SlideShare uma empresa Scribd logo
Grupo de Estudos Caminhos de Luz
AUTOCONHECIMENTO
A CONSCIENCIA - é o núcleo essencial e
pensante do Espírito imortal criado por
Deus, a quintessência do ser psíquico,
onde está insculpida a Lei divina, como
revelaram as Entidades superiores a Allan
Kardec.
É o Eu superior infuso na individualidade,
em torno do qual orbitam sucessivamente,
através das reencarnações, todos os
“EUS” menores representados pelas
várias personalidades, e que vão sendo
abandonados ao longo do caminho, assim
como a ovelha, por onde passa, deixa
tufos de lã enredados nos espinhais na
charneca.
Carl Gustav Jung,
fundador da
psicologia analítica,
sonhou, em 1909, que
se encontrava em
uma casa estranha,
mas que, de certa
forma, lhe pertencia.
Ela estava dividida em
três andares: no andar
superior havia móveis
modernos, no andar
térreo, mobília
medieval, e o porão
estava cheio de
antiguidades
românicas.
Havia também
uma escada
estreita de pedras
que conduzia a
uma caverna pré-
histórica, que ele
se viu tentado a
explorar.
Ao acordar,
interpretou o
próprio sonho:
havia no
inconsciente
humano outros
níveis mais
primitivos, que ele
devia explorar.
Graças aos apontamentos de André Luiz, podemos
desfrutar também das reflexões do Instrutor espiritual
Calderaro, acerca dos vários níveis de consciência.
A imagem de que ele se utiliza é a mesma de Jung, mas
começa agora pelo primeiro andar.
Diz ele que nosso cérebro (mente ou consciência) se divide
em 3 andares, a saber:
1º andar: situa-se a residência de nossos IMPULSOS
AUTOMÁTICOS, simbolizando o sumário vivo dos serviços
realizados;
2° andar: localiza-se o domicilio das CONQUISTAS
ATUAIS, onde se erguem e se consolidam as qualidades
nobres que estamos edificando;
3º andar: temos: “ A CASA DAS NOÇÕES SUPERIORES”,
indicando as eminências que nos cumpre atingir – O SELF –
Processo de individuação.
Num deles moram o hábito e o automatismo; no outro
residem o esforço e a vontade; e no último demoram o
ideal e a meta superior a ser alcançada”.
CONCLUINDO: Distribuímos, deste modo, nos três
andares, o subconsciente, o consciente e o
Superconsciente.
Como vemos, possuímos, nós mesmos, o passado, o
presente e o futuro”.
Para o eminente psicólogo russo Peter D.
Ouspensky, livro: Em busca do Ser – o quarto
caminho para uma nova consciência - existem dois
grupos de seres humanos: o fisiológico e o
psicológico.
1) Os indivíduos fisiológicos (do queixo para baixo)
são aqueles que voltam sua percepção consciente
apenas para a satisfação de suas necessidades
básicas, ligadas às sensações e satisfação dos
desejos corporais, como comer, dormir e copular.
2) Os indivíduos psicológicos (do queixo para cima)
são aqueles que – além de comer, dormir e copular
– estendem seus interesses a um nível mais alto,
ao campo das emoções e dos sentimentos.
- Globalmente, esses indivíduos dos dois grupos
são classificados em quatro níveis de consciência:
1- Consciência de sono sem sonhos – indivíduos que só pensam em si e em seus interesses, recusando-se a
aceitar o progresso e a evolução pessoal, alheios à realidade dos sentimentos e da realização espiritual. Os valores ainda
dormem no homem. Tudo está em estado de latência. Não têm aspirações. Neles o Divino hiberna, à espera do despertar.
São os homens fisiológicos.
2- Consciência desperta (ou lúcida) – indivíduos que estão em processo de despertamento para níveis menos
egoístas de percepção da realidade e que buscam seu desenvolvimento pessoal e uma vida melhor. Os valores começam a
acordar. O ideal já interessa, mas para ser explorado. Começam a surgir pensamentos mais bem coordenados, ações mais
disciplinadas, sentimentos de contradição e de impossibilidade. O homem já distingue entre o Eu e o Não Eu. Pensa antes de
agir, faz tudo o que fazem os fisiológicos, mas vai além, visando à vida, não vive só para isso. São os homens psicológicos.
3- Consciência de si – indivíduos que se percebem autoconscientes, que reconhecem a mente além do corpo físico, e
que por isso fazem a si mesmos perguntas que se esforçam por responder (quem sou, de onde venho, que faço aqui, por que
sofro, para onde vou), iniciando um processo de autoconhecimento. Nesse nível o homem começa a ter consciência de que
não é somente a máquina (o corpo), mas uma psique ou inteligência superior que pode controlar a máquina. O ser usa a
razão em benefício da vida. Ele anela pelo ideal e busca o êxtase. É quando projeta vida no que faz, à semelhança dos grandes
artistas e santos. Já desfruta da intuição.
4- Consciência objetiva (ou cósmica) – indivíduos em que o egocentrismo já está superado, que se veem
claramente na sua totalidade e se tornam parte de um todo pelo qual se sentem responsáveis. Neste nível eles vivem a
plenitude do ideal. A verdade é real e não mais relativa. A consciência cósmica é profunda e extrafísica. São os seres que
pairam acima do gênero humano e o impulsionam e dirigem.
Deixam de pensar em si para pensar na humanidade. Atingem o estado místico superior.
Cerca de 80% dos seres humanos compõem o primeiro nível, e uma quantidade infinitesimal
compõe o último.
Dos vários andares da casa, o homem, normalmente, em seu estágio atual, ocupa apenas
os dois primeiros. Do primeiro nível de sono profundo, ele passa ao segundo, com lampejos
de despertamento, ou sono desperto.
Aqui ele ainda se encontra semiadormecido, mas pensa que está acordado. E para que
desperte é preciso conscientizá-lo de que está dormindo; sem isso, ele não fará o esforço
necessário para acordar.
E os andares seguintes, de nível superior, são ocupados por uma porcentagem mínima da
humanidade, mas que pode ser detectada pela obra que cada um de seus componentes
realiza, visto que os frutos é que dão notícia da proficiência da árvore.
A maioria esmagadora do gênero humano ainda está dormindo o sono da inconsciência.
Queda-se, em seu estupor de criatura sonolenta ou ensonada, à espera de que uma alma
superior, anônima e caridosa, lhe dirija um aceno de mão, uma palavra amiga ou um livro
iluminativo que a possa arrancar dessa insensibilidade existencial profunda, que ela
desconhece e, se conhecesse, não conseguiria imaginar
o
É É preciso abrir sua mente, com sutileza e doçura, para essa verdade, pois se ela
permanecer na ilusão de que está acordada, não promoverá as ações necessárias para
elevar-se aos níveis superiores.
Mas, para que o homem se torne instrumento desse divino despertar alheio, é-lhe
necessário, antes, implementar o seu próprio despertamento espiritual, como ensina São
Paulo: “Desperta, ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos e o Cristo te iluminará.”
(Efésios, 5:14.)
DEPERTAMENTO DA CONSCIENCIA
NOSSA CASA ESTA EM CHAMAS – Peter Ouspensky – Filósofo Russo
“Quando percebemos que enganamos a nós mesmos, que estamos
dormindo e que nossa casa esta em chamas, sempre
permanentemente em chamas, e que é apenas por acaso que o fogo
não atingiu nosso quarto, quando percebemos isso, vamos querer
fazer tudo para acordar e não vamos esperar nenhuma recompensa
especial.
A frase acima, refere-se principalmente aos pensamentos negativos e
ao nosso eterno estado de sonolência e inércia diante deles.
Segundo o Filosofo Peter referente o texto anterior – “Nossa Casa
esta em chamas” , os pensamentos negativos, têm um efeito
devastador em nossa casa mental.
Através deles definhamos, ficamos deprimidos, tomamos atitudes
insensatas e podemos adoecer.
Vivemos um estado de sonolência guiados pelo hábito.
Não tomamos atitude alguma diante do incêndio que nos cerca;
entregando-nos passivamente a emoções conturbadas: o desespero, a
raiva e, ao ressentimento que obscurecem a nossa CONSCIENCIA
como uma fumaça negra. Assim, muitas vezes acabamos
