SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 73
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
1
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
2
I – CONSIDERAÇÕES INICIAIS
“É por perceber a necessidade de apresentar o Evangelho da forma mais adequada possível que
o Ministério de Pregação não se dá por vencido ante os embaraços encontrados para ministrar uma
boa formação. Por acreditar que podemos formar novos pregadores e aperfeiçoar os veteranos, que
elaboramos um projeto de Formação. Por compreender que trabalhando com afinco conseguiremos dar
um passo a mais na caminhada da formação de pregadores, isto é, conseguiremos ir ‘além dos limites
dos nossos desertos’, saindo do ‘lugar-comum’, em se tratando de formação, realizando também as
oficinas de pregação.
Queremos nos encontros de formação apresentar os pregadores uma metodológica que ajuda a
pregar com unção e docilidade ao Espírito Santo. Temos também exortado a todos os pregadores a
buscarem o conhecimento necessário para pregar, participando de todos os encontros ministrados
pelos outros ministérios. Ao pregador se faz necessário pregar com unção e com metodologia correta,
mas também o conhecimento do assunto que vai expor. Assim ele deve participar de todos os encontros,
além de complementar sua formação com as atividades fixadoras e outras fontes de conhecimento tais
como: livros, fitas de áudios-visuais, entre outros recursos.”
(Dercides Pires da Silva -Membro do Conselho Nacional da RCC)
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
3
ORIENTAÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DO ENSINO, FORMADORES E ALUNOS
 Primeiramente o formador deve preparar-se bem espiritualmente e assimilar o conteúdo a ser
ministrados e em seguida com a aparência física na questão do vestuário, porque vai estar se
sentindo bem com ele mesmo e para destacar o quanto o momento da formação é importante
Então o cuidado com a espiritualidade e aparência é fundamental.
 Procurar obedecer rigorosamente o tempo, que será: das 18:00 hs às 19:15 hs sendo:
 das 18:10 hs oração inicial;
 das 18:10 até 19:00 formação, incluindo dinâmicas didáticas;
 das 19:00 até 19:15 – oração final, esclarecimentos, freqüência, compromissos, bênção final.
 Procurar adotar a didática de ensino, pois facilita tudo, devendo ser aperfeiçoada;
 Entregar o material do ensino aos alunos no inicio, para que os mesmos acompanhem o ensino e
possa haver momentos de participação dos mesmos;
 O material de cada ensino será entregue a cada aula para depois montar a apostila, para que os
alunos tenham vontade de vir a próxima aula, pois com o material completo em mãos sentem-se
auto-suficientes;
 Serão convidados somente os irmãos que realizaram o Curso de Formadores da RCC e estes
serão escalados para o Ensino e receberão o devido material e apoio didático;
 Solicitar uma taxa de inscrição para aquisição e repasse do material didático;
 Confeccionar uma ficha de freqüência com o nome dos alunos;
 Ter um caderninho para anotar sugestões, inscrição e gastos para prestação de contas, etc.;
 Providenciar uma caixinha para guardar material didático (pinceis, grampos, perfurador, etc).
 Sempre ao final da formação realizar a chamada de freqüência, lembrando aos mesmos que no
final do Ensino existe uma atividade fixadora, não sendo necessário devolver ao formador, mas
conscientizar que o mesmo ajuda na fixação do ensino e aperfeiçoa a formação;
 Preparar o ambiente mais cedo para termos um local adequado de acordo com a formação
agradável (cadeiras, mesa com oratório, local para exposição dos cartazes ou outros recursos,
iluminação, etc.);
 Confeccionar também um lembrete para conscientizar os alunos e formadores o horário de início
e término da formação;
 No final do curso preparar um certificado com confirmação de realização do Curso de Formação
e se possível organizar uma pequena confraternização de conclusão.
MATERIAL DIDÁTICO
1) 01 resma de papel ofício 04 para impressão da apostila para os formadores e material semanal
a ser entregue para os alunos;
2) Folhas de papel madeira ou outro para preparação de painéis para ministração da formação
conforme orientação didática;
3) Cartolinas de cores diversas para dinâmicas;
4) Pinceis atômicos (azul, vermelho e preto);
5) Fita adesiva para colagem de identificação das pastas com grampos fixadores e para fixar os
painéis;
6) Pastas para os formadores e formandos guardem o material fornecido aos mesmos;
7) Vidro de cola, grampos, perfurador (se puder arrumar emprestado, grampeador, devido o
preço,etc.);
8) Demais materiais poderão ser solicitados de acordo com a didática de preparação da
formação, porém limitados e dependendo do caixa arrecadado pela formação.
9) Ensinos que serão entregues aos alunos a cada aula ministrada.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
4
ESCALA DE FORMADORES
ENSINO DATA FORMADOR
1.0 - ENSINO Nº 01
28/01/2010 Tatiano
2.0 - ENSINO Nº 02
04/02/2010 Ana Lúcia e Josué
3.0 - ENSINO Nº 03 11/02/2010 Daiane
4.0 - ENSINO Nº 04 18/02/2010 Débora Lúcia
5.0 - ENSINO Nº 05 25/02/2010 Fabiano
6.0 - ENSINO Nº 06 04/03/2010 Débora Lúcia
7.0 - ENSINO Nº 07 11/03/2010 Tatiano e Josué
8.0 - ENSINO Nº 08 18/03/2010 Sugestão Dayahara
9.0 - OFICINAS 25/03/2010 Os alunos
Para ser entregue no 1º dia – Suscitando a perseverança
ORAÇÃO DA
PERSEVERANÇA FINAL
Ò Meu Jesus, eu Vos amo. Eu Vos amo
com a vossa Cruz, com o vosso sofrimento,
com o vosso amor imenso. Ò Jesus, pelo
sangue que derramastes e pelas lágrimas de
vossa Mãe Santíssima, dai vista aos cegos,
andar aos paralíticos, saúde aos enfermos,
para todos os que sofrem e padecem. Meus
Jesus, vossos passos quero seguir; vossas
palavras falar, vossos pensamentos pensar,
vossa cruz carregar; vosso Corpo comer,
vosso Sangue beber; o pecado detestar e o
Céu alcançar.
Amé m!
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
5
ÍNDICE:
1.0 - ENSINO Nº 01
1.1 - FORMAÇÃO DE PREGADORES
1.2 - Método de Crescimento Espiritual - FOM
2.0 - ENSINO Nº 02
2.1 - A Pregação no Grupo de Oração
2.2 - O Glorioso Ministério de Pregação
3.0 - ENSINO Nº 03
3.1 - Características do Perfil do Pregador
3.2 - Forjando e Avaliando Nosso Perfil de Pregador
4.0 - ENSINO Nº 04
4.1 - Distinção Entre Pregador e Formador
4.2 - Diferença entre Querigma e Catequese
4.3 - Conhecendo o Querigma
5.0 - ENSINO Nº 05
5.1 - Conhecendo a Bíblia – Revelação da Vontade de Deus e Instru-
mento do Pregador
5.2 - LECCTIO DIVINA
6.0 - ENSINO Nº 06
6.1 - Como organizar a pregação – Roteirização
7.0 - ENSINO Nº 07
7.1- Como pregar a mensagem – Técnicas de Pregação
8.0 - ENSINO Nº 08
8.1 – Oficinas de Pregação
9.0 – PRÁTICAS DAS OFICINAS
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
6
ENSINO Nº 01 - FORMAÇÃO DE PREGADORES
< Método de Crescimento Espiritual - FOM: >
INTRODUÇÃO
– Formação – Porque o pregador precisa conhecer e aprofundar-se
naquilo que prega – não cair em enganações, não falar coisas erradas
sem ter sido formado – bom pregador tem formação, conseqüentemente
PREPARAÇÃO;
– Oração - Porque a Oração que geralmente conclui a nossa pregação
conduz os irmãos a absorver o que foi anunciado e é onde buscamos a
nossa inspiração para expressarmos o que Deus quer.
– Missão - Porque Deus precisa de nós para concretizar o Plano de
Amor d’Ele sobre a humanidade, conduzindo as pessoas para uma
consciência de que todos são chamados a experimentar de sua presença
salvífica.
A) FORMAÇÃO, CAMINHO DE GRAÇA
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
7
1. CONCEITOS:
- Formar: Dar a forma a (algo). Ter a forma de; assemelhar-se a algo. Conceber, imaginar.
Constituir, compor. Instruir, educar, aperfeiçoar. Promover ou facilitar formatura. Tomar forma;
desenvolver-se. Educar-se, instruir-se, preparar-se.
- Formação: = Ato, efeito ou modo de formar. Constituição, caráter. Maneira por que se
constituiu uma mentalidade, um caráter, ou um conhecimento profissional.
= É o ato de instruirmos a nós mesmos, bem como de instruirmos nossos irmãos, a fim de que
todos nós possamos vivenciar os ensinamentos de Jesus, sendo seus discípulos, assim como
sendo continuadores de sua missão evangelizadora.
- FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA: II Timóteo 2, 2b-2c e 3,16-17
a) Exigências da formação (PAPAI DO CÉU AMA)
- Paciência: ( Eclo 2,1-6); Amor: (1Cor 13); Perseverança: ( Jo 15,1-8);
- Atitude profissional (disciplinada): ( 2Tm 2,1-7); Inteligência: Inteligência é um dom de Deus
(2 Tm 2,7); Sabedoria; Pensar (aprender a pensar, refletir, racionar);
- Dedicação: Jesus, o mestre, dedicou-se aos seus discípulos: (Mc 3,13-14, Mt 17,1-9);
- Oração: Por nós (Lc 22,39-40) e Pelos formandos (Lc 22,31-32)
- Coragem: Valente contra os embaraços; Não é contra homens que temos de lutar (Ef 6,12)
- Estudo: Qual foi o estudo de Pedro? E de Paulo? Jesus ensinou e o Espírito Santo continuou a
ensinar e a recordar (Jo 14,26); Unidade: = Jo 17,20-21, At 15,4-31 e = Gl 2,
- Aprender a aprender: É o dom dos discípulos chamados a serem mestres (Doutores);
= 1 Cor 12,11 in fine; Aprender com o Espírito Santo (Paulo)
- Mudança de mentalidade (metanóia: transformação fundamental de pensamento ou de caráter
– NDALP);
= Formação é, em princípio, uma questão de mentalidade.
 Uma mentalidade formadora cria novas oportunidades de formação, aproveita as já existentes
e adapta todas as situações possíveis ao exercício da formação - = Rm 12,2; = Ef 4,11-16 (v. 13b)
- Avaliação: = Lc 10,17-20 e = Mt 17,14-20
2. JESUS FORMADOR -
- Jesus formou doze apóstolos tão bem que eles produziram um precioso fruto, que é a Igreja.
3. OS SEGUIDORES DE JESUS SÃO FORMADORES
- Os 12 Apóstolos e outros 72 discípulos do tempo de Jesus formaram toda uma geração de
discípulos, que começou com Lucas, Timóteo, Silvano, Tito, Marcos indo até Santo Irineu.
4. FORMAÇÃO COMO CAMINHO DE GRAÇAS
- As profissões devem ser vias por onde as graças de Deus poderão fluir: medicina, mecânica,
construção civil, carreira jurídica, magistério etc;
- Jesus formou os Apóstolos e demais discípulos para serem canais da Água Viva;
- Jesus formou coordenadores, pregadores, pastores, apóstolos etc;
- Por meio deles as graças de Deus fluíram para beneficiar a Comunidade;
- É Por meio da formação que Deus prepara seus servos para a missão;
- Deus se vale muito da formação pessoal que cada servo disponibiliza a Ele;
= Pedro, pescador de peixes=> pescador de homens;
= Paulo, doutor da Lei => doutor do Evangelho;
= Lucas, médico de homens => médico de almas;
B) CARISMA DA ORAÇÃO
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
8
Deus quer que nós oremos. Para orar devemos vencer inúmeras dificuldades e até
mesmo o inimigo de Deus e dos seus filhos, isto é, o próprio satanás e seus servidores
(espirituais e terrenos). Nosso Pai conhece todos os nossos inimigos e dificuldades, assim
como a necessidade que temos de vencê-los. Ele conhece também nossas fraquezas. Ele
sabe que com nossos dons naturais seríamos vencidos, por isso nos batiza com o Espírito
Santo, que é a expressão do seu infinito Poder. O Espírito Santo, uma vez em nós, fornece-
nos as armas necessárias para vencermos a guerra espiritual. Essas armas são os dons
carismáticos e os dons de santificação (dons do conselho, da piedade, da fortaleza, do
temor, do conhecimento, do entendimento e da sabedoria). Assim, se quisermos vida de
santidade, devemos ter vida de oração. Neste ensino propormos o método de oração
carismático, por ser simples e facilmente adaptável ao nosso viver cotidiano e ao nosso
estado de vida (nosso estado de vida é leigo).
1. CONCEITOS
a) Oração cristã
- É um impulso do coração, é um simples olhar lançado ao céu, um olhar de
reconhecimento e amor no meio da provação ou meio da alegria (Santa Terezinha do
Menino Jesus, Catecismo da Igreja Católica, 2558b)
- É mais do que falar com Deus. É aproximar-se de Deus. Deus deseja aproximar-se do
homem (João 4, 7; Hebreus 11, 6; filho pródigo)
b) Carisma
- (Carisma) derivado de (graça): Dom (gratuito), presente; Dom do Espírito Santo;
- Sentido estrito: manifestações extraordinárias do Espírito Santo, dadas a membros
individuais das comunidades cristãs para benefício dos outros;
- A graça supõe a natureza (age na natureza e por meio dela).
c) Carisma da oração
- É a capacidade que o Espírito Santo nos dá para orarmos como Deus deseja, como lhe
convém (Romanos 8, 26)
- - FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA: Lc 22,31-40
2. ESPÉCIES DE ORAÇÃO
a) Quanto aos participantes (comunitária e individual)
- Oração comunitária: Ex. Eucarística e Grupal
- Individual (pessoal);
b) Quanto ao método
- Oração devocional (rosário, novenas, festas dos santos); Oração de louvor
- Oração de adoração; Oração vocal e Oração mental
c) Quanto ao modo de execução:
- Oração ativa; Oração semipassiva e Oração passiva
d) Quanto ao conteúdo: Oração de louvor; Oração de adoração e oração devocional;
3. ETAPAS DA ORAÇÃO: Oração discursiva, de recolhimento e de união
a) Oração discursiva (ORAÇÃO ATIVA): = Discurso, conversa, diálogo (com Deus – consigo
mesmo?) - Pode ser praticada individualmente e em comunidade
b) Oração de recolhimento (ORAÇÃO SEMIPASSIVA): É a etapa da oração na qual o orante
recolhe, com a ajuda do Espírito Santo, as potências da alma, afim de propiciar que a alma entre em
si acompanhada do seu Deus (Pai, Filho e Espírito Santo) - = Pode ser praticada individualmente e
em comunidade.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
9
c) Oração de quietude (ORAÇÃO SEMIPASSIVA): É uma experiência mística na qual o Senhor
cativa nossa vontade/coração a fim de nos introduzir na contemplação. É verdadeiro dom de Deus.
d) Oração de união (ORAÇÃO PASSIVA): É a etapa da oração chamada passiva. Nela o Senhor
já reina e domina completamente o ciclo oracional, como que fazendo os dons naturais adormecerem
(repouso no Espírito Santo);
4. PRESSUPOSTOS PARA O CARISMA DA ORAÇÃO
a) Fé (Hebreus 11, 6);
b) Amor: sentir-se amado de Deus (pelo menos crer que é amado por Deus); Amar a Deus
e Amar a si mesmo e Amar o irmão;
c) Mortificação;
d) Disciplina;
e) Caminhar na Verdade: Verdade de Deus e Verdade da pessoa
5. DESENVOLVIMENTO DO CARISMA DA ORAÇÃO
a) Tempo
- Momento especial dedicado (consagrado, separado) à oração
- Duração no tempo (minutos e horas por semanas, meses e anos)
b) Perseverança: É um carisma do Espírito Santo. É a arma para vencer as cruzes da vida e a
força das potências da alma
c) CRUZES DOS PRINCIPIANTES
- Apelos do mundo (dispersões, distrações, entretenimentos – televisão, conversas,
bebedeiras etc.)
- Potências da alma (inteligência, memória, raciocínio, fantasia, imaginação, entendimento)
d) CRUZES DOS PROFICIENTES E DOS PERFEITOS
- A cruz de Cristo (sofrer com Jesus pelo mundo)
- Prática: O físico exige treinamento (II Timóteo 2, 1-13)
e) Ação do Espírito Santo
- FRUTO DA ORAÇÃO: SANTIDADE - SINAIS DE SANTIDADE: União
com Deus; Compromisso com Deus; Unidade com os irmãos; Compromisso com os irmãos
= Vida sacramental (prática os sacramentos com vista a tornar-se sinal de Deus).
C) MISSÃO
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
10
A primeira coisa a fazer para se ter sucesso em uma missão é conhecê-la bem.
Nossa missão é divina, posto que nos é dada pelo próprio Deus e o sucesso de nossa missão
está em fazer a vontade de Jesus, que nos enviou.
- FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA: 1Cor 9,16 (“Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho”).
1. CONCEITO - Do latim missione. Função ou poder que se confere a alguém para fazer
algo; encargo, incumbência. Obrigação, compromisso, dever a cumprir.
- Sentido teológico: Vocação: do latim vocatione; ato de chamar
2. NOSSA MISSÃO
 Missionário: instrumento normal da ação de Deus: Adão e Eva (Gênesis 1, 26-31; 2, 7);
 Noé (Gênesis 6, 9—7,16); Abraão (Gênesis 12, 1-4a); Moisés (Êxodo 3, 4-12);
 Profetas (Todos os livros proféticos); Maria (Lucas 1, 26-38); Jesus (Os quatro
Evangelhos); O Espírito Santo (Atos dos Apóstolos); Os Apóstolos (Mateus 28, 18-19;
Marcos 16, 15; Lucas 24, 46-48; João 20, 21); Outros discípulos; Os santos da Igreja;
 Apóstolos e discípulos da modernidade (Bispos, padres, religiosos, agentes de pastoral,
VOCÊ);
a) Missão definida:
- Importância: não perder tempo (1 Cor 9,26: Não luta como quem dá socos no ar);
- Comunitária. Qual é a missão da Igreja?
- Qual é missão da RCC no mundo, no Brasil, no Piauí, em sua cidade, em sua região, em
seu grupo de oração, em seu Ministério?
- Pessoal [Pedro pregava para os judeus, Paulo para os pagãos (Gl 2, 7-10)], e nós, para
quem pregamos? Qual é sua missão? = Ef 2,10 (LER) e = At 9,15-16; 16,6-10 (LER);
- Urgência da missão:
* Missionários da última hora (Mt 20,6, Documentos do Papa);
* O inimigo está atacando nossos irmãos (Ef 6,10-12; 1Pd 5,8-9)
* A messe é grande (Mt 9,37-38) = Refletir sobre a palavra MESSE (Seara em bom estado
de se ceifar. (Ceifa= colheita);
* A aptidão para a missão é marcada pela prontidão (Lc 9,62)
3. PERFIL DO MISSIONÁRIO
- Conceito - Contorno do rosto de uma pessoa vista de lado. Contorno, silhueta;
- Algumas das características necessárias ao perfil do missionário:
- Perfil ideal: O DE JESUS – Amor - Inculturação (Puebla 35-50; Mat 5,13) - Responsável
(Exortação Apostólica catechese Trandendae 17);
 Paciência e perseverança (II Cor 12,12; Eclo 2, 1ss);
 Intimidade com Deus (Heb 11,6; I Sam 3.7; EN 71; CL 58);
 Credulidade (At 2,42; EN 15; CIC 38, 108, 250, 286, 890, 1550);
 Humildade (CT 6; EN 32; Gn 4, 1ss; São Vicente de Paulo => cuspiram em sua mão);
 Verdadeiro (Jo 8,32; 14,6);
 Praticante das bem-aventuranças (Mat 5);
 Praticante dos carismas (Mc 16,20; At 4,29ss; CIC 508, 1503, 2003; Rmi 14; I Tes 1,.5);
 Membro do Corpo Místico de Cristo (Jo 15,1-8; 17; Ef 5,25 - Constituição Dogmática
Lumen Gentium);
 Tem a visão do plano de Deus (At 9,20-30; 26,12-19; I Cor 1,17; 2, 4s; Apoc 1,11; 2,7)
 Zelo pelo Evangelho (I Cor 9,16s; Luc 4, 3s.14-30; 6,12; Jo 4, 31-39; 7,3-9);
 Prontidão para anunciar o Evangelho da paz (Ef 6; Jo 20,19ss);
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
11
 Fazer a Vontade de Deus; Pregar nos Grupos de Oração; Pregar onde for chamado, não
escolher pregação, nem onde pregar = Animar e reanimar os irmãos (At 27, 20-25);
 Aceita que Jesus seja a motivação das pessoas;
 Forma outros missionários (estratégia de Jesus);
 ARDOR MISSIONÁRIO;
 Fonte do ardor missionário: o Espírito Santo (Atos 2, 1-41);
 Jesus quer missionários ardorosos (Mateus 3, 11b; Marcos 1, 8; Lucas 3, 16; 24, 49;
João 1, 33; 20, 22; Atos 1, 5.8; 2, 1-4)
Deus é espírito. Em seu plano Ele decidiu necessitar de nós para executar seus
decretos divinos. Sem nossa colaboração seu projeto estará prejudicado. Portanto, abramos
nossos corações para entendermos nossa missão, assim como para ficarmos plenos do Espírito santo e
para sermos dotados dos dons e do ardor necessários. Amem !
ATIVIDADE 01 - FIXADORA DO ENSINO Nº 01
TEMA – Formação, Oração e Missão
1 F
2 O
3 R
4 M
5 A
6 Ç
7 A
8 O
1 – É o mesmo que educar, preparar, instruir;
2 – Uma exigência da formação;
3 – É mais do que falar com Deus. É aproximar-se de Deus;
4 – Dom (gratuito), presente; Dom do Espírito Santo;
5 – Oração em que o Senhor já reina e domina co mpletamente o ciclo oracional;
6 – Sentido teológico da Missão;
7 – O Espírito Santo é a fonte desta qualidade em um missionário
8 – Foram missionários de Deus no Antigo Testamento;
ATIVIDADE 02 - FIXADORA DO ENSINO Nº 01
Em sua oração p essoal medite as p assagens seguintes e anote ao lado a mensagem p rincipal que chegou ao seu coração:
1º Dia – Sexta-feira - Eclo 2,1-6 ________________________________________________________________ _
2º Dia – Sábado - Êxodo 3, 4-12 _______________________________________________________________ _
3º Dia – Domingo - At 15,4-31 _______________________________________________________________
4º Dia – Segunda-feira - II Timóteo 2, 1-13 ____________________________________________________ ________
5º Dia – Terça-feira - At 9,20-30 _______________________________________________________________
6º Dia – Quarta-feira - Luc 4, 14-30 _______________________________________________________________
7º Dia – Quinta-feira - At 27, 20-25 ______________________________________________________________
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
12
ENSINO Nº 01 - FORMAÇÃO DE PREGADORES
< Método de Crescimento Espiritual - FOM: >
PLANO DE ENSINO
OBJETIVOS:
Geral: Conscientizar a importância do crescimento espiritual para um pregador
Específicos:
- Iniciar com ânimo o primeiro ensino despertando o interesse dos alunos;
- Nortear os alunos de como vai se proceder a formação – baseado nas 03 colunas:
Formação – Oração - Missão;
- Estabelecer critérios para a realização da formação.
CONTÉUDO
Módulo – Formação de pregadores
Ensino 01 - Método de Crescimento Espiritual - FOM
METODOLOGIA
- Oração com Espírito Santo: Eu que ro amar e u que ro ser
- Acolhimento e motivação com dinâmica
- Esclarecimento com dinâmica sobre a importância da Formação , Oração e Missão
- Distribuição das pastas e do Ensino 01;
- Desenvolvimento do Ensino com uso dos cartazes, previamente colados, com os tópicos centrais em
que o ensino vai sendo montado nos mesmos com tiras, previamente preparadas, com auxilio dos
alunos, Bíblia e ensino entregue.
Oração final com a música – Só Por Ti Je sus.
- No final enfocar a importância dos horários, da freqüência e propor as atividades.
RECURSOS
Bibliográficas – Bíblia, Ensino Nº 01
Áudiovisuais – Bíblia, vela, cartazes, tiras com frases e imagens
AVALIAÇÃO - Participação, freqüência e atividade fixadora para a semana.
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Rote iro de Ensino de Formação
06:00 hs – Iniciar com a oração conforme a moção do Espírito Santo
06:10 hs – Iniciar com a dinâmica de apresentação e conhecimento dos participantes (vide na
sequência – Dinâmica 01- Ensino nº 01);
06:15 hs – Realizar a dinâmica de introdução à Aula nº 01 (vide sequência Dinâmica 02 - Ensino nº 01)
06:20 hs – Entregar o material do Ensino nº 01 e continuar o mesmo de acordo com a Didática nº 01
do Ensino - nº 01 e concluir com oração;
07:00 hs – Tirar algumas dúvidas rápidas, em seguida entregar as atividades fixadoras para o aluno,
realizar chamada de freqüência e benção final. Explicar que a atividade não é avaliativa mais de
fixação do Ensino.
07:15 hs – Término da Aula.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
13
DIDÁTICAS DE ENSINO nº 01
Dinâmica 01- Ensino nº 01
- SOU EU
- Tempo Estimado: 05 minutos
- Objetivo: Nos conhecer e permitir que os outros te conheçam.
- Material: Tiras de papel e caneta.
- Procedimentos: O formador explica a importância de nos conhecermos pelo tempo que passaremos juntos (mesmo se já
tiverem alguma convivência). Distribui as tiras de papel recortadas com espaço uma qualidade e um defeito, pede para cada
um colocar uma característica que a identifique (característica física ou comportamento). Depois colocar numa caixa e pedir
para outros ler , então a pessoa diz seu nome e se revela.
Dinâmica 02- Ensino nº 01
- PALAVRA ILUMINADA
- Tempo Estimado: 05 minutos
- Objetivo: Conscientizar a importância de nós termos formação na Palavra de Deus;
- Material: Uma vela e uma Bíblia.
- Procedimentos: Pede-se aos alunos para fechar os olhos, apaga-se a lua, pois a iluminação do ambiente deve ser serena
de modo a predominar a luz da vela, que simboliza Cristo iluminando os nossos gestos e palavras. Os participantes
devem estar sentados em círculo de modo que todos possam ver a todos. Coloca-se a vela em uma mesa. O formador
pede para algum aluno ler uma determina passagem bíblica (aleatória da Bíblia). Agora repassa para outra pessoa tentar
ler também, (outra passagem). Este processo se realiza sucessivamente até que alguém entenda que para termos
conhecimento da Palavra é preciso buscar em Jesus, esta iluminação, representada pela vela, é mais fácil de ler. Quando
o consenso é alcançado apaga-se a vela. Por último pode-se comentar a importância da Luz (Cristo) em todos e a
necessidade da formação.
Didática 01- Aula nº 01
 Tempo Estimado:40 minutos
 Objetivo: - Esta didática consiste em nortear os alunos de como vai se
proceder o Curso, por ser uma aula com muito conteúdo esta auxilia na
ordem do ensino;
 Material:Papel , fita adesiva, pincel, tiras e imagens com palavras
referentes ao ensino;
 Procedimentos: Antecipadamente o formador deve escrever
com pincel ou montar o seguinte cartaz,deixando o mesmo já
afixado na parede:
 Ensino:Primeiramente explica os tópicos centrais e à medida
que for acontecendo o ensino vai explicando o conteúdo do ensino.
Para facilitar deverão confeccionadas algumas tiras com palavras chaves e imagens
do conteúdo, já com fitas adesivas atrás que deverão estar espalhadas no chão
mais que iram sendo colocados nos seus devidos lugares durante o ensino, pelos próprios alunos, acompanhando
o Material do Ensino nº 01 , entregue aos mesmos.
 Orienta-se o formador ler o ensino pelo menos 02 vezes e quando tiver dúvidas, entendendo e memorizando, o
mesmo, pois facilita o repasse do ensino, pode-se estar com apostila em mãos, mas ficar lendo constantemente
não é muito bom, por isto a didática.
 Esta didática pode e deve ser inculturada e aperfeiçoada.
E N SI N O N º 01 - FORM AÇÃO DE PRE GADORE S
< M éto d o d e Cres cim en to E s p iritu a l - FOM :
Formação =
Oração =
Missão =
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
14
ENSINO Nº 02
A) A Pregação no Grupo de Oração
A pregação no grupo de oração é um assunto que há muito tempo nos desafia, pregação é um
desafio:
1º - Devido às nossas próprias limitações. Somos limitados em santidade, testemunho, formação
bíblica, formação doutrinária e capacitação técnica para a comunicação.
2º - Porque a dinâmica do grupo é bastante exigente. o pregador tem somente de dez a quinze
minutos para anunciar o evangelho com eficácia;
3º - Porque o grupo recebe toda espécie de filhos de Deus. No G.O vão pessoas equilibradas,
saudáveis, bem encaminhadas na vida, que talvez buscam somente respostas para seus anseios
espirituais. junto com elas vão pessoas doentes do espírito, da alma e do corpo. Estas, além de
necessitarem de ajudas espirituais, necessitam, em primeira mão, de soluções para depressão,
desesperança, compulsão para suicídio, cefaléias, cardiopatias, doenças renais, nevralgias, muitas vezes
curadas pela proclamação da Palavra.
FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA: Marcos 4, 14-20 (A Parábola do Semeador)
Seria ilusão ignorar os problemas relacionados com a humanidade dos freqüentadores do grupo de
oração, para levar-lhes somente um ensinamento doutrinário, ainda que fosse perfeito do ponto de vista
teológico. Tal atitude excluiria quase cem por cento das pessoas. O que fazer, então?
Para começar, poderíamos seguir o exemplo de Jesus. No seu tempo o povo sofria de males
semelhantes aos que nos acometem nos dias de hoje. Certa vez ele estava pregando na entrada do
templo, para ovelhas sem pastor, mais ou menos como as que vão ao grupo de oração. Ele não perdeu
tempo com rodeios, utopias, ou outros devaneios. Foi direto às suas necessidades, pois sabia que
buscavam soluções reais para problemas que as afligiam diariamente. E elas iam a Jesus porque sempre
recebiam o que buscavam. Jesus tinha um jeito especial de atender a cada uma. Naquele dia, em
especial, as autoridades do templo ficaram muito indignadas com os frutos da pregação do Senhor (Jo
7,28-47), pois inúmeras pessoas acreditavam nele, e muitas já pensavam que ele deveria ser o Cristo, o
prometido do Pai, por isso enviaram soldados para prendê-lo. Os soldados o encontraram pregando
ainda na porta do templo, e o ouviram dizer, entre outras coisas: “Se alguém tiver sede, venha a mim e
beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura: Do seu interior manarão rios de água viva”. Após a
pregação, juntamente com muitos outros ouvintes, ficaram impressionados com o que ouviram,
voltaram sem prender Jesus e disseram às autoridades:
“Jamais homem algum falou como este homem!...” Que pregação! Até os soldados que foram
prendê-lo desistiram da tarefa, após ouvi-lo. Jesus pregou eficazmente. Despertou a fé nos ouvintes e
apontou-lhes a salvação, isto é, ele mesmo; abriu-lhes o coração para que recebessem as soluções que
necessitavam. É que Ele pregava a verdade de maneira simples, direta e ardorosa. Sua pregação era
querigmática. Até quando exortava os fariseus era para que voltassem à razão e se convertessem.
Pregações querigmáticas são todas aquelas relacionadas com os seguintes temas: o amor de Deus, o
pecado, a salvação, a fé, a conversão, o Espírito Santo e a comunidade, como fruto do Espírito Santo.
Mas a pregação querigmática, por si só, não é garantia de eficácia. Para produzir fruto, ela deverá
também ser ungida, ardorosa e entendida por quem dela necessitar. Como foi a pregação de nosso
Senhor Jesus Cristo, deverá ser a nossa.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
15
A pregação é um dos quatro principais ministérios. Pregar é anunciar a palavra de Deus com
autoridade e ousadia, anunciando o reino de Jesus a toda criatura.
O pregador mais do que conhecimento da palavra deve vive-la e amá-la, desejando que seus
ouvintes também a vivam e sejam transformados por ela, por isso o foco principal é Jesus e não quem
prega, portanto seria um erro exercer esse ministério com o intuito de atrair a atenção para si.
Anunciar a palavra é uma graça, porém um ministério que traz conseqüências, pois cabe ao
pregador anunciar, denunciar e exortar e isso incomoda aqueles que não vivem nos caminhos do Senhor,
gerando perseguições e desprezo.
“Lembrai-vos da palavra que vos disse: O servo não é maior do que o seu senhor. Se me
perseguiram, também vos hão de perseguir. Se guardaram a minha palavra, hão de guardar também a
vossa.” (Jo 15, 20).
O Ministério de Jesus é todo permeado pela pregação da palavra e também de perseguições e
nesta passagem Jesus deixa claro que não é o servo maior que Senhor. Portanto não devemos nos
preocupar se estamos sendo perseguidos por causa do nome do Senhor, mas nos alegrarmos por
anunciarmos a verdade que liberta.
B) O Glorioso Ministério de pregação
FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA: I Tessalonicenses 2:1-13
(digitada somente para o formador para praticar a didática de ensino, para completar os
espaços com os alunos):
1- Porque vós mesmos sabeis, irmãos, que a nossa entrada entre vós não foi vã;
2- mas, havendo anteriormente padecido e sido maltratados em Filipos, como sabeis, tivemos a
confiança em nosso Deus para vos falar o evangelho de Deus em meio de grande combate.
3- Porque a nossa exortação não procede de erro, nem de imundícia, nem é feita com dolo;
4- mas, assim como fomos aprovados por Deus para que o evangelho nos fosse confiado, assim
falamos, não para agradar aos homens, mas a Deus, que prova os nossos corações.
