SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Baixar para ler offline
BULLYING
▪ Pessoas que diariamente sofrem por serem
excluídas, devido aos estereótipos que nossa
sociedade cria em torno dos de etnias diferentes,
dos menos favorecidos, dos obesos e daqueles que
têm características físicas peculiares.
▪ Conjunto de comportamentos agressivos, físicos ou
psicológicos, como chutar, empurrar, apelidar,
discriminar e excluir, que ocorrem entre colegas sem
motivação evidente, e repetidas vezes sendo que
um grupo de alunos ou aluno com mais força
vitimiza um outro que não consegue encontrar um
modo eficiente para se defender” Psicologia e
Sociedade, 20 (1), 2008, p. 34
A VERSÃO MAIS
COVARDE DO BULLYING
O CYBERBULLYING
Essas duas formas de intimidação podem levar ao isolamento,
descontentamento escolar, baixa autoestima, depressão, automutilação e
até mesmo ao suicídio. Este último já é a primeira maior causa de mortes
entre garotas de 15 a 19 anos, sendo a terceira maior causa de mortes
entre garotos no Brasil, e a segunda maior causa de mortes no mundo
entre pessoas de 10 a 24 anos.
Não podemos fechar os olhos para isso. Precisamos ser agentes
de mudança e dizer não a qualquer forma de agressão ao
próximo, mesmo que pensemos ser apenas “uma brincadeira”,
pois em alguns casos não podemos medir as consequências de
nossa imprudência.
IDENTIFICANDO
AGRESSORES
▪ Somos competitivos por
natureza.
▪ Os motivos da competição
são amplos.
▪ Os agressores fazem parte
do grupo, e são quem
promovem as ofensas,
agressões, etc.
▪ As formas são, a verbal,
física, moral.
QUEM SÃO OS
AGRESSORES
▪ Qualquer um pode ser.
▪ Mas ele precisa de aliados pra
demostrar o seu poder.
▪ Muitos foram vitimas de bullying
no passado.
▪ Fique atento, a fofocas,
exclusões de adolescentes,
isolamento do grupo ou do
próprio adolescente.
IDENTIFICANDO
VÍTIMAS DE BULLYING
As vítimas do bullying são normalmente adolescentes que não têm
uma autoestima adequada, seja por se acharem melhores do que
outros, ou por se acharem piores;
Pessoas com comportamentos que são incômodos para os demais
adolescentes, considerados pelos amigos, como “chatos”, como "se
achando”, e exatamente por isso são excluídos.
Amigos, como “chatos”, como "se achando”, e
exatamente por isso são excluídos.
Alguns têm reais problemas, sejam físicos, financeiros, emocionais,
e os demais adolescentes, muitas vezes, não vão conseguir lidar
com essas situações, e por isso podem excluir.
O bullying é a intolerância, insistente, repetida, e
que leva a pessoa a ficar sentindo-se mal.
Outro tipo específico de vitima do bullying são aqueles adolescentes muito
tímidos, e que têm dificuldade de interagir, e normalmente não conseguem
se defender das ofensas dos demais, ou têm medo de serem ainda mais
excluídos do grupo, e das atividades; e por isso aguentam os agressores
calados, até o ponto de, muitas vezes, terem com sérios problemas
emocionais.
Portanto, percebeu que há
adolescentes isolados, tristes, ou
com comportamento
inadequado, são identificadores
de possíveis vitimas. Fique
atento.
TESTEMUNHAS PASSIVAS
DE BULLYING
▪ Na dinâmica do bullying, existem aqueles que não
são participantes diretos, agressores ou vitimas;
essas são as testemunhas passivas.
▪ Desmond Tutu, certa vez disse o seguinte: “Se
você é neutro em situações de injustiça, você
escolhe o lado do opressor”.
▪ Quando vemos algo ruim ocorrendo, não
podemos ficar quietos; a primeira postura é não
copiar o comportamento, a segunda é avisar do
erro, e a terceira é ajudar quem está errando a
mudar. Temos que nos posicionar frente àquilo
que é correto.
AÇÕES QUE PODEM
DIMINUIR O
BULLYING E
CYBERBULLYING.
A verdade é que, quanto mais conhecemos as outras
pessoas, mais difícil é de a intolerância a elas se manter,
sem que haja um claro comportamento que essa pessoa
escolhe fazer e este ser reprovável.
Em consequência, o cyberbullying, talvez seja a mais covarde das atitudes que os
adolescentes podem fazer, porque dá a ideia de anonimato, na internet. Ideia esta
que é falsa, pois tudo que fazemos deixa rastros, e podem achar o autor, sem
muita dificuldade. O trabalho com os adolescentes, deve ser a verdade, a busca
dela todo o tempo.
Lembre que Jesus não fazia distinção de pessoas, porque Ele sabia que todos eram
irmãos entre si. O ensino para crianças e adolescentes, é mostrar que todos estamos
na mesma situação e que só podemos ser melhores junto com o Salvador. O Bullying
é mais uma das estratégias do inimigo para nos fazer pensar que somos melhores ou
piores, e por isso devemos ou merecemos tais atitudes.
4. Bullying: lidando com o mal século

