SlideShare uma empresa Scribd logo
Conto ‘’ A Galinha’’
Pág. 54
I
1. O facto que iniciou o conflito entre as duas mulheres foram duas galinhas de barro.
Resposta incompleta e vaga.
Cenário de resposta – A mãe do narrador comprou uma galinha de barro na feira;
a tia do narrador comprou depois outra. A tia do narrador, comparando depois a
galinha que comprara com a comprada pela mãe do narrador, disse que eram
diferentes. A mãe do narrador não concordou. Foi este facto que iniciou a
discussão entre as duas.
2. O espaço onde se iniciou este conflito foi na feira. Este conflito iniciou-se na feira,
um espaço exterior, aberto e público.
A tia do narrador era invejosa, pois queria a galinha da irmã, que era
completamente igual à sua. Resposta incompleta e vaga.
Psicologicamente, a tia do narrador revela-se uma personagem conflituosa.
Evidencia má-educação por se expressão aos berros (ll.10-12), quando lhe dizem
o preço da galinha; pouco depois, torna a “erguer a voz”. Continua a revelar a
falta de educação quando acusa a cunhada de trafulha (l.28). Ao longo do conto
são apresentados outros momentos que realçam o caráter conflituoso da
personagem.
3. O “espaço privado”, referido nas linhas 41 à 57, é a casa do narrador.
4. A acusação que fez agravar o conflito foi a tia do narrador dizer que sua irmã tinha
trocado as galinhas na sua ausência.
5. A acusação foi feita com firmeza, ou seja, a tia do narrador pretendia intensificar
o conflito.
7.1. As frases demonstram que a personagem se mostra ofendida e incrédula face ao
acusamento a que foi sujeita.
8.1.
O
recurso
expressivo
presente
na
frase
é
a
metáfora.
8.2. A expressão transmite que a tia saiu de forma brusca e agitada tal como um
vendaval.
8.3. O recurso expressivo utilizado é a metáfora presente na referência ao “horror a
trovoadas” que a mãe sente , que no contexto representa o receio da criação de
conflitos. Pode, também, sugerir a forte intensidade das vozes (berros e gritos) que
se associam às discussões entre as duas mulheres.
9. Os outros espaços públicos nos quais a acção conflituosa se vai desenvolver
seguidamente são a residência do narrador e da sua família, a rua onde o narrador
e a família residem, espaço que se alarga á totalidade da aldeia.
10. Os vários motivos que, na aldeia, contribuíram para instaurar o conflito
permanente foram os velhos ódios, invejas e ciúmes que vieram ao de cima para
(marca da oralidade)um ajuste de contas.
Quando a população assistiu às ameaças de morte entre o pai e o tio do
narrador, formaram-se «partidos», (l.94) e o conflito generalizou-se a toda a
aldeia.
11.1 A atitude do narrador participante ao destruir, “ (…) com um ódio reforçado
(…)” a galinha de barro foi devido a toda a confusão que esta criou. Resposta
incompleta e vaga.
A destruição da galinha é simbólica: o narrador, ao fazê-lo, pôs em causa a violência
familiar que tantas vezes testemunhou. Portanto, a forma como destruiu o objeto
revela o que sofreu devido às situações de ódio vivenciadas entre elementos da sua
família.
1ª pessoa do plural –
construção
frásica
incorreta – erro de
concordância

3ª pessoa

Página 55

Desde o início dos tempos, o ser humano recorria à violência para resolver os seus problemas

,

mas com o passar dos anos e o aparecimento das normas sociais, passa-mos a utilizar o

,

diálogo. Contudo ainda somos cruéis sem necessidade.
No caso do conto ‘A Galinha’, foi utilizada violência sem necessidade, devido à inveja sentida

,

por um objecto tão insignificante como uma galinha de barro. Infelizmente está na natureza
do ser humano invejar os outros por algo que têm por muito que tenhamos bens iguais ou até
de valor acrescido. confuso
Em suma, / SEM CONCLUSÃO

