SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 44
A Grande transição clic enter
Opera-se, na Terra, neste largo período, a grande transição anunciada pelas Escrituras e confirmada pelo Espiritismo.
O planeta sofrido experimenta convulsões especiais, tanto na sua estrutura física e atmosférica, ajustando as suas diversas camadas tectônicas, quanto na sua constituição moral.
Isto porque, os espíritos que o habitam, ainda caminhando em faixas de inferioridade, estão sendo substituídos por outros mais elevados que o impulsionarão pelas trilhas do progresso moral, dando lugar a uma era nova de paz e de felicidade.
Os espíritos renitentes na perversidade ,  nos desmandos, na sensualidade e vileza, estão sendo recambiados lentamente para mundos inferiores onde enfrentarão as conseqüências dos seus atos ignóbeis, assim renovando-se e predispondo-se ao retorno planetário ,  quando recuperados e decididos ao cumprimento das leis de amor.
Por outro lado, aqueles que permaneceram nas regiões inferiores estão sendo trazidos à reencarnação de modo a desfrutarem da oportunidade de trabalho e de aprendizado, modificando os hábitos infelizes a que se têm submetido ,  podendo avançar sob a governança de Deus.
Caso se oponham às exigências da evolução, também sofrerão um tipo de expurgo temporário para regiões primárias entre as raças atrasadas, tendo o ensejo de ser úteis e de sofrer os efeitos danosos da sua rebeldia.
Concomitantemente, espíritos nobres que conseguiram superar os impedimentos que os retinham na retaguarda, estarão chegando, a fim de promoverem o bem e alargarem os horizontes da felicidade humana, trabalhando infatigavelmente na reconstrução da sociedade, então fiel aos desígnios divinos.
Da mesma forma, missionários do amor e da caridade, procedentes de outras Esferas estarão revestindo-se da indumentária carnal, para tornar essa fase de luta iluminativa mais amena, proporcionando condições dignificantes ,  que estimulem ao avanço e à felicidade.
Não serão apenas os cataclismos físicos que sacudirão o planeta, como resultado da lei de destruição, geradora desses fenômenos, como ocorre com o outono que derruba a folhagem das árvores, a fim de que possam enfrentar a invernia rigorosa, renascendo exuberantes com a chegada da primavera, mas também os de natureza moral, social e humana que assinalarão os dias tormentosos, que já se vivem.
Os combates apresentam-se individuais e coletivos, ameaçando de destruição a vida com hecatombes inimagináveis.
A loucura, decorrente do materialismo dos indivíduos, atira-os nos abismos da violência e da insensatez, ampliando o campo do desespero que se alarga em todas as direções.
 
Esfacelam-se os lares, desorganizam-se os relacionamentos afetivos, desestruturam-se as instituições, as oficinas de trabalho convertem-se em áreas de competição desleal, as ruas do mundo transformam-se em campos de lutas perversas, levando de roldão os sentimentos de solidariedade e de respeito, de amor e de caridade...
A turbulência vence a paz, o conflito domina o amor, a luta desigual substitui a fraternidade.
[object Object]
A fatalidade da existência humana é a conquista do amor que proporciona plenitude.
Há, em toda parte, uma destinação inevitável, que expressa a ordem universal e a presença de uma Consciência Cósmica atuante.
A rebeldia que predomina no comportamento humano elegeu a violência como instrumento para conseguir o prazer que lhe não chega da maneira espontânea, gerando lamentáveis conseqüências, que se avolumam em desaires contínuos.
É inevitável a colheita da sementeira por aquele que a fez, tornando-se rico de grãos abençoados ou de espículos venenosos.
Como as leis da vida não podem ser derrogadas, toda objeção que se  l hes faz converte-se em aflição, impedindo a conquista do bem-estar.
Da mesma forma, como o progresso é inevitável, o que não seja conquistado através do dever, sê-lo-á pelos impositivos estruturais de que o mesmo se constitui.
A melhor maneira, portanto, de compartilhar conscientemente da grande transição é através da consciência de responsabilidade pessoal, realizando as mudanças íntimas que se tornem próprias para a harmonia do conjunto.
Nenhuma conquista exterior será lograda se não proceder das paisagens íntimas, nas quais estão instalados os hábitos. Esses, de natureza perniciosa, devem ser substituídos por aqueles que são saudáveis, portanto, propiciatórios de bem-estar e de harmonia emocional.
Na mente está a chave para que seja operada a grande mudança.
Quando se tem domínio sobre ela, os pensamentos podem ser canalizados em sentido edificante, dando lugar a palavras corretas e a atos dignos.
O indivíduo, que se renova moralmente, contribui de forma segura para as alterações que se vêm operando no planeta.
Não é necessário que o turbilhão dos sofrimentos gerais o sensibilize, a fim de que possa contribuir eficazmente com os espíritos que operam em favor da grande transição.
Dispondo das ferramentas morais do enobrecimento, torna-se cooperador eficiente, em razão de trabalhar junto ao seu próximo pela mudança de convicção em torno dos objetivos existenciais, ao tempo em que se transforma num exemplo de alegria e de felicidade para todos.
 
