SlideShare uma empresa Scribd logo
Depois de 2012
Feijão – Alfredo Ricardo Lucas Lopes
Mundos inferiores e mundos
superiores – ESSE cap. 2 pg 78 a 84
• Poderíamos dividir os tipos de mundos em:
• Mundos Primitivos: São mundos bem atrasados, onde
as almas humanas fazem as suas primeiras
encarnações.
• Mundo de Provas e Expiações: O mal ainda
predomina nesse tipo de globo. A influencia da
matéria, ainda é grande. Temos como exemplo a Terra.
• Mundos de Regeneração: As almas ainda tem de
expiar, mas a noção do bem já é mais avançada. Esses
mundos, podem ser considerados como intermediários
entre aqueles de Provas e Expiações e os Mundos
Felizes.
Mundos inferiores e mundos
superiores – ESSE cap. 2 pg 78 a 84
• Mundos Felizes: O bem é predominante em relação ao mal. A
forma humana é muito mais embelezada e purificada. O corpo não
é tão material, nem está sujeito às vicissitudes materiais, às
doenças, as deteriorações. O homem se desloca com uma leveza,
que ele não se arrasta, e sim desliza. Faz lembrar os quadros que
determinados pintores conceberam, tentando representar o
paraíso.
• Mundos Celestes ou Divinos: O Bem reina exclusivamente. É a
morada dos Espíritos Puros. Jesus é o exemplo de Espírito Puro que
possuímos. Não há muita informação sobre esses planetas, talvez
porque seja difícil para a nossa compreensão.
• Mundos transitórios: destinados particularmente aos espíritos
errantes, mundos que lhes podem servir de habitação temporária,
espécies de campos onde descansam de uma longa erraticidade,
estado esse sempre um tanto penoso. Os mundos transitórios não
se prestam à encarnação de seres corpóreos, porque estéril é neles
a superfície e os que os habitam de nada precisam. Essa
esterilidade é, contudo, transitória. A Terra, por exemplo, já foi um
mundo transitório “durante a sua formação”.
Crises na história da Humanidade
• Tenhamos claro que a história humana alterna
fluxos e crises. Isto é: há períodos em que a
vida flui sem maiores turbulências e, nessas
épocas, é como se o ser humano se sentisse
em casa, mais serenamente à vontade; mas,
há períodos críticos em que o viver se torna
mais difícil, sentindo-se o homem como que
desabrigado e exposto à intempérie. É a
alternância de fluxos e crises na trajetória
humana.
1.Crise na compreensão que o
homem tem de si mesmo
• Nunca, ao longo da história, teve-se tantos dados
sobre o ser humano. São informações médicas,
psicológicas, sociológicas, econômicas,
demográficas e de muitas outras naturezas que
atulham potentes memórias de computadores.
Todavia, ao nosso tempo falta uma “espinha
dorsal”, um sistema unificador de pensamento
para encontrar o sentido maior de tantos dados
disponíveis. Como observam alguns pensadores,
o ser humano segue falando muito sobre aquilo
que não tem.
2.Crise nos projetos de vida dos
povos
• Imersos no materialismo que gera as neuroses
do lucro e das vantagens materiais,
valorizamos desmedidamente o ter mais em
detrimento do ser mais. Todo um processo de
massificação desgastou a dignidade das
pessoas, a ponto de se dizer que os que se
sentem pouco significantes precisam demais
de ter coisas; ao passo de que uma minoria
que se sente suficiente, não necessita ter
muita coisa para se sentir basicamente feliz.
3. Crise na comunhão do ser humano
com o seu mundo
• Nosso mundo se encontra justificadamente assustado
e amedrontado perante inúmeras agressões ao meio-
ambiente, as quais, na verdade, põe em risco a própria
sobrevivência da espécie humana, bem como de
outras formas vivas, no planeta. Desmatamentos,
poluições, estas gerando o denominado “efeito estufa”
que vem fazendo aumentar a temperatura do nosso
mundo, bem como vem gerando fenômenos climáticos
assustadores. Afinal, mais de seis bilhões e duzentos
milhões de criaturas humanas habitam essa pequena
“nave espacial” chamada Terra que, como é sabido,
não tem recursos ilimitados de sobrevida se continuar
exposta à agressão.
4. Crise nas instituições humanas
• Nossas instituições, em sua quase totalidade,
nasceram de reais necessidades humanas.
Quase todas, entre as fundamentais,
cumpriram e cumprem papéis de enorme
importância. Algumas, no entanto, desviaram-
se de seus autênticos objetivos e hoje se
mantêm em situação de crise indiscutível.
Segundo Advento do Cristo e o Fim do
Mundo
• O Cristo está voltando nas nuvens de nossa
consciên-cia. Ele está acenando no nosso
interior para promover a nossa ressurreição
espiritual. Nada adianta à ressurreição física
se o Cristo não nascer dentro do Espírito. E é
isto o que ele está fazendo. Ele está nascendo,
quer no sentido individual, quer no sentido
coletivo ou histórico.
Futuro do Espiritismo - OP
• O Espiritismo é chamado a desempenhar imenso papel
na Terra. Ele reformará a legislação ainda tão
freqüentemente contrária às leis divinas; retificará os erros
da História; restaurará a religião do Cristo, que se tornou,
nas mãos dos padres, objeto de comércio e de tráfico vil;
instituirá a verdadeira religião, a religião natural, a que
parte do coração e vai diretamente a Deus, sem se deter
nas franjas de uma sotaina, ou nos degraus de um altar.
Extinguirá para sempre o ateísmo e o materialismo, aos
quais alguns homens foram levados pelos incessantes
abusos dos que se dizem ministros de Deus, pregam a
caridade com uma espada em cada mão, sacrificam às suas
ambições e ao espírito de dominação os mais sagrados
direitos da Humanidade.
As Aristocracias – OP
• A inteligência nem sempre constitui penhor de mo­ralidade e o homem mais
inteligente pode fazer péssimo uso de suas faculdades. Doutro lado, a
moralidade, iso­lada, pode, muita vez, ser incapaz. A reunião dessas duas
faculdades, inteligência e moralidade, é, pois, ne­cessária a criar uma
