SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
NR-31
Trabalho Rural
Responsabilidade SocialResponsabilidade Social
SER SOCIALMENTE JUSTO
SER AMBIENTALMENTE CORRETO
SER ECONOMICAMENTE SUSTENTÁVEL
ObjetivoObjetivo
ESTABELECER PRECEITOS GERAIS DEESTABELECER PRECEITOS GERAIS DE
SEGURANÇA E SAÚDE NO MEIOSEGURANÇA E SAÚDE NO MEIO
RURAL.RURAL.
Campo de Aplicação (NR – 31)Campo de Aplicação (NR – 31)
 AgriculturaAgricultura
 PecuáriaPecuária
 SilviculturaSilvicultura
 Exploração FlorestalExploração Florestal
 AqüiculturaAqüicultura
Disposições GeraisDisposições Gerais
Compete à Secretaria de Inspeção do Trabalho –Compete à Secretaria de Inspeção do Trabalho –
SIT, através do Departamento de Segurança eSIT, através do Departamento de Segurança e
Saúde no Trabalho – DSST, definir, coordenar,Saúde no Trabalho – DSST, definir, coordenar,
orientar e implementar a política nacional emorientar e implementar a política nacional em
segurança e saúde no trabalho rural.segurança e saúde no trabalho rural.
SITSIT
Compete ainda à SIT, através do DSST,Compete ainda à SIT, através do DSST,
coordenar, orientar e supervisionar ascoordenar, orientar e supervisionar as
atividades preventivas desenvolvidas pelosatividades preventivas desenvolvidas pelos
órgãos regionais do MTE e realizar com aórgãos regionais do MTE e realizar com a
participação dos trabalhadores eparticipação dos trabalhadores e
empregadores, a Campanha Nacional deempregadores, a Campanha Nacional de
Prevenção de Acidentes do Trabalho Rural -Prevenção de Acidentes do Trabalho Rural -
CANPATR e implementar o Programa deCANPATR e implementar o Programa de
Alimentação do Trabalhador - PAT.Alimentação do Trabalhador - PAT.
SITSIT
A SIT é o órgão competente para executar,A SIT é o órgão competente para executar,
através das Delegacias Regionais doatravés das Delegacias Regionais do
Trabalho - DRT, as atividades definidas naTrabalho - DRT, as atividades definidas na
política nacional de segurança e saúde nopolítica nacional de segurança e saúde no
trabalho, bem como as ações de fiscalização.trabalho, bem como as ações de fiscalização.
Comissões Permanentes deComissões Permanentes de
Segurança e Saúde no TrabalhoSegurança e Saúde no Trabalho
RuralRural
COMISSÃO PERMANENTE REGIONALCOMISSÃO PERMANENTE REGIONAL
RURAL CRIADA EM CADA DRT.RURAL CRIADA EM CADA DRT.
Gestão de Segurança, Saúde eGestão de Segurança, Saúde e
Meio Ambiente de TrabalhoMeio Ambiente de Trabalho
RuralRural
OS EMPREGADORES DEVERÃOOS EMPREGADORES DEVERÃO
ELIMINAR RISCOS QUÍMICOS, FÍSICOS,ELIMINAR RISCOS QUÍMICOS, FÍSICOS,
MECÂNICOS E BIOLÓGICOSMECÂNICOS E BIOLÓGICOS
ADOTANDO MEDIDAS DE PROTEÇÃOADOTANDO MEDIDAS DE PROTEÇÃO
COLETIVA E PESSOAL.COLETIVA E PESSOAL.
SESTRSESTR
O número de profissionais do SESTR é
determinado pelo número de empregados
existente no estabelecimento, independente de o
contrato ser por tempo determinado ou
indeterminado.
SESTRSESTR
Até 9 trabalhadores: Dispensada a
obrigatoriedade de constituir o SESTR;
De 10 a 50 trabalhadores: Dispensada a
obrigatoriedade de constituir o SESTR, porém
exigida uma das duas alternativas:
O Empregador ou preposto tem a formação
exigida, ou;
O empregador contrata 1 Técnico de Segurança
ou SESTR Externo;
SESTRSESTR
 De 51 trabalhadores em diante: Obrigatória a
constituição do SESTR, na proporção do
Quadro I, se Próprio, ou Quadro II, se Externo
ou Coletivo.
Quadro I
Quadro II
CIPATRCIPATR
ACOMPANHAR A IMPLANTAÇÃO DAS MEDIDASACOMPANHAR A IMPLANTAÇÃO DAS MEDIDAS
DE PROTEÇÃO, AVALIAR RISCOS E DIVULGÁ-DE PROTEÇÃO, AVALIAR RISCOS E DIVULGÁ-
LOS. JUNTAMENTE COM O SESTRLOS. JUNTAMENTE COM O SESTR
INTERROMPER ATIVIDADES DE GRAVE EINTERROMPER ATIVIDADES DE GRAVE E
IMINENTE RISCO, REQUISITAR CÓPIA DASIMINENTE RISCO, REQUISITAR CÓPIA DAS
CAT, PROPOR REALIZAÇÃO DE CURSOS ECAT, PROPOR REALIZAÇÃO DE CURSOS E
TREINAMENTOS, ELABORAR SEUTREINAMENTOS, ELABORAR SEU
CALENDÁRIO ANUAL, CONSTITUIR GRUPOSCALENDÁRIO ANUAL, CONSTITUIR GRUPOS
DE TRABALHO PARA ESTUDO DAS CAUSASDE TRABALHO PARA ESTUDO DAS CAUSAS
DOS ACIDENTES.DOS ACIDENTES.
Medidas Complementares deMedidas Complementares de
proteção no uso de agrotóxicosproteção no uso de agrotóxicos
