SlideShare uma empresa Scribd logo
MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE  VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE DST, AIDS E HEPATITES VIRAIS  XIV ERONG SUL 28 a 30 de setembro de 2009
HIV/Aids no Brasil De 1980 a junho de 2008 Setembro de 2009
HIV Informações gerais Estimativa de infectados pelo HIV (2006)*:  630.000 Prevalência da infecção pelo HIV**:  0,61%  (pop. 15 a 49 anos) - fem.  0,42%   - masc.  0,82% FONTE: MS/SVS/D-DST/AIDS *  Sujeito a alterações. ** Estudo Sentinela Parturientes, 2006
Casos acumulados (até 06/2008):  506.499 2007* –  33.689 Taxa de incidência  (por 100.000 hab.) 2006 * –  19,0 2007 * –  17,8 Nº acumulado de óbitos  (1980-2007*):  205.409 2006  *  –  11.201  2007  *  –  11.060 Coeficiente de mortalidade (por 100.000 hab.) 2006  *  –  6,0 2007  *  –  5,8 Aids Informações gerais FONTE: MS/SVS/D-DST/AIDS População: MS/SE/DATASUS, em <www.datasus.gov.br/informações em saúde> acessado em 11/03/2009  *Casos notificados no SINAN e registrados no SISCEL/SICLOM até 30/06/2008 e no SIM de 2000 a 2007.  *Dados preliminares para os últimos 5 anos
Municípios com pelo menos um caso de aids Brasil, 1990 a 2007* 1990-1995 2001-2007 1996-2000 Fonte: MS/SVS/D-DST/AIDS e MS/SVS/DASIS/ Sistema de Informações sobre Mortalidade - SIM   Casos notificados no Sinan, registrados no Siscel até 30/06/2008 e SIM de 2000 a 2005. *Dados preliminares para os últimos 5 anos 85% do total de municípios
Casos de aids (número e percentual) por região do país.  Brasil, 2008*. 18.155 3,6% 58.348 11,5% 305.725 60,3% 28.719 5,7% 95.552 18,9% Brasil 506.499 Fonte: MS/SVS/D-DST/AIDS *Casos notificados no SINAN e registrados no SISCEL/SICLOM até 30/06/2008 e no SIM de 2000 a 2007.  Dados preliminares para os últimos 5 anos
Razão de sexo (M:F) dos casos de aids, segundo ano de diagnóstico. Brasil, 1983 a 2008*  FONTE: MS/SVS/D-DST/AIDS *Casos notificados no SINAN, registrados no SISCEL/SICLOM até 30/06/2008 e SIM de 2000 a 2007. Dados preliminares para os últimos 5 anos.
Razão de sexo (M:F) dos casos de aids em indivíduos de  13 a 19   anos , segundo ano de diagnóstico. Brasil, 1984 a 2007* FONTE: MS/SVS/D-DST/AIDS *Casos notificados no SINAN, registrados no SISCEL/SICLOM até 30/06/2008 e SIM de 2000 a 2007. Dados preliminares para os últimos 5 anos.
HIV/Aids no Brasil Em resumo Epidemia concentrada; Estabilização da taxa de incidência de aids no Brasil (embora em patamares elevados) e nas regiões Sul e Centro-Oeste; Discreta redução da taxa de incidência da região Sudeste e tendência de crescimento nas regiões Norte e Nordeste;
Redução da proporção de casos na categoria de exposição UDI; Aumento da proporção de casos na categoria de exposição heterossexual; Estabilização da proporção de casos em homo/bissexual; Tendência de crescimento da taxa de incidência em homens e mulheres com 40 anos ou mais. HIV/Aids no Brasil Em resumo
Estabilização do coeficiente de mortalidade nos últimos 9 anos; Aumento da  sobrevida dos casos de aids em adultos e crianças. HIV/Aids no Brasil Em resumo
REGIÃO SUL FONTE: MS/SVS/D-DST/AIDS População: MS/SE/DATASUS, em <www.datasus.gov.br/informações em saúde> acessado em 11/03/2009 *Casos notificados no SINAN, registrados no SISCEL/SICLOM até 30/06/2008 e SIM de 2000 a 2007.  *Dados preliminares para os últimos 5 anos. Estados Primeiro caso de aids Nº de casos de aids em 2007* Razão de sexo (M:F) (2007*) Taxa de incidência de aids (por 100 mil hab) (2006*) PAM disponível no SIS/Incentivo Paraná 1984 24.406 1,4:1 16,8 2009 Santa Catarina 1984 24.097 1,5:1 31,3 2009 Rio Grande do Sul 1983 45.427 1,2:1 35,9 2009
Acesso a tratamento 94,8% cobertura de tratamento com ARV mulheres – 95,3% homens – 94,5% Dos que iniciaram  TARV entre 2003 a 2006  97,2% permanecem vivos após 12 meses de tratamento 91% permanecem vivos após 4 anos de tratamento
330.000* não assistidas Estimativa de 630.000 pessoas que vivem com HIV/Aids   300.000 em  acompanhamento 100.000  não  necessitam ARV 185.000 Em tratamento
A  Portaria Ministerial nº 2.313, de 19 de dezembro de 2002, instituiu o Incentivo às Ações no Âmbito do Programa de HIV/Aids e outras DST, definindo valores e critérios de habilitação/qualificação das SES/SMS: Magnitude da epidemia (velocidade de crescimento da epidemia e da incidência acumulada) Participação nos Acordos Aids I e II das 27 SES e 150 SMS: média dos valores pagos pelos convênios; Resoluções das Comissões Intergestores Bipartite . A Portaria Ministerial 2.314, de 19 de dembro de 2002, instituiu o PAM e as orientações para a sua formulação. Política de Incentivo - Histórico
Reformulações (Portarias) : nº 1.071/03: fórmula infantil nº 2.129/03: ampliação de recursos (R$ 50 mil p/ R$ 75 mil) nº 1.679/04: sistema de monitoramento  nº 1.680/04: repasse quadrimestral p/ >R$ 200mil  nº 1.824/04: casa de apoio nº 2.190/04: incluiu no F/F transferência para casa de apoio nº 2.802/08: Ampliação dos valores para aquisição da fórmula infantil Política de Incentivo -  Histórico
Secretarias 1994-1998 1999-2002 Incentivo 2009 Estados 27 27 27 Municípios 43 150 454 Total 70 177 481 Número de Secretarias de Saúde, por período Política de Incentivo - Histórico Recursos repassados, por período, em R$ milhões Convenios 99-01 Incentivo  2003 129,5 68,4 Incentivo  2009 100
