SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 57
Baixar para ler offline
Compostos iônicos 
Empacotamento e arranjos cristalinos 
Prof Silmar 
2014-1
⇨ Menor ENERGIA POTENCIAL geral do sitema! 
Octeto completo confere especial estabilidade aos gases nobres, elementos do grupo 18: 
Ne (2 + 8); Ar (2 + 8 + 8); Kr (2 + 8 + 18 + 8). OBS: He (2 elétrons!) 
⇨ A química de muitos elementos é governada pela tendência que o elemento possui de assumir a configuração eletrônica de um gás nobre durante formação de ligação química. 
Por que os átomos se ligam uns aos outros? 
Ligação entre átomos resulta em espécie mais estável que cada um dos átomos isoladamente (favorecido energeticamente).
Compostos iônicos 
Silmar J. S. Franchi 
2014-1
Compostos iônicos - modelo 
O modelo mais simples para representar os compostos iônicos estabelece que os íons são esferas duras, cujo raio é igual ao raio iônico. Estes íons estão dispostos em camadas alternadas de cátions e ânions de forma organizada chamada “empacotamento".
7 tipos de células unitárias
14 retículos de Bravais 
Embora o conceito de célula unitária seja atribuído a Christian Westfeld (1746-1823), foi em 1848 que o físico francês Auguste Bravais (1811-1863) matematicamente provou que existem 14 maneiras distintas para organizar pontos no espaço tridimensional. Isto significa que existem 14 células unitárias diferentes para representar os minerais, e em particular os compostos iônicos.
14 retículos de Bravais
14 retículos de Bravais
Tipos de vãos intersticiais
Tipos de vãos intersticiais
Ligação Iônica
A Natureza das Ligações Químicas 
As ligações iônicas são prontamente formadas entre um átomo com baixa energia de ionização (eletropositivo) e outro com alta afinidade eletrônica (eletronegativo). Resulta do ganho ou perda de elétrons. 
Formam-se cátions (+) e ânions (-). Os íons se mantém juntos pela atração eletrostática entre cargas de sinais opostos. Ex. NaCl, KCl, KF. 
A ligação Iônica
Íons que os elementos formam 
Os átomos tendem a ganhar ou perder elétrons para adquirir a configuração eletrônica do gás nobre mais próximo na tabela periódica. 
Ex:
Fórmula de compostos iônicos 
Sabendo-se que compostos iônicos são eletricamente neutros e conhecendo- se as cargas dos íons, pode-se obter as fórmulas dos compostos iônicos: 
Ânion 
Cátion 
X- 
X2- 
X3- 
Exemplos 
M+ 
MX 
M2X 
M3X 
NaF, Na2O, Na3N 
M2+ 
MX2 
MX 
M3X2 
MgF2, MgO, Mg3N2 
M3+ 
MX3 
M2X3 
MX 
AlF3, Al2O3, AlN
Energia reticular 
Energia liberada quando um número apropriado de íons gasosos é reunido para formar um mol do sólido iônico correspondente,a 0K.
Formação da ligação iônica é favorável energeticamente 
-719 kJmol-1
Formação da ligação iônica é favorável energeticamente
Qual seria a explicação?
A interação entre íons forma estruturas cristalinas organizadas, com alto ponto de fusão e quebradiças. 
Energia potencial da interação entre íons: 
z = carga do íon 
e = carga absoluta do elétron 
0 = permissividade 
r = distância entre os íons 
Quanto menores os íons e maiores as cargas, maior a força de atração entre eles.
Sólidos iônicos podem ser quebradiços
Sólidos iônicos 
 Propriedades: maciez, ponto de fusão e condutibilidade. 
 Duro (quebradiço): Pelo fato de suas ligações serem razoavelmente fortes, os íons constituintes desse tipo de sólido não são removidos de suas posições originais com facilidade. 
 Ponto de fusão muito alto: Como os íons estão fortemente ligadas entre si, é difícil fundir esses materiais. 
 Condução térmica e elétrica ruins: Para conduzir eletricidade e calor, é preciso que haja portadores elétricos livres (elétrons ou íons), o que, nesse tipo de sólido não há. Em solução aquosa, conduz eletricidade.
Apresentação   ligação iônica e retículos cristalinos
Apresentação   ligação iônica e retículos cristalinos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Eletroquimica e pilhas
Eletroquimica e pilhasEletroquimica e pilhas
Eletroquimica e pilhas
 
