SlideShare uma empresa Scribd logo
Análise Projeto de Lei Orçamentária (PLOA) - 2014
Principais Pontos da Lei Orçamentária
A Lei Orçamentária Anual é a peça de planejamento que detalha quais recursos serão
aplicados nos programas de governo, com o objetivo de concretizar as prioridades e metas
estabelecidas no PPA e na LDO.
Compreende o Orçamento Fiscal, o Orçamento de Investimentos e o da Seguridade Social;
O projeto de lei Orçamentária (PLOA) estimou para o exercício financeiro de 2014 o valor de
R$ 6.442.764.260,00 (seis bilhões, quatrocentos e quarenta e dois milhões, setecentos e
sessenta e quatro mil e duzentos e sessenta reais), para as receitas e as despesas, cumprindo
assim o estabelecido no princípio do equilíbrio previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal
(LRF) e na Constituição Federal 1988.
Análise do Projeto de Lei Orçamentária
ANO

VALOR DA PREVISÃO e FIXAÇÃO
ORÇAMENTÁRIA

% de aumento em relação a
2006

% de aumento em relação ao
ano anterior

2006

1.988.294.150,00

2007

2.698.320.000,00

35,71%

35,71%

2008

2.954.372.000,00

48,59%

9,49%

2009

3.411.734.000,00

71,59%

15,48%

2010

3.856.577.000,00

93,96%

13,04%

2011

4.483.314.000,00

125,49%

16,25%

2012

5.056.974.000,00

154,34%

12,80%

2013

5.587.796.071,00

181,03%

10,50%

2014

6.442.764.260,00

224,03%

15,30%

 Fonte: Projeto de Lei Orçamentária
Análise Receita
Análise da Receita
 Transferências constitucionais obrigatórias (FPM,Cota parte do ICMS, Cota parte do IPVA, Transferência SUS,
Transferência FNAS, etc):
% de aumento em relação a 2006

% de aumento em relação ao ano anterior

26,52%

26,52%

1.505.260.942,36

58,59%

25,34%

2008

1.964.600.541,07

106,98%

30,52%

2009

2.086.290.994,59

119,80%

6,19%

2010

138,79%

8,64%

2011

2.266.575.570,64
2.268.519.016,00

139,00%

0,09%

2012

2.554.931.756,49

169,17%

12,63%

2013

2.318.499.849,36

144,26%

-9,25%

Ano

Valor das transferências

2005

949.180.227,45

2006

1.200.943.713,87

2007

Observa-se, pela tabela acima que os valores repassados por outros entes Federativos, vem aumentando ano a ano,
destaca-se que o repasse de recursos teve uma diminuição no ano de 2009 devido a crise financeira mundial e o
ano de 2013 vem ocorrendo o repasse a menor do que o previsto. Fato esse que pode ser explicado pela
diminuição da alíquota do IPI e de outros impostos federais.
Análise da Receita
 Arrecadação própria
Especificação

2008

2009

2010

2011

2012

*2013

IPTU

98.748.371,11

114.115.675,26

159.734.233,98

172.071.713,87

191.284.814,42

193.899.812,11

ISS

256.730.308,61

294.521.301,00

363.778.383,55

427.468.338,07

495.746.951,66

423.156.000,29

ITBI

47.023.142,54

46.335.798,95

67.138.700,92

88.285.646,87

110.132.529,38

114.176.672,10

Taxas

6.695.640,67

9.189.079,29

12.007.137,06

13.499.291,80

17.329.115,13

13.696.586,09

Receita de
Contribuições

171.505.973,07

189.249.344,93

214.015.917,35

223.353.091,95

238.310.804,46

Receita Patrimonial

63.400.625,44

70.452.269,07

90.339.344,16

133.003.098,27

203.661.214,21

198.698.523,55
57.730.426,24

Receita de Serviço

4.266.305,34

2.475.690,13

3.286.794,19

1.168.401,46

3.691.332,09

3.907.180,68

Observa-se que a Prefeitura de Fortaleza obteve aumento na sua arrecadação própria até o ano de 2012, no entanto em
2013 a arrecadação vêm tendo índices pífios , destaca-se que do total das Receitas Estimadas até agora somente 65,31%
foram efetivamente arrecadadas. Essa situação levou principalmente a atual gestão solicitar empréstimos bancários, no
qual alguns foram aprovados pela Câmara Municipal.
Análise da Receita

Fonte: Diário do Nordeste
Análise da Receita

Fonte: O POVO
Análise da Receita Pública
 Pelos dados da Execução da Receita, desde de 2005 para o caso das transferências e de
2008 para a Receita Própria, pode-se perceber uma certa superestimação da arrecadação
para 2014, uma vez, que o Orçamento aumenta em mais de 15,30%, destaca-se que a
inflação prevista para 2014 pelo Banco Central é de 5,80% e o crescimento do PIB é de
2,20%;
 Desta forma, não se entende a previsão tão elevada da Receita Pública, mesmo utilizando
como parâmetro a arrecadação dos três anos anteriores, conforme prevê a Lei 4.320/64
em seu artigo 22;
Distribuição da Receita Pública no Projeto de Lei Orçamentária
Análise Despesa
Análise da Despesa por Funções
Conceito de Despesa por Função: A classificação funcional identifica as grandes áreas de atuação do Estado, fixando-se objetivos para cada uma delas e, por
consequência, as ações que se pretende desenvolver para o alcance desses propósitos (objetivos).
Distribuição dos recursos por Função de Governo:

Área

Valor Orçado para 2013

Percentual em relação ao total

Legislativa
Administração
Segurança Pública
Assistência Social
Previdência Social
Saúde
Educação
Cultura
Direitos da Cidadania
Urbanismo
Habitação
Saneamento
Gestão Ambiental
Ciência e Tecnologia
Comércio e Serviço
Transporte
Desporto e Lazer
Encargos Especiais
Reserva de Contingência
Trabalho

144.430.930
725.834.840
187.415.931
95.539.528
410.466.396
1.778.370.263
1.364.663.943
54.224.306
47.520.007
970.630.810
79.051.668
350.000
112.093.066
26.718.000
128.980.326
3.400.000
21.979.262
147.405.805
240.000.000
21.773.275

2,26%
11,35%
2,93%
1,49%
6,42%
27,81%
21,34%
0,85%
0,74%
15,18%
1,24%
0,01%
1,75%
0,42%
2,02%
0,05%
0,34%
2,30%
3,75%
0,34%
PATINHOS FEIOS DO ORÇAMENTO (Áreas Desprestigiadas)
Área ( Despesas por Função e
Subfunção)

