SlideShare uma empresa Scribd logo
ESTADO DA BAHIA
PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS
SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO
ATIVIDADES PROGRAMADAS
SEQUÊNCIA DIDÁTICA DO CONTO
PÚBLICO INDICADO:
CICLOS (3º, 4º e 5º ano)
Alagoinhas-Ba
Abril 2020
ESTADO DA BAHIA
PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS
SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO
SEQUÊNCIA DIDÁTICA
CONTO: A PRINCESA E A ERVILHA
Eixo: Leitura Capacidades
 Desenvolver atitudes e disposições favoráveis à leitura.
 Identificar diferentes gêneros textuais, considerando sua função social, seu
circuito comunicativo e suas características linguístico-discursivas.
 Antecipar conteúdos de textos a serem lidos a partir do suporte, do gênero, da
contextualização, das características gráficas e de conhecimentos prévios
sobre o tema.
 Levantar e confirmar hipóteses relativas ao conteúdo de passagens diversas
do texto que está sendo lido.
 Compreender globalmente os textos lidos, identificando o tema central, sendo
capaz de localizar informações explícitas e de inferir informações implícitas,
inter-relacionando essas informações no processo de compreensão.
 Inferir, pelo contexto o sentido das palavras ou expressões.
 Reconhecer a presença de diferentes enunciadores (narrador, personagens,
participantes de diálogo, enfim quem assume a voz), no texto lido, identificando
as marcas gráficas e linguísticas que sinalizam suas vozes (aspas,
exclamação, dois pontos, travessão, emprego do verbo no passado etc.).
 Identificar os elementos que constroem a narrativa (lugar, tempo, o fato
propriamente dito, com quem os fatos ocorrem, sob o ponto de vista que a
história ou o fato é narrado).
 Perceber a pontuação como um dos elementos orientadores na produção de
sentido.
Eixo: Desenvolvimento da oralidade e da escrita
 Capacidades de participar das interações cotidianas, escutando e/ou lendo
com atenção, compreensão e interpretação.
 Responder às questões escritas, expondo opiniões, em parceria com seus
familiares.
Eixo: Produção escrita
 Produzir textos escritos de gêneros diversos(conto).
ESTADO DA BAHIA
PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS
SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO
SEQUÊNCIA DIDÁTICA DO CONTO: A PRINCESA E A ERVILHA
A PRINCESA E A ERVILHA
Era uma vez um príncipe que queria se casar com uma
princesa. Mas o nobre rapaz não iria se contentar com pouco e
queria uma princesa de verdade. Ah, mas como era difícil
encontrar princesas de verdade naqueles tempos.
Ele viajou pelos reinos mais distantes, à procura da princesa de
seus sonhos, mas todas as que encontrou, tinham algum
defeito. Não é que faltassem princesas não, muitas se achavam
princesas, mas a dificuldade era saber se realmente eram quem
diziam ser. O príncipe retornou ao seu castelo desiludido, pois gostaria muito de ter
encontrado uma princesa de verdade.
Uma noite desabou uma tempestade no reino. Eram relâmpagos clareando o céu,
raios estrondosos e um aguaceiro danado no castelo! Em meio aos trovões, bateram
à porta e o rei em pessoa foi atender - os criados estavam ocupados enxugando os
cômodos cujas janelas foram abertas pela tempestade. Era uma moça, que dizia ser
uma princesa. Mas estava encharcada de tal modo que os seus cabelos estavam em
frangalhos, as roupas grudadas ao corpo, os sapatos enlameados, as meias quase
desmanchando, a menina estava um caco... Era difícil acreditar que fosse realmente
uma princesa!
Porém, a moça tanto afirmou que era uma princesa que
a rainha pensou numa forma de provar se o que dizia
era verdade. Ordenou que sua criada de confiança
empilhasse vinte colchões e vinte lençóis no quarto das
visitas e, sem que a hóspede soubesse, colocou
embaixo deles uma ervilha. Aquela seria a cama da
hóspede que se dizia princesa.
Quando foi dormir, a moça estranhou a altura da cama, mas conseguiu, com a ajuda
de uma escada, se deitar. No dia seguinte, a rainha perguntou como ela havia
dormido.
- Oh! Não consegui dormir direito – respondeu a moça.
– Havia algo duro na minha cama, que me deixou até com manchas roxas nas costas!
O rei, a rainha e o príncipe se olharam com surpresa.
A moça era realmente uma princesa! Somente uma princesa verdadeira teria pele tão
sensível para sentir um grão de ervilha sob vinte colchões e lençóis! O príncipe,
realizado, se casou com a princesa, e a ervilha foi enviada para um museu e, se
ninguém a pegou, ainda deve estar por lá... Portanto, esta é uma história real!
FONTE: ANDERSEN Hans Christian. A Princesa e a Ervilha. Ciranda Cultural. 1ª Edição - 2008
ESTADO DA BAHIA
PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS
SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO
SEQUÊNCIA DIDÁTICA
1º Momento: Leitura de imagens e do conto
1 - Observar o título e as ilustrações do conto;
2 - Em seguida,refletir: de acordo com o título e as imagens, do queserá que vai tratar
este conto?
3 - Ler o conto individualmente e depois ler em voz alta para quem estiver na sua casa