Cien mat aula3
Cien mat aula3Cien mat aula3
Cien mat aula3
 
Campo cristalino-1
Campo cristalino-1Campo cristalino-1
Campo cristalino-1
 
Cap.4-1-Propriedades dos Catalisadores Solidos-5.pdf
Cap.4-1-Propriedades dos Catalisadores Solidos-5.pdfCap.4-1-Propriedades dos Catalisadores Solidos-5.pdf
Cap.4-1-Propriedades dos Catalisadores Solidos-5.pdf
 
Aulas 1 e 2 - Modelos Atômicos
Aulas 1 e 2 - Modelos AtômicosAulas 1 e 2 - Modelos Atômicos
Aulas 1 e 2 - Modelos Atômicos
 
estrutura cristalina
estrutura cristalina   estrutura cristalina
estrutura cristalina
 
Modelo atômico de Rutherford 2014
Modelo atômico de Rutherford 2014Modelo atômico de Rutherford 2014
Modelo atômico de Rutherford 2014
 
Segurança no Laboratório de Química
Segurança no Laboratório de QuímicaSegurança no Laboratório de Química
Segurança no Laboratório de Química
 
Estruturas cristalinas
Estruturas cristalinasEstruturas cristalinas
Estruturas cristalinas
 
Aula 1 introdução à química orgânica.
Aula 1    introdução à química orgânica.Aula 1    introdução à química orgânica.
Aula 1 introdução à química orgânica.
 
Modelos atômicos
Modelos atômicosModelos atômicos
Modelos atômicos
 
Ligações interatômicas
Ligações interatômicasLigações interatômicas
Ligações interatômicas
 
Primeira lei de ohm
Primeira lei de ohmPrimeira lei de ohm
Primeira lei de ohm
 
Ligações interatômicas
Ligações interatômicasLigações interatômicas
Ligações interatômicas
 
Propriedades periódicas
Propriedades periódicas Propriedades periódicas
Propriedades periódicas
 
Materiais magnéticos
Materiais magnéticosMateriais magnéticos
Materiais magnéticos
 
Arranjo atômico
Arranjo atômicoArranjo atômico
Arranjo atômico
 
História da tabela periódica(final)
História da tabela periódica(final)História da tabela periódica(final)
História da tabela periódica(final)
 
Geometria molecular
Geometria molecularGeometria molecular
Geometria molecular
 
Magnetismo e eletromagnetismo
Magnetismo e eletromagnetismoMagnetismo e eletromagnetismo
Magnetismo e eletromagnetismo
 

Semelhante a Apresentação ligação iônica e retículos cristalinos

Semelhante a Apresentação ligação iônica e retículos cristalinos (20)

Ligacoes quimicas
Ligacoes quimicasLigacoes quimicas
Ligacoes quimicas
 
Ligações
LigaçõesLigações
Ligações
 
Ciência dos Materiais
Ciência dos MateriaisCiência dos Materiais
Ciência dos Materiais
 
"Somos Físicos" Ligações Iônicas
"Somos Físicos" Ligações Iônicas"Somos Físicos" Ligações Iônicas
"Somos Físicos" Ligações Iônicas
 
Aula 5 lig
Aula 5 ligAula 5 lig
Aula 5 lig
 
Aula 05 Química Geral
Aula 05 Química GeralAula 05 Química Geral
Aula 05 Química Geral
 
Aula 5_ Revisão tabela e ligações iônicas.ppt
Aula 5_ Revisão tabela e ligações iônicas.pptAula 5_ Revisão tabela e ligações iônicas.ppt
Aula 5_ Revisão tabela e ligações iônicas.ppt
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
 
ligação quimica ifms.ppt
ligação quimica ifms.pptligação quimica ifms.ppt
ligação quimica ifms.ppt
 
Ligação química 2
Ligação química 2Ligação química 2
Ligação química 2
 
Ligações iônicas gm 5
Ligações iônicas   gm 5Ligações iônicas   gm 5
Ligações iônicas gm 5
 
2. Interações Intramoleculares.pptx
2. Interações Intramoleculares.pptx2. Interações Intramoleculares.pptx
2. Interações Intramoleculares.pptx
 
2012 cap01 estrutura e ligação
2012 cap01  estrutura e ligação2012 cap01  estrutura e ligação
2012 cap01 estrutura e ligação
 
Trabalho de química
Trabalho de químicaTrabalho de química
Trabalho de química
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
 
Ligações químicas.ppt
Ligações químicas.pptLigações químicas.ppt
Ligações químicas.ppt
 
Ligações químicas
Ligações químicas Ligações químicas
Ligações químicas
 
Aula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicasAula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicas
 
Propriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicosPropriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicos
 
Apresentação estado sólido 2
Apresentação estado sólido 2Apresentação estado sólido 2
Apresentação estado sólido 2
 

Apresentação ligação iônica e retículos cristalinos

  • 1. Compostos iônicos Empacotamento e arranjos cristalinos Prof Silmar 2014-1
  • 2. ⇨ Menor ENERGIA POTENCIAL geral do sitema! Octeto completo confere especial estabilidade aos gases nobres, elementos do grupo 18: Ne (2 + 8); Ar (2 + 8 + 8); Kr (2 + 8 + 18 + 8). OBS: He (2 elétrons!) ⇨ A química de muitos elementos é governada pela tendência que o elemento possui de assumir a configuração eletrônica de um gás nobre durante formação de ligação química. Por que os átomos se ligam uns aos outros? Ligação entre átomos resulta em espécie mais estável que cada um dos átomos isoladamente (favorecido energeticamente).
  • 3. Compostos iônicos Silmar J. S. Franchi 2014-1
  • 4.
  • 5.
  • 6. Compostos iônicos - modelo O modelo mais simples para representar os compostos iônicos estabelece que os íons são esferas duras, cujo raio é igual ao raio iônico. Estes íons estão dispostos em camadas alternadas de cátions e ânions de forma organizada chamada “empacotamento".
  • 7.
  • 8. 7 tipos de células unitárias
  • 9.
  • 10. 14 retículos de Bravais Embora o conceito de célula unitária seja atribuído a Christian Westfeld (1746-1823), foi em 1848 que o físico francês Auguste Bravais (1811-1863) matematicamente provou que existem 14 maneiras distintas para organizar pontos no espaço tridimensional. Isto significa que existem 14 células unitárias diferentes para representar os minerais, e em particular os compostos iônicos.
  • 11. 14 retículos de Bravais
  • 12. 14 retículos de Bravais
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29. Tipos de vãos intersticiais
  • 30. Tipos de vãos intersticiais
  • 31.
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 35.
  • 36.
  • 37.
  • 38.
  • 39.
  • 40.
  • 42. A Natureza das Ligações Químicas As ligações iônicas são prontamente formadas entre um átomo com baixa energia de ionização (eletropositivo) e outro com alta afinidade eletrônica (eletronegativo). Resulta do ganho ou perda de elétrons. Formam-se cátions (+) e ânions (-). Os íons se mantém juntos pela atração eletrostática entre cargas de sinais opostos. Ex. NaCl, KCl, KF. A ligação Iônica
  • 43. Íons que os elementos formam Os átomos tendem a ganhar ou perder elétrons para adquirir a configuração eletrônica do gás nobre mais próximo na tabela periódica. Ex:
  • 44. Fórmula de compostos iônicos Sabendo-se que compostos iônicos são eletricamente neutros e conhecendo- se as cargas dos íons, pode-se obter as fórmulas dos compostos iônicos: Ânion Cátion X- X2- X3- Exemplos M+ MX M2X M3X NaF, Na2O, Na3N M2+ MX2 MX M3X2 MgF2, MgO, Mg3N2 M3+ MX3 M2X3 MX AlF3, Al2O3, AlN
  • 45.
  • 46. Energia reticular Energia liberada quando um número apropriado de íons gasosos é reunido para formar um mol do sólido iônico correspondente,a 0K.
  • 47. Formação da ligação iônica é favorável energeticamente -719 kJmol-1
  • 48. Formação da ligação iônica é favorável energeticamente
  • 49. Qual seria a explicação?
  • 50. A interação entre íons forma estruturas cristalinas organizadas, com alto ponto de fusão e quebradiças. Energia potencial da interação entre íons: z = carga do íon e = carga absoluta do elétron 0 = permissividade r = distância entre os íons Quanto menores os íons e maiores as cargas, maior a força de atração entre eles.
  • 51.
  • 52.
  • 53.
  • 54. Sólidos iônicos podem ser quebradiços
  • 55. Sólidos iônicos  Propriedades: maciez, ponto de fusão e condutibilidade.  Duro (quebradiço): Pelo fato de suas ligações serem razoavelmente fortes, os íons constituintes desse tipo de sólido não são removidos de suas posições originais com facilidade.  Ponto de fusão muito alto: Como os íons estão fortemente ligadas entre si, é difícil fundir esses materiais.  Condução térmica e elétrica ruins: Para conduzir eletricidade e calor, é preciso que haja portadores elétricos livres (elétrons ou íons), o que, nesse tipo de sólido não há. Em solução aquosa, conduz eletricidade.