preponderância legítima, a que a massa se submeterá cegamente, porque lhe
inspirará plena confiança, pelas suas luzes e pela sua justiça.
• Será essa a última aristocracia, a que se apresen­tará como conseqüência, ou,
antes, como sinal do advento do reinado do bem na Terra. Ela se erguerá muito
naturalmente pela força mesma das coisas. Quando os homens de tal categoria
forem bastante numerosos para formarem uma maioria imponente, a massa lhes
con­fiará seus interesses.
• Como vimos, todas as aristocracias tiveram sua razão de ser; nasceram do estado
da Humanidade; assim há de acontecer com o que se tornará uma necessidade.
Todas preencheram ou preencherão seu tempo, conforme os países, porque
nenhuma teve por base o princípio moral; só este princípio pode constituir uma
supremacia durável, porque terá a animá­la sentimentos de justiça e caridade. A
essa aristocracia chamaremos: aristocracia intelecto­moral.
Mundo de Regeneração
• Condições do Planeta
• Pergunta: O que a Doutrina Espírita pode dizer a respeito
do fim dos tempos, isto é, como ocorrerá a transformação
do planeta em planeta de provas e expiações para o de
regeneração?
• Resposta: Através da busca da espiritualização, superação
das dores e construção de uma nova sociedade, a
humanidade caminha para a regeneração das consciências.
Emmanuel afirma que a Terra será um mundo regenerado
por volta de 2057. Cabe, a cada um, longa e árdua tarefa
de ascensão. Trabalho e amor ao próximo com Jesus, este
é o caminho.
• Plantão De Respostas – Emmanuel E Francisco Cândido
Xavier. Promotor do Evento: Pinga Fogo (II) Ed. Ideal Pag.
14.
Transição Planetária
• Vive­se, na Terra, o momento da grande transição de
mundo de provas e de expiações, para mundo de
regeneração.
• As alterações que se observam são de natureza moral, con­
vidando o ser humano à mudança de comportamento para
me­lhor, alterando os hábitos viciosos, a fim de que se
instalem os paradigmas da justiça, do dever, da ordem e do
amor.
• Anunciada essa transformação que se encontra ínsita no
processo da evolução, desde o Sermão profético anotado
pelo evangelista Marcos, no capítulo XIII do seu livro,
quando o Divino Mestre apresentou os sinais dos futuros
tempos após as ocorrências dolorosas que assinalariam os
diferentes períodos da evolução.
• Transição Planetária ­ Manoel Philomeno de Miranda/
Divaldo Pereira Franco Ed LEAL Pag. 09
Marco inicial da Grande Transição
• 1. O materialismo filosófico será definitivamente obra do
passado;
• 2. Todas as religiões irão paulatinamente mudar seus dog­mas e
atitudes fundamentais, ante a verdade inquestio­nável da
continuidade da vida e da comunicação dos Espíritos;
• 3. Haverá uma busca intensa de conhecimentos e de estu­do do
Mundo dos Espíritos. Os espíritas deverão estar preparados para
este atendimento, quando a hora che­gar; daí a importância dos
estudos sistematizados da Dou­trina e da própria reformulação
moral;
• 4. As Universidades e outros centros culturais incluirão de­
finitivamente em seus programas de ensino este Novo Mundo,
principalmente no que concerne aos estudos do campo científico e
filosófico;
• 5. O uso da mediunidade do homem será mais respeitada e
acreditada sem misticismo e crendices, tornando­se um
instrumento da maior valia para a análise dos casos par­ticulares,
nos trabalhos de assistência espiritual, inclu­sive os sincréticos que
surgirão em outras religiões;
Marco inicial da Grande Transição
• 6. Os templos de todas as religiões tomar­se­ão novos núcleos de
estudo da vida espiritual, substituindo vagaro­samente o significado de
seus dogmas, por causa do novo entendimento dos textos sagrados. Serão
elimina­dos muitos rituais;
• 7. Muitas leis humanas paulatinamente serão modificadas ante as novas
perspectivas que se abrirão aos olhos do homem: a pena de morte
certamente será abolida definitivamente dos nossos códigos penais;
também o aborto e a eutanásia. Haverá por certo muito mais respeito à
vida;
• 8. As ciências biológicas em geral terão papel preponde­rante nos novos
rumos da vida, porque o homem passa­rá a tratar do corpo e do espírito;
• 9. As leis humanas tenderão a ajustar­se às leis de Deus;
• 10. O homem da nova era viverá o Maior Mandamento e não será
preciso que haja excesso do mal, para fazer­lhe compreender a
necessidade do bem e das reformas, conforme ensinamos Espíritos (LE,
784).
Lembranças do Futuro
• Segundo Hermínio C. Miranda no livro A Reinvenção da
Morte. Ed.Lachântre. Pág. 113 a 129, em 1980, pouco
tempo depois de publicado Vida antes da vida, a Dra.
Wambach decidiu embarcar em outra pesquisa de grande
porte, desta vez para explorar a possibilidade de promover
uma espécie de arqueologia do futuro, na memória de
pacientes sob hipnose, segundo o já consagrado ‘método
Wambach’. Obteve para o projeto o apoio de sua amiga
Beverly Lundell e o do dr. R. Leo Sprinkle, psicólogo e
professor da Universidade de Wyoming. O objetivo era o
de explorar, no psiquismo de pessoas suscetíveis e
dispostas a colaborar, os períodos de 2100-2200 e 2300-
2500, ou seja, os séculos 22, 24 e 25.
Mass dreams of future (Sonhos
coletivos do futuro), de Chet B. Snow,
PhD
• O objetivo era o de explorar, no psiquismo de
pessoas suscetíveis e dispostas a colaborar, os
períodos de 2100-2200 e 2300-2500, ou seja,
os séculos 22, 24 e 25.
• Já as progressões que levaram as pessoas até
o período 2300-2500 revelam cenário menos
desesperador.
• As comunidades mais espiritualizadas
parecem consolidadas e em expansão.
A tarefa de Allan Kardec
• Gigantesca pela sua complexidade e difícil,
graças aos muitos problemas, foi a tarefa de
Allan Kardec, em plena metade do século XIX.
•
• Enfoques Espíritas - Divaldo Pereira Franco pelo Espírito Vianna de
Carvalho

