SlideShare uma empresa Scribd logo
Dinâmica 01: A vida é uma novidade vibrante!!CONVIVÊNCIADesenvolvimento: Sentados(as) em pequenos círculos(5 a 6 pessoas),cada participante pega um giz de cera de cor diferente da que o(a)companheiro(a) escolher. Ao som da música, cada um inicia um desenho,procurando expressar um problema ou uma idéia. Ao comando do evangelizadorcada participante passa o desenho para a pessoa da direita, recebe o desenhoda pessoa da sua esquerda (sem mudar a cor do seu lápis) e prossegue aatividade, observando o que recebeu e completando o desenho como que considerar oportuno para a solução do problemaou enriquecimento da idéia.Quando a folha com a qual cada participante iniciou a atividade,retornar às suas mãos, fazem-se os comentários e reflexões.**Considerações que podem auxiliar:*Permitir que o outro partilhe com você e que o(a) ajude.*Se você for forte, nunca tenha tanto orgulho de sua força, a ponto depensar que não precisa de apoio.*Refletir: A minha cor foi importante para o outro?A cor do outro foi importante para mim?*Mesmo com uma cor escura no momento, você podeexpressar bons sentimentos. A força interior existe!O mesmo lápis que escreve o ódio, escreve AMOR.*Cada um de nós tinha uma cor, mas o desenho que está conosconão tem apenas mais uma cor, tem outras cores.Quando estamos abertos para receber o outro,a vida é uma novidade vibrante!!!FELIZ NATAL!!22:56 | Adicionar um comentário | Ler comentários (2) | Link Permanente | Trackbacks (0) | Incluir no Blog | DINÂMICAS27 de marçoPRIORIDADESAs Prioridades na nossa VidaIdade: TodasObjetivo: Sinalizar as prioridades da nossa vida(Para fazer essa dinâmica com as crianças, o evangelizador deve fazê-lo antes, para poder levar para a sala de aula, a quantidade correta de pedras, água, areia, pedregulho, balde.Em primeiro lugar: as pedras maiores, depois os pedregulhos, em seguida a areia, e por ultimo a água. )Levar para a sala de aula:Um balde ou jarroÁguaAreia e pedregulhosPedras grandesPedir para as crianças colocarem  tudo dentro do balde,ou jarro, do jeito que quiserem.Dar o tempo de  3 minutos para a realização da tarefae observar em silêncio , como elas se comportam (Certamente vai sobrar coisas.)No final do tempo proposto, o evangelizador esclarece que as lições de vida estão em toda a parte e o que essa dinâmica visa nos mostrar:  Então pede para que repitam a operação  na seguinte ordem :1º) pedras grandes , 2º) pedregulhos, 3º) areia, 4º) por último, a água.Tudo caberá certinho dentro do balde.O Evangelizador então explicará que: As pedras grandes significam as coisas realmente importantes na nossa vida,1.)E o que é realmente importante em nossas vidas?Perguntar isso às crianças de forma geral e individual2.)Qual o nosso compromisso maior? Dialogar sobre isso com elas; Deixa-las à vontade para se expressarem,( Nosso crescimento espiritual? nossa evangelização? Nossa família? Cumprimento de nossos deveres?)Os pedregulhos e a areia significam as coisas menores, materiais da nossa existência, que tem uma importância relativa. A menos que você em primeiro lugar coloque as pedras grandes dentro do balde, dificilmente vai conseguir colocá-las lá dentro. Quando você dá prioridade ao ser espiritual que você é, sua necessidade de crescimento e evolução, (pedras grandes) as outras coisas menores (pedregulhos e areia) se ajustarão por si só.“BUSCAI PRIMEIRO O REINO DE DEUS E AS OUTRAS COISAS VOS SERÃO ACRESCENTADAS”.- JESUS CONCLUSÃO: Qual o objetivo desta demonstração?Perceber e sinalizar as prioridades da nossa vidaQuando você preenche sua existência somente com coisas pequenas, materiais, passageiras, temporárias, então, aquelas realmente importantes nunca terão espaço em sua vida.Essa dinâmica foi adaptada3:03 | Adicionar um comentário | Link Permanente | Trackbacks (0) | Incluir no Blog | DINÂMICAS24 de marçoA DANÇA DAS CADEIRAS COOPERATIVASDANÇA DAS CADEIRASCOOPERATIVAS
Para que o novo venha, o velho precisa ser TRANSFORMADO!Essa dinâmica é extraordinária, por que nela sentimos o poder da re-criação, que existe quando buscamos juntos, realizar um objetivo comum.Nesta nova-velha brincadeira, aprendemos a valorizar cadapessoa e a reconhecer aimportância de todos.
Esta é uma transformação da brincadeira tradicional da Dança da CadeirasNo jogo convencional  o objetivo é mutuamente exclusivo, ou seja, apenas um dos participantes pode sair vitorioso, enquanto há garantia de que todos os outros terminarão como perdedores. Esta é uma estrutura que estimula a eliminação e a competição.Provavelmente, você já viu alguém ficar fora neste tipo  de jogo. Ela estava alegre , se divertindo? Você acha que ela se sentia importante e responsável pelo sucesso do jogo?E quando o jogo terminou: o que ela fazia? Onde estava (seu pensamento e sentimento...) ???É difícil as pessoas se sentirem realmente envolvidas neste tipo de atividade e é mais difícil ainda que elas gostem de alguém que acabou de expulsá-las da cadeira e do jogo.Há também , o lado do (único) vencedor. Eu não vi, ainda, alguém , que ao ganhar, tenha se sentido , verdadeiramente , feliz. Se o jogo é feito em uma festa de aniversário, além da criança que ganhou , somente os pais dela(e alguns outros por 
educação
 é que vibram junto com ela.Conforme cresce a faixa etária dos participantes, mais isolado fica o vencedor.Então, eu pergunto: Será verdadeira aquela vitória que não é compartilhada e desfrutada por todos?Promovendo pequenas, mas fundamentais mudanças na estrutura do jogo, podemos criar um tipo de desafio que motive cada pessoa e o grupo para realizar um objetivo comum .Você consegue imaginar 80 pessoas sentadas em uma cadeira?Principal eixo dessa dinâmica:PARTICIPAÇÃO DE TODOS - OBJETIVOS COMUNS.Colocamos em círculo, um número de cadeiras menor que o número de participantes. Em seguida, propomos um 
Objetivo Comum
:Terminar o jogo com todos os participantes sentados nas cadeiras que sobrarem!Colocamos música e todos dançam. Quando a música para, todos devem sentar usando os recursos que estão no jogo - cadeiras e pessoas. Podem sentar nas cadeiras, nos colos uns dos outros, ou de alguma outra maneira criada pelos participantes. em seguida, todos levantam  tiramos algumas cadeiras, ninguém sai do jogo e continuamos a dança.Nesse processo, os participantes vão percebendo que podem se liberar dos velhos, desnecessários e bloqueadores 
padrões competitivos
Ficar colados às cadeiras (Visão de escassez)Ir todos na mesma direção. (Não assumir riscos)Ficar ligado na parada da música (Preocupação/tensão)Dançar 
travado
. (Bloqueio da espontaneidade)Ter pressa para sentar (Medo de perder)Ver as cadeiras como ponto de encontro(Visão de abundância)Movimentam-se em todas as direções. (Flexibilidade, auto-mútua-confiança)Curtir a música. (Viver plenamente cada momento)Dançar livremente.(Ser a gente mesmo)DANÇAR EM COMUM-UNIDADEFONTE:Jogos CooperativosProjeto CooperaçãoE ,na medida que se desprendem dos antigos hábitos, passam a resgatar e fortalecer a expressão do 
potencial cooperativo
 para jogar e viver .O Jogo prossegue até onde o grupo desejar. Em geral, a motivação é tão intensa que, mesmo depois de sentarem TODOS em uma única cadeira, o jogo continua com uma cadeira imaginária.Daí em diante , é só dar asas a imaginação e...DANÇAR EM COMUM- UNIDADE´Fábio Otuzi Brotto - autor21:00 | Adicionar um comentário | Link Permanente | Trackbacks (0) | Incluir no Blog | DINÂMICASRETRATO ÍNTIMORETRATO FALADO(Muito bom para os primeiros dias de aulas)IDADE: 12 anos em dianteOBJETIVOs: Aprofundar a percepção de si mesmo; perceber as motivações que interferem nos pensamentos, sentimentos e ações.Material: papel sulfite, lápis preto e de cor, borracha.1.  Colocar música suave e pedir pras crianças sentarem-se em círculo2.  Solicitar que desenhem na folha de papel uma figura humana de frente, da cabeça aos pés. Explicar que não se trata de obra de arte, mas sim um esboço de uma figura humana e nada mais. Depois, pedir pra que olhem para a figura, entrar em contato com ela, dar-lhe uma identidade, uma vida e um nome.3.  Pedir a todos que, juntos cada  um no seu desenho, respondam por escrito às solicitações que lhe serão feitas:        Saindo da cabeça do personagem, fazer  um balão com três idéias que ninguém irá modificar;        Saindo da boca, fazer um balão com uma frase que foi dita e da qual se arrependeu e outra frase que precisa ser dita e ainda não o foi;        Do coração  sair uma seta, indicando três amores. Chamar a atenção do grupo para o fato de que esses amores  não precisa necessariamente ser alguém, podendo tratar-se de uma idéia, uma atividade, etc.;        Na mão direita do personagem, escrever um sentimento que este  tem disponível para oferecer;        Na mão esquerda, escrever algo que ele tem necessidade de receber;        No pé esquerdo, escrever uma meta que deseja alcançar;        No pé direito escrever os passos que precisa dar em relação a essa meta.Quando terminarem o que foi solicitado, perguntar quais as semelhanças entre o personagem, e quem o construiu. E cada qual apresentará o personagem a todos os companheiros da sala.Comentário: Ao fazer o retrato falado e lhe dar vida, cada criança irá refletindo sobre si mesma.