SlideShare uma empresa Scribd logo
Prof Itamir Neves
 A graça vem aos pecadores somente por
meio da morte de Cristo (solus Christus)
 Não é a fé em si mesma que salva,
e sim a fé em Jesus Cristo…
 Estritamente falando, não é nem a
fé em Cristo que salva, e sim
Cristo que salva por meio da fé
(por causa da graça)
 (B.B. Warfield)
 Quem é Cristo?
 É Deus encarnado que se deu por nós
 Quem é Cristo?
 Jesus Cristo é descrito no NT como a
segunda pessoa da Trindade.
 É o Deus Filho, inteiramente divino e
inteiramente humano!
A Trindade e a natureza de Cristo
PAI
FILHO E.S.
DEUS
éé
é
não é
não énão é
1. O Pai é Deus
2. O Filho é Deus
3. O E. S. é Deus
4. O Pai não é o Filho
5. O Filho não é o Pai
6. O Filho não é o Espírito
7. O Espírito não é o Filho
8. O Pai não é o Espírito
9. O Espírito não é o Pai
 A Trindade e Cristo
 “O Deus cristão é um Deus único, sendo
um só ser, subsistindo em três pessoas,
eternamente distintas, sendo estas três
iguais: o Pai, o Filho e o Espírito Santo.”
 São três pessoas, com a mesma
essência, num só ser.
 A Trindade e Cristo
 Jesus Cristo, que é eternamente a 2a
pessoa da Trindade e compartilha de
todos os atributos divinos, tornou-se
plenamente humano.
 Ao entrar no mundo como ser humano,
Jesus assumiu características humanas
ainda que escolhesse voluntariamente
exercer seus poderes divinos apenas de
modo intermitente a fim de cumprir sua
missão redentora.
 O Credo de Nicéia (325)
 Cremos em um só Deus, Pai, Todo-
Poderoso, Criador de todas as coisas,
visíveis e invisíveis.
 Cremos num só Senhor Jesus Cristo, o
unigênito Filho de Deus, um com o Pai
antes de todos os séculos, Luz da Luz,
verdadeiro Deus de verdadeiro Deus,
gerado, não criado, de uma só
substância com o Pai, pelo qual todas as
coisas foram feitas;
 O Credo de Nicéia (325)
 ... o qual, por nós homens e por nossa
salvação, desceu dos céus, foi feito
carne pelo Espírito Santo através de
Maria, e tornou-se homem, e foi
crucificado por nós sob Pôncio Pilatos, e
padeceu e foi sepultado e ressuscitou ao
terceiro dia, conforme as Escrituras, e
subiu aos céus e assentou-se à direita do
Pai, e de novo há de vir com glória para
julgar os vivos e os mortos, e o seu reino
não terá fim.
 O Credo de Nicéia (325)
 Cremos no Espírito Santo, Senhor e
Vivificador, que procede do Pai e do
Filho, que com o Pai e o Filho
conjuntamente é adorado e glorificado,
que falou através dos profetas.
 Cremos na Igreja una, santa, católica e
apostólica. Confessamos um só batismo
para remissão dos pecados. Esperamos
a ressurreição dos mortos e a vida do
século vindouro. Amém.
 Resumo doutrinário
 Diante dessa declaração de fé mesmo não
sendo possível, sintetizamos Cristo assim:
 Duas naturezas: divina e humana (1Tm 3.16)
 Nascimento virginal (Mt 1.18-25; Lc 1.26-38)
 Sem pecado (Rm 8.3; 2Co5.21; Hb 4.15)
 Oficío de Cristo como profeta
 Cristo é o profeta de que necessitamos
para nos instruir nas coisas de Deus,
para remover nossa cegueira e
ignorância.
 Cristo revelou plenamente o secreto
conselho e vontade de Deus concernente
à nossa redenção.
 O profeta anuncia as boas novas.
 Ofício de Cristo como profeta
 Suscitar-lhes-ei um profeta do meio de
seus irmãos, semelhante a ti, em cuja
boca porei as minhas palavras, e ele lhes
falará tudo o que eu lhe ordenar (Dt
18.18).
 Eu sei, respondeu a mulher, que há de
vir o Messias, chamado Cristo; quando
ele vier, nos anunciará todas as coisas.
Disse-lhe Jesus: Eu o sou, eu que falo
contigo (Jo 4.25-26).
 Ofício de Cristo como sacerdote
 Cristo é o nosso Sumo Sacerdote que
por meio do seu sacrifício, redimiu-nos e
