SlideShare uma empresa Scribd logo
UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS
UNIVERSIDADE ABERTA DO SUS
Faculdade de Medicina
Especialização em Saúde da Família
Turma VI
Melhoria da Atenção ao Pré-Natal e Puerpério na Estratégia
Saúde da Família Edson Raulino de Almeida em Barras/PI
Orientadora: Msc. Enfª. Elitiele Ortiz dos Santos
Teresina, 2015
Cibele Alves de Araújo
1. Introdução
• Segundo Brasil (2006) a assistência à mulher é uma
importante ferramenta de gestão, capaz de gerar ações
programáticas e estratégicas, baseadas na realidade dessas
mulheres que servirão de foco de intervenção;
• Ações antes da intervenção: Controle do número de gestantes
por meio do SIAB; Dia específico para atendimento; não fazia
parte da rotina da equipe ações programadas;
• Melhorias após a intervenção;
1. Introdução
População
45.786 habitantes
Rede de Saúde
15 Unidade Básica de Saúde (UBS);
1- Centro de Especialidades Odontológicas (CEO)
1- Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NASF)
1-Hospital Municipal Leônidas Melo,
População da UBS
- 2.137 habitantes dois postos cede, Sossego e
Murici,
1. Introdução
• Equipe:
• 1-Médica; 1-Enfermeira;
• 1-Técnico de Enfermagem;
• 1- Recepcionista; 1- Motorista;
• 4- Agentes Comunitária de Saúde;
• Recepção (acentos de alvenaria para os
pacientes, balcão, estante, ventiladores e
balança para adultos)
• Um único banheiro;
• Dois consultórios, um médico e outro para a
enfermeira e é também utilizado como sala
de vacinas;
• Uma farmácia e uma outra sala destinada a
realização de pequenos
procedimentos(desativada)
Estrutura
Física da
UBS
• Equipe
2. Objetivo
2.1 Objetivo geral
Melhorar a atenção ao pré-natal e puerpério da Unidade
Básica de Saúde Edson Raulino de Almeida;
3. Metodologia
3.1 Ações
3.1 Detalhamento das Ações
Eixo: Monitoramento e avaliação:
• Monitorar o número de gestantes e puérperas cadastrados no
Programa;
• Observar o cumprimento da periodicidade das consultas;
• Monitorar a realização de pelo menos um exame ginecológico
por trimestre em todas as gestantes.
• Monitorar a realização de pelo menos um exame de mamas
em todas as gestantes.
• Monitorar a solicitação dos exames laboratoriais previstos no
protocolo para as gestantes.
3. Metodologia
3.1 Ações
3.1 Detalhamento das Ações
Eixo: Monitoramento e avaliação:
• Monitorar a prescrição de suplementação de ferro/ácido fólico
em todas as gestantes.
• Monitorar a vacinação contra a hepatite B e anti-tetânica das
gestantes.
• Monitorar a avaliação da necessidade de tratamento
odontológico das gestantes.
• Monitorar a conclusão do tratamento dentário;
• Melhorar registro das informações do pré-natal e puerpério;
• Mapear as gestantes e puérperas de risco;
• Promover a saúde no pré-natal e puerpério
3. Metodologia
3.1 Ações
Detalhamento da ação
Eixo: Organização e gestão do serviço:
• Garantir melhorias no acolhimento;
•Cadastrar todas as gestantes da área de cobertura da
unidade de saúde.
•Estabelecer sistemas de alerta para fazer o exame
ginecológico.
•Estabelecer sistemas de alerta para fazer o exame de
mama.
•Estabelecer sistemas de alerta para a solicitação de
exames de acordo com o protocolo.
3. Metodologia
3.1 Ações
Detalhamento da ação
Eixo: Organização e gestão do serviço:
• Garantir acesso facilitado ao sulfato ferroso e ácido fólico.
• Estabelecer sistemas de alerta para a realização da vacina
antitetânica.
• Realizar controle de estoque de vacinas.
• Estabelecer sistemas de alerta para a realização da vacina.
• Oferecer atendimento prioritário às gestantes.
• Organizar agenda de saúde bucal para atendimento das
gestantes.
3. Metodologia
3.1 Ações
Detalhamento da ação
•No eixo engajamento público:
• Realizar atividades a fim de orientar a comunidade sobre a
importância de um pré-natal de qualidade;
• Esclarecer a comunidade sobre a necessidade de realizar o
exame ginecológico, exame das mamas e exames
complementares e sobre a segurança do exame;
• Esclarecer a comunidade sobre a importância da
suplementação de ferro/ ácido fólico; sobre a importância da
realização da vacinação completa e sobre avaliar a saúde
bucal;.
3. Metodologia
3.1 Ações
Detalhamento da ação
Eixo qualificação da prática clínica
• Capacitar e orientar a equipe;
• Capacitar a equipe no acolhimento às gestantes;
• Capacitar os ACS na busca daquelas que não estão
realizando pré-natal em nenhum serviço;
• Ampliar o conhecimento da equipe sobre o Programa de
Humanização ao Pré-natal e nascimento (PHPN);
• Capacitar a equipe para realizar o exame ginecológico nas
gestantes e para identificação de sistemas;
3. Metodologia
3.1 Ações
Detalhamento da ação
Eixo qualificação da prática clínica
•Capacitar a equipe para realizar o exame de mamas nas
gestantes e para identificação de sistemas de alerta;
•Capacitar a equipe para solicitar os exames de acordo com o
protocolo para as gestantes;
•Capacitar a equipe para a prescrição de sulfato ferroso e ácido
fólico para as gestantes;
•Capacitar a equipe sobre a realização de vacinas na gestação.
•Capacitar a equipe para realizar avaliação da necessidade de
tratamento odontológico em gestantes.
3. Metodologia
3.2 Logística
3.2 Logística
• Pré-natal Puerpério termos como referência o Manual
Técnico de Pré-natal e Puerpério do Ministério da
Saúde, 2012;
• Adotar ficha espelho disponibilizados pelo PROVAB;
• Disponibilizar 50 fichas espelho e 50 fichas
complementares;