É uma atividade rica, prazerosa, leve e descontaida. Muitas crianças falarão mais profundamente de si mesmas, fato que o evangelizador deve estar atento, no sentido de auxilia-las nesse momento.Esse mesmo esquema pode ser usado para falar das emoções, decisões, sentimentos, relacionamentos, etc.Nos balões, saindo da cabeça, olhos, boca, ouvido, coração, braços e mãos, pernas e pés, podem conter o que o Evangelizador  deseja propor.Ex: da cabeça: pensamentos felizes – gerando bem estar; boca: palavras que ajudam, que ensinam, que auxiliam; as mãos: fazer o bem, ajudar o outro,etc.Fonte: Projeto Memorial Pirajá/”Aprendendo a Ser e Conviver”/ Adaptado por mim, para a Evangelização4:06 | Adicionar um comentário | Link Permanente | Trackbacks (0) | Incluir no Blog | DINÂMICAS16 de março(Dinâmica) UM POR TODOS...TODOS POR UM!!!!15 DE MARÇO DE 2006UM POR TODOS...TODOS POR UMOBJETIVOLevar a criança a compreender as diversas formas de expressão da comunicação;Perceber que todos nós dependemos uns dos outros - cooperaçãoA importância da solidariedade.IDADE: todasPara essa vivência é necessário:uma sala grande;4 cartões de  20  cm em color set , ou cartolina verde, azul, vermelho e laranjafita crepecanetas hidrocolor da mesma cor dos cartões , ou durex colorido, da mesma cor dos cartões1ª etapa:Com antecedência, fixar os cartões coloridos  nas paredes da sala com fita crepe, em pontos distantes uns dos outros.2ª etapa:Reunir as crianças, e comunicar a elas que se trata de uma dinâmica ou vivência para fixação da aula e que todos devem colaborar.Conta-se então uma história de ficção: Que dentro de poucos minutos, uma forte chuva, cairá sobre a cidade. Todos terão uma marquinha colorida na testa,  da mesma cor do abrigo para onde devem se dirigir no momento do temporal (certamente que todos poderão ver a côr do colega, mas devem ignorar a própria côr.)  E que aquele que se refugiar em esconderijo de cor diferente a que estiver em sua testa, ficará todo molhado pela forte chuva, e terá que sair da dinâmica. Entretanto, após receber essa marquinha, ninguém mais poderá conversar com o coleguinha e nem com o evangelizador, com ninguém. Silêncio absoluto.3ª Etapa.Todos devidamente sinalizados e a postos, inicie a contagem regressiva. Exclarecendo que terão apenas 3 minutos para se esconderem junto aos cartões coloridos (abrigo). 5, 4,3,2, e ...1!O evangelizador observa atentamente as crianças se movimentando pela sala, correndo em busca dos cartões da mesma côr que está marcada em suas testas, meio perdidos, pois deverão adivinhar qual é a sua cor, a não ser que....Isso!!! Que o (os)coleguinha (s) os ajudem apontando o lugar correto para se esconder da chuva, ou seja, sob o cartão na parede da mesma côr assinalada em suas testas. Essa comunicação não pode se verbal, mas é válida se for com os olhos, um movimento de cabeça, de mãos, com o corpo, etc....O ideal será que num gesto de solidariedade, uns ajudem aos outros; que descubram que a comunicação pode ser feita de diversas maneiras , sem ser a verbal; que percebam que numa sociedade todos dependem uns dos outros concorrendo para o bem geral, praticando a cooperação.
A maneira como se joga pode tornar o jogo mais importante do que imaginamos, pois significa nada menos que a maneira como estamos no mundo
 - J.B. LeonardNessa dinâmica é comum o participante ficar desapontado quando ele percebe que procurou um lugar para si, sem se lembrar que poderia ter colaborado com os colegas com um simples apontar de dedo, pois pede  a dinâmica  apenas para não falarem, e percebem que poderia ter-se comunicado de outras formas sem ser a verbal.Encerrada a vivência, reunir a turma para uma avaliação. Perguntar , se for o caso, por que não auxiliaram determinada criança, que sem saber qual a sua cor de esconderijo acabou por se abrigar em lugar cuja cor não era a que trazia na testa. Ouvir atenta as respostas, sem atitude de crítica ou censura, pois o desapontamento já é o suficiente para o jovem perceber a lição que a dinâmica encerra.Conversar com eles, e levá-los a observar a vida, imaginando qualquer cena do nosso dia-a-dia para perceber que vivemos nessa imensa 
teia
 de mútua dependência. E que temos uma posição importante a ocupar nesse mundo.Sendo assim, vocês não acham que é fundamental refletir sobre qual tem sido a nossa posição no mundo, na vida?Em geral, as crianças se saem bem, colaborando umas com as outras, se divertindo muito, ao mesmo tempo que se sentem felizes por poder ajudar.Felicidades, e muita paz a todos.(Maria Lucia)3:15 | Adicionar um comentário | Link Permanente | Trackbacks (0) | Incluir no Blog | DINÂMICAS© 2007 MicrosoftMarcas comerciais|Declaração de Privacidade|Legal|Relatar Abuso|  DINÂMICA – ESDE – Aplicada em 25 de Setembro de 2003. Já foi.QUEM SOU EU? (Essa dinâmica e, uma comunhão para consigo mesmo, com a natureza, com os outros e com Deus).Texto para reflexão.Capítulo XII do L. dos Espíritos. Pergunta 919. “Conhecimento de si mesmo”.-Qual o meio prático mais eficaz que tem o homem de se melhorar nesta vida e de resistir à atração do mal?“Um sábio da antiguidade vo-lo disse: Conhece-te a ti mesmo.”Conhecemos toda a sabedoria desta máxima, porém a dificuldade está precisamente em cada um conhecer-se a si mesmo. Qual o meio de Consegui-lo? (Resposta dada por Sto. Agostinho, falando da sua última experiência aqui na Terra).Para concluir no final da reunião.Nota.Muitas faltas que cometemos nos passam despercebidas. Se, efetivamente, seguirmos o conselho de Santo Agostinho interrogássemos mais amiúde a nossa consciência, veríamos quantas vezes falimos sem que o suspeitemos, unicamente por não perscrutarmos a natureza e o móvel dos nossos atos. A forma interrogativa tem alguma coisa de  mais preciso do que qualquer máxima, que muitas vezes deixamos de aplicar a nós mesmo. Aquela exige respostas categóricas, por um sim ou por um não, que não abrem lugar para qualquer alternativa e que são outros tantos argumentos pessoais. E, pela soma que derem as respostas, poderemos computar a soma de bem ou de mal que existe em nós.Desenvolvimento da Dinâmica:Cada participante escolherá um balão colorido, onde constam as perguntas. Cada participante fará as suas reflexões e responderá para todo o grupo.01.Você já pensou no que poderia fazer pra se tornar uma pessoa melhor, ou você acha que já é essa pessoa?02.Você está satisfeito com a família que tem?03.Você sabe dividir o que tem com aqueles que não tem?04.Você sente dificuldade de ensinar algo que aprendeu?05.Na sua opinião, quem é o mais próximo de você?06. Você já pensou em fazer algo pela natureza e por que?07.Você considera-se uma pessoa realizada? Se não, o que lhe falta?08.Você deixaria alguém usar uma roupa nova que você ainda não tenha usado?09.Você já se observou algo que não gostaria em você, e que te irrita tanto, mas não consegue fazer diferente?10.Que acontecimento fez você mudar o seu comportamento perante a vida?11.Como você age, quando alguém esbarra em você e nem te pede desculpas?12.Você acha que houve mudanças na sua vida ao conhecendo a Doutrina, ou não aconteceu nada? Você continua a mesma pessoa?13.A educação que você teve, contribuiu para a vida que você tem hoje, ou só atrapalhou? Diga alguma coisa.14.Em que momento da vida você se reconhece mais humana?15 O que é a “Família” pra você?16. Você se acha uma pessoa egoísta?17. Você sabe compartilhar com os outros, só os momentos ruins, ou os bons também?18. Como você se comporta quando alguém passa a sua frente numa fila de espera qualquer?19. Você gosta mais de dar ou de ganhar presentes?20. Qual o defeito que você reconhece ter, e se você já pensou como se corrigi?Desenvolvimento:Com uma bola, cada um irá fazer o seu próprio depoimento.Cada um procurará uma coisa na natureza que mais se identifique, e por que. O mesmo deverá falar para todo da sua identificação.Cada balão terá uma pergunta, a qual deverá ser sorteada entre os participantes, e os mesmo deverão responder para todo o grupo.Atividade sugerida para o último estudo do ano de 2007.1º momento (17:15h às 17:20h) – Todos sentam em volta do salão ou na sala Bezerra de Menezes (se o número de pessoas estiver muito reduzido) com uma cadeira ou mesa (se houver disponível) a frente. Neste momento, evitar manter as pessoas muito próximas das outras.2º momento (17:20h às 17:25h) – Com uma música ao fundo, e todos de olhos fechados, os facilitadores depositam a frente de cada um, (sem eles perceberem), o material necessário ao trabalho: fitinhas de 10 cores diferentes e um palito de dente.3º momento (17:25h às 17:40h) – Explica-se como é a atividade e conta-se 10 minutos para o término desta. Atividade: Individualmente, em total silêncio, todos têm que separar por cores as fitinhas que estão juntas somente com o auxílio do palito (cada cor tem um número determinado de fitinhas, por exemplo: no bolinho de fitas existem 5 fitas verde claro, 5 verde escuro, 5 rosa, 5 vermelho, 5 salmão, 5 azul escuro, 5 azul claro, 5 azul marinho e etc...) As fitinhas constituem-se em pedaçinhos finos e pequenos de pano.4º momento (17:40h às 17:45h) – Pede-se para parar o trabalho e não mexer em nada. Os facilitadores espalham-se pelo salão e “destroem” o trabalho de todos, pegando as fitinhas (que já estão todas separadas por cores) e colocando no lixo rapidamente.5º momento (17:45 às 18:10h) – Abre-se espaço para as pessoas comentarem os seus sentimentos quando viram todos os seus esforços indo por água abaixo e após os comentários faz-se um link com a virada do ano, dizendo que podemos ter dois pontos de vista (do copo metade cheio ou metade vazio; podendo inclusive mostrar esse copo e perguntar a todos) em relação a essa atividade, falando que ao invés de pensarmos que todo o trabalho foi em vão podemos pensar que teremos mais oportunidades da próxima vez para separar ainda melhor as fitinhas, visto que já temos esta experiência, dizendo que o novo ano que se inicia ou até mesmo todos os dias, horas e segundos podem ser considerados como novas oportunidades de aprendizado e recomeço.6º momento (18:10h às 18:30h) – Todos recebem papel e lápis e um envelope de carta. Todos escrevem 5 pontos a melhorar para 2008. Esta carta deve ser enviada em meados de 2008 para cada um para que esta atividade faça mais sentido.7º momento (18:30h às 18:45h) – Todos fecham os olhos e ao som do cd do NAIRE que tem sons da natureza, faz-se um relaxamento mental e físico em que agradecemos pelo ano de 2007 culminando na prece final.SegurançaCentral de Ajuda|Conta|Comentários
DinâMicas Diversas
DinâMicas Diversas
DinâMicas Diversas
DinâMicas Diversas
DinâMicas Diversas
DinâMicas Diversas
DinâMicas Diversas
DinâMicas Diversas
DinâMicas Diversas
DinâMicas Diversas
DinâMicas Diversas
DinâMicas Diversas
DinâMicas Diversas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1º encontro Quem sou eu?
1º encontro   Quem sou eu?1º encontro   Quem sou eu?
1º encontro Quem sou eu?
Juliana Cristina M. Muniz
 
