SlideShare uma empresa Scribd logo
A Realeza de Jesus
MEU REINO NÃO É DESTE MUNDO
A Vida Futura
A Realeza de Jesus
O Ponto de Vista
G. Esp. Tobias Barreto
Av. Leonor Barreto Franco 1813
Aquidabã/SECapítulo 2
MEU REINO NÃO É DESTE
MUNDO
A VIDA FUTURA
“Tornou pois a entrar Pilatos no pretório, e chamou a
Jesus, e disse-lhe: Tu és o Reino dos Judeus?
Respondeu-lhe Jesus: O meu Reino não é deste
mundo; se o meu Reino fosse deste mundo, certo que
os meus ministros haviam de pelejar para que eu não
fosse entregue aos judeus; mas porem agora o meu
Reino não é daqui. Disse-lhe então Pilatos: Logo, tu és
rei? Respondeu Jesus: Tu o dizes, que eu sou rei. Eu
não nasci nem vim a este mundo senão para dar
testemunho da verdade; todo aquele que é da verdade
ouve a minha voz”. (João, cap. XVIII, 33-37)
MEU REINO NÃO É DESTE
MUNDO
A VIDA FUTURA
Jesus se refere claramente à vida futura, que ele apresenta, em
todas as circunstâncias, como o fim a que se destina a
humanidade.
Só ele pode justificar os absurdos da vida terrestre e
harmonizar-se com a justiça de Deus
Os judeus tinham ideias muito imprecisas sobre a vida
futura. Acreditavam nos anjos, que consideravam como os
seres privilegiados da criação, mas não sabiam que os
homens, um dia, pudessem tornar-se anjos e participar da
felicidade angelical. Segundo pensavam, a observação das
leis de Deus era recompensada pelos bens terrenos, pela
supremacia de sua nação no mundo, pelas vitórias que
obteriam sobre os inimigos.
MEU REINO NÃO É DESTE
MUNDO
MEU REINO NÃO É DESTE
MUNDO
Moisés o confirmou, ao dizer essas coisas, ainda mais
fortemente, a um povo ignorante, de pastores, que
precisava ser tocado antes de tudo pelos interesses deste
mundo.
Mais tarde, Jesus veio lhes revelar que existe outro
mundo, onde a justiça de Deus se realiza. É esse mundo
que ele promete aos que observam os mandamentos de
Deus. É nele que os bons são recompensados. Esse
mundo é o seu reino, no qual se encontra em toda a sua
glória, e para o qual voltará ao deixar a Terra.
Jesus, entretanto, conformando o seu ensino ao estado
dos homens da época, evitou lhes dar os esclarecimentos
completos, que os deslumbraria em vez de iluminar,
porque eles não o teriam compreendido. Ele se limitou a
colocar, de certo modo, a vida futura como um princípio,
uma lei da natureza, à qual ninguém pode escapar.
O Espiritismo veio completar, nesse ponto, como em
muitos outros, o ensinamento do Cristo, quando os
homens se mostraram maduros para compreender a
verdade.
Com Espiritismo, a vida futura não é mais simples artigo
de fé, ou simples hipótese. É uma realidade material,
provada pelos fatos.
Esta descrição da vida futura é de tal maneira
circunstanciada, são tão racionais as condições da
existência feliz ou infeliz dos que nela se encontram, que
acabamos por concordar que não podia ser de outra
maneira, e que ela bem representa a verdadeira justiça
de Deus.
Essa realeza, que nasce do mérito pessoal, consagrada
pela posterioridade, não tem muitas vezes maior
preponderância que a dos reis coroados?
A Realeza de Jesus
A realeza terrena acaba com a vida, mas a realeza moral
continua a imperar, sobretudo, depois da morte.
Jesus não é um rei mais poderoso que muitos
potentados? Foi com razão, portanto, que ele disse a
Pilatos: Eu sou rei, mas o meu reino não é deste mundo.
O Ponto de Vista
Vida espiritual, que é infinita,
Vida corporal, não é mais do que
rápida passagem.
As vicissitudes e as tribulações da vida são apenas
incidentes que ele enfrenta com paciência, porque sabe
que são de curta duração e devem ser seguidos de uma
situação mais feliz.
Aquele que se identifica com a vida futura é semelhante
a um homem rico, que perde uma pequena soma sem
se perturbar; e aquele que concentra os seus
pensamentos na vida terrestre é como o pobre que ao
perder tudo o que possui, cai em desespero.
G. Esp. Tobias Barreto
Av. Leonor Barreto Franco 1813
Aquidabã/SE

