SlideShare uma empresa Scribd logo
Ciência & Vida Página 1 de 10
© ASA, 2017
Preparação para a Prova de Aferição de Ciências Naturais 8.º ano
3.° Ciclo do Ensino Básico
Decreto-Lei n.º 17/2016, de 4 de abril
10 páginas
Duração da Prova: 90 minutos
2017
Utiliza apenas caneta ou esferográfica de tinta azul ou preta.
Não é permitido o uso de corretor.
Deves riscar aquilo que pretendes que não seja classificado.
Para cada resposta, identifica o grupo e o item.
Apresenta apenas uma resposta para cada item.
As cotações dos itens encontram-se no final do enunciado da prova.
Ciência & Vida Página 2 de 10
© ASA, 2017
Grupo I
Origem da vida
Existem muitas teorias para o aparecimento na Terra das primeiras moléculas
orgânicas e das primeiras protocélulas. Estas teorias incluem a formação dos primeiros
compostos na atmosfera primitiva, em resultado da ação de relâmpagos ou da entrada
de compostos orgânicos trazidos por cometas.
Diversos cientistas analisaram o material genético de muitas espécies de
bactérias e determinaram que estas espécies foram originadas a partir de um ancestral
comum, que teria habitado um ambiente rico em hidrogénio, dióxido de carbono e
ferro, típico de algumas fontes hidrotermais que ainda existem na atualidade. Desta
forma, tem sido dado, recentemente, um maior destaque à formação dos primeiros
compostos orgânicos primitivos nestas fontes hidrotermais.
O aparecimento dos primeiros organismos terá ocorrido há cerca de 3,7 mil
milhões de anos.
Figura 1 – Fontes hidrotermais submarinas, onde podem ter aparecido as primeiras
formas de vida na Terra.
As fontes hidrotermais submarinas são formadas pela precipitação de
compostos transportados pela água. Esta infiltrou-se na crusta oceânica, aqueceu em
profundidade, dissolveu os compostos e, ao ascender na crusta e entrar em contacto
com a água do mar, os compostos que transportava precipitaram. As fontes
hidrotermais formam-se próximo dos riftes, devido à presença de magma em
profundidade, que aquece a água que se infiltra.
Ciência & Vida Página 3 de 10
© ASA, 2017
1. Classifica como verdadeira (V) ou falsa (F) cada uma das afirmações relativas à
origem e evolução da vida na Terra.
A – Os dados indicam que a vida na Terra formou-se a partir de compostos
trazidos por corpos extraterrestres.
B – As fontes hidrotermais mencionadas no texto não existem na atualidade.
C – No momento de formação do planeta Terra não existia água no estado líquido.
D – O oxigénio foi libertado para a atmosfera pelo vulcanismo.
E – Alguns compostos primitivos que existiam na atmosfera podem ter formado
compostos orgânicos quando sujeitos a descargas elétricas (relâmpagos).
F – O ozono foi importante na colonização dos ambientes terrestres pelos seres
vivos.
G – A formação da camada de ozono não demonstra a relação entre os subsistemas
terrestres.
H – As formas de vida mais complexas apareceram logo após a formação da Terra.
2. O aumento do registo fóssil no Câmbrico deveu-se…
A. ... à existência de melhores condições ambientais.
B. … ao aparecimento de organismos com revestimentos duros, que facilitaram a
sua fossilização e preservação até à atualidade.
C. … à abundância de seres vivos com corpo mole.
D. … ao aparecimento das primeiras bactérias fotossintéticas, que libertaram
oxigénio para a atmosfera.
3. Os primeiros organismos a aparecer na Terra foram seres formados por
células____, que se caracterizavam por ser ____.
A. procarióticas (…) unicelulares
B. procarióticas (…) multicelulares
C. eucarióticas (…) unicelulares
D. eucarióticas (…) multicelulares
4. Num aparelho vulcânico, o magma está armazenado na ____ e a conduta que a liga
à cratera designa-se por ____.
A. câmara magmática (…) cone vulcânico
B. chaminé vulcânica (…) cone vulcânico
C. chaminé vulcânica (…) câmara magmática
D. câmara magmática (…) chaminé vulcânica
5. Os riftes correspondem a um limite tectónico…
A. … divergente, com afastamento das placas tectónicas.
B. … divergente, com subducção de uma das placas tectónicas.
C. … passivo, com afastamento das placas tectónicas.
D. … convergente, com subducção de uma das placas tectónicas.
6. Relativamente aos sismos, é possível afirmar que …
A. ... só ocorrem nos limites das placas tectónicas.
B. … apresentam sempre elevado poder destruidor.
C. … a propagação das ondas sísmicas em profundidade permite estudar as
camadas mais internas da Terra.
D. … as ondas só se propagam à superfície do planeta, ao nível da crusta.
7. Indica uma zona de Portugal onde possam ser encontradas fontes hidrotermais
submarinas como as referidas no texto.
Ciência & Vida 2016 Página 4 de 10
© ASA, 2017
Grupo II
Fóssil de cobra portuguesa é dos mais antigos do mundo
Recorde dos países com as cobras mais antigas da Terra: o primeiro lugar vai
para Inglaterra, com 167 milhões de anos; o segundo para Portugal, ex aequo com os
Estados Unidos, com 155 milhões de anos; e o terceiro, com cerca de 140 milhões de
anos, vai de novo para Inglaterra. Podem arrumar-se assim os fósseis de quatro cobras,
que de uma assentada fazem recuar os vestígios mais antigos destes répteis em quase