permanecendo neste estado devido ao puro e simples hábito, que
seria no nosso estado de SONOLÊNCIA.
Então ACORDAR é a primeira coisa que devemos fazer, evitando-se
que o incêndio não nos destrua. Há sempre dois caminhos a percorrer
nesta situação: fugir ou tentar apagar o fogo.
Somente a partir deste momento, quando acordamos por breves
instantes (e antes que pensamentos habituais retornem), é que
podemos traçar uma rota de fuga ou tomar alguma atitude.
Os caminhos escolhidos não devem visar recompensa alguma a não
ser a mente lucida e saudável. Qualquer outro objetivo além desse,
pode significar que voltamos a dormir entre chamas.
É A CONSCIÊNCIA QUE TRAZ O OCULTO PARA A LUZ.
Podemos estar conscientes, por exemplo, de ocorrências em
outra parte da casa que não estão sendo vistas pelos nossos
olhos físicos ou, podemos também, nos tornar conscientes, do
que esta por trás de um comportamento padrão ou hábito.
Para que possamos nos tornar plenamente conscientes, portanto,
precisamos ficar mais sensíveis à vida, aprendendo a trabalhar
com os sentimentos, a enxergar de olhos fechados.
Os PENSAMENTOS que percorrem nossa mente não somos
nós. Somos àqueles que estão conscientes desses
pensamentos, é quem se move da consciência para um
estado de autoconsciência.
Onde quer que percebamos desarmonia, devemos realizar o
exercício da AUTO OBSERVAÇÃO, procurando substitui-los uma
energia nova, em vez de reproduzir o passado, de toma-lo como
referência absoluta.
Para sintonizar as frequências mais elevadas da
consciência, temos de nos mover para além do
pensamento polarizado da nossa mente.
Logo, é da máxima importância que todo processo
mental seja disciplinado e checado de forma diária.
PENSAMENTO X CONSCIÊNCIA
Cada pensamento é como uma semente, no
momento em que você pensa, você planta essa
semente. Ela irá crescer, tornar-se uma arvore
que, por sua vez, produzira frutos, criando
milhares de novas sementes – isso ocorre com
os pensamentos positivos e negativos..
Perceba que, ao pensar de maneira negativa,
você CRIA A ESCURIDÃO, com a qual você
mesmo terá que lidar.
Precisamos ir além do pensamento dual, o que
significa parar de pensar em termos de bom ou
mau, certo ou errado, perfeito ou imperfeito,
verdadeiro ou falso.
Precisamos parar de preferir uma coisa em
detrimento de outra e simplesmente fazer o que é
apropriado para cada momento.
A AÇÃO DESPERTA é o aspecto exterior do estágio seguinte da evolução da
consciência no nosso planeta. Quanto mais nos aproximamos do fim do nosso
atual estágio evolucionário, maior a disfunção do EGO – é uma disfunção
semelhante a que ocorre com a lagarta antes de se tornar borboleta.
A nova consciência contudo, esta surgindo ao mesmo tempo que, a antiga se
dissolve.
AÇÃO DESPERTA é o alinhamento do nosso propósito exterior: o que
fazemos – com nosso proposito interior – despertarmos e nos mantermos
despertos.
Por meio dela entramos em estado de unificação com o proposito que sai do
Universo. Através de nós a consciência flui para o mundo. Ela se derrama
sobre nossos pensamentos e os inspira. Inunda todas nossas realização, as
orienta e fortalece.
O que determina se estamos cumprindo nosso destino não É O QUE
FAZEMOS, e sim COMO FAZEMOS. E essa maneira de realizar as coisas é
estabelecida pelo nosso estado de CONSCIENCIA.
RESUMINDO, em qualquer situação e em tudo o que fazemos, nosso estado
de consciência é o fator primário, enquanto a situação e o que executamos é
secundário. O SUCESSO futuro é dependente e inseparável da consciência da
qual emanam as ações. Tanto pode ser força reativa do ego quanto a atenção
alerta da consciência desperta.
Toda ação bem sucedida se origina desse campo de atenção alerta, e não do
ego e do pensamento inconsciente, condicionado.
O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA
AS TRES MODALIDADES DE AÇÃO DESPERTA.
A consciência pode fluir para o que fazemos de 3 maneiras e, assim
por nosso intermédio penetrar no mundo. Elas permitem alinhar nossa
vida com o poder criativo do universo.
MODALIDADE corresponde a frequência energética subjacente que
que chega às nossas ações e as conecta à consciência desperta que
esta surgindo no mundo.
Elas são: ACEITAÇÃO, PRAZER e ENTUSIASMO.
A) ACEITAÇÃO:
“Por enquanto, o que esta situação, neste momento requer de mim é
isto, então eu o faço de boa vontade”. Por exemplo, não iremos gostar
de trocar um pneu a noite num local deserto e em plena chuva e, muito
menos ficaremos entusiasmados com essa ideia.
No entanto, podemos nos resignar aceitando o fato.
Quando praticamos uma ação no ESTADO DE ACEITAÇÃO, ficamos
em paz enquanto a realizamos.
Essa paz é uma vibração energética sutil – A CONSCIENCIA e,
uma de suas maneiras de se revelar é através da ação
abnegada, que é um aspecto da aceitação.
AS TRES MODALIDADES DE AÇÃO DESPERTA.
B) O PRAZER – A alegria é o aspecto dinâmico do SER.
Sempre que o poder criativo do universo esta consciente de si mesmo,
ele se manifesta como prazer.
Não precisamos esperar que aconteça algo significativo para que
possamos nos alegrar com o que realizamos.
A síndrome do esperar para começar a viver é um dos erros mais
comuns do estado inconsciente. A expansão e a mudança positiva no
nível exterior tem muito mais probabilidade de ocorrer em nossa vida
se formos capazes de sentir prazer no que já estamos empreendendo,
em vez de esperarmos por uma mudança para então gostarmos do
que fazemos.
Qual a relação entre algo que estamos fazendo e o prazer?
Sentimos prazer em qualquer atividade em que estejamos plenamente
presentes, com toda a ação que não seja apenas um meio para
alcançarmos um fim. Isto significa que , quanto temos prazer em fazer
algo, estamos de fato sentindo a alegria do ser no seu aspecto
dinâmico. É por isso que tudo o que nos da prazer nos coloca em
contato com o poder que esta por trás de toda criação.
Vamos experimentar uma técnica espiritual que irá proporcionar mais
poder e expansão criativa a sua vida.
(Exercício anexo)
AS TRES MODALIDADES DE AÇÃO DESPERTA.
C) O ENTUSIASMO – Grande escritor Ralf Waldo Emerson disse:
“Nada grandioso jamais foi alcançado sem o entusiasmo”.
A palavra entusiasmo vem do grego antigo – “em e theos”, que
significa EM DEUS. O termo correlato significa corresponde a “estar
possuído por um Deus”.
Enquanto o desejo do EGO sempre tenta tirar de alguma coisa ou de
alguém, o entusiasmo contribui com sua própria abundancia.
Quando encontra obstáculos na forma de situações adversas ou de
pessoas que não cooperam, ele nunca os ataca. Ao contrario, ou os
contorna, ou cede, ou os aceita, convertendo a energia oposta numa
energia útil, o inimigo num amigo.
O ego e o entusiasmo não podem coexistir.
Um implica na ausência do outro. O entusiasmo sabe para onde esta
indo, embora, ao mesmo tempo, esteja alinhado com o momento
presente, a fonte de sua vitalidade, do seu prazer e do seu poder.
Por intermédio do entusiasmo entramos em completo alinhamento
com o principio criativo que emana do universo, sem, contudo, nos
identificarmos com suas criações, isto é, com o EGO.
O MITO DA CAVERNA  METÁFORA CRIADA POR PLATÃO.
A história é uma tentativa de explicar a condição de ignorância em que vivem os seres humanos,
aprisionados pelos sentidos e os preconceitos que impedem o conhecimento da verdade.
A VIDA DENTRO DA CAVERNA, representa o mundo sensível, aquele experimentado a partir dos
sentidos, onde reside a falsa percepção da realidade.
Enquanto a SAIDA da caverna representa a BUSCA DA VERDADE, o chamado mundo inteligível
(consciente), alcançado apenas pela razão.
PLATÃO descreve que alguns homens, desde a infância, geração após geração, se
encontram aprisionados em uma caverna. Nesse lugar, não conseguem se mover
