SlideShare uma empresa Scribd logo
MÓDULO I
DOENÇAS CRÔNICAS NÃO-TRANSMISSÍVEIS:
HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA
MÉDICOS
Cadernos de capacitação à distância para Atenção Básica
Autores
Elza Berger Salema Coelho (UFSC/SPB - Coordenadora do Projeto)
Antonio Fernando Boing (USP)
César Augusto Soares Nitschke (NEU/SES/SC)
Fátima Büchele (UFSC/SPB)
Rozilda dos Santos (ESP/SES/SC)
Sheila Rubia Lindner (ESP/SES/SC)
Aldo von Wangenheim ((UFSC)
Harley Miguel Wagner (USFC)
COORDENAÇÃO
Aldo von Wangenheim (UFSC)
Luiz Felipe Nobre (SES)
Eros Comunello (USFC)
Elza Berger Salema Coelho (UFSC/SPB)
SECRETARIA
Márcia Lange de São Thiago (ESP/SES/SC)
Rosangela Leonor Goulart (UFSC/SPB)
TUTOR
Neuza da Silva Erckerdt
Eunice Simão
Stefanie Frank
Ronald Seffrin Von Mulhen
André Ferreira Lopes
DESIGN GRÁFICO
Aline Pickler
Luciana Soares Fernandes
CINEGRAFIA
Daniele de Lara Martins
Grazielle Pasqual Schneider
Sabrina Carozzi Bandeira
ficha catalográfica
Caderno do Médico
Apresentação
PREZADO PARTICIPANTE,
Vamos à organização do curso!
A Capacitação à distância para a Atenção Básica - Módulo I Doenças Crônicas
não Transmissíveis: Hipertensão Arterial Sistêmica e Diabetes Mellitus, será
desenvolvida por meio dos recursos de ensino-aprendizagem disponibilizados para o
participante, que são:
• Caderno da Atenção Básica do Ministério da Saúde / Caderno temático ou
Consenso do tema;
• Caderno de exercícios;
• Fórum de debates;
• Caso clínico com questões motivadoras;
• Diretriz de avaliação e atendimento;
• Avaliação de processo.
Durante o desenvolvimento do curso você terá importantes parceiros. O primeiro
deles é o tutor (a) com quem você deverá interagir regularmente no fórum de debates e
buscando apoio sempre que necessário. Os seus colegas da equipe de saúde da família
também serão importantes interlocutores, sobretudo nos momentos presenciais de
discussão e reflexão sobre os exercícios que irão problematizar o processo de trabalho.
Você mesmo (a) vai organizar seu estudo de acordo com o cronograma pactuado para
o desenvolvimento deste curso. Para esta capacitação serão consideradas duas horas
semanais de estudo no ambiente virtual e quatro horas de trabalho em equipe, que
poderão ser desenvolvidos no período de tempo, horário e local mais convenientes de
acordo com sua disponibilidade.
Caderno do Médico
É importante que você possa criar hábitos de estudo, desenvolvendo a prática da
leitura, o pensamento reflexivo e crítico, estimulado (a) pelo material didático que cada
participante receberá e pelas atividades/exercícios contidos nestes cadernos, podendo
também fazer uso das tecnologias - consultas na internet e no ambiente de
aprendizagem (fórum de debate) - com ferramentas de processo ensino-aprendizagem. O
recebimento do certificado do curso está condicionado à realização de todas as
atividades propostas neste curso.
O desafio que convidamos você a assumir é o de participar ativamente da reflexão
sobre o processo de trabalho da Estratégia de Saúde da Família, que se acredita deverá
ser permeado por uma postura reflexiva e dialógica com a realidade e com os outros
atores do processo.
CRONOGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO CURSO:
HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA - OUTUBRO 2007
01/10 a 07/10 LEITURA dos Cadernos de Atenção Básica do Ministério da Saúde -
Hipertensão Arterial Sistêmica nº 15/2006 (www.saude.gov.br/dab).
08/10 a 14/10 EXERCÍCIO, tendo como texto básico o Caderno de Atenção Básica
nº15, lido anteriormente.
14/10 a 21/10 TRABALHO EM EQUIPE - caso clínico para discussão em equipe e
respostas por categoria profissional.
22/10 a 28/10 AVALIAÇÃO ---- acompanhamento das atividades realizadas.
5
Caderno do Médico
6
HIPERTENSÃO
ARTERIAL SISTÊMICA
Você sabia?
Que a Hipertensão Arterial SistêmicaHipertensão Arterial SistêmicaHipertensão Arterial SistêmicaHipertensão Arterial Sistêmica –––– HASHASHASHAS ---- é a mais freqüente das doenças
cardiovasculares. É também o principal fator de risco para as complicações mais
comuns como acidente vascular cerebral e infarto agudo do miocárdio, além da
doença renal crônica terminal. No Brasil são cerca de 17 milhões de portadores de
hipertensão arterial.
Importante!
Fatores que determinam um controle da HAS
• Maior acesso a medicamentos;
• Modificações de estilo de vida são de fundamental importância no processo
terapêutico e na prevenção da hipertensão;
• Alimentação adequada, sobretudo quanto ao consumo de sal;
• Controle do peso e prática de atividade física;
Tabagismo e uso excessivo de álcool são fatores de risco que devem ser adequadamente
abordados e controlados.
Evidências científicas demonstram que estratégias que visem modificações de estilo
de vida são mais eficazes quando aplicadas a um número maior de pessoas e a uma
comunidade. A exposição coletiva ao risco e, como conseqüência da estratégia, a redução
dessa exposição, tem efeito multiplicador quando alcançada por medidas populacionais
de maior amplitude. Obviamente, estratégias de saúde pública são necessárias para a
abordagem desses fatores relativos a hábitos e estilos de vida que reduzirão o risco de
exposição, trazendo benefícios individuais e coletivos.
Caderno do Médico
Questão 1
Em relação à hipertensão e considerando a importância de medidas de promoção da
saúde, você, enquanto profissional da equipe da saúde da família, tem:
Realizado atividades de promoção da saúde em grupo em sua unidade e/ou
comunidade?
Sim ( ) Não ( )
Caso sim, com que freqüência?
____________________________________________________________________
____________________________________________________________________
Caso não, por quê?
____________________________________________________________________
____________________________________________________________________
Questão 2
Você sabe quantas pessoas são portadores de hipertensão na sua comunidade,
área de abrangência ou unidade?
Anote aqui: __________________________________________________________
Importante!
Os profissionais de saúde da rede básica têm importância primordial nas estratégias de
controle da hipertensão arterial, quer na definição do diagnóstico clínico e da conduta
terapêutica, quer nos esforços requeridos para informar e educar o paciente hipertenso
como de fazê-lo seguir o tratamento (www.saude.gov.br/dab).
Vamos conhecer a epidemiologia e os riscos da hipertensão!
No Brasil e no mundo a hipertensão é responsável por pelo menos 40% das mortes
por acidente vascular cerebral, por 25% das mortes por doença arterial coronariana e,
em combinação com a diabete, 50% dos casos de insuficiência renal terminal. Com o
critério atual de diagnóstico de hipertensão arterial (pressão arterial (PA) 140/90
7
Caderno do Médico
mmHg), a prevalência na população urbana adulta brasileira varia de 22,3% a 43,9%,
dependendo da cidade onde o estudo foi conduzido.
Os dados demonstram a necessidade de ações sistemáticas sobre hipertensão, às
atividades previstas neste caderno têm como texto base o Cadernos de Atenção
Básica nº 15 e 14 do Ministério da Saúde disponível no site da Telessaúde.
Atenção!
Para o controle das complicações causadas pela hipertensão, controlar a
pressão arterial é de fundamental importância. Para tanto:
• A posição recomendada para a medida da pressão arterial (PA) é a sentada.
Entretanto, a medida da PA na posição ortostática (em pé) deve ser feita pelo
menos na primeira avaliação, especialmente em idosos, diabéticos, pacientes com
