SlideShare uma empresa Scribd logo
Novela 'Além do Tempo'
2 novelas em 1
Capítulo final 12/01
• Nesta sexta-feira, 15, a Rede Globo de
Televisão exibiu o último capítulo de 'Além
do Tempo', trama das seis horas assinada
por Elizabeth Jhin que teve como plano de
fundo o espiritismo. O folhetim dividido em
duas partes teve seu início no século XXI,
com os mocinhos Felipe (Rafael Cardoso) e
Lívia (Alinne Moraes). A primeira fase de
'Além do Tempo' terminou com os
protagonistas morrendo.
150 anos depois os personagens que
viveram conflitos anteriores encararam,
juntos, novos problemas, tendo como
cenário a cidade fictícia de Belarrosa, no sul
do país.
Novelas e Espiritismo
• Tramas com esse temática são muito
comuns na dramaturgia brasileira.
• Uma das novelas mais carregadas na
temática espírita foi 'A Viagem'. Exibida
inicialmente pela TV Tupi no ano de 1975,
a história ganhou um remake da TV Globo
19 anos depois, um fato raríssimo e quase
único na história do canal, que por muitas
vezes esqueceu que outras televisões
também existiram e que por lá
permearam ótimos trabalhos.
Exibida entre 2005 e 2006 e ficando quase
um ano no ar, 'Alma Gêmea' virou um
verdadeiro fenômeno de audiência do
horário das seis, superando muitas vezes
a trama das nove e fazendo a Globo
mexer e remexer na sua grade
Emmanuel / Allan Kardec
• “A maior caridade que se
pode fazer com a
Doutrina Espírita e a sua
divulgação.”
• “O Espiritismo não é a
religião do futuro mas o
futuro das religiões.”
Além do Tempo
• Reencarnação
• Lei de Causa e Efeito
• Lei de Amor
• Família espiritual
• Anjos
Reencarnação
• Segundo Allan Kardec no Evangelho Segundo o espiritismo
capítulo IV a reencarnação é a volta da alma ou Espírito
à vida corpórea, mas em outro corpo especial-
mente formado para ele e que nada tem de
comum com o antigo.
A reencarnação não é invenção do Espiritismo, mas sim algo
natural, de modo que foi um tema muito discutido e
difundido ao longo da História da Humanidade por muitos
muitos pensadores, tais como Sócrates, Pitágoras, Platão,
Apolônio e Empédocles.
Em O Livro dos Espíritos, Kardec indaga na questão
132:Qual o objetivo da encarnação dos
Espíritos? A resposta dos Espíritos é:
"Deus lhes impõe a encarnação com o fim de fazê-los
chegar à perfeição. Para uns, é expiação; para outros,
missão. Mas, para alcançarem essa perfeição, têm que sofrer
todas as vicissitudes da existência corporal: nisso é que está
a expiação
Lei de Ação e Reação
• Allan Kardec no Livro dos Espíritos
pergunta 964 afirma: Todas as nossas
ações são submetidas às leis de Deus;
não há nenhuma delas, por mais insignificante
que nos pareçam, que não possa ser uma
violação dessas leis. Se sofremos as
conseqüências dessa violação, não nos devemos
queixar senão de nós mesmos, que nos fazemos
assim os artífices de nossa felicidade ou de nossa
infelicidade futura.
Nossa vida é uma sucessão constante de
acontecimentos, de encontros e desencontros, de
situações aparentemente inexplicáveis, diante
das quais, muitas vezes, sentimo-nos como
vítimas diante de carrasco implacável, impotentes
diante de um destino cruel e irracional.
Lei de Amor
• Evangelho capítulo 11 Esp.
Lázaro - O amor resume toda a
doutrina de Jesus, porque é o
sentimento por excelência, e os
sentimentos são os instintos
elevados à altura do progresso
realizado. No seu ponto de
partida, o homem só tem
instintos; mais avançado e
corrompido, só tem sensações;
mais instruído e purificado, tem
sentimentos; e o amor é o
requinte do sentimento.
Anjo Ariel- LE 100/113
Família
• O Evangelho Segundo o Espiritismo Cap.
14, item - 8“Os que encarnam numa
família, sobretudo como parentes
próximos, são, as mais das vezes, Espíritos
simpáticos, ligados por anteriores
relações, que se expressam por uma
afeição recíproca na vida terrena. Mas,
também pode acontecer sejam
completamente estranhos uns aos outros
esses Espíritos, afastados entre si por
antipatias igualmente anteriores, que se
traduzem na Terra por um mútuo
antagonismo.
• Família Espiritual
• Família Corporal
• Família Mista
Mensagem Chico Xavier final novela
• Então, é possível, que tenhamos raiva ou que
tenhamos ódio, é possível, sem termos direito
para isso. Porque o ódio que sentirmos ou a
cólera que alimentemos recai sempre sobre
nós, no sentido da doença, de abatimento, de
aflição e só pode nos causar mal, já que
deixamos, há muito tempo, a faixa da
animalidade para entrarmos na faixa da razão.
Somos criaturas humanas e por isso devíamos
sentir a verdadeira fraternidade de uns para
com os outros, sem possibilidade de nos
odiarmos, porque os irmãos verdadeiros
nunca se enraivecem, uns contra os outros.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O poder da língua
O poder da línguaO poder da língua
O poder da língua
Luciane Belchior
 
