SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 65
Baixar para ler offline
TREINAMENTO DE
SEGURANÇA NO TRABALHO
PARAATIVIDADES EXPOSTAS
AO BENZENO.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
a) Riscos de exposição ao benzeno e vias de absorção;
b) Conceitos básicos sobre monitoramento ambiental,
biológico e de saúde;
c) Sinais e sintomas de intoxicação ocupacional por
benzeno;
d) Medidas de prevenção;
e) Procedimentos de emergência;
f) Caracterização básica das instalações, atividades de
risco e pontos de possíveis emissões de benzeno;
g) Dispositivos legais sobre o benzeno
O Benzeno é um hidrocarboneto aromático, proveniente de produtos à
base de Petróleo, de aroma/odor doce e extremamente prejudicial à
saúde e a segurança. Além de suas características favoráveis a
combustão, o benzeno possui rápida vaporização no ar à temperaturas
um pouco mais altas, e oferece riscos de incêndios e explosões por ser
altamente inflamável.
O QUE É O BENZENO ?
É um produto tóxico e cancerígeno, por isso, em exposições agudas
(altas concentrações) ou em exposições crônicas (baixas
concentrações em um período longo de tempo) podem causar
diversos problemas à saúde, levando até mesmo ao câncer e
ao benzenismo.Os principais expostos ocupacionalmente são os frentistas ou
profissionais que se relacionam direta ou indiretamente com bombas
de combustíveis (especialmente a Gasolina) em postos de revenda ao
consumidor fina
POR QUE BENZENO?
• Segundo publicação do PNUMA (Programa
das nações Unidas para o meio ambiente), 7
produtos químicos orgânicos servem como a
matéria-prima para dezenas de milhares de
outros produtos químicos: metanol, etileno,
propileno, butadieno, xileno, benzeno e
tolueno.Entre eles o benzeno é o quinto mais
produzido no mundo!
COMO O BENZENO ENTRA EM NOSSO
CORPO?
• O benzeno pode entrar em nosso corpo
principalmente através da respiração, da pele e,
em alguns casos, pela ingestão.
• Ele é totalmente absorvido pelo nosso corpo?
• A maior parte do benzeno que nós respiramos é eliminada pela
expiração. O que é absorvido na corrente sanguínea se
acumula principalmente em tecidos com alto teor de lipídios. A
absorção varia entre 10% a 50% dependendo da dose, do
metabolismo e da quantidade de gordura presente no
organismo. Na sua forma inalterada, o benzeno é eliminado
através do ar expirado e em torno de 0,1%, apenas, é
eliminado na urina. O que continua no organismo é
transformado principalmente no fígado e na medula óssea e
eliminado na urina na forma de metabólitos (em epecial fenol,
catecol, hidroquinona, ácido fenil mercaptúrico e ácido trans,
trans mucônico). A ingestão de alimentos ou água com níveis
altos de benzeno pode causar vômitos, irritação gástrica,
tonteira, convulsões, taquicardia, coma e morte (ATSDR,
2007). Também é absorvido através da pele. A absorção é mais
rápida quando há algum ferimento (OSHA).
QUAL É A PRINCIPAL VIA PELA QUAL O BENZENO
PENETRA NO CORPO?
• A respiração é a via mais importante de
absorção, pois a área do nosso sistema
respiratório capaz de absorver o benzeno é
muito grande.
• Além disso, é mais difícil evitar que a pessoa
respire o produto que está disperso no ar do
que controlar a sua penetração pela pele ou a
sua ingestão.
9
AGENTE DEFINIÇÃO CONSEQUÊNCIA
Névoas
Partículas líquidas em
suspensão derivadas de:
pintura por pistola,
spray, processo de
lubrificação, etc.
Irritação dos olhos e
problemas alérgicos e
Pulmonares.
Neblinas
Partículas finas em
suspensão no ar
(pulverizações).
Atinge o sistema
respiratório
podendo ocasionar:
intoxicações,
dermatites e lesões
nos pulmões
10
Produtos
químicos
em geral
Podem englobar
qualquer uma
das formas de
riscos químicos
apresentadas
anteriormente
como: Soda cáustica,
thinner, graxa, óleos,
Agrotóxicos, solupan,
entre outros.
Ação depressiva ao
sistema nervoso,
danos aos diversos
Órgãos e ao sistema
formador de sangue.
AGENTE DEFINIÇÃO CONSEQUÊNCIA
11
EXISTEM TRÊS MEIOS DE PENETRAÇÃO NO ORGANISMO:
a) Inalação = quando se está num ambiente contaminado, pode-
se absorver uma substância nociva por inalação, isto é, pela
respiração.
b) Ingestão = ao engolir acidentalmente a substância tóxica. Isso
acontece quando é comido alimentos, contaminados por
substâncias tóxicas invisíveis a olho nu, no posto de trabalho
ou quando é feita refeições sem lavar previamente as mãos.
c) Via Cutânea = a pele pode absorver certas substancias,
mesmo que por poucos instantes. Dessa forma, a substância
tóxica pode atingir o sangue e causar danos à saúde.
12
PRINCIPAIS VIAS DE CONTAMINAÇÃO:
13
COMO O BENZENO PODE SER
ABSORVIDO POR OUTRAS VIAS?
• O benzeno e os produtos que o contêm (gasolina, por
exemplo), quando em contato com a pele, são absorvidos e
passam para a corrente sanguínea podendo provocar os
mesmos danos de quando é inalado. A absorção de vapor
de benzeno pela pele, no entanto, é muito baixa e não
excede 1% do que é absorvido pela respiração na mesma
condição (HANKE, DUTKIEWICZ, PIOTROWSKI, 2000), mas,
por se tratar de substância cancerígena, é significante do
ponto de vista do risco à saúde.
• A absorção pode ser mais rápida no caso de pele com
ferimento e o benzeno pode ser mais rapidamente
absorvido se estiver presente em uma mistura (gasolina,
por exemplo) ou como contaminante em solventes (OSHA).
• Em pesquisa realizada entre trabalhadores de
coqueria, verificou-se que a troca frequente
dos uniformes de trabalho diminuía a absorção
de benzeno pelo organismo. Assim, uma fonte
de absorção deste agente pela pele é a roupa
contaminada (COLEMAN; COLEMAN,
2006). A absorção pela pele é diferente nas
diferentes partes do corpo.
Também pode entrar pela boca. Em geral ocorre
acidentalmente quando se tem o hábito de comer,
beber ou fumar no ambiente de trabalho ou devido a
práticas inadequadas, como “puxar” gasolina do tanque
com a boca. Pode ser ingerido também através de água
contaminada (por exemplo, poço artesiano ou mesmo
poço comum nas redondezas de um posto de gasolina
ou de parque industrial onde este agente pode ser ou
pode ter sido utilizado
VÍDEO 01
VÍDEO 02
CONCEITOS BÁSICOS SOBRE
MONITORAMENTO AMBIENTAL
• Os riscos ambientais e para a saúde humana
decorrentes da exploração do Petróleo tem
como principais fatores:
• O Petróleo por representar a principal fonte
de energia. A grande dependência do
Petróleo e seus derivados na Sociedade
Contemporânea.
• Processo Produtivo e Exposição os riscos de
exposição estão presentes em todas as fases da
produção:
• Perfuração e Produção: Intoxicação por SO2, HC
voláteis etc.
• Transporte: Emissão de Gases e Vapores durantes
as transferências.
• Refino: Riscos potencialmente maiores: exposição
a compostos de enxofre, nitrogênio, monóxido de
carbono, gases inertes, HC Aromáticos e Alifáticos
etc.
• Distribuição: Óleos lubrificantes, efeito
desengorduraste dos combustíveis
A AVALIAÇÃO DE BENZENO NOS AMBIENTES DE
TRABALHO DEVE COMPREENDER AS SEGUINTES ETAPAs:
• 4.1 Reconhecimento/caracterização;
• a) Relação de todos os equipamentos (bombas,
tanques, vasos, colunas de extração, de destilação, de
secagem, reatores etc.) que contenham ou por onde