Dinâmica ansiedade estresse
Dinâmica ansiedade estresseDinâmica ansiedade estresse
Dinâmica ansiedade estresse
Márcio Melânia
 
Dinâmica Congresso das flores
Dinâmica Congresso das floresDinâmica Congresso das flores
Dinâmica Congresso das flores
Márcio Cerbella Freire
 
Dinamicas dia das maes
Dinamicas dia das maesDinamicas dia das maes
Dinamicas dia das maes
PriscilaNeei
 
Dinamica de diversos conteudo
Dinamica de diversos conteudoDinamica de diversos conteudo
Dinamica de diversos conteudo
Lilian Gomes
 
Dinâmicas projeto auto estima
Dinâmicas projeto auto estimaDinâmicas projeto auto estima
Dinâmicas projeto auto estima
rosangelars
 
Dinamicas de-grupo-para-jovens-e-adultos
Dinamicas de-grupo-para-jovens-e-adultosDinamicas de-grupo-para-jovens-e-adultos
Dinamicas de-grupo-para-jovens-e-adultos
Junior Medeiros
 
Atividade sobre lugar com a música casinha branca
Atividade sobre lugar com a música casinha brancaAtividade sobre lugar com a música casinha branca
Atividade sobre lugar com a música casinha branca
Edivonaldo Costa
 