Et
EtEt
Et
lucena
 
Consolador prometido
Consolador prometidoConsolador prometido
Consolador prometido
Graça Maciel
 
Os verdadeiros laços de familia
Os verdadeiros laços de familiaOs verdadeiros laços de familia
Os verdadeiros laços de familia
Graça Maciel
 
Purgatório - A Doutrina Explicada e Refutada a Luz das Sagradas Escrituras
Purgatório - A Doutrina Explicada e Refutada a Luz das Sagradas EscriturasPurgatório - A Doutrina Explicada e Refutada a Luz das Sagradas Escrituras
Purgatório - A Doutrina Explicada e Refutada a Luz das Sagradas Escrituras
Adriano Pascoa
 
Os exilados não são da capela
Os exilados não são da capelaOs exilados não são da capela
Os exilados não são da capela
Helio Cruz
 
O que sucede após a morte
O que sucede após a morte O que sucede após a morte
O que sucede após a morte
Graça Maciel
 
Cei 100505-ii-cap.7 e 8-espíritos endurecidos e expiações terrestres
Cei 100505-ii-cap.7 e 8-espíritos endurecidos e expiações terrestresCei 100505-ii-cap.7 e 8-espíritos endurecidos e expiações terrestres
Cei 100505-ii-cap.7 e 8-espíritos endurecidos e expiações terrestres
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Mundos de Regeneração
Mundos de RegeneraçãoMundos de Regeneração
Mundos de Regeneração
Leonardo Araújo
 
O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6
Graça Maciel
 
O céu e o Inferno
O céu e o InfernoO céu e o Inferno
O céu e o Inferno
igmateus
 
Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12
Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12
Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12
Patricia Farias
 
Cei 100127- introdução ao estudo
Cei 100127- introdução ao estudoCei 100127- introdução ao estudo
Cei 100127- introdução ao estudo
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
Sergio Menezes
 
O Cristo Consolador
O Cristo ConsoladorO Cristo Consolador
O Cristo Consolador
CEENA_SS
 
05 setembro 2014 como se processam as mortes violentas
05 setembro 2014   como se processam as mortes violentas05 setembro 2014   como se processam as mortes violentas
05 setembro 2014 como se processam as mortes violentas
Lar Irmã Zarabatana
 
Cei 100414-ii-cap.2 e 3-espíritos felizes e medianos
Cei 100414-ii-cap.2 e 3-espíritos felizes e medianosCei 100414-ii-cap.2 e 3-espíritos felizes e medianos
Cei 100414-ii-cap.2 e 3-espíritos felizes e medianos
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Inferno ApresentaçãO1
Inferno   ApresentaçãO1Inferno   ApresentaçãO1
Inferno ApresentaçãO1
Sergio Menezes
 
