SlideShare uma empresa Scribd logo
ESTUDO DE CASO 25/05/2012

AUH 154 – HISTÓRIA DA ARQUITETURA




 INSTITUTO OSCAR
      FREIRE


    Por Denise Jankovic NUSP 7598111
                      Nathália Mir NUSP
                     Victor Molina NUSP
Instituto Oscar Freire (IOF)
                                    ou
Departamento de Medicina Legal, Ética Médica e Medicina Social e do Trabalho




 Caráter da Instituição : Público Estadual
CRONOLOGIA DO SURGIMENTO DAS
            INSTITUIÇÕES SUPERIORES

1827. Fundação da Faculdade de Direito.

1876. Criação do Liceu de Artes e Ofícios, em São Paulo

1886. Criação da Comissão Geográfica e Geológica do Estado de São Paulo
(que, desde 1946, é o Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências
Atmosféricas da USP).

1893. Escola Politécnica inicia as atividades. Fundação do Museu Paulista,
incorporado à USP em 1963.

1898. Criação da Escola Livre de Farmácia de São Paulo (que depois se
desmembraria em duas unidades da USP: Faculdade de Odontologia e
Faculdade de Ciências Farmacêuticas).

1901. Criação da Escola Agrícola Prática de Piracicaba (atual Escola Superior de
Agricultura “Luiz de Queiroz”)

1912. Implantação da Faculdade de Medicina
INSTITUTO OSCAR FREIRE




O Prédio ganhou o nome de Instituto Oscar Freire em homenagem ao primeiro
                                 Professor.
OSCAR FREIRE
            -Diplomou-se aos 18 anos na Fac. De Medicina da Bahia.

            -1914 era promovido Catedrático de Medicina Legal da citada Faculdade de
            Medicina.
1882-1923

            -Convidado pelo Dr. Arnaldo Vieira de Carvalho, instalou, na Faculdade de
            Medicina, em São Paulo a disciplina de Medicina Legal, que começou a funcionar
            em 18 de abril de 1918.

            -Fundou a Sociedade de Medicina Legal e Criminologia e a Sociedade de Educação
            e Ensino.

            -Como professor de Medicina e cientista, deixou numerosos trabalhos, além de
            artigos na imprensa diária sobre a história do ensino na perícia, centenas de laudos
            periciais, pareceres médico-legais, lições, artigos e estudos variados.

            -Defensor dos princípios éticos e do altruísmo entre os médicos.

            -Faleceu em São Paulo em 11 de janeiro de 1923.
SANTA CASA DE
MISERICÓRDIA
Nos ambientes de aula para o curso de
Medicina os seguintes escritos: “
Provisoriamente no Edifício da Escola de
comércio Álvares Penteado.”
LOCALIZAÇÃO




              R. Teodoro
              Sampaio, 115

              -Jardim Paulista,
              São Paulo
Localizado no bairro de Pinheiros, em São Paulo (SP), reúne :   Aqui também estão:

da Faculdade de Medicina                                        Complexo do Hospital das
da Faculdade de Saúde Pública                                   Clínicas e o Instituto de
da Escola de Enfermagem da USP.                                 Medicina Tropical
IMPLANTAÇÃO




              NORTE
IMPLANTAÇÃO
TERRENO
-Terreno com área de 360.000m2 na então Avenida Municipal, nas proximidades do
Cemitério de Araçá, hoje Avenida Dr. Arnaldo.


O terreno atendia a dois requisitos:
localização no espigão tornava improvável acontecer alagamentos e consequentemente
proliferação de doenças e era bem ventilado.



-Localização ao lado do cemitério tornava seu valor comercial mais baixo.