PROIBIDOS AGROTÓXICOS NÃOPROIBIDOS AGROTÓXICOS NÃO
REGISTRADOS OU AUTORIZADOS PELOREGISTRADOS OU AUTORIZADOS PELO
GOVERNO, POR MENORES DE 18 ANOS,GOVERNO, POR MENORES DE 18 ANOS,
MAIORES DE 60 ANOS OU GESTANTESMAIORES DE 60 ANOS OU GESTANTES
QUE SERÃO IMEDIATAMENTEQUE SERÃO IMEDIATAMENTE
AFASTADAS DA EXPOSIÇÃO DIRETA OUAFASTADAS DA EXPOSIÇÃO DIRETA OU
INDIRETA. MANIPULAÇÃO APENAS PORINDIRETA. MANIPULAÇÃO APENAS POR
PESSOAS TREINADAS.PESSOAS TREINADAS.
Meio Ambiente e ResíduosMeio Ambiente e Resíduos
OS RESÍDUOS DEVEM SEROS RESÍDUOS DEVEM SER
ELIMINADOS DE FORMA A NÃOELIMINADOS DE FORMA A NÃO
CONTAMINAREM OCONTAMINAREM O
AMBIENTE SENDO OS DE ALTAAMBIENTE SENDO OS DE ALTA
TOXICIDADE OU PERICULOSIDADETOXICIDADE OU PERICULOSIDADE
COM ORIENTAÇÃO DO ÓRGÃOCOM ORIENTAÇÃO DO ÓRGÃO
COMPETENTE E MONITORADOS.COMPETENTE E MONITORADOS.
ErgonomiaErgonomia
O TRANSPORTE DE CARGAS NÃO DEVEO TRANSPORTE DE CARGAS NÃO DEVE
COMPROMETER A SAÚDE DOCOMPROMETER A SAÚDE DO
TRABALHADOR QUE DEVERÁ SERTRABALHADOR QUE DEVERÁ SER
TREINADO. DEVERÁ HAVER PAUSASTREINADO. DEVERÁ HAVER PAUSAS
LEGAIS PARA DESCANSO SOBRETUDOLEGAIS PARA DESCANSO SOBRETUDO
SE O TRABALHO FOR EM PÉ OUSE O TRABALHO FOR EM PÉ OU
DEMANDAR ESFORÇO FÍSICODEMANDAR ESFORÇO FÍSICO
ESTÁTICO OU DINÂMICO.ESTÁTICO OU DINÂMICO.
Ferramentas ManuaisFerramentas Manuais
GRATUITAS, SEGURAS, EFICIENTES,GRATUITAS, SEGURAS, EFICIENTES,
CABOS ADERENTES E EM PERFEITOCABOS ADERENTES E EM PERFEITO
ESTADO DE USO. AS QUE POSSUEMESTADO DE USO. AS QUE POSSUEM
CORTE DEVEM ESTAR AFIADAS ECORTE DEVEM ESTAR AFIADAS E
GUARDADAS EM BAINHA.GUARDADAS EM BAINHA.
Máquinas, Equipamentos eMáquinas, Equipamentos e
ImplementosImplementos
USADAS SOMENTE PARA OS FINSUSADAS SOMENTE PARA OS FINS
CONCEBIDOS, POR TRABALHADORESCONCEBIDOS, POR TRABALHADORES
QUALIFICADOS, OBSERVAR ASQUALIFICADOS, OBSERVAR AS
ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS, LIMITES EESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS, LIMITES E
RESTRIÇÕES DO FABRICANTE.RESTRIÇÕES DO FABRICANTE.
MANUAIS NO ESTABELECIMENTO.MANUAIS NO ESTABELECIMENTO.
TRANSMISSÕES DE FORÇATRANSMISSÕES DE FORÇA
PROTEGIDAS.PROTEGIDAS.
SecadoresSecadores
COM REVESTIMENTO REFRATÁRIO ECOM REVESTIMENTO REFRATÁRIO E
ANTEPAROS ADEQUADOS. LIMPEZAANTEPAROS ADEQUADOS. LIMPEZA
DAS COLUNAS E CONDUTOS.DAS COLUNAS E CONDUTOS.
REGULADOS. FILTROS DE ARREGULADOS. FILTROS DE AR
MANTIDOS LIMPOS. SE ALIMENTADOSMANTIDOS LIMPOS. SE ALIMENTADOS
POR COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS OUPOR COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS OU
GASOSOS DEVEM SER PROTEGIDOSGASOSOS DEVEM SER PROTEGIDOS
CONTRA EXPLOSÃO POR FALHA DACONTRA EXPLOSÃO POR FALHA DA
CHAMA OU NO ACIONAMENTO.CHAMA OU NO ACIONAMENTO.
SilosSilos
EM SOLOS RESISTENTES, ESCADAS EEM SOLOS RESISTENTES, ESCADAS E
PLATAFORMAS SEGURAS,PLATAFORMAS SEGURAS,
REVESTIMENTOS INTERNOS QUE NÃOREVESTIMENTOS INTERNOS QUE NÃO
PERMITAM ACÚMULO DE GRÃOS EPERMITAM ACÚMULO DE GRÃOS E
POEIRAS, LIMPEZA NOS INTERVALOSPOEIRAS, LIMPEZA NOS INTERVALOS
DE OPERAÇÃO, PREVENÇÃO DEDE OPERAÇÃO, PREVENÇÃO DE
EXPLOSÕES, INCÊNDIOS, COMBUSTÃOEXPLOSÕES, INCÊNDIOS, COMBUSTÃO
ESPONTÂNEA.ESPONTÂNEA.
Acessos e vias de circulaçãoAcessos e vias de circulação
SINALIZADAS DURANTE O DIA E ÀSINALIZADAS DURANTE O DIA E À
NOITE E COM PROTEÇÃO EM CASONOITE E COM PROTEÇÃO EM CASO
DE CHUVA QUE GEREDE CHUVA QUE GERE
ESCORREGAMENTO E ALAGAMENTO.ESCORREGAMENTO E ALAGAMENTO.
IMPLANTAÇÃO DE BARREIRAS QUEIMPLANTAÇÃO DE BARREIRAS QUE
IMPEÇAM A QUEDA DE VEÍCULOSIMPEÇAM A QUEDA DE VEÍCULOS
NAS LATERAIS.NAS LATERAIS.
Transportes de trabalhadoresTransportes de trabalhadores
DEVE HAVER AUTORIZAÇÃO COMPETENTE,DEVE HAVER AUTORIZAÇÃO COMPETENTE,
MOTORISTA HABILITADO,MOTORISTA HABILITADO,
COMPARTIMENTO RESISTENTE E FIXO PARACOMPARTIMENTO RESISTENTE E FIXO PARA
GUARDA DE FERRAMENTAS. TODOSGUARDA DE FERRAMENTAS. TODOS
SENTADOS. PROTEÇÃO RÍGIDA LATERAL DESENTADOS. PROTEÇÃO RÍGIDA LATERAL DE
2,10 m DE ALTURA LIVRE PARA EVITAR2,10 m DE ALTURA LIVRE PARA EVITAR
ESMAGAMENTO E PROJEÇÃO DAS PESSOAS.ESMAGAMENTO E PROJEÇÃO DAS PESSOAS.
AINDA, VENTILAÇÃO, ASSENTOSAINDA, VENTILAÇÃO, ASSENTOS