Valor Orçado para 2013

Percentual em relação ao
total

Assistência Social
Recursos dentro da Assistência Social
Assistência ao Idoso
Assistência ao Portador de deficiência
Assistência à Criança e ao Adolescente
Trabalho
Cultura
Direitos da Cidadania
Habitação
Recursos dentro da Habitação
Habitação Urbana
Saneamento
Ciência e Tecnologia
Comércio e Serviço
Transporte
Desporto e Lazer
Gestão Ambiental
Recursos dentro da Gestão Ambiental
Recuperação de áreas degradadas
Preservação e Conservação Ambiental

95.539.528

1,49%

2.507.022
1.242.601
14.449.451
21.773.275
54.224.306
47.520.007
79.051.668

0,04%
0,02%
0,22%
0,34%
0,85%
0,74%
1,24%

48.035.541
350.000
26.718.000
128.980.326
3.400.000
21.979.262
112.093.066

0,75%
0,01%
0,42%
2,02%
0,05%
0,34%
1,75%

2.363.000
14.944.329

0,04%
0,23%
Análise da Despesa do Projeto de Lei
Verifica-se pelos dados do slide anterior que algumas áreas ainda carecem de um aporte de recursos, uma delas é a assistência
social que tem somente 1,49% de destinação de recursos, percentual esse menor que do Orçamento de 2012 que previu 1,97%,
outra área é trabalho com menos de 1%, saneamento e Direitos a Cidadania. A habitação também possuem problemas de
financiamentos de recursos, uma vez que somente 2,14%, destaca-se que o estudo da ONU recente apontou Fortaleza como a 2
cidade mais desigual da América Latina. Diante da situação apresentada no Projeto de Lei Orçamentária verifica-se que a
situação apresentada no estudo da ONU em Fortaleza deverá mudar pouca coisa para o ano de 2014, além disso o decifit de
habitações é o sexto maior do País.
Recursos para a Copa- Comparativo por Programas
Programa

Valor

PROMOÇÃO E REALIZAÇÃO DA COPA 2014 EM
FORTALEZA

174.361.595

TRANSPORTE URBANO - TRANSFOR

132.786.000

Total dos Recursos com algumas Obras
HABITAR BEM

307.147.595
20.038.375

HABITAÇÃO DE FORTALEZA

35.727.070

PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA

26.463.278

PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL

12.336.000

PROMOÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS DAS MULHERES

2.794.502

PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL

816.420

COORDENAÇÃO INTEGRADA DE ENFRENTAMENTO DO
CRACK E OUTRAS DROGAS

2.883.500

Observa-se, por essa tabela, que
os recursos voltados a COPA do
Mundo, serão priorizado, já os
referente a habitação, proteção
social
básica
e
especial,
igualdade
racial
e
do
enfrentamento ao CRACK, não
serão prioridades durante o ano
de 2014.
Recursos para a Copa- Comparativo por Despesas por
Subfunção
Programa

Valor

PROMOÇÃO E REALIZAÇÃO DA COPA 2014 EM
FORTALEZA

174.361.595

Despesa por SUBFUNÇÃO
ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE

14.449.451

HABITAÇÃO URBANA

48.035.541

ASSISTÊNCIA AO IDOSO

2.507.022

ASSISTÊNCIA AO PORTADOR DE DEFICIÊNCIA

1.242.601

DIREITOS INDIVIDUAIS, COLETIVOS E DIFUSOS

19.461.747

PRESERVAÇÃO E CONSERVAÇÃO AMBIENTAL

14.944.329

O quadro ao lado, evidência o
comparativo
das
despesas
relacionadas a Copa e a Despesa
por SUBFUNÇÃO que identifica a
natureza básica das ações, entre
as
despesas
estão
as
relacionadas em sua totalidade a
de Assistência à Criança e ao
Adolescente e a Habitação.
O quadro demonstra que os
recursos voltados a COPA 2014,
serão prioridades, enquanto o
social será deixado de lado.
Despesas para a Área da Moradia - Órgão
Órgão

Subfunção

LOA 2013

PLOA 2014

FUNDAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO
HABITACIONAL DE FORTALEZA

HABITAÇÃO URBANA

R$ 97.028.669

R$ 48.035.541

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO
ECONOMICO

HABITAÇÃO URBANA

R$ 614.205

HABITAÇÃO URBANA

R$ 104.781.415

SECRETARIA MUNICIPAL DE
DESENVOLVIMENTO URBANO E
INFRAESTRUTRA
TOTAL

R$ 202.424.289

%
-50,49%
-100,00%
-100,00%

R$ 48.035.541

-76,27%
Comentário em Relação a Alocação dos Recursos para a
HABITAÇÃO
Conforme demonstrado no slide anterior,
observa-se uma grande redução na fixação da
Despesa Pública voltada a Moradia, uma vez que a
atual gestão diminuiu os recursos na ordem 76,27%,
em relação ao Orçamento de 2013.
Ressalta-se que Fortaleza tem 396.370 pessoas
vivendo em 509 aglomerados subnormais, ou seja,
ocupações irregulares, sem escritura e, em muitos
casos, em condições precárias. O número representa
18% da população que reside na cidade. A maioria
das favelas reunidas na Capital está nos bairros Barra
do Ceará (156) e Mucuripe (69).
Despesas para a Área da CULTURA
Órgão

Função

LOA 2013

PLOA 2014

%

GABINETE DO PREFEITO

CULTURA

R$ 900.697

FUNDO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DE FORTALEZA

CULTURA

R$ 5.891.812

R$ 17.151.643

191,11%

FUNDAÇÃO DE CULTURA, ESPORTE E TURISMO DE FORTALEZA

CULTURA

R$ 8.948.270

R$ 3.659.736

-59,10%

SECRETARIA DE TURISMO DE FORTALEZA

CULTURA

R$ 3.878.500

SECRETARIA DE CULTURA DE FORTALEZA

CULTURA

R$ 38.613.315

SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO

-100,00%

-100,00%
R$ 22.873.913

-40,76%

CULTURA

R$ 2.049.014

100,00%

SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E
GESTÃO

CULTURA

R$ 21.000

SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

CULTURA

R$ 3.659.736

FUNDO MUNICIPAL DE CULTURA

CULTURA

R$ 210.000

100,00%

SECRETARIA REGIONAL DO CENTRO

CULTURA

R$ 2.000.000

R$ 315.000

-84,25%

SECRETARIA REGIONAL I, II, III, IV, V e VI

CULTURA

R$ 30.033.950

R$ 7.404.000

-75,35%

SECRETARIA MUNICIPAL EXTRAORDINÁRIA DA COPA 2014

CULTURA

R$ 750.000

100%!

