SlideShare uma empresa Scribd logo
Biologia
Embriologia
Embriologia
É a ciência que estuda o
desenvolvimento dos seres vivos a
partir do Zigoto até a formação de
tecidos diferenciados.
Da fecundação de um óvulo pelo
espermatozoide ocorre a formação de
uma única célula conhecida como
zigoto ou ovo.
E a medida que estas modificações vão
acontecendo, um novo ser já considerado
embrião que vai tomando formas
diferentes e cada uma delas com suas
particularidades
Zigoto
Mórula
Blástula
Gástrula
órgãos Nêurula tecidos
Evolução do ovo
Segmentação ou Clivagem
Após a fecundação o zigoto começa a
sofrer sucessivas mitoses.
Ocorre então quatro etapas muito
importantes: Blastulação, Morulação,
Gastrulação e Neurulação.
A medida que as mitoses se sucedem, os
blastômeros diminuem o tamanho mas
aumenta no nº de células aparecendo o
primeiro estágio do desenvolvimento
embrionário a mórula.
Esta mórula pode apresentar de 02 a 32
blastômeros.
Este estágio ocorre de 3 a 4 dias após a
fertilização concomitantemente à
chegada do embrião no útero
BlastulaçãoBlastulação ou BlastulaBlastula
nesse estágio a mórula sofre mudanças que a
converte em blastocisto. Isto ocorre
imediatamente após a chegada da mórula no
útero, quando a cavidade blastocística é
preenchida por um líquido. Neste momento suas
células se dispõem centralmente e formam o
primórdio do embrião.
GastrulaçãoGastrulação ou GastrulaGastrula
neste estágio, onde o embrião já está na terceira
semana. Durante toda esta fase forma-se um disco
embrionário e esse disco é responsável pelas 3
camadas germinativas da gástrula: ectoderma e
endoderma. diferenciarão nos tecidos e órgãos do
embrião: ectoderma, mesoderma e endoderma
Nêurula
Diferenciação dos tecidos e órgãos do
embrião; formação de três tecidos
embrionários: ectoderma, mesoderma e
endoderma
ANEXOS EMBRIONÁRIOS
• Estruturas que se forma juntamente
com o embrião, destinadas à realização
de importantes papéis para ele, mas
que se tornam inúteis após o seu
nascimento, sendo então, desprezadas.
• Como também não pertencem à mãe,
os anexos, no caso dos mamíferos, são
expulsos do útero logo após o parto .
Âmnio ou bolsa amniótica
Membrana que reveste totalmente o
embrião
Apresenta-se repleto de um líquido
claro conhecido como líquido amniótico
Funções: proteção contra choques
mecânicos, desidratação, infecções de
agentes externos como vírus e bactérias,
estabilização da temperatura interna
CÓRIO
• Da mesma origem do âmnio, o cório
é uma membrana de proteção que se
localiza mais externamente e em
contato com a casca, fazendo
absorção de cálcio da casca para o
esqueleto
PLACENTA
• É o mais importante
dos anexos embrionários
nos mamíferos. E representa
o principal passo evolutivo dos mamíferos
no que se refere na reprodução.
• É um órgão transitório, de múltiplas
funções para o embrião
FUNÇÕES DA PLACENTA
• Realizar trocas respiratórias entre o
organismo materno e o organismo fetal
• Realizar as trocas nutritivas e
metabólicas entre mãe e filho
• Produzir hormônios
• Transmitir ao feto alguns anticorpos
CORDÃO UMBILICAL
• Estrutura de comunicação entre o
embrião e a placenta.
Embrião de 6 Semanas Embrião de 10 Semanas
Embrião de 15 Semanas Embrião de 23 semanas
Um feto de poucas semanas encontra-seUm feto de poucas semanas encontra-se
no interior do útero de sua mãe.no interior do útero de sua mãe.
NO VENTRE MATERNONO VENTRE MATERNO
Um embrião de poucas semanas encontra-seUm embrião de poucas semanas encontra-se
no interior do útero de sua mãe.no interior do útero de sua mãe.
É apenas um projeto de ser humano e neste estágio podeÉ apenas um projeto de ser humano e neste estágio pode
ser confundido com um embrião de cão ou macaco.ser confundido com um embrião de cão ou macaco.
