Débora Gontijo - UFTM
“ O homem-esperança é o peregrino que
caminha, é o ártifice que tece o existir. Se
não houvesse esperança, o homem seria
t...
Comissão Informal de Acessibilidade elabora plano de
trabalho para Programa Incluir (2007-2009).
Servidores do NAE (Núcleo...
Débora Gontijo – Pedagoga
Lauanda Costa – Intérprete de Libras
Angélica Ferreira - Intérprete de Libras
Marieles Silveira ...
Programa de Assessoria e Orientação aos Alunos com
Necessidades Educacionais Especiais (PAOANEE).
Programa Monitoria Inclu...
Analisar e emitir relatório de acessibilidade dos
ambientes da UFTM;
Informar ao curso as condições e necessidades do
alun...
Conhecer, acolher e acompanhar alunos com
necessidades especiais que ingressam na UFTM.
Aluno pode ser encaminhado pelo DR...
Entrevista semi-estruturada em que são conhecidas as
condições especiais do aluno e as adaptações no
ambiente educacional ...
Iniciou no segundo semestre de 2011 em parceria
com a Pró-Reitoria de Ensino.
A Monitoria Inclusiva é uma alternativa peda...
Atualmente os equipamentos de tecnologia
assistiva estão voltados especialmente para o aluno
com baixa visão ou cego.
A Té...
Acontecem semestralmente e objetiva criar
contextos propícios ao debate de temas
relacionados à inclusão.
Essa metodologia...
Oficializar o Núcleo de Acessibilidade
Implantar Edital Específico da Monitoria
Inclusiva.
Implantar o Laboratório de Aces...
Mesa 5   ped. débora gontijo
Mesa 5   ped. débora gontijo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mesa 5 ped. débora gontijo

833 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Mesa 5 ped. débora gontijo

  1. 1. Débora Gontijo - UFTM
  2. 2. “ O homem-esperança é o peregrino que caminha, é o ártifice que tece o existir. Se não houvesse esperança, o homem seria tempo fechado. Estacionário. Sem esperança, não se vive, não se trabalha, não se inova... Há que ousar. Ousar é esperança, não se vive, não se trabalha, não se inova... Há que ousar. Ousar é pulsação criadora. Ousar é tentar realizar o que ainda não foi feito. Ousar não é arrogância. É compromisso”. Juvenal Arduini
  3. 3. Comissão Informal de Acessibilidade elabora plano de trabalho para Programa Incluir (2007-2009). Servidores do NAE (Núcleo de Assistência Estudantil)Servidores do NAE (Núcleo de Assistência Estudantil) elaboram Projeto para Programa Incluir (2010-2011). Com a criação da PROACE, em 2011 materiais são adquiridos com recursos do PNAES.
  4. 4. Débora Gontijo – Pedagoga Lauanda Costa – Intérprete de Libras Angélica Ferreira - Intérprete de Libras Marieles Silveira –Técnica em AssuntosMarieles Silveira –Técnica em Assuntos Educacionais Sabrina Ferreira de Oliveira – Fisioterapeuta
  5. 5. Programa de Assessoria e Orientação aos Alunos com Necessidades Educacionais Especiais (PAOANEE). Programa Monitoria Inclusiva.Programa Monitoria Inclusiva. Produção de Materiais e Interpretação em Libras. Rodas de Conversa: “Como o mundo vê a inclusão e como podemos vê-la”.
  6. 6. Analisar e emitir relatório de acessibilidade dos ambientes da UFTM; Informar ao curso as condições e necessidades do aluno;aluno; Adquirir equipamentos necessários à aprendizagem do aluno com NEE; Realizar adaptação de material didático; Colaborar na promoção de cursos de capacitação para professores e de atividades científicas relacionadas ao tema.
  7. 7. Conhecer, acolher e acompanhar alunos com necessidades especiais que ingressam na UFTM. Aluno pode ser encaminhado pelo DRCA, pelo curso, pedagoga, ou espontaneamente.
  8. 8. Entrevista semi-estruturada em que são conhecidas as condições especiais do aluno e as adaptações no ambiente educacional que serão necessárias.ambiente educacional que serão necessárias. O curso é comunicado e apoiado no atendimento educacional especializado. A comunicação ocorre através de documento oficial e reuniões presenciais.
  9. 9. Iniciou no segundo semestre de 2011 em parceria com a Pró-Reitoria de Ensino. A Monitoria Inclusiva é uma alternativa pedagógicaA Monitoria Inclusiva é uma alternativa pedagógica que visa o acompanhamento individual dos alunos inseridos no PAOANEE. A oferta dessa monitoria é dependente da candidatura de alunos para as disciplinas solicitadas e das vagas disponíveis.
  10. 10. Atualmente os equipamentos de tecnologia assistiva estão voltados especialmente para o aluno com baixa visão ou cego. A Técnica em Assuntos Educacionais converte oA Técnica em Assuntos Educacionais converte o material didático em formato digital ou Braille. As Tradutoras e Intérpretes de Libras oferecem apoio aos alunos surdos, capacitação de servidores e interpretam eventos internos e externos.
  11. 11. Acontecem semestralmente e objetiva criar contextos propícios ao debate de temas relacionados à inclusão. Essa metodologia tem contribuído com a eliminação de barreiras atitudinais no espaço acadêmico.
  12. 12. Oficializar o Núcleo de Acessibilidade Implantar Edital Específico da Monitoria Inclusiva. Implantar o Laboratório de Acessibilidade eImplantar o Laboratório de Acessibilidade e Inclusão - na Biblioteca Frei Eugênio. Divulgar as ações do Núcleo de Acessibilidade. Tornar acessível o site da UFTM. Promover cursos de capacitação.

×