R$ 58.094.042

-35,64%

TOTAL

100,00%

R$ 90.266.544

100,00%
Comentário em Relação a Alocação dos Recursos para a
CULTURA
Conforme demonstrado no slide anterior, observa-se uma
grande redução na fixação da Despesa Pública voltada a
Cultura, uma vez que a atual gestão diminuiu os recursos na
ordem 35,64%, em relação ao Orçamento de 2013.
Informa-se que Fortaleza, ano a ano vem perdendo seu
patrimônio cultural histórico principalmente com a destruição
de prédios históricos, além de outros abandonados.
Além disso, muitas obras da gestão passada estão
abandonadas, entre elas pode-se citar os CUCAS
Recursos da Saúde (Unidade Orçamentária
Especificação

Valor

%

INSTITUTO DR. JOSÉ FROTA

348.255.496

21,02%

FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE - ADMINISTRAÇÃO GERAL

1.154.914.848

69,70%

COORDENADORIA REGIONAL I

3.146.500

0,19%

COORDENADORIA REGIONAL II

1.886.500

0,11%

COORDENADORIA REGIONAL III

2.896.500

0,17%

COORDENADORIA REGIONAL IV

3.230.000

0,19%

COORDENADORIA REGIONAL V

6.302.000

0,38%

COORDENADORIA REGIONAL VI

8.795.000

0,53%

HOSPITAL DISTRITAL GONZAGA MOTA/BARRA DO CEARÁ

3.668.000

0,22%

CENTRO DE ESPECIALIZAÇÕES MÉDICAS JOSÉ DE ALENCAR

7.982.000

0,48%

HOSPITAL DISTRITAL EVANDRO AYRES DE MOURA

7.865.400

0,47%

HOSPITAL DISTRITAL MARIA JOSÉ BARROSO

6.633.000

0,40%

HOSPITAL LÚCIA DE FÁTIMA/CROA

2.791.000

0,17%

HOSPITAL DISTRITAL GONZAGA MOTA/JOSÉ WALTER

4.653.000

0,28%

HOSPITAL DISTRITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

5.465.000

0,33%

HOSPITAL DISTRITAL GONZAGA MOTA/MESSEJANA

9.153.000

0,55%

HOSPITAL DISTRITAL EDMILSON BARROS DE OLIVEIRA

6.828.000

0,41%

HOSPITAL DA MULHER

72.450.483

4,37%
Comentários a alocação dos recursos
Verifica-se, pela tabela anterior que os maiores recursos da Saúde, estarão alocados no IJF, no
Fundo Municipal de Saúde em que ficam a gestão dos postos de saúde e do Hospital da Mulher;
Um ponto positivo previsto no Orçamento para a Saúde, é a previsão de recursos para a atenção
primária que seria o primeiro cuidado com a saúde da pessoa, no sentido de sua promoção e proteção,
a interpretação que melhor expressa a sua importância dentro da saúde pública é a de principal,
fundamental, devendo, por isso, ser considerada como atenção prioritária, a qual orienta todo o
sistema de saúde;
Para a Atenção Primária o chefe do executivo previu R$ 315.067.307;
No entanto, algumas áreas ainda serão prejudicadas, podemos citar os CAPS, que tiveram uma
previsão de somente R$ 6.340.000, valor esse irrisório em relação ao total previsto R$ 1.656.915.727
Despesas para a Área da Criança e Adolescente - Órgão
Órgão

Subfunção

LOA 2013

PLOA 2014

SECRETARIA MUNICIPAL DE CIDADANIA
E DIREITOS HUMANOS

ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E
AO ADOLESCENTE

R$ 1.114.100

R$ 679.210

FUNDAÇÃO DA CRIANÇA E DA FAMÍLIA
CIDADÃ

ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E
AO ADOLESCENTE

R$ 15.836.700

FUNDO MUNICIPAL DE DEFESA DOS
DIREITOS DA CRIANÇA E DO
ADOLESCENTE

ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E
AO ADOLESCENTE

SECRETARIA REGIONAL DO CENTRO

ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E
AO ADOLESCENTE

SECRETARIA DE TURISMO
SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
TOTAL

%
-39,04%

R$ 10.881.241
-31,29%
R$ 2.609.000

R$ 4.059.267
-35,73%
R$ 280.000
+ 100%

ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E
AO ADOLESCENTE

R$ 684.634

ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E
AO ADOLESCENTE

R$ 7.043.808

-100,00%
-100,00%
R$ 28.738.509

R$ 14.449.451

-49,72%
Recursos para os Conselhos Tutelares 2014
Órgão

Ação

Meta

SECRETARIA MUNICIPAL DE
CIDADANIA E DIREITOS HUMANOS

Manutenção dos
Conselhos Tutelares

Conselho
Mantido/Apoiado/Implantado
(Unidade 6)

SECRETARIA MUNICIPAL DE
CIDADANIA E DIREITOS HUMANOS

FUNCI

FUNDO MUNICIPAL DE DEFESA
DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO
ADOLESCENTE

TOTAL

Realização de eleição
Evento
de Conselheiros
Promovido/Realizado/Apoiado
Tutelares
(Unidade )=1
Assessoramento aos
Conselhos Tutelares
Formação
Continuada para
Conselheiros
Tutelares e de
Direitos

LOA 2013

PLOA 2014

R$ 1.004.000

%

R$ 350.000
-65,14%

R$ 73.050

R$ 56.210
-23,05%

Conselho
Mantido/Apoiado/Implantado
(Unidade 1)

Não existia

R$ 200.000

Evento
Promovido/Realizado/Apoiado
(Unidade )=2

Não Existia

R$ 50.000

R$ 1.077.050

R$ 656.210

-39,07%
Comentário em Relação a Alocação dos Recursos para a
Infância
Conforme demonstrado no slide anterior dessa apresentação, verifica-se uma drástica redução na
fixação da Despesa Pública, uma vez que a atual gestão diminuiu os recursos na ordem 49,72%, em
relação ao Orçamento de 2013.
Conclui-se, portanto que o princípio da “Absoluta Prioridade” na efetivação dos direitos da infância
e juventude, colocado no artigo 227 da Constituição Federal de 1988 e ratificado no art. 4 do Estatuto da
Criança e do Adolescente (Lei N. 8.069/90), no qual determina que o Estado dê preferência na
formulação e na execução das políticas sociais públicas e garanta a destinação privilegiada de recursos
públicos nas áreas relacionadas com a proteção a essa parcela da população, não vem sendo respeitado
pelo município de Fortaleza na destinação de seus recursos.
Ressalta-se, que o valor previsto para a área da Infância corresponde a menos de 10% do total
previsto para as obras da Copa.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Orçamento municipal é tema de pronunciamento

Apresentação – Reforma da Previdência (08/03/2017)
Apresentação – Reforma da Previdência (08/03/2017)Apresentação – Reforma da Previdência (08/03/2017)
Apresentação – Reforma da Previdência (08/03/2017)
Ministério da Economia
 