COM ESPUMA, ENCOSTO E CINTO DECOM ESPUMA, ENCOSTO E CINTO DE
SEGURANÇA.SEGURANÇA.
Transportes de cargasTransportes de cargas
NO CARREGAMENTO ENO CARREGAMENTO E
DESCARREGAMENTO DE CAMINHÕESDESCARREGAMENTO DE CAMINHÕES
AS ESCADAS E RAMPAS DEVEMAS ESCADAS E RAMPAS DEVEM
PROPORCIONAR SEGURANÇA,PROPORCIONAR SEGURANÇA,
COMPATÍVEL COM O TIPO DECOMPATÍVEL COM O TIPO DE
CARROCERIA. SEM ESFORÇOSCARROCERIA. SEM ESFORÇOS
FÍSICOS EXCESSIVOS E PROIBIÇÃOFÍSICOS EXCESSIVOS E PROIBIÇÃO
DE SUBIR SOBRE CARGAS DEDE SUBIR SOBRE CARGAS DE
GRANELEIROS ABERTOS.GRANELEIROS ABERTOS.
Trabalho com animaisTrabalho com animais
INFORMAR TRABALHADORES SOBRE ASINFORMAR TRABALHADORES SOBRE AS
DOENÇAS E FORMAS CORRETAS DEDOENÇAS E FORMAS CORRETAS DE
MANIPULAÇÃO SENDO PROIBIDO OMANIPULAÇÃO SENDO PROIBIDO O
REAPROVEITAMENTO PARA USOREAPROVEITAMENTO PARA USO
HUMANO DA ÁGUA UTILIZADA. EMHUMANO DA ÁGUA UTILIZADA. EM
TRAÇÃO ANIMAL SERÃO USADOSTRAÇÃO ANIMAL SERÃO USADOS
APENAS OS ANIMAIS ADESTRADOS.APENAS OS ANIMAIS ADESTRADOS.
Fatores Climáticos eFatores Climáticos e
TopográficosTopográficos
SE DESFAVORÁVEIS, INFORMAR OSSE DESFAVORÁVEIS, INFORMAR OS
CUIDADOS A SEREM ADOTADOS ECUIDADOS A SEREM ADOTADOS E
INTERROMPER AS ATIVIDADES NÃOINTERROMPER AS ATIVIDADES NÃO
SEGURAS. ATIVIDADES MAIS PENOSASSEGURAS. ATIVIDADES MAIS PENOSAS
DEVEM SER REALIZADAS, SEDEVEM SER REALIZADAS, SE
POSSÍVEL, NO PERÍODO DA MANHÃPOSSÍVEL, NO PERÍODO DA MANHÃ
OU FINAL DA TARDE. EM TERRENOSOU FINAL DA TARDE. EM TERRENOS
ACIDENTADOS DEVE-SE MINIMIZARACIDENTADOS DEVE-SE MINIMIZAR
OS IMPACTOS SOBRE A SAÚDEOS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE
HUMANA.HUMANA.
Medidas de Proteção PessoalMedidas de Proteção Pessoal
GRATUITOS, OBRIGATÓRIOS, HIGIENIZADOS,GRATUITOS, OBRIGATÓRIOS, HIGIENIZADOS,
EM PERFEITO ESTADO DE CONSERVAÇÃO EEM PERFEITO ESTADO DE CONSERVAÇÃO E
FUNCIONAMENTO, ADEQUADOS AO RISCO EFUNCIONAMENTO, ADEQUADOS AO RISCO E
COM TREINAMENTO. FORNECIDOS QUANDOCOM TREINAMENTO. FORNECIDOS QUANDO
AS MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVAAS MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA
FOREM INVIÁVEIS, ESTIVEREM EMFOREM INVIÁVEIS, ESTIVEREM EM
IMPLANTAÇÃO, NÃO FORNEÇAM COMPLETAIMPLANTAÇÃO, NÃO FORNEÇAM COMPLETA
PROTEÇÃO OU EM CASOS EMERGENCIAIS.PROTEÇÃO OU EM CASOS EMERGENCIAIS.
Edificações RuraisEdificações Rurais
DEVEM SUPORTAR AS CARGASDEVEM SUPORTAR AS CARGAS
PERMANENTES E MÓVEIS, PISOS SEMPERMANENTES E MÓVEIS, PISOS SEM
DEFEITOS, ABERTURAS NOS PISOS EDEFEITOS, ABERTURAS NOS PISOS E
PAREDES SEM RISCOS DE QUEDAS,PAREDES SEM RISCOS DE QUEDAS,
MATERIAIS ANTIDERRAPANTES EMMATERIAIS ANTIDERRAPANTES EM
ESCADAS, RAMPAS E CORREDORES. OSESCADAS, RAMPAS E CORREDORES. OS
GALPÕES PARA GRÃOS E ANIMAISGALPÕES PARA GRÃOS E ANIMAIS
DEVEM SER VENTILADOS.DEVEM SER VENTILADOS.
Instalações ElétricasInstalações Elétricas
PROJETADAS E MANTIDAS SEM RISCOPROJETADAS E MANTIDAS SEM RISCO
DE CHOQUE ELÉTRICO, ISOLADAS COMDE CHOQUE ELÉTRICO, ISOLADAS COM
PEÇAS CONDUTORAS AVULSASPEÇAS CONDUTORAS AVULSAS
ATERRADAS. EM CASO DE CONTATOATERRADAS. EM CASO DE CONTATO
COM ÁGUA DEVEM SER BLINDADAS,COM ÁGUA DEVEM SER BLINDADAS,
ESTANQUES E ATERRADAS.ESTANQUES E ATERRADAS.
Áreas de VivênciaÁreas de Vivência
NO CASO DE TRABALHADORESNO CASO DE TRABALHADORES
ALOJADOS, DEVE HAVERALOJADOS, DEVE HAVER
CONSERVAÇÃO, HIGIENE,CONSERVAÇÃO, HIGIENE,
PAREDES E PISOS DE ALVENARIA,PAREDES E PISOS DE ALVENARIA,
MADEIRA OU EQUIVALENTE EMADEIRA OU EQUIVALENTE E
COBERTURA, ILUMINAÇÃO ECOBERTURA, ILUMINAÇÃO E
VENTILAÇÃO ADEQUADAS.VENTILAÇÃO ADEQUADAS.
"As grandes oportunidades de"As grandes oportunidades de
ajudar os outros raramenteajudar os outros raramente
acontecem, mas as pequenasacontecem, mas as pequenas
surgem todos os dias."surgem todos os dias."
"Comece fazendo o que é"Comece fazendo o que é
necessário, depois o que é possível,necessário, depois o que é possível,
e de repente você estará fazendo oe de repente você estará fazendo o
impossível .“impossível .“
(São Francisco de Assis)
(São Francisco de Assis)
(São Francisco de Assis)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.pptAula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.pptCristian Briet
 
