SlideShare uma empresa Scribd logo
Egito Antigo
A civilização egípcia vem sempre envolta numa nuvem mística, quase etérea, resultado da inevitável mistura de deuses, mitos, monumentos e personagens que marcaram a história da humanidade . Terra do Nilo e das Pirâmides, o Egito fascina a quem dele se aproxima, envolvendo a todos num clima de mistério e grandiosidade.
Localização e História ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
O RIO NILO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
 
SOCIEDADE EGÍPCIA ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],O FARAÓ Com apenas 18 anos de idade. O túmulo de Tutankhamon -  faraó que morreu perto de 1352A.C.  ,  foi descoberto em 1922, praticamente intacto e cheio de mobiliário e ornamentos típicos do período de apogeu da civilização egípcia.
ECONOMIA ,[object Object],[object Object],[object Object]
P I R Â M I D E S
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
As pirâmides, grandes construções de blocos de pedras, era o túmulo dos faraós e de seus familiares. Seu interior era decorado, possuía móveis, armas e jóias. Alguns deles passaram toda a vida organizando a construção e a decoração de seus túmulos.  Ordenavam aos seus auxiliares e escravos que colocassem alimentos, animais de estimação, roupas e objetos pessoais – acreditando que precisariam de tudo isso na vida após a morte.
Os egípcios acreditavam que, após a morte, teriam de passar pelo tribunal dos deuses, que julgaria quem mereceria uma vida. Os premiados com a vida iriam precisar do corpo bem conservado para abrigar sua alma quando ela retornasse. Com esse objetivo, desenvolveram técnicas de mumificação para a preservação dos corpos.
A MUMIFICAÇÃO ,[object Object],[object Object]
OS RITUAIS DE MUMIFICAÇÃO ,[object Object],[object Object],[object Object],A mumificação e os rituais funerários obedeciam regras rígidas, estabelecidas pelo próprio Anúbis e duravam 70 dias.  Após a retirada dos órgãos internos, os embalsamadores colocavam as vísceras em vasos sagrados chamados "Vasos Canopos", cada um sob a proteção de um dos quatro filhos de Hórus.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Tumba   Arqueólogos da Universidade de Mênfis descobriram uma tumba intacta com cinco múmias no Vale dos Reis, perto da cidade de Luxor no sul do Egito.  A identidade das múmias ainda não foi estabelecida.
Rosto para as múmias ,[object Object]
Reconstituição de Tutancâmon ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
O PAPIRO ,[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],Esse material é colocado entre dois pedaços de tecido de algodão e vai para uma prensa por seis dias. Com o peso, as finas lâminas se misturam e formam um pedaço de papel amarelado, pronto para ser usado.
Embarcação feita de papiro muito utilizada pelos pescadores egípcios.
ESCRITA EGÍPCIA ,[object Object],[object Object],[object Object],Os hieróglifos foram usados durante um período de quatro milênios para escrever a antiga língua do povo egípcio.  ALFABETO
 
ARTE EGÍPCIA A arte egípcia se caracteriza pela "lei da frontalidade", ou seja, as figuras com rostos de perfil e os olhos de frente.  O corpo está de frente e as pernas e pés de perfil. Isto porque eles acreditavam que, com o corpo de frente, a figura poderia receber inteiramente as reverências e a admiração de quem as contemplasse. Os egipcios acreditavam que a vida continuava após a morte, e o morto reviveria tudo aquilo que fosse pintado no túmulo.  Costumavam mumificar os faraós, e faziam uma estátua igual ao morto, para que, na volta da alma, o corpo ali estivesse para recebê-la.
TEMPLOS EGÍPCIOS
O Grande Templo de Ramsés II, Abu Simbel  Com exceção das pirâmides, Ramsés ergueu algumas das maiores construções feitas por alguém — sendo provavelmente a maior de todas a do  Templo de Abu Simbel, onde mandou esculpir na rocha viva que se ergue próximo da margem do Nilo com a inclinação de uma pirâmide, quatro estátuas sentadas suas, como uma com dezenove metros de altura. Em seu desejo de construir e perpetuar-se na pedra, Ramsés saqueou as pirâmides, retirou pavimentos e destruiu belos monumentos para obter material para suas próprias obras.
TATUAGEM ,[object Object],Existe provas arqueológicas que provam que marcas de tatuagens foram feitas em seres humanos no Egito entre 4000 e 2000 a.C. Foi no Egito, também, que a arte da tatuagem viajou o mundo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Escravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasilEscravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasil
Fatima Freitas
 
FENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptx
FENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptxFENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptx
FENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptx
Elisa Maria Gomide
 
