O uso inadequado do solo com as práticas agrícolas

3.186 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.186
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O uso inadequado do solo com as práticas agrícolas

  1. 1. O USO INADEQUADO DO SOLO COM AS PRÁTICAS AGRÍCOLAS
  2. 2. José Luís de Jesus Santos
  3. 3. OBJETIVO Entender que as práticas agrícolas devem ser repensadas e desenvolvida em harmonia com o meio ambiente.
  4. 4. A formação do relevo de Itapicuru é predominantemente de tabuleiro.
  5. 5. Ciclo hidrológico
  6. 6. Agropecuárias e inseticidas
  7. 7. Fazendeiros no vale Rio Itapicuru também fazem uso de herbicidas para limpeza de pastos.
  8. 8. A falta de cuidado com vasilhames de inseticidas. • Dormitório • Vasilhas que deviam ser recolhidas
  9. 9. A proteção do trabalhador que aplica o veneno.
  10. 10. O descaso com os mananciais.
  11. 11. Consequências!
  12. 12. O veneno nosso de cada dia. O Brasil lidera.
  13. 13. As herbicidas teve grande uso na guerra do vietnã. A menina da imagem mais famosa da Guerra do Vietnã, feita pelo fotógrafo Huynh Cong 'Nick' U Evangélica a menina Kim Phuc sai do inferno da Guerra para o Reino de Jesus e ensina Perdão
  14. 14. O solo de Itapicuru também é destruído de outras formas. Vegetação nativa sendo destruído com a retirada de areia para a construção civil de Tobias Barreto –SE.
  15. 15. O vazio que é deixado pela retirada de areia é complementado com lixo
  16. 16. Caminhão sendo recarregado com areia para a construção civil em Tobias Barreto
  17. 17. Casas que parecem ser de veraneio, mas é de fachada para cobrir a retirada de areia.
  18. 18. Para esconder a degradação ambiental vão plantando eucalipto.
  19. 19. A retirada de areia é preocupante, e avassaladora.
  20. 20. Investimentos mobiliários de casas de materiais de construção de Tobias Barreto em Sambaíba município de ItapicuruBahia.
  21. 21. conclusão • Para falar de agricultura não basta somente mergulhar nos livros e acreditar que se entende tudo sobre o assunto. É preciso ter também experiência, viver como vivem os homens do campo, que há décadas, retiram da terra o sustento necessário para alimentar toda a família.
  22. 22. • “Somente quando for cortada a ultima árvore, Poluído o ultimo rio, Pescado o ultimo peixe, é que o homem vai perceber que não pode comer dinheiro!” Jam Yuri
  23. 23. Bibliografia • d de Ciências Humanas, 1980. • _______ Latifúndio e cana-de-açúcar e coco no Norte de Alagoas, Separata de revista Simpósio Recife, Universidade Católica de Pernambuco, 1968. • _______ Agricultura e capitalismo; São Paulo. Ciências humanas, 1979 • _______ O Nordeste e a nova Republica. Recife, editora Asa Pernambucana, 1987. • MARTINEZ ALIER, Juan. O Ecologismo dos Pobres: Conflitos Ambientais e Linguagens de valoração;[tradutor Maurício Waldman]. – 1.ed., reimpressão . – São Paulo: Contexto, 2009. • PRIMAVESI, Ana. Manejo Ecologico do Solo: A agricultura em regiões tropicais. São Paulo : Nobel 1999. • PINHEIRO, Sebatião. A Agricultura Ecologica e a Máfia dos Agrotóxicos no Brasil. Sebastião Pinheiro, Nasser Youssef e Dioclécio Luz. Rio de Janeiro: Fundação Juquira Carandiru, 1998. • DUARTE, Ruth de Govêa. Projeto Ciência. Lições da natureza. 6ª impressão . ed. – São Paulo : atual, 2000. • SANTOS, M. Por uma Nova Geografia, São Paulo, hucitec 1978. • _______. Espaço e Método. São Paulo, Hucitec. 1985. • _______Por Uma Outra Globalização: do Pensamento Único à Consciência Universal. São Paulo.Ed. Record, 2000. • SEBASTIÃO, Pinheiro. A Máfia dos Alimentos no Brasil • IANNI, O. As metamorfoses do escravo: Apogeu e crise da escravatura no Brasil Meridional. São Paulo, Difel 1962. • ______ Origens Agrárias do Estado Brasileiro, São Paulo, Brasiliense, 1984 . • 12 • GUIMARÃES, Aberto. Passos. Quatro Séculos de Latifúndio, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

×