70 milhões de anos, aproximando os cientistas da origem das primeiras cobras.
O fóssil da cobra portuguesa indica que era a maior das quatro cobras descritas,
estimando-se que tivesse 1,2 metros de comprimento. Pode ter incluído na sua dieta os
minúsculos mamíferos primitivos do Jurássico, bem como pequenos dinossauros,
lagartos, aves ou rãs.
Os vestígios da cobra portuguesa remetem para a história de uma antiga mina
de carvão na zona de Leiria, famosa entre os paleontólogos de todo o mundo, e para as
preciosidades que os museus têm à espera de serem desvendadas. Até 1961, extraiu-se
lenhite da mina da Guimarota. Por acaso, dois anos antes, um paleontólogo alemão da
Universidade Livre de Berlim veio a Portugal em prospeção paleontológica, à procura
de mamíferos em jazidas de dinossauros.
Figura 2 – Ilustração da cobra portuguesa Portugalophis lignites.
Julius T. Csotonyi
www.publico.pt (consultado em abril de 2017, texto adaptado)
Ciência & Vida 2016 Página 5 de 10
© ASA, 2017
1. A fossilização ocorre, geralmente, em ambientes ____ em oxigénio e ____ em
sedimentos.
A. pobres (…) escassos
B. ricos (…) abundantes
C. pobres (…) abundantes
D. ricos (…) escassos
2. Durante o transporte os sedimentos são alterados, sendo…
A. … mais angulosos na seção final dos rios.
B. … mais angulosos quanto mais longo for o transporte.
C. … menos angulosos na zona onde se formaram.
D. … mais angulosos nas zonas montanhosas e mais arredondados nos estuários.
3. As afirmações seguintes dizem respeito à mineralização de um fragmento de osso
da cobra descoberta na mina da Guimarota. Coloca-os na ordem correta de
acontecimento.
A – Sobre a cobra morta depositam-se sedimentos que a cobrem totalmente.
B – A cobra morre e o seu corpo fica no fundo de um lago.
C – Exposição à superfície da rocha que contém o fóssil.
D – Os tecidos moles entram em decomposição.
E – Ao longo de milhões de anos, os minerais vão substituindo lentamente o
exosqueleto.
4. Os vulcões não estão distribuídos de forma uniforme pelo território nacional.
Explica este facto com base na tectónica de placas.
5. Estabelece a ligação entre as afirmações e a chave.
Afirmações
A – Resultam de magmas que arrefecem em profundidade.
B – A sua formação pode resultar da solidificação da lava à superfície da geosfera.
C – Podem resultar da ação de agentes erosivos.
D – Resultam da recristalização de minerais no estado sólido.
E – Os principais processos associados são a deposição, o afundamento e a
diagénese.
F – Estão associadas à fusão de rochas preexistentes.
G – Não tendem a formar-se à superfície da geosfera.
H – São as rochas mais abundantes à superfície do planeta.
Chave
I. Rochas sedimentares
II. Rochas magmáticas
III. Rochas metamórficas
6. A zona da mina da Guimarota era um pântano no Jurássico, num ambiente
subtropical e com vegetação exuberante.
Relaciona estas condições com a formação de lenhite, um tipo de carvão.
Ciência & Vida 2016 Página 6 de 10
© ASA, 2017
Grupo III
Interações entre os seres vivos
As micorrizas são associações entre plantas e fungos presentes no solo, sendo
muito abundantes nos ecossistemas. Os cientistas sabem que os fungos podem penetrar
nas células vegetais das raízes e ramificarem-se no solo, aumentando a área de
absorção. Por sua vez, a planta fornece compostos orgânicos ao fungo.
Uma equipa de investigadores estudou em laboratório a importância das
micorrizas. Para tal, cultivaram plantas em solos com ou sem fungos e com diferentes
concentrações de fosfato, adicionado sob a forma de fertilizante. Ao fim de alguns
meses pesaram as folhas das diferentes plantas. Os resultados estão representados no
gráfico da figura 3.
Figura 3 – Resultados experimentais.
1. Estabelece a ligação entre as afirmações e a chave, com base nos dados.
Afirmações
A – As micorrizas são uma associação em que uma das espécies é prejudicada.
B – Os fungos são formados por células eucarióticas.
C – As micorrizas são mais importantes nos solos ricos em fosfatos.
D – A presença do fungo aumenta o crescimento das plantas em meio pobre em
fosfato.
E – O teor de fosfato do solo não limita o crescimento das plantas.
F – Uma das variáveis independentes (experimentais) foi o teor de fosfato no solo.
G – A variável dependente é a presença/ausência de fungo.
H – As plantas correspondem a seres vivos produtores e autotróficos.
Chave
I. Afirmação apoiada pelos dados
II. Afirmação negada pelos dados
III. Afirmação sem relação com os dados
Ciência & Vida 2016 Página 7 de 10
© ASA, 2017
2. Indica a principal conclusão da experiência.
3. O fosfato é usado como fertilizante nas explorações agrícolas mais intensivas.
Contudo, o fosfato pode ser transportado para os cursos de água e afetar a sua
qualidade.
3.1. As afirmações seguintes dizem respeito à eutrofização. Seleciona a opção que
as avalia corretamente.
Afirmações
I. O teor de oxigénio dissolvido na água aumenta nos lagos eutrofizados.
II. A eutrofização impede o crescimento de algas e de bactérias.
III. As plantas subaquáticas são afetadas pela redução da luminosidade que
atinge o fundo do lago.