circule Benzeno puro ou em misturas, suas
características e localização no processo ou planta
industrial;
• b) Relação de todas as possíveis fontes de emissão de
vapores de Benzeno para a atmosfera (flanges, selos de
bombas, ventos, válvulas etc.) identificando a sua
localização no processo ou planta;
• c) Rescrição do processo produtivo enfatizando as
circunstâncias, fases do processo ou procedimentos
que podem contribuir para a contaminação dos
ambientes de trabalho pelo Benzeno;
• d) Quantidade de Benzeno processado (como matéria-
prima, como produto e como solvente, quando for o
caso);
• e) parâmetros operativos, como temperatura e
pressão, nas várias fases do processo e nos
equipamentos contendo ou por onde circulem
Benzeno;
• f) Diagrama de bloco ou fluxograma simplificado e
layout da planta industrial contendo as disposições dos
equipamentos e fontes relacionados nos itens “a” e “b”
acima;
• g) Descrição dos locais de trabalho, enfatizando se são
ambientes abertos ou fechados (se fechados, área e pé
direito), a ventilação natural determinada e a
existência ou não de equipamentos
• h) dados climáticos: temperatura do local de
trabalho, umidade relativa do ar e direção dos
ventos com as respectivas taxas de
predominância;
• i) interferência de áreas vizinhas aos locais de
trabalho.
• 4.2 Estratégia de avaliação;
VÍDEO FUNDACENTRO
OS LIMITES DE EXPOSIÇÃO
E a relação direta ente a concentração e a
intensidade dos efeitos.
A concentração das substâncias químicas é expressa
em ppm (partes por milhão) ou em mg/m3 .
Padrões adotados são os da ACGIH (EUA).
TLV ou LT: Valores Limites de Tolerância. Limite
de Ação: quando o nível da substância alcançar
50% do limite máximo permitido (PPRANR-9)
deverão ser da exposição
• É importante registrar que não existe limite seguro
para a exposição ao Benzeno.
• Limite de Exposição Permitido (PEL) estabelecido
pela OSHA (EUA): 1 ppm (3,2 mg/m3)
• Limite de Exposição (TLV-TWA) adotado pela ACGIH
(1998) é de 0,5 ppm (1,6 mg/m3).
• IARC – Agencia Internacional de Classificação do
Câncer: Benzeno: Grupo A1 – Carcinogênico Humano
Confirmado.
• Limite de Exposição Recomendado (REL) pela
NIOSH (EUA) e de 0.1 pp.
• Brasil: NR-15 estabelece o VRT (Valor de Referência
Tecnológico) para o Benzeno: 1,0 ppm para as
empresas abrangidas pelo Anexo 13-A e de 2,5 ppm
para as Siderúrgicas.
4.3 Avaliação inicial;
• Baseado nas informações levantadas no item
4.1, deve-se planejar e executar uma avaliação
inicial completa atendendo ao disposto no item
4.2. Os resultados dessa avaliação inicial serão
objeto de análise de acordo com o item.
4.4 Interpretação dos esultados/julgamento
profissional.
• a) Para proceder a interpretação os resultados
devem ser separados da seguinte forma: -
Avaliações individuais: para o turno inteiro,
períodos determinados, especiais tais como:
procedimentos, atividades e condições
operacionais. - Avaliações de área: para o turno
inteiro, contínua, períodos determinados,
especiais tais como: na verificação de eficiência
de medidas de controle, fontes de emissão,
estimativa de exposição ocupacional e condições
operacionais. Em cada caso devem ser separados
os resultados de curta duração (curta exposição).
CONCEITOS BÁSICOS SOBRE
MONITORAMENTO BIOLÓGICO
E DE SAÚDE;
• COMO PODEMOS SABER SE ESTAMOS
EXPOSTOS AO BENZENO?
• Através dos resultados das avaliações
ambientais qualitativas ou quantitativas
(quando necessárias) e do indicador biológico
de exposição.
EXAMES QUE DEVERÁ SER
FEITOS.
• 2.1.1. Anamnese clínico ocupacional;
• 2.1.2. Exame físico;
• 2.1.3. Exames complementares, compreendendo, no
mínimo, hemograma completo com contagem de
plaquetas e reticulócitos;
• 2.1.4. Dados epidemiológicos dos grupos de risco;
• 2.1.5. Dados toxicológicos dos grupos de risco obtidos
pela avaliação de indicadores biológicos de exposição,
aplicados de acordo com protocolo a ser desenvolvido
pelo Ministério da Saúde/ FIOCRUZ – CESTEH e
Ministério do Trabalho/FUNDACENTRO.
AVALIAÇÃO LABORATORIAL NA
EXPOSIÇÃO CRÔNICA
• A Produção dos Elementos do Sangue: a célula primitiva
(stem cell), leucócitos, hemácias e plaquetas.
• O Hemograma Normal
• Condições ideais para coleta e análise.
• Contagem de células: método manual, automatizado. O
valor leucocitário basal.
• Os exames seriados (a cada 6 meses), com contagem de
plaquetas e reticulócitos.
• As variações intraindividuais
• As controvérsias na interpretação dos resultados.
• A indicação da Punção de Medula Óssea: Mielograma
IBE – Indicador Biológico de Exposição
Acido Trans Mucônico na Urina
Valor de Referência : 0,5 mg/g de Creatinina.
Condições ideais para coleta e análise: trabalhador precisa estar em
atividade com exposição.
IBMP: 1,4 mg/g Creatinina.
Acido S-fenil-mercapturico na Urina (ACGIH)
Valor de Referência: 0,5 mg/g de Creatinina.
Condições ideais para coleta e análise: ao final da jornada de
trabalho.
IBMP: 25 mg/g Creatinina
SINAIS E SINTOMAS DE
INTOXICAÇÃO OCUPACIONAL
POR BENZENO;
O Benzeno e uma das substâncias químicas mais estudadas, os
primeiros casos relatados de envenenamento datam do Século
XIX.
Cronologia:
1862 - Inglaterra: 1o. Caso de intoxicação aguda.
1916 - Selling: casos de leucopenia e anemia.
1928 - Delore & Bergomano: leucemia.
1939 - Bowditch & Elkins, Hunter, Mallory: estudos dos
efeitos hematóxicos.
1970: Estudo dos efeitos citogenéticos e alterações
cromossômicas
PRINCIPAIS EFEITOS
HEMATÓXICOS
As principais alterações hematológicas são:
•Aplasias e hipoplasias de Medula Óssea: lesão na
célula essencial (stem cell).
• Citopenias: leucopenia, anemia e plaquetopenia.
• • “... existe uma variação de resposta para cada
pessoa, bem como e variável a suscetibilidade
individual, o quadro clinico e hematológico
apresenta por conseguinte grande variação”
ALTERAÇÕES NO SANGUE
PERIFÉRICO
• As principais alterações observadas no exame de
sangue (hemograma) de expostos ao benzeno são:
• Pancitopenia ou citopenia isolada:
• Leucopenia: queda dos glóbulos brancos
(Neutropenia, Linfopenia ou Inversão da Relação
Neutrófilo/Linfócito)
• Anemia: queda dos glóbulos vermelhos e/ou
Plaquetopenia: redução do no. de plaquetas.
• Anemia aplástica; e leucemia mielóide aguda.
EFEITOS AGUDOS A
EXPOSIÇÃO AO BENZENO.
• O benzeno em altas concentrações é uma
substância bastante irritante para as mucosas
(olhos, nariz, boca etc.) e, quando aspirado, pode
provocar edema (inflamação aguda) pulmonar e
hemorragia nas áreas de contato.
• Também provoca efeitos tóxicos para o sistema
nervoso central, causando, de acordo com a
quantidade absorvida: períodos de sonolência e
excitação, tontura, dor de cabeça, enjoo, náusea,
taquicardia, dificuldade respiratória, tremores,
convulsão, perda da consciência e morte.
MEDIDAS DE PREVENÇÃO;
• Medidas administrativas
• Abastecimento Só até o Automático -Com a
aprovação do anexo II da NR 9 fica proibido
em todo território nacional abastecer o veículo,
após o acionamento da trava de segurança da
bomba. Os postos terão um ano para se adaptar
a essa regra.
MEDIDAS DE PREVENÇÃO;
• Protetor de Respingo – só podem ser