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Exilados de capela e transição planetária4
Exilados de capela e transição planetária4Exilados de capela e transição planetária4
Exilados de capela e transição planetária4
Roberto Camargo
 
Transição planetária
Transição planetáriaTransição planetária
Transição planetária
Levi Antonio Amancio
 
Transição_Portal da Nova Geração
Transição_Portal da Nova GeraçãoTransição_Portal da Nova Geração
Transição_Portal da Nova Geração
Eduardo Henrique Marçal
 
Reflexões sobre a grande transição planetária
Reflexões sobre  a  grande  transição planetáriaReflexões sobre  a  grande  transição planetária
Reflexões sobre a grande transição planetária
FEEAK
 
Transicao planetaria
Transicao planetariaTransicao planetaria
Transicao planetaria
Jorge Elarrat
 
Os visitantes de alcione
Os visitantes de alcioneOs visitantes de alcione
Os visitantes de alcione
Marcia 1810
 
Dualismo ocidental e seus desafios (Nancy Pearcey)
Dualismo ocidental e seus desafios (Nancy Pearcey)Dualismo ocidental e seus desafios (Nancy Pearcey)
Dualismo ocidental e seus desafios (Nancy Pearcey)
Jean Francesco
 
Os Visitantes de Alcione
Os Visitantes de AlcioneOs Visitantes de Alcione
Os Visitantes de Alcione
contatodoutrina2013
 
Espiritismo sociedade e a nova geração
Espiritismo sociedade e a nova geraçãoEspiritismo sociedade e a nova geração
Espiritismo sociedade e a nova geração
Norberto Tomasini Jr
 
Sugestão Jornada 2008 Apocalipse E Os Problemas Humanos
Sugestão   Jornada 2008   Apocalipse E Os Problemas HumanosSugestão   Jornada 2008   Apocalipse E Os Problemas Humanos
Sugestão Jornada 2008 Apocalipse E Os Problemas Humanos
Norberto Tomasini Jr
 
Fim dos tempos
Fim dos temposFim dos tempos
Fim dos tempos
Roberto Lettiere
 
Necessidade da Autoeducacão
Necessidade da AutoeducacãoNecessidade da Autoeducacão
Necessidade da Autoeducacão
Fatima Carvalho
 
Palestra Transição Planetária: de Capela a Nibiru
Palestra  Transição Planetária: de Capela a NibiruPalestra  Transição Planetária: de Capela a Nibiru
Palestra Transição Planetária: de Capela a Nibiru
Marcelo Suster
 
Eae aula 4 - as Raças Primitivas
Eae   aula 4 - as Raças PrimitivasEae   aula 4 - as Raças Primitivas
Eae aula 4 - as Raças Primitivas
Roberto Rossignatti
 
Regeneração da Humanidade
Regeneração da HumanidadeRegeneração da Humanidade
Regeneração da Humanidade
CEENA_SS
 
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
Norberto Scavone Augusto
 
Caminho da Luz: A Manifestação de Deus na História
Caminho da Luz: A Manifestação de Deus na HistóriaCaminho da Luz: A Manifestação de Deus na História
Caminho da Luz: A Manifestação de Deus na História
Leialdo Pulz
 
Transição provas e expiações para regeneração (1)
Transição   provas e expiações para regeneração (1)Transição   provas e expiações para regeneração (1)
Transição provas e expiações para regeneração (1)
Euzebio Raimundo da Silva
 
666 nova-ordem_mundial
666 nova-ordem_mundial666 nova-ordem_mundial
666 nova-ordem_mundial
Adriana Nacif
 