20 dinamicas pedagogicas
20 dinamicas pedagogicas20 dinamicas pedagogicas
20 dinamicas pedagogicas
Silvana
 
Meu amigo o espirito santo - Estudo para crianças
Meu amigo o espirito santo - Estudo para criançasMeu amigo o espirito santo - Estudo para crianças
Meu amigo o espirito santo - Estudo para crianças
Alessandra Lucas Leite Rocha
 
Apostila de-dinamicas
Apostila de-dinamicasApostila de-dinamicas
Apostila de-dinamicas
Paulo Peixinho
 
Ser Mae
Ser MaeSer Mae
Os frutos do espírito completo
Os frutos do espírito completoOs frutos do espírito completo
Os frutos do espírito completo
Sandra Fuso
 
Dinâmica do Quebra-Cabeça - Incentivar a união e participação
Dinâmica do Quebra-Cabeça - Incentivar a união e participaçãoDinâmica do Quebra-Cabeça - Incentivar a união e participação
Dinâmica do Quebra-Cabeça - Incentivar a união e participação
Quenia Damata
 
reunião de alinhamento ministério infantil.pptx
reunião de alinhamento ministério infantil.pptxreunião de alinhamento ministério infantil.pptx
reunião de alinhamento ministério infantil.pptx
doterraces
 
Mensagem para os pais
Mensagem para os paisMensagem para os pais
Mensagem para os pais
Auxiliadora Vasconcelos
 
Dinâmica
DinâmicaDinâmica
Dinâmica
Rose Tavares
 
Catequese advento
Catequese adventoCatequese advento
Catequese advento
João Pereira
 
Roteiro para Encontro de Grupos de Jovens - subsídio
Roteiro para Encontro de Grupos de Jovens - subsídio Roteiro para Encontro de Grupos de Jovens - subsídio
Roteiro para Encontro de Grupos de Jovens - subsídio
Bernadetecebs .
 
Apresentação da Campanha da Fraternidade 2024.pdf
Apresentação da Campanha da Fraternidade 2024.pdfApresentação da Campanha da Fraternidade 2024.pdf
Apresentação da Campanha da Fraternidade 2024.pdf
engrobertomourafilho
 

Mais procurados (20)

1º encontro Quem sou eu?
1º encontro   Quem sou eu?1º encontro   Quem sou eu?
1º encontro Quem sou eu?
 
Dinâmica ansiedade estresse
Dinâmica ansiedade estresseDinâmica ansiedade estresse
Dinâmica ansiedade estresse
 
Dinâmica Congresso das flores
Dinâmica Congresso das floresDinâmica Congresso das flores
Dinâmica Congresso das flores
 
Dinamicas dia das maes
Dinamicas dia das maesDinamicas dia das maes
Dinamicas dia das maes
 
Dinamica de diversos conteudo
Dinamica de diversos conteudoDinamica de diversos conteudo
Dinamica de diversos conteudo
 
Dinâmicas projeto auto estima
Dinâmicas projeto auto estimaDinâmicas projeto auto estima
Dinâmicas projeto auto estima
 
Dinamicas de-grupo-para-jovens-e-adultos
Dinamicas de-grupo-para-jovens-e-adultosDinamicas de-grupo-para-jovens-e-adultos
Dinamicas de-grupo-para-jovens-e-adultos
 
Atividade sobre lugar com a música casinha branca
Atividade sobre lugar com a música casinha brancaAtividade sobre lugar com a música casinha branca
Atividade sobre lugar com a música casinha branca
 
20 dinamicas pedagogicas
20 dinamicas pedagogicas20 dinamicas pedagogicas
20 dinamicas pedagogicas
 
Meu amigo o espirito santo - Estudo para crianças
Meu amigo o espirito santo - Estudo para criançasMeu amigo o espirito santo - Estudo para crianças
Meu amigo o espirito santo - Estudo para crianças
 
Apostila de-dinamicas
Apostila de-dinamicasApostila de-dinamicas
Apostila de-dinamicas
 
Ser Mae
Ser MaeSer Mae
Ser Mae
 
Os frutos do espírito completo
Os frutos do espírito completoOs frutos do espírito completo
Os frutos do espírito completo
 
Dinâmica do Quebra-Cabeça - Incentivar a união e participação
Dinâmica do Quebra-Cabeça - Incentivar a união e participaçãoDinâmica do Quebra-Cabeça - Incentivar a união e participação
Dinâmica do Quebra-Cabeça - Incentivar a união e participação
 
reunião de alinhamento ministério infantil.pptx
reunião de alinhamento ministério infantil.pptxreunião de alinhamento ministério infantil.pptx
reunião de alinhamento ministério infantil.pptx
 
Mensagem para os pais
Mensagem para os paisMensagem para os pais
Mensagem para os pais
 
Dinâmica
DinâmicaDinâmica
Dinâmica
 
Catequese advento
Catequese adventoCatequese advento
Catequese advento
 
Roteiro para Encontro de Grupos de Jovens - subsídio
Roteiro para Encontro de Grupos de Jovens - subsídio Roteiro para Encontro de Grupos de Jovens - subsídio
Roteiro para Encontro de Grupos de Jovens - subsídio
 
Apresentação da Campanha da Fraternidade 2024.pdf
Apresentação da Campanha da Fraternidade 2024.pdfApresentação da Campanha da Fraternidade 2024.pdf
Apresentação da Campanha da Fraternidade 2024.pdf
 

Semelhante a DinâMicas Diversas

Anjos da guarda
Anjos da guardaAnjos da guarda
Anjos da guarda
Eduardo Lopes
 
Apostila%20de%20 dinamicas%2097%20din%e2micas
Apostila%20de%20 dinamicas%2097%20din%e2micasApostila%20de%20 dinamicas%2097%20din%e2micas
Apostila%20de%20 dinamicas%2097%20din%e2micas
Susana Godinho
 
Apostila de dinamicas 97 dinâmicas
Apostila de dinamicas 97 dinâmicasApostila de dinamicas 97 dinâmicas
Apostila de dinamicas 97 dinâmicas
Andréia Sousa
 
Dinamicas jogos cooperativos
Dinamicas jogos cooperativosDinamicas jogos cooperativos
Dinamicas jogos cooperativos
Maria Martins
 
Dinamicas jogos cooperativos
Dinamicas jogos cooperativosDinamicas jogos cooperativos
Dinamicas jogos cooperativos
Cida Carvalho
 
Dinamicas jogos cooperativos
Dinamicas jogos cooperativosDinamicas jogos cooperativos
Dinamicas jogos cooperativos
Hamlet Flowers
 
Brincadeiras
BrincadeirasBrincadeiras
Brincadeiras
Jackie Barbosa
 
E-book-At.-Socioemocionais-vol-1-3.pdf
E-book-At.-Socioemocionais-vol-1-3.pdfE-book-At.-Socioemocionais-vol-1-3.pdf
E-book-At.-Socioemocionais-vol-1-3.pdf
MarianneMeneses1
 
Jogos e brincadeiras infantis
Jogos e brincadeiras infantisJogos e brincadeiras infantis
Jogos e brincadeiras infantis
Julia Paula
 
Apostila de dinamicas 97 dinâmicas
Apostila de dinamicas 97 dinâmicasApostila de dinamicas 97 dinâmicas
Apostila de dinamicas 97 dinâmicas
Geizi Gabriel
 
Brincadeiras
BrincadeirasBrincadeiras
Brincadeiras
educadores
 
Brincadeiras
BrincadeirasBrincadeiras
Brincadeiras
silsiane
 
Dinâmicas criativas
Dinâmicas criativasDinâmicas criativas
Dinâmicas criativas
Leo Aguiar
 