disautonomias, alcoólicos e pacientes em uso de medicação anti-hipertensiva.
• Para ter valor diagnóstico necessário, a PA deve ser medida com técnica
adequada, utilizando-se aparelhos confiáveis e devidamente calibrados,
respeitando-se as recomendações para este procedimento.
Questão 3
Considerando a importância do controle da pressão arterial descreva os passos
que você costuma seguir para este procedimento.
1)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
2)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
3)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
4)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
8
Caderno do Médico
5)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
6)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
7)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
8)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
9)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
Você descreveu os procedimentos para a verificação da pressão. Compare com o
recomendado no caderno de atenção básica do Ministério da Saúde e veja aqui a
maneira recomendada de aferição da pressão arterial (LINK PARA VÍDEO)
Questão 4
Agora, descreva os passos que são recomendados.
1)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
2)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
3)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
4)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
5)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
6)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
7)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
9
Caderno do Médico
8)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
9)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
Um fator, importante no procedimento para a medida da pressão arterial é o
tamanho do manguito para a medida adequada da pressão arterial. Sendo assim,
ATENÇÃO!
• Um dos aspectos mais importantes para garantir a acurácia das medidas de
pressão arterial é a utilização de manguitos de dimensões recomendadas para o
uso nas diversas faixas etárias e locais de medida da PA. A utilização de
aparelhos de pressão com manguitos de dimensões fora das recomendadas
acarretará imprecisão dos resultados obtidos.
• Os tensiômetros utilizados hoje têm manguitos em média, com 23 a 24 cm de
comprimento, o que dá 80% para braços de até 30 cm de perímetro, na maioria
das vezes adequado.
Devem-se considerar no diagnóstico da HAS, além dos níveis tensionais, o risco
cardiovascular global estimado pela presença dos fatores de risco, a presença de lesões
nos órgãos-alvo e as comorbidades associadas. É preciso ter cautela antes de rotular
alguém como hipertenso, tanto pelo risco de um diagnóstico falso-positivo, como pela
repercussão na própria saúde do indivíduo e o custo social resultante.
Atenção!
Em indivíduos sem diagnóstico prévio e níveis de PA elevada em uma aferição,
recomenda-se repetir a aferição de pressão arterial em diferentes períodos antes de
caracterizar a presença de HAS. Este diagnóstico requer que se conheça a pressão usual
do indivíduo, não sendo suficiente uma ou poucas aferições casuais.
A aferição repetida da pressão arterial em dias diversos em consultório é requerida para
chegar à pressão usual e reduzir a ocorrência da “hipertensão do avental branco”,
10
Caderno do Médico
Questão 5
Preencha com os valores da pressão arterial em adultos:
Normal _____________________________________________________________
Pré-hipertensão ______________________________________________________
Hipertensão _________________________________________________________
Estágio 1 ___________________________________________________________
Estágio 2 ___________________________________________________________
Importante!
O valor mais alto de sistólica ou diastólica estabele o estágio do quadro
hipertensivo.
Quando as pressões sistólica e diastólica situam-se em categorias diferentes, a
maior deve ser utilizada para classificação do estágio.
A pressão arterial é um parâmetro que deve ser avaliado continuamente,
mesmo em face de resultados iniciais normais.
Considere que Hipertensão Arterial é definida como pressão arterial sistólica
maior ou igual a 140 mmHg e uma pressão arterial diastólica maior ou igual a 90
mmHg em indivíduos que não estão fazendo uso de medicação anti-hipertensiva.
que consiste na elevação da pressão arterial ante a simples presença do profissional
de saúde no momento da medida da PA.
Considerando a classificação da pressão arterial para adultos com mais de 18 anos -
os valores limites de pressão arterial normal para crianças e adolescentes de 1 a 17
anos constam de tabelas especiais que levam em consideração a idade e o percentil de
altura em que o indivíduo se encontra -, preencha os valores da pressão arterial em
adultos na questão abaixo:
11
Caderno do Médico
Questão 6
Ao identificar um portador de hipertensão você enquanto profissional costuma
orientar sobre:
( ) controle de peso
( ) adoção de hábitos alimentares saudáveis
( ) redução do consumo de bebidas
( ) abandono do tabagismo
( ) relevância da prática de atividade físicos regular
O conjunto destas orientações é considerado tratamento ____________________
da hipertenso arterial sistêmica.
Questão 7
A principal relevância da identificação e controle da HAS reside na redução das
suas complicações. Respondam quais são:
•___________________________________________________________________
____________________________________________________________________
•___________________________________________________________________
____________________________________________________________________
•___________________________________________________________________
____________________________________________________________________
•___________________________________________________________________
____________________________________________________________________
•___________________________________________________________________
____________________________________________________________________
•___________________________________________________________________
____________________________________________________________________
É preciso ter em mente que a manutenção da motivação do paciente em não
abandonar o tratamento é talvez uma das batalhas mais árduas que profissionais de
saúde enfrentam em relação ao paciente hipertenso. Para complicar ainda mais a
12
Caderno do Médico
situação, é importante lembrar que um grande contingente de pacientes hipertensos
também apresenta outras comorbidades, como diabetes, dislipidemia e obesidade, o
que traz implicações importantes em termos de gerenciamento das ações terapêuticas
necessárias para o controle de um aglomerado de condições crônicas, cujo tratamento
exige perseverança, motivação e educação continuada/ permanente.
Questão 8
Frente a um paciente com história/encaminhamento por ser hipertenso, descreva
pelo menos seis (6) dados da história devem ser atentados?
1)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
2)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
3)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
4)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
5)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
6)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
VAMOS CONHECER!
Os dados relevantes da história clínica dirigida ao paciente hipertenso
• Identificação: sexo, idade, raça e condição socioeconômica.