Capítulo 4 - África Antiga: egito e núbia
Capítulo 4 - África Antiga: egito e núbiaCapítulo 4 - África Antiga: egito e núbia
Capítulo 4 - África Antiga: egito e núbia
Marcos Antonio Grigorio de Figueiredo
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
cattonia
 
6° hebreus,fenicios e persas
6° hebreus,fenicios e persas6° hebreus,fenicios e persas
6° hebreus,fenicios e persas
Ajudar Pessoas
 
Fenícios
FeníciosFenícios
Fenícios
najlaghaouchee
 
Persas slide
Persas slidePersas slide
Persas slide
Isabel Aguiar
 
As primeiras civilizações
As primeiras civilizaçõesAs primeiras civilizações
As primeiras civilizações
Marcia Fernandes
 
Egito
EgitoEgito
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
As Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações MesopotâmicasAs Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações Mesopotâmicas
João Medeiros
 
Colonização portuguesa na américa
Colonização portuguesa na américaColonização portuguesa na américa
Colonização portuguesa na américa
Carolina Medeiros
 
Egito slide
Egito slideEgito slide
Egito slide
Isabel Aguiar
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
Daniel Alves Bronstrup
 
Egito 1
Egito 1Egito 1
Egito 6 ano
Egito 6 anoEgito 6 ano
Egito 6 ano
Escolacsm
 
Povoamento da américa
Povoamento da américaPovoamento da américa
Povoamento da américa
Zé Knust
 
Escravidão moderna
Escravidão modernaEscravidão moderna
Escravidão moderna
Andre Lucas
 
Egito Antigo (6º Ano - 2016)
Egito Antigo (6º Ano - 2016)Egito Antigo (6º Ano - 2016)
Egito Antigo (6º Ano - 2016)
Nefer19
 
Os Persas - 6º Ano (2018)
Os Persas - 6º Ano (2018)Os Persas - 6º Ano (2018)
Os Persas - 6º Ano (2018)
Nefer19
 

Mais procurados (20)

Escravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasilEscravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasil
 
FENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptx
FENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptxFENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptx
FENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptx
 
Capítulo 4 - África Antiga: egito e núbia
Capítulo 4 - África Antiga: egito e núbiaCapítulo 4 - África Antiga: egito e núbia
Capítulo 4 - África Antiga: egito e núbia
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
 
6° hebreus,fenicios e persas
6° hebreus,fenicios e persas6° hebreus,fenicios e persas
6° hebreus,fenicios e persas
 
Fenícios
FeníciosFenícios
Fenícios
 
Persas slide
Persas slidePersas slide
Persas slide
 
As primeiras civilizações
As primeiras civilizaçõesAs primeiras civilizações
As primeiras civilizações
 
Egito
EgitoEgito
Egito
 
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
 
As Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações MesopotâmicasAs Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações Mesopotâmicas
 
Colonização portuguesa na américa
Colonização portuguesa na américaColonização portuguesa na américa
Colonização portuguesa na américa
 
Egito slide
Egito slideEgito slide
Egito slide
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
 
Egito 1
Egito 1Egito 1
Egito 1
 
Egito 6 ano
Egito 6 anoEgito 6 ano
Egito 6 ano
 
Povoamento da américa
Povoamento da américaPovoamento da américa
Povoamento da américa
 
Escravidão moderna
Escravidão modernaEscravidão moderna
Escravidão moderna
 
Egito Antigo (6º Ano - 2016)
Egito Antigo (6º Ano - 2016)Egito Antigo (6º Ano - 2016)
Egito Antigo (6º Ano - 2016)
 
Os Persas - 6º Ano (2018)
Os Persas - 6º Ano (2018)Os Persas - 6º Ano (2018)
Os Persas - 6º Ano (2018)
 

Destaque

O Egito
O EgitoO Egito
O Egito
Jean Carvalho
 
Egito, a terra do faraó
Egito, a terra do faraóEgito, a terra do faraó
Egito, a terra do faraó
rafaforte
 
Aula: Egito Antigo
Aula: Egito AntigoAula: Egito Antigo
Aula: Egito Antigo
Léo Rossetti
 
Aula 4 o antigo egito
Aula 4   o antigo egitoAula 4   o antigo egito
Aula 4 o antigo egito
Dalton Lopes Reis Jr.
 
