SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA 8º ANO
Nome: _______________________________________________________________________________________________ nº_______
Leia o texto abaixo.
A velha e suas criadas. Uma viúva econômica e zelosa tinha duas empregadas. As empregadas da viúva trabalhavam, trabalhavam e trabalhavam. De
manhã bem cedo tinham que pular da cama, pois sua velha patroa queria que começassem a trabalhar assim que o galo cantasse. As duas detestavam
ter que levantar tão cedo, especialmente no inverno, e achavam que se o galo não acordasse a patroa tão cedo talvez pudessem dormir mais um
pouco. Por isso, pegaram o galo e torceram seu pescoço. Mas não estavam preparadas para as consequências do que fizeram. Porque o resultado foi
que a patroa, sem o despertador do galo, passou a acordar as criadas ainda mais cedo e punha as duas para trabalhar no meio da noite. Moral: Muita
esperteza nem sempre dá certo.
Disponível em: < http://www.abckids.com.br/verfabula.php?codigo=9> Acesso em 01 de Mar. 2020
1- No trecho: “As empregadas da viúva trabalhavam, trabalhavam e trabalhavam...”, as palavras destacadas são apresentadas de forma repetitiva
para:
A) destacar o modo de trabalho das empregadas.
B) enfatizar o quanto as empregadas trabalhavam.
C) evidenciar o quanto as empregadas gostavam de trabalhar.
D) indicar a quantidade de tempo que as empregadas trabalhavam.
Leia o texto abaixo.
Uma estratégia original A mãe chama seu filho pequeno e diz: — Paulinho, toma estes dois jarros e vai à mercearia comprar um litro de mel. — Mas
para que ele deve levar dois jarros se o mel vem em apenas um deles? — Questiona uma vizinha. — Ora, responde a mãe, é porque se ele levar um
jarro em cada mão, enquanto volta para casa, não poderá enfiar os dedos no mel para lamber.... Disponível em: < https://aminoapps.com/c/100-
humor/page/blog/piada-e-> Acesso em 01 de Mar. 2020
2- Onde está presente o humor desse texto?
A) na forma como a mãe fala com seu filho pequeno.
B) na solução que a mãe encontrou para o filho não colocar os dedos no mel.
C) no fato de a mãe ter pedido ao filho para que ele fosse comprar mel.
D) no questionamento que a vizinha faz à mãe de Paulinho.
Leia o texto para responder às questões a seguir.
O menino e o arco-íris
Era uma vez um menino curioso e entediado. Começou assustando-se com as cadeiras, as mesas e os demais objetos domésticos. Apalpava-os,
mordia-os e jogava-os no chão: esperava certamente uma resposta que os objetos não lhe davam. Descobriu alguns objetos mais interessantes que os
sapatos: os copos – estes, quando atirados ao chão, quebravam-se. Já era alguma coisa, pelo menos não permaneciam os mesmos depois da ação. Mas
logo o menino (que era profundamente entediado) cansou-se dos copos: no fim de tudo era vidro e só vidro. Mais tarde pôde passar para o quintal e
descobriu as galinhas e as plantas. Já eram mais interessantes, sobretudo as galinhas, que falavam uma língua incompreensível e bicavam a terra.
Conheceu o peru, a galinha-d’angola e o pavão. Mas logo se acostumou a todos eles, e continuou entediado como sempre. Não pensava, não
indagava com palavras, mas explorava sem cessar a realidade. Quando pôde sair à rua, teve novas esperanças: um dia escapou e percorreu o maior
espaço possível, ruas, praças, largos onde meninos jogavam futebol, viu igrejas, automóveis e um trator que modificava um terreno. Perdeu-se. Fugiu
outra vez para ver o trator trabalhando. Mas eis que o trabalho do trator deu na banalidade: canteiros para flores convencionais, um coreto etc. E o
menino cansou-se da rua, voltou para o seu quintal. O tédio levou o menino aos jogos de azar, aos banhos de mar e às viagens para a outra margem
