SlideShare uma empresa Scribd logo
AULA DE NIVELAMENTO
HABILIDADE: (EF67LP38) ANALISAR OS EFEITOS
DE SENTIDO DO USO DE FIGURAS DE
LINGUAGEM
PROFESSORA:
TURMA: 8ᵒ ANO
Título da aula: A metáfora e a comparação em poemas
Finalidade da
aula:
Verificar o modo como o sentido figurado é empregado em
poemas de forma livre a fim de sistematizar a metáfora e a
comparação como figuras de linguagem que agregam maior
expressividade a palavras e expressões.
Ano: 8º ano do Ensino Fundamental
Gênero: Poema de forma fixa e livre
Objeto(s) do
conhecimento:
Figuras de linguagem
Prática de
linguagem:
Análise linguística e semiótica
Habilidade(s) da
BNCC
EF67LP38
Figuras de Linguagem:
Comparação e metáfora
A comparação (ou símile) é uma figura de
linguagem que está na categoria de figuras
de palavras.
Ela é determinada por meio da relação de
similaridade, ou seja, pela comparação de
dois termos ou ideias num enunciado.
Geralmente, é acompanhada de elementos
comparativos (conectivos): com, como, tal
qual, tal como, assim, tão, quanto, parece,
etc.
Exemplos de comparação
Para compreender melhor a figura de linguagem comparação,
confira abaixo alguns exemplos na literatura e na música:
•“É que teu riso penetra n'alma/Como a harmonia de uma
orquestra santa.” (Castro Alves)
•“Meu amor me ensinou a ser simples como um largo de igreja.”
(Oswald de Andrade)
•“Meu coração tombou na vida/tal qual uma estrela ferida/pela
flecha de um caçador”. (Cecília Meireles)
•“Eu faço versos como quem chora/De desalento... de
desencanto...” (Manuel Bandeira)
Exemplos de Frases com Metáfora
"O personagem do livro tem coração de pedra."
Em vez de dizer que o personagem do livro é insensível,
podemos comparar o seu coração a uma pedra para expressar
o quanto ele é duro. Essa comparação implícita dá mais
ênfase e beleza à frase.
Vamos ver mais exemplos:
•Gabriel é um gato. (subentende-se beleza felina)
•Lucas é um touro. (subentende-se a força do touro)
•Fernando é um anjo. (subentende-se a bondade dos anjos)
•Dona Filomena é uma flor. (subentende-se a beleza das
flores)
•Ludmila é fera em matemática. (subentende-se a esperteza)
•Seus olhos são duas jabuticabas. (subentendem-se as
características da jabuticaba: pretas e redondas)
Metáfora
É a figura de linguagem em que se
encontra uma comparação implícita.
Muito utilizada em textos poéticos, ela
pode tornar o discurso mais elegante.
Denotação e conotação. Disponível em:
https://www.todamateria.com.br/conotacao-e-
denotacao/
Figuras de linguagem. Disponível em:
https://www.figuradelinguagem.com/gramatica/de
notacao-e-conotacao/
Metáfora. Disponível em:
https://www.todamateria.com.br/metafora/
Fonte: De Ana para Eduardo, Ana Martins Marques. Disponível em: revista Piauí
De Ana para Eduardo - Ana Martins Marques
[...]
como se casa fosse
a casa, como se a casa fosse
fóssil, casca, espaço físsil,
momento preciso, decisão
de cisão do mundo,[...]
2.
Numa entrevista Anne Carson diz que
se a prosa é uma casa
a poesia é um homem em chamas
[...]
3.
Um caramujo
como uma caixa de fósforos
que levasse nas costas
o incêndio da casa
Fonte: De Ana para Eduardo, Ana Martins Marques. Disponível em: Revista Piauí
1. De Ana para Eduardo - Ana Martins Marques
[...]
como se casa fosse
a casa, como se a casa fosse
fóssil, casca, espaço físsil,
momento preciso, decisão
de cisão do mundo,[...]
2.
Numa entrevista Anne Carson diz que
se a prosa é uma casa
a poesia é um homem em chamas
[...]
3.
Um caramujo
como uma caixa de fósforos
que levasse nas costas
o incêndio da casa
Metáfora e comparação em
desenhos...
Muita gente confunde a metáfora com outra figura de
linguagem: a comparação.
Veja a diferença:
•Catarina é uma flor (metáfora).
•Catarina é como uma flor (comparação).
Repare que a metáfora não apresenta o elemento de
conexão característico da comparação. Ela utiliza os
termos no sentido denotativo e os transforma no modo
figurado (conotativo). É assim que é feita
uma comparação implícita.
Quando o conectivo de comparação (como, tal qual, tal
como, assim, etc.) aparece no enunciado, trata-se de um
exemplo de comparação explícita.
Em outras palavras, a metáfora é uma comparação
que não utiliza o conectivo, ou seja, ele está
subentendido na frase.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a AULA DE NIVELAMENTO (EF67LP38).pptx Analisar os efeitos de sentido do uso de figura de linguagem.