5- Pois, nunca usamos de palavras lisonjeiras, como sabeis, nem agimos com intuitos
gananciosos. Deus é testemunha,
6- nem buscamos glória de homens, quer de vós, quer de outros, embora pudéssemos, como
apóstolos de Cristo, ser-vos pesados;
7- antes nos apresentamos brandos entre vós, qual ama que acaricia seus próprios filhos.
8- Assim nós, sendo-vos tão afeiçoados, de boa vontade desejávamos comunicar-vos não
somente o evangelho de Deus, mas ainda as nossas próprias almas; porquanto vos tornastes muito
amados de nós.
9- Porque vos lembrais, irmãos, do nosso labor e fadiga; pois, trabalhando noite e dia, para não
sermos pesados a nenhum de vós, vos pregamos o evangelho de Deus.
10- Vós e Deus sois testemunhas de quão santa e irrepreensivelmente nos portamos para
convosco que credes;
11- assim como sabeis de que modo vos tratávamos a cada um de vós, como um pai a seus
filhos,
12- exortando-vos e consolando-vos, e instando que andásseis de um modo digno de Deus, o
qual vos chama ao seu reino e glória.
13- Por isso nós também, sem cessar, damos graças a Deus, porquanto vós, havendo recebido a
palavra de Deus que de nós ouvistes, a recebestes, não como palavra de homens, mas (segundo ela é
na verdade) como palavra de Deus, a qual também opera em vós que credes.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
16
Neste texto o apóstolo Paulo nos esclarece acerca de dois aspectos que distinguem o ministério
da pregação do Evangelho do Reino de Deus: é a tarefa mais difícil e árdua dentre todos os
labores do mundo; é o trabalho mais gratificante e glorioso que se pode fazer neste mundo!
Ao mesmo tempo que deixa claro as dificuldades e desafios que enfrenta um pregador,
esclarece também a gratificação que este colhe quando cumpre bem o seu ministério. Aprendamos,
então, acerca deste difícil mais glorioso ofício com o relato do querido servo do Senhor Jesus:
a) O MINISTÉRIO DA PREGAÇÃO É ÁRDUO COMO A LUTA DE UM SOLDADO
No Versículo 02 “havendo anteriormente padecido e sido maltratados em Filipos, como sabeis,
tivemos a confiança em nosso Deus para vos falar o Evangelho de Deus em meio de grande
combate”.
Atos, capítulo 16 narra as dificuldades enfrentadas por Paulo e Silas em Filipos. No capítulo
17 encontramos as informações que Paulo aqui considera conhecidas dos tessalonisences. Durante
três semanas pôde pregar na sinagoga daquela cidade. Alguns judeus creram, muitos gentios e
muitas mulheres de posição (At 17:4). Isto gerou ciúmes e mobilizou uma multidão de judeus
enfurecidos e de “homens maus e vadios”.
Paulo e Silas deixaram Tessalônica de noite, evitando as represálias dos enfurecidos judeus.
Foram-se para Beréia.
Ser pregador é ser soldado da linha de frente!
II Tm 2:3-4 “Sofre comigo como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado em serviço
se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra.”
II Tm 4:7 (o soldado que encerra a carreira) “Combati o bom combate, acabei a carreira,
guardei a fé.”
b) O PREGADOR PRECISA RESISTIR ÀS TENTAÇÕES ESPECÍFICAS DO MIN.:
i. a tentação de querer ser agradável aos homens: Versículo 04 “assim falamos não para
agradar aos homens, mas a Deus, que prova os nossos corações”
Jeremias 28: Hananias X Jeremias. Ambos profetizam na casa do Senhor, na presença dos
sacerdotes e de todo o povo. Hananias afirma: “Assim fala o Senhor dos Exércitos, o Deus de
Israel: Eu quebrarei o jugo do rei da Babilônia. Dentro de dois anos, eu tornarei a trazer a este lugar
todos os utensílios da casa do Senhor... bem como todos os cativos...”
Nos versículos 15 e 16 Jeremias profetiza ao profeta Hananias: “Ouve agora, Hananias, o
Senhor não te enviou, mas tu fazes que este povo confie numa mentira. Pelo que assim diz o
Senhor: eis que te lançarei de sobre a face da terra. Este ano morrerás, porque pregaste rebelião
contra o Senhor”. (dois meses depois este morreu).
- evitando assuntos que incomodam;
- rebaixando padrões morais estabelecidos na Bíblia, etc.
- usando palavras lisonjeiras (vs. 5a)
ii. a tentação de agir com intuitos gananciosos (5b) “nem agimos com intuitos gananciosos”
Paulo fala do seu labor dia e noite (talvez fazendo tendas) para não serem pesados aos crentes.
Estavam prontos a compartilharem suas próprias vidas!
I Pedro 5:2 “apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, não por força, mas
espontaneamente segundo a vontade de Deus; nem por torpe ganância, mas de boa vontade”
iii. a tentação de buscar glória de homens (6) “nem buscamos glória de homens”;
Lc 6:26 “Ai de vós quando todos os homens vos louvarem! Porque assim faziam os seus pais
aos falsos profetas”.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
17
c) O PREGADOR PRECISA RECONHECER QUE SEU CARÁTER É SEU BEM MAIS
PRECIOSO!
v. 10 “vós e Deus sois testemunhas de quão santa e irrepreensivelmente nos portamos para
convosco que credes...”
Pv 22:1 “Mais digno de ser escolhido é o bom nome do que muitas riquezas...”
Ec 7:1 “Melhor é o bom nome do que o melhor ungüento...”
Uma citação usada por um aluno, de um comentário de A. N. Mesquita: “O que me rouba a
bolsa, rouba um pedaço de pano, mas o que me rouba o meu bom nome, rouba-me do que mais me
enriquece e deixa-me inteiramente pobre.”
d) O PREGADOR DEVE DESEMPENHAR BEM OS TRÊS OBJETIVOS DA PREGAÇÃO:
v. 12 “exortando-vos e consolando-vos, instando que andásseis de um modo digno de Deus...”
i.“exortando”: encorajar para uma determinada linha de comportamento;
ii.“consolando”: encorajar a continuar num tipo de conduta;
iii. “instando”: convocar para testemunhar, convocar solenemente.
Conclusão: quão difícil, porém gloriosa é a tarefa de pregar o evangelho. O vs. 13 expressa
esta dupla característica: “...havendo recebido a palavra de Deus que de nós ouvistes, a recebestes,
não como palavra de homens, mas como palavra de Deus, a qual também opera em vós que credes.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
18
ATIVIDADE 01 - FIXADORA DO ENSINO Nº 02
TEMAS – A Pregação no G. de Oração e o Glorioso Ministério de Pregação
Relacionar os versículos com a passagem bíblica conforme a Atividade feita no Ensino nº 02
FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA: I Tessalonicenses 2,1-13
( 01)
( 02)
( 03)
( 04)
( 05)
( 06 )
( 07 )
( 08 )
( 09 )
( 10 )
( 11 )
( 12 )
( 13 )
ATIVIDADE 02 - FIXADORA DO ENSINO Nº 02
Em sua oração pessoal medite as passagens bíblicas seguintes e anote ao lado a mensagem
principal que chegou ao seu coração:
1º Dia – Sexta-feira - Mc 1,14-20 ____________________________________
2º Dia – Sábado - Mt 25,31-46 ____________________________________
3º Dia – Domingo - Ef 1,3-14 ____________________________________
4º Dia – Segunda-feira - Mc 11, 1-11 _________________________________
5º Dia – Terça-feira - Jo 12,1-8 ____________________________________
6º Dia – Quarta-feira - Mt 26, 17-29 ____________________________________
7º Dia – Quinta-feira - Jo 18, 19-37 ___________________________________
( ) Deus para vos falar o evangelho de Deus em meio de grande
combate.
( ) desejávamos comunicar-vos não somente o evangelho de Deus,
( ) que a nossa entrada entre vós não foi vã;
( ) como um pai a seus filhos,
( ) Porque a nossa exortação não procede de erro,
( ) Mas, assim como fomos não para agradar aos homens,
( ) havendo recebido a palavra de Deus que de nós ouvistes, a
recebestes, não como palavra de homens, mas (segundo ela é na
verdade) como palavra de Deus.
( ) Pois, nunca usamos de palavras lisonjeiras,
( ) quão santa e irrepreensivelmente
( ) embora pudéssemos, como apóstolos de Cristo,
( ) vos chama ao seu reino e glória.
( ) antes nos apresentamos brandos entre vós
( ) labor e fadiga;
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
19
ENSINO Nº 02 -
PLANO DE ENSINO
OBJETIVOS:
Geral: Conscientizar a importância do Ministério de Pregação
Específicos:
- Despertando o interesse dos alunos pelo anúncio da Palavra;
- Mostrar as bênçãos, as dificuldades e as surpresas da Pregação:
CONTÉUDO
Módulo – Formação de pregadores
Ensino 02 - A Pre gação no Grupo de Oração e o Glorioso Ministério de Pregação
METODOLOGIA
- Oração com Espírito Santo: Batiza-me, Fe cunda-me, Se nhor, com Teu Espírito (Flavinho)
- Acolhimento
- Distribuição do Ensino nº 02 aos alunos;
- Desenvolvimento do Ensino com uso da Dinâmica da Semente, cartazes, previamente colados, com
os tópicos centrais em que o ensino e uso de folha anexa para entendimento da leitura , com auxilio
dos alunos, Bíblia e ensino entregue.
Oração final com a música – Nossa Missão.
- No final enfocar a importância dos horários, da freqüência e propor as atividades.
RECURSOS
Bibliográficas – Bíblia, Ensino Nº 02, folha com espaços em branco.
Áudiovisuais – Bíblia, vasilhas com semente, copinhos com areia, cartazes,
AVALIAÇÃO - Participação, freqüência e atividade fixadora para a semana.
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Rote iro de Ensino de Formação
06:00 hs – Iniciar com a oração conforme a moção do Espírito Santo
06:10 hs – Realizar a dinâmica de introdução à Ensino nº 02 (vide sequência Dinâmica 01 - Ensino nº 02)
06:20 hs – Entregar o material do Ensino nº 02 e continuar o mesmo de acordo com a Didática nº 01
do Ensino - nº 02 e concluir com oração;
07:00 hs – Tirar algumas dúvidas rápidas, em seguida entregar as atividades fixadoras para o aluno,
realizar chamada de freqüência e benção final. Explicar que a atividade não é avaliativa mais de
fixação do Ensino.
07:15 hs – Término da Aula.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
20
DIDÁTICAS DE ENSINO nº 02
Dinâmica 01- Ensino nº 02
- SEMEANDO A PALAVRA
- Tempo Estimado:05 minutos
- Objetivo: Conhecer a importância da lançar a SEMENTE (a Palavra);
- Material: - Sementes de feijão ou outro tipo em uma vasilha transparente; copos descartáveis com areia
normal, outros com areia com pedra, mais ou menos 20. – Trazer numa caixa.
- Procedimentos:Mostrar as sementes aos alunos e pedir que cada um pegue apenas uma semente de dentro da
vasilha. Deixar que tentem separar entre todos os grãos apenas uma semente. Perguntar: Foi fácil ou difícil pegar
um único grão de semente entre tantos. Por que? Qual o valor de um grão de semente? Tem alguma utilidade?
Pedir para guardarem a semente. Vamos descobrir hoje.
Fazer a leitura ou pedir alguém – Fundamentação Bíblica - Marcos 4, 14-20 (A Parábola do Semeador).
Refletir com os alunos a Leitura e no fim da leitura entregar os copinhos com areia e pedir para eles semearem e
levarem pra casa, e eles procurarem cuidar da semente para que no fim do Curso tragam e mostrem seus frutos.
Didática 01- Ensino nº 02
 Tempo Estimado:45 minutos
 Objetivo: - Mostrar as bênçãos e dificuldades da Pregação
 Material:Papel madeira , fita adesiva, pincel, conteúdo referentes ao ensino; folhas com espaços em branco;
 Procedimentos: Antecipadamente o formador deve escrever com pincel ou montar 02 cartazes,deixando os
mesmos já afixados na parede;
 Ensino:
a) O conteúdo da primeira parte - A Pregação no Grupo de Oração – no primeiro cartaz; apresentar e explicar os
tópicos em negrito e sublinhados no Ensino nº 02;
b) O conteúdo da segunda parte - O Glorioso Ministério de Pregação – Transcrever a Fundamentação bíblica I
Tessalonicenses 2:1-13 e propor a atividade de completar a folha com espaços em branco.
b) Orienta-se o formador ler o ensino pelo menos 02 vezes e quando tiver dúvidas, entendendo e
memorizando, o mesmo, pois facilita o repasse do ensino, pode-se estar com apostila em mãos, mas ficar
lendo constantemente não é muito bom, por isto a didática.
c) Esta didática pode e deve ser inculturada e aperfeiçoada.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
21
ATIVIDADE DE ENSINO Nº 02
FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA: I Tessalonicenses 2:1-13
1- Porque vós mesmos sabeis, irmãos, que a nossaentrada entre vós não foi vã;
2- mas, havendo anteriormente padecido e sido maltratados em Filipos, como
sabeis, ____________________________________________________________.
3- Porque ____________________________________________erro, nem de
imundícia, nem é feita comdolo;
4- mas, assim como fomos __________________________________________
para que o evangelho nos fosse confiado, assim
_____________________________________,não para agradar aos homens, mas a
Deus, que prova os nossos corações.
5- Pois, _____________________________________________, como sabeis,
________________________________________________. Deus é testemunha,
6- ________________________________________________, quer de vós, quer de
outros, embora pudéssemos, como apóstolos deCristo, ser-vos pesados;
7- antes nos apresentamos brandos entre vós,
________________________________________________________________.
8- Assim nós, sendo-vos tão afeiçoados, de boa vontade desejávamos comunicar-
vos não somente o evangelho de Deus,
_____________________________________________________; porquanto vos
tornastes muito amados de nós.
9- Porque vos lembrais, irmãos, do nosso ________________________________;
pois, ____________________________________________________________,
para não sermos pesados a nenhum de vós, vos pregamos o evangelho de Deus.
10- Vós e Deus sois testemunhas de
__________________________________________________________quecredes;
11- assim como sabeis de que modo vos tratávamos a cadaum de vós,
__________________________________________________________________.
12- _______________________________________________________________,
e instando que andásseis de um modo digno de Deus, o qual vos chama ao seu reino
e glória.
13- Porisso nós também, sem cessar, damos graças a Deus, porquanto vós,
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
____________________,mas (segundo ela é na verdade) como palavra de Deus, a
qual também opera em vós que credes.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
22
ENSINO Nº 03
FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA: Deuteronômio 26,16-19
A) Características do Perfil do Pregador
O pregador é uma pessoa de fé e de oração; batizada no espírito (cf. At 9, 17); conduzida pelo
Espírito (cf. At 16, 6-10); paciente e perseverante diante das perseguições (cf. At 5, 41); que testemunha
a ressurreição de Jesus; que é membro do Corpo Místico de Cristo; que está inserida na realidade de seu
povo, que é responsável, íntima de deus, de coração simples; é pessoa que tem a visão do plano de Deus
(Ef 3, 17-19; Gal 1, 15-16), o zelo pelo Evangelho. O pregador leva as pessoas a Jesus, busca o dom da
fé, ama e perdoa as traições e perseguições dos irmãos, aceita e pratica os dons carismáticos, prega com
o poder no espírito, vive o que prega, fala a verdade, busca a formação.
Reflexão: Como você tem reagido diante das características acima?
A) O Pregador é inserido na realidade de seu povo
Como profeta que anuncia a Boa Noticia do reino do Pai, mas também que denuncia as más
noticias que afligem os filhos de Deus, o pregador não se aliena com a realidade que o cerca, mas vive
engajado no meio social em que está. Com sabedoria e equilíbrio, pauta seu viver pela palavra de Deus,
testemunhando Jesus em todos os lugares.
O pregador deve estar inserido da realidade de sua assembléia: prostituição, pobreza, desemprego,
corrupção, falta de esperança. Para que sua pregação console, edifique e exorte de uma maneira mais
eficaz.
B) O Pregador é responsável, paciente e perseverante
O pregador tem de ter responsabilidade para preparar com antecedência suas pregações, para
assumir uma formação permanente, para ser fiel aos compromissos assumidos, tudo fazendo por meio
da oração pessoal, do jejum, da participação dos sacramentos, da penitencia.
Antes mesmo dos outros sinais, como os prodígios, os milagres, a paciência pode aparecer como o
primeiro sinal que confirma o ministério do pregador. É preciso perseverar no serviço com paciência
sabendo esperar o momento exato da hora de Deus. E isso é um dom do Espírito Santo.
C) O Pregador é intimo de Deus
É impossível amar alguém sem conhecê-lo. É necessário que haja uma proximidade muito grande
que faça nascer a intimidade que vai proporcionar o conhecimento, a confiança, fortalecendo, assim a
amizade. Assim é também com Deus, precisamos ter intimidade com ele e isto não acontecerá sem não
sentarmos aos Seus pés, senão ficarmos com Ele, se não nos relacionarmos com Ele. Para podermos
fazer a vontade do Senhor, como pregadores, precisamos ter vida de oração. Somente ficando com Ele,
poderemos amá-lo, escutá-lo, conhecê-lo e assumir como nosso os seus planos de amor.
Corremos o risco de fazer igual a Samuel (I Samuel 3, 1-10), servir ao Senhor sem escutá-lo, sem
saber qual é a sua vontade. Samuel já servia ao Senhor, mas não O conhecia de fato. Faz-se necessário
ser intimo do Senhor para que sua vontade seja realizada em plenitude.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
23
D) O pregador é pessoa de fé
O pregador tem de ter uma fé madura que o leve à adesão incondicional a Deus e que o faça amar
a Igreja de Jesus Cristo com tudo o que ela tem. Não se conhece um pregador que tenha dúvidas quanto
à Doutrina Apostólica, resistência em obedecer a hierarquia da Igreja, resistência quanto aos dogmas da
Igreja, tendências cismáticas ou heréticas. Não podemos pregar o que achamos, temos de pregar o que
Deus revelou nas escrituras, sob o discernimento da Igreja. O pregador teve ter o cuidado para não cair
na livre interpretação e distorcer a mensagem da palavra de Deus. Deve-se portanto ter zelo e amor pela
palavra fonte da nossa fé.
E) O Pregador é Homem de Bem-Aventuranças
Em Mateus 5, encontramos traços bem delineados que precisam estar marcados no pregador:
Coração pobre: Deus é a única riqueza do pregador e ele não o troca por nada.
O Pregador que tem coração de pobre está sempre disposto a aprender, a ouvir outros
pregadores, nunca está cheio de si porque tudo o que faz é para a glória do Senhor.
Aquele que chora: o pregador é aquele que fala movido pela compaixão do povo que
sofre, que chora junto com o povo, que não fica alheio aos seus sofrimentos e angustias. Através
da pregação repleta de unção: ampara, consola, exorta e ama esse povo no Senhor.
É manso: o pregador sabe ser dócil, compreensivo, carinhoso, manso em qualquer
situação, sem perder sua postura de pregador.
É misericordioso, tem o coração puro, é justo.
É pacifico: ser pacifico não significa ser fraco, mas saber lidar com as situações de
brigas, de ressentimentos, de desamor, para que se restaure a harmonia, a paz, o perdão e o amor.
F) O Pregador usa dos carismas
“Em verdade, em verdade vis digo: aquele que crê em Mim fará as obras que eu faço, e fará ainda
maiores do que estas, porque vou para junto do Pai”. (Jô 14, 12)
G) O pregador é membro do corpo místico de Cristo
O pregador que é intimo de Cristo, torna-se membro Seu, onde Cristo é a cabeça e nós somos os
membros. Pelo nosso batismo, crisma e eucaristia, já somos membros de cristo, porém é necessário
tomar posse e aprofundar-se na mística de Jesus.
H) O Pregador tem visão do Plano de Deus
O Conhecimento do plano de Deus apresenta-se em duas partes que se completam: uma, no
sentido geral, já revelada na Sagrada Escritura: a outra, em caráter particular, diz respeito à vontade de
Deus para o pregador. Neste Jesus revela ao pregador o que ele deve fazer qual sua missão pessoal no
contexto do plano geral.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
24
B) Forjando e Avaliando nosso perfil de Pregador
FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA: Felipenses 3, 17-21- Jesus é o modelo perfeito e possui o
perfil ideal de pregador. Em seguida Paulo, Àpolo, etc. Igualar-se a Jesus é tarefa sobre-humana.
Quase tão difícil é assemelhar-se a Paulo ou Apolo. É necessário, porém, que busquemos possuir um
perfil semelhante ao deles para que, através da força do Espírito Santo, possamos dizer como São
Paulo: “Não pretendo dizer que já alcancei (esta meta) e que cheguei à perfeição. Não. Mas eu me
empenho em conquistá-la, uma vez que também eu fui conquistado por Jesus Cristo.” (Fil 3, 12). A
sagrada Escritura fornece o caminho que devemos percorrer para a formação do nosso perfil: Caminho
da cruz e da renuncia de si mesmo (Mt 16, 24), da consagração total (Lc 1, 15; 3, 2; Jô 3, 30), da
conversão (At 9, 6) e da busca da santidade:
1. Caminho da Cruz e da Renuncia
Aceite a cruz em si mesmo com tudo o que ela significa, a começar pela própria negação de si,
vai contra as fibras mais profundas do nosso ser. Não aceitar a sua cruz significa não aceitar Jesus como
seu Senhor. Por isso essa aceitação é dom do Espírito Santo, pois não podemos efetivá-la somente com
nossos esforços.
2. Consagração Total
A consagração é necessária para que haja espaço em nossa vida para ação do Espírito Santo.
Sem a consagração não há porque moldar o perfil do pregador ao perfil de Jesus.
3. Conversão e Busca da Santidade
É o Espírito Santo quem dá a graça da mudança interior (metanóia), seja nas emoções
(exterior), nos sentimentos (interior) ou mesmo na maneira de pensar, julgar e agir.
Veremos alguns critérios para avaliar o nosso perfil, para podermos inclusive, saber onde nos
empenharmos com mais esforço. Esses critérios são: amor, prontidão, aceitar que Jesus seja a motivação
das pessoas e formar outros pregadores.
a) Amor: O amor é marca mais sublime do perfil do pregador. Jesus olhava para a multidão e
simplesmente amava com seu olhar, suas palavras eram carregadas de profundo amor e compaixão.
Jesus curava pelo amor, libertava pelo amor. O Pregador também precisa amar, porém de uma maneira
mais profunda, não basta amar como a si mesmo, o pregador tem de amar como Jesus amou e ama. O
pregador não pode deixar de amar alguém pela sua condição social, cultural ou intelectual, ou ainda por
brigas, desavenças ou divisões. O Pregador deve ser aquele que dá o primeiro passo, pois ele não prega
somente com as palavras, mas também com o testemunho;
b) Prontidão: O Pregador tem de estar sempre disposto para anunciar a palavra do Senhor. Renunciar a
própria vontade ou interesses, para proclamar com ousadia, autoridade, intrepidez. Nunca colocar
obstáculos devido às deficiências de estrutura física em certos lugares, deve-se sem dúvida, planejar o
local afim de que o ambiente seja o melhor possível para anunciar a palavra. Não escolher lugares por
conveniências, o pregador deve ir onde for solicitado para que todos escutem o anuncio do Senhor.
c)Aceita que Jesus seja a motivação das pessoas: Ás vezes, o pregador cai em armadilhas invisíveis.
Uma delas é a tentação de querer para si a glória que pertence a Jesus. Isso acontece quando o pregador
deseja o reconhecimento de seus méritos. O pregador deve agradecer a Jesus tanto pelos elogios como
pela sua falta, aceitando com mansidão e afabilidade as críticas recebidas seja do coordenador, ou da
comunidade que confirma;
d) Forma outros pregadores: A opção pastoral de Jesus foi formar discípulos que fossem capazes de
continuar sua missão. Jesus formou discípulos pregadores, se assim não fosse a mensagem do
Evangelho não teria atravessado dois mil anos. É importante que o pregador tenha consciência da
necessidade formar outros pregadores e se empenha neste trabalho. “Ide por todo o mundo e pregai o
evangelho a toda criatura” (Mac 16, 15)
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
25
ATIVIDADE 01 - FIXADORA DO ENSINO Nº 03
TEMAS – Características do Perfil do Pregador e Forjando e Avaliando nosso perfil de Pregador
Encontrar no CAÇA-PALAVRAS àquelas que trazem características cristãs no Perfil de um Pregador.
V Y Z V V I S A O D E D E U S Q A Z
B U O F U Q S A B E D O R I A W S O
G H C R H E O A S D F G H J J K I L
S H X G A R U Q Y W W W L Q P R R S
R J C B G C S A R S D E K E B G D X
F O R M A C A O F C F D G I J B R D
R J U P E R D O A C V F L F F M D F
A B Z N R K O A S B H I N G G P F G
G A B G S J E S D H U G M B S N S H
H T N D T H R D K Q I H S B V N R B
V I M Z E G G R E S P O N S A V E L
H Z E L O F E D P U O I D O O E N V
H A M X P P Q F T F Y N R T I R U C
P D J D P E R S E V E S A N T E N W
C A T F O N A G S S Y E I A F R C Q
O P C N Y I Q G T D G R U S G D I A
N E H I H T E H E G F I T I N F A S
S T O M E E R I M F D D F J O E R E
A Q R L H N D U U H R O D C V R D R
G C A H F C T T N V A Y I G N N F T
R C I G D I E E H N O F A D V F S Y
A V O F E A S A A O I R E S O N E U
C A R I S M A T I C O D R D A R S I
A G O D A D S A A O I S T E X N D O
O W P S S F Q P R O N T I D A O G P
I E K A D G A S T Y T A U H G C S Z
Dica: São 23 características e se encontram no Ensino Nº 03 .
ATIVIDADE 02 - FIXADORA DO ENSINO Nº 03
Em sua oração pessoal medite as passagens bíblicas seguintes e anote ao lado a mensagem
principal que chegou ao seu coração:
1º Dia – Sexta-feira - Rm 10,8-13 ____________________________________________
2º Dia – Sábado - Mt 5,43-48 ___________________________________________
3º Dia – Domingo - Dt 30,15-20 ___________________________________________
4º Dia – Segunda-feira - Is 58,1-9 ____________________________________________
5º Dia – Terça-feira - Lc 2,22-32 ___________________________________________
6º Dia – Quarta-feira - I Cor. 15,1-4 __________________________________________
7º Dia – Quinta-feira - Lc 4,1-13 __________________________________________
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
26
ENSINO Nº 03 -
PLANO DE ENSINO
OBJETIVOS:
Ge ral: Levar o conhecimento das características que um bom Ministro de Pregação deve possuir;
Específicos:
- Trabalhar as características cristãs do Pregador;
- Estimular os alunos a se avaliar e obter as características do bom pregador.
CONTÉUDO
Módulo – Formação de pregadores
Ensino 03 - Características do Perfil do Pregador e Forjando e Avaliando nosso perfil de Pregador
METODOLOGIA
- Oração com Espírito Santo: Espírito, Espírito Santo de Deus (Padre Marcelo)
- Acolhimento
- Distribuição do Ensino nº 03 aos alunos;
- Desenvolvimento do Ensino com uso da Dinâmica das Balas, cartazes, previamente colados, com os
tópicos centrais em que o ensino, uso das partes corporais , com auxilio dos alunos, Bíblia e ensino
entregue.
Oração final com a música – Um Consagrado Para Amar
- No final enfocar a importância dos horários, da freqüência e propor as atividades.
RECURSOS
Bibliográficas – Bíblia, Ensino Nº 03.
Áudiovisuais – Bíblia, balas com mensagens, partes de corpo em papel, cartazes,
AVALIAÇÃO - Participação, freqüência e atividade fixadora para a semana.
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Rote iro de Ensino de Formação
06:00 hs – Iniciar com a oração conforme a moção do Espírito Santo
06:10 hs – Realizar a dinâmica de introdução à Ensino nº 03 (vide sequência Dinâmica 01 - Ensino nº 03)
06:20 hs – Entregar o material do Ensino nº 03 e continuar o mesmo de acordo com as Didática nº 01
e 02 do Ensino - nº 03 e concluir com oração;
07:00 hs – Tirar algumas dúvidas rápidas, em seguida entregar as atividades fixadoras para o aluno,
realizar chamada de freqüência e benção final. Explicar que a atividade não é avaliativa mais de
fixação do Ensino.
07:15 hs – Término da Aula.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
27
DIDÁTICAS DE ENSINO nº 03
Dinâmica 01- Ensino nº 03
- OS DONS QUE NECESSITO
- Tempo Estimado:05 minutos
- Objetivo: Conscientizar dos DONS e CARACTERÍSTICAS para ser pregador da Palavra;
- Material: - Balas acompanhada com uma mensagem/característica na quantidade de pessoas;
- Procedimentos:O formador deve pedir que os integrantes fechem os olhos e também, se tiver, ao instrumentista
tocar suavemente uma melodia. Em seguida deve começar a contar a estória de um pássaro muito belo e capaz de
vôos muito altos, por lugares muito bonitos, que está trazendo uma surpresa para eles. O relato deve começar por
lugares distantes, com uma descrição detalhada da beleza destes lugares e de como eles fazem parte do plano de
Deus. Aos poucos o pássaro deve se aproximar do local da formação, sempre se destacando a perfeição e a beleza
de todos os lugares. Por fim, o pássaro chega no local da reunião com uma surpresa para cada integrante. Estes
podem então abrir os olhos e cada um verá a sua frente uma bala. O relato deve ser bem trabalhado e dar tempo
para que todas as balas sejam devidamente colocadas próximo aos alunos. Para isso, o formador deve se
locomover durante o relato. E para garantir os resultados da dinâmica, as balas não podem ser vistas pelos alunos
antes do final do relato. Após abrirem os olhos, os integrantes devem abrir suas balas e encontra a surpresa trazida
pelo pássaro. Então devem ser colocados os seguintes questionamentos ao grupo: * O que você esperava que
fosse trazido pelo pássaro para você? * De que forma você pensa que está inserido no plano de Deus? O que te
espera no futuro? * O que VOCÊ está construindo na sua vida, que é um todo indivisível?. Pede um a um pra ir
lendo a mensagem dentro da bala, que estarão de acordo com a formação. E direcionar isto para o início do
Ensino Nº 03.
OBS.: As balas devem possibilitar que as mensagens possam ser colocadas e podem depois serem chupadas
pelos alunos.
Didática 01- Ensino nº 03
 Tempo Estimado:30 minutos
 Objetivo: - Apresentar as principais características cristãs do Pregador
 Material:Papel madeira , fita adesiva, pincel, conteúdo referentes ao ensino;
 Procedimentos: Antecipadamente o formador deve afixar um cartaz em branco na parede; antecipadamente
deverá também preparar partes do corpo de uma pessoa simbolizando O PREGADOR. Nessas partes
corporais deve-se conter as características do pregador , contidas no Ensino. Procurar montar o PERFIL DO
PREGADOR a partir dessas características que serão coladas no cartaz com a ajuda dos alunos. À medida que
se apresenta uma característica, vai-se explicando o Ensino.
b) Ensino: O conteúdo da primeira parte – Características do Pregador – apresentar e explicar os
tópicos em negrito e sublinhados no Ensino nº 03;
 Orienta-se o formador ler o ensino pelo menos 02 vezes e quando tiver dúvidas, entendendo e memorizando, o
mesmo, pois facilita o repasse do ensino, pode-se estar com apostila em mãos, mas ficar lendo constantemente
não é muito bom, por isto a didática.
d) Esta didática pode e deve ser inculturada e aperfeiçoada.
Didática 02- Ensino nº 03
 Tempo Estimado:15 minutos
 Objetivo:- Procurar avaliar o perfil do Pregador
 Material:- Papelmadeira, fita adesiva, pinceis, conteúdo referentes ao ensino;
 Procedimentos:Antecipadamente o formador deve montar 01 cartaz,deixando o mesmos já afixados na
parede;
a) Ensino: O conteúdo da segunda parte – Avaliando e Forjando o Perfil do Pregador apresentar e
explicar os tópicos em negrito e sublinhados no Ensino nº 03;
e) Orienta-se o formador ler o ensino pelo menos 02 vezes e quando tiver dúvidas, entendendo e
memorizando, o mesmo, pois facilita o repasse do ensino, pode-se estar com apostila em mãos, mas ficar
lendo constantemente não é muito bom, por isto a didática.