com você.
2º Momento: Compreensão oral do conto
1- Conversando sobre o Conto: dialogue, junto com seus familiares, as seguintes
questões:
a) - Qual é o título da história?
b) - Quais são os personagens?
c) - Quem é o autor?
d) - O que o príncipe queria? Foi fácil atingir este objetivo?
e) - Como estava o tempo quando a moça bateu na porta do rei?
f) - Quem era esta moça?
g) - A moça garantiu que era uma princesa de verdade, por que a rainha duvidou
disso?
h) O que a rainha colocou embaixo dos colchões para saber se a moça era uma
princesa de verdade?
i) - Como a rainha percebeu que a moça era uma princesa de verdade?
3º Momento: Interpretação escrita
Em seu caderno escreva as respostas corretas das questões abaixo. Não
esqueça de fazer o cabeçalho, o título do conto e os momentos(Ex: 3º momento),
com os números das questões(Ex: questão 1, questão 2...). Lembre-se que para
cada questão, marque uma resposta correta.
1. A história é sobre:
(A) a organização do casamento de um príncipe.
(B) uma família real e seu castelo.
(C) como fazer uma cama de princesa.
(D) como uma rainha descobriu uma princesa de verdade.
2. Na frase: "A moça tanto afirmou que era uma princesa que a rainha pensou numa
forma de provar se o que ela dizia era verdade", a palavra grifada refere-se a
(A) moça.
(B) rainha.
(C) confirmar.
(D) verdade.
ESTADO DA BAHIA
PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS
SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO
3. A rainha soube que a moça era uma princesa de verdade porque ela
(A) conseguiu subir nos 20 colchões e dormir.
(B) afirmou que havia algo duro na cama.
(C) merecia uma cama de "princesa".
(D) afirmou que era uma princesa.
4. "Era uma vez" fica caracterizado na história por
(A) verbos no tempo passado, como em "chovia" e "estranhou".
(B) advérbios, como "realmente".
(C) ênfase em palavra.
(D) reticências, como em "e ainda deve estar por lá...".
5. No trecho “O príncipe retornou ao seu castelo desiludido”, a palavra sublinhada
tem o sentido de:
(A) raramente.
(B) confiante.
(C) fortemente.
(D) decepcionado.
6. No texto, o sinal de exclamação (!) sempre que o autor quer
(A) reforçar uma situação.
(B) demonstrar dúvida.
(C) dizer que a história continua.
(D) causar medo.
7.O gênero dessa história é:
(A) propaganda
(B) notícia
(C) poema
(D) conto
8 – Ainda sobre o texto, marque as opções corretas:
a) A fragmento ´´Era uma vez...`` indica:
( ) tempo
( ) lugar
b) Os personagens são:
( ) a princesa e o sapo
( ) o príncipe, a princesa, o rei e o dragão
( ) o rei, a rainha, o príncipe e a princesa
Lembrete: Além de personagens, tempo e espaço, nesse conto há alguémque conta
a história: o narrador.
ESTADO DA BAHIA
PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS
SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO
4º Momento: Interpretação escrita no caderno.
1 - O conto "A princesa e a ervilha" apresenta personagens, tempo e espaço que
geralmente estão presentes nas histórias imaginadas. Com base nesses aspectos,
responda as questões abaixo:
a) Quem são os personagens da história?
b) Essa história se passa em um tempo indeterminado, isto é, que não se sabe
quando foi. Volte ao texto e copie a expressão que comprova isso.
c) Copie do texto outras palavras ou expressões que indiquem tempo.
d) Espaço é o lugar onde a história se passa. Onde essa história se passou?
2 – Após interpretação do texto, registre nas questões abaixo a sua opinião sobre ele.
a) Você acha que existe uma pessoa com uma pele tão sensível como a da princesa?
Por quê?
B) Que qualidades você imagina que uma princesa de verdade deve ter, além de pele
sensível?
c) Desenhe os personagens do conto, do jeito que você imagina.
ESTADO DA BAHIA
PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS
SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO
5º momento
Atividades de consolidação: Caça-palavras
1 -No caça-palavras há 15 palavras retiradas do texto. Procure-as.
M B E K P U R E I A N O I T E
U Q R O R P Y Z B R S E T R A
S W V L E O C Q C A S T E L O
E E I Ç I Ç A E U T T I F Q A
U A L T N N M R T O L S A I S
O S H C O B A M E P A A L P O
L F A E T A R Ç Q K O S O R N
P V L R E L Â M P A G O S I H
R R O A J A Q P S Z A R I N O
Í E F S E S C A D A P D E C S
N O T E W L I K A T B Z A E A
C U R A I N H A D M C A Z S T
I I A U H C O N F I A N Ç A M
P T M T A G N A O R O Y W O Z
E H T E M P E S T A D E U M L
MUSEU – RELÂMPAGOS - PRINCESA - ERVILHA - PRÍNCIPE - REI - CASTELO TEMPESTADE -
REINO - RAINHA - CAMA – ESCADA - SONHOS - NOITE CONFIANÇA
ESTADO DA BAHIA
PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS
SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO
6º Momento
Escreva um texto, narrativo, criando novos elementos que dê sentido ao conto “A
princesa e a ervilha”. Use sua imaginação e dê sequência ao que pode ter acontecido
depois do casamento real do príncipe com a princesa. Não esqueça de dar um título
a história.
Elaboração: Marivalda Carneiro Equipe Ciclos – DIAP