• Acompanhamento mensal por meio da planilha
eletrônica de coleta de dados;
• Distribuição das tarefas da equipe;
• Comunicar a comunidade a participar;
3. Metodologia
3.2 Logística
• ACS irão realizar busca ativa dos faltosos para retorna ao
tratamento na UBS em questão, bem como a capitação;
• Dispor das 400 fichas espelho e 400 fichas complementares;
• O enfermeiro ficou responsável por alimentação e organização
do registro o semanalmente;
• O médico será o responsável pela alimentação semanal da
planilha de dados.
4. Avaliação da Intervenção
4.1 Resultados
•Relativos ao objetivo 1: Ampliar a cobertura de Pré-natal
•Meta 1.1: Alcançar 100% de cobertura das gestantes
cadastradas no Programa de Pré-natal da unidade de saúde
•Indicador 1.1: Proporção de gestantes cadastradas no
Programa de Pré-natal.
Figura 1: Proporção de gestantes cadastradas no
Programa de Pré-natal. Barras-PI.
4. Avaliação da Intervenção
4.1 Resultados
•Objetivo 1: Ampliar a cobertura da atenção a puérperas;
•Meta 1.2: Garantir o cadastro das puérperas no programa de
Pré-Natal e Puerpério da Unidade de Saúde consulta puerperal
antes dos 42 dias após o parto;
•Indicador 1.2: Proporção de puérperas com consulta até 42 dias
após o parto.
Figura 2: Proporção de puérperas com consulta até
42 dias após o parto. Barras-PI.
4. Avaliação da Intervenção
4.1 Resultados
• Objetivo 1: Ampliar a cobertura de pré-natal;
• Meta 1.3: Garantir a captação de 100% das gestantes
residentes na área de abrangência da unidade de saúde no
primeiro trimestre de gestação.
• Indicador 1.3: Proporção de gestantes captadas no primeiro
trimestre de gestação.
Figura 3: Proporção de gestantes captadas no primeiro
trimestre de gestação. Barras-PI.
4. Avaliação da Intervenção
4.1 Resultados
• Objetivo 2: Melhorar a adesão das mães ao puerpério;
• Meta 2.1: Realizar busca ativa em 100% das gestantes que
não realizaram a consulta de pré-natal;
• Indicador 2.1: Proporção de gestantes faltosas à consulta que
receberam busca ativa.
• Meta 2.2: Realizar busca ativa em 100% das puérperas que
não realizaram a consulta de puerpério até 30 dias após o parto;
• Indicador 2.3: Proporção de puérperas faltosas à consulta que
receberam busca ativa.
Nos três meses da intervenção, pois tanto as gestantes,
como as puérperas faltosas em cada mês foram buscadas pelos
ACS, alcançado com isso 100% de buscas ativas.
4. Avaliação da Intervenção
4.1 Resultados
• Objetivo 3: Melhorar a qualidade da atenção ao pré-natal e
puerpério realizado na Unidade.
• Meta 3.1: Realizar pelo menos um exame ginecológico por
trimestre em 100% das gestantes durante o pré-natal.
• Indicador 3.1: Proporção de gestante com exame ginecológico
realizado por trimestre.
• Meta 3.2: Realizar pelo exame ginecológico em 100% das
puérperas;
• Indicador 3.2: Proporção de puérperas que receberam exame
ginecológico.
Nos três meses de intervenção 100% das gestantes e
100% das puérperas realizaram um exame ginecológico por
trimestre.
4 Avaliação da Intervenção
4.1 Resultados
• Objetivo 3: Melhorar a qualidade da atenção às puérperas na
Unidade de Saúde
• Meta 3.3: Examinar o abdome em 100% de puérperas
cadastradas no Programa
• Indicador 3.3: Proporção de puérperas com o abdome
examinado
• Meta 3.4: Avaliar o estado psíquico em 100% das puérperas
cadastradas no Programa;
• Indicador 3.4: Proporção de puérperas com avaliação do
estado psíquico
Nos três mês da intervenção 100% das puérperas
realizaram exame de abdômen e tiveram seu estado psíquico
avaliado.
4. Avaliação da Intervenção
4.1 Resultados
• Objetivo 3: Melhorar a qualidade da atenção ao pré-natal e
puerpério realizado na Unidade.
• Meta 3.6: Garantir a 100% das gestantes a prescrição de
suplementação de Sulfato Ferroso e Ácido Fólico conforme
protocolo.
• Indicadores 3.6: Proporção de gestantes com prescrição de
suplementação de Sulfato Ferrosos e Ácido Fólico.
Nos três meses da intervenção atingimos 100% das
prescrições de sulfato ferrosos e ácido fólico.
4. Avaliação da Intervenção
4.1 Resultados
• Objetivo 3: Melhorar a qualidade da atenção ao pré-natal e
puerpério realizado na Unidade.
• Meta 3.7: Garantir a 100% das gestantes a solicitação de
exames.
• Indicador 3.7: Proporção de gestantes com solicitação de
exames.
• Meta 3.8: Garantir a 100% das puérperas a solicitação de
exames.
• Indicador 3.8: Proporção de puérperas com solicitação de
exames.
Em todos os meses da intervenção alcançamos 100% de
sua realização.
4. Avaliação da Intervenção
4.1 Resultados
• Objetivo 3: Melhorar a qualidade da atenção ao pré-natal
realizado na Unidade.
• Meta 3.8: Garantir que 100% das gestantes completem o
esquema da vacina anti-tetânica.
• Indicador 3.8: Proporção das gestantes com esquema da
vacina anti-tetânica completo.
• Meta 3.9: Garantir que 100% das gestantes completem o
esquema da vacina de Hepatite B.
• Indicador 3.9: Proporção de gestantes com esquema da
vacina de Hepatite B completo.
No que se refere ao esquema vacinal completo das
gestantes, alcançamos a meta, pois nos três meses foi
garantido a vacinação anti-tetânica e Hepatite B completa a
100% das gestantes
4. Avaliação da Intervenção
4.1 Resultados
• Objetivo 3: Melhorar a qualidade da atenção ao pré-natal
realizado na Unidade.
• Meta 3.10: Realizar avaliação de saúde bucal em 100% das
gestantes durante o pré-natal.
• Indicadores 3.10: Proporção de gestantes avaliadas sobre a
saúde bucal.