Opções
A. A afirmação II é verdadeira, I e III são falsas.
B. As afirmações I e II são falsas, III é verdadeira.
C. As afirmações I e II são verdadeiras, III é falsa.
D. As afirmações II e III são verdadeiras, I é falsa.
3.2. Com base nos dados da figura 3, explica o uso de fertilizante com fosfato nas
explorações agrícolas intensivas.
4. Nos solos usados na experiência da figura 3…
A. ... ocorreu reciclagem da matéria.
B. … a matéria e a energia perderam-se nas transferências entre os seres vivos.
C. … não ocorreu desperdício de energia.
D. … parte da matéria inorgânica foi destruída, não sendo aproveitada.
5. As seguintes expressões são relativas a níveis de organização dos ecossistemas.
Coloca-as pela ordem crescente de complexidade.
A – Ecossistema
B – Célula pertencente a uma micorriza
C – Tecido foliar
D – Conjunto de plantas da mesma espécie crescidas em laboratório
E – Populações de seres vivos de espécies diferentes presentes no solo dos vasos
usados na experiência
Ciência & Vida 2016 Página 8 de 10
© ASA, 2017
Grupo IV
Ocupação humana
Na figura 4 está representada uma região no estado natural (situação A) e após
o aumento da ocupação humana ao longo dos anos (situação B). A espessura das setas é
proporcional à quantidade de água que se infiltra nos solos.
Figura 4
1. Classifica como verdadeira (V) ou falsa (F) cada uma das afirmações seguintes.
A – Na situação A, o ciclo de água é mais afetado pela ação antrópica do que na
situação B.
B – O maior risco de cheia ocorre na situação A.
C – A impermeabilização do solo reduz a infiltração de água no subsolo e aumenta
o escoamento superficial.
D – A desflorestação na situação B facilita a perda de nitrogénio nos solos.
E – As maiores variações de caudal ocorrem na situação A.
F – A maior libertação de CO2 para a atmosfera verifica-se na situação B.
G – Na situação A, as pirâmides ecológicas de energia deverão ser invertidas.
H – Na situação B os serviços dos ecossistemas não forma afetados.
2. Indica a diferença entre uma cadeia trófica e uma teia alimentar.
3. Relativamente aos ciclos da matéria, é possível afirmar que…
A. … a fotossíntese é essencial para remover o CO2 da atmosfera.
B. … o nitrogénio é absorvido pelas folhas das árvores.
C. … a atmosfera é principal reservatório de água.
D. … o oxigénio é produzido na respiração celular nos animais.
4. Numa sucessão ecológica primária, após a instalação dos seres vivos pioneiros…
A. … desenvolve-se a comunidade clímax.
B. … ocorre o aparecimento das espécies intermédias.
C. … ocorre um desastre que destrói todos os seres vivos ou o solo.
D. … verifica-se uma redução da complexidade do ecossistema.
A B
Ciência & Vida 2016 Página 9 de 10
© ASA, 2017
5. Explica a importância dos seres vivos no ciclo do oxigénio, nomeadamente na
formação da camada de ozono.
6. Estabelece a correspondência entre as afirmações da coluna A e os tipos de
tratamento de resíduos da coluna B. Utiliza cada letra e cada número apenas uma
vez.
Coluna A Coluna B
A. Separação dos materiais conforme o seu tipo para
produzir novos materiais.
B. Decomposição do material orgânico, formando um
produto rico em matéria inorgânica.
C. Os resíduos hospitalares e industriais altamente
tóxicos e contaminados são tratados de forma
específica.
D. Deposição dos resíduos sólidos numa estrutura
criada para o efeito, de modo a reduzir a poluição
do ambiente.
E. Queima dos resíduos sólidos para reduzir o seu
volume e produzir energia.
F. Tratamento dos resíduos líquidos em estações.
1) Aterro sanitário
2) Incineração
3) ETAR
4) Compostagem
5) Gestão de
resíduos
perigosos
6) Reciclagem
7. As áreas protegidas deverão ser suficientemente grandes para albergar as formas de
vida, em especial as que se encontram em risco de extinção. Estas áreas protegidas
deverão possuir zonas tampão e corredores ecológicos.
Explica a importância da inclusão de zonas tampão nas paisagens protegidas.
FIM
Ciência & Vida 2016 Página 10 de 10
© ASA, 2017
Cotações
Grupo I
1. …………………………………………………………………………………… 5%
2. …………………………………………………………………………………… 3%
3. …………………………………………………………………………………… 3%
4. …………………………………………………………………………………… 3%
5. …………………………………………………………………………………… 3%
6. …………………………………………………………………………………… 3%
7. …………………………………………………………………………………… 3%
23%
Grupo II
1. …………………………………………………………………………………… 3%
2. …………………………………………………………………………………… 3%
3. …………………………………………………………………………………… 4%
4. …………………………………………………………………………………… 4%
5. …………………………………………………………………………………… 5%
6. …………………………………………………………………………………… 6%
25%
Grupo III
1. …………………………………………………………………………………… 5%
2. …………………………………………………………………………………… 3%
3.1 …………………………………………………………………………………… 3%
3.2 …………………………………………………………………………………… 4%
4. …………………………………………………………………………………… 3%
5. …………………………………………………………………………………… 4%
22%
Grupo IV
1. …………………………………………………………………………………… 5%
2. …………………………………………………………………………………… 4%
3. …………………………………………………………………………………… 3%
4. …………………………………………………………………………………… 3%
5. …………………………………………………………………………………… 5%
6. …………………………………………………………………………………… 5%
7. …………………………………………………………………………………… 5%
30%
………………..………………
TOTAL 100%