O bem fascina todos aqueles que o observam e atrai quantos se encontram distantes da sua ação, o mesmo ocorrendo com a alegria e a saúde.
São eles que proporcionam o maior contágio de que se tem notícia e não as manifestações aberrantes e afligentes que parecem arrastar as multidões.
Como escasseiam os exemplos de júbilo, multiplicam-se os de desespero, logo ultrapassados pelos programas de sensibilização emocional para a plenitude.
A grande transição prossegue, e porque se faz necessária, a única alternativa é examinar-lhe a maneira como se apresenta e cooperar para que as sombras que se adensam no mundo sejam diminuídas pelo Sol da imortalidade.
Nenhum receio deve ser cultivado, porque, mesmo que ocorra a morte, esse fenômeno natural é veículo da vida que se manifestará em outra dimensão.
A vida sempre responde conforme as indagações morais que lhe são dirigidas.
As aguardadas mudanças que se vêm operando trazem uma ainda não valorizada contribuição, que é a erradicação do sofrimento das paisagens espirituais da Terra.
Enquanto viceje o mal, no mundo, o ser humano torna-se- l he a vítima preferida, em face do egoísmo em que se estorcega, apenas por eleição especial.
A dor momentânea que o fere, convida-o, por outro lado, à observância das necessidades imperiosas de seguir a correnteza do amor no rumo do oceano da paz.
Logo passado o período de aflição, chegará o da harmonia.
Até lá, que todos os investimentos sejam de bondade e de ternura, de abnegação e de irrestrita confiança em Deus . Joanna de Ângelis .
 
  (Página psicografada pelo médium  D ivaldo Pereira Franco, no dia  30  de julho de  2006,  no Rio de Janeiro, RJ).  
By Ana Spränger Rio de Janeiro, outubro de 2006.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Grande Transição
A Grande TransiçãoA Grande Transição
A Grande Transiçãopaikachambi
 
Poemas pela Paz de Um Novo Tempo - Volume 4
Poemas pela Paz de Um Novo Tempo - Volume 4Poemas pela Paz de Um Novo Tempo - Volume 4
Poemas pela Paz de Um Novo Tempo - Volume 4Elon Aeris
 
Comprometa-se
Comprometa-seComprometa-se
Comprometa-seJNR
 
Penas e gozos terrestres - Felicidade e infelicidade relativas
Penas e gozos terrestres -  Felicidade e infelicidade relativasPenas e gozos terrestres -  Felicidade e infelicidade relativas
Penas e gozos terrestres - Felicidade e infelicidade relativasgrupodepais
 
Ave Maria humildade
Ave Maria  humildadeAve Maria  humildade
Ave Maria humildadeFatoze
 
Caminhos para a Felicidade
Caminhos para a FelicidadeCaminhos para a Felicidade
Caminhos para a Felicidade-
 
Das penas e gozos Terrestres (Leonardo Pereira).
Das penas e gozos Terrestres (Leonardo Pereira). Das penas e gozos Terrestres (Leonardo Pereira).
Das penas e gozos Terrestres (Leonardo Pereira). Leonardo Pereira
 