faz contínua intercessão por nós diante
do Pai.
 Nas palavras da Confissão de Fé Batista
de 1689: Por causa da nossa alienação
de Deus e da imperfeição de nossa
melhor adoração, precisamos do ofício
sacerdotal de Cristo para nos reconciliar
com Deus e nos tornar aceitáveis a ele.
 Ofício de Cristo como sacerdote
 Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus,
como grande sumo sacerdote que
penetrou os céus, conservemos firmes a
nossa confissão.
 Porque não temos sumo sacerdote que
não possa compadecer-se das nossas
fraquezas; antes, foi ele tentado em
todas as coisas, à nossa semelhança,
mas sem pecado (Hb 4.14-15 com 2.17).
 Ofíico de Cristo como rei
 Cristo é o Rei de um domínio eterno e
espiritual, regendo-o por intermédio de
seu Espírito Santo.
 E, como tal ele dá ordens que espera
sejam obedecidas. A primeira ordem do
evangelho, é a pregação a respeito de
Jesus. Ele revela que o verdadeiro
significado das Escrituras é a salvação
somente no Rei dos reis e Senhor dos
senhores!
 Ofício de Cristo como rei
 “ ...mas acerca do Filho: O teu trono, ó
Deus, é para todo o sempre; e: Cetro de
equidade é o cetro do seu reino” (Hb
1.8).
 Pois desta maneira é que vos será
amplamente suprida a entrada no reino
eterno de nosso Senhor e Salvador
Jesus Cristo”
(2Pe 1.11).
 O senhorio de Jesus
 Cl 1.13-23
 Introdução
 Diante da singularidade de Jesus Cristo
todo cristão deve reconhecê-lo como o
Senhor de sua vida.
 Neste texto encontramos cinco razões
porque Jesus deve ser reconhecido
como o Senhor de nossas vidas.
 O senhorio de Jesus
 Cl 1.13-23
 1. Jesus é o Senhor por causa do seu
relacionamento com Deus-Pai, v. 13, 15
 2. Jesus é o Senhor por fazer parte dos
planos eternos de Deus, v. 19-20
 3. Jesus é o Senhor por causa da sua
participação na criação do Universo,
v.15-17
 O senhorio de Jesus
 Cl 1.13-23
 3. Jesus é o Senhor por causa da sua
participação na criação do Universo,
v.15-17
 4. Jesus é o Senhor por causa do seu
relacionamento com a Igreja, v. 18,22
 5. Jesus é o Senhor porque ele se
tornou o ministro da reconciliação, v. 20,
15, 22
 Paul Wascher (p. 62, 2014) recomenda:
 Usemos a Bíblia para demonstrar a
inutilidade das obras, das virtudes e do
mérito pessoal;
 Usemos a Palavra para dizer ao pecador
olhar somente para Cristo e receber dele a
salvação;
 Usemos as Escrituras para demonstrar que
necessitamos de uma autenticidade contínua
com o confirmação da conversão e do
senhorio de Cristo na vida!
 Cristo, que é esse ser singular, tanto Deus
como homem, para todo o sempre é a única
e tão somente a única maneira pela qual
podemos nos relacionar novamente com
Deus, sendo ele mesmo o meio proposto por
Deus para que isso aconteça.
 “Permanecendo o que era, tornou-se o que
não era” (Grudem, p. 465, 2006)
 A importância da obra de Cristo
 Só alguém que é verdadeira e plenamente
Deus pode ser o mediador entre Deus e
homem (1Tm 2.5), tanto para nos levar de
volta a Deus como também para revelar
Deus de maneira mais completa a nós (Jo
14.9).
 Somente o sacrifício de alguém que era
realmente divino poderia ter valor eterno e
infinito. Um sacrifício de um mero ser
humano e de um pecador não poderia
perdoar pecado algum.
 A importância da obra de Cristo
 Somente alguém que fosse Deus infinito
poderia arcar com toda a pena de todos os
pecados de todos os que cressem nele —
nenhuma criatura finita seria capaz de
suportar a pena do pecado.
 A salvação vem apenas do próprio
Senhor, conforme o AT. Toda a mensagem
das Escrituras é clara em dizer que
nenhum ser humano, nenhuma criatura,
jamais poderia salvar o homem. Só Deus
pode salvar.
Prof Itamir Neves

