletricidadebasica senaiEletricidadebasica senai
Eletricidadebasica senai
DIEGO ROBSON CHAGAS
 
Eletricidade básica
Eletricidade básicaEletricidade básica
Eletricidade básica
Carol Meireles
 
Eletricidadebasica
EletricidadebasicaEletricidadebasica
Eletricidadebasica
Willian Ricardo dos Santos
 
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdfIPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
MussageVirgilioSaide
 
Ty
TyTy
Aula 10 corrente e resistores
Aula 10   corrente e resistoresAula 10   corrente e resistores
Aula 10 corrente e resistores
Montenegro Física
 
Corrente e resistores
Corrente e resistoresCorrente e resistores
Estudo dos geradores
Estudo dos geradoresEstudo dos geradores
Estudo dos geradores
Marco Antonio Sanches
 
Associação de resistores
Associação de resistoresAssociação de resistores
Associação de resistores
Marco Antonio Sanches
 
Aula 02 -_noções_de_eletrônica_-_resistores_e_capacitores
Aula 02 -_noções_de_eletrônica_-_resistores_e_capacitoresAula 02 -_noções_de_eletrônica_-_resistores_e_capacitores
Aula 02 -_noções_de_eletrônica_-_resistores_e_capacitores
viktorthedwarf
 
Aula1 tensão corrente_alunos
Aula1 tensão corrente_alunosAula1 tensão corrente_alunos
Aula1 tensão corrente_alunos
Ana Paula Dias Pacífico
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
fisicaatual
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
fisicaatual
 
Aula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmica
Aula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmicaAula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmica
Aula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmica
debvieir
 

Semelhante a Eletrodinmica. Corrente elétrica, Corrente Contínua, Corrente Alternada (20)

Segunda parte do curso de eletrônica apresentado no Hackerspace Uberlândia - MG
Segunda parte do curso de eletrônica apresentado no Hackerspace Uberlândia - MGSegunda parte do curso de eletrônica apresentado no Hackerspace Uberlândia - MG
Segunda parte do curso de eletrônica apresentado no Hackerspace Uberlândia - MG
 
Física – eletricidade corrente elétrica 01 – 2013
Física – eletricidade corrente elétrica 01 – 2013Física – eletricidade corrente elétrica 01 – 2013
Física – eletricidade corrente elétrica 01 – 2013
 
Circuitos elétricos 1
Circuitos elétricos 1Circuitos elétricos 1
Circuitos elétricos 1
 
Corrente e resistores
Corrente e resistoresCorrente e resistores
Corrente e resistores
 
Lei de Ohm
	 Lei de Ohm	 Lei de Ohm
Lei de Ohm
 
Corrente elétrica Fisica
Corrente elétrica FisicaCorrente elétrica Fisica
Corrente elétrica Fisica
 
Eletricidadebasica senai
Eletricidadebasica senaiEletricidadebasica senai
Eletricidadebasica senai
 
Eletricidade básica
Eletricidade básicaEletricidade básica
Eletricidade básica
 
Eletricidadebasica
EletricidadebasicaEletricidadebasica
Eletricidadebasica
 
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdfIPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
 
Ty
TyTy
Ty
 
Aula 10 corrente e resistores
Aula 10   corrente e resistoresAula 10   corrente e resistores
Aula 10 corrente e resistores
 
Corrente e resistores
Corrente e resistoresCorrente e resistores
Corrente e resistores
 
Estudo dos geradores
Estudo dos geradoresEstudo dos geradores
Estudo dos geradores
 
Associação de resistores
Associação de resistoresAssociação de resistores
Associação de resistores
 
Aula 02 -_noções_de_eletrônica_-_resistores_e_capacitores
Aula 02 -_noções_de_eletrônica_-_resistores_e_capacitoresAula 02 -_noções_de_eletrônica_-_resistores_e_capacitores
Aula 02 -_noções_de_eletrônica_-_resistores_e_capacitores
 
Aula1 tensão corrente_alunos
Aula1 tensão corrente_alunosAula1 tensão corrente_alunos
Aula1 tensão corrente_alunos
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
 
Aula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmica
Aula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmicaAula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmica
Aula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmica
 

Último

A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
sesiomzezao
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 

Último (20)

