SlideShare uma empresa Scribd logo
COMO A CHINA PROMOVEU SEU DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO
Fernando Alcoforado*
Após a Revolução Chinesa em 1949, a China passou a seguir o modelo político-
econômico da ex-União Soviética. Politicamente, implantou-se um sistema político
centralizado socialista sob o controle do Partido Comunista Chinês, cujo líder máximo
era Mao Tse-tung. O Estado passou a controlar as fabricas e recursos naturais da China.
A Revolução Chinesa foi na essência camponesa, visto que na época os operários
correspondiam apenas a 0,6% da população. Assim, após a revolução, a China começou
seu processo de industrialização. Inicialmente, a China passou a planejar a economia.
Em 1957, Mao lançou um plano conhecido como o “Grande Salto à Frente”, que se
estendeu até 1961. Este plano visava implantar um parque industrial diversificado e
amplo. Para isso, a China priorizou investimento na indústria de base, na indústria
bélica e em outras de infraestrutura que ajudasse a sustentar o processo de
industrialização. Mas, o grande “Grande Salto à Frente” fracassou.
Ao tentar seguir o modelo da União Soviética, a China acabou também sofrendo os
mesmos problemas: baixa produtividade, baixa qualidade dos produtos, concentração de
capitais no setor armamentista e burocratização excessiva. Com a morte de Mao Tse-
tung, em 1976, um novo líder assume o poder, Deng Xiaoping, que abandona os
conceitos socialistas de Mao e inicia-se um processo de abertura capitalista na economia
chinesa. Sob o comando de Deng Xiaoping, teve início, a partir de 1978, uma reforma
na economia, paralelamente à abertura da economia chinesa em relação ao exterior. Os
chineses no poder queriam fazer reformas econômicas e também justificar
ideologicamente a simbiose da economia de mercado capitalista com a economia
planificada sob o controle do estado que foi denominada de socialismo de mercado. Foi
uma tentativa de evitar o mesmo destino da União Soviética e perpetuar a hegemonia do
Partido Comunista Chinês.
A grande revolução na economia, porém, veio com a criação de zonas especiais de
exportação em várias províncias litorâneas. As primeiras foram implantadas em Shezen,
Zhuhai, Xiamen. Essas zonas econômicas tinham como objetivo atrair investimentos de
empresas estrangeiras, que trariam além de capital, tecnologia e experiência de gestão
empresarial. Numa tentativa de ampliar suas exportações, a China concedeu liberdade
quase total ao capital estrangeiro nessas zonas econômicas, espécie de enclaves
capitalistas dentro da China. Em resultado disso tudo, a economia da China cresceu com
uma taxa media de 9% ao ano nas décadas de 1980 e 1990. E a província de
Guangdond, localizada próxima a Hong Kong, a mais dinâmica do país, crescia com
uma media de 12,5% ao ano desde 1979. No período, a taxa mais alta do mundo.
A China é um país que passou a ter, portanto, dois sistemas econômicos controlados por
um único sistema político. Esse sistema é definido como “economia socialista de
mercado”. É preciso observar, também, que, além da liberdade econômica, um fator
fundamental que atraiu e ainda está atraindo capitais para a China, é o baixo custo de
mão de obra muito disciplinada e trabalhadora. Com base em uma abertura econômica e
baixos salários da China, o mundo foi invadido por produtos chineses. Em 1980,
período de inicio das reformas econômicas, a China ficou em 25º lugar no ranking de
exportadores, exportando 18 bilhões de dólares. Em 1997, porém o país exportou 183
bilhões de dólares, tornando-se o 10º maior exportador do mundo. O comércio total da
China excedeu 2,4 trilhões de dólares em 2008. A China tem atualmente um parque
industrial muito diversificado. Entretanto, tem apresentado um crescimento bem
desigual territorialmente, e também setorialmente. As zonas especiais e as cidades
abertas crescem muito mais rapidamente, e as empresas privadas e mistas crescem
muito mais que as estatais.
Na China, prevalece o denominado Socialismo de Mercado, proclamado por Deng
Xiaoping, que significa na prática capitalismo sob o controle do estado. O governo
chinês adota uma política industrial tecnocrática com o objetivo de criar grandes
empresas nacionais com capacidade de concorrer nos mercados globalizados. A
concessão de subsídios pelo governo tem se constituído em uma peça fundamental da
estratégia chinesa para transformar a estrutura produtiva nacional, coordenando o
processo de transformação de uma indústria trabalho-intensiva para uma indústria
capital-intensiva. Ainda que as interações entre Estado e mercado constituam a coluna
dorsal de qualquer capitalismo moderno, o processo de acumulação de capital é
realizado pelo Estado, por meio do direcionamento dos investimentos e do controle do
mercado de trabalho.