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Credo dos apóstolos
Credo dos apóstolosCredo dos apóstolos
LIÇÃO 1 - O evangelho de Mateus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
LIÇÃO 1 - O evangelho de Mateus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018LIÇÃO 1 - O evangelho de Mateus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
LIÇÃO 1 - O evangelho de Mateus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
Natalino das Neves Neves
 
Panorama do novo testamento
Panorama do novo testamentoPanorama do novo testamento
Panorama do novo testamento
Bruno Cesar Santos de Sousa
 
Aula 9 e 10
Aula 9 e 10Aula 9 e 10
Batismo-Slides.ppt
Batismo-Slides.pptBatismo-Slides.ppt
Batismo-Slides.ppt
lindalva da cruz
 
Credo dos apóstolos
Credo dos apóstolosCredo dos apóstolos
Credo dos apóstolos
Eli Vieira
 
Aula 2 - Pentateuco
Aula 2 - PentateucoAula 2 - Pentateuco
Aula 2 - Pentateuco
Ricardo Gondim
 
A formação de um discipulo.pdf
A formação de um discipulo.pdfA formação de um discipulo.pdf
A formação de um discipulo.pdf
MickeiasHelrisonFern
 
Santíssima Trindade
Santíssima TrindadeSantíssima Trindade
Santíssima Trindade
CatequesedoSagrado
 
Livro De Romanos
Livro De RomanosLivro De Romanos
Livro De Romanos
melquisedeque Chagas
 
# Bíblia a Palavra de Deus####
# Bíblia   a Palavra de Deus##### Bíblia   a Palavra de Deus####
# Bíblia a Palavra de Deus####
Celso do Rozário Brasil Gonçalves
 
O batismo nas águas
O  batismo nas águasO  batismo nas águas
O batismo nas águas
Marcelo Santos
 
Históricos I
Históricos IHistóricos I
Históricos I
Ricardo Gondim
 
Geografia bíblica conflitos no oriente médio
Geografia bíblica   conflitos no oriente médioGeografia bíblica   conflitos no oriente médio
Geografia bíblica conflitos no oriente médio
Fabrício Almeida
 
Apóstolo Paulo
Apóstolo PauloApóstolo Paulo
Apóstolo Paulo
Cesar Oliveira
 
Jesus é o tema central da Bíblia
Jesus  é o tema central da BíbliaJesus  é o tema central da Bíblia
Jesus é o tema central da Bíblia
Alexandre Rodrigues
 
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
PIB Penha
 
Escatologia parte 2_ibadep_a grande tribulação
Escatologia  parte 2_ibadep_a grande tribulaçãoEscatologia  parte 2_ibadep_a grande tribulação
Escatologia parte 2_ibadep_a grande tribulação
Natalino das Neves Neves
 
70 semanas-de-daniel
70 semanas-de-daniel70 semanas-de-daniel
70 semanas-de-daniel
Anderson Silva
 