EM R$ MILHÕES   Política de Incentivo - Histórico Valores de repasse fundo a fundo – Incentivo, fórmula infantil e casas de apoio Incentivo 2009 INCENTIVO.................. R$ 111,3 milhões FÓRMULA INFANTIL.. R$  6,2 milhões CASA DE APOIO........  R$  12,0 milhões TOTAL   R$ 129,5milhões 100 111,3   VALOR INICIAL   1º REFORMULAÇÃO 126,1 129,5     2º REFORMULAÇÃO     3º REFORMULAÇÃO
Incentivo 2009 INCENTIVO..................... R$ 111,3 milhões FÓRMULA INFANTIL... R$  6,2 milhões CASA DE APOIO.............  R$  12,0 milhões TOTAL   R$ 129,5 milhões
Situação do Incentivo 2009 Execução financeira REGIÃO SUL VALOR DO PAM  VALOR REPASSADO(*) SALDO  EQUIVALENTE A MESES DE REPASSE % DE EXECUÇÃO PR 6.245.899,87 35.480.877,44 8.936.815,81 17 74,81 SC 5.225.981,82 30.661.803,09 4.295,658,92 10 85,99 RS 8.484.904,56 48.831.242,61 14.229.328,09 20 70.86 TOTAL 19.956.786,25 114.973.923,14 27.461.802,82 17 76,11 Atualização realizada em 04/06/2009- valores ate maio 2009 - Fonte: SisIncentivo e FNS (*) valor acumulado desde 2003
Percentual de alcance de metas das metas monitoradas - 2008 PAM   - geral por Estado Situação do Incentivo – Região Sul Fonte- SIS-Incentivo - junho 2009 A alimentação  é realizada pelas próprias secretarias de saúde Situação de implementação do PAM Região Sul 35.480.877,44 48.831.242,61 30.661.803,09 8.936.815,81 14.229.328,09 4.295.658,92 0,00 10.000.000,00 20.000.000,00 30.000.000,00 40.000.000,00 50.000.000,00 60.000.000,00 Estados/Municípios - Mês/Ano de Pagamento da 1ª Parcela - %  Execução (R$) Saldo em conta em junho/2009 Total de recursos repassados até competência abril/2009 Fonte: Sis Incentivo SC RS PR
Percentual de alcance de metas das metas monitoradas - 2008 PAM  das SES   Fonte- SIS-Incentivo - janeiro 2009 A alimentação  é realizada pelas próprias secretarias de saúde Situação do Incentivo – Região Sul
Percentual de alcance de metas das metas monitoradas - 2008 PAM  das SMS   - capitais Fonte- SIS-Incentivo - janeiro 2009 A alimentação  é realizada pelas próprias secretarias de saúde Situação do Incentivo – Região Sul
Situação do Incentivo – SES PARANÁ Valor de Referência - Incentivo    PAM 2009 Áreas de Atuação   Recursos Financeiros a serem aplicados  PAM Atual  Saldo do PAM anterior  TOTAL Incentivo  Próprios  Recebido Aplicação Financeira  Próprios GERAL  %  Promoção, Prevenção e Proteção  660.412,87  300.000,00  0,00  0,00  0,00  960.412,87  21,29  Diagnóstico, Tratamento e Assistência  290.412,87  700.000,00  0,00  0,00  0,00  990.412,87  21,96  Gestão e Desenvolvimento Humano e Institucional  447.797,42  0,00  160.000,00  260.000,00  0,00  867.797,42  19,24  Parcerias com OSC  563.980,40  0,00  1.127.960,80  0,00  0,00  1.691.941,20  37,51  Total Geral  1.962.603,56  1.000.000,00  1.287.960,80  260.000,00  0,00  4.510.564,36  100
Municípios com PAM. PARANÁ 31 municípios Almirante Tamandaré Apucarana Arapongas Araucária Cambé Campo Mourão Cascavel Castro Colombo Cornélio Procópio Curitiba Foz do Iguaçu Francisco Beltrão Guarapuava Irati Londrina Maringá Paranaguá Paranavaí Pato branco Pinhais Piraquara Ponta Grossa São José dos Pinhais Sarandi Tlêmaco Borba Toledo Umuarama Uni]ao da Vitória
Situação do Incentivo –  SES SANTA CATARINA Valor de Referência - Incentivo    PAM 2009 Áreas de Atuação   Recursos Financeiros a serem aplicados  PAM Atual  Saldo do PAM anterior  TOTAL Incentivo  Próprios  Recebido Aplicação Financeira  Próprios GERAL  %  Promoção, Prevenção e Proteção  307.427,82  120.000,00  523.365,05  126.038,35  0,00  1.076.831,22  29,33  Diagnóstico, Tratamento e Assistência  20.000,00  350.000,00  0,00  0,00  0,00  370.000,00  10,08  Gestão e Desenvolvimento Humano e Institucional  686.002,22  1.050.000,00  0,00  0,00  0,00  1.736.002,22  47,28  Parcerias com OSC  488.863,92  0,00  0,00  0,00  0,00  488.863,92  13,31  Total Geral  1.502.293,96  1.520.000,00  523.365,05  126.038,35  0,00  3.671.697,36  100
Municípios com PAM. SANTA CATARINA 33 municípios Araranguá Balneário Camboriú Biguaçu Blumenau Brusque Caçador Camboriú Chapecó Concórdia Criciúma Florianópolis Gaspar Içara Imbituba Indaial Itajaí Itapema Jaraguá do Sul Joaçaba Joinville Lages Laguna Navegantes Palhoça Rio do Sul São Bento do Sul São Francisco do Sul São José São Miguel do Oeste Tijucas Tubarão Videira Xanxerê
Situação do Incentivo –  SES RIO GRANDE DO SUL Valor de Referência - Incentivo    PAM 2009 Áreas de Atuação   Recursos Financeiros a serem aplicados  PAM Atual  Saldo do PAM anterior  TOTAL Incentivo  Próprios  Recebido Aplicação Financeira  Próprios GERAL  %  Promoção, Prevenção e Proteção  500.000,00  800.000,00  0,00  394.623,48  0,00  1.694.623,48  12,67  Diagnóstico, Tratamento e Assistência  1.256.441,20  3.200.000,00  748.147,41  50.000,00  0,00  5.254.588,61  39,28  Gestão e Desenvolvimento Humano e Institucional  715.831,12  150.000,00  850.000,00  712.000,00  0,00  2.427.831,12  18,15  Parcerias com OSC  811.665,67  0,00  3.190.000,18  0,00  0,00  4.001.665,85  29,91  Total Geral  3.283.937,99  4.150.000,00  4.788.147,59  1.156.623,48  0,00  13.378.709,06  100
Municípios com PAM. RIO GRANDE DO SUL 39 municípios Alegrete Alvorada Bagé Bento Gonçalves Cachoeira do Sul Cachoeirinha Campo Bom Canoas Carazinho Caxias do Sul Charqueadas Cruz Alta Erechim Estrela Gravataí Guaíba Ijuí Itaqui Jajeado Novo Hamburgo Passo Fundo Pelotas Porto Alegre Rio Grande Santana do Livramento Santa Cruz do Sul Santa Maria Santiago Santo Ângelo São Borja São Gabriel São Leopoldo Sapucaia do Sul Taquara Torres Tramandaí Uruguaiana Vacaria Viamão
POLÍTICA DE INCENTIVO   http://www.aids.gov.br/incentivo Transferência automática Fundo a Fundo na forma de incentivo
 