em virtude das correntes que os mantem imobilizados. Virados de costas para a
entrada da caverna, veem apenas o seu fundo.
Atrás deles há uma parede pequena, onde uma fogueira permanece acesa.
Por ali passam homens transportando coisas, mas como a parede oculta o corpo
dos homens, tudo o que eles conseguem ver são as sombras destes objetos.
Essas sombras projetadas no fundo da caverna, são compreendidas pelos
prisioneiros como sendo tudo o que existe no mundo.
Certo dia, um dos prisioneiros consegue se
libertar das correntes que o aprisionava.
Com muita dificuldade, ele busca a saída da
caverna. No entanto, a luz da fogueira, bem
como a do exterior da caverna, agridem os
seus olhos, já que ele nunca tinha visto a luz.
O ex-prisioneiro pensa em desistir e retornar
ao conforto da prisão a qual estava
acostumado, mas gradualmente consegue
observar e admirar o mundo exterior da
caverna.
Entretanto, tomado de compaixão pelos
companheiros de aprisionamento, ele decide
enfrentar o caminho de volta à caverna com
o objetivo de libertar os outros e mostrar-
lhes a verdade.
INTERPRETAÇÃO DA ALEGORIA DA CAVERNA
Na alegoria da caverna, Platão faz uma critica sobre a importância da
busca pelo conhecimento e o abandono da posição cômoda gerada
pelas aparências e pelos costumes (AS PERSONAS).
Nessa interpretação, as correntes representam o senso comum e a
opinião ( os preconceitos) que aprisionam os indivíduos e os impede
de buscar o conhecimento verdadeiro, fazendo com que permaneçam
em um MUNDO DE SOMBRAS.
As sombras representam as aparências, tudo aquilo que é FALSO ou
que são meras imitações daquilo que é, de fato, real.
É um mundo das aparências na qual as pessoas estão acostumadas a
viver.
Assim tal como o prisioneiro, as pessoas devem confrontar os hábitos
do cotidiano e libertar-se das correntes em vista da verdade.
A saída da caverna representa a difícil missão daquele que rompe com
os preconceitos em busca do conhecimento.
A LUZ representa o conhecimento , que pode ofuscar quem não esta
habituado, o SOL é a verdade, que ilumina tudo aquilo que existe, que
da origem ao conhecimento.
Platão faz referencia ao papel da Filosofia: “O Filosofo é aquele que
consegue sair da caverna, mas por odiar a ignorância, sente compaixão
e se vê obrigado a tentar libertar os outros, compreendido como seus
companheiros.
MITO DA CAVERNA NO SÉCULO XXI
AS SOMBRAS QUE ESTAMOS EXPOSTOS DIARIAMENTE, REPRESENTAM MILHARES DE
IMAGENS E SONS QUE NOS BOMBARDEIAM, LEVANDO-NOS A VIVER UMA VIDA, CADA VEZ
MAIS DISTANTE DAQUILO QUE FATO SOMOS, VIVENDO UMA VIDA DE APARÊNCIAS.
QUAIS OS BENEFÍCIOS DE NOS
TORNARMOS PESSOAS MAIS
CONSCIENTES?
Perfeitamente identificado com os elevados objetivos da
existência terrestre, Allan Kardec questionou os Espírito
Benfeitores:
“Qual o meio mais pratico e eficaz que tem o homem de se
melhorar nesta vida e resistir a atração do mal?
Resposta: Um sábio da antiguidade vo-lo disse:
CONHECE-TE A TI MESMO !
Santo Agostinho explicitou: O conhecimento de si mesmo é a
chave do progresso individual. Mas direis, como há de alguém
julgar-se a si mesmo? Não esta ai a ilusão do amor próprio
para atenuar as faltas e torna-las desculpáveis?
O avarento se considera apenas econômico e previdente, o
orgulhoso julga que em si só há dignidade. Isto é muito real,
mas tendes um meio de verificação que não pode iludir-vos.
DÊ BALANÇO NO SE DIA MORAL! Se puder dizer que seu dia
foi bom, poderá dormir em paz e aguardar sem receio o
despertar na outra vida.
Na analise diária e continua dos atos, o auto amor, a oração e
meditação, serão decisivos para a avaliação.
QUEM ORA, FALA; QUEM MEDITA OUVE, DISPONDO DOS
RECURSOS PARA EXTERIORIZAR-SE E INTERIORIZAR-SE.
É por meio desse processo que conseguimos enxergar a nós mesmos, a nos
educar, aceitar a nós próprios e a aprender coisas novas.
O AUTOCONHECIMENTO nos confere:
- REAGIR de forma diferente a certas situações da nossa vida;
- AMPLIAR NOSSA PERCEPÇÃO sobre com os fatos impactam nossos
sentimentos e emoções;
- DESCOBRIR NOSSO PROPÓSITO DE VIDA, seja profissional ou pessoal;
- ADQUIRIR MAIOR AUTOCONFIANÇA, eliminando o medo de nossas
vidas.
- VER A VIDA SOB UMA NOVA ÓTICA, RESSIGNIFICANDO problemas.
- BUSCAR A AUTOCONSCIENCIA para uma vida plena.
- PRATICA DA ACEITAÇÃO e DESAPEGO,
- RESPEITO PELAS DIFERENÇAS,
- VALORIZAR AS PROPRIAS COMPETENCIAS E HABILIDADES,
desenvolvendo o auto amor e a autoestima.
Esta jornada para dentro nos possibilita irmos ao encontro de nossa
VERDADEIRA ESSÊNCIA, onde libertos de máscaras e subterfúgios ,
podemos ser de fato quem somos.
Isto traz resultados positivos para o nosso dia a dia, para a forma com que
lidamos com nossos problemas e até mesmo para as pessoas que vivem
ao nosso redor.
LEON DENIS no inicio do século XX ( 1846 – 1927),
escreveu em seu livro: “O problema do Ser, do
Destino e da Dor” – Capítulo IX:
“NA PLANTA - A INTELIGENCIA DORMITA,
NO ANIMAL - SONHA
NO HOMEM - ACORDA, CONHECE-SE, POSSUI-SE,
tornando-se CONSCIENTE”.
Nesse mesmo sentido, Emmanuel, pelo médium
Chico Xavier, no livro “O Consolador”, assim se
expressou:
“A escala do progresso é sublime e infinita...
- O Mineral é atração,
- O vegetal é sensação.
- O animal é instinto e Homem é razão”.
O SER CONSCIENTE deve trabalhar-se sempre, partindo do ponto inicial
da sua realidade psicológica, aceitando-se como é e aprimorando-se sem
cessar. Somente consegue essa lucidez aquele quem se AUTOANALISE,
disposto a encontrar-se sem máscara, sem deterioração. Para isso não se
julga, nem se justifica, não se acusa nem se culpa.
APENAS DESCOBRE-SE!
A identificação segue o trabalho de transformação interior para melhor,
utilizando-se dos instrumentos do auto amor, da autoestima, da oração
que estimula a capacidade de discernimento, da relaxação que libera das
tensões, da mediação que faculta o crescimento interior.
- O AUTOAMOR ensina-o a encontrar-se e desvela potenciais de força
intima nele jacentes,
- A AUTOESTIMA leva-o fraternidade, ao convívio saudável ..
- A ORAÇÃO amplia-lhe a faculdade de discernimento da existência.
- A RELAXAÇÃO proporciona-lhe harmonia e novos horizontes.
- A MEDITAÇÃO ajuda-o a crescer de dentro para fora, realizando-se em
amplitude e abrindo-lhe a percepção para os estados alterados de
consciência.
- O AUTOCONHECIMENTO se torna uma necessidade prioritária na
programática existencial da criatura. Quem o posterga, não se realiza
satisfatoriamente, porque permanece perdido em um espaço escuro,
ignorado dentro de si mesmo.
O SER CONSCIENTE é austero, mas sem
carranca;
É JOVIAL, porem, sem vulgaridade;
É COMPLACENTE, no entanto sem conivência;
É BONDOSO, todavia sem anuência com o erro.
AJUDA E PROMOVE aquele que lhe recebe o
socorro, seguindo adiante sem cobrar retribuição.
- É RESPONSÁVEL, e não permite o vão repouso
enquanto o dever o aguarda. Conhecendo suas
possibilidade, coloca-as em ação sempre que
necessário, aberto ao amor e ao BEM.
- Só o amadurecimento psicológico, através das
experiências vividas, libera a consciência do
SER, e ao, consegui-lo, ei-lo feliz, indo em
direção ao SELF na conquista do SI MESMO.
PROPÓSITO
DE VIDA
INCONSCIÊNCIA - EGO
SELF
APRENDIZADOS
VISUALIZE EM QUE NÍVEL DE CONSCIÊNCIA VOCÊ
SE ENCONTRA !
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:
- O SER CONSCIENTE – Divaldo Franco / Joana de Angelis.
- O DESPERTAR DE UMA NOVA CONSCIENCIA – Eckart Tolle
- CONSCIENCIA É A RESPOSTA - Robert Happé
- ESPELHOS DA ALMA – Divaldo Franco/Joana de Angelis
- O MITO DA CAVERNA – site Filosofia – Internet
- EM BUSCA DO SER - GI GURDJIEFF – O 4° Caminho para
uma Nova Consciência
- PSICOLOGIA ANALITICA de Carl Gustav JUNG – Sonhos
- NO MUNDO MAIOR – A CASA MENTAL – André Luiz
- EM BUSCA DA ILUMINAÇÃO INTERIOR – Divaldo/Joana