• História atual: duração conhecida de hipertensão arterial e níveis de pressão; adesão
e reações adversas aos tratamentos prévios; sintomas de doença arterial coronária:
sinais e sintomas sugestivos de 1111insuficiência cardíaca; doença vascular encefálica;
13
Caderno do Médico
doença arterial periférica; doença renal; diabete mellitus; indícios de hipertensão
secundária; gota.
• Investigação sobre diversos aparelhos e fatores de risco: dislipidemia, tabagismo,
sobrepeso e obesidade, sedentarismo, perda de peso características do sono, função
sexual, doença pulmonar obstrutiva crônica.
• História pregressa: gota, doença arterial coronária, insuficiência cardíaca.
• História familiar de acidente vascular encefálico, doença arterial coronariana
prematura (homens < 55 anos, mulheres < 65 anos); morte prematura e súbita de
familiares próximos.
• Perfil psicossocial: fatores ambientais e psicossociais, sintomas de depressão,
ansiedade e pânico, situação familiar, condições de trabalho e grau de escolaridade.
• Avaliação dietética, incluindo consumo de sal, bebidas alcoólicas, gordura saturada e
cafeína.
• Consumo de medicamentos ou drogas que podem elevar a pressão arterial ou
interferir em seu tratamento (corticoesteróides, anti-inflamatórios, anorexígenos,
anti-depressivos, hormônios).
• Atividade física.
Questão 9
Frente a um paciente com história/encaminhamento por ser hipertenso, descreva
pelo menos seis (6) dados do exame físico devem ser pesquisados?
1)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
2)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
3)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
4)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
14
Caderno do Médico
5)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
6)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
Questão 10
Frente a um paciente com história e exame físico compatíveis com hipertensão,
descreva pelo menos seis (6) exames que devem ser requisitados?
1)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
2)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
3)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
4)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
5)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
6)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
Atenção!
HIPERTENSÃO ARTERIAL SECUNDÁRIA
A maioria dos casos de hipertensão arterial não apresenta uma causa aparente
facilmente identificável, sendo conhecida como hipertensão essencial. Uma
pequena proporção dos casos de hipertensão arterial é devida a causas muito bem
estabelecidas, que precisam ser devidamente diagnosticadas, uma vez que, com a
remoção do agente etiológico, é possível controlar ou curar a hipertensão arterial. É
15
Caderno do Médico
Questão 11
Descreva no mínimo cinco (5) causas de hipertensão secundária
1)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
2)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
3)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
4)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
5)__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
20
Ao atender um paciente hipertenso, o profissional da rede básica de saúde deve
procurar por indícios clínicos de hipertensão arterial secundária, a fim de levantar a
hipótese diagnóstica e de fazer o devido encaminhamento a especialistas.
CONSIDERANDO QUE:
O objetivo primordial do tratamento da hipertensão arterial é a redução da
morbidade e da mortalidade cardiovascular do paciente hipertenso, aumentadas em
decorrência dos altos níveis tensionais e de outros fatores agravantes, são utilizadas
tanto medidas não-farmacológicas isoladas como associadas a fármacos anti-
hipertensivos. Os agentes anti-hipertensivos a serem utilizados devem promover a
redução não só dos níveis tensionais como também a redução de eventos
cardiovasculares fatais e não-fatais.
a chamada hipertensão secundária. No nível de atenção básica, a equipe de saúde
deve estar preparada para diagnosticar, orientar e tratar os casos de hipertensão
essencial, que são a maioria. Por outro lado, os casos suspeitos de hipertensão
secundária deverão ser encaminhados a especialistas.
16
Caderno do Médico
Questão 12
Descreva a decisão terapêutica segundo risco e pressão arterial.
____________________________________________________________________
____________________________________________________________________
____________________________________________________________________
____________________________________________________________________
____________________________________________________________________
Questão 13
Quais são as populações consideradas especiais em relação à hipertensão arterial
sistêmica?
____________________________________________________________________
____________________________________________________________________
____________________________________________________________________
____________________________________________________________________
____________________________________________________________________
Importante!
Quais os princípios gerais do tratamento da hipertensão arterial sistêmica?
• O medicamento anti-hipertensivo deve:
– Ser eficaz por via oral;
– Ser bem tolerado;
– Permitir a administração em menor número possível de tomadas, diárias, com
preferência para posologia de dose única diária.
• Iniciar com as menores doses efetivas preconizadas para cada situação clínica,
podendo ser aumentadas gradativamente. Deve-se levar em conta que quanto
maior a dose, maiores serão as probabilidades de efeitos adversos.
• Pode-se considerar o uso combinado de medicamentos anti-hipertensivos em
pacientes com hipertensão em estágios 2.
17
Caderno do Médico
Questão 14
O que é crise hipertensiva?
____________________________________________________________________
____________________________________________________________________
____________________________________________________________________
____________________________________________________________________
____________________________________________________________________
____________________________________________________________________
__________________________________________________________________
Questão 15
Identifique com “U” as Urgência e “E” as emergência hipertensivas.
( ) Encefalopatia hipertensiva
( ) Angina instável
( ) Infarto do miocárdio
( ) Aneurisma dissecante de aorta
( ) Eclampsia
( ) Anticoagulação
( ) Edema agudo de pulmão
( ) Pré-eclâmpsia
( ) Intoxicação por cocaína ou anfetamina
( ) Hemorragia intracraniana
( ) Pré e pós-operatório
( ) Transplante renal
( ) Sangramento pós-operatório
( ) Rebote hipertensivo após suspensão súbita de clonidina ou outros anti-
hipertensivos
( ) Crises de feocromocitoma
( ) Hipertensão acelerada-maligna com edema de papila
( ) Queimaduras extensas
18
19
Caderno do Médico
Atenção!
As crises hipertensivas devem inicialmente ser tratadas no posto de saúde e observadas
nesta unidade para ver a resposta à terapia instituída quando não houver
comorbidades ou caracterização de emergência hipertensiva. Quando necessário apoio
no tratamento ou para encaminhamento de um paciente com crise hipertensiva,
acione o SAMU através do número 192.
O médico regulador poderá auxiliar no que lhe for possível tanto quanto ao tratamento
da crise aguda como providenciará o encaminhamento à unidade de referência visto
tratar-se de uma urgência.
19
View publication statsView publication stats

