SlideShare uma empresa Scribd logo
EMERGÊNCIAS MÉDICAS EM ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR
Avaliação da Cena
NBR 16.877/2020
A Avaliação da Cena é a análise que se inicia desde o momento em que a equipe de bombeiros civis,
tem acesso ao histórico do chamado da ocorrência até a leitura dos elementos da cena em si.
Avaliação da Cena
A partir da avaliação da cena, o socorrista deverá tentar responder as seguintes
perguntas:
• A cena é segura?
• Qual o número de vítimas e como acessá-las?
• É possível tornar a cena segura, atender ao número de pacientes na cena e acessar as vítimas com
os recursos disponíveis ou é necessário solicitar apoio?
• O socorro à vítima é possível de ser aguardado até que a cena esteja segura? Ou medidas
paliativas terão de ser assumidas para a rápida extração do paciente do local do sinistro para, só
após, podermos avaliá-lo e tratá-lo?
• O que pode ter acontecido com o paciente? Quais pistas o histórico do chamado, a cena, as
testemunhas presentes e a rápida visualização do paciente me oferecem para tentar antecipar
possíveis lesões ou outros agravos à saúde?
Mecanismo de Lesão (MDL)
Processos de transferência de energia envolvidos no trauma e devem ser analisados para antecipação
das possíveis lesões ocasionadas no paciente.
Pode ser dividido em dois tipos:
Mecanismo de Lesão Significativo (MLS):
Eventos em que há uma grande e imprevisível transferência de energia para o corpo humano. Nessas
situações, e em situações em que o MDL seja desconhecido, o paciente deve ser considerado como
potencial portador de lesões graves; dentre elas, lesão vertebromedular.
São exemplos de MLS:
a) colisão de veículos em alta velocidade que indique grande transferência de energia;
b) ejeção parcial ou completa do ocupante do veículo;
c) morte de algum dos ocupantes do veículo;
d) capotamento de veículo;
e) acidente automobilístico com danos na estrutura do automóvel;
k) incidentes que produzam aceleração súbita, desaceleração brusca e forças de inclinação lateral
repentinas no pescoço ou no tronco;
l) incidente de mergulho em águas rasas;
m) inconsciência ou alteração do estado neurológico após trauma;
n) lesões cefálicas com alteração do déficit neurológico.
f) atropelamento;
g) acidente com motocicletas e bicicletas que indique alta transferência
de energia;
h) queda de adultos e crianças de altura igual ou superior a 2 metros;
i) trauma penetrante na cabeça, tórax, abdome ou nos membros, se próximo às artérias de grande
calibre (face medial dos membros);
j) trauma contuso que produza impacto violento na cabeça, pescoço, tronco ou pelve;
Segurança da cena
Mantenha a cena segura:
a) estacione a viatura e providencie a iluminação e sinalização da via;
b) promova a segurança da equipe de bombeiros civis;
c) promova a segurança das testemunhas e/ou dos demais profissionais
presentes na cena;
d) promova a segurança do paciente.
Atendimento
Providencie o IFC, isolamento das fluidos corporais, conforme NRs 6 e 32.
CONDUTA
Coleta de informações
Antecipe o máximo de informações da cena junto a central.
Observe se o chamado da ocorrência possui informações, tais como:
a) queixa principal
b) idade e gênero do paciente;
c) informações do MDL ou sobre fatores clínicos e ambientais;
d) nível de consciência do paciente;
e) número de vítimas.
Ao chegar na cena, realize rápida inspeção visual do paciente procurando por:
a) defina se o evento possui origem traumática ou clínica, ou ambos;
b) analise o MDL e verifique os fatores clínicos e ambientais visíveis.
Antecipe prováveis lesões no paciente a partir da análise do MDL:
a) busque por fatores de risco que impliquem na necessidade de Restrição do Movimento da Coluna
(RMC) do paciente;
b) se MDL envolve grande transferência de energia:
− prepare-se para PCR traumática eventual;
− antecipe casos de prioridade de transporte.
Antecipe possíveis agravos clínicos a partir da análise dos fatores clínicos e ambientais.
Repasse à regulação médica do SAMU a situação geral da ocorrência, quantidade e condição clínica
da(s) vítima(s), e se há necessidade de apoio adicional, inclusive SAV e transporte aéreo.
Unidade 02
- Avaliação da cena
NBR 14.608/2021
Escola: CTBE
Ano: 2024
Curso de formação: Bombeiro civil

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.

Atendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizadoAtendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizado
Sylvania Paiva
 
Atendimento inicial-paulo-2011-2-150409140710-conversion-gate01
Atendimento inicial-paulo-2011-2-150409140710-conversion-gate01Atendimento inicial-paulo-2011-2-150409140710-conversion-gate01
Atendimento inicial-paulo-2011-2-150409140710-conversion-gate01
Dina Alves
 
01 atendimento ao paciente vitima de traumatismo cranioencefalico leve
01 atendimento ao paciente vitima de traumatismo cranioencefalico leve01 atendimento ao paciente vitima de traumatismo cranioencefalico leve
01 atendimento ao paciente vitima de traumatismo cranioencefalico leve
naldinho santos
 
Aula 2 Primeiros Socorros.pdf
Aula 2 Primeiros Socorros.pdfAula 2 Primeiros Socorros.pdf
Aula 2 Primeiros Socorros.pdf
ontimiza
 
2- Biossegurança, Avaliação da cena, Avaliação primária e Avaliação do paciente
2- Biossegurança, Avaliação da cena, Avaliação primária e Avaliação do paciente2- Biossegurança, Avaliação da cena, Avaliação primária e Avaliação do paciente
2- Biossegurança, Avaliação da cena, Avaliação primária e Avaliação do paciente
ElioenaiAlmeida1
 
PRONTO SOCORRO LIDERANÇA PARTE 1.pptx
PRONTO SOCORRO LIDERANÇA PARTE 1.pptxPRONTO SOCORRO LIDERANÇA PARTE 1.pptx
PRONTO SOCORRO LIDERANÇA PARTE 1.pptx
tuttitutti1
 
Acidentedetransito1
Acidentedetransito1Acidentedetransito1
Acidentedetransito1
Nilton Goulart
 
Suporte básico de vida 9ºFS.pptx
Suporte básico de vida 9ºFS.pptxSuporte básico de vida 9ºFS.pptx
Suporte básico de vida 9ºFS.pptx
Marcoleonardo8
 
Suporte básico para estudos e apriimoramento.pptx
Suporte básico para estudos e apriimoramento.pptxSuporte básico para estudos e apriimoramento.pptx
Suporte básico para estudos e apriimoramento.pptx
WilsonAlbuquerque5
 
Urgencia-e-Emergencia.pptx
Urgencia-e-Emergencia.pptxUrgencia-e-Emergencia.pptx
Urgencia-e-Emergencia.pptx
EducareEnsinoeFormao
 
O objetivo deste plano é estabelecer diretrizes de funcionamento, de forma qu...
O objetivo deste plano é estabelecer diretrizes de funcionamento, de forma qu...O objetivo deste plano é estabelecer diretrizes de funcionamento, de forma qu...
O objetivo deste plano é estabelecer diretrizes de funcionamento, de forma qu...
Vagner Machado
 
Suporte básico-de-vida (adulto)
Suporte básico-de-vida (adulto)Suporte básico-de-vida (adulto)
Suporte básico-de-vida (adulto)
MiguelAlmeida502577
 
Curso de aph socrrista 120 horas
Curso de aph socrrista 120 horasCurso de aph socrrista 120 horas
Curso de aph socrrista 120 horas
Nilson Santos
 
0312 atendimento básico a vítima de politraumatismo - Marion
0312 atendimento básico a vítima de politraumatismo  - Marion0312 atendimento básico a vítima de politraumatismo  - Marion
0312 atendimento básico a vítima de politraumatismo - Marion
laiscarlini
 
Protocolo parao suportebasicodevida-2011
Protocolo parao suportebasicodevida-2011Protocolo parao suportebasicodevida-2011
Protocolo parao suportebasicodevida-2011
patybina
 
2º artigo de abordagem primária
2º artigo de abordagem primária2º artigo de abordagem primária
2º artigo de abordagem primária
Alba Andrade
 
Cartilha-Nocoes-de-Primeiros-Socorros-e-Principais-Emergencias.pdf
Cartilha-Nocoes-de-Primeiros-Socorros-e-Principais-Emergencias.pdfCartilha-Nocoes-de-Primeiros-Socorros-e-Principais-Emergencias.pdf
Cartilha-Nocoes-de-Primeiros-Socorros-e-Principais-Emergencias.pdf
marlone5
 
001 atendimento ao_paciente_vítima_de_traumatismo_cranioencefálico_leve_tce_leve
001 atendimento ao_paciente_vítima_de_traumatismo_cranioencefálico_leve_tce_leve001 atendimento ao_paciente_vítima_de_traumatismo_cranioencefálico_leve_tce_leve
001 atendimento ao_paciente_vítima_de_traumatismo_cranioencefálico_leve_tce_leve
JUAREZ JUNIOR PORTES
 
Atendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizadoAtendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizado
rozenaisna
 
Atendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizadoAtendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizado
rozenaisna
 

Semelhante a APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente. (20)

Atendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizadoAtendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizado
 
Atendimento inicial-paulo-2011-2-150409140710-conversion-gate01
Atendimento inicial-paulo-2011-2-150409140710-conversion-gate01Atendimento inicial-paulo-2011-2-150409140710-conversion-gate01
Atendimento inicial-paulo-2011-2-150409140710-conversion-gate01
 
01 atendimento ao paciente vitima de traumatismo cranioencefalico leve
01 atendimento ao paciente vitima de traumatismo cranioencefalico leve01 atendimento ao paciente vitima de traumatismo cranioencefalico leve
01 atendimento ao paciente vitima de traumatismo cranioencefalico leve
 
Aula 2 Primeiros Socorros.pdf
Aula 2 Primeiros Socorros.pdfAula 2 Primeiros Socorros.pdf
Aula 2 Primeiros Socorros.pdf
 
2- Biossegurança, Avaliação da cena, Avaliação primária e Avaliação do paciente
2- Biossegurança, Avaliação da cena, Avaliação primária e Avaliação do paciente2- Biossegurança, Avaliação da cena, Avaliação primária e Avaliação do paciente
2- Biossegurança, Avaliação da cena, Avaliação primária e Avaliação do paciente
 
PRONTO SOCORRO LIDERANÇA PARTE 1.pptx
PRONTO SOCORRO LIDERANÇA PARTE 1.pptxPRONTO SOCORRO LIDERANÇA PARTE 1.pptx
PRONTO SOCORRO LIDERANÇA PARTE 1.pptx
 
Acidentedetransito1
Acidentedetransito1Acidentedetransito1
Acidentedetransito1
 
Suporte básico de vida 9ºFS.pptx
Suporte básico de vida 9ºFS.pptxSuporte básico de vida 9ºFS.pptx
Suporte básico de vida 9ºFS.pptx
 
Suporte básico para estudos e apriimoramento.pptx
Suporte básico para estudos e apriimoramento.pptxSuporte básico para estudos e apriimoramento.pptx
Suporte básico para estudos e apriimoramento.pptx
 
Urgencia-e-Emergencia.pptx
Urgencia-e-Emergencia.pptxUrgencia-e-Emergencia.pptx
Urgencia-e-Emergencia.pptx
 
O objetivo deste plano é estabelecer diretrizes de funcionamento, de forma qu...
O objetivo deste plano é estabelecer diretrizes de funcionamento, de forma qu...O objetivo deste plano é estabelecer diretrizes de funcionamento, de forma qu...
O objetivo deste plano é estabelecer diretrizes de funcionamento, de forma qu...
 
Suporte básico-de-vida (adulto)
Suporte básico-de-vida (adulto)Suporte básico-de-vida (adulto)
Suporte básico-de-vida (adulto)
 
Curso de aph socrrista 120 horas
Curso de aph socrrista 120 horasCurso de aph socrrista 120 horas
Curso de aph socrrista 120 horas
 
0312 atendimento básico a vítima de politraumatismo - Marion
0312 atendimento básico a vítima de politraumatismo  - Marion0312 atendimento básico a vítima de politraumatismo  - Marion
0312 atendimento básico a vítima de politraumatismo - Marion
 
Protocolo parao suportebasicodevida-2011
Protocolo parao suportebasicodevida-2011Protocolo parao suportebasicodevida-2011
Protocolo parao suportebasicodevida-2011
 
2º artigo de abordagem primária
2º artigo de abordagem primária2º artigo de abordagem primária
2º artigo de abordagem primária
 
Cartilha-Nocoes-de-Primeiros-Socorros-e-Principais-Emergencias.pdf
Cartilha-Nocoes-de-Primeiros-Socorros-e-Principais-Emergencias.pdfCartilha-Nocoes-de-Primeiros-Socorros-e-Principais-Emergencias.pdf
Cartilha-Nocoes-de-Primeiros-Socorros-e-Principais-Emergencias.pdf
 
001 atendimento ao_paciente_vítima_de_traumatismo_cranioencefálico_leve_tce_leve
001 atendimento ao_paciente_vítima_de_traumatismo_cranioencefálico_leve_tce_leve001 atendimento ao_paciente_vítima_de_traumatismo_cranioencefálico_leve_tce_leve
001 atendimento ao_paciente_vítima_de_traumatismo_cranioencefálico_leve_tce_leve
 
Atendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizadoAtendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizado
 
Atendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizadoAtendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizado
 

Último

A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 

Último (20)

A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 

APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.