utilizados materiais que tenham sido
projetados para a contenção de respingos
(protetores de respingo) e extravasamentos de
combustíveis líquidos contendo benzeno
durante o abastecimento e outras atividades.
(Artigo 9.6
• Chupeta com Mangueira nunca mais - Fica
vedada transferência de combustível líquido
contendo benzeno de veículo a veículo
automotor ou de quaisquer recipientes para
veículo automotor com uso de mangueira por
sucção oral
MEDIDAS DE PREVENÇÃO;
• Flanela e Panos estão Proibidos -Cabe ao
empregador proibir a utilização de flanela,
estopa e tecidos similares para a contenção de
respingos e extravasamentos nas atividades
referidas no item 9.7
MEDIDAS DE PREVENÇÃO;
Tolhas de Papel Absorvente - Para a limpeza de superfícies contaminadas com
combustíveis líquidos contendo benzeno, será admitido apenas o uso de tolhas
de papel absorvente, desde que o trabalhador esteja utilizando luvas
impermeáveis apropriadas. O material referido no item 9.8 só pode ser utilizado
uma única vez, devendo, a seguir, ser acondicionado para posterior descarte em
recipiente apropriado para esta finalidade, que deve estar disponível próximo à
área de operação. ( Artigo 9.8).
Capacitação dos Colaboradores – Os trabalhadores que exercem atividades
com risco de exposição ocupacional ao benzeno terão que fazer curso de
capacitação com carga horária de 4 horas. O curso deverá ser renovado a cada
dois anos (Artigo 5.2). As empresas terão até 24 meses para implantar essa
medida. No curso, os trabalhadores receberão orientação sobre o risco de
exposição ao benzeno, conceitos básicos sobre monitoramento ambiental,
biológico e de saúde, além de tomarem conhecimento dos sintomas e sinais de
intoxicação ocupacional pelo produto
MEDIDAS DE PREVENÇÃO;
Sinalização referente ao Benzeno – Os Postos Revendedores
devem manter sinalização, em local visível, na altura das bombas
de abastecimento de combustíveis líquidos contendo benzeno,
indicando os riscos dessa substância, nas dimensões de 20 x 14 cm
com os dizeres: “A GASOLINA CONTÉM BENZENO,
SUBSTÂNCIA CANCERÍGENA. RISCO À SAÚDE.” (Artigo
13.1). A medida visa conscientizar o trabalhador e a sociedade
sobre os riscos de contaminação pelo benzeno contido na gasolina
Bicos Automáticos -Todas as bombas de abastecimento de
combustíveis líquidos contendo benzeno devem estar
equipadas com bicos automáticos. (Artigo 9.4).
MEDIDAS DE PREVENÇÃO
• Área Exclusiva para Amostras – Os Postos
Revendedores devem dispor de área exclusiva
para armazenamento de amostras coletadas de
combustíveis líquidos contendo benzeno,
dotada de ventilação e temperatura adequadas
e afastada de outras áreas de trabalho, dos
locais de tomada de refeições e de vestiários.
(Artigo 10.1)
MEDIDAS DE PREVENÇÃO
• Qualidade do Ar - Os Postos Revendedores devem
adotar medidas para garantir a qualidade do ar em seus
ambientes internos anexos às áreas de abastecimentos,
de descarregamento e de respiros de tanques de
combustíveis líquidos contendo benzeno, como
escritórios, lojas de conveniência e outros. ( Artigo 10.2
). Os sistemas de climatização que captam ar do
ambiente externo ou outro de igual eficiência devem ser
instalados de forma a evitar a contaminação dos
ambientes internos por vapores de combustíveis
líquidos contendo benzeno proveniente daquelas áreas.
MEDIDAS DE PREVENÇÃO
• Sistema de Recuperação de Vapores – Os
Postos Revendedores devem instalar sistema
de recuperação de vapores instalado nos bicos
de abastecimento das bombas de combustíveis
líquidos contendo benzeno, que direcione
esses vapores para o tanque de combustível do
próprio posto ou para um equipamento de
tratamento de vapores.
EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
ANTES QUE ESQUEÇA.
EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
• ÓCULOS AMPLA VISÃO
EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
• CALÇADO DE SEGURANÇA
EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
• RESPIRATÓRIA DE FACE INTEIRA, COM FILTRO
PARA VAPORES ORGÂNICOS
EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
• LUVA NITRILICA
EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
• OS EPIS DEVERÁ SER USADOS NAS SEGUINTES ATIVIDADE.
• a) Conferência do produto no caminhão-tanque no ato do descarregamento;
• b) Coleta de amostras no caminhão-tanque com amostrador específico;
• c) Medição volumétrica de tanque subterrâneo com régua;
• d) Estacionamento do caminhão, aterramento e conexão via mangotes aos
tanques subterrâneos;
• e) Carregamento de combustíveis para os tanques subterrâneos;
• f) Desconexão dos mangotes e retirada do conteúdo residual;
• g) Abastecimento de combustível para veículos;
• h) Abastecimento de combustíveis em recipientes certificados;
• i) Análises físico-químicas para o controle de qualidade dos produtos
comercializados;
• j) Limpeza de válvulas, bombas e seus compartimentos de contenção de
vazamentos;
• k) Esgotamento e limpeza de caixas separadoras;
• l) Limpeza de caixas de passagem e canaletas;
• m) Aferição de bombas de abastecimento; n) manutenção operacional de bombas;
• o) Manutenção e reforma do sistema de abastecimento subterrâneo de combustível
(SASC);
• p) Outras operações e atividades passíveis de exposição ao benzeno.
12.1.1 Os trabalhadores que realizem, direta ou indiretamente, as atividades
críticas listadas no subitem 5.1.1.1, exceto as alíneas "d", "g" e "h", e,
inclusive, no caso de atividade de descarga selada, alínea "e", devem utilizar
equipamento de proteção respiratória de face inteira, com filtro para vapores
orgânicos, assim como, equipamentos de proteção para a pele. (Alterado pela
Portaria MTb n.º 871, de 06 de julho de 2017)
PROCEDIMENTOS DE
EMERGÊNCIA;
CARACTERIZAÇÃO BÁSICA DAS
INSTALAÇÕES
ATIVIDADES DE RISCO E PONTOS DE POSSÍVEIS
EMISSÕES DE BENZENO;
• a) Conferência do produto no caminhão-tanque no ato do descarregamento;
• b) Coleta de amostras no caminhão-tanque com amostrador específico;
• c) Medição volumétrica de tanque subterrâneo com régua;
• d) Estacionamento do caminhão, aterramento e conexão via mangotes aos tanques
subterrâneos;
• e) Carregamento de combustíveis para os tanques subterrâneos;
• f) Desconexão dos mangotes e retirada do conteúdo residual;
• g) Abastecimento de combustível para veículos;
• h) Abastecimento de combustíveis em recipientes certificados;
• i) Análises físico-químicas para o controle de qualidade dos produtos
comercializados;
• j) Limpeza de válvulas, bombas e seus compartimentos de contenção de
vazamentos;
• k) Esgotamento e limpeza de caixas separadoras;
• l) Limpeza de caixas de passagem e canaletas;
• m) Aferição de bombas de abastecimento; n) manutenção operacional de bombas;
• o) Manutenção e reforma do sistema de abastecimento subterrâneo de combustível
(SASC);
• p) Outras operações e atividades passíveis de exposição ao benzeno.
DISPOSITIVOS LEGAIS SOBRE O
BENZENO.
• CONSOLIDAÇÃO DAS LEGISLAÇÃO
SOBRE O BENZENO
• http://www.protecao.com.br/upload/proteca
o_materiaarquivo/495.pdf.
OBRIGADO A TODOS !.
RESPEITE A VIDA, TRABALHE COM
SEGURANÇA!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

MODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRAS
MODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRASMODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRAS
MODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRASMateus Borges
 
MODELO DE PGR PRONTO E COMPLETO192518-convertido.docx
MODELO DE PGR PRONTO E COMPLETO192518-convertido.docxMODELO DE PGR PRONTO E COMPLETO192518-convertido.docx
MODELO DE PGR PRONTO E COMPLETO192518-convertido.docxrosanavasconcelosdeo
 
Modelo de PGR.pdf
Modelo de PGR.pdfModelo de PGR.pdf
Modelo de PGR.pdfNelmaLeite1
 
Treinamento PPR - Proteção respiratória
Treinamento PPR - Proteção respiratóriaTreinamento PPR - Proteção respiratória
Treinamento PPR - Proteção respiratóriaClaudio Cesar Pontes ن
 
272517435 curso-nr20-basico-ppt
272517435 curso-nr20-basico-ppt272517435 curso-nr20-basico-ppt
272517435 curso-nr20-basico-pptWilliam Breternitz
 
Treinamento percepção de risco
Treinamento percepção de riscoTreinamento percepção de risco
Treinamento percepção de riscoSara Jaqueline
 
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoPalestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoHP Safety Engenharia
 
Treinamento Trabalho em Altura - Atualizado 2023
Treinamento Trabalho em Altura - Atualizado 2023Treinamento Trabalho em Altura - Atualizado 2023
Treinamento Trabalho em Altura - Atualizado 2023José Valfrido
 

Mais procurados (20)

MODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRAS
MODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRASMODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRAS
MODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRAS
 
Treinamento nr 20
Treinamento nr 20Treinamento nr 20
Treinamento nr 20
 
MODELO DE PGR PRONTO E COMPLETO192518-convertido.docx
MODELO DE PGR PRONTO E COMPLETO192518-convertido.docxMODELO DE PGR PRONTO E COMPLETO192518-convertido.docx
MODELO DE PGR PRONTO E COMPLETO192518-convertido.docx
 
Modelo de PGR.pdf
Modelo de PGR.pdfModelo de PGR.pdf
Modelo de PGR.pdf
 
Treinamento PPR - Proteção respiratória
Treinamento PPR - Proteção respiratóriaTreinamento PPR - Proteção respiratória
Treinamento PPR - Proteção respiratória
 
272517435 curso-nr20-basico-ppt
272517435 curso-nr20-basico-ppt272517435 curso-nr20-basico-ppt
272517435 curso-nr20-basico-ppt
 
Certificado nr 12
Certificado nr 12Certificado nr 12
Certificado nr 12
 
Atos inseguros
Atos insegurosAtos inseguros
Atos inseguros
 
Nr 23
Nr 23Nr 23
Nr 23
 
Treinamento nr 06 epi
Treinamento nr  06   epiTreinamento nr  06   epi
Treinamento nr 06 epi
 
Treinamento percepção de risco
Treinamento percepção de riscoTreinamento percepção de risco
Treinamento percepção de risco
 
NR - 18 Construção Civil (Oficial)
NR - 18 Construção Civil (Oficial)NR - 18 Construção Civil (Oficial)
NR - 18 Construção Civil (Oficial)
 
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoPalestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
 
GRO & PGR - GERENCIAMENTO DE RISCOS OCUPACIONAIS
GRO & PGR - GERENCIAMENTO DE RISCOS OCUPACIONAISGRO & PGR - GERENCIAMENTO DE RISCOS OCUPACIONAIS
GRO & PGR - GERENCIAMENTO DE RISCOS OCUPACIONAIS
 