Aula M1 (08/03/12) (16 a 17) Transição Planetária
Aula M1 (08/03/12) (16 a 17) Transição PlanetáriaAula M1 (08/03/12) (16 a 17) Transição Planetária
Aula M1 (08/03/12) (16 a 17) Transição Planetária
Mocidade Espírita União Fraternal
 

Mais procurados (20)

Exilados de capela e transição planetária4
Exilados de capela e transição planetária4Exilados de capela e transição planetária4
Exilados de capela e transição planetária4
 
Transição planetária
Transição planetáriaTransição planetária
Transição planetária
 
Transição_Portal da Nova Geração
Transição_Portal da Nova GeraçãoTransição_Portal da Nova Geração
Transição_Portal da Nova Geração
 
Reflexões sobre a grande transição planetária
Reflexões sobre  a  grande  transição planetáriaReflexões sobre  a  grande  transição planetária
Reflexões sobre a grande transição planetária
 
Transicao planetaria
Transicao planetariaTransicao planetaria
Transicao planetaria
 
Os visitantes de alcione
Os visitantes de alcioneOs visitantes de alcione
Os visitantes de alcione
 
Dualismo ocidental e seus desafios (Nancy Pearcey)
Dualismo ocidental e seus desafios (Nancy Pearcey)Dualismo ocidental e seus desafios (Nancy Pearcey)
Dualismo ocidental e seus desafios (Nancy Pearcey)
 
Os Visitantes de Alcione
Os Visitantes de AlcioneOs Visitantes de Alcione
Os Visitantes de Alcione
 
Espiritismo sociedade e a nova geração
Espiritismo sociedade e a nova geraçãoEspiritismo sociedade e a nova geração
Espiritismo sociedade e a nova geração
 
Sugestão Jornada 2008 Apocalipse E Os Problemas Humanos
Sugestão   Jornada 2008   Apocalipse E Os Problemas HumanosSugestão   Jornada 2008   Apocalipse E Os Problemas Humanos
Sugestão Jornada 2008 Apocalipse E Os Problemas Humanos
 
Fim dos tempos
Fim dos temposFim dos tempos
Fim dos tempos
 
Necessidade da Autoeducacão
Necessidade da AutoeducacãoNecessidade da Autoeducacão
Necessidade da Autoeducacão
 
Palestra Transição Planetária: de Capela a Nibiru
Palestra  Transição Planetária: de Capela a NibiruPalestra  Transição Planetária: de Capela a Nibiru
Palestra Transição Planetária: de Capela a Nibiru
 
Eae aula 4 - as Raças Primitivas
Eae   aula 4 - as Raças PrimitivasEae   aula 4 - as Raças Primitivas
Eae aula 4 - as Raças Primitivas
 
Regeneração da Humanidade
Regeneração da HumanidadeRegeneração da Humanidade
Regeneração da Humanidade
 
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
 
Caminho da Luz: A Manifestação de Deus na História
Caminho da Luz: A Manifestação de Deus na HistóriaCaminho da Luz: A Manifestação de Deus na História
Caminho da Luz: A Manifestação de Deus na História
 
Transição provas e expiações para regeneração (1)
Transição   provas e expiações para regeneração (1)Transição   provas e expiações para regeneração (1)
Transição provas e expiações para regeneração (1)
 
666 nova-ordem_mundial
666 nova-ordem_mundial666 nova-ordem_mundial
666 nova-ordem_mundial
 
Aula M1 (08/03/12) (16 a 17) Transição Planetária
Aula M1 (08/03/12) (16 a 17) Transição PlanetáriaAula M1 (08/03/12) (16 a 17) Transição Planetária
Aula M1 (08/03/12) (16 a 17) Transição Planetária
 

Semelhante a Depois de 2012

Jornada 2008 apocalipse e os problemas humanos
Jornada 2008   apocalipse e os problemas humanosJornada 2008   apocalipse e os problemas humanos
Jornada 2008 apocalipse e os problemas humanos
Norberto Tomasini Jr
 
O processo de_transicao_planetaria_textos_web
O processo de_transicao_planetaria_textos_webO processo de_transicao_planetaria_textos_web
O processo de_transicao_planetaria_textos_web
ALBPORTO
 
O_Processo_de_Transicao_Planetaria_Textos_Web.pdf
O_Processo_de_Transicao_Planetaria_Textos_Web.pdfO_Processo_de_Transicao_Planetaria_Textos_Web.pdf
O_Processo_de_Transicao_Planetaria_Textos_Web.pdf
VIEIRA RESENDE
 
Jornada 2008 apocalipse e os problemas humanos
Jornada 2008   apocalipse e os problemas humanosJornada 2008   apocalipse e os problemas humanos
Jornada 2008 apocalipse e os problemas humanos
Norberto Tomasini Jr
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
Carla Pinheiro
 
Programa - Depois da morte
Programa - Depois da mortePrograma - Depois da morte
Programa - Depois da morte
Departamento Comunicação Social SER
 
Nos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidadeNos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidade
Antonio SSantos
 
O mago de java en portugués
O mago de java en portuguésO mago de java en portugués
O mago de java en portugués
Preval El-Bijut
 
Palestra casa do caminho
Palestra casa do caminhoPalestra casa do caminho
Palestra casa do caminho
Ailton Barcelos
 
O grande enigma leon denis
O grande enigma   leon denisO grande enigma   leon denis
O grande enigma leon denis
Helio Cruz
 