Junto a ele encontra-se o saco vitelino,Junto a ele encontra-se o saco vitelino,
que lhe proporciona os nutrientes de que necessitaque lhe proporciona os nutrientes de que necessita
nas primeiras semanas de vida.nas primeiras semanas de vida.
Por volta da 8ª semana de gestaçãoPor volta da 8ª semana de gestação
o saco vitelino perde sua função.o saco vitelino perde sua função.
É o cordão umbilical que passa a alimentá-loÉ o cordão umbilical que passa a alimentá-lo
com nutrientes provenientes do corpo materno.com nutrientes provenientes do corpo materno.
Enquanto tudo acontece, ele flutua,Enquanto tudo acontece, ele flutua,
tranqüilamente, no útero de sua mãe.tranqüilamente, no útero de sua mãe.
Na 16ª semana de gestaçãoNa 16ª semana de gestação
ele já tem quase todos osele já tem quase todos os
órgãos desenvolvidos.órgãos desenvolvidos.
Os olhos ainda estão fechados,Os olhos ainda estão fechados,
mas as mãos e os pés começam a mover-mas as mãos e os pés começam a mover-
se, embora sua mãe quase nãose, embora sua mãe quase não
perceba.perceba.
Graças à ecografia 4D, o futuro bebê mostra a quemGraças à ecografia 4D, o futuro bebê mostra a quem
está de fora, em imagens de grande nitidez, até mesmoestá de fora, em imagens de grande nitidez, até mesmo
suas expressões faciais.suas expressões faciais.
Ele completa 24 semanas.Ele completa 24 semanas.
Dentre seus órgãos, somente os pulmõesDentre seus órgãos, somente os pulmões
não estão completamente formados.não estão completamente formados.
Mesmo assim, se nascesse neste momento,Mesmo assim, se nascesse neste momento,
teria grandes chances de sobreviver.teria grandes chances de sobreviver.
Nesta etapa já mexe os braços e as pernas,Nesta etapa já mexe os braços e as pernas,
pisca os olhos, chupa os dedos e, inclusive, tempisca os olhos, chupa os dedos e, inclusive, tem
seus primeiros acessos de soluço.seus primeiros acessos de soluço.
Está cada vez maisEstá cada vez mais
consciente doconsciente do
espaço que oespaço que o
rodeia.rodeia.
Como todos os fetos, passa a maior parte do tempoComo todos os fetos, passa a maior parte do tempo
dormindo, e quando dorme nada consegue despertá-lo.dormindo, e quando dorme nada consegue despertá-lo.
Chega até mesmo a sonhar.Chega até mesmo a sonhar.
Ele completa nove meses e estáEle completa nove meses e está
pronto para nascer.pronto para nascer.
Em 40 semanas, o que era apenas uma sementinhaEm 40 semanas, o que era apenas uma sementinha
transformou-se em um ser humano.transformou-se em um ser humano.
O milagre da formação da vidaO milagre da formação da vida
humana no interior do corpo maternohumana no interior do corpo materno
está perto de ser concluído.está perto de ser concluído.
Em poucos dias os pulmõesEm poucos dias os pulmões
e a placenta se encarregarão de sinalizare a placenta se encarregarão de sinalizar
que é chegada a hora do parto.que é chegada a hora do parto.
O bebê dorme, tranqüilo, no ventre de sua mãe.O bebê dorme, tranqüilo, no ventre de sua mãe.
Não sabe que dentro em breve abandonaráNão sabe que dentro em breve abandonará
a placidez de sua “casa” para passar por umaa placidez de sua “casa” para passar por uma
das experiências mais traumáticasdas experiências mais traumáticas
de sua vida: o nascimento.de sua vida: o nascimento.
Sim, porque o partoSim, porque o parto
não énão é
doloroso apenasdoloroso apenas
para a mãe.para a mãe.
Também é traumático eTambém é traumático e
estressante para o bebê.estressante para o bebê.
MAS É ASSIM QUE ACONTECEMAS É ASSIM QUE ACONTECE
O MILAGRE DA VIDAO MILAGRE DA VIDA
BOA NOITE!!!!!BOA NOITE!!!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gametogenese
GametogeneseGametogenese
Espermatogênese
Espermatogênese Espermatogênese
Espermatogênese
vivisabadoti
 
Aula gametogênese
Aula gametogêneseAula gametogênese
Aula gametogênese
César Milani
 
Gametogenese
GametogeneseGametogenese
Gametogenese
Marcia Moreira
 
Aul�o de embriologia
Aul�o de embriologiaAul�o de embriologia
Aul�o de embriologia
Digux
 
Ovogênese
OvogêneseOvogênese
Ovogênese
paulober
 
Espermatogenese
EspermatogeneseEspermatogenese
Espermatogenese
Marcos Anicio
 
Gametogênese e meiose
Gametogênese e meioseGametogênese e meiose
Gametogênese e meiose
Professora Raquel
 
Introdução à embriologia
Introdução à embriologiaIntrodução à embriologia
Introdução à embriologia
Patricia de Castilhos
 
Aula gametogênese, fertilização, segmentação
Aula gametogênese, fertilização, segmentaçãoAula gametogênese, fertilização, segmentação
Aula gametogênese, fertilização, segmentação
Pedro Lopes
 
Gametogênese
GametogêneseGametogênese
Gametogênese
naiellyrodrigues
 
Gametogênese, Fecundação e Embriologia Humana
Gametogênese, Fecundação e Embriologia HumanaGametogênese, Fecundação e Embriologia Humana
Gametogênese, Fecundação e Embriologia Humana
Governo do Estado do Rio Grande do Sul
 
Desenvolvimento do embrião
Desenvolvimento do embriãoDesenvolvimento do embrião
Desenvolvimento do embrião
Patricia de Castilhos
 
Espermatogênese
EspermatogêneseEspermatogênese
Espermatogênese
paulober
 
Ovogênese
OvogêneseOvogênese
Ovogênese
Maicon Azevedo
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
guest51ff04
 
Aula de gametogenese
Aula de gametogeneseAula de gametogenese
Aula de gametogenese
Fatima Comiotto
 
Introdução ao desenvolvimento embrionário
Introdução ao desenvolvimento embrionárioIntrodução ao desenvolvimento embrionário
Introdução ao desenvolvimento embrionário
Elizabete Costa
 
CN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIO
CN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIOCN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIO
CN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIO
Luís Ferreira
 
Espermatogênese
EspermatogêneseEspermatogênese
Espermatogênese
Maicon Azevedo
 

Mais procurados (20)

Gametogenese
GametogeneseGametogenese
Gametogenese
 
Espermatogênese
Espermatogênese Espermatogênese
Espermatogênese
 
Aula gametogênese
Aula gametogêneseAula gametogênese
Aula gametogênese
 
Gametogenese
GametogeneseGametogenese
Gametogenese
 
Aul�o de embriologia
Aul�o de embriologiaAul�o de embriologia
Aul�o de embriologia
 
Ovogênese
OvogêneseOvogênese
Ovogênese
 
Espermatogenese
EspermatogeneseEspermatogenese
Espermatogenese
 
Gametogênese e meiose
Gametogênese e meioseGametogênese e meiose
Gametogênese e meiose
 
Introdução à embriologia
Introdução à embriologiaIntrodução à embriologia
Introdução à embriologia
 
Aula gametogênese, fertilização, segmentação
Aula gametogênese, fertilização, segmentaçãoAula gametogênese, fertilização, segmentação
Aula gametogênese, fertilização, segmentação
 
Gametogênese
GametogêneseGametogênese
Gametogênese
 
Gametogênese, Fecundação e Embriologia Humana
Gametogênese, Fecundação e Embriologia HumanaGametogênese, Fecundação e Embriologia Humana
Gametogênese, Fecundação e Embriologia Humana
 
Desenvolvimento do embrião
Desenvolvimento do embriãoDesenvolvimento do embrião
Desenvolvimento do embrião
 
Espermatogênese
EspermatogêneseEspermatogênese
Espermatogênese
 
Ovogênese
OvogêneseOvogênese
Ovogênese
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Aula de gametogenese
Aula de gametogeneseAula de gametogenese
Aula de gametogenese
 
Introdução ao desenvolvimento embrionário
Introdução ao desenvolvimento embrionárioIntrodução ao desenvolvimento embrionário
Introdução ao desenvolvimento embrionário
 
CN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIO
CN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIOCN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIO
CN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIO
 
Espermatogênese
EspermatogêneseEspermatogênese
Espermatogênese
 

Semelhante a 8ª aula embriologia 2

Embriologia slides
Embriologia  slidesEmbriologia  slides
Embriologia slides
Gabriel de Oliveira
 
O MILAGRE DA VIDA - No Útero
O MILAGRE DA VIDA - No ÚteroO MILAGRE DA VIDA - No Útero
O MILAGRE DA VIDA - No Útero
CNA - CLUBE NAMORO OU AMIZADE
 
Fecundação, desenvolvimento embrionário e parto
Fecundação, desenvolvimento embrionário e partoFecundação, desenvolvimento embrionário e parto
Fecundação, desenvolvimento embrionário e parto
Catir
 
Aula desenv fetal
Aula desenv fetalAula desenv fetal
Aula desenv fetal
Ronnezza Campos
 
Embriologia ventre materno
Embriologia ventre maternoEmbriologia ventre materno
Embriologia ventre materno
Alessandra Firmino
 
No Ventre Materno
No Ventre MaternoNo Ventre Materno
No Ventre Materno
antoniocosta
 
No Ventre Materno
No Ventre MaternoNo Ventre Materno
No Ventre Materno
antoniocosta
 
No Ventre Materno
No Ventre MaternoNo Ventre Materno
No Ventre Materno
antoniocosta
 
No Ventre Materno
No Ventre MaternoNo Ventre Materno
No Ventre Materno
antoniocosta
 
No Ventre Materno
No Ventre MaternoNo Ventre Materno
No Ventre Materno
cab3032
 
No ventre-materno
No ventre-maternoNo ventre-materno
No ventre-materno
flavio oliveira
 
No ventre materno
No ventre maternoNo ventre materno
No ventre materno
Victor Martins
 
O Planeamento Familiar 20080216 V2
O Planeamento Familiar 20080216 V2O Planeamento Familiar 20080216 V2
O Planeamento Familiar 20080216 V2
lourencoalmeida
 
No Ventre Materno
No Ventre MaternoNo Ventre Materno
No Ventre Materno
sansampa
 
No ventre-materno
No ventre-maternoNo ventre-materno
No ventre-materno
Jose Pinto Cardoso
 
Sistea genital
Sistea genitalSistea genital
Reprodução humana
Reprodução humanaReprodução humana
Reprodução humana
educacaoraquetes
 
Gravidez na adolescência e Aborto
Gravidez na adolescência e Aborto Gravidez na adolescência e Aborto
Gravidez na adolescência e Aborto
Eliana Graça
 
A formação de um ser humano
A formação de um ser humanoA formação de um ser humano
A formação de um ser humano
Eli Masc
 
sistema reprodutor
sistema reprodutorsistema reprodutor
sistema reprodutor
kapekode
 

Semelhante a 8ª aula embriologia 2 (20)

Embriologia slides
Embriologia  slidesEmbriologia  slides
Embriologia slides
 
O MILAGRE DA VIDA - No Útero
O MILAGRE DA VIDA - No ÚteroO MILAGRE DA VIDA - No Útero
O MILAGRE DA VIDA - No Útero
 
Fecundação, desenvolvimento embrionário e parto
Fecundação, desenvolvimento embrionário e partoFecundação, desenvolvimento embrionário e parto
Fecundação, desenvolvimento embrionário e parto
 
Aula desenv fetal
Aula desenv fetalAula desenv fetal
Aula desenv fetal
 
Embriologia ventre materno
Embriologia ventre maternoEmbriologia ventre materno
Embriologia ventre materno
 
No Ventre Materno
No Ventre MaternoNo Ventre Materno
No Ventre Materno
 
No Ventre Materno
No Ventre MaternoNo Ventre Materno
No Ventre Materno
 
No Ventre Materno
No Ventre MaternoNo Ventre Materno
No Ventre Materno
 
No Ventre Materno
No Ventre MaternoNo Ventre Materno
No Ventre Materno
 
No Ventre Materno
No Ventre MaternoNo Ventre Materno
No Ventre Materno
 
No ventre-materno
No ventre-maternoNo ventre-materno
No ventre-materno
 
No ventre materno
No ventre maternoNo ventre materno
No ventre materno
 
O Planeamento Familiar 20080216 V2
O Planeamento Familiar 20080216 V2O Planeamento Familiar 20080216 V2
O Planeamento Familiar 20080216 V2
 
No Ventre Materno
No Ventre MaternoNo Ventre Materno
No Ventre Materno
 
No ventre-materno
No ventre-maternoNo ventre-materno
No ventre-materno
 
Sistea genital
Sistea genitalSistea genital
Sistea genital
 
Reprodução humana
Reprodução humanaReprodução humana
Reprodução humana
 
Gravidez na adolescência e Aborto
Gravidez na adolescência e Aborto Gravidez na adolescência e Aborto
Gravidez na adolescência e Aborto
 
A formação de um ser humano
A formação de um ser humanoA formação de um ser humano
A formação de um ser humano
 
sistema reprodutor
sistema reprodutorsistema reprodutor
sistema reprodutor
 

Mais de preuniversitarioitab

3ª Aula de Biologia
3ª Aula de Biologia3ª Aula de Biologia
3ª Aula de Biologia
preuniversitarioitab
 
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
preuniversitarioitab
 
1ª aula investigação cientifica
1ª aula investigação cientifica1ª aula investigação cientifica
1ª aula investigação cientifica
preuniversitarioitab
 
1 ¦ aula investiga+º+úo cientifica
1 ¦ aula investiga+º+úo cientifica1 ¦ aula investiga+º+úo cientifica
1 ¦ aula investiga+º+úo cientifica
preuniversitarioitab
 
Informações sobre o ENEM 2013
Informações sobre o ENEM 2013Informações sobre o ENEM 2013
Informações sobre o ENEM 2013
preuniversitarioitab
 
Ideia exposição sisu_2013
Ideia exposição sisu_2013Ideia exposição sisu_2013
Ideia exposição sisu_2013
preuniversitarioitab
 
Gabarito 2º Simulado 1ª Parte
Gabarito 2º Simulado 1ª ParteGabarito 2º Simulado 1ª Parte
Gabarito 2º Simulado 1ª Parte
preuniversitarioitab
 
5 ¦ aula - +ücido nucl+®ico
5 ¦ aula - +ücido nucl+®ico5 ¦ aula - +ücido nucl+®ico
5 ¦ aula - +ücido nucl+®ico
preuniversitarioitab
 
4 ¬ aula - niveis de organiza+º+úo dos sers vivos
4 ¬ aula - niveis de organiza+º+úo dos sers vivos4 ¬ aula - niveis de organiza+º+úo dos sers vivos
4 ¬ aula - niveis de organiza+º+úo dos sers vivos
preuniversitarioitab
 
Pre (função 1º_e_2º_grau)_pdf
Pre (função 1º_e_2º_grau)_pdfPre (função 1º_e_2º_grau)_pdf
Pre (função 1º_e_2º_grau)_pdf
preuniversitarioitab
 
4ª aula - niveis de organização dos seres vivos
4ª aula - niveis de organização dos seres vivos4ª aula - niveis de organização dos seres vivos
4ª aula - niveis de organização dos seres vivos
preuniversitarioitab
 
3ª aula - bioquimica celular
3ª aula - bioquimica celular3ª aula - bioquimica celular
3ª aula - bioquimica celular
preuniversitarioitab
 
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
preuniversitarioitab
 
1ª aula 2013 - Investigação Científica
1ª aula 2013 - Investigação Científica1ª aula 2013 - Investigação Científica
1ª aula 2013 - Investigação Científica
preuniversitarioitab
 
1 ¬ aula 2013 - investiga+º+úo cientifica
1 ¬ aula 2013 - investiga+º+úo cientifica1 ¬ aula 2013 - investiga+º+úo cientifica
1 ¬ aula 2013 - investiga+º+úo cientifica
preuniversitarioitab
 
Teoria Literária
Teoria LiteráriaTeoria Literária
Teoria Literária
preuniversitarioitab
 
3.1
3.13.1
Enem
EnemEnem
Gabarito processo seletivo 2013
Gabarito processo seletivo 2013Gabarito processo seletivo 2013
Gabarito processo seletivo 2013
preuniversitarioitab
 
Gabarito processo seletivo 2013
Gabarito processo seletivo 2013Gabarito processo seletivo 2013
Gabarito processo seletivo 2013
preuniversitarioitab
 

Mais de preuniversitarioitab (20)

3ª Aula de Biologia
3ª Aula de Biologia3ª Aula de Biologia
3ª Aula de Biologia
 
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
 
1ª aula investigação cientifica
1ª aula investigação cientifica1ª aula investigação cientifica
1ª aula investigação cientifica
 
1 ¦ aula investiga+º+úo cientifica
1 ¦ aula investiga+º+úo cientifica1 ¦ aula investiga+º+úo cientifica
1 ¦ aula investiga+º+úo cientifica
 
Informações sobre o ENEM 2013
Informações sobre o ENEM 2013Informações sobre o ENEM 2013
Informações sobre o ENEM 2013
 
Ideia exposição sisu_2013
Ideia exposição sisu_2013Ideia exposição sisu_2013
Ideia exposição sisu_2013
 
Gabarito 2º Simulado 1ª Parte
Gabarito 2º Simulado 1ª ParteGabarito 2º Simulado 1ª Parte
Gabarito 2º Simulado 1ª Parte
 
5 ¦ aula - +ücido nucl+®ico
5 ¦ aula - +ücido nucl+®ico5 ¦ aula - +ücido nucl+®ico
5 ¦ aula - +ücido nucl+®ico
 
4 ¬ aula - niveis de organiza+º+úo dos sers vivos
4 ¬ aula - niveis de organiza+º+úo dos sers vivos4 ¬ aula - niveis de organiza+º+úo dos sers vivos
4 ¬ aula - niveis de organiza+º+úo dos sers vivos
 
Pre (função 1º_e_2º_grau)_pdf
Pre (função 1º_e_2º_grau)_pdfPre (função 1º_e_2º_grau)_pdf
Pre (função 1º_e_2º_grau)_pdf
 
4ª aula - niveis de organização dos seres vivos
4ª aula - niveis de organização dos seres vivos4ª aula - niveis de organização dos seres vivos
4ª aula - niveis de organização dos seres vivos
 
3ª aula - bioquimica celular
3ª aula - bioquimica celular3ª aula - bioquimica celular
3ª aula - bioquimica celular
 
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
 
1ª aula 2013 - Investigação Científica
1ª aula 2013 - Investigação Científica1ª aula 2013 - Investigação Científica
1ª aula 2013 - Investigação Científica
 
1 ¬ aula 2013 - investiga+º+úo cientifica
1 ¬ aula 2013 - investiga+º+úo cientifica1 ¬ aula 2013 - investiga+º+úo cientifica
1 ¬ aula 2013 - investiga+º+úo cientifica
 
Teoria Literária
Teoria LiteráriaTeoria Literária
Teoria Literária
 
3.1
3.13.1
3.1
 
Enem
EnemEnem
Enem
 
Gabarito processo seletivo 2013
Gabarito processo seletivo 2013Gabarito processo seletivo 2013
Gabarito processo seletivo 2013
 
Gabarito processo seletivo 2013
Gabarito processo seletivo 2013Gabarito processo seletivo 2013
Gabarito processo seletivo 2013
 

Último

Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
MariaFatima425285
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Mary Alvarenga
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
MatildeBrites
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
ssuser701e2b
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Acrópole - História & Educação
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
Manuais Formação
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Luana Neres
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 

8ª aula embriologia 2

  • 2. Embriologia É a ciência que estuda o desenvolvimento dos seres vivos a partir do Zigoto até a formação de tecidos diferenciados.
  • 3. Da fecundação de um óvulo pelo espermatozoide ocorre a formação de uma única célula conhecida como zigoto ou ovo. E a medida que estas modificações vão acontecendo, um novo ser já considerado embrião que vai tomando formas diferentes e cada uma delas com suas particularidades
  • 5. Segmentação ou Clivagem Após a fecundação o zigoto começa a sofrer sucessivas mitoses. Ocorre então quatro etapas muito importantes: Blastulação, Morulação, Gastrulação e Neurulação.
  • 6. A medida que as mitoses se sucedem, os blastômeros diminuem o tamanho mas aumenta no nº de células aparecendo o primeiro estágio do desenvolvimento embrionário a mórula. Esta mórula pode apresentar de 02 a 32 blastômeros. Este estágio ocorre de 3 a 4 dias após a fertilização concomitantemente à chegada do embrião no útero
  • 7.
  • 8. BlastulaçãoBlastulação ou BlastulaBlastula nesse estágio a mórula sofre mudanças que a converte em blastocisto. Isto ocorre imediatamente após a chegada da mórula no útero, quando a cavidade blastocística é preenchida por um líquido. Neste momento suas células se dispõem centralmente e formam o primórdio do embrião.
  • 9. GastrulaçãoGastrulação ou GastrulaGastrula neste estágio, onde o embrião já está na terceira semana. Durante toda esta fase forma-se um disco embrionário e esse disco é responsável pelas 3 camadas germinativas da gástrula: ectoderma e endoderma. diferenciarão nos tecidos e órgãos do embrião: ectoderma, mesoderma e endoderma
  • 10. Nêurula Diferenciação dos tecidos e órgãos do embrião; formação de três tecidos embrionários: ectoderma, mesoderma e endoderma
  • 12. • Estruturas que se forma juntamente com o embrião, destinadas à realização de importantes papéis para ele, mas que se tornam inúteis após o seu nascimento, sendo então, desprezadas. • Como também não pertencem à mãe, os anexos, no caso dos mamíferos, são expulsos do útero logo após o parto .
  • 13. Âmnio ou bolsa amniótica Membrana que reveste totalmente o embrião Apresenta-se repleto de um líquido claro conhecido como líquido amniótico Funções: proteção contra choques mecânicos, desidratação, infecções de agentes externos como vírus e bactérias, estabilização da temperatura interna
  • 14.
  • 15. CÓRIO • Da mesma origem do âmnio, o cório é uma membrana de proteção que se localiza mais externamente e em contato com a casca, fazendo absorção de cálcio da casca para o esqueleto
  • 16. PLACENTA • É o mais importante dos anexos embrionários nos mamíferos. E representa o principal passo evolutivo dos mamíferos no que se refere na reprodução. • É um órgão transitório, de múltiplas funções para o embrião
  • 17. FUNÇÕES DA PLACENTA • Realizar trocas respiratórias entre o organismo materno e o organismo fetal • Realizar as trocas nutritivas e metabólicas entre mãe e filho • Produzir hormônios • Transmitir ao feto alguns anticorpos
  • 18. CORDÃO UMBILICAL • Estrutura de comunicação entre o embrião e a placenta.
  • 19. Embrião de 6 Semanas Embrião de 10 Semanas
  • 20. Embrião de 15 Semanas Embrião de 23 semanas
  • 21. Um feto de poucas semanas encontra-seUm feto de poucas semanas encontra-se no interior do útero de sua mãe.no interior do útero de sua mãe. NO VENTRE MATERNONO VENTRE MATERNO
  • 22. Um embrião de poucas semanas encontra-seUm embrião de poucas semanas encontra-se no interior do útero de sua mãe.no interior do útero de sua mãe.
  • 23. É apenas um projeto de ser humano e neste estágio podeÉ apenas um projeto de ser humano e neste estágio pode ser confundido com um embrião de cão ou macaco.ser confundido com um embrião de cão ou macaco.
  • 24. Junto a ele encontra-se o saco vitelino,Junto a ele encontra-se o saco vitelino, que lhe proporciona os nutrientes de que necessitaque lhe proporciona os nutrientes de que necessita nas primeiras semanas de vida.nas primeiras semanas de vida.
  • 25. Por volta da 8ª semana de gestaçãoPor volta da 8ª semana de gestação o saco vitelino perde sua função.o saco vitelino perde sua função. É o cordão umbilical que passa a alimentá-loÉ o cordão umbilical que passa a alimentá-lo com nutrientes provenientes do corpo materno.com nutrientes provenientes do corpo materno.
  • 26. Enquanto tudo acontece, ele flutua,Enquanto tudo acontece, ele flutua, tranqüilamente, no útero de sua mãe.tranqüilamente, no útero de sua mãe.
  • 27. Na 16ª semana de gestaçãoNa 16ª semana de gestação ele já tem quase todos osele já tem quase todos os órgãos desenvolvidos.órgãos desenvolvidos. Os olhos ainda estão fechados,Os olhos ainda estão fechados, mas as mãos e os pés começam a mover-mas as mãos e os pés começam a mover- se, embora sua mãe quase nãose, embora sua mãe quase não perceba.perceba.
  • 28. Graças à ecografia 4D, o futuro bebê mostra a quemGraças à ecografia 4D, o futuro bebê mostra a quem está de fora, em imagens de grande nitidez, até mesmoestá de fora, em imagens de grande nitidez, até mesmo suas expressões faciais.suas expressões faciais.
  • 29. Ele completa 24 semanas.Ele completa 24 semanas. Dentre seus órgãos, somente os pulmõesDentre seus órgãos, somente os pulmões não estão completamente formados.não estão completamente formados. Mesmo assim, se nascesse neste momento,Mesmo assim, se nascesse neste momento, teria grandes chances de sobreviver.teria grandes chances de sobreviver.
  • 30. Nesta etapa já mexe os braços e as pernas,Nesta etapa já mexe os braços e as pernas, pisca os olhos, chupa os dedos e, inclusive, tempisca os olhos, chupa os dedos e, inclusive, tem seus primeiros acessos de soluço.seus primeiros acessos de soluço.
  • 31. Está cada vez maisEstá cada vez mais consciente doconsciente do espaço que oespaço que o rodeia.rodeia.
  • 32. Como todos os fetos, passa a maior parte do tempoComo todos os fetos, passa a maior parte do tempo dormindo, e quando dorme nada consegue despertá-lo.dormindo, e quando dorme nada consegue despertá-lo. Chega até mesmo a sonhar.Chega até mesmo a sonhar.
  • 33. Ele completa nove meses e estáEle completa nove meses e está pronto para nascer.pronto para nascer. Em 40 semanas, o que era apenas uma sementinhaEm 40 semanas, o que era apenas uma sementinha transformou-se em um ser humano.transformou-se em um ser humano.
  • 34. O milagre da formação da vidaO milagre da formação da vida humana no interior do corpo maternohumana no interior do corpo materno está perto de ser concluído.está perto de ser concluído. Em poucos dias os pulmõesEm poucos dias os pulmões e a placenta se encarregarão de sinalizare a placenta se encarregarão de sinalizar que é chegada a hora do parto.que é chegada a hora do parto.
  • 35. O bebê dorme, tranqüilo, no ventre de sua mãe.O bebê dorme, tranqüilo, no ventre de sua mãe. Não sabe que dentro em breve abandonaráNão sabe que dentro em breve abandonará a placidez de sua “casa” para passar por umaa placidez de sua “casa” para passar por uma das experiências mais traumáticasdas experiências mais traumáticas de sua vida: o nascimento.de sua vida: o nascimento.
  • 36. Sim, porque o partoSim, porque o parto não énão é doloroso apenasdoloroso apenas para a mãe.para a mãe. Também é traumático eTambém é traumático e estressante para o bebê.estressante para o bebê.
  • 37. MAS É ASSIM QUE ACONTECEMAS É ASSIM QUE ACONTECE O MILAGRE DA VIDAO MILAGRE DA VIDA BOA NOITE!!!!!BOA NOITE!!!!!