O.S Ordem de Serviço - NR1
O.S   Ordem de Serviço - NR1O.S   Ordem de Serviço - NR1
O.S Ordem de Serviço - NR1
 
Treinamento NR-12
Treinamento NR-12Treinamento NR-12
Treinamento NR-12
 
Treinamento Trabalho em Altura - Atualizado 2023
Treinamento Trabalho em Altura - Atualizado 2023Treinamento Trabalho em Altura - Atualizado 2023
Treinamento Trabalho em Altura - Atualizado 2023
 
Inspeção de segurança
Inspeção de segurançaInspeção de segurança
Inspeção de segurança
 
Treinamento de integração nr 1 upload
Treinamento de integração nr 1 uploadTreinamento de integração nr 1 upload
Treinamento de integração nr 1 upload
 
Conceito Risco x Perigo
Conceito Risco x PerigoConceito Risco x Perigo
Conceito Risco x Perigo
 

Semelhante a Treinamento sobre riscos do benzeno

Semelhante a Treinamento sobre riscos do benzeno (20)

APOSTILA NR09 .pdf
APOSTILA NR09 .pdfAPOSTILA NR09 .pdf
APOSTILA NR09 .pdf
 
Carcinogênicos (1).pdf
Carcinogênicos (1).pdfCarcinogênicos (1).pdf
Carcinogênicos (1).pdf
 
Apresentacao carcinogenicos
Apresentacao carcinogenicosApresentacao carcinogenicos
Apresentacao carcinogenicos
 
treinamneto benzeno.pdf
treinamneto benzeno.pdftreinamneto benzeno.pdf
treinamneto benzeno.pdf
 
Cartilha voce-sabe-oque-tem-combustivel-2017
Cartilha voce-sabe-oque-tem-combustivel-2017Cartilha voce-sabe-oque-tem-combustivel-2017
Cartilha voce-sabe-oque-tem-combustivel-2017
 
Baker 9175-03-4 l cloroformio
Baker 9175-03-4 l cloroformioBaker 9175-03-4 l cloroformio
Baker 9175-03-4 l cloroformio
 
Riscos químicos
Riscos químicos Riscos químicos
Riscos químicos
 
Capítulo 15 benzeno, tolueno e xileno
Capítulo 15   benzeno, tolueno e xilenoCapítulo 15   benzeno, tolueno e xileno
Capítulo 15 benzeno, tolueno e xileno
 
Agte quimico 19 02 08
Agte quimico 19 02 08Agte quimico 19 02 08
Agte quimico 19 02 08
 
Agte quimico 19 02 08
Agte quimico 19 02 08Agte quimico 19 02 08
Agte quimico 19 02 08
 
Agte quimico 19 02 08
Agte quimico 19 02 08Agte quimico 19 02 08
Agte quimico 19 02 08
 
Benzeno
BenzenoBenzeno
Benzeno
 
Saúde e segurança
Saúde e segurançaSaúde e segurança
Saúde e segurança
 
MANUAL UFCD 3778- AGENTES QUIMICOS.doc
MANUAL UFCD 3778- AGENTES QUIMICOS.docMANUAL UFCD 3778- AGENTES QUIMICOS.doc
MANUAL UFCD 3778- AGENTES QUIMICOS.doc
 
Protecao respiratoria-cosipa
Protecao respiratoria-cosipaProtecao respiratoria-cosipa
Protecao respiratoria-cosipa
 
Fispq exemplo
Fispq exemploFispq exemplo
Fispq exemplo
 
Protecaorespiratoria
ProtecaorespiratoriaProtecaorespiratoria
Protecaorespiratoria
 
Módulo - responsabilidades e reconhecimento de riscos
Módulo - responsabilidades e reconhecimento de riscosMódulo - responsabilidades e reconhecimento de riscos
Módulo - responsabilidades e reconhecimento de riscos
 
Modulo responsabilidades e reconhecimento de riscos
Modulo   responsabilidades e reconhecimento de riscosModulo   responsabilidades e reconhecimento de riscos
Modulo responsabilidades e reconhecimento de riscos
 
Poluição por gases e vapores
Poluição por gases e vaporesPoluição por gases e vapores
Poluição por gases e vapores
 

