TECNOLOGIAS MÓVEIS NA EDUCAÇÃO<br />Um estudo de casoemumaescoladaredepública do Estado de São Paulo<br />Mestrado em Educ...
  OBJETIVO DA PESQUISA<br />O ambienteescolarincorpora a tecnologiamóvel, principalmente o aparelhocelularno processoeduca...
Percebe-se queosdispositivosmóveistêmprovocadomudanças em váriossegmentos da sociedade. <br />Inseridos no cotidiano das p...
  QUESTÕES<br />Como a educação tradicional percebe e lida com os aparelhos celulares dentro da sala de aula? Quais são os...
aparelhocelular ?<br />Por ser acessível a umaparcelasignificativadapopulação – Segundo as estatísticas1há3celularesparaca...
Relações?<br />Tecnologias móveis na educação<br />APRENDIZAGEM MÓVEL<br />EDUCAÇÃO<br />TECNOLOGIA<br />COMUNICAÇÃO<br />
EDUCAÇÃO<br />TECNOLOGIA<br />COMUNICAÇÃO<br />Visão “Many Eyes”<br />
Objetivos<br />Bibliográfico (impresso/on-line)<br />Traçar um panorama não exaustivo do que representa e envolve a aprend...
Traçar um panorama não exaustivo do que representa e envolve a aprendizagem móvel;<br />d-Learning<br />e-Learning<br />m-...
m-Learning<br />Características – Tecnologiamóvel:<br /><ul><li>Portabilidade;
Mobilidade (física e informacional);
Relação de Tempo e Espaço;
Tecnologia “Transparente”1, “Ubíqua”2 e Pós-Massiva3;</li></ul>Ferrari (2007);<br />Graziola Junior (2009);<br />Lemos (20...
Construçãodo próprioconhecimento;
 Aprendizagem Individualizadae Progressiva;
 Aprendizagem por “todavida” (formal ou informal);</li></ul>1 ( LEMOS, 2005). 2(SACCOL; REINHARD, 2007  e  LEMOS, 2005). 3...
Visão “Many Eyes”<br />
Visão “Many Eyes”<br />
2. Relacionar pesquisas e experiências que utilizam ou já fizeram uso de dispositivos móveis para auxiliar o processo de e...
Pesquisas e Experiências<br />6<br />8<br />1<br />2<br />3<br />4<br />5<br />7<br />Percebe-se que:<br />As iniciativasb...
Pesquisas de comportamento:<br />AparelhoCelular:<br /><ul><li>Relação de afetividade, apego e personalizãção; 1
Aumentonasensação de privacidade, de liberdade e segurança; 2</li></ul>ObjetoTransicional 3 (?);<br />1 (LANSEN, 2002 apud...
3. Efetuar uma pesquisa de campo – estudo de caso, em que o aparelho celular foi utilizado como auxiliar no processo educa...
Escola Pública de Mogi das Cruzes<br />37alunos<br />9º Ensino Fundamental<br />01professora<br />15alunos<br />1º EnsinoM...
 resultados<br />37alunos do 9º Ensino Fundamental<br />(13-16anos)<br />PossuiCelular<br />93%<br />15alunos do 1º Ensino...
