SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
LIGAÇÕES  QUÍMICAS Prof. Alessandro BRUTO
LIGAÇÕES QUÍMICAS A grande diversidade de substâncias existentes indica que os diferentes átomos podem combinar-se formando moléculas ou aglomerados iônicos, através de  ligações químicas . As  ligações , por sua vez,  são decorrentes dos seguintes fatores: 1.  atrações eletrostáticas; 2. tendência de  formação de pares eletrônicos.
As  ligações  podem se divididas em dois grupos 1. Interatômicas: - iônicas - metálicas - covalentes 2. Intermoleculares: - pontes de H - forças VDW LIGAÇÕES QUÍMICAS
Ligações Interatômicas LIGAÇÕES QUÍMICAS Iônica Metálica Covalente
Ligação iônica Ocorre entre um cátion e um ânion sendo o resultado de atração eletrostática ( lei de Coulomb ).   Portanto, tal ligação ocorrerá entre elementos muito eletropositivos ( metais alcalino e alcalino-terrosos ) e elementos muito eletronegativos ( calcogênios e halogênios ), principalmente. LIGAÇÕES QUÍMICAS
Características dos compostos iônicos 1. Todos são  sólidos cristalinos , à T ambiente; 2. Apresentam  alto Ponto de Fusão e Ebulição , o que indica uma intensa (forte) ligação; 3. O  caráter iônico   aumenta  com a  diferença  de eletronegatividade  entre os elementos; 4. Não conduzem corrente elétrica no estado  sólido mas  conduzem em solução aquosa  e quando fundidos ;  5. Os íons obedecem ao  modelo do octeto . LIGAÇÕES QUÍMICAS
Um exemplo típico de composto iônico: NaCl  Cada íon assume configuração eletrônica de gás nobre  (modelo do octeto). Cristal cúbico LIGAÇÕES QUÍMICAS
Ligação metálica Ocorre entre átomos de metais iguais ou metais diferentes ( ligas ). A partir de propriedades dos metais propõe-se um modelo para a ligação: 1.bons condutores de corrente ( indica elétrons  semi-livres ). 2.sólidos cristalinos em temperatura ambiente, com alto Ponto de Fusão ( indica forte ligação ); 3.em geral apresentam  1 ou 2 elétrons  na camada de valência ( n s 1  ou n s 2 ). LIGAÇÕES QUÍMICAS
Exemplos de metais e configurações LIGAÇÕES QUÍMICAS Na (Z = 11): 2  -  8  -  3 s 1 Fe (Z = 26): 2  -  8  -  14  -  4 s 2 Cu (Z = 29): 2  -  8  -  18  -  4 s 1 O átomo metálico pode ser considerado como sendo um  “cátion”  envolvido por elétrons  ns 1   ou  ns 2  que formam um orbital de compartilhamento  “gigante” , responsável pela adesão dos átomos e justificando a alta condução de corrente elétrica, sob uma diferença de potencial (ddp).
Modelo de ligação metálica LIGAÇÕES QUÍMICAS A estrutura é cristalina semelhante aos compostos iônicos Os elétrons  ns 1  e  ns 2  externos são responsáveis pela ligação e condução de corrente.
Ligação covalente ou molecular Ocorre, em geral, entre átomos de não metais onde a diferença de eletronegatividade seja baixa. LIGAÇÕES QUÍMICAS A ligação covalente decorre do compartilhamento de pares de elétrons, com spins opostos ou anti-paralelos, formando moléculas. - se o par de elétrons é constituído por um elétron de cada átomo envolvido,  a ligação é dita  covalente normal ;  - se o par de elétrons é cedido por apenas um dos átomos a ligação é dita  covalente dativa ou coordenada .
Exemplos   (fórmulas de Lewis) LIGAÇÕES QUÍMICAS 1 - Molécula de hidrogênio covalente normal 2 - Molécula de cloro covalente normal
Exemplos   (fórmulas de Lewis) LIGAÇÕES QUÍMICAS 3 - Molécula de oxigênio 2 covalentes normais 4 - Molécula de nitrogênio 3 covalentes normais
Exemplos   (fórmulas de Lewis) LIGAÇÕES QUÍMICAS 5 - Molécula de ácido clorídrico 1 covalente normal 6 - Molécula de gás carbônico 4 covalentes normais
Exemplos   (fórmulas de Lewis) LIGAÇÕES QUÍMICAS 8 - trióxido de enxofre 7 - dióxido de enxofre ligação dativa
Exemplos   (fórmulas de Lewis) LIGAÇÕES QUÍMICAS 9 - ânion sulfato (SO 4 -2 ) dativa normal