Espírito de verdade, quem seria ele 1,5h
Espírito de verdade, quem seria ele 1,5hEspírito de verdade, quem seria ele 1,5h
Espírito de verdade, quem seria ele 1,5h
home
 

Mais procurados (19)

O poder da língua
O poder da línguaO poder da língua
O poder da língua
 
Et
EtEt
Et
 
Consolador prometido
Consolador prometidoConsolador prometido
Consolador prometido
 
Os verdadeiros laços de familia
Os verdadeiros laços de familiaOs verdadeiros laços de familia
Os verdadeiros laços de familia
 
Purgatório - A Doutrina Explicada e Refutada a Luz das Sagradas Escrituras
Purgatório - A Doutrina Explicada e Refutada a Luz das Sagradas EscriturasPurgatório - A Doutrina Explicada e Refutada a Luz das Sagradas Escrituras
Purgatório - A Doutrina Explicada e Refutada a Luz das Sagradas Escrituras
 
Os exilados não são da capela
Os exilados não são da capelaOs exilados não são da capela
Os exilados não são da capela
 
O que sucede após a morte
O que sucede após a morte O que sucede após a morte
O que sucede após a morte
 
Cei 100505-ii-cap.7 e 8-espíritos endurecidos e expiações terrestres
Cei 100505-ii-cap.7 e 8-espíritos endurecidos e expiações terrestresCei 100505-ii-cap.7 e 8-espíritos endurecidos e expiações terrestres
Cei 100505-ii-cap.7 e 8-espíritos endurecidos e expiações terrestres
 
Mundos de Regeneração
Mundos de RegeneraçãoMundos de Regeneração
Mundos de Regeneração
 
O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6
 
O céu e o Inferno
O céu e o InfernoO céu e o Inferno
O céu e o Inferno
 
Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12
Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12
Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12
 
Cei 100127- introdução ao estudo
Cei 100127- introdução ao estudoCei 100127- introdução ao estudo
Cei 100127- introdução ao estudo
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
 
O Cristo Consolador
O Cristo ConsoladorO Cristo Consolador
O Cristo Consolador
 
05 setembro 2014 como se processam as mortes violentas
05 setembro 2014   como se processam as mortes violentas05 setembro 2014   como se processam as mortes violentas
05 setembro 2014 como se processam as mortes violentas
 
Cei 100414-ii-cap.2 e 3-espíritos felizes e medianos
Cei 100414-ii-cap.2 e 3-espíritos felizes e medianosCei 100414-ii-cap.2 e 3-espíritos felizes e medianos
Cei 100414-ii-cap.2 e 3-espíritos felizes e medianos
 
Inferno ApresentaçãO1
Inferno   ApresentaçãO1Inferno   ApresentaçãO1
Inferno ApresentaçãO1
 
Espírito de verdade, quem seria ele 1,5h
Espírito de verdade, quem seria ele 1,5hEspírito de verdade, quem seria ele 1,5h
Espírito de verdade, quem seria ele 1,5h
 

Semelhante a Novela 'Além do Tempo'

Pluralidade de mundos habitados
Pluralidade de mundos habitadosPluralidade de mundos habitados
Pluralidade de mundos habitados
Ponte de Luz ASEC
 
Série Evangelho no Lar - Cap. 38 - Verdade e Amor
Série Evangelho no Lar - Cap. 38 - Verdade e AmorSérie Evangelho no Lar - Cap. 38 - Verdade e Amor
Série Evangelho no Lar - Cap. 38 - Verdade e Amor
Ricardo Azevedo
 
Família - Uma Visão Espiritual
Família - Uma Visão EspiritualFamília - Uma Visão Espiritual
Família - Uma Visão Espiritual
Ricardo Azevedo
 
ESE_03_Capitulo_III - Há muitas moradas na casa do meu Pai.ppt
ESE_03_Capitulo_III - Há muitas moradas na casa do meu Pai.pptESE_03_Capitulo_III - Há muitas moradas na casa do meu Pai.ppt
ESE_03_Capitulo_III - Há muitas moradas na casa do meu Pai.ppt
LuizHenriqueTDias
 