 resultados<br />Quando estou com meu celular me sinto:<br />Visão “Many Eyes”<br />
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tecnologias móveis na educação

3.247 visualizações

Publicada em

Apresentação para defesa de mestrado Mackenzie - ago/11 no curso de Educação, Artes e História da Cultura

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.247
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
108
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tecnologias móveis na educação

  1. 1. TECNOLOGIAS MÓVEIS NA EDUCAÇÃO<br />Um estudo de casoemumaescoladaredepública do Estado de São Paulo<br />Mestrado em Educação, Arte e História da Cultura<br />Adriane Silva Higuchi<br />Orientadora: Drª. Jane de Almeida<br />Universidade Presbiteriana Mackenzie – ago/2011<br />
  2. 2. OBJETIVO DA PESQUISA<br />O ambienteescolarincorpora a tecnologiamóvel, principalmente o aparelhocelularno processoeducacional?<br />Casoistosejaconfirmado, comoistoocorre.<br />Google Imagens<br />
  3. 3. Percebe-se queosdispositivosmóveistêmprovocadomudanças em váriossegmentos da sociedade. <br />Inseridos no cotidiano das pessoaseles “mudam” a maneiracomo as pessoas se comunicam, se relacionam, trabalham, consomem, se divertem. <br />Nesse contexto, será que a educação está imune aos efeitos da tecnologia móvel?<br />
  4. 4. QUESTÕES<br />Como a educação tradicional percebe e lida com os aparelhos celulares dentro da sala de aula? Quais são os desafios?<br />
  5. 5. aparelhocelular ?<br />Por ser acessível a umaparcelasignificativadapopulação – Segundo as estatísticas1há3celularesparacada2habitantes;<br />Por ser multifuncional (fotografa, filma, enviamensagens, grava, etc);<br />“Geração Digital”2 e Apropriação dos jovens a este dispositivo3.<br />1Anatel-Agência Nacional de Telecomunicações. 2011.2 (TAPSCOTT, 1999). 3(LANSEN, 2002 apud SACCOL;REINHARD, 2004 e COSTA, 2005) <br />
  6. 6. Relações?<br />Tecnologias móveis na educação<br />APRENDIZAGEM MÓVEL<br />EDUCAÇÃO<br />TECNOLOGIA<br />COMUNICAÇÃO<br />
  7. 7. EDUCAÇÃO<br />TECNOLOGIA<br />COMUNICAÇÃO<br />Visão “Many Eyes”<br />
  8. 8. Objetivos<br />Bibliográfico (impresso/on-line)<br />Traçar um panorama não exaustivo do que representa e envolve a aprendizagem móvel;<br />Relacionar pesquisas e experiências que utilizam ou já fizeram uso de dispositivos móveis para auxiliar o processo de ensino e aprendizagem;<br />Efetuar uma pesquisa de campo – estudo de caso, em que o aparelho celular foi utilizado como auxiliar no processo educacional. <br />Experiências/Pesquisas (Brasil/Exterior)<br />Escola da redePública de <br />Mogi das Cruzes/SP<br />
  9. 9. Traçar um panorama não exaustivo do que representa e envolve a aprendizagem móvel;<br />d-Learning<br />e-Learning<br />m-Learning<br />(GEORGIEV; GEORGIEVA; SMRIKAROV, 2004, IV.28-1)<br />
  10. 10. m-Learning<br />Características – Tecnologiamóvel:<br /><ul><li>Portabilidade;
  11. 11. Mobilidade (física e informacional);
  12. 12. Relação de Tempo e Espaço;
  13. 13. Tecnologia “Transparente”1, “Ubíqua”2 e Pós-Massiva3;</li></ul>Ferrari (2007);<br />Graziola Junior (2009);<br />Lemos (2005, 2007); <br />Marçal; Andrade; Rios (2005); <br />Saccol; Reinhard (2007);<br />Reinhard et.al. (2005);<br />Scanlonet al. (2005);<br />Schlemmeret.al. (2007);<br />Souza e Silva (2004);<br />Valentim (2009);<br />Campo Educacional:<br /><ul><li>ParticipaçãoAtivae Colaborativado aluno;
  14. 14. Construçãodo próprioconhecimento;
  15. 15. Aprendizagem Individualizadae Progressiva;
  16. 16. Aprendizagem por “todavida” (formal ou informal);</li></ul>1 ( LEMOS, 2005). 2(SACCOL; REINHARD, 2007 e LEMOS, 2005). 3(LEMOS, 2007)<br />
  17. 17. Visão “Many Eyes”<br />
  18. 18. Visão “Many Eyes”<br />