“Pertenciam os terrenos ao Hospital de Isolamento. Fizeram parte da antiga chácaras dos
Pinheiros.” ( CAMPOS,1941,p.159)
Vista da região nas
primeiras décadas
de do século XX.
PRIMEIRO PROJETO
O projeto inicial de Ramos de Azevedo era composta de 5 pavilhões isolados:



-Administração

Cadeiras de :
-Anatomia
-Medicina Legal
-Química
-Fisiologia



-O prédio da administração não chegou a ser construído.
                                                                                   cátedra1
                                                                                  cá.te.dra1
                                                                       sf (lat cathedra) 1 Cadeira de
                                                                         professor e cargo que lhe
                                                                    corresponde. 2 Disciplina, matéria
                                                                        de um currículo de estudo.
PROJETOS ENCONTRADOS
CÁTEDRA DE MEDICINA LEGAL



-A cátedra de Medicina Legal ocupou o prédio por um breve período;
posteriormente cedeu lugar à Anatomia Descritiva e Patologia.


-Voltou a ocupar o prédio quando inaugurado o Edifício Principal da
FMUSP (1931).



-A Cátedra de Medicina Legal também ocupou o Instituto de Higiene
e o Laboratório Central da Santa Casa.
-As demais cátedras e os laboratórios agruparam - se
no edifício sede inaugurado em 1931.
DR. ARNALDO
-Dr. Arnaldo A. Viera de Carvalho foi o médico brasileiro fundador da FMUSP;


-Destacou-se pela modelar organização que instituiu durante o período em que esteve à
frente da Direção da FMUSP..




  Falecimento em 1920.




                                         Busto Dr. Arnaldo à frente do prédio da FMUSP
Projeto desenvolvido pelo Escritório Técnico F.P. Ramos de Azevedo,a tribuída a
Domiziano Rossi ( italiano), sócio do escritório.

Obras iniciadas em 1919.


-Oscar Freire ( docente da Cadeira de Medicina Legal) faz INTERVENÇÕES no
projeto proposto pelo escritório de Ramos .




     Projeto Escritório de Azevedo        Projeto Fund. Rockfeller

     Construção em sistema de             O projeto foi interrompido e
     pavilhões, com cinco edifícios que   apenas um pavilhão foi construído,
     iriam compor o complexo.             sendo inaugurado em 1924.

     Um pavilhão por cátedra.
O PROJETO EXECUTADO
Após a morte de Dr. Arnaldo, o acordo com a Fundação Rockfeller ficou estagnado.

Ambição: Construção do edifício sede.

-Surge uma comissão responsável pelo projeto que estabelece novas diretrizes para
propostas pela Fundação.

-Mudança de partido:
-Construção de um ÚNICO edifício que alojasse as diversas
cátedras, laboratórios, museu e administração.

-Concepção moderna americana de reunir as cátedras “under the same roof”.
( tipologia muito adotada nos EUA).



Monobloco:
Economia de construção, de manutenção, de organização, de aparelhamento, redução
de duplicatas de portarias, bibliotecas, almoxarifado, de serviços gerais, enfim
facilidade de contato e cooperação entre professores pela proximidade de serviços
afins.
A Fundação Rockefeller propôs um modelo de ensino
médico para a Faculdade de Medicina que se apoiava
em pontos bem característicos como:


 limitação do número de alunos, 80 por série,
introdução do regime de tempo integral, sobretudo
para as disciplinas pré-clínicas com a intensificação dos
trabalhos de laboratório, admissão de alunos através de
prova, a organização das disciplinas no sistema de
departamentos e a vinculação do ensino clínico à
estrutura de um hospital escola.
-Do projeto elaborado pelo Escritório Ramos de Azevedo, o único dos cinco
pavilhões construído foi o de Medicina Legal.




-As outras cátedras ficaram alojadas nos
edifícios espalhados pela
Cidade.



-Em 1931 é entregue o edifício sede e lá
são relocadas as cátedras ,
concentrando-as num mesmo prédio.




                        Imagem 27/12/1927
PRIMEIRO PAVIMENTO




No escritório        Técnico
Ramos de Azevedo “sempre
esteve presente a meta de
criar o
espaço adequado ao ensino
e                         ao
aprendizado, resguardando
condições ideais tais como
as dimensões mais ideais
para as salas de aula; sua
melhor      iluminação     e
ventilação; materiais de
acabamentos            mais
conveniente; sistema de
distribuição de salas e de
circulação”
(CARVALHO, 1998, p.17).
Simetria


    Espaços
  interiores
 organizados
   segundo
    critérios
 geométricos
 e formais de
    grande
racionalidade




 Remetem
    ao
Neoclássico.
Simetria no
    eixo
longitudinal




Alinhamentos
Escadas duplas
Acesso Principal   FACHADA FRONTAL
FACHADA 2
Escada de acesso
ao 2º pavimento.
FACHADA 3




            VISTA DO
            ESTACIONAMENTO
FACHADA 4
MUSEU
 O Museu Técnico Científico do Instituto Oscar Freire - MUIOF está vinculado
ao Departamento de Medicina Legal da Faculdade de Medicina da Universidade
      de São Paulo e localizado em prédio tombado pelo poder público.



