O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

CINCO SOLAS OS FUNDAMENTOS DA REFORMA PROTESTANTE

2.372 visualizações

Publicada em

Prof. Itamir Neves

Publicada em: Espiritual
  • Seja o primeiro a comentar

CINCO SOLAS OS FUNDAMENTOS DA REFORMA PROTESTANTE

  1. 1. Prof Itamir Neves
  2. 2.  A graça vem aos pecadores somente por meio da morte de Cristo (solus Christus)
  3. 3.  Não é a fé em si mesma que salva, e sim a fé em Jesus Cristo…  Estritamente falando, não é nem a fé em Cristo que salva, e sim Cristo que salva por meio da fé (por causa da graça)  (B.B. Warfield)
  4. 4.  Quem é Cristo?  É Deus encarnado que se deu por nós
  5. 5.  Quem é Cristo?  Jesus Cristo é descrito no NT como a segunda pessoa da Trindade.  É o Deus Filho, inteiramente divino e inteiramente humano!
  6. 6. A Trindade e a natureza de Cristo PAI FILHO E.S. DEUS éé é não é não énão é 1. O Pai é Deus 2. O Filho é Deus 3. O E. S. é Deus 4. O Pai não é o Filho 5. O Filho não é o Pai 6. O Filho não é o Espírito 7. O Espírito não é o Filho 8. O Pai não é o Espírito 9. O Espírito não é o Pai
  7. 7.  A Trindade e Cristo  “O Deus cristão é um Deus único, sendo um só ser, subsistindo em três pessoas, eternamente distintas, sendo estas três iguais: o Pai, o Filho e o Espírito Santo.”  São três pessoas, com a mesma essência, num só ser.
  8. 8.  A Trindade e Cristo  Jesus Cristo, que é eternamente a 2a pessoa da Trindade e compartilha de todos os atributos divinos, tornou-se plenamente humano.  Ao entrar no mundo como ser humano, Jesus assumiu características humanas ainda que escolhesse voluntariamente exercer seus poderes divinos apenas de modo intermitente a fim de cumprir sua missão redentora.
  9. 9.  O Credo de Nicéia (325)  Cremos em um só Deus, Pai, Todo- Poderoso, Criador de todas as coisas, visíveis e invisíveis.  Cremos num só Senhor Jesus Cristo, o unigênito Filho de Deus, um com o Pai antes de todos os séculos, Luz da Luz, verdadeiro Deus de verdadeiro Deus, gerado, não criado, de uma só substância com o Pai, pelo qual todas as coisas foram feitas;
  10. 10.  O Credo de Nicéia (325)  ... o qual, por nós homens e por nossa salvação, desceu dos céus, foi feito carne pelo Espírito Santo através de Maria, e tornou-se homem, e foi crucificado por nós sob Pôncio Pilatos, e padeceu e foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras, e subiu aos céus e assentou-se à direita do Pai, e de novo há de vir com glória para julgar os vivos e os mortos, e o seu reino não terá fim.
  11. 11.  O Credo de Nicéia (325)  Cremos no Espírito Santo, Senhor e Vivificador, que procede do Pai e do Filho, que com o Pai e o Filho conjuntamente é adorado e glorificado, que falou através dos profetas.  Cremos na Igreja una, santa, católica e apostólica. Confessamos um só batismo para remissão dos pecados. Esperamos a ressurreição dos mortos e a vida do século vindouro. Amém.
  12. 12.  Resumo doutrinário  Diante dessa declaração de fé mesmo não sendo possível, sintetizamos Cristo assim:  Duas naturezas: divina e humana (1Tm 3.16)  Nascimento virginal (Mt 1.18-25; Lc 1.26-38)  Sem pecado (Rm 8.3; 2Co5.21; Hb 4.15)
  13. 13.  Oficío de Cristo como profeta  Cristo é o profeta de que necessitamos para nos instruir nas coisas de Deus, para remover nossa cegueira e ignorância.  Cristo revelou plenamente o secreto conselho e vontade de Deus concernente à nossa redenção.  O profeta anuncia as boas novas.
  14. 14.  Ofício de Cristo como profeta  Suscitar-lhes-ei um profeta do meio de seus irmãos, semelhante a ti, em cuja boca porei as minhas palavras, e ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar (Dt 18.18).  Eu sei, respondeu a mulher, que há de vir o Messias, chamado Cristo; quando ele vier, nos anunciará todas as coisas. Disse-lhe Jesus: Eu o sou, eu que falo contigo (Jo 4.25-26).