Observações da professora
Notei pouco empenho e falta de responsabilidade na realização do trabalho, quer pela
atitude em aula quer pelo produto final que apresentaram.
No vosso caso, não foi a escassez de tempo que inviabilizou a realização de um
trabalho com qualidade, mas a má gestão – afinal, para a produção escrita, tinham
várias sugestões na página 55 e a professora deu também alguns exemplos. Poderiam
ter aproveitado as citações apresentadas e compará-las ou contrastá-las. Escreveram
um texto com 88 palavras quando o mínimo são 180…
Têm de melhorar a vossa atitude.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Memorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estiloMemorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estilo
FilipaFonseca
 
Romantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de SousaRomantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de Sousa
Lurdes Augusto
 
Análise do episódio "Inês de Castro"
Análise do episódio "Inês de Castro"Análise do episódio "Inês de Castro"
Análise do episódio "Inês de Castro"
Inês Moreira
 
Auto de inês pereira
Auto de inês pereiraAuto de inês pereira
Auto de inês pereira
nanasimao
 
Adamastor
AdamastorAdamastor
Adamastor
sin3stesia
 
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo BrancoAmor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Lurdes Augusto
 
O artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação críticaO artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação crítica
Fernanda Monteiro
 
O amor em Memorial do Convento
O amor em Memorial do ConventoO amor em Memorial do Convento
O amor em Memorial do Convento
António Teixeira
 
Frei Luís de Sousa, síntese
Frei Luís de Sousa, sínteseFrei Luís de Sousa, síntese
Frei Luís de Sousa, síntese
Maria Teresa Soveral
 
Frei luís de sousa Contextualização
Frei luís de sousa Contextualização Frei luís de sousa Contextualização
Frei luís de sousa Contextualização
Sofia Yuna
 
Amor de perdição
Amor de perdiçãoAmor de perdição
Amor de perdição
Aparecida Mallagoli
 
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana SofiaCesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
Joana Azevedo
 
O resumo de Os Maias
O resumo de Os MaiasO resumo de Os Maias
O resumo de Os Maias
António Fernandes
 
Ficha de orações subordinadas
Ficha de orações subordinadasFicha de orações subordinadas
Ficha de orações subordinadas
zedobarco3
 
Dedicatória
DedicatóriaDedicatória
Dedicatória
Maria Teresa Soveral
 
Valor aspetual
Valor aspetualValor aspetual
Valor aspetual
Cristina Martins
 
Sebastianismo - Frei Luís de Sousa
Sebastianismo - Frei Luís de SousaSebastianismo - Frei Luís de Sousa
Sebastianismo - Frei Luís de Sousa
António Aragão
 
Actos Ilocutórios
Actos IlocutóriosActos Ilocutórios
Actos Ilocutórios
Isabel Martins
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
Ana Arminda Moreira
 
Atos de fala
Atos de falaAtos de fala
Atos de fala
António Fernandes
 

Mais procurados (20)

Memorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estiloMemorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estilo
 
Romantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de SousaRomantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de Sousa
 
Análise do episódio "Inês de Castro"
Análise do episódio "Inês de Castro"Análise do episódio "Inês de Castro"
Análise do episódio "Inês de Castro"
 
Auto de inês pereira
Auto de inês pereiraAuto de inês pereira
Auto de inês pereira
 
Adamastor
AdamastorAdamastor
Adamastor
 
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo BrancoAmor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
 
O artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação críticaO artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação crítica
 
O amor em Memorial do Convento
O amor em Memorial do ConventoO amor em Memorial do Convento
O amor em Memorial do Convento
 
Frei Luís de Sousa, síntese
Frei Luís de Sousa, sínteseFrei Luís de Sousa, síntese
Frei Luís de Sousa, síntese
 
Frei luís de sousa Contextualização
Frei luís de sousa Contextualização Frei luís de sousa Contextualização
Frei luís de sousa Contextualização
 
Amor de perdição
Amor de perdiçãoAmor de perdição
Amor de perdição
 
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana SofiaCesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
 
O resumo de Os Maias
O resumo de Os MaiasO resumo de Os Maias
O resumo de Os Maias
 
Ficha de orações subordinadas
Ficha de orações subordinadasFicha de orações subordinadas
Ficha de orações subordinadas
 