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx

1.conto, características
1.conto, características1.conto, características
1.conto, características
Helena Coutinho
 
Conto
ContoConto
Resumo sobre conto e lenda ...
Resumo sobre conto e lenda ...Resumo sobre conto e lenda ...
Resumo sobre conto e lenda ...
Patrícia Tobias Aluna especial 2011
 
A princesa e a ervilha
A princesa e a ervilhaA princesa e a ervilha
A princesa e a ervilha
Suzy Santana
 
Lp teste diag princesa e ervilha
Lp teste diag princesa e ervilhaLp teste diag princesa e ervilha
Lp teste diag princesa e ervilha
Central Didática
 
Prova portugues bimestre 1 prof ana lucia turma 6 e e f hugo gerdau
Prova portugues bimestre 1 prof ana lucia turma 6 e e f hugo gerdauProva portugues bimestre 1 prof ana lucia turma 6 e e f hugo gerdau
Prova portugues bimestre 1 prof ana lucia turma 6 e e f hugo gerdau
analuciaTJ
 
1ª Ficha Formativa
1ª Ficha Formativa1ª Ficha Formativa
1ª Ficha Formativa
Susana Sobrenome
 
A princesa baixinha roteiro[1]
A princesa baixinha roteiro[1]A princesa baixinha roteiro[1]
A princesa baixinha roteiro[1]
Brígida Ferreira
 
tipos de textos
tipos de textostipos de textos
tipos de textos
Ana Soares
 
O outro sapo regina
O outro sapo reginaO outro sapo regina
O outro sapo regina
Atividades Diversas Cláudia
 