Há muitas moradas na casa de meu pai.ppt
Há muitas moradas na casa de meu pai.pptHá muitas moradas na casa de meu pai.ppt
Há muitas moradas na casa de meu pai.ppt
FilipeDuartedeBem
 
Porque estou na_familia_que_estou
Porque estou na_familia_que_estouPorque estou na_familia_que_estou
Porque estou na_familia_que_estou
walcamarra
 
A vida nas colônias espirituais palestra
A vida nas colônias espirituais palestraA vida nas colônias espirituais palestra
A vida nas colônias espirituais palestra
roclaso
 
Aula ifa introdução
Aula ifa introduçãoAula ifa introdução
Aula ifa introdução
Luiz Alberto Oliveira
 
Aos efésios ontem, aos brasilienses hoje v2
Aos efésios ontem, aos brasilienses hoje v2Aos efésios ontem, aos brasilienses hoje v2
Aos efésios ontem, aos brasilienses hoje v2
Adauto Santos
 
Apresentações Jornadas ADEP 2013
Apresentações Jornadas ADEP 2013Apresentações Jornadas ADEP 2013
Apresentações Jornadas ADEP 2013
ADEP Portugal
 
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deusCapítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Eduardo Ottonelli Pithan
 
morada-casa-do-pai.ppt
morada-casa-do-pai.pptmorada-casa-do-pai.ppt
morada-casa-do-pai.ppt
Cláudio D'Ávila
 
Horizonte vermelho
Horizonte vermelhoHorizonte vermelho
Horizonte vermelho
euaurea
 
Horizonte vermelho
Horizonte vermelhoHorizonte vermelho
Horizonte vermelho
euaurea
 
Beleza Americana - As paixoes humanas
Beleza Americana - As paixoes humanasBeleza Americana - As paixoes humanas
Beleza Americana - As paixoes humanas
Luciana Zaterka
 
Beleza Americana - As Paixões Humanas
Beleza Americana - As Paixões HumanasBeleza Americana - As Paixões Humanas
Beleza Americana - As Paixões Humanas
Luciana Zaterka
 
Palestra Transição Planetária: de Capela a Nibiru
Palestra  Transição Planetária: de Capela a NibiruPalestra  Transição Planetária: de Capela a Nibiru
Palestra Transição Planetária: de Capela a Nibiru
Marcelo Suster
 
ENCARNAÇÃO E REENCARNAÇÃO.pptx
ENCARNAÇÃO E REENCARNAÇÃO.pptxENCARNAÇÃO E REENCARNAÇÃO.pptx
ENCARNAÇÃO E REENCARNAÇÃO.pptx
Marina Sahium
 
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 34 a 50
Estudando André Luiz   Nosso Lar cap.  34 a 50Estudando André Luiz   Nosso Lar cap.  34 a 50
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 34 a 50
Jose Luiz Maio
 
Cosmogênese e antropogênese
Cosmogênese e antropogêneseCosmogênese e antropogênese
Cosmogênese e antropogênese
Luiz Faias Junior
 

Semelhante a Novela 'Além do Tempo' (20)

Pluralidade de mundos habitados
Pluralidade de mundos habitadosPluralidade de mundos habitados
Pluralidade de mundos habitados
 
Série Evangelho no Lar - Cap. 38 - Verdade e Amor
Série Evangelho no Lar - Cap. 38 - Verdade e AmorSérie Evangelho no Lar - Cap. 38 - Verdade e Amor
Série Evangelho no Lar - Cap. 38 - Verdade e Amor
 
Família - Uma Visão Espiritual
Família - Uma Visão EspiritualFamília - Uma Visão Espiritual
Família - Uma Visão Espiritual
 
ESE_03_Capitulo_III - Há muitas moradas na casa do meu Pai.ppt
ESE_03_Capitulo_III - Há muitas moradas na casa do meu Pai.pptESE_03_Capitulo_III - Há muitas moradas na casa do meu Pai.ppt
ESE_03_Capitulo_III - Há muitas moradas na casa do meu Pai.ppt
 
Há muitas moradas na casa de meu pai.ppt
Há muitas moradas na casa de meu pai.pptHá muitas moradas na casa de meu pai.ppt
Há muitas moradas na casa de meu pai.ppt
 