do rio. A margem de lá era igual à de cá. O menino cresceu e, no amor como no cinema, não encontrou o que procurava. Um dia, passando por um
córrego, viu que as águas eram coloridas. Desceu pela margem, examinou: eram coloridas! Desde então, todos os dias dava um jeito de ir ver as cores
do córrego. Mas quando alguém lhe disse que o colorido das águas provinha de uma lavanderia próxima, começou a gritar que não, que as águas
vinham do arco-íris. Foi recolhido ao manicômio. E daí? GULLAR, Ferreira. O menino e o arco-íris. São Paulo: Ática, 2001. p. 5.
3- O texto que você leu é
A) uma crônica.
B) uma fábula.
C) uma notícia.
D) uma lenda.
4-No trecho, “Mas logo o menino (que era profundamente entediado) cansou-se dos copos...” os parênteses foram utilizados para:
A) destacar a fala do narrador.
B) explicar o motivo pelo qual o menino estava entediado.
C) fazer um comentário a respeito do menino.
D) indicar um diálogo no texto.
Leia o texto abaixo para responder às questões a seguir.
Pra Toda Vida - Frejat
Primeiro foi a música
A canção fez você sorrir
E logo à primeira vista
O mundo girou pra mim
E a paixão é loucura que passa
Como um terremoto
Com o tempo acalma
Mas onde você está
Eu tentei acreditar
Que sem você eu viveria
Mas assim o tempo para
Cada segundo é um dia
Mas a paixão com o tempo passa
Como vento acalma
E ainda quero saber
Como você esta ... Disponível em:< https://www.letras.mus.br/frejat/646468/> Acesso em 01 de Mar. 2020
5- No trecho, “E a paixão é loucura que passa como um terremoto...”, a palavra em destaque estabelece uma relação de:
A) comparação.
B) consequência.
C) explicação.
D) oposição.
6- Nos versos dessa música: “Eu tentei acreditar que sem você eu viveria, mas assim o tempo para, cada segundo é um dia...”, o autor quis dizer que:
A) as horas passam rápido quando a pessoa amada está distante.
B) é melhor viver sozinho, pois assim as horas passam mais rápido.
C) o tempo passa devagar longe da pessoa da amada.
D) o tempo passa e a sua melancolia aumenta.
Leia o poema de Vinícius de Moraes abaixo para responder às questões a seguir.
Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;
É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;
É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.
Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor?
7- Esse texto é:
A) uma carta.
B) uma letra de música.
C) uma página de diário.
D) um poema.
8-Esse texto tem o propósito de:
A) divertir as pessoas.
B) divulgar uma notícia.
C) emocionar o leitor
D) transmitir uma informação.
9-De acordo com esse texto, o amor é:
A) amizade dos corações humanos.
B) dor que desatina sem doer.
C) ferida que dói e se sente.
D) querer estar preso sem necessidade.
10- Quantas estrofes há no poema:
A) 4 B) 14 C) 10 D) 5
Leia o texto abaixo.
11- Esse texto é um exemplo de:
A) anúncio. B) cartaz. C) charge. D) tirinha
Leia o texto abaixo.
12- De acordo com a tirinha acima, o Menino Maluquinho
A) compreendeu de outra forma o significado de “tirar a mesa”.
B) fez exatamente o que sua mãe lhe pediu.
C) resolveu ajudar sua mãe a lavar a louça.
D) tirou todas as louças da mesa com a ajuda do Bocão.
Leia o texto para responder às questões a seguir.
A bola
O pai deu uma bola de presente ao filho. Lembrando o prazer que sentira ao ganhar a sua primeira bola do pai. (...) O garoto agradeceu,
desembrulhou a bola e disse “Legal! ”. Ou o que os garotos dizem hoje em dia quando gostam do presente ou não querem magoar o velho. Depois
começou a girar a bola, à procura de alguma coisa.
— Como é que liga? – Perguntou.
— Como, como é que liga? Não se liga. O garoto procurou dentro do papel de embrulho.