Dinamicas de grupo andreia
Dinamicas de grupo andreiaDinamicas de grupo andreia
Dinamicas de grupo andreia
Maria Andreia Alves Andreia
 
Dinâmicas
DinâmicasDinâmicas
Dinâmicas
Aninhada12
 
19 Dicas E Sugestoes Infantil
19 Dicas E Sugestoes Infantil19 Dicas E Sugestoes Infantil
19 Dicas E Sugestoes Infantil
daizinha1103
 
Dinâmicas
DinâmicasDinâmicas
Dinâmicas
Silvana
 
Dinamica grupo
Dinamica grupoDinamica grupo
Dinamica grupo
guest8b2a62
 
Dinamicas
DinamicasDinamicas
Dinamicas
manuzis
 
Oficina de dinâmicas afonso dutra
Oficina de dinâmicas   afonso dutraOficina de dinâmicas   afonso dutra
Oficina de dinâmicas afonso dutra
dijfergs
 

Semelhante a DinâMicas Diversas (20)

Anjos da guarda
Anjos da guardaAnjos da guarda
Anjos da guarda
 
Apostila%20de%20 dinamicas%2097%20din%e2micas
Apostila%20de%20 dinamicas%2097%20din%e2micasApostila%20de%20 dinamicas%2097%20din%e2micas
Apostila%20de%20 dinamicas%2097%20din%e2micas
 
Apostila de dinamicas 97 dinâmicas
Apostila de dinamicas 97 dinâmicasApostila de dinamicas 97 dinâmicas
Apostila de dinamicas 97 dinâmicas
 
Dinamicas jogos cooperativos
Dinamicas jogos cooperativosDinamicas jogos cooperativos
Dinamicas jogos cooperativos
 
Dinamicas jogos cooperativos
Dinamicas jogos cooperativosDinamicas jogos cooperativos
Dinamicas jogos cooperativos
 
Dinamicas jogos cooperativos
Dinamicas jogos cooperativosDinamicas jogos cooperativos
Dinamicas jogos cooperativos
 
Brincadeiras
BrincadeirasBrincadeiras
Brincadeiras
 
E-book-At.-Socioemocionais-vol-1-3.pdf
E-book-At.-Socioemocionais-vol-1-3.pdfE-book-At.-Socioemocionais-vol-1-3.pdf
E-book-At.-Socioemocionais-vol-1-3.pdf
 
Jogos e brincadeiras infantis
Jogos e brincadeiras infantisJogos e brincadeiras infantis
Jogos e brincadeiras infantis
 
Apostila de dinamicas 97 dinâmicas
Apostila de dinamicas 97 dinâmicasApostila de dinamicas 97 dinâmicas
Apostila de dinamicas 97 dinâmicas
 
Brincadeiras
BrincadeirasBrincadeiras
Brincadeiras
 
Brincadeiras
BrincadeirasBrincadeiras
Brincadeiras
 
Dinâmicas criativas
Dinâmicas criativasDinâmicas criativas
Dinâmicas criativas
 
Dinamicas de grupo andreia
Dinamicas de grupo andreiaDinamicas de grupo andreia
Dinamicas de grupo andreia
 
Dinâmicas
DinâmicasDinâmicas
Dinâmicas
 
19 Dicas E Sugestoes Infantil
19 Dicas E Sugestoes Infantil19 Dicas E Sugestoes Infantil
19 Dicas E Sugestoes Infantil
 
Dinâmicas
DinâmicasDinâmicas
Dinâmicas
 
Dinamica grupo
Dinamica grupoDinamica grupo
Dinamica grupo
 
Dinamicas
DinamicasDinamicas
Dinamicas
 
Oficina de dinâmicas afonso dutra
Oficina de dinâmicas   afonso dutraOficina de dinâmicas   afonso dutra
Oficina de dinâmicas afonso dutra
 

Mais de Ana Cristina Freitas

Bingo amor ao proximo
Bingo amor ao proximoBingo amor ao proximo
Bingo amor ao proximo
Ana Cristina Freitas
 
Jesus modelo e guia
Jesus modelo e guiaJesus modelo e guia
Jesus modelo e guia
Ana Cristina Freitas
 
Sugestão de atividades para aulas de evangelização ovelha (1)
Sugestão de atividades para aulas de evangelização ovelha (1)Sugestão de atividades para aulas de evangelização ovelha (1)
Sugestão de atividades para aulas de evangelização ovelha (1)
Ana Cristina Freitas
 
Colônias espirituais nosso lar
Colônias espirituais nosso larColônias espirituais nosso lar
Colônias espirituais nosso lar
Ana Cristina Freitas
 
Médico dos pobres
Médico dos pobresMédico dos pobres
Médico dos pobres
Ana Cristina Freitas
 
Atos administrativo sa
Atos administrativo saAtos administrativo sa
Atos administrativo sa
Ana Cristina Freitas
 
Serviços públicos adm ii
Serviços públicos adm iiServiços públicos adm ii
Serviços públicos adm ii
Ana Cristina Freitas
 
Poder de polícia
Poder de políciaPoder de polícia
Poder de polícia
Ana Cristina Freitas
 
Poderes administrativos parte ii adm i
Poderes administrativos parte ii adm iPoderes administrativos parte ii adm i
Poderes administrativos parte ii adm i
Ana Cristina Freitas
 
Adm i revisao av1.2013
Adm i revisao av1.2013Adm i revisao av1.2013
Adm i revisao av1.2013
Ana Cristina Freitas
 
Revisão av1 (2)
Revisão av1 (2)Revisão av1 (2)
Revisão av1 (2)
Ana Cristina Freitas
 
Seres orgânicos e inorgânicos
Seres orgânicos e inorgânicosSeres orgânicos e inorgânicos
Seres orgânicos e inorgânicos
Ana Cristina Freitas
 
Formacao dos seres_vivos
Formacao dos seres_vivosFormacao dos seres_vivos
Formacao dos seres_vivos
Ana Cristina Freitas
 
Seres orgânicos e inorgânicos aula grupo - 08 de julho 2012
Seres orgânicos e inorgânicos   aula grupo - 08 de julho 2012Seres orgânicos e inorgânicos   aula grupo - 08 de julho 2012
Seres orgânicos e inorgânicos aula grupo - 08 de julho 2012
Ana Cristina Freitas
 
Paz no lar
Paz no larPaz no lar
Trabalho
TrabalhoTrabalho
A paz nasce no lar
A paz nasce no larA paz nasce no lar
A paz nasce no lar
Ana Cristina Freitas
 
Manual le1-arquivo1
Manual le1-arquivo1Manual le1-arquivo1
Manual le1-arquivo1
Ana Cristina Freitas
 
Manual le1-arquivo1
Manual le1-arquivo1Manual le1-arquivo1
Manual le1-arquivo1
Ana Cristina Freitas
 

Mais de Ana Cristina Freitas (20)

Bingo amor ao proximo
Bingo amor ao proximoBingo amor ao proximo
Bingo amor ao proximo
 
Jesus modelo e guia
Jesus modelo e guiaJesus modelo e guia
Jesus modelo e guia
 
Sugestão de atividades para aulas de evangelização ovelha (1)
Sugestão de atividades para aulas de evangelização ovelha (1)Sugestão de atividades para aulas de evangelização ovelha (1)
Sugestão de atividades para aulas de evangelização ovelha (1)
 
Colônias espirituais nosso lar
Colônias espirituais nosso larColônias espirituais nosso lar
Colônias espirituais nosso lar
 
Médico dos pobres
Médico dos pobresMédico dos pobres
Médico dos pobres
 
Atos administrativo sa
Atos administrativo saAtos administrativo sa
Atos administrativo sa
 