O Estado chinês é bastante ativo na criação e no suporte de empresas, detém
participações majoritárias em diversos grupos econômicos, controla decisões críticas e
mobiliza capitais. As empresas estatais chinesas competem com outras empresas no
mercado e seus dirigentes obtêm recompensas econômicas à medida que conseguem
atingir os objetivos estabelecidos pelo Estado. Aquelas empresas estatais pertencentes a
setores considerados estratégicos e que são eleitas como “campeãs nacionais” são
favorecidas por incentivos à fusão ou aquisição de outras empresas, pelo acesso a fontes
de capital de baixo custo e pela restrição da concorrência em seu mercado. Tanto o
governo central como os governos das províncias chinesas dirigem, ainda, todas as
grandes instituições financeiras do país.
Os produtos chineses são muito competitivos resultantes, entre outros fatores, da mão
de obra barata. Outro diferencial é o tecnológico, pois os chineses utilizam a tecnologia
de última geração. Nenhum país nos dias atuais consegue esse feito, o que faz com que
os custos caiam bastante e aumente a diversidade dos produtos mantendo uma
originalidade própria. Mais uma vantagem chinesa é a interação das empresas na troca
de informações e a criação dos chamados distritos industriais ou “clusters”. É
importante a criação pela China do Banco Asiático de Investimentos em Infraestrutura
que já conta com a adesão ou interesse de dezenas de países - do Reino Unido à
Austrália, passando pelo Brasil. O novo banco é mais um movimento dos chineses para
espalhar seus tentáculos financeiros pelo mundo.
A China desde 1999 tem tido um crescimento acima do normal, mesmo sendo um país
semiperiférico em desenvolvimento. Os números não mentem porque, desde o fim da
década de 1990, seu crescimento ficou entre 7,5% e 11,7%. As principais causas desse
crescimento podem ser atribuídas aos investimentos diretos externos na produção
industrial voltada para exportação, processo este acompanhado de mão de obra barata
junto com o alto nível de qualificação e o incentivo do governo para que as empresas
multinacionais invistam no país e, sobretudo, ao papel ativo do estado chinês na
promoção do desenvolvimento nacional. A economia da China é a segunda maior do
mundo, superada somente pelos Estados Unidos. A China é a nação com o maior
crescimento econômico dos últimos 25 anos no mundo, com a média do crescimento do
PIB em torno de 10% ao ano.
A China está a ponto de ultrapassar os Estados Unidos como maior economia do
planeta. A China é hoje uma grande potência no comércio internacional. É o tamanho de
seu mercado que determina sua influência nas barganhas mundiais. Uma dimensão
importante do poder econômico de um país são as reservas cambiais que na China
corresponde a US$ 4 trilhões. Para alcançar elevado nível de desenvolvimento
econômico no País, houve grande investimento por parte do governo chinês na melhoria
da qualidade na educação que teve nos professores o principal impulso para alcançar
este objetivo.
*Fernando Alcoforado, 76, membro da Academia Baiana de Educação, engenheiro e doutor em
Planejamento Territorial e Desenvolvimento Regional pela Universidade de Barcelona, professor
universitário e consultor nas áreas de planejamento estratégico, planejamento empresarial, planejamento
regional e planejamento de sistemas energéticos, é autor dos livros Globalização (Editora Nobel, São
Paulo, 1997), De Collor a FHC- O Brasil e a Nova (Des)ordem Mundial (Editora Nobel, São Paulo,
1998), Um Projeto para o Brasil (Editora Nobel, São Paulo, 2000), Os condicionantes do
desenvolvimento do Estado da Bahia (Tese de doutorado. Universidade de
Barcelona,http://www.tesisenred.net/handle/10803/1944, 2003), Globalização e Desenvolvimento
(Editora Nobel, São Paulo, 2006), Bahia- Desenvolvimento do Século XVI ao Século XX e Objetivos
Estratégicos na Era Contemporânea (EGBA, Salvador, 2008), The Necessary Conditions of the
Economic and Social Development- The Case of the State of Bahia (VDM Verlag Dr. Müller
Aktiengesellschaft & Co. KG, Saarbrücken, Germany, 2010), Aquecimento Global e Catástrofe
Planetária (P&A Gráfica e Editora, Salvador, 2010), Amazônia Sustentável- Para o progresso do Brasil e
combate ao aquecimento global (Viena- Editora e Gráfica, Santa Cruz do Rio Pardo, São Paulo, 2011),
Os Fatores Condicionantes do Desenvolvimento Econômico e Social (Editora CRV, Curitiba, 2012),
Energia no Mundo e no Brasil- Energia e Mudança Climática Catastrófica no Século XXI (Editora CRV,
Curitiba, 2015) e As Grandes Revoluções Científicas, Econômicas e Sociais que Mudaram o Mundo
(Editora CRV, Curitiba, 2016). Possui blog na Internet (http://fernando.alcoforado.zip.net). E-mail:
falcoforado@uol.com.br.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