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 8 adolescência e bullying
Aula 8   adolescência e bullyingAula 8   adolescência e bullying
Aula 8 adolescência e bullyingariadnemonitoria
 
Saúde Mental - Igreja ADCG
Saúde Mental - Igreja ADCGSaúde Mental - Igreja ADCG
Saúde Mental - Igreja ADCGLucas Parisi
 
O sujeito e o poder - Michel Foucault
O sujeito e o poder - Michel FoucaultO sujeito e o poder - Michel Foucault
O sujeito e o poder - Michel FoucaultLeonardo Canaan
 
17 Samuel, o menino servo de DEUS / 17 samuel gods boy servant portuguese
17 Samuel, o menino servo de DEUS / 17 samuel gods boy servant portuguese17 Samuel, o menino servo de DEUS / 17 samuel gods boy servant portuguese
17 Samuel, o menino servo de DEUS / 17 samuel gods boy servant portuguesePing Ponga
 
Cartilha violencia domestica_alt_0
Cartilha violencia domestica_alt_0Cartilha violencia domestica_alt_0
Cartilha violencia domestica_alt_0Jornal do Commercio
 
Violência na escola
Violência na escolaViolência na escola
Violência na escolaFábio Yamano
 
Bullying apresentação
Bullying apresentaçãoBullying apresentação
Bullying apresentação-
 
Idéias para o culto jovem de cada sábado
Idéias para o culto jovem de cada sábadoIdéias para o culto jovem de cada sábado
Idéias para o culto jovem de cada sábadoWálmada Santos da Silva
 

Mais procurados (20)

Palestra sobre bullying
Palestra sobre bullyingPalestra sobre bullying
Palestra sobre bullying
 
Bullying - Entre alunos
Bullying - Entre alunosBullying - Entre alunos
Bullying - Entre alunos
 
Bullying, isso não é brincadeira!
Bullying, isso não é brincadeira!Bullying, isso não é brincadeira!
Bullying, isso não é brincadeira!
 
Aula 8 adolescência e bullying
Aula 8   adolescência e bullyingAula 8   adolescência e bullying
Aula 8 adolescência e bullying
 
Bullying no ambiente escolar
Bullying no ambiente escolarBullying no ambiente escolar
Bullying no ambiente escolar
 
Comunicação dos pais para com os filhos
Comunicação dos pais para com os filhosComunicação dos pais para com os filhos
Comunicação dos pais para com os filhos
 
Bulllying
BulllyingBulllying
Bulllying
 
Saúde Mental - Igreja ADCG
Saúde Mental - Igreja ADCGSaúde Mental - Igreja ADCG
Saúde Mental - Igreja ADCG
 
Bullying
Bullying Bullying
Bullying
 
O sujeito e o poder - Michel Foucault
O sujeito e o poder - Michel FoucaultO sujeito e o poder - Michel Foucault
O sujeito e o poder - Michel Foucault
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
17 Samuel, o menino servo de DEUS / 17 samuel gods boy servant portuguese
17 Samuel, o menino servo de DEUS / 17 samuel gods boy servant portuguese17 Samuel, o menino servo de DEUS / 17 samuel gods boy servant portuguese
17 Samuel, o menino servo de DEUS / 17 samuel gods boy servant portuguese
 
Cartilha violencia domestica_alt_0
Cartilha violencia domestica_alt_0Cartilha violencia domestica_alt_0
Cartilha violencia domestica_alt_0
 
Slides bullying
Slides bullyingSlides bullying
Slides bullying
 
Violência na escola
Violência na escolaViolência na escola
Violência na escola
 
Bullying apresentação
Bullying apresentaçãoBullying apresentação
Bullying apresentação
 