NR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptxNR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptxLeomir Borghardt
 
Nr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completaNr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completaDaniel Lira
 
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPI
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPITreinamento de Segurança no Trabalho e EPI
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPISergio Silva
 
Power+point+nr+35
Power+point+nr+35Power+point+nr+35
Power+point+nr+35Gil Mendes
 
TREINAMENTO DE EPI NR 06
TREINAMENTO DE EPI NR 06TREINAMENTO DE EPI NR 06
TREINAMENTO DE EPI NR 06Fabio Sousa
 
NR10 - TREINAMENTO NR 10 ATUALIZADO.ppt
NR10 - TREINAMENTO NR 10 ATUALIZADO.pptNR10 - TREINAMENTO NR 10 ATUALIZADO.ppt
NR10 - TREINAMENTO NR 10 ATUALIZADO.pptTalmom Taciano
 
Nr 36 apresentação - padrão - workshop (1)
Nr 36 apresentação - padrão - workshop (1)Nr 36 apresentação - padrão - workshop (1)
Nr 36 apresentação - padrão - workshop (1)Jupira Silva
 
Ltcat posto de gasolina e lubrificacoes valqueire ltda
Ltcat posto de gasolina e lubrificacoes valqueire ltdaLtcat posto de gasolina e lubrificacoes valqueire ltda
Ltcat posto de gasolina e lubrificacoes valqueire ltdaErickValdevino1
 

Mais procurados (20)

NR 22
NR 22NR 22
NR 22
 
Aula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.pptAula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.ppt
 
NR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptxNR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptx
 
Nr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completaNr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completa
 
Nr 6 treinamento
Nr 6 treinamentoNr 6 treinamento
Nr 6 treinamento
 
Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção
 
Nr31 comentada
Nr31 comentadaNr31 comentada
Nr31 comentada
 
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPI
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPITreinamento de Segurança no Trabalho e EPI
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPI
 
Treinamento de integração nr 1 upload
Treinamento de integração nr 1 uploadTreinamento de integração nr 1 upload
Treinamento de integração nr 1 upload
 
NR-1
NR-1NR-1
NR-1
 
Prevenção de Acidentes de Trabalho
Prevenção de Acidentes de TrabalhoPrevenção de Acidentes de Trabalho
Prevenção de Acidentes de Trabalho
 
Treinamento nr 12
Treinamento nr 12Treinamento nr 12
Treinamento nr 12
 
Treinamento NR-12
Treinamento NR-12Treinamento NR-12
Treinamento NR-12
 
Power+point+nr+35
Power+point+nr+35Power+point+nr+35
Power+point+nr+35
 
Treinamento nr 12
Treinamento nr 12Treinamento nr 12
Treinamento nr 12
 
TREINAMENTO DE EPI NR 06
TREINAMENTO DE EPI NR 06TREINAMENTO DE EPI NR 06
TREINAMENTO DE EPI NR 06
 
CIPATR - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTE NO TRABALHO RURAL
CIPATR - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTE NO TRABALHO RURALCIPATR - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTE NO TRABALHO RURAL
CIPATR - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTE NO TRABALHO RURAL
 
NR10 - TREINAMENTO NR 10 ATUALIZADO.ppt
NR10 - TREINAMENTO NR 10 ATUALIZADO.pptNR10 - TREINAMENTO NR 10 ATUALIZADO.ppt
NR10 - TREINAMENTO NR 10 ATUALIZADO.ppt
 
Nr 36 apresentação - padrão - workshop (1)
Nr 36 apresentação - padrão - workshop (1)Nr 36 apresentação - padrão - workshop (1)
Nr 36 apresentação - padrão - workshop (1)
 
Ltcat posto de gasolina e lubrificacoes valqueire ltda
Ltcat posto de gasolina e lubrificacoes valqueire ltdaLtcat posto de gasolina e lubrificacoes valqueire ltda
Ltcat posto de gasolina e lubrificacoes valqueire ltda
 

Destaque

Treinamento de CIPA - Burti 2009
Treinamento   de CIPA - Burti 2009Treinamento   de CIPA - Burti 2009
Treinamento de CIPA - Burti 2009Sergio Silva
 
CIPA - Mensagem Final para o Curso de Formação de Cipeiros
CIPA - Mensagem Final para o Curso de Formação de CipeirosCIPA - Mensagem Final para o Curso de Formação de Cipeiros
CIPA - Mensagem Final para o Curso de Formação de CipeirosGeice Kelly Vasconcelos
 
Saudedotrabalhador.ppt
Saudedotrabalhador.pptSaudedotrabalhador.ppt
Saudedotrabalhador.pptJuliana Sales
 
Acidentes com tratores agrícolas 2
Acidentes com tratores agrícolas 2Acidentes com tratores agrícolas 2
Acidentes com tratores agrícolas 2Sandro Neves
 
e-book - Medidas de Segurança nos seus Equipamentos de Trabalho: breve introd...
e-book - Medidas de Segurança nos seus Equipamentos de Trabalho: breve introd...e-book - Medidas de Segurança nos seus Equipamentos de Trabalho: breve introd...
e-book - Medidas de Segurança nos seus Equipamentos de Trabalho: breve introd...ZONAVERDE - Formação e Consultoria
 
Agrotóxicos e Trabalho: uma combinação perigosa para a saúde do trabalhador r...
Agrotóxicos e Trabalho: uma combinação perigosa para a saúde do trabalhador r...Agrotóxicos e Trabalho: uma combinação perigosa para a saúde do trabalhador r...
Agrotóxicos e Trabalho: uma combinação perigosa para a saúde do trabalhador r...Natália Lima
 
1255090835 autoscopia ac_trab_agricultura
1255090835 autoscopia ac_trab_agricultura1255090835 autoscopia ac_trab_agricultura
1255090835 autoscopia ac_trab_agriculturaPelo Siro
 
Segurança no trabalho rural
Segurança no trabalho ruralSegurança no trabalho rural
Segurança no trabalho ruralZacarias Junior
 
Saúde e Segurança do Trabalhador
Saúde e Segurança do TrabalhadorSaúde e Segurança do Trabalhador
Saúde e Segurança do TrabalhadorMonalisa Almeida
 

Destaque (12)

Treinamento de CIPA - Burti 2009
Treinamento   de CIPA - Burti 2009Treinamento   de CIPA - Burti 2009
Treinamento de CIPA - Burti 2009
 
CIPA - Mensagem Final para o Curso de Formação de Cipeiros
CIPA - Mensagem Final para o Curso de Formação de CipeirosCIPA - Mensagem Final para o Curso de Formação de Cipeiros
CIPA - Mensagem Final para o Curso de Formação de Cipeiros
 
Cipa apresentação
Cipa apresentaçãoCipa apresentação
Cipa apresentação
 
Saudedotrabalhador.ppt
Saudedotrabalhador.pptSaudedotrabalhador.ppt
Saudedotrabalhador.ppt
 
Acidentes com tratores agrícolas 2
Acidentes com tratores agrícolas 2Acidentes com tratores agrícolas 2
Acidentes com tratores agrícolas 2
 
e-book - Medidas de Segurança nos seus Equipamentos de Trabalho: breve introd...
e-book - Medidas de Segurança nos seus Equipamentos de Trabalho: breve introd...e-book - Medidas de Segurança nos seus Equipamentos de Trabalho: breve introd...
e-book - Medidas de Segurança nos seus Equipamentos de Trabalho: breve introd...
 
Agrotóxicos e Trabalho: uma combinação perigosa para a saúde do trabalhador r...
Agrotóxicos e Trabalho: uma combinação perigosa para a saúde do trabalhador r...Agrotóxicos e Trabalho: uma combinação perigosa para a saúde do trabalhador r...
Agrotóxicos e Trabalho: uma combinação perigosa para a saúde do trabalhador r...
 