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a CN8 Ficha Avaliacao 6 FINAL.docx

Praia Carcavelos Alunos
Praia Carcavelos AlunosPraia Carcavelos Alunos
Praia Carcavelos Alunos
Ministério da Educação
 
Tema II - Geo História da Terra
Tema II - Geo História da TerraTema II - Geo História da Terra
Tema II - Geo História da Terra
Isabel Henriques
 
O trabalho de Geografia.pptx
O trabalho de Geografia.pptxO trabalho de Geografia.pptx
O trabalho de Geografia.pptx
arthurfonseca16
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
Jailson Lopes
 
Ii
IiIi
Teste de Geologia (1º Período 2º Teste)
Teste de Geologia (1º Período 2º Teste)Teste de Geologia (1º Período 2º Teste)
Teste de Geologia (1º Período 2º Teste)
Isaura Mourão
 
Fichatrabalho n2 10ano
Fichatrabalho n2 10anoFichatrabalho n2 10ano
Fichatrabalho n2 10ano
Magda Charrua
 
Ficha informativa 1 que explicações para a extinção dos dinossauros
Ficha informativa 1   que explicações para a extinção dos dinossaurosFicha informativa 1   que explicações para a extinção dos dinossauros
Ficha informativa 1 que explicações para a extinção dos dinossauros
Maria Matias
 
3º ANO JACARECAPA II-MÓDULO -1º PERIODO.docx
3º ANO JACARECAPA II-MÓDULO -1º PERIODO.docx3º ANO JACARECAPA II-MÓDULO -1º PERIODO.docx
3º ANO JACARECAPA II-MÓDULO -1º PERIODO.docx
marcia santos
 
Fosseis 1 cópia
Fosseis 1   cópiaFosseis 1   cópia
Fosseis 1 cópia
Pelo Siro
 
Ficha informativa nº 1 - Extinção dos dinossauros
Ficha informativa nº 1 - Extinção dos dinossaurosFicha informativa nº 1 - Extinção dos dinossauros
Ficha informativa nº 1 - Extinção dos dinossauros
Ana Castro
 
T_Diagnostico_SET._2022_23.docx
T_Diagnostico_SET._2022_23.docxT_Diagnostico_SET._2022_23.docx
T_Diagnostico_SET._2022_23.docx
cancela
 
Ff_ Origem da vida II
Ff_ Origem da vida IIFf_ Origem da vida II
Ff_ Origem da vida II
Raquel Antunes
 
CN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da Terra
CN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da TerraCN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da Terra
CN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da Terra
7F
 
Bg10 t1a 17_cc
Bg10 t1a 17_ccBg10 t1a 17_cc
Bg10 t1a 17_cc
José Luís Alves
 
Diversidade biol e conser das especies unid 4
Diversidade biol e conser das especies unid 4Diversidade biol e conser das especies unid 4
Diversidade biol e conser das especies unid 4
Marilay Zac
 
teste 2
teste 2teste 2
teste 2
Susana Galão
 
Ficha fósseis e datação
Ficha fósseis e dataçãoFicha fósseis e datação
Ficha fósseis e datação
catiarf
 
Alienígenas
AlienígenasAlienígenas
Alienígenas
AlissonDeMatosOlivei
 
1 -Terra - um planeta com vida
1 -Terra  - um planeta com vida1 -Terra  - um planeta com vida
1 -Terra - um planeta com vida
Mina Covas
 

Semelhante a CN8 Ficha Avaliacao 6 FINAL.docx (20)

Praia Carcavelos Alunos
Praia Carcavelos AlunosPraia Carcavelos Alunos
Praia Carcavelos Alunos
 
Tema II - Geo História da Terra
Tema II - Geo História da TerraTema II - Geo História da Terra
Tema II - Geo História da Terra
 
O trabalho de Geografia.pptx
O trabalho de Geografia.pptxO trabalho de Geografia.pptx
O trabalho de Geografia.pptx
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 
Ii
IiIi
Ii
 
Teste de Geologia (1º Período 2º Teste)
Teste de Geologia (1º Período 2º Teste)Teste de Geologia (1º Período 2º Teste)
Teste de Geologia (1º Período 2º Teste)
 
Fichatrabalho n2 10ano
Fichatrabalho n2 10anoFichatrabalho n2 10ano
Fichatrabalho n2 10ano
 
Ficha informativa 1 que explicações para a extinção dos dinossauros
Ficha informativa 1   que explicações para a extinção dos dinossaurosFicha informativa 1   que explicações para a extinção dos dinossauros
Ficha informativa 1 que explicações para a extinção dos dinossauros
 
3º ANO JACARECAPA II-MÓDULO -1º PERIODO.docx
3º ANO JACARECAPA II-MÓDULO -1º PERIODO.docx3º ANO JACARECAPA II-MÓDULO -1º PERIODO.docx
3º ANO JACARECAPA II-MÓDULO -1º PERIODO.docx
 
Fosseis 1 cópia
Fosseis 1   cópiaFosseis 1   cópia
Fosseis 1 cópia
 
Ficha informativa nº 1 - Extinção dos dinossauros
Ficha informativa nº 1 - Extinção dos dinossaurosFicha informativa nº 1 - Extinção dos dinossauros
Ficha informativa nº 1 - Extinção dos dinossauros
 
T_Diagnostico_SET._2022_23.docx
T_Diagnostico_SET._2022_23.docxT_Diagnostico_SET._2022_23.docx
T_Diagnostico_SET._2022_23.docx
 
Ff_ Origem da vida II
Ff_ Origem da vida IIFf_ Origem da vida II
Ff_ Origem da vida II
 
CN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da Terra
CN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da TerraCN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da Terra
CN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da Terra
 
Bg10 t1a 17_cc
Bg10 t1a 17_ccBg10 t1a 17_cc
Bg10 t1a 17_cc
 
Diversidade biol e conser das especies unid 4
Diversidade biol e conser das especies unid 4Diversidade biol e conser das especies unid 4
Diversidade biol e conser das especies unid 4
 
teste 2
teste 2teste 2
teste 2
 
Ficha fósseis e datação
Ficha fósseis e dataçãoFicha fósseis e datação
Ficha fósseis e datação
 