f) Esta didática pode e deve ser inculturada e aperfeiçoada.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
28
MENSAGENS A SEREM COLOCADOS NOS BOMBONS (20 bombons)
ESQUEMA DAS PARTES CORPORAIS
Procure desenhar um corpo humano, daí coloque em cada parte do corpo uma
característica do pregador, conforme o Ensino nº 03. Atentar para colocar
características adequando à parte do corpo: amor – coração; Sabedoria – cabeça;
Oração – joelhos; etc. Depois corte o corpo em partes, pelo menos 10 partes. E
leve separadamente para o local de formação. Procurando chegar mais cedo, cola-
se um cartaz em branco na parede. E os pedaços cola-se atrás das partes fitas
adesivas, que serão espalhadas no chão depois da dinâmica e inicio da formação.
Em seguida vai se montando o corpo com os pedaços e assim vai se repassando o
Ensino.
Seja um pregador conduzido
pelo Espírito Santo
Tenha o Dom da Fé em suas
palavras.
Recebas o Dom da paciência
para bem pregar.
A perseverança seja a tua
maior virtude na pregação
A intimidade com Deus lhe
conduza a ser mais Santo.
Serás fortalecido mediante as
perseguições.
Tua visão contemple
o plano de Deus em tua vida.
O Zelo pelo Evangelho te
faça amar a Palavra de Deus.
Que você possa levar muitas
pessoas pra Jesus.
Deus revele a simplicidade
do teu coração.
Conceba o amor por Deus,
pelos irmãos e pela Palavra.
Praticarás os dons
carismáticos com unção.
Possas tua pregação ser feita
no poder do Espírito Santo.
Desejo que possas pregar o que
vives e viver o que pregas.
A verdade que proclamares
seja libertação para muitos.
A busca de Formação de dará
uma sábia pregação.
Uma vida de oração darás
para ti frutos de pregação.
Sendo tu misericordioso, teu
ministério prosperará.
Tomar a tua Cruz e seguir
Jesus, renovará tuas forças.
Consagrando-te ao Senhor, serás
um pregador convertido.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
29
ENSINO Nº 04
A) Distinção Entre Pregador e Formador
a) Pregação
- É o anúncio do Evangelho, sob a unção do Espírito Santo, mediante o uso dos recursos e métodos da
oratória e da retórica.
= Retórica: Estudo do uso persuasivo da linguagem, em especial para o treinamento de oradores.
= Oratória: arte de falar em público.
b) Ensino - É a transmissão da Doutrina Cristã, também sob a unção do Espírito Santo, mediante o uso
de recursos e métodos pedagógicos.
c) Distinção entre ensinos e pregações: FUNDAMENTAÇÃO BIBLICA: Lc 11, 27-28
- Pregação = Oratória, eloqüência (Mc 16,15).
- Ensino = Didática, muitos recursos e técnicas metodológicas (At 18,25; Tt 2,1).
1. DISTINÇÃO ENTRE PREGADOR E FORMADOR
a) Pregador:
- É a pessoa chamada por Deus, direta ou indiretamente, para anunciar e testemunhar o Evangelho, na
modalidade de primeiro anúncio.
- É o arauto de Jesus, é o embaixador de Deus, é aquela pessoa especialmente escolhida para falar em
nome de nosso Senhor Jesus Cristo.
b) Formador: É a pessoa também chamada por Deus, direta ou indiretamente, para ensinar, transmitir
a sã doutrina, àqueles que já receberam o primeiro anúncio do Evangelho.
Situação que bem ilustra uma escolha errada entre ensino e pregação: (para o formador partilhar)
Ela ocorreu na tarde do dia 1º de julho de 1989, um sábado muito frio, na cidade de Cruzeiro- SP,
durante o primeiro encontro nacional de jovens. Seu protagonista foi um pregador que pertencia a um
movimento especializado em trabalhos com a juventude. Ele foi convidado a pregar no encontro devido
ser uma pessoa muito considerada pelos jovens, porque tinha uma extensa e respeitável folha de serviços
prestados à causa do jovem. Era um experiente formador e um escritor muito lido entre a juventude, na
época.O ginásio estava cheio. Havia jovens nas arquibancadas e na quadra, todos sedentos de
conhecimento, de experiência de Deus e muito curiosos para saber o que aquele pregador tinha para
partilhar. Era o ambiente perfeito para uma forte pregação. Entretanto com toda esta capacidade, ele
desperdiçou uma ótima oportunidade de ministrar um assunto totalmente novo para mais uma de 90%
dos jovens presentes ao encontro. Tratava-se de um tema próprio para jovem. Qual foi o erro do
pregador ? Um só: não pregou. Ele se limitou a expor o assunto de forma monótona, longa e enfadonha,
que não atraía ninguém. Para piorar a metodologia que ele usou: um retroprojetor num ambiente muito
claro, que não permitia a leitura nem aos mais próximos. Por muitas vezes lia alguma coisa mais não
explica o que queria dizer. Foi uma lástima, porque sua linha metodológica provocou um resultado
negativo. Por isso temos a necessidade de distinguir como proceder A PREGAÇÃO e como proceder
O ENSINO.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
30
2. OBJETIVOS DE PREGAÇÕES E ENSINOS
a) Pregação
- Colocar as pessoas em contato com Jesus Cristo ressuscitado, a fim de que tenham a oportunidade de
experimentar o amor de Deus e a salvação de Jesus.
b) Ensino
- Oferecer aos irmãos conhecimentos sólidos e seguros sobre nossa doutrina, a fim de que perseverem
no caminho da salvação.
3. EFEITOS DA PREGAÇÃO E DO ENSINO NAS PESSOAS QUE OS OUVEM
a) Pregação - Atinge mais a emoção e os sentimentos dos irmãos e menos o raciocínio e a razão.
b) Ensino - Atinge mais o raciocínio e a razão dos irmãos e menos os sentimentos e as emoções.
5. EMPREGO DE PREGAÇÕES E ENSINOS
a) Pregação
- Em temas querigmáticos (para todas as situações);
- Em temas catequéticos (para poucas pessoas, para encontros fechados).
b) Ensino
- Para temas catequéticos ministrados a pouca gente;
= “Pouca gente”, expressão entendida como uma quantidade de pessoas que possibilite a aplicação de
dinâmicas e o emprego de variadas técnicas de ensinos.
6. PREGAÇÕES E ENSINOS MISTOS
- É possível, e às vezes ideal, pregar ensinando e ensinar pregando;
- É importante usar pregação e ensino como estilos diferentes, como formas de variação;
- Em temas querigmáticos não é bom combinar pregação e ensino, principalmente quando se prega nos
grupos de oração.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
31
B) Diferença entre Querigma e Catequese
È necessário distinguir dois aspectos importantes na evangelização no que tange a diferença
entre querigma e catequese. Dois metódos que foram muito utilizados por Jesus. Veja a tabela abaixo:
QUERIGMA (anunciar) CATEQUESE (ensinar)
Leva a nascer de novo, ter vida. Leva a crer em Cristo, ter vida em
abundância.
Apresenta Jesus morto, ressuscitado,
glorificado, Salvador, Senhor, Messias.
Apresenta a doutrina da fé, moral, dogma,
bíblia, etc.
Proclama-se a Jesus como a Boa Nova;
Testemunho Pessoal.
Ensino ordenado e progressivo; Fé de
toda a Igreja.
Precisa de um evangelizador e
testemunha cheio do Espírito Santo
Precisa de um catequista e mestre cheio
do Espírito Santo
As metas são: experiência do Amor de
Deus e de nosso ser pecador; encontro
pessoal com Jesus pela fé e conversão;
proclamação de Jesus como Salvador;
receber o dom do Espírito Santo; integrar-
se à comunidade.
As metas são: Encontro com o Corpo de
Cristo: a Igreja; Santidade do povo de
Deus
Resposta Pessoal (meu Salvador, meu
Senhor, meu Messias)
Resposta comunitária e social (nosso
Salvador, nosso Senhor, nosso Messias)
FUNDAMENTAÇÃO BIBLICA: Idem Distinção Pregador x Formador.
O querigma e a catequese foram utilizados por Jesus por dois meios: A Pregação e o Ensino.
Na pregação Jesus despertava nos corações o desejo de conhecer o reino e mostrou as
condições básicas para entrar nele. No ensino, Jesus procurou fortalecer as convicções interiores,
dando critérios de vida e ensinando valores para a vida das pessoas. Sendo assim se faz necessário
esclarecer as diferenças entre: Pregar e Ensinar.
1 - A Pregação e o Ensinamento.
Pregar está relacionado com o primeiro anúncio, com o conteúdo querigmático; Jesus
encarnado, morto, ressuscitado e glorificado. Ensinar está relacionado com a catequese, modo
sistemático de transmitir a fé. O Ensino é, pois, um conteúdo voltado para o desenvolvimento e o
conhecimento doutrinário e teológico e também os valores que regerão as relações entre irmãos.
A Pregação é o primeiro anúncio, o Ensino é a continuidade. A Pregação (anúncio) é o
despertar da fé; o Ensino é o viver da fé. O Anúncio é ser inebriado do Amor de Deus; o Ensino é
viver o Amor de Deus. A Pregação é a tomada de consciência do pecado; o Ensino nos leva a
combater o pecado. A Pregação nos leva a Deus; o ensino nos faz ir aos irmãos. Portanto, Pregar é
anunciar o Querigma e Ensinar é Catequizar.
A vida nos é dada graças à fé com que respondemos ao anúncio querigmático, mas a vida em
abundância alcança sua plenitude graças à catequese vivida com fé. Apesar de serem distintas, uma
precisa da outra. O Querigma é a base da construção e a Catequese o restante da obra.
Não adianta ensinar e depois anunciar. Seria como dar alimento aos mortos e os mortos
não precisam de alimento, precisam ressuscitar, nascer de novo, ter vida. O 1º anúncio dá a vida, a
catequese alimenta.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
32
2 - Exemplos de Querigma e Catequese na bíblia:
- Querigmáticos: Mc 8,27-30; Jo 3,1-8
- Catequéticos: Lc 6,27-31; Mt 5,21-26
- Querigmáticos e Catequéticos: Mt 4,23;
C) Conhecendo o Querigma
A missão essencial da Igreja é a evangelização de todas as pessoas. O ato de evangelizar constitui
de fato, a graça e a vocação própria da igreja, a sua mais profunda identidade. A igreja existe para
evangelizar. A evangelização não é somente anunciar Cristo ou pregá-lo, mas também, graças ao
poder do Espírito Santo, estabelecer um ambiente e uma estrutura que seja tão evangélica que
realmente possa proporcionar o amor entre os irmãos, convidando todos os homens de todos os
tempos a entrarem na alegria da sua comunhão com Cristo.
FUNDAMENTAÇÃO BIBLICA: I Carta de João 1,1-4.
No ato integral de evangelizar podemos distinguir claramente dois momentos, importantes,
distintos e sucessivos, interdependentes, que se complementam: o Querigma e a Catequese. Existe
uma grande relação entres estes dois momentos da evangelização mas existem também diferenças que
temos que distinguir. Muitos dos fracassos na evangelização se dão por falta do conhecimento das
diferenças destas duas etapas deste processo.
Muitas vezes queremos catequizar antes mesmo de anunciar o Querigma, anunciar Jesus como
Salvador dos Homens. Queremos que as pessoas conheçam e amem a Sã doutrina sem que estas
pessoas tenham uma experiência de Amor de Deus.
A transmissão da fé cristã é primeiramente o anuncio de Jesus Cristo, para levar à fé nele. desde o
começo, os primeiros discípulos ardiam de desejo de anunciar a Cristo: "pois não podemos, nós, deixar
de falar das coisas que vimos e ouvimos"(At 4,20). E convidam os homens de todos os tempos a
entrarem na alegria da sua comunhão com Cristo. O significado de Querigma é: Primeiro Anúncio. A
palavra tem origem no Grego Kerissen, que significa proclamar, gritar, anunciar. Desta forma podemos
definir que querigma é exatamente isto: apresentar, proclamar, gritar, anunciar Jesus Cristo, morto e
ressuscitado e glorificado para termos um experiência de mudança de vida, graças a fé. É experimentar e
viver Jesus vivo como Salvador, Senhor, Messias que dá o Espirito Santo.
O querigma é como se fosse o cimento de uma construção e base da casa que esta sendo erguida,
que se não for bem feita ou se não for feita não terá como a casa ficar de pé. Sem este primeiro anuncio,
como primeira etapa da evangelização, será o mesmo que construirmos uma casa sobre a areia (cf. Mateus
7, 24-27) ou jogarmos pérolas aos porcos. (cf. Mateus 7,6).
Os temas fundamentais do querigma são:
 O Amor de Deus
 O Pecado – Resistência á Graça
 Jesus Cristo – Autor da Nossa Salvação
 A Fé e a Conversão
 Cura Interior – Novas Criaturas
 Batismo no Espírito Santo
 O amor aos irmãos – Comunidade
 Maria
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
33
2 - Objetivos do Querigma
A Boa Nova consiste em anunciar Jesus, Salvador e Messias, que morreu e ressuscitou, foi
glorificado para livra-nos do pecado e de suas conseqüências. Quando anunciamos este Evangelho,
não se anuncia simplesmente um fato que aconteceu a mais de dois mil anos atrás, como se fosse
somente um fato histórico, mas se tem um objetivo claro e bem definido. Este objetivo é: Tornar
presente esta Salvação.
Para que isto aconteça se faz necessário um encontro pessoal com Jesus, Senhor e Salvador e
Messias, que acontece pela Fé e Conversão, que abre os nossos corações para receber assim uma Vida
Nova que nós é revelada pelo Espírito Santo, que nos faz que sejamos Igreja. Desta forma e dentro
deste objetivo central podemos distinguir quatro metas a serem atingidas com a pregação do
Querigma. São elas: A Salvação, A Fé e a Conversão, Receber o Espírito Santo e Formar a
Igreja.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
34
ENSINO Nº 04 -
PLANO DE ENSINO
OBJETIVOS:
Ge ral: Diferenciar a pessoa do pregador da pessoa do formador;
Específicos:
- Trabalhar o chamado a pregação ou formação, e até mesmo os dois ;
- Conscientização dos tipos, formas e modo de anunciar no Grupo de Oração e outros lugar es.
CONTÉUDO
Módulo – Formação de pregadores
Ensino 04 – Diferenciação entre Pregação e Formação, Querigma e Catequese e Querigma
METODOLOGIA
- Oração com Espírito Santo: Vinde , Oh, Espírito Santo! (Vida Re luz)
- Acolhimento
- Distribuição do Ensino nº 04 aos alunos;
- Desenvolvimento do Ensino com uso da Dinâmica Nossos Passos , cartazes, previamente colados,
com os tópicos centrais em que o ensino, com auxilio dos alunos, Bíblia e ensino entregue.
Oração final com a música – Nossa Missão (aonde mandar e u ire i)
- No final enfocar a importância dos horários, da freqüência e propor as atividades.
RECURSOS
Bibliográficas – Bíblia, Ensino Nº 04.
Áudiovisuais – Bíblia,calçados, cartão com gravura , cartazes.
AVALIAÇÃO - Participação, freqüência e atividade fixadora para a semana.
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Rote iro de Ensino de Formação
06:00 hs – Iniciar com a oração conforme a moção do Espírito Santo
06:10 hs – Realizar a dinâmica de introdução à Ensino nº 04 (vide sequência Dinâmica 01 - Ensino nº 04)
06:20 hs – Entregar o material do Ensino nº 04 e continuar o mesmo de acordo com as Didática nº 01
do Ensino - nº 04 e concluir com oração;
07:00 hs – Tirar algumas dúvidas rápidas, em seguida entregar as atividades fixadoras para o aluno,
realizar chamada de freqüência e benção final. Explicar que a atividade não é avaliativa mais de
fixação do Ensino.
07:15 hs – Término da Aula.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
35
DIDÁTICAS DE ENSINO nº 04
Dinâmica 01- Ensino nº 04
- NOSSOSPASSOS
- Tempo Estimado:05 minutos
- Objetivo: Questionar os alunos o que gostaríamos de ser, o que somos e o que ainda
pretendemos ser na nossacaminhada;
- Material: - Calçados, gravuras compassos dadosna vida e caneta;
- Procedimentos: O formador pede aos alunos pra ficarem de pé e a tirar as sandálias,
calçados, chinelos, e pede também os alunos a fecharem os olhos, depois vai partilhando
em forma oracional e de forma breve sobre sua vida, sua história na caminhada com Deus
e partilha um pouco seu crescimento espiritual e profissional também, etc. Então outra
pessoa, silenciosamente, vai recolher os chinelos e vai colocando no circulo que serão
colocadas na disposição deuma cruz, depois pede pra abrirem os olhos e olharem os seus
calcádos e começa a refletir que assim como Deus fez em sua vida, Deus tem um plano
para nós, um sonho, que os sonhos de Deus não são os nossos e questiona os irmãos: o
que você gostaria de ser quando era pequeno e agora ? O que ainda deseja fazer nessa
vida ? Então entrega aos alunos as gravuras e pede para colocarem por escrito aquilo que
pede o cartão. Depois pede para partilharem um por um, de forma rápida. E então
direciona a dinâmica para o Ensino Nº 04.
OBS.: Deixar os calçados no formato até o depois da oração com a música Nossa
Missão.
Didática 01- Ensino nº 04
 Tempo Estimado:40 minutos
 Objetivo: - Apresentar as principais diferenças entre Pregador e Formador, Querigma
e Catequeses e conhecer o Querigma
 Material:Papel madeira branco , fita adesiva, pincel, conteúdo referentes ao ensino;
 Procedimentos: Antecipadamente o formador deve preparar os cartazes e afixar os
cartazes antes da formação. À medida que se apresenta os tópicos, vai-se explicando o
Ensino.
a) Ensino: Tópicos em negrito e sublinhado no Ensino nº 04;
 Orienta-se o formador ler o ensino pelo menos 02 vezes e quando tiver dúvidas,
entendendo e memorizando, o mesmo, pois facilita o repasse do ensino, pode-seestar
com apostila em mãos, mas ficar lendo constantemente não é muito bom, poristo a
didática. Esta didática podee deve ser inculturada e aperfeiçoada.
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
36
CARTAZ nº 02 (não precisa isso)
B) Diferença entre Querigma e Catequese
QUERIGMA (anunciar) CATEQUESE (ensinar)
Nascer de novo, ter vida. Crer em Cristo, ter vida em
abundância.
Jesus morto, ressuscitado,glorificado,
Salvador, Senhor, Messias.
Doutrina da fé, moral,
dogma, bíblia, etc.
Jesus como a Boa Nova;
Testemunho Pessoal.
Ensino ordenado e
progressivo; Fé de toda a
Igreja.
Evangelizador e testemunha cheio
do Espírito Santo
Catequista e mestre cheio
do Espírito Santo
As metas: experiência do Amor de
Deus e de nosso serpecador;
encontro pessoalcom Jesus pela fé
e conversão; proclamação de Jesus
como Salvador; receber o dom do
Espírito Santo; comunidade.
Metas: Encontro com o
Corpo de Cristo: a Igreja;
Santidade do povo de Deus
Resposta Pessoal(meu Salvador,
meu Senhor, meu Messias)
Resposta comunitária e
social (nosso Salvador,
nosso Senhor,nosso
Messias)
1 - A Pregação e o Ensinamento
2 - Exemplos de Querigma e Catequese na bíblia:
CARTAZ nº 01(não precisa isso)
FORMAÇÃODE PREGADORES
A) Distinção Entre Pregador e Formador
* Conceito de Pregação
* Conceito de Ensino
FUNDAMENTAÇÃO BIBLICA: Lc 11, 27-28
1. DISTINÇÃO
1. OBJETIVOS
2. EFEITOS
3. EMPREGO
CARTAZ nº 03(não precisa isso)
FORMAÇÃODE PREGADORES
C) Conhecendo o Querigma
FUND. BIBLICA: I Carta de João 1,1-4.
1) SIGNIFICADO: Kerissen
2) Temas Fundamentais
 O Amor de Deus
 O Pecado – Resistência á Graça
 Jesus Cristo – Autor da Nossa Salvação
 A Fé e a Conversão
 Cura Interior – Novas Criaturas
 Batismo no Espírito Santo
 O amor aos irmãos – Comunidade
 Maria
3 - OBJETIVOS
 SIGNIFICADO: Kerissen
2)
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
37
Xerocopiar para 20 alunos
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
38
1º Dia – Sexta-feira - O AMOR DO PAI - Nossa resposta: amar, obedecer e servir.
Meditação diária:
1ºLeit. – Lc 8,4-15 3º Leit. – Ap 3,15-21 5ºLeit.–Is 49,14-16 7º Leit.– 1 Jo, 3,1-3
2ºLeit.– Mc 16,14-20 4º Leit. – Is 43,1-5 6º Leit.– Is 41,9-14
Após cada leitura coloque escreva neste espaço o versículo que mais lhe chamou a atenção e a mensagem que Deus lhe
revelou para partilha na próxima reunião do Ministério:
1º Leit.: Versículo: _________________________
Mensagem Revelada __________________________________________________________________
2º Leit.: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada __________________________________________________________________
3º Leit.: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada __________________________________________________________________
4º Leit.: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada __________________________________________________________________
5º Leit.: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada __________________________________________________________________
6º Leit.: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada _________________________________________________________________
7º Leit.: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada _________________________________________________________________
Para você refletir:
1 – Como tem correspondido até hoje a esse amor que Deus tem por você?
2 – Você crê que Deus o ama pessoalmente, que o conhece pelo nome e que você é precioso aos seus olhos?
Vivência: Ler o Sl 138 e viver o AMOR DE DEUS para com a pessoa mais difícil.
QUESTIONÁRIO
01 – Com que amor Deus nos ama? (Jer 31,3)_______________________________________________
___________________________________________________________________________________
02 – A quem Deus ama (Mt 5,44-45). Aos _______________, aos ______________, aos
____________, aos ____________, aos _______________, aos._______________ e aos
________________.
03 – Deus amou tanto o mundo que___________________________________(Jo 3,16).
04 – Deus é __________________________(1 Jo 4,8).
05 – No Amor não há______________________________________(1 Jo 4,18).
06 – Em que consiste o amor? ______________________________________________
_______________________________________________________________________(1 Jo 4,10).
07 – Se Deus é Amor (caridade), escreva de Deus o que São Paulo diz sobre o amor (caridade) em 1 Cor
13,4-8.
Deus é_______________________ Deus não guarda___________________________
Deus é _____________________ Deus não se alegra__________________________
Deus não tem____________________ Deus rejubila com________________________
Deus não é_____________________ Deus tudo_______________________________
Deus não é____________________ Deus tudo________________________________
Deus não é_____________________ Deus tudo_______________________________
Deus não busca___________________ Deus não se ___________________________
Destas características, qual parece ser a mais importante em sua vida? _____________
_______________________________ Por quê? ________________________________
______________________________________________________________________
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
39
2ª Dia - Sábado: A RESISTÊNCIA À GRAÇA – O PECADO
Meditação diária:
1ºLeit – Genesis 2 2ºLeit – Gênesis 3 3ºLeit – Rm 1, 18-32 4ºLeit – Rm 7, 15-26
5ºLeit – Mc 7, 20-23 6ºLeit – Salmo 50 7ºLeit – João 16,25-33
Após cada leitura coloque escreva neste espaço o versículo que mais lhe chamou a atenção e a mensagem que Deus lhe
revelou para partilha na próxima reunião do Ministério:
1º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada __________________________________________________________________
2º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada _________________________________________________________________
3º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada __________________________________________________________________
4º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada _________________________________________________________________
5º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada _________________________________________________________________
6º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada __________________________________________________________________
7º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada __________________________________________________________________
Para você refletir:
A misericórdia de Deus é tão grande e o amor que Deus tem por cada um de nós não tem limites. Pelo
sacramento da Reconciliação ou Confissão, Deus nos convida a refazer a nossa comunhão com Ele. Não
será esta uma oportunidade para você procurar um sacerdote? ( Leitura. Gaudium et Spes 13 e 27)
Sugestão: Orar e descobrir qual o pecado que sai de seu coração, que mais atrapalha sua conversão.
QUESTIONÁRIO
01 – Por que não vivemos a vida de Deus? Por que todos ________________ e todos
estão_______________________________________________________________________(Rm 3,23).
02 – Que conseqüências negativas tiveram Adão e Eva, quando quiseram ser como Deus, por suas
próprias forças? _______________________________________________(Gen 3)
03 – o que acontece àquele que quer salvar sua vida por si próprio?________________
_____________________________________________________________________(Mt 16,25)
04 – que acontece a um cego que é guiado por outro cego: _______________________
______________________________________________________________(Mt 15,14)
Assim sendo é possível salvar-se?__________________________________ (Mt 15,14)
05 – Quem comete pecado é um_________________________________(Jo 8,34)
06 – O pecado é não ____________________________________________(Jo 16,9)
07 – Pecado é tudo que ___________________________________________(Jo 16,9)
08 – Responda: Verdadeiro (V) ou falso (F).
O homem pode salvar-se a si mesmo
O egoísta faz sofrer porque sofre
O pecado produz vazio e tristeza
O pecado é a verdadeira felicidade do homem
Quem peca... Ofende a Deus
Ofende aos outros
Ofende a si mesmo
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
40
2ª Dia - Sábado: JESUS CRISTO AUTOR DE NOSSA SALVAÇÃO
Meditação diária:
1ºLeit – Jo 3,16-20 3ºLeit – Rm 5,17-21 5ºLeit – Rm 8,29-34 7ºLeit – Cl 2,12-14
2ºLeit – Jo 4,26-29 4ºLeit – Jo 8,1-11 6º Leit –2 Cor 5,17-21
Após cada leitura coloque escreva neste espaço o versículo que mais lhe chamou a atenção e a mensagem que Deus lhe
revelou para partilha na próxima reunião do Ministério:
1º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada __________________________________________________________________
2º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada __________________________________________________________________
3º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada __________________________________________________________________
4º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada _________________________________________________________________
5º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada __________________________________________________________________
6º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada __________________________________________________________________
7º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada __________________________________________________________________
Para você refletir:
Deus amou tanto o mundo que entregou seu filho único... para que omundo seja salvo por ele” ( Jô 3,
16-17).” Em nenhuma outro há salvação, porque não há outro nome dado aos homens pelo qual
podemos ser salvos” (at 4,12).
Vivência para a semana: fazer orações (espontâneas e diárias) de louvor ao Pai por nos ter dado seu
Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo.
01 – Nas Frases seguintes você encontrará algo sobre Jesus e sua missão:
Mt 1,21: Por que Ele se Chama Jesus?_______________________________________
Jo 1,29: que disse de Jesus João Batista?_____________________________________
Mt 8,29: que título os demônios davam a Jesus?________________________________
Lc 18,38-39: Que gritou o cego de Jericó para Jesus?____________________________
02 – Por sua parte Jesus mesmo também disse quem ele era:
Mt 9,13: Eu não vim chamar________________________________________________
Jo 14,6: Eu sou o _______________________, a _______________e a __________________ Jo 6,47:
Aquele que crer ________________________________
Jo 14,6: Ninguém vai ao pai ________________________________________________
03 – 1 Tm 2,5 – Jesus é o __________ medidor entre ________ e os _______________
04 – Escreva para que foi enviado Jesus, segundo Lucas 4,18-19:__________________
_______________________________________________________________________
05 – Rm 4,25 – Jesus morreu por ___________________________________________
06 – Cl 1,13 – Ao sermos salvos, saímos das _________ para o __________________
07 – Rm 5,20 – Onde avultou o ________________superabundou _________________
08 – Consultando a citação bíblica, responda sim (S) ou não (N):
Mt 19,25-26: Jesus é o único que pode salvar-nos Lc 4,18: Jesus veio libertar os homens
Jo 10,10: Jesus veio trazer a vida em abundância? At 4,12: Jesus é o único salvador?
Mt 19,25-26: o homem pode salvar-se por si
mesmo
Jo 3,17: Jesus veio salvar o mundo?
Diocese de Bom Jesus do Gurguéia
Renovação Carismática Católica
Ministério de Formação - Formação de Pregadores
41
3º Dia – Domingo: FÉ E CONVERSÃO - Meditação diária:
1º Leit – João 20,19-23 3º Leit – Lucas 15,11-32 5º Leit – Lucas 1,28-35 7º Leit- João 3,16-21
2º Leit – Lucas 15,3-7 4º Leit – Lucas 2,25-32; 6º Leit – Lucas 1,68-79
Após cada leitura coloque escreva neste espaço o versículo que mais lhe chamou a atenção e a mensagem que Deus lhe
revelou para partilha na próxima reunião do Ministério:
1º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada __________________________________________________________________
2º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada__________________________________________________________________
3º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada __________________________________________________________________
4º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada __________________________________________________________________
5º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada _________________________________________________________________
6º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada _________________________________________________________________
7º Dia: Versículo: __________________________
Mensagem Revelada __________________________________________________________________
Para você refletir: Por Jesus Cristo, pelo sangue derramado por amor de cada um de nós temos a redenção e a remissão
dos Pecados. Você está disposto a aceitar de todo coração a Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador Pessoal e a mudar de
vida?
QUESTIONÁRIO
01 – Responda Sim (S) ou Não(N)
É pela circuncisão que seremos salvos (Rm 3,30)?
Somos salvos pela prática da Lei Gl 2,16?
A salvação é conseguida com boas obras (Ef 2,9)?
Conquistamos a salvação por merecimento próprio (Ef 2,8)?
Somos salvos gratuitamente, mediante a fé (Ef 2,8)?
A salvação é uma graça, um dom de Deus (Ef 2,5.8)?
É só por Jesus Cristo que seremos salvos (Ef 2,5; At 4,12)?
A fé é crer em pessoas?
03 – A fé é ___________________________________________________ (Hb 11,1).
04 – Quem crer em Jesus será _____________ (Mc 16,16), _____________ (Jo 11,25) e será
_______________________ (At 13,39).
05 – Para sermos salvos e recebermos o Dom do Espírito Santo, devemos ___________
_______________________________________________________________ (At 2,38).
06 – O que mudou na vida de Madalena, Zaqueu e Paulo_________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________ (Lc 8,2; 19,1-10; Gl 1,11-15; Fl 3,4-11).
07 – Conversão é _____________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________.
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc
apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Rcc ministério de formação - apostila - 3 - grupos de oração
Rcc   ministério de formação - apostila - 3 - grupos de oraçãoRcc   ministério de formação - apostila - 3 - grupos de oração
Rcc ministério de formação - apostila - 3 - grupos de oração
costanombre
 