Aula de Antigo Egito
Aula de Antigo EgitoAula de Antigo Egito
Aula de Antigo Egito
Júlia Moutinho
 
Antigo Egito - A religião egípcia
Antigo Egito - A religião egípciaAntigo Egito - A religião egípcia
Antigo Egito - A religião egípcia
Carlos Pinheiro
 
Egito Antigo: Nilo, economia e sociedade
Egito Antigo: Nilo, economia e sociedadeEgito Antigo: Nilo, economia e sociedade
Egito Antigo: Nilo, economia e sociedade
Carlos Pinheiro
 
desbravadores caaporã
desbravadores caaporãdesbravadores caaporã
desbravadores caaporãbandeirantespb
 
Fraçãopapiroderhind
FraçãopapiroderhindFraçãopapiroderhind
Fraçãopapiroderhind
Annunziato Gerardo Gallotti
 
Antiguas Civilizaciones. Miconica
Antiguas Civilizaciones. MiconicaAntiguas Civilizaciones. Miconica
Antiguas Civilizaciones. Miconica
retosinfantiles
 
Conjura do silêncio 2013 v8
Conjura do silêncio 2013 v8Conjura do silêncio 2013 v8
Conjura do silêncio 2013 v8
Peregrino da Senda
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
ProfessoresColeguium
 
Egito Antigo KA23
Egito Antigo KA23Egito Antigo KA23
Egito Antigo KA23
jssrs1313
 
Deuses egípcios
Deuses egípciosDeuses egípcios
Deuses egípcios
Vanessa Armstrong
 
Literatura antiga
Literatura antigaLiteratura antiga
Literatura antiga
Mário Júnior Silva
 
Egito
EgitoEgito
Antigo Egito
Antigo EgitoAntigo Egito
Antigo Egito
Anna Caroline
 
Egito Apres. Power Point
Egito  Apres. Power PointEgito  Apres. Power Point
Egito Apres. Power Point
Claudiaesp
 
Egito
EgitoEgito
Egito
VitoriaZen
 
Deuses do egito
Deuses do egitoDeuses do egito
Deuses do egito
Maria Martim Gabriel
 

Destaque (20)

O Egito
O EgitoO Egito
O Egito
 
Egito, a terra do faraó
Egito, a terra do faraóEgito, a terra do faraó
Egito, a terra do faraó
 
Aula: Egito Antigo
Aula: Egito AntigoAula: Egito Antigo
Aula: Egito Antigo
 
Aula 4 o antigo egito
Aula 4   o antigo egitoAula 4   o antigo egito
Aula 4 o antigo egito
 
Aula de Antigo Egito
Aula de Antigo EgitoAula de Antigo Egito
Aula de Antigo Egito
 
Antigo Egito - A religião egípcia
Antigo Egito - A religião egípciaAntigo Egito - A religião egípcia
Antigo Egito - A religião egípcia
 
Egito Antigo: Nilo, economia e sociedade
Egito Antigo: Nilo, economia e sociedadeEgito Antigo: Nilo, economia e sociedade
Egito Antigo: Nilo, economia e sociedade
 
desbravadores caaporã
desbravadores caaporãdesbravadores caaporã
desbravadores caaporã
 
Fraçãopapiroderhind
FraçãopapiroderhindFraçãopapiroderhind
Fraçãopapiroderhind
 
Antiguas Civilizaciones. Miconica
Antiguas Civilizaciones. MiconicaAntiguas Civilizaciones. Miconica
Antiguas Civilizaciones. Miconica
 
Conjura do silêncio 2013 v8
Conjura do silêncio 2013 v8Conjura do silêncio 2013 v8
Conjura do silêncio 2013 v8
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
 
Egito Antigo KA23
Egito Antigo KA23Egito Antigo KA23
Egito Antigo KA23
 
Deuses egípcios
Deuses egípciosDeuses egípcios
Deuses egípcios
 
Literatura antiga
Literatura antigaLiteratura antiga
Literatura antiga
 
Egito
EgitoEgito
Egito
 
Antigo Egito
Antigo EgitoAntigo Egito
Antigo Egito
 
Egito Apres. Power Point
Egito  Apres. Power PointEgito  Apres. Power Point
Egito Apres. Power Point
 
Egito
EgitoEgito
Egito
 
Deuses do egito
Deuses do egitoDeuses do egito
Deuses do egito
 

Semelhante a Egito antigo

Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
Jeferson Gevigier
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito antigo2016
Egito antigo2016Egito antigo2016
Egito antigo2016
luzia Camilo lopes
 
Egitoslide 130223211954-phpapp01
Egitoslide 130223211954-phpapp01Egitoslide 130223211954-phpapp01
Egitoslide 130223211954-phpapp01
luzia Camilo lopes
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
O EGITO ANTIGO
O EGITO ANTIGOO EGITO ANTIGO
O EGITO ANTIGO
Antonio Marcos
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
Isabel Aguiar
 