— Não tem manual de instrução? O pai começou a desanimar e a pensar que os tempos são outros. Que os tempos são decididamente outros.
— Não precisa manual de instrução.
— O que é que ela faz?
— Ela não faz nada. Você é que faz coisas com ela.
— O quê? — Controla, chuta...
— Ah, então é uma bola.
— Claro que é uma bola.
— Uma bola, bola. Uma bola mesmo.
— Você pensou que fosse o quê?
— Nada não...
13- Pela leitura do texto, compreende-se que:
A) as expectativas do pai e do filho eram semelhantes em relação ao presente.
B) o filho ficou feliz, pois achou o presente incrível.
C) o pai percebeu o prazer que o filho sentiu ao ganhar a bola.
D) pai e filho possuíam diferentes expectativas em relação ao presente.
14- No trecho: “O garoto agradeceu [...] e disse ‘Legal! ’ “, a palavra destacada é um exemplo de linguagem:
A) científica. B) formal. C) informal. D) jornalística.
Leia o texto abaixo para responder às questões a seguir.
Sorvete de casca de manga
Ingredientes
• 3 xícaras de casca de manga picada;
• 1 xícara de água;
• 2 xícaras de açúcar;
• 3 gemas;
• 2 xícaras de leite;
• 1 lata de creme de leite;
• baunilha a gosto.
Modo de preparar. Cozinhe as cascas na água com açúcar. Depois de cozidas, junte os demais ingredientes, menos o creme de leite. Bata tudo no
liquidificador e leve ao fogo para cozinhar. Retire do fogo, acrescente o creme de leite, deixe esfriar e leve ao freezer por quatro horas. Prove!
15- Esse texto foi escrito para:
A) apresentar um produto.
B) ensinar uma receita.
C) fazer uma propaganda.
D) listar alguns produtos.
16- De acordo com o texto, depois de bater os ingredientes no liquidificador, o próximo passo é:
A) deixar esfriar.
B) levar ao fogo.
C) levar ao freezer.
D) retirar do fogo.
17-Nesse texto, as formas verbais “Cozinhe”, “junte”, “Bata”, foram utilizadas com a intenção de:
A) dar uma instrução.
B) demonstrar impaciência.
C) fazer um apelo.
D) sugerir rapidez.
Leia o texto abaixo.
A capital mineira tem Lourdes e Savassi, com suas ruas arborizadas, lojas de grife e cafés charmosos; a Pampulha, com obras de Oscar Niemeyer;
restaurantes estrelados, que não deixam nada a desejar em relação a outras metrópoles [...]. Mas uma das melhores coisas de BH não está nos lugares.
E sim nos moradores, que, com sua simpatia e o jeitim devagarim de falar, fazem questão de manter o clima de cidade do interior.
18- Nesse texto, a expressão “jeitim devagarim” foi utilizada para:
A) destacar a passagem do tempo na capital mineira.
B) fazer uma crítica à linguagem formal.
C) ironizar as características das pessoas de BH.
D) representar a forma de falar dos mineiros.
Leia o texto abaixo.
Do bonde ao automóvel
Depois das primeiras locomotivas, veio o bonde, um veículo elétrico muito usado para o transporte público. No Brasil, o bonde foi muito comum nas
principais cidades. Hoje, poucos ainda funcionam. O mais charmoso deles é o que vai até o alto do bairro de Santa Tereza, no Rio de Janeiro. É um
passeio superlegal, experimente! Em 1863, surgiu o metrô. Foi uma revolução e tanto. Afinal, os vagões do metrô andavam por baixo da terra! Hoje,
nas grandes cidades, o metrô é a melhor forma de transporte, porque não polui o ar e com ele você fica longe dos terríveis congestionamentos de
trânsito. Mas, em matéria de transporte, o grande passo mesmo foi dado pelo alemão Karl Benz, que inventou o carro, em 1885. Mas era tão caro, tão
caro, que só em 1908 as pessoas puderam começar a comprá-lo.
19- Nesse texto, a frase que apresenta uma opinião é:
A) “Depois das primeiras locomotivas, veio o bonde,...”.
B) “... o bonde foi muito comum nas principais cidades.”.
C) “É um passeio superlegal,...”.
D) “Em 1863, surgiu o metrô.”.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