df-portugues-lorna-5f47b498e3297.pdf
df-portugues-lorna-5f47b498e3297.pdfdf-portugues-lorna-5f47b498e3297.pdf
df-portugues-lorna-5f47b498e3297.pdf
lindamairy1
 
Metalinguagem e intertextualidade
Metalinguagem e intertextualidadeMetalinguagem e intertextualidade
Metalinguagem e intertextualidade
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Dialogando com a música
Dialogando com a músicaDialogando com a música
Dialogando com a música
Renally Arruda
 
Exercícios sobre estilística e figuras de linguagem, 02
Exercícios sobre estilística e figuras de linguagem, 02Exercícios sobre estilística e figuras de linguagem, 02
Exercícios sobre estilística e figuras de linguagem, 02
ma.no.el.ne.ves
 
poemas.pdf
poemas.pdfpoemas.pdf
poemas.pdf
Eloisa Braga
 
Figuras de linguagem com exercícios
Figuras de linguagem com exercíciosFiguras de linguagem com exercícios
Figuras de linguagem com exercícios
Sônia Sochiarelli
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Yasmin Pessoa
 
O Estilo em Caneta Feliz
O Estilo em Caneta FelizO Estilo em Caneta Feliz
O Estilo em Caneta Feliz
Isabel DA COSTA
 
Aposto e vocativo
Aposto e vocativoAposto e vocativo
Aposto e vocativo
Camila Desidério
 
Intertextualidade na Canção e Poesia
Intertextualidade na Canção e PoesiaIntertextualidade na Canção e Poesia
Intertextualidade na Canção e Poesia
Adilson P Motta Motta
 
Gênero Lírico
Gênero LíricoGênero Lírico
Gênero Lírico
Ana Cristina Santos
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Marilda Marilda
 
Introdução ao estudo da literatura
Introdução ao estudo da literaturaIntrodução ao estudo da literatura
Introdução ao estudo da literatura
Flavio Maia Custodio
 
Figuras de Linguagem
Figuras de LinguagemFiguras de Linguagem
Figuras de Linguagem
Bárbara Oliveira
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
Fabio Junior Sarti
 
Teoria figuras de linguagem - enviar para alunos
Teoria   figuras de linguagem - enviar para alunosTeoria   figuras de linguagem - enviar para alunos
Teoria figuras de linguagem - enviar para alunos
Karolina Lopes
 
Cadernodeorientacoes poemas-130501180429-phpapp01-131023131337-phpapp02 (2)
Cadernodeorientacoes poemas-130501180429-phpapp01-131023131337-phpapp02 (2)Cadernodeorientacoes poemas-130501180429-phpapp01-131023131337-phpapp02 (2)
Cadernodeorientacoes poemas-130501180429-phpapp01-131023131337-phpapp02 (2)
Lilian Armani
 
Habilidade 16 figuras de linguagem
Habilidade 16 figuras de linguagemHabilidade 16 figuras de linguagem
Habilidade 16 figuras de linguagem
paulomonteiropimpao
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Amanda Sena
 
Figuras de palavras ou tropos
Figuras de palavras ou troposFiguras de palavras ou tropos
Figuras de palavras ou tropos
rosangelajoao
 

Semelhante a AULA DE NIVELAMENTO (EF67LP38).pptx Analisar os efeitos de sentido do uso de figura de linguagem. (20)

df-portugues-lorna-5f47b498e3297.pdf
df-portugues-lorna-5f47b498e3297.pdfdf-portugues-lorna-5f47b498e3297.pdf
df-portugues-lorna-5f47b498e3297.pdf
 