Resumão Egito Antigo
Resumão Egito AntigoResumão Egito Antigo
Resumão Egito Antigo
Wilton Silva
 
Ativ 7.5 publicando sua apresentação
Ativ 7.5 publicando sua apresentaçãoAtiv 7.5 publicando sua apresentação
Ativ 7.5 publicando sua apresentação
Rogerio Kozima
 
ATIV 7.5 PUBLICANDO SUA APRESENTAÇÃO
ATIV 7.5 PUBLICANDO SUA APRESENTAÇÃOATIV 7.5 PUBLICANDO SUA APRESENTAÇÃO
ATIV 7.5 PUBLICANDO SUA APRESENTAÇÃO
rosimeire14
 
Viajando no mundo da arte
Viajando no mundo da arteViajando no mundo da arte
Viajando no mundo da arte
Elly Silva
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
souzaematos2014
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
souzaematos2014
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
souzaematos2014
 
Egito 6 ano
Egito 6 anoEgito 6 ano
Egito 6 ano
Escolacsm
 
Povos antigos da africa
Povos antigos da africaPovos antigos da africa
Povos antigos da africa
Fernando Moreira
 
O Egito Antigo
O  Egito AntigoO  Egito Antigo
O Egito Antigo
Paullinho Oliveira
 
Antiguidade na africa
Antiguidade na africaAntiguidade na africa
Antiguidade na africa
tyromello
 
As primeiras civilizações egipto
As primeiras civilizações   egiptoAs primeiras civilizações   egipto
As primeiras civilizações egipto
Nuno Faustino
 
O Egipto
O EgiptoO Egipto
O Egipto
Paulo Tenreiro
 

Semelhante a Egito antigo (20)

Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
 
Egito antigo2016
Egito antigo2016Egito antigo2016
Egito antigo2016
 
Egitoslide 130223211954-phpapp01
Egitoslide 130223211954-phpapp01Egitoslide 130223211954-phpapp01
Egitoslide 130223211954-phpapp01
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
 
O EGITO ANTIGO
O EGITO ANTIGOO EGITO ANTIGO
O EGITO ANTIGO
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
 
Resumão Egito Antigo
Resumão Egito AntigoResumão Egito Antigo
Resumão Egito Antigo
 
Ativ 7.5 publicando sua apresentação
Ativ 7.5 publicando sua apresentaçãoAtiv 7.5 publicando sua apresentação
Ativ 7.5 publicando sua apresentação
 
ATIV 7.5 PUBLICANDO SUA APRESENTAÇÃO
ATIV 7.5 PUBLICANDO SUA APRESENTAÇÃOATIV 7.5 PUBLICANDO SUA APRESENTAÇÃO
ATIV 7.5 PUBLICANDO SUA APRESENTAÇÃO
 
Viajando no mundo da arte
Viajando no mundo da arteViajando no mundo da arte
Viajando no mundo da arte
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
 
Egito 6 ano
Egito 6 anoEgito 6 ano
Egito 6 ano
 
Povos antigos da africa
Povos antigos da africaPovos antigos da africa
Povos antigos da africa
 
O Egito Antigo
O  Egito AntigoO  Egito Antigo
O Egito Antigo
 
Antiguidade na africa
Antiguidade na africaAntiguidade na africa
Antiguidade na africa
 
As primeiras civilizações egipto
As primeiras civilizações   egiptoAs primeiras civilizações   egipto
As primeiras civilizações egipto
 
O Egipto
O EgiptoO Egipto
O Egipto
 

Mais de professor ivan

Regulamento afro 2013
Regulamento afro 2013Regulamento afro 2013
Regulamento afro 2013
professor ivan
 
Turmas cepi 2013
Turmas cepi 2013Turmas cepi 2013
Turmas cepi 2013
professor ivan
 
Temas para aprofundamento - ENEM 2011
Temas para aprofundamento - ENEM 2011Temas para aprofundamento - ENEM 2011
Temas para aprofundamento - ENEM 2011
professor ivan
 
Texto para aprofundamento - ENEM 2011
Texto para aprofundamento - ENEM 2011Texto para aprofundamento - ENEM 2011
Texto para aprofundamento - ENEM 2011
professor ivan
 
Histórias..
Histórias..Histórias..
Histórias..
professor ivan
 
Convite 10ª sefepi blog
Convite 10ª sefepi blogConvite 10ª sefepi blog
Convite 10ª sefepi blogprofessor ivan
 