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cinetica quimica
Cinetica quimicaCinetica quimica
Cinetica quimica
Liana Maia
 
Funções Inorgânicas
Funções InorgânicasFunções Inorgânicas
Funções Inorgânicas
loirissimavivi
 
Ligações Químicas
Ligações QuímicasLigações Químicas
Ligações Químicas
Kátia Elias
 
Íons e Elementos químicos
Íons e Elementos químicosÍons e Elementos químicos
Íons e Elementos químicos
Carlos Priante
 

Mais procurados (20)

Equilibrio oxidação e redução
Equilibrio oxidação e  reduçãoEquilibrio oxidação e  redução
Equilibrio oxidação e redução
 
Cinetica quimica
Cinetica quimicaCinetica quimica
Cinetica quimica
 
Aula Digital de Química - Ácidos e Bases
Aula Digital de Química - Ácidos e BasesAula Digital de Química - Ácidos e Bases
Aula Digital de Química - Ácidos e Bases
 
Isomeria
IsomeriaIsomeria
Isomeria
 
Aula - Ligação Química
Aula - Ligação QuímicaAula - Ligação Química
Aula - Ligação Química
 
Aula funções oxigenadas
Aula  funções oxigenadasAula  funções oxigenadas
Aula funções oxigenadas
 
Estequiometria
EstequiometriaEstequiometria
Estequiometria
 
Tabela Periodica
Tabela PeriodicaTabela Periodica
Tabela Periodica
 
Funções Inorgânicas
Funções InorgânicasFunções Inorgânicas
Funções Inorgânicas
 
Ligações Químicas
Ligações QuímicasLigações Químicas
Ligações Químicas
 
Seminário potenciometria
Seminário potenciometriaSeminário potenciometria
Seminário potenciometria
 
Estrutura cristalina
Estrutura cristalinaEstrutura cristalina
Estrutura cristalina
 
Aldeidos e cetonas
Aldeidos e cetonasAldeidos e cetonas
Aldeidos e cetonas
 
Hidrocarbonetos
HidrocarbonetosHidrocarbonetos
Hidrocarbonetos
 
Propriedades coligativas
Propriedades coligativasPropriedades coligativas
Propriedades coligativas
 
8 oxidacao reducao
8  oxidacao reducao8  oxidacao reducao
8 oxidacao reducao
 
Pilhas - eletroquímica
Pilhas - eletroquímicaPilhas - eletroquímica
Pilhas - eletroquímica
 
Íons e Elementos químicos
Íons e Elementos químicosÍons e Elementos químicos
Íons e Elementos químicos
 
01 aula introdução eletroquímica
01 aula introdução eletroquímica01 aula introdução eletroquímica
01 aula introdução eletroquímica
 
Oxirredução
Oxirredução Oxirredução
Oxirredução
 

Destaque

Forças intermoleculares
Forças intermoleculares Forças intermoleculares
Forças intermoleculares
Marco Bumba
 
Ligações metálicas
Ligações metálicasLigações metálicas
Ligações metálicas
quimicabare
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
Efraim Lima
 
3o ano-ensino-medio-ligacoes-quimicas exemplo
3o ano-ensino-medio-ligacoes-quimicas exemplo3o ano-ensino-medio-ligacoes-quimicas exemplo
3o ano-ensino-medio-ligacoes-quimicas exemplo
Simone Belorte de Andrade
 

Destaque (20)

Ligações interatômicas
Ligações interatômicasLigações interatômicas
Ligações interatômicas
 
Aula 2: Estrutura atômica e ligação interatômica
Aula 2: Estrutura atômica e ligação interatômicaAula 2: Estrutura atômica e ligação interatômica
Aula 2: Estrutura atômica e ligação interatômica
 
Ligações químicas
Ligações químicas Ligações químicas
Ligações químicas
 
Ligações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecular
Ligações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecularLigações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecular
Ligações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecular
 