Apesar da UBS em questão não possuir um dentista em
seu quadro de profissionais, a enfermeira e a médica realizavam
a avaliação e orientações sobre à saúde bucal em 100% dessas
usuárias nos três meses da intervenção.
4. Avaliação da Intervenção
4.1 Resultados
• Objetivo 3: Melhorar a qualidade da atenção ao pré-natal
e puerpério realizado na Unidade.
• Meta 3.11: Garantir a primeira consulta odontológica
programática para 100% das gestantes cadastradas;
• Indicador 3.11: Proporção de gestantes com primeira
consulta odontológica programática.
Não conseguimos o alcance desta meta, pois as
gestantes que foram identificadas com necessidade
odontológica se recusavam a realizar o tratamento devido a
distancia.
4. Avaliação da Intervenção
4.1 Resultados
• Objetivo 4: Melhorar a adesão das mães ao puerpério;
• Meta 4.1: Realizar busca ativa em 100% das gestantes que
não realizaram a consulta de pré-natal;
• Indicador 4.1: Proporção de gestantes faltosas à consulta que
receberam busca ativa.
• Meta 4.2: Realizar busca ativa em 100% das puérperas que
não realizaram a consulta de puerpério até 30 dias após o
parto;
• Indicador 4.2: Proporção de puérperas faltosas à consulta que
receberam busca ativa.
Foram alcançados e mantidos 100% dos registros em dia
nos três meses
4. Avaliação da Intervenção
4.1 Resultados
• Objetivo 5: Mapear as gestantes de risco
• Meta 5.1: Avaliar risco gestacional em 100% das gestantes;
• Indicador 5.1: Proporção de gestantes com avaliação de
riscos e intercorrências.
• Meta 5.2: Avaliar risco em 100% das puérperas;
• Indicador 5.2: Proporção de puérperas com avaliação de
riscos e intercorrências.
Nos três meses de intervenção alcançamos 100% de
avaliação dos riscos das gestantes e puérperas.
4. Avaliação da Intervenção
4.1 Resultados
• Objetivo 6: Promover a saúde no pré-natal e puerpério.
• Meta 6.1: Garantir a 100% das gestantes orientação
nutricional durante a gestação;
• Meta 6.2: Promover o aleitamento materno junto a 100% das
gestantes.
• Meta 6.3: Orientar 100% das gestantes cadastradas no
Programa de Pré-Natal e Puerpério sobre planejamento
familiar;
• Meta 6.4: Orientar 100% das gestantes sobre os cuidados
com o recém-nascido (teste do pezinho, decúbito dorsal para
dormir);
100% das gestantes nos três meses da intervenção foram
orientadas nestes quesitos acima.
4 Avaliação da Intervenção
4.1 Resultados
• Meta 6.5: Orientar 100% das gestantes sobre anticoncepção
após o parto;
• Meta 6.6: Orientar 100% das gestantes sobre os riscos do
tabagismo e do uso de álcool e drogas na gestação;
• Meta 6.7: Orientar 100% das gestantes sobre higiene bucal.
No que diz respeito às orientações 100% das gestantes
nos três meses da intervenção receberam orientações sobre a
alimentação, sobre aleitamento materno, sobre os cuidados com
o recém-nascido, sobre planejamento familiar, métodos
contraceptivos e sobre o uso do álcool e do tabaco.
4 Avaliação da Intervenção
4.1 Resultados
• Objetivo 6: Promover a saúde no pré-natal e puerpério.
• Meta 6.8: Garantir a 100% das puérperas orientação
nutricional durante a gestação;
• Meta 6.10: Promover o aleitamento materno exclusivo junto a
100% das puérperas;
• Meta 6.11: Orientar 100% das puérperas cadastradas no
Programa de Pré-Natal e Puerpério sobre planejamento familiar;
• Meta 6.12: Orientar 100% das puérperas sobre os cuidados
com o recém-nascido (teste do pezinho, decúbito dorsal para
dormir);
100% das gestantes nos três meses da intervenção foram
orientadas nestes quesitos acima.
4 Avaliação da Intervenção
4.1 Resultados
• Meta 6.13: Orientar 100% das gestantes sobre anticoncepção
após o parto;
• Meta 6.14: Orientar 100% das puérperas sobre os riscos do
tabagismo e do uso de álcool e drogas na gestação;
• Meta 6.15: Orientar 100% das puérperas sobre higiene bucal.
As puérperas em sua totalidade nos três meses de
intervenção também receberam orientações sobre aleitamento
materno exclusivo, sobre os cuidados com o recém-nascido,
sobre planejamento familiar, métodos contraceptivos, sobre o uso
do álcool e do tabaco, sobre a higiene bucal, bem como foi
prescrito métodos contraceptivos para as 100% delas.
4.2 Discussão
• As ações previstas que foram desenvolvidas;
• As ações previstas que não foram desenvolvidas;
• Dificuldades;
• Importância da intervenção para o serviço, equipe e gestores;
• Incorporação das ações previstas à rotina do serviço;
5 Reflexão Crítica
• Crescimento pessoal;
• Confronto com a realidade
de trabalho;
• Importância do
planejamento das ações;
•Contribuições dos gestores,
da comunidade e do curso;
Referências
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Programa de
Humanização no Pré-natal e Nascimento (PHPN). Brasília; 2001.
________. Departamento de Atenção Básica, Secretaria de Atenção à Saúde,
Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília: Ministério
da Saúde; 2006. (Série A. Normas e Manuais Técnicos – Série Pactos pela
Saúde, 4).
_________. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde.
Assistência pré-natal: manual técnico. 3. ed. Brasília, DF; 2012
GRANGEIRO, G. R.; DIÓGENES, M. A. R.; MOURA, E. R. F. Atenção Pré-
Natal no Município de Quixadá-CE segundo indicadores de processo do
sisprenatal. Rev Esc Enferm. Rio de Janeiro, v. 42, n. 1, p. 105-11, jan-fev.
2008. Disponível em:<http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v42n1/14.pdf>.
Cibele_Alves_de_Araújo.ppt