Dedicatória
DedicatóriaDedicatória
Dedicatória
 
Valor aspetual
Valor aspetualValor aspetual
Valor aspetual
 
Sebastianismo - Frei Luís de Sousa
Sebastianismo - Frei Luís de SousaSebastianismo - Frei Luís de Sousa
Sebastianismo - Frei Luís de Sousa
 
Actos Ilocutórios
Actos IlocutóriosActos Ilocutórios
Actos Ilocutórios
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 
Atos de fala
Atos de falaAtos de fala
Atos de fala
 

Destaque

O resumo
O resumoO resumo
O resumo
cnlx
 
Uma Galinha na Rede - Projeto de leitura do conto "Uma Galinha", da Clarisse ...
Uma Galinha na Rede - Projeto de leitura do conto "Uma Galinha", da Clarisse ...Uma Galinha na Rede - Projeto de leitura do conto "Uma Galinha", da Clarisse ...
Uma Galinha na Rede - Projeto de leitura do conto "Uma Galinha", da Clarisse ...
Casa da Árvore - Cultura Digital e Aprendizagem Criativa
 
VergíLio Ferreira
VergíLio FerreiraVergíLio Ferreira
VergíLio Ferreira
Antónia Mancha
 
Vergílio Ferreira
Vergílio FerreiraVergílio Ferreira
Vergílio Ferreira
Endl Félix Muriel
 
Textos Jornalisticos - Versão2
Textos Jornalisticos - Versão2Textos Jornalisticos - Versão2
Textos Jornalisticos - Versão2
Rosalina Simão Nunes
 
Auto Da Barca Do Inferno cena do frade
Auto Da Barca Do Inferno cena do fradeAuto Da Barca Do Inferno cena do frade
Auto Da Barca Do Inferno cena do frade
Delfina Vernuccio
 
Lp 9º ano
Lp 9º anoLp 9º ano
Lp 9º ano
Manuel Oliveira
 
Auto da barca do inferno
Auto da barca do infernoAuto da barca do inferno
Auto da barca do inferno
Vanda Marques
 
Sapateiro Auto Da Barca Do Inferno
Sapateiro Auto Da Barca Do InfernoSapateiro Auto Da Barca Do Inferno
Sapateiro Auto Da Barca Do Inferno
Saraegli
 
Tempos compostos
Tempos compostosTempos compostos
Tempos compostos
Cristina Fontes
 

Destaque (10)

O resumo
O resumoO resumo
O resumo
 
Uma Galinha na Rede - Projeto de leitura do conto "Uma Galinha", da Clarisse ...
Uma Galinha na Rede - Projeto de leitura do conto "Uma Galinha", da Clarisse ...Uma Galinha na Rede - Projeto de leitura do conto "Uma Galinha", da Clarisse ...
Uma Galinha na Rede - Projeto de leitura do conto "Uma Galinha", da Clarisse ...
 
VergíLio Ferreira
VergíLio FerreiraVergíLio Ferreira
VergíLio Ferreira
 
Vergílio Ferreira
Vergílio FerreiraVergílio Ferreira
Vergílio Ferreira
 
Textos Jornalisticos - Versão2
Textos Jornalisticos - Versão2Textos Jornalisticos - Versão2
Textos Jornalisticos - Versão2
 
Auto Da Barca Do Inferno cena do frade
Auto Da Barca Do Inferno cena do fradeAuto Da Barca Do Inferno cena do frade
Auto Da Barca Do Inferno cena do frade
 
Lp 9º ano
Lp 9º anoLp 9º ano
Lp 9º ano
 
Auto da barca do inferno
Auto da barca do infernoAuto da barca do inferno
Auto da barca do inferno
 
Sapateiro Auto Da Barca Do Inferno
Sapateiro Auto Da Barca Do InfernoSapateiro Auto Da Barca Do Inferno
Sapateiro Auto Da Barca Do Inferno
 
Tempos compostos
Tempos compostosTempos compostos
Tempos compostos
 

Mais de Paula Costa

Jornal da letras entrevista ondjaki
Jornal da letras entrevista ondjakiJornal da letras entrevista ondjaki
Jornal da letras entrevista ondjaki
Paula Costa
 