Carlos Rosado de Carvalho - Encontro OPSA/ADRA, Luanda, 11/28/2013
Carlos Rosado de Carvalho - Encontro OPSA/ADRA, Luanda, 11/28/2013 Carlos Rosado de Carvalho - Encontro OPSA/ADRA, Luanda, 11/28/2013
Carlos Rosado de Carvalho - Encontro OPSA/ADRA, Luanda, 11/28/2013
Development Workshop Angola
 
A crise do estado de alagoas
A crise do estado de alagoasA crise do estado de alagoas
A crise do estado de alagoas
Wagner Cunha e Torre Torres
 
Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) 2015
Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) 2015Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) 2015
Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) 2015
Palácio do Planalto
 
Dotacao orcamental por_orgao13
Dotacao orcamental por_orgao13Dotacao orcamental por_orgao13
Dotacao orcamental por_orgao13
João Manuel Juvandes
 
Prestação de contas 3º trimestre de 2014
Prestação de contas 3º trimestre de 2014Prestação de contas 3º trimestre de 2014
Prestação de contas 3º trimestre de 2014
Meire Souza
 
Lei Orçamentária 2013
Lei Orçamentária 2013 Lei Orçamentária 2013
Lei Orçamentária 2013
ijuicom
 
GESTÃO FISCAL PREFEITURA DE SÃO PAULO DE RICARDO NUNES
GESTÃO FISCAL PREFEITURA DE SÃO PAULO DE RICARDO NUNESGESTÃO FISCAL PREFEITURA DE SÃO PAULO DE RICARDO NUNES
GESTÃO FISCAL PREFEITURA DE SÃO PAULO DE RICARDO NUNES
Pedro Zambarda de Araújo
 
Anexos de metas fiscais ldo 2014
Anexos de metas fiscais ldo 2014Anexos de metas fiscais ldo 2014
Anexos de metas fiscais ldo 2014
Wagner Cunha e Torre Torres
 
Carga tributária 2012
Carga tributária 2012Carga tributária 2012
Orçamento 2014 - Projeto de Lei
Orçamento 2014 - Projeto de LeiOrçamento 2014 - Projeto de Lei
9ª Assembleia – PLOA/MS 2017 e PEC 241/2016
9ª Assembleia – PLOA/MS 2017 e PEC 241/20169ª Assembleia – PLOA/MS 2017 e PEC 241/2016
9ª Assembleia – PLOA/MS 2017 e PEC 241/2016
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
PECS - 2030 - Planejamento Estratégico de Crescimento Sustentável
PECS - 2030 - Planejamento Estratégico de Crescimento SustentávelPECS - 2030 - Planejamento Estratégico de Crescimento Sustentável
PECS - 2030 - Planejamento Estratégico de Crescimento Sustentável
Alexandre Salvador
 
Audiência Pública - 2º quadrimestre 2021 .
Audiência Pública -  2º quadrimestre 2021 .Audiência Pública -  2º quadrimestre 2021 .
Audiência Pública - 2º quadrimestre 2021 .
FernandoMachado599514
 
Balanço da CNM sobre arrecadação
Balanço da CNM sobre arrecadaçãoBalanço da CNM sobre arrecadação
Balanço da CNM sobre arrecadação
Jornal do Commercio
 
PROPOSTA DE AUMENTO SALARIAL
PROPOSTA DE AUMENTO SALARIALPROPOSTA DE AUMENTO SALARIAL
PROPOSTA DE AUMENTO SALARIAL
SindicatoSJBV
 
Estimativa do fpm para municípios do ceará 1.º trimestre
Estimativa do fpm para municípios do ceará 1.º trimestreEstimativa do fpm para municípios do ceará 1.º trimestre
Estimativa do fpm para municípios do ceará 1.º trimestre
Francisco Luz
 
Relatório e Contas 2021
Relatório e Contas 2021Relatório e Contas 2021
Relatório e Contas 2021
ousamcoura
 
Estudo dos gastos com criança e adolescente no executivo municipal em 2012
Estudo dos gastos com criança e adolescente no executivo municipal em 2012Estudo dos gastos com criança e adolescente no executivo municipal em 2012
Estudo dos gastos com criança e adolescente no executivo municipal em 2012
Toinha Rocha
 
Fórum de debate PEC 241- Geraldo Biasoto Jr
Fórum de debate PEC 241- Geraldo Biasoto JrFórum de debate PEC 241- Geraldo Biasoto Jr
Fórum de debate PEC 241- Geraldo Biasoto Jr
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 

Semelhante a Orçamento municipal é tema de pronunciamento (20)

Apresentação – Reforma da Previdência (08/03/2017)
Apresentação – Reforma da Previdência (08/03/2017)Apresentação – Reforma da Previdência (08/03/2017)
Apresentação – Reforma da Previdência (08/03/2017)
 
Carlos Rosado de Carvalho - Encontro OPSA/ADRA, Luanda, 11/28/2013
Carlos Rosado de Carvalho - Encontro OPSA/ADRA, Luanda, 11/28/2013 Carlos Rosado de Carvalho - Encontro OPSA/ADRA, Luanda, 11/28/2013
Carlos Rosado de Carvalho - Encontro OPSA/ADRA, Luanda, 11/28/2013
 
A crise do estado de alagoas
A crise do estado de alagoasA crise do estado de alagoas
A crise do estado de alagoas
 
Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) 2015
Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) 2015Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) 2015
Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) 2015
 
Dotacao orcamental por_orgao13
Dotacao orcamental por_orgao13Dotacao orcamental por_orgao13
Dotacao orcamental por_orgao13
 
Prestação de contas 3º trimestre de 2014
Prestação de contas 3º trimestre de 2014Prestação de contas 3º trimestre de 2014
Prestação de contas 3º trimestre de 2014
 
Lei Orçamentária 2013
Lei Orçamentária 2013 Lei Orçamentária 2013
Lei Orçamentária 2013
 
GESTÃO FISCAL PREFEITURA DE SÃO PAULO DE RICARDO NUNES
GESTÃO FISCAL PREFEITURA DE SÃO PAULO DE RICARDO NUNESGESTÃO FISCAL PREFEITURA DE SÃO PAULO DE RICARDO NUNES
GESTÃO FISCAL PREFEITURA DE SÃO PAULO DE RICARDO NUNES
 
Anexos de metas fiscais ldo 2014
Anexos de metas fiscais ldo 2014Anexos de metas fiscais ldo 2014
Anexos de metas fiscais ldo 2014
 
Carga tributária 2012
Carga tributária 2012Carga tributária 2012
Carga tributária 2012
 
Orçamento 2014 - Projeto de Lei
Orçamento 2014 - Projeto de LeiOrçamento 2014 - Projeto de Lei
Orçamento 2014 - Projeto de Lei
 
9ª Assembleia – PLOA/MS 2017 e PEC 241/2016
9ª Assembleia – PLOA/MS 2017 e PEC 241/20169ª Assembleia – PLOA/MS 2017 e PEC 241/2016
9ª Assembleia – PLOA/MS 2017 e PEC 241/2016
 
PECS - 2030 - Planejamento Estratégico de Crescimento Sustentável
PECS - 2030 - Planejamento Estratégico de Crescimento SustentávelPECS - 2030 - Planejamento Estratégico de Crescimento Sustentável
PECS - 2030 - Planejamento Estratégico de Crescimento Sustentável
 
Audiência Pública - 2º quadrimestre 2021 .
Audiência Pública -  2º quadrimestre 2021 .Audiência Pública -  2º quadrimestre 2021 .
Audiência Pública - 2º quadrimestre 2021 .
 