Lição 6 - A Igreja Atual e alguns Desafios
Lição 6 - A Igreja Atual e alguns DesafiosLição 6 - A Igreja Atual e alguns Desafios
Lição 6 - A Igreja Atual e alguns Desafios
Éder Tomé
 

Mais procurados (20)

Credo dos apóstolos
Credo dos apóstolosCredo dos apóstolos
Credo dos apóstolos
 
LIÇÃO 1 - O evangelho de Mateus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
LIÇÃO 1 - O evangelho de Mateus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018LIÇÃO 1 - O evangelho de Mateus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
LIÇÃO 1 - O evangelho de Mateus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
 
Panorama do novo testamento
Panorama do novo testamentoPanorama do novo testamento
Panorama do novo testamento
 
Aula 9 e 10
Aula 9 e 10Aula 9 e 10
Aula 9 e 10
 
Batismo-Slides.ppt
Batismo-Slides.pptBatismo-Slides.ppt
Batismo-Slides.ppt
 
Credo dos apóstolos
Credo dos apóstolosCredo dos apóstolos
Credo dos apóstolos
 
Aula 2 - Pentateuco
Aula 2 - PentateucoAula 2 - Pentateuco
Aula 2 - Pentateuco
 
A formação de um discipulo.pdf
A formação de um discipulo.pdfA formação de um discipulo.pdf
A formação de um discipulo.pdf
 
Santíssima Trindade
Santíssima TrindadeSantíssima Trindade
Santíssima Trindade
 
Livro De Romanos
Livro De RomanosLivro De Romanos
Livro De Romanos
 
# Bíblia a Palavra de Deus####
# Bíblia   a Palavra de Deus##### Bíblia   a Palavra de Deus####
# Bíblia a Palavra de Deus####
 
O batismo nas águas
O  batismo nas águasO  batismo nas águas
O batismo nas águas
 
Históricos I
Históricos IHistóricos I
Históricos I
 
Geografia bíblica conflitos no oriente médio
Geografia bíblica   conflitos no oriente médioGeografia bíblica   conflitos no oriente médio
Geografia bíblica conflitos no oriente médio
 
Apóstolo Paulo
Apóstolo PauloApóstolo Paulo
Apóstolo Paulo
 
Jesus é o tema central da Bíblia
Jesus  é o tema central da BíbliaJesus  é o tema central da Bíblia
Jesus é o tema central da Bíblia
 
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
 
Escatologia parte 2_ibadep_a grande tribulação
Escatologia  parte 2_ibadep_a grande tribulaçãoEscatologia  parte 2_ibadep_a grande tribulação
Escatologia parte 2_ibadep_a grande tribulação
 
70 semanas-de-daniel
70 semanas-de-daniel70 semanas-de-daniel
70 semanas-de-daniel
 
Lição 6 - A Igreja Atual e alguns Desafios
Lição 6 - A Igreja Atual e alguns DesafiosLição 6 - A Igreja Atual e alguns Desafios
Lição 6 - A Igreja Atual e alguns Desafios
 

Destaque

Os cinco pilares da Reforma Protestante
Os cinco pilares da Reforma ProtestanteOs cinco pilares da Reforma Protestante
Os cinco pilares da Reforma Protestante
Pr. Fabio Canellato
 
As cinco solas
As cinco solasAs cinco solas
As cinco solas
Jorge Aymar Costa
 
Os cinco pilares da reforma protestante
Os cinco pilares da reforma protestanteOs cinco pilares da reforma protestante
Os cinco pilares da reforma protestante
Pr. Fabio Canellato
 
Cinco pilares da igreja protestante
Cinco pilares da igreja protestanteCinco pilares da igreja protestante
Cinco pilares da igreja protestante
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Os cinco "solas" da Reforma Protestante
Os cinco "solas" da Reforma ProtestanteOs cinco "solas" da Reforma Protestante
Os cinco "solas" da Reforma Protestante
Alberto Simonton
 
