Automedicação SENAC 2013

10.307 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

Automedicação SENAC 2013

  1. 1. AUTOMEDICAÇÃOMEDICAMENTONEM SEMPRE É O MELHOR REMÉDIOAna RubioMárcio Ravazoli
  2. 2. AnaRubio&MárcioRavazoli O consumo é algo inerente aohomem. Incentivo ao consumo atravésde publicidade e da ideia dasubstituição do “prazer do tersobre o ser”. (AQUINO, 2010)http://setusolosapessi.blogspot.com.br/
  3. 3. AnaRubio&MárcioRavazoliNa sociedade moderna, à medida que o acesso aoconsumo foi convertido no objetivo principal parao desfrute de níveis satisfatórios de bemestar, bons níveis de saúde passaram a ser vistoscomo possíveis fontes rentáveis, fazendo com quea Indústria Farmacêutica lançasse mão dediversas práticas promocionais que visam atingiro médico, farmacêutico, balconista, dono defarmácia e o consumidor em geralhttp://monitoracao.wordpress.com/
  4. 4. AnaRubio&MárcioRavazoli O medicamento enquantosímbolo de saúde; Consumir para sentir-se bem; Vitaminas (beleza, vigorfísico, jovialidade); Emagrecimento;http://2betrend.com.br/remedio-de-beleza/
  5. 5. AnaRubio&MárcioRavazoliAUTOMEDICAÇÃO A automedicação é conceituada como a prática deingerir substâncias de ação medicamentosa sem oaconselhamento e/ou acompanhamento de umprofissional de saúde qualificado. (CASTRO etal, 2006)http://colunas.revistaepoca.globo.com/felipepatury/tag/remedios/
  6. 6. AnaRubio&MárcioRavazoliAUTOMEDICAÇÃO RESPONSÁVEL Representa economia para o indivíduo e para osistema de saúde, evitando congestionamento nosserviços ofertados. (SCHMID et al, 2010)http://ictq.com.br/portal/estatisticas-do-setor-farmaceutico/indice-de-importancia-do-farmaceutico-na-saude-e-na-farmacia-no-brasil
  7. 7. AnaRubio&MárcioRavazoliAUTOMEDICAÇÃO IRRACIONAL Aumenta o risco de eventos adversos e demascaramento de doenças, podendo retardar odiagnóstico. (SCHMID et al, 2010)http://inovabrasil.blogspot.com.br/2007/12/pesquisa-revela-prevalncia-de.html
  8. 8. AnaRubio&MárcioRavazoliFATOREShttp://www.redefonte.com/2012/07/
  9. 9. AnaRubio&MárcioRavazoli Principal queixa dos usuários que buscam aautomedicação; Má qualidade e demora no atendimento nosistema de saúde; Atendimento rápido, superficial eimpessoal; Maus tratos e falta de humanização;(NAVES et al, 2010) http://www.piadasdofacebook.com.br/tag/sus/SISTEMA DE SAÚDE INADEQUADO
  10. 10. AnaRubio&MárcioRavazolihttp://www.imagensfacebook.com/mostrar/sus#
  11. 11. AnaRubio&MárcioRavazoli VENDA INDISCRIMINADA Pressão por proprietários de Farmácias edrogarias; Proprietários não farmacêuticos; Comissões; Ausência do Farmacêutico no atendimento; Sobras de medicamentos, compartilhamento demedicamentos entre membros da família ou docírculo social.http://www.portalguaira.com/PG/comissao-do-senado-aprova-fim-de-imposto-sobre-remedio/
  12. 12. AnaRubio&MárcioRavazoli PROPAGANDA Estímulo desnecessário eirracional do uso demedicamentos (NAVES etal, 2010) Médica, farmacêutica emídias; RDC 96/08http://farmacotecnico.blogspot.com.br/2010/05/automedicacao.html
  13. 13. AnaRubio&MárcioRavazoli Custo elevado dos planos de saúde privados e deconsultas particulares;http://www.sindifiscocuritiba.org.br/noticia.aspx?id=256