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Coem 2011-aula-20-emancipacao da-alma
Coem 2011-aula-20-emancipacao da-almaCoem 2011-aula-20-emancipacao da-alma
Coem 2011-aula-20-emancipacao da-alma
Alice Lirio
 
2.9.2 Possessos - Convulsionários
2.9.2   Possessos - Convulsionários2.9.2   Possessos - Convulsionários
2.9.2 Possessos - Convulsionários
Marta Gomes
 
2.1.2 mundo normal primitivo
2.1.2   mundo normal primitivo2.1.2   mundo normal primitivo
2.1.2 mundo normal primitivo
Marta Gomes
 
Reforma intima tablet
Reforma intima   tabletReforma intima   tablet
Reforma intima tablet
Alfredo Lopes
 
Êxtase
ÊxtaseÊxtase
Sonhos na visão espírita
Sonhos na visão espíritaSonhos na visão espírita
Sonhos na visão espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Palestra Sobre Sono E Sonho
Palestra Sobre Sono E SonhoPalestra Sobre Sono E Sonho
Palestra Sobre Sono E Sonho
Grupo Espírita Cristão
 
Capitulo I Dos Espiritos
Capitulo I   Dos EspiritosCapitulo I   Dos Espiritos
Capitulo I Dos Espiritos
Marta Gomes
 
Emancipação parcial da alma 1
Emancipação parcial da alma 1Emancipação parcial da alma 1
Emancipação parcial da alma 1
Graça Maciel
 
Capitulo IX Intervencao dos Espiritos no mundo corporal
Capitulo IX   Intervencao dos Espiritos no mundo corporalCapitulo IX   Intervencao dos Espiritos no mundo corporal
Capitulo IX Intervencao dos Espiritos no mundo corporal
Marta Gomes
 
Ações dos espiritos
Ações dos espiritosAções dos espiritos
Ações dos espiritos
carlos freire
 
Sono e Sonhos na visão Espírita
Sono e Sonhos na visão EspíritaSono e Sonhos na visão Espírita
Sono e Sonhos na visão Espírita
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
2.8.1 O sono e os sonhos
2.8.1   O sono e os sonhos2.8.1   O sono e os sonhos
2.8.1 O sono e os sonhos
Marta Gomes
 
090722 visitas espíritas entre pessoas vivas–sonambulismo
090722 visitas espíritas entre pessoas vivas–sonambulismo090722 visitas espíritas entre pessoas vivas–sonambulismo
090722 visitas espíritas entre pessoas vivas–sonambulismo
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Comunicação dos pensamentos 413 a 421
Comunicação dos pensamentos 413 a 421Comunicação dos pensamentos 413 a 421
Comunicação dos pensamentos 413 a 421
Shantappa Jewur
 
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan KardecSonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
marjoriestavismeyer
 
Estados de emancipação da alma-1,5hs
Estados de emancipação da alma-1,5hsEstados de emancipação da alma-1,5hs
Estados de emancipação da alma-1,5hs
home
 
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)
Maria Salete da Cunha
 
Esde módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
Esde    módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espíritoEsde    módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
Esde módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
Elysio Laroide Lugarinho
 
Evangeliza - Sono e Sonhos
Evangeliza - Sono e SonhosEvangeliza - Sono e Sonhos
Evangeliza - Sono e Sonhos
Antonino Silva
 

Mais procurados (20)

Coem 2011-aula-20-emancipacao da-alma
Coem 2011-aula-20-emancipacao da-almaCoem 2011-aula-20-emancipacao da-alma
Coem 2011-aula-20-emancipacao da-alma
 
2.9.2 Possessos - Convulsionários
2.9.2   Possessos - Convulsionários2.9.2   Possessos - Convulsionários
2.9.2 Possessos - Convulsionários
 
2.1.2 mundo normal primitivo
2.1.2   mundo normal primitivo2.1.2   mundo normal primitivo
2.1.2 mundo normal primitivo
 
Reforma intima tablet
Reforma intima   tabletReforma intima   tablet
Reforma intima tablet
 
Êxtase
ÊxtaseÊxtase
Êxtase
 
Sonhos na visão espírita
Sonhos na visão espíritaSonhos na visão espírita
Sonhos na visão espírita
 
Palestra Sobre Sono E Sonho
Palestra Sobre Sono E SonhoPalestra Sobre Sono E Sonho
Palestra Sobre Sono E Sonho
 
Capitulo I Dos Espiritos
Capitulo I   Dos EspiritosCapitulo I   Dos Espiritos
Capitulo I Dos Espiritos
 
Emancipação parcial da alma 1
Emancipação parcial da alma 1Emancipação parcial da alma 1
Emancipação parcial da alma 1
 
Capitulo IX Intervencao dos Espiritos no mundo corporal
Capitulo IX   Intervencao dos Espiritos no mundo corporalCapitulo IX   Intervencao dos Espiritos no mundo corporal
Capitulo IX Intervencao dos Espiritos no mundo corporal
 
Ações dos espiritos
Ações dos espiritosAções dos espiritos
Ações dos espiritos
 
Sono e Sonhos na visão Espírita
Sono e Sonhos na visão EspíritaSono e Sonhos na visão Espírita
Sono e Sonhos na visão Espírita
 
2.8.1 O sono e os sonhos
2.8.1   O sono e os sonhos2.8.1   O sono e os sonhos
2.8.1 O sono e os sonhos
 
090722 visitas espíritas entre pessoas vivas–sonambulismo
090722 visitas espíritas entre pessoas vivas–sonambulismo090722 visitas espíritas entre pessoas vivas–sonambulismo
090722 visitas espíritas entre pessoas vivas–sonambulismo
 
Comunicação dos pensamentos 413 a 421
Comunicação dos pensamentos 413 a 421Comunicação dos pensamentos 413 a 421
Comunicação dos pensamentos 413 a 421
 
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan KardecSonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
 
Estados de emancipação da alma-1,5hs
Estados de emancipação da alma-1,5hsEstados de emancipação da alma-1,5hs
Estados de emancipação da alma-1,5hs
 
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)
 
Esde módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
Esde    módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espíritoEsde    módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
Esde módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
 
Evangeliza - Sono e Sonhos
Evangeliza - Sono e SonhosEvangeliza - Sono e Sonhos
Evangeliza - Sono e Sonhos
 

Semelhante a DEPERTAMENTO DA CONSCIENCIA

Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
Ceile Bernardo
 
Regressão terapêutica espirita
Regressão terapêutica espiritaRegressão terapêutica espirita
Regressão terapêutica espirita
Anselmo Heib
 
Da Vida Espírita
Da Vida EspíritaDa Vida Espírita
Da Vida Espírita
Sergio Menezes
 
Problema do ser e da dor, uma obra de l
Problema do ser e da dor, uma obra de  lProblema do ser e da dor, uma obra de  l
Problema do ser e da dor, uma obra de l
marcoscubaoficial
 
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptxINFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
GuilhermeTadeu11
 
KSSF Aula Ciclo I - Os Espíritos - Rosana De Rosa
KSSF Aula Ciclo I - Os Espíritos - Rosana De RosaKSSF Aula Ciclo I - Os Espíritos - Rosana De Rosa
KSSF Aula Ciclo I - Os Espíritos - Rosana De Rosa
Kardecian Spiritist Society of Florida
 
Emancipação Parcial da Alma 2
Emancipação Parcial da Alma 2Emancipação Parcial da Alma 2
Emancipação Parcial da Alma 2
Graça Maciel
 
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
Silvio Figueirôa
 
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade  - SintoniaMecanismo das comunicações - Afinidade  - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
jcevadro
 
Reforma Íntima, Níveis de Consciência e 12 Propostas para o VIR A SER
Reforma Íntima, Níveis de Consciência e 12 Propostas para o VIR A SERReforma Íntima, Níveis de Consciência e 12 Propostas para o VIR A SER
Reforma Íntima, Níveis de Consciência e 12 Propostas para o VIR A SER
Prof. Paulo Ratki
 