áSia mostra ao brasil os caminhos do desenvolvimento
áSia mostra ao brasil os caminhos do desenvolvimentoáSia mostra ao brasil os caminhos do desenvolvimento
áSia mostra ao brasil os caminhos do desenvolvimento
Fernando Alcoforado
 
Os tigres asiáticos
Os tigres asiáticosOs tigres asiáticos
Os tigres asiáticos
joao paulo
 
Tigres asiáticos
Tigres asiáticos  Tigres asiáticos
Tigres asiáticos
Camila Brito
 
Tigres Asiáticos
Tigres AsiáticosTigres Asiáticos
Tigres Asiáticos
Lidia Araujo
 
Tigres asiaticos
Tigres asiaticosTigres asiaticos
Tigres asiaticos
Marta Silva
 
Globalização e geopolítica
Globalização e geopolíticaGlobalização e geopolítica
Globalização e geopolítica
Maine Batista
 
Aula 51 abordagem desenvolvimentista e integração econômica
Aula 51  abordagem desenvolvimentista e integração econômicaAula 51  abordagem desenvolvimentista e integração econômica
Aula 51 abordagem desenvolvimentista e integração econômica
petecoslides
 
Mercado global
Mercado globalMercado global
Mercado global
aucimar
 
China
ChinaChina
Japão e os tigres asiáticos
Japão e os tigres asiáticosJapão e os tigres asiáticos
Japão e os tigres asiáticos
Jefferson Cunha
 
Os tigres asáticos
Os tigres asáticosOs tigres asáticos
Os tigres asáticos
João Couto
 
Tigres asiáticos aula 9o ano Ensino Fundamental
Tigres asiáticos aula 9o ano Ensino FundamentalTigres asiáticos aula 9o ano Ensino Fundamental
Tigres asiáticos aula 9o ano Ensino Fundamental
Yasmim Ribeiro
 
Case CNI - Confederação Nacional das Indústrias
Case CNI - Confederação Nacional das IndústriasCase CNI - Confederação Nacional das Indústrias
Case CNI - Confederação Nacional das Indústrias
Symnetics Business Transformation
 
Como superar a crise e retomar o desenvolvimento no brasil
Como superar a crise e retomar o desenvolvimento no brasilComo superar a crise e retomar o desenvolvimento no brasil
Como superar a crise e retomar o desenvolvimento no brasil
Fernando Alcoforado
 
Aula 60 políticas industriais e comerciais
Aula 60   políticas industriais e comerciaisAula 60   políticas industriais e comerciais
Aula 60 políticas industriais e comerciais
petecoslides
 
Tigres asiáticos
Tigres asiáticosTigres asiáticos
Tigres asiáticos
Prof.Paulo/geografia
 
A CHINA DO SÉCULO XXI
A CHINA DO SÉCULO XXIA CHINA DO SÉCULO XXI
A CHINA DO SÉCULO XXI
Freed Naves Cortez
 
A evolucao-do-comercio-exterior-brasileiro
A evolucao-do-comercio-exterior-brasileiroA evolucao-do-comercio-exterior-brasileiro
A evolucao-do-comercio-exterior-brasileiro
LilianeFerreiradoRos
 
ExpansãO Agrocomercial E ModernizaçãO Do Campo
ExpansãO Agrocomercial E ModernizaçãO Do CampoExpansãO Agrocomercial E ModernizaçãO Do Campo
ExpansãO Agrocomercial E ModernizaçãO Do Campo
ecsette
 