POLÍTICA DE FINANCIAMENTO  DAS AÇÕES EM HIV/AIDS E OUTRAS DST http://www.pam.aids.gov.br/pam
 
 
Projetos em Parceria com OSC. REGIÃO SUL 2009 Fonte SIMOP Estados Ações de visibilidade – dia do orgulho LGBT Eventos  Assessoria Jurídica PR 01 - Curitiba 02 - Curitiba 02 – Curitiba 01- Umuarama SC 01 – Balneário Camboriú 01 - Lages 01 - Imbituba RS 01 – Porto Alegre 01 - Alvorada 02- Porto Alegre 01 – Novo Hamburgo 03 – Porto Alegre 01 – Novo Hamburgo 01- Pelotas TOTAL 04 06 09 VALOR TOTAL R$ 834.881,96 R$ 1.404.533,64 R$ 1.311.218,03
CASAS DE APOIO PARANÁ ONG Município tipo acomodações PROJETO RENASCER Apucarana I 14 LAR BOM BOSCO – COMUNIDADE TERAPÊUTICA Campo Mourão 1 04 COMUNIDADE TERAPÊUTICA REDENÇÃO Campo Mourão I 08 CENTRO SOCIAL LAR ESPERANÇA Cascavel I 10 PRECAVVIDA – Centro de Prevenção e Recuperação o Caminho a Verdade a Vida Curitiba I 12 HUMANAR Curitiba I 07 ASSOCIAÇÃO SOLIDÁRIOS PELA VIDA - SOVIDA Curitiba II 28 RECANTO AMIGO CASA DE APOIO Londirna II 52 GRUPO UNIÃO PELA VIDA Umuarama I 09
CASAS DE APOIO SANTA CATARINA ONG Município tipo acomodações ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE ÀGAPE – ABAC Concórdia I 01 LAR RECANTO DA ESPERANÇA Florianópolis I 26 GAPA – LAR RECANTO DO CARINHO Florianópolis I 40 CENTRO DE RECUPERAÇÃO E REABILITAÇÃO RESGATE DOMINANTE Itajaí I 10 CENTRO DE TRATAMENTO ALTERNATIVO PRÓ-VIDA Itajaí I 10 COMUNIDADE TERAPÊUTICA NOVO MUNDO - COTENOM São Francisco do Sul I 11
CASAS DE APOIO RIO GRANDE DO SUL ONG Município tipo acomodações CASA GERIÁTIRCA MARTINS  DOS  SANTOS Pelotas I 01 CASA LAR MÃOS UNIDAS Porto Alegre I 06 CASA DE APOIO VIVA MARIA Porto Alegre I 06
Obrigada. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Departamento de DST-Aids e Hepatites Virais www.aids.gov.br Unidade de Articulação com Sociedade Civil e Direitos Humanos - SCDH [email_address]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Desafios para o SUS no contexto do capitalismo contemporâneo e sua crise
Desafios para o SUS no contexto do capitalismo contemporâneo e sua criseDesafios para o SUS no contexto do capitalismo contemporâneo e sua crise
Desafios para o SUS no contexto do capitalismo contemporâneo e sua crise
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
O SUS LEGAL
O SUS LEGALO SUS LEGAL
DRS VI Bauru - Governo do Estado de São Paulo - Secretaria do Estado da Saúde
DRS VI Bauru - Governo do Estado de São Paulo - Secretaria do Estado da SaúdeDRS VI Bauru - Governo do Estado de São Paulo - Secretaria do Estado da Saúde
DRS VI Bauru - Governo do Estado de São Paulo - Secretaria do Estado da Saúde
Pedro Tobias
 
A evolução da Atenção Primária no Nordeste
A evolução da Atenção Primária no NordesteA evolução da Atenção Primária no Nordeste
A evolução da Atenção Primária no Nordeste
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Erno Harzheim
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Erno Harzheim O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Erno Harzheim
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Erno Harzheim
Fundação Fernando Henrique Cardoso
 
9ª Assembleia – e-SUS AB: Saber online como é investido cada real do SUS na ...
9ª Assembleia – e-SUS AB: Saber online como é investido cada real  do SUS na ...9ª Assembleia – e-SUS AB: Saber online como é investido cada real  do SUS na ...
9ª Assembleia – e-SUS AB: Saber online como é investido cada real do SUS na ...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
O Bolsa Família e a Economia
O Bolsa Família e a EconomiaO Bolsa Família e a Economia
O Bolsa Família e a Economia
Palácio do Planalto
 
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Financiamento do SUS (Vi...
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Financiamento do SUS (Vi...CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Financiamento do SUS (Vi...
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Financiamento do SUS (Vi...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
O SUS LEGAL
O SUS LEGALO SUS LEGAL
Relatório Anual da Saúde 2013
Relatório Anual da Saúde 2013Relatório Anual da Saúde 2013
Relatório Anual da Saúde 2013
Governo de Santa Catarina
 
Diagnóstico de saúde do município de medeiros neto
Diagnóstico de saúde do município de medeiros netoDiagnóstico de saúde do município de medeiros neto
Diagnóstico de saúde do município de medeiros neto
Vilsione Serra
 
Experiências NE – ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE SAÚDE EM PERNAMBUCO
Experiências NE – ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE SAÚDE  EM PERNAMBUCOExperiências NE – ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE SAÚDE  EM PERNAMBUCO
Experiências NE – ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE SAÚDE EM PERNAMBUCO
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Mais e melhores hospitais e unidades de saúde - Mais Médicos
Mais e melhores hospitais e unidades de saúde - Mais MédicosMais e melhores hospitais e unidades de saúde - Mais Médicos
Mais e melhores hospitais e unidades de saúde - Mais Médicos
Ministério da Saúde
 
Formação em Saúde Pública - BA
Formação em Saúde Pública - BAFormação em Saúde Pública - BA
Formação em Saúde Pública - BA
REDESCOLA
 
Financiamento do SUS
Financiamento do SUSFinanciamento do SUS
Financiamento do SUS
Eno Filho
 
De que forma o legislativo pode ajudar? - Dep. Carmen Zanotto
De que forma o legislativo pode ajudar? - Dep. Carmen ZanottoDe que forma o legislativo pode ajudar? - Dep. Carmen Zanotto
De que forma o legislativo pode ajudar? - Dep. Carmen Zanotto
Oncoguia
 
Experiências NE – SUS Legal
Experiências NE – SUS Legal Experiências NE – SUS Legal
Lei de responsabilidade fiscal e prioridades em políticas públicas - Jozélia ...
Lei de responsabilidade fiscal e prioridades em políticas públicas - Jozélia ...Lei de responsabilidade fiscal e prioridades em políticas públicas - Jozélia ...
Lei de responsabilidade fiscal e prioridades em políticas públicas - Jozélia ...
Editora Fórum
 

Mais procurados (19)

Desafios para o SUS no contexto do capitalismo contemporâneo e sua crise
Desafios para o SUS no contexto do capitalismo contemporâneo e sua criseDesafios para o SUS no contexto do capitalismo contemporâneo e sua crise
Desafios para o SUS no contexto do capitalismo contemporâneo e sua crise
 
O SUS LEGAL
O SUS LEGALO SUS LEGAL
O SUS LEGAL
 
DRS VI Bauru - Governo do Estado de São Paulo - Secretaria do Estado da Saúde
DRS VI Bauru - Governo do Estado de São Paulo - Secretaria do Estado da SaúdeDRS VI Bauru - Governo do Estado de São Paulo - Secretaria do Estado da Saúde
DRS VI Bauru - Governo do Estado de São Paulo - Secretaria do Estado da Saúde
 
A evolução da Atenção Primária no Nordeste
A evolução da Atenção Primária no NordesteA evolução da Atenção Primária no Nordeste
A evolução da Atenção Primária no Nordeste
 
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Erno Harzheim
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Erno Harzheim O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Erno Harzheim
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Erno Harzheim
 
9ª Assembleia – e-SUS AB: Saber online como é investido cada real do SUS na ...
9ª Assembleia – e-SUS AB: Saber online como é investido cada real  do SUS na ...9ª Assembleia – e-SUS AB: Saber online como é investido cada real  do SUS na ...
9ª Assembleia – e-SUS AB: Saber online como é investido cada real do SUS na ...
 
O Bolsa Família e a Economia
O Bolsa Família e a EconomiaO Bolsa Família e a Economia
O Bolsa Família e a Economia
 
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
 
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Financiamento do SUS (Vi...
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Financiamento do SUS (Vi...CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Financiamento do SUS (Vi...
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Financiamento do SUS (Vi...
 