Porque estou na_familia_que_estou
Porque estou na_familia_que_estouPorque estou na_familia_que_estou
Porque estou na_familia_que_estou
 
A vida nas colônias espirituais palestra
A vida nas colônias espirituais palestraA vida nas colônias espirituais palestra
A vida nas colônias espirituais palestra
 
Aula ifa introdução
Aula ifa introduçãoAula ifa introdução
Aula ifa introdução
 
Aos efésios ontem, aos brasilienses hoje v2
Aos efésios ontem, aos brasilienses hoje v2Aos efésios ontem, aos brasilienses hoje v2
Aos efésios ontem, aos brasilienses hoje v2
 
Apresentações Jornadas ADEP 2013
Apresentações Jornadas ADEP 2013Apresentações Jornadas ADEP 2013
Apresentações Jornadas ADEP 2013
 
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deusCapítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
 
morada-casa-do-pai.ppt
morada-casa-do-pai.pptmorada-casa-do-pai.ppt
morada-casa-do-pai.ppt
 
Horizonte vermelho
Horizonte vermelhoHorizonte vermelho
Horizonte vermelho
 
Horizonte vermelho
Horizonte vermelhoHorizonte vermelho
Horizonte vermelho
 
Beleza Americana - As paixoes humanas
Beleza Americana - As paixoes humanasBeleza Americana - As paixoes humanas
Beleza Americana - As paixoes humanas
 
Beleza Americana - As Paixões Humanas
Beleza Americana - As Paixões HumanasBeleza Americana - As Paixões Humanas
Beleza Americana - As Paixões Humanas
 
Palestra Transição Planetária: de Capela a Nibiru
Palestra  Transição Planetária: de Capela a NibiruPalestra  Transição Planetária: de Capela a Nibiru
Palestra Transição Planetária: de Capela a Nibiru
 
ENCARNAÇÃO E REENCARNAÇÃO.pptx
ENCARNAÇÃO E REENCARNAÇÃO.pptxENCARNAÇÃO E REENCARNAÇÃO.pptx
ENCARNAÇÃO E REENCARNAÇÃO.pptx
 
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 34 a 50
Estudando André Luiz   Nosso Lar cap.  34 a 50Estudando André Luiz   Nosso Lar cap.  34 a 50
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 34 a 50
 
Cosmogênese e antropogênese
Cosmogênese e antropogêneseCosmogênese e antropogênese
Cosmogênese e antropogênese
 

Mais de Alfredo Lopes

Acaminhodaluz
AcaminhodaluzAcaminhodaluz
Acaminhodaluz
Alfredo Lopes
 
07 02-2
07 02-207 02-2
07 02-2
Alfredo Lopes
 
Santa Catarina e o espiritismo
Santa Catarina e o espiritismoSanta Catarina e o espiritismo
Santa Catarina e o espiritismo
Alfredo Lopes
 
Tablet reencarnação
Tablet  reencarnaçãoTablet  reencarnação
Tablet reencarnação
Alfredo Lopes
 
Datashow reencarnação
Datashow reencarnaçãoDatashow reencarnação
Datashow reencarnação
Alfredo Lopes
 
O garoto que queria virar serial killer
O garoto que queria virar serial killerO garoto que queria virar serial killer
O garoto que queria virar serial killer
Alfredo Lopes
 
A batalha do shortinho
A batalha do shortinhoA batalha do shortinho
A batalha do shortinho
Alfredo Lopes
 
A felicidade
A felicidadeA felicidade
A felicidade
Alfredo Lopes
 
Reencarnação
Reencarnação Reencarnação
Reencarnação
Alfredo Lopes
 
Um homem chamado amor
Um homem chamado amorUm homem chamado amor
Um homem chamado amor
Alfredo Lopes
 
Coleçao andre luiz
Coleçao andre luizColeçao andre luiz
Coleçao andre luiz
Alfredo Lopes
 
Força educadora da doutrina espírita
Força educadora da doutrina espíritaForça educadora da doutrina espírita
Força educadora da doutrina espírita
Alfredo Lopes
 