Treinamento sobre riscos do benzeno

  • 1. TREINAMENTO DE SEGURANÇA NO TRABALHO PARAATIVIDADES EXPOSTAS AO BENZENO.
  • 2. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO a) Riscos de exposição ao benzeno e vias de absorção; b) Conceitos básicos sobre monitoramento ambiental, biológico e de saúde; c) Sinais e sintomas de intoxicação ocupacional por benzeno; d) Medidas de prevenção; e) Procedimentos de emergência; f) Caracterização básica das instalações, atividades de risco e pontos de possíveis emissões de benzeno; g) Dispositivos legais sobre o benzeno
  • 3. O Benzeno é um hidrocarboneto aromático, proveniente de produtos à base de Petróleo, de aroma/odor doce e extremamente prejudicial à saúde e a segurança. Além de suas características favoráveis a combustão, o benzeno possui rápida vaporização no ar à temperaturas um pouco mais altas, e oferece riscos de incêndios e explosões por ser altamente inflamável. O QUE É O BENZENO ? É um produto tóxico e cancerígeno, por isso, em exposições agudas (altas concentrações) ou em exposições crônicas (baixas concentrações em um período longo de tempo) podem causar diversos problemas à saúde, levando até mesmo ao câncer e ao benzenismo.Os principais expostos ocupacionalmente são os frentistas ou profissionais que se relacionam direta ou indiretamente com bombas de combustíveis (especialmente a Gasolina) em postos de revenda ao consumidor fina
  • 4. POR QUE BENZENO? • Segundo publicação do PNUMA (Programa das nações Unidas para o meio ambiente), 7 produtos químicos orgânicos servem como a matéria-prima para dezenas de milhares de outros produtos químicos: metanol, etileno, propileno, butadieno, xileno, benzeno e tolueno.Entre eles o benzeno é o quinto mais produzido no mundo!
  • 5. COMO O BENZENO ENTRA EM NOSSO CORPO? • O benzeno pode entrar em nosso corpo principalmente através da respiração, da pele e, em alguns casos, pela ingestão.
  • 6. • Ele é totalmente absorvido pelo nosso corpo? • A maior parte do benzeno que nós respiramos é eliminada pela expiração. O que é absorvido na corrente sanguínea se acumula principalmente em tecidos com alto teor de lipídios. A absorção varia entre 10% a 50% dependendo da dose, do metabolismo e da quantidade de gordura presente no organismo. Na sua forma inalterada, o benzeno é eliminado através do ar expirado e em torno de 0,1%, apenas, é eliminado na urina. O que continua no organismo é transformado principalmente no fígado e na medula óssea e eliminado na urina na forma de metabólitos (em epecial fenol, catecol, hidroquinona, ácido fenil mercaptúrico e ácido trans, trans mucônico). A ingestão de alimentos ou água com níveis altos de benzeno pode causar vômitos, irritação gástrica, tonteira, convulsões, taquicardia, coma e morte (ATSDR, 2007). Também é absorvido através da pele. A absorção é mais rápida quando há algum ferimento (OSHA).
  • 7. QUAL É A PRINCIPAL VIA PELA QUAL O BENZENO PENETRA NO CORPO? • A respiração é a via mais importante de absorção, pois a área do nosso sistema respiratório capaz de absorver o benzeno é muito grande. • Além disso, é mais difícil evitar que a pessoa respire o produto que está disperso no ar do que controlar a sua penetração pela pele ou a sua ingestão.
  • 8.
  • 9. 9 AGENTE DEFINIÇÃO CONSEQUÊNCIA Névoas Partículas líquidas em suspensão derivadas de: pintura por pistola, spray, processo de lubrificação, etc. Irritação dos olhos e problemas alérgicos e Pulmonares. Neblinas Partículas finas em suspensão no ar (pulverizações). Atinge o sistema respiratório podendo ocasionar: intoxicações, dermatites e lesões nos pulmões
  • 10. 10 Produtos químicos em geral Podem englobar qualquer uma das formas de riscos químicos apresentadas anteriormente como: Soda cáustica, thinner, graxa, óleos, Agrotóxicos, solupan, entre outros. Ação depressiva ao sistema nervoso, danos aos diversos Órgãos e ao sistema formador de sangue. AGENTE DEFINIÇÃO CONSEQUÊNCIA
  • 11. 11 EXISTEM TRÊS MEIOS DE PENETRAÇÃO NO ORGANISMO: a) Inalação = quando se está num ambiente contaminado, pode- se absorver uma substância nociva por inalação, isto é, pela respiração. b) Ingestão = ao engolir acidentalmente a substância tóxica. Isso acontece quando é comido alimentos, contaminados por substâncias tóxicas invisíveis a olho nu, no posto de trabalho ou quando é feita refeições sem lavar previamente as mãos. c) Via Cutânea = a pele pode absorver certas substancias, mesmo que por poucos instantes. Dessa forma, a substância tóxica pode atingir o sangue e causar danos à saúde.
  • 12. 12 PRINCIPAIS VIAS DE CONTAMINAÇÃO:
  • 13. 13
  • 14.
  • 15. COMO O BENZENO PODE SER ABSORVIDO POR OUTRAS VIAS? • O benzeno e os produtos que o contêm (gasolina, por exemplo), quando em contato com a pele, são absorvidos e passam para a corrente sanguínea podendo provocar os mesmos danos de quando é inalado. A absorção de vapor de benzeno pela pele, no entanto, é muito baixa e não excede 1% do que é absorvido pela respiração na mesma condição (HANKE, DUTKIEWICZ, PIOTROWSKI, 2000), mas, por se tratar de substância cancerígena, é significante do ponto de vista do risco à saúde. • A absorção pode ser mais rápida no caso de pele com ferimento e o benzeno pode ser mais rapidamente absorvido se estiver presente em uma mistura (gasolina, por exemplo) ou como contaminante em solventes (OSHA).
  • 16. • Em pesquisa realizada entre trabalhadores de coqueria, verificou-se que a troca frequente dos uniformes de trabalho diminuía a absorção de benzeno pelo organismo. Assim, uma fonte de absorção deste agente pela pele é a roupa contaminada (COLEMAN; COLEMAN, 2006). A absorção pela pele é diferente nas diferentes partes do corpo.
  • 17.
  • 18. Também pode entrar pela boca. Em geral ocorre acidentalmente quando se tem o hábito de comer, beber ou fumar no ambiente de trabalho ou devido a práticas inadequadas, como “puxar” gasolina do tanque com a boca. Pode ser ingerido também através de água contaminada (por exemplo, poço artesiano ou mesmo poço comum nas redondezas de um posto de gasolina ou de parque industrial onde este agente pode ser ou pode ter sido utilizado
  • 21. CONCEITOS BÁSICOS SOBRE MONITORAMENTO AMBIENTAL • Os riscos ambientais e para a saúde humana decorrentes da exploração do Petróleo tem como principais fatores: • O Petróleo por representar a principal fonte de energia. A grande dependência do Petróleo e seus derivados na Sociedade Contemporânea.
  • 22. • Processo Produtivo e Exposição os riscos de exposição estão presentes em todas as fases da produção: • Perfuração e Produção: Intoxicação por SO2, HC voláteis etc. • Transporte: Emissão de Gases e Vapores durantes as transferências. • Refino: Riscos potencialmente maiores: exposição a compostos de enxofre, nitrogênio, monóxido de carbono, gases inertes, HC Aromáticos e Alifáticos etc. • Distribuição: Óleos lubrificantes, efeito desengorduraste dos combustíveis
  • 23. A AVALIAÇÃO DE BENZENO NOS AMBIENTES DE TRABALHO DEVE COMPREENDER AS SEGUINTES ETAPAs: • 4.1 Reconhecimento/caracterização;