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Há muitas moradas na casa de meu pai moc. casimiro cunha - 27-06-15
Há muitas moradas na casa de meu pai   moc. casimiro cunha - 27-06-15Há muitas moradas na casa de meu pai   moc. casimiro cunha - 27-06-15
Há muitas moradas na casa de meu pai moc. casimiro cunha - 27-06-15Vilmar Vilaça
 
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Tiburcio Santos
 
Evangelho Segundo o Espiritismo - O ponto de vista
Evangelho Segundo o Espiritismo - O ponto de vistaEvangelho Segundo o Espiritismo - O ponto de vista
Evangelho Segundo o Espiritismo - O ponto de vista
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Os tres reinos
Os tres reinosOs tres reinos
Os tres reinos
carlos freire
 
BEM AVENTURADOS OS PACIFICADORES
BEM AVENTURADOS OS PACIFICADORESBEM AVENTURADOS OS PACIFICADORES
BEM AVENTURADOS OS PACIFICADORES
Sergio Menezes
 
Autoridade da Doutrina Espírita
Autoridade da Doutrina EspíritaAutoridade da Doutrina Espírita
Autoridade da Doutrina Espírita
Helio Cruz
 
Esquecimento do passado
Esquecimento do passadoEsquecimento do passado
Esquecimento do passado
Ponte de Luz ASEC
 
Estranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIIIEstranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIII
grupodepaisceb
 
AULA 058 EAE DM - A CONVERSÃO DE PAULO
AULA 058 EAE DM - A CONVERSÃO DE PAULOAULA 058 EAE DM - A CONVERSÃO DE PAULO
AULA 058 EAE DM - A CONVERSÃO DE PAULO
Daniel de Melo
 
A pascoa visao_espirita jsoh
A pascoa visao_espirita jsohA pascoa visao_espirita jsoh
A pascoa visao_espirita jsoh
jesussalveoshumildes
 
D 7 Pluralidade dos Mundos Habitados
D 7 Pluralidade dos Mundos HabitadosD 7 Pluralidade dos Mundos Habitados
D 7 Pluralidade dos Mundos Habitados
JPS Junior
 
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Roteiro 4 os reinos da natureza
Roteiro 4   os reinos da naturezaRoteiro 4   os reinos da natureza
Roteiro 4 os reinos da natureza
Bruno Cechinel Filho
 
A Caminho da Luz
A Caminho da LuzA Caminho da Luz
A Caminho da Luz
Patricia Farias
 
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOSAMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
Jorge Luiz dos Santos
 
Introducao ao Estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo
Introducao ao Estudo do Evangelho Segundo o EspiritismoIntroducao ao Estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo
Introducao ao Estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo
CEVP - Divulgação
 
Amar ao próximo como a si mesmo
Amar ao próximo como a si mesmoAmar ao próximo como a si mesmo
Amar ao próximo como a si mesmo
igmateus
 
A terra planeta de provas e expiações
A terra planeta de provas e expiaçõesA terra planeta de provas e expiações
A terra planeta de provas e expiações
Graça Maciel
 
O espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidadeO espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidade
Graça Maciel
 
Há muitas moradas na casa do Pai
Há muitas moradas na casa do PaiHá muitas moradas na casa do Pai
Há muitas moradas na casa do Pai
Henrique Vieira
 

Mais procurados (20)

Há muitas moradas na casa de meu pai moc. casimiro cunha - 27-06-15
Há muitas moradas na casa de meu pai   moc. casimiro cunha - 27-06-15Há muitas moradas na casa de meu pai   moc. casimiro cunha - 27-06-15
Há muitas moradas na casa de meu pai moc. casimiro cunha - 27-06-15
 
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
 
Evangelho Segundo o Espiritismo - O ponto de vista
Evangelho Segundo o Espiritismo - O ponto de vistaEvangelho Segundo o Espiritismo - O ponto de vista
Evangelho Segundo o Espiritismo - O ponto de vista
 
Os tres reinos
Os tres reinosOs tres reinos
Os tres reinos
 
BEM AVENTURADOS OS PACIFICADORES
BEM AVENTURADOS OS PACIFICADORESBEM AVENTURADOS OS PACIFICADORES
BEM AVENTURADOS OS PACIFICADORES
 
Autoridade da Doutrina Espírita
Autoridade da Doutrina EspíritaAutoridade da Doutrina Espírita
Autoridade da Doutrina Espírita
 