Reforma protestante - Os 5 solas da reforma
Reforma protestante - Os 5 solas da reformaReforma protestante - Os 5 solas da reforma
Reforma protestante - Os 5 solas da reforma
Fredson André
 

Destaque (6)

Os cinco pilares da Reforma Protestante
Os cinco pilares da Reforma ProtestanteOs cinco pilares da Reforma Protestante
Os cinco pilares da Reforma Protestante
 
As cinco solas
As cinco solasAs cinco solas
As cinco solas
 
Os cinco pilares da reforma protestante
Os cinco pilares da reforma protestanteOs cinco pilares da reforma protestante
Os cinco pilares da reforma protestante
 
Cinco pilares da igreja protestante
Cinco pilares da igreja protestanteCinco pilares da igreja protestante
Cinco pilares da igreja protestante
 
Os cinco "solas" da Reforma Protestante
Os cinco "solas" da Reforma ProtestanteOs cinco "solas" da Reforma Protestante
Os cinco "solas" da Reforma Protestante
 
Reforma protestante - Os 5 solas da reforma
Reforma protestante - Os 5 solas da reformaReforma protestante - Os 5 solas da reforma
Reforma protestante - Os 5 solas da reforma
 

Semelhante a CINCO SOLAS OS FUNDAMENTOS DA REFORMA PROTESTANTE

Deus criador dos céus e da terra
Deus   criador dos céus e da terraDeus   criador dos céus e da terra
Deus criador dos céus e da terra
Pastor Marcelo Silva
 
53ocredo-parteporparte-140821053153-phpapp02.pdf
53ocredo-parteporparte-140821053153-phpapp02.pdf53ocredo-parteporparte-140821053153-phpapp02.pdf
53ocredo-parteporparte-140821053153-phpapp02.pdf
alineCristina454052
 
Catequese "O Credo" parte por parte
Catequese "O Credo" parte por parteCatequese "O Credo" parte por parte
Catequese "O Credo" parte por parte
Jose Luis Beneli
 
Confissão de Fé Pentecostal
Confissão de Fé PentecostalConfissão de Fé Pentecostal
Confissão de Fé Pentecostal
Eduardo Sales de lima
 
Apresentação catequistas
Apresentação catequistasApresentação catequistas
Apresentação catequistas
Roberto Garcia
 
Apostila do discipulado encontro das aguas
Apostila do discipulado encontro das aguasApostila do discipulado encontro das aguas
Apostila do discipulado encontro das aguas
Pedro Henrique
 
Livreto: Na contramão do verdadeiro Evangelho
Livreto: Na contramão do verdadeiro EvangelhoLivreto: Na contramão do verdadeiro Evangelho
Livreto: Na contramão do verdadeiro Evangelho
Daniela Sipert
 
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo JesusLição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Éder Tomé
 
Doutrinas biblicas
Doutrinas biblicasDoutrinas biblicas
Doutrinas biblicas
Lemuell Canario
 
A) nosso credo
A) nosso credoA) nosso credo
A) nosso credo
Wander Pereira
 
A) nosso credo
A) nosso credoA) nosso credo
A) nosso credo
Wander Pereira
 
Panorama do NT - Romanos
Panorama do NT - RomanosPanorama do NT - Romanos
Panorama do NT - Romanos
Respirando Deus
 
Apostila evangelismo
Apostila evangelismoApostila evangelismo
Apostila evangelismo
Vandeir Monteiro Mendes
 
3124838.ppt
3124838.ppt3124838.ppt
04 creio
04 creio04 creio
Catequeses de Preparação para o Crisma
Catequeses de Preparação para o CrismaCatequeses de Preparação para o Crisma
Catequeses de Preparação para o Crisma
João Pereira
 
Razões da nossa fé lição 2
Razões da nossa fé   lição 2Razões da nossa fé   lição 2
Razões da nossa fé lição 2
Mariângela Domeniche Perdomo
 
Lição 3 - A salvação e o advento do Salvador
Lição 3 - A salvação e o advento do SalvadorLição 3 - A salvação e o advento do Salvador
Lição 3 - A salvação e o advento do Salvador
Erberson Pinheiro
 
