Os presentes dados referentes ao racismo em livros didáticos e paradidáticos, foram apresentados em seminário elaborado pe...
Pesquisas sobre representação do negro em livros didáticos e paradidáticos


   Ano           Autor                 Título...
O negro como escravo.
                                                                   Escassez de multidões mistas, ind...
Criança isolada.




1999   Chirley Bazilli   Discriminações contra personagens      Vinte anos de produção (...) ocorrera...
Referências bibliográficas:


           BAZILLI, Chirley. Discriminações contra personagens negros na literatura infanto-...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

RepresentaçãO Do Negro No Livro DidáTico

6.902 visualizações

Publicada em

Representação do negro no livro didático

Publicada em: Espiritual, Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.902
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
80
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
56
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

RepresentaçãO Do Negro No Livro DidáTico

  1. 1. Os presentes dados referentes ao racismo em livros didáticos e paradidáticos, foram apresentados em seminário elaborado pelo Centro de Estudos das relações do Trabalho e Desigualdades – CEERT e pelo Fundo das Nações Unidas Para a Infância – UNICEF, em 22 de maio de 2003. O referido seminário objetivou sensibilizar importantes atores do cenário educacional brasileiro a fim de discutir a inclusão da temática racial em seus programas institucionais. O objetivo da tabela que se segue é analisar as principais pesquisas que tiveram como objeto de estudo a representação do negro em livros didáticos e paradidáticos, apontando suas principais conclusões. Um aspecto que incide em todas as pesquisas analisadas, é a representação do negro de uma maneira estereotipada e preconceituosa. Outro aspecto que se observa após a análise destas pesquisas, é que decorridas cinco décadas, ainda nos deparamos com publicações (Banzo, Tronco e Senzala - Elzi Nascimento e Elzita Melo Quinta, ilustrações Negreiros, editora Harbra, 1999) que tratam o negro como um cidadão de segunda categoria, animalizado e como único responsável pelo processo de escravidão. Esperamos que estas conclusões contribuam como indicadores de análise e seleção das publicações para o público infanto-juvenil.
  2. 2. Pesquisas sobre representação do negro em livros didáticos e paradidáticos Ano Autor Título Principais conclusões 1950 Dante Moreira Leite Preconceito racial e patriotismo em seis Negro representado em situação social livros didáticos primários brasileiros inferior. Superioridade da raça branca. O branco tendo uma postura de desprezo e/ou piedade para com o negro. 1957 Bazzanella Valores e estereótipos em livros de O negro desempenhando funções leitura. subalternas. Sempre relacionado à escravidão. 1980 Fúlvia Rosemberg Análise dos modelos culturais na Em situação de trabalho mesmo quando (1955-1975) literatura infanto-juvenil brasileira. não desempenhando nenhuma atividade profissional (mulheres como empregadas domésticas e homens como trabalhadores manuais).
  3. 3. O negro como escravo. Escassez de multidões mistas, indicando a não miscigenação e invisibilidade do negro. Religiosos brancos. Corpo humano: homem, branco e adulto. Traço tipificador, como se todos os negros fossem iguais. 1990 Esmeralda Negrão e De olho no preconceito: um guia para Inexistência do negro em livros. Regina Pahim Pinto professores sobre racismo em livros O negro como categoria social. para crianças. Branco tido como padrão. Tendência ao branqueamento de objetos antropomorfizados. 1995 Ana Célia da Silva Discriminação do negro no livro O negro assemelhado a seres irracionais. didático Descontextualizado (sem família). Associado à animais. Desempenhando funções subalternas. Em último lugar. Menor freqüência nas ilustrações em capas e como personagens principais. Representado de forma caricaturada. Maltrapilho e sujo, como se negro e pobre fosse condições intrínsecas.
  4. 4. Criança isolada. 1999 Chirley Bazilli Discriminações contra personagens Vinte anos de produção (...) ocorreram negros na literatura infanto-juvenil (...) quase inalterações, das tendências brasileira contemporânea sobre as relações raciais (...). (p. 101) Fonte: Centro de Estudos das Relações do Trabalho e Desigualdades – CEERT
  5. 5. Referências bibliográficas: BAZILLI, Chirley. Discriminações contra personagens negros na literatura infanto-juvenil brasileira contemporânea. São Paulo, Dissertação de mestrado em Psicologia Social (PUC-SP), 1999. BAZZANELLA, W. Valores e estereótipos em livro de leitura. Boletim do Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais. Rio de Janeiro, vol. 2, n. 4, mar., 1957. LEITE, Dante M. Preconceito racial e patriotismo em seis livros didáticos primários brasileiros. Psicologia. São Paulo, n. 3, p.207-31, 1950. NEGRÃO, Esmeralda V. & PINTO, Regina P. De olho no preconceito: um guia para professores sobre racismo em livros para crianças. São Paulo, Fundação Carlos Chagas, 1990. ROSEMBERG, Fúlvia. Análise dos modelos culturais na literatura infanto-juvenil brasileira. São Paulo, Fundação Carlos Chagas, volumes 1 a 9, 1980. SILVA, Ana Célia da. Discriminação do negro no livro didático. Salvador, Editora CEAO, 1995.

×