1° ano a, b, c , d
1° ano a, b, c , d1° ano a, b, c , d
1° ano a, b, c , d
professor ivan
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
professor ivan
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
professor ivan
 
Mesopotamia[1]
Mesopotamia[1]Mesopotamia[1]
Mesopotamia[1]
professor ivan
 
Folheando 1 ed
Folheando 1 edFolheando 1 ed
Folheando 1 ed
professor ivan
 
Folheando
FolheandoFolheando
Folheando
professor ivan
 

Mais de professor ivan (13)

Regulamento afro 2013
Regulamento afro 2013Regulamento afro 2013
Regulamento afro 2013
 
Turmas cepi 2013
Turmas cepi 2013Turmas cepi 2013
Turmas cepi 2013
 
Temas para aprofundamento - ENEM 2011
Temas para aprofundamento - ENEM 2011Temas para aprofundamento - ENEM 2011
Temas para aprofundamento - ENEM 2011
 
Texto para aprofundamento - ENEM 2011
Texto para aprofundamento - ENEM 2011Texto para aprofundamento - ENEM 2011
Texto para aprofundamento - ENEM 2011
 
Histórias..
Histórias..Histórias..
Histórias..
 
Convite 10ª sefepi blog
Convite 10ª sefepi blogConvite 10ª sefepi blog
Convite 10ª sefepi blog
 
1° ano a, b, c , d
1° ano a, b, c , d1° ano a, b, c , d
1° ano a, b, c , d
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
 
Mesopotamia[1]
Mesopotamia[1]Mesopotamia[1]
Mesopotamia[1]
 
Folheando 1 ed
Folheando 1 edFolheando 1 ed
Folheando 1 ed
 
Folheando
FolheandoFolheando
Folheando
 
Folheando
FolheandoFolheando
Folheando
 

Último

“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
JuliaMachado73
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 

Último (20)

“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 

Egito antigo

  • 2. A civilização egípcia vem sempre envolta numa nuvem mística, quase etérea, resultado da inevitável mistura de deuses, mitos, monumentos e personagens que marcaram a história da humanidade . Terra do Nilo e das Pirâmides, o Egito fascina a quem dele se aproxima, envolvendo a todos num clima de mistério e grandiosidade.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.  
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12. P I R Â M I D E S
  • 13.
  • 14. As pirâmides, grandes construções de blocos de pedras, era o túmulo dos faraós e de seus familiares. Seu interior era decorado, possuía móveis, armas e jóias. Alguns deles passaram toda a vida organizando a construção e a decoração de seus túmulos. Ordenavam aos seus auxiliares e escravos que colocassem alimentos, animais de estimação, roupas e objetos pessoais – acreditando que precisariam de tudo isso na vida após a morte.
  • 15. Os egípcios acreditavam que, após a morte, teriam de passar pelo tribunal dos deuses, que julgaria quem mereceria uma vida. Os premiados com a vida iriam precisar do corpo bem conservado para abrigar sua alma quando ela retornasse. Com esse objetivo, desenvolveram técnicas de mumificação para a preservação dos corpos.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19. Tumba Arqueólogos da Universidade de Mênfis descobriram uma tumba intacta com cinco múmias no Vale dos Reis, perto da cidade de Luxor no sul do Egito. A identidade das múmias ainda não foi estabelecida.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26. Embarcação feita de papiro muito utilizada pelos pescadores egípcios.
  • 27.
  • 28.  
  • 29. ARTE EGÍPCIA A arte egípcia se caracteriza pela "lei da frontalidade", ou seja, as figuras com rostos de perfil e os olhos de frente. O corpo está de frente e as pernas e pés de perfil. Isto porque eles acreditavam que, com o corpo de frente, a figura poderia receber inteiramente as reverências e a admiração de quem as contemplasse. Os egipcios acreditavam que a vida continuava após a morte, e o morto reviveria tudo aquilo que fosse pintado no túmulo. Costumavam mumificar os faraós, e faziam uma estátua igual ao morto, para que, na volta da alma, o corpo ali estivesse para recebê-la.
  • 31. O Grande Templo de Ramsés II, Abu Simbel Com exceção das pirâmides, Ramsés ergueu algumas das maiores construções feitas por alguém — sendo provavelmente a maior de todas a do Templo de Abu Simbel, onde mandou esculpir na rocha viva que se ergue próximo da margem do Nilo com a inclinação de uma pirâmide, quatro estátuas sentadas suas, como uma com dezenove metros de altura. Em seu desejo de construir e perpetuar-se na pedra, Ramsés saqueou as pirâmides, retirou pavimentos e destruiu belos monumentos para obter material para suas próprias obras.
  • 32.