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sergio_Adesao_tratamento
Sergio_Adesao_tratamentoSergio_Adesao_tratamento
Sergio_Adesao_tratamento
comunidadedepraticas
 
Sergio_Framingham
Sergio_FraminghamSergio_Framingham
Sergio_Framingham
comunidadedepraticas
 
Avaliação Global da pessoa idosa na Atenção Básica
Avaliação Global da pessoa idosa na Atenção Básica Avaliação Global da pessoa idosa na Atenção Básica
Avaliação Global da pessoa idosa na Atenção Básica
Amanda Amate
 
Tcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoTcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminado
antonio-carlos
 
Fator de risco_para_doenças_crônicas
Fator de risco_para_doenças_crônicasFator de risco_para_doenças_crônicas
Fator de risco_para_doenças_crônicas
sedis-suporte
 
Programa da Disciplina de Reumatologia
Programa da Disciplina de ReumatologiaPrograma da Disciplina de Reumatologia
Programa da Disciplina de Reumatologia
pauloalambert
 
Vigilância da Tuberculose na População em Situação de Rua
Vigilância da Tuberculose na População em Situação de RuaVigilância da Tuberculose na População em Situação de Rua
Vigilância da Tuberculose na População em Situação de Rua
Centro de Desenvolvimento, Ensino e Pesquisa em Saúde - CEDEPS
 
Mais contigo
Mais contigoMais contigo
Mais contigo
Licínia Simões
 
Guia de vigilncia em saude
Guia de vigilncia em saudeGuia de vigilncia em saude
Guia de vigilncia em saude
Marcela Caroline
 
Diretrizes sbd 09_final
Diretrizes sbd 09_finalDiretrizes sbd 09_final
Diretrizes sbd 09_final
Simone Regina Grando
 
Hipertensão arterial e_saúde_bucal_
Hipertensão arterial e_saúde_bucal_Hipertensão arterial e_saúde_bucal_
Hipertensão arterial e_saúde_bucal_
sedis-suporte
 
Joana_Prevençao_quartenaria
Joana_Prevençao_quartenariaJoana_Prevençao_quartenaria
Joana_Prevençao_quartenaria
comunidadedepraticas
 
Aula evidências prm_SSC_MFC 2013
Aula evidências prm_SSC_MFC 2013Aula evidências prm_SSC_MFC 2013
Aula evidências prm_SSC_MFC 2013
Eno Filho
 
Estilo de vida de estudantes de graduação em enfermagem de uma instituição do...
Estilo de vida de estudantes de graduação em enfermagem de uma instituição do...Estilo de vida de estudantes de graduação em enfermagem de uma instituição do...
Estilo de vida de estudantes de graduação em enfermagem de uma instituição do...
Universidade Estadual de Maringá
 

Mais procurados (14)

Sergio_Adesao_tratamento
Sergio_Adesao_tratamentoSergio_Adesao_tratamento
Sergio_Adesao_tratamento
 
Sergio_Framingham
Sergio_FraminghamSergio_Framingham
Sergio_Framingham
 
Avaliação Global da pessoa idosa na Atenção Básica
Avaliação Global da pessoa idosa na Atenção Básica Avaliação Global da pessoa idosa na Atenção Básica
Avaliação Global da pessoa idosa na Atenção Básica
 
Tcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoTcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminado
 
Fator de risco_para_doenças_crônicas
Fator de risco_para_doenças_crônicasFator de risco_para_doenças_crônicas
Fator de risco_para_doenças_crônicas
 
Programa da Disciplina de Reumatologia
Programa da Disciplina de ReumatologiaPrograma da Disciplina de Reumatologia
Programa da Disciplina de Reumatologia
 
Vigilância da Tuberculose na População em Situação de Rua
Vigilância da Tuberculose na População em Situação de RuaVigilância da Tuberculose na População em Situação de Rua
Vigilância da Tuberculose na População em Situação de Rua
 
Mais contigo
Mais contigoMais contigo
Mais contigo
 
Guia de vigilncia em saude
Guia de vigilncia em saudeGuia de vigilncia em saude
Guia de vigilncia em saude
 
Diretrizes sbd 09_final
Diretrizes sbd 09_finalDiretrizes sbd 09_final
Diretrizes sbd 09_final
 
Hipertensão arterial e_saúde_bucal_
Hipertensão arterial e_saúde_bucal_Hipertensão arterial e_saúde_bucal_
Hipertensão arterial e_saúde_bucal_
 
Joana_Prevençao_quartenaria
Joana_Prevençao_quartenariaJoana_Prevençao_quartenaria
Joana_Prevençao_quartenaria
 
Aula evidências prm_SSC_MFC 2013
Aula evidências prm_SSC_MFC 2013Aula evidências prm_SSC_MFC 2013
Aula evidências prm_SSC_MFC 2013
 
Estilo de vida de estudantes de graduação em enfermagem de uma instituição do...
Estilo de vida de estudantes de graduação em enfermagem de uma instituição do...Estilo de vida de estudantes de graduação em enfermagem de uma instituição do...
Estilo de vida de estudantes de graduação em enfermagem de uma instituição do...
 