Esquecimento do passado
Esquecimento do passadoEsquecimento do passado
Esquecimento do passado
 
Estranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIIIEstranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIII
 
AULA 058 EAE DM - A CONVERSÃO DE PAULO
AULA 058 EAE DM - A CONVERSÃO DE PAULOAULA 058 EAE DM - A CONVERSÃO DE PAULO
AULA 058 EAE DM - A CONVERSÃO DE PAULO
 
A pascoa visao_espirita jsoh
A pascoa visao_espirita jsohA pascoa visao_espirita jsoh
A pascoa visao_espirita jsoh
 
D 7 Pluralidade dos Mundos Habitados
D 7 Pluralidade dos Mundos HabitadosD 7 Pluralidade dos Mundos Habitados
D 7 Pluralidade dos Mundos Habitados
 
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
 
Roteiro 4 os reinos da natureza
Roteiro 4   os reinos da naturezaRoteiro 4   os reinos da natureza
Roteiro 4 os reinos da natureza
 
A Caminho da Luz
A Caminho da LuzA Caminho da Luz
A Caminho da Luz
 
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOSAMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
 
Introducao ao Estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo
Introducao ao Estudo do Evangelho Segundo o EspiritismoIntroducao ao Estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo
Introducao ao Estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo
 
Amar ao próximo como a si mesmo
Amar ao próximo como a si mesmoAmar ao próximo como a si mesmo
Amar ao próximo como a si mesmo
 
A terra planeta de provas e expiações
A terra planeta de provas e expiaçõesA terra planeta de provas e expiações
A terra planeta de provas e expiações
 
O espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidadeO espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidade
 
Há muitas moradas na casa do Pai
Há muitas moradas na casa do PaiHá muitas moradas na casa do Pai
Há muitas moradas na casa do Pai
 

Destaque

As três Revelações
As três RevelaçõesAs três Revelações
As três Revelações
Graça Maciel
 
Não vim destruir a Lei - Cap.I do OESE
Não vim destruir a Lei - Cap.I do OESENão vim destruir a Lei - Cap.I do OESE
Não vim destruir a Lei - Cap.I do OESE
Paula Kloser
 
Não vim destruir a lei-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
Não vim destruir a lei-Marcelo do N. Rodrigues-CEMNão vim destruir a lei-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
Não vim destruir a lei-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
Marcelo do Nascimento Rodrigues
 
As 3 revelações
As 3 revelaçõesAs 3 revelações
As 3 revelações
Maxuel Alves
 
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e leiCapítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Cap. 1 NãO Vim Destruir A Lei
Cap. 1 NãO Vim Destruir A LeiCap. 1 NãO Vim Destruir A Lei
Cap. 1 NãO Vim Destruir A Lei
Cavalcante Melo Junior Eudes
 
Roma - República e início do Império
Roma - República e início do ImpérioRoma - República e início do Império
Roma - República e início do Império
Elaine Bogo Pavani
 
Passo a passo para baixar slides
Passo a passo para baixar slidesPasso a passo para baixar slides
Passo a passo para baixar slides
Dênia Cavalcante
 

Destaque (8)

As três Revelações
As três RevelaçõesAs três Revelações
As três Revelações
 
Não vim destruir a Lei - Cap.I do OESE
Não vim destruir a Lei - Cap.I do OESENão vim destruir a Lei - Cap.I do OESE
Não vim destruir a Lei - Cap.I do OESE
 
Não vim destruir a lei-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
Não vim destruir a lei-Marcelo do N. Rodrigues-CEMNão vim destruir a lei-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
Não vim destruir a lei-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
 
As 3 revelações
As 3 revelaçõesAs 3 revelações
As 3 revelações
 
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e leiCapítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
 
Cap. 1 NãO Vim Destruir A Lei
Cap. 1 NãO Vim Destruir A LeiCap. 1 NãO Vim Destruir A Lei
Cap. 1 NãO Vim Destruir A Lei
 
Roma - República e início do Império
Roma - República e início do ImpérioRoma - República e início do Império
Roma - República e início do Império
 
Passo a passo para baixar slides
Passo a passo para baixar slidesPasso a passo para baixar slides
Passo a passo para baixar slides
 

Semelhante a A realeza de jesus

Desencarnar é continuar a vida noutro ambiente
Desencarnar é continuar a vida noutro ambienteDesencarnar é continuar a vida noutro ambiente
Desencarnar é continuar a vida noutro ambiente
OCIMARMC
 
Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap 2
Evangelho Segundo o Espiritismo -  Cap 2Evangelho Segundo o Espiritismo -  Cap 2
Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap 2
Patricia Farias
 
Meu-Reino-Não-e-Deste-Mundo.ppt
Meu-Reino-Não-e-Deste-Mundo.pptMeu-Reino-Não-e-Deste-Mundo.ppt
Meu-Reino-Não-e-Deste-Mundo.ppt
JosueMorais3
 
Meu reino não é deste mundo.pptx Meu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundo.pptx Meu reino não é deste mundoMeu reino não é deste mundo.pptx Meu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundo.pptx Meu reino não é deste mundo
LusLaranjeira2
 
O meu reino não é deste mundo
O meu reino não é deste mundoO meu reino não é deste mundo
O meu reino não é deste mundo
Maxuel Alves
 
Meu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundoMeu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundo
Fórum Espírita
 
Meu reino nao e desse mundoi
Meu reino nao e desse mundoiMeu reino nao e desse mundoi
Meu reino nao e desse mundoi
Vanda Machado
 
Livro dos Espíritos Cap.426 e ESE cap2 item4
Livro dos Espíritos Cap.426 e ESE cap2 item4Livro dos Espíritos Cap.426 e ESE cap2 item4
Livro dos Espíritos Cap.426 e ESE cap2 item4
Patricia Farias
 
Xxxiv domingo do tempo comum ano b rei do universo
Xxxiv domingo do tempo comum   ano b  rei do universoXxxiv domingo do tempo comum   ano b  rei do universo
Xxxiv domingo do tempo comum ano b rei do universo
José Luiz Silva Pinto
 
Apresentação.Meu Reino não é deste mundo.pptx
Apresentação.Meu Reino não é deste mundo.pptxApresentação.Meu Reino não é deste mundo.pptx
Apresentação.Meu Reino não é deste mundo.pptx
NilsonGuimares3
 
2016 3 TRI LIÇÃO 11 - PROFECIAS DA CONSUMAÇÃO DA HISTÓRIA
2016 3 TRI LIÇÃO 11 - PROFECIAS DA CONSUMAÇÃO DA HISTÓRIA2016 3 TRI LIÇÃO 11 - PROFECIAS DA CONSUMAÇÃO DA HISTÓRIA
2016 3 TRI LIÇÃO 11 - PROFECIAS DA CONSUMAÇÃO DA HISTÓRIA
Natalino das Neves Neves
 
Bna dom comum a 34 cristo rei
Bna dom comum a 34 cristo reiBna dom comum a 34 cristo rei
Bna dom comum a 34 cristo rei
daniela-bertoncello
 
Comentário: 4° Domingo do Tempo Comum - Ano A
Comentário: 4° Domingo do Tempo Comum - Ano AComentário: 4° Domingo do Tempo Comum - Ano A
Comentário: 4° Domingo do Tempo Comum - Ano A
José Lima
 
Uxvofimdasnacoes 091209200019-phpapp01
Uxvofimdasnacoes 091209200019-phpapp01Uxvofimdasnacoes 091209200019-phpapp01
Uxvofimdasnacoes 091209200019-phpapp01
RAIMUNDO NONATO DA S AMORA
 
Cristo rei
Cristo reiCristo rei
Cristo rei
pr_afsalbergaria
 
Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap. 2 Item 5
Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap. 2 Item 5Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap. 2 Item 5
Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap. 2 Item 5
Patricia Farias
 
Roteiro homilético do 34.º domingo t. c. nosso senhor jesus cristo rei do uni...
Roteiro homilético do 34.º domingo t. c. nosso senhor jesus cristo rei do uni...Roteiro homilético do 34.º domingo t. c. nosso senhor jesus cristo rei do uni...
Roteiro homilético do 34.º domingo t. c. nosso senhor jesus cristo rei do uni...
José Luiz Silva Pinto
 
Cristo, Rei do Universo
Cristo, Rei do UniversoCristo, Rei do Universo
Cristo, Rei do Universo
pr_afsalbergaria
 
PROPÓSITO DO MILÊNIO .pdf...............
PROPÓSITO DO MILÊNIO .pdf...............PROPÓSITO DO MILÊNIO .pdf...............
PROPÓSITO DO MILÊNIO .pdf...............
Nelson Pereira
 
DEUS CRIOU O DIABO (Parte Final).docx
DEUS CRIOU O DIABO  (Parte Final).docxDEUS CRIOU O DIABO  (Parte Final).docx
DEUS CRIOU O DIABO (Parte Final).docx
Nelson Pereira
 