Alienígenas
AlienígenasAlienígenas
Alienígenas
 
1 -Terra - um planeta com vida
1 -Terra  - um planeta com vida1 -Terra  - um planeta com vida
1 -Terra - um planeta com vida
 

Mais de IvoneSilva83

ae_prova_equivalencia_v2.pdf
ae_prova_equivalencia_v2.pdfae_prova_equivalencia_v2.pdf
ae_prova_equivalencia_v2.pdf
IvoneSilva83
 
CN8_Teste_Unidade4.pdf
CN8_Teste_Unidade4.pdfCN8_Teste_Unidade4.pdf
CN8_Teste_Unidade4.pdf
IvoneSilva83
 
CN8_Teste_Unidade4_correc.pdf
CN8_Teste_Unidade4_correc.pdfCN8_Teste_Unidade4_correc.pdf
CN8_Teste_Unidade4_correc.pdf
IvoneSilva83
 
CienTIC8_T3.docx
CienTIC8_T3.docxCienTIC8_T3.docx
CienTIC8_T3.docx
IvoneSilva83
 
Bancode Questões_ Terra um sistema com Vida e célula.pdf
Bancode Questões_ Terra um sistema com Vida e célula.pdfBancode Questões_ Terra um sistema com Vida e célula.pdf
Bancode Questões_ Terra um sistema com Vida e célula.pdf
IvoneSilva83
 
CN8_Ficha_Avaliacao_4.DOC
CN8_Ficha_Avaliacao_4.DOCCN8_Ficha_Avaliacao_4.DOC
CN8_Ficha_Avaliacao_4.DOC
IvoneSilva83
 
Banco de questões_ Recursos naturais.pdf
Banco de questões_ Recursos naturais.pdfBanco de questões_ Recursos naturais.pdf
Banco de questões_ Recursos naturais.pdf
IvoneSilva83
 
Catastrofes.pdf
Catastrofes.pdfCatastrofes.pdf
Catastrofes.pdf
IvoneSilva83
 
FQ8.pdf
FQ8.pdfFQ8.pdf
FQ8.pdf
IvoneSilva83
 
Banco de questões_ Ordenamento e gestão do território.pdf
Banco de questões_ Ordenamento e gestão do território.pdfBanco de questões_ Ordenamento e gestão do território.pdf
Banco de questões_ Ordenamento e gestão do território.pdf
IvoneSilva83
 
ae_prova_equivalencia_v1.pdf
ae_prova_equivalencia_v1.pdfae_prova_equivalencia_v1.pdf
ae_prova_equivalencia_v1.pdf
IvoneSilva83
 
ae_ca8_ficha_avaliacao_2_nov16.docx
ae_ca8_ficha_avaliacao_2_nov16.docxae_ca8_ficha_avaliacao_2_nov16.docx
ae_ca8_ficha_avaliacao_2_nov16.docx
IvoneSilva83
 
ae_ca8_ficha_avaliacao.doc
ae_ca8_ficha_avaliacao.docae_ca8_ficha_avaliacao.doc
ae_ca8_ficha_avaliacao.doc
IvoneSilva83
 
Banco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdf
Banco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdfBanco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdf
Banco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdf
IvoneSilva83
 
ae_ca8_fa2_2015.docx
ae_ca8_fa2_2015.docxae_ca8_fa2_2015.docx
ae_ca8_fa2_2015.docx
IvoneSilva83
 

Mais de IvoneSilva83 (15)

ae_prova_equivalencia_v2.pdf
ae_prova_equivalencia_v2.pdfae_prova_equivalencia_v2.pdf
ae_prova_equivalencia_v2.pdf
 
CN8_Teste_Unidade4.pdf
CN8_Teste_Unidade4.pdfCN8_Teste_Unidade4.pdf
CN8_Teste_Unidade4.pdf
 
CN8_Teste_Unidade4_correc.pdf
CN8_Teste_Unidade4_correc.pdfCN8_Teste_Unidade4_correc.pdf
CN8_Teste_Unidade4_correc.pdf
 
CienTIC8_T3.docx
CienTIC8_T3.docxCienTIC8_T3.docx
CienTIC8_T3.docx
 
Bancode Questões_ Terra um sistema com Vida e célula.pdf
Bancode Questões_ Terra um sistema com Vida e célula.pdfBancode Questões_ Terra um sistema com Vida e célula.pdf
Bancode Questões_ Terra um sistema com Vida e célula.pdf
 
CN8_Ficha_Avaliacao_4.DOC
CN8_Ficha_Avaliacao_4.DOCCN8_Ficha_Avaliacao_4.DOC
CN8_Ficha_Avaliacao_4.DOC
 
Banco de questões_ Recursos naturais.pdf
Banco de questões_ Recursos naturais.pdfBanco de questões_ Recursos naturais.pdf
Banco de questões_ Recursos naturais.pdf
 
Catastrofes.pdf
Catastrofes.pdfCatastrofes.pdf
Catastrofes.pdf
 
FQ8.pdf
FQ8.pdfFQ8.pdf
FQ8.pdf
 
Banco de questões_ Ordenamento e gestão do território.pdf
Banco de questões_ Ordenamento e gestão do território.pdfBanco de questões_ Ordenamento e gestão do território.pdf
Banco de questões_ Ordenamento e gestão do território.pdf
 
ae_prova_equivalencia_v1.pdf
ae_prova_equivalencia_v1.pdfae_prova_equivalencia_v1.pdf
ae_prova_equivalencia_v1.pdf
 
ae_ca8_ficha_avaliacao_2_nov16.docx
ae_ca8_ficha_avaliacao_2_nov16.docxae_ca8_ficha_avaliacao_2_nov16.docx
ae_ca8_ficha_avaliacao_2_nov16.docx
 
ae_ca8_ficha_avaliacao.doc
ae_ca8_ficha_avaliacao.docae_ca8_ficha_avaliacao.doc
ae_ca8_ficha_avaliacao.doc
 