Em busca da felicidade ( Leonardo Pereira).
Em busca da felicidade ( Leonardo Pereira). Em busca da felicidade ( Leonardo Pereira).
Em busca da felicidade ( Leonardo Pereira). Leonardo Pereira
 
Poemas pela Paz de Um Novo Tempo - Volume 2
Poemas pela Paz de Um Novo Tempo - Volume 2Poemas pela Paz de Um Novo Tempo - Volume 2
Poemas pela Paz de Um Novo Tempo - Volume 2Elon Aeris
 
A felicidade na visão espírita
A felicidade na visão espírita A felicidade na visão espírita
A felicidade na visão espírita grupodepaisceb
 
Poemas pela Paz de Um Novo Tempo
Poemas pela Paz de Um Novo TempoPoemas pela Paz de Um Novo Tempo
Poemas pela Paz de Um Novo TempoElon Aeris
 
A felicidade não é desse mundo!
A felicidade não é desse mundo!A felicidade não é desse mundo!
A felicidade não é desse mundo!Leonardo Pereira
 

Mais procurados (17)

A Grande Transição
A Grande TransiçãoA Grande Transição
A Grande Transição
 
A grande transicao
A grande transicaoA grande transicao
A grande transicao
 
Poemas pela Paz de Um Novo Tempo - Volume 4
Poemas pela Paz de Um Novo Tempo - Volume 4Poemas pela Paz de Um Novo Tempo - Volume 4
Poemas pela Paz de Um Novo Tempo - Volume 4
 
Comprometa-se
Comprometa-seComprometa-se
Comprometa-se
 
Penas e gozos terrestres - Felicidade e infelicidade relativas
Penas e gozos terrestres -  Felicidade e infelicidade relativasPenas e gozos terrestres -  Felicidade e infelicidade relativas
Penas e gozos terrestres - Felicidade e infelicidade relativas
 
Ave Maria humildade
Ave Maria  humildadeAve Maria  humildade
Ave Maria humildade
 
Caminhos para a Felicidade
Caminhos para a FelicidadeCaminhos para a Felicidade
Caminhos para a Felicidade
 
Das penas e gozos Terrestres (Leonardo Pereira).
Das penas e gozos Terrestres (Leonardo Pereira). Das penas e gozos Terrestres (Leonardo Pereira).
Das penas e gozos Terrestres (Leonardo Pereira).
 
Felicidade
FelicidadeFelicidade
Felicidade
 
Comprometa se
Comprometa seComprometa se
Comprometa se
 
Em busca da felicidade ( Leonardo Pereira).
Em busca da felicidade ( Leonardo Pereira). Em busca da felicidade ( Leonardo Pereira).
Em busca da felicidade ( Leonardo Pereira).
 
Poemas pela Paz de Um Novo Tempo - Volume 2
Poemas pela Paz de Um Novo Tempo - Volume 2Poemas pela Paz de Um Novo Tempo - Volume 2
Poemas pela Paz de Um Novo Tempo - Volume 2
 
Amorosidade
AmorosidadeAmorosidade
Amorosidade
 
A felicidade na visão espírita
A felicidade na visão espírita A felicidade na visão espírita
A felicidade na visão espírita
 
Poemas pela Paz de Um Novo Tempo
Poemas pela Paz de Um Novo TempoPoemas pela Paz de Um Novo Tempo
Poemas pela Paz de Um Novo Tempo
 
Amorosidade aura
Amorosidade   auraAmorosidade   aura
Amorosidade aura
 
A felicidade não é desse mundo!
A felicidade não é desse mundo!A felicidade não é desse mundo!
A felicidade não é desse mundo!
 