Direcionamento Ministério de intercessão
Direcionamento Ministério de intercessãoDirecionamento Ministério de intercessão
Direcionamento Ministério de intercessão
Cassio Felipe
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
Paulo Kuke
 

Mais procurados (20)

1 aula educacao crista
1 aula   educacao crista1 aula   educacao crista
1 aula educacao crista
 
Curso de-ministros
Curso de-ministrosCurso de-ministros
Curso de-ministros
 
Estudo 3 (Maturidade)
Estudo 3 (Maturidade)Estudo 3 (Maturidade)
Estudo 3 (Maturidade)
 
4 trilho-de-lideranca
4 trilho-de-lideranca4 trilho-de-lideranca
4 trilho-de-lideranca
 
Lição 13 - A atualidade dos dons espirituaisl
Lição 13 - A atualidade dos dons espirituaislLição 13 - A atualidade dos dons espirituaisl
Lição 13 - A atualidade dos dons espirituaisl
 
Maturidade CRISTA
Maturidade CRISTAMaturidade CRISTA
Maturidade CRISTA
 
Rcc ministério de formação - apostila - 3 - grupos de oração
Rcc   ministério de formação - apostila - 3 - grupos de oraçãoRcc   ministério de formação - apostila - 3 - grupos de oração
Rcc ministério de formação - apostila - 3 - grupos de oração
 
AS BASES DO DISCIPULADO - EBO CURITIBA 2015
AS BASES DO DISCIPULADO - EBO CURITIBA 2015AS BASES DO DISCIPULADO - EBO CURITIBA 2015
AS BASES DO DISCIPULADO - EBO CURITIBA 2015
 
Direcionamento Ministério de intercessão
Direcionamento Ministério de intercessãoDirecionamento Ministério de intercessão
Direcionamento Ministério de intercessão
 
Nova Criatura (M.D.A.)
Nova Criatura (M.D.A.)Nova Criatura (M.D.A.)
Nova Criatura (M.D.A.)
 
Mistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistérioMistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistério
 
Homilética
HomiléticaHomilética
Homilética
 
Os benefícios do discipulado em casa
Os benefícios do discipulado em casaOs benefícios do discipulado em casa
Os benefícios do discipulado em casa
 
Apostila escoladepregaopararcc-131013192156-phpapp02
Apostila escoladepregaopararcc-131013192156-phpapp02Apostila escoladepregaopararcc-131013192156-phpapp02
Apostila escoladepregaopararcc-131013192156-phpapp02
 
Batismo nas águas
Batismo nas águasBatismo nas águas
Batismo nas águas
 
Evangelização da Juventude
Evangelização da JuventudeEvangelização da Juventude
Evangelização da Juventude
 
Evangelismo conteúdo, método e motivação.
Evangelismo   conteúdo, método e motivação.Evangelismo   conteúdo, método e motivação.
Evangelismo conteúdo, método e motivação.
 