  15. 15.  Ofício de Cristo como sacerdote  Cristo é o nosso Sumo Sacerdote que por meio do seu sacrifício, redimiu-nos e faz contínua intercessão por nós diante do Pai.  Nas palavras da Confissão de Fé Batista de 1689: Por causa da nossa alienação de Deus e da imperfeição de nossa melhor adoração, precisamos do ofício sacerdotal de Cristo para nos reconciliar com Deus e nos tornar aceitáveis a ele.
  16. 16.  Ofício de Cristo como sacerdote  Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os céus, conservemos firmes a nossa confissão.  Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado (Hb 4.14-15 com 2.17).
  17. 17.  Ofíico de Cristo como rei  Cristo é o Rei de um domínio eterno e espiritual, regendo-o por intermédio de seu Espírito Santo.  E, como tal ele dá ordens que espera sejam obedecidas. A primeira ordem do evangelho, é a pregação a respeito de Jesus. Ele revela que o verdadeiro significado das Escrituras é a salvação somente no Rei dos reis e Senhor dos senhores!
  18. 18.  Ofício de Cristo como rei  “ ...mas acerca do Filho: O teu trono, ó Deus, é para todo o sempre; e: Cetro de equidade é o cetro do seu reino” (Hb 1.8).  Pois desta maneira é que vos será amplamente suprida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo” (2Pe 1.11).
  19. 19.  O senhorio de Jesus  Cl 1.13-23  Introdução  Diante da singularidade de Jesus Cristo todo cristão deve reconhecê-lo como o Senhor de sua vida.  Neste texto encontramos cinco razões porque Jesus deve ser reconhecido como o Senhor de nossas vidas.
  20. 20.  O senhorio de Jesus  Cl 1.13-23  1. Jesus é o Senhor por causa do seu relacionamento com Deus-Pai, v. 13, 15  2. Jesus é o Senhor por fazer parte dos planos eternos de Deus, v. 19-20  3. Jesus é o Senhor por causa da sua participação na criação do Universo, v.15-17
  21. 21.  O senhorio de Jesus  Cl 1.13-23  3. Jesus é o Senhor por causa da sua participação na criação do Universo, v.15-17  4. Jesus é o Senhor por causa do seu relacionamento com a Igreja, v. 18,22  5. Jesus é o Senhor porque ele se tornou o ministro da reconciliação, v. 20, 15, 22
  22. 22.  Paul Wascher (p. 62, 2014) recomenda:  Usemos a Bíblia para demonstrar a inutilidade das obras, das virtudes e do mérito pessoal;  Usemos a Palavra para dizer ao pecador olhar somente para Cristo e receber dele a salvação;  Usemos as Escrituras para demonstrar que necessitamos de uma autenticidade contínua com o confirmação da conversão e do senhorio de Cristo na vida!
  23. 23.  Cristo, que é esse ser singular, tanto Deus como homem, para todo o sempre é a única e tão somente a única maneira pela qual podemos nos relacionar novamente com Deus, sendo ele mesmo o meio proposto por Deus para que isso aconteça.  “Permanecendo o que era, tornou-se o que não era” (Grudem, p. 465, 2006)
  24. 24.  A importância da obra de Cristo  Só alguém que é verdadeira e plenamente Deus pode ser o mediador entre Deus e homem (1Tm 2.5), tanto para nos levar de volta a Deus como também para revelar Deus de maneira mais completa a nós (Jo 14.9).  Somente o sacrifício de alguém que era realmente divino poderia ter valor eterno e infinito. Um sacrifício de um mero ser humano e de um pecador não poderia perdoar pecado algum.
  25. 25.  A importância da obra de Cristo  Somente alguém que fosse Deus infinito poderia arcar com toda a pena de todos os pecados de todos os que cressem nele — nenhuma criatura finita seria capaz de suportar a pena do pecado.  A salvação vem apenas do próprio Senhor, conforme o AT. Toda a mensagem das Escrituras é clara em dizer que nenhum ser humano, nenhuma criatura, jamais poderia salvar o homem. Só Deus pode salvar.
  26. 26. Prof Itamir Neves

×