Semelhante a Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao medico

Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao agente
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao agenteCapacitacao a distancia para atencao basica hipertensao agente
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao agente
manoelramosdeoliveir1
 
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes aux enferm
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes aux enfermCapacitacao a distancia para atencao basica diabetes aux enferm
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes aux enferm
manoelramosdeoliveir1
 
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux enferm
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux enfermCapacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux enferm
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux enferm
manoelramosdeoliveir1
 
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes enfermeiro
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes enfermeiroCapacitacao a distancia para atencao basica diabetes enfermeiro
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes enfermeiro
manoelramosdeoliveir1
 
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes agente
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes agenteCapacitacao a distancia para atencao basica diabetes agente
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes agente
manoelramosdeoliveir1
 
Análise comparativa da adesão ao tratamento anti-hipertensivo e qualidade de ...
Análise comparativa da adesão ao tratamento anti-hipertensivo e qualidade de ...Análise comparativa da adesão ao tratamento anti-hipertensivo e qualidade de ...
Análise comparativa da adesão ao tratamento anti-hipertensivo e qualidade de ...
REBRATSoficial
 
Livro clinica medica kroton
Livro clinica medica krotonLivro clinica medica kroton
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes dentista
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes dentistaCapacitacao a distancia para atencao basica diabetes dentista
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes dentista
manoelramosdeoliveir1
 
19th Congress of the SPMI
19th Congress of the SPMI19th Congress of the SPMI
19th Congress of the SPMI
Javier Rodríguez-Vera
 
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes aux den
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes aux denCapacitacao a distancia para atencao basica diabetes aux den
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes aux den
manoelramosdeoliveir1
 
Hipertensao manual
Hipertensao manualHipertensao manual
Hipertensao manual
Virgilio Lazaro Oquendo
 
Epidemiologia_Gordis_5_ed.pdf - livro completo
Epidemiologia_Gordis_5_ed.pdf - livro completoEpidemiologia_Gordis_5_ed.pdf - livro completo
Epidemiologia_Gordis_5_ed.pdf - livro completo
RobsonGomes753918
 
Guia de vigilncia em saude
Guia de vigilncia em saudeGuia de vigilncia em saude
Guia de vigilncia em saude
Marcela Caroline
 
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes medico
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes medicoCapacitacao a distancia para atencao basica diabetes medico
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes medico
manoelramosdeoliveir1
 
Resumos trab enfermagem revista brasileira de cirurgia cardiovascular
Resumos trab enfermagem   revista brasileira de cirurgia cardiovascularResumos trab enfermagem   revista brasileira de cirurgia cardiovascular
Resumos trab enfermagem revista brasileira de cirurgia cardiovascular
gisa_legal
 
A hipertensão arterial sistêmica o paciente hipertenso e a atuação fisioterap...
A hipertensão arterial sistêmica o paciente hipertenso e a atuação fisioterap...A hipertensão arterial sistêmica o paciente hipertenso e a atuação fisioterap...
A hipertensão arterial sistêmica o paciente hipertenso e a atuação fisioterap...
HELENO FAVACHO
 
metodologia do trabalho científico 2
metodologia do trabalho científico 2metodologia do trabalho científico 2
metodologia do trabalho científico 2
Leandro Lourenção Duarte
 
1332103379 protocolos parte i
1332103379 protocolos parte i1332103379 protocolos parte i
1332103379 protocolos parte i
Eduardo Moioli
 
Projeto semana da saúde
Projeto semana da saúdeProjeto semana da saúde
Projeto semana da saúde
Nucleo_Socorrismo_Coral
 
Hip
HipHip
Hip
vinulda
 

Semelhante a Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao medico (20)

Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao agente
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao agenteCapacitacao a distancia para atencao basica hipertensao agente
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao agente
 
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes aux enferm
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes aux enfermCapacitacao a distancia para atencao basica diabetes aux enferm
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes aux enferm
 
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux enferm
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux enfermCapacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux enferm
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux enferm
 
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes enfermeiro
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes enfermeiroCapacitacao a distancia para atencao basica diabetes enfermeiro
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes enfermeiro
 
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes agente
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes agenteCapacitacao a distancia para atencao basica diabetes agente
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes agente
 
Análise comparativa da adesão ao tratamento anti-hipertensivo e qualidade de ...
Análise comparativa da adesão ao tratamento anti-hipertensivo e qualidade de ...Análise comparativa da adesão ao tratamento anti-hipertensivo e qualidade de ...
Análise comparativa da adesão ao tratamento anti-hipertensivo e qualidade de ...
 
Livro clinica medica kroton
Livro clinica medica krotonLivro clinica medica kroton
Livro clinica medica kroton
 
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes dentista
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes dentistaCapacitacao a distancia para atencao basica diabetes dentista
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes dentista
 
19th Congress of the SPMI
19th Congress of the SPMI19th Congress of the SPMI
19th Congress of the SPMI
 
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes aux den
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes aux denCapacitacao a distancia para atencao basica diabetes aux den
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes aux den
 
Hipertensao manual
Hipertensao manualHipertensao manual
Hipertensao manual
 
Epidemiologia_Gordis_5_ed.pdf - livro completo
Epidemiologia_Gordis_5_ed.pdf - livro completoEpidemiologia_Gordis_5_ed.pdf - livro completo
Epidemiologia_Gordis_5_ed.pdf - livro completo
 
Guia de vigilncia em saude
Guia de vigilncia em saudeGuia de vigilncia em saude
Guia de vigilncia em saude
 
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes medico
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes medicoCapacitacao a distancia para atencao basica diabetes medico
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes medico
 
Resumos trab enfermagem revista brasileira de cirurgia cardiovascular
Resumos trab enfermagem   revista brasileira de cirurgia cardiovascularResumos trab enfermagem   revista brasileira de cirurgia cardiovascular
Resumos trab enfermagem revista brasileira de cirurgia cardiovascular
 
A hipertensão arterial sistêmica o paciente hipertenso e a atuação fisioterap...
A hipertensão arterial sistêmica o paciente hipertenso e a atuação fisioterap...A hipertensão arterial sistêmica o paciente hipertenso e a atuação fisioterap...
A hipertensão arterial sistêmica o paciente hipertenso e a atuação fisioterap...
 
metodologia do trabalho científico 2
metodologia do trabalho científico 2metodologia do trabalho científico 2
metodologia do trabalho científico 2
 
1332103379 protocolos parte i
1332103379 protocolos parte i1332103379 protocolos parte i
1332103379 protocolos parte i
 