Ligações Químicas
Ligações QuímicasLigações Químicas
Ligações Químicas
 
Ciência e-engenharia-dos-materiais
Ciência e-engenharia-dos-materiaisCiência e-engenharia-dos-materiais
Ciência e-engenharia-dos-materiais
 
Argamassas
ArgamassasArgamassas
Argamassas
 
Ciência e engenharia de materiais cap 1
Ciência e engenharia de materiais   cap 1Ciência e engenharia de materiais   cap 1
Ciência e engenharia de materiais cap 1
 
Aplicação dos Metais do Grupo I
Aplicação dos Metais do Grupo IAplicação dos Metais do Grupo I
Aplicação dos Metais do Grupo I
 
Nutricaon
NutricaonNutricaon
Nutricaon
 
Forças intermoleculares
Forças intermoleculares Forças intermoleculares
Forças intermoleculares
 
Introdução ao conceito de reação química 1
Introdução ao conceito de reação química 1Introdução ao conceito de reação química 1
Introdução ao conceito de reação química 1
 
Forças intermoleculares
Forças intermolecularesForças intermoleculares
Forças intermoleculares
 
Ligacao quimica (introdução)
Ligacao quimica (introdução)Ligacao quimica (introdução)
Ligacao quimica (introdução)
 
Ligações metálicas
Ligações metálicasLigações metálicas
Ligações metálicas
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
 
Forças intermoleculares
Forças intermolecularesForças intermoleculares
Forças intermoleculares
 
3o ano-ensino-medio-ligacoes-quimicas exemplo
3o ano-ensino-medio-ligacoes-quimicas exemplo3o ano-ensino-medio-ligacoes-quimicas exemplo
3o ano-ensino-medio-ligacoes-quimicas exemplo
 
Biomateriais
BiomateriaisBiomateriais
Biomateriais
 
Introdução a interações moleculares
Introdução a interações molecularesIntrodução a interações moleculares
Introdução a interações moleculares
 

Semelhante a Ligações interatômicas

2. Interações Intramoleculares.pptx
2. Interações Intramoleculares.pptx2. Interações Intramoleculares.pptx
2. Interações Intramoleculares.pptx
BentoLopes5
 
Ligacoes quimicas
Ligacoes quimicasLigacoes quimicas
Ligacoes quimicas
estead2011
 
Ligacoes quimicas geometria
Ligacoes quimicas   geometriaLigacoes quimicas   geometria
Ligacoes quimicas geometria
Rafael Milan
 

Semelhante a Ligações interatômicas (20)

Ligações
LigaçõesLigações
Ligações
 
2. Interações Intramoleculares.pptx
2. Interações Intramoleculares.pptx2. Interações Intramoleculares.pptx
2. Interações Intramoleculares.pptx
 
Bio ação 02
Bio ação 02 Bio ação 02
Bio ação 02
 
Trabalho de química
Trabalho de químicaTrabalho de química
Trabalho de química
 
Ligacao quimica
Ligacao quimicaLigacao quimica
Ligacao quimica
 
Ligações Químicas.ppt
Ligações Químicas.pptLigações Químicas.ppt
Ligações Químicas.ppt
 
2 ligacao
2 ligacao2 ligacao
2 ligacao
 
Aula_3_Ligações Químicas.ppt
Aula_3_Ligações Químicas.pptAula_3_Ligações Químicas.ppt
Aula_3_Ligações Químicas.ppt
 
aula 3 ligações químicas. aula sobre a estrutura das ligações.
aula 3 ligações químicas. aula sobre a estrutura das ligações.aula 3 ligações químicas. aula sobre a estrutura das ligações.
aula 3 ligações químicas. aula sobre a estrutura das ligações.
 