07 sono e sonhos
07   sono e sonhos07   sono e sonhos
07 sono e sonhos
jcevadro
 
51 desdobramento animico (apometria)
51 desdobramento animico (apometria)51 desdobramento animico (apometria)
51 desdobramento animico (apometria)
Antonio SSantos
 
Apometria
ApometriaApometria
Visaoespiritasonosonhos
VisaoespiritasonosonhosVisaoespiritasonosonhos
Visaoespiritasonosonhos
Neusa Lustosa
 
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritualCapitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
Marta Gomes
 
Consciência e evolução
Consciência e evolução Consciência e evolução
Consciência e evolução
Leonardo Pereira
 
Aula Vida Espirita
Aula Vida EspiritaAula Vida Espirita
Aula Vida Espirita
Ceile Bernardo
 
Estudo do livro Roteiro, lição 25
Estudo do livro Roteiro, lição 25Estudo do livro Roteiro, lição 25
Estudo do livro Roteiro, lição 25
Candice Gunther
 
LIMITES DA REENCARNAÇÃO
LIMITES DA REENCARNAÇÃOLIMITES DA REENCARNAÇÃO
LIMITES DA REENCARNAÇÃO
Francisco de Assis Alencar
 
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptxNIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 

Semelhante a DEPERTAMENTO DA CONSCIENCIA (20)

Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
 
Regressão terapêutica espirita
Regressão terapêutica espiritaRegressão terapêutica espirita
Regressão terapêutica espirita
 
Da Vida Espírita
Da Vida EspíritaDa Vida Espírita
Da Vida Espírita
 
Problema do ser e da dor, uma obra de l
Problema do ser e da dor, uma obra de  lProblema do ser e da dor, uma obra de  l
Problema do ser e da dor, uma obra de l
 
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptxINFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
 
KSSF Aula Ciclo I - Os Espíritos - Rosana De Rosa
KSSF Aula Ciclo I - Os Espíritos - Rosana De RosaKSSF Aula Ciclo I - Os Espíritos - Rosana De Rosa
KSSF Aula Ciclo I - Os Espíritos - Rosana De Rosa
 
Emancipação Parcial da Alma 2
Emancipação Parcial da Alma 2Emancipação Parcial da Alma 2
Emancipação Parcial da Alma 2
 
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
 
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade  - SintoniaMecanismo das comunicações - Afinidade  - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
 
Reforma Íntima, Níveis de Consciência e 12 Propostas para o VIR A SER
Reforma Íntima, Níveis de Consciência e 12 Propostas para o VIR A SERReforma Íntima, Níveis de Consciência e 12 Propostas para o VIR A SER
Reforma Íntima, Níveis de Consciência e 12 Propostas para o VIR A SER
 
07 sono e sonhos
07   sono e sonhos07   sono e sonhos
07 sono e sonhos
 
51 desdobramento animico (apometria)
51 desdobramento animico (apometria)51 desdobramento animico (apometria)
51 desdobramento animico (apometria)
 
Apometria
ApometriaApometria
Apometria
 
Visaoespiritasonosonhos
VisaoespiritasonosonhosVisaoespiritasonosonhos
Visaoespiritasonosonhos
 
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritualCapitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
 
Consciência e evolução
Consciência e evolução Consciência e evolução
Consciência e evolução
 
Aula Vida Espirita
Aula Vida EspiritaAula Vida Espirita
Aula Vida Espirita
 
Estudo do livro Roteiro, lição 25
Estudo do livro Roteiro, lição 25Estudo do livro Roteiro, lição 25
Estudo do livro Roteiro, lição 25
 
LIMITES DA REENCARNAÇÃO
LIMITES DA REENCARNAÇÃOLIMITES DA REENCARNAÇÃO
LIMITES DA REENCARNAÇÃO
 
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptxNIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
 

Mais de ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ

VICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS NA VISÃO ESPÍRITA
VICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS  NA VISÃO ESPÍRITAVICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS  NA VISÃO ESPÍRITA
VICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS NA VISÃO ESPÍRITA
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICASDOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
AS DOENÇAS DA ALMA
AS DOENÇAS DA ALMAAS DOENÇAS DA ALMA
AS DOENÇAS DA ALMA
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
AUTOCONHECIMENTO - O CORPO FALA.pdf
AUTOCONHECIMENTO  - O CORPO FALA.pdfAUTOCONHECIMENTO  - O CORPO FALA.pdf
AUTOCONHECIMENTO - O CORPO FALA.pdf
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docxA PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITASONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docxIMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
DROGAS VISÃO ESPIRITA
DROGAS VISÃO ESPIRITADROGAS VISÃO ESPIRITA
DROGAS VISÃO ESPIRITA
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
BUDA - HERMANN HESSE.pptx
 BUDA  - HERMANN HESSE.pptx BUDA  - HERMANN HESSE.pptx
BUDA - HERMANN HESSE.pptx
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
O FENOMENO DA PROJEÇÃO
O FENOMENO DA PROJEÇÃOO FENOMENO DA PROJEÇÃO
O FENOMENO DA PROJEÇÃO
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docxNOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
PROJEÇÕES e a LEI DO ESPELHO .
PROJEÇÕES e a  LEI DO ESPELHO . PROJEÇÕES e a  LEI DO ESPELHO .
PROJEÇÕES e a LEI DO ESPELHO .
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
DEPRESSÃO - A DOENÇA DA ALMA
DEPRESSÃO -  A DOENÇA DA ALMADEPRESSÃO -  A DOENÇA DA ALMA
DEPRESSÃO - A DOENÇA DA ALMA
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptxREFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADEAUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Somos como um uma pedra preciosa adormecida.
Somos como um  uma pedra preciosa adormecida. Somos como um  uma pedra preciosa adormecida.
Somos como um uma pedra preciosa adormecida.
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
REFORMA INTERIOR
REFORMA INTERIORREFORMA INTERIOR
DEPRESSAO X ATUALIDADE VISÃO ESPIRITUALISTA
DEPRESSAO X ATUALIDADE VISÃO ESPIRITUALISTADEPRESSAO X ATUALIDADE VISÃO ESPIRITUALISTA
DEPRESSAO X ATUALIDADE VISÃO ESPIRITUALISTA
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 

Mais de ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ (20)

VICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS NA VISÃO ESPÍRITA
VICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS  NA VISÃO ESPÍRITAVICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS  NA VISÃO ESPÍRITA
VICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS NA VISÃO ESPÍRITA
 
ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
 
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICASDOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
 
AS DOENÇAS DA ALMA
AS DOENÇAS DA ALMAAS DOENÇAS DA ALMA
AS DOENÇAS DA ALMA
 
AUTOCONHECIMENTO - O CORPO FALA.pdf
AUTOCONHECIMENTO  - O CORPO FALA.pdfAUTOCONHECIMENTO  - O CORPO FALA.pdf
AUTOCONHECIMENTO - O CORPO FALA.pdf
 
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docxA PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
 
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITASONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
 
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docxIMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
 
DROGAS VISÃO ESPIRITA
DROGAS VISÃO ESPIRITADROGAS VISÃO ESPIRITA
DROGAS VISÃO ESPIRITA
 
BUDA - HERMANN HESSE.pptx
 BUDA  - HERMANN HESSE.pptx BUDA  - HERMANN HESSE.pptx
BUDA - HERMANN HESSE.pptx
 
O FENOMENO DA PROJEÇÃO
O FENOMENO DA PROJEÇÃOO FENOMENO DA PROJEÇÃO
O FENOMENO DA PROJEÇÃO
 
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docxNOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
 
PROJEÇÕES e a LEI DO ESPELHO .
PROJEÇÕES e a  LEI DO ESPELHO . PROJEÇÕES e a  LEI DO ESPELHO .
PROJEÇÕES e a LEI DO ESPELHO .
 
DEPRESSÃO - A DOENÇA DA ALMA
DEPRESSÃO -  A DOENÇA DA ALMADEPRESSÃO -  A DOENÇA DA ALMA
DEPRESSÃO - A DOENÇA DA ALMA
 
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
 
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptxREFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
 
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADEAUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
 
Somos como um uma pedra preciosa adormecida.
Somos como um  uma pedra preciosa adormecida. Somos como um  uma pedra preciosa adormecida.
Somos como um uma pedra preciosa adormecida.
 