Balanço da CNM sobre arrecadação
Balanço da CNM sobre arrecadaçãoBalanço da CNM sobre arrecadação
Balanço da CNM sobre arrecadação
 
PROPOSTA DE AUMENTO SALARIAL
PROPOSTA DE AUMENTO SALARIALPROPOSTA DE AUMENTO SALARIAL
PROPOSTA DE AUMENTO SALARIAL
 
Estimativa do fpm para municípios do ceará 1.º trimestre
Estimativa do fpm para municípios do ceará 1.º trimestreEstimativa do fpm para municípios do ceará 1.º trimestre
Estimativa do fpm para municípios do ceará 1.º trimestre
 
Relatório e Contas 2021
Relatório e Contas 2021Relatório e Contas 2021
Relatório e Contas 2021
 
Estudo dos gastos com criança e adolescente no executivo municipal em 2012
Estudo dos gastos com criança e adolescente no executivo municipal em 2012Estudo dos gastos com criança e adolescente no executivo municipal em 2012
Estudo dos gastos com criança e adolescente no executivo municipal em 2012
 
Fórum de debate PEC 241- Geraldo Biasoto Jr
Fórum de debate PEC 241- Geraldo Biasoto JrFórum de debate PEC 241- Geraldo Biasoto Jr
Fórum de debate PEC 241- Geraldo Biasoto Jr
 

Mais de João Alfredo Telles Melo

O direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atualO direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atual
João Alfredo Telles Melo
 
Direitoambiental aula-movimentoambientalista-atual-170828140255
Direitoambiental aula-movimentoambientalista-atual-170828140255Direitoambiental aula-movimentoambientalista-atual-170828140255
Direitoambiental aula-movimentoambientalista-atual-170828140255
João Alfredo Telles Melo
 
Aula a crise socioambiental planetária
Aula a crise socioambiental planetáriaAula a crise socioambiental planetária
Aula a crise socioambiental planetária
João Alfredo Telles Melo
 
O direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atualO direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atual
João Alfredo Telles Melo
 
O direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atualO direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atual
João Alfredo Telles Melo
 
Direito ambiental aula - movimento ambientalista - atual
Direito ambiental   aula - movimento ambientalista - atualDireito ambiental   aula - movimento ambientalista - atual
Direito ambiental aula - movimento ambientalista - atual
João Alfredo Telles Melo
 
Aula a crise socioambiental planetária (atual)
Aula   a crise socioambiental planetária (atual)Aula   a crise socioambiental planetária (atual)
Aula a crise socioambiental planetária (atual)
João Alfredo Telles Melo
 
Programa direito ambiental - uni7 2017
Programa   direito ambiental - uni7 2017Programa   direito ambiental - uni7 2017
Programa direito ambiental - uni7 2017
João Alfredo Telles Melo
 
Aula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atualAula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atual
João Alfredo Telles Melo
 
Aula ação civil pública atual
Aula ação civil pública atualAula ação civil pública atual
Aula ação civil pública atual
João Alfredo Telles Melo
 
Lei 9985 2000 - snuc
Lei 9985   2000 - snucLei 9985   2000 - snuc
Lei 9985 2000 - snuc
João Alfredo Telles Melo
 
Aula código florestal atual
Aula código florestal atualAula código florestal atual
Aula código florestal atual
João Alfredo Telles Melo
 
Licenciamento ambiental atual
Licenciamento ambiental atualLicenciamento ambiental atual
Licenciamento ambiental atual
João Alfredo Telles Melo
 
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
João Alfredo Telles Melo
 
Competência em matéria ambiental
Competência em matéria ambientalCompetência em matéria ambiental
Competência em matéria ambiental
João Alfredo Telles Melo
 
Os princípios de direito ambiental atual
Os princípios de direito ambiental atualOs princípios de direito ambiental atual
Os princípios de direito ambiental atual
João Alfredo Telles Melo
 
O direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atualO direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atual
João Alfredo Telles Melo
 
Direito ambiental aula - movimento ambientalista - atual
Direito ambiental   aula - movimento ambientalista - atualDireito ambiental   aula - movimento ambientalista - atual
Direito ambiental aula - movimento ambientalista - atual
João Alfredo Telles Melo
 
Aula a crise socioambiental planetária (atual)
Aula   a crise socioambiental planetária (atual)Aula   a crise socioambiental planetária (atual)
Aula a crise socioambiental planetária (atual)
João Alfredo Telles Melo
 
Programa direito ambiental - uni7 2017
Programa   direito ambiental - uni7 2017Programa   direito ambiental - uni7 2017
Programa direito ambiental - uni7 2017
João Alfredo Telles Melo
 

Mais de João Alfredo Telles Melo (20)

O direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atualO direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atual
 
Direitoambiental aula-movimentoambientalista-atual-170828140255
Direitoambiental aula-movimentoambientalista-atual-170828140255Direitoambiental aula-movimentoambientalista-atual-170828140255
Direitoambiental aula-movimentoambientalista-atual-170828140255
 
Aula a crise socioambiental planetária
Aula a crise socioambiental planetáriaAula a crise socioambiental planetária
Aula a crise socioambiental planetária
 
O direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atualO direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atual
 
O direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atualO direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atual
 
Direito ambiental aula - movimento ambientalista - atual
Direito ambiental   aula - movimento ambientalista - atualDireito ambiental   aula - movimento ambientalista - atual
Direito ambiental aula - movimento ambientalista - atual
 
Aula a crise socioambiental planetária (atual)
Aula   a crise socioambiental planetária (atual)Aula   a crise socioambiental planetária (atual)
Aula a crise socioambiental planetária (atual)
 
Programa direito ambiental - uni7 2017
Programa   direito ambiental - uni7 2017Programa   direito ambiental - uni7 2017
Programa direito ambiental - uni7 2017
 
Aula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atualAula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atual
 
Aula ação civil pública atual
Aula ação civil pública atualAula ação civil pública atual
Aula ação civil pública atual
 