  • 24. • a) Relação de todos os equipamentos (bombas, tanques, vasos, colunas de extração, de destilação, de secagem, reatores etc.) que contenham ou por onde circule Benzeno puro ou em misturas, suas características e localização no processo ou planta industrial; • b) Relação de todas as possíveis fontes de emissão de vapores de Benzeno para a atmosfera (flanges, selos de bombas, ventos, válvulas etc.) identificando a sua localização no processo ou planta; • c) Rescrição do processo produtivo enfatizando as circunstâncias, fases do processo ou procedimentos que podem contribuir para a contaminação dos ambientes de trabalho pelo Benzeno;
  • 25. • d) Quantidade de Benzeno processado (como matéria- prima, como produto e como solvente, quando for o caso); • e) parâmetros operativos, como temperatura e pressão, nas várias fases do processo e nos equipamentos contendo ou por onde circulem Benzeno; • f) Diagrama de bloco ou fluxograma simplificado e layout da planta industrial contendo as disposições dos equipamentos e fontes relacionados nos itens “a” e “b” acima; • g) Descrição dos locais de trabalho, enfatizando se são ambientes abertos ou fechados (se fechados, área e pé direito), a ventilação natural determinada e a existência ou não de equipamentos
  • 26. • h) dados climáticos: temperatura do local de trabalho, umidade relativa do ar e direção dos ventos com as respectivas taxas de predominância; • i) interferência de áreas vizinhas aos locais de trabalho.
  • 27. • 4.2 Estratégia de avaliação; VÍDEO FUNDACENTRO
  • 28. OS LIMITES DE EXPOSIÇÃO E a relação direta ente a concentração e a intensidade dos efeitos. A concentração das substâncias químicas é expressa em ppm (partes por milhão) ou em mg/m3 . Padrões adotados são os da ACGIH (EUA). TLV ou LT: Valores Limites de Tolerância. Limite de Ação: quando o nível da substância alcançar 50% do limite máximo permitido (PPRANR-9) deverão ser da exposição
  • 29. • É importante registrar que não existe limite seguro para a exposição ao Benzeno. • Limite de Exposição Permitido (PEL) estabelecido pela OSHA (EUA): 1 ppm (3,2 mg/m3) • Limite de Exposição (TLV-TWA) adotado pela ACGIH (1998) é de 0,5 ppm (1,6 mg/m3). • IARC – Agencia Internacional de Classificação do Câncer: Benzeno: Grupo A1 – Carcinogênico Humano Confirmado. • Limite de Exposição Recomendado (REL) pela NIOSH (EUA) e de 0.1 pp. • Brasil: NR-15 estabelece o VRT (Valor de Referência Tecnológico) para o Benzeno: 1,0 ppm para as empresas abrangidas pelo Anexo 13-A e de 2,5 ppm para as Siderúrgicas.
  • 30. 4.3 Avaliação inicial; • Baseado nas informações levantadas no item 4.1, deve-se planejar e executar uma avaliação inicial completa atendendo ao disposto no item 4.2. Os resultados dessa avaliação inicial serão objeto de análise de acordo com o item.
  • 31. 4.4 Interpretação dos esultados/julgamento profissional. • a) Para proceder a interpretação os resultados devem ser separados da seguinte forma: - Avaliações individuais: para o turno inteiro, períodos determinados, especiais tais como: procedimentos, atividades e condições operacionais. - Avaliações de área: para o turno inteiro, contínua, períodos determinados, especiais tais como: na verificação de eficiência de medidas de controle, fontes de emissão, estimativa de exposição ocupacional e condições operacionais. Em cada caso devem ser separados os resultados de curta duração (curta exposição).
  • 32. CONCEITOS BÁSICOS SOBRE MONITORAMENTO BIOLÓGICO E DE SAÚDE; • COMO PODEMOS SABER SE ESTAMOS EXPOSTOS AO BENZENO? • Através dos resultados das avaliações ambientais qualitativas ou quantitativas (quando necessárias) e do indicador biológico de exposição.
  • 33.
  • 34. EXAMES QUE DEVERÁ SER FEITOS. • 2.1.1. Anamnese clínico ocupacional; • 2.1.2. Exame físico; • 2.1.3. Exames complementares, compreendendo, no mínimo, hemograma completo com contagem de plaquetas e reticulócitos; • 2.1.4. Dados epidemiológicos dos grupos de risco; • 2.1.5. Dados toxicológicos dos grupos de risco obtidos pela avaliação de indicadores biológicos de exposição, aplicados de acordo com protocolo a ser desenvolvido pelo Ministério da Saúde/ FIOCRUZ – CESTEH e Ministério do Trabalho/FUNDACENTRO.
  • 35. AVALIAÇÃO LABORATORIAL NA EXPOSIÇÃO CRÔNICA • A Produção dos Elementos do Sangue: a célula primitiva (stem cell), leucócitos, hemácias e plaquetas. • O Hemograma Normal • Condições ideais para coleta e análise. • Contagem de células: método manual, automatizado. O valor leucocitário basal. • Os exames seriados (a cada 6 meses), com contagem de plaquetas e reticulócitos. • As variações intraindividuais • As controvérsias na interpretação dos resultados. • A indicação da Punção de Medula Óssea: Mielograma
  • 36. IBE – Indicador Biológico de Exposição Acido Trans Mucônico na Urina Valor de Referência : 0,5 mg/g de Creatinina. Condições ideais para coleta e análise: trabalhador precisa estar em atividade com exposição. IBMP: 1,4 mg/g Creatinina. Acido S-fenil-mercapturico na Urina (ACGIH) Valor de Referência: 0,5 mg/g de Creatinina. Condições ideais para coleta e análise: ao final da jornada de trabalho. IBMP: 25 mg/g Creatinina
  • 37. SINAIS E SINTOMAS DE INTOXICAÇÃO OCUPACIONAL POR BENZENO; O Benzeno e uma das substâncias químicas mais estudadas, os primeiros casos relatados de envenenamento datam do Século XIX. Cronologia: 1862 - Inglaterra: 1o. Caso de intoxicação aguda. 1916 - Selling: casos de leucopenia e anemia. 1928 - Delore & Bergomano: leucemia. 1939 - Bowditch & Elkins, Hunter, Mallory: estudos dos efeitos hematóxicos. 1970: Estudo dos efeitos citogenéticos e alterações cromossômicas
  • 38. PRINCIPAIS EFEITOS HEMATÓXICOS As principais alterações hematológicas são: •Aplasias e hipoplasias de Medula Óssea: lesão na célula essencial (stem cell). • Citopenias: leucopenia, anemia e plaquetopenia. • • “... existe uma variação de resposta para cada pessoa, bem como e variável a suscetibilidade individual, o quadro clinico e hematológico apresenta por conseguinte grande variação”
  • 39. ALTERAÇÕES NO SANGUE PERIFÉRICO • As principais alterações observadas no exame de sangue (hemograma) de expostos ao benzeno são: • Pancitopenia ou citopenia isolada: • Leucopenia: queda dos glóbulos brancos (Neutropenia, Linfopenia ou Inversão da Relação Neutrófilo/Linfócito) • Anemia: queda dos glóbulos vermelhos e/ou Plaquetopenia: redução do no. de plaquetas. • Anemia aplástica; e leucemia mielóide aguda.
  • 40. EFEITOS AGUDOS A EXPOSIÇÃO AO BENZENO. • O benzeno em altas concentrações é uma substância bastante irritante para as mucosas (olhos, nariz, boca etc.) e, quando aspirado, pode provocar edema (inflamação aguda) pulmonar e hemorragia nas áreas de contato. • Também provoca efeitos tóxicos para o sistema nervoso central, causando, de acordo com a quantidade absorvida: períodos de sonolência e excitação, tontura, dor de cabeça, enjoo, náusea, taquicardia, dificuldade respiratória, tremores, convulsão, perda da consciência e morte.
  • 41. MEDIDAS DE PREVENÇÃO; • Medidas administrativas • Abastecimento Só até o Automático -Com a aprovação do anexo II da NR 9 fica proibido em todo território nacional abastecer o veículo, após o acionamento da trava de segurança da bomba. Os postos terão um ano para se adaptar a essa regra.
  • 42.