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Cibele_Alves_de_Araújo.ppt

Implantação de um programa de pré-natal odontológico na ESF Veneza no municíp...
Implantação de um programa de pré-natal odontológico na ESF Veneza no municíp...Implantação de um programa de pré-natal odontológico na ESF Veneza no municíp...
Implantação de um programa de pré-natal odontológico na ESF Veneza no municíp...
Mariana Cademartori
 
Tamara_Sehn.ppt
Tamara_Sehn.pptTamara_Sehn.ppt
Tamara_Sehn.ppt
jussarasousa13
 
Tamara_Sehn.ppt
Tamara_Sehn.pptTamara_Sehn.ppt
Tamara_Sehn.ppt
fernandamdantas2015
 
Tamara_Sehn.ppt
Tamara_Sehn.pptTamara_Sehn.ppt
Tamara_Sehn.ppt
arnalima8141
 
A redução do parto cesáreo
A redução do parto cesáreoA redução do parto cesáreo
A redução do parto cesáreo
adrianomedico
 
Continuação
ContinuaçãoContinuação
Continuação
Anna Karla Maia
 
Rede cegonha ppt
Rede cegonha pptRede cegonha ppt
Rede cegonha ppt
Liene Campos
 
Rede Cegonha Carmem.ppt
Rede Cegonha  Carmem.pptRede Cegonha  Carmem.ppt
Rede Cegonha Carmem.ppt
DonCorleone22
 
Impacto Da ImplementaçãO Da Iniciativa Unidade BáSica Amiga Da AmamentaçãO Na...
Impacto Da ImplementaçãO Da Iniciativa Unidade BáSica Amiga Da AmamentaçãO Na...Impacto Da ImplementaçãO Da Iniciativa Unidade BáSica Amiga Da AmamentaçãO Na...
Impacto Da ImplementaçãO Da Iniciativa Unidade BáSica Amiga Da AmamentaçãO Na...
Biblioteca Virtual
 
Fatores Associados Com A DuraçãO Do Aleitamento Materno
Fatores Associados Com A DuraçãO Do Aleitamento MaternoFatores Associados Com A DuraçãO Do Aleitamento Materno
Fatores Associados Com A DuraçãO Do Aleitamento Materno
Biblioteca Virtual
 
Aconselhamento em Amamentação: avaliação do curso da OMS/Unicef
Aconselhamento em Amamentação: avaliação do curso da OMS/Unicef Aconselhamento em Amamentação: avaliação do curso da OMS/Unicef
Aconselhamento em Amamentação: avaliação do curso da OMS/Unicef
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Elaboração das Diretrizes de Atenção à Gestante - 07 de novembro de 2016
Elaboração das Diretrizes de Atenção à Gestante - 07 de novembro de 2016Elaboração das Diretrizes de Atenção à Gestante - 07 de novembro de 2016
Elaboração das Diretrizes de Atenção à Gestante - 07 de novembro de 2016
CONITEC
 
Trabalho de estagio 1
Trabalho de estagio 1Trabalho de estagio 1
Trabalho de estagio 1
Mabi Almeida
 
Defesa de TCC | Fabiane Rodrigues Bessa
Defesa de TCC | Fabiane Rodrigues BessaDefesa de TCC | Fabiane Rodrigues Bessa
Defesa de TCC | Fabiane Rodrigues Bessa
Especialização em Saúde da Família - EaD - UFPEl
 
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Tania Fonseca
 
Guia de prática clínica sobre cuidados com o parto normal
Guia de prática clínica sobre cuidados com o parto normalGuia de prática clínica sobre cuidados com o parto normal
Guia de prática clínica sobre cuidados com o parto normal
Aline Melo de Aguiar
 
Relatorio Gestão UBS Pimentas 2013
Relatorio Gestão UBS Pimentas 2013Relatorio Gestão UBS Pimentas 2013
Relatorio Gestão UBS Pimentas 2013
Regionalpimentas
 
PromoçãO, ProteçãO E Apoio à AmamentaçãO Na AtençãO PrimáRia à SaúDe No Estad...
PromoçãO, ProteçãO E Apoio à AmamentaçãO Na AtençãO PrimáRia à SaúDe No Estad...PromoçãO, ProteçãO E Apoio à AmamentaçãO Na AtençãO PrimáRia à SaúDe No Estad...
PromoçãO, ProteçãO E Apoio à AmamentaçãO Na AtençãO PrimáRia à SaúDe No Estad...
Biblioteca Virtual
 
assistência de saúde da mulher AULA 02.pdf
assistência de saúde da mulher AULA 02.pdfassistência de saúde da mulher AULA 02.pdf
assistência de saúde da mulher AULA 02.pdf
DaviloBrachion2
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
HIURYGOMES
 

Semelhante a Cibele_Alves_de_Araújo.ppt (20)

Implantação de um programa de pré-natal odontológico na ESF Veneza no municíp...
Implantação de um programa de pré-natal odontológico na ESF Veneza no municíp...Implantação de um programa de pré-natal odontológico na ESF Veneza no municíp...
Implantação de um programa de pré-natal odontológico na ESF Veneza no municíp...
 