  • 1. EMERGÊNCIAS MÉDICAS EM ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR Avaliação da Cena NBR 16.877/2020
  • 2. A Avaliação da Cena é a análise que se inicia desde o momento em que a equipe de bombeiros civis, tem acesso ao histórico do chamado da ocorrência até a leitura dos elementos da cena em si. Avaliação da Cena
  • 3. A partir da avaliação da cena, o socorrista deverá tentar responder as seguintes perguntas: • A cena é segura? • Qual o número de vítimas e como acessá-las? • É possível tornar a cena segura, atender ao número de pacientes na cena e acessar as vítimas com os recursos disponíveis ou é necessário solicitar apoio? • O socorro à vítima é possível de ser aguardado até que a cena esteja segura? Ou medidas paliativas terão de ser assumidas para a rápida extração do paciente do local do sinistro para, só após, podermos avaliá-lo e tratá-lo?
  • 4. • O que pode ter acontecido com o paciente? Quais pistas o histórico do chamado, a cena, as testemunhas presentes e a rápida visualização do paciente me oferecem para tentar antecipar possíveis lesões ou outros agravos à saúde?
  • 5. Mecanismo de Lesão (MDL) Processos de transferência de energia envolvidos no trauma e devem ser analisados para antecipação das possíveis lesões ocasionadas no paciente. Pode ser dividido em dois tipos:
  • 6.
  • 7. Mecanismo de Lesão Significativo (MLS): Eventos em que há uma grande e imprevisível transferência de energia para o corpo humano. Nessas situações, e em situações em que o MDL seja desconhecido, o paciente deve ser considerado como potencial portador de lesões graves; dentre elas, lesão vertebromedular.
  • 8. São exemplos de MLS: a) colisão de veículos em alta velocidade que indique grande transferência de energia; b) ejeção parcial ou completa do ocupante do veículo; c) morte de algum dos ocupantes do veículo; d) capotamento de veículo; e) acidente automobilístico com danos na estrutura do automóvel;
  • 9. k) incidentes que produzam aceleração súbita, desaceleração brusca e forças de inclinação lateral repentinas no pescoço ou no tronco; l) incidente de mergulho em águas rasas; m) inconsciência ou alteração do estado neurológico após trauma; n) lesões cefálicas com alteração do déficit neurológico.
  • 10. f) atropelamento; g) acidente com motocicletas e bicicletas que indique alta transferência de energia; h) queda de adultos e crianças de altura igual ou superior a 2 metros; i) trauma penetrante na cabeça, tórax, abdome ou nos membros, se próximo às artérias de grande calibre (face medial dos membros); j) trauma contuso que produza impacto violento na cabeça, pescoço, tronco ou pelve;
  • 11. Segurança da cena Mantenha a cena segura: a) estacione a viatura e providencie a iluminação e sinalização da via; b) promova a segurança da equipe de bombeiros civis; c) promova a segurança das testemunhas e/ou dos demais profissionais presentes na cena; d) promova a segurança do paciente.
  • 12. Atendimento Providencie o IFC, isolamento das fluidos corporais, conforme NRs 6 e 32.
  • 13.
  • 14. CONDUTA Coleta de informações Antecipe o máximo de informações da cena junto a central. Observe se o chamado da ocorrência possui informações, tais como: a) queixa principal b) idade e gênero do paciente; c) informações do MDL ou sobre fatores clínicos e ambientais; d) nível de consciência do paciente; e) número de vítimas.
  • 15. Ao chegar na cena, realize rápida inspeção visual do paciente procurando por: a) defina se o evento possui origem traumática ou clínica, ou ambos; b) analise o MDL e verifique os fatores clínicos e ambientais visíveis. Antecipe prováveis lesões no paciente a partir da análise do MDL: a) busque por fatores de risco que impliquem na necessidade de Restrição do Movimento da Coluna (RMC) do paciente; b) se MDL envolve grande transferência de energia: − prepare-se para PCR traumática eventual; − antecipe casos de prioridade de transporte.
  • 16. Antecipe possíveis agravos clínicos a partir da análise dos fatores clínicos e ambientais. Repasse à regulação médica do SAMU a situação geral da ocorrência, quantidade e condição clínica da(s) vítima(s), e se há necessidade de apoio adicional, inclusive SAV e transporte aéreo.
  • 17. Unidade 02 - Avaliação da cena NBR 14.608/2021 Escola: CTBE Ano: 2024 Curso de formação: Bombeiro civil