Banco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdf
Banco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdfBanco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdf
Banco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdf
 
ae_ca8_fa2_2015.docx
ae_ca8_fa2_2015.docxae_ca8_fa2_2015.docx
ae_ca8_fa2_2015.docx
 

Último

Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 

Último (20)

Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 

CN8 Ficha Avaliacao 6 FINAL.docx

  • 1. Ciência & Vida Página 1 de 10 © ASA, 2017 Preparação para a Prova de Aferição de Ciências Naturais 8.º ano 3.° Ciclo do Ensino Básico Decreto-Lei n.º 17/2016, de 4 de abril 10 páginas Duração da Prova: 90 minutos 2017 Utiliza apenas caneta ou esferográfica de tinta azul ou preta. Não é permitido o uso de corretor. Deves riscar aquilo que pretendes que não seja classificado. Para cada resposta, identifica o grupo e o item. Apresenta apenas uma resposta para cada item. As cotações dos itens encontram-se no final do enunciado da prova.
  • 2. Ciência & Vida Página 2 de 10 © ASA, 2017 Grupo I Origem da vida Existem muitas teorias para o aparecimento na Terra das primeiras moléculas orgânicas e das primeiras protocélulas. Estas teorias incluem a formação dos primeiros compostos na atmosfera primitiva, em resultado da ação de relâmpagos ou da entrada de compostos orgânicos trazidos por cometas. Diversos cientistas analisaram o material genético de muitas espécies de bactérias e determinaram que estas espécies foram originadas a partir de um ancestral comum, que teria habitado um ambiente rico em hidrogénio, dióxido de carbono e ferro, típico de algumas fontes hidrotermais que ainda existem na atualidade. Desta forma, tem sido dado, recentemente, um maior destaque à formação dos primeiros compostos orgânicos primitivos nestas fontes hidrotermais. O aparecimento dos primeiros organismos terá ocorrido há cerca de 3,7 mil milhões de anos. Figura 1 – Fontes hidrotermais submarinas, onde podem ter aparecido as primeiras formas de vida na Terra. As fontes hidrotermais submarinas são formadas pela precipitação de compostos transportados pela água. Esta infiltrou-se na crusta oceânica, aqueceu em profundidade, dissolveu os compostos e, ao ascender na crusta e entrar em contacto com a água do mar, os compostos que transportava precipitaram. As fontes hidrotermais formam-se próximo dos riftes, devido à presença de magma em profundidade, que aquece a água que se infiltra.
  • 3. Ciência & Vida Página 3 de 10 © ASA, 2017 1. Classifica como verdadeira (V) ou falsa (F) cada uma das afirmações relativas à origem e evolução da vida na Terra. A – Os dados indicam que a vida na Terra formou-se a partir de compostos trazidos por corpos extraterrestres. B – As fontes hidrotermais mencionadas no texto não existem na atualidade. C – No momento de formação do planeta Terra não existia água no estado líquido. D – O oxigénio foi libertado para a atmosfera pelo vulcanismo. E – Alguns compostos primitivos que existiam na atmosfera podem ter formado compostos orgânicos quando sujeitos a descargas elétricas (relâmpagos). F – O ozono foi importante na colonização dos ambientes terrestres pelos seres vivos. G – A formação da camada de ozono não demonstra a relação entre os subsistemas terrestres. H – As formas de vida mais complexas apareceram logo após a formação da Terra. 2. O aumento do registo fóssil no Câmbrico deveu-se… A. ... à existência de melhores condições ambientais. B. … ao aparecimento de organismos com revestimentos duros, que facilitaram a sua fossilização e preservação até à atualidade. C. … à abundância de seres vivos com corpo mole. D. … ao aparecimento das primeiras bactérias fotossintéticas, que libertaram oxigénio para a atmosfera. 3. Os primeiros organismos a aparecer na Terra foram seres formados por células____, que se caracterizavam por ser ____. A. procarióticas (…) unicelulares B. procarióticas (…) multicelulares C. eucarióticas (…) unicelulares D. eucarióticas (…) multicelulares 4. Num aparelho vulcânico, o magma está armazenado na ____ e a conduta que a liga à cratera designa-se por ____. A. câmara magmática (…) cone vulcânico B. chaminé vulcânica (…) cone vulcânico C. chaminé vulcânica (…) câmara magmática D. câmara magmática (…) chaminé vulcânica 5. Os riftes correspondem a um limite tectónico… A. … divergente, com afastamento das placas tectónicas. B. … divergente, com subducção de uma das placas tectónicas. C. … passivo, com afastamento das placas tectónicas. D. … convergente, com subducção de uma das placas tectónicas. 6. Relativamente aos sismos, é possível afirmar que … A. ... só ocorrem nos limites das placas tectónicas. B. … apresentam sempre elevado poder destruidor. C. … a propagação das ondas sísmicas em profundidade permite estudar as camadas mais internas da Terra. D. … as ondas só se propagam à superfície do planeta, ao nível da crusta. 7. Indica uma zona de Portugal onde possam ser encontradas fontes hidrotermais submarinas como as referidas no texto.