Semelhante a A realeza de jesus (20)

Desencarnar é continuar a vida noutro ambiente
Desencarnar é continuar a vida noutro ambienteDesencarnar é continuar a vida noutro ambiente
Desencarnar é continuar a vida noutro ambiente
 
Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap 2
Evangelho Segundo o Espiritismo -  Cap 2Evangelho Segundo o Espiritismo -  Cap 2
Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap 2
 
Meu-Reino-Não-e-Deste-Mundo.ppt
Meu-Reino-Não-e-Deste-Mundo.pptMeu-Reino-Não-e-Deste-Mundo.ppt
Meu-Reino-Não-e-Deste-Mundo.ppt
 
Meu reino não é deste mundo.pptx Meu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundo.pptx Meu reino não é deste mundoMeu reino não é deste mundo.pptx Meu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundo.pptx Meu reino não é deste mundo
 
O meu reino não é deste mundo
O meu reino não é deste mundoO meu reino não é deste mundo
O meu reino não é deste mundo
 
Meu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundoMeu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundo
 
Meu reino nao e desse mundoi
Meu reino nao e desse mundoiMeu reino nao e desse mundoi
Meu reino nao e desse mundoi
 
Livro dos Espíritos Cap.426 e ESE cap2 item4
Livro dos Espíritos Cap.426 e ESE cap2 item4Livro dos Espíritos Cap.426 e ESE cap2 item4
Livro dos Espíritos Cap.426 e ESE cap2 item4
 
Xxxiv domingo do tempo comum ano b rei do universo
Xxxiv domingo do tempo comum   ano b  rei do universoXxxiv domingo do tempo comum   ano b  rei do universo
Xxxiv domingo do tempo comum ano b rei do universo
 
Apresentação.Meu Reino não é deste mundo.pptx
Apresentação.Meu Reino não é deste mundo.pptxApresentação.Meu Reino não é deste mundo.pptx
Apresentação.Meu Reino não é deste mundo.pptx
 
2016 3 TRI LIÇÃO 11 - PROFECIAS DA CONSUMAÇÃO DA HISTÓRIA
2016 3 TRI LIÇÃO 11 - PROFECIAS DA CONSUMAÇÃO DA HISTÓRIA2016 3 TRI LIÇÃO 11 - PROFECIAS DA CONSUMAÇÃO DA HISTÓRIA
2016 3 TRI LIÇÃO 11 - PROFECIAS DA CONSUMAÇÃO DA HISTÓRIA
 
Bna dom comum a 34 cristo rei
Bna dom comum a 34 cristo reiBna dom comum a 34 cristo rei
Bna dom comum a 34 cristo rei
 
Comentário: 4° Domingo do Tempo Comum - Ano A
Comentário: 4° Domingo do Tempo Comum - Ano AComentário: 4° Domingo do Tempo Comum - Ano A
Comentário: 4° Domingo do Tempo Comum - Ano A
 
Uxvofimdasnacoes 091209200019-phpapp01
Uxvofimdasnacoes 091209200019-phpapp01Uxvofimdasnacoes 091209200019-phpapp01
Uxvofimdasnacoes 091209200019-phpapp01
 
Cristo rei
Cristo reiCristo rei
Cristo rei
 
Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap. 2 Item 5
Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap. 2 Item 5Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap. 2 Item 5
Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap. 2 Item 5
 
Roteiro homilético do 34.º domingo t. c. nosso senhor jesus cristo rei do uni...
Roteiro homilético do 34.º domingo t. c. nosso senhor jesus cristo rei do uni...Roteiro homilético do 34.º domingo t. c. nosso senhor jesus cristo rei do uni...
Roteiro homilético do 34.º domingo t. c. nosso senhor jesus cristo rei do uni...
 
Cristo, Rei do Universo
Cristo, Rei do UniversoCristo, Rei do Universo
Cristo, Rei do Universo
 
PROPÓSITO DO MILÊNIO .pdf...............
PROPÓSITO DO MILÊNIO .pdf...............PROPÓSITO DO MILÊNIO .pdf...............
PROPÓSITO DO MILÊNIO .pdf...............
 