Metalinguagem e intertextualidade
Metalinguagem e intertextualidadeMetalinguagem e intertextualidade
Metalinguagem e intertextualidade
 
Dialogando com a música
Dialogando com a músicaDialogando com a música
Dialogando com a música
 
Exercícios sobre estilística e figuras de linguagem, 02
Exercícios sobre estilística e figuras de linguagem, 02Exercícios sobre estilística e figuras de linguagem, 02
Exercícios sobre estilística e figuras de linguagem, 02
 
poemas.pdf
poemas.pdfpoemas.pdf
poemas.pdf
 
Figuras de linguagem com exercícios
Figuras de linguagem com exercíciosFiguras de linguagem com exercícios
Figuras de linguagem com exercícios
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
O Estilo em Caneta Feliz
O Estilo em Caneta FelizO Estilo em Caneta Feliz
O Estilo em Caneta Feliz
 
Aposto e vocativo
Aposto e vocativoAposto e vocativo
Aposto e vocativo
 
Intertextualidade na Canção e Poesia
Intertextualidade na Canção e PoesiaIntertextualidade na Canção e Poesia
Intertextualidade na Canção e Poesia
 
Gênero Lírico
Gênero LíricoGênero Lírico
Gênero Lírico
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Introdução ao estudo da literatura
Introdução ao estudo da literaturaIntrodução ao estudo da literatura
Introdução ao estudo da literatura
 
Figuras de Linguagem
Figuras de LinguagemFiguras de Linguagem
Figuras de Linguagem
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
Teoria figuras de linguagem - enviar para alunos
Teoria   figuras de linguagem - enviar para alunosTeoria   figuras de linguagem - enviar para alunos
Teoria figuras de linguagem - enviar para alunos
 
Cadernodeorientacoes poemas-130501180429-phpapp01-131023131337-phpapp02 (2)
Cadernodeorientacoes poemas-130501180429-phpapp01-131023131337-phpapp02 (2)Cadernodeorientacoes poemas-130501180429-phpapp01-131023131337-phpapp02 (2)
Cadernodeorientacoes poemas-130501180429-phpapp01-131023131337-phpapp02 (2)
 
Habilidade 16 figuras de linguagem
Habilidade 16 figuras de linguagemHabilidade 16 figuras de linguagem
Habilidade 16 figuras de linguagem
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Figuras de palavras ou tropos
Figuras de palavras ou troposFiguras de palavras ou tropos
Figuras de palavras ou tropos
 

Mais de GraceDavino

Aula 3 - Elementos constitutivos da música 8º anos.pptx
Aula 3 - Elementos constitutivos da música 8º anos.pptxAula 3 - Elementos constitutivos da música 8º anos.pptx
Aula 3 - Elementos constitutivos da música 8º anos.pptx
GraceDavino
 
Atividade de arte - gêneros da musica tradicional brasileira
Atividade de arte - gêneros da musica tradicional brasileiraAtividade de arte - gêneros da musica tradicional brasileira
Atividade de arte - gêneros da musica tradicional brasileira
GraceDavino
 
Aula 6 - Instrumento de ocrdas e fricção - 1.pptx
Aula 6 - Instrumento de ocrdas e fricção  - 1.pptxAula 6 - Instrumento de ocrdas e fricção  - 1.pptx
Aula 6 - Instrumento de ocrdas e fricção - 1.pptx
GraceDavino
 
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
GraceDavino
 
Aula 4 - Assemblage.pptx Linguagem artísticas das artes pláticas.
Aula 4 - Assemblage.pptx Linguagem artísticas das artes pláticas.Aula 4 - Assemblage.pptx Linguagem artísticas das artes pláticas.
Aula 4 - Assemblage.pptx Linguagem artísticas das artes pláticas.
GraceDavino
 
Ação Bullyng e cyberbullying.pptx
Ação Bullyng e cyberbullying.pptxAção Bullyng e cyberbullying.pptx
Ação Bullyng e cyberbullying.pptx
GraceDavino
 
Aula 6 Ano 3º bimestre - 11.08.2022.pptx
Aula 6 Ano 3º bimestre - 11.08.2022.pptxAula 6 Ano 3º bimestre - 11.08.2022.pptx
Aula 6 Ano 3º bimestre - 11.08.2022.pptx
GraceDavino
 