Semelhante a Grande transição clima moral

A Grande Transição (Divaldo Franco)
A Grande Transição (Divaldo Franco)A Grande Transição (Divaldo Franco)
A Grande Transição (Divaldo Franco)Luiza Goes
 
A Grande Transição
A Grande TransiçãoA Grande Transição
A Grande TransiçãoGevluz de Luz
 
Nas Fronteiras da Loucura - Divaldo Pereira Franco pelo Espírito Manoel Philo...
Nas Fronteiras da Loucura - Divaldo Pereira Franco pelo Espírito Manoel Philo...Nas Fronteiras da Loucura - Divaldo Pereira Franco pelo Espírito Manoel Philo...
Nas Fronteiras da Loucura - Divaldo Pereira Franco pelo Espírito Manoel Philo...gabiparavoce
 
3 palestra sobre transição planetaria
3 palestra sobre transição planetaria3 palestra sobre transição planetaria
3 palestra sobre transição planetariaumecamaqua
 
Terapeutica de emergencia (psicografia divaldo pereira franco espiritos div...
Terapeutica de emergencia (psicografia divaldo pereira franco   espiritos div...Terapeutica de emergencia (psicografia divaldo pereira franco   espiritos div...
Terapeutica de emergencia (psicografia divaldo pereira franco espiritos div...Marluci Brasil
 
Momentos de saúde (psicografia divaldo pereira franco espírito joanna de ân...
Momentos de saúde (psicografia divaldo pereira franco   espírito joanna de ân...Momentos de saúde (psicografia divaldo pereira franco   espírito joanna de ân...
Momentos de saúde (psicografia divaldo pereira franco espírito joanna de ân...Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Palestra casa do caminho
Palestra casa do caminhoPalestra casa do caminho
Palestra casa do caminhoAilton Barcelos
 
Mensagem de Bezerra de Menezes (by Divaldo P. Franco)
Mensagem de Bezerra de Menezes (by Divaldo P. Franco)Mensagem de Bezerra de Menezes (by Divaldo P. Franco)
Mensagem de Bezerra de Menezes (by Divaldo P. Franco)Rogério Prevedel
 
Plenitude libertando do sofrimento
Plenitude libertando do sofrimentoPlenitude libertando do sofrimento
Plenitude libertando do sofrimentoLeonardo Pereira
 

Semelhante a Grande transição clima moral (20)

A Grande Transição (Divaldo Franco)
A Grande Transição (Divaldo Franco)A Grande Transição (Divaldo Franco)
A Grande Transição (Divaldo Franco)
 
A Grande Transição
A Grande TransiçãoA Grande Transição
A Grande Transição
 
Jornal Cáritas julho 2013
Jornal Cáritas julho 2013Jornal Cáritas julho 2013
Jornal Cáritas julho 2013
 
Nas Fronteiras da Loucura - Divaldo Pereira Franco pelo Espírito Manoel Philo...
Nas Fronteiras da Loucura - Divaldo Pereira Franco pelo Espírito Manoel Philo...Nas Fronteiras da Loucura - Divaldo Pereira Franco pelo Espírito Manoel Philo...
Nas Fronteiras da Loucura - Divaldo Pereira Franco pelo Espírito Manoel Philo...
 
3 palestra sobre transição planetaria
3 palestra sobre transição planetaria3 palestra sobre transição planetaria
3 palestra sobre transição planetaria
 
Alem da morte
Alem da morteAlem da morte
Alem da morte
 
Alem da morte
Alem da morteAlem da morte
Alem da morte
 
Terapeutica de emergencia (psicografia divaldo pereira franco espiritos div...
Terapeutica de emergencia (psicografia divaldo pereira franco   espiritos div...Terapeutica de emergencia (psicografia divaldo pereira franco   espiritos div...
Terapeutica de emergencia (psicografia divaldo pereira franco espiritos div...
 
Momentos de saúde (psicografia divaldo pereira franco espírito joanna de ân...
Momentos de saúde (psicografia divaldo pereira franco   espírito joanna de ân...Momentos de saúde (psicografia divaldo pereira franco   espírito joanna de ân...
Momentos de saúde (psicografia divaldo pereira franco espírito joanna de ân...
 
Palestra casa do caminho
Palestra casa do caminhoPalestra casa do caminho
Palestra casa do caminho
 
AléM Da Morte
AléM Da MorteAléM Da Morte
AléM Da Morte
 
Casamento e familia
Casamento e familiaCasamento e familia
Casamento e familia
 
Alem da morte 1
Alem da morte 1Alem da morte 1
Alem da morte 1
 
Mensagem de Bezerra de Menezes (by Divaldo P. Franco)
Mensagem de Bezerra de Menezes (by Divaldo P. Franco)Mensagem de Bezerra de Menezes (by Divaldo P. Franco)
Mensagem de Bezerra de Menezes (by Divaldo P. Franco)
 
Pelo amor ou pela dor!
Pelo amor ou pela dor!Pelo amor ou pela dor!
Pelo amor ou pela dor!
 