A atualidade de Emmanuel
A atualidade de EmmanuelA atualidade de Emmanuel
A atualidade de Emmanuel
Alfredo Lopes
 
Jesus e a Via Sacra
Jesus e a Via SacraJesus e a Via Sacra
Jesus e a Via Sacra
Alfredo Lopes
 
Obras Póstumas
Obras PóstumasObras Póstumas
Obras Póstumas
Alfredo Lopes
 
Renovação
RenovaçãoRenovação
Renovação
Alfredo Lopes
 
O livro dos médiuns
O livro dos médiunsO livro dos médiuns
O livro dos médiuns
Alfredo Lopes
 
Leis morais
Leis moraisLeis morais
Leis morais
Alfredo Lopes
 
Reforma intima
Reforma intimaReforma intima
Reforma intima
Alfredo Lopes
 
Reforma intima tablet
Reforma intima   tabletReforma intima   tablet
Reforma intima tablet
Alfredo Lopes
 

Mais de Alfredo Lopes (20)

Acaminhodaluz
AcaminhodaluzAcaminhodaluz
Acaminhodaluz
 
07 02-2
07 02-207 02-2
07 02-2
 
Santa Catarina e o espiritismo
Santa Catarina e o espiritismoSanta Catarina e o espiritismo
Santa Catarina e o espiritismo
 
Tablet reencarnação
Tablet  reencarnaçãoTablet  reencarnação
Tablet reencarnação
 
Datashow reencarnação
Datashow reencarnaçãoDatashow reencarnação
Datashow reencarnação
 
O garoto que queria virar serial killer
O garoto que queria virar serial killerO garoto que queria virar serial killer
O garoto que queria virar serial killer
 
A batalha do shortinho
A batalha do shortinhoA batalha do shortinho
A batalha do shortinho
 
A felicidade
A felicidadeA felicidade
A felicidade
 
Reencarnação
Reencarnação Reencarnação
Reencarnação
 
Um homem chamado amor
Um homem chamado amorUm homem chamado amor
Um homem chamado amor
 
Coleçao andre luiz
Coleçao andre luizColeçao andre luiz
Coleçao andre luiz
 
Força educadora da doutrina espírita
Força educadora da doutrina espíritaForça educadora da doutrina espírita
Força educadora da doutrina espírita
 
A atualidade de Emmanuel
A atualidade de EmmanuelA atualidade de Emmanuel
A atualidade de Emmanuel
 
Jesus e a Via Sacra
Jesus e a Via SacraJesus e a Via Sacra
Jesus e a Via Sacra
 
Obras Póstumas
Obras PóstumasObras Póstumas
Obras Póstumas
 
Renovação
RenovaçãoRenovação
Renovação
 
O livro dos médiuns
O livro dos médiunsO livro dos médiuns
O livro dos médiuns
 
Leis morais
Leis moraisLeis morais
Leis morais
 
Reforma intima
Reforma intimaReforma intima
Reforma intima
 
Reforma intima tablet
Reforma intima   tabletReforma intima   tablet
Reforma intima tablet
 

Último

16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 

Último (14)

16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 

Novela 'Além do Tempo'