Aula_3_Ligações Químicas.ppt
Aula_3_Ligações Químicas.pptAula_3_Ligações Químicas.ppt
Aula_3_Ligações Químicas.ppt
 
Aula_3_Ligações Químicas.pdf
Aula_3_Ligações Químicas.pdfAula_3_Ligações Químicas.pdf
Aula_3_Ligações Químicas.pdf
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
 
Ligação química 2
Ligação química 2Ligação química 2
Ligação química 2
 
Ligações covalentes trabalho de quimica
Ligações covalentes trabalho de quimicaLigações covalentes trabalho de quimica
Ligações covalentes trabalho de quimica
 
Ligacoes quimicas
Ligacoes quimicasLigacoes quimicas
Ligacoes quimicas
 
Ligacoes quimicas
Ligacoes quimicasLigacoes quimicas
Ligacoes quimicas
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
 
Ligacoes quimicas geometria
Ligacoes quimicas   geometriaLigacoes quimicas   geometria
Ligacoes quimicas geometria
 
Aula i fbaiano_ligações químicas
Aula i fbaiano_ligações químicasAula i fbaiano_ligações químicas
Aula i fbaiano_ligações químicas
 
Unidade 01 Teoria Estrutural
Unidade 01   Teoria EstruturalUnidade 01   Teoria Estrutural
Unidade 01 Teoria Estrutural
 

Mais de dianalove15

I guerra mundial 2010
I guerra mundial 2010I guerra mundial 2010
I guerra mundial 2010
dianalove15
 
I guerra mundial 2010
I guerra mundial 2010I guerra mundial 2010
I guerra mundial 2010
dianalove15
 
The red pyramid riordan rick
The red pyramid   riordan  rickThe red pyramid   riordan  rick
The red pyramid riordan rick
dianalove15
 
Geometria molecular
Geometria molecularGeometria molecular
Geometria molecular
dianalove15
 
Funções inorgânicas bases
Funções inorgânicas basesFunções inorgânicas bases
Funções inorgânicas bases
dianalove15
 
Dinâmica atmosférica
Dinâmica atmosféricaDinâmica atmosférica
Dinâmica atmosférica
dianalove15
 
Geometria molecular
Geometria molecularGeometria molecular
Geometria molecular
dianalove15
 
Enem 1ª Parte(Resultados) 2009
Enem 1ª Parte(Resultados)   2009Enem 1ª Parte(Resultados)   2009
Enem 1ª Parte(Resultados) 2009
dianalove15
 
Conjuntos Numericos
Conjuntos NumericosConjuntos Numericos
Conjuntos Numericos
dianalove15
 

Mais de dianalove15 (15)

I guerra mundial 2010
I guerra mundial 2010I guerra mundial 2010
I guerra mundial 2010
 
I guerra mundial 2010
I guerra mundial 2010I guerra mundial 2010
I guerra mundial 2010
 
The red pyramid riordan rick
The red pyramid   riordan  rickThe red pyramid   riordan  rick
The red pyramid riordan rick
 
Xampu 2003
Xampu 2003Xampu 2003
Xampu 2003
 
Polaridade
PolaridadePolaridade
Polaridade
 
País de idosos
País de idososPaís de idosos
País de idosos
 
Geometria molecular
Geometria molecularGeometria molecular
Geometria molecular
 
Funções inorgânicas bases
Funções inorgânicas basesFunções inorgânicas bases
Funções inorgânicas bases
 
Função+ex..
Função+ex..Função+ex..
Função+ex..
 
Função
FunçãoFunção
Função
 
Dinâmica atmosférica
Dinâmica atmosféricaDinâmica atmosférica
Dinâmica atmosférica
 
Citoquími..
Citoquími..Citoquími..
Citoquími..
 
Geometria molecular
Geometria molecularGeometria molecular
Geometria molecular
 
Enem 1ª Parte(Resultados) 2009
Enem 1ª Parte(Resultados)   2009Enem 1ª Parte(Resultados)   2009
Enem 1ª Parte(Resultados) 2009
 