REFORMA INTERIOR
REFORMA INTERIORREFORMA INTERIOR
REFORMA INTERIOR
 
DEPRESSAO X ATUALIDADE VISÃO ESPIRITUALISTA
DEPRESSAO X ATUALIDADE VISÃO ESPIRITUALISTADEPRESSAO X ATUALIDADE VISÃO ESPIRITUALISTA
DEPRESSAO X ATUALIDADE VISÃO ESPIRITUALISTA
 

Último

A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 

Último (20)

A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 

DEPERTAMENTO DA CONSCIENCIA

  • 1. Grupo de Estudos Caminhos de Luz AUTOCONHECIMENTO
  • 2. A CONSCIENCIA - é o núcleo essencial e pensante do Espírito imortal criado por Deus, a quintessência do ser psíquico, onde está insculpida a Lei divina, como revelaram as Entidades superiores a Allan Kardec. É o Eu superior infuso na individualidade, em torno do qual orbitam sucessivamente, através das reencarnações, todos os “EUS” menores representados pelas várias personalidades, e que vão sendo abandonados ao longo do caminho, assim como a ovelha, por onde passa, deixa tufos de lã enredados nos espinhais na charneca.
  • 3. Carl Gustav Jung, fundador da psicologia analítica, sonhou, em 1909, que se encontrava em uma casa estranha, mas que, de certa forma, lhe pertencia. Ela estava dividida em três andares: no andar superior havia móveis modernos, no andar térreo, mobília medieval, e o porão estava cheio de antiguidades românicas. Havia também uma escada estreita de pedras que conduzia a uma caverna pré- histórica, que ele se viu tentado a explorar. Ao acordar, interpretou o próprio sonho: havia no inconsciente humano outros níveis mais primitivos, que ele devia explorar.
  • 4. Graças aos apontamentos de André Luiz, podemos desfrutar também das reflexões do Instrutor espiritual Calderaro, acerca dos vários níveis de consciência. A imagem de que ele se utiliza é a mesma de Jung, mas começa agora pelo primeiro andar. Diz ele que nosso cérebro (mente ou consciência) se divide em 3 andares, a saber: 1º andar: situa-se a residência de nossos IMPULSOS AUTOMÁTICOS, simbolizando o sumário vivo dos serviços realizados; 2° andar: localiza-se o domicilio das CONQUISTAS ATUAIS, onde se erguem e se consolidam as qualidades nobres que estamos edificando; 3º andar: temos: “ A CASA DAS NOÇÕES SUPERIORES”, indicando as eminências que nos cumpre atingir – O SELF – Processo de individuação. Num deles moram o hábito e o automatismo; no outro residem o esforço e a vontade; e no último demoram o ideal e a meta superior a ser alcançada”. CONCLUINDO: Distribuímos, deste modo, nos três andares, o subconsciente, o consciente e o Superconsciente. Como vemos, possuímos, nós mesmos, o passado, o presente e o futuro”.
  • 5. Para o eminente psicólogo russo Peter D. Ouspensky, livro: Em busca do Ser – o quarto caminho para uma nova consciência - existem dois grupos de seres humanos: o fisiológico e o psicológico. 1) Os indivíduos fisiológicos (do queixo para baixo) são aqueles que voltam sua percepção consciente apenas para a satisfação de suas necessidades básicas, ligadas às sensações e satisfação dos desejos corporais, como comer, dormir e copular. 2) Os indivíduos psicológicos (do queixo para cima) são aqueles que – além de comer, dormir e copular – estendem seus interesses a um nível mais alto, ao campo das emoções e dos sentimentos. - Globalmente, esses indivíduos dos dois grupos são classificados em quatro níveis de consciência:
  • 6. 1- Consciência de sono sem sonhos – indivíduos que só pensam em si e em seus interesses, recusando-se a aceitar o progresso e a evolução pessoal, alheios à realidade dos sentimentos e da realização espiritual. Os valores ainda dormem no homem. Tudo está em estado de latência. Não têm aspirações. Neles o Divino hiberna, à espera do despertar. São os homens fisiológicos. 2- Consciência desperta (ou lúcida) – indivíduos que estão em processo de despertamento para níveis menos egoístas de percepção da realidade e que buscam seu desenvolvimento pessoal e uma vida melhor. Os valores começam a acordar. O ideal já interessa, mas para ser explorado. Começam a surgir pensamentos mais bem coordenados, ações mais disciplinadas, sentimentos de contradição e de impossibilidade. O homem já distingue entre o Eu e o Não Eu. Pensa antes de agir, faz tudo o que fazem os fisiológicos, mas vai além, visando à vida, não vive só para isso. São os homens psicológicos. 3- Consciência de si – indivíduos que se percebem autoconscientes, que reconhecem a mente além do corpo físico, e que por isso fazem a si mesmos perguntas que se esforçam por responder (quem sou, de onde venho, que faço aqui, por que sofro, para onde vou), iniciando um processo de autoconhecimento. Nesse nível o homem começa a ter consciência de que não é somente a máquina (o corpo), mas uma psique ou inteligência superior que pode controlar a máquina. O ser usa a razão em benefício da vida. Ele anela pelo ideal e busca o êxtase. É quando projeta vida no que faz, à semelhança dos grandes artistas e santos. Já desfruta da intuição. 4- Consciência objetiva (ou cósmica) – indivíduos em que o egocentrismo já está superado, que se veem claramente na sua totalidade e se tornam parte de um todo pelo qual se sentem responsáveis. Neste nível eles vivem a plenitude do ideal. A verdade é real e não mais relativa. A consciência cósmica é profunda e extrafísica. São os seres que pairam acima do gênero humano e o impulsionam e dirigem. Deixam de pensar em si para pensar na humanidade. Atingem o estado místico superior. Cerca de 80% dos seres humanos compõem o primeiro nível, e uma quantidade infinitesimal compõe o último.
  • 7. Dos vários andares da casa, o homem, normalmente, em seu estágio atual, ocupa apenas os dois primeiros. Do primeiro nível de sono profundo, ele passa ao segundo, com lampejos de despertamento, ou sono desperto. Aqui ele ainda se encontra semiadormecido, mas pensa que está acordado. E para que desperte é preciso conscientizá-lo de que está dormindo; sem isso, ele não fará o esforço necessário para acordar. E os andares seguintes, de nível superior, são ocupados por uma porcentagem mínima da humanidade, mas que pode ser detectada pela obra que cada um de seus componentes realiza, visto que os frutos é que dão notícia da proficiência da árvore. A maioria esmagadora do gênero humano ainda está dormindo o sono da inconsciência. Queda-se, em seu estupor de criatura sonolenta ou ensonada, à espera de que uma alma superior, anônima e caridosa, lhe dirija um aceno de mão, uma palavra amiga ou um livro iluminativo que a possa arrancar dessa insensibilidade existencial profunda, que ela desconhece e, se conhecesse, não conseguiria imaginar o É É preciso abrir sua mente, com sutileza e doçura, para essa verdade, pois se ela permanecer na ilusão de que está acordada, não promoverá as ações necessárias para elevar-se aos níveis superiores. Mas, para que o homem se torne instrumento desse divino despertar alheio, é-lhe necessário, antes, implementar o seu próprio despertamento espiritual, como ensina São Paulo: “Desperta, ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos e o Cristo te iluminará.” (Efésios, 5:14.)
  • 9. NOSSA CASA ESTA EM CHAMAS – Peter Ouspensky – Filósofo Russo “Quando percebemos que enganamos a nós mesmos, que estamos dormindo e que nossa casa esta em chamas, sempre permanentemente em chamas, e que é apenas por acaso que o fogo não atingiu nosso quarto, quando percebemos isso, vamos querer fazer tudo para acordar e não vamos esperar nenhuma recompensa especial. A frase acima, refere-se principalmente aos pensamentos negativos e ao nosso eterno estado de sonolência e inércia diante deles.