Foco narrativo.pptx
Foco narrativo.pptxFoco narrativo.pptx
Foco narrativo.pptx
geroboaosouza
 
A Princesa E A Ervilha
A Princesa E A ErvilhaA Princesa E A Ervilha
A Princesa E A Ervilha
vera1979
 
Modelo de atividades para o 5º ano. doc
Modelo de atividades para o 5º ano. docModelo de atividades para o 5º ano. doc
Modelo de atividades para o 5º ano. doc
pedagogicosjdelrei
 
O outro lado da Cidade
O outro lado da CidadeO outro lado da Cidade
O outro lado da Cidade
Aquário Editorial
 
2º Ano - 6. Texto Narrativo.ppt CARACTERÍSTICAS
2º Ano - 6. Texto Narrativo.ppt CARACTERÍSTICAS2º Ano - 6. Texto Narrativo.ppt CARACTERÍSTICAS
2º Ano - 6. Texto Narrativo.ppt CARACTERÍSTICAS
fernandacherobini1
 
Exame aia
Exame aiaExame aia
Exame aia
Ângela Marques
 
Aula De Literatura Infantil
Aula De Literatura InfantilAula De Literatura Infantil
Aula De Literatura Infantil
roessencia
 
Palestra Criatiane Madanêlo 12 de maio de 2015
Palestra Criatiane Madanêlo 12 de maio de 2015Palestra Criatiane Madanêlo 12 de maio de 2015
Palestra Criatiane Madanêlo 12 de maio de 2015
Fabiana Esteves
 
sequenciasoldadinhodechumbo-131031174900-phpapp02 (2).pdf
sequenciasoldadinhodechumbo-131031174900-phpapp02 (2).pdfsequenciasoldadinhodechumbo-131031174900-phpapp02 (2).pdf
sequenciasoldadinhodechumbo-131031174900-phpapp02 (2).pdf
IedaGoethe
 
Contos maravilhosos
Contos maravilhosos Contos maravilhosos
Contos maravilhosos
Alba Niza
 

Semelhante a CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx (20)

1.conto, características
1.conto, características1.conto, características
1.conto, características
 
Conto
ContoConto
Conto
 
Resumo sobre conto e lenda ...
Resumo sobre conto e lenda ...Resumo sobre conto e lenda ...
Resumo sobre conto e lenda ...
 
A princesa e a ervilha
A princesa e a ervilhaA princesa e a ervilha
A princesa e a ervilha
 
Lp teste diag princesa e ervilha
Lp teste diag princesa e ervilhaLp teste diag princesa e ervilha
Lp teste diag princesa e ervilha
 
Prova portugues bimestre 1 prof ana lucia turma 6 e e f hugo gerdau
Prova portugues bimestre 1 prof ana lucia turma 6 e e f hugo gerdauProva portugues bimestre 1 prof ana lucia turma 6 e e f hugo gerdau
Prova portugues bimestre 1 prof ana lucia turma 6 e e f hugo gerdau
 
1ª Ficha Formativa
1ª Ficha Formativa1ª Ficha Formativa
1ª Ficha Formativa
 
A princesa baixinha roteiro[1]
A princesa baixinha roteiro[1]A princesa baixinha roteiro[1]
A princesa baixinha roteiro[1]
 
tipos de textos
tipos de textostipos de textos
tipos de textos
 
O outro sapo regina
O outro sapo reginaO outro sapo regina
O outro sapo regina
 
Foco narrativo.pptx
Foco narrativo.pptxFoco narrativo.pptx
Foco narrativo.pptx
 
A Princesa E A Ervilha
A Princesa E A ErvilhaA Princesa E A Ervilha
A Princesa E A Ervilha
 
Modelo de atividades para o 5º ano. doc
Modelo de atividades para o 5º ano. docModelo de atividades para o 5º ano. doc
Modelo de atividades para o 5º ano. doc
 
O outro lado da Cidade
O outro lado da CidadeO outro lado da Cidade
O outro lado da Cidade
 