Serviços públicos adm ii
Serviços públicos adm iiServiços públicos adm ii
Serviços públicos adm ii
 
Poder de polícia
Poder de políciaPoder de polícia
Poder de polícia
 
Poderes administrativos parte ii adm i
Poderes administrativos parte ii adm iPoderes administrativos parte ii adm i
Poderes administrativos parte ii adm i
 
Adm i revisao av1.2013
Adm i revisao av1.2013Adm i revisao av1.2013
Adm i revisao av1.2013
 
Revisão av1 (2)
Revisão av1 (2)Revisão av1 (2)
Revisão av1 (2)
 
Seres orgânicos e inorgânicos
Seres orgânicos e inorgânicosSeres orgânicos e inorgânicos
Seres orgânicos e inorgânicos
 
Formacao dos seres_vivos
Formacao dos seres_vivosFormacao dos seres_vivos
Formacao dos seres_vivos
 
Seres orgânicos e inorgânicos aula grupo - 08 de julho 2012
Seres orgânicos e inorgânicos   aula grupo - 08 de julho 2012Seres orgânicos e inorgânicos   aula grupo - 08 de julho 2012
Seres orgânicos e inorgânicos aula grupo - 08 de julho 2012
 
Paz no lar
Paz no larPaz no lar
Paz no lar
 
Nonô
NonôNonô
Nonô
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
A paz nasce no lar
A paz nasce no larA paz nasce no lar
A paz nasce no lar
 
Manual le1-arquivo1
Manual le1-arquivo1Manual le1-arquivo1
Manual le1-arquivo1
 
Manual le1-arquivo1
Manual le1-arquivo1Manual le1-arquivo1
Manual le1-arquivo1
 

Último

A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 

Último (12)