  19. 19. 2. Relacionar pesquisas e experiências que utilizam ou já fizeram uso de dispositivos móveis para auxiliar o processo de ensino e aprendizagem;<br />4<br />1<br />2<br />3<br />5<br />6<br />7<br />8<br />IADIS - março/11<br />Projeto M-Ubuntu desenvolvido em 2009, na África do Sul, apresentado pela pesquisadora Lucy Haagen.<br />Schlemmer et.al (2007), m-Learning ou aprendizagem com mobilidade: casos no contexto brasileiro, Brasil.<br />1<br />4<br />Listening to an educational podcast while walking or jogging. Canstudentsreallymultitask?, Coens; Degryse; Senecaut e Clarebout, Bélgica.<br />KumarasPillay, da escola da província de KwaZulu Natal, no leste da África do Sul, 2007<br />2<br />5<br />Adelina Moura, Geração Móvel: um ambiente de aprendizagem suportado por tecnologias móveis para a “geração polegar”, de 2009, Ninho/Portugal.<br />Highschoolteachers face thechallengeofintegratingthemobilephone in theclassroom, Francisco BrazueloGrund, Madri, Espanha.<br />3<br />6<br />MALL – Mobile AssistedLanguage Learning (MALL), Kondo; Ishikawa; Smith; Sakamoto;Shimomura; Tezukayamagakuin, Japão, Osaka.<br />7<br />Integratingm-learning in a broadcontext: issuesandrecommendations, Gerald C. GannodandKristen M. Bachman, Miami, Oxford.<br />8<br />
  20. 20. Pesquisas e Experiências<br />6<br />8<br />1<br />2<br />3<br />4<br />5<br />7<br />Percebe-se que:<br />As iniciativasbuscamcompreendercomo as tecnologiasmóveispodemauxiliar o processoeducacional;<br />No Brasil, a aprendizagem móvel em 20071, estavavoltadamaisparaquestõestécnicas do queparaosaspectossociais e didático-pedagógicos;<br />Háalgumasiniciativasquebuscamutilizar a tecnologiamóvelparaminimizar a desigualdade social e ao mesmo tempo diminuir o problemaambiental.<br />1Schlemmer et.al (2007) <br />
  21. 21. Pesquisas de comportamento:<br />AparelhoCelular:<br /><ul><li>Relação de afetividade, apego e personalizãção; 1
  22. 22. Aumentonasensação de privacidade, de liberdade e segurança; 2</li></ul>ObjetoTransicional 3 (?);<br />1 (LANSEN, 2002 apud SACCOL;REINHARD, 2004) . 2(COSTA, 2005). 3(WINNICOTT, 1990 apud SILVA; FRIDMAN, 2007)<br />
  23. 23. 3. Efetuar uma pesquisa de campo – estudo de caso, em que o aparelho celular foi utilizado como auxiliar no processo educacional. <br />Educadorescontactados:<br />A maioria se mostraramcontrários à possibilidade de usar o celular em atividadespedagógicasoudeclararamquenuncatinhampensadonestahipótese;<br />Segundo as principaisalegações, o aparelhocelulardespersaria a atenção dos alunos e assim se perderia o controle da sala;<br />Escolaescolhidapor ser a única entre 5 pesquisadas a utilizar o aparelhocelular em algumaspráticaspedagógicas;<br />Algunsaindaafirmaramque o celularpoderia ser usadopara “colar”.<br />O tema aprendizagem móvel é desconhecido da maioria dos educadores (10 aproxidamente – conversasinformais).<br />Entre osmeses de junho e outubro/2010;<br />Escolas de Mogi das Cruzes/SP.<br />
  24. 24. Escola Pública de Mogi das Cruzes<br />37alunos<br />9º Ensino Fundamental<br />01professora<br />15alunos<br />1º EnsinoMédio<br />Aplicadoquestionário<br />e<br />Entrevista com alunosselecionados<br />Foramrealizadas6entrevistasformais e informais<br />
  25. 25. resultados<br />37alunos do 9º Ensino Fundamental<br />(13-16anos)<br />PossuiCelular<br />93%<br />15alunos do 1º EnsinoMédio<br />(16-19anos)<br />PossuiCelular<br />81 % <br />Costumamlevar o celularparatodososlugares<br />Disponível 24 horas<br />SistemaPré-Pago<br />
  26. 26. resultados<br />Quando estou com meu celular me sinto:<br />Visão “Many Eyes”<br />
  27. 27. resultados<br />Visão “Many Eyes”<br />
  28. 28. CONSIDERAÇÕES <br />O aparelhocelularvemsendoincorporado em situações de improviso e a partir da iniciativapessoal e individual de professor e aluno;<br />O tema “aprendizagem móvel” e suasvariações é desconhecido da maioria dos professores e coordenadores;<br />A maioriamostra-se contrária à aplicaçãoouadmitenuncaterpensadonanestapossibilidade;<br />
  29. 29. Cetic.br – Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação<br />100% das escolas tem computador<br />500 escolas públicas – FI, FII e Ensino Médio;<br />http://cetic.br/educacao/2010/apresentacao-tic-educacao-2010.pdf<br />