1255090835 autoscopia ac_trab_agricultura
1255090835 autoscopia ac_trab_agricultura1255090835 autoscopia ac_trab_agricultura
1255090835 autoscopia ac_trab_agricultura
 
Segurança no trabalho rural
Segurança no trabalho ruralSegurança no trabalho rural
Segurança no trabalho rural
 
Bem estar do empregado rural
Bem estar do empregado ruralBem estar do empregado rural
Bem estar do empregado rural
 
009 nr 31 comentada rr
009 nr 31 comentada rr009 nr 31 comentada rr
009 nr 31 comentada rr
 
Saúde e Segurança do Trabalhador
Saúde e Segurança do TrabalhadorSaúde e Segurança do Trabalhador
Saúde e Segurança do Trabalhador
 

Semelhante a Nr – 31

7aaa[1][1]. aula de qsms espaço confinado
7aaa[1][1]. aula de qsms   espaço confinado7aaa[1][1]. aula de qsms   espaço confinado
7aaa[1][1]. aula de qsms espaço confinadogeevanny
 
Biosseguranca em laboratorios__epi_epc
Biosseguranca em laboratorios__epi_epcBiosseguranca em laboratorios__epi_epc
Biosseguranca em laboratorios__epi_epcPaty Xavier
 
bsico-de-nr-31-apostila03.pdf
bsico-de-nr-31-apostila03.pdfbsico-de-nr-31-apostila03.pdf
bsico-de-nr-31-apostila03.pdfrwewerw
 
Nr 32 - Resumo da Norma Regulamentadora dos profissionais da saúde
Nr 32 - Resumo da Norma Regulamentadora dos profissionais da saúdeNr 32 - Resumo da Norma Regulamentadora dos profissionais da saúde
Nr 32 - Resumo da Norma Regulamentadora dos profissionais da saúdeRogério Eustáquio Dos Santos
 
Queimaduras. complexas e tratamento local
Queimaduras. complexas e tratamento localQueimaduras. complexas e tratamento local
Queimaduras. complexas e tratamento localRogério Porto da Rocha
 
Segurança e Gestão na Manipulação de Produtos Químicos
Segurança e Gestão na Manipulação de Produtos QuímicosSegurança e Gestão na Manipulação de Produtos Químicos
Segurança e Gestão na Manipulação de Produtos QuímicosIZAIAS DE SOUZA AGUIAR
 
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33Isabel Silveira
 
Atividades no pré e trans operatório
Atividades no pré e trans operatórioAtividades no pré e trans operatório
Atividades no pré e trans operatórioSilvânia Galdino
 
Livreto_do_trabalhador.pdf
Livreto_do_trabalhador.pdfLivreto_do_trabalhador.pdf
Livreto_do_trabalhador.pdfGustavo Nolla
 
Espacos_Confinados_Livreto_do_Trabalhador.pdf
Espacos_Confinados_Livreto_do_Trabalhador.pdfEspacos_Confinados_Livreto_do_Trabalhador.pdf
Espacos_Confinados_Livreto_do_Trabalhador.pdfssuser22319e
 

Semelhante a Nr – 31 (20)

ARTRITIS
ARTRITISARTRITIS
ARTRITIS
 
7aaa[1][1]. aula de qsms espaço confinado
7aaa[1][1]. aula de qsms   espaço confinado7aaa[1][1]. aula de qsms   espaço confinado
7aaa[1][1]. aula de qsms espaço confinado
 
Biosseguranca em laboratorios__epi_epc
Biosseguranca em laboratorios__epi_epcBiosseguranca em laboratorios__epi_epc
Biosseguranca em laboratorios__epi_epc
 
bsico-de-nr-31-apostila03.pdf
bsico-de-nr-31-apostila03.pdfbsico-de-nr-31-apostila03.pdf
bsico-de-nr-31-apostila03.pdf
 
Nr 32 - Resumo da Norma Regulamentadora dos profissionais da saúde
Nr 32 - Resumo da Norma Regulamentadora dos profissionais da saúdeNr 32 - Resumo da Norma Regulamentadora dos profissionais da saúde
Nr 32 - Resumo da Norma Regulamentadora dos profissionais da saúde
 
NR-32
NR-32NR-32
NR-32
 
09 52-40-normaregulamentadora31
09 52-40-normaregulamentadora3109 52-40-normaregulamentadora31
09 52-40-normaregulamentadora31
 
hospitais 10.pdf
hospitais 10.pdfhospitais 10.pdf
hospitais 10.pdf
 
Health and Safety for ASM in Brazil
Health and Safety for ASM in BrazilHealth and Safety for ASM in Brazil
Health and Safety for ASM in Brazil
 
Nr – 22
Nr – 22Nr – 22
Nr – 22
 
Queimaduras. complexas e tratamento local
Queimaduras. complexas e tratamento localQueimaduras. complexas e tratamento local
Queimaduras. complexas e tratamento local
 
Segurança e Gestão na Manipulação de Produtos Químicos
Segurança e Gestão na Manipulação de Produtos QuímicosSegurança e Gestão na Manipulação de Produtos Químicos
Segurança e Gestão na Manipulação de Produtos Químicos
 
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
 
Assuntos para dds
Assuntos para ddsAssuntos para dds
Assuntos para dds
 
Atividades no pré e trans operatório
Atividades no pré e trans operatórioAtividades no pré e trans operatório
Atividades no pré e trans operatório
 
NR31 (1).pdf
NR31 (1).pdfNR31 (1).pdf
NR31 (1).pdf
 
Livreto_do_trabalhador.pdf
Livreto_do_trabalhador.pdfLivreto_do_trabalhador.pdf
Livreto_do_trabalhador.pdf
 
Nr – 30
Nr – 30Nr – 30
Nr – 30
 
Treinamento epi's
Treinamento epi'sTreinamento epi's
Treinamento epi's
 
Espacos_Confinados_Livreto_do_Trabalhador.pdf
Espacos_Confinados_Livreto_do_Trabalhador.pdfEspacos_Confinados_Livreto_do_Trabalhador.pdf
Espacos_Confinados_Livreto_do_Trabalhador.pdf
 

Mais de Paulo R. Itami da Cruz (20)

Instrumentação
InstrumentaçãoInstrumentação
Instrumentação
 
Nutrição e Saúde
Nutrição e SaúdeNutrição e Saúde
Nutrição e Saúde
 
Nr – 33
Nr – 33Nr – 33
Nr – 33
 
Nr – 32
Nr – 32Nr – 32
Nr – 32
 
Nr – 29
Nr – 29Nr – 29
Nr – 29
 
Nr – 28
Nr – 28Nr – 28
Nr – 28
 
Nr – 27
Nr – 27Nr – 27
Nr – 27
 
Nr – 26
Nr – 26Nr – 26
Nr – 26
 
Nr – 24
Nr – 24Nr – 24
Nr – 24
 
Nr – 23
Nr – 23Nr – 23
Nr – 23
 
Nr – 21
Nr – 21Nr – 21
Nr – 21
 
Nr – 20
Nr – 20Nr – 20
Nr – 20
 
Nr – 19
Nr – 19Nr – 19
Nr – 19
 
Nr – 18
Nr – 18Nr – 18
Nr – 18
 
Nr – 17
Nr – 17Nr – 17
Nr – 17
 
Nr – 16
Nr – 16Nr – 16
Nr – 16
 
Nr – 15
Nr – 15Nr – 15
Nr – 15
 
Nr – 13
Nr – 13Nr – 13
Nr – 13
 
Nr – 12
Nr – 12Nr – 12
Nr – 12
 
Nr – 11
Nr – 11Nr – 11
Nr – 11
 

Último

LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurançaLEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurançaGuilhermeLucio9
 
Eletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante TamandaréEletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante TamandaréGuilhermeLucio9
 
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.pptA EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.pptssuserb964fe
 
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdfLivro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdfSamuel Ramos
 
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboralA Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboralFranciscaArrudadaSil
 
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção IndividualTreinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individualpablocastilho3
 
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade AnhangueraTecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade AnhangueraGuilhermeLucio9
 

Último (7)

LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurançaLEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
 
Eletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante TamandaréEletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
 
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.pptA EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
 
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdfLivro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
 
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboralA Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
 
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção IndividualTreinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
 
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade AnhangueraTecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
 

Nr – 31

  • 2. Responsabilidade SocialResponsabilidade Social SER SOCIALMENTE JUSTO SER AMBIENTALMENTE CORRETO SER ECONOMICAMENTE SUSTENTÁVEL
  • 3. ObjetivoObjetivo ESTABELECER PRECEITOS GERAIS DEESTABELECER PRECEITOS GERAIS DE SEGURANÇA E SAÚDE NO MEIOSEGURANÇA E SAÚDE NO MEIO RURAL.RURAL.
  • 4. Campo de Aplicação (NR – 31)Campo de Aplicação (NR – 31)  AgriculturaAgricultura  PecuáriaPecuária  SilviculturaSilvicultura  Exploração FlorestalExploração Florestal  AqüiculturaAqüicultura
  • 5. Disposições GeraisDisposições Gerais Compete à Secretaria de Inspeção do Trabalho –Compete à Secretaria de Inspeção do Trabalho – SIT, através do Departamento de Segurança eSIT, através do Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho – DSST, definir, coordenar,Saúde no Trabalho – DSST, definir, coordenar, orientar e implementar a política nacional emorientar e implementar a política nacional em segurança e saúde no trabalho rural.segurança e saúde no trabalho rural.
  • 6. SITSIT Compete ainda à SIT, através do DSST,Compete ainda à SIT, através do DSST, coordenar, orientar e supervisionar ascoordenar, orientar e supervisionar as atividades preventivas desenvolvidas pelosatividades preventivas desenvolvidas pelos órgãos regionais do MTE e realizar com aórgãos regionais do MTE e realizar com a participação dos trabalhadores eparticipação dos trabalhadores e empregadores, a Campanha Nacional deempregadores, a Campanha Nacional de Prevenção de Acidentes do Trabalho Rural -Prevenção de Acidentes do Trabalho Rural - CANPATR e implementar o Programa deCANPATR e implementar o Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT.Alimentação do Trabalhador - PAT.
  • 7. SITSIT A SIT é o órgão competente para executar,A SIT é o órgão competente para executar, através das Delegacias Regionais doatravés das Delegacias Regionais do Trabalho - DRT, as atividades definidas naTrabalho - DRT, as atividades definidas na política nacional de segurança e saúde nopolítica nacional de segurança e saúde no trabalho, bem como as ações de fiscalização.trabalho, bem como as ações de fiscalização.
  • 8. Comissões Permanentes deComissões Permanentes de Segurança e Saúde no TrabalhoSegurança e Saúde no Trabalho RuralRural COMISSÃO PERMANENTE REGIONALCOMISSÃO PERMANENTE REGIONAL RURAL CRIADA EM CADA DRT.RURAL CRIADA EM CADA DRT.
  • 9. Gestão de Segurança, Saúde eGestão de Segurança, Saúde e Meio Ambiente de TrabalhoMeio Ambiente de Trabalho RuralRural OS EMPREGADORES DEVERÃOOS EMPREGADORES DEVERÃO ELIMINAR RISCOS QUÍMICOS, FÍSICOS,ELIMINAR RISCOS QUÍMICOS, FÍSICOS, MECÂNICOS E BIOLÓGICOSMECÂNICOS E BIOLÓGICOS ADOTANDO MEDIDAS DE PROTEÇÃOADOTANDO MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA E PESSOAL.COLETIVA E PESSOAL.
  • 10. SESTRSESTR O número de profissionais do SESTR é determinado pelo número de empregados existente no estabelecimento, independente de o contrato ser por tempo determinado ou indeterminado.