J. herculano pires o mistério do ser ante a dor e a morte
J. herculano pires   o mistério do ser ante a dor e a morteJ. herculano pires   o mistério do ser ante a dor e a morte
J. herculano pires o mistério do ser ante a dor e a morte
Helio Cruz
 
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamentoIntroducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
jeconiaseandreia
 
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamentoIntroducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
jeconiaseandreia
 
EINSTEIN - Como vejo o mundo
EINSTEIN -  Como vejo o mundoEINSTEIN -  Como vejo o mundo
EINSTEIN - Como vejo o mundo
Carlos Burke
 
Novas dimensões do conhecimento
Novas dimensões do conhecimentoNovas dimensões do conhecimento
Novas dimensões do conhecimento
cebv
 
Apresentacao de antropologia psicologia
Apresentacao de antropologia psicologia  Apresentacao de antropologia psicologia
Apresentacao de antropologia psicologia
faculdade11
 
De turbilhão a anjo a epopeia evolutiva (psicografia joão cândido - espírit...
De turbilhão a anjo   a epopeia evolutiva (psicografia joão cândido - espírit...De turbilhão a anjo   a epopeia evolutiva (psicografia joão cândido - espírit...
De turbilhão a anjo a epopeia evolutiva (psicografia joão cândido - espírit...
Bruno Bartholomei
 
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
Tiburcio Santos
 
Resenha de estudos espiritas 03
Resenha de estudos espiritas 03Resenha de estudos espiritas 03
Resenha de estudos espiritas 03
MRS
 
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XX - Corpo e Espiritual e...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XX - Corpo e Espiritual e...Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XX - Corpo e Espiritual e...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XX - Corpo e Espiritual e...
Cynthia Castro
 

Semelhante a Depois de 2012 (20)

Jornada 2008 apocalipse e os problemas humanos
Jornada 2008   apocalipse e os problemas humanosJornada 2008   apocalipse e os problemas humanos
Jornada 2008 apocalipse e os problemas humanos
 
O processo de_transicao_planetaria_textos_web
O processo de_transicao_planetaria_textos_webO processo de_transicao_planetaria_textos_web
O processo de_transicao_planetaria_textos_web
 
O_Processo_de_Transicao_Planetaria_Textos_Web.pdf
O_Processo_de_Transicao_Planetaria_Textos_Web.pdfO_Processo_de_Transicao_Planetaria_Textos_Web.pdf
O_Processo_de_Transicao_Planetaria_Textos_Web.pdf
 
Jornada 2008 apocalipse e os problemas humanos
Jornada 2008   apocalipse e os problemas humanosJornada 2008   apocalipse e os problemas humanos
Jornada 2008 apocalipse e os problemas humanos
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Programa - Depois da morte
Programa - Depois da mortePrograma - Depois da morte
Programa - Depois da morte
 
Nos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidadeNos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidade
 
O mago de java en portugués
O mago de java en portuguésO mago de java en portugués
O mago de java en portugués
 
Palestra casa do caminho
Palestra casa do caminhoPalestra casa do caminho
Palestra casa do caminho
 
O grande enigma leon denis
O grande enigma   leon denisO grande enigma   leon denis
O grande enigma leon denis
 
J. herculano pires o mistério do ser ante a dor e a morte
J. herculano pires   o mistério do ser ante a dor e a morteJ. herculano pires   o mistério do ser ante a dor e a morte
J. herculano pires o mistério do ser ante a dor e a morte
 
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamentoIntroducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
 
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamentoIntroducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
 
EINSTEIN - Como vejo o mundo
EINSTEIN -  Como vejo o mundoEINSTEIN -  Como vejo o mundo
EINSTEIN - Como vejo o mundo
 
Novas dimensões do conhecimento
Novas dimensões do conhecimentoNovas dimensões do conhecimento
Novas dimensões do conhecimento
 
Apresentacao de antropologia psicologia
Apresentacao de antropologia psicologia  Apresentacao de antropologia psicologia
Apresentacao de antropologia psicologia
 
De turbilhão a anjo a epopeia evolutiva (psicografia joão cândido - espírit...
De turbilhão a anjo   a epopeia evolutiva (psicografia joão cândido - espírit...De turbilhão a anjo   a epopeia evolutiva (psicografia joão cândido - espírit...
De turbilhão a anjo a epopeia evolutiva (psicografia joão cândido - espírit...
 
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
 
Resenha de estudos espiritas 03
Resenha de estudos espiritas 03Resenha de estudos espiritas 03
Resenha de estudos espiritas 03
 
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XX - Corpo e Espiritual e...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XX - Corpo e Espiritual e...Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XX - Corpo e Espiritual e...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XX - Corpo e Espiritual e...
 