Idéias para o culto jovem de cada sábado
Idéias para o culto jovem de cada sábadoIdéias para o culto jovem de cada sábado
Idéias para o culto jovem de cada sábado
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Violência nas escolas palestra para crianças
Violência nas escolas palestra para criançasViolência nas escolas palestra para crianças
Violência nas escolas palestra para crianças
 
Lição 14: Mulheres na Bíblia A Mulher Curada e eu
Lição 14: Mulheres na Bíblia A Mulher Curada e euLição 14: Mulheres na Bíblia A Mulher Curada e eu
Lição 14: Mulheres na Bíblia A Mulher Curada e eu
 

Semelhante a 4. Bullying: lidando com o mal século

Textos sobre bullying
Textos sobre bullyingTextos sobre bullying
Textos sobre bullyingFabio Cruz
 
Bullying, Cyberbulying, Bulicídio
Bullying, Cyberbulying, BulicídioBullying, Cyberbulying, Bulicídio
Bullying, Cyberbulying, BulicídioJoanaMartins7
 
Builing mario marcus_pedro_tiago
Builing mario marcus_pedro_tiagoBuiling mario marcus_pedro_tiago
Builing mario marcus_pedro_tiagonavegananet
 
Apresentação sequência mostra de videos sobre bullying.ppt
Apresentação sequência mostra de videos sobre bullying.pptApresentação sequência mostra de videos sobre bullying.ppt
Apresentação sequência mostra de videos sobre bullying.pptFabiano Rodrigues
 
Apresentacao sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying
Apresentacao sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullyingApresentacao sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying
Apresentacao sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullyingElkinRodrguez3
 
apresentacao-sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying.ppt
apresentacao-sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying.pptapresentacao-sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying.ppt
apresentacao-sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying.pptfcodacruz1919
 
apresentacao-sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying.ppt
apresentacao-sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying.pptapresentacao-sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying.ppt
apresentacao-sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying.pptJANICEROSSATTO2
 
Trabalho escrito psicologia
Trabalho escrito psicologiaTrabalho escrito psicologia
Trabalho escrito psicologiaAmanda Jhonys
 
Por que as pessoas fazem bullying?
Por que as pessoas fazem bullying? Por que as pessoas fazem bullying?
Por que as pessoas fazem bullying? MuriloMorotti
 
Bullying - Cartilha do MPPB
Bullying - Cartilha do MPPBBullying - Cartilha do MPPB
Bullying - Cartilha do MPPBpepontocom
 
BULLYING
BULLYINGBULLYING
BULLYINGParJov
 

Semelhante a 4. Bullying: lidando com o mal século (20)

Bullying cartoon
Bullying   cartoonBullying   cartoon
Bullying cartoon
 
Textos sobre bullying
Textos sobre bullyingTextos sobre bullying
Textos sobre bullying
 
Bullying, Cyberbulying, Bulicídio
Bullying, Cyberbulying, BulicídioBullying, Cyberbulying, Bulicídio
Bullying, Cyberbulying, Bulicídio
 
Cyberbulling
Cyberbulling Cyberbulling
Cyberbulling
 
Builing mario marcus_pedro_tiago
Builing mario marcus_pedro_tiagoBuiling mario marcus_pedro_tiago
Builing mario marcus_pedro_tiago
 
Apresentação sequência mostra de videos sobre bullying.ppt
Apresentação sequência mostra de videos sobre bullying.pptApresentação sequência mostra de videos sobre bullying.ppt
Apresentação sequência mostra de videos sobre bullying.ppt
 
Apresentacao sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying
Apresentacao sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullyingApresentacao sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying
Apresentacao sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying
 
bullyng.ppt
bullyng.pptbullyng.ppt
bullyng.ppt
 
apresentacao-sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying.ppt
apresentacao-sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying.pptapresentacao-sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying.ppt
apresentacao-sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying.ppt
 
apresentacao-sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying.ppt
apresentacao-sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying.pptapresentacao-sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying.ppt
apresentacao-sequencia-mostra-de-videos-sobre-bullying.ppt
 
Trabalho escrito psicologia
Trabalho escrito psicologiaTrabalho escrito psicologia
Trabalho escrito psicologia
 
Por que as pessoas fazem bullying?
Por que as pessoas fazem bullying? Por que as pessoas fazem bullying?
Por que as pessoas fazem bullying?
 