Os tigres asiáticos _ 1ª e 2ª Geração.
Os tigres asiáticos _ 1ª e 2ª Geração.Os tigres asiáticos _ 1ª e 2ª Geração.
Os tigres asiáticos _ 1ª e 2ª Geração.
Gla Santos
 

Mais procurados (20)

áSia mostra ao brasil os caminhos do desenvolvimento
áSia mostra ao brasil os caminhos do desenvolvimentoáSia mostra ao brasil os caminhos do desenvolvimento
áSia mostra ao brasil os caminhos do desenvolvimento
 
Os tigres asiáticos
Os tigres asiáticosOs tigres asiáticos
Os tigres asiáticos
 
Tigres asiáticos
Tigres asiáticos  Tigres asiáticos
Tigres asiáticos
 
Tigres Asiáticos
Tigres AsiáticosTigres Asiáticos
Tigres Asiáticos
 
Tigres asiaticos
Tigres asiaticosTigres asiaticos
Tigres asiaticos
 
Globalização e geopolítica
Globalização e geopolíticaGlobalização e geopolítica
Globalização e geopolítica
 
Aula 51 abordagem desenvolvimentista e integração econômica
Aula 51  abordagem desenvolvimentista e integração econômicaAula 51  abordagem desenvolvimentista e integração econômica
Aula 51 abordagem desenvolvimentista e integração econômica
 
Mercado global
Mercado globalMercado global
Mercado global
 
China
ChinaChina
China
 
Japão e os tigres asiáticos
Japão e os tigres asiáticosJapão e os tigres asiáticos
Japão e os tigres asiáticos
 
Os tigres asáticos
Os tigres asáticosOs tigres asáticos
Os tigres asáticos
 
Tigres asiáticos aula 9o ano Ensino Fundamental
Tigres asiáticos aula 9o ano Ensino FundamentalTigres asiáticos aula 9o ano Ensino Fundamental
Tigres asiáticos aula 9o ano Ensino Fundamental
 
Case CNI - Confederação Nacional das Indústrias
Case CNI - Confederação Nacional das IndústriasCase CNI - Confederação Nacional das Indústrias
Case CNI - Confederação Nacional das Indústrias
 
Como superar a crise e retomar o desenvolvimento no brasil
Como superar a crise e retomar o desenvolvimento no brasilComo superar a crise e retomar o desenvolvimento no brasil
Como superar a crise e retomar o desenvolvimento no brasil
 
Aula 60 políticas industriais e comerciais
Aula 60   políticas industriais e comerciaisAula 60   políticas industriais e comerciais
Aula 60 políticas industriais e comerciais
 
Tigres asiáticos
Tigres asiáticosTigres asiáticos
Tigres asiáticos
 
A CHINA DO SÉCULO XXI
A CHINA DO SÉCULO XXIA CHINA DO SÉCULO XXI
A CHINA DO SÉCULO XXI
 
A evolucao-do-comercio-exterior-brasileiro
A evolucao-do-comercio-exterior-brasileiroA evolucao-do-comercio-exterior-brasileiro
A evolucao-do-comercio-exterior-brasileiro
 
ExpansãO Agrocomercial E ModernizaçãO Do Campo
ExpansãO Agrocomercial E ModernizaçãO Do CampoExpansãO Agrocomercial E ModernizaçãO Do Campo
ExpansãO Agrocomercial E ModernizaçãO Do Campo
 
Os tigres asiáticos _ 1ª e 2ª Geração.
Os tigres asiáticos _ 1ª e 2ª Geração.Os tigres asiáticos _ 1ª e 2ª Geração.
Os tigres asiáticos _ 1ª e 2ª Geração.
 

Semelhante a Como a china promoveu seu desenvolvimento econômico

China atualidades
China atualidadesChina atualidades
China atualidades
PrismaTocantins
 
Prof Demétrio Melo - Geografia Regional: China - espaço e produção
Prof Demétrio Melo - Geografia Regional: China - espaço e produçãoProf Demétrio Melo - Geografia Regional: China - espaço e produção
Prof Demétrio Melo - Geografia Regional: China - espaço e produção
Deto - Geografia
 
AULA 2 - TEORIAS DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO.ppt
AULA 2 - TEORIAS DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO.pptAULA 2 - TEORIAS DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO.ppt
AULA 2 - TEORIAS DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO.ppt
alexandreamoreira2
 
