Adubação

1.652 visualizações

Publicada em

Material de apoio utilizado em aula ministrada no Centro de Formação Profissional e Educação Ambiental - CEFOPEA, da ONG Reciclázaro, São Paulo, SP, para o curso de capacitação em Jardinagem e Meio Ambiente.

Publicada em: Meio ambiente
  • Seja o primeiro a comentar

Adubação

  1. 1. ADUBAÇÃO Biólogo Leandro Machado de Moura email: lammoura@uol.com.br
  2. 2. • É a reposição dos nutrientes retirados do solo pelas plantas para o crescimento, floração, frutificação e a multiplicação, pois em um jardim cultivamos plantas com diferentes necessidades de nutrientes, • A água das chuvas favorece uma rápida lixiviação dos nutrientes e a adubação em jardinagem acaba se tornando necessária. ADUBAÇÃO
  3. 3. É qualquer elemento ou composto químico necessário para o metabolismo de um organismo vivo. Estão divididos em: • Macronutrientes: Carbono (C), hidrogênio (H), oxigênio (O), nitrogênio (N), fósforo (P), enxofre (S), cálcio (Ca), magnésio (Mg) e potássio (K). • Micronutrientes: Boro (B), cobalto (Co), cobre (Cb), ferro (Fe), manganês (Mn), molibdênio (Mo) e zinco (Zn). NUTRIENTES
  4. 4. Adubos orgânicos: são aqueles provenientes de matéria de origem vegetal ou animal, ficam mais tempo no solo e são absorvidos mais lentamente. Adubos inorgânicos ou químicos: são obtidos a partir da extração mineral ou de derivados de petróleo. São absorvidos rapidamente e são mais concentrados, existindo o perigo de uma super-adubação, que pode interferir no metabolismo vegetal prejudicando o desenvolvimento da planta, por isso devem ser utilizados seguindo as dosagens recomendadas. TIPOS DE ADUBO
  5. 5. São chamados de NPK porque contém em suas fórmulas maior quantidade de nitrogênio (N), fósforo (P) e potássio (K). Uma fórmula NPK 12–10–6, indica que o produto contém: • 12% de N (nitrogênio) + • 10% de P (fósforo) + • 6% de K (potássio). ADUBO QUÍMICO - NPK
  6. 6. • N - Nitrogênio - atua na folhagem da planta, estimulando a sua brotação e dando a coloração verde às folhas. Sem nitrogênio a planta não cresce. • P - Fósforo - Estimula o desenvolvimento das raízes. Estimula o florescimento e ajuda a formação das sementes. Possui alta mobilidade na planta e baixa mobilidade solo. • K - Potássio - Dá maior vigor e maior resistência às doenças. Reduz a perda d’água nos períodos secos, aumentando a resistência à seca. Ajuda na produção de açúcares, melhorando na qualidade dos frutos. ADUBO QUÍMICO - NPK
  7. 7. • Superadubação: todo o excesso prejudica as plantas, as folhas e caules apresentam-se queimados, ficam com aspecto doentio e fracas. Para corrigir, regar abundantemente, ou trocar o substrato no caso de vasos. • Dosagem: Leia e releia sempre as instruções dos rótulos antes de preparar e aplicar adubos industrializados. • Use sempre EPI, luvas, máscara e óculos de proteção. ADUBAÇÃO
  8. 8. CALAGEM É uma etapa do preparo do solo para cultivo agrícola na qual se aplica calcário para: • elevar os teores de cálcio e magnésio do solo; e • corrigir o pH do solo, E também: • aumenta disponibilidade e assimilação do Cálcio, Magnésio, Fósforo e Molibdênio; e • estimula o desenvolvimento da vida microbiana no solo.
  9. 9. BIOFERTILIZANTE - MINHOCÁRIO
  10. 10. BIOFERTILIZANTE - MINHOCÁRIO Primeira e segunda caixas (compostagem c/ furos): Húmus, terra e serragem (folhas secas, grama seca ou papel picado) – aumento da temperatura e aeração . 2 partes de Carbono para 1 de Nitrogênio: Carbono: serragem (folhas secas, grama seca ou papel picado) Nitrogênio: cascas e talos de fruta e legumes, borra de café Evitar: Carnes, peixes, ossos, fezes de animais Colocar pouco (até 20%): cítricos (limão), cebola e alimentos cozidos Terceira caixa (coletora – s/ furos): Chorume orgânico (diferente do chorume do lixo)
  11. 11. BIOFERTILIZANTE - MINHOCÁRIO Você terá 2 produtos excelentes para usar como biofertilizantes: Húmus: é basicamente matéria orgânica resultado da decomposição dos resíduos, feita pelas minhocas (“terra preta” - solo de qualidade ideal) e que estará disponível na caixa do meio (depois que você já estiver colocando os resíduos na caixa de cima e que as minhocas migraram para esta caixa superior). Obs.: Observe que a qualidade do húmus depende da qualidade do alimento das minhocas, assim resíduos orgânicos variados melhoram o húmus. Resultados O tempo dependerá do tamanho do minhocário, quantidade de minhocas, do volume de resíduos colocados e condições do ambiente (em geral entre 30 e 50 dias).
  12. 12. BIOFERTILIZANTE - MINHOCÁRIO A receita é: • Misture 1 parte de chorume ou húmus de minhocas em 10 partes de água e aplique nas plantas (pode ser aplicado sobre as folhas). • E o húmus você pode usar para o plantio, misturando com terra comum você irá adubá-la, ou seja, torná-la rica em nutrientes e em “vida” para que os ciclos naturais ocorram. Chorume: é um líquido marrom, quase preto e basicamente com a mesma composição do húmus. Ambos podem ser diluídos em água e usados diretamente para adubar plantas.
  13. 13. BIOFERTILIZANTE - MINHOCÁRIO Benefícios: • Reestabelecem a fertilidade de solos pobres/degradados; • Estimulam o crescimento das plantas • Mantém as plantas sadias e sem pragas (quando uma planta é atacada significa que ela está doente) Épocas em que a aplicação é mais importante: • Quando você monta pela primeira vez um canteiro; • Épocas em que as plantas ficam mais frágeis e suscetíveis a ataques de pragas: - Após períodos longos de chuva (falta de sol para a fotosíntese); - Em épocas de florada; - Em períodos de seca.
  14. 14. FALTA DE NUTRINTES
  15. 15. FIM OBRIGADO!

×