Bullying - Cartilha do MPPB
Bullying - Cartilha do MPPBBullying - Cartilha do MPPB
Bullying - Cartilha do MPPB
 
Cartilha bullying
Cartilha bullyingCartilha bullying
Cartilha bullying
 
Violência e Escola
Violência e EscolaViolência e Escola
Violência e Escola
 
Bullying liliana (1)
Bullying liliana (1)Bullying liliana (1)
Bullying liliana (1)
 
BULLYING
BULLYINGBULLYING
BULLYING
 
Apresentação bullying
Apresentação bullyingApresentação bullying
Apresentação bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 

Mais de Igreja Adventista do Sétimo Dia

Mais de Igreja Adventista do Sétimo Dia (20)

Inspirações sobre a mães
Inspirações sobre a mãesInspirações sobre a mães
Inspirações sobre a mães
 
Estudio Apocalipsis
Estudio ApocalipsisEstudio Apocalipsis
Estudio Apocalipsis
 
3. Como conquistar a confiança do seu adolescente
3. Como conquistar a confiança do seu adolescente3. Como conquistar a confiança do seu adolescente
3. Como conquistar a confiança do seu adolescente
 
2. Como fortalecer os relacionamentos na família
2. Como fortalecer os relacionamentos na família2. Como fortalecer os relacionamentos na família
2. Como fortalecer os relacionamentos na família
 
1. Como fortalecer a fé do adolescente
1. Como fortalecer a fé do adolescente1. Como fortalecer a fé do adolescente
1. Como fortalecer a fé do adolescente
 
5. Despertar o sentido vida: missão
5. Despertar o sentido vida: missão5. Despertar o sentido vida: missão
5. Despertar o sentido vida: missão
 
Manual Prático de Marca da IASD [Versão 1.2]
Manual Prático de Marca da IASD [Versão 1.2]Manual Prático de Marca da IASD [Versão 1.2]
Manual Prático de Marca da IASD [Versão 1.2]
 
Familia feliz
Familia felizFamilia feliz
Familia feliz
 
Estudo Bíblico Fique Leve
Estudo Bíblico Fique LeveEstudo Bíblico Fique Leve
Estudo Bíblico Fique Leve
 
Revista acordes
Revista acordesRevista acordes
Revista acordes
 
A Verdade para o tempo do Fim
A Verdade para o tempo do FimA Verdade para o tempo do Fim
A Verdade para o tempo do Fim
 
Biblia mais PDF
Biblia mais PDFBiblia mais PDF
Biblia mais PDF
 
PPT - Guia do Aspirante 07
PPT - Guia do Aspirante 07PPT - Guia do Aspirante 07
PPT - Guia do Aspirante 07
 
PPT - Guia do Aspirante 08
PPT - Guia do Aspirante 08PPT - Guia do Aspirante 08
PPT - Guia do Aspirante 08
 
PPT - Guia do Aspirante 05
PPT - Guia do Aspirante 05PPT - Guia do Aspirante 05
PPT - Guia do Aspirante 05
 
PPT - Guia do Aspirante 06
PPT - Guia do Aspirante 06PPT - Guia do Aspirante 06
PPT - Guia do Aspirante 06
 
PPT - Guia do Aspirante 03
PPT - Guia do Aspirante 03PPT - Guia do Aspirante 03
PPT - Guia do Aspirante 03
 
PPT - Guia do Aspirante 04
PPT - Guia do Aspirante 04PPT - Guia do Aspirante 04
PPT - Guia do Aspirante 04
 
PPT - Guia do Aspirante 02
PPT - Guia do Aspirante 02PPT - Guia do Aspirante 02
PPT - Guia do Aspirante 02
 
PPT - Guia do Aspirante 01
PPT - Guia do Aspirante 01PPT - Guia do Aspirante 01
PPT - Guia do Aspirante 01
 

Último

PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceRonisHolanda
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...DominiqueFaria2
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e Américawilson778875
 

Último (20)

PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e América
 

4. Bullying: lidando com o mal século

  • 1.
  • 2.
  • 3. BULLYING ▪ Pessoas que diariamente sofrem por serem excluídas, devido aos estereótipos que nossa sociedade cria em torno dos de etnias diferentes, dos menos favorecidos, dos obesos e daqueles que têm características físicas peculiares. ▪ Conjunto de comportamentos agressivos, físicos ou psicológicos, como chutar, empurrar, apelidar, discriminar e excluir, que ocorrem entre colegas sem motivação evidente, e repetidas vezes sendo que um grupo de alunos ou aluno com mais força vitimiza um outro que não consegue encontrar um modo eficiente para se defender” Psicologia e Sociedade, 20 (1), 2008, p. 34
  • 4. A VERSÃO MAIS COVARDE DO BULLYING O CYBERBULLYING
  • 5. Essas duas formas de intimidação podem levar ao isolamento, descontentamento escolar, baixa autoestima, depressão, automutilação e até mesmo ao suicídio. Este último já é a primeira maior causa de mortes entre garotas de 15 a 19 anos, sendo a terceira maior causa de mortes entre garotos no Brasil, e a segunda maior causa de mortes no mundo entre pessoas de 10 a 24 anos.
  • 6. Não podemos fechar os olhos para isso. Precisamos ser agentes de mudança e dizer não a qualquer forma de agressão ao próximo, mesmo que pensemos ser apenas “uma brincadeira”, pois em alguns casos não podemos medir as consequências de nossa imprudência.
  • 8. ▪ Somos competitivos por natureza. ▪ Os motivos da competição são amplos. ▪ Os agressores fazem parte do grupo, e são quem promovem as ofensas, agressões, etc. ▪ As formas são, a verbal, física, moral.
  • 9. QUEM SÃO OS AGRESSORES ▪ Qualquer um pode ser. ▪ Mas ele precisa de aliados pra demostrar o seu poder. ▪ Muitos foram vitimas de bullying no passado. ▪ Fique atento, a fofocas, exclusões de adolescentes, isolamento do grupo ou do próprio adolescente.
  • 11. As vítimas do bullying são normalmente adolescentes que não têm uma autoestima adequada, seja por se acharem melhores do que outros, ou por se acharem piores;
  • 12. Pessoas com comportamentos que são incômodos para os demais adolescentes, considerados pelos amigos, como “chatos”, como "se achando”, e exatamente por isso são excluídos.
  • 13. Amigos, como “chatos”, como "se achando”, e exatamente por isso são excluídos.
  • 14. Alguns têm reais problemas, sejam físicos, financeiros, emocionais, e os demais adolescentes, muitas vezes, não vão conseguir lidar com essas situações, e por isso podem excluir.
  • 15. O bullying é a intolerância, insistente, repetida, e que leva a pessoa a ficar sentindo-se mal.
  • 16. Outro tipo específico de vitima do bullying são aqueles adolescentes muito tímidos, e que têm dificuldade de interagir, e normalmente não conseguem se defender das ofensas dos demais, ou têm medo de serem ainda mais excluídos do grupo, e das atividades; e por isso aguentam os agressores calados, até o ponto de, muitas vezes, terem com sérios problemas emocionais.
  • 17. Portanto, percebeu que há adolescentes isolados, tristes, ou com comportamento inadequado, são identificadores de possíveis vitimas. Fique atento.
  • 18. TESTEMUNHAS PASSIVAS DE BULLYING ▪ Na dinâmica do bullying, existem aqueles que não são participantes diretos, agressores ou vitimas; essas são as testemunhas passivas. ▪ Desmond Tutu, certa vez disse o seguinte: “Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado do opressor”. ▪ Quando vemos algo ruim ocorrendo, não podemos ficar quietos; a primeira postura é não copiar o comportamento, a segunda é avisar do erro, e a terceira é ajudar quem está errando a mudar. Temos que nos posicionar frente àquilo que é correto.
  • 19. AÇÕES QUE PODEM DIMINUIR O BULLYING E CYBERBULLYING.
  • 20. A verdade é que, quanto mais conhecemos as outras pessoas, mais difícil é de a intolerância a elas se manter, sem que haja um claro comportamento que essa pessoa escolhe fazer e este ser reprovável.
  • 21. Em consequência, o cyberbullying, talvez seja a mais covarde das atitudes que os adolescentes podem fazer, porque dá a ideia de anonimato, na internet. Ideia esta que é falsa, pois tudo que fazemos deixa rastros, e podem achar o autor, sem muita dificuldade. O trabalho com os adolescentes, deve ser a verdade, a busca dela todo o tempo.
  • 22. Lembre que Jesus não fazia distinção de pessoas, porque Ele sabia que todos eram irmãos entre si. O ensino para crianças e adolescentes, é mostrar que todos estamos na mesma situação e que só podemos ser melhores junto com o Salvador. O Bullying é mais uma das estratégias do inimigo para nos fazer pensar que somos melhores ou piores, e por isso devemos ou merecemos tais atitudes.