185254030 poesia-completa-manoel-de-barros (1)
185254030 poesia-completa-manoel-de-barros (1)185254030 poesia-completa-manoel-de-barros (1)
185254030 poesia-completa-manoel-de-barros (1)Airton Ferreira
 
atividade 7ano - Interpretação e leitura
atividade 7ano - Interpretação e leituraatividade 7ano - Interpretação e leitura
atividade 7ano - Interpretação e leituraEloisa Fonseca
 
Atividades de português ortografia, paragrafação
Atividades de português   ortografia, paragrafaçãoAtividades de português   ortografia, paragrafação
Atividades de português ortografia, paragrafaçãoPriscila Castro de Cara
 
A atividade será dividida em 2 partes
A atividade será dividida em 2 partesA atividade será dividida em 2 partes
A atividade será dividida em 2 partesAnisia Morais
 
Lygia bojunga nunes a bolsa amarela
Lygia bojunga nunes   a bolsa amarelaLygia bojunga nunes   a bolsa amarela
Lygia bojunga nunes a bolsa amarelaEstado do RS
 
Exercicios elementos da narratica 2015
Exercicios elementos da narratica 2015Exercicios elementos da narratica 2015
Exercicios elementos da narratica 2015Olivier Fausti Olivier
 
Oficina 6 olimpiadas de lp
Oficina 6 olimpiadas de lpOficina 6 olimpiadas de lp
Oficina 6 olimpiadas de lpElania Ferreira
 
Trabalho de Marcus Vinicius Rodrigues dos Reis
Trabalho de Marcus Vinicius Rodrigues dos ReisTrabalho de Marcus Vinicius Rodrigues dos Reis
Trabalho de Marcus Vinicius Rodrigues dos ReisMarcus Rodrigues
 
Dias de verão a4
Dias de verão a4Dias de verão a4
Dias de verão a4rgrecia
 
narracao-e-descricao-textos-e-exercicios
 narracao-e-descricao-textos-e-exercicios narracao-e-descricao-textos-e-exercicios
narracao-e-descricao-textos-e-exerciciosKicastro
 
Texto narrativo
Texto narrativoTexto narrativo
Texto narrativoTaty Ny
 
Ei! tem alguem ai? - Jostein gaarder
Ei! tem alguem ai? - Jostein gaarderEi! tem alguem ai? - Jostein gaarder
Ei! tem alguem ai? - Jostein gaarderThaisa Ferreira
 

Mais procurados (17)

Poemas Manoel de Barros
Poemas Manoel de BarrosPoemas Manoel de Barros
Poemas Manoel de Barros
 
185254030 poesia-completa-manoel-de-barros (1)
185254030 poesia-completa-manoel-de-barros (1)185254030 poesia-completa-manoel-de-barros (1)
185254030 poesia-completa-manoel-de-barros (1)
 
atividade 7ano - Interpretação e leitura
atividade 7ano - Interpretação e leituraatividade 7ano - Interpretação e leitura
atividade 7ano - Interpretação e leitura
 
Atividades de português ortografia, paragrafação
Atividades de português   ortografia, paragrafaçãoAtividades de português   ortografia, paragrafação
Atividades de português ortografia, paragrafação
 
A atividade será dividida em 2 partes
A atividade será dividida em 2 partesA atividade será dividida em 2 partes
A atividade será dividida em 2 partes
 
Lygia bojunga nunes a bolsa amarela
Lygia bojunga nunes   a bolsa amarelaLygia bojunga nunes   a bolsa amarela
Lygia bojunga nunes a bolsa amarela
 
Exercicios elementos da narratica 2015
Exercicios elementos da narratica 2015Exercicios elementos da narratica 2015
Exercicios elementos da narratica 2015
 
Oficina 6 olimpiadas de lp
Oficina 6 olimpiadas de lpOficina 6 olimpiadas de lp
Oficina 6 olimpiadas de lp
 
O narrador exercícios
O narrador exercíciosO narrador exercícios
O narrador exercícios
 
Contacto março 2014
Contacto  março 2014Contacto  março 2014
Contacto março 2014
 
Mensal primeiro ano outubro
Mensal primeiro ano outubroMensal primeiro ano outubro
Mensal primeiro ano outubro
 