O SUS LEGAL
O SUS LEGALO SUS LEGAL
O SUS LEGAL
 
Relatório Anual da Saúde 2013
Relatório Anual da Saúde 2013Relatório Anual da Saúde 2013
Relatório Anual da Saúde 2013
 
Diagnóstico de saúde do município de medeiros neto
Diagnóstico de saúde do município de medeiros netoDiagnóstico de saúde do município de medeiros neto
Diagnóstico de saúde do município de medeiros neto
 
Experiências NE – ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE SAÚDE EM PERNAMBUCO
Experiências NE – ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE SAÚDE  EM PERNAMBUCOExperiências NE – ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE SAÚDE  EM PERNAMBUCO
Experiências NE – ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE SAÚDE EM PERNAMBUCO
 
Mais e melhores hospitais e unidades de saúde - Mais Médicos
Mais e melhores hospitais e unidades de saúde - Mais MédicosMais e melhores hospitais e unidades de saúde - Mais Médicos
Mais e melhores hospitais e unidades de saúde - Mais Médicos
 
Formação em Saúde Pública - BA
Formação em Saúde Pública - BAFormação em Saúde Pública - BA
Formação em Saúde Pública - BA
 
Financiamento do SUS
Financiamento do SUSFinanciamento do SUS
Financiamento do SUS
 
De que forma o legislativo pode ajudar? - Dep. Carmen Zanotto
De que forma o legislativo pode ajudar? - Dep. Carmen ZanottoDe que forma o legislativo pode ajudar? - Dep. Carmen Zanotto
De que forma o legislativo pode ajudar? - Dep. Carmen Zanotto
 
Experiências NE – SUS Legal
Experiências NE – SUS Legal Experiências NE – SUS Legal
Experiências NE – SUS Legal
 
Lei de responsabilidade fiscal e prioridades em políticas públicas - Jozélia ...
Lei de responsabilidade fiscal e prioridades em políticas públicas - Jozélia ...Lei de responsabilidade fiscal e prioridades em políticas públicas - Jozélia ...
Lei de responsabilidade fiscal e prioridades em políticas públicas - Jozélia ...
 

Destaque

Teorías sobre los ácidos
Teorías sobre los ácidosTeorías sobre los ácidos
Teorías sobre los ácidos
Adriana Escobar
 
Teoria de acido base
Teoria de acido baseTeoria de acido base
Teoria de acido base
Ernesto95Herrera
 
Acidos Y Bases
Acidos Y BasesAcidos Y Bases
Acidos Y Bases
Felipe Riveroll Aguirre
 
Acidos
AcidosAcidos
TEORIA DE LEWIS
TEORIA DE LEWISTEORIA DE LEWIS
TEORIA DE LEWIS
balderasgp
 
Cuestionario de ácidos y bases
Cuestionario de ácidos y basesCuestionario de ácidos y bases
Cuestionario de ácidos y bases
Alejandro Arias
 
Crucigrama quimica
Crucigrama quimicaCrucigrama quimica
Crucigrama quimica
LittleQuimicos
 
Titulaciones Acido-base
Titulaciones Acido-baseTitulaciones Acido-base
Titulaciones Acido-base
Michael Alex
 
Crucigrama de química
Crucigrama de químicaCrucigrama de química
Crucigrama de química
Varela-S
 
Soluciones quimicas
Soluciones quimicasSoluciones quimicas
Soluciones quimicas
Nolaa's School
 
Química: ácidos y bases
Química: ácidos y basesQuímica: ácidos y bases
Química: ácidos y bases
YON ALMARAZ
 
SOLUCIONES Y SUSTANCIAS PURAS
SOLUCIONES Y SUSTANCIAS PURASSOLUCIONES Y SUSTANCIAS PURAS
SOLUCIONES Y SUSTANCIAS PURAS
EMILY CARRERAS
 
Concentración de una solución
Concentración de una soluciónConcentración de una solución
Concentración de una solución
danielmrc
 
ppt ácido-base
ppt ácido-baseppt ácido-base
ppt ácido-base
Pascale Rivera Espinoza
 
áCidos y bases en la vida diaria
áCidos y bases en la vida diariaáCidos y bases en la vida diaria
áCidos y bases en la vida diaria
Samuel Moreno Aguirre
 
Acido y base
Acido y baseAcido y base
Acido y base
Dianella Perez Chacon
 
TEORIA DE ACIDOS Y BASES
TEORIA DE ACIDOS Y BASESTEORIA DE ACIDOS Y BASES
TEORIA DE ACIDOS Y BASES
marcoantonio0909
 
Acidos Y Bases
Acidos Y BasesAcidos Y Bases
Acidos Y Bases
guestec3091
 
Soluciones Químicas
Soluciones QuímicasSoluciones Químicas
Soluciones Químicas
Verónica Pérez Ramírez
 
Teor+¡as +ícido base
Teor+¡as +ícido baseTeor+¡as +ícido base
Teor+¡as +ícido base
Química Bellamy
 

Destaque (20)

Teorías sobre los ácidos
Teorías sobre los ácidosTeorías sobre los ácidos
Teorías sobre los ácidos
 
Teoria de acido base
Teoria de acido baseTeoria de acido base
Teoria de acido base
 
Acidos Y Bases
Acidos Y BasesAcidos Y Bases
Acidos Y Bases
 
Acidos
AcidosAcidos
Acidos
 
TEORIA DE LEWIS
TEORIA DE LEWISTEORIA DE LEWIS
TEORIA DE LEWIS
 
Cuestionario de ácidos y bases
Cuestionario de ácidos y basesCuestionario de ácidos y bases
Cuestionario de ácidos y bases
 
Crucigrama quimica
Crucigrama quimicaCrucigrama quimica
Crucigrama quimica
 
Titulaciones Acido-base
Titulaciones Acido-baseTitulaciones Acido-base
Titulaciones Acido-base
 
Crucigrama de química
Crucigrama de químicaCrucigrama de química
Crucigrama de química
 
Soluciones quimicas
Soluciones quimicasSoluciones quimicas
Soluciones quimicas
 
Química: ácidos y bases
Química: ácidos y basesQuímica: ácidos y bases
Química: ácidos y bases
 
SOLUCIONES Y SUSTANCIAS PURAS
SOLUCIONES Y SUSTANCIAS PURASSOLUCIONES Y SUSTANCIAS PURAS
SOLUCIONES Y SUSTANCIAS PURAS
 
Concentración de una solución
Concentración de una soluciónConcentración de una solución
Concentración de una solución
 
ppt ácido-base
ppt ácido-baseppt ácido-base
ppt ácido-base
 
áCidos y bases en la vida diaria
áCidos y bases en la vida diariaáCidos y bases en la vida diaria
áCidos y bases en la vida diaria
 
Acido y base
Acido y baseAcido y base
Acido y base
 
TEORIA DE ACIDOS Y BASES
TEORIA DE ACIDOS Y BASESTEORIA DE ACIDOS Y BASES
TEORIA DE ACIDOS Y BASES
 
Acidos Y Bases
Acidos Y BasesAcidos Y Bases
Acidos Y Bases
 
Soluciones Químicas
Soluciones QuímicasSoluciones Químicas
Soluciones Químicas
 
Teor+¡as +ícido base
Teor+¡as +ícido baseTeor+¡as +ícido base
Teor+¡as +ícido base
 

Semelhante a Dados EpidemiolóGicos

CNS_estruturacao_da_APS.pptjhvhhgggyuhgffdd
CNS_estruturacao_da_APS.pptjhvhhgggyuhgffddCNS_estruturacao_da_APS.pptjhvhhgggyuhgffdd
CNS_estruturacao_da_APS.pptjhvhhgggyuhgffdd
AngelicaCostaMeirele2
 
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Edson Correia Araujo
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias  - Edson Correia AraujoO Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias  - Edson Correia Araujo
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Edson Correia Araujo
Fundação Fernando Henrique Cardoso
 