Objetivo do Museu: Mostrar aspectos da Medicina Legal



O acervo museológico, composto por aproximadamente 5000 peças, está
organizado por tipo de material:


pecas em cera ou reais em formol
armas de fogo
facas
documentos médicos
pertences dos professores
AMBIENTES DO PRÉDIO
-Tombado em 1982 pelo Conselho de Defesa
do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do
Estado de São Paulo (Condephaat) .

- Levou-se em conta sua importância na história do ensino médico no Brasil




             TOMBAMENTO
RESTAURO


      2006: Restauro do anfiteatro



      Recuperação da fachada que estava
      com infiltração e argamassa de
      revestimento que estava destacando-
      se .


      Recomposição de partes deterioradas
      com material diferente do original
      ocasionando reações diversas
TÉCNICAS CONSTRUTIVAS




                         ALVENARIA
                         DE TIJOLOS
                        RECOBERTA
                             DE
                        ARGAMASSA
DETALHES CONSTRUTIVOS
                 Elementos em ferro
              fundido, remetendo ao Art
                      Nouveau.


              Formas ornamentais com
                  motivos florais.
“ENTABLAMENTO” - marcação da
   divisão dos pisos- remete ao
           neoclássico.
ESCADARIA DUPLA




Construída em pedra ; Aspecto de maciça – remete ao neoclássico ( uso de
materiais nobres).
ARCOS QUE MARCAM A ÁREA DE CIRCULAÇÃO
DETALHE DA FACHADA
PRINCIPAL.


Detalhe decorativo.


Remete à arquitetura clássica
PRESENÇA DE VITRAIS.
SITES CONSULTADOS


http://www.fafich.ufmg.br/~memorandum/artigos07/jacovilela0
                             1

       http://www.hcnet.usp.br/historiahc/historia.htm

http://www5.usp.br/institucional/a-usp/historia/linha-do-tempo/

       http://www.usp.br/cpc/cpcinfo/cpcinfo-0902.html


 AGRADECIMENTOS


 Profa. Helena Ayoub
• CARACTERIZAÇÃO FÍSICA DA OBRA: - levantamento métrico arquitetônico
(plantas, cortes, elevações)
- croquis e desenhos
- levantamento fotográfico

• ANÁLISE CRÍTICA DA OBRA:
- análise funcional, isto é, a relação entre a solução de planta e as necessidades do
programa;
- inserção no panorama da arquitetura brasileira e internacional de sua época, quanto
a técnicas construtivas e características formais;

- identificação de eventuais influências formais ou tipológicas sobre a obra, e/ou suas
especificidades próprias;
- verificação do papel de outros condicionantes de partido sobre a solução
arquitetônica adotada.
• CONCLUSÃO FINAL sobre o significado/importância da obra, em relação ao tema
em que se insere.

Para que estes itens tenham adequado desenvolvimento, é imprescindível que:

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a INSTITUTO OSCAR FREITE MED USP

Apostila de enfermagem apostila anatomia e fisiologia humana
Apostila de enfermagem   apostila anatomia e fisiologia humanaApostila de enfermagem   apostila anatomia e fisiologia humana
Apostila de enfermagem apostila anatomia e fisiologia humana
ClaudinhaOliveira3
 
Apostila de enfermagem apostila anatomia e fisiologia humana
Apostila de enfermagem   apostila anatomia e fisiologia humanaApostila de enfermagem   apostila anatomia e fisiologia humana
Apostila de enfermagem apostila anatomia e fisiologia humana
luzenilotavionil
 
aula_1_anatomia aspectos histórico,planos ,termos , .pdf
aula_1_anatomia aspectos histórico,planos ,termos , .pdfaula_1_anatomia aspectos histórico,planos ,termos , .pdf
aula_1_anatomia aspectos histórico,planos ,termos , .pdf
ItalloMoura
 