O porque da vida leon denis
O porque da vida   leon denisO porque da vida   leon denis
O porque da vida leon denis
 
Alem da morte 2 pps
Alem da morte 2   ppsAlem da morte 2   pps
Alem da morte 2 pps
 
Alem da morte
Alem da morteAlem da morte
Alem da morte
 
Plenitude libertando do sofrimento
Plenitude libertando do sofrimentoPlenitude libertando do sofrimento
Plenitude libertando do sofrimento
 
Sexo e destino chico xavier
Sexo e destino   chico xavierSexo e destino   chico xavier
Sexo e destino chico xavier
 

Mais de Norberto Scavone Augusto

A nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parte
A nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parteA nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parte
A nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parteNorberto Scavone Augusto
 
PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a - 12 de maio 2016
PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a  - 12 de maio 2016PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a  - 12 de maio 2016
PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a - 12 de maio 2016Norberto Scavone Augusto
 
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954Norberto Scavone Augusto
 
Eae 74 ciencia e religião rev 02 mat didatico
Eae  74   ciencia e religião   rev 02   mat didaticoEae  74   ciencia e religião   rev 02   mat didatico
Eae 74 ciencia e religião rev 02 mat didaticoNorberto Scavone Augusto
 

Mais de Norberto Scavone Augusto (20)

Apostila psv
Apostila psvApostila psv
Apostila psv
 
Eae 24 - vicios e defeitos - manipulacoes
Eae 24 - vicios e defeitos - manipulacoesEae 24 - vicios e defeitos - manipulacoes
Eae 24 - vicios e defeitos - manipulacoes
 
A nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parte
A nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parteA nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parte
A nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parte
 
12o. A missão do espiritismo
12o. A missão do espiritismo12o. A missão do espiritismo
12o. A missão do espiritismo
 
Os mestres ramatís e kuthumi
Os mestres ramatís e kuthumiOs mestres ramatís e kuthumi
Os mestres ramatís e kuthumi
 
Reencarnação & maria modesto
Reencarnação & maria modestoReencarnação & maria modesto
Reencarnação & maria modesto
 
Reforma intima real
Reforma intima realReforma intima real
Reforma intima real
 
O dever
O deverO dever
O dever
 
Ref anjos decaidos
Ref   anjos decaidosRef   anjos decaidos
Ref anjos decaidos
 
PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a - 12 de maio 2016
PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a  - 12 de maio 2016PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a  - 12 de maio 2016
PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a - 12 de maio 2016
 
Há muito tempo numa galáxia distante
Há muito tempo numa galáxia distanteHá muito tempo numa galáxia distante
Há muito tempo numa galáxia distante
 
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
 
Relatos parte1final
Relatos parte1finalRelatos parte1final
Relatos parte1final
 
Reunião 34ª 18-02-2016
Reunião 34ª   18-02-2016Reunião 34ª   18-02-2016
Reunião 34ª 18-02-2016
 
Reunião 33ª 11-02-2016
Reunião 33ª   11-02-2016Reunião 33ª   11-02-2016
Reunião 33ª 11-02-2016
 
Eae 74 ciencia e religião rev 02 mat didatico
Eae  74   ciencia e religião   rev 02   mat didaticoEae  74   ciencia e religião   rev 02   mat didatico
Eae 74 ciencia e religião rev 02 mat didatico
 
Hipacia a annie_besant
Hipacia a annie_besantHipacia a annie_besant
Hipacia a annie_besant
 
Mensagem de jesus história de um anjo
Mensagem de jesus  história de um anjoMensagem de jesus  história de um anjo
Mensagem de jesus história de um anjo
 
Reunião 31ª 28-01-2016
Reunião 31ª   28-01-2016Reunião 31ª   28-01-2016
Reunião 31ª 28-01-2016
 