Lei 9985 2000 - snuc
Lei 9985   2000 - snucLei 9985   2000 - snuc
Lei 9985 2000 - snuc
 
Aula código florestal atual
Aula código florestal atualAula código florestal atual
Aula código florestal atual
 
Licenciamento ambiental atual
Licenciamento ambiental atualLicenciamento ambiental atual
Licenciamento ambiental atual
 
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
 
Competência em matéria ambiental
Competência em matéria ambientalCompetência em matéria ambiental
Competência em matéria ambiental
 
Os princípios de direito ambiental atual
Os princípios de direito ambiental atualOs princípios de direito ambiental atual
Os princípios de direito ambiental atual
 
O direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atualO direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atual
 
Direito ambiental aula - movimento ambientalista - atual
Direito ambiental   aula - movimento ambientalista - atualDireito ambiental   aula - movimento ambientalista - atual
Direito ambiental aula - movimento ambientalista - atual
 
Aula a crise socioambiental planetária (atual)
Aula   a crise socioambiental planetária (atual)Aula   a crise socioambiental planetária (atual)
Aula a crise socioambiental planetária (atual)
 
Programa direito ambiental - uni7 2017
Programa   direito ambiental - uni7 2017Programa   direito ambiental - uni7 2017
Programa direito ambiental - uni7 2017
 