Trabalho de Marcus Vinicius Rodrigues dos Reis
Trabalho de Marcus Vinicius Rodrigues dos ReisTrabalho de Marcus Vinicius Rodrigues dos Reis
Trabalho de Marcus Vinicius Rodrigues dos Reis
 
Dias de verão a4
Dias de verão a4Dias de verão a4
Dias de verão a4
 
narracao-e-descricao-textos-e-exercicios
 narracao-e-descricao-textos-e-exercicios narracao-e-descricao-textos-e-exercicios
narracao-e-descricao-textos-e-exercicios
 
Texto narrativo
Texto narrativoTexto narrativo
Texto narrativo
 
Ei! tem alguem ai? - Jostein gaarder
Ei! tem alguem ai? - Jostein gaarderEi! tem alguem ai? - Jostein gaarder
Ei! tem alguem ai? - Jostein gaarder
 
Lp 6ano
Lp 6anoLp 6ano
Lp 6ano
 

Semelhante a Avaliação de língua portuguesa 8º ano .

Semelhante a Avaliação de língua portuguesa 8º ano . (20)

Coesão
CoesãoCoesão
Coesão
 
Coerrencia coesão
Coerrencia coesãoCoerrencia coesão
Coerrencia coesão
 
5 ano slide.pptx
5 ano slide.pptx5 ano slide.pptx
5 ano slide.pptx
 
LINGUA PORTUGUESA.pdf
LINGUA PORTUGUESA.pdfLINGUA PORTUGUESA.pdf
LINGUA PORTUGUESA.pdf
 
Ensino religioso 2
Ensino religioso 2Ensino religioso 2
Ensino religioso 2
 
SIMULADO 11_merged.pdf
SIMULADO 11_merged.pdfSIMULADO 11_merged.pdf
SIMULADO 11_merged.pdf
 
Avaliação diagnóstica 6 ano com gabarito
Avaliação diagnóstica 6 ano com gabaritoAvaliação diagnóstica 6 ano com gabarito
Avaliação diagnóstica 6 ano com gabarito
 
Portugues vol8
Portugues vol8Portugues vol8
Portugues vol8
 
A árvore do enforcado
A árvore do enforcadoA árvore do enforcado
A árvore do enforcado
 
Simulado português 6º a,b e c
Simulado português 6º a,b e cSimulado português 6º a,b e c
Simulado português 6º a,b e c
 
Simulado 6 (port. 5º ano)
Simulado 6 (port. 5º ano)Simulado 6 (port. 5º ano)
Simulado 6 (port. 5º ano)
 
Simulado 2 novo
Simulado 2   novoSimulado 2   novo
Simulado 2 novo
 
Simulado portugues 3º ano)-4 unidade
Simulado portugues   3º ano)-4 unidadeSimulado portugues   3º ano)-4 unidade
Simulado portugues 3º ano)-4 unidade
 
Simulado 11 (port. 5º ano)
Simulado 11 (port. 5º ano)Simulado 11 (port. 5º ano)
Simulado 11 (port. 5º ano)
 
Desafio #15anosem15dias v03
Desafio #15anosem15dias v03Desafio #15anosem15dias v03
Desafio #15anosem15dias v03
 
D 11.pptx
D 11.pptxD 11.pptx
D 11.pptx
 
Simulado de português 2014 5ºANO
Simulado de português  2014 5ºANOSimulado de português  2014 5ºANO
Simulado de português 2014 5ºANO
 
Fichas gramaticais
Fichas gramaticaisFichas gramaticais
Fichas gramaticais
 
As 365 palavras mais comuns da Língua Inglesa
As 365 palavras mais comuns da Língua InglesaAs 365 palavras mais comuns da Língua Inglesa
As 365 palavras mais comuns da Língua Inglesa
 
Aval 6ºano_LP_CRUZ_CE
Aval 6ºano_LP_CRUZ_CEAval 6ºano_LP_CRUZ_CE
Aval 6ºano_LP_CRUZ_CE
 

Último

APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 

Último (20)

APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 

Avaliação de língua portuguesa 8º ano .