Tamara_Sehn.ppt
Tamara_Sehn.pptTamara_Sehn.ppt
Tamara_Sehn.ppt
 
Tamara_Sehn.ppt
Tamara_Sehn.pptTamara_Sehn.ppt
Tamara_Sehn.ppt
 
Tamara_Sehn.ppt
Tamara_Sehn.pptTamara_Sehn.ppt
Tamara_Sehn.ppt
 
A redução do parto cesáreo
A redução do parto cesáreoA redução do parto cesáreo
A redução do parto cesáreo
 
Continuação
ContinuaçãoContinuação
Continuação
 
Rede cegonha ppt
Rede cegonha pptRede cegonha ppt
Rede cegonha ppt
 
Rede Cegonha Carmem.ppt
Rede Cegonha  Carmem.pptRede Cegonha  Carmem.ppt
Rede Cegonha Carmem.ppt
 
Impacto Da ImplementaçãO Da Iniciativa Unidade BáSica Amiga Da AmamentaçãO Na...
Impacto Da ImplementaçãO Da Iniciativa Unidade BáSica Amiga Da AmamentaçãO Na...Impacto Da ImplementaçãO Da Iniciativa Unidade BáSica Amiga Da AmamentaçãO Na...
Impacto Da ImplementaçãO Da Iniciativa Unidade BáSica Amiga Da AmamentaçãO Na...
 
Fatores Associados Com A DuraçãO Do Aleitamento Materno
Fatores Associados Com A DuraçãO Do Aleitamento MaternoFatores Associados Com A DuraçãO Do Aleitamento Materno
Fatores Associados Com A DuraçãO Do Aleitamento Materno
 
Aconselhamento em Amamentação: avaliação do curso da OMS/Unicef
Aconselhamento em Amamentação: avaliação do curso da OMS/Unicef Aconselhamento em Amamentação: avaliação do curso da OMS/Unicef
Aconselhamento em Amamentação: avaliação do curso da OMS/Unicef
 
Elaboração das Diretrizes de Atenção à Gestante - 07 de novembro de 2016
Elaboração das Diretrizes de Atenção à Gestante - 07 de novembro de 2016Elaboração das Diretrizes de Atenção à Gestante - 07 de novembro de 2016
Elaboração das Diretrizes de Atenção à Gestante - 07 de novembro de 2016
 
Trabalho de estagio 1
Trabalho de estagio 1Trabalho de estagio 1
Trabalho de estagio 1
 
Defesa de TCC | Fabiane Rodrigues Bessa
Defesa de TCC | Fabiane Rodrigues BessaDefesa de TCC | Fabiane Rodrigues Bessa
Defesa de TCC | Fabiane Rodrigues Bessa
 
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
 
Guia de prática clínica sobre cuidados com o parto normal
Guia de prática clínica sobre cuidados com o parto normalGuia de prática clínica sobre cuidados com o parto normal
Guia de prática clínica sobre cuidados com o parto normal
 
Relatorio Gestão UBS Pimentas 2013
Relatorio Gestão UBS Pimentas 2013Relatorio Gestão UBS Pimentas 2013
Relatorio Gestão UBS Pimentas 2013
 
PromoçãO, ProteçãO E Apoio à AmamentaçãO Na AtençãO PrimáRia à SaúDe No Estad...
PromoçãO, ProteçãO E Apoio à AmamentaçãO Na AtençãO PrimáRia à SaúDe No Estad...PromoçãO, ProteçãO E Apoio à AmamentaçãO Na AtençãO PrimáRia à SaúDe No Estad...
PromoçãO, ProteçãO E Apoio à AmamentaçãO Na AtençãO PrimáRia à SaúDe No Estad...
 
assistência de saúde da mulher AULA 02.pdf
assistência de saúde da mulher AULA 02.pdfassistência de saúde da mulher AULA 02.pdf
assistência de saúde da mulher AULA 02.pdf
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
 

Mais de Natasha Louise

ASSISTÊNCIA AO RN.pptx
ASSISTÊNCIA AO RN.pptxASSISTÊNCIA AO RN.pptx
ASSISTÊNCIA AO RN.pptx
Natasha Louise
 
4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx
4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx
4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx
Natasha Louise
 
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
Natasha Louise
 
3° AULA - Planejamento Familiar e Métodos Contraceptivos.pptx
3° AULA - Planejamento Familiar e Métodos Contraceptivos.pptx3° AULA - Planejamento Familiar e Métodos Contraceptivos.pptx
3° AULA - Planejamento Familiar e Métodos Contraceptivos.pptx
Natasha Louise
 
2° AULA - ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO.pptx
2° AULA - ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO.pptx2° AULA - ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO.pptx
2° AULA - ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO.pptx
Natasha Louise
 
1° AULA - SAÚDE DA MULHER - PAISM, PNAISM.pptx
1° AULA - SAÚDE DA MULHER - PAISM, PNAISM.pptx1° AULA - SAÚDE DA MULHER - PAISM, PNAISM.pptx
1° AULA - SAÚDE DA MULHER - PAISM, PNAISM.pptx
Natasha Louise
 

Mais de Natasha Louise (6)

ASSISTÊNCIA AO RN.pptx
ASSISTÊNCIA AO RN.pptxASSISTÊNCIA AO RN.pptx
ASSISTÊNCIA AO RN.pptx
 
4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx
4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx
4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx
 
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
 
3° AULA - Planejamento Familiar e Métodos Contraceptivos.pptx
3° AULA - Planejamento Familiar e Métodos Contraceptivos.pptx3° AULA - Planejamento Familiar e Métodos Contraceptivos.pptx
3° AULA - Planejamento Familiar e Métodos Contraceptivos.pptx
 
2° AULA - ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO.pptx
2° AULA - ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO.pptx2° AULA - ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO.pptx
2° AULA - ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO.pptx
 
1° AULA - SAÚDE DA MULHER - PAISM, PNAISM.pptx
1° AULA - SAÚDE DA MULHER - PAISM, PNAISM.pptx1° AULA - SAÚDE DA MULHER - PAISM, PNAISM.pptx
1° AULA - SAÚDE DA MULHER - PAISM, PNAISM.pptx
 

Último

Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
rickriordan
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
sula31
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
DelcioVumbuca
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
AmaroAlmeidaChimbala
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
marjoguedes1
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 

Último (6)

Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
 

Cibele_Alves_de_Araújo.ppt

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS UNIVERSIDADE ABERTA DO SUS Faculdade de Medicina Especialização em Saúde da Família Turma VI Melhoria da Atenção ao Pré-Natal e Puerpério na Estratégia Saúde da Família Edson Raulino de Almeida em Barras/PI Orientadora: Msc. Enfª. Elitiele Ortiz dos Santos Teresina, 2015 Cibele Alves de Araújo
  • 2. 1. Introdução • Segundo Brasil (2006) a assistência à mulher é uma importante ferramenta de gestão, capaz de gerar ações programáticas e estratégicas, baseadas na realidade dessas mulheres que servirão de foco de intervenção; • Ações antes da intervenção: Controle do número de gestantes por meio do SIAB; Dia específico para atendimento; não fazia parte da rotina da equipe ações programadas; • Melhorias após a intervenção;
  • 3. 1. Introdução População 45.786 habitantes Rede de Saúde 15 Unidade Básica de Saúde (UBS); 1- Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) 1- Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NASF) 1-Hospital Municipal Leônidas Melo, População da UBS - 2.137 habitantes dois postos cede, Sossego e Murici,
  • 4. 1. Introdução • Equipe: • 1-Médica; 1-Enfermeira; • 1-Técnico de Enfermagem; • 1- Recepcionista; 1- Motorista; • 4- Agentes Comunitária de Saúde; • Recepção (acentos de alvenaria para os pacientes, balcão, estante, ventiladores e balança para adultos) • Um único banheiro; • Dois consultórios, um médico e outro para a enfermeira e é também utilizado como sala de vacinas; • Uma farmácia e uma outra sala destinada a realização de pequenos procedimentos(desativada) Estrutura Física da UBS • Equipe
  • 5. 2. Objetivo 2.1 Objetivo geral Melhorar a atenção ao pré-natal e puerpério da Unidade Básica de Saúde Edson Raulino de Almeida;
  • 6. 3. Metodologia 3.1 Ações 3.1 Detalhamento das Ações Eixo: Monitoramento e avaliação: • Monitorar o número de gestantes e puérperas cadastrados no Programa; • Observar o cumprimento da periodicidade das consultas; • Monitorar a realização de pelo menos um exame ginecológico por trimestre em todas as gestantes. • Monitorar a realização de pelo menos um exame de mamas em todas as gestantes. • Monitorar a solicitação dos exames laboratoriais previstos no protocolo para as gestantes.
  • 7. 3. Metodologia 3.1 Ações 3.1 Detalhamento das Ações Eixo: Monitoramento e avaliação: • Monitorar a prescrição de suplementação de ferro/ácido fólico em todas as gestantes. • Monitorar a vacinação contra a hepatite B e anti-tetânica das gestantes. • Monitorar a avaliação da necessidade de tratamento odontológico das gestantes. • Monitorar a conclusão do tratamento dentário; • Melhorar registro das informações do pré-natal e puerpério; • Mapear as gestantes e puérperas de risco; • Promover a saúde no pré-natal e puerpério
  • 8. 3. Metodologia 3.1 Ações Detalhamento da ação Eixo: Organização e gestão do serviço: • Garantir melhorias no acolhimento; •Cadastrar todas as gestantes da área de cobertura da unidade de saúde. •Estabelecer sistemas de alerta para fazer o exame ginecológico. •Estabelecer sistemas de alerta para fazer o exame de mama. •Estabelecer sistemas de alerta para a solicitação de exames de acordo com o protocolo.
  • 9. 3. Metodologia 3.1 Ações Detalhamento da ação Eixo: Organização e gestão do serviço: • Garantir acesso facilitado ao sulfato ferroso e ácido fólico. • Estabelecer sistemas de alerta para a realização da vacina antitetânica. • Realizar controle de estoque de vacinas. • Estabelecer sistemas de alerta para a realização da vacina. • Oferecer atendimento prioritário às gestantes. • Organizar agenda de saúde bucal para atendimento das gestantes.
  • 10. 3. Metodologia 3.1 Ações Detalhamento da ação •No eixo engajamento público: • Realizar atividades a fim de orientar a comunidade sobre a importância de um pré-natal de qualidade; • Esclarecer a comunidade sobre a necessidade de realizar o exame ginecológico, exame das mamas e exames complementares e sobre a segurança do exame; • Esclarecer a comunidade sobre a importância da suplementação de ferro/ ácido fólico; sobre a importância da realização da vacinação completa e sobre avaliar a saúde bucal;.
  • 11. 3. Metodologia 3.1 Ações Detalhamento da ação Eixo qualificação da prática clínica • Capacitar e orientar a equipe; • Capacitar a equipe no acolhimento às gestantes; • Capacitar os ACS na busca daquelas que não estão realizando pré-natal em nenhum serviço; • Ampliar o conhecimento da equipe sobre o Programa de Humanização ao Pré-natal e nascimento (PHPN); • Capacitar a equipe para realizar o exame ginecológico nas gestantes e para identificação de sistemas;
  • 12. 3. Metodologia 3.1 Ações Detalhamento da ação Eixo qualificação da prática clínica •Capacitar a equipe para realizar o exame de mamas nas gestantes e para identificação de sistemas de alerta; •Capacitar a equipe para solicitar os exames de acordo com o protocolo para as gestantes; •Capacitar a equipe para a prescrição de sulfato ferroso e ácido fólico para as gestantes; •Capacitar a equipe sobre a realização de vacinas na gestação. •Capacitar a equipe para realizar avaliação da necessidade de tratamento odontológico em gestantes.