2º Ano - 6. Texto Narrativo.ppt CARACTERÍSTICAS
2º Ano - 6. Texto Narrativo.ppt CARACTERÍSTICAS2º Ano - 6. Texto Narrativo.ppt CARACTERÍSTICAS
2º Ano - 6. Texto Narrativo.ppt CARACTERÍSTICAS
 
Exame aia
Exame aiaExame aia
Exame aia
 
Aula De Literatura Infantil
Aula De Literatura InfantilAula De Literatura Infantil
Aula De Literatura Infantil
 
Palestra Criatiane Madanêlo 12 de maio de 2015
Palestra Criatiane Madanêlo 12 de maio de 2015Palestra Criatiane Madanêlo 12 de maio de 2015
Palestra Criatiane Madanêlo 12 de maio de 2015
 
sequenciasoldadinhodechumbo-131031174900-phpapp02 (2).pdf
sequenciasoldadinhodechumbo-131031174900-phpapp02 (2).pdfsequenciasoldadinhodechumbo-131031174900-phpapp02 (2).pdf
sequenciasoldadinhodechumbo-131031174900-phpapp02 (2).pdf
 
Contos maravilhosos
Contos maravilhosos Contos maravilhosos
Contos maravilhosos
 

Último

Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
O livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdf
O livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdfO livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdf
O livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdf
dataprovider
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx
6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx
6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx
ALEXANDRODECASTRODOS
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Militao Ricardo
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Discursos Éticos e Políticos Acerca do Meio Ambiente e Desenvolvimento Susten...
Discursos Éticos e Políticos Acerca do Meio Ambiente e Desenvolvimento Susten...Discursos Éticos e Políticos Acerca do Meio Ambiente e Desenvolvimento Susten...
Discursos Éticos e Políticos Acerca do Meio Ambiente e Desenvolvimento Susten...
FredPaixaoeSilva
 

Último (20)

Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
O livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdf
O livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdfO livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdf
O livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdf
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx
6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx
6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Discursos Éticos e Políticos Acerca do Meio Ambiente e Desenvolvimento Susten...
Discursos Éticos e Políticos Acerca do Meio Ambiente e Desenvolvimento Susten...Discursos Éticos e Políticos Acerca do Meio Ambiente e Desenvolvimento Susten...
Discursos Éticos e Políticos Acerca do Meio Ambiente e Desenvolvimento Susten...
 

CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx

  • 1. ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO ATIVIDADES PROGRAMADAS SEQUÊNCIA DIDÁTICA DO CONTO PÚBLICO INDICADO: CICLOS (3º, 4º e 5º ano) Alagoinhas-Ba Abril 2020
  • 2. ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO SEQUÊNCIA DIDÁTICA CONTO: A PRINCESA E A ERVILHA Eixo: Leitura Capacidades  Desenvolver atitudes e disposições favoráveis à leitura.  Identificar diferentes gêneros textuais, considerando sua função social, seu circuito comunicativo e suas características linguístico-discursivas.  Antecipar conteúdos de textos a serem lidos a partir do suporte, do gênero, da contextualização, das características gráficas e de conhecimentos prévios sobre o tema.  Levantar e confirmar hipóteses relativas ao conteúdo de passagens diversas do texto que está sendo lido.  Compreender globalmente os textos lidos, identificando o tema central, sendo capaz de localizar informações explícitas e de inferir informações implícitas, inter-relacionando essas informações no processo de compreensão.  Inferir, pelo contexto o sentido das palavras ou expressões.  Reconhecer a presença de diferentes enunciadores (narrador, personagens, participantes de diálogo, enfim quem assume a voz), no texto lido, identificando as marcas gráficas e linguísticas que sinalizam suas vozes (aspas, exclamação, dois pontos, travessão, emprego do verbo no passado etc.).  Identificar os elementos que constroem a narrativa (lugar, tempo, o fato propriamente dito, com quem os fatos ocorrem, sob o ponto de vista que a história ou o fato é narrado).  Perceber a pontuação como um dos elementos orientadores na produção de sentido. Eixo: Desenvolvimento da oralidade e da escrita  Capacidades de participar das interações cotidianas, escutando e/ou lendo com atenção, compreensão e interpretação.  Responder às questões escritas, expondo opiniões, em parceria com seus familiares. Eixo: Produção escrita  Produzir textos escritos de gêneros diversos(conto).
  • 3. ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO SEQUÊNCIA DIDÁTICA DO CONTO: A PRINCESA E A ERVILHA A PRINCESA E A ERVILHA Era uma vez um príncipe que queria se casar com uma princesa. Mas o nobre rapaz não iria se contentar com pouco e queria uma princesa de verdade. Ah, mas como era difícil encontrar princesas de verdade naqueles tempos. Ele viajou pelos reinos mais distantes, à procura da princesa de seus sonhos, mas todas as que encontrou, tinham algum defeito. Não é que faltassem princesas não, muitas se achavam princesas, mas a dificuldade era saber se realmente eram quem diziam ser. O príncipe retornou ao seu castelo desiludido, pois gostaria muito de ter encontrado uma princesa de verdade. Uma noite desabou uma tempestade no reino. Eram relâmpagos clareando o céu, raios estrondosos e um aguaceiro danado no castelo! Em meio aos trovões, bateram à porta e o rei em pessoa foi atender - os criados estavam ocupados enxugando os cômodos cujas janelas foram abertas pela tempestade. Era uma moça, que dizia ser uma princesa. Mas estava encharcada de tal modo que os seus cabelos estavam em frangalhos, as roupas grudadas ao corpo, os sapatos enlameados, as meias quase desmanchando, a menina estava um caco... Era difícil acreditar que fosse realmente uma princesa! Porém, a moça tanto afirmou que era uma princesa que a rainha pensou numa forma de provar se o que dizia era verdade. Ordenou que sua criada de confiança empilhasse vinte colchões e vinte lençóis no quarto das visitas e, sem que a hóspede soubesse, colocou embaixo deles uma ervilha. Aquela seria a cama da hóspede que se dizia princesa. Quando foi dormir, a moça estranhou a altura da cama, mas conseguiu, com a ajuda de uma escada, se deitar. No dia seguinte, a rainha perguntou como ela havia dormido. - Oh! Não consegui dormir direito – respondeu a moça. – Havia algo duro na minha cama, que me deixou até com manchas roxas nas costas! O rei, a rainha e o príncipe se olharam com surpresa. A moça era realmente uma princesa! Somente uma princesa verdadeira teria pele tão sensível para sentir um grão de ervilha sob vinte colchões e lençóis! O príncipe, realizado, se casou com a princesa, e a ervilha foi enviada para um museu e, se ninguém a pegou, ainda deve estar por lá... Portanto, esta é uma história real! FONTE: ANDERSEN Hans Christian. A Princesa e a Ervilha. Ciranda Cultural. 1ª Edição - 2008