  • 1. AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA 8º ANO Nome: _______________________________________________________________________________________________ nº_______ Leia o texto abaixo. A velha e suas criadas. Uma viúva econômica e zelosa tinha duas empregadas. As empregadas da viúva trabalhavam, trabalhavam e trabalhavam. De manhã bem cedo tinham que pular da cama, pois sua velha patroa queria que começassem a trabalhar assim que o galo cantasse. As duas detestavam ter que levantar tão cedo, especialmente no inverno, e achavam que se o galo não acordasse a patroa tão cedo talvez pudessem dormir mais um pouco. Por isso, pegaram o galo e torceram seu pescoço. Mas não estavam preparadas para as consequências do que fizeram. Porque o resultado foi que a patroa, sem o despertador do galo, passou a acordar as criadas ainda mais cedo e punha as duas para trabalhar no meio da noite. Moral: Muita esperteza nem sempre dá certo. Disponível em: < http://www.abckids.com.br/verfabula.php?codigo=9> Acesso em 01 de Mar. 2020 1- No trecho: “As empregadas da viúva trabalhavam, trabalhavam e trabalhavam...”, as palavras destacadas são apresentadas de forma repetitiva para: A) destacar o modo de trabalho das empregadas. B) enfatizar o quanto as empregadas trabalhavam. C) evidenciar o quanto as empregadas gostavam de trabalhar. D) indicar a quantidade de tempo que as empregadas trabalhavam. Leia o texto abaixo. Uma estratégia original A mãe chama seu filho pequeno e diz: — Paulinho, toma estes dois jarros e vai à mercearia comprar um litro de mel. — Mas para que ele deve levar dois jarros se o mel vem em apenas um deles? — Questiona uma vizinha. — Ora, responde a mãe, é porque se ele levar um jarro em cada mão, enquanto volta para casa, não poderá enfiar os dedos no mel para lamber.... Disponível em: < https://aminoapps.com/c/100- humor/page/blog/piada-e-> Acesso em 01 de Mar. 2020 2- Onde está presente o humor desse texto? A) na forma como a mãe fala com seu filho pequeno. B) na solução que a mãe encontrou para o filho não colocar os dedos no mel. C) no fato de a mãe ter pedido ao filho para que ele fosse comprar mel. D) no questionamento que a vizinha faz à mãe de Paulinho. Leia o texto para responder às questões a seguir. O menino e o arco-íris Era uma vez um menino curioso e entediado. Começou assustando-se com as cadeiras, as mesas e os demais objetos domésticos. Apalpava-os, mordia-os e jogava-os no chão: esperava certamente uma resposta que os objetos não lhe davam. Descobriu alguns objetos mais interessantes que os sapatos: os copos – estes, quando atirados ao chão, quebravam-se. Já era alguma coisa, pelo menos não permaneciam os mesmos depois da ação. Mas logo o menino (que era profundamente entediado) cansou-se dos copos: no fim de tudo era vidro e só vidro. Mais tarde pôde passar para o quintal e descobriu as galinhas e as plantas. Já eram mais interessantes, sobretudo as galinhas, que falavam uma língua incompreensível e bicavam a terra. Conheceu o peru, a galinha-d’angola e o pavão. Mas logo se acostumou a todos eles, e continuou entediado como sempre. Não pensava, não indagava com palavras, mas explorava sem cessar a realidade. Quando pôde sair à rua, teve novas esperanças: um dia escapou e percorreu o maior espaço possível, ruas, praças, largos onde meninos jogavam futebol, viu igrejas, automóveis e um trator que modificava um terreno. Perdeu-se. Fugiu outra vez para ver o trator trabalhando. Mas eis que o trabalho do trator deu na banalidade: canteiros para flores convencionais, um coreto etc. E o menino cansou-se da rua, voltou para o seu quintal. O tédio levou o menino aos jogos de azar, aos banhos de mar e às viagens para a outra margem do rio. A margem de lá era igual à de cá. O menino cresceu e, no amor como no cinema, não encontrou o que procurava. Um dia, passando por um córrego, viu que as águas eram coloridas. Desceu pela margem, examinou: eram coloridas! Desde então, todos os dias dava um jeito de ir ver as cores do córrego. Mas quando alguém lhe disse que o colorido das águas provinha de uma lavanderia próxima, começou a gritar que não, que as águas vinham do arco-íris. Foi recolhido ao manicômio. E daí? GULLAR, Ferreira. O menino e o arco-íris. São Paulo: Ática, 2001. p. 5. 