Neoliberalismo globalização (resumo)
Neoliberalismo globalização (resumo)Neoliberalismo globalização (resumo)
Neoliberalismo globalização (resumo)
Edilene Ruth Pereira
 
Os caminhos do desenvolvimento em países capitalistas periféricos como o brasil
Os caminhos do desenvolvimento em países capitalistas periféricos como o brasilOs caminhos do desenvolvimento em países capitalistas periféricos como o brasil
Os caminhos do desenvolvimento em países capitalistas periféricos como o brasil
Fernando Alcoforado
 
Os caminhos do desenvolvimento em paises capitalistas perifericos como o brasil
Os caminhos do desenvolvimento em paises capitalistas perifericos como o brasilOs caminhos do desenvolvimento em paises capitalistas perifericos como o brasil
Os caminhos do desenvolvimento em paises capitalistas perifericos como o brasil
Roberto Rabat Chame
 
aelh1215_china.pptx
aelh1215_china.pptxaelh1215_china.pptx
aelh1215_china.pptx
PedroGonalves882467
 
China
ChinaChina
China
DeaaSouza
 
Política do filho único- 9B
Política do filho único- 9BPolítica do filho único- 9B
Política do filho único- 9B
Nádya Dixon
 
Capitalismo e desenvolvimento nacional
Capitalismo e desenvolvimento nacionalCapitalismo e desenvolvimento nacional
Capitalismo e desenvolvimento nacional
Fernando Alcoforado
 
Análise comparativa das estratégias de gerenciamento da administração pública...
Análise comparativa das estratégias de gerenciamento da administração pública...Análise comparativa das estratégias de gerenciamento da administração pública...
Análise comparativa das estratégias de gerenciamento da administração pública...
Ricardo Rodrigues
 
Brasil economia e população observações de texto
Brasil  economia e população  observações de textoBrasil  economia e população  observações de texto
Brasil economia e população observações de texto
Salageo Cristina
 
Vamos vender na china
Vamos vender na chinaVamos vender na china
Vamos vender na china
Henry Quaresma
 
Vamos Vender na china
Vamos Vender na chinaVamos Vender na china
Vamos Vender na china
Henry Quaresma
 
Geografia 2 ano
Geografia 2 anoGeografia 2 ano
Geografia 2 ano
Junior Oliveira
 
Economia Planificada
Economia PlanificadaEconomia Planificada
Economia Planificada
Gustavo Bolinha Oliveira
 
Afirmação da China.pptx
Afirmação da China.pptxAfirmação da China.pptx
Afirmação da China.pptx
Pedro Silva
 
Aula CHINA 3° ANO SARTRE
Aula CHINA 3° ANO SARTREAula CHINA 3° ANO SARTRE
Aula CHINA 3° ANO SARTRE
CADUCOC
 
ECONOMIAS EMERGENTES.pptx
ECONOMIAS EMERGENTES.pptxECONOMIAS EMERGENTES.pptx
ECONOMIAS EMERGENTES.pptx
MarcoTlioAbreu1
 
Controlar o sistema financeiro para evitar a débâcle econômica no brasil
Controlar o sistema financeiro para evitar a débâcle econômica no brasilControlar o sistema financeiro para evitar a débâcle econômica no brasil
Controlar o sistema financeiro para evitar a débâcle econômica no brasil
Fernando Alcoforado
 

Semelhante a Como a china promoveu seu desenvolvimento econômico (20)

China atualidades
China atualidadesChina atualidades
China atualidades
 
Prof Demétrio Melo - Geografia Regional: China - espaço e produção
Prof Demétrio Melo - Geografia Regional: China - espaço e produçãoProf Demétrio Melo - Geografia Regional: China - espaço e produção
Prof Demétrio Melo - Geografia Regional: China - espaço e produção
 
AULA 2 - TEORIAS DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO.ppt
AULA 2 - TEORIAS DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO.pptAULA 2 - TEORIAS DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO.ppt
AULA 2 - TEORIAS DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO.ppt
 
Neoliberalismo globalização (resumo)
Neoliberalismo globalização (resumo)Neoliberalismo globalização (resumo)
Neoliberalismo globalização (resumo)
 
Os caminhos do desenvolvimento em países capitalistas periféricos como o brasil
Os caminhos do desenvolvimento em países capitalistas periféricos como o brasilOs caminhos do desenvolvimento em países capitalistas periféricos como o brasil
Os caminhos do desenvolvimento em países capitalistas periféricos como o brasil
 