  30. 30. ManyEyes<br />Tecnologia móveis na educação<br />adriane@cetes.com.br<br />mack2011<br />
  31. 31. agradecimentos<br />Obrigada à todos !<br /> Contato<br />adriane@cetes.com.br<br />@adrianehiguchi<br />
  32. 32. bibliografia<br />ANDERSON, Paul; BLACKWOOD, Adam. Mobile and PDA technologies and their future use in education. JISC Technology and Standards Watch: 04-03. 2004. Disponível em http://www.jisc.ac.uk/whatwedo/services/techwatch/reports/horizonscanning/hs0403.aspx. Acessado 01/04/2010.<br />COSTA, Ana Maria Nicolacida.Impactos psicológicos do uso de celulares: uma pesquisa exploratória com jovens brasileiros. In Scielo - Psicologia: Teoria e Pesquisa. Vol. 20 n. 2, pp. 165-174. 2004. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/ptp/v20n2/a09v20n2.pdf. Acessado 10/05/2010. <br /> <br />COSTA, Giselda dos Santos. A geração polegar. Projeto de doutorado em lingüística. CEFET-PI - UNED - Floriano. Acessado em 12/07/10. Disponível em http://www.ufpi.br/mesteduc/eventos/ivencontro/GT17/geracao_polegar.pdf.<br /> <br />FERNANDES, Elisângela. Pesquisadora da PUC-SP fala sobre a tecnologia na sala de aula. Entrevista com a professora Maria Elizabeth Bianconcini de Almeida. Revista Nova Escola. 2010. Disponível em http://revistaescola.abril.com.br/planejamento-e-avaliacao/avaliacao/entrevista-pesquisadora-puc-sp-tecnologia-sala-aula-568012.shtml?page=0. Acessado em 02/12/2010.<br /> <br />FERRARI, Pollyana (org). Hipertexto. Hipermídia. As novas ferramentas da comunicação digital. São Paulo: Editora Contexto. 2007.<br /> <br />GEORGIEV,Tsvetozar; GEORGIEVA, Evgenia; SMRIKAROV, Angel. M-Learning - a New Stage of Е-Learning. International Conference on Computer Systems and Technologies - CompSysTech. 2004. Disponível em http://ecet.ecs.ru.acad.bg/cst04/Docs/sIV/428.pdf. Acessado em 20/07/2011.<br /> <br />GRAZIOLA JUNIOR, Paulo Gaspar. Aprendizagem com mobilidade na perspectiva dialógica: reflexões e possibilidades para práticas pedagógicas. In SEER - Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - UFRGS. Programa de Pós-Graduação em Educação UNISINOS. 2009. Disponível athttp://www.cinted.ufrgs.br/renote/dez2009/artigos/11c_paulogaspar.pdf. Acessado 14/09/2010.<br /> <br />LEMOS, André. Cibercultura e mobilidade. A era da conexão. In Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. XXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – UERJ. 2005. Disponível em http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2005/resumos/R1465-1.pdf. Acessado em 20/09/2010.<br /> <br />_____________. Cidade e mobilidade. Telefones celulares, funções pós-massivas e territórios informacionais. Editora Matrizes. pp. 121-137. 2007. Disponível em http://www.andrelemos.info/artigos/Media1AndreLemos.pdf. Acessado 20/09/2010.<br /> <br />MARÇAL, Edgar; ANDRADE, Rossana; RIOS, Riverson. Aprendizagem utilizando Dispositivos Móveis com Sistemas de Realidade Virtual. Artigo. Curso de mestrado em Novas Tecnologias na Educação (Ciência da Computação) da Universidade Federal do Ceará. CINTED-UFRGS. Maio/2005. Disponível em http://www.cinted.ufrgs.br/renote/maio2005/artigos/a51_realidadevirtual_revisado.pdf. Acessado em 02/05/2010.<br /> <br />MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.<br /> <br />MOURA, Adelina. Geração móvel: um ambiente de aprendizagem suportado por tecnologias móveis para a “geração polegar”. In RepositoriUM Universidade do Minho. 2009 http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/10056. Acessado emed em 09/12/2010.<br /> <br />MOURA, Maria Aparecida; MANTOVANI, Camila Maciel. Interações sociais mediadas pelo celular. Texto originalmente publicado na Revista Textos de laCiberSociedad. Temática Variada. 2009. Disponível em http://www.revistapontocom.org.br/edicoes-anteriores-pensando-junto/interacoes-mediadas-pelo-celular. Acessado em 22/04/2009.<br /> <br />