3- O texto que você leu é A) uma crônica. B) uma fábula. C) uma notícia. D) uma lenda. 4-No trecho, “Mas logo o menino (que era profundamente entediado) cansou-se dos copos...” os parênteses foram utilizados para: A) destacar a fala do narrador. B) explicar o motivo pelo qual o menino estava entediado. C) fazer um comentário a respeito do menino. D) indicar um diálogo no texto. Leia o texto abaixo para responder às questões a seguir. Pra Toda Vida - Frejat
  • 2. Primeiro foi a música A canção fez você sorrir E logo à primeira vista O mundo girou pra mim E a paixão é loucura que passa Como um terremoto Com o tempo acalma Mas onde você está Eu tentei acreditar Que sem você eu viveria Mas assim o tempo para Cada segundo é um dia Mas a paixão com o tempo passa Como vento acalma E ainda quero saber Como você esta ... Disponível em:< https://www.letras.mus.br/frejat/646468/> Acesso em 01 de Mar. 2020 5- No trecho, “E a paixão é loucura que passa como um terremoto...”, a palavra em destaque estabelece uma relação de: A) comparação. B) consequência. C) explicação. D) oposição. 6- Nos versos dessa música: “Eu tentei acreditar que sem você eu viveria, mas assim o tempo para, cada segundo é um dia...”, o autor quis dizer que: A) as horas passam rápido quando a pessoa amada está distante. B) é melhor viver sozinho, pois assim as horas passam mais rápido. C) o tempo passa devagar longe da pessoa da amada. D) o tempo passa e a sua melancolia aumenta. Leia o poema de Vinícius de Moraes abaixo para responder às questões a seguir. Amor é fogo que arde sem se ver; É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer; É um não querer mais que bem querer; É solitário andar por entre a gente; É nunca contentar-se de contente; É cuidar que se ganha em se perder; É querer estar preso por vontade; É servir a quem vence, o vencedor; É ter com quem nos mata lealdade. Mas como causar pode seu favor Nos corações humanos amizade, se tão contrário a si é o mesmo Amor? 7- Esse texto é: A) uma carta. B) uma letra de música. C) uma página de diário. D) um poema. 8-Esse texto tem o propósito de: A) divertir as pessoas. B) divulgar uma notícia. C) emocionar o leitor D) transmitir uma informação. 9-De acordo com esse texto, o amor é: A) amizade dos corações humanos. B) dor que desatina sem doer. C) ferida que dói e se sente. D) querer estar preso sem necessidade.
  • 3. 10- Quantas estrofes há no poema: A) 4 B) 14 C) 10 D) 5 Leia o texto abaixo. 11- Esse texto é um exemplo de: A) anúncio. B) cartaz. C) charge. D) tirinha Leia o texto abaixo. 12- De acordo com a tirinha acima, o Menino Maluquinho A) compreendeu de outra forma o significado de “tirar a mesa”. B) fez exatamente o que sua mãe lhe pediu. C) resolveu ajudar sua mãe a lavar a louça. D) tirou todas as louças da mesa com a ajuda do Bocão. Leia o texto para responder às questões a seguir. A bola O pai deu uma bola de presente ao filho. Lembrando o prazer que sentira ao ganhar a sua primeira bola do pai. (...) O garoto agradeceu, desembrulhou a bola e disse “Legal! ”. Ou o que os garotos dizem hoje em dia quando gostam do presente ou não querem magoar o velho. Depois começou a girar a bola, à procura de alguma coisa. — Como é que liga? – Perguntou. — Como, como é