Apresentacao renato follador macae
Apresentacao renato follador macaeApresentacao renato follador macae
Apresentacao renato follador macae
aepremerj
 
apresentacao_laudecy_alvespptx.pptx
apresentacao_laudecy_alvespptx.pptxapresentacao_laudecy_alvespptx.pptx
apresentacao_laudecy_alvespptx.pptx
GiovannaMoura24
 
Planejamento II plano municipal Santa Rosa
Planejamento II  plano municipal Santa RosaPlanejamento II  plano municipal Santa Rosa
Planejamento II plano municipal Santa Rosa
Bi_Oliveira
 
Geekonomics - Reflexoes healthcare
Geekonomics - Reflexoes healthcareGeekonomics - Reflexoes healthcare
Geekonomics - Reflexoes healthcare
Anderson Mattozinhos de Castro
 
“A Importância dos Sistemas Logísticos e de Apoio para a Gestão Municipal”.
“A Importância dos Sistemas Logísticos e de Apoio para a Gestão Municipal”.“A Importância dos Sistemas Logísticos e de Apoio para a Gestão Municipal”.
“A Importância dos Sistemas Logísticos e de Apoio para a Gestão Municipal”.
Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG)
 
Gestao por resultados_no_setor_saude
Gestao por resultados_no_setor_saudeGestao por resultados_no_setor_saude
Gestao por resultados_no_setor_saude
Luiz Fernando Arantes Paulo
 
Cobertura oncológica - Raquel Lisbôa
Cobertura oncológica - Raquel LisbôaCobertura oncológica - Raquel Lisbôa
Cobertura oncológica - Raquel Lisbôa
Oncoguia
 
Saude da familia
Saude da familiaSaude da familia
Saude da familia
karensuelen
 
Aula atenção básica geral, saúde da família e
Aula atenção básica geral, saúde da família eAula atenção básica geral, saúde da família e
Aula atenção básica geral, saúde da família e
Franzinha2
 
7ª ASSEMBLEIA – Desafios da Saúde – Governo de Goiás
7ª ASSEMBLEIA – Desafios da Saúde – Governo de Goiás7ª ASSEMBLEIA – Desafios da Saúde – Governo de Goiás
7ª ASSEMBLEIA – Desafios da Saúde – Governo de Goiás
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Ppa co f_inal (2)
Ppa co f_inal (2)Ppa co f_inal (2)
Ppa co f_inal (2)
ParticipaBR
 
SP Carinhosa - CEInfo
SP Carinhosa - CEInfoSP Carinhosa - CEInfo
Fórum de Debates sobre Políticas de Emprego, Trabalho e Renda e de Previdênci...
Fórum de Debates sobre Políticas de Emprego, Trabalho e Renda e de Previdênci...Fórum de Debates sobre Políticas de Emprego, Trabalho e Renda e de Previdênci...
Fórum de Debates sobre Políticas de Emprego, Trabalho e Renda e de Previdênci...
Palácio do Planalto
 
2. claudio contador acsp seguro 08 2010-crc
2. claudio contador acsp seguro 08 2010-crc2. claudio contador acsp seguro 08 2010-crc
2. claudio contador acsp seguro 08 2010-crc
Associação Comercial de São Paulo
 
Cenários e tendências - Dr. Mozart de Oliveira Júnior
Cenários e tendências - Dr. Mozart de Oliveira JúniorCenários e tendências - Dr. Mozart de Oliveira Júnior
Cenários e tendências - Dr. Mozart de Oliveira Júnior
ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva
 
oficina-saudebucal_09_marco_2018_fernanda_goedert.ppt
oficina-saudebucal_09_marco_2018_fernanda_goedert.pptoficina-saudebucal_09_marco_2018_fernanda_goedert.ppt
oficina-saudebucal_09_marco_2018_fernanda_goedert.ppt
sumaya Sobrenome
 
Dados sobre diabetes vigitel 2011
Dados sobre diabetes vigitel 2011Dados sobre diabetes vigitel 2011
Dados sobre diabetes vigitel 2011
adrianomedico
 
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - José Cechin
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - José CechinO Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - José Cechin
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - José Cechin
Fundação Fernando Henrique Cardoso
 

Semelhante a Dados EpidemiolóGicos (20)

CNS_estruturacao_da_APS.pptjhvhhgggyuhgffdd
CNS_estruturacao_da_APS.pptjhvhhgggyuhgffddCNS_estruturacao_da_APS.pptjhvhhgggyuhgffdd
CNS_estruturacao_da_APS.pptjhvhhgggyuhgffdd
 
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Edson Correia Araujo
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias  - Edson Correia AraujoO Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias  - Edson Correia Araujo
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Edson Correia Araujo
 
Apresentacao renato follador macae
Apresentacao renato follador macaeApresentacao renato follador macae
Apresentacao renato follador macae
 
apresentacao_laudecy_alvespptx.pptx
apresentacao_laudecy_alvespptx.pptxapresentacao_laudecy_alvespptx.pptx
apresentacao_laudecy_alvespptx.pptx
 
Planejamento II plano municipal Santa Rosa
Planejamento II  plano municipal Santa RosaPlanejamento II  plano municipal Santa Rosa
Planejamento II plano municipal Santa Rosa
 
Geekonomics - Reflexoes healthcare
Geekonomics - Reflexoes healthcareGeekonomics - Reflexoes healthcare
Geekonomics - Reflexoes healthcare
 
“A Importância dos Sistemas Logísticos e de Apoio para a Gestão Municipal”.
“A Importância dos Sistemas Logísticos e de Apoio para a Gestão Municipal”.“A Importância dos Sistemas Logísticos e de Apoio para a Gestão Municipal”.
“A Importância dos Sistemas Logísticos e de Apoio para a Gestão Municipal”.
 
Gestao por resultados_no_setor_saude
Gestao por resultados_no_setor_saudeGestao por resultados_no_setor_saude
Gestao por resultados_no_setor_saude
 
Cobertura oncológica - Raquel Lisbôa
Cobertura oncológica - Raquel LisbôaCobertura oncológica - Raquel Lisbôa
Cobertura oncológica - Raquel Lisbôa
 
Saude da familia
Saude da familiaSaude da familia
Saude da familia
 
Aula atenção básica geral, saúde da família e
Aula atenção básica geral, saúde da família eAula atenção básica geral, saúde da família e
Aula atenção básica geral, saúde da família e
 
7ª ASSEMBLEIA – Desafios da Saúde – Governo de Goiás
7ª ASSEMBLEIA – Desafios da Saúde – Governo de Goiás7ª ASSEMBLEIA – Desafios da Saúde – Governo de Goiás
7ª ASSEMBLEIA – Desafios da Saúde – Governo de Goiás
 
Ppa co f_inal (2)
Ppa co f_inal (2)Ppa co f_inal (2)
Ppa co f_inal (2)
 
SP Carinhosa - CEInfo
SP Carinhosa - CEInfoSP Carinhosa - CEInfo
SP Carinhosa - CEInfo
 
Fórum de Debates sobre Políticas de Emprego, Trabalho e Renda e de Previdênci...
Fórum de Debates sobre Políticas de Emprego, Trabalho e Renda e de Previdênci...Fórum de Debates sobre Políticas de Emprego, Trabalho e Renda e de Previdênci...
Fórum de Debates sobre Políticas de Emprego, Trabalho e Renda e de Previdênci...
 