Os caminhos do desenvolvimento em paises capitalistas perifericos como o brasil
Os caminhos do desenvolvimento em paises capitalistas perifericos como o brasilOs caminhos do desenvolvimento em paises capitalistas perifericos como o brasil
Os caminhos do desenvolvimento em paises capitalistas perifericos como o brasil
 
aelh1215_china.pptx
aelh1215_china.pptxaelh1215_china.pptx
aelh1215_china.pptx
 
China
ChinaChina
China
 
Política do filho único- 9B
Política do filho único- 9BPolítica do filho único- 9B
Política do filho único- 9B
 
Capitalismo e desenvolvimento nacional
Capitalismo e desenvolvimento nacionalCapitalismo e desenvolvimento nacional
Capitalismo e desenvolvimento nacional
 
Análise comparativa das estratégias de gerenciamento da administração pública...
Análise comparativa das estratégias de gerenciamento da administração pública...Análise comparativa das estratégias de gerenciamento da administração pública...
Análise comparativa das estratégias de gerenciamento da administração pública...
 
Brasil economia e população observações de texto
Brasil  economia e população  observações de textoBrasil  economia e população  observações de texto
Brasil economia e população observações de texto
 
Vamos vender na china
Vamos vender na chinaVamos vender na china
Vamos vender na china
 
Vamos Vender na china
Vamos Vender na chinaVamos Vender na china
Vamos Vender na china
 
Geografia 2 ano
Geografia 2 anoGeografia 2 ano
Geografia 2 ano
 
Economia Planificada
Economia PlanificadaEconomia Planificada
Economia Planificada
 
Afirmação da China.pptx
Afirmação da China.pptxAfirmação da China.pptx
Afirmação da China.pptx
 
Aula CHINA 3° ANO SARTRE
Aula CHINA 3° ANO SARTREAula CHINA 3° ANO SARTRE
Aula CHINA 3° ANO SARTRE
 
ECONOMIAS EMERGENTES.pptx
ECONOMIAS EMERGENTES.pptxECONOMIAS EMERGENTES.pptx
ECONOMIAS EMERGENTES.pptx
 
Controlar o sistema financeiro para evitar a débâcle econômica no brasil
Controlar o sistema financeiro para evitar a débâcle econômica no brasilControlar o sistema financeiro para evitar a débâcle econômica no brasil
Controlar o sistema financeiro para evitar a débâcle econômica no brasil
 

Mais de Fernando Alcoforado

O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO   O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
Fernando Alcoforado
 
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIENL'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
Fernando Alcoforado
 
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
Fernando Alcoforado
 
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
Fernando Alcoforado
 
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTHGLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
Fernando Alcoforado
 
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
Fernando Alcoforado
 
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIALINONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
Fernando Alcoforado
 
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGECITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
Fernando Alcoforado
 
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBALINUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
Fernando Alcoforado
 
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022 CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
Fernando Alcoforado
 
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
Fernando Alcoforado
 
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
Fernando Alcoforado
 
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
Fernando Alcoforado
 
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
Fernando Alcoforado
 
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLDTHE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
Fernando Alcoforado
 
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
Fernando Alcoforado
 
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDOA GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
Fernando Alcoforado
 
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
Fernando Alcoforado
 
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUELLES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
Fernando Alcoforado
 
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZILSOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
Fernando Alcoforado
 

Mais de Fernando Alcoforado (20)

O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO   O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
 
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIENL'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
 
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
 
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
 
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTHGLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
 
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
 
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIALINONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
 
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGECITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
 
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBALINUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
 
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022 CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
 
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
 
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
 
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
 
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
 
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLDTHE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
 
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
 
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDOA GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
 
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
 
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUELLES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
 
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZILSOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
 