Reunião 29ª 14-01-2016
Reunião 29ª   14-01-2016Reunião 29ª   14-01-2016
Reunião 29ª 14-01-2016
 

Último

Prurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdf
Prurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdfPrurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdf
Prurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdfAlberto205764
 
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfO mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfNelmo Pinto
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASArtthurPereira2
 
AULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsx
AULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsxAULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsx
AULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsxLeonardoSauro1
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 
INTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptx
INTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptxINTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptx
INTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptxssuser4ba5b7
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaCristianodaRosa5
 

Último (9)

Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãosAplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
 
Prurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdf
Prurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdfPrurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdf
Prurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdf
 
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfO mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
 
AULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsx
AULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsxAULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsx
AULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsx
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 
INTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptx
INTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptxINTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptx
INTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptx
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
 

Grande transição clima moral

  • 1. A Grande transição clic enter
  • 2. Opera-se, na Terra, neste largo período, a grande transição anunciada pelas Escrituras e confirmada pelo Espiritismo.
  • 3. O planeta sofrido experimenta convulsões especiais, tanto na sua estrutura física e atmosférica, ajustando as suas diversas camadas tectônicas, quanto na sua constituição moral.
  • 4. Isto porque, os espíritos que o habitam, ainda caminhando em faixas de inferioridade, estão sendo substituídos por outros mais elevados que o impulsionarão pelas trilhas do progresso moral, dando lugar a uma era nova de paz e de felicidade.
  • 5. Os espíritos renitentes na perversidade , nos desmandos, na sensualidade e vileza, estão sendo recambiados lentamente para mundos inferiores onde enfrentarão as conseqüências dos seus atos ignóbeis, assim renovando-se e predispondo-se ao retorno planetário , quando recuperados e decididos ao cumprimento das leis de amor.
  • 6. Por outro lado, aqueles que permaneceram nas regiões inferiores estão sendo trazidos à reencarnação de modo a desfrutarem da oportunidade de trabalho e de aprendizado, modificando os hábitos infelizes a que se têm submetido , podendo avançar sob a governança de Deus.
  • 7. Caso se oponham às exigências da evolução, também sofrerão um tipo de expurgo temporário para regiões primárias entre as raças atrasadas, tendo o ensejo de ser úteis e de sofrer os efeitos danosos da sua rebeldia.
  • 8. Concomitantemente, espíritos nobres que conseguiram superar os impedimentos que os retinham na retaguarda, estarão chegando, a fim de promoverem o bem e alargarem os horizontes da felicidade humana, trabalhando infatigavelmente na reconstrução da sociedade, então fiel aos desígnios divinos.
  • 9. Da mesma forma, missionários do amor e da caridade, procedentes de outras Esferas estarão revestindo-se da indumentária carnal, para tornar essa fase de luta iluminativa mais amena, proporcionando condições dignificantes , que estimulem ao avanço e à felicidade.
  • 10. Não serão apenas os cataclismos físicos que sacudirão o planeta, como resultado da lei de destruição, geradora desses fenômenos, como ocorre com o outono que derruba a folhagem das árvores, a fim de que possam enfrentar a invernia rigorosa, renascendo exuberantes com a chegada da primavera, mas também os de natureza moral, social e humana que assinalarão os dias tormentosos, que já se vivem.
  • 11. Os combates apresentam-se individuais e coletivos, ameaçando de destruição a vida com hecatombes inimagináveis.