  14. 14. AnaRubio&MárcioRavazoliCONSEQUÊNCIAShttp://voice4america.com/articles/joe-gandelman#axzz2RlodYoHX
  15. 15. AnaRubio&MárcioRavazoli Uso incorreto e/ou desnecessário: Intoxicação Reações alérgicas Mascaramento de sintomas Resistência bacteriana (antimicrobianos)http://pt-br.infomedica.wikia.com/wiki/Resist%C3%AAncia_Bacteriana_a_Antibi%C3%B3ticos
  16. 16. AnaRubio&MárcioRavazoliCASOS FREQUENTES DE INTOXICAÇÃO Ceatox HC (600 casos/mês) 1º. lugar = analgésicos/ antitérmicos/ Anti-inflamatórios 2º. lugar = antidepressivos e estimulantes 3º. Lugar = cardiovasculares AAS, Paracetamol, Dipironahttp://farmaceuticacuriosa.blogspot.com.br/p/aantroposofia-e-os-medicamentos.htmlhttp://observatorio.digemid.minsa.gob.pe/
  17. 17. AnaRubio&MárcioRavazoliRESULTADOS DA PESQUISA0 1 2 3 4 5 6 7 8 9Demora na marcação de consulta (público e/ou privado)Conselho de outras pessoas (família, amigos)Insatisfação com o Sistema Único de Saúde (SUS)Confiança na Farmácia ou Drogaria onde adquiriu a medicaçãoPraticidadeJá connhecia os sintomas e a medicação necessária para ameniza-laRespondentesMotivosO que o(a) levou a praticar a automedicação?Resultados da pesquisa sobre automedicação na turma de 2º período de pós-graduação docurso de Docência no Ensino Superior do Centro Universitário Senac realizado em 29/04/2013.
  18. 18. AnaRubio&MárcioRavazoliCLASSES DE MEDICAMENTOS MAIS CONSUMIDOSantialérgicos9%outros(antibióticos, hipoglicemiantes, colesterol e omeprazol)10%vitamina e suplementos10%contraceptivos orais12%antigripais14%anti-inflamatórios erelaxantes musculares21%analgésicos (dor decabeça)24%Resultados da pesquisa sobre automedicação na turma de 2º período de pós-graduação docurso de Docência no Ensino Superior do Centro Universitário Senac realizado em 29/04/2013.
  19. 19. AnaRubio&MárcioRavazoliA automedicação é um direito do consumidor e osprofissionais de saúde são prestadores de serviço desaúde, quando solicitados. Então, para umaautomedicação responsável, é necessário iniciar desde agraduação, formar profissionaisgabaritados, especialmente do curso de farmácia, paraque sejam partícipes desta atividade, quando estiveremno mercado de trabalho. (ZUBIOLI, 2000) http://www.bangorpharmacy.com.au/health.asp?ID=230
  20. 20. AnaRubio&MárcioRavazoliREFERÊNCIASAQUINO, D. S.; BARROS, J. A. C.; SILVA, M. D. P. A automedicaçãoe os acadêmicos da área de saúde. Ciência & Saúde Coletiva.2010. 15(5) pp 2533-2538.CASTRO, H. C. et al. Automedicação: entendemos o risco?Infarma. 2006. Vol. 18 nº 9/10. pp 17-20.LOYOLA FILHO, A. I. et al. Prevalência e fatores associados àautomedicação: resultados do projeto Bambuí. Rev. SaúdePública. 2002; 36(1). pp 55-62.NAVES, J. O. S. et al. Automedicação: uma abordagemqualitativa de suas motivações. Ciência & Saúde Coletiva. 2010.15(Supl. 1) pp 1751-1762.SCHMID, B.; BERNAL. R.; SILVA, N. N. Automedicação em adultosde baixa renda no município de São Paulo. Rev. Saúde Pública.2010; 44(6). pp 1039-1045.ZUBIOLI, A. O Farmacêutico e a automedicação responsável.Pharmacia Brasileira. Set/Out 2000. pp 23-26.

×