Como a china promoveu seu desenvolvimento econômico

  • 1. COMO A CHINA PROMOVEU SEU DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Fernando Alcoforado* Após a Revolução Chinesa em 1949, a China passou a seguir o modelo político- econômico da ex-União Soviética. Politicamente, implantou-se um sistema político centralizado socialista sob o controle do Partido Comunista Chinês, cujo líder máximo era Mao Tse-tung. O Estado passou a controlar as fabricas e recursos naturais da China. A Revolução Chinesa foi na essência camponesa, visto que na época os operários correspondiam apenas a 0,6% da população. Assim, após a revolução, a China começou seu processo de industrialização. Inicialmente, a China passou a planejar a economia. Em 1957, Mao lançou um plano conhecido como o “Grande Salto à Frente”, que se estendeu até 1961. Este plano visava implantar um parque industrial diversificado e amplo. Para isso, a China priorizou investimento na indústria de base, na indústria bélica e em outras de infraestrutura que ajudasse a sustentar o processo de industrialização. Mas, o grande “Grande Salto à Frente” fracassou. Ao tentar seguir o modelo da União Soviética, a China acabou também sofrendo os mesmos problemas: baixa produtividade, baixa qualidade dos produtos, concentração de capitais no setor armamentista e burocratização excessiva. Com a morte de Mao Tse- tung, em 1976, um novo líder assume o poder, Deng Xiaoping, que abandona os conceitos socialistas de Mao e inicia-se um processo de abertura capitalista na economia chinesa. Sob o comando de Deng Xiaoping, teve início, a partir de 1978, uma reforma na economia, paralelamente à abertura da economia chinesa em relação ao exterior. Os chineses no poder queriam fazer reformas econômicas e também justificar ideologicamente a simbiose da economia de mercado capitalista com a economia planificada sob o controle do estado que foi denominada de socialismo de mercado. Foi uma tentativa de evitar o mesmo destino da União Soviética e perpetuar a hegemonia do Partido Comunista Chinês. A grande revolução na economia, porém, veio com a criação de zonas especiais de exportação em várias províncias litorâneas. As primeiras foram implantadas em Shezen, Zhuhai, Xiamen. Essas zonas econômicas tinham como objetivo atrair investimentos de empresas estrangeiras, que trariam além de capital, tecnologia e experiência de gestão empresarial. Numa tentativa de ampliar suas exportações, a China concedeu liberdade quase total ao capital estrangeiro nessas zonas econômicas, espécie de enclaves capitalistas dentro da China. Em resultado disso tudo, a economia da China cresceu com uma taxa media de 9% ao ano nas décadas de 1980 e 1990. E a província de Guangdond, localizada próxima a Hong Kong, a mais dinâmica do país, crescia com uma media de 12,5% ao ano desde 1979. No período, a taxa mais alta do mundo. A China é um país que passou a ter, portanto, dois sistemas econômicos controlados por um único sistema político. Esse sistema é definido como “economia socialista de mercado”. É preciso observar, também, que, além da liberdade econômica, um fator fundamental que atraiu e ainda está atraindo capitais para a China, é o baixo custo de mão de obra muito disciplinada e trabalhadora. Com base em uma abertura econômica e baixos salários da China, o mundo foi invadido por produtos chineses. Em 1980, período de inicio das reformas econômicas, a China ficou em 25º lugar no ranking de exportadores, exportando 18 bilhões de dólares. Em 1997, porém o país exportou 183 bilhões de dólares, tornando-se o 10º maior exportador do mundo. O comércio total da
  • 2. China excedeu 2,4 trilhões de dólares em 2008. A China tem atualmente um parque industrial muito diversificado. Entretanto, tem apresentado um crescimento bem desigual territorialmente, e também setorialmente. As zonas especiais e as cidades abertas crescem muito mais rapidamente, e as empresas privadas e mistas crescem muito mais que as estatais. Na China, prevalece o denominado Socialismo de Mercado, proclamado por Deng Xiaoping, que significa na prática capitalismo sob o controle do estado. O governo chinês adota uma política industrial tecnocrática com o objetivo de criar grandes empresas nacionais com capacidade de concorrer nos mercados globalizados. A concessão de subsídios pelo governo tem se constituído em uma peça fundamental da estratégia chinesa para transformar a estrutura produtiva nacional, coordenando o processo de transformação de uma indústria trabalho-intensiva para uma indústria capital-intensiva. Ainda que as interações entre Estado e mercado constituam a coluna dorsal de qualquer capitalismo moderno, o processo de acumulação de capital é realizado pelo Estado, por meio do direcionamento dos investimentos