ARTE2 BIM- DANÇA 6ANO.pptx
ARTE2 BIM- DANÇA 6ANO.pptxARTE2 BIM- DANÇA 6ANO.pptx
ARTE2 BIM- DANÇA 6ANO.pptx
GraceDavino
 
6º Ano - Aula de retoma de habilidade .pptx
6º Ano - Aula de retoma de habilidade .pptx6º Ano - Aula de retoma de habilidade .pptx
6º Ano - Aula de retoma de habilidade .pptx
GraceDavino
 
3 Pilares da Fotografia.pptx
3 Pilares da Fotografia.pptx3 Pilares da Fotografia.pptx
3 Pilares da Fotografia.pptx
GraceDavino
 
ELETIVA O QUE OS OLHOS NÃO VEEM AS LENTES REGISTRAM.pptx
ELETIVA O QUE OS OLHOS NÃO VEEM AS LENTES REGISTRAM.pptxELETIVA O QUE OS OLHOS NÃO VEEM AS LENTES REGISTRAM.pptx
ELETIVA O QUE OS OLHOS NÃO VEEM AS LENTES REGISTRAM.pptx
GraceDavino
 

Mais de GraceDavino (11)

Aula 3 - Elementos constitutivos da música 8º anos.pptx
Aula 3 - Elementos constitutivos da música 8º anos.pptxAula 3 - Elementos constitutivos da música 8º anos.pptx
Aula 3 - Elementos constitutivos da música 8º anos.pptx
 
Atividade de arte - gêneros da musica tradicional brasileira
Atividade de arte - gêneros da musica tradicional brasileiraAtividade de arte - gêneros da musica tradicional brasileira
Atividade de arte - gêneros da musica tradicional brasileira
 
Aula 6 - Instrumento de ocrdas e fricção - 1.pptx
Aula 6 - Instrumento de ocrdas e fricção  - 1.pptxAula 6 - Instrumento de ocrdas e fricção  - 1.pptx
Aula 6 - Instrumento de ocrdas e fricção - 1.pptx
 
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
 
Aula 4 - Assemblage.pptx Linguagem artísticas das artes pláticas.
Aula 4 - Assemblage.pptx Linguagem artísticas das artes pláticas.Aula 4 - Assemblage.pptx Linguagem artísticas das artes pláticas.
Aula 4 - Assemblage.pptx Linguagem artísticas das artes pláticas.
 
Ação Bullyng e cyberbullying.pptx
Ação Bullyng e cyberbullying.pptxAção Bullyng e cyberbullying.pptx
Ação Bullyng e cyberbullying.pptx
 
Aula 6 Ano 3º bimestre - 11.08.2022.pptx
Aula 6 Ano 3º bimestre - 11.08.2022.pptxAula 6 Ano 3º bimestre - 11.08.2022.pptx
Aula 6 Ano 3º bimestre - 11.08.2022.pptx
 
ARTE2 BIM- DANÇA 6ANO.pptx
ARTE2 BIM- DANÇA 6ANO.pptxARTE2 BIM- DANÇA 6ANO.pptx
ARTE2 BIM- DANÇA 6ANO.pptx
 
6º Ano - Aula de retoma de habilidade .pptx
6º Ano - Aula de retoma de habilidade .pptx6º Ano - Aula de retoma de habilidade .pptx
6º Ano - Aula de retoma de habilidade .pptx
 
3 Pilares da Fotografia.pptx
3 Pilares da Fotografia.pptx3 Pilares da Fotografia.pptx
3 Pilares da Fotografia.pptx
 
ELETIVA O QUE OS OLHOS NÃO VEEM AS LENTES REGISTRAM.pptx
ELETIVA O QUE OS OLHOS NÃO VEEM AS LENTES REGISTRAM.pptxELETIVA O QUE OS OLHOS NÃO VEEM AS LENTES REGISTRAM.pptx
ELETIVA O QUE OS OLHOS NÃO VEEM AS LENTES REGISTRAM.pptx
 

Último

TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.pptESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
maria-oliveira
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.pptESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 

AULA DE NIVELAMENTO (EF67LP38).pptx Analisar os efeitos de sentido do uso de figura de linguagem.