  • 43. MEDIDAS DE PREVENÇÃO; • Protetor de Respingo – só podem ser utilizados materiais que tenham sido projetados para a contenção de respingos (protetores de respingo) e extravasamentos de combustíveis líquidos contendo benzeno durante o abastecimento e outras atividades. (Artigo 9.6
  • 44. • Chupeta com Mangueira nunca mais - Fica vedada transferência de combustível líquido contendo benzeno de veículo a veículo automotor ou de quaisquer recipientes para veículo automotor com uso de mangueira por sucção oral
  • 45. MEDIDAS DE PREVENÇÃO; • Flanela e Panos estão Proibidos -Cabe ao empregador proibir a utilização de flanela, estopa e tecidos similares para a contenção de respingos e extravasamentos nas atividades referidas no item 9.7
  • 46. MEDIDAS DE PREVENÇÃO; Tolhas de Papel Absorvente - Para a limpeza de superfícies contaminadas com combustíveis líquidos contendo benzeno, será admitido apenas o uso de tolhas de papel absorvente, desde que o trabalhador esteja utilizando luvas impermeáveis apropriadas. O material referido no item 9.8 só pode ser utilizado uma única vez, devendo, a seguir, ser acondicionado para posterior descarte em recipiente apropriado para esta finalidade, que deve estar disponível próximo à área de operação. ( Artigo 9.8). Capacitação dos Colaboradores – Os trabalhadores que exercem atividades com risco de exposição ocupacional ao benzeno terão que fazer curso de capacitação com carga horária de 4 horas. O curso deverá ser renovado a cada dois anos (Artigo 5.2). As empresas terão até 24 meses para implantar essa medida. No curso, os trabalhadores receberão orientação sobre o risco de exposição ao benzeno, conceitos básicos sobre monitoramento ambiental, biológico e de saúde, além de tomarem conhecimento dos sintomas e sinais de intoxicação ocupacional pelo produto
  • 47. MEDIDAS DE PREVENÇÃO; Sinalização referente ao Benzeno – Os Postos Revendedores devem manter sinalização, em local visível, na altura das bombas de abastecimento de combustíveis líquidos contendo benzeno, indicando os riscos dessa substância, nas dimensões de 20 x 14 cm com os dizeres: “A GASOLINA CONTÉM BENZENO, SUBSTÂNCIA CANCERÍGENA. RISCO À SAÚDE.” (Artigo 13.1). A medida visa conscientizar o trabalhador e a sociedade sobre os riscos de contaminação pelo benzeno contido na gasolina Bicos Automáticos -Todas as bombas de abastecimento de combustíveis líquidos contendo benzeno devem estar equipadas com bicos automáticos. (Artigo 9.4).
  • 48. MEDIDAS DE PREVENÇÃO • Área Exclusiva para Amostras – Os Postos Revendedores devem dispor de área exclusiva para armazenamento de amostras coletadas de combustíveis líquidos contendo benzeno, dotada de ventilação e temperatura adequadas e afastada de outras áreas de trabalho, dos locais de tomada de refeições e de vestiários. (Artigo 10.1)
  • 49. MEDIDAS DE PREVENÇÃO • Qualidade do Ar - Os Postos Revendedores devem adotar medidas para garantir a qualidade do ar em seus ambientes internos anexos às áreas de abastecimentos, de descarregamento e de respiros de tanques de combustíveis líquidos contendo benzeno, como escritórios, lojas de conveniência e outros. ( Artigo 10.2 ). Os sistemas de climatização que captam ar do ambiente externo ou outro de igual eficiência devem ser instalados de forma a evitar a contaminação dos ambientes internos por vapores de combustíveis líquidos contendo benzeno proveniente daquelas áreas.
  • 50. MEDIDAS DE PREVENÇÃO • Sistema de Recuperação de Vapores – Os Postos Revendedores devem instalar sistema de recuperação de vapores instalado nos bicos de abastecimento das bombas de combustíveis líquidos contendo benzeno, que direcione esses vapores para o tanque de combustível do próprio posto ou para um equipamento de tratamento de vapores.
  • 51.
  • 52. EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL ANTES QUE ESQUEÇA.
  • 53. EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
  • 54. EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL • ÓCULOS AMPLA VISÃO
  • 55. EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL • CALÇADO DE SEGURANÇA
  • 56. EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL • RESPIRATÓRIA DE FACE INTEIRA, COM FILTRO PARA VAPORES ORGÂNICOS
  • 57. EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL • LUVA NITRILICA
  • 58. EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL • OS EPIS DEVERÁ SER USADOS NAS SEGUINTES ATIVIDADE. • a) Conferência do produto no caminhão-tanque no ato do descarregamento; • b) Coleta de amostras no caminhão-tanque com amostrador específico; • c) Medição volumétrica de tanque subterrâneo com régua; • d) Estacionamento do caminhão, aterramento e conexão via mangotes aos tanques subterrâneos; • e) Carregamento de combustíveis para os tanques subterrâneos; • f) Desconexão dos mangotes e retirada do conteúdo residual; • g) Abastecimento de combustível para veículos; • h) Abastecimento de combustíveis em recipientes certificados; • i) Análises físico-químicas para o controle de qualidade dos produtos comercializados; • j) Limpeza de válvulas, bombas e seus compartimentos de contenção de vazamentos; • k) Esgotamento e limpeza de caixas separadoras; • l) Limpeza de caixas de passagem e canaletas; • m) Aferição de bombas de abastecimento; n) manutenção operacional de bombas; • o) Manutenção e reforma do sistema de abastecimento subterrâneo de combustível (SASC); • p) Outras operações e atividades passíveis de exposição ao benzeno. 12.1.1 Os trabalhadores que realizem, direta ou indiretamente, as atividades críticas listadas no subitem 5.1.1.1, exceto as alíneas "d", "g" e "h", e, inclusive, no caso de atividade de descarga selada, alínea "e", devem utilizar equipamento de proteção respiratória de face inteira, com filtro para vapores orgânicos, assim como, equipamentos de proteção para a pele. (Alterado pela Portaria MTb n.º 871, de 06 de julho de 2017)
  • 60.
  • 61.
  • 63. ATIVIDADES DE RISCO E PONTOS DE POSSÍVEIS EMISSÕES DE BENZENO; • a) Conferência do produto no caminhão-tanque no ato do descarregamento; • b) Coleta de amostras no caminhão-tanque com amostrador específico; • c) Medição volumétrica de tanque subterrâneo com régua; • d) Estacionamento do caminhão, aterramento e conexão via mangotes aos tanques subterrâneos; • e) Carregamento de combustíveis para os tanques subterrâneos; • f) Desconexão dos mangotes e retirada do conteúdo residual; • g) Abastecimento de combustível para veículos; • h) Abastecimento de combustíveis em recipientes certificados; • i) Análises físico-químicas para o controle de qualidade dos produtos comercializados; • j) Limpeza de válvulas, bombas e seus compartimentos de contenção de vazamentos; • k) Esgotamento e limpeza de caixas separadoras; • l) Limpeza de caixas de passagem e canaletas; • m) Aferição de bombas de abastecimento; n) manutenção operacional de bombas; • o) Manutenção e reforma do sistema de abastecimento subterrâneo de combustível (SASC); • p) Outras operações e atividades passíveis de exposição ao benzeno.
  • 64. DISPOSITIVOS LEGAIS SOBRE O BENZENO. • CONSOLIDAÇÃO DAS LEGISLAÇÃO SOBRE O BENZENO • http://www.protecao.com.br/upload/proteca o_materiaarquivo/495.pdf.
  • 65. OBRIGADO A TODOS !. RESPEITE A VIDA, TRABALHE COM SEGURANÇA!