ARQUITETURA ASSISTENCIAL E SAÚDE: DISCUTINDO CONCEPÇÕES E PROTAGONISTAS
ARQUITETURA ASSISTENCIAL E SAÚDE: DISCUTINDO CONCEPÇÕES E PROTAGONISTASARQUITETURA ASSISTENCIAL E SAÚDE: DISCUTINDO CONCEPÇÕES E PROTAGONISTAS
ARQUITETURA ASSISTENCIAL E SAÚDE: DISCUTINDO CONCEPÇÕES E PROTAGONISTAS
Laboratório de Memória e Patrimônio Cultural
 
1ª aula história da fisioterapia-1
         1ª aula   história da fisioterapia-1         1ª aula   história da fisioterapia-1
1ª aula história da fisioterapia-1
Alexander Da Silva Pereira
 
Powerpoint
PowerpointPowerpoint
Powerpoint
Rafaela Garcia
 
Breve História da Ciência Moderna
Breve História da Ciência ModernaBreve História da Ciência Moderna
Breve História da Ciência Moderna
Elcielle .
 
Livro Esboço da Medicina - ISCMSP
Livro Esboço da Medicina - ISCMSPLivro Esboço da Medicina - ISCMSP
Livro Esboço da Medicina - ISCMSP
Danilo Barros Andrade
 
Powerpoint
PowerpointPowerpoint
Powerpoint
Rafaela Garcia
 
Texto 27-slide-sobre-arquivologia
Texto 27-slide-sobre-arquivologiaTexto 27-slide-sobre-arquivologia
Texto 27-slide-sobre-arquivologia
Thamires Sunamita
 

Semelhante a INSTITUTO OSCAR FREITE MED USP (10)

Apostila de enfermagem apostila anatomia e fisiologia humana
Apostila de enfermagem   apostila anatomia e fisiologia humanaApostila de enfermagem   apostila anatomia e fisiologia humana
Apostila de enfermagem apostila anatomia e fisiologia humana
 
Apostila de enfermagem apostila anatomia e fisiologia humana
Apostila de enfermagem   apostila anatomia e fisiologia humanaApostila de enfermagem   apostila anatomia e fisiologia humana
Apostila de enfermagem apostila anatomia e fisiologia humana
 
aula_1_anatomia aspectos histórico,planos ,termos , .pdf
aula_1_anatomia aspectos histórico,planos ,termos , .pdfaula_1_anatomia aspectos histórico,planos ,termos , .pdf
aula_1_anatomia aspectos histórico,planos ,termos , .pdf
 
ARQUITETURA ASSISTENCIAL E SAÚDE: DISCUTINDO CONCEPÇÕES E PROTAGONISTAS
ARQUITETURA ASSISTENCIAL E SAÚDE: DISCUTINDO CONCEPÇÕES E PROTAGONISTASARQUITETURA ASSISTENCIAL E SAÚDE: DISCUTINDO CONCEPÇÕES E PROTAGONISTAS
ARQUITETURA ASSISTENCIAL E SAÚDE: DISCUTINDO CONCEPÇÕES E PROTAGONISTAS
 
1ª aula história da fisioterapia-1
         1ª aula   história da fisioterapia-1         1ª aula   história da fisioterapia-1
1ª aula história da fisioterapia-1
 
Powerpoint
PowerpointPowerpoint
Powerpoint
 
Breve História da Ciência Moderna
Breve História da Ciência ModernaBreve História da Ciência Moderna
Breve História da Ciência Moderna
 
Livro Esboço da Medicina - ISCMSP
Livro Esboço da Medicina - ISCMSPLivro Esboço da Medicina - ISCMSP
Livro Esboço da Medicina - ISCMSP
 
Powerpoint
PowerpointPowerpoint
Powerpoint
 
Texto 27-slide-sobre-arquivologia
Texto 27-slide-sobre-arquivologiaTexto 27-slide-sobre-arquivologia
Texto 27-slide-sobre-arquivologia
 