Apostila ruah
Apostila ruahApostila ruah
Apostila ruah
 
Dons Espirituais 1
Dons Espirituais 1Dons Espirituais 1
Dons Espirituais 1
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
 

Semelhante a apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc

7387773 manual-de-realizacao-do-encontro-120429085753-phpapp01
7387773 manual-de-realizacao-do-encontro-120429085753-phpapp017387773 manual-de-realizacao-do-encontro-120429085753-phpapp01
7387773 manual-de-realizacao-do-encontro-120429085753-phpapp01
Jessé Ferreira
 
Slide curso professores betel
Slide curso professores betelSlide curso professores betel
Slide curso professores betel
Cristina Flores
 
Metodologia catequetica catequista sandro
Metodologia catequetica catequista sandroMetodologia catequetica catequista sandro
Metodologia catequetica catequista sandro
Catequista Sandro
 
Boletim bimba 25 08 2013
Boletim bimba 25 08 2013Boletim bimba 25 08 2013
Boletim bimba 25 08 2013
Regina Lissone
 
Manual Pregar meu evangelho
Manual Pregar meu evangelhoManual Pregar meu evangelho
Manual Pregar meu evangelho
Moroni Barbosa
 
Memorando iii reunião do conselho unidos pela missão
Memorando   iii reunião do conselho unidos pela missãoMemorando   iii reunião do conselho unidos pela missão
Memorando iii reunião do conselho unidos pela missão
Unidos Pela Missão
 

Semelhante a apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc (20)

7387773 manual-de-realizacao-do-encontro-120429085753-phpapp01
7387773 manual-de-realizacao-do-encontro-120429085753-phpapp017387773 manual-de-realizacao-do-encontro-120429085753-phpapp01
7387773 manual-de-realizacao-do-encontro-120429085753-phpapp01
 
Curso de-qualificação-intercessão-2009
Curso de-qualificação-intercessão-2009Curso de-qualificação-intercessão-2009
Curso de-qualificação-intercessão-2009
 
Planejamento administrativo
Planejamento administrativoPlanejamento administrativo
Planejamento administrativo
 
Boletim informativo ceteojpa n.1
Boletim informativo ceteojpa n.1Boletim informativo ceteojpa n.1
Boletim informativo ceteojpa n.1
 
Slide curso professores betel
Slide curso professores betelSlide curso professores betel
Slide curso professores betel
 
Projeto mediunidade sem tabu - capacitação de tarefeiros da mediunidade 2015
Projeto mediunidade sem tabu  - capacitação de tarefeiros da mediunidade 2015Projeto mediunidade sem tabu  - capacitação de tarefeiros da mediunidade 2015
Projeto mediunidade sem tabu - capacitação de tarefeiros da mediunidade 2015
 
Apostila Culto de Missões - Volume 1
Apostila Culto de Missões - Volume 1Apostila Culto de Missões - Volume 1
Apostila Culto de Missões - Volume 1
 
Curso de capacitação e atualização para professores da EBD
Curso de capacitação e atualização para professores da EBDCurso de capacitação e atualização para professores da EBD
Curso de capacitação e atualização para professores da EBD
 
Metodologia catequetica catequista sandro
Metodologia catequetica catequista sandroMetodologia catequetica catequista sandro
Metodologia catequetica catequista sandro
 
Boletim bimba 25 08 2013
Boletim bimba 25 08 2013Boletim bimba 25 08 2013
Boletim bimba 25 08 2013
 
Classes Biblicas
Classes BiblicasClasses Biblicas
Classes Biblicas
 
Classes Biblicas
Classes BiblicasClasses Biblicas
Classes Biblicas
 
Manual Pregar meu evangelho
Manual Pregar meu evangelhoManual Pregar meu evangelho
Manual Pregar meu evangelho
 
Eae 1 aula inaugural rev01
Eae 1   aula inaugural rev01Eae 1   aula inaugural rev01
Eae 1 aula inaugural rev01
 
7387773 manual-de-realizacao-do-encontro
7387773 manual-de-realizacao-do-encontro7387773 manual-de-realizacao-do-encontro
7387773 manual-de-realizacao-do-encontro
 
7387773 manual-de-realizacao-do-encontro
7387773 manual-de-realizacao-do-encontro7387773 manual-de-realizacao-do-encontro
7387773 manual-de-realizacao-do-encontro
 
IECBR - ECM - Escola de Crescimento Ministerial
IECBR - ECM - Escola de Crescimento MinisterialIECBR - ECM - Escola de Crescimento Ministerial
IECBR - ECM - Escola de Crescimento Ministerial
 
Manual escola de lideres
Manual escola de lideresManual escola de lideres
Manual escola de lideres
 
Aula 5 perfil e atributos do pregador cristão
Aula 5   perfil e atributos do pregador cristãoAula 5   perfil e atributos do pregador cristão
Aula 5 perfil e atributos do pregador cristão
 
Memorando iii reunião do conselho unidos pela missão
Memorando   iii reunião do conselho unidos pela missãoMemorando   iii reunião do conselho unidos pela missão
Memorando iii reunião do conselho unidos pela missão
 

Mais de itamar2019 (9)

57402648-lGMR.pdf
57402648-lGMR.pdf57402648-lGMR.pdf
57402648-lGMR.pdf
 
Osi 031 a 00
Osi 031 a 00Osi 031 a 00
Osi 031 a 00
 
Ajustes no st2000
Ajustes no st2000Ajustes no st2000
Ajustes no st2000
 
Contatores e relés de proteção weg
Contatores e relés de proteção wegContatores e relés de proteção weg
Contatores e relés de proteção weg
 
Contatores af400 750
Contatores af400 750Contatores af400 750
Contatores af400 750
 
Af300 manual
Af300 manualAf300 manual
Af300 manual
 
Af300 catálogo
Af300 catálogoAf300 catálogo
Af300 catálogo
 
Catálogo%20 comap[1]
Catálogo%20 comap[1]Catálogo%20 comap[1]
Catálogo%20 comap[1]
 
Fispq oleodiesel-s500(1)
Fispq oleodiesel-s500(1)Fispq oleodiesel-s500(1)
Fispq oleodiesel-s500(1)
 

Último

Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
MilyFonceca
 

Último (8)

Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
pregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptxpregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptx
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
 