  • 1. AULA DE NIVELAMENTO HABILIDADE: (EF67LP38) ANALISAR OS EFEITOS DE SENTIDO DO USO DE FIGURAS DE LINGUAGEM PROFESSORA: TURMA: 8ᵒ ANO
  • 2. Título da aula: A metáfora e a comparação em poemas Finalidade da aula: Verificar o modo como o sentido figurado é empregado em poemas de forma livre a fim de sistematizar a metáfora e a comparação como figuras de linguagem que agregam maior expressividade a palavras e expressões. Ano: 8º ano do Ensino Fundamental Gênero: Poema de forma fixa e livre Objeto(s) do conhecimento: Figuras de linguagem Prática de linguagem: Análise linguística e semiótica Habilidade(s) da BNCC EF67LP38
  • 4. A comparação (ou símile) é uma figura de linguagem que está na categoria de figuras de palavras. Ela é determinada por meio da relação de similaridade, ou seja, pela comparação de dois termos ou ideias num enunciado. Geralmente, é acompanhada de elementos comparativos (conectivos): com, como, tal qual, tal como, assim, tão, quanto, parece, etc.
  • 5. Exemplos de comparação Para compreender melhor a figura de linguagem comparação, confira abaixo alguns exemplos na literatura e na música: •“É que teu riso penetra n'alma/Como a harmonia de uma orquestra santa.” (Castro Alves) •“Meu amor me ensinou a ser simples como um largo de igreja.” (Oswald de Andrade) •“Meu coração tombou na vida/tal qual uma estrela ferida/pela flecha de um caçador”. (Cecília Meireles) •“Eu faço versos como quem chora/De desalento... de desencanto...” (Manuel Bandeira)
  • 6. Exemplos de Frases com Metáfora "O personagem do livro tem coração de pedra." Em vez de dizer que o personagem do livro é insensível, podemos comparar o seu coração a uma pedra para expressar o quanto ele é duro. Essa comparação implícita dá mais ênfase e beleza à frase. Vamos ver mais exemplos: •Gabriel é um gato. (subentende-se beleza felina) •Lucas é um touro. (subentende-se a força do touro) •Fernando é um anjo. (subentende-se a bondade dos anjos) •Dona Filomena é uma flor. (subentende-se a beleza das flores) •Ludmila é fera em matemática. (subentende-se a esperteza) •Seus olhos são duas jabuticabas. (subentendem-se as características da jabuticaba: pretas e redondas)
  • 7. Metáfora É a figura de linguagem em que se encontra uma comparação implícita. Muito utilizada em textos poéticos, ela pode tornar o discurso mais elegante.
  • 8. Denotação e conotação. Disponível em: https://www.todamateria.com.br/conotacao-e- denotacao/ Figuras de linguagem. Disponível em: https://www.figuradelinguagem.com/gramatica/de notacao-e-conotacao/ Metáfora. Disponível em: https://www.todamateria.com.br/metafora/
  • 9. Fonte: De Ana para Eduardo, Ana Martins Marques. Disponível em: revista Piauí De Ana para Eduardo - Ana Martins Marques [...] como se casa fosse a casa, como se a casa fosse fóssil, casca, espaço físsil, momento preciso, decisão de cisão do mundo,[...] 2. Numa entrevista Anne Carson diz que se a prosa é uma casa a poesia é um homem em chamas [...] 3. Um caramujo como uma caixa de fósforos que levasse nas costas o incêndio da casa
  • 10. Fonte: De Ana para Eduardo, Ana Martins Marques. Disponível em: Revista Piauí 1. De Ana para Eduardo - Ana Martins Marques [...] como se casa fosse a casa, como se a casa fosse fóssil, casca, espaço físsil, momento preciso, decisão de cisão do mundo,[...] 2. Numa entrevista Anne Carson diz que se a prosa é uma casa a poesia é um homem em chamas [...] 3. Um caramujo como uma caixa de fósforos que levasse nas costas o incêndio da casa
  • 11. Metáfora e comparação em desenhos...
  • 12.
  • 13. Muita gente confunde a metáfora com outra figura de linguagem: a comparação. Veja a diferença: •Catarina é uma flor (metáfora). •Catarina é como uma flor (comparação). Repare que a metáfora não apresenta o elemento de conexão característico da comparação. Ela utiliza os termos no sentido denotativo e os transforma no modo figurado (conotativo). É assim que é feita uma comparação implícita. Quando o conectivo de comparação (como, tal qual, tal como, assim, etc.) aparece no enunciado, trata-se de um exemplo de comparação explícita. Em outras palavras, a metáfora é uma comparação que não utiliza o conectivo, ou seja, ele está subentendido na frase.