que liga? Não se liga. O garoto procurou dentro do papel de embrulho. — Não tem manual de instrução? O pai começou a desanimar e a pensar que os tempos são outros. Que os tempos são decididamente outros. — Não precisa manual de instrução. — O que é que ela faz? — Ela não faz nada. Você é que faz coisas com ela. — O quê? — Controla, chuta... — Ah, então é uma bola. — Claro que é uma bola. — Uma bola, bola. Uma bola mesmo. — Você pensou que fosse o quê? — Nada não... 13- Pela leitura do texto, compreende-se que: A) as expectativas do pai e do filho eram semelhantes em relação ao presente. B) o filho ficou feliz, pois achou o presente incrível. C) o pai percebeu o prazer que o filho sentiu ao ganhar a bola. D) pai e filho possuíam diferentes expectativas em relação ao presente. 14- No trecho: “O garoto agradeceu [...] e disse ‘Legal! ’ “, a palavra destacada é um exemplo de linguagem: A) científica. B) formal. C) informal. D) jornalística. Leia o texto abaixo para responder às questões a seguir. Sorvete de casca de manga Ingredientes • 3 xícaras de casca de manga picada; • 1 xícara de água; • 2 xícaras de açúcar; • 3 gemas; • 2 xícaras de leite; • 1 lata de creme de leite; • baunilha a gosto.
  • 4. Modo de preparar. Cozinhe as cascas na água com açúcar. Depois de cozidas, junte os demais ingredientes, menos o creme de leite. Bata tudo no liquidificador e leve ao fogo para cozinhar. Retire do fogo, acrescente o creme de leite, deixe esfriar e leve ao freezer por quatro horas. Prove! 15- Esse texto foi escrito para: A) apresentar um produto. B) ensinar uma receita. C) fazer uma propaganda. D) listar alguns produtos. 16- De acordo com o texto, depois de bater os ingredientes no liquidificador, o próximo passo é: A) deixar esfriar. B) levar ao fogo. C) levar ao freezer. D) retirar do fogo. 17-Nesse texto, as formas verbais “Cozinhe”, “junte”, “Bata”, foram utilizadas com a intenção de: A) dar uma instrução. B) demonstrar impaciência. C) fazer um apelo. D) sugerir rapidez. Leia o texto abaixo. A capital mineira tem Lourdes e Savassi, com suas ruas arborizadas, lojas de grife e cafés charmosos; a Pampulha, com obras de Oscar Niemeyer; restaurantes estrelados, que não deixam nada a desejar em relação a outras metrópoles [...]. Mas uma das melhores coisas de BH não está nos lugares. E sim nos moradores, que, com sua simpatia e o jeitim devagarim de falar, fazem questão de manter o clima de cidade do interior. 18- Nesse texto, a expressão “jeitim devagarim” foi utilizada para: A) destacar a passagem do tempo na capital mineira. B) fazer uma crítica à linguagem formal. C) ironizar as características das pessoas de BH. D) representar a forma de falar dos mineiros. Leia o texto abaixo. Do bonde ao automóvel Depois das primeiras locomotivas, veio o bonde, um veículo elétrico muito usado para o transporte público. No Brasil, o bonde foi muito comum nas principais cidades. Hoje, poucos ainda funcionam. O mais charmoso deles é o que vai até o alto do bairro de Santa Tereza, no Rio de Janeiro. É um passeio superlegal, experimente! Em 1863, surgiu o metrô. Foi uma revolução e tanto. Afinal, os vagões do metrô andavam por baixo da terra! Hoje, nas grandes cidades, o metrô é a melhor forma de transporte, porque não polui o ar e com ele você fica longe dos terríveis congestionamentos de trânsito. Mas, em matéria de transporte, o grande passo mesmo foi dado pelo alemão Karl Benz, que inventou o carro, em 1885. Mas era tão caro, tão caro, que só em 1908 as pessoas puderam começar a comprá-lo. 19- Nesse texto, a frase que apresenta uma opinião é: A) “Depois das primeiras locomotivas, veio o bonde,...”. B) “... o bonde foi muito comum nas principais cidades.”. C) “É um passeio superlegal,...”. D) “Em 1863, surgiu o metrô.”.