  • 13. 3. Metodologia 3.2 Logística 3.2 Logística • Pré-natal Puerpério termos como referência o Manual Técnico de Pré-natal e Puerpério do Ministério da Saúde, 2012; • Adotar ficha espelho disponibilizados pelo PROVAB; • Disponibilizar 50 fichas espelho e 50 fichas complementares; • Acompanhamento mensal por meio da planilha eletrônica de coleta de dados; • Distribuição das tarefas da equipe; • Comunicar a comunidade a participar;
  • 14. 3. Metodologia 3.2 Logística • ACS irão realizar busca ativa dos faltosos para retorna ao tratamento na UBS em questão, bem como a capitação; • Dispor das 400 fichas espelho e 400 fichas complementares; • O enfermeiro ficou responsável por alimentação e organização do registro o semanalmente; • O médico será o responsável pela alimentação semanal da planilha de dados.
  • 15. 4. Avaliação da Intervenção 4.1 Resultados •Relativos ao objetivo 1: Ampliar a cobertura de Pré-natal •Meta 1.1: Alcançar 100% de cobertura das gestantes cadastradas no Programa de Pré-natal da unidade de saúde •Indicador 1.1: Proporção de gestantes cadastradas no Programa de Pré-natal. Figura 1: Proporção de gestantes cadastradas no Programa de Pré-natal. Barras-PI.
  • 16. 4. Avaliação da Intervenção 4.1 Resultados •Objetivo 1: Ampliar a cobertura da atenção a puérperas; •Meta 1.2: Garantir o cadastro das puérperas no programa de Pré-Natal e Puerpério da Unidade de Saúde consulta puerperal antes dos 42 dias após o parto; •Indicador 1.2: Proporção de puérperas com consulta até 42 dias após o parto. Figura 2: Proporção de puérperas com consulta até 42 dias após o parto. Barras-PI.
  • 17. 4. Avaliação da Intervenção 4.1 Resultados • Objetivo 1: Ampliar a cobertura de pré-natal; • Meta 1.3: Garantir a captação de 100% das gestantes residentes na área de abrangência da unidade de saúde no primeiro trimestre de gestação. • Indicador 1.3: Proporção de gestantes captadas no primeiro trimestre de gestação. Figura 3: Proporção de gestantes captadas no primeiro trimestre de gestação. Barras-PI.
  • 18. 4. Avaliação da Intervenção 4.1 Resultados • Objetivo 2: Melhorar a adesão das mães ao puerpério; • Meta 2.1: Realizar busca ativa em 100% das gestantes que não realizaram a consulta de pré-natal; • Indicador 2.1: Proporção de gestantes faltosas à consulta que receberam busca ativa. • Meta 2.2: Realizar busca ativa em 100% das puérperas que não realizaram a consulta de puerpério até 30 dias após o parto; • Indicador 2.3: Proporção de puérperas faltosas à consulta que receberam busca ativa. Nos três meses da intervenção, pois tanto as gestantes, como as puérperas faltosas em cada mês foram buscadas pelos ACS, alcançado com isso 100% de buscas ativas.
  • 19. 4. Avaliação da Intervenção 4.1 Resultados • Objetivo 3: Melhorar a qualidade da atenção ao pré-natal e puerpério realizado na Unidade. • Meta 3.1: Realizar pelo menos um exame ginecológico por trimestre em 100% das gestantes durante o pré-natal. • Indicador 3.1: Proporção de gestante com exame ginecológico realizado por trimestre. • Meta 3.2: Realizar pelo exame ginecológico em 100% das puérperas; • Indicador 3.2: Proporção de puérperas que receberam exame ginecológico. Nos três meses de intervenção 100% das gestantes e 100% das puérperas realizaram um exame ginecológico por trimestre.
  • 20. 4 Avaliação da Intervenção 4.1 Resultados • Objetivo 3: Melhorar a qualidade da atenção às puérperas na Unidade de Saúde • Meta 3.3: Examinar o abdome em 100% de puérperas cadastradas no Programa • Indicador 3.3: Proporção de puérperas com o abdome examinado • Meta 3.4: Avaliar o estado psíquico em 100% das puérperas cadastradas no Programa; • Indicador 3.4: Proporção de puérperas com avaliação do estado psíquico Nos três mês da intervenção 100% das puérperas realizaram exame de abdômen e tiveram seu estado psíquico avaliado.
  • 21. 4. Avaliação da Intervenção 4.1 Resultados • Objetivo 3: Melhorar a qualidade da atenção ao pré-natal e puerpério realizado na Unidade. • Meta 3.6: Garantir a 100% das gestantes a prescrição de suplementação de Sulfato Ferroso e Ácido Fólico conforme protocolo. • Indicadores 3.6: Proporção de gestantes com prescrição de suplementação de Sulfato Ferrosos e Ácido Fólico. Nos três meses da intervenção atingimos 100% das prescrições de sulfato ferrosos e ácido fólico.
  • 22. 4. Avaliação da Intervenção 4.1 Resultados • Objetivo 3: Melhorar a qualidade da atenção ao pré-natal e puerpério realizado na Unidade. • Meta 3.7: Garantir a 100% das gestantes a solicitação de exames. • Indicador 3.7: Proporção de gestantes com solicitação de exames. • Meta 3.8: Garantir a 100% das puérperas a solicitação de exames. • Indicador 3.8: Proporção de puérperas com solicitação de exames. Em todos os meses da intervenção alcançamos 100% de sua realização.
  • 23. 4. Avaliação da Intervenção 4.1 Resultados • Objetivo 3: Melhorar a qualidade da atenção ao pré-natal realizado na Unidade. • Meta 3.8: Garantir que 100% das gestantes completem o esquema da vacina anti-tetânica. • Indicador 3.8: Proporção das gestantes com esquema da vacina anti-tetânica completo. • Meta 3.9: Garantir que 100% das gestantes completem o esquema da vacina de Hepatite B. • Indicador 3.9: Proporção de gestantes com esquema da vacina de Hepatite B completo. No que se refere ao esquema vacinal completo das gestantes, alcançamos a meta, pois nos três meses foi garantido a vacinação anti-tetânica e Hepatite B completa a 100% das gestantes