Notas do Editor

  1. <title> Sobre este plano </title> Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar. Sobre esta aula: Esta é a oitava aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Poema e no campo de atuação Artístico-literário. A aula faz parte do módulo de Análise linguística e semiótica. Materiais necessários: Cópias impressas de cada texto disponibilizado na aula; computador; projetor multimídia; tela; lápis; papel. Informações sobre o gênero: O poema é um gênero literário marcado pela musicalidade, pela subjetividade e pela escrita em versos, os quais podem ser elaborados em forma fixa ou livre, ou seja, que seguem, ou não, um padrão e métrica definidos. Dificuldades antecipadas: Os alunos podem ter dificuldade com a conotação; e não reconhecerem o uso metafórico de uma expressão. Referências sobre o assunto: Denotação e conotação. Disponível em: <https://www.todamateria.com.br/conotacao-e-denotacao/>. Acesso em: 7 out. 2018. Figuras de linguagem. Disponível em: <https://www.figuradelinguagem.com/gramatica/denotacao-e-conotacao/>. Acesso em: 7 out. 2018. Metáfora. Disponível em: <https://www.todamateria.com.br/metafora/>. Acesso em: 13 out. 2018.
  2. <title> Introdução </title> Tempo sugerido: 9 minutos. Orientações: Explique que nesta aula serão trabalhadas as figuras de linguagem denominadas metáfora e comparação. Pergunte aos alunos se eles sabem o que é uma metáfora e uma comparação. Divida a lousa em duas partes e de uma lado anote as respostas dos alunos, e de outro, coloque dois exemplos bem básicos para diferenciar comparação e metáfora. Sugerimos algo como: “Joana canta como uma passarinho” e “Joana é um passarinho” (Vale destacar para os alunos que nem sempre é tão fácil diferenciar essas duas figuras de linguagem em poemas mais complexos).Registre as respostas dos alunos no quadro. É provável que eles saibam explicar o conceito de comparação, mas não o de metáfora. Só depois de ouvi-los, dê a resposta correta para os exemplos e exponha características de cada uma dessas figuras, comentando que elas ocorrem por processo de analogias, ou seja, quando queremos aproximar por palavras dois seres (num sentido bem amplo - podem ser ações, movimentos, sentimentos, pessoas, animais etc. etc. ) diferentes. Antes de continuar a mostrar as especificidades da metáfora e da comparação, evidencie a ideia que a expressão “figura de linguagem” carrega, ou seja, o sentido da palavra “Figura” vem do verbo figurar – que significa representar a realidade por meio de figuras, como nas artes plásticas, nas ações de desenhar pintar esculpir; sendo assim, figuras de linguagem criam “imagens” com as palavras. Orientamos a não estabelecer a diferença entre metáfora e comparação apenas pelo uso ou não de palavras de ligação como conjunções comparativas: “como, tal qual, assim como etc.). Nem sempre é o que vai determinar a diferença no uso dessas figuras de linguagem nos poemas. Antes, ressalte que as comparações propõem analogias mais diretas e previsíveis (lançam mão dos sentidos literais). No caso da comparação costumamos usar uma palavra de ligação entre o que está sendo comparado – as conjunções comparativas: como, tal qual, assim como); retome o exemplo: Joana canta como um passarinho, em que a analogia se faz pelo ato de cantar: entende-se claramente que Joana canta bem, pois essa é uma característica dos passarinhos que estamos aproximando a uma característica de Joana. Já as Metáforas propõem analogias mais indiretas, menos previsíveis (criam novos sentidos, mais complexos). A metáfora pode ser elaborada sem palavras de ligação entre o que está sendo comparado, o que é mais comum. Podem, às vezes, até usar na sua elaboração palavras de ligação, mas mantêm a comparação pouco previsível. Retome o exemplo Joana é um passarinho. Neste caso, não fica evidente qual a analogia está se fazendo: pode ser que Joana seja fraquinha, magrinha ou assustada como um passarinho. Pode ser que ela cante bem, ou ainda que goste de se vestir com cores diferentes. Ou tudo isso junto! Mostre que a metáfora abre espaço para que possamos atribuir diferentes sentidos. E nos poemas, além disso, criam-se sentidos inesperados. Se você está seguindo a sequência dos planos de poemas, lembre aos/às estudantes os textos de Manoel de Barros, que foram apresentados, anteriormente, ou traga um exemplo de metáfora em um poema. Fonte: Revista Piauí, Ana Martins Marques, Um anteparo contra os golpes do dia. Disponível em: <https://piaui.folha.uol.com.br/materia/um-anteparo-contra-os-golpes-do-dia/>. Acesso em: 13 out. 2018.