Mais de De Janks

Drenagem na rmsp apresentação parcial dez 2014
Drenagem na rmsp  apresentação parcial dez 2014Drenagem na rmsp  apresentação parcial dez 2014
Drenagem na rmsp apresentação parcial dez 2014
De Janks
 
Tour eiffel presentation
Tour eiffel presentationTour eiffel presentation
Tour eiffel presentation
De Janks
 
Presentation plataform publique - Place de la republique lille
Presentation plataform publique - Place de la republique lillePresentation plataform publique - Place de la republique lille
Presentation plataform publique - Place de la republique lille
De Janks
 
Seminário planurb
Seminário planurbSeminário planurb
Seminário planurb
De Janks
 
Vivienda social en madrid siglo xxi
Vivienda social en madrid siglo xxiVivienda social en madrid siglo xxi
Vivienda social en madrid siglo xxi
De Janks
 
O andar do bêbado – capítulo iv modificado
O andar do bêbado – capítulo iv modificadoO andar do bêbado – capítulo iv modificado
O andar do bêbado – capítulo iv modificado
De Janks
 
Apresentação cubo maracujá
Apresentação cubo  maracujáApresentação cubo  maracujá
Apresentação cubo maracujá
De Janks
 
Avaliação pós ocupação
Avaliação pós ocupaçãoAvaliação pós ocupação
Avaliação pós ocupação
De Janks
 
O apodeu da cidade medieval le goff
O apodeu da cidade medieval le goffO apodeu da cidade medieval le goff
O apodeu da cidade medieval le goff
De Janks
 
Aula império 2012
Aula império 2012Aula império 2012
Aula império 2012
De Janks
 
Aula i media 1 alta idade média
Aula i media 1 alta idade médiaAula i media 1 alta idade média
Aula i media 1 alta idade média
De Janks
 
Aula i média baixa idade média
Aula i média baixa idade médiaAula i média baixa idade média
Aula i média baixa idade média
De Janks
 
Gestalt new(fix)
Gestalt new(fix)Gestalt new(fix)
Gestalt new(fix)
De Janks
 
Aula 4 grecia 2012
Aula 4 grecia  2012Aula 4 grecia  2012
Aula 4 grecia 2012
De Janks
 
Seminário cidades precolombianas
Seminário cidades precolombianasSeminário cidades precolombianas
Seminário cidades precolombianas
De Janks
 
Visitaao centro2008
Visitaao centro2008Visitaao centro2008
Visitaao centro2008
De Janks
 
Apogeu da cidade medieval
Apogeu da cidade medievalApogeu da cidade medieval
Apogeu da cidade medieval
De Janks
 
idade média
idade médiaidade média
idade média
De Janks
 
Prédio da reitoria
Prédio da reitoriaPrédio da reitoria
Prédio da reitoria
De Janks
 
Pico do jaraguá
Pico do jaraguáPico do jaraguá
Pico do jaraguá
De Janks
 

Mais de De Janks (20)

Drenagem na rmsp apresentação parcial dez 2014
Drenagem na rmsp  apresentação parcial dez 2014Drenagem na rmsp  apresentação parcial dez 2014
Drenagem na rmsp apresentação parcial dez 2014
 
Tour eiffel presentation
Tour eiffel presentationTour eiffel presentation
Tour eiffel presentation
 
Presentation plataform publique - Place de la republique lille
Presentation plataform publique - Place de la republique lillePresentation plataform publique - Place de la republique lille
Presentation plataform publique - Place de la republique lille
 
Seminário planurb
Seminário planurbSeminário planurb
Seminário planurb
 
Vivienda social en madrid siglo xxi
Vivienda social en madrid siglo xxiVivienda social en madrid siglo xxi
Vivienda social en madrid siglo xxi
 
O andar do bêbado – capítulo iv modificado
O andar do bêbado – capítulo iv modificadoO andar do bêbado – capítulo iv modificado
O andar do bêbado – capítulo iv modificado
 
Apresentação cubo maracujá
Apresentação cubo  maracujáApresentação cubo  maracujá
Apresentação cubo maracujá
 