  • 10. Segundo o Filosofo Peter referente o texto anterior – “Nossa Casa esta em chamas” , os pensamentos negativos, têm um efeito devastador em nossa casa mental. Através deles definhamos, ficamos deprimidos, tomamos atitudes insensatas e podemos adoecer. Vivemos um estado de sonolência guiados pelo hábito. Não tomamos atitude alguma diante do incêndio que nos cerca; entregando-nos passivamente a emoções conturbadas: o desespero, a raiva e, ao ressentimento que obscurecem a nossa CONSCIENCIA como uma fumaça negra. Assim, muitas vezes acabamos permanecendo neste estado devido ao puro e simples hábito, que seria no nosso estado de SONOLÊNCIA. Então ACORDAR é a primeira coisa que devemos fazer, evitando-se que o incêndio não nos destrua. Há sempre dois caminhos a percorrer nesta situação: fugir ou tentar apagar o fogo. Somente a partir deste momento, quando acordamos por breves instantes (e antes que pensamentos habituais retornem), é que podemos traçar uma rota de fuga ou tomar alguma atitude. Os caminhos escolhidos não devem visar recompensa alguma a não ser a mente lucida e saudável. Qualquer outro objetivo além desse, pode significar que voltamos a dormir entre chamas.
  • 11. É A CONSCIÊNCIA QUE TRAZ O OCULTO PARA A LUZ. Podemos estar conscientes, por exemplo, de ocorrências em outra parte da casa que não estão sendo vistas pelos nossos olhos físicos ou, podemos também, nos tornar conscientes, do que esta por trás de um comportamento padrão ou hábito. Para que possamos nos tornar plenamente conscientes, portanto, precisamos ficar mais sensíveis à vida, aprendendo a trabalhar com os sentimentos, a enxergar de olhos fechados. Os PENSAMENTOS que percorrem nossa mente não somos nós. Somos àqueles que estão conscientes desses pensamentos, é quem se move da consciência para um estado de autoconsciência. Onde quer que percebamos desarmonia, devemos realizar o exercício da AUTO OBSERVAÇÃO, procurando substitui-los uma energia nova, em vez de reproduzir o passado, de toma-lo como referência absoluta. Para sintonizar as frequências mais elevadas da consciência, temos de nos mover para além do pensamento polarizado da nossa mente. Logo, é da máxima importância que todo processo mental seja disciplinado e checado de forma diária.
  • 12. PENSAMENTO X CONSCIÊNCIA Cada pensamento é como uma semente, no momento em que você pensa, você planta essa semente. Ela irá crescer, tornar-se uma arvore que, por sua vez, produzira frutos, criando milhares de novas sementes – isso ocorre com os pensamentos positivos e negativos.. Perceba que, ao pensar de maneira negativa, você CRIA A ESCURIDÃO, com a qual você mesmo terá que lidar. Precisamos ir além do pensamento dual, o que significa parar de pensar em termos de bom ou mau, certo ou errado, perfeito ou imperfeito, verdadeiro ou falso. Precisamos parar de preferir uma coisa em detrimento de outra e simplesmente fazer o que é apropriado para cada momento.
  • 13. A AÇÃO DESPERTA é o aspecto exterior do estágio seguinte da evolução da consciência no nosso planeta. Quanto mais nos aproximamos do fim do nosso atual estágio evolucionário, maior a disfunção do EGO – é uma disfunção semelhante a que ocorre com a lagarta antes de se tornar borboleta. A nova consciência contudo, esta surgindo ao mesmo tempo que, a antiga se dissolve. AÇÃO DESPERTA é o alinhamento do nosso propósito exterior: o que fazemos – com nosso proposito interior – despertarmos e nos mantermos despertos. Por meio dela entramos em estado de unificação com o proposito que sai do Universo. Através de nós a consciência flui para o mundo. Ela se derrama sobre nossos pensamentos e os inspira. Inunda todas nossas realização, as orienta e fortalece. O que determina se estamos cumprindo nosso destino não É O QUE FAZEMOS, e sim COMO FAZEMOS. E essa maneira de realizar as coisas é estabelecida pelo nosso estado de CONSCIENCIA. RESUMINDO, em qualquer situação e em tudo o que fazemos, nosso estado de consciência é o fator primário, enquanto a situação e o que executamos é secundário. O SUCESSO futuro é dependente e inseparável da consciência da qual emanam as ações. Tanto pode ser força reativa do ego quanto a atenção alerta da consciência desperta. Toda ação bem sucedida se origina desse campo de atenção alerta, e não do ego e do pensamento inconsciente, condicionado. O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA
  • 14. AS TRES MODALIDADES DE AÇÃO DESPERTA. A consciência pode fluir para o que fazemos de 3 maneiras e, assim por nosso intermédio penetrar no mundo. Elas permitem alinhar nossa vida com o poder criativo do universo. MODALIDADE corresponde a frequência energética subjacente que que chega às nossas ações e as conecta à consciência desperta que esta surgindo no mundo. Elas são: ACEITAÇÃO, PRAZER e ENTUSIASMO. A) ACEITAÇÃO: “Por enquanto, o que esta situação, neste momento requer de mim é isto, então eu o faço de boa vontade”. Por exemplo, não iremos gostar de trocar um pneu a noite num local deserto e em plena chuva e, muito menos ficaremos entusiasmados com essa ideia. No entanto, podemos nos resignar aceitando o fato. Quando praticamos uma ação no ESTADO DE ACEITAÇÃO, ficamos em paz enquanto a realizamos. Essa paz é uma vibração energética sutil – A CONSCIENCIA e, uma de suas maneiras de se revelar é através da ação abnegada, que é um aspecto da aceitação.
  • 15. AS TRES MODALIDADES DE AÇÃO DESPERTA. B) O PRAZER – A alegria é o aspecto dinâmico do SER. Sempre que o poder criativo do universo esta consciente de si mesmo, ele se manifesta como prazer. Não precisamos esperar que aconteça algo significativo para que possamos nos alegrar com o que realizamos. A síndrome do esperar para começar a viver é um dos erros mais comuns do estado inconsciente. A expansão e a mudança positiva no nível exterior tem muito mais probabilidade de ocorrer em nossa vida se formos capazes de sentir prazer no que já estamos empreendendo, em vez de esperarmos por uma mudança para então gostarmos do que fazemos. Qual a relação entre algo que estamos fazendo e o prazer? Sentimos prazer em qualquer atividade em que estejamos plenamente presentes, com toda a ação que não seja apenas um meio para alcançarmos um fim. Isto significa que , quanto temos prazer em fazer algo, estamos de fato sentindo a alegria do ser no seu aspecto dinâmico. É por isso que tudo o que nos da prazer nos coloca em contato com o poder que esta por trás de toda criação. Vamos experimentar uma técnica espiritual que irá proporcionar mais poder e expansão criativa a sua vida. (Exercício anexo)
  • 16. AS TRES MODALIDADES DE AÇÃO DESPERTA. C) O ENTUSIASMO – Grande escritor Ralf Waldo Emerson disse: “Nada grandioso jamais foi alcançado sem o entusiasmo”. A palavra entusiasmo vem do grego antigo – “em e theos”, que significa EM DEUS. O termo correlato significa corresponde a “estar possuído por um Deus”. Enquanto o desejo do EGO sempre tenta tirar de alguma coisa ou de alguém, o entusiasmo contribui com sua própria abundancia. Quando encontra obstáculos na forma de situações adversas ou de pessoas que não cooperam, ele nunca os ataca. Ao contrario, ou os contorna, ou cede, ou os aceita, convertendo a energia oposta numa energia útil, o inimigo num amigo. O ego e o entusiasmo não podem coexistir. Um implica na ausência do outro. O entusiasmo sabe para onde esta indo, embora, ao mesmo tempo, esteja alinhado com o momento presente, a fonte de sua vitalidade, do seu prazer e do seu poder. Por intermédio do entusiasmo entramos em completo alinhamento com o principio criativo que emana do universo, sem, contudo, nos identificarmos com suas criações, isto é, com o EGO.
  • 17. O MITO DA CAVERNA  METÁFORA CRIADA POR PLATÃO. A história é uma tentativa de explicar a condição de ignorância em que vivem os seres humanos, aprisionados pelos sentidos e os preconceitos que impedem o conhecimento da verdade. A VIDA DENTRO DA CAVERNA, representa o mundo sensível, aquele experimentado a partir dos sentidos, onde reside a falsa percepção da realidade. Enquanto a SAIDA da caverna representa a BUSCA DA VERDADE, o chamado mundo inteligível (consciente), alcançado apenas pela razão.