DEUS CRIOU O DIABO (Parte Final).docx
DEUS CRIOU O DIABO  (Parte Final).docxDEUS CRIOU O DIABO  (Parte Final).docx
DEUS CRIOU O DIABO (Parte Final).docx
 

Último

JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADASCARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
ESCRIBA DE CRISTO
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTASEscola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
ceciliafonseca16
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Janilson Noca
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 

Último (16)

JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADASCARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTASEscola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
 

A realeza de jesus

  • 1. A Realeza de Jesus MEU REINO NÃO É DESTE MUNDO A Vida Futura A Realeza de Jesus O Ponto de Vista G. Esp. Tobias Barreto Av. Leonor Barreto Franco 1813 Aquidabã/SECapítulo 2
  • 2. MEU REINO NÃO É DESTE MUNDO A VIDA FUTURA “Tornou pois a entrar Pilatos no pretório, e chamou a Jesus, e disse-lhe: Tu és o Reino dos Judeus? Respondeu-lhe Jesus: O meu Reino não é deste mundo; se o meu Reino fosse deste mundo, certo que os meus ministros haviam de pelejar para que eu não fosse entregue aos judeus; mas porem agora o meu Reino não é daqui. Disse-lhe então Pilatos: Logo, tu és rei? Respondeu Jesus: Tu o dizes, que eu sou rei. Eu não nasci nem vim a este mundo senão para dar testemunho da verdade; todo aquele que é da verdade ouve a minha voz”. (João, cap. XVIII, 33-37)
  • 3. MEU REINO NÃO É DESTE MUNDO A VIDA FUTURA Jesus se refere claramente à vida futura, que ele apresenta, em todas as circunstâncias, como o fim a que se destina a humanidade. Só ele pode justificar os absurdos da vida terrestre e harmonizar-se com a justiça de Deus
  • 4. Os judeus tinham ideias muito imprecisas sobre a vida futura. Acreditavam nos anjos, que consideravam como os seres privilegiados da criação, mas não sabiam que os homens, um dia, pudessem tornar-se anjos e participar da felicidade angelical. Segundo pensavam, a observação das leis de Deus era recompensada pelos bens terrenos, pela supremacia de sua nação no mundo, pelas vitórias que obteriam sobre os inimigos. MEU REINO NÃO É DESTE MUNDO
  • 5. MEU REINO NÃO É DESTE MUNDO Moisés o confirmou, ao dizer essas coisas, ainda mais fortemente, a um povo ignorante, de pastores, que precisava ser tocado antes de tudo pelos interesses deste mundo. Mais tarde, Jesus veio lhes revelar que existe outro mundo, onde a justiça de Deus se realiza. É esse mundo que ele promete aos que observam os mandamentos de Deus. É nele que os bons são recompensados. Esse mundo é o seu reino, no qual se encontra em toda a sua glória, e para o qual voltará ao deixar a Terra.
  • 6. Jesus, entretanto, conformando o seu ensino ao estado dos homens da época, evitou lhes dar os esclarecimentos completos, que os deslumbraria em vez de iluminar, porque eles não o teriam compreendido. Ele se limitou a colocar, de certo modo, a vida futura como um princípio, uma lei da natureza, à qual ninguém pode escapar.
  • 7. O Espiritismo veio completar, nesse ponto, como em muitos outros, o ensinamento do Cristo, quando os homens se mostraram maduros para compreender a verdade. Com Espiritismo, a vida futura não é mais simples artigo de fé, ou simples hipótese. É uma realidade material, provada pelos fatos. Esta descrição da vida futura é de tal maneira circunstanciada, são tão racionais as condições da existência feliz ou infeliz dos que nela se encontram, que acabamos por concordar que não podia ser de outra maneira, e que ela bem representa a verdadeira justiça de Deus.
  • 8. Essa realeza, que nasce do mérito pessoal, consagrada pela posterioridade, não tem muitas vezes maior preponderância que a dos reis coroados? A Realeza de Jesus A realeza terrena acaba com a vida, mas a realeza moral continua a imperar, sobretudo, depois da morte. Jesus não é um rei mais poderoso que muitos potentados? Foi com razão, portanto, que ele disse a Pilatos: Eu sou rei, mas o meu reino não é deste mundo.
  • 9. O Ponto de Vista Vida espiritual, que é infinita, Vida corporal, não é mais do que rápida passagem. As vicissitudes e as tribulações da vida são apenas incidentes que ele enfrenta com paciência, porque sabe que são de curta duração e devem ser seguidos de uma situação mais feliz.
  • 10. Aquele que se identifica com a vida futura é semelhante a um homem rico, que perde uma pequena soma sem se perturbar; e aquele que concentra os seus pensamentos na vida terrestre é como o pobre que ao perder tudo o que possui, cai em desespero. G. Esp. Tobias Barreto Av. Leonor Barreto Franco 1813 Aquidabã/SE