  3. <title> Desenvolvimento </title> Tempo sugerido: 35 minutos. Orientações: Separe os alunos em trios ou quartetos. Explique que os textos serão distribuídos entre eles, de forma que cada grupo analise um único trecho. Os alunos devem ler os trechos para identificar como a autora faz uso da linguagem conotativa para construir as comparações e as metáforas. Peça para que os grupos destaquem, em seus respectivos textos, os trechos que eles julgam ser uma comparação e/ou uma metáfora e que escrevam, no caderno ou na própria folha em que está o poema, uma breve justificativa de como chegaram a essa conclusão. O tempo sugerido para esta atividade é 10 minutos. Materiais complementares: Os textos de Ana Martins Marques, para impressão, estão disponíveis aqui.
  4. <title> Desenvolvimento</title> Orientações: Peça para que os grupos compartilhem suas respostas. Comece pedindo para que todos os grupos que trabalharam o texto 1 exponham suas respostas e assim sucessivamente. Explique para os alunos que, no trecho 1, o eu-lírico faz uma comparação entre “casa” e outros objetos/espaços, comparando-a com algo que tem a característica de durar no tempo (fóssil), espaço que abriga (casca) e que pode se rachar, dividir, separar (físsil). Peça que observem que há também uma comparação no nível da morfossintaxe da língua: “casa” e “a casa” possuem sentidos diferentes; no segundo caso, conhecemos a casa, provavelmente temos ligações afetivas com esta casa a qual me refiro. No segundo trecho, há uma comparação implícita entre casa e poesia (e destaque que essa comparação implícita se estabelece numa estrutura de hipótese e confirmação: se isso [a prosa é uma casa], então [a poesia é um homem em chamas]. E para definir prosa e poesia, a autora usa duas metáforas, fazendo analogia entre prosa e casa, atribuindo sentidos à prosa como algo mais estável, mais sereno e previsível; e a analogia da poesia com um homem em chamas, ou seja, com a poesia corremos riscos, perigos; ela é imprevisível, intensa, mexe com emoções. É importante esclarecer aos alunos que essa é uma possibilidade de sentidos, mas um mesmo poema pode acatar vários outros sentidos. Já no terceiro trecho, embora tenhamos uma palavra de ligação “como”, a analogia não é estabelecida de forma a aproximar significados literais, como caramujo e casa nas costas; na verdade a poeta faz analogia entre caramujo e uma caixa de fósforos: quer dizer a analogia vai além do literal, pois a caixa de fósforos guarda a possibilidade do incêndio da casa. Temos, portanto, uma metáfora, que não trabalha com o sentido de casa como abrigo e segurança, sentido mais literal; mas casa como lugar de perigo, que pode pegar fogo a qualquer momento, como uma caixa de fósforos. Esses exemplos são importantes para mostrar que a análise de figuras de linguagem nos poemas pode ser bem mais complexa. E é isso que faz da poesia “um homem em chamas”. Peça para que os estudantes desenhem, em grupo, uma imagem que explicite a metáfora ou a comparação do trecho trabalhado pelo grupo, como realizado no Pequeno dicionário de expressões idiomáticas. O tempo sugerido para esta atividade é de 25 minutos.
  5. <title> Fechamento </title> Tempo sugerido: 5 minutos. Orientações: Peça para que os alunos compartilhem os desenhos e as expressões selecionadas e retome o uso e a importância da linguagem conotativa na poesia bem como seus efeitos na interpretação e na construção das imagens que criamos dos poemas. Reforce que no sentido conotativo há a atribuição de um novo significado ao valor denotativo da palavra. Assim, o objetivo deste recurso é dar maior ênfase e expressividade à linguagem, tornando-a mais comovente e mais atrativa.