Avaliação pós ocupação
Avaliação pós ocupaçãoAvaliação pós ocupação
Avaliação pós ocupação
 
O apodeu da cidade medieval le goff
O apodeu da cidade medieval le goffO apodeu da cidade medieval le goff
O apodeu da cidade medieval le goff
 
Aula império 2012
Aula império 2012Aula império 2012
Aula império 2012
 
Aula i media 1 alta idade média
Aula i media 1 alta idade médiaAula i media 1 alta idade média
Aula i media 1 alta idade média
 
Aula i média baixa idade média
Aula i média baixa idade médiaAula i média baixa idade média
Aula i média baixa idade média
 
Gestalt new(fix)
Gestalt new(fix)Gestalt new(fix)
Gestalt new(fix)
 
Aula 4 grecia 2012
Aula 4 grecia  2012Aula 4 grecia  2012
Aula 4 grecia 2012
 
Seminário cidades precolombianas
Seminário cidades precolombianasSeminário cidades precolombianas
Seminário cidades precolombianas
 
Visitaao centro2008
Visitaao centro2008Visitaao centro2008
Visitaao centro2008
 
Apogeu da cidade medieval
Apogeu da cidade medievalApogeu da cidade medieval
Apogeu da cidade medieval
 
idade média
idade médiaidade média
idade média
 
Prédio da reitoria
Prédio da reitoriaPrédio da reitoria
Prédio da reitoria
 
Pico do jaraguá
Pico do jaraguáPico do jaraguá
Pico do jaraguá
 

INSTITUTO OSCAR FREITE MED USP

  • 1. ESTUDO DE CASO 25/05/2012 AUH 154 – HISTÓRIA DA ARQUITETURA INSTITUTO OSCAR FREIRE Por Denise Jankovic NUSP 7598111 Nathália Mir NUSP Victor Molina NUSP
  • 2. Instituto Oscar Freire (IOF) ou Departamento de Medicina Legal, Ética Médica e Medicina Social e do Trabalho Caráter da Instituição : Público Estadual
  • 3. CRONOLOGIA DO SURGIMENTO DAS INSTITUIÇÕES SUPERIORES 1827. Fundação da Faculdade de Direito. 1876. Criação do Liceu de Artes e Ofícios, em São Paulo 1886. Criação da Comissão Geográfica e Geológica do Estado de São Paulo (que, desde 1946, é o Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP). 1893. Escola Politécnica inicia as atividades. Fundação do Museu Paulista, incorporado à USP em 1963. 1898. Criação da Escola Livre de Farmácia de São Paulo (que depois se desmembraria em duas unidades da USP: Faculdade de Odontologia e Faculdade de Ciências Farmacêuticas). 1901. Criação da Escola Agrícola Prática de Piracicaba (atual Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”) 1912. Implantação da Faculdade de Medicina
  • 4. INSTITUTO OSCAR FREIRE O Prédio ganhou o nome de Instituto Oscar Freire em homenagem ao primeiro Professor.
  • 5. OSCAR FREIRE -Diplomou-se aos 18 anos na Fac. De Medicina da Bahia. -1914 era promovido Catedrático de Medicina Legal da citada Faculdade de Medicina. 1882-1923 -Convidado pelo Dr. Arnaldo Vieira de Carvalho, instalou, na Faculdade de Medicina, em São Paulo a disciplina de Medicina Legal, que começou a funcionar em 18 de abril de 1918. -Fundou a Sociedade de Medicina Legal e Criminologia e a Sociedade de Educação e Ensino. -Como professor de Medicina e cientista, deixou numerosos trabalhos, além de artigos na imprensa diária sobre a história do ensino na perícia, centenas de laudos periciais, pareceres médico-legais, lições, artigos e estudos variados. -Defensor dos princípios éticos e do altruísmo entre os médicos. -Faleceu em São Paulo em 11 de janeiro de 1923.
  • 6.
  • 8. Nos ambientes de aula para o curso de Medicina os seguintes escritos: “ Provisoriamente no Edifício da Escola de comércio Álvares Penteado.”
  • 9.
  • 10. LOCALIZAÇÃO R. Teodoro Sampaio, 115 -Jardim Paulista, São Paulo
  • 11. Localizado no bairro de Pinheiros, em São Paulo (SP), reúne : Aqui também estão: da Faculdade de Medicina Complexo do Hospital das da Faculdade de Saúde Pública Clínicas e o Instituto de da Escola de Enfermagem da USP. Medicina Tropical