  • 11. SESTRSESTR Até 9 trabalhadores: Dispensada a obrigatoriedade de constituir o SESTR; De 10 a 50 trabalhadores: Dispensada a obrigatoriedade de constituir o SESTR, porém exigida uma das duas alternativas: O Empregador ou preposto tem a formação exigida, ou; O empregador contrata 1 Técnico de Segurança ou SESTR Externo;
  • 12. SESTRSESTR  De 51 trabalhadores em diante: Obrigatória a constituição do SESTR, na proporção do Quadro I, se Próprio, ou Quadro II, se Externo ou Coletivo.
  • 14. CIPATRCIPATR ACOMPANHAR A IMPLANTAÇÃO DAS MEDIDASACOMPANHAR A IMPLANTAÇÃO DAS MEDIDAS DE PROTEÇÃO, AVALIAR RISCOS E DIVULGÁ-DE PROTEÇÃO, AVALIAR RISCOS E DIVULGÁ- LOS. JUNTAMENTE COM O SESTRLOS. JUNTAMENTE COM O SESTR INTERROMPER ATIVIDADES DE GRAVE EINTERROMPER ATIVIDADES DE GRAVE E IMINENTE RISCO, REQUISITAR CÓPIA DASIMINENTE RISCO, REQUISITAR CÓPIA DAS CAT, PROPOR REALIZAÇÃO DE CURSOS ECAT, PROPOR REALIZAÇÃO DE CURSOS E TREINAMENTOS, ELABORAR SEUTREINAMENTOS, ELABORAR SEU CALENDÁRIO ANUAL, CONSTITUIR GRUPOSCALENDÁRIO ANUAL, CONSTITUIR GRUPOS DE TRABALHO PARA ESTUDO DAS CAUSASDE TRABALHO PARA ESTUDO DAS CAUSAS DOS ACIDENTES.DOS ACIDENTES.
  • 15. Medidas Complementares deMedidas Complementares de proteção no uso de agrotóxicosproteção no uso de agrotóxicos PROIBIDOS AGROTÓXICOS NÃOPROIBIDOS AGROTÓXICOS NÃO REGISTRADOS OU AUTORIZADOS PELOREGISTRADOS OU AUTORIZADOS PELO GOVERNO, POR MENORES DE 18 ANOS,GOVERNO, POR MENORES DE 18 ANOS, MAIORES DE 60 ANOS OU GESTANTESMAIORES DE 60 ANOS OU GESTANTES QUE SERÃO IMEDIATAMENTEQUE SERÃO IMEDIATAMENTE AFASTADAS DA EXPOSIÇÃO DIRETA OUAFASTADAS DA EXPOSIÇÃO DIRETA OU INDIRETA. MANIPULAÇÃO APENAS PORINDIRETA. MANIPULAÇÃO APENAS POR PESSOAS TREINADAS.PESSOAS TREINADAS.
  • 16. Meio Ambiente e ResíduosMeio Ambiente e Resíduos OS RESÍDUOS DEVEM SEROS RESÍDUOS DEVEM SER ELIMINADOS DE FORMA A NÃOELIMINADOS DE FORMA A NÃO CONTAMINAREM OCONTAMINAREM O AMBIENTE SENDO OS DE ALTAAMBIENTE SENDO OS DE ALTA TOXICIDADE OU PERICULOSIDADETOXICIDADE OU PERICULOSIDADE COM ORIENTAÇÃO DO ÓRGÃOCOM ORIENTAÇÃO DO ÓRGÃO COMPETENTE E MONITORADOS.COMPETENTE E MONITORADOS.
  • 17. ErgonomiaErgonomia O TRANSPORTE DE CARGAS NÃO DEVEO TRANSPORTE DE CARGAS NÃO DEVE COMPROMETER A SAÚDE DOCOMPROMETER A SAÚDE DO TRABALHADOR QUE DEVERÁ SERTRABALHADOR QUE DEVERÁ SER TREINADO. DEVERÁ HAVER PAUSASTREINADO. DEVERÁ HAVER PAUSAS LEGAIS PARA DESCANSO SOBRETUDOLEGAIS PARA DESCANSO SOBRETUDO SE O TRABALHO FOR EM PÉ OUSE O TRABALHO FOR EM PÉ OU DEMANDAR ESFORÇO FÍSICODEMANDAR ESFORÇO FÍSICO ESTÁTICO OU DINÂMICO.ESTÁTICO OU DINÂMICO.
  • 18. Ferramentas ManuaisFerramentas Manuais GRATUITAS, SEGURAS, EFICIENTES,GRATUITAS, SEGURAS, EFICIENTES, CABOS ADERENTES E EM PERFEITOCABOS ADERENTES E EM PERFEITO ESTADO DE USO. AS QUE POSSUEMESTADO DE USO. AS QUE POSSUEM CORTE DEVEM ESTAR AFIADAS ECORTE DEVEM ESTAR AFIADAS E GUARDADAS EM BAINHA.GUARDADAS EM BAINHA.
  • 19. Máquinas, Equipamentos eMáquinas, Equipamentos e ImplementosImplementos USADAS SOMENTE PARA OS FINSUSADAS SOMENTE PARA OS FINS CONCEBIDOS, POR TRABALHADORESCONCEBIDOS, POR TRABALHADORES QUALIFICADOS, OBSERVAR ASQUALIFICADOS, OBSERVAR AS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS, LIMITES EESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS, LIMITES E RESTRIÇÕES DO FABRICANTE.RESTRIÇÕES DO FABRICANTE. MANUAIS NO ESTABELECIMENTO.MANUAIS NO ESTABELECIMENTO. TRANSMISSÕES DE FORÇATRANSMISSÕES DE FORÇA PROTEGIDAS.PROTEGIDAS.
  • 20. SecadoresSecadores COM REVESTIMENTO REFRATÁRIO ECOM REVESTIMENTO REFRATÁRIO E ANTEPAROS ADEQUADOS. LIMPEZAANTEPAROS ADEQUADOS. LIMPEZA DAS COLUNAS E CONDUTOS.DAS COLUNAS E CONDUTOS. REGULADOS. FILTROS DE ARREGULADOS. FILTROS DE AR MANTIDOS LIMPOS. SE ALIMENTADOSMANTIDOS LIMPOS. SE ALIMENTADOS POR COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS OUPOR COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS OU GASOSOS DEVEM SER PROTEGIDOSGASOSOS DEVEM SER PROTEGIDOS CONTRA EXPLOSÃO POR FALHA DACONTRA EXPLOSÃO POR FALHA DA CHAMA OU NO ACIONAMENTO.CHAMA OU NO ACIONAMENTO.
  • 21. SilosSilos EM SOLOS RESISTENTES, ESCADAS EEM SOLOS RESISTENTES, ESCADAS E PLATAFORMAS SEGURAS,PLATAFORMAS SEGURAS, REVESTIMENTOS INTERNOS QUE NÃOREVESTIMENTOS INTERNOS QUE NÃO PERMITAM ACÚMULO DE GRÃOS EPERMITAM ACÚMULO DE GRÃOS E POEIRAS, LIMPEZA NOS INTERVALOSPOEIRAS, LIMPEZA NOS INTERVALOS DE OPERAÇÃO, PREVENÇÃO DEDE OPERAÇÃO, PREVENÇÃO DE EXPLOSÕES, INCÊNDIOS, COMBUSTÃOEXPLOSÕES, INCÊNDIOS, COMBUSTÃO ESPONTÂNEA.ESPONTÂNEA.
  • 22. Acessos e vias de circulaçãoAcessos e vias de circulação SINALIZADAS DURANTE O DIA E ÀSINALIZADAS DURANTE O DIA E À NOITE E COM PROTEÇÃO EM CASONOITE E COM PROTEÇÃO EM CASO DE CHUVA QUE GEREDE CHUVA QUE GERE ESCORREGAMENTO E ALAGAMENTO.ESCORREGAMENTO E ALAGAMENTO. IMPLANTAÇÃO DE BARREIRAS QUEIMPLANTAÇÃO DE BARREIRAS QUE IMPEÇAM A QUEDA DE VEÍCULOSIMPEÇAM A QUEDA DE VEÍCULOS NAS LATERAIS.NAS LATERAIS.