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 

apostila_pregacao-material formador-oficial (1).doc

  • 1. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 1
  • 2. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 2 I – CONSIDERAÇÕES INICIAIS “É por perceber a necessidade de apresentar o Evangelho da forma mais adequada possível que o Ministério de Pregação não se dá por vencido ante os embaraços encontrados para ministrar uma boa formação. Por acreditar que podemos formar novos pregadores e aperfeiçoar os veteranos, que elaboramos um projeto de Formação. Por compreender que trabalhando com afinco conseguiremos dar um passo a mais na caminhada da formação de pregadores, isto é, conseguiremos ir ‘além dos limites dos nossos desertos’, saindo do ‘lugar-comum’, em se tratando de formação, realizando também as oficinas de pregação. Queremos nos encontros de formação apresentar os pregadores uma metodológica que ajuda a pregar com unção e docilidade ao Espírito Santo. Temos também exortado a todos os pregadores a buscarem o conhecimento necessário para pregar, participando de todos os encontros ministrados pelos outros ministérios. Ao pregador se faz necessário pregar com unção e com metodologia correta, mas também o conhecimento do assunto que vai expor. Assim ele deve participar de todos os encontros, além de complementar sua formação com as atividades fixadoras e outras fontes de conhecimento tais como: livros, fitas de áudios-visuais, entre outros recursos.” (Dercides Pires da Silva -Membro do Conselho Nacional da RCC)
  • 3. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 3 ORIENTAÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DO ENSINO, FORMADORES E ALUNOS  Primeiramente o formador deve preparar-se bem espiritualmente e assimilar o conteúdo a ser ministrados e em seguida com a aparência física na questão do vestuário, porque vai estar se sentindo bem com ele mesmo e para destacar o quanto o momento da formação é importante Então o cuidado com a espiritualidade e aparência é fundamental.  Procurar obedecer rigorosamente o tempo, que será: das 18:00 hs às 19:15 hs sendo:  das 18:10 hs oração inicial;  das 18:10 até 19:00 formação, incluindo dinâmicas didáticas;  das 19:00 até 19:15 – oração final, esclarecimentos, freqüência, compromissos, bênção final.  Procurar adotar a didática de ensino, pois facilita tudo, devendo ser aperfeiçoada;  Entregar o material do ensino aos alunos no inicio, para que os mesmos acompanhem o ensino e possa haver momentos de participação dos mesmos;  O material de cada ensino será entregue a cada aula para depois montar a apostila, para que os alunos tenham vontade de vir a próxima aula, pois com o material completo em mãos sentem-se auto-suficientes;  Serão convidados somente os irmãos que realizaram o Curso de Formadores da RCC e estes serão escalados para o Ensino e receberão o devido material e apoio didático;  Solicitar uma taxa de inscrição para aquisição e repasse do material didático;  Confeccionar uma ficha de freqüência com o nome dos alunos;  Ter um caderninho para anotar sugestões, inscrição e gastos para prestação de contas, etc.;  Providenciar uma caixinha para guardar material didático (pinceis, grampos, perfurador, etc).  Sempre ao final da formação realizar a chamada de freqüência, lembrando aos mesmos que no final do Ensino existe uma atividade fixadora, não sendo necessário devolver ao formador, mas conscientizar que o mesmo ajuda na fixação do ensino e aperfeiçoa a formação;  Preparar o ambiente mais cedo para termos um local adequado de acordo com a formação agradável (cadeiras, mesa com oratório, local para exposição dos cartazes ou outros recursos, iluminação, etc.);  Confeccionar também um lembrete para conscientizar os alunos e formadores o horário de início e término da formação;  No final do curso preparar um certificado com confirmação de realização do Curso de Formação e se possível organizar uma pequena confraternização de conclusão. MATERIAL DIDÁTICO 1) 01 resma de papel ofício 04 para impressão da apostila para os formadores e material semanal a ser entregue para os alunos; 2) Folhas de papel madeira ou outro para preparação de painéis para ministração da formação conforme orientação didática; 3) Cartolinas de cores diversas para dinâmicas; 4) Pinceis atômicos (azul, vermelho e preto); 5) Fita adesiva para colagem de identificação das pastas com grampos fixadores e para fixar os painéis; 6) Pastas para os formadores e formandos guardem o material fornecido aos mesmos; 7) Vidro de cola, grampos, perfurador (se puder arrumar emprestado, grampeador, devido o preço,etc.); 8) Demais materiais poderão ser solicitados de acordo com a didática de preparação da formação, porém limitados e dependendo do caixa arrecadado pela formação. 9) Ensinos que serão entregues aos alunos a cada aula ministrada.
  • 4. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 4 ESCALA DE FORMADORES ENSINO DATA FORMADOR 1.0 - ENSINO Nº 01 28/01/2010 Tatiano 2.0 - ENSINO Nº 02 04/02/2010 Ana Lúcia e Josué 3.0 - ENSINO Nº 03 11/02/2010 Daiane 4.0 - ENSINO Nº 04 18/02/2010 Débora Lúcia 5.0 - ENSINO Nº 05 25/02/2010 Fabiano 6.0 - ENSINO Nº 06 04/03/2010 Débora Lúcia 7.0 - ENSINO Nº 07 11/03/2010 Tatiano e Josué 8.0 - ENSINO Nº 08 18/03/2010 Sugestão Dayahara 9.0 - OFICINAS 25/03/2010 Os alunos Para ser entregue no 1º dia – Suscitando a perseverança ORAÇÃO DA PERSEVERANÇA FINAL Ò Meu Jesus, eu Vos amo. Eu Vos amo com a vossa Cruz, com o vosso sofrimento, com o vosso amor imenso. Ò Jesus, pelo sangue que derramastes e pelas lágrimas de vossa Mãe Santíssima, dai vista aos cegos, andar aos paralíticos, saúde aos enfermos, para todos os que sofrem e padecem. Meus Jesus, vossos passos quero seguir; vossas palavras falar, vossos pensamentos pensar, vossa cruz carregar; vosso Corpo comer, vosso Sangue beber; o pecado detestar e o Céu alcançar. Amé m!
  • 5. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 5 ÍNDICE: 1.0 - ENSINO Nº 01 1.1 - FORMAÇÃO DE PREGADORES 1.2 - Método de Crescimento Espiritual - FOM 2.0 - ENSINO Nº 02 2.1 - A Pregação no Grupo de Oração 2.2 - O Glorioso Ministério de Pregação 3.0 - ENSINO Nº 03 3.1 - Características do Perfil do Pregador 3.2 - Forjando e Avaliando Nosso Perfil de Pregador 4.0 - ENSINO Nº 04 4.1 - Distinção Entre Pregador e Formador 4.2 - Diferença entre Querigma e Catequese 4.3 - Conhecendo o Querigma 5.0 - ENSINO Nº 05 5.1 - Conhecendo a Bíblia – Revelação da Vontade de Deus e Instru- mento do Pregador 5.2 - LECCTIO DIVINA 6.0 - ENSINO Nº 06 6.1 - Como organizar a pregação – Roteirização 7.0 - ENSINO Nº 07 7.1- Como pregar a mensagem – Técnicas de Pregação 8.0 - ENSINO Nº 08 8.1 – Oficinas de Pregação 9.0 – PRÁTICAS DAS OFICINAS
  • 6. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 6 ENSINO Nº 01 - FORMAÇÃO DE PREGADORES < Método de Crescimento Espiritual - FOM: > INTRODUÇÃO – Formação – Porque o pregador precisa conhecer e aprofundar-se naquilo que prega – não cair em enganações, não falar coisas erradas sem ter sido formado – bom pregador tem formação, conseqüentemente PREPARAÇÃO; – Oração - Porque a Oração que geralmente conclui a nossa pregação conduz os irmãos a absorver o que foi anunciado e é onde buscamos a nossa inspiração para expressarmos o que Deus quer. – Missão - Porque Deus precisa de nós para concretizar o Plano de Amor d’Ele sobre a humanidade, conduzindo as pessoas para uma consciência de que todos são chamados a experimentar de sua presença salvífica. A) FORMAÇÃO, CAMINHO DE GRAÇA
  • 7. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 7 1. CONCEITOS: - Formar: Dar a forma a (algo). Ter a forma de; assemelhar-se a algo. Conceber, imaginar. Constituir, compor. Instruir, educar, aperfeiçoar. Promover ou facilitar formatura. Tomar forma; desenvolver-se. Educar-se, instruir-se, preparar-se. - Formação: = Ato, efeito ou modo de formar. Constituição, caráter. Maneira por que se constituiu uma mentalidade, um caráter, ou um conhecimento profissional. = É o ato de instruirmos a nós mesmos, bem como de instruirmos nossos irmãos, a fim de que todos nós possamos vivenciar os ensinamentos de Jesus, sendo seus discípulos, assim como sendo continuadores de sua missão evangelizadora. - FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA: II Timóteo 2, 2b-2c e 3,16-17 a) Exigências da formação (PAPAI DO CÉU AMA) - Paciência: ( Eclo 2,1-6); Amor: (1Cor 13); Perseverança: ( Jo 15,1-8); - Atitude profissional (disciplinada): ( 2Tm 2,1-7); Inteligência: Inteligência é um dom de Deus (2 Tm 2,7); Sabedoria; Pensar (aprender a pensar, refletir, racionar); - Dedicação: Jesus, o mestre, dedicou-se aos seus discípulos: (Mc 3,13-14, Mt 17,1-9); - Oração: Por nós (Lc 22,39-40) e Pelos formandos (Lc 22,31-32) - Coragem: Valente contra os embaraços; Não é contra homens que temos de lutar (Ef 6,12) - Estudo: Qual foi o estudo de Pedro? E de Paulo? Jesus ensinou e o Espírito Santo continuou a ensinar e a recordar (Jo 14,26); Unidade: = Jo 17,20-21, At 15,4-31 e = Gl 2, - Aprender a aprender: É o dom dos discípulos chamados a serem mestres (Doutores); = 1 Cor 12,11 in fine; Aprender com o Espírito Santo (Paulo) - Mudança de mentalidade (metanóia: transformação fundamental de pensamento ou de caráter – NDALP); = Formação é, em princípio, uma questão de mentalidade.  Uma mentalidade formadora cria novas oportunidades de formação, aproveita as já existentes e adapta todas as situações possíveis ao exercício da formação - = Rm 12,2; = Ef 4,11-16 (v. 13b) - Avaliação: = Lc 10,17-20 e = Mt 17,14-20 2. JESUS FORMADOR - - Jesus formou doze apóstolos tão bem que eles produziram um precioso fruto, que é a Igreja. 3. OS SEGUIDORES DE JESUS SÃO FORMADORES - Os 12 Apóstolos e outros 72 discípulos do tempo de Jesus formaram toda uma geração de discípulos, que começou com Lucas, Timóteo, Silvano, Tito, Marcos indo até Santo Irineu. 4. FORMAÇÃO COMO CAMINHO DE GRAÇAS - As profissões devem ser vias por onde as graças de Deus poderão fluir: medicina, mecânica, construção civil, carreira jurídica, magistério etc; - Jesus formou os Apóstolos e demais discípulos para serem canais da Água Viva; - Jesus formou coordenadores, pregadores, pastores, apóstolos etc; - Por meio deles as graças de Deus fluíram para beneficiar a Comunidade; - É Por meio da formação que Deus prepara seus servos para a missão; - Deus se vale muito da formação pessoal que cada servo disponibiliza a Ele; = Pedro, pescador de peixes=> pescador de homens; = Paulo, doutor da Lei => doutor do Evangelho; = Lucas, médico de homens => médico de almas; B) CARISMA DA ORAÇÃO
  • 8. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 8 Deus quer que nós oremos. Para orar devemos vencer inúmeras dificuldades e até mesmo o inimigo de Deus e dos seus filhos, isto é, o próprio satanás e seus servidores (espirituais e terrenos). Nosso Pai conhece todos os nossos inimigos e dificuldades, assim como a necessidade que temos de vencê-los. Ele conhece também nossas fraquezas. Ele sabe que com nossos dons naturais seríamos vencidos, por isso nos batiza com o Espírito Santo, que é a expressão do seu infinito Poder. O Espírito Santo, uma vez em nós, fornece- nos as armas necessárias para vencermos a guerra espiritual. Essas armas são os dons carismáticos e os dons de santificação (dons do conselho, da piedade, da fortaleza, do temor, do conhecimento, do entendimento e da sabedoria). Assim, se quisermos vida de santidade, devemos ter vida de oração. Neste ensino propormos o método de oração carismático, por ser simples e facilmente adaptável ao nosso viver cotidiano e ao nosso estado de vida (nosso estado de vida é leigo). 1. CONCEITOS a) Oração cristã - É um impulso do coração, é um simples olhar lançado ao céu, um olhar de reconhecimento e amor no meio da provação ou meio da alegria (Santa Terezinha do Menino Jesus, Catecismo da Igreja Católica, 2558b) - É mais do que falar com Deus. É aproximar-se de Deus. Deus deseja aproximar-se do homem (João 4, 7; Hebreus 11, 6; filho pródigo) b) Carisma - (Carisma) derivado de (graça): Dom (gratuito), presente; Dom do Espírito Santo; - Sentido estrito: manifestações extraordinárias do Espírito Santo, dadas a membros individuais das comunidades cristãs para benefício dos outros; - A graça supõe a natureza (age na natureza e por meio dela). c) Carisma da oração - É a capacidade que o Espírito Santo nos dá para orarmos como Deus deseja, como lhe convém (Romanos 8, 26) - - FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA: Lc 22,31-40 2. ESPÉCIES DE ORAÇÃO a) Quanto aos participantes (comunitária e individual) - Oração comunitária: Ex. Eucarística e Grupal - Individual (pessoal); b) Quanto ao método - Oração devocional (rosário, novenas, festas dos santos); Oração de louvor - Oração de adoração; Oração vocal e Oração mental c) Quanto ao modo de execução: - Oração ativa; Oração semipassiva e Oração passiva d) Quanto ao conteúdo: Oração de louvor; Oração de adoração e oração devocional; 3. ETAPAS DA ORAÇÃO: Oração discursiva, de recolhimento e de união a) Oração discursiva (ORAÇÃO ATIVA): = Discurso, conversa, diálogo (com Deus – consigo mesmo?) - Pode ser praticada individualmente e em comunidade b) Oração de recolhimento (ORAÇÃO SEMIPASSIVA): É a etapa da oração na qual o orante recolhe, com a ajuda do Espírito Santo, as potências da alma, afim de propiciar que a alma entre em si acompanhada do seu Deus (Pai, Filho e Espírito Santo) - = Pode ser praticada individualmente e em comunidade.
  • 9. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 9 c) Oração de quietude (ORAÇÃO SEMIPASSIVA): É uma experiência mística na qual o Senhor cativa nossa vontade/coração a fim de nos introduzir na contemplação. É verdadeiro dom de Deus. d) Oração de união (ORAÇÃO PASSIVA): É a etapa da oração chamada passiva. Nela o Senhor já reina e domina completamente o ciclo oracional, como que fazendo os dons naturais adormecerem (repouso no Espírito Santo); 4. PRESSUPOSTOS PARA O CARISMA DA ORAÇÃO a) Fé (Hebreus 11, 6); b) Amor: sentir-se amado de Deus (pelo menos crer que é amado por Deus); Amar a Deus e Amar a si mesmo e Amar o irmão; c) Mortificação; d) Disciplina; e) Caminhar na Verdade: Verdade de Deus e Verdade da pessoa 5. DESENVOLVIMENTO DO CARISMA DA ORAÇÃO a) Tempo - Momento especial dedicado (consagrado, separado) à oração - Duração no tempo (minutos e horas por semanas, meses e anos) b) Perseverança: É um carisma do Espírito Santo. É a arma para vencer as cruzes da vida e a força das potências da alma c) CRUZES DOS PRINCIPIANTES - Apelos do mundo (dispersões, distrações, entretenimentos – televisão, conversas, bebedeiras etc.) - Potências da alma (inteligência, memória, raciocínio, fantasia, imaginação, entendimento) d) CRUZES DOS PROFICIENTES E DOS PERFEITOS - A cruz de Cristo (sofrer com Jesus pelo mundo) - Prática: O físico exige treinamento (II Timóteo 2, 1-13) e) Ação do Espírito Santo - FRUTO DA ORAÇÃO: SANTIDADE - SINAIS DE SANTIDADE: União com Deus; Compromisso com Deus; Unidade com os irmãos; Compromisso com os irmãos = Vida sacramental (prática os sacramentos com vista a tornar-se sinal de Deus). C) MISSÃO
  • 10. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 10 A primeira coisa a fazer para se ter sucesso em uma missão é conhecê-la bem. Nossa missão é divina, posto que nos é dada pelo próprio Deus e o sucesso de nossa missão está em fazer a vontade de Jesus, que nos enviou. - FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA: 1Cor 9,16 (“Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho”). 1. CONCEITO - Do latim missione. Função ou poder que se confere a alguém para fazer algo; encargo, incumbência. Obrigação, compromisso, dever a cumprir. - Sentido teológico: Vocação: do latim vocatione; ato de chamar 2. NOSSA MISSÃO  Missionário: instrumento normal da ação de Deus: Adão e Eva (Gênesis 1, 26-31; 2, 7);  Noé (Gênesis 6, 9—7,16); Abraão (Gênesis 12, 1-4a); Moisés (Êxodo 3, 4-12);  Profetas (Todos os livros proféticos); Maria (Lucas 1, 26-38); Jesus (Os quatro Evangelhos); O Espírito Santo (Atos dos Apóstolos); Os Apóstolos (Mateus 28, 18-19; Marcos 16, 15; Lucas 24, 46-48; João 20, 21); Outros discípulos; Os santos da Igreja;  Apóstolos e discípulos da modernidade (Bispos, padres, religiosos, agentes de pastoral, VOCÊ); a) Missão definida: - Importância: não perder tempo (1 Cor 9,26: Não luta como quem dá socos no ar); - Comunitária. Qual é a missão da Igreja? - Qual é missão da RCC no mundo, no Brasil, no Piauí, em sua cidade, em sua região, em seu grupo de oração, em seu Ministério? - Pessoal [Pedro pregava para os judeus, Paulo para os pagãos (Gl 2, 7-10)], e nós, para quem pregamos? Qual é sua missão? = Ef 2,10 (LER) e = At 9,15-16; 16,6-10 (LER); - Urgência da missão: * Missionários da última hora (Mt 20,6, Documentos do Papa); * O inimigo está atacando nossos irmãos (Ef 6,10-12; 1Pd 5,8-9) * A messe é grande (Mt 9,37-38) = Refletir sobre a palavra MESSE (Seara em bom estado de se ceifar. (Ceifa= colheita); * A aptidão para a missão é marcada pela prontidão (Lc 9,62) 3. PERFIL DO MISSIONÁRIO - Conceito - Contorno do rosto de uma pessoa vista de lado. Contorno, silhueta; - Algumas das características necessárias ao perfil do missionário: - Perfil ideal: O DE JESUS – Amor - Inculturação (Puebla 35-50; Mat 5,13) - Responsável (Exortação Apostólica catechese Trandendae 17);  Paciência e perseverança (II Cor 12,12; Eclo 2, 1ss);  Intimidade com Deus (Heb 11,6; I Sam 3.7; EN 71; CL 58);  Credulidade (At 2,42; EN 15; CIC 38, 108, 250, 286, 890, 1550);  Humildade (CT 6; EN 32; Gn 4, 1ss; São Vicente de Paulo => cuspiram em sua mão);  Verdadeiro (Jo 8,32; 14,6);  Praticante das bem-aventuranças (Mat 5);  Praticante dos carismas (Mc 16,20; At 4,29ss; CIC 508, 1503, 2003; Rmi 14; I Tes 1,.5);  Membro do Corpo Místico de Cristo (Jo 15,1-8; 17; Ef 5,25 - Constituição Dogmática Lumen Gentium);  Tem a visão do plano de Deus (At 9,20-30; 26,12-19; I Cor 1,17; 2, 4s; Apoc 1,11; 2,7)  Zelo pelo Evangelho (I Cor 9,16s; Luc 4, 3s.14-30; 6,12; Jo 4, 31-39; 7,3-9);  Prontidão para anunciar o Evangelho da paz (Ef 6; Jo 20,19ss);
  • 11. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 11  Fazer a Vontade de Deus; Pregar nos Grupos de Oração; Pregar onde for chamado, não escolher pregação, nem onde pregar = Animar e reanimar os irmãos (At 27, 20-25);  Aceita que Jesus seja a motivação das pessoas;  Forma outros missionários (estratégia de Jesus);  ARDOR MISSIONÁRIO;  Fonte do ardor missionário: o Espírito Santo (Atos 2, 1-41);  Jesus quer missionários ardorosos (Mateus 3, 11b; Marcos 1, 8; Lucas 3, 16; 24, 49; João 1, 33; 20, 22; Atos 1, 5.8; 2, 1-4) Deus é espírito. Em seu plano Ele decidiu necessitar de nós para executar seus decretos divinos. Sem nossa colaboração seu projeto estará prejudicado. Portanto, abramos nossos corações para entendermos nossa missão, assim como para ficarmos plenos do Espírito santo e para sermos dotados dos dons e do ardor necessários. Amem ! ATIVIDADE 01 - FIXADORA DO ENSINO Nº 01 TEMA – Formação, Oração e Missão 1 F 2 O 3 R 4 M 5 A 6 Ç 7 A 8 O 1 – É o mesmo que educar, preparar, instruir; 2 – Uma exigência da formação; 3 – É mais do que falar com Deus. É aproximar-se de Deus; 4 – Dom (gratuito), presente; Dom do Espírito Santo; 5 – Oração em que o Senhor já reina e domina co mpletamente o ciclo oracional; 6 – Sentido teológico da Missão; 7 – O Espírito Santo é a fonte desta qualidade em um missionário 8 – Foram missionários de Deus no Antigo Testamento; ATIVIDADE 02 - FIXADORA DO ENSINO Nº 01 Em sua oração p essoal medite as p assagens seguintes e anote ao lado a mensagem p rincipal que chegou ao seu coração: 1º Dia – Sexta-feira - Eclo 2,1-6 ________________________________________________________________ _ 2º Dia – Sábado - Êxodo 3, 4-12 _______________________________________________________________ _ 3º Dia – Domingo - At 15,4-31 _______________________________________________________________ 4º Dia – Segunda-feira - II Timóteo 2, 1-13 ____________________________________________________ ________ 5º Dia – Terça-feira - At 9,20-30 _______________________________________________________________ 6º Dia – Quarta-feira - Luc 4, 14-30 _______________________________________________________________ 7º Dia – Quinta-feira - At 27, 20-25 ______________________________________________________________
  • 12. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 12 ENSINO Nº 01 - FORMAÇÃO DE PREGADORES < Método de Crescimento Espiritual - FOM: > PLANO DE ENSINO OBJETIVOS: Geral: Conscientizar a importância do crescimento espiritual para um pregador Específicos: - Iniciar com ânimo o primeiro ensino despertando o interesse dos alunos; - Nortear os alunos de como vai se proceder a formação – baseado nas 03 colunas: Formação – Oração - Missão; - Estabelecer critérios para a realização da formação. CONTÉUDO Módulo – Formação de pregadores Ensino 01 - Método de Crescimento Espiritual - FOM METODOLOGIA - Oração com Espírito Santo: Eu que ro amar e u que ro ser - Acolhimento e motivação com dinâmica - Esclarecimento com dinâmica sobre a importância da Formação , Oração e Missão - Distribuição das pastas e do Ensino 01; - Desenvolvimento do Ensino com uso dos cartazes, previamente colados, com os tópicos centrais em que o ensino vai sendo montado nos mesmos com tiras, previamente preparadas, com auxilio dos alunos, Bíblia e ensino entregue. Oração final com a música – Só Por Ti Je sus. - No final enfocar a importância dos horários, da freqüência e propor as atividades. RECURSOS Bibliográficas – Bíblia, Ensino Nº 01 Áudiovisuais – Bíblia, vela, cartazes, tiras com frases e imagens AVALIAÇÃO - Participação, freqüência e atividade fixadora para a semana. ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Rote iro de Ensino de Formação 06:00 hs – Iniciar com a oração conforme a moção do Espírito Santo 06:10 hs – Iniciar com a dinâmica de apresentação e conhecimento dos participantes (vide na sequência – Dinâmica 01- Ensino nº 01); 06:15 hs – Realizar a dinâmica de introdução à Aula nº 01 (vide sequência Dinâmica 02 - Ensino nº 01) 06:20 hs – Entregar o material do Ensino nº 01 e continuar o mesmo de acordo com a Didática nº 01 do Ensino - nº 01 e concluir com oração; 07:00 hs – Tirar algumas dúvidas rápidas, em seguida entregar as atividades fixadoras para o aluno, realizar chamada de freqüência e benção final. Explicar que a atividade não é avaliativa mais de fixação do Ensino. 07:15 hs – Término da Aula.
  • 13. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 13 DIDÁTICAS DE ENSINO nº 01 Dinâmica 01- Ensino nº 01 - SOU EU - Tempo Estimado: 05 minutos - Objetivo: Nos conhecer e permitir que os outros te conheçam. - Material: Tiras de papel e caneta. - Procedimentos: O formador explica a importância de nos conhecermos pelo tempo que passaremos juntos (mesmo se já tiverem alguma convivência). Distribui as tiras de papel recortadas com espaço uma qualidade e um defeito, pede para cada um colocar uma característica que a identifique (característica física ou comportamento). Depois colocar numa caixa e pedir para outros ler , então a pessoa diz seu nome e se revela. Dinâmica 02- Ensino nº 01 - PALAVRA ILUMINADA - Tempo Estimado: 05 minutos - Objetivo: Conscientizar a importância de nós termos formação na Palavra de Deus; - Material: Uma vela e uma Bíblia. - Procedimentos: Pede-se aos alunos para fechar os olhos, apaga-se a lua, pois a iluminação do ambiente deve ser serena de modo a predominar a luz da vela, que simboliza Cristo iluminando os nossos gestos e palavras. Os participantes devem estar sentados em círculo de modo que todos possam ver a todos. Coloca-se a vela em uma mesa. O formador pede para algum aluno ler uma determina passagem bíblica (aleatória da Bíblia). Agora repassa para outra pessoa tentar ler também, (outra passagem). Este processo se realiza sucessivamente até que alguém entenda que para termos conhecimento da Palavra é preciso buscar em Jesus, esta iluminação, representada pela vela, é mais fácil de ler. Quando o consenso é alcançado apaga-se a vela. Por último pode-se comentar a importância da Luz (Cristo) em todos e a necessidade da formação. Didática 01- Aula nº 01  Tempo Estimado:40 minutos  Objetivo: - Esta didática consiste em nortear os alunos de como vai se proceder o Curso, por ser uma aula com muito conteúdo esta auxilia na ordem do ensino;  Material:Papel , fita adesiva, pincel, tiras e imagens com palavras referentes ao ensino;  Procedimentos: Antecipadamente o formador deve escrever com pincel ou montar o seguinte cartaz,deixando o mesmo já afixado na parede:  Ensino:Primeiramente explica os tópicos centrais e à medida que for acontecendo o ensino vai explicando o conteúdo do ensino. Para facilitar deverão confeccionadas algumas tiras com palavras chaves e imagens do conteúdo, já com fitas adesivas atrás que deverão estar espalhadas no chão mais que iram sendo colocados nos seus devidos lugares durante o ensino, pelos próprios alunos, acompanhando o Material do Ensino nº 01 , entregue aos mesmos.  Orienta-se o formador ler o ensino pelo menos 02 vezes e quando tiver dúvidas, entendendo e memorizando, o mesmo, pois facilita o repasse do ensino, pode-se estar com apostila em mãos, mas ficar lendo constantemente não é muito bom, por isto a didática.  Esta didática pode e deve ser inculturada e aperfeiçoada. E N SI N O N º 01 - FORM AÇÃO DE PRE GADORE S < M éto d o d e Cres cim en to E s p iritu a l - FOM : Formação = Oração = Missão =
  • 14. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 14 ENSINO Nº 02 A) A Pregação no Grupo de Oração A pregação no grupo de oração é um assunto que há muito tempo nos desafia, pregação é um desafio: 1º - Devido às nossas próprias limitações. Somos limitados em santidade, testemunho, formação bíblica, formação doutrinária e capacitação técnica para a comunicação. 2º - Porque a dinâmica do grupo é bastante exigente. o pregador tem somente de dez a quinze minutos para anunciar o evangelho com eficácia; 3º - Porque o grupo recebe toda espécie de filhos de Deus. No G.O vão pessoas equilibradas, saudáveis, bem encaminhadas na vida, que talvez buscam somente respostas para seus anseios espirituais. junto com elas vão pessoas doentes do espírito, da alma e do corpo. Estas, além de necessitarem de ajudas espirituais, necessitam, em primeira mão, de soluções para depressão, desesperança, compulsão para suicídio, cefaléias, cardiopatias, doenças renais, nevralgias, muitas vezes curadas pela proclamação da Palavra. FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA: Marcos 4, 14-20 (A Parábola do Semeador) Seria ilusão ignorar os problemas relacionados com a humanidade dos freqüentadores do grupo de oração, para levar-lhes somente um ensinamento doutrinário, ainda que fosse perfeito do ponto de vista teológico. Tal atitude excluiria quase cem por cento das pessoas. O que fazer, então? Para começar, poderíamos seguir o exemplo de Jesus. No seu tempo o povo sofria de males semelhantes aos que nos acometem nos dias de hoje. Certa vez ele estava pregando na entrada do templo, para ovelhas sem pastor, mais ou menos como as que vão ao grupo de oração. Ele não perdeu tempo com rodeios, utopias, ou outros devaneios. Foi direto às suas necessidades, pois sabia que buscavam soluções reais para problemas que as afligiam diariamente. E elas iam a Jesus porque sempre recebiam o que buscavam. Jesus tinha um jeito especial de atender a cada uma. Naquele dia, em especial, as autoridades do templo ficaram muito indignadas com os frutos da pregação do Senhor (Jo 7,28-47), pois inúmeras pessoas acreditavam nele, e muitas já pensavam que ele deveria ser o Cristo, o prometido do Pai, por isso enviaram soldados para prendê-lo. Os soldados o encontraram pregando ainda na porta do templo, e o ouviram dizer, entre outras coisas: “Se alguém tiver sede, venha a mim e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura: Do seu interior manarão rios de água viva”. Após a pregação, juntamente com muitos outros ouvintes, ficaram impressionados com o que ouviram, voltaram sem prender Jesus e disseram às autoridades: “Jamais homem algum falou como este homem!...” Que pregação! Até os soldados que foram prendê-lo desistiram da tarefa, após ouvi-lo. Jesus pregou eficazmente. Despertou a fé nos ouvintes e apontou-lhes a salvação, isto é, ele mesmo; abriu-lhes o coração para que recebessem as soluções que necessitavam. É que Ele pregava a verdade de maneira simples, direta e ardorosa. Sua pregação era querigmática. Até quando exortava os fariseus era para que voltassem à razão e se convertessem. Pregações querigmáticas são todas aquelas relacionadas com os seguintes temas: o amor de Deus, o pecado, a salvação, a fé, a conversão, o Espírito Santo e a comunidade, como fruto do Espírito Santo. Mas a pregação querigmática, por si só, não é garantia de eficácia. Para produzir fruto, ela deverá também ser ungida, ardorosa e entendida por quem dela necessitar. Como foi a pregação de nosso Senhor Jesus Cristo, deverá ser a nossa.
  • 15. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 15 A pregação é um dos quatro principais ministérios. Pregar é anunciar a palavra de Deus com autoridade e ousadia, anunciando o reino de Jesus a toda criatura. O pregador mais do que conhecimento da palavra deve vive-la e amá-la, desejando que seus ouvintes também a vivam e sejam transformados por ela, por isso o foco principal é Jesus e não quem prega, portanto seria um erro exercer esse ministério com o intuito de atrair a atenção para si. Anunciar a palavra é uma graça, porém um ministério que traz conseqüências, pois cabe ao pregador anunciar, denunciar e exortar e isso incomoda aqueles que não vivem nos caminhos do Senhor, gerando perseguições e desprezo. “Lembrai-vos da palavra que vos disse: O servo não é maior do que o seu senhor. Se me perseguiram, também vos hão de perseguir. Se guardaram a minha palavra, hão de guardar também a vossa.” (Jo 15, 20). O Ministério de Jesus é todo permeado pela pregação da palavra e também de perseguições e nesta passagem Jesus deixa claro que não é o servo maior que Senhor. Portanto não devemos nos preocupar se estamos sendo perseguidos por causa do nome do Senhor, mas nos alegrarmos por anunciarmos a verdade que liberta. B) O Glorioso Ministério de pregação FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA: I Tessalonicenses 2:1-13 (digitada somente para o formador para praticar a didática de ensino, para completar os espaços com os alunos): 1- Porque vós mesmos sabeis, irmãos, que a nossa entrada entre vós não foi vã; 2- mas, havendo anteriormente padecido e sido maltratados em Filipos, como sabeis, tivemos a confiança em nosso Deus para vos falar o evangelho de Deus em meio de grande combate. 3- Porque a nossa exortação não procede de erro, nem de imundícia, nem é feita com dolo; 4- mas, assim como fomos aprovados por Deus para que o evangelho nos fosse confiado, assim falamos, não para agradar aos homens, mas a Deus, que prova os nossos corações. 5- Pois, nunca usamos de palavras lisonjeiras, como sabeis, nem agimos com intuitos gananciosos. Deus é testemunha, 6- nem buscamos glória de homens, quer de vós, quer de outros, embora pudéssemos, como apóstolos de Cristo, ser-vos pesados; 7- antes nos apresentamos brandos entre vós, qual ama que acaricia seus próprios filhos. 8- Assim nós, sendo-vos tão afeiçoados, de boa vontade desejávamos comunicar-vos não somente o evangelho de Deus, mas ainda as nossas próprias almas; porquanto vos tornastes muito amados de nós. 9- Porque vos lembrais, irmãos, do nosso labor e fadiga; pois, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós, vos pregamos o evangelho de Deus. 10- Vós e Deus sois testemunhas de quão santa e irrepreensivelmente nos portamos para convosco que credes; 11- assim como sabeis de que modo vos tratávamos a cada um de vós, como um pai a seus filhos, 12- exortando-vos e consolando-vos, e instando que andásseis de um modo digno de Deus, o qual vos chama ao seu reino e glória. 13- Por isso nós também, sem cessar, damos graças a Deus, porquanto vós, havendo recebido a palavra de Deus que de nós ouvistes, a recebestes, não como palavra de homens, mas (segundo ela é na verdade) como palavra de Deus, a qual também opera em vós que credes.