2. claudio contador acsp seguro 08 2010-crc
2. claudio contador acsp seguro 08 2010-crc2. claudio contador acsp seguro 08 2010-crc
2. claudio contador acsp seguro 08 2010-crc
 
Cenários e tendências - Dr. Mozart de Oliveira Júnior
Cenários e tendências - Dr. Mozart de Oliveira JúniorCenários e tendências - Dr. Mozart de Oliveira Júnior
Cenários e tendências - Dr. Mozart de Oliveira Júnior
 
oficina-saudebucal_09_marco_2018_fernanda_goedert.ppt
oficina-saudebucal_09_marco_2018_fernanda_goedert.pptoficina-saudebucal_09_marco_2018_fernanda_goedert.ppt
oficina-saudebucal_09_marco_2018_fernanda_goedert.ppt
 
Dados sobre diabetes vigitel 2011
Dados sobre diabetes vigitel 2011Dados sobre diabetes vigitel 2011
Dados sobre diabetes vigitel 2011
 
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - José Cechin
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - José CechinO Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - José Cechin
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - José Cechin
 

Mais de Marcelo Monti Bica

28º Vigília pelos mortos de Aids
28º Vigília pelos mortos de Aids 28º Vigília pelos mortos de Aids
28º Vigília pelos mortos de Aids
Marcelo Monti Bica
 
1º de Dezembro Ivoti RS
1º de Dezembro Ivoti RS1º de Dezembro Ivoti RS
1º de Dezembro Ivoti RS
Marcelo Monti Bica
 
Espiritualidade das irmãs franciscanas de Nossa Senhora Aparecida
Espiritualidade das irmãs franciscanas de Nossa Senhora AparecidaEspiritualidade das irmãs franciscanas de Nossa Senhora Aparecida
Espiritualidade das irmãs franciscanas de Nossa Senhora Aparecida
Marcelo Monti Bica
 
Apresentação situação agrária no brasil
Apresentação situação agrária no brasilApresentação situação agrária no brasil
Apresentação situação agrária no brasil
Marcelo Monti Bica
 
Democratização do estado e participação popular
Democratização do estado e participação popularDemocratização do estado e participação popular
Democratização do estado e participação popular
Marcelo Monti Bica
 
VII Seminário Nacional da Pastoral da Aids
VII Seminário Nacional da Pastoral da AidsVII Seminário Nacional da Pastoral da Aids
VII Seminário Nacional da Pastoral da Aids
Marcelo Monti Bica
 
Vhiver Com Hiv Aids Atualizado
Vhiver Com Hiv Aids   AtualizadoVhiver Com Hiv Aids   Atualizado
Vhiver Com Hiv Aids Atualizado
Marcelo Monti Bica
 
DST - Sífilis
DST - SífilisDST - Sífilis
DST - Sífilis
Marcelo Monti Bica
 
Panorama Hivaids
Panorama HivaidsPanorama Hivaids
Panorama Hivaids
Marcelo Monti Bica
 
Breve Histórico do HIV
Breve Histórico do HIVBreve Histórico do HIV
Breve Histórico do HIV
Marcelo Monti Bica
 
Tarde te amei - Santo Agostinho
Tarde te amei - Santo AgostinhoTarde te amei - Santo Agostinho
Tarde te amei - Santo Agostinho
Marcelo Monti Bica
 
Pastoral da Aids - Sobradinho - RS
Pastoral da Aids - Sobradinho - RSPastoral da Aids - Sobradinho - RS
Pastoral da Aids - Sobradinho - RS
Marcelo Monti Bica
 
ApresentaçãO Encontro Nacional
ApresentaçãO Encontro NacionalApresentaçãO Encontro Nacional
ApresentaçãO Encontro Nacional
Marcelo Monti Bica
 

Mais de Marcelo Monti Bica (13)

28º Vigília pelos mortos de Aids
28º Vigília pelos mortos de Aids 28º Vigília pelos mortos de Aids
28º Vigília pelos mortos de Aids
 
1º de Dezembro Ivoti RS
1º de Dezembro Ivoti RS1º de Dezembro Ivoti RS
1º de Dezembro Ivoti RS
 
Espiritualidade das irmãs franciscanas de Nossa Senhora Aparecida
Espiritualidade das irmãs franciscanas de Nossa Senhora AparecidaEspiritualidade das irmãs franciscanas de Nossa Senhora Aparecida
Espiritualidade das irmãs franciscanas de Nossa Senhora Aparecida
 
Apresentação situação agrária no brasil
Apresentação situação agrária no brasilApresentação situação agrária no brasil
Apresentação situação agrária no brasil
 
Democratização do estado e participação popular
Democratização do estado e participação popularDemocratização do estado e participação popular
Democratização do estado e participação popular
 
VII Seminário Nacional da Pastoral da Aids
VII Seminário Nacional da Pastoral da AidsVII Seminário Nacional da Pastoral da Aids
VII Seminário Nacional da Pastoral da Aids
 
Vhiver Com Hiv Aids Atualizado
Vhiver Com Hiv Aids   AtualizadoVhiver Com Hiv Aids   Atualizado
Vhiver Com Hiv Aids Atualizado
 
DST - Sífilis
DST - SífilisDST - Sífilis
DST - Sífilis
 
Panorama Hivaids
Panorama HivaidsPanorama Hivaids
Panorama Hivaids
 
Breve Histórico do HIV
Breve Histórico do HIVBreve Histórico do HIV
Breve Histórico do HIV
 
Tarde te amei - Santo Agostinho
Tarde te amei - Santo AgostinhoTarde te amei - Santo Agostinho
Tarde te amei - Santo Agostinho
 
Pastoral da Aids - Sobradinho - RS
Pastoral da Aids - Sobradinho - RSPastoral da Aids - Sobradinho - RS
Pastoral da Aids - Sobradinho - RS
 
ApresentaçãO Encontro Nacional
ApresentaçãO Encontro NacionalApresentaçãO Encontro Nacional
ApresentaçãO Encontro Nacional
 