Projeto semana da saúde
Projeto semana da saúdeProjeto semana da saúde
Projeto semana da saúde
 
Hip
HipHip
Hip
 

Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao medico

  • 1.
  • 2. MÓDULO I DOENÇAS CRÔNICAS NÃO-TRANSMISSÍVEIS: HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA MÉDICOS Cadernos de capacitação à distância para Atenção Básica Autores Elza Berger Salema Coelho (UFSC/SPB - Coordenadora do Projeto) Antonio Fernando Boing (USP) César Augusto Soares Nitschke (NEU/SES/SC) Fátima Büchele (UFSC/SPB) Rozilda dos Santos (ESP/SES/SC) Sheila Rubia Lindner (ESP/SES/SC) Aldo von Wangenheim ((UFSC) Harley Miguel Wagner (USFC)
  • 3. COORDENAÇÃO Aldo von Wangenheim (UFSC) Luiz Felipe Nobre (SES) Eros Comunello (USFC) Elza Berger Salema Coelho (UFSC/SPB) SECRETARIA Márcia Lange de São Thiago (ESP/SES/SC) Rosangela Leonor Goulart (UFSC/SPB) TUTOR Neuza da Silva Erckerdt Eunice Simão Stefanie Frank Ronald Seffrin Von Mulhen André Ferreira Lopes DESIGN GRÁFICO Aline Pickler Luciana Soares Fernandes CINEGRAFIA Daniele de Lara Martins Grazielle Pasqual Schneider Sabrina Carozzi Bandeira ficha catalográfica
  • 4. Caderno do Médico Apresentação PREZADO PARTICIPANTE, Vamos à organização do curso! A Capacitação à distância para a Atenção Básica - Módulo I Doenças Crônicas não Transmissíveis: Hipertensão Arterial Sistêmica e Diabetes Mellitus, será desenvolvida por meio dos recursos de ensino-aprendizagem disponibilizados para o participante, que são: • Caderno da Atenção Básica do Ministério da Saúde / Caderno temático ou Consenso do tema; • Caderno de exercícios; • Fórum de debates; • Caso clínico com questões motivadoras; • Diretriz de avaliação e atendimento; • Avaliação de processo. Durante o desenvolvimento do curso você terá importantes parceiros. O primeiro deles é o tutor (a) com quem você deverá interagir regularmente no fórum de debates e buscando apoio sempre que necessário. Os seus colegas da equipe de saúde da família também serão importantes interlocutores, sobretudo nos momentos presenciais de discussão e reflexão sobre os exercícios que irão problematizar o processo de trabalho. Você mesmo (a) vai organizar seu estudo de acordo com o cronograma pactuado para o desenvolvimento deste curso. Para esta capacitação serão consideradas duas horas semanais de estudo no ambiente virtual e quatro horas de trabalho em equipe, que poderão ser desenvolvidos no período de tempo, horário e local mais convenientes de acordo com sua disponibilidade.
  • 5. Caderno do Médico É importante que você possa criar hábitos de estudo, desenvolvendo a prática da leitura, o pensamento reflexivo e crítico, estimulado (a) pelo material didático que cada participante receberá e pelas atividades/exercícios contidos nestes cadernos, podendo também fazer uso das tecnologias - consultas na internet e no ambiente de aprendizagem (fórum de debate) - com ferramentas de processo ensino-aprendizagem. O recebimento do certificado do curso está condicionado à realização de todas as atividades propostas neste curso. O desafio que convidamos você a assumir é o de participar ativamente da reflexão sobre o processo de trabalho da Estratégia de Saúde da Família, que se acredita deverá ser permeado por uma postura reflexiva e dialógica com a realidade e com os outros atores do processo. CRONOGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO CURSO: HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA - OUTUBRO 2007 01/10 a 07/10 LEITURA dos Cadernos de Atenção Básica do Ministério da Saúde - Hipertensão Arterial Sistêmica nº 15/2006 (www.saude.gov.br/dab). 08/10 a 14/10 EXERCÍCIO, tendo como texto básico o Caderno de Atenção Básica nº15, lido anteriormente. 14/10 a 21/10 TRABALHO EM EQUIPE - caso clínico para discussão em equipe e respostas por categoria profissional. 22/10 a 28/10 AVALIAÇÃO ---- acompanhamento das atividades realizadas. 5
  • 6. Caderno do Médico 6 HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA Você sabia? Que a Hipertensão Arterial SistêmicaHipertensão Arterial SistêmicaHipertensão Arterial SistêmicaHipertensão Arterial Sistêmica –––– HASHASHASHAS ---- é a mais freqüente das doenças cardiovasculares. É também o principal fator de risco para as complicações mais comuns como acidente vascular cerebral e infarto agudo do miocárdio, além da doença renal crônica terminal. No Brasil são cerca de 17 milhões de portadores de hipertensão arterial. Importante! Fatores que determinam um controle da HAS • Maior acesso a medicamentos; • Modificações de estilo de vida são de fundamental importância no processo terapêutico e na prevenção da hipertensão; • Alimentação adequada, sobretudo quanto ao consumo de sal; • Controle do peso e prática de atividade física; Tabagismo e uso excessivo de álcool são fatores de risco que devem ser adequadamente abordados e controlados. Evidências científicas demonstram que estratégias que visem modificações de estilo de vida são mais eficazes quando aplicadas a um número maior de pessoas e a uma comunidade. A exposição coletiva ao risco e, como conseqüência da estratégia, a redução dessa exposição, tem efeito multiplicador quando alcançada por medidas populacionais de maior amplitude. Obviamente, estratégias de saúde pública são necessárias para a abordagem desses fatores relativos a hábitos e estilos de vida que reduzirão o risco de exposição, trazendo benefícios individuais e coletivos.
  • 7. Caderno do Médico Questão 1 Em relação à hipertensão e considerando a importância de medidas de promoção da saúde, você, enquanto profissional da equipe da saúde da família, tem: Realizado atividades de promoção da saúde em grupo em sua unidade e/ou comunidade? Sim ( ) Não ( ) Caso sim, com que freqüência? ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ Caso não, por quê? ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ Questão 2 Você sabe quantas pessoas são portadores de hipertensão na sua comunidade, área de abrangência ou unidade? Anote aqui: __________________________________________________________ Importante! Os profissionais de saúde da rede básica têm importância primordial nas estratégias de controle da hipertensão arterial, quer na definição do diagnóstico clínico e da conduta terapêutica, quer nos esforços requeridos para informar e educar o paciente hipertenso como de fazê-lo seguir o tratamento (www.saude.gov.br/dab). Vamos conhecer a epidemiologia e os riscos da hipertensão! No Brasil e no mundo a hipertensão é responsável por pelo menos 40% das mortes por acidente vascular cerebral, por 25% das mortes por doença arterial coronariana e, em combinação com a diabete, 50% dos casos de insuficiência renal terminal. Com o critério atual de diagnóstico de hipertensão arterial (pressão arterial (PA) 140/90 7