  • 4. Ciência & Vida 2016 Página 4 de 10 © ASA, 2017 Grupo II Fóssil de cobra portuguesa é dos mais antigos do mundo Recorde dos países com as cobras mais antigas da Terra: o primeiro lugar vai para Inglaterra, com 167 milhões de anos; o segundo para Portugal, ex aequo com os Estados Unidos, com 155 milhões de anos; e o terceiro, com cerca de 140 milhões de anos, vai de novo para Inglaterra. Podem arrumar-se assim os fósseis de quatro cobras, que de uma assentada fazem recuar os vestígios mais antigos destes répteis em quase 70 milhões de anos, aproximando os cientistas da origem das primeiras cobras. O fóssil da cobra portuguesa indica que era a maior das quatro cobras descritas, estimando-se que tivesse 1,2 metros de comprimento. Pode ter incluído na sua dieta os minúsculos mamíferos primitivos do Jurássico, bem como pequenos dinossauros, lagartos, aves ou rãs. Os vestígios da cobra portuguesa remetem para a história de uma antiga mina de carvão na zona de Leiria, famosa entre os paleontólogos de todo o mundo, e para as preciosidades que os museus têm à espera de serem desvendadas. Até 1961, extraiu-se lenhite da mina da Guimarota. Por acaso, dois anos antes, um paleontólogo alemão da Universidade Livre de Berlim veio a Portugal em prospeção paleontológica, à procura de mamíferos em jazidas de dinossauros. Figura 2 – Ilustração da cobra portuguesa Portugalophis lignites. Julius T. Csotonyi www.publico.pt (consultado em abril de 2017, texto adaptado)
  • 5. Ciência & Vida 2016 Página 5 de 10 © ASA, 2017 1. A fossilização ocorre, geralmente, em ambientes ____ em oxigénio e ____ em sedimentos. A. pobres (…) escassos B. ricos (…) abundantes C. pobres (…) abundantes D. ricos (…) escassos 2. Durante o transporte os sedimentos são alterados, sendo… A. … mais angulosos na seção final dos rios. B. … mais angulosos quanto mais longo for o transporte. C. … menos angulosos na zona onde se formaram. D. … mais angulosos nas zonas montanhosas e mais arredondados nos estuários. 3. As afirmações seguintes dizem respeito à mineralização de um fragmento de osso da cobra descoberta na mina da Guimarota. Coloca-os na ordem correta de acontecimento. A – Sobre a cobra morta depositam-se sedimentos que a cobrem totalmente. B – A cobra morre e o seu corpo fica no fundo de um lago. C – Exposição à superfície da rocha que contém o fóssil. D – Os tecidos moles entram em decomposição. E – Ao longo de milhões de anos, os minerais vão substituindo lentamente o exosqueleto. 4. Os vulcões não estão distribuídos de forma uniforme pelo território nacional. Explica este facto com base na tectónica de placas. 5. Estabelece a ligação entre as afirmações e a chave. Afirmações A – Resultam de magmas que arrefecem em profundidade. B – A sua formação pode resultar da solidificação da lava à superfície da geosfera. C – Podem resultar da ação de agentes erosivos. D – Resultam da recristalização de minerais no estado sólido. E – Os principais processos associados são a deposição, o afundamento e a diagénese. F – Estão associadas à fusão de rochas preexistentes. G – Não tendem a formar-se à superfície da geosfera. H – São as rochas mais abundantes à superfície do planeta. Chave I. Rochas sedimentares II. Rochas magmáticas III. Rochas metamórficas 6. A zona da mina da Guimarota era um pântano no Jurássico, num ambiente subtropical e com vegetação exuberante. Relaciona estas condições com a formação de lenhite, um tipo de carvão.
  • 6. Ciência & Vida 2016 Página 6 de 10 © ASA, 2017 Grupo III Interações entre os seres vivos As micorrizas são associações entre plantas e fungos presentes no solo, sendo muito abundantes nos ecossistemas. Os cientistas sabem que os fungos podem penetrar nas células vegetais das raízes e ramificarem-se no solo, aumentando a área de absorção. Por sua vez, a planta fornece compostos orgânicos ao fungo. Uma equipa de investigadores estudou em laboratório a importância das micorrizas. Para tal, cultivaram plantas em solos com ou sem fungos e com diferentes concentrações de fosfato, adicionado sob a forma de fertilizante. Ao fim de alguns meses pesaram as folhas das diferentes plantas. Os resultados estão representados no gráfico da figura 3. Figura 3 – Resultados experimentais. 1. Estabelece a ligação entre as afirmações e a chave, com base nos dados. Afirmações A – As micorrizas são uma associação em que uma das espécies é prejudicada. B – Os fungos são formados por células eucarióticas. C – As micorrizas são mais importantes nos solos ricos em fosfatos. D – A presença do fungo aumenta o crescimento das plantas em meio pobre em fosfato. E – O teor de fosfato do solo não limita o crescimento das plantas. F – Uma das variáveis independentes (experimentais) foi o teor de fosfato no solo. G – A variável dependente é a presença/ausência de fungo. H – As plantas correspondem a seres vivos produtores e autotróficos. Chave I. Afirmação apoiada pelos dados II. Afirmação negada pelos dados III. Afirmação sem relação com os dados