  • 23. Transportes de trabalhadoresTransportes de trabalhadores DEVE HAVER AUTORIZAÇÃO COMPETENTE,DEVE HAVER AUTORIZAÇÃO COMPETENTE, MOTORISTA HABILITADO,MOTORISTA HABILITADO, COMPARTIMENTO RESISTENTE E FIXO PARACOMPARTIMENTO RESISTENTE E FIXO PARA GUARDA DE FERRAMENTAS. TODOSGUARDA DE FERRAMENTAS. TODOS SENTADOS. PROTEÇÃO RÍGIDA LATERAL DESENTADOS. PROTEÇÃO RÍGIDA LATERAL DE 2,10 m DE ALTURA LIVRE PARA EVITAR2,10 m DE ALTURA LIVRE PARA EVITAR ESMAGAMENTO E PROJEÇÃO DAS PESSOAS.ESMAGAMENTO E PROJEÇÃO DAS PESSOAS. AINDA, VENTILAÇÃO, ASSENTOSAINDA, VENTILAÇÃO, ASSENTOS COM ESPUMA, ENCOSTO E CINTO DECOM ESPUMA, ENCOSTO E CINTO DE SEGURANÇA.SEGURANÇA.
  • 24. Transportes de cargasTransportes de cargas NO CARREGAMENTO ENO CARREGAMENTO E DESCARREGAMENTO DE CAMINHÕESDESCARREGAMENTO DE CAMINHÕES AS ESCADAS E RAMPAS DEVEMAS ESCADAS E RAMPAS DEVEM PROPORCIONAR SEGURANÇA,PROPORCIONAR SEGURANÇA, COMPATÍVEL COM O TIPO DECOMPATÍVEL COM O TIPO DE CARROCERIA. SEM ESFORÇOSCARROCERIA. SEM ESFORÇOS FÍSICOS EXCESSIVOS E PROIBIÇÃOFÍSICOS EXCESSIVOS E PROIBIÇÃO DE SUBIR SOBRE CARGAS DEDE SUBIR SOBRE CARGAS DE GRANELEIROS ABERTOS.GRANELEIROS ABERTOS.
  • 25. Trabalho com animaisTrabalho com animais INFORMAR TRABALHADORES SOBRE ASINFORMAR TRABALHADORES SOBRE AS DOENÇAS E FORMAS CORRETAS DEDOENÇAS E FORMAS CORRETAS DE MANIPULAÇÃO SENDO PROIBIDO OMANIPULAÇÃO SENDO PROIBIDO O REAPROVEITAMENTO PARA USOREAPROVEITAMENTO PARA USO HUMANO DA ÁGUA UTILIZADA. EMHUMANO DA ÁGUA UTILIZADA. EM TRAÇÃO ANIMAL SERÃO USADOSTRAÇÃO ANIMAL SERÃO USADOS APENAS OS ANIMAIS ADESTRADOS.APENAS OS ANIMAIS ADESTRADOS.
  • 26. Fatores Climáticos eFatores Climáticos e TopográficosTopográficos SE DESFAVORÁVEIS, INFORMAR OSSE DESFAVORÁVEIS, INFORMAR OS CUIDADOS A SEREM ADOTADOS ECUIDADOS A SEREM ADOTADOS E INTERROMPER AS ATIVIDADES NÃOINTERROMPER AS ATIVIDADES NÃO SEGURAS. ATIVIDADES MAIS PENOSASSEGURAS. ATIVIDADES MAIS PENOSAS DEVEM SER REALIZADAS, SEDEVEM SER REALIZADAS, SE POSSÍVEL, NO PERÍODO DA MANHÃPOSSÍVEL, NO PERÍODO DA MANHÃ OU FINAL DA TARDE. EM TERRENOSOU FINAL DA TARDE. EM TERRENOS ACIDENTADOS DEVE-SE MINIMIZARACIDENTADOS DEVE-SE MINIMIZAR OS IMPACTOS SOBRE A SAÚDEOS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HUMANA.HUMANA.
  • 27. Medidas de Proteção PessoalMedidas de Proteção Pessoal GRATUITOS, OBRIGATÓRIOS, HIGIENIZADOS,GRATUITOS, OBRIGATÓRIOS, HIGIENIZADOS, EM PERFEITO ESTADO DE CONSERVAÇÃO EEM PERFEITO ESTADO DE CONSERVAÇÃO E FUNCIONAMENTO, ADEQUADOS AO RISCO EFUNCIONAMENTO, ADEQUADOS AO RISCO E COM TREINAMENTO. FORNECIDOS QUANDOCOM TREINAMENTO. FORNECIDOS QUANDO AS MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVAAS MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA FOREM INVIÁVEIS, ESTIVEREM EMFOREM INVIÁVEIS, ESTIVEREM EM IMPLANTAÇÃO, NÃO FORNEÇAM COMPLETAIMPLANTAÇÃO, NÃO FORNEÇAM COMPLETA PROTEÇÃO OU EM CASOS EMERGENCIAIS.PROTEÇÃO OU EM CASOS EMERGENCIAIS.
  • 28. Edificações RuraisEdificações Rurais DEVEM SUPORTAR AS CARGASDEVEM SUPORTAR AS CARGAS PERMANENTES E MÓVEIS, PISOS SEMPERMANENTES E MÓVEIS, PISOS SEM DEFEITOS, ABERTURAS NOS PISOS EDEFEITOS, ABERTURAS NOS PISOS E PAREDES SEM RISCOS DE QUEDAS,PAREDES SEM RISCOS DE QUEDAS, MATERIAIS ANTIDERRAPANTES EMMATERIAIS ANTIDERRAPANTES EM ESCADAS, RAMPAS E CORREDORES. OSESCADAS, RAMPAS E CORREDORES. OS GALPÕES PARA GRÃOS E ANIMAISGALPÕES PARA GRÃOS E ANIMAIS DEVEM SER VENTILADOS.DEVEM SER VENTILADOS.
  • 29. Instalações ElétricasInstalações Elétricas PROJETADAS E MANTIDAS SEM RISCOPROJETADAS E MANTIDAS SEM RISCO DE CHOQUE ELÉTRICO, ISOLADAS COMDE CHOQUE ELÉTRICO, ISOLADAS COM PEÇAS CONDUTORAS AVULSASPEÇAS CONDUTORAS AVULSAS ATERRADAS. EM CASO DE CONTATOATERRADAS. EM CASO DE CONTATO COM ÁGUA DEVEM SER BLINDADAS,COM ÁGUA DEVEM SER BLINDADAS, ESTANQUES E ATERRADAS.ESTANQUES E ATERRADAS.
  • 30. Áreas de VivênciaÁreas de Vivência NO CASO DE TRABALHADORESNO CASO DE TRABALHADORES ALOJADOS, DEVE HAVERALOJADOS, DEVE HAVER CONSERVAÇÃO, HIGIENE,CONSERVAÇÃO, HIGIENE, PAREDES E PISOS DE ALVENARIA,PAREDES E PISOS DE ALVENARIA, MADEIRA OU EQUIVALENTE EMADEIRA OU EQUIVALENTE E COBERTURA, ILUMINAÇÃO ECOBERTURA, ILUMINAÇÃO E VENTILAÇÃO ADEQUADAS.VENTILAÇÃO ADEQUADAS.
  • 31. "As grandes oportunidades de"As grandes oportunidades de ajudar os outros raramenteajudar os outros raramente acontecem, mas as pequenasacontecem, mas as pequenas surgem todos os dias."surgem todos os dias." "Comece fazendo o que é"Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível,necessário, depois o que é possível, e de repente você estará fazendo oe de repente você estará fazendo o impossível .“impossível .“ (São Francisco de Assis) (São Francisco de Assis) (São Francisco de Assis)