  • 12. IMPLANTAÇÃO NORTE
  • 13.
  • 15. TERRENO -Terreno com área de 360.000m2 na então Avenida Municipal, nas proximidades do Cemitério de Araçá, hoje Avenida Dr. Arnaldo. O terreno atendia a dois requisitos: localização no espigão tornava improvável acontecer alagamentos e consequentemente proliferação de doenças e era bem ventilado. -Localização ao lado do cemitério tornava seu valor comercial mais baixo. “Pertenciam os terrenos ao Hospital de Isolamento. Fizeram parte da antiga chácaras dos Pinheiros.” ( CAMPOS,1941,p.159)
  • 16. Vista da região nas primeiras décadas de do século XX.
  • 17. PRIMEIRO PROJETO O projeto inicial de Ramos de Azevedo era composta de 5 pavilhões isolados: -Administração Cadeiras de : -Anatomia -Medicina Legal -Química -Fisiologia -O prédio da administração não chegou a ser construído. cátedra1 cá.te.dra1 sf (lat cathedra) 1 Cadeira de professor e cargo que lhe corresponde. 2 Disciplina, matéria de um currículo de estudo.
  • 19.
  • 20.
  • 21. CÁTEDRA DE MEDICINA LEGAL -A cátedra de Medicina Legal ocupou o prédio por um breve período; posteriormente cedeu lugar à Anatomia Descritiva e Patologia. -Voltou a ocupar o prédio quando inaugurado o Edifício Principal da FMUSP (1931). -A Cátedra de Medicina Legal também ocupou o Instituto de Higiene e o Laboratório Central da Santa Casa.
  • 22. -As demais cátedras e os laboratórios agruparam - se no edifício sede inaugurado em 1931.
  • 23. DR. ARNALDO -Dr. Arnaldo A. Viera de Carvalho foi o médico brasileiro fundador da FMUSP; -Destacou-se pela modelar organização que instituiu durante o período em que esteve à frente da Direção da FMUSP.. Falecimento em 1920. Busto Dr. Arnaldo à frente do prédio da FMUSP
  • 24. Projeto desenvolvido pelo Escritório Técnico F.P. Ramos de Azevedo,a tribuída a Domiziano Rossi ( italiano), sócio do escritório. Obras iniciadas em 1919. -Oscar Freire ( docente da Cadeira de Medicina Legal) faz INTERVENÇÕES no projeto proposto pelo escritório de Ramos . Projeto Escritório de Azevedo Projeto Fund. Rockfeller Construção em sistema de O projeto foi interrompido e pavilhões, com cinco edifícios que apenas um pavilhão foi construído, iriam compor o complexo. sendo inaugurado em 1924. Um pavilhão por cátedra.
  • 25. O PROJETO EXECUTADO Após a morte de Dr. Arnaldo, o acordo com a Fundação Rockfeller ficou estagnado. Ambição: Construção do edifício sede. -Surge uma comissão responsável pelo projeto que estabelece novas diretrizes para propostas pela Fundação. -Mudança de partido: -Construção de um ÚNICO edifício que alojasse as diversas cátedras, laboratórios, museu e administração. -Concepção moderna americana de reunir as cátedras “under the same roof”. ( tipologia muito adotada nos EUA). Monobloco: Economia de construção, de manutenção, de organização, de aparelhamento, redução de duplicatas de portarias, bibliotecas, almoxarifado, de serviços gerais, enfim facilidade de contato e cooperação entre professores pela proximidade de serviços afins.
  • 26. A Fundação Rockefeller propôs um modelo de ensino médico para a Faculdade de Medicina que se apoiava em pontos bem característicos como: limitação do número de alunos, 80 por série, introdução do regime de tempo integral, sobretudo para as disciplinas pré-clínicas com a intensificação dos trabalhos de laboratório, admissão de alunos através de prova, a organização das disciplinas no sistema de departamentos e a vinculação do ensino clínico à estrutura de um hospital escola.