Conjuntos Numericos
Conjuntos NumericosConjuntos Numericos
Conjuntos Numericos
 

Ligações interatômicas

  • 1. LIGAÇÕES QUÍMICAS Prof. Alessandro BRUTO
  • 2. LIGAÇÕES QUÍMICAS A grande diversidade de substâncias existentes indica que os diferentes átomos podem combinar-se formando moléculas ou aglomerados iônicos, através de ligações químicas . As ligações , por sua vez, são decorrentes dos seguintes fatores: 1. atrações eletrostáticas; 2. tendência de formação de pares eletrônicos.
  • 3. As ligações podem se divididas em dois grupos 1. Interatômicas: - iônicas - metálicas - covalentes 2. Intermoleculares: - pontes de H - forças VDW LIGAÇÕES QUÍMICAS
  • 4. Ligações Interatômicas LIGAÇÕES QUÍMICAS Iônica Metálica Covalente
  • 5. Ligação iônica Ocorre entre um cátion e um ânion sendo o resultado de atração eletrostática ( lei de Coulomb ). Portanto, tal ligação ocorrerá entre elementos muito eletropositivos ( metais alcalino e alcalino-terrosos ) e elementos muito eletronegativos ( calcogênios e halogênios ), principalmente. LIGAÇÕES QUÍMICAS
  • 6. Características dos compostos iônicos 1. Todos são sólidos cristalinos , à T ambiente; 2. Apresentam alto Ponto de Fusão e Ebulição , o que indica uma intensa (forte) ligação; 3. O caráter iônico aumenta com a diferença de eletronegatividade entre os elementos; 4. Não conduzem corrente elétrica no estado sólido mas conduzem em solução aquosa e quando fundidos ; 5. Os íons obedecem ao modelo do octeto . LIGAÇÕES QUÍMICAS
  • 7. Um exemplo típico de composto iônico: NaCl Cada íon assume configuração eletrônica de gás nobre (modelo do octeto). Cristal cúbico LIGAÇÕES QUÍMICAS
  • 8. Ligação metálica Ocorre entre átomos de metais iguais ou metais diferentes ( ligas ). A partir de propriedades dos metais propõe-se um modelo para a ligação: 1.bons condutores de corrente ( indica elétrons semi-livres ). 2.sólidos cristalinos em temperatura ambiente, com alto Ponto de Fusão ( indica forte ligação ); 3.em geral apresentam 1 ou 2 elétrons na camada de valência ( n s 1 ou n s 2 ). LIGAÇÕES QUÍMICAS
  • 9. Exemplos de metais e configurações LIGAÇÕES QUÍMICAS Na (Z = 11): 2 - 8 - 3 s 1 Fe (Z = 26): 2 - 8 - 14 - 4 s 2 Cu (Z = 29): 2 - 8 - 18 - 4 s 1 O átomo metálico pode ser considerado como sendo um “cátion” envolvido por elétrons ns 1 ou ns 2 que formam um orbital de compartilhamento “gigante” , responsável pela adesão dos átomos e justificando a alta condução de corrente elétrica, sob uma diferença de potencial (ddp).
  • 10. Modelo de ligação metálica LIGAÇÕES QUÍMICAS A estrutura é cristalina semelhante aos compostos iônicos Os elétrons ns 1 e ns 2 externos são responsáveis pela ligação e condução de corrente.
  • 11. Ligação covalente ou molecular Ocorre, em geral, entre átomos de não metais onde a diferença de eletronegatividade seja baixa. LIGAÇÕES QUÍMICAS A ligação covalente decorre do compartilhamento de pares de elétrons, com spins opostos ou anti-paralelos, formando moléculas. - se o par de elétrons é constituído por um elétron de cada átomo envolvido, a ligação é dita covalente normal ; - se o par de elétrons é cedido por apenas um dos átomos a ligação é dita covalente dativa ou coordenada .
  • 12. Exemplos (fórmulas de Lewis) LIGAÇÕES QUÍMICAS 1 - Molécula de hidrogênio covalente normal 2 - Molécula de cloro covalente normal
  • 13. Exemplos (fórmulas de Lewis) LIGAÇÕES QUÍMICAS 3 - Molécula de oxigênio 2 covalentes normais 4 - Molécula de nitrogênio 3 covalentes normais
  • 14. Exemplos (fórmulas de Lewis) LIGAÇÕES QUÍMICAS 5 - Molécula de ácido clorídrico 1 covalente normal 6 - Molécula de gás carbônico 4 covalentes normais
  • 15. Exemplos (fórmulas de Lewis) LIGAÇÕES QUÍMICAS 8 - trióxido de enxofre 7 - dióxido de enxofre ligação dativa
  • 16. Exemplos (fórmulas de Lewis) LIGAÇÕES QUÍMICAS 9 - ânion sulfato (SO 4 -2 ) dativa normal