  • 8. Caderno do Médico mmHg), a prevalência na população urbana adulta brasileira varia de 22,3% a 43,9%, dependendo da cidade onde o estudo foi conduzido. Os dados demonstram a necessidade de ações sistemáticas sobre hipertensão, às atividades previstas neste caderno têm como texto base o Cadernos de Atenção Básica nº 15 e 14 do Ministério da Saúde disponível no site da Telessaúde. Atenção! Para o controle das complicações causadas pela hipertensão, controlar a pressão arterial é de fundamental importância. Para tanto: • A posição recomendada para a medida da pressão arterial (PA) é a sentada. Entretanto, a medida da PA na posição ortostática (em pé) deve ser feita pelo menos na primeira avaliação, especialmente em idosos, diabéticos, pacientes com disautonomias, alcoólicos e pacientes em uso de medicação anti-hipertensiva. • Para ter valor diagnóstico necessário, a PA deve ser medida com técnica adequada, utilizando-se aparelhos confiáveis e devidamente calibrados, respeitando-se as recomendações para este procedimento. Questão 3 Considerando a importância do controle da pressão arterial descreva os passos que você costuma seguir para este procedimento. 1)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 2)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 3)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 4)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 8
  • 9. Caderno do Médico 5)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 6)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 7)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 8)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 9)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ Você descreveu os procedimentos para a verificação da pressão. Compare com o recomendado no caderno de atenção básica do Ministério da Saúde e veja aqui a maneira recomendada de aferição da pressão arterial (LINK PARA VÍDEO) Questão 4 Agora, descreva os passos que são recomendados. 1)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 2)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 3)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 4)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 5)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 6)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 7)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 9
  • 10. Caderno do Médico 8)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 9)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ Um fator, importante no procedimento para a medida da pressão arterial é o tamanho do manguito para a medida adequada da pressão arterial. Sendo assim, ATENÇÃO! • Um dos aspectos mais importantes para garantir a acurácia das medidas de pressão arterial é a utilização de manguitos de dimensões recomendadas para o uso nas diversas faixas etárias e locais de medida da PA. A utilização de aparelhos de pressão com manguitos de dimensões fora das recomendadas acarretará imprecisão dos resultados obtidos. • Os tensiômetros utilizados hoje têm manguitos em média, com 23 a 24 cm de comprimento, o que dá 80% para braços de até 30 cm de perímetro, na maioria das vezes adequado. Devem-se considerar no diagnóstico da HAS, além dos níveis tensionais, o risco cardiovascular global estimado pela presença dos fatores de risco, a presença de lesões nos órgãos-alvo e as comorbidades associadas. É preciso ter cautela antes de rotular alguém como hipertenso, tanto pelo risco de um diagnóstico falso-positivo, como pela repercussão na própria saúde do indivíduo e o custo social resultante. Atenção! Em indivíduos sem diagnóstico prévio e níveis de PA elevada em uma aferição, recomenda-se repetir a aferição de pressão arterial em diferentes períodos antes de caracterizar a presença de HAS. Este diagnóstico requer que se conheça a pressão usual do indivíduo, não sendo suficiente uma ou poucas aferições casuais. A aferição repetida da pressão arterial em dias diversos em consultório é requerida para chegar à pressão usual e reduzir a ocorrência da “hipertensão do avental branco”, 10
  • 11. Caderno do Médico Questão 5 Preencha com os valores da pressão arterial em adultos: Normal _____________________________________________________________ Pré-hipertensão ______________________________________________________ Hipertensão _________________________________________________________ Estágio 1 ___________________________________________________________ Estágio 2 ___________________________________________________________ Importante! O valor mais alto de sistólica ou diastólica estabele o estágio do quadro hipertensivo. Quando as pressões sistólica e diastólica situam-se em categorias diferentes, a maior deve ser utilizada para classificação do estágio. A pressão arterial é um parâmetro que deve ser avaliado continuamente, mesmo em face de resultados iniciais normais. Considere que Hipertensão Arterial é definida como pressão arterial sistólica maior ou igual a 140 mmHg e uma pressão arterial diastólica maior ou igual a 90 mmHg em indivíduos que não estão fazendo uso de medicação anti-hipertensiva. que consiste na elevação da pressão arterial ante a simples presença do profissional de saúde no momento da medida da PA. Considerando a classificação da pressão arterial para adultos com mais de 18 anos - os valores limites de pressão arterial normal para crianças e adolescentes de 1 a 17 anos constam de tabelas especiais que levam em consideração a idade e o percentil de altura em que o indivíduo se encontra -, preencha os valores da pressão arterial em adultos na questão abaixo: 11
  • 12. Caderno do Médico Questão 6 Ao identificar um portador de hipertensão você enquanto profissional costuma orientar sobre: ( ) controle de peso ( ) adoção de hábitos alimentares saudáveis ( ) redução do consumo de bebidas ( ) abandono do tabagismo ( ) relevância da prática de atividade físicos regular O conjunto destas orientações é considerado tratamento ____________________ da hipertenso arterial sistêmica. Questão 7 A principal relevância da identificação e controle da HAS reside na redução das suas complicações. Respondam quais são: •___________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ •___________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ •___________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ •___________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ •___________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ •___________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ É preciso ter em mente que a manutenção da motivação do paciente em não abandonar o tratamento é talvez uma das batalhas mais árduas que profissionais de saúde enfrentam em relação ao paciente hipertenso. Para complicar ainda mais a 12