  • 24. 4. Avaliação da Intervenção 4.1 Resultados • Objetivo 3: Melhorar a qualidade da atenção ao pré-natal realizado na Unidade. • Meta 3.10: Realizar avaliação de saúde bucal em 100% das gestantes durante o pré-natal. • Indicadores 3.10: Proporção de gestantes avaliadas sobre a saúde bucal. Apesar da UBS em questão não possuir um dentista em seu quadro de profissionais, a enfermeira e a médica realizavam a avaliação e orientações sobre à saúde bucal em 100% dessas usuárias nos três meses da intervenção.
  • 25. 4. Avaliação da Intervenção 4.1 Resultados • Objetivo 3: Melhorar a qualidade da atenção ao pré-natal e puerpério realizado na Unidade. • Meta 3.11: Garantir a primeira consulta odontológica programática para 100% das gestantes cadastradas; • Indicador 3.11: Proporção de gestantes com primeira consulta odontológica programática. Não conseguimos o alcance desta meta, pois as gestantes que foram identificadas com necessidade odontológica se recusavam a realizar o tratamento devido a distancia.
  • 26. 4. Avaliação da Intervenção 4.1 Resultados • Objetivo 4: Melhorar a adesão das mães ao puerpério; • Meta 4.1: Realizar busca ativa em 100% das gestantes que não realizaram a consulta de pré-natal; • Indicador 4.1: Proporção de gestantes faltosas à consulta que receberam busca ativa. • Meta 4.2: Realizar busca ativa em 100% das puérperas que não realizaram a consulta de puerpério até 30 dias após o parto; • Indicador 4.2: Proporção de puérperas faltosas à consulta que receberam busca ativa. Foram alcançados e mantidos 100% dos registros em dia nos três meses
  • 27. 4. Avaliação da Intervenção 4.1 Resultados • Objetivo 5: Mapear as gestantes de risco • Meta 5.1: Avaliar risco gestacional em 100% das gestantes; • Indicador 5.1: Proporção de gestantes com avaliação de riscos e intercorrências. • Meta 5.2: Avaliar risco em 100% das puérperas; • Indicador 5.2: Proporção de puérperas com avaliação de riscos e intercorrências. Nos três meses de intervenção alcançamos 100% de avaliação dos riscos das gestantes e puérperas.
  • 28. 4. Avaliação da Intervenção 4.1 Resultados • Objetivo 6: Promover a saúde no pré-natal e puerpério. • Meta 6.1: Garantir a 100% das gestantes orientação nutricional durante a gestação; • Meta 6.2: Promover o aleitamento materno junto a 100% das gestantes. • Meta 6.3: Orientar 100% das gestantes cadastradas no Programa de Pré-Natal e Puerpério sobre planejamento familiar; • Meta 6.4: Orientar 100% das gestantes sobre os cuidados com o recém-nascido (teste do pezinho, decúbito dorsal para dormir); 100% das gestantes nos três meses da intervenção foram orientadas nestes quesitos acima.
  • 29. 4 Avaliação da Intervenção 4.1 Resultados • Meta 6.5: Orientar 100% das gestantes sobre anticoncepção após o parto; • Meta 6.6: Orientar 100% das gestantes sobre os riscos do tabagismo e do uso de álcool e drogas na gestação; • Meta 6.7: Orientar 100% das gestantes sobre higiene bucal. No que diz respeito às orientações 100% das gestantes nos três meses da intervenção receberam orientações sobre a alimentação, sobre aleitamento materno, sobre os cuidados com o recém-nascido, sobre planejamento familiar, métodos contraceptivos e sobre o uso do álcool e do tabaco.
  • 30. 4 Avaliação da Intervenção 4.1 Resultados • Objetivo 6: Promover a saúde no pré-natal e puerpério. • Meta 6.8: Garantir a 100% das puérperas orientação nutricional durante a gestação; • Meta 6.10: Promover o aleitamento materno exclusivo junto a 100% das puérperas; • Meta 6.11: Orientar 100% das puérperas cadastradas no Programa de Pré-Natal e Puerpério sobre planejamento familiar; • Meta 6.12: Orientar 100% das puérperas sobre os cuidados com o recém-nascido (teste do pezinho, decúbito dorsal para dormir); 100% das gestantes nos três meses da intervenção foram orientadas nestes quesitos acima.
  • 31. 4 Avaliação da Intervenção 4.1 Resultados • Meta 6.13: Orientar 100% das gestantes sobre anticoncepção após o parto; • Meta 6.14: Orientar 100% das puérperas sobre os riscos do tabagismo e do uso de álcool e drogas na gestação; • Meta 6.15: Orientar 100% das puérperas sobre higiene bucal. As puérperas em sua totalidade nos três meses de intervenção também receberam orientações sobre aleitamento materno exclusivo, sobre os cuidados com o recém-nascido, sobre planejamento familiar, métodos contraceptivos, sobre o uso do álcool e do tabaco, sobre a higiene bucal, bem como foi prescrito métodos contraceptivos para as 100% delas.
  • 32. 4.2 Discussão • As ações previstas que foram desenvolvidas; • As ações previstas que não foram desenvolvidas; • Dificuldades; • Importância da intervenção para o serviço, equipe e gestores; • Incorporação das ações previstas à rotina do serviço;
  • 33. 5 Reflexão Crítica • Crescimento pessoal; • Confronto com a realidade de trabalho; • Importância do planejamento das ações; •Contribuições dos gestores, da comunidade e do curso;
  • 34. Referências BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento (PHPN). Brasília; 2001. ________. Departamento de Atenção Básica, Secretaria de Atenção à Saúde, Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde; 2006. (Série A. Normas e Manuais Técnicos – Série Pactos pela Saúde, 4). _________. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Assistência pré-natal: manual técnico. 3. ed. Brasília, DF; 2012 GRANGEIRO, G. R.; DIÓGENES, M. A. R.; MOURA, E. R. F. Atenção Pré- Natal no Município de Quixadá-CE segundo indicadores de processo do sisprenatal. Rev Esc Enferm. Rio de Janeiro, v. 42, n. 1, p. 105-11, jan-fev. 2008. Disponível em:<http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v42n1/14.pdf>.