  • 18. PLATÃO descreve que alguns homens, desde a infância, geração após geração, se encontram aprisionados em uma caverna. Nesse lugar, não conseguem se mover em virtude das correntes que os mantem imobilizados. Virados de costas para a entrada da caverna, veem apenas o seu fundo. Atrás deles há uma parede pequena, onde uma fogueira permanece acesa. Por ali passam homens transportando coisas, mas como a parede oculta o corpo dos homens, tudo o que eles conseguem ver são as sombras destes objetos. Essas sombras projetadas no fundo da caverna, são compreendidas pelos prisioneiros como sendo tudo o que existe no mundo.
  • 19. Certo dia, um dos prisioneiros consegue se libertar das correntes que o aprisionava. Com muita dificuldade, ele busca a saída da caverna. No entanto, a luz da fogueira, bem como a do exterior da caverna, agridem os seus olhos, já que ele nunca tinha visto a luz. O ex-prisioneiro pensa em desistir e retornar ao conforto da prisão a qual estava acostumado, mas gradualmente consegue observar e admirar o mundo exterior da caverna. Entretanto, tomado de compaixão pelos companheiros de aprisionamento, ele decide enfrentar o caminho de volta à caverna com o objetivo de libertar os outros e mostrar- lhes a verdade.
  • 20. INTERPRETAÇÃO DA ALEGORIA DA CAVERNA Na alegoria da caverna, Platão faz uma critica sobre a importância da busca pelo conhecimento e o abandono da posição cômoda gerada pelas aparências e pelos costumes (AS PERSONAS). Nessa interpretação, as correntes representam o senso comum e a opinião ( os preconceitos) que aprisionam os indivíduos e os impede de buscar o conhecimento verdadeiro, fazendo com que permaneçam em um MUNDO DE SOMBRAS. As sombras representam as aparências, tudo aquilo que é FALSO ou que são meras imitações daquilo que é, de fato, real. É um mundo das aparências na qual as pessoas estão acostumadas a viver. Assim tal como o prisioneiro, as pessoas devem confrontar os hábitos do cotidiano e libertar-se das correntes em vista da verdade. A saída da caverna representa a difícil missão daquele que rompe com os preconceitos em busca do conhecimento. A LUZ representa o conhecimento , que pode ofuscar quem não esta habituado, o SOL é a verdade, que ilumina tudo aquilo que existe, que da origem ao conhecimento. Platão faz referencia ao papel da Filosofia: “O Filosofo é aquele que consegue sair da caverna, mas por odiar a ignorância, sente compaixão e se vê obrigado a tentar libertar os outros, compreendido como seus companheiros.
  • 21. MITO DA CAVERNA NO SÉCULO XXI AS SOMBRAS QUE ESTAMOS EXPOSTOS DIARIAMENTE, REPRESENTAM MILHARES DE IMAGENS E SONS QUE NOS BOMBARDEIAM, LEVANDO-NOS A VIVER UMA VIDA, CADA VEZ MAIS DISTANTE DAQUILO QUE FATO SOMOS, VIVENDO UMA VIDA DE APARÊNCIAS.
  • 22. QUAIS OS BENEFÍCIOS DE NOS TORNARMOS PESSOAS MAIS CONSCIENTES?
  • 23. Perfeitamente identificado com os elevados objetivos da existência terrestre, Allan Kardec questionou os Espírito Benfeitores: “Qual o meio mais pratico e eficaz que tem o homem de se melhorar nesta vida e resistir a atração do mal? Resposta: Um sábio da antiguidade vo-lo disse: CONHECE-TE A TI MESMO ! Santo Agostinho explicitou: O conhecimento de si mesmo é a chave do progresso individual. Mas direis, como há de alguém julgar-se a si mesmo? Não esta ai a ilusão do amor próprio para atenuar as faltas e torna-las desculpáveis? O avarento se considera apenas econômico e previdente, o orgulhoso julga que em si só há dignidade. Isto é muito real, mas tendes um meio de verificação que não pode iludir-vos. DÊ BALANÇO NO SE DIA MORAL! Se puder dizer que seu dia foi bom, poderá dormir em paz e aguardar sem receio o despertar na outra vida. Na analise diária e continua dos atos, o auto amor, a oração e meditação, serão decisivos para a avaliação. QUEM ORA, FALA; QUEM MEDITA OUVE, DISPONDO DOS RECURSOS PARA EXTERIORIZAR-SE E INTERIORIZAR-SE.
  • 24. É por meio desse processo que conseguimos enxergar a nós mesmos, a nos educar, aceitar a nós próprios e a aprender coisas novas. O AUTOCONHECIMENTO nos confere: - REAGIR de forma diferente a certas situações da nossa vida; - AMPLIAR NOSSA PERCEPÇÃO sobre com os fatos impactam nossos sentimentos e emoções; - DESCOBRIR NOSSO PROPÓSITO DE VIDA, seja profissional ou pessoal; - ADQUIRIR MAIOR AUTOCONFIANÇA, eliminando o medo de nossas vidas. - VER A VIDA SOB UMA NOVA ÓTICA, RESSIGNIFICANDO problemas. - BUSCAR A AUTOCONSCIENCIA para uma vida plena. - PRATICA DA ACEITAÇÃO e DESAPEGO, - RESPEITO PELAS DIFERENÇAS, - VALORIZAR AS PROPRIAS COMPETENCIAS E HABILIDADES, desenvolvendo o auto amor e a autoestima. Esta jornada para dentro nos possibilita irmos ao encontro de nossa VERDADEIRA ESSÊNCIA, onde libertos de máscaras e subterfúgios , podemos ser de fato quem somos. Isto traz resultados positivos para o nosso dia a dia, para a forma com que lidamos com nossos problemas e até mesmo para as pessoas que vivem ao nosso redor.
  • 25. LEON DENIS no inicio do século XX ( 1846 – 1927), escreveu em seu livro: “O problema do Ser, do Destino e da Dor” – Capítulo IX: “NA PLANTA - A INTELIGENCIA DORMITA, NO ANIMAL - SONHA NO HOMEM - ACORDA, CONHECE-SE, POSSUI-SE, tornando-se CONSCIENTE”. Nesse mesmo sentido, Emmanuel, pelo médium Chico Xavier, no livro “O Consolador”, assim se expressou: “A escala do progresso é sublime e infinita... - O Mineral é atração, - O vegetal é sensação. - O animal é instinto e Homem é razão”.
  • 26. O SER CONSCIENTE deve trabalhar-se sempre, partindo do ponto inicial da sua realidade psicológica, aceitando-se como é e aprimorando-se sem cessar. Somente consegue essa lucidez aquele quem se AUTOANALISE, disposto a encontrar-se sem máscara, sem deterioração. Para isso não se julga, nem se justifica, não se acusa nem se culpa. APENAS DESCOBRE-SE! A identificação segue o trabalho de transformação interior para melhor, utilizando-se dos instrumentos do auto amor, da autoestima, da oração que estimula a capacidade de discernimento, da relaxação que libera das tensões, da mediação que faculta o crescimento interior. - O AUTOAMOR ensina-o a encontrar-se e desvela potenciais de força intima nele jacentes, - A AUTOESTIMA leva-o fraternidade, ao convívio saudável .. - A ORAÇÃO amplia-lhe a faculdade de discernimento da existência. - A RELAXAÇÃO proporciona-lhe harmonia e novos horizontes. - A MEDITAÇÃO ajuda-o a crescer de dentro para fora, realizando-se em amplitude e abrindo-lhe a percepção para os estados alterados de consciência. - O AUTOCONHECIMENTO se torna uma necessidade prioritária na programática existencial da criatura. Quem o posterga, não se realiza satisfatoriamente, porque permanece perdido em um espaço escuro, ignorado dentro de si mesmo.
  • 27. O SER CONSCIENTE é austero, mas sem carranca; É JOVIAL, porem, sem vulgaridade; É COMPLACENTE, no entanto sem conivência; É BONDOSO, todavia sem anuência com o erro. AJUDA E PROMOVE aquele que lhe recebe o socorro, seguindo adiante sem cobrar retribuição. - É RESPONSÁVEL, e não permite o vão repouso enquanto o dever o aguarda. Conhecendo suas possibilidade, coloca-as em ação sempre que necessário, aberto ao amor e ao BEM. - Só o amadurecimento psicológico, através das experiências vividas, libera a consciência do SER, e ao, consegui-lo, ei-lo feliz, indo em direção ao SELF na conquista do SI MESMO.
  • 28. PROPÓSITO DE VIDA INCONSCIÊNCIA - EGO SELF APRENDIZADOS VISUALIZE EM QUE NÍVEL DE CONSCIÊNCIA VOCÊ SE ENCONTRA !
  • 29. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA: - O SER CONSCIENTE – Divaldo Franco / Joana de Angelis. - O DESPERTAR DE UMA NOVA CONSCIENCIA – Eckart Tolle - CONSCIENCIA É A RESPOSTA - Robert Happé - ESPELHOS DA ALMA – Divaldo Franco/Joana de Angelis - O MITO DA CAVERNA – site Filosofia – Internet - EM BUSCA DO SER - GI GURDJIEFF – O 4° Caminho para uma Nova Consciência - PSICOLOGIA ANALITICA de Carl Gustav JUNG – Sonhos - NO MUNDO MAIOR – A CASA MENTAL – André Luiz - EM BUSCA DA ILUMINAÇÃO INTERIOR – Divaldo/Joana