  • 12. A loucura, decorrente do materialismo dos indivíduos, atira-os nos abismos da violência e da insensatez, ampliando o campo do desespero que se alarga em todas as direções.
  • 13.  
  • 14. Esfacelam-se os lares, desorganizam-se os relacionamentos afetivos, desestruturam-se as instituições, as oficinas de trabalho convertem-se em áreas de competição desleal, as ruas do mundo transformam-se em campos de lutas perversas, levando de roldão os sentimentos de solidariedade e de respeito, de amor e de caridade...
  • 15. A turbulência vence a paz, o conflito domina o amor, a luta desigual substitui a fraternidade.
  • 16.
  • 17. A fatalidade da existência humana é a conquista do amor que proporciona plenitude.
  • 18. Há, em toda parte, uma destinação inevitável, que expressa a ordem universal e a presença de uma Consciência Cósmica atuante.
  • 19. A rebeldia que predomina no comportamento humano elegeu a violência como instrumento para conseguir o prazer que lhe não chega da maneira espontânea, gerando lamentáveis conseqüências, que se avolumam em desaires contínuos.
  • 20. É inevitável a colheita da sementeira por aquele que a fez, tornando-se rico de grãos abençoados ou de espículos venenosos.
  • 21. Como as leis da vida não podem ser derrogadas, toda objeção que se l hes faz converte-se em aflição, impedindo a conquista do bem-estar.
  • 22. Da mesma forma, como o progresso é inevitável, o que não seja conquistado através do dever, sê-lo-á pelos impositivos estruturais de que o mesmo se constitui.
  • 23. A melhor maneira, portanto, de compartilhar conscientemente da grande transição é através da consciência de responsabilidade pessoal, realizando as mudanças íntimas que se tornem próprias para a harmonia do conjunto.
  • 24. Nenhuma conquista exterior será lograda se não proceder das paisagens íntimas, nas quais estão instalados os hábitos. Esses, de natureza perniciosa, devem ser substituídos por aqueles que são saudáveis, portanto, propiciatórios de bem-estar e de harmonia emocional.
  • 25. Na mente está a chave para que seja operada a grande mudança.
  • 26. Quando se tem domínio sobre ela, os pensamentos podem ser canalizados em sentido edificante, dando lugar a palavras corretas e a atos dignos.
  • 27. O indivíduo, que se renova moralmente, contribui de forma segura para as alterações que se vêm operando no planeta.
  • 28. Não é necessário que o turbilhão dos sofrimentos gerais o sensibilize, a fim de que possa contribuir eficazmente com os espíritos que operam em favor da grande transição.
  • 29. Dispondo das ferramentas morais do enobrecimento, torna-se cooperador eficiente, em razão de trabalhar junto ao seu próximo pela mudança de convicção em torno dos objetivos existenciais, ao tempo em que se transforma num exemplo de alegria e de felicidade para todos.
  • 30.  
  • 31. O bem fascina todos aqueles que o observam e atrai quantos se encontram distantes da sua ação, o mesmo ocorrendo com a alegria e a saúde.
  • 32. São eles que proporcionam o maior contágio de que se tem notícia e não as manifestações aberrantes e afligentes que parecem arrastar as multidões.
  • 33. Como escasseiam os exemplos de júbilo, multiplicam-se os de desespero, logo ultrapassados pelos programas de sensibilização emocional para a plenitude.
  • 34. A grande transição prossegue, e porque se faz necessária, a única alternativa é examinar-lhe a maneira como se apresenta e cooperar para que as sombras que se adensam no mundo sejam diminuídas pelo Sol da imortalidade.
  • 35. Nenhum receio deve ser cultivado, porque, mesmo que ocorra a morte, esse fenômeno natural é veículo da vida que se manifestará em outra dimensão.
  • 36. A vida sempre responde conforme as indagações morais que lhe são dirigidas.
  • 37. As aguardadas mudanças que se vêm operando trazem uma ainda não valorizada contribuição, que é a erradicação do sofrimento das paisagens espirituais da Terra.
  • 38. Enquanto viceje o mal, no mundo, o ser humano torna-se- l he a vítima preferida, em face do egoísmo em que se estorcega, apenas por eleição especial.
  • 39. A dor momentânea que o fere, convida-o, por outro lado, à observância das necessidades imperiosas de seguir a correnteza do amor no rumo do oceano da paz.
  • 40. Logo passado o período de aflição, chegará o da harmonia.
  • 41. Até lá, que todos os investimentos sejam de bondade e de ternura, de abnegação e de irrestrita confiança em Deus . Joanna de Ângelis .
  • 42.  
  • 43.   (Página psicografada pelo médium D ivaldo Pereira Franco, no dia 30 de julho de 2006, no Rio de Janeiro, RJ).  
  • 44. By Ana Spränger Rio de Janeiro, outubro de 2006.

Notas do Editor

  1. 2