Epport11 ppt poesia_cesario
Epport11 ppt poesia_cesarioEpport11 ppt poesia_cesario
Epport11 ppt poesia_cesario
Paula Costa
 
Pt7 ficha frase_ativa_passiva_solucoes
Pt7 ficha frase_ativa_passiva_solucoesPt7 ficha frase_ativa_passiva_solucoes
Pt7 ficha frase_ativa_passiva_solucoes
Paula Costa
 
Pt7 ficha frase_ativa_passiva
Pt7 ficha frase_ativa_passivaPt7 ficha frase_ativa_passiva
Pt7 ficha frase_ativa_passiva
Paula Costa
 
Antes do Mestre
Antes do MestreAntes do Mestre
Antes do Mestre
Paula Costa
 
Gil vicente personagens_auto_barca_cc9 (1)
Gil vicente personagens_auto_barca_cc9 (1)Gil vicente personagens_auto_barca_cc9 (1)
Gil vicente personagens_auto_barca_cc9 (1)
Paula Costa
 
O poema sophia atividade_dia_poesia
O poema sophia atividade_dia_poesiaO poema sophia atividade_dia_poesia
O poema sophia atividade_dia_poesia
Paula Costa
 
Ficha gramatica_funcoes_sintaticas
 Ficha gramatica_funcoes_sintaticas Ficha gramatica_funcoes_sintaticas
Ficha gramatica_funcoes_sintaticas
Paula Costa
 
Despacho normativo n.o3-a_de_2019
Despacho normativo n.o3-a_de_2019Despacho normativo n.o3-a_de_2019
Despacho normativo n.o3-a_de_2019
Paula Costa
 
Codigos cursos
Codigos cursosCodigos cursos
Codigos cursos
Paula Costa
 
Sou feliz só por preguiçateste
Sou feliz só por preguiçatesteSou feliz só por preguiçateste
Sou feliz só por preguiçateste
Paula Costa
 
Arma secreta
Arma secretaArma secreta
Arma secreta
Paula Costa
 

Mais de Paula Costa (12)

Jornal da letras entrevista ondjaki
Jornal da letras entrevista ondjakiJornal da letras entrevista ondjaki
Jornal da letras entrevista ondjaki
 
Epport11 ppt poesia_cesario
Epport11 ppt poesia_cesarioEpport11 ppt poesia_cesario
Epport11 ppt poesia_cesario
 
Pt7 ficha frase_ativa_passiva_solucoes
Pt7 ficha frase_ativa_passiva_solucoesPt7 ficha frase_ativa_passiva_solucoes
Pt7 ficha frase_ativa_passiva_solucoes
 
Pt7 ficha frase_ativa_passiva
Pt7 ficha frase_ativa_passivaPt7 ficha frase_ativa_passiva
Pt7 ficha frase_ativa_passiva
 
Antes do Mestre
Antes do MestreAntes do Mestre
Antes do Mestre
 
Gil vicente personagens_auto_barca_cc9 (1)
Gil vicente personagens_auto_barca_cc9 (1)Gil vicente personagens_auto_barca_cc9 (1)
Gil vicente personagens_auto_barca_cc9 (1)
 
O poema sophia atividade_dia_poesia
O poema sophia atividade_dia_poesiaO poema sophia atividade_dia_poesia
O poema sophia atividade_dia_poesia
 
Ficha gramatica_funcoes_sintaticas
 Ficha gramatica_funcoes_sintaticas Ficha gramatica_funcoes_sintaticas
Ficha gramatica_funcoes_sintaticas
 
Despacho normativo n.o3-a_de_2019
Despacho normativo n.o3-a_de_2019Despacho normativo n.o3-a_de_2019
Despacho normativo n.o3-a_de_2019
 
Codigos cursos
Codigos cursosCodigos cursos
Codigos cursos
 
Sou feliz só por preguiçateste
Sou feliz só por preguiçatesteSou feliz só por preguiçateste
Sou feliz só por preguiçateste
 