  • 7. Ciência & Vida 2016 Página 7 de 10 © ASA, 2017 2. Indica a principal conclusão da experiência. 3. O fosfato é usado como fertilizante nas explorações agrícolas mais intensivas. Contudo, o fosfato pode ser transportado para os cursos de água e afetar a sua qualidade. 3.1. As afirmações seguintes dizem respeito à eutrofização. Seleciona a opção que as avalia corretamente. Afirmações I. O teor de oxigénio dissolvido na água aumenta nos lagos eutrofizados. II. A eutrofização impede o crescimento de algas e de bactérias. III. As plantas subaquáticas são afetadas pela redução da luminosidade que atinge o fundo do lago. Opções A. A afirmação II é verdadeira, I e III são falsas. B. As afirmações I e II são falsas, III é verdadeira. C. As afirmações I e II são verdadeiras, III é falsa. D. As afirmações II e III são verdadeiras, I é falsa. 3.2. Com base nos dados da figura 3, explica o uso de fertilizante com fosfato nas explorações agrícolas intensivas. 4. Nos solos usados na experiência da figura 3… A. ... ocorreu reciclagem da matéria. B. … a matéria e a energia perderam-se nas transferências entre os seres vivos. C. … não ocorreu desperdício de energia. D. … parte da matéria inorgânica foi destruída, não sendo aproveitada. 5. As seguintes expressões são relativas a níveis de organização dos ecossistemas. Coloca-as pela ordem crescente de complexidade. A – Ecossistema B – Célula pertencente a uma micorriza C – Tecido foliar D – Conjunto de plantas da mesma espécie crescidas em laboratório E – Populações de seres vivos de espécies diferentes presentes no solo dos vasos usados na experiência
  • 8. Ciência & Vida 2016 Página 8 de 10 © ASA, 2017 Grupo IV Ocupação humana Na figura 4 está representada uma região no estado natural (situação A) e após o aumento da ocupação humana ao longo dos anos (situação B). A espessura das setas é proporcional à quantidade de água que se infiltra nos solos. Figura 4 1. Classifica como verdadeira (V) ou falsa (F) cada uma das afirmações seguintes. A – Na situação A, o ciclo de água é mais afetado pela ação antrópica do que na situação B. B – O maior risco de cheia ocorre na situação A. C – A impermeabilização do solo reduz a infiltração de água no subsolo e aumenta o escoamento superficial. D – A desflorestação na situação B facilita a perda de nitrogénio nos solos. E – As maiores variações de caudal ocorrem na situação A. F – A maior libertação de CO2 para a atmosfera verifica-se na situação B. G – Na situação A, as pirâmides ecológicas de energia deverão ser invertidas. H – Na situação B os serviços dos ecossistemas não forma afetados. 2. Indica a diferença entre uma cadeia trófica e uma teia alimentar. 3. Relativamente aos ciclos da matéria, é possível afirmar que… A. … a fotossíntese é essencial para remover o CO2 da atmosfera. B. … o nitrogénio é absorvido pelas folhas das árvores. C. … a atmosfera é principal reservatório de água. D. … o oxigénio é produzido na respiração celular nos animais. 4. Numa sucessão ecológica primária, após a instalação dos seres vivos pioneiros… A. … desenvolve-se a comunidade clímax. B. … ocorre o aparecimento das espécies intermédias. C. … ocorre um desastre que destrói todos os seres vivos ou o solo. D. … verifica-se uma redução da complexidade do ecossistema. A B
  • 9. Ciência & Vida 2016 Página 9 de 10 © ASA, 2017 5. Explica a importância dos seres vivos no ciclo do oxigénio, nomeadamente na formação da camada de ozono. 6. Estabelece a correspondência entre as afirmações da coluna A e os tipos de tratamento de resíduos da coluna B. Utiliza cada letra e cada número apenas uma vez. Coluna A Coluna B A. Separação dos materiais conforme o seu tipo para produzir novos materiais. B. Decomposição do material orgânico, formando um produto rico em matéria inorgânica. C. Os resíduos hospitalares e industriais altamente tóxicos e contaminados são tratados de forma específica. D. Deposição dos resíduos sólidos numa estrutura criada para o efeito, de modo a reduzir a poluição do ambiente. E. Queima dos resíduos sólidos para reduzir o seu volume e produzir energia. F. Tratamento dos resíduos líquidos em estações. 1) Aterro sanitário 2) Incineração 3) ETAR 4) Compostagem 5) Gestão de resíduos perigosos 6) Reciclagem 7. As áreas protegidas deverão ser suficientemente grandes para albergar as formas de vida, em especial as que se encontram em risco de extinção. Estas áreas protegidas deverão possuir zonas tampão e corredores ecológicos. Explica a importância da inclusão de zonas tampão nas paisagens protegidas. FIM
  • 10. Ciência & Vida 2016 Página 10 de 10 © ASA, 2017 Cotações Grupo I 1. …………………………………………………………………………………… 5% 2. …………………………………………………………………………………… 3% 3. …………………………………………………………………………………… 3% 4. …………………………………………………………………………………… 3% 5. …………………………………………………………………………………… 3% 6. …………………………………………………………………………………… 3% 7. …………………………………………………………………………………… 3% 23% Grupo II 1. …………………………………………………………………………………… 3% 2. …………………………………………………………………………………… 3% 3. …………………………………………………………………………………… 4% 4. …………………………………………………………………………………… 4% 5. …………………………………………………………………………………… 5% 6. …………………………………………………………………………………… 6% 25% Grupo III 1. …………………………………………………………………………………… 5% 2. …………………………………………………………………………………… 3% 3.1 …………………………………………………………………………………… 3% 3.2 …………………………………………………………………………………… 4% 4. …………………………………………………………………………………… 3% 5. …………………………………………………………………………………… 4% 22% Grupo IV 1. …………………………………………………………………………………… 5% 2. …………………………………………………………………………………… 4% 3. …………………………………………………………………………………… 3% 4. …………………………………………………………………………………… 3% 5. …………………………………………………………………………………… 5% 6. …………………………………………………………………………………… 5% 7. …………………………………………………………………………………… 5% 30% ………………..……………… TOTAL 100%