  • 13. Caderno do Médico situação, é importante lembrar que um grande contingente de pacientes hipertensos também apresenta outras comorbidades, como diabetes, dislipidemia e obesidade, o que traz implicações importantes em termos de gerenciamento das ações terapêuticas necessárias para o controle de um aglomerado de condições crônicas, cujo tratamento exige perseverança, motivação e educação continuada/ permanente. Questão 8 Frente a um paciente com história/encaminhamento por ser hipertenso, descreva pelo menos seis (6) dados da história devem ser atentados? 1)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 2)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 3)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 4)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 5)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 6)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ VAMOS CONHECER! Os dados relevantes da história clínica dirigida ao paciente hipertenso • Identificação: sexo, idade, raça e condição socioeconômica. • História atual: duração conhecida de hipertensão arterial e níveis de pressão; adesão e reações adversas aos tratamentos prévios; sintomas de doença arterial coronária: sinais e sintomas sugestivos de 1111insuficiência cardíaca; doença vascular encefálica; 13
  • 14. Caderno do Médico doença arterial periférica; doença renal; diabete mellitus; indícios de hipertensão secundária; gota. • Investigação sobre diversos aparelhos e fatores de risco: dislipidemia, tabagismo, sobrepeso e obesidade, sedentarismo, perda de peso características do sono, função sexual, doença pulmonar obstrutiva crônica. • História pregressa: gota, doença arterial coronária, insuficiência cardíaca. • História familiar de acidente vascular encefálico, doença arterial coronariana prematura (homens < 55 anos, mulheres < 65 anos); morte prematura e súbita de familiares próximos. • Perfil psicossocial: fatores ambientais e psicossociais, sintomas de depressão, ansiedade e pânico, situação familiar, condições de trabalho e grau de escolaridade. • Avaliação dietética, incluindo consumo de sal, bebidas alcoólicas, gordura saturada e cafeína. • Consumo de medicamentos ou drogas que podem elevar a pressão arterial ou interferir em seu tratamento (corticoesteróides, anti-inflamatórios, anorexígenos, anti-depressivos, hormônios). • Atividade física. Questão 9 Frente a um paciente com história/encaminhamento por ser hipertenso, descreva pelo menos seis (6) dados do exame físico devem ser pesquisados? 1)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 2)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 3)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 4)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 14
  • 15. Caderno do Médico 5)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 6)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ Questão 10 Frente a um paciente com história e exame físico compatíveis com hipertensão, descreva pelo menos seis (6) exames que devem ser requisitados? 1)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 2)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 3)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 4)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 5)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 6)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ Atenção! HIPERTENSÃO ARTERIAL SECUNDÁRIA A maioria dos casos de hipertensão arterial não apresenta uma causa aparente facilmente identificável, sendo conhecida como hipertensão essencial. Uma pequena proporção dos casos de hipertensão arterial é devida a causas muito bem estabelecidas, que precisam ser devidamente diagnosticadas, uma vez que, com a remoção do agente etiológico, é possível controlar ou curar a hipertensão arterial. É 15
  • 16. Caderno do Médico Questão 11 Descreva no mínimo cinco (5) causas de hipertensão secundária 1)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 2)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 3)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 4)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 5)__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 20 Ao atender um paciente hipertenso, o profissional da rede básica de saúde deve procurar por indícios clínicos de hipertensão arterial secundária, a fim de levantar a hipótese diagnóstica e de fazer o devido encaminhamento a especialistas. CONSIDERANDO QUE: O objetivo primordial do tratamento da hipertensão arterial é a redução da morbidade e da mortalidade cardiovascular do paciente hipertenso, aumentadas em decorrência dos altos níveis tensionais e de outros fatores agravantes, são utilizadas tanto medidas não-farmacológicas isoladas como associadas a fármacos anti- hipertensivos. Os agentes anti-hipertensivos a serem utilizados devem promover a redução não só dos níveis tensionais como também a redução de eventos cardiovasculares fatais e não-fatais. a chamada hipertensão secundária. No nível de atenção básica, a equipe de saúde deve estar preparada para diagnosticar, orientar e tratar os casos de hipertensão essencial, que são a maioria. Por outro lado, os casos suspeitos de hipertensão secundária deverão ser encaminhados a especialistas. 16
  • 17. Caderno do Médico Questão 12 Descreva a decisão terapêutica segundo risco e pressão arterial. ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ Questão 13 Quais são as populações consideradas especiais em relação à hipertensão arterial sistêmica? ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ Importante! Quais os princípios gerais do tratamento da hipertensão arterial sistêmica? • O medicamento anti-hipertensivo deve: – Ser eficaz por via oral; – Ser bem tolerado; – Permitir a administração em menor número possível de tomadas, diárias, com preferência para posologia de dose única diária. • Iniciar com as menores doses efetivas preconizadas para cada situação clínica, podendo ser aumentadas gradativamente. Deve-se levar em conta que quanto maior a dose, maiores serão as probabilidades de efeitos adversos. • Pode-se considerar o uso combinado de medicamentos anti-hipertensivos em pacientes com hipertensão em estágios 2. 17
  • 18. Caderno do Médico Questão 14 O que é crise hipertensiva? ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ __________________________________________________________________ Questão 15 Identifique com “U” as Urgência e “E” as emergência hipertensivas. ( ) Encefalopatia hipertensiva ( ) Angina instável ( ) Infarto do miocárdio ( ) Aneurisma dissecante de aorta ( ) Eclampsia ( ) Anticoagulação ( ) Edema agudo de pulmão ( ) Pré-eclâmpsia ( ) Intoxicação por cocaína ou anfetamina ( ) Hemorragia intracraniana ( ) Pré e pós-operatório ( ) Transplante renal ( ) Sangramento pós-operatório ( ) Rebote hipertensivo após suspensão súbita de clonidina ou outros anti- hipertensivos ( ) Crises de feocromocitoma ( ) Hipertensão acelerada-maligna com edema de papila ( ) Queimaduras extensas 18 19
  • 19. Caderno do Médico Atenção! As crises hipertensivas devem inicialmente ser tratadas no posto de saúde e observadas nesta unidade para ver a resposta à terapia instituída quando não houver comorbidades ou caracterização de emergência hipertensiva. Quando necessário apoio no tratamento ou para encaminhamento de um paciente com crise hipertensiva, acione o SAMU através do número 192. O médico regulador poderá auxiliar no que lhe for possível tanto quanto ao tratamento da crise aguda como providenciará o encaminhamento à unidade de referência visto tratar-se de uma urgência. 19 View publication statsView publication stats