e do controle do mercado de trabalho. O Estado chinês é bastante ativo na criação e no suporte de empresas, detém participações majoritárias em diversos grupos econômicos, controla decisões críticas e mobiliza capitais. As empresas estatais chinesas competem com outras empresas no mercado e seus dirigentes obtêm recompensas econômicas à medida que conseguem atingir os objetivos estabelecidos pelo Estado. Aquelas empresas estatais pertencentes a setores considerados estratégicos e que são eleitas como “campeãs nacionais” são favorecidas por incentivos à fusão ou aquisição de outras empresas, pelo acesso a fontes de capital de baixo custo e pela restrição da concorrência em seu mercado. Tanto o governo central como os governos das províncias chinesas dirigem, ainda, todas as grandes instituições financeiras do país. Os produtos chineses são muito competitivos resultantes, entre outros fatores, da mão de obra barata. Outro diferencial é o tecnológico, pois os chineses utilizam a tecnologia de última geração. Nenhum país nos dias atuais consegue esse feito, o que faz com que os custos caiam bastante e aumente a diversidade dos produtos mantendo uma originalidade própria. Mais uma vantagem chinesa é a interação das empresas na troca de informações e a criação dos chamados distritos industriais ou “clusters”. É importante a criação pela China do Banco Asiático de Investimentos em Infraestrutura que já conta com a adesão ou interesse de dezenas de países - do Reino Unido à Austrália, passando pelo Brasil. O novo banco é mais um movimento dos chineses para espalhar seus tentáculos financeiros pelo mundo. A China desde 1999 tem tido um crescimento acima do normal, mesmo sendo um país semiperiférico em desenvolvimento. Os números não mentem porque, desde o fim da década de 1990, seu crescimento ficou entre 7,5% e 11,7%. As principais causas desse crescimento podem ser atribuídas aos investimentos diretos externos na produção industrial voltada para exportação, processo este acompanhado de mão de obra barata junto com o alto nível de qualificação e o incentivo do governo para que as empresas multinacionais invistam no país e, sobretudo, ao papel ativo do estado chinês na promoção do desenvolvimento nacional. A economia da China é a segunda maior do mundo, superada somente pelos Estados Unidos. A China é a nação com o maior
  • 3. crescimento econômico dos últimos 25 anos no mundo, com a média do crescimento do PIB em torno de 10% ao ano. A China está a ponto de ultrapassar os Estados Unidos como maior economia do planeta. A China é hoje uma grande potência no comércio internacional. É o tamanho de seu mercado que determina sua influência nas barganhas mundiais. Uma dimensão importante do poder econômico de um país são as reservas cambiais que na China corresponde a US$ 4 trilhões. Para alcançar elevado nível de desenvolvimento econômico no País, houve grande investimento por parte do governo chinês na melhoria da qualidade na educação que teve nos professores o principal impulso para alcançar este objetivo. *Fernando Alcoforado, 76, membro da Academia Baiana de Educação, engenheiro e doutor em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Regional pela Universidade de Barcelona, professor universitário e consultor nas áreas de planejamento estratégico, planejamento empresarial, planejamento regional e planejamento de sistemas energéticos, é autor dos livros Globalização (Editora Nobel, São Paulo, 1997), De Collor a FHC- O Brasil e a Nova (Des)ordem Mundial (Editora Nobel, São Paulo, 1998), Um Projeto para o Brasil (Editora Nobel, São Paulo, 2000), Os condicionantes do desenvolvimento do Estado da Bahia (Tese de doutorado. Universidade de Barcelona,http://www.tesisenred.net/handle/10803/1944, 2003), Globalização e Desenvolvimento (Editora Nobel, São Paulo, 2006), Bahia- Desenvolvimento do Século XVI ao Século XX e Objetivos Estratégicos na Era Contemporânea (EGBA, Salvador, 2008), The Necessary Conditions of the Economic and Social Development- The Case of the State of Bahia (VDM Verlag Dr. Müller Aktiengesellschaft & Co. KG, Saarbrücken, Germany, 2010), Aquecimento Global e Catástrofe Planetária (P&A Gráfica e Editora, Salvador, 2010), Amazônia Sustentável- Para o progresso do Brasil e combate ao aquecimento global (Viena- Editora e Gráfica, Santa Cruz do Rio Pardo, São Paulo, 2011), Os Fatores Condicionantes do Desenvolvimento Econômico e Social (Editora CRV, Curitiba, 2012), Energia no Mundo e no Brasil- Energia e Mudança Climática Catastrófica no Século XXI (Editora CRV, Curitiba, 2015) e As Grandes Revoluções Científicas, Econômicas e Sociais que Mudaram o Mundo (Editora CRV, Curitiba, 2016). Possui blog na Internet (http://fernando.alcoforado.zip.net). E-mail: falcoforado@uol.com.br.