  33. 33. bibliografia<br />REINHARD, Nicolau. et al. Aprendizagem com mobilidade no contexto organizacional. UNISINOS. Disponível em http://www.joaomattar.com/7senaed/index.php?title=%E2%80%9CAprendizagem_com_Mobilidade_no_contexto_organizacional%E2%80%9D. Acessado 25/09/2010. 2005.<br /> <br />SACCOL, AmarolindaZanela; REINHARD, Nicolau. Processo de adoção e decorrências da utilização de tecnologias de informação móveis e sem fio no contexto organizacional. Artigo 2004. In Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. - ANPAD. Disponível em http://www.anpad.org.br/evento.php?acao=trabalho&cod_edicao_subsecao=30&cod_evento_edicao=9&cod_edicao_trabalho=29. Acessado em 30/09/2010. <br /> <br />__________________________________________. Tecnologias de Informação móveis, sem fio e ubíquas: definições, estado-da-arte e oportunidades de pesquisa. In: ENPAD, 28, 2007. Curitiba. Anais em CD Rom. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/rac/v11n4/a09v11n4.pdf. Acessado em 30/09/2010. <br /> <br />SÃO PAULO. Lei no. nº 12.730, de 11/10/2007. Dispõe sobre a proibição do uso do telefone celular nos estabelecimentos de ensino durante o horário de aula. Publicado na Assessoria Técnico-Legislativa, 11/10/2007. Disponível em http://www.al.sp.gov.br/legislacao/norma.do?id=74333. Acessado em 20/06/2010.<br /> <br />SCANLON, Eileen et al.. Mobile Technologies: prospects for their use in learning in informal science settings. Journal of Interative Media in Education. 2005. Disponível em http://www.google.com.br/webhp?sourceid=navclient&hl=pt-BR&ie=UTF-8#hl=pt-BR&source=hp&biw=1276&bih=576&q=SCANLON%2C+E.+Jones.+et.al.+2005.+Mobile+technologies%3A+prospects+for+their+use+in+learning+in&fp=1&cad=b. Acessado em 05/02/2011.<br /> <br />SCHLEMMER, Eliane et al. M-learning ou aprendizagem com mobilidade: casos no contexto brasileiro. In ABED - Associação Brasileira de Educação a Distância. Disponível em http://www.abed.org.br/congresso2007/tc/552007112411PM.pdf. Acessado em 20/09/2010. 2007.<br /> <br />SILVA, Maria da Graça Moreira da.Mobile Learning: uso de dispositivos móveis como auxiliar na mediação pedagógica de cursos a distância. V Conferência Internacional de Tecnologias de Informação e Comunicação na Educação. 2007. Disponível em www.5e.com.br/infodesign/146/Dispositivos_moveis.pdf. Acessado em 07/06/2010.<br /> <br />SILVA, Nilce da; FRIDMAN, Patrícia Claudia da Costa. Unsicherheit do século XXI: o ensino e aprendizagem da leitura e da escrita em língua portuguesa em São Paulo. Universidade de São Paulo. Paidéia, 2007. Disponível em www.scielo.br/paideia. Acessado em 07/05/2011.<br /> <br />SOUZA E SILVA, Adriana Araujo. Interfaces móveis de comunicação e subjetividade contemporânea: de ambientes de multiusuários como espaços (virtuais) a espaços (híbridos) como ambientes de multiusuários. Rio de Janeiro: UFRJ/CFCH/ECO, 2004. Tese de Doutorado em Comunicação e Cultura. Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, Escola de Comunicação, 2004. Disponível em www.souzaesilva.com/Tese_SouzaeSilva161004.pdf. Acessado em 10/06/2010. Acessado em 10/06/2010.<br /> <br />TAPSCOTT, Don. Geração Digital: A Crescente e Irreversível Ascensão da Geração Net; tradução Ruth Gabriela Bahr. São Paulo: Makron Books, 1999.<br />Thornburg , David . Especialista americano defende uso de celulares e tablets em sala de aula. Disponível em http://centralnoticias.com.br/geral/especialista-americano-defende-uso-de-celulares-e-tablets-em-sala-de-aula/. Acessado em 20/08/11<br />VALENTIM, Hugo Duarte. Para uma compreensão do Mobile Learning. Reflexão sobre a utilidade das tecnologias móveis na aprendizagem informal e para a construção de ambientes pessoais de aprendizagem. Dissertação de mestrado em Gestão de Sistemas de e-Learning. Setembro/2009. Universidade Nova de Lisboa. Disponível em http://hugovalentim.com/livro/introducao. Acessado em 02/03/2011.<br /> <br />

×