A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 

Eletrodinmica. Corrente elétrica, Corrente Contínua, Corrente Alternada

  • 2. Corrente elétrica Área = Q i = Q Δt Corrente contínua –CC Os portadores de cargas deslocam-se sempre no mesmo sentido São geradores CC: Pilhas, baterias e dínamos Corrente alternada – CA Os portadores de cargas deslocam-se alternadamente de um sentido para outro São geradores CA: alternadores de carro e usinas Corrente elétrica é o movimento ordenado dos portadores de carga num certo sentido conforme o campo elétrico.
  • 3. i(A) Corrente elétrica t(s) Corrente Alternada Corrente Contínua i(A) t(s) Sentidos da Corrente Sentido convencional da corrente Sentido real da corrente - +
  • 4. Resistor Resistor é o dispositivo que transforma energia elétrica em energia térmica. Todo condutor é resistor, pois um fio condutor quando percorrido por corrente elétrica dissipa energia no aquecimento (Efeito Joule).
  • 5. X (PEIES 04) Sejam as seguintes afirmativas sobre a corrente elétrica num condutor usual: I. A intensidade de uma corrente elétrica é definida como o número de elétrons que atravessaram um plano que corta o condutor por unidade de tempo. II. Do ponto de vista físico, sempre existe corrente elétrica quando existe movimento de elétrons num condutor. III. A causa da corrente elétrica é a existência de um campo elétrico não-nulo no interior do condutor. Está(ão) correta(s): a) apenas I b) apenas II c) apenas III d) apenas II e III e) I, II e III Solução: I  A corrente elétrica é definida como a carga que passa na unidade de tempo.  II  Não. Deve haver movimento ordenado dos portadores de carga.  III . 
  • 6. Resistência Elétrica (R) É definido como a relação entre a tensão que um resistor é submetida e a corrente que passa por ele. A unidade de resistência elétrica é o ohm(Ω) Resistor i U R 
  • 7. Resistores ôhmicos É o resistor que apresenta resistência constante. Resistor Resistores não-ôhmicos É o resistor que não apresenta resistência constante. U U i i
  • 8. Lei de ohm U i = R Não depende da tensão ou da corrente elétrica “Nos materiais ôhmicos a diferença de potencial (ddp) num segmento de condutor é proporcional a corrente.” “Nos resistores ôhmicos, alternando a polaridade do resistor ou variando a tensão a resistência permanece constante.” U = R.i + 0 Simbologia:
  • 9. Resistividade R = ρ ℓ A resistividade característica do material (não depende das dimensões do mesmo) varia com a temperatura A resistência elétrica R depende de três fatores: • comprimento do condutor ℓ • área da secção reta transversal do condutor A • material que ele é feito (resistividade ρ) A condutividade elétrica C é o inverso da resistência elétrica R
  • 10. X (UFSM 03) Considere as seguintes afirmativas: I- Um dispositivo condutor obedece à Lei de Ohm, quando sua resistência é independente do valor e da polaridade da diferença de potencial (ddp) aplicada. II- A relação entre a diferença de potencial (ddp) aplicada em um fio condutor e a corrente que nele circula define a lei de Ohm. III- A lei de Ohm diz que a resistência de um fio condutor é diretamente proporcional às suas dimensões. Está(ão) correta(s): a) apenas I b) apenas II c) apenas III d) apenas I e II e) apenas II e III Solução: I  É uma das formas de enunciar a lei de Ohm.  II  A relação entre a diferença de potencial (ddp) aplicada em um fio condutor e a corrente que nele circula define a resistência elétrica e não lei de Ohm.  III . A lei de Ohm não faz referencia as dimensões do resistor.
  • 11. R = ρ ℓ A X (PEIES 99) Um fio de resistência R é ligado a uma fonte que fornece uma tensão. Se for reduzida à metade a área da seção reta do fio, sem alterar o seu comprimento, e se ele permanecer ligado à mesma fonte, a corrente fica: Solução: Reduzindo a área A a metade a resistência R dobra: Como i=U/R, dobrando-se a resistência R, reduz-se a corrente i a metade. a) reduzida à quarta parte b) quadruplicada c) igual d) duplicada e) reduzida à metade
  • 12. Associação de resistores Série is = i1 = i2 = i3 Rs = R1 + R2 + R3 Us = U1 + U2 + U3