  • 4. ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO SEQUÊNCIA DIDÁTICA 1º Momento: Leitura de imagens e do conto 1 - Observar o título e as ilustrações do conto; 2 - Em seguida,refletir: de acordo com o título e as imagens, do queserá que vai tratar este conto? 3 - Ler o conto individualmente e depois ler em voz alta para quem estiver na sua casa com você. 2º Momento: Compreensão oral do conto 1- Conversando sobre o Conto: dialogue, junto com seus familiares, as seguintes questões: a) - Qual é o título da história? b) - Quais são os personagens? c) - Quem é o autor? d) - O que o príncipe queria? Foi fácil atingir este objetivo? e) - Como estava o tempo quando a moça bateu na porta do rei? f) - Quem era esta moça? g) - A moça garantiu que era uma princesa de verdade, por que a rainha duvidou disso? h) O que a rainha colocou embaixo dos colchões para saber se a moça era uma princesa de verdade? i) - Como a rainha percebeu que a moça era uma princesa de verdade? 3º Momento: Interpretação escrita Em seu caderno escreva as respostas corretas das questões abaixo. Não esqueça de fazer o cabeçalho, o título do conto e os momentos(Ex: 3º momento), com os números das questões(Ex: questão 1, questão 2...). Lembre-se que para cada questão, marque uma resposta correta. 1. A história é sobre: (A) a organização do casamento de um príncipe. (B) uma família real e seu castelo. (C) como fazer uma cama de princesa. (D) como uma rainha descobriu uma princesa de verdade. 2. Na frase: "A moça tanto afirmou que era uma princesa que a rainha pensou numa forma de provar se o que ela dizia era verdade", a palavra grifada refere-se a (A) moça. (B) rainha. (C) confirmar. (D) verdade.
  • 5. ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO 3. A rainha soube que a moça era uma princesa de verdade porque ela (A) conseguiu subir nos 20 colchões e dormir. (B) afirmou que havia algo duro na cama. (C) merecia uma cama de "princesa". (D) afirmou que era uma princesa. 4. "Era uma vez" fica caracterizado na história por (A) verbos no tempo passado, como em "chovia" e "estranhou". (B) advérbios, como "realmente". (C) ênfase em palavra. (D) reticências, como em "e ainda deve estar por lá...". 5. No trecho “O príncipe retornou ao seu castelo desiludido”, a palavra sublinhada tem o sentido de: (A) raramente. (B) confiante. (C) fortemente. (D) decepcionado. 6. No texto, o sinal de exclamação (!) sempre que o autor quer (A) reforçar uma situação. (B) demonstrar dúvida. (C) dizer que a história continua. (D) causar medo. 7.O gênero dessa história é: (A) propaganda (B) notícia (C) poema (D) conto 8 – Ainda sobre o texto, marque as opções corretas: a) A fragmento ´´Era uma vez...`` indica: ( ) tempo ( ) lugar b) Os personagens são: ( ) a princesa e o sapo ( ) o príncipe, a princesa, o rei e o dragão ( ) o rei, a rainha, o príncipe e a princesa Lembrete: Além de personagens, tempo e espaço, nesse conto há alguémque conta a história: o narrador.
  • 6. ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO 4º Momento: Interpretação escrita no caderno. 1 - O conto "A princesa e a ervilha" apresenta personagens, tempo e espaço que geralmente estão presentes nas histórias imaginadas. Com base nesses aspectos, responda as questões abaixo: a) Quem são os personagens da história? b) Essa história se passa em um tempo indeterminado, isto é, que não se sabe quando foi. Volte ao texto e copie a expressão que comprova isso. c) Copie do texto outras palavras ou expressões que indiquem tempo. d) Espaço é o lugar onde a história se passa. Onde essa história se passou? 2 – Após interpretação do texto, registre nas questões abaixo a sua opinião sobre ele. a) Você acha que existe uma pessoa com uma pele tão sensível como a da princesa? Por quê? B) Que qualidades você imagina que uma princesa de verdade deve ter, além de pele sensível? c) Desenhe os personagens do conto, do jeito que você imagina.
  • 7. ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO 5º momento Atividades de consolidação: Caça-palavras 1 -No caça-palavras há 15 palavras retiradas do texto. Procure-as. M B E K P U R E I A N O I T E U Q R O R P Y Z B R S E T R A S W V L E O C Q C A S T E L O E E I Ç I Ç A E U T T I F Q A U A L T N N M R T O L S A I S O S H C O B A M E P A A L P O L F A E T A R Ç Q K O S O R N P V L R E L Â M P A G O S I H R R O A J A Q P S Z A R I N O Í E F S E S C A D A P D E C S N O T E W L I K A T B Z A E A C U R A I N H A D M C A Z S T I I A U H C O N F I A N Ç A M P T M T A G N A O R O Y W O Z E H T E M P E S T A D E U M L MUSEU – RELÂMPAGOS - PRINCESA - ERVILHA - PRÍNCIPE - REI - CASTELO TEMPESTADE - REINO - RAINHA - CAMA – ESCADA - SONHOS - NOITE CONFIANÇA
  • 8. ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO 6º Momento Escreva um texto, narrativo, criando novos elementos que dê sentido ao conto “A princesa e a ervilha”. Use sua imaginação e dê sequência ao que pode ter acontecido depois do casamento real do príncipe com a princesa. Não esqueça de dar um título a história. Elaboração: Marivalda Carneiro Equipe Ciclos – DIAP