Arma secreta
Arma secretaArma secreta
Arma secreta
 

Conto a galinha

  • 1. Conto ‘’ A Galinha’’ Pág. 54 I 1. O facto que iniciou o conflito entre as duas mulheres foram duas galinhas de barro. Resposta incompleta e vaga. Cenário de resposta – A mãe do narrador comprou uma galinha de barro na feira; a tia do narrador comprou depois outra. A tia do narrador, comparando depois a galinha que comprara com a comprada pela mãe do narrador, disse que eram diferentes. A mãe do narrador não concordou. Foi este facto que iniciou a discussão entre as duas. 2. O espaço onde se iniciou este conflito foi na feira. Este conflito iniciou-se na feira, um espaço exterior, aberto e público. A tia do narrador era invejosa, pois queria a galinha da irmã, que era completamente igual à sua. Resposta incompleta e vaga. Psicologicamente, a tia do narrador revela-se uma personagem conflituosa. Evidencia má-educação por se expressão aos berros (ll.10-12), quando lhe dizem o preço da galinha; pouco depois, torna a “erguer a voz”. Continua a revelar a falta de educação quando acusa a cunhada de trafulha (l.28). Ao longo do conto são apresentados outros momentos que realçam o caráter conflituoso da personagem. 3. O “espaço privado”, referido nas linhas 41 à 57, é a casa do narrador. 4. A acusação que fez agravar o conflito foi a tia do narrador dizer que sua irmã tinha trocado as galinhas na sua ausência. 5. A acusação foi feita com firmeza, ou seja, a tia do narrador pretendia intensificar o conflito. 7.1. As frases demonstram que a personagem se mostra ofendida e incrédula face ao acusamento a que foi sujeita. 8.1. O recurso expressivo presente na frase é a metáfora. 8.2. A expressão transmite que a tia saiu de forma brusca e agitada tal como um vendaval. 8.3. O recurso expressivo utilizado é a metáfora presente na referência ao “horror a trovoadas” que a mãe sente , que no contexto representa o receio da criação de conflitos. Pode, também, sugerir a forte intensidade das vozes (berros e gritos) que se associam às discussões entre as duas mulheres. 9. Os outros espaços públicos nos quais a acção conflituosa se vai desenvolver seguidamente são a residência do narrador e da sua família, a rua onde o narrador e a família residem, espaço que se alarga á totalidade da aldeia. 10. Os vários motivos que, na aldeia, contribuíram para instaurar o conflito permanente foram os velhos ódios, invejas e ciúmes que vieram ao de cima para (marca da oralidade)um ajuste de contas.
  • 2. Quando a população assistiu às ameaças de morte entre o pai e o tio do narrador, formaram-se «partidos», (l.94) e o conflito generalizou-se a toda a aldeia. 11.1 A atitude do narrador participante ao destruir, “ (…) com um ódio reforçado (…)” a galinha de barro foi devido a toda a confusão que esta criou. Resposta incompleta e vaga. A destruição da galinha é simbólica: o narrador, ao fazê-lo, pôs em causa a violência familiar que tantas vezes testemunhou. Portanto, a forma como destruiu o objeto revela o que sofreu devido às situações de ódio vivenciadas entre elementos da sua família. 1ª pessoa do plural – construção frásica incorreta – erro de concordância 3ª pessoa Página 55 Desde o início dos tempos, o ser humano recorria à violência para resolver os seus problemas , mas com o passar dos anos e o aparecimento das normas sociais, passa-mos a utilizar o , diálogo. Contudo ainda somos cruéis sem necessidade. No caso do conto ‘A Galinha’, foi utilizada violência sem necessidade, devido à inveja sentida , por um objecto tão insignificante como uma galinha de barro. Infelizmente está na natureza do ser humano invejar os outros por algo que têm por muito que tenhamos bens iguais ou até de valor acrescido. confuso Em suma, / SEM CONCLUSÃO Observações da professora Notei pouco empenho e falta de responsabilidade na realização do trabalho, quer pela atitude em aula quer pelo produto final que apresentaram. No vosso caso, não foi a escassez de tempo que inviabilizou a realização de um trabalho com qualidade, mas a má gestão – afinal, para a produção escrita, tinham várias sugestões na página 55 e a professora deu também alguns exemplos. Poderiam ter aproveitado as citações apresentadas e compará-las ou contrastá-las. Escreveram um texto com 88 palavras quando o mínimo são 180… Têm de melhorar a vossa atitude.