  • 16. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 16 Neste texto o apóstolo Paulo nos esclarece acerca de dois aspectos que distinguem o ministério da pregação do Evangelho do Reino de Deus: é a tarefa mais difícil e árdua dentre todos os labores do mundo; é o trabalho mais gratificante e glorioso que se pode fazer neste mundo! Ao mesmo tempo que deixa claro as dificuldades e desafios que enfrenta um pregador, esclarece também a gratificação que este colhe quando cumpre bem o seu ministério. Aprendamos, então, acerca deste difícil mais glorioso ofício com o relato do querido servo do Senhor Jesus: a) O MINISTÉRIO DA PREGAÇÃO É ÁRDUO COMO A LUTA DE UM SOLDADO No Versículo 02 “havendo anteriormente padecido e sido maltratados em Filipos, como sabeis, tivemos a confiança em nosso Deus para vos falar o Evangelho de Deus em meio de grande combate”. Atos, capítulo 16 narra as dificuldades enfrentadas por Paulo e Silas em Filipos. No capítulo 17 encontramos as informações que Paulo aqui considera conhecidas dos tessalonisences. Durante três semanas pôde pregar na sinagoga daquela cidade. Alguns judeus creram, muitos gentios e muitas mulheres de posição (At 17:4). Isto gerou ciúmes e mobilizou uma multidão de judeus enfurecidos e de “homens maus e vadios”. Paulo e Silas deixaram Tessalônica de noite, evitando as represálias dos enfurecidos judeus. Foram-se para Beréia. Ser pregador é ser soldado da linha de frente! II Tm 2:3-4 “Sofre comigo como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado em serviço se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra.” II Tm 4:7 (o soldado que encerra a carreira) “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.” b) O PREGADOR PRECISA RESISTIR ÀS TENTAÇÕES ESPECÍFICAS DO MIN.: i. a tentação de querer ser agradável aos homens: Versículo 04 “assim falamos não para agradar aos homens, mas a Deus, que prova os nossos corações” Jeremias 28: Hananias X Jeremias. Ambos profetizam na casa do Senhor, na presença dos sacerdotes e de todo o povo. Hananias afirma: “Assim fala o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel: Eu quebrarei o jugo do rei da Babilônia. Dentro de dois anos, eu tornarei a trazer a este lugar todos os utensílios da casa do Senhor... bem como todos os cativos...” Nos versículos 15 e 16 Jeremias profetiza ao profeta Hananias: “Ouve agora, Hananias, o Senhor não te enviou, mas tu fazes que este povo confie numa mentira. Pelo que assim diz o Senhor: eis que te lançarei de sobre a face da terra. Este ano morrerás, porque pregaste rebelião contra o Senhor”. (dois meses depois este morreu). - evitando assuntos que incomodam; - rebaixando padrões morais estabelecidos na Bíblia, etc. - usando palavras lisonjeiras (vs. 5a) ii. a tentação de agir com intuitos gananciosos (5b) “nem agimos com intuitos gananciosos” Paulo fala do seu labor dia e noite (talvez fazendo tendas) para não serem pesados aos crentes. Estavam prontos a compartilharem suas próprias vidas! I Pedro 5:2 “apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, não por força, mas espontaneamente segundo a vontade de Deus; nem por torpe ganância, mas de boa vontade” iii. a tentação de buscar glória de homens (6) “nem buscamos glória de homens”; Lc 6:26 “Ai de vós quando todos os homens vos louvarem! Porque assim faziam os seus pais aos falsos profetas”.
  • 17. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 17 c) O PREGADOR PRECISA RECONHECER QUE SEU CARÁTER É SEU BEM MAIS PRECIOSO! v. 10 “vós e Deus sois testemunhas de quão santa e irrepreensivelmente nos portamos para convosco que credes...” Pv 22:1 “Mais digno de ser escolhido é o bom nome do que muitas riquezas...” Ec 7:1 “Melhor é o bom nome do que o melhor ungüento...” Uma citação usada por um aluno, de um comentário de A. N. Mesquita: “O que me rouba a bolsa, rouba um pedaço de pano, mas o que me rouba o meu bom nome, rouba-me do que mais me enriquece e deixa-me inteiramente pobre.” d) O PREGADOR DEVE DESEMPENHAR BEM OS TRÊS OBJETIVOS DA PREGAÇÃO: v. 12 “exortando-vos e consolando-vos, instando que andásseis de um modo digno de Deus...” i.“exortando”: encorajar para uma determinada linha de comportamento; ii.“consolando”: encorajar a continuar num tipo de conduta; iii. “instando”: convocar para testemunhar, convocar solenemente. Conclusão: quão difícil, porém gloriosa é a tarefa de pregar o evangelho. O vs. 13 expressa esta dupla característica: “...havendo recebido a palavra de Deus que de nós ouvistes, a recebestes, não como palavra de homens, mas como palavra de Deus, a qual também opera em vós que credes.
  • 18. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 18 ATIVIDADE 01 - FIXADORA DO ENSINO Nº 02 TEMAS – A Pregação no G. de Oração e o Glorioso Ministério de Pregação Relacionar os versículos com a passagem bíblica conforme a Atividade feita no Ensino nº 02 FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA: I Tessalonicenses 2,1-13 ( 01) ( 02) ( 03) ( 04) ( 05) ( 06 ) ( 07 ) ( 08 ) ( 09 ) ( 10 ) ( 11 ) ( 12 ) ( 13 ) ATIVIDADE 02 - FIXADORA DO ENSINO Nº 02 Em sua oração pessoal medite as passagens bíblicas seguintes e anote ao lado a mensagem principal que chegou ao seu coração: 1º Dia – Sexta-feira - Mc 1,14-20 ____________________________________ 2º Dia – Sábado - Mt 25,31-46 ____________________________________ 3º Dia – Domingo - Ef 1,3-14 ____________________________________ 4º Dia – Segunda-feira - Mc 11, 1-11 _________________________________ 5º Dia – Terça-feira - Jo 12,1-8 ____________________________________ 6º Dia – Quarta-feira - Mt 26, 17-29 ____________________________________ 7º Dia – Quinta-feira - Jo 18, 19-37 ___________________________________ ( ) Deus para vos falar o evangelho de Deus em meio de grande combate. ( ) desejávamos comunicar-vos não somente o evangelho de Deus, ( ) que a nossa entrada entre vós não foi vã; ( ) como um pai a seus filhos, ( ) Porque a nossa exortação não procede de erro, ( ) Mas, assim como fomos não para agradar aos homens, ( ) havendo recebido a palavra de Deus que de nós ouvistes, a recebestes, não como palavra de homens, mas (segundo ela é na verdade) como palavra de Deus. ( ) Pois, nunca usamos de palavras lisonjeiras, ( ) quão santa e irrepreensivelmente ( ) embora pudéssemos, como apóstolos de Cristo, ( ) vos chama ao seu reino e glória. ( ) antes nos apresentamos brandos entre vós ( ) labor e fadiga;
  • 19. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 19 ENSINO Nº 02 - PLANO DE ENSINO OBJETIVOS: Geral: Conscientizar a importância do Ministério de Pregação Específicos: - Despertando o interesse dos alunos pelo anúncio da Palavra; - Mostrar as bênçãos, as dificuldades e as surpresas da Pregação: CONTÉUDO Módulo – Formação de pregadores Ensino 02 - A Pre gação no Grupo de Oração e o Glorioso Ministério de Pregação METODOLOGIA - Oração com Espírito Santo: Batiza-me, Fe cunda-me, Se nhor, com Teu Espírito (Flavinho) - Acolhimento - Distribuição do Ensino nº 02 aos alunos; - Desenvolvimento do Ensino com uso da Dinâmica da Semente, cartazes, previamente colados, com os tópicos centrais em que o ensino e uso de folha anexa para entendimento da leitura , com auxilio dos alunos, Bíblia e ensino entregue. Oração final com a música – Nossa Missão. - No final enfocar a importância dos horários, da freqüência e propor as atividades. RECURSOS Bibliográficas – Bíblia, Ensino Nº 02, folha com espaços em branco. Áudiovisuais – Bíblia, vasilhas com semente, copinhos com areia, cartazes, AVALIAÇÃO - Participação, freqüência e atividade fixadora para a semana. ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Rote iro de Ensino de Formação 06:00 hs – Iniciar com a oração conforme a moção do Espírito Santo 06:10 hs – Realizar a dinâmica de introdução à Ensino nº 02 (vide sequência Dinâmica 01 - Ensino nº 02) 06:20 hs – Entregar o material do Ensino nº 02 e continuar o mesmo de acordo com a Didática nº 01 do Ensino - nº 02 e concluir com oração; 07:00 hs – Tirar algumas dúvidas rápidas, em seguida entregar as atividades fixadoras para o aluno, realizar chamada de freqüência e benção final. Explicar que a atividade não é avaliativa mais de fixação do Ensino. 07:15 hs – Término da Aula.
  • 20. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 20 DIDÁTICAS DE ENSINO nº 02 Dinâmica 01- Ensino nº 02 - SEMEANDO A PALAVRA - Tempo Estimado:05 minutos - Objetivo: Conhecer a importância da lançar a SEMENTE (a Palavra); - Material: - Sementes de feijão ou outro tipo em uma vasilha transparente; copos descartáveis com areia normal, outros com areia com pedra, mais ou menos 20. – Trazer numa caixa. - Procedimentos:Mostrar as sementes aos alunos e pedir que cada um pegue apenas uma semente de dentro da vasilha. Deixar que tentem separar entre todos os grãos apenas uma semente. Perguntar: Foi fácil ou difícil pegar um único grão de semente entre tantos. Por que? Qual o valor de um grão de semente? Tem alguma utilidade? Pedir para guardarem a semente. Vamos descobrir hoje. Fazer a leitura ou pedir alguém – Fundamentação Bíblica - Marcos 4, 14-20 (A Parábola do Semeador). Refletir com os alunos a Leitura e no fim da leitura entregar os copinhos com areia e pedir para eles semearem e levarem pra casa, e eles procurarem cuidar da semente para que no fim do Curso tragam e mostrem seus frutos. Didática 01- Ensino nº 02  Tempo Estimado:45 minutos  Objetivo: - Mostrar as bênçãos e dificuldades da Pregação  Material:Papel madeira , fita adesiva, pincel, conteúdo referentes ao ensino; folhas com espaços em branco;  Procedimentos: Antecipadamente o formador deve escrever com pincel ou montar 02 cartazes,deixando os mesmos já afixados na parede;  Ensino: a) O conteúdo da primeira parte - A Pregação no Grupo de Oração – no primeiro cartaz; apresentar e explicar os tópicos em negrito e sublinhados no Ensino nº 02; b) O conteúdo da segunda parte - O Glorioso Ministério de Pregação – Transcrever a Fundamentação bíblica I Tessalonicenses 2:1-13 e propor a atividade de completar a folha com espaços em branco. b) Orienta-se o formador ler o ensino pelo menos 02 vezes e quando tiver dúvidas, entendendo e memorizando, o mesmo, pois facilita o repasse do ensino, pode-se estar com apostila em mãos, mas ficar lendo constantemente não é muito bom, por isto a didática. c) Esta didática pode e deve ser inculturada e aperfeiçoada.
  • 21. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 21 ATIVIDADE DE ENSINO Nº 02 FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA: I Tessalonicenses 2:1-13 1- Porque vós mesmos sabeis, irmãos, que a nossaentrada entre vós não foi vã; 2- mas, havendo anteriormente padecido e sido maltratados em Filipos, como sabeis, ____________________________________________________________. 3- Porque ____________________________________________erro, nem de imundícia, nem é feita comdolo; 4- mas, assim como fomos __________________________________________ para que o evangelho nos fosse confiado, assim _____________________________________,não para agradar aos homens, mas a Deus, que prova os nossos corações. 5- Pois, _____________________________________________, como sabeis, ________________________________________________. Deus é testemunha, 6- ________________________________________________, quer de vós, quer de outros, embora pudéssemos, como apóstolos deCristo, ser-vos pesados; 7- antes nos apresentamos brandos entre vós, ________________________________________________________________. 8- Assim nós, sendo-vos tão afeiçoados, de boa vontade desejávamos comunicar- vos não somente o evangelho de Deus, _____________________________________________________; porquanto vos tornastes muito amados de nós. 9- Porque vos lembrais, irmãos, do nosso ________________________________; pois, ____________________________________________________________, para não sermos pesados a nenhum de vós, vos pregamos o evangelho de Deus. 10- Vós e Deus sois testemunhas de __________________________________________________________quecredes; 11- assim como sabeis de que modo vos tratávamos a cadaum de vós, __________________________________________________________________. 12- _______________________________________________________________, e instando que andásseis de um modo digno de Deus, o qual vos chama ao seu reino e glória. 13- Porisso nós também, sem cessar, damos graças a Deus, porquanto vós, ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ ____________________,mas (segundo ela é na verdade) como palavra de Deus, a qual também opera em vós que credes.
  • 22. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 22 ENSINO Nº 03 FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA: Deuteronômio 26,16-19 A) Características do Perfil do Pregador O pregador é uma pessoa de fé e de oração; batizada no espírito (cf. At 9, 17); conduzida pelo Espírito (cf. At 16, 6-10); paciente e perseverante diante das perseguições (cf. At 5, 41); que testemunha a ressurreição de Jesus; que é membro do Corpo Místico de Cristo; que está inserida na realidade de seu povo, que é responsável, íntima de deus, de coração simples; é pessoa que tem a visão do plano de Deus (Ef 3, 17-19; Gal 1, 15-16), o zelo pelo Evangelho. O pregador leva as pessoas a Jesus, busca o dom da fé, ama e perdoa as traições e perseguições dos irmãos, aceita e pratica os dons carismáticos, prega com o poder no espírito, vive o que prega, fala a verdade, busca a formação. Reflexão: Como você tem reagido diante das características acima? A) O Pregador é inserido na realidade de seu povo Como profeta que anuncia a Boa Noticia do reino do Pai, mas também que denuncia as más noticias que afligem os filhos de Deus, o pregador não se aliena com a realidade que o cerca, mas vive engajado no meio social em que está. Com sabedoria e equilíbrio, pauta seu viver pela palavra de Deus, testemunhando Jesus em todos os lugares. O pregador deve estar inserido da realidade de sua assembléia: prostituição, pobreza, desemprego, corrupção, falta de esperança. Para que sua pregação console, edifique e exorte de uma maneira mais eficaz. B) O Pregador é responsável, paciente e perseverante O pregador tem de ter responsabilidade para preparar com antecedência suas pregações, para assumir uma formação permanente, para ser fiel aos compromissos assumidos, tudo fazendo por meio da oração pessoal, do jejum, da participação dos sacramentos, da penitencia. Antes mesmo dos outros sinais, como os prodígios, os milagres, a paciência pode aparecer como o primeiro sinal que confirma o ministério do pregador. É preciso perseverar no serviço com paciência sabendo esperar o momento exato da hora de Deus. E isso é um dom do Espírito Santo. C) O Pregador é intimo de Deus É impossível amar alguém sem conhecê-lo. É necessário que haja uma proximidade muito grande que faça nascer a intimidade que vai proporcionar o conhecimento, a confiança, fortalecendo, assim a amizade. Assim é também com Deus, precisamos ter intimidade com ele e isto não acontecerá sem não sentarmos aos Seus pés, senão ficarmos com Ele, se não nos relacionarmos com Ele. Para podermos fazer a vontade do Senhor, como pregadores, precisamos ter vida de oração. Somente ficando com Ele, poderemos amá-lo, escutá-lo, conhecê-lo e assumir como nosso os seus planos de amor. Corremos o risco de fazer igual a Samuel (I Samuel 3, 1-10), servir ao Senhor sem escutá-lo, sem saber qual é a sua vontade. Samuel já servia ao Senhor, mas não O conhecia de fato. Faz-se necessário ser intimo do Senhor para que sua vontade seja realizada em plenitude.
  • 23. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 23 D) O pregador é pessoa de fé O pregador tem de ter uma fé madura que o leve à adesão incondicional a Deus e que o faça amar a Igreja de Jesus Cristo com tudo o que ela tem. Não se conhece um pregador que tenha dúvidas quanto à Doutrina Apostólica, resistência em obedecer a hierarquia da Igreja, resistência quanto aos dogmas da Igreja, tendências cismáticas ou heréticas. Não podemos pregar o que achamos, temos de pregar o que Deus revelou nas escrituras, sob o discernimento da Igreja. O pregador teve ter o cuidado para não cair na livre interpretação e distorcer a mensagem da palavra de Deus. Deve-se portanto ter zelo e amor pela palavra fonte da nossa fé. E) O Pregador é Homem de Bem-Aventuranças Em Mateus 5, encontramos traços bem delineados que precisam estar marcados no pregador: Coração pobre: Deus é a única riqueza do pregador e ele não o troca por nada. O Pregador que tem coração de pobre está sempre disposto a aprender, a ouvir outros pregadores, nunca está cheio de si porque tudo o que faz é para a glória do Senhor. Aquele que chora: o pregador é aquele que fala movido pela compaixão do povo que sofre, que chora junto com o povo, que não fica alheio aos seus sofrimentos e angustias. Através da pregação repleta de unção: ampara, consola, exorta e ama esse povo no Senhor. É manso: o pregador sabe ser dócil, compreensivo, carinhoso, manso em qualquer situação, sem perder sua postura de pregador. É misericordioso, tem o coração puro, é justo. É pacifico: ser pacifico não significa ser fraco, mas saber lidar com as situações de brigas, de ressentimentos, de desamor, para que se restaure a harmonia, a paz, o perdão e o amor. F) O Pregador usa dos carismas “Em verdade, em verdade vis digo: aquele que crê em Mim fará as obras que eu faço, e fará ainda maiores do que estas, porque vou para junto do Pai”. (Jô 14, 12) G) O pregador é membro do corpo místico de Cristo O pregador que é intimo de Cristo, torna-se membro Seu, onde Cristo é a cabeça e nós somos os membros. Pelo nosso batismo, crisma e eucaristia, já somos membros de cristo, porém é necessário tomar posse e aprofundar-se na mística de Jesus. H) O Pregador tem visão do Plano de Deus O Conhecimento do plano de Deus apresenta-se em duas partes que se completam: uma, no sentido geral, já revelada na Sagrada Escritura: a outra, em caráter particular, diz respeito à vontade de Deus para o pregador. Neste Jesus revela ao pregador o que ele deve fazer qual sua missão pessoal no contexto do plano geral.
  • 24. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 24 B) Forjando e Avaliando nosso perfil de Pregador FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA: Felipenses 3, 17-21- Jesus é o modelo perfeito e possui o perfil ideal de pregador. Em seguida Paulo, Àpolo, etc. Igualar-se a Jesus é tarefa sobre-humana. Quase tão difícil é assemelhar-se a Paulo ou Apolo. É necessário, porém, que busquemos possuir um perfil semelhante ao deles para que, através da força do Espírito Santo, possamos dizer como São Paulo: “Não pretendo dizer que já alcancei (esta meta) e que cheguei à perfeição. Não. Mas eu me empenho em conquistá-la, uma vez que também eu fui conquistado por Jesus Cristo.” (Fil 3, 12). A sagrada Escritura fornece o caminho que devemos percorrer para a formação do nosso perfil: Caminho da cruz e da renuncia de si mesmo (Mt 16, 24), da consagração total (Lc 1, 15; 3, 2; Jô 3, 30), da conversão (At 9, 6) e da busca da santidade: 1. Caminho da Cruz e da Renuncia Aceite a cruz em si mesmo com tudo o que ela significa, a começar pela própria negação de si, vai contra as fibras mais profundas do nosso ser. Não aceitar a sua cruz significa não aceitar Jesus como seu Senhor. Por isso essa aceitação é dom do Espírito Santo, pois não podemos efetivá-la somente com nossos esforços. 2. Consagração Total A consagração é necessária para que haja espaço em nossa vida para ação do Espírito Santo. Sem a consagração não há porque moldar o perfil do pregador ao perfil de Jesus. 3. Conversão e Busca da Santidade É o Espírito Santo quem dá a graça da mudança interior (metanóia), seja nas emoções (exterior), nos sentimentos (interior) ou mesmo na maneira de pensar, julgar e agir. Veremos alguns critérios para avaliar o nosso perfil, para podermos inclusive, saber onde nos empenharmos com mais esforço. Esses critérios são: amor, prontidão, aceitar que Jesus seja a motivação das pessoas e formar outros pregadores. a) Amor: O amor é marca mais sublime do perfil do pregador. Jesus olhava para a multidão e simplesmente amava com seu olhar, suas palavras eram carregadas de profundo amor e compaixão. Jesus curava pelo amor, libertava pelo amor. O Pregador também precisa amar, porém de uma maneira mais profunda, não basta amar como a si mesmo, o pregador tem de amar como Jesus amou e ama. O pregador não pode deixar de amar alguém pela sua condição social, cultural ou intelectual, ou ainda por brigas, desavenças ou divisões. O Pregador deve ser aquele que dá o primeiro passo, pois ele não prega somente com as palavras, mas também com o testemunho; b) Prontidão: O Pregador tem de estar sempre disposto para anunciar a palavra do Senhor. Renunciar a própria vontade ou interesses, para proclamar com ousadia, autoridade, intrepidez. Nunca colocar obstáculos devido às deficiências de estrutura física em certos lugares, deve-se sem dúvida, planejar o local afim de que o ambiente seja o melhor possível para anunciar a palavra. Não escolher lugares por conveniências, o pregador deve ir onde for solicitado para que todos escutem o anuncio do Senhor. c)Aceita que Jesus seja a motivação das pessoas: Ás vezes, o pregador cai em armadilhas invisíveis. Uma delas é a tentação de querer para si a glória que pertence a Jesus. Isso acontece quando o pregador deseja o reconhecimento de seus méritos. O pregador deve agradecer a Jesus tanto pelos elogios como pela sua falta, aceitando com mansidão e afabilidade as críticas recebidas seja do coordenador, ou da comunidade que confirma; d) Forma outros pregadores: A opção pastoral de Jesus foi formar discípulos que fossem capazes de continuar sua missão. Jesus formou discípulos pregadores, se assim não fosse a mensagem do Evangelho não teria atravessado dois mil anos. É importante que o pregador tenha consciência da necessidade formar outros pregadores e se empenha neste trabalho. “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura” (Mac 16, 15)
  • 25. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 25 ATIVIDADE 01 - FIXADORA DO ENSINO Nº 03 TEMAS – Características do Perfil do Pregador e Forjando e Avaliando nosso perfil de Pregador Encontrar no CAÇA-PALAVRAS àquelas que trazem características cristãs no Perfil de um Pregador. V Y Z V V I S A O D E D E U S Q A Z B U O F U Q S A B E D O R I A W S O G H C R H E O A S D F G H J J K I L S H X G A R U Q Y W W W L Q P R R S R J C B G C S A R S D E K E B G D X F O R M A C A O F C F D G I J B R D R J U P E R D O A C V F L F F M D F A B Z N R K O A S B H I N G G P F G G A B G S J E S D H U G M B S N S H H T N D T H R D K Q I H S B V N R B V I M Z E G G R E S P O N S A V E L H Z E L O F E D P U O I D O O E N V H A M X P P Q F T F Y N R T I R U C P D J D P E R S E V E S A N T E N W C A T F O N A G S S Y E I A F R C Q O P C N Y I Q G T D G R U S G D I A N E H I H T E H E G F I T I N F A S S T O M E E R I M F D D F J O E R E A Q R L H N D U U H R O D C V R D R G C A H F C T T N V A Y I G N N F T R C I G D I E E H N O F A D V F S Y A V O F E A S A A O I R E S O N E U C A R I S M A T I C O D R D A R S I A G O D A D S A A O I S T E X N D O O W P S S F Q P R O N T I D A O G P I E K A D G A S T Y T A U H G C S Z Dica: São 23 características e se encontram no Ensino Nº 03 . ATIVIDADE 02 - FIXADORA DO ENSINO Nº 03 Em sua oração pessoal medite as passagens bíblicas seguintes e anote ao lado a mensagem principal que chegou ao seu coração: 1º Dia – Sexta-feira - Rm 10,8-13 ____________________________________________ 2º Dia – Sábado - Mt 5,43-48 ___________________________________________ 3º Dia – Domingo - Dt 30,15-20 ___________________________________________ 4º Dia – Segunda-feira - Is 58,1-9 ____________________________________________ 5º Dia – Terça-feira - Lc 2,22-32 ___________________________________________ 6º Dia – Quarta-feira - I Cor. 15,1-4 __________________________________________ 7º Dia – Quinta-feira - Lc 4,1-13 __________________________________________
  • 26. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 26 ENSINO Nº 03 - PLANO DE ENSINO OBJETIVOS: Ge ral: Levar o conhecimento das características que um bom Ministro de Pregação deve possuir; Específicos: - Trabalhar as características cristãs do Pregador; - Estimular os alunos a se avaliar e obter as características do bom pregador. CONTÉUDO Módulo – Formação de pregadores Ensino 03 - Características do Perfil do Pregador e Forjando e Avaliando nosso perfil de Pregador METODOLOGIA - Oração com Espírito Santo: Espírito, Espírito Santo de Deus (Padre Marcelo) - Acolhimento - Distribuição do Ensino nº 03 aos alunos; - Desenvolvimento do Ensino com uso da Dinâmica das Balas, cartazes, previamente colados, com os tópicos centrais em que o ensino, uso das partes corporais , com auxilio dos alunos, Bíblia e ensino entregue. Oração final com a música – Um Consagrado Para Amar - No final enfocar a importância dos horários, da freqüência e propor as atividades. RECURSOS Bibliográficas – Bíblia, Ensino Nº 03. Áudiovisuais – Bíblia, balas com mensagens, partes de corpo em papel, cartazes, AVALIAÇÃO - Participação, freqüência e atividade fixadora para a semana. ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Rote iro de Ensino de Formação 06:00 hs – Iniciar com a oração conforme a moção do Espírito Santo 06:10 hs – Realizar a dinâmica de introdução à Ensino nº 03 (vide sequência Dinâmica 01 - Ensino nº 03) 06:20 hs – Entregar o material do Ensino nº 03 e continuar o mesmo de acordo com as Didática nº 01 e 02 do Ensino - nº 03 e concluir com oração; 07:00 hs – Tirar algumas dúvidas rápidas, em seguida entregar as atividades fixadoras para o aluno, realizar chamada de freqüência e benção final. Explicar que a atividade não é avaliativa mais de fixação do Ensino. 07:15 hs – Término da Aula.
  • 27. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 27 DIDÁTICAS DE ENSINO nº 03 Dinâmica 01- Ensino nº 03 - OS DONS QUE NECESSITO - Tempo Estimado:05 minutos - Objetivo: Conscientizar dos DONS e CARACTERÍSTICAS para ser pregador da Palavra; - Material: - Balas acompanhada com uma mensagem/característica na quantidade de pessoas; - Procedimentos:O formador deve pedir que os integrantes fechem os olhos e também, se tiver, ao instrumentista tocar suavemente uma melodia. Em seguida deve começar a contar a estória de um pássaro muito belo e capaz de vôos muito altos, por lugares muito bonitos, que está trazendo uma surpresa para eles. O relato deve começar por lugares distantes, com uma descrição detalhada da beleza destes lugares e de como eles fazem parte do plano de Deus. Aos poucos o pássaro deve se aproximar do local da formação, sempre se destacando a perfeição e a beleza de todos os lugares. Por fim, o pássaro chega no local da reunião com uma surpresa para cada integrante. Estes podem então abrir os olhos e cada um verá a sua frente uma bala. O relato deve ser bem trabalhado e dar tempo para que todas as balas sejam devidamente colocadas próximo aos alunos. Para isso, o formador deve se locomover durante o relato. E para garantir os resultados da dinâmica, as balas não podem ser vistas pelos alunos antes do final do relato. Após abrirem os olhos, os integrantes devem abrir suas balas e encontra a surpresa trazida pelo pássaro. Então devem ser colocados os seguintes questionamentos ao grupo: * O que você esperava que fosse trazido pelo pássaro para você? * De que forma você pensa que está inserido no plano de Deus? O que te espera no futuro? * O que VOCÊ está construindo na sua vida, que é um todo indivisível?. Pede um a um pra ir lendo a mensagem dentro da bala, que estarão de acordo com a formação. E direcionar isto para o início do Ensino Nº 03. OBS.: As balas devem possibilitar que as mensagens possam ser colocadas e podem depois serem chupadas pelos alunos. Didática 01- Ensino nº 03  Tempo Estimado:30 minutos  Objetivo: - Apresentar as principais características cristãs do Pregador  Material:Papel madeira , fita adesiva, pincel, conteúdo referentes ao ensino;  Procedimentos: Antecipadamente o formador deve afixar um cartaz em branco na parede; antecipadamente deverá também preparar partes do corpo de uma pessoa simbolizando O PREGADOR. Nessas partes corporais deve-se conter as características do pregador , contidas no Ensino. Procurar montar o PERFIL DO PREGADOR a partir dessas características que serão coladas no cartaz com a ajuda dos alunos. À medida que se apresenta uma característica, vai-se explicando o Ensino. b) Ensino: O conteúdo da primeira parte – Características do Pregador – apresentar e explicar os tópicos em negrito e sublinhados no Ensino nº 03;  Orienta-se o formador ler o ensino pelo menos 02 vezes e quando tiver dúvidas, entendendo e memorizando, o mesmo, pois facilita o repasse do ensino, pode-se estar com apostila em mãos, mas ficar lendo constantemente não é muito bom, por isto a didática. d) Esta didática pode e deve ser inculturada e aperfeiçoada. Didática 02- Ensino nº 03  Tempo Estimado:15 minutos  Objetivo:- Procurar avaliar o perfil do Pregador  Material:- Papelmadeira, fita adesiva, pinceis, conteúdo referentes ao ensino;  Procedimentos:Antecipadamente o formador deve montar 01 cartaz,deixando o mesmos já afixados na parede; a) Ensino: O conteúdo da segunda parte – Avaliando e Forjando o Perfil do Pregador apresentar e explicar os tópicos em negrito e sublinhados no Ensino nº 03; e) Orienta-se o formador ler o ensino pelo menos 02 vezes e quando tiver dúvidas, entendendo e memorizando, o mesmo, pois facilita o repasse do ensino, pode-se estar com apostila em mãos, mas ficar lendo constantemente não é muito bom, por isto a didática. f) Esta didática pode e deve ser inculturada e aperfeiçoada.