  • 27. -Do projeto elaborado pelo Escritório Ramos de Azevedo, o único dos cinco pavilhões construído foi o de Medicina Legal. -As outras cátedras ficaram alojadas nos edifícios espalhados pela Cidade. -Em 1931 é entregue o edifício sede e lá são relocadas as cátedras , concentrando-as num mesmo prédio. Imagem 27/12/1927
  • 28. PRIMEIRO PAVIMENTO No escritório Técnico Ramos de Azevedo “sempre esteve presente a meta de criar o espaço adequado ao ensino e ao aprendizado, resguardando condições ideais tais como as dimensões mais ideais para as salas de aula; sua melhor iluminação e ventilação; materiais de acabamentos mais conveniente; sistema de distribuição de salas e de circulação” (CARVALHO, 1998, p.17).
  • 29. Simetria Espaços interiores organizados segundo critérios geométricos e formais de grande racionalidade Remetem ao Neoclássico.
  • 30. Simetria no eixo longitudinal Alinhamentos
  • 31.
  • 33.
  • 34.
  • 36. Escada de acesso ao 2º pavimento.
  • 37. FACHADA 3 VISTA DO ESTACIONAMENTO
  • 39. MUSEU O Museu Técnico Científico do Instituto Oscar Freire - MUIOF está vinculado ao Departamento de Medicina Legal da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e localizado em prédio tombado pelo poder público. Objetivo do Museu: Mostrar aspectos da Medicina Legal O acervo museológico, composto por aproximadamente 5000 peças, está organizado por tipo de material: pecas em cera ou reais em formol armas de fogo facas documentos médicos pertences dos professores
  • 41.
  • 42. -Tombado em 1982 pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat) . - Levou-se em conta sua importância na história do ensino médico no Brasil TOMBAMENTO
  • 43. RESTAURO 2006: Restauro do anfiteatro Recuperação da fachada que estava com infiltração e argamassa de revestimento que estava destacando- se . Recomposição de partes deterioradas com material diferente do original ocasionando reações diversas
  • 44. TÉCNICAS CONSTRUTIVAS ALVENARIA DE TIJOLOS RECOBERTA DE ARGAMASSA
  • 45. DETALHES CONSTRUTIVOS Elementos em ferro fundido, remetendo ao Art Nouveau. Formas ornamentais com motivos florais.
  • 46. “ENTABLAMENTO” - marcação da divisão dos pisos- remete ao neoclássico.
  • 47. ESCADARIA DUPLA Construída em pedra ; Aspecto de maciça – remete ao neoclássico ( uso de materiais nobres).
  • 48. ARCOS QUE MARCAM A ÁREA DE CIRCULAÇÃO
  • 49. DETALHE DA FACHADA PRINCIPAL. Detalhe decorativo. Remete à arquitetura clássica
  • 51. SITES CONSULTADOS http://www.fafich.ufmg.br/~memorandum/artigos07/jacovilela0 1 http://www.hcnet.usp.br/historiahc/historia.htm http://www5.usp.br/institucional/a-usp/historia/linha-do-tempo/ http://www.usp.br/cpc/cpcinfo/cpcinfo-0902.html AGRADECIMENTOS Profa. Helena Ayoub
  • 52. • CARACTERIZAÇÃO FÍSICA DA OBRA: - levantamento métrico arquitetônico (plantas, cortes, elevações) - croquis e desenhos - levantamento fotográfico • ANÁLISE CRÍTICA DA OBRA: - análise funcional, isto é, a relação entre a solução de planta e as necessidades do programa; - inserção no panorama da arquitetura brasileira e internacional de sua época, quanto a técnicas construtivas e características formais; - identificação de eventuais influências formais ou tipológicas sobre a obra, e/ou suas especificidades próprias; - verificação do papel de outros condicionantes de partido sobre a solução arquitetônica adotada. • CONCLUSÃO FINAL sobre o significado/importância da obra, em relação ao tema em que se insere. Para que estes itens tenham adequado desenvolvimento, é imprescindível que: