SlideShare uma empresa Scribd logo
A Bíblia Toda Em Um Ano
Como É Bom Voltar Ao Lar !Como É Bom Voltar Ao Lar !
Pois todo o povo estava chorando
enquanto ouvia as palavras da Lei (Ne
8.9b)
Esdras e
Neemias
Estudos 13 e 14
ESCOLA BÍBLICA VIRTUAL
CLASSE: A BÍBLIA EM UM
ANO
PROFº: FRANCISCO TUDELA
PIBPENHA -SP-2017
PANORAMA BÍBLICO
REMEMORANDO:
- Em 2.0002.000 a.C. Abraão é chamado por Deus;
- Em 1.500 a.C. Moisés é chamado para o êxodo;
- Em 1.400 a.C. Josué invade e conquista a terra;
- Em 1.050 a.C. Samuel unge Saul como primeiro rei;
- Em 1.000 a.C. Davi inaugura Jerusalém, a capital;
- Em 605 a.C. Nabucodonosor toma Israel (1º exílio);
- Em 597 a.C. Parte de Judá para a Babilônia (2º exílio);
- Em 587 a.C. Babilônia destrói o Templo;
- Em 586 a.C. Resto de Judá para a Babilônia (3º exílio);
Império Assírio
605 a.C
Contexto HistóricoContexto Histórico
Reino do
Norte
Reino do
Sul
Império Babilônico
587 a.C
Após a morte de Salomão o povo de Israel deixou
novamente de servir ao Senhor e a maioria dos reis
sucessores adoraram a outros deuses.
Deus envia profetas para alertar que puniria a nação
caso não se arrependesse e voltasse ao Senhor.
Miquéias foi um destes profetas com duas mensagens:
 A punitiva: O Senhor levantaria um grande inimigo
(Babilônia) para punir Israel e levá-la ao cativeiro.
 A de esperança: Um dia Deus restauraria a paz e o
reino em Jerusalém.
Israel não deu ouvidos a Miquéias, e no ano 587 a.C. os
babilônios invadiram Jerusalém e os levou cativos
para a capital Babilônia, deixando ruínas, aleijados,
velhos, doentes e uma pilha de mortos.
Israel ficou cativo na Babilônia por 70 anos
Israel voltou a Jerusalém (538 aC), mas nunca teve paz:
- 1º vieram os gregos em 333 a.C.,
- 63 a.C. romanos dominam (Jerusalém cai 70 d.C.),
- 638 d.C. muçulmanos tomam Jerusalém por 500 anos,
- 1095 d.C. os cruzados iniciaram uma fase de guerras
e destruições,que durou até o império Otomano tomar
Jerusalém em 1517 e manter o controle da cidade até
1917,quando os ingleses tomaram a cidade,
- 1947, a ONU divide o território palestino em dois
estados, um judeu e outro árabe,
- maio de 1948, a ONU cria o Estado de Israel,
- ...e hoje, ... continua a falta de paz.
Neste momento a Palestina pertencia à Satrápia
Transeufrates (Síria, Fenícia, Canaã e Chipre).
O rei dispunha de um Secretário Real, um exército e
pessoas com missões especiais.
Quatro pessoas tinham a missão de serem "olheiro do
rei“: Sesbasar, Zorobabel, Neemias e Esdras.
Após a destruição de Jerusalém, em 587 a.C pelos
babilônios, três reis emitiram decretos autorizando o
retorno dos judeus de todo o império persa.
Ciro em 538-537 a.C. e Dario ao redor de 519 a.C.,
porém, somente o 3º decreto, dado por Artaxerxes (457
a.C.) restaurou Jerusalém.7.12
O cilindro de Ciro
O respeito de Ciro Magno pelos deuses estrangeiros
se repetiu nos reinados seguintes
O túmulo de Ciro ainda
pode ser visto nas
ruínas da antiga
Pasárgada, hoje Irã.
Destaque: Isaias, 200 anos antes
de Ciro nascer, cita-o na sua
profecia. Is 44.28 e 45.1
“Devolvi a estas cidades sagradas... Cujos
santuários estão em ruínas há muito tempo, as
imagens que viviam neles e estabeleci para
elas santuários permanentes. Reuni (também)
todos os seus habitantes (anteriores) e lhes
devolvi suas habitações...
Que todos os deuses que restabeleci nas suas
cidades santas peçam diariamente a Bel e a
Nebo que eu tenha uma vida longa...”
Trechos traduzidos do cilindro
LINHA DO TEMPO DE ESDRAS, NEEMIAS E ESTER
Esdras e Neemias formam um só livro na Bíblia
hebraica.
Convém lê-los juntos já que contam uma só história.
550 AC 525 AC 500 AC 475 AC 450 AC 425 AC
ACONTECIMENTOS REGISTRADOS
EM ESDRAS (537 A 458 AC)
ACONTECIMENTOS
REGISTRADOS
EM NEEMIAS
(444 A 425 AC)
ACONTECIMENTOS
REGISTRADOS
EM ESTER
(483 A 471 AC)
537 AC – ZOROBABEL LIDERA O 1º REGRESSO DE EXILADOS (ED 1-6)
458 AC – ESDRAS LIDERA O 2º REGRESSO DE EXILADOS (ED 7-10)
Tratam da restauração política, geográfica, patrimonial,
econômica, conjugal, moral, nacional e espiritual, de um
povo que por mais de sete décadas perdera de vista as
suas origens e valores.
Neste período viveram muitos pensadores, como:
 Na Índia, Gautama Buddha (563-486)
 Na China, Confúcio (551-479)
 Na Grécia, Sócrates (469), Platão (427), Aristóteles
(384), Zaratustra (628-551)
Os profetas deste período foram:
 Jeremias
 Ezequiel
 Daniel
 Ageu
 Zacarias
Esdras retorno do exílio – 4 meses
O primeiro templo foi construído por Salomão e
destruído por Nabucodonosor, no ano 587 a. C.
O segundo Templo foi reconstruído por Zorobabel, no
retorno do cativeiro Babilônico, e inaugurado no ano
516 a. C. (70 anos depois de destruído).
No ano 4 d.C. Herodes, o Grande, o reconstrói sobre as
bases antigas, este será o templo frequentado por
Jesus nos tempos do NT.
15º livro - Esdras
AUTOR: Desconhecido.
Esdras era filho de Serafas, o sumo sacerdote
assasinado por Nabucodonosor em 586 aC, e
irmão de Jeozadaque, o sumo sacerdote levado
cativo, logo era descendente de Arão 7.1
Escriba 7.12 – ministro de estado para assuntos
judaicos - era um judeu exilado na Babilônia.
A ele se atribuem alguns salmos (ex. Sl 119).
Moisés escreveu os 5 primeiros livros do AT e
Esdras os 5 últimos.
PROPÓSITO
Mostrar como Deus cumpriu sua promessa feita através
do profeta Jeremias (Jr 29.10), em 627 a.C. , de que
traria Israel do cativeiro, após 70 anos de exílio.
CONTEXTO SOCIAL
Aprox. 1 milhão de judeus
residiam na Babilônia.
O comércio e as atividades
bancárias foram o grande
marco no exílio para a
prosperidade do povo judeu.
Só 50 mil estavam dispostos
a enfrentar uma viagem de
1600 Km para uma cidade
destruída e sem estrutura.
Detalhe da paisagem dos 1600 Km
contemplada por Esdras e seus
acompanhantes durante 3,5 meses.
Esboço de Esdras
I. 1º retorno sob a liderança de Zorobabel 2.2
1.1-4 Ciro proclama o retorno de Israel.
1.5-11 O povo se prepara para o retorno.
1.7 Itens saqueados do templo de Salomão.
2.1-67 Nome dos que voltaram (42.360 homens)
2.68-69 Ofertas voluntárias dos que retornaram.
Muitos foram os judeus que preferiram as comodidades
da civilização babilônica aos desafios e dificuldades
da Judéia tomada pela pobreza.
II. O processo de reconstrução do templo
3.1-7 A reconstrução do altar e o começo dos sacrifícios
3.8-13 Os alicerces colocados em meio a choro e louvor
4.1,2,5 O povo da terra (samaritano) quer ajudar, é
rejeitado, se opõe e paralisa a obra por 16 anos.
4.6 Bislão e companheiros se queixam a Artaxerxes.
4.12 Os samaritanos são os 1º a chamá-los de Judeus.
4.19,21 Artaxerxes ordena a interrupção da obra.
5.2,8,13,17 Tatenai tenta parar a construção.
6.3,6 Dario assegura a Tatenai que o projeto é legal.
6.14-17 Conclusão e dedicação do templo. (516 aC)
6.19 Celebração da Páscoa.
III. 2º retorno sob a liderança de Esdras
7.9 Esdras sai da Babilônia. (1754 exilados; 1500Km)
7.11-28 A carta de Artaxerxes para Esdras.
7.25 Esdras governará a região.
8.1-20 Os nomes e a numeração deste segundo grupo.
8.21-36 Retorno dos exilados para Jerusalém.
8.22,31 O texto não estabelece isso como princípio.
IV. A reforma de Esdras 9.1-10.44 (na 1ª pessoa)
9.1 O povo se afasta de Deus.
9.3,6 A oração de Esdras.
10.1 Os líderes de Israel concordam com a reforma.
10.11 Sugere que eram mulheres “extras”.
Este texto não valida o divórcio de casais mistos.
Esdras reescreve o Livro da Lei, pois na“Casa de
Deus”tudo fora queimado.2 Cr 36.19
Não escreveu em hebraico, mas em aramaico que era a
língua internacional da época.
Os 5 livros do Pentateuco são uma juntada das
antigas tradições orais do povo do Norte e do Sul.
16º Livro – NEEMIAS
AUTOR: Neemias. (está na 1ª pessoa)
Neemias, um exilado na Pérsia, era copeiro (bebia o
vinho antes) do Rei Artaxerxes (1.11) no ano 446 aC.,
tinha influência, uma posição segura e a confiança do
homem mais poderoso e nenhuma autoridade.
Artaxerxes consentiu que Neemias retornasse a
Jerusalém para reconstruir a cidade. Destaque: 2.4
Quando Neemias chegou Esdras era o sacerdote que
ensinava a lei e havia oposição das autoridades
locais.
Qualidades de Neemias
 Zelo: 1.11 e 1 Sm 17.24-26
 Compromisso pastoral: 5.1-13; 5.14-18
 Sabedoria prática: 2.17,18; 6.9
“O trabalho do líder é levar os outros a fazerem o que
não querem, e ainda gostar de fazer.” Harry Truman
 Temperamento: 13.8; 13.23-25
2.6 Sua missão era por um tempo limitado:
1. Fortalecer Jerusalém e preparar sua reconstrução;
2. Reorganizar o povo: assentá-lo na terra e na cidade;
3. Disciplinar o povo sob a Tora; detectar abusos na
administração, na política e na prática religiosa.
PROPÓSITO DO LIVRO DE NEEMIAS
Zorobabel reconstruíra o Templo.
Oitenta anos depois Esdras inicia a restauração
espiritual do povo.
Treze anos depois Neemias chega a Jerusalém para
auxiliar Esdras, tendo por prioridade a restauração
política, religiosa e física da Jerusalém (muros).
TEMA DO LIVRO
Trata da liderança e do trabalho de
Neemias
É a autobiografia de um homem, que
seguindo a orientação de Deus,
deixa uma vida de luxo e conforto
palacianos para ajudar o povo de
Deus, seu povo, em profunda
miséria e desconsolo, em Jerusalém.
Um líder de oração e trabalho
ESBOÇO DO LIVRO DE NEEMIAS
1. A RECONSTRUÇÃO DOS MUROS DE JERUSALÉM.
A comissão e a oração de Neemias – 1 e 2
Os reconstrutores do muro – 3
A oposição dos samaritanos – 4
A repreensão aos nobres – 5
O muro é terminado - 6
2. O AVIVAMENTO DA RELIGIÃO E DO CULTO
A leitura de Lei – 8 - destaque 8.3b
Arrependimento e consagração do povo – 9 e 10
Jerusalém é novamente habitada – 11
Dedicação do muro e início do serviço no Templo - 12
3. A CORREÇÃO DOS ABUSOS
A violação da santidade do Templo – 13. 4-9
A violação da lei referente aos levitas – 13.10-14
A violação do descanso do sábado – 13.15-22
A violação da lei da separação – 13.23-31
13.14 “Lembra-te de mim por isso, meu Deus, e não
te esqueças do que fiz com tanta fidelidade pelo
templo de meu Deus e pelo seu culto.”
CARACTERÍSTICAS DO LIVRO DE
NEEMIAS
Lado prático da fé em Deus
Neemias no A.T. tal como Tiago no N.T.
Mostrar a fé por meio das obras
NEEMIASNEEMIAS
5.14 Neemias regressa para ser um governador civil.
2.19 Sambalate: governador e representante do
governo persa em Samaria, tendo Judá e
Jerusalém sob sua jurisdição.
Tobias: governador da transjordânia, sob mando do
vice-rei persa, é a autoridade civil e militar.
Gésem: um árabe aliado da Pérsia, um vassalo (que
paga tributos e jura fidelidade a um rei mais
poderoso), que governava uma extensa área, que
ia do norte da Arábia até o Egito.
Nenhum dos três tinha necessidade de fazer
oposição a Neemias.
A situação política
Neemias vence com organização, oração e dedicação.
4.1-3 Ridicularização e desqualificação
4.4,5 Neemias não parte para o confronto, mas ora.
4.7,8,12 Ameaça de ataque e confusão.
4.10,15 O desanimo e a ação de Deus.
5.1-3,5,7 Falta de solidariedade: juros e escravidão.
5.7,11-13 Peita os poderosos e obtém a anistia.
5.4,15 Todo Estado é guloso e é o pobre quem paga.
5.16-18 O verdadeiro PAC. (acima dos seus interesses)
6.6-9 Nega, não cede às ameaças e não vai para o
confronto, e ora pedindo fortalecimento.
6.10-14 Nem todos os religiosos são confiáveis.
Avivamento é voltar-se para Deus, isto é,
arrependimento e mudança de conduta.
8.4-8 O livro interpretado e explicado (compreendê-lo no
sentido original talvez seja Deuteronômio.
8.16-18 A festa das cabanas.
11.1 A “santa cidade” de Jerusalém representa a aliança
de Deus com Davi, não tem uma energia especial,
trazer areia de lá,...
Bibliografia básica
• Dusilek, Darci; Toda a Bíblia em um ano: Genesis a Neemias; 12ª ed. Rio
de Janeiro; Ed. Horizonal, 2009
• Manual Bíblico SBB; trad. Noronha, Lailah; São Paulo; Ed. Sociedade
Bíblica do Brasil; 2008
• SCHULTZ, Samuel; A História de Israel no Antigo Testamento; 2ª ed. São
Paulo; Ed. Sociedade Religiosa Edições Vida Nova;1977
• Textos Bíblicos extraídos: Bíblia Sagrada Nova Versão Internacional; São
Paulo; Ed. Vida; 2001
• LAWRENCE, Paul; Atlas Histórico e Geográfico da Bíblia; São Paulo; Ed.
Sociedade Bíblica do Brasil; 2008
• BRUCCE, F. F; Comentário Bíblico NVI. São Paulo, Ed. Vida, 1ª edição,
2008
• DAVIS John; D. Dicionário da Bíblia. Rio de Janeiro, Junta de Educação
Religiosa e Publicações da CBB, 1989.
• KIDNER Derek; Esdras e Neemias. Série Cultura Bíblica, vol. 11. São
Paulo: Mundo Cristão, 1985. P. 11-50.
• The Westminster Historical Atlas of the Bible. Vários autores. Philadelphia,
The Westminster Press, 1945.
• www.icnvcg.com.br
• Páginas da World Wide Web
• Programa ROTA 66 – Sayão, Luiz – Rádio transmundial
DIA DAS MÃES
Os gregos faziam uma comemoração à mãe dos deuses, Reia.
Na Idade Média os trabalhadores ingleses que viviam longe
tinham um dia para visitar suas mães: “mothering day”.
Nos EUA a idealizadora do Dia das Mães na sua forma atual
foi a filha de Ann Jarvis, que em 12 de maio de 1907, dois
anos após a morte da mãe, fez uma campanha para que o Dia
das Mães fosse feriado, e os filhos visitassem suas mães e
passariam o dia com elas.
Logo as lojas encorajaram a compra de flores e cartões, Ann
percebeu os propósitos capitalistas, e organizou boicotes e
protestos para devolver à data o seu propósito original.
Em 1923, ela e seus seguidores invadiram uma confecção na
Filadélfia; protestaram até 1940 para que este dia voltasse ao
seu propósito e nada conseguiram.
Ann morreu num sanatório em 1948.
Hoje, contrariando os desejos de Ann, a data é motivo de
alegria não só para mães e filhos como para restaurantes e para
o comércio.
Na Noruega o dia das mães é comemorado no segundo
domingo de fevereiro; na África do Sul e Portugal, no
primeiro domingo de maio; na Suécia, no quarto
domingo de maio; no México no dia 10 de maio; na
Tailândia, no dia 12 de agosto, em comemoração ao
aniversário da rainha Mom Rajawongse Sirikit; em Israel
não existe um dia para as mães, mas sim um dia para a
família.
No Brasil, nos Estados Unidos, Japão, Turquia e Itália, a
data é comemorada no segundo domingo de maio.
No Brasil a data foi instituída pela associação cristã de
moços, em maio de 1918, e oficializada pelo presidente
Getúlio Vargas em 1932.
GENEALOGIA
DOS REIS
PERSAS
Ao lado,
representação de
Marduque, o deus
dos céus venerado
em Babilônia.
Esboço de Neemias
I. Neemias: do exílio à reconstrução das
muralhas de Jerusalém 1.1-7.73
Autorização de Artaxerxes para reconstruir as muralhas
1.1-2.8
Planejando o trabalho e motivando 2.9-3.32
Oposição e defesa 4.1-23
Contra a extorsão pelo exemplo de Neemias 5.1-9
As muralhas completadas apesar das intrigas 6.1-7.3
Restabelecimento dos cidadãos de Jerusalém 7.3-73
Esboço de Neemias
II. Esdras e Neemias trabalham juntos 8.1-
10.39
Celebração da Festa dos Tabernáculos 8.13-18
Confissão de pecado pessoal e coletivo 9.1-37
Compromisso de guardar a lei e manter o templo 9.38-
10.39
III. Arrependimento produz justificação 11.1
-12.26
Censo de Jerusalém e vilas vizinhas 11.1 -12.26
Dedicação das muralhas e provisão para as finanças do
templo 12.27-13.3
Segundo período de governo de Neemias, incluindo
reformas posteriores e uma oração final 13.4-31
ANO EVENTO REFERÊNCIA
529 aC Dario I autoriza a continuação das obras Ed 4.24
Com o fim da Segunda Guerra Mundial, o mundo se deparou com as seqüelas de anos de
crueldade: mais de seis milhões de judeus exterminados nos campos nazistas. Com isso, as
organizações voltadas para ajuda humanitária passaram a resgatar os judeus que sobreviveram
aos campos de concentração e embarcá-los clandestinamente para a palestina. A Inglaterra tentou
de todas as formas barrar o desembarque dos refugiados, lembrando que a Palestina era
concessão britânica.
O fato sensibilizou a opinião pública mundial e revigorou a idéia de criação de um Estado judeu na
Palestina. Em 1947, em assembléia realizada pela Organização das Nações Unidas (ONU),
presidida pelo brasileiro Oswaldo Aranha, foi deliberada a divisão da Palestina em dois Estados, o
Estado Judeu e o Estado Árabe. Em maio de 1948, os judeus, liderados por David Bem Gurion,
fundaram oficialmente o Estado de Israel. No entanto, o Estado árabe prenunciado pela ONU
nessa partilha não foi estabelecido e os palestinos lutam até hoje para ter o seu Estado. Esse
episódio foi denominado Questão Palestina.
A revolta dos países árabes foi imediata à criação do Estado de Israel. Isso culminou no primeiro
conflito árabe israelense. Com o apoio militar e financeiro recebido de outras nações, Israel
venceu a guerra e dominou mais da metade do território reservado aos árabes no plano de divisão
da ONU. Com a derrota da guerra de 1948, cerca de meio milhão de palestinos foram obrigados a
deixar a terra em que viviam para se refugiar em países vizinhos.
Expulsos de suas terras, os palestinos eram maltratados, inclusive nos países árabes. Somente a
Jordânia permitiu a integração dos palestinos em sua sociedade, mas sendo vigiados
permanentemente. Nos outros países eles passaram a viver em acampamentos para refugiados,
com a ajuda da ONU. Desde então, o Oriente Médio tornou-se uma das regiões mais conflituosas
do globo, cenário de consecutivos conflitos extremistas entre judeus e árabes
Abrangência histórica: 80 anos
538a.C 522a.C
Ciro Magno
decreta a
restauração
de
Jerusalém
Começa
o reinado
de Darío I
520-516a.C
Zorobabel
reconstrói
o templo
458a.C
Esdras e seu
grupo chegam
a Jerusalém
125 anos
549a.C 530-522a.C
Ciro Magno
une a Pérsia
e a Media.
Reina
Cambises
522-486a.C
Reina
Dario I
486-465a.C
Reina
Xerxes I
(Assuero)
465-424a.C
Reina
Artaxerxes I
58 anos
516a.C
Consagração do
Templo
458a.C
Esdras e seu grupo
chegam a Jerusalém por
ordem de Artaxerxes I
Período de 83 anos, 105 anos da
devolução da terra por Ciro em 538a.C.
516a.C
Consagração
do Templo
458a.C
Chegada de
Esdras
445a.C
Chegada de
Neemias
433a.C
Fim do
capítulo 5,
chamado de
1º mandato
de Neemias
PERÍODO PÓS-CATIVEIRO
1º Retorno – 50.000 homens 2.64 (Zorobabel)
1º ano de Ciro ao 6º ano de Dario (20 anos)
Reconstrução do templo, não de suas casas
3.2 A reconstrução começa pelo altar.
Governador: Zorobabel
Sacerdote: Josué
Profetas: Ageu e Zacarias
Destaque: Isaias, 200 anos antes de Ciro nascer, cita-o
na sua profecia. Is 44.28 e 45.1
ESDRASESDRAS
PERÍODO PÓS-CATIVEIRO
2º Retorno – 1.700 homens (Esdras)
Rei Artaxerxes (58 anos após o 1º retorno)
Reconstrução dos muros e praças (13 anos depois)
Governador: Neemias
Sacerdote: Esdras
Profeta: Malaquias
Esdras fala dos dois períodos
Neemias fala do segundo
Oferece a interpretação do A.T. aos Judeus
ESDRASESDRAS
INFORMAÇÕES HISTÓRICAS
10 Tribos do Norte não regressaram
Ciro, Dario e Artaxerxes, reis persas.
Grandes amigos dos judeus
O A.T. termina 100 anos após a volta do cativeiro
Os livros de Esdras, Neemias e Ester encerram o
relato da história do povo de Deus no AT.
ESDRASESDRAS
LIVRO DE
ESDRAS
LIVRO DE
NEEMIAS
TAREFA RECONSTRUIR O
TEMPLO
RECONTRUIR OS
MUROS
GOVERNADOR
CIVIL
ZOROBABEL NEEMIAS
SACERDOTE JOSUÉ ESDRAS
PROFETA(S) ZACARIAS E
AGEU
MALAQUIAS
A cidade de Susã a
250 Km do rio Tigre
No tempo de
Neemias era a
segunda cidade
do império Persa.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
37. O profeta Obadias
37. O profeta Obadias37. O profeta Obadias
37. O profeta Obadias
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Juízes, os reinos de Israel, divisão, reunificação e os profetas
Juízes, os reinos de Israel, divisão, reunificação e os profetasJuízes, os reinos de Israel, divisão, reunificação e os profetas
Juízes, os reinos de Israel, divisão, reunificação e os profetas
emilsonribeiro
 
Historia de israel aula 7 período patriarcal
Historia de israel aula 7 período patriarcalHistoria de israel aula 7 período patriarcal
Historia de israel aula 7 período patriarcal
RICARDO CARDOSO
 
Panorama do AT - Zacarias
Panorama do AT - ZacariasPanorama do AT - Zacarias
Panorama do AT - Zacarias
Respirando Deus
 
24 ageu, zacarias e malaquias
24 ageu, zacarias e malaquias24 ageu, zacarias e malaquias
24 ageu, zacarias e malaquias
PIB Penha
 
Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2
Respirando Deus
 
Livros históricos aula 2
Livros  históricos aula 2Livros  históricos aula 2
Livros históricos aula 2
Moisés Sampaio
 
Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2
Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2
Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2
Respirando Deus
 
Panorama do AT - Gênesis
Panorama do AT - GênesisPanorama do AT - Gênesis
Panorama do AT - Gênesis
Respirando Deus
 
69 estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
69   estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)69   estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
69 estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
Robson Tavares Fernandes
 
PROFETAS MAIORES (AULA 01 - BÁSICO - IBADEP)
PROFETAS MAIORES (AULA 01 - BÁSICO - IBADEP)PROFETAS MAIORES (AULA 01 - BÁSICO - IBADEP)
PROFETAS MAIORES (AULA 01 - BÁSICO - IBADEP)
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
9 obadias
9   obadias9   obadias
9 obadias
PIB Penha
 
43. O Profeta Ageu
43. O Profeta Ageu43. O Profeta Ageu
15 o retorno do cativeiro babilonico.ppt
15   o retorno do cativeiro babilonico.ppt15   o retorno do cativeiro babilonico.ppt
15 o retorno do cativeiro babilonico.ppt
PIB Penha - SP
 
Panorama do AT - Esdras
Panorama do AT - EsdrasPanorama do AT - Esdras
Panorama do AT - Esdras
Respirando Deus
 
Panorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - ApocalipsePanorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - Apocalipse
Respirando Deus
 
Josue seminario 3
Josue seminario 3 Josue seminario 3
Josue seminario 3
Elisa Schenk
 
7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
17. Cronograma dos Reis
17. Cronograma dos Reis17. Cronograma dos Reis
17. Cronograma dos Reis
Igreja Presbiteriana de Dourados
 

Mais procurados (20)

32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel
 
37. O profeta Obadias
37. O profeta Obadias37. O profeta Obadias
37. O profeta Obadias
 
Juízes, os reinos de Israel, divisão, reunificação e os profetas
Juízes, os reinos de Israel, divisão, reunificação e os profetasJuízes, os reinos de Israel, divisão, reunificação e os profetas
Juízes, os reinos de Israel, divisão, reunificação e os profetas
 
Historia de israel aula 7 período patriarcal
Historia de israel aula 7 período patriarcalHistoria de israel aula 7 período patriarcal
Historia de israel aula 7 período patriarcal
 
Panorama do AT - Zacarias
Panorama do AT - ZacariasPanorama do AT - Zacarias
Panorama do AT - Zacarias
 
24 ageu, zacarias e malaquias
24 ageu, zacarias e malaquias24 ageu, zacarias e malaquias
24 ageu, zacarias e malaquias
 
Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2
 
Livros históricos aula 2
Livros  históricos aula 2Livros  históricos aula 2
Livros históricos aula 2
 
Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2
Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2
Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2
 
Panorama do AT - Gênesis
Panorama do AT - GênesisPanorama do AT - Gênesis
Panorama do AT - Gênesis
 
69 estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
69   estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)69   estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
69 estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
 
PROFETAS MAIORES (AULA 01 - BÁSICO - IBADEP)
PROFETAS MAIORES (AULA 01 - BÁSICO - IBADEP)PROFETAS MAIORES (AULA 01 - BÁSICO - IBADEP)
PROFETAS MAIORES (AULA 01 - BÁSICO - IBADEP)
 
9 obadias
9   obadias9   obadias
9 obadias
 
43. O Profeta Ageu
43. O Profeta Ageu43. O Profeta Ageu
43. O Profeta Ageu
 
15 o retorno do cativeiro babilonico.ppt
15   o retorno do cativeiro babilonico.ppt15   o retorno do cativeiro babilonico.ppt
15 o retorno do cativeiro babilonico.ppt
 
Panorama do AT - Esdras
Panorama do AT - EsdrasPanorama do AT - Esdras
Panorama do AT - Esdras
 
Panorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - ApocalipsePanorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - Apocalipse
 
Josue seminario 3
Josue seminario 3 Josue seminario 3
Josue seminario 3
 
7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico
 
17. Cronograma dos Reis
17. Cronograma dos Reis17. Cronograma dos Reis
17. Cronograma dos Reis
 

Destaque

7 juizes
7   juizes7   juizes
7 juizes
PIB Penha
 
9 1 e 2 samuel
9   1 e 2 samuel9   1 e 2 samuel
9 1 e 2 samuel
PIB Penha
 
13 ester
13 ester13 ester
13 ester
PIB Penha
 
11 1 e 2 crônicas
11   1 e 2 crônicas11   1 e 2 crônicas
11 1 e 2 crônicas
PIB Penha
 
10 1 e 2 reis
10   1 e 2 reis10   1 e 2 reis
10 1 e 2 reis
PIB Penha
 
8 rute
8   rute8   rute
8 rute
PIB Penha
 
6 josué
6 josué6 josué
6 josué
PIB Penha
 
6 a era da igreja católica - 6ª aula
6   a era da igreja católica - 6ª aula6   a era da igreja católica - 6ª aula
6 a era da igreja católica - 6ª aula
PIB Penha
 
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
PIB Penha
 
36 colossenses
36 colossenses36 colossenses
36 colossenses
PIB Penha
 
23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias
PIB Penha
 
33 galatas
33 galatas33 galatas
33 galatas
PIB Penha
 
17 isaias
17  isaias17  isaias
17 isaias
PIB Penha
 
39 tito e filemom
39 tito e filemom39 tito e filemom
39 tito e filemom
PIB Penha
 
20 daniel
20 daniel20 daniel
20 daniel
PIB Penha
 
22 obadias, jonas e miquéias
22 obadias, jonas e miquéias22 obadias, jonas e miquéias
22 obadias, jonas e miquéias
PIB Penha
 
38 1 e 2 timoteo=
38   1 e 2 timoteo=38   1 e 2 timoteo=
38 1 e 2 timoteo=
PIB Penha
 
37 1 e 2 tessalonicenses
37  1 e 2 tessalonicenses37  1 e 2 tessalonicenses
37 1 e 2 tessalonicenses
PIB Penha
 
21 oséias, joel e amós
21 oséias, joel e amós21 oséias, joel e amós
21 oséias, joel e amós
PIB Penha
 
34 efésios
34 efésios34 efésios
34 efésios
PIB Penha
 

Destaque (20)

7 juizes
7   juizes7   juizes
7 juizes
 
9 1 e 2 samuel
9   1 e 2 samuel9   1 e 2 samuel
9 1 e 2 samuel
 
13 ester
13 ester13 ester
13 ester
 
11 1 e 2 crônicas
11   1 e 2 crônicas11   1 e 2 crônicas
11 1 e 2 crônicas
 
10 1 e 2 reis
10   1 e 2 reis10   1 e 2 reis
10 1 e 2 reis
 
8 rute
8   rute8   rute
8 rute
 
6 josué
6 josué6 josué
6 josué
 
6 a era da igreja católica - 6ª aula
6   a era da igreja católica - 6ª aula6   a era da igreja católica - 6ª aula
6 a era da igreja católica - 6ª aula
 
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
 
36 colossenses
36 colossenses36 colossenses
36 colossenses
 
23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias
 
33 galatas
33 galatas33 galatas
33 galatas
 
17 isaias
17  isaias17  isaias
17 isaias
 
39 tito e filemom
39 tito e filemom39 tito e filemom
39 tito e filemom
 
20 daniel
20 daniel20 daniel
20 daniel
 
22 obadias, jonas e miquéias
22 obadias, jonas e miquéias22 obadias, jonas e miquéias
22 obadias, jonas e miquéias
 
38 1 e 2 timoteo=
38   1 e 2 timoteo=38   1 e 2 timoteo=
38 1 e 2 timoteo=
 
37 1 e 2 tessalonicenses
37  1 e 2 tessalonicenses37  1 e 2 tessalonicenses
37 1 e 2 tessalonicenses
 
21 oséias, joel e amós
21 oséias, joel e amós21 oséias, joel e amós
21 oséias, joel e amós
 
34 efésios
34 efésios34 efésios
34 efésios
 

Semelhante a 12 esdras e neemias

LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05 - BÁSICO - IBADEP)
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05 - BÁSICO - IBADEP)LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05 - BÁSICO - IBADEP)
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05 - BÁSICO - IBADEP)
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Esdras (moody)
Esdras (moody)Esdras (moody)
Esdras (moody)
leniogravacoes
 
7 periodo da instalacao de israel em canaa e juizes
7  periodo da instalacao de israel em canaa e juizes7  periodo da instalacao de israel em canaa e juizes
7 periodo da instalacao de israel em canaa e juizes
PIB Penha
 
esdras-170119165112 (1).pdf
esdras-170119165112 (1).pdfesdras-170119165112 (1).pdf
esdras-170119165112 (1).pdf
Tiago Silva
 
A Restauração De Israel
A Restauração De IsraelA Restauração De Israel
A Restauração De Israel
JUERP
 
20. o livro de esdras
20. o livro de esdras20. o livro de esdras
20. o livro de esdras
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
9 - panorama do AT - 1 e 2 cronicas e Rute.ppt
9 - panorama do AT - 1 e 2 cronicas e Rute.ppt9 - panorama do AT - 1 e 2 cronicas e Rute.ppt
9 - panorama do AT - 1 e 2 cronicas e Rute.ppt
PIB Penha
 
54 Estudo Panorâmico da Bíblia (Esdras)
54   Estudo Panorâmico da Bíblia (Esdras)54   Estudo Panorâmico da Bíblia (Esdras)
54 Estudo Panorâmico da Bíblia (Esdras)
Robson Tavares Fernandes
 
Bibliologia Aula Unica
Bibliologia Aula UnicaBibliologia Aula Unica
Bibliologia Aula Unica
neymattos
 
10 periodo de israel em canaa e juizes
10  periodo de israel em canaa e juizes10  periodo de israel em canaa e juizes
10 periodo de israel em canaa e juizes
PIB Penha
 
Primeiras Civilizações - Os Hebreu
Primeiras Civilizações - Os HebreuPrimeiras Civilizações - Os Hebreu
Primeiras Civilizações - Os Hebreu
Diego Bian Filo Moreira
 
10 - panorama do AT - daniel, esdras, ester e neemias.pptx
10 - panorama do AT - daniel, esdras, ester e neemias.pptx10 - panorama do AT - daniel, esdras, ester e neemias.pptx
10 - panorama do AT - daniel, esdras, ester e neemias.pptx
PIB Penha
 
Bíblia – antigo testamento
Bíblia – antigo testamentoBíblia – antigo testamento
Bíblia – antigo testamento
ilton2
 
Bíblia – antigo testamento
Bíblia – antigo testamentoBíblia – antigo testamento
Bíblia – antigo testamento
ilton1
 
O judaísmo - By Eloy Bezerra
O judaísmo - By Eloy BezerraO judaísmo - By Eloy Bezerra
O judaísmo - By Eloy Bezerra
Eloy Bezerra
 
Ezequiel
EzequielEzequiel
13 periodo do reino dividido ate a queda de juda
13  periodo do reino dividido ate a queda de juda13  periodo do reino dividido ate a queda de juda
13 periodo do reino dividido ate a queda de juda
PIB Penha
 
14 periodo do cativeiro e a restauracao de juda
14  periodo do cativeiro e a restauracao de juda14  periodo do cativeiro e a restauracao de juda
14 periodo do cativeiro e a restauracao de juda
PIB Penha
 
10 periodo do cativeiro de israel, da queda de juda e seu retorno
10  periodo do cativeiro de israel, da queda de juda e seu retorno10  periodo do cativeiro de israel, da queda de juda e seu retorno
10 periodo do cativeiro de israel, da queda de juda e seu retorno
PIB Penha
 
A Bíblia
A BíbliaA Bíblia

Semelhante a 12 esdras e neemias (20)

LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05 - BÁSICO - IBADEP)
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05 - BÁSICO - IBADEP)LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05 - BÁSICO - IBADEP)
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05 - BÁSICO - IBADEP)
 
Esdras (moody)
Esdras (moody)Esdras (moody)
Esdras (moody)
 
7 periodo da instalacao de israel em canaa e juizes
7  periodo da instalacao de israel em canaa e juizes7  periodo da instalacao de israel em canaa e juizes
7 periodo da instalacao de israel em canaa e juizes
 
esdras-170119165112 (1).pdf
esdras-170119165112 (1).pdfesdras-170119165112 (1).pdf
esdras-170119165112 (1).pdf
 
A Restauração De Israel
A Restauração De IsraelA Restauração De Israel
A Restauração De Israel
 
20. o livro de esdras
20. o livro de esdras20. o livro de esdras
20. o livro de esdras
 
9 - panorama do AT - 1 e 2 cronicas e Rute.ppt
9 - panorama do AT - 1 e 2 cronicas e Rute.ppt9 - panorama do AT - 1 e 2 cronicas e Rute.ppt
9 - panorama do AT - 1 e 2 cronicas e Rute.ppt
 
54 Estudo Panorâmico da Bíblia (Esdras)
54   Estudo Panorâmico da Bíblia (Esdras)54   Estudo Panorâmico da Bíblia (Esdras)
54 Estudo Panorâmico da Bíblia (Esdras)
 
Bibliologia Aula Unica
Bibliologia Aula UnicaBibliologia Aula Unica
Bibliologia Aula Unica
 
10 periodo de israel em canaa e juizes
10  periodo de israel em canaa e juizes10  periodo de israel em canaa e juizes
10 periodo de israel em canaa e juizes
 
Primeiras Civilizações - Os Hebreu
Primeiras Civilizações - Os HebreuPrimeiras Civilizações - Os Hebreu
Primeiras Civilizações - Os Hebreu
 
10 - panorama do AT - daniel, esdras, ester e neemias.pptx
10 - panorama do AT - daniel, esdras, ester e neemias.pptx10 - panorama do AT - daniel, esdras, ester e neemias.pptx
10 - panorama do AT - daniel, esdras, ester e neemias.pptx
 
Bíblia – antigo testamento
Bíblia – antigo testamentoBíblia – antigo testamento
Bíblia – antigo testamento
 
Bíblia – antigo testamento
Bíblia – antigo testamentoBíblia – antigo testamento
Bíblia – antigo testamento
 
O judaísmo - By Eloy Bezerra
O judaísmo - By Eloy BezerraO judaísmo - By Eloy Bezerra
O judaísmo - By Eloy Bezerra
 
Ezequiel
EzequielEzequiel
Ezequiel
 
13 periodo do reino dividido ate a queda de juda
13  periodo do reino dividido ate a queda de juda13  periodo do reino dividido ate a queda de juda
13 periodo do reino dividido ate a queda de juda
 
14 periodo do cativeiro e a restauracao de juda
14  periodo do cativeiro e a restauracao de juda14  periodo do cativeiro e a restauracao de juda
14 periodo do cativeiro e a restauracao de juda
 
10 periodo do cativeiro de israel, da queda de juda e seu retorno
10  periodo do cativeiro de israel, da queda de juda e seu retorno10  periodo do cativeiro de israel, da queda de juda e seu retorno
10 periodo do cativeiro de israel, da queda de juda e seu retorno
 
A Bíblia
A BíbliaA Bíblia
A Bíblia
 

12 esdras e neemias

  • 1. A Bíblia Toda Em Um Ano Como É Bom Voltar Ao Lar !Como É Bom Voltar Ao Lar ! Pois todo o povo estava chorando enquanto ouvia as palavras da Lei (Ne 8.9b) Esdras e Neemias Estudos 13 e 14 ESCOLA BÍBLICA VIRTUAL CLASSE: A BÍBLIA EM UM ANO PROFº: FRANCISCO TUDELA PIBPENHA -SP-2017
  • 3. REMEMORANDO: - Em 2.0002.000 a.C. Abraão é chamado por Deus; - Em 1.500 a.C. Moisés é chamado para o êxodo; - Em 1.400 a.C. Josué invade e conquista a terra; - Em 1.050 a.C. Samuel unge Saul como primeiro rei; - Em 1.000 a.C. Davi inaugura Jerusalém, a capital; - Em 605 a.C. Nabucodonosor toma Israel (1º exílio); - Em 597 a.C. Parte de Judá para a Babilônia (2º exílio); - Em 587 a.C. Babilônia destrói o Templo; - Em 586 a.C. Resto de Judá para a Babilônia (3º exílio);
  • 4. Império Assírio 605 a.C Contexto HistóricoContexto Histórico Reino do Norte Reino do Sul Império Babilônico 587 a.C
  • 5. Após a morte de Salomão o povo de Israel deixou novamente de servir ao Senhor e a maioria dos reis sucessores adoraram a outros deuses. Deus envia profetas para alertar que puniria a nação caso não se arrependesse e voltasse ao Senhor. Miquéias foi um destes profetas com duas mensagens:  A punitiva: O Senhor levantaria um grande inimigo (Babilônia) para punir Israel e levá-la ao cativeiro.  A de esperança: Um dia Deus restauraria a paz e o reino em Jerusalém. Israel não deu ouvidos a Miquéias, e no ano 587 a.C. os babilônios invadiram Jerusalém e os levou cativos para a capital Babilônia, deixando ruínas, aleijados, velhos, doentes e uma pilha de mortos. Israel ficou cativo na Babilônia por 70 anos
  • 6. Israel voltou a Jerusalém (538 aC), mas nunca teve paz: - 1º vieram os gregos em 333 a.C., - 63 a.C. romanos dominam (Jerusalém cai 70 d.C.), - 638 d.C. muçulmanos tomam Jerusalém por 500 anos, - 1095 d.C. os cruzados iniciaram uma fase de guerras e destruições,que durou até o império Otomano tomar Jerusalém em 1517 e manter o controle da cidade até 1917,quando os ingleses tomaram a cidade, - 1947, a ONU divide o território palestino em dois estados, um judeu e outro árabe, - maio de 1948, a ONU cria o Estado de Israel, - ...e hoje, ... continua a falta de paz.
  • 7.
  • 8. Neste momento a Palestina pertencia à Satrápia Transeufrates (Síria, Fenícia, Canaã e Chipre). O rei dispunha de um Secretário Real, um exército e pessoas com missões especiais. Quatro pessoas tinham a missão de serem "olheiro do rei“: Sesbasar, Zorobabel, Neemias e Esdras. Após a destruição de Jerusalém, em 587 a.C pelos babilônios, três reis emitiram decretos autorizando o retorno dos judeus de todo o império persa. Ciro em 538-537 a.C. e Dario ao redor de 519 a.C., porém, somente o 3º decreto, dado por Artaxerxes (457 a.C.) restaurou Jerusalém.7.12
  • 9. O cilindro de Ciro O respeito de Ciro Magno pelos deuses estrangeiros se repetiu nos reinados seguintes O túmulo de Ciro ainda pode ser visto nas ruínas da antiga Pasárgada, hoje Irã. Destaque: Isaias, 200 anos antes de Ciro nascer, cita-o na sua profecia. Is 44.28 e 45.1
  • 10. “Devolvi a estas cidades sagradas... Cujos santuários estão em ruínas há muito tempo, as imagens que viviam neles e estabeleci para elas santuários permanentes. Reuni (também) todos os seus habitantes (anteriores) e lhes devolvi suas habitações... Que todos os deuses que restabeleci nas suas cidades santas peçam diariamente a Bel e a Nebo que eu tenha uma vida longa...” Trechos traduzidos do cilindro
  • 11.
  • 12. LINHA DO TEMPO DE ESDRAS, NEEMIAS E ESTER Esdras e Neemias formam um só livro na Bíblia hebraica. Convém lê-los juntos já que contam uma só história. 550 AC 525 AC 500 AC 475 AC 450 AC 425 AC ACONTECIMENTOS REGISTRADOS EM ESDRAS (537 A 458 AC) ACONTECIMENTOS REGISTRADOS EM NEEMIAS (444 A 425 AC) ACONTECIMENTOS REGISTRADOS EM ESTER (483 A 471 AC) 537 AC – ZOROBABEL LIDERA O 1º REGRESSO DE EXILADOS (ED 1-6) 458 AC – ESDRAS LIDERA O 2º REGRESSO DE EXILADOS (ED 7-10) Tratam da restauração política, geográfica, patrimonial, econômica, conjugal, moral, nacional e espiritual, de um povo que por mais de sete décadas perdera de vista as suas origens e valores.
  • 13. Neste período viveram muitos pensadores, como:  Na Índia, Gautama Buddha (563-486)  Na China, Confúcio (551-479)  Na Grécia, Sócrates (469), Platão (427), Aristóteles (384), Zaratustra (628-551) Os profetas deste período foram:  Jeremias  Ezequiel  Daniel  Ageu  Zacarias
  • 14. Esdras retorno do exílio – 4 meses
  • 15. O primeiro templo foi construído por Salomão e destruído por Nabucodonosor, no ano 587 a. C. O segundo Templo foi reconstruído por Zorobabel, no retorno do cativeiro Babilônico, e inaugurado no ano 516 a. C. (70 anos depois de destruído). No ano 4 d.C. Herodes, o Grande, o reconstrói sobre as bases antigas, este será o templo frequentado por Jesus nos tempos do NT.
  • 16.
  • 17. 15º livro - Esdras AUTOR: Desconhecido. Esdras era filho de Serafas, o sumo sacerdote assasinado por Nabucodonosor em 586 aC, e irmão de Jeozadaque, o sumo sacerdote levado cativo, logo era descendente de Arão 7.1 Escriba 7.12 – ministro de estado para assuntos judaicos - era um judeu exilado na Babilônia. A ele se atribuem alguns salmos (ex. Sl 119). Moisés escreveu os 5 primeiros livros do AT e Esdras os 5 últimos.
  • 18. PROPÓSITO Mostrar como Deus cumpriu sua promessa feita através do profeta Jeremias (Jr 29.10), em 627 a.C. , de que traria Israel do cativeiro, após 70 anos de exílio. CONTEXTO SOCIAL Aprox. 1 milhão de judeus residiam na Babilônia. O comércio e as atividades bancárias foram o grande marco no exílio para a prosperidade do povo judeu. Só 50 mil estavam dispostos a enfrentar uma viagem de 1600 Km para uma cidade destruída e sem estrutura.
  • 19. Detalhe da paisagem dos 1600 Km contemplada por Esdras e seus acompanhantes durante 3,5 meses.
  • 20. Esboço de Esdras I. 1º retorno sob a liderança de Zorobabel 2.2 1.1-4 Ciro proclama o retorno de Israel. 1.5-11 O povo se prepara para o retorno. 1.7 Itens saqueados do templo de Salomão. 2.1-67 Nome dos que voltaram (42.360 homens) 2.68-69 Ofertas voluntárias dos que retornaram. Muitos foram os judeus que preferiram as comodidades da civilização babilônica aos desafios e dificuldades da Judéia tomada pela pobreza.
  • 21. II. O processo de reconstrução do templo 3.1-7 A reconstrução do altar e o começo dos sacrifícios 3.8-13 Os alicerces colocados em meio a choro e louvor 4.1,2,5 O povo da terra (samaritano) quer ajudar, é rejeitado, se opõe e paralisa a obra por 16 anos. 4.6 Bislão e companheiros se queixam a Artaxerxes. 4.12 Os samaritanos são os 1º a chamá-los de Judeus. 4.19,21 Artaxerxes ordena a interrupção da obra. 5.2,8,13,17 Tatenai tenta parar a construção. 6.3,6 Dario assegura a Tatenai que o projeto é legal. 6.14-17 Conclusão e dedicação do templo. (516 aC) 6.19 Celebração da Páscoa.
  • 22. III. 2º retorno sob a liderança de Esdras 7.9 Esdras sai da Babilônia. (1754 exilados; 1500Km) 7.11-28 A carta de Artaxerxes para Esdras. 7.25 Esdras governará a região. 8.1-20 Os nomes e a numeração deste segundo grupo. 8.21-36 Retorno dos exilados para Jerusalém. 8.22,31 O texto não estabelece isso como princípio.
  • 23. IV. A reforma de Esdras 9.1-10.44 (na 1ª pessoa) 9.1 O povo se afasta de Deus. 9.3,6 A oração de Esdras. 10.1 Os líderes de Israel concordam com a reforma. 10.11 Sugere que eram mulheres “extras”. Este texto não valida o divórcio de casais mistos. Esdras reescreve o Livro da Lei, pois na“Casa de Deus”tudo fora queimado.2 Cr 36.19 Não escreveu em hebraico, mas em aramaico que era a língua internacional da época. Os 5 livros do Pentateuco são uma juntada das antigas tradições orais do povo do Norte e do Sul.
  • 24. 16º Livro – NEEMIAS AUTOR: Neemias. (está na 1ª pessoa) Neemias, um exilado na Pérsia, era copeiro (bebia o vinho antes) do Rei Artaxerxes (1.11) no ano 446 aC., tinha influência, uma posição segura e a confiança do homem mais poderoso e nenhuma autoridade. Artaxerxes consentiu que Neemias retornasse a Jerusalém para reconstruir a cidade. Destaque: 2.4 Quando Neemias chegou Esdras era o sacerdote que ensinava a lei e havia oposição das autoridades locais.
  • 25. Qualidades de Neemias  Zelo: 1.11 e 1 Sm 17.24-26  Compromisso pastoral: 5.1-13; 5.14-18  Sabedoria prática: 2.17,18; 6.9 “O trabalho do líder é levar os outros a fazerem o que não querem, e ainda gostar de fazer.” Harry Truman  Temperamento: 13.8; 13.23-25 2.6 Sua missão era por um tempo limitado: 1. Fortalecer Jerusalém e preparar sua reconstrução; 2. Reorganizar o povo: assentá-lo na terra e na cidade; 3. Disciplinar o povo sob a Tora; detectar abusos na administração, na política e na prática religiosa.
  • 26.
  • 27. PROPÓSITO DO LIVRO DE NEEMIAS Zorobabel reconstruíra o Templo. Oitenta anos depois Esdras inicia a restauração espiritual do povo. Treze anos depois Neemias chega a Jerusalém para auxiliar Esdras, tendo por prioridade a restauração política, religiosa e física da Jerusalém (muros).
  • 28. TEMA DO LIVRO Trata da liderança e do trabalho de Neemias É a autobiografia de um homem, que seguindo a orientação de Deus, deixa uma vida de luxo e conforto palacianos para ajudar o povo de Deus, seu povo, em profunda miséria e desconsolo, em Jerusalém. Um líder de oração e trabalho
  • 29. ESBOÇO DO LIVRO DE NEEMIAS 1. A RECONSTRUÇÃO DOS MUROS DE JERUSALÉM. A comissão e a oração de Neemias – 1 e 2 Os reconstrutores do muro – 3 A oposição dos samaritanos – 4 A repreensão aos nobres – 5 O muro é terminado - 6
  • 30. 2. O AVIVAMENTO DA RELIGIÃO E DO CULTO A leitura de Lei – 8 - destaque 8.3b Arrependimento e consagração do povo – 9 e 10 Jerusalém é novamente habitada – 11 Dedicação do muro e início do serviço no Templo - 12
  • 31. 3. A CORREÇÃO DOS ABUSOS A violação da santidade do Templo – 13. 4-9 A violação da lei referente aos levitas – 13.10-14 A violação do descanso do sábado – 13.15-22 A violação da lei da separação – 13.23-31 13.14 “Lembra-te de mim por isso, meu Deus, e não te esqueças do que fiz com tanta fidelidade pelo templo de meu Deus e pelo seu culto.”
  • 32. CARACTERÍSTICAS DO LIVRO DE NEEMIAS Lado prático da fé em Deus Neemias no A.T. tal como Tiago no N.T. Mostrar a fé por meio das obras NEEMIASNEEMIAS
  • 33. 5.14 Neemias regressa para ser um governador civil. 2.19 Sambalate: governador e representante do governo persa em Samaria, tendo Judá e Jerusalém sob sua jurisdição. Tobias: governador da transjordânia, sob mando do vice-rei persa, é a autoridade civil e militar. Gésem: um árabe aliado da Pérsia, um vassalo (que paga tributos e jura fidelidade a um rei mais poderoso), que governava uma extensa área, que ia do norte da Arábia até o Egito. Nenhum dos três tinha necessidade de fazer oposição a Neemias.
  • 34. A situação política Neemias vence com organização, oração e dedicação. 4.1-3 Ridicularização e desqualificação 4.4,5 Neemias não parte para o confronto, mas ora. 4.7,8,12 Ameaça de ataque e confusão. 4.10,15 O desanimo e a ação de Deus. 5.1-3,5,7 Falta de solidariedade: juros e escravidão. 5.7,11-13 Peita os poderosos e obtém a anistia. 5.4,15 Todo Estado é guloso e é o pobre quem paga. 5.16-18 O verdadeiro PAC. (acima dos seus interesses) 6.6-9 Nega, não cede às ameaças e não vai para o confronto, e ora pedindo fortalecimento. 6.10-14 Nem todos os religiosos são confiáveis.
  • 35. Avivamento é voltar-se para Deus, isto é, arrependimento e mudança de conduta. 8.4-8 O livro interpretado e explicado (compreendê-lo no sentido original talvez seja Deuteronômio. 8.16-18 A festa das cabanas. 11.1 A “santa cidade” de Jerusalém representa a aliança de Deus com Davi, não tem uma energia especial, trazer areia de lá,...
  • 36. Bibliografia básica • Dusilek, Darci; Toda a Bíblia em um ano: Genesis a Neemias; 12ª ed. Rio de Janeiro; Ed. Horizonal, 2009 • Manual Bíblico SBB; trad. Noronha, Lailah; São Paulo; Ed. Sociedade Bíblica do Brasil; 2008 • SCHULTZ, Samuel; A História de Israel no Antigo Testamento; 2ª ed. São Paulo; Ed. Sociedade Religiosa Edições Vida Nova;1977 • Textos Bíblicos extraídos: Bíblia Sagrada Nova Versão Internacional; São Paulo; Ed. Vida; 2001 • LAWRENCE, Paul; Atlas Histórico e Geográfico da Bíblia; São Paulo; Ed. Sociedade Bíblica do Brasil; 2008 • BRUCCE, F. F; Comentário Bíblico NVI. São Paulo, Ed. Vida, 1ª edição, 2008 • DAVIS John; D. Dicionário da Bíblia. Rio de Janeiro, Junta de Educação Religiosa e Publicações da CBB, 1989. • KIDNER Derek; Esdras e Neemias. Série Cultura Bíblica, vol. 11. São Paulo: Mundo Cristão, 1985. P. 11-50. • The Westminster Historical Atlas of the Bible. Vários autores. Philadelphia, The Westminster Press, 1945. • www.icnvcg.com.br • Páginas da World Wide Web • Programa ROTA 66 – Sayão, Luiz – Rádio transmundial
  • 37.
  • 38. DIA DAS MÃES Os gregos faziam uma comemoração à mãe dos deuses, Reia. Na Idade Média os trabalhadores ingleses que viviam longe tinham um dia para visitar suas mães: “mothering day”. Nos EUA a idealizadora do Dia das Mães na sua forma atual foi a filha de Ann Jarvis, que em 12 de maio de 1907, dois anos após a morte da mãe, fez uma campanha para que o Dia das Mães fosse feriado, e os filhos visitassem suas mães e passariam o dia com elas.
  • 39. Logo as lojas encorajaram a compra de flores e cartões, Ann percebeu os propósitos capitalistas, e organizou boicotes e protestos para devolver à data o seu propósito original. Em 1923, ela e seus seguidores invadiram uma confecção na Filadélfia; protestaram até 1940 para que este dia voltasse ao seu propósito e nada conseguiram. Ann morreu num sanatório em 1948. Hoje, contrariando os desejos de Ann, a data é motivo de alegria não só para mães e filhos como para restaurantes e para o comércio.
  • 40. Na Noruega o dia das mães é comemorado no segundo domingo de fevereiro; na África do Sul e Portugal, no primeiro domingo de maio; na Suécia, no quarto domingo de maio; no México no dia 10 de maio; na Tailândia, no dia 12 de agosto, em comemoração ao aniversário da rainha Mom Rajawongse Sirikit; em Israel não existe um dia para as mães, mas sim um dia para a família. No Brasil, nos Estados Unidos, Japão, Turquia e Itália, a data é comemorada no segundo domingo de maio. No Brasil a data foi instituída pela associação cristã de moços, em maio de 1918, e oficializada pelo presidente Getúlio Vargas em 1932.
  • 41.
  • 43.
  • 44.
  • 45.
  • 46.
  • 47. Ao lado, representação de Marduque, o deus dos céus venerado em Babilônia.
  • 48. Esboço de Neemias I. Neemias: do exílio à reconstrução das muralhas de Jerusalém 1.1-7.73 Autorização de Artaxerxes para reconstruir as muralhas 1.1-2.8 Planejando o trabalho e motivando 2.9-3.32 Oposição e defesa 4.1-23 Contra a extorsão pelo exemplo de Neemias 5.1-9 As muralhas completadas apesar das intrigas 6.1-7.3 Restabelecimento dos cidadãos de Jerusalém 7.3-73
  • 49. Esboço de Neemias II. Esdras e Neemias trabalham juntos 8.1- 10.39 Celebração da Festa dos Tabernáculos 8.13-18 Confissão de pecado pessoal e coletivo 9.1-37 Compromisso de guardar a lei e manter o templo 9.38- 10.39 III. Arrependimento produz justificação 11.1 -12.26 Censo de Jerusalém e vilas vizinhas 11.1 -12.26 Dedicação das muralhas e provisão para as finanças do templo 12.27-13.3 Segundo período de governo de Neemias, incluindo reformas posteriores e uma oração final 13.4-31
  • 50. ANO EVENTO REFERÊNCIA 529 aC Dario I autoriza a continuação das obras Ed 4.24
  • 51. Com o fim da Segunda Guerra Mundial, o mundo se deparou com as seqüelas de anos de crueldade: mais de seis milhões de judeus exterminados nos campos nazistas. Com isso, as organizações voltadas para ajuda humanitária passaram a resgatar os judeus que sobreviveram aos campos de concentração e embarcá-los clandestinamente para a palestina. A Inglaterra tentou de todas as formas barrar o desembarque dos refugiados, lembrando que a Palestina era concessão britânica. O fato sensibilizou a opinião pública mundial e revigorou a idéia de criação de um Estado judeu na Palestina. Em 1947, em assembléia realizada pela Organização das Nações Unidas (ONU), presidida pelo brasileiro Oswaldo Aranha, foi deliberada a divisão da Palestina em dois Estados, o Estado Judeu e o Estado Árabe. Em maio de 1948, os judeus, liderados por David Bem Gurion, fundaram oficialmente o Estado de Israel. No entanto, o Estado árabe prenunciado pela ONU nessa partilha não foi estabelecido e os palestinos lutam até hoje para ter o seu Estado. Esse episódio foi denominado Questão Palestina. A revolta dos países árabes foi imediata à criação do Estado de Israel. Isso culminou no primeiro conflito árabe israelense. Com o apoio militar e financeiro recebido de outras nações, Israel venceu a guerra e dominou mais da metade do território reservado aos árabes no plano de divisão da ONU. Com a derrota da guerra de 1948, cerca de meio milhão de palestinos foram obrigados a deixar a terra em que viviam para se refugiar em países vizinhos. Expulsos de suas terras, os palestinos eram maltratados, inclusive nos países árabes. Somente a Jordânia permitiu a integração dos palestinos em sua sociedade, mas sendo vigiados permanentemente. Nos outros países eles passaram a viver em acampamentos para refugiados, com a ajuda da ONU. Desde então, o Oriente Médio tornou-se uma das regiões mais conflituosas do globo, cenário de consecutivos conflitos extremistas entre judeus e árabes
  • 52. Abrangência histórica: 80 anos 538a.C 522a.C Ciro Magno decreta a restauração de Jerusalém Começa o reinado de Darío I 520-516a.C Zorobabel reconstrói o templo 458a.C Esdras e seu grupo chegam a Jerusalém
  • 53. 125 anos 549a.C 530-522a.C Ciro Magno une a Pérsia e a Media. Reina Cambises 522-486a.C Reina Dario I 486-465a.C Reina Xerxes I (Assuero) 465-424a.C Reina Artaxerxes I
  • 54. 58 anos 516a.C Consagração do Templo 458a.C Esdras e seu grupo chegam a Jerusalém por ordem de Artaxerxes I
  • 55. Período de 83 anos, 105 anos da devolução da terra por Ciro em 538a.C. 516a.C Consagração do Templo 458a.C Chegada de Esdras 445a.C Chegada de Neemias 433a.C Fim do capítulo 5, chamado de 1º mandato de Neemias
  • 56. PERÍODO PÓS-CATIVEIRO 1º Retorno – 50.000 homens 2.64 (Zorobabel) 1º ano de Ciro ao 6º ano de Dario (20 anos) Reconstrução do templo, não de suas casas 3.2 A reconstrução começa pelo altar. Governador: Zorobabel Sacerdote: Josué Profetas: Ageu e Zacarias Destaque: Isaias, 200 anos antes de Ciro nascer, cita-o na sua profecia. Is 44.28 e 45.1 ESDRASESDRAS
  • 57. PERÍODO PÓS-CATIVEIRO 2º Retorno – 1.700 homens (Esdras) Rei Artaxerxes (58 anos após o 1º retorno) Reconstrução dos muros e praças (13 anos depois) Governador: Neemias Sacerdote: Esdras Profeta: Malaquias Esdras fala dos dois períodos Neemias fala do segundo Oferece a interpretação do A.T. aos Judeus ESDRASESDRAS
  • 58. INFORMAÇÕES HISTÓRICAS 10 Tribos do Norte não regressaram Ciro, Dario e Artaxerxes, reis persas. Grandes amigos dos judeus O A.T. termina 100 anos após a volta do cativeiro Os livros de Esdras, Neemias e Ester encerram o relato da história do povo de Deus no AT. ESDRASESDRAS
  • 59.
  • 60.
  • 61. LIVRO DE ESDRAS LIVRO DE NEEMIAS TAREFA RECONSTRUIR O TEMPLO RECONTRUIR OS MUROS GOVERNADOR CIVIL ZOROBABEL NEEMIAS SACERDOTE JOSUÉ ESDRAS PROFETA(S) ZACARIAS E AGEU MALAQUIAS
  • 62.
  • 63. A cidade de Susã a 250 Km do rio Tigre No tempo de Neemias era a segunda cidade do império Persa.