Orçamento municipal é tema de pronunciamento

  • 1. Análise Projeto de Lei Orçamentária (PLOA) - 2014
  • 2. Principais Pontos da Lei Orçamentária A Lei Orçamentária Anual é a peça de planejamento que detalha quais recursos serão aplicados nos programas de governo, com o objetivo de concretizar as prioridades e metas estabelecidas no PPA e na LDO. Compreende o Orçamento Fiscal, o Orçamento de Investimentos e o da Seguridade Social; O projeto de lei Orçamentária (PLOA) estimou para o exercício financeiro de 2014 o valor de R$ 6.442.764.260,00 (seis bilhões, quatrocentos e quarenta e dois milhões, setecentos e sessenta e quatro mil e duzentos e sessenta reais), para as receitas e as despesas, cumprindo assim o estabelecido no princípio do equilíbrio previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e na Constituição Federal 1988.
  • 3. Análise do Projeto de Lei Orçamentária ANO VALOR DA PREVISÃO e FIXAÇÃO ORÇAMENTÁRIA % de aumento em relação a 2006 % de aumento em relação ao ano anterior 2006 1.988.294.150,00 2007 2.698.320.000,00 35,71% 35,71% 2008 2.954.372.000,00 48,59% 9,49% 2009 3.411.734.000,00 71,59% 15,48% 2010 3.856.577.000,00 93,96% 13,04% 2011 4.483.314.000,00 125,49% 16,25% 2012 5.056.974.000,00 154,34% 12,80% 2013 5.587.796.071,00 181,03% 10,50% 2014 6.442.764.260,00 224,03% 15,30%  Fonte: Projeto de Lei Orçamentária
  • 5. Análise da Receita  Transferências constitucionais obrigatórias (FPM,Cota parte do ICMS, Cota parte do IPVA, Transferência SUS, Transferência FNAS, etc): % de aumento em relação a 2006 % de aumento em relação ao ano anterior 26,52% 26,52% 1.505.260.942,36 58,59% 25,34% 2008 1.964.600.541,07 106,98% 30,52% 2009 2.086.290.994,59 119,80% 6,19% 2010 138,79% 8,64% 2011 2.266.575.570,64 2.268.519.016,00 139,00% 0,09% 2012 2.554.931.756,49 169,17% 12,63% 2013 2.318.499.849,36 144,26% -9,25% Ano Valor das transferências 2005 949.180.227,45 2006 1.200.943.713,87 2007 Observa-se, pela tabela acima que os valores repassados por outros entes Federativos, vem aumentando ano a ano, destaca-se que o repasse de recursos teve uma diminuição no ano de 2009 devido a crise financeira mundial e o ano de 2013 vem ocorrendo o repasse a menor do que o previsto. Fato esse que pode ser explicado pela diminuição da alíquota do IPI e de outros impostos federais.
  • 6. Análise da Receita  Arrecadação própria Especificação 2008 2009 2010 2011 2012 *2013 IPTU 98.748.371,11 114.115.675,26 159.734.233,98 172.071.713,87 191.284.814,42 193.899.812,11 ISS 256.730.308,61 294.521.301,00 363.778.383,55 427.468.338,07 495.746.951,66 423.156.000,29 ITBI 47.023.142,54 46.335.798,95 67.138.700,92 88.285.646,87 110.132.529,38 114.176.672,10 Taxas 6.695.640,67 9.189.079,29 12.007.137,06 13.499.291,80 17.329.115,13 13.696.586,09 Receita de Contribuições 171.505.973,07 189.249.344,93 214.015.917,35 223.353.091,95 238.310.804,46 Receita Patrimonial 63.400.625,44 70.452.269,07 90.339.344,16 133.003.098,27 203.661.214,21 198.698.523,55 57.730.426,24 Receita de Serviço 4.266.305,34 2.475.690,13 3.286.794,19 1.168.401,46 3.691.332,09 3.907.180,68 Observa-se que a Prefeitura de Fortaleza obteve aumento na sua arrecadação própria até o ano de 2012, no entanto em 2013 a arrecadação vêm tendo índices pífios , destaca-se que do total das Receitas Estimadas até agora somente 65,31% foram efetivamente arrecadadas. Essa situação levou principalmente a atual gestão solicitar empréstimos bancários, no qual alguns foram aprovados pela Câmara Municipal.
  • 7. Análise da Receita Fonte: Diário do Nordeste
  • 9. Análise da Receita Pública  Pelos dados da Execução da Receita, desde de 2005 para o caso das transferências e de 2008 para a Receita Própria, pode-se perceber uma certa superestimação da arrecadação para 2014, uma vez, que o Orçamento aumenta em mais de 15,30%, destaca-se que a inflação prevista para 2014 pelo Banco Central é de 5,80% e o crescimento do PIB é de 2,20%;  Desta forma, não se entende a previsão tão elevada da Receita Pública, mesmo utilizando como parâmetro a arrecadação dos três anos anteriores, conforme prevê a Lei 4.320/64 em seu artigo 22;
  • 10. Distribuição da Receita Pública no Projeto de Lei Orçamentária
  • 12. Análise da Despesa por Funções Conceito de Despesa por Função: A classificação funcional identifica as grandes áreas de atuação do Estado, fixando-se objetivos para cada uma delas e, por consequência, as ações que se pretende desenvolver para o alcance desses propósitos (objetivos). Distribuição dos recursos por Função de Governo: Área Valor Orçado para 2013 Percentual em relação ao total Legislativa Administração Segurança Pública Assistência Social Previdência Social Saúde Educação Cultura Direitos da Cidadania Urbanismo Habitação Saneamento Gestão Ambiental Ciência e Tecnologia Comércio e Serviço Transporte Desporto e Lazer Encargos Especiais Reserva de Contingência Trabalho 144.430.930 725.834.840 187.415.931 95.539.528 410.466.396 1.778.370.263 1.364.663.943 54.224.306 47.520.007 970.630.810 79.051.668 350.000 112.093.066 26.718.000 128.980.326 3.400.000 21.979.262 147.405.805 240.000.000 21.773.275 2,26% 11,35% 2,93% 1,49% 6,42% 27,81% 21,34% 0,85% 0,74% 15,18% 1,24% 0,01% 1,75% 0,42% 2,02% 0,05% 0,34% 2,30% 3,75% 0,34%
  • 13. PATINHOS FEIOS DO ORÇAMENTO (Áreas Desprestigiadas) Área ( Despesas por Função e Subfunção) Valor Orçado para 2013 Percentual em relação ao total Assistência Social Recursos dentro da Assistência Social Assistência ao Idoso Assistência ao Portador de deficiência Assistência à Criança e ao Adolescente Trabalho Cultura Direitos da Cidadania Habitação Recursos dentro da Habitação Habitação Urbana Saneamento Ciência e Tecnologia Comércio e Serviço Transporte Desporto e Lazer Gestão Ambiental Recursos dentro da Gestão Ambiental Recuperação de áreas degradadas Preservação e Conservação Ambiental 95.539.528 1,49% 2.507.022 1.242.601 14.449.451 21.773.275 54.224.306 47.520.007 79.051.668 0,04% 0,02% 0,22% 0,34% 0,85% 0,74% 1,24% 48.035.541 350.000 26.718.000 128.980.326 3.400.000 21.979.262 112.093.066 0,75% 0,01% 0,42% 2,02% 0,05% 0,34% 1,75% 2.363.000 14.944.329 0,04% 0,23%
  • 14. Análise da Despesa do Projeto de Lei Verifica-se pelos dados do slide anterior que algumas áreas ainda carecem de um aporte de recursos, uma delas é a assistência social que tem somente 1,49% de destinação de recursos, percentual esse menor que do Orçamento de 2012 que previu 1,97%, outra área é trabalho com menos de 1%, saneamento e Direitos a Cidadania. A habitação também possuem problemas de financiamentos de recursos, uma vez que somente 2,14%, destaca-se que o estudo da ONU recente apontou Fortaleza como a 2 cidade mais desigual da América Latina. Diante da situação apresentada no Projeto de Lei Orçamentária verifica-se que a situação apresentada no estudo da ONU em Fortaleza deverá mudar pouca coisa para o ano de 2014, além disso o decifit de habitações é o sexto maior do País.
  • 15. Recursos para a Copa- Comparativo por Programas Programa Valor PROMOÇÃO E REALIZAÇÃO DA COPA 2014 EM FORTALEZA 174.361.595 TRANSPORTE URBANO - TRANSFOR 132.786.000 Total dos Recursos com algumas Obras HABITAR BEM 307.147.595 20.038.375 HABITAÇÃO DE FORTALEZA 35.727.070 PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA 26.463.278 PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL 12.336.000 PROMOÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS DAS MULHERES 2.794.502 PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL 816.420 COORDENAÇÃO INTEGRADA DE ENFRENTAMENTO DO CRACK E OUTRAS DROGAS 2.883.500 Observa-se, por essa tabela, que os recursos voltados a COPA do Mundo, serão priorizado, já os referente a habitação, proteção social básica e especial, igualdade racial e do enfrentamento ao CRACK, não serão prioridades durante o ano de 2014.