Mais de Alfredo Lopes

Acaminhodaluz
AcaminhodaluzAcaminhodaluz
Acaminhodaluz
Alfredo Lopes
 
07 02-2
07 02-207 02-2
07 02-2
Alfredo Lopes
 
Santa Catarina e o espiritismo
Santa Catarina e o espiritismoSanta Catarina e o espiritismo
Santa Catarina e o espiritismo
Alfredo Lopes
 
Tablet reencarnação
Tablet  reencarnaçãoTablet  reencarnação
Tablet reencarnação
Alfredo Lopes
 
Datashow reencarnação
Datashow reencarnaçãoDatashow reencarnação
Datashow reencarnação
Alfredo Lopes
 
O garoto que queria virar serial killer
O garoto que queria virar serial killerO garoto que queria virar serial killer
O garoto que queria virar serial killer
Alfredo Lopes
 
A batalha do shortinho
A batalha do shortinhoA batalha do shortinho
A batalha do shortinho
Alfredo Lopes
 
A felicidade
A felicidadeA felicidade
A felicidade
Alfredo Lopes
 
Reencarnação
Reencarnação Reencarnação
Reencarnação
Alfredo Lopes
 
Um homem chamado amor
Um homem chamado amorUm homem chamado amor
Um homem chamado amor
Alfredo Lopes
 
Coleçao andre luiz
Coleçao andre luizColeçao andre luiz
Coleçao andre luiz
Alfredo Lopes
 
Força educadora da doutrina espírita
Força educadora da doutrina espíritaForça educadora da doutrina espírita
Força educadora da doutrina espírita
Alfredo Lopes
 
A atualidade de Emmanuel
A atualidade de EmmanuelA atualidade de Emmanuel
A atualidade de Emmanuel
Alfredo Lopes
 
Jesus e a Via Sacra
Jesus e a Via SacraJesus e a Via Sacra
Jesus e a Via Sacra
Alfredo Lopes
 
Novela 'Além do Tempo'
Novela 'Além do Tempo'Novela 'Além do Tempo'
Novela 'Além do Tempo'
Alfredo Lopes
 
Obras Póstumas
Obras PóstumasObras Póstumas
Obras Póstumas
Alfredo Lopes
 
Renovação
RenovaçãoRenovação
Renovação
Alfredo Lopes
 
O livro dos médiuns
O livro dos médiunsO livro dos médiuns
O livro dos médiuns
Alfredo Lopes
 
Leis morais
Leis moraisLeis morais
Leis morais
Alfredo Lopes
 
Reforma intima
Reforma intimaReforma intima
Reforma intima
Alfredo Lopes
 

Mais de Alfredo Lopes (20)

Acaminhodaluz
AcaminhodaluzAcaminhodaluz
Acaminhodaluz
 
07 02-2
07 02-207 02-2
07 02-2
 
Santa Catarina e o espiritismo
Santa Catarina e o espiritismoSanta Catarina e o espiritismo
Santa Catarina e o espiritismo
 
Tablet reencarnação
Tablet  reencarnaçãoTablet  reencarnação
Tablet reencarnação
 
Datashow reencarnação
Datashow reencarnaçãoDatashow reencarnação
Datashow reencarnação
 
O garoto que queria virar serial killer
O garoto que queria virar serial killerO garoto que queria virar serial killer
O garoto que queria virar serial killer
 
A batalha do shortinho
A batalha do shortinhoA batalha do shortinho
A batalha do shortinho
 
A felicidade
A felicidadeA felicidade
A felicidade
 
Reencarnação
Reencarnação Reencarnação
Reencarnação
 
Um homem chamado amor
Um homem chamado amorUm homem chamado amor
Um homem chamado amor
 
Coleçao andre luiz
Coleçao andre luizColeçao andre luiz
Coleçao andre luiz
 
Força educadora da doutrina espírita
Força educadora da doutrina espíritaForça educadora da doutrina espírita
Força educadora da doutrina espírita
 
A atualidade de Emmanuel
A atualidade de EmmanuelA atualidade de Emmanuel
A atualidade de Emmanuel
 
Jesus e a Via Sacra
Jesus e a Via SacraJesus e a Via Sacra
Jesus e a Via Sacra
 
Novela 'Além do Tempo'
Novela 'Além do Tempo'Novela 'Além do Tempo'
Novela 'Além do Tempo'
 
Obras Póstumas
Obras PóstumasObras Póstumas
Obras Póstumas
 
Renovação
RenovaçãoRenovação
Renovação
 
O livro dos médiuns
O livro dos médiunsO livro dos médiuns
O livro dos médiuns
 
Leis morais
Leis moraisLeis morais
Leis morais
 
Reforma intima
Reforma intimaReforma intima
Reforma intima
 

Último

Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
HerverthRibeiro1
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 

Último (18)

Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 

Depois de 2012

  • 1. Depois de 2012 Feijão – Alfredo Ricardo Lucas Lopes
  • 2. Mundos inferiores e mundos superiores – ESSE cap. 2 pg 78 a 84 • Poderíamos dividir os tipos de mundos em: • Mundos Primitivos: São mundos bem atrasados, onde as almas humanas fazem as suas primeiras encarnações. • Mundo de Provas e Expiações: O mal ainda predomina nesse tipo de globo. A influencia da matéria, ainda é grande. Temos como exemplo a Terra. • Mundos de Regeneração: As almas ainda tem de expiar, mas a noção do bem já é mais avançada. Esses mundos, podem ser considerados como intermediários entre aqueles de Provas e Expiações e os Mundos Felizes.
  • 3. Mundos inferiores e mundos superiores – ESSE cap. 2 pg 78 a 84 • Mundos Felizes: O bem é predominante em relação ao mal. A forma humana é muito mais embelezada e purificada. O corpo não é tão material, nem está sujeito às vicissitudes materiais, às doenças, as deteriorações. O homem se desloca com uma leveza, que ele não se arrasta, e sim desliza. Faz lembrar os quadros que determinados pintores conceberam, tentando representar o paraíso. • Mundos Celestes ou Divinos: O Bem reina exclusivamente. É a morada dos Espíritos Puros. Jesus é o exemplo de Espírito Puro que possuímos. Não há muita informação sobre esses planetas, talvez porque seja difícil para a nossa compreensão. • Mundos transitórios: destinados particularmente aos espíritos errantes, mundos que lhes podem servir de habitação temporária, espécies de campos onde descansam de uma longa erraticidade, estado esse sempre um tanto penoso. Os mundos transitórios não se prestam à encarnação de seres corpóreos, porque estéril é neles a superfície e os que os habitam de nada precisam. Essa esterilidade é, contudo, transitória. A Terra, por exemplo, já foi um mundo transitório “durante a sua formação”.
  • 4. Crises na história da Humanidade • Tenhamos claro que a história humana alterna fluxos e crises. Isto é: há períodos em que a vida flui sem maiores turbulências e, nessas épocas, é como se o ser humano se sentisse em casa, mais serenamente à vontade; mas, há períodos críticos em que o viver se torna mais difícil, sentindo-se o homem como que desabrigado e exposto à intempérie. É a alternância de fluxos e crises na trajetória humana.
  • 5. 1.Crise na compreensão que o homem tem de si mesmo • Nunca, ao longo da história, teve-se tantos dados sobre o ser humano. São informações médicas, psicológicas, sociológicas, econômicas, demográficas e de muitas outras naturezas que atulham potentes memórias de computadores. Todavia, ao nosso tempo falta uma “espinha dorsal”, um sistema unificador de pensamento para encontrar o sentido maior de tantos dados disponíveis. Como observam alguns pensadores, o ser humano segue falando muito sobre aquilo que não tem.
  • 6. 2.Crise nos projetos de vida dos povos • Imersos no materialismo que gera as neuroses do lucro e das vantagens materiais, valorizamos desmedidamente o ter mais em detrimento do ser mais. Todo um processo de massificação desgastou a dignidade das pessoas, a ponto de se dizer que os que se sentem pouco significantes precisam demais de ter coisas; ao passo de que uma minoria que se sente suficiente, não necessita ter muita coisa para se sentir basicamente feliz.
  • 7. 3. Crise na comunhão do ser humano com o seu mundo • Nosso mundo se encontra justificadamente assustado e amedrontado perante inúmeras agressões ao meio- ambiente, as quais, na verdade, põe em risco a própria sobrevivência da espécie humana, bem como de outras formas vivas, no planeta. Desmatamentos, poluições, estas gerando o denominado “efeito estufa” que vem fazendo aumentar a temperatura do nosso mundo, bem como vem gerando fenômenos climáticos assustadores. Afinal, mais de seis bilhões e duzentos milhões de criaturas humanas habitam essa pequena “nave espacial” chamada Terra que, como é sabido, não tem recursos ilimitados de sobrevida se continuar exposta à agressão.
  • 8. 4. Crise nas instituições humanas • Nossas instituições, em sua quase totalidade, nasceram de reais necessidades humanas. Quase todas, entre as fundamentais, cumpriram e cumprem papéis de enorme importância. Algumas, no entanto, desviaram- se de seus autênticos objetivos e hoje se mantêm em situação de crise indiscutível.
  • 9. Segundo Advento do Cristo e o Fim do Mundo • O Cristo está voltando nas nuvens de nossa consciên-cia. Ele está acenando no nosso interior para promover a nossa ressurreição espiritual. Nada adianta à ressurreição física se o Cristo não nascer dentro do Espírito. E é isto o que ele está fazendo. Ele está nascendo, quer no sentido individual, quer no sentido coletivo ou histórico.
  • 10. Futuro do Espiritismo - OP • O Espiritismo é chamado a desempenhar imenso papel na Terra. Ele reformará a legislação ainda tão freqüentemente contrária às leis divinas; retificará os erros da História; restaurará a religião do Cristo, que se tornou, nas mãos dos padres, objeto de comércio e de tráfico vil; instituirá a verdadeira religião, a religião natural, a que parte do coração e vai diretamente a Deus, sem se deter nas franjas de uma sotaina, ou nos degraus de um altar. Extinguirá para sempre o ateísmo e o materialismo, aos quais alguns homens foram levados pelos incessantes abusos dos que se dizem ministros de Deus, pregam a caridade com uma espada em cada mão, sacrificam às suas ambições e ao espírito de dominação os mais sagrados direitos da Humanidade.