  • 13. Paralelo i = i1 + i2 + i3 1 Rs 1 R1 1 R2 1 R3 = + + Associação de resistores Us = U1 = U2 = U3
  • 14. Energia → volt . Ampère . segundo = Joule 1KWh = 3.600.000j Efeito Joule Potência → volt . Ampère = Watt P = U2 R P = R.i2 P = U.i Potência - P Efeito Joule é a dissipação de energia elétrica (E) em térmica motivada pelo movimento de elétrons no condutor. Energia elétrica - E E = P. Δt
  • 15. Efeito Joule Análise de proporcionalidade Potencia elétrica P = U.i P = R.i2 P = U2 R P = E Δt Qualquer circuito Circuito em paralelo Circuito em série Circuito em série →maior resistência → maior a potência Circuito em paralelo →maior resistência → menor a potência
  • 16. X (UFSM 00) Em uma residência, estão ligados 6 lâmpadas de 60 W cada uma, um ferro de passar roupa de 400 W e uma ducha de 3200 W. Se a tensão na rede é de 220 V, a corrente que circula nos fios que levam a energia elétrica à residência, tem uma intensidade, em A, de Solução: P=U.i Potência total: 6x60w = 360w + 1x400w = 400w + 1x3200w =3200w P =3960w P=U.i 3960=220xi i=18A a) 8 b) 10 c) 15 d) 18 e) 20
  • 17. Medidores elétricos Amperímetro É o equipamento destinado a medir corrente elétrica. Deve ser ligado em série. Deve apresentar resistência interna pequena. O amperímetro ideal deve ter resistência interna nula. Voltímetro É o equipamento destinado a medir ddp (tensão). Deve ser ligado em paralelo. Deve apresentar resistência interna grande. O voltímetro ideal deve ter resistência interna infinita.
  • 18. Geradores elétricos Pilha Etotal Eútil Energia química Energia elétrica Edissipada Energia térmica São os equipamentos destinados a transformar outras formas de energia em energia elétrica. U ε i icc Equação do Gerador Eútil = Etotal - Edissipada U = ε – r.i cc i r  
  • 19. Geradores elétricos U ε i icc r Pmáx 4 2   Pmáx Icc/2 P i icc U = ε –r.i Icc/2 ε/2 P = ε.i – r.i² A máxima potência de um gerador é obtida quando a corrente e a tensão são respectivamente: i = icc/2 U = ε/2 A potência máxima é dada por.
  • 20. Receptores elétricos São os equipamentos destinados a transformar energia elétrica em outras formas de energia exceto térmica. Motor Etotal Eútil Energia elétrica Energia mecânica Edissipada Energia térmica U ε´ i ) α Equação do receptor Etotal = Eútil + Edissipada U = ε´ + r´.i r = tg α
  • 21. X (PEIES 07) Um gerador tem uma força eletromotriz de 1,5 V e uma resistência interna de 0,1 Ω. Ligando-se seus terminais a um resistor com uma resistência de 0,4 Ω, a diferença de potencial entre esses terminais (em V) é Solução: ε =1,5V r =0,1Ω R =0,4 Ω U = ? Para o gerador: U = ε – r.i Para o resistor ligado ao gerador: U = R.i Logo: ε – r.i = R.i 1,5 – 0,1.i = 0,4.i 1,5 = 0,5.i logo: i = 3A U = R.i U = 0,4.3 U= 1,2V a) 1,0 b) 1,2 c) 1,5 d) 1,8 e) 3,0
  • 22. X (PEIES 05) Um motor elétrico que está ligado a uma bateria de 12V e que lhe fornece uma corrente elétrica de 5,0A, desenvolveu uma potência mecânica de 55W. Considerando que o restante da energia foi transformado em energia interna, qual a resistência interna do motor? Solução: U = 12V (tensão útil do gerador logo total do receptor) i = 5A P = 55w (potência útil do motor: P = ε’.i ) r’ = ? Como P = ε’.i 55= ε’.5 logo: ε’ = 11V Para o motor: U = ε’ + r’.i 12 = 11 +r’.5 1 = 5.r’ r’ = 0,2Ω a) 2,0 b) 1,0 c) 0,5 d) 0,2 e) 0,1
  • 23. LEIS DE KICHHOFF 1º LEI (lei de nós) “Em um nó, a soma das correntes que chegam no nó é igual a soma das correntes que saem do nó.” 2º LEI (lei das malhas) “Percorrendo-se uma malha, em um ciclo, a soma das tensões é nula”. Observação: A tensão nas extremidades de um ramo é a soma algébrica da tensão em cada componente do ramo.
  • 24. Nó A: i1+i2 = i3 Malha α: -12 +0,5.i1 -1.i2 +7 = 0 Malha β: -7 +1.i2 +10.i3 = 0 LEIS DE KICHHOFF A β B α i1 i2 i3 i1= 4A i2 = -3A I3 = 1A Resolvendo o sistema i1+ i2 -i3 =0 0,5.i1 -1.i2 = 5 1.i2 +10.i3 = 7 4A 1A 3A
  • 25. LEIS DE KICHHOFF A B 12V 60V 6Ω 8Ω O potencial do ponto A é 30V. Qual o potencial do ponto B? 2A VB -VA = -8.i +60 -6.i -12 VB - 30 = -8.2 +60 -6.2 -12 VB - 30 = -16 + 60 -12 -12 VB = 30 +20 VB = 50v Observe que UAB = 20v