A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 

DinâMicas Diversas

  • 1. Dinâmica 01: A vida é uma novidade vibrante!!CONVIVÊNCIADesenvolvimento: Sentados(as) em pequenos círculos(5 a 6 pessoas),cada participante pega um giz de cera de cor diferente da que o(a)companheiro(a) escolher. Ao som da música, cada um inicia um desenho,procurando expressar um problema ou uma idéia. Ao comando do evangelizadorcada participante passa o desenho para a pessoa da direita, recebe o desenhoda pessoa da sua esquerda (sem mudar a cor do seu lápis) e prossegue aatividade, observando o que recebeu e completando o desenho como que considerar oportuno para a solução do problemaou enriquecimento da idéia.Quando a folha com a qual cada participante iniciou a atividade,retornar às suas mãos, fazem-se os comentários e reflexões.**Considerações que podem auxiliar:*Permitir que o outro partilhe com você e que o(a) ajude.*Se você for forte, nunca tenha tanto orgulho de sua força, a ponto depensar que não precisa de apoio.*Refletir: A minha cor foi importante para o outro?A cor do outro foi importante para mim?*Mesmo com uma cor escura no momento, você podeexpressar bons sentimentos. A força interior existe!O mesmo lápis que escreve o ódio, escreve AMOR.*Cada um de nós tinha uma cor, mas o desenho que está conosconão tem apenas mais uma cor, tem outras cores.Quando estamos abertos para receber o outro,a vida é uma novidade vibrante!!!FELIZ NATAL!!22:56 | Adicionar um comentário | Ler comentários (2) | Link Permanente | Trackbacks (0) | Incluir no Blog | DINÂMICAS27 de marçoPRIORIDADESAs Prioridades na nossa VidaIdade: TodasObjetivo: Sinalizar as prioridades da nossa vida(Para fazer essa dinâmica com as crianças, o evangelizador deve fazê-lo antes, para poder levar para a sala de aula, a quantidade correta de pedras, água, areia, pedregulho, balde.Em primeiro lugar: as pedras maiores, depois os pedregulhos, em seguida a areia, e por ultimo a água. )Levar para a sala de aula:Um balde ou jarroÁguaAreia e pedregulhosPedras grandesPedir para as crianças colocarem  tudo dentro do balde,ou jarro, do jeito que quiserem.Dar o tempo de  3 minutos para a realização da tarefae observar em silêncio , como elas se comportam (Certamente vai sobrar coisas.)No final do tempo proposto, o evangelizador esclarece que as lições de vida estão em toda a parte e o que essa dinâmica visa nos mostrar:  Então pede para que repitam a operação  na seguinte ordem :1º) pedras grandes , 2º) pedregulhos, 3º) areia, 4º) por último, a água.Tudo caberá certinho dentro do balde.O Evangelizador então explicará que: As pedras grandes significam as coisas realmente importantes na nossa vida,1.)E o que é realmente importante em nossas vidas?Perguntar isso às crianças de forma geral e individual2.)Qual o nosso compromisso maior? Dialogar sobre isso com elas; Deixa-las à vontade para se expressarem,( Nosso crescimento espiritual? nossa evangelização? Nossa família? Cumprimento de nossos deveres?)Os pedregulhos e a areia significam as coisas menores, materiais da nossa existência, que tem uma importância relativa. A menos que você em primeiro lugar coloque as pedras grandes dentro do balde, dificilmente vai conseguir colocá-las lá dentro. Quando você dá prioridade ao ser espiritual que você é, sua necessidade de crescimento e evolução, (pedras grandes) as outras coisas menores (pedregulhos e areia) se ajustarão por si só.“BUSCAI PRIMEIRO O REINO DE DEUS E AS OUTRAS COISAS VOS SERÃO ACRESCENTADAS”.- JESUS CONCLUSÃO: Qual o objetivo desta demonstração?Perceber e sinalizar as prioridades da nossa vidaQuando você preenche sua existência somente com coisas pequenas, materiais, passageiras, temporárias, então, aquelas realmente importantes nunca terão espaço em sua vida.Essa dinâmica foi adaptada3:03 | Adicionar um comentário | Link Permanente | Trackbacks (0) | Incluir no Blog | DINÂMICAS24 de marçoA DANÇA DAS CADEIRAS COOPERATIVASDANÇA DAS CADEIRASCOOPERATIVAS Para que o novo venha, o velho precisa ser TRANSFORMADO!Essa dinâmica é extraordinária, por que nela sentimos o poder da re-criação, que existe quando buscamos juntos, realizar um objetivo comum.Nesta nova-velha brincadeira, aprendemos a valorizar cadapessoa e a reconhecer aimportância de todos. Esta é uma transformação da brincadeira tradicional da Dança da CadeirasNo jogo convencional  o objetivo é mutuamente exclusivo, ou seja, apenas um dos participantes pode sair vitorioso, enquanto há garantia de que todos os outros terminarão como perdedores. Esta é uma estrutura que estimula a eliminação e a competição.Provavelmente, você já viu alguém ficar fora neste tipo  de jogo. Ela estava alegre , se divertindo? Você acha que ela se sentia importante e responsável pelo sucesso do jogo?E quando o jogo terminou: o que ela fazia? Onde estava (seu pensamento e sentimento...) ???É difícil as pessoas se sentirem realmente envolvidas neste tipo de atividade e é mais difícil ainda que elas gostem de alguém que acabou de expulsá-las da cadeira e do jogo.Há também , o lado do (único) vencedor. Eu não vi, ainda, alguém , que ao ganhar, tenha se sentido , verdadeiramente , feliz. Se o jogo é feito em uma festa de aniversário, além da criança que ganhou , somente os pais dela(e alguns outros por educação é que vibram junto com ela.Conforme cresce a faixa etária dos participantes, mais isolado fica o vencedor.Então, eu pergunto: Será verdadeira aquela vitória que não é compartilhada e desfrutada por todos?Promovendo pequenas, mas fundamentais mudanças na estrutura do jogo, podemos criar um tipo de desafio que motive cada pessoa e o grupo para realizar um objetivo comum .Você consegue imaginar 80 pessoas sentadas em uma cadeira?Principal eixo dessa dinâmica:PARTICIPAÇÃO DE TODOS - OBJETIVOS COMUNS.Colocamos em círculo, um número de cadeiras menor que o número de participantes. Em seguida, propomos um Objetivo Comum :Terminar o jogo com todos os participantes sentados nas cadeiras que sobrarem!Colocamos música e todos dançam. Quando a música para, todos devem sentar usando os recursos que estão no jogo - cadeiras e pessoas. Podem sentar nas cadeiras, nos colos uns dos outros, ou de alguma outra maneira criada pelos participantes. em seguida, todos levantam  tiramos algumas cadeiras, ninguém sai do jogo e continuamos a dança.Nesse processo, os participantes vão percebendo que podem se liberar dos velhos, desnecessários e bloqueadores padrões competitivos Ficar colados às cadeiras (Visão de escassez)Ir todos na mesma direção. (Não assumir riscos)Ficar ligado na parada da música (Preocupação/tensão)Dançar travado . (Bloqueio da espontaneidade)Ter pressa para sentar (Medo de perder)Ver as cadeiras como ponto de encontro(Visão de abundância)Movimentam-se em todas as direções. (Flexibilidade, auto-mútua-confiança)Curtir a música. (Viver plenamente cada momento)Dançar livremente.(Ser a gente mesmo)DANÇAR EM COMUM-UNIDADEFONTE:Jogos CooperativosProjeto CooperaçãoE ,na medida que se desprendem dos antigos hábitos, passam a resgatar e fortalecer a expressão do potencial cooperativo para jogar e viver .O Jogo prossegue até onde o grupo desejar. Em geral, a motivação é tão intensa que, mesmo depois de sentarem TODOS em uma única cadeira, o jogo continua com uma cadeira imaginária.Daí em diante , é só dar asas a imaginação e...DANÇAR EM COMUM- UNIDADE´Fábio Otuzi Brotto - autor21:00 | Adicionar um comentário | Link Permanente | Trackbacks (0) | Incluir no Blog | DINÂMICASRETRATO ÍNTIMORETRATO FALADO(Muito bom para os primeiros dias de aulas)IDADE: 12 anos em dianteOBJETIVOs: Aprofundar a percepção de si mesmo; perceber as motivações que interferem nos pensamentos, sentimentos e ações.Material: papel sulfite, lápis preto e de cor, borracha.1.  Colocar música suave e pedir pras crianças sentarem-se em círculo2.  Solicitar que desenhem na folha de papel uma figura humana de frente, da cabeça aos pés. Explicar que não se trata de obra de arte, mas sim um esboço de uma figura humana e nada mais. Depois, pedir pra que olhem para a figura, entrar em contato com ela, dar-lhe uma identidade, uma vida e um nome.3.  Pedir a todos que, juntos cada  um no seu desenho, respondam por escrito às solicitações que lhe serão feitas:        Saindo da cabeça do personagem, fazer  um balão com três idéias que ninguém irá modificar;        Saindo da boca, fazer um balão com uma frase que foi dita e da qual se arrependeu e outra frase que precisa ser dita e ainda não o foi;        Do coração  sair uma seta, indicando três amores. Chamar a atenção do grupo para o fato de que esses amores  não precisa necessariamente ser alguém, podendo tratar-se de uma idéia, uma atividade, etc.;        Na mão direita do personagem, escrever um sentimento que este  tem disponível para oferecer;        Na mão esquerda, escrever algo que ele tem necessidade de receber;        No pé esquerdo, escrever uma meta que deseja alcançar;        No pé direito escrever os passos que precisa dar em relação a essa meta.Quando terminarem o que foi solicitado, perguntar quais as semelhanças entre o personagem, e quem o construiu. E cada qual apresentará o personagem a todos os companheiros da sala.Comentário: Ao fazer o retrato falado e lhe dar vida, cada criança irá refletindo sobre si mesma.