Dados EpidemiolóGicos

  • 1. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE DST, AIDS E HEPATITES VIRAIS XIV ERONG SUL 28 a 30 de setembro de 2009
  • 2. HIV/Aids no Brasil De 1980 a junho de 2008 Setembro de 2009
  • 3. HIV Informações gerais Estimativa de infectados pelo HIV (2006)*: 630.000 Prevalência da infecção pelo HIV**: 0,61% (pop. 15 a 49 anos) - fem. 0,42% - masc. 0,82% FONTE: MS/SVS/D-DST/AIDS * Sujeito a alterações. ** Estudo Sentinela Parturientes, 2006
  • 4. Casos acumulados (até 06/2008): 506.499 2007* – 33.689 Taxa de incidência (por 100.000 hab.) 2006 * – 19,0 2007 * – 17,8 Nº acumulado de óbitos (1980-2007*): 205.409 2006 * – 11.201 2007 * – 11.060 Coeficiente de mortalidade (por 100.000 hab.) 2006 * – 6,0 2007 * – 5,8 Aids Informações gerais FONTE: MS/SVS/D-DST/AIDS População: MS/SE/DATASUS, em <www.datasus.gov.br/informações em saúde> acessado em 11/03/2009 *Casos notificados no SINAN e registrados no SISCEL/SICLOM até 30/06/2008 e no SIM de 2000 a 2007. *Dados preliminares para os últimos 5 anos
  • 5. Municípios com pelo menos um caso de aids Brasil, 1990 a 2007* 1990-1995 2001-2007 1996-2000 Fonte: MS/SVS/D-DST/AIDS e MS/SVS/DASIS/ Sistema de Informações sobre Mortalidade - SIM Casos notificados no Sinan, registrados no Siscel até 30/06/2008 e SIM de 2000 a 2005. *Dados preliminares para os últimos 5 anos 85% do total de municípios
  • 6. Casos de aids (número e percentual) por região do país. Brasil, 2008*. 18.155 3,6% 58.348 11,5% 305.725 60,3% 28.719 5,7% 95.552 18,9% Brasil 506.499 Fonte: MS/SVS/D-DST/AIDS *Casos notificados no SINAN e registrados no SISCEL/SICLOM até 30/06/2008 e no SIM de 2000 a 2007. Dados preliminares para os últimos 5 anos
  • 7. Razão de sexo (M:F) dos casos de aids, segundo ano de diagnóstico. Brasil, 1983 a 2008* FONTE: MS/SVS/D-DST/AIDS *Casos notificados no SINAN, registrados no SISCEL/SICLOM até 30/06/2008 e SIM de 2000 a 2007. Dados preliminares para os últimos 5 anos.
  • 8. Razão de sexo (M:F) dos casos de aids em indivíduos de 13 a 19 anos , segundo ano de diagnóstico. Brasil, 1984 a 2007* FONTE: MS/SVS/D-DST/AIDS *Casos notificados no SINAN, registrados no SISCEL/SICLOM até 30/06/2008 e SIM de 2000 a 2007. Dados preliminares para os últimos 5 anos.
  • 9. HIV/Aids no Brasil Em resumo Epidemia concentrada; Estabilização da taxa de incidência de aids no Brasil (embora em patamares elevados) e nas regiões Sul e Centro-Oeste; Discreta redução da taxa de incidência da região Sudeste e tendência de crescimento nas regiões Norte e Nordeste;
  • 10. Redução da proporção de casos na categoria de exposição UDI; Aumento da proporção de casos na categoria de exposição heterossexual; Estabilização da proporção de casos em homo/bissexual; Tendência de crescimento da taxa de incidência em homens e mulheres com 40 anos ou mais. HIV/Aids no Brasil Em resumo
  • 11. Estabilização do coeficiente de mortalidade nos últimos 9 anos; Aumento da sobrevida dos casos de aids em adultos e crianças. HIV/Aids no Brasil Em resumo
  • 12. REGIÃO SUL FONTE: MS/SVS/D-DST/AIDS População: MS/SE/DATASUS, em <www.datasus.gov.br/informações em saúde> acessado em 11/03/2009 *Casos notificados no SINAN, registrados no SISCEL/SICLOM até 30/06/2008 e SIM de 2000 a 2007. *Dados preliminares para os últimos 5 anos. Estados Primeiro caso de aids Nº de casos de aids em 2007* Razão de sexo (M:F) (2007*) Taxa de incidência de aids (por 100 mil hab) (2006*) PAM disponível no SIS/Incentivo Paraná 1984 24.406 1,4:1 16,8 2009 Santa Catarina 1984 24.097 1,5:1 31,3 2009 Rio Grande do Sul 1983 45.427 1,2:1 35,9 2009
  • 13. Acesso a tratamento 94,8% cobertura de tratamento com ARV mulheres – 95,3% homens – 94,5% Dos que iniciaram TARV entre 2003 a 2006 97,2% permanecem vivos após 12 meses de tratamento 91% permanecem vivos após 4 anos de tratamento
  • 14. 330.000* não assistidas Estimativa de 630.000 pessoas que vivem com HIV/Aids 300.000 em acompanhamento 100.000 não necessitam ARV 185.000 Em tratamento
  • 15. A Portaria Ministerial nº 2.313, de 19 de dezembro de 2002, instituiu o Incentivo às Ações no Âmbito do Programa de HIV/Aids e outras DST, definindo valores e critérios de habilitação/qualificação das SES/SMS: Magnitude da epidemia (velocidade de crescimento da epidemia e da incidência acumulada) Participação nos Acordos Aids I e II das 27 SES e 150 SMS: média dos valores pagos pelos convênios; Resoluções das Comissões Intergestores Bipartite . A Portaria Ministerial 2.314, de 19 de dembro de 2002, instituiu o PAM e as orientações para a sua formulação. Política de Incentivo - Histórico
  • 16. Reformulações (Portarias) : nº 1.071/03: fórmula infantil nº 2.129/03: ampliação de recursos (R$ 50 mil p/ R$ 75 mil) nº 1.679/04: sistema de monitoramento nº 1.680/04: repasse quadrimestral p/ >R$ 200mil nº 1.824/04: casa de apoio nº 2.190/04: incluiu no F/F transferência para casa de apoio nº 2.802/08: Ampliação dos valores para aquisição da fórmula infantil Política de Incentivo - Histórico
  • 17. Secretarias 1994-1998 1999-2002 Incentivo 2009 Estados 27 27 27 Municípios 43 150 454 Total 70 177 481 Número de Secretarias de Saúde, por período Política de Incentivo - Histórico Recursos repassados, por período, em R$ milhões Convenios 99-01 Incentivo 2003 129,5 68,4 Incentivo 2009 100
  • 18. EM R$ MILHÕES Política de Incentivo - Histórico Valores de repasse fundo a fundo – Incentivo, fórmula infantil e casas de apoio Incentivo 2009 INCENTIVO.................. R$ 111,3 milhões FÓRMULA INFANTIL.. R$ 6,2 milhões CASA DE APOIO........ R$ 12,0 milhões TOTAL R$ 129,5milhões 100 111,3   VALOR INICIAL   1º REFORMULAÇÃO 126,1 129,5     2º REFORMULAÇÃO     3º REFORMULAÇÃO
  • 19. Incentivo 2009 INCENTIVO..................... R$ 111,3 milhões FÓRMULA INFANTIL... R$ 6,2 milhões CASA DE APOIO............. R$ 12,0 milhões TOTAL R$ 129,5 milhões
  • 20. Situação do Incentivo 2009 Execução financeira REGIÃO SUL VALOR DO PAM VALOR REPASSADO(*) SALDO EQUIVALENTE A MESES DE REPASSE % DE EXECUÇÃO PR 6.245.899,87 35.480.877,44 8.936.815,81 17 74,81 SC 5.225.981,82 30.661.803,09 4.295,658,92 10 85,99 RS 8.484.904,56 48.831.242,61 14.229.328,09 20 70.86 TOTAL 19.956.786,25 114.973.923,14 27.461.802,82 17 76,11 Atualização realizada em 04/06/2009- valores ate maio 2009 - Fonte: SisIncentivo e FNS (*) valor acumulado desde 2003