  • 1. Novela 'Além do Tempo' 2 novelas em 1
  • 2. Capítulo final 12/01 • Nesta sexta-feira, 15, a Rede Globo de Televisão exibiu o último capítulo de 'Além do Tempo', trama das seis horas assinada por Elizabeth Jhin que teve como plano de fundo o espiritismo. O folhetim dividido em duas partes teve seu início no século XXI, com os mocinhos Felipe (Rafael Cardoso) e Lívia (Alinne Moraes). A primeira fase de 'Além do Tempo' terminou com os protagonistas morrendo. 150 anos depois os personagens que viveram conflitos anteriores encararam, juntos, novos problemas, tendo como cenário a cidade fictícia de Belarrosa, no sul do país.
  • 3. Novelas e Espiritismo • Tramas com esse temática são muito comuns na dramaturgia brasileira. • Uma das novelas mais carregadas na temática espírita foi 'A Viagem'. Exibida inicialmente pela TV Tupi no ano de 1975, a história ganhou um remake da TV Globo 19 anos depois, um fato raríssimo e quase único na história do canal, que por muitas vezes esqueceu que outras televisões também existiram e que por lá permearam ótimos trabalhos. Exibida entre 2005 e 2006 e ficando quase um ano no ar, 'Alma Gêmea' virou um verdadeiro fenômeno de audiência do horário das seis, superando muitas vezes a trama das nove e fazendo a Globo mexer e remexer na sua grade
  • 4. Emmanuel / Allan Kardec • “A maior caridade que se pode fazer com a Doutrina Espírita e a sua divulgação.” • “O Espiritismo não é a religião do futuro mas o futuro das religiões.”
  • 5. Além do Tempo • Reencarnação • Lei de Causa e Efeito • Lei de Amor • Família espiritual • Anjos
  • 6. Reencarnação • Segundo Allan Kardec no Evangelho Segundo o espiritismo capítulo IV a reencarnação é a volta da alma ou Espírito à vida corpórea, mas em outro corpo especial- mente formado para ele e que nada tem de comum com o antigo. A reencarnação não é invenção do Espiritismo, mas sim algo natural, de modo que foi um tema muito discutido e difundido ao longo da História da Humanidade por muitos muitos pensadores, tais como Sócrates, Pitágoras, Platão, Apolônio e Empédocles. Em O Livro dos Espíritos, Kardec indaga na questão 132:Qual o objetivo da encarnação dos Espíritos? A resposta dos Espíritos é: "Deus lhes impõe a encarnação com o fim de fazê-los chegar à perfeição. Para uns, é expiação; para outros, missão. Mas, para alcançarem essa perfeição, têm que sofrer todas as vicissitudes da existência corporal: nisso é que está a expiação
  • 7. Lei de Ação e Reação • Allan Kardec no Livro dos Espíritos pergunta 964 afirma: Todas as nossas ações são submetidas às leis de Deus; não há nenhuma delas, por mais insignificante que nos pareçam, que não possa ser uma violação dessas leis. Se sofremos as conseqüências dessa violação, não nos devemos queixar senão de nós mesmos, que nos fazemos assim os artífices de nossa felicidade ou de nossa infelicidade futura. Nossa vida é uma sucessão constante de acontecimentos, de encontros e desencontros, de situações aparentemente inexplicáveis, diante das quais, muitas vezes, sentimo-nos como vítimas diante de carrasco implacável, impotentes diante de um destino cruel e irracional.
  • 8. Lei de Amor • Evangelho capítulo 11 Esp. Lázaro - O amor resume toda a doutrina de Jesus, porque é o sentimento por excelência, e os sentimentos são os instintos elevados à altura do progresso realizado. No seu ponto de partida, o homem só tem instintos; mais avançado e corrompido, só tem sensações; mais instruído e purificado, tem sentimentos; e o amor é o requinte do sentimento.
  • 9. Anjo Ariel- LE 100/113
  • 10. Família • O Evangelho Segundo o Espiritismo Cap. 14, item - 8“Os que encarnam numa família, sobretudo como parentes próximos, são, as mais das vezes, Espíritos simpáticos, ligados por anteriores relações, que se expressam por uma afeição recíproca na vida terrena. Mas, também pode acontecer sejam completamente estranhos uns aos outros esses Espíritos, afastados entre si por antipatias igualmente anteriores, que se traduzem na Terra por um mútuo antagonismo. • Família Espiritual • Família Corporal • Família Mista
  • 11. Mensagem Chico Xavier final novela • Então, é possível, que tenhamos raiva ou que tenhamos ódio, é possível, sem termos direito para isso. Porque o ódio que sentirmos ou a cólera que alimentemos recai sempre sobre nós, no sentido da doença, de abatimento, de aflição e só pode nos causar mal, já que deixamos, há muito tempo, a faixa da animalidade para entrarmos na faixa da razão. Somos criaturas humanas e por isso devíamos sentir a verdadeira fraternidade de uns para com os outros, sem possibilidade de nos odiarmos, porque os irmãos verdadeiros nunca se enraivecem, uns contra os outros.