  • 11. As Aristocracias – OP • A inteligência nem sempre constitui penhor de mo­ralidade e o homem mais inteligente pode fazer péssimo uso de suas faculdades. Doutro lado, a moralidade, iso­lada, pode, muita vez, ser incapaz. A reunião dessas duas faculdades, inteligência e moralidade, é, pois, ne­cessária a criar uma preponderância legítima, a que a massa se submeterá cegamente, porque lhe inspirará plena confiança, pelas suas luzes e pela sua justiça. • Será essa a última aristocracia, a que se apresen­tará como conseqüência, ou, antes, como sinal do advento do reinado do bem na Terra. Ela se erguerá muito naturalmente pela força mesma das coisas. Quando os homens de tal categoria forem bastante numerosos para formarem uma maioria imponente, a massa lhes con­fiará seus interesses. • Como vimos, todas as aristocracias tiveram sua razão de ser; nasceram do estado da Humanidade; assim há de acontecer com o que se tornará uma necessidade. Todas preencheram ou preencherão seu tempo, conforme os países, porque nenhuma teve por base o princípio moral; só este princípio pode constituir uma supremacia durável, porque terá a animá­la sentimentos de justiça e caridade. A essa aristocracia chamaremos: aristocracia intelecto­moral.
  • 12. Mundo de Regeneração • Condições do Planeta • Pergunta: O que a Doutrina Espírita pode dizer a respeito do fim dos tempos, isto é, como ocorrerá a transformação do planeta em planeta de provas e expiações para o de regeneração? • Resposta: Através da busca da espiritualização, superação das dores e construção de uma nova sociedade, a humanidade caminha para a regeneração das consciências. Emmanuel afirma que a Terra será um mundo regenerado por volta de 2057. Cabe, a cada um, longa e árdua tarefa de ascensão. Trabalho e amor ao próximo com Jesus, este é o caminho. • Plantão De Respostas – Emmanuel E Francisco Cândido Xavier. Promotor do Evento: Pinga Fogo (II) Ed. Ideal Pag. 14.
  • 13. Transição Planetária • Vive­se, na Terra, o momento da grande transição de mundo de provas e de expiações, para mundo de regeneração. • As alterações que se observam são de natureza moral, con­ vidando o ser humano à mudança de comportamento para me­lhor, alterando os hábitos viciosos, a fim de que se instalem os paradigmas da justiça, do dever, da ordem e do amor. • Anunciada essa transformação que se encontra ínsita no processo da evolução, desde o Sermão profético anotado pelo evangelista Marcos, no capítulo XIII do seu livro, quando o Divino Mestre apresentou os sinais dos futuros tempos após as ocorrências dolorosas que assinalariam os diferentes períodos da evolução. • Transição Planetária ­ Manoel Philomeno de Miranda/ Divaldo Pereira Franco Ed LEAL Pag. 09
  • 14. Marco inicial da Grande Transição • 1. O materialismo filosófico será definitivamente obra do passado; • 2. Todas as religiões irão paulatinamente mudar seus dog­mas e atitudes fundamentais, ante a verdade inquestio­nável da continuidade da vida e da comunicação dos Espíritos; • 3. Haverá uma busca intensa de conhecimentos e de estu­do do Mundo dos Espíritos. Os espíritas deverão estar preparados para este atendimento, quando a hora che­gar; daí a importância dos estudos sistematizados da Dou­trina e da própria reformulação moral; • 4. As Universidades e outros centros culturais incluirão de­ finitivamente em seus programas de ensino este Novo Mundo, principalmente no que concerne aos estudos do campo científico e filosófico; • 5. O uso da mediunidade do homem será mais respeitada e acreditada sem misticismo e crendices, tornando­se um instrumento da maior valia para a análise dos casos par­ticulares, nos trabalhos de assistência espiritual, inclu­sive os sincréticos que surgirão em outras religiões;
  • 15. Marco inicial da Grande Transição • 6. Os templos de todas as religiões tomar­se­ão novos núcleos de estudo da vida espiritual, substituindo vagaro­samente o significado de seus dogmas, por causa do novo entendimento dos textos sagrados. Serão elimina­dos muitos rituais; • 7. Muitas leis humanas paulatinamente serão modificadas ante as novas perspectivas que se abrirão aos olhos do homem: a pena de morte certamente será abolida definitivamente dos nossos códigos penais; também o aborto e a eutanásia. Haverá por certo muito mais respeito à vida; • 8. As ciências biológicas em geral terão papel preponde­rante nos novos rumos da vida, porque o homem passa­rá a tratar do corpo e do espírito; • 9. As leis humanas tenderão a ajustar­se às leis de Deus; • 10. O homem da nova era viverá o Maior Mandamento e não será preciso que haja excesso do mal, para fazer­lhe compreender a necessidade do bem e das reformas, conforme ensinamos Espíritos (LE, 784).
  • 16. Lembranças do Futuro • Segundo Hermínio C. Miranda no livro A Reinvenção da Morte. Ed.Lachântre. Pág. 113 a 129, em 1980, pouco tempo depois de publicado Vida antes da vida, a Dra. Wambach decidiu embarcar em outra pesquisa de grande porte, desta vez para explorar a possibilidade de promover uma espécie de arqueologia do futuro, na memória de pacientes sob hipnose, segundo o já consagrado ‘método Wambach’. Obteve para o projeto o apoio de sua amiga Beverly Lundell e o do dr. R. Leo Sprinkle, psicólogo e professor da Universidade de Wyoming. O objetivo era o de explorar, no psiquismo de pessoas suscetíveis e dispostas a colaborar, os períodos de 2100-2200 e 2300- 2500, ou seja, os séculos 22, 24 e 25.
  • 17. Mass dreams of future (Sonhos coletivos do futuro), de Chet B. Snow, PhD • O objetivo era o de explorar, no psiquismo de pessoas suscetíveis e dispostas a colaborar, os períodos de 2100-2200 e 2300-2500, ou seja, os séculos 22, 24 e 25. • Já as progressões que levaram as pessoas até o período 2300-2500 revelam cenário menos desesperador. • As comunidades mais espiritualizadas parecem consolidadas e em expansão.
  • 18. A tarefa de Allan Kardec • Gigantesca pela sua complexidade e difícil, graças aos muitos problemas, foi a tarefa de Allan Kardec, em plena metade do século XIX. • • Enfoques Espíritas - Divaldo Pereira Franco pelo Espírito Vianna de Carvalho