  • 16. Recursos para a Copa- Comparativo por Despesas por Subfunção Programa Valor PROMOÇÃO E REALIZAÇÃO DA COPA 2014 EM FORTALEZA 174.361.595 Despesa por SUBFUNÇÃO ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE 14.449.451 HABITAÇÃO URBANA 48.035.541 ASSISTÊNCIA AO IDOSO 2.507.022 ASSISTÊNCIA AO PORTADOR DE DEFICIÊNCIA 1.242.601 DIREITOS INDIVIDUAIS, COLETIVOS E DIFUSOS 19.461.747 PRESERVAÇÃO E CONSERVAÇÃO AMBIENTAL 14.944.329 O quadro ao lado, evidência o comparativo das despesas relacionadas a Copa e a Despesa por SUBFUNÇÃO que identifica a natureza básica das ações, entre as despesas estão as relacionadas em sua totalidade a de Assistência à Criança e ao Adolescente e a Habitação. O quadro demonstra que os recursos voltados a COPA 2014, serão prioridades, enquanto o social será deixado de lado.
  • 17. Despesas para a Área da Moradia - Órgão Órgão Subfunção LOA 2013 PLOA 2014 FUNDAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO HABITACIONAL DE FORTALEZA HABITAÇÃO URBANA R$ 97.028.669 R$ 48.035.541 SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONOMICO HABITAÇÃO URBANA R$ 614.205 HABITAÇÃO URBANA R$ 104.781.415 SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO E INFRAESTRUTRA TOTAL R$ 202.424.289 % -50,49% -100,00% -100,00% R$ 48.035.541 -76,27%
  • 18. Comentário em Relação a Alocação dos Recursos para a HABITAÇÃO Conforme demonstrado no slide anterior, observa-se uma grande redução na fixação da Despesa Pública voltada a Moradia, uma vez que a atual gestão diminuiu os recursos na ordem 76,27%, em relação ao Orçamento de 2013. Ressalta-se que Fortaleza tem 396.370 pessoas vivendo em 509 aglomerados subnormais, ou seja, ocupações irregulares, sem escritura e, em muitos casos, em condições precárias. O número representa 18% da população que reside na cidade. A maioria das favelas reunidas na Capital está nos bairros Barra do Ceará (156) e Mucuripe (69).
  • 19. Despesas para a Área da CULTURA Órgão Função LOA 2013 PLOA 2014 % GABINETE DO PREFEITO CULTURA R$ 900.697 FUNDO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DE FORTALEZA CULTURA R$ 5.891.812 R$ 17.151.643 191,11% FUNDAÇÃO DE CULTURA, ESPORTE E TURISMO DE FORTALEZA CULTURA R$ 8.948.270 R$ 3.659.736 -59,10% SECRETARIA DE TURISMO DE FORTALEZA CULTURA R$ 3.878.500 SECRETARIA DE CULTURA DE FORTALEZA CULTURA R$ 38.613.315 SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO -100,00% -100,00% R$ 22.873.913 -40,76% CULTURA R$ 2.049.014 100,00% SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO CULTURA R$ 21.000 SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO CULTURA R$ 3.659.736 FUNDO MUNICIPAL DE CULTURA CULTURA R$ 210.000 100,00% SECRETARIA REGIONAL DO CENTRO CULTURA R$ 2.000.000 R$ 315.000 -84,25% SECRETARIA REGIONAL I, II, III, IV, V e VI CULTURA R$ 30.033.950 R$ 7.404.000 -75,35% SECRETARIA MUNICIPAL EXTRAORDINÁRIA DA COPA 2014 CULTURA R$ 750.000 100%! R$ 58.094.042 -35,64% TOTAL 100,00% R$ 90.266.544 100,00%
  • 20. Comentário em Relação a Alocação dos Recursos para a CULTURA Conforme demonstrado no slide anterior, observa-se uma grande redução na fixação da Despesa Pública voltada a Cultura, uma vez que a atual gestão diminuiu os recursos na ordem 35,64%, em relação ao Orçamento de 2013. Informa-se que Fortaleza, ano a ano vem perdendo seu patrimônio cultural histórico principalmente com a destruição de prédios históricos, além de outros abandonados. Além disso, muitas obras da gestão passada estão abandonadas, entre elas pode-se citar os CUCAS
  • 21. Recursos da Saúde (Unidade Orçamentária Especificação Valor % INSTITUTO DR. JOSÉ FROTA 348.255.496 21,02% FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE - ADMINISTRAÇÃO GERAL 1.154.914.848 69,70% COORDENADORIA REGIONAL I 3.146.500 0,19% COORDENADORIA REGIONAL II 1.886.500 0,11% COORDENADORIA REGIONAL III 2.896.500 0,17% COORDENADORIA REGIONAL IV 3.230.000 0,19% COORDENADORIA REGIONAL V 6.302.000 0,38% COORDENADORIA REGIONAL VI 8.795.000 0,53% HOSPITAL DISTRITAL GONZAGA MOTA/BARRA DO CEARÁ 3.668.000 0,22% CENTRO DE ESPECIALIZAÇÕES MÉDICAS JOSÉ DE ALENCAR 7.982.000 0,48% HOSPITAL DISTRITAL EVANDRO AYRES DE MOURA 7.865.400 0,47% HOSPITAL DISTRITAL MARIA JOSÉ BARROSO 6.633.000 0,40% HOSPITAL LÚCIA DE FÁTIMA/CROA 2.791.000 0,17% HOSPITAL DISTRITAL GONZAGA MOTA/JOSÉ WALTER 4.653.000 0,28% HOSPITAL DISTRITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO 5.465.000 0,33% HOSPITAL DISTRITAL GONZAGA MOTA/MESSEJANA 9.153.000 0,55% HOSPITAL DISTRITAL EDMILSON BARROS DE OLIVEIRA 6.828.000 0,41% HOSPITAL DA MULHER 72.450.483 4,37%
  • 22. Comentários a alocação dos recursos Verifica-se, pela tabela anterior que os maiores recursos da Saúde, estarão alocados no IJF, no Fundo Municipal de Saúde em que ficam a gestão dos postos de saúde e do Hospital da Mulher; Um ponto positivo previsto no Orçamento para a Saúde, é a previsão de recursos para a atenção primária que seria o primeiro cuidado com a saúde da pessoa, no sentido de sua promoção e proteção, a interpretação que melhor expressa a sua importância dentro da saúde pública é a de principal, fundamental, devendo, por isso, ser considerada como atenção prioritária, a qual orienta todo o sistema de saúde; Para a Atenção Primária o chefe do executivo previu R$ 315.067.307; No entanto, algumas áreas ainda serão prejudicadas, podemos citar os CAPS, que tiveram uma previsão de somente R$ 6.340.000, valor esse irrisório em relação ao total previsto R$ 1.656.915.727
  • 23. Despesas para a Área da Criança e Adolescente - Órgão Órgão Subfunção LOA 2013 PLOA 2014 SECRETARIA MUNICIPAL DE CIDADANIA E DIREITOS HUMANOS ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE R$ 1.114.100 R$ 679.210 FUNDAÇÃO DA CRIANÇA E DA FAMÍLIA CIDADÃ ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE R$ 15.836.700 FUNDO MUNICIPAL DE DEFESA DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE SECRETARIA REGIONAL DO CENTRO ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE SECRETARIA DE TURISMO SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL TOTAL % -39,04% R$ 10.881.241 -31,29% R$ 2.609.000 R$ 4.059.267 -35,73% R$ 280.000 + 100% ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE R$ 684.634 ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE R$ 7.043.808 -100,00% -100,00% R$ 28.738.509 R$ 14.449.451 -49,72%
  • 24. Recursos para os Conselhos Tutelares 2014 Órgão Ação Meta SECRETARIA MUNICIPAL DE CIDADANIA E DIREITOS HUMANOS Manutenção dos Conselhos Tutelares Conselho Mantido/Apoiado/Implantado (Unidade 6) SECRETARIA MUNICIPAL DE CIDADANIA E DIREITOS HUMANOS FUNCI FUNDO MUNICIPAL DE DEFESA DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE TOTAL Realização de eleição Evento de Conselheiros Promovido/Realizado/Apoiado Tutelares (Unidade )=1 Assessoramento aos Conselhos Tutelares Formação Continuada para Conselheiros Tutelares e de Direitos LOA 2013 PLOA 2014 R$ 1.004.000 % R$ 350.000 -65,14% R$ 73.050 R$ 56.210 -23,05% Conselho Mantido/Apoiado/Implantado (Unidade 1) Não existia R$ 200.000 Evento Promovido/Realizado/Apoiado (Unidade )=2 Não Existia R$ 50.000 R$ 1.077.050 R$ 656.210 -39,07%
  • 25. Comentário em Relação a Alocação dos Recursos para a Infância Conforme demonstrado no slide anterior dessa apresentação, verifica-se uma drástica redução na fixação da Despesa Pública, uma vez que a atual gestão diminuiu os recursos na ordem 49,72%, em relação ao Orçamento de 2013. Conclui-se, portanto que o princípio da “Absoluta Prioridade” na efetivação dos direitos da infância e juventude, colocado no artigo 227 da Constituição Federal de 1988 e ratificado no art. 4 do Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei N. 8.069/90), no qual determina que o Estado dê preferência na formulação e na execução das políticas sociais públicas e garanta a destinação privilegiada de recursos públicos nas áreas relacionadas com a proteção a essa parcela da população, não vem sendo respeitado pelo município de Fortaleza na destinação de seus recursos. Ressalta-se, que o valor previsto para a área da Infância corresponde a menos de 10% do total previsto para as obras da Copa.