  • 28. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 28 MENSAGENS A SEREM COLOCADOS NOS BOMBONS (20 bombons) ESQUEMA DAS PARTES CORPORAIS Procure desenhar um corpo humano, daí coloque em cada parte do corpo uma característica do pregador, conforme o Ensino nº 03. Atentar para colocar características adequando à parte do corpo: amor – coração; Sabedoria – cabeça; Oração – joelhos; etc. Depois corte o corpo em partes, pelo menos 10 partes. E leve separadamente para o local de formação. Procurando chegar mais cedo, cola- se um cartaz em branco na parede. E os pedaços cola-se atrás das partes fitas adesivas, que serão espalhadas no chão depois da dinâmica e inicio da formação. Em seguida vai se montando o corpo com os pedaços e assim vai se repassando o Ensino. Seja um pregador conduzido pelo Espírito Santo Tenha o Dom da Fé em suas palavras. Recebas o Dom da paciência para bem pregar. A perseverança seja a tua maior virtude na pregação A intimidade com Deus lhe conduza a ser mais Santo. Serás fortalecido mediante as perseguições. Tua visão contemple o plano de Deus em tua vida. O Zelo pelo Evangelho te faça amar a Palavra de Deus. Que você possa levar muitas pessoas pra Jesus. Deus revele a simplicidade do teu coração. Conceba o amor por Deus, pelos irmãos e pela Palavra. Praticarás os dons carismáticos com unção. Possas tua pregação ser feita no poder do Espírito Santo. Desejo que possas pregar o que vives e viver o que pregas. A verdade que proclamares seja libertação para muitos. A busca de Formação de dará uma sábia pregação. Uma vida de oração darás para ti frutos de pregação. Sendo tu misericordioso, teu ministério prosperará. Tomar a tua Cruz e seguir Jesus, renovará tuas forças. Consagrando-te ao Senhor, serás um pregador convertido.
  • 29. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 29 ENSINO Nº 04 A) Distinção Entre Pregador e Formador a) Pregação - É o anúncio do Evangelho, sob a unção do Espírito Santo, mediante o uso dos recursos e métodos da oratória e da retórica. = Retórica: Estudo do uso persuasivo da linguagem, em especial para o treinamento de oradores. = Oratória: arte de falar em público. b) Ensino - É a transmissão da Doutrina Cristã, também sob a unção do Espírito Santo, mediante o uso de recursos e métodos pedagógicos. c) Distinção entre ensinos e pregações: FUNDAMENTAÇÃO BIBLICA: Lc 11, 27-28 - Pregação = Oratória, eloqüência (Mc 16,15). - Ensino = Didática, muitos recursos e técnicas metodológicas (At 18,25; Tt 2,1). 1. DISTINÇÃO ENTRE PREGADOR E FORMADOR a) Pregador: - É a pessoa chamada por Deus, direta ou indiretamente, para anunciar e testemunhar o Evangelho, na modalidade de primeiro anúncio. - É o arauto de Jesus, é o embaixador de Deus, é aquela pessoa especialmente escolhida para falar em nome de nosso Senhor Jesus Cristo. b) Formador: É a pessoa também chamada por Deus, direta ou indiretamente, para ensinar, transmitir a sã doutrina, àqueles que já receberam o primeiro anúncio do Evangelho. Situação que bem ilustra uma escolha errada entre ensino e pregação: (para o formador partilhar) Ela ocorreu na tarde do dia 1º de julho de 1989, um sábado muito frio, na cidade de Cruzeiro- SP, durante o primeiro encontro nacional de jovens. Seu protagonista foi um pregador que pertencia a um movimento especializado em trabalhos com a juventude. Ele foi convidado a pregar no encontro devido ser uma pessoa muito considerada pelos jovens, porque tinha uma extensa e respeitável folha de serviços prestados à causa do jovem. Era um experiente formador e um escritor muito lido entre a juventude, na época.O ginásio estava cheio. Havia jovens nas arquibancadas e na quadra, todos sedentos de conhecimento, de experiência de Deus e muito curiosos para saber o que aquele pregador tinha para partilhar. Era o ambiente perfeito para uma forte pregação. Entretanto com toda esta capacidade, ele desperdiçou uma ótima oportunidade de ministrar um assunto totalmente novo para mais uma de 90% dos jovens presentes ao encontro. Tratava-se de um tema próprio para jovem. Qual foi o erro do pregador ? Um só: não pregou. Ele se limitou a expor o assunto de forma monótona, longa e enfadonha, que não atraía ninguém. Para piorar a metodologia que ele usou: um retroprojetor num ambiente muito claro, que não permitia a leitura nem aos mais próximos. Por muitas vezes lia alguma coisa mais não explica o que queria dizer. Foi uma lástima, porque sua linha metodológica provocou um resultado negativo. Por isso temos a necessidade de distinguir como proceder A PREGAÇÃO e como proceder O ENSINO.
  • 30. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 30 2. OBJETIVOS DE PREGAÇÕES E ENSINOS a) Pregação - Colocar as pessoas em contato com Jesus Cristo ressuscitado, a fim de que tenham a oportunidade de experimentar o amor de Deus e a salvação de Jesus. b) Ensino - Oferecer aos irmãos conhecimentos sólidos e seguros sobre nossa doutrina, a fim de que perseverem no caminho da salvação. 3. EFEITOS DA PREGAÇÃO E DO ENSINO NAS PESSOAS QUE OS OUVEM a) Pregação - Atinge mais a emoção e os sentimentos dos irmãos e menos o raciocínio e a razão. b) Ensino - Atinge mais o raciocínio e a razão dos irmãos e menos os sentimentos e as emoções. 5. EMPREGO DE PREGAÇÕES E ENSINOS a) Pregação - Em temas querigmáticos (para todas as situações); - Em temas catequéticos (para poucas pessoas, para encontros fechados). b) Ensino - Para temas catequéticos ministrados a pouca gente; = “Pouca gente”, expressão entendida como uma quantidade de pessoas que possibilite a aplicação de dinâmicas e o emprego de variadas técnicas de ensinos. 6. PREGAÇÕES E ENSINOS MISTOS - É possível, e às vezes ideal, pregar ensinando e ensinar pregando; - É importante usar pregação e ensino como estilos diferentes, como formas de variação; - Em temas querigmáticos não é bom combinar pregação e ensino, principalmente quando se prega nos grupos de oração.
  • 31. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 31 B) Diferença entre Querigma e Catequese È necessário distinguir dois aspectos importantes na evangelização no que tange a diferença entre querigma e catequese. Dois metódos que foram muito utilizados por Jesus. Veja a tabela abaixo: QUERIGMA (anunciar) CATEQUESE (ensinar) Leva a nascer de novo, ter vida. Leva a crer em Cristo, ter vida em abundância. Apresenta Jesus morto, ressuscitado, glorificado, Salvador, Senhor, Messias. Apresenta a doutrina da fé, moral, dogma, bíblia, etc. Proclama-se a Jesus como a Boa Nova; Testemunho Pessoal. Ensino ordenado e progressivo; Fé de toda a Igreja. Precisa de um evangelizador e testemunha cheio do Espírito Santo Precisa de um catequista e mestre cheio do Espírito Santo As metas são: experiência do Amor de Deus e de nosso ser pecador; encontro pessoal com Jesus pela fé e conversão; proclamação de Jesus como Salvador; receber o dom do Espírito Santo; integrar- se à comunidade. As metas são: Encontro com o Corpo de Cristo: a Igreja; Santidade do povo de Deus Resposta Pessoal (meu Salvador, meu Senhor, meu Messias) Resposta comunitária e social (nosso Salvador, nosso Senhor, nosso Messias) FUNDAMENTAÇÃO BIBLICA: Idem Distinção Pregador x Formador. O querigma e a catequese foram utilizados por Jesus por dois meios: A Pregação e o Ensino. Na pregação Jesus despertava nos corações o desejo de conhecer o reino e mostrou as condições básicas para entrar nele. No ensino, Jesus procurou fortalecer as convicções interiores, dando critérios de vida e ensinando valores para a vida das pessoas. Sendo assim se faz necessário esclarecer as diferenças entre: Pregar e Ensinar. 1 - A Pregação e o Ensinamento. Pregar está relacionado com o primeiro anúncio, com o conteúdo querigmático; Jesus encarnado, morto, ressuscitado e glorificado. Ensinar está relacionado com a catequese, modo sistemático de transmitir a fé. O Ensino é, pois, um conteúdo voltado para o desenvolvimento e o conhecimento doutrinário e teológico e também os valores que regerão as relações entre irmãos. A Pregação é o primeiro anúncio, o Ensino é a continuidade. A Pregação (anúncio) é o despertar da fé; o Ensino é o viver da fé. O Anúncio é ser inebriado do Amor de Deus; o Ensino é viver o Amor de Deus. A Pregação é a tomada de consciência do pecado; o Ensino nos leva a combater o pecado. A Pregação nos leva a Deus; o ensino nos faz ir aos irmãos. Portanto, Pregar é anunciar o Querigma e Ensinar é Catequizar. A vida nos é dada graças à fé com que respondemos ao anúncio querigmático, mas a vida em abundância alcança sua plenitude graças à catequese vivida com fé. Apesar de serem distintas, uma precisa da outra. O Querigma é a base da construção e a Catequese o restante da obra. Não adianta ensinar e depois anunciar. Seria como dar alimento aos mortos e os mortos não precisam de alimento, precisam ressuscitar, nascer de novo, ter vida. O 1º anúncio dá a vida, a catequese alimenta.
  • 32. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 32 2 - Exemplos de Querigma e Catequese na bíblia: - Querigmáticos: Mc 8,27-30; Jo 3,1-8 - Catequéticos: Lc 6,27-31; Mt 5,21-26 - Querigmáticos e Catequéticos: Mt 4,23; C) Conhecendo o Querigma A missão essencial da Igreja é a evangelização de todas as pessoas. O ato de evangelizar constitui de fato, a graça e a vocação própria da igreja, a sua mais profunda identidade. A igreja existe para evangelizar. A evangelização não é somente anunciar Cristo ou pregá-lo, mas também, graças ao poder do Espírito Santo, estabelecer um ambiente e uma estrutura que seja tão evangélica que realmente possa proporcionar o amor entre os irmãos, convidando todos os homens de todos os tempos a entrarem na alegria da sua comunhão com Cristo. FUNDAMENTAÇÃO BIBLICA: I Carta de João 1,1-4. No ato integral de evangelizar podemos distinguir claramente dois momentos, importantes, distintos e sucessivos, interdependentes, que se complementam: o Querigma e a Catequese. Existe uma grande relação entres estes dois momentos da evangelização mas existem também diferenças que temos que distinguir. Muitos dos fracassos na evangelização se dão por falta do conhecimento das diferenças destas duas etapas deste processo. Muitas vezes queremos catequizar antes mesmo de anunciar o Querigma, anunciar Jesus como Salvador dos Homens. Queremos que as pessoas conheçam e amem a Sã doutrina sem que estas pessoas tenham uma experiência de Amor de Deus. A transmissão da fé cristã é primeiramente o anuncio de Jesus Cristo, para levar à fé nele. desde o começo, os primeiros discípulos ardiam de desejo de anunciar a Cristo: "pois não podemos, nós, deixar de falar das coisas que vimos e ouvimos"(At 4,20). E convidam os homens de todos os tempos a entrarem na alegria da sua comunhão com Cristo. O significado de Querigma é: Primeiro Anúncio. A palavra tem origem no Grego Kerissen, que significa proclamar, gritar, anunciar. Desta forma podemos definir que querigma é exatamente isto: apresentar, proclamar, gritar, anunciar Jesus Cristo, morto e ressuscitado e glorificado para termos um experiência de mudança de vida, graças a fé. É experimentar e viver Jesus vivo como Salvador, Senhor, Messias que dá o Espirito Santo. O querigma é como se fosse o cimento de uma construção e base da casa que esta sendo erguida, que se não for bem feita ou se não for feita não terá como a casa ficar de pé. Sem este primeiro anuncio, como primeira etapa da evangelização, será o mesmo que construirmos uma casa sobre a areia (cf. Mateus 7, 24-27) ou jogarmos pérolas aos porcos. (cf. Mateus 7,6). Os temas fundamentais do querigma são:  O Amor de Deus  O Pecado – Resistência á Graça  Jesus Cristo – Autor da Nossa Salvação  A Fé e a Conversão  Cura Interior – Novas Criaturas  Batismo no Espírito Santo  O amor aos irmãos – Comunidade  Maria
  • 33. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 33 2 - Objetivos do Querigma A Boa Nova consiste em anunciar Jesus, Salvador e Messias, que morreu e ressuscitou, foi glorificado para livra-nos do pecado e de suas conseqüências. Quando anunciamos este Evangelho, não se anuncia simplesmente um fato que aconteceu a mais de dois mil anos atrás, como se fosse somente um fato histórico, mas se tem um objetivo claro e bem definido. Este objetivo é: Tornar presente esta Salvação. Para que isto aconteça se faz necessário um encontro pessoal com Jesus, Senhor e Salvador e Messias, que acontece pela Fé e Conversão, que abre os nossos corações para receber assim uma Vida Nova que nós é revelada pelo Espírito Santo, que nos faz que sejamos Igreja. Desta forma e dentro deste objetivo central podemos distinguir quatro metas a serem atingidas com a pregação do Querigma. São elas: A Salvação, A Fé e a Conversão, Receber o Espírito Santo e Formar a Igreja.
  • 34. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 34 ENSINO Nº 04 - PLANO DE ENSINO OBJETIVOS: Ge ral: Diferenciar a pessoa do pregador da pessoa do formador; Específicos: - Trabalhar o chamado a pregação ou formação, e até mesmo os dois ; - Conscientização dos tipos, formas e modo de anunciar no Grupo de Oração e outros lugar es. CONTÉUDO Módulo – Formação de pregadores Ensino 04 – Diferenciação entre Pregação e Formação, Querigma e Catequese e Querigma METODOLOGIA - Oração com Espírito Santo: Vinde , Oh, Espírito Santo! (Vida Re luz) - Acolhimento - Distribuição do Ensino nº 04 aos alunos; - Desenvolvimento do Ensino com uso da Dinâmica Nossos Passos , cartazes, previamente colados, com os tópicos centrais em que o ensino, com auxilio dos alunos, Bíblia e ensino entregue. Oração final com a música – Nossa Missão (aonde mandar e u ire i) - No final enfocar a importância dos horários, da freqüência e propor as atividades. RECURSOS Bibliográficas – Bíblia, Ensino Nº 04. Áudiovisuais – Bíblia,calçados, cartão com gravura , cartazes. AVALIAÇÃO - Participação, freqüência e atividade fixadora para a semana. ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Rote iro de Ensino de Formação 06:00 hs – Iniciar com a oração conforme a moção do Espírito Santo 06:10 hs – Realizar a dinâmica de introdução à Ensino nº 04 (vide sequência Dinâmica 01 - Ensino nº 04) 06:20 hs – Entregar o material do Ensino nº 04 e continuar o mesmo de acordo com as Didática nº 01 do Ensino - nº 04 e concluir com oração; 07:00 hs – Tirar algumas dúvidas rápidas, em seguida entregar as atividades fixadoras para o aluno, realizar chamada de freqüência e benção final. Explicar que a atividade não é avaliativa mais de fixação do Ensino. 07:15 hs – Término da Aula.
  • 35. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 35 DIDÁTICAS DE ENSINO nº 04 Dinâmica 01- Ensino nº 04 - NOSSOSPASSOS - Tempo Estimado:05 minutos - Objetivo: Questionar os alunos o que gostaríamos de ser, o que somos e o que ainda pretendemos ser na nossacaminhada; - Material: - Calçados, gravuras compassos dadosna vida e caneta; - Procedimentos: O formador pede aos alunos pra ficarem de pé e a tirar as sandálias, calçados, chinelos, e pede também os alunos a fecharem os olhos, depois vai partilhando em forma oracional e de forma breve sobre sua vida, sua história na caminhada com Deus e partilha um pouco seu crescimento espiritual e profissional também, etc. Então outra pessoa, silenciosamente, vai recolher os chinelos e vai colocando no circulo que serão colocadas na disposição deuma cruz, depois pede pra abrirem os olhos e olharem os seus calcádos e começa a refletir que assim como Deus fez em sua vida, Deus tem um plano para nós, um sonho, que os sonhos de Deus não são os nossos e questiona os irmãos: o que você gostaria de ser quando era pequeno e agora ? O que ainda deseja fazer nessa vida ? Então entrega aos alunos as gravuras e pede para colocarem por escrito aquilo que pede o cartão. Depois pede para partilharem um por um, de forma rápida. E então direciona a dinâmica para o Ensino Nº 04. OBS.: Deixar os calçados no formato até o depois da oração com a música Nossa Missão. Didática 01- Ensino nº 04  Tempo Estimado:40 minutos  Objetivo: - Apresentar as principais diferenças entre Pregador e Formador, Querigma e Catequeses e conhecer o Querigma  Material:Papel madeira branco , fita adesiva, pincel, conteúdo referentes ao ensino;  Procedimentos: Antecipadamente o formador deve preparar os cartazes e afixar os cartazes antes da formação. À medida que se apresenta os tópicos, vai-se explicando o Ensino. a) Ensino: Tópicos em negrito e sublinhado no Ensino nº 04;  Orienta-se o formador ler o ensino pelo menos 02 vezes e quando tiver dúvidas, entendendo e memorizando, o mesmo, pois facilita o repasse do ensino, pode-seestar com apostila em mãos, mas ficar lendo constantemente não é muito bom, poristo a didática. Esta didática podee deve ser inculturada e aperfeiçoada.
  • 36. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 36 CARTAZ nº 02 (não precisa isso) B) Diferença entre Querigma e Catequese QUERIGMA (anunciar) CATEQUESE (ensinar) Nascer de novo, ter vida. Crer em Cristo, ter vida em abundância. Jesus morto, ressuscitado,glorificado, Salvador, Senhor, Messias. Doutrina da fé, moral, dogma, bíblia, etc. Jesus como a Boa Nova; Testemunho Pessoal. Ensino ordenado e progressivo; Fé de toda a Igreja. Evangelizador e testemunha cheio do Espírito Santo Catequista e mestre cheio do Espírito Santo As metas: experiência do Amor de Deus e de nosso serpecador; encontro pessoalcom Jesus pela fé e conversão; proclamação de Jesus como Salvador; receber o dom do Espírito Santo; comunidade. Metas: Encontro com o Corpo de Cristo: a Igreja; Santidade do povo de Deus Resposta Pessoal(meu Salvador, meu Senhor, meu Messias) Resposta comunitária e social (nosso Salvador, nosso Senhor,nosso Messias) 1 - A Pregação e o Ensinamento 2 - Exemplos de Querigma e Catequese na bíblia: CARTAZ nº 01(não precisa isso) FORMAÇÃODE PREGADORES A) Distinção Entre Pregador e Formador * Conceito de Pregação * Conceito de Ensino FUNDAMENTAÇÃO BIBLICA: Lc 11, 27-28 1. DISTINÇÃO 1. OBJETIVOS 2. EFEITOS 3. EMPREGO CARTAZ nº 03(não precisa isso) FORMAÇÃODE PREGADORES C) Conhecendo o Querigma FUND. BIBLICA: I Carta de João 1,1-4. 1) SIGNIFICADO: Kerissen 2) Temas Fundamentais  O Amor de Deus  O Pecado – Resistência á Graça  Jesus Cristo – Autor da Nossa Salvação  A Fé e a Conversão  Cura Interior – Novas Criaturas  Batismo no Espírito Santo  O amor aos irmãos – Comunidade  Maria 3 - OBJETIVOS  SIGNIFICADO: Kerissen 2)
  • 37. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 37 Xerocopiar para 20 alunos
  • 38. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 38 1º Dia – Sexta-feira - O AMOR DO PAI - Nossa resposta: amar, obedecer e servir. Meditação diária: 1ºLeit. – Lc 8,4-15 3º Leit. – Ap 3,15-21 5ºLeit.–Is 49,14-16 7º Leit.– 1 Jo, 3,1-3 2ºLeit.– Mc 16,14-20 4º Leit. – Is 43,1-5 6º Leit.– Is 41,9-14 Após cada leitura coloque escreva neste espaço o versículo que mais lhe chamou a atenção e a mensagem que Deus lhe revelou para partilha na próxima reunião do Ministério: 1º Leit.: Versículo: _________________________ Mensagem Revelada __________________________________________________________________ 2º Leit.: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada __________________________________________________________________ 3º Leit.: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada __________________________________________________________________ 4º Leit.: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada __________________________________________________________________ 5º Leit.: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada __________________________________________________________________ 6º Leit.: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada _________________________________________________________________ 7º Leit.: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada _________________________________________________________________ Para você refletir: 1 – Como tem correspondido até hoje a esse amor que Deus tem por você? 2 – Você crê que Deus o ama pessoalmente, que o conhece pelo nome e que você é precioso aos seus olhos? Vivência: Ler o Sl 138 e viver o AMOR DE DEUS para com a pessoa mais difícil. QUESTIONÁRIO 01 – Com que amor Deus nos ama? (Jer 31,3)_______________________________________________ ___________________________________________________________________________________ 02 – A quem Deus ama (Mt 5,44-45). Aos _______________, aos ______________, aos ____________, aos ____________, aos _______________, aos._______________ e aos ________________. 03 – Deus amou tanto o mundo que___________________________________(Jo 3,16). 04 – Deus é __________________________(1 Jo 4,8). 05 – No Amor não há______________________________________(1 Jo 4,18). 06 – Em que consiste o amor? ______________________________________________ _______________________________________________________________________(1 Jo 4,10). 07 – Se Deus é Amor (caridade), escreva de Deus o que São Paulo diz sobre o amor (caridade) em 1 Cor 13,4-8. Deus é_______________________ Deus não guarda___________________________ Deus é _____________________ Deus não se alegra__________________________ Deus não tem____________________ Deus rejubila com________________________ Deus não é_____________________ Deus tudo_______________________________ Deus não é____________________ Deus tudo________________________________ Deus não é_____________________ Deus tudo_______________________________ Deus não busca___________________ Deus não se ___________________________ Destas características, qual parece ser a mais importante em sua vida? _____________ _______________________________ Por quê? ________________________________ ______________________________________________________________________
  • 39. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 39 2ª Dia - Sábado: A RESISTÊNCIA À GRAÇA – O PECADO Meditação diária: 1ºLeit – Genesis 2 2ºLeit – Gênesis 3 3ºLeit – Rm 1, 18-32 4ºLeit – Rm 7, 15-26 5ºLeit – Mc 7, 20-23 6ºLeit – Salmo 50 7ºLeit – João 16,25-33 Após cada leitura coloque escreva neste espaço o versículo que mais lhe chamou a atenção e a mensagem que Deus lhe revelou para partilha na próxima reunião do Ministério: 1º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada __________________________________________________________________ 2º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada _________________________________________________________________ 3º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada __________________________________________________________________ 4º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada _________________________________________________________________ 5º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada _________________________________________________________________ 6º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada __________________________________________________________________ 7º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada __________________________________________________________________ Para você refletir: A misericórdia de Deus é tão grande e o amor que Deus tem por cada um de nós não tem limites. Pelo sacramento da Reconciliação ou Confissão, Deus nos convida a refazer a nossa comunhão com Ele. Não será esta uma oportunidade para você procurar um sacerdote? ( Leitura. Gaudium et Spes 13 e 27) Sugestão: Orar e descobrir qual o pecado que sai de seu coração, que mais atrapalha sua conversão. QUESTIONÁRIO 01 – Por que não vivemos a vida de Deus? Por que todos ________________ e todos estão_______________________________________________________________________(Rm 3,23). 02 – Que conseqüências negativas tiveram Adão e Eva, quando quiseram ser como Deus, por suas próprias forças? _______________________________________________(Gen 3) 03 – o que acontece àquele que quer salvar sua vida por si próprio?________________ _____________________________________________________________________(Mt 16,25) 04 – que acontece a um cego que é guiado por outro cego: _______________________ ______________________________________________________________(Mt 15,14) Assim sendo é possível salvar-se?__________________________________ (Mt 15,14) 05 – Quem comete pecado é um_________________________________(Jo 8,34) 06 – O pecado é não ____________________________________________(Jo 16,9) 07 – Pecado é tudo que ___________________________________________(Jo 16,9) 08 – Responda: Verdadeiro (V) ou falso (F). O homem pode salvar-se a si mesmo O egoísta faz sofrer porque sofre O pecado produz vazio e tristeza O pecado é a verdadeira felicidade do homem Quem peca... Ofende a Deus Ofende aos outros Ofende a si mesmo
  • 40. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 40 2ª Dia - Sábado: JESUS CRISTO AUTOR DE NOSSA SALVAÇÃO Meditação diária: 1ºLeit – Jo 3,16-20 3ºLeit – Rm 5,17-21 5ºLeit – Rm 8,29-34 7ºLeit – Cl 2,12-14 2ºLeit – Jo 4,26-29 4ºLeit – Jo 8,1-11 6º Leit –2 Cor 5,17-21 Após cada leitura coloque escreva neste espaço o versículo que mais lhe chamou a atenção e a mensagem que Deus lhe revelou para partilha na próxima reunião do Ministério: 1º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada __________________________________________________________________ 2º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada __________________________________________________________________ 3º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada __________________________________________________________________ 4º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada _________________________________________________________________ 5º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada __________________________________________________________________ 6º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada __________________________________________________________________ 7º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada __________________________________________________________________ Para você refletir: Deus amou tanto o mundo que entregou seu filho único... para que omundo seja salvo por ele” ( Jô 3, 16-17).” Em nenhuma outro há salvação, porque não há outro nome dado aos homens pelo qual podemos ser salvos” (at 4,12). Vivência para a semana: fazer orações (espontâneas e diárias) de louvor ao Pai por nos ter dado seu Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo. 01 – Nas Frases seguintes você encontrará algo sobre Jesus e sua missão: Mt 1,21: Por que Ele se Chama Jesus?_______________________________________ Jo 1,29: que disse de Jesus João Batista?_____________________________________ Mt 8,29: que título os demônios davam a Jesus?________________________________ Lc 18,38-39: Que gritou o cego de Jericó para Jesus?____________________________ 02 – Por sua parte Jesus mesmo também disse quem ele era: Mt 9,13: Eu não vim chamar________________________________________________ Jo 14,6: Eu sou o _______________________, a _______________e a __________________ Jo 6,47: Aquele que crer ________________________________ Jo 14,6: Ninguém vai ao pai ________________________________________________ 03 – 1 Tm 2,5 – Jesus é o __________ medidor entre ________ e os _______________ 04 – Escreva para que foi enviado Jesus, segundo Lucas 4,18-19:__________________ _______________________________________________________________________ 05 – Rm 4,25 – Jesus morreu por ___________________________________________ 06 – Cl 1,13 – Ao sermos salvos, saímos das _________ para o __________________ 07 – Rm 5,20 – Onde avultou o ________________superabundou _________________ 08 – Consultando a citação bíblica, responda sim (S) ou não (N): Mt 19,25-26: Jesus é o único que pode salvar-nos Lc 4,18: Jesus veio libertar os homens Jo 10,10: Jesus veio trazer a vida em abundância? At 4,12: Jesus é o único salvador? Mt 19,25-26: o homem pode salvar-se por si mesmo Jo 3,17: Jesus veio salvar o mundo?
  • 41. Diocese de Bom Jesus do Gurguéia Renovação Carismática Católica Ministério de Formação - Formação de Pregadores 41 3º Dia – Domingo: FÉ E CONVERSÃO - Meditação diária: 1º Leit – João 20,19-23 3º Leit – Lucas 15,11-32 5º Leit – Lucas 1,28-35 7º Leit- João 3,16-21 2º Leit – Lucas 15,3-7 4º Leit – Lucas 2,25-32; 6º Leit – Lucas 1,68-79 Após cada leitura coloque escreva neste espaço o versículo que mais lhe chamou a atenção e a mensagem que Deus lhe revelou para partilha na próxima reunião do Ministério: 1º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada __________________________________________________________________ 2º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada__________________________________________________________________ 3º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada __________________________________________________________________ 4º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada __________________________________________________________________ 5º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada _________________________________________________________________ 6º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada _________________________________________________________________ 7º Dia: Versículo: __________________________ Mensagem Revelada __________________________________________________________________ Para você refletir: Por Jesus Cristo, pelo sangue derramado por amor de cada um de nós temos a redenção e a remissão dos Pecados. Você está disposto a aceitar de todo coração a Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador Pessoal e a mudar de vida? QUESTIONÁRIO 01 – Responda Sim (S) ou Não(N) É pela circuncisão que seremos salvos (Rm 3,30)? Somos salvos pela prática da Lei Gl 2,16? A salvação é conseguida com boas obras (Ef 2,9)? Conquistamos a salvação por merecimento próprio (Ef 2,8)? Somos salvos gratuitamente, mediante a fé (Ef 2,8)? A salvação é uma graça, um dom de Deus (Ef 2,5.8)? É só por Jesus Cristo que seremos salvos (Ef 2,5; At 4,12)? A fé é crer em pessoas? 03 – A fé é ___________________________________________________ (Hb 11,1). 04 – Quem crer em Jesus será _____________ (Mc 16,16), _____________ (Jo 11,25) e será _______________________ (At 13,39). 05 – Para sermos salvos e recebermos o Dom do Espírito Santo, devemos ___________ _______________________________________________________________ (At 2,38). 06 – O que mudou na vida de Madalena, Zaqueu e Paulo_________________________ _______________________________________________________________________ _______________________________________________________________________ _______________________________________ (Lc 8,2; 19,1-10; Gl 1,11-15; Fl 3,4-11). 07 – Conversão é _____________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________.