É uma atividade rica, prazerosa, leve e descontaida. Muitas crianças falarão mais profundamente de si mesmas, fato que o evangelizador deve estar atento, no sentido de auxilia-las nesse momento.Esse mesmo esquema pode ser usado para falar das emoções, decisões, sentimentos, relacionamentos, etc.Nos balões, saindo da cabeça, olhos, boca, ouvido, coração, braços e mãos, pernas e pés, podem conter o que o Evangelizador  deseja propor.Ex: da cabeça: pensamentos felizes – gerando bem estar; boca: palavras que ajudam, que ensinam, que auxiliam; as mãos: fazer o bem, ajudar o outro,etc.Fonte: Projeto Memorial Pirajá/”Aprendendo a Ser e Conviver”/ Adaptado por mim, para a Evangelização4:06 | Adicionar um comentário | Link Permanente | Trackbacks (0) | Incluir no Blog | DINÂMICAS16 de março(Dinâmica) UM POR TODOS...TODOS POR UM!!!!15 DE MARÇO DE 2006UM POR TODOS...TODOS POR UMOBJETIVOLevar a criança a compreender as diversas formas de expressão da comunicação;Perceber que todos nós dependemos uns dos outros - cooperaçãoA importância da solidariedade.IDADE: todasPara essa vivência é necessário:uma sala grande;4 cartões de  20  cm em color set , ou cartolina verde, azul, vermelho e laranjafita crepecanetas hidrocolor da mesma cor dos cartões , ou durex colorido, da mesma cor dos cartões1ª etapa:Com antecedência, fixar os cartões coloridos  nas paredes da sala com fita crepe, em pontos distantes uns dos outros.2ª etapa:Reunir as crianças, e comunicar a elas que se trata de uma dinâmica ou vivência para fixação da aula e que todos devem colaborar.Conta-se então uma história de ficção: Que dentro de poucos minutos, uma forte chuva, cairá sobre a cidade. Todos terão uma marquinha colorida na testa,  da mesma cor do abrigo para onde devem se dirigir no momento do temporal (certamente que todos poderão ver a côr do colega, mas devem ignorar a própria côr.)  E que aquele que se refugiar em esconderijo de cor diferente a que estiver em sua testa, ficará todo molhado pela forte chuva, e terá que sair da dinâmica. Entretanto, após receber essa marquinha, ninguém mais poderá conversar com o coleguinha e nem com o evangelizador, com ninguém. Silêncio absoluto.3ª Etapa.Todos devidamente sinalizados e a postos, inicie a contagem regressiva. Exclarecendo que terão apenas 3 minutos para se esconderem junto aos cartões coloridos (abrigo). 5, 4,3,2, e ...1!O evangelizador observa atentamente as crianças se movimentando pela sala, correndo em busca dos cartões da mesma côr que está marcada em suas testas, meio perdidos, pois deverão adivinhar qual é a sua cor, a não ser que....Isso!!! Que o (os)coleguinha (s) os ajudem apontando o lugar correto para se esconder da chuva, ou seja, sob o cartão na parede da mesma côr assinalada em suas testas. Essa comunicação não pode se verbal, mas é válida se for com os olhos, um movimento de cabeça, de mãos, com o corpo, etc....O ideal será que num gesto de solidariedade, uns ajudem aos outros; que descubram que a comunicação pode ser feita de diversas maneiras , sem ser a verbal; que percebam que numa sociedade todos dependem uns dos outros concorrendo para o bem geral, praticando a cooperação. A maneira como se joga pode tornar o jogo mais importante do que imaginamos, pois significa nada menos que a maneira como estamos no mundo - J.B. LeonardNessa dinâmica é comum o participante ficar desapontado quando ele percebe que procurou um lugar para si, sem se lembrar que poderia ter colaborado com os colegas com um simples apontar de dedo, pois pede  a dinâmica  apenas para não falarem, e percebem que poderia ter-se comunicado de outras formas sem ser a verbal.Encerrada a vivência, reunir a turma para uma avaliação. Perguntar , se for o caso, por que não auxiliaram determinada criança, que sem saber qual a sua cor de esconderijo acabou por se abrigar em lugar cuja cor não era a que trazia na testa. Ouvir atenta as respostas, sem atitude de crítica ou censura, pois o desapontamento já é o suficiente para o jovem perceber a lição que a dinâmica encerra.Conversar com eles, e levá-los a observar a vida, imaginando qualquer cena do nosso dia-a-dia para perceber que vivemos nessa imensa teia de mútua dependência. E que temos uma posição importante a ocupar nesse mundo.Sendo assim, vocês não acham que é fundamental refletir sobre qual tem sido a nossa posição no mundo, na vida?Em geral, as crianças se saem bem, colaborando umas com as outras, se divertindo muito, ao mesmo tempo que se sentem felizes por poder ajudar.Felicidades, e muita paz a todos.(Maria Lucia)3:15 | Adicionar um comentário | Link Permanente | Trackbacks (0) | Incluir no Blog | DINÂMICAS© 2007 MicrosoftMarcas comerciais|Declaração de Privacidade|Legal|Relatar Abuso|  DINÂMICA – ESDE – Aplicada em 25 de Setembro de 2003. Já foi.QUEM SOU EU? (Essa dinâmica e, uma comunhão para consigo mesmo, com a natureza, com os outros e com Deus).Texto para reflexão.Capítulo XII do L. dos Espíritos. Pergunta 919. “Conhecimento de si mesmo”.-Qual o meio prático mais eficaz que tem o homem de se melhorar nesta vida e de resistir à atração do mal?“Um sábio da antiguidade vo-lo disse: Conhece-te a ti mesmo.”Conhecemos toda a sabedoria desta máxima, porém a dificuldade está precisamente em cada um conhecer-se a si mesmo. Qual o meio de Consegui-lo? (Resposta dada por Sto. Agostinho, falando da sua última experiência aqui na Terra).Para concluir no final da reunião.Nota.Muitas faltas que cometemos nos passam despercebidas. Se, efetivamente, seguirmos o conselho de Santo Agostinho interrogássemos mais amiúde a nossa consciência, veríamos quantas vezes falimos sem que o suspeitemos, unicamente por não perscrutarmos a natureza e o móvel dos nossos atos. A forma interrogativa tem alguma coisa de mais preciso do que qualquer máxima, que muitas vezes deixamos de aplicar a nós mesmo. Aquela exige respostas categóricas, por um sim ou por um não, que não abrem lugar para qualquer alternativa e que são outros tantos argumentos pessoais. E, pela soma que derem as respostas, poderemos computar a soma de bem ou de mal que existe em nós.Desenvolvimento da Dinâmica:Cada participante escolherá um balão colorido, onde constam as perguntas. Cada participante fará as suas reflexões e responderá para todo o grupo.01.Você já pensou no que poderia fazer pra se tornar uma pessoa melhor, ou você acha que já é essa pessoa?02.Você está satisfeito com a família que tem?03.Você sabe dividir o que tem com aqueles que não tem?04.Você sente dificuldade de ensinar algo que aprendeu?05.Na sua opinião, quem é o mais próximo de você?06. Você já pensou em fazer algo pela natureza e por que?07.Você considera-se uma pessoa realizada? Se não, o que lhe falta?08.Você deixaria alguém usar uma roupa nova que você ainda não tenha usado?09.Você já se observou algo que não gostaria em você, e que te irrita tanto, mas não consegue fazer diferente?10.Que acontecimento fez você mudar o seu comportamento perante a vida?11.Como você age, quando alguém esbarra em você e nem te pede desculpas?12.Você acha que houve mudanças na sua vida ao conhecendo a Doutrina, ou não aconteceu nada? Você continua a mesma pessoa?13.A educação que você teve, contribuiu para a vida que você tem hoje, ou só atrapalhou? Diga alguma coisa.14.Em que momento da vida você se reconhece mais humana?15 O que é a “Família” pra você?16. Você se acha uma pessoa egoísta?17. Você sabe compartilhar com os outros, só os momentos ruins, ou os bons também?18. Como você se comporta quando alguém passa a sua frente numa fila de espera qualquer?19. Você gosta mais de dar ou de ganhar presentes?20. Qual o defeito que você reconhece ter, e se você já pensou como se corrigi?Desenvolvimento:Com uma bola, cada um irá fazer o seu próprio depoimento.Cada um procurará uma coisa na natureza que mais se identifique, e por que. O mesmo deverá falar para todo da sua identificação.Cada balão terá uma pergunta, a qual deverá ser sorteada entre os participantes, e os mesmo deverão responder para todo o grupo.Atividade sugerida para o último estudo do ano de 2007.1º momento (17:15h às 17:20h) – Todos sentam em volta do salão ou na sala Bezerra de Menezes (se o número de pessoas estiver muito reduzido) com uma cadeira ou mesa (se houver disponível) a frente. Neste momento, evitar manter as pessoas muito próximas das outras.2º momento (17:20h às 17:25h) – Com uma música ao fundo, e todos de olhos fechados, os facilitadores depositam a frente de cada um, (sem eles perceberem), o material necessário ao trabalho: fitinhas de 10 cores diferentes e um palito de dente.3º momento (17:25h às 17:40h) – Explica-se como é a atividade e conta-se 10 minutos para o término desta. Atividade: Individualmente, em total silêncio, todos têm que separar por cores as fitinhas que estão juntas somente com o auxílio do palito (cada cor tem um número determinado de fitinhas, por exemplo: no bolinho de fitas existem 5 fitas verde claro, 5 verde escuro, 5 rosa, 5 vermelho, 5 salmão, 5 azul escuro, 5 azul claro, 5 azul marinho e etc...) As fitinhas constituem-se em pedaçinhos finos e pequenos de pano.4º momento (17:40h às 17:45h) – Pede-se para parar o trabalho e não mexer em nada. Os facilitadores espalham-se pelo salão e “destroem” o trabalho de todos, pegando as fitinhas (que já estão todas separadas por cores) e colocando no lixo rapidamente.5º momento (17:45 às 18:10h) – Abre-se espaço para as pessoas comentarem os seus sentimentos quando viram todos os seus esforços indo por água abaixo e após os comentários faz-se um link com a virada do ano, dizendo que podemos ter dois pontos de vista (do copo metade cheio ou metade vazio; podendo inclusive mostrar esse copo e perguntar a todos) em relação a essa atividade, falando que ao invés de pensarmos que todo o trabalho foi em vão podemos pensar que teremos mais oportunidades da próxima vez para separar ainda melhor as fitinhas, visto que já temos esta experiência, dizendo que o novo ano que se inicia ou até mesmo todos os dias, horas e segundos podem ser considerados como novas oportunidades de aprendizado e recomeço.6º momento (18:10h às 18:30h) – Todos recebem papel e lápis e um envelope de carta. Todos escrevem 5 pontos a melhorar para 2008. Esta carta deve ser enviada em meados de 2008 para cada um para que esta atividade faça mais sentido.7º momento (18:30h às 18:45h) – Todos fecham os olhos e ao som do cd do NAIRE que tem sons da natureza, faz-se um relaxamento mental e físico em que agradecemos pelo ano de 2007 culminando na prece final.SegurançaCentral de Ajuda|Conta|Comentários