  • 21. Percentual de alcance de metas das metas monitoradas - 2008 PAM - geral por Estado Situação do Incentivo – Região Sul Fonte- SIS-Incentivo - junho 2009 A alimentação é realizada pelas próprias secretarias de saúde Situação de implementação do PAM Região Sul 35.480.877,44 48.831.242,61 30.661.803,09 8.936.815,81 14.229.328,09 4.295.658,92 0,00 10.000.000,00 20.000.000,00 30.000.000,00 40.000.000,00 50.000.000,00 60.000.000,00 Estados/Municípios - Mês/Ano de Pagamento da 1ª Parcela - % Execução (R$) Saldo em conta em junho/2009 Total de recursos repassados até competência abril/2009 Fonte: Sis Incentivo SC RS PR
  • 22. Percentual de alcance de metas das metas monitoradas - 2008 PAM das SES Fonte- SIS-Incentivo - janeiro 2009 A alimentação é realizada pelas próprias secretarias de saúde Situação do Incentivo – Região Sul
  • 23. Percentual de alcance de metas das metas monitoradas - 2008 PAM das SMS - capitais Fonte- SIS-Incentivo - janeiro 2009 A alimentação é realizada pelas próprias secretarias de saúde Situação do Incentivo – Região Sul
  • 24. Situação do Incentivo – SES PARANÁ Valor de Referência - Incentivo   PAM 2009 Áreas de Atuação   Recursos Financeiros a serem aplicados PAM Atual Saldo do PAM anterior TOTAL Incentivo Próprios Recebido Aplicação Financeira Próprios GERAL % Promoção, Prevenção e Proteção 660.412,87 300.000,00 0,00 0,00 0,00 960.412,87 21,29 Diagnóstico, Tratamento e Assistência 290.412,87 700.000,00 0,00 0,00 0,00 990.412,87 21,96 Gestão e Desenvolvimento Humano e Institucional 447.797,42 0,00 160.000,00 260.000,00 0,00 867.797,42 19,24 Parcerias com OSC 563.980,40 0,00 1.127.960,80 0,00 0,00 1.691.941,20 37,51 Total Geral 1.962.603,56 1.000.000,00 1.287.960,80 260.000,00 0,00 4.510.564,36 100
  • 25. Municípios com PAM. PARANÁ 31 municípios Almirante Tamandaré Apucarana Arapongas Araucária Cambé Campo Mourão Cascavel Castro Colombo Cornélio Procópio Curitiba Foz do Iguaçu Francisco Beltrão Guarapuava Irati Londrina Maringá Paranaguá Paranavaí Pato branco Pinhais Piraquara Ponta Grossa São José dos Pinhais Sarandi Tlêmaco Borba Toledo Umuarama Uni]ao da Vitória
  • 26. Situação do Incentivo – SES SANTA CATARINA Valor de Referência - Incentivo   PAM 2009 Áreas de Atuação   Recursos Financeiros a serem aplicados PAM Atual Saldo do PAM anterior TOTAL Incentivo Próprios Recebido Aplicação Financeira Próprios GERAL % Promoção, Prevenção e Proteção 307.427,82 120.000,00 523.365,05 126.038,35 0,00 1.076.831,22 29,33 Diagnóstico, Tratamento e Assistência 20.000,00 350.000,00 0,00 0,00 0,00 370.000,00 10,08 Gestão e Desenvolvimento Humano e Institucional 686.002,22 1.050.000,00 0,00 0,00 0,00 1.736.002,22 47,28 Parcerias com OSC 488.863,92 0,00 0,00 0,00 0,00 488.863,92 13,31 Total Geral 1.502.293,96 1.520.000,00 523.365,05 126.038,35 0,00 3.671.697,36 100
  • 27. Municípios com PAM. SANTA CATARINA 33 municípios Araranguá Balneário Camboriú Biguaçu Blumenau Brusque Caçador Camboriú Chapecó Concórdia Criciúma Florianópolis Gaspar Içara Imbituba Indaial Itajaí Itapema Jaraguá do Sul Joaçaba Joinville Lages Laguna Navegantes Palhoça Rio do Sul São Bento do Sul São Francisco do Sul São José São Miguel do Oeste Tijucas Tubarão Videira Xanxerê
  • 28. Situação do Incentivo – SES RIO GRANDE DO SUL Valor de Referência - Incentivo   PAM 2009 Áreas de Atuação   Recursos Financeiros a serem aplicados PAM Atual Saldo do PAM anterior TOTAL Incentivo Próprios Recebido Aplicação Financeira Próprios GERAL % Promoção, Prevenção e Proteção 500.000,00 800.000,00 0,00 394.623,48 0,00 1.694.623,48 12,67 Diagnóstico, Tratamento e Assistência 1.256.441,20 3.200.000,00 748.147,41 50.000,00 0,00 5.254.588,61 39,28 Gestão e Desenvolvimento Humano e Institucional 715.831,12 150.000,00 850.000,00 712.000,00 0,00 2.427.831,12 18,15 Parcerias com OSC 811.665,67 0,00 3.190.000,18 0,00 0,00 4.001.665,85 29,91 Total Geral 3.283.937,99 4.150.000,00 4.788.147,59 1.156.623,48 0,00 13.378.709,06 100
  • 29. Municípios com PAM. RIO GRANDE DO SUL 39 municípios Alegrete Alvorada Bagé Bento Gonçalves Cachoeira do Sul Cachoeirinha Campo Bom Canoas Carazinho Caxias do Sul Charqueadas Cruz Alta Erechim Estrela Gravataí Guaíba Ijuí Itaqui Jajeado Novo Hamburgo Passo Fundo Pelotas Porto Alegre Rio Grande Santana do Livramento Santa Cruz do Sul Santa Maria Santiago Santo Ângelo São Borja São Gabriel São Leopoldo Sapucaia do Sul Taquara Torres Tramandaí Uruguaiana Vacaria Viamão
  • 30. POLÍTICA DE INCENTIVO http://www.aids.gov.br/incentivo Transferência automática Fundo a Fundo na forma de incentivo
  • 31.  
  • 32. POLÍTICA DE FINANCIAMENTO DAS AÇÕES EM HIV/AIDS E OUTRAS DST http://www.pam.aids.gov.br/pam
  • 33.  
  • 34.  
  • 35. Projetos em Parceria com OSC. REGIÃO SUL 2009 Fonte SIMOP Estados Ações de visibilidade – dia do orgulho LGBT Eventos Assessoria Jurídica PR 01 - Curitiba 02 - Curitiba 02 – Curitiba 01- Umuarama SC 01 – Balneário Camboriú 01 - Lages 01 - Imbituba RS 01 – Porto Alegre 01 - Alvorada 02- Porto Alegre 01 – Novo Hamburgo 03 – Porto Alegre 01 – Novo Hamburgo 01- Pelotas TOTAL 04 06 09 VALOR TOTAL R$ 834.881,96 R$ 1.404.533,64 R$ 1.311.218,03
  • 36. CASAS DE APOIO PARANÁ ONG Município tipo acomodações PROJETO RENASCER Apucarana I 14 LAR BOM BOSCO – COMUNIDADE TERAPÊUTICA Campo Mourão 1 04 COMUNIDADE TERAPÊUTICA REDENÇÃO Campo Mourão I 08 CENTRO SOCIAL LAR ESPERANÇA Cascavel I 10 PRECAVVIDA – Centro de Prevenção e Recuperação o Caminho a Verdade a Vida Curitiba I 12 HUMANAR Curitiba I 07 ASSOCIAÇÃO SOLIDÁRIOS PELA VIDA - SOVIDA Curitiba II 28 RECANTO AMIGO CASA DE APOIO Londirna II 52 GRUPO UNIÃO PELA VIDA Umuarama I 09
  • 37. CASAS DE APOIO SANTA CATARINA ONG Município tipo acomodações ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE ÀGAPE – ABAC Concórdia I 01 LAR RECANTO DA ESPERANÇA Florianópolis I 26 GAPA – LAR RECANTO DO CARINHO Florianópolis I 40 CENTRO DE RECUPERAÇÃO E REABILITAÇÃO RESGATE DOMINANTE Itajaí I 10 CENTRO DE TRATAMENTO ALTERNATIVO PRÓ-VIDA Itajaí I 10 COMUNIDADE TERAPÊUTICA NOVO MUNDO - COTENOM São Francisco do Sul I 11
  • 38. CASAS DE APOIO RIO GRANDE DO SUL ONG Município tipo acomodações CASA GERIÁTIRCA MARTINS DOS SANTOS Pelotas I 01 CASA LAR MÃOS UNIDAS Porto Alegre I 06 CASA DE APOIO VIVA MARIA Porto Alegre I 06
  • 39. Obrigada. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Departamento de DST-Aids e Hepatites Virais www.aids.gov.br Unidade de Articulação com Sociedade Civil e Direitos Humanos - SCDH [email_address]