Cat06
Cat06Cat06
Basicão em pdf
Basicão em pdfBasicão em pdf

Semelhante a CINCO SOLAS OS FUNDAMENTOS DA REFORMA PROTESTANTE (20)

Deus criador dos céus e da terra
Deus   criador dos céus e da terraDeus   criador dos céus e da terra
Deus criador dos céus e da terra
 
53ocredo-parteporparte-140821053153-phpapp02.pdf
53ocredo-parteporparte-140821053153-phpapp02.pdf53ocredo-parteporparte-140821053153-phpapp02.pdf
53ocredo-parteporparte-140821053153-phpapp02.pdf
 
Catequese "O Credo" parte por parte
Catequese "O Credo" parte por parteCatequese "O Credo" parte por parte
Catequese "O Credo" parte por parte
 
Confissão de Fé Pentecostal
Confissão de Fé PentecostalConfissão de Fé Pentecostal
Confissão de Fé Pentecostal
 
Apresentação catequistas
Apresentação catequistasApresentação catequistas
Apresentação catequistas
 
Apostila do discipulado encontro das aguas
Apostila do discipulado encontro das aguasApostila do discipulado encontro das aguas
Apostila do discipulado encontro das aguas
 
Livreto: Na contramão do verdadeiro Evangelho
Livreto: Na contramão do verdadeiro EvangelhoLivreto: Na contramão do verdadeiro Evangelho
Livreto: Na contramão do verdadeiro Evangelho
 
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo JesusLição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
 
Doutrinas biblicas
Doutrinas biblicasDoutrinas biblicas
Doutrinas biblicas
 
A) nosso credo
A) nosso credoA) nosso credo
A) nosso credo
 
A) nosso credo
A) nosso credoA) nosso credo
A) nosso credo
 
Panorama do NT - Romanos
Panorama do NT - RomanosPanorama do NT - Romanos
Panorama do NT - Romanos
 
Apostila evangelismo
Apostila evangelismoApostila evangelismo
Apostila evangelismo
 
3124838.ppt
3124838.ppt3124838.ppt
3124838.ppt
 
04 creio
04 creio04 creio
04 creio
 
Catequeses de Preparação para o Crisma
Catequeses de Preparação para o CrismaCatequeses de Preparação para o Crisma
Catequeses de Preparação para o Crisma
 
Razões da nossa fé lição 2
Razões da nossa fé   lição 2Razões da nossa fé   lição 2
Razões da nossa fé lição 2
 
Lição 3 - A salvação e o advento do Salvador
Lição 3 - A salvação e o advento do SalvadorLição 3 - A salvação e o advento do Salvador
Lição 3 - A salvação e o advento do Salvador
 
Cat06
Cat06Cat06
Cat06
 
Basicão em pdf
Basicão em pdfBasicão em pdf
Basicão em pdf
 

Último

Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
claudiovieira83
 

Último (12)

Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
 

CINCO SOLAS OS FUNDAMENTOS DA REFORMA PROTESTANTE

  • 2.  A graça vem aos pecadores somente por meio da morte de Cristo (solus Christus)
  • 3.  Não é a fé em si mesma que salva, e sim a fé em Jesus Cristo…  Estritamente falando, não é nem a fé em Cristo que salva, e sim Cristo que salva por meio da fé (por causa da graça)  (B.B. Warfield)
  • 4.  Quem é Cristo?  É Deus encarnado que se deu por nós
  • 5.  Quem é Cristo?  Jesus Cristo é descrito no NT como a segunda pessoa da Trindade.  É o Deus Filho, inteiramente divino e inteiramente humano!
  • 6. A Trindade e a natureza de Cristo PAI FILHO E.S. DEUS éé é não é não énão é 1. O Pai é Deus 2. O Filho é Deus 3. O E. S. é Deus 4. O Pai não é o Filho 5. O Filho não é o Pai 6. O Filho não é o Espírito 7. O Espírito não é o Filho 8. O Pai não é o Espírito 9. O Espírito não é o Pai
  • 7.  A Trindade e Cristo  “O Deus cristão é um Deus único, sendo um só ser, subsistindo em três pessoas, eternamente distintas, sendo estas três iguais: o Pai, o Filho e o Espírito Santo.”  São três pessoas, com a mesma essência, num só ser.
  • 8.  A Trindade e Cristo  Jesus Cristo, que é eternamente a 2a pessoa da Trindade e compartilha de todos os atributos divinos, tornou-se plenamente humano.  Ao entrar no mundo como ser humano, Jesus assumiu características humanas ainda que escolhesse voluntariamente exercer seus poderes divinos apenas de modo intermitente a fim de cumprir sua missão redentora.
  • 9.  O Credo de Nicéia (325)  Cremos em um só Deus, Pai, Todo- Poderoso, Criador de todas as coisas, visíveis e invisíveis.  Cremos num só Senhor Jesus Cristo, o unigênito Filho de Deus, um com o Pai antes de todos os séculos, Luz da Luz, verdadeiro Deus de verdadeiro Deus, gerado, não criado, de uma só substância com o Pai, pelo qual todas as coisas foram feitas;
  • 10.  O Credo de Nicéia (325)  ... o qual, por nós homens e por nossa salvação, desceu dos céus, foi feito carne pelo Espírito Santo através de Maria, e tornou-se homem, e foi crucificado por nós sob Pôncio Pilatos, e padeceu e foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras, e subiu aos céus e assentou-se à direita do Pai, e de novo há de vir com glória para julgar os vivos e os mortos, e o seu reino não terá fim.
  • 11.  O Credo de Nicéia (325)  Cremos no Espírito Santo, Senhor e Vivificador, que procede do Pai e do Filho, que com o Pai e o Filho conjuntamente é adorado e glorificado, que falou através dos profetas.  Cremos na Igreja una, santa, católica e apostólica. Confessamos um só batismo para remissão dos pecados. Esperamos a ressurreição dos mortos e a vida do século vindouro. Amém.
  • 12.  Resumo doutrinário  Diante dessa declaração de fé mesmo não sendo possível, sintetizamos Cristo assim:  Duas naturezas: divina e humana (1Tm 3.16)  Nascimento virginal (Mt 1.18-25; Lc 1.26-38)  Sem pecado (Rm 8.3; 2Co5.21; Hb 4.15)
  • 13.  Oficío de Cristo como profeta  Cristo é o profeta de que necessitamos para nos instruir nas coisas de Deus, para remover nossa cegueira e ignorância.  Cristo revelou plenamente o secreto conselho e vontade de Deus concernente à nossa redenção.  O profeta anuncia as boas novas.
  • 14.  Ofício de Cristo como profeta  Suscitar-lhes-ei um profeta do meio de seus irmãos, semelhante a ti, em cuja boca porei as minhas palavras, e ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar (Dt 18.18).  Eu sei, respondeu a mulher, que há de vir o Messias, chamado Cristo; quando ele vier, nos anunciará todas as coisas. Disse-lhe Jesus: Eu o sou, eu que falo contigo (Jo 4.25-26).
  • 15.  Ofício de Cristo como sacerdote  Cristo é o nosso Sumo Sacerdote que por meio do seu sacrifício, redimiu-nos e faz contínua intercessão por nós diante do Pai.  Nas palavras da Confissão de Fé Batista de 1689: Por causa da nossa alienação de Deus e da imperfeição de nossa melhor adoração, precisamos do ofício sacerdotal de Cristo para nos reconciliar com Deus e nos tornar aceitáveis a ele.
  • 16.  Ofício de Cristo como sacerdote  Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os céus, conservemos firmes a nossa confissão.  Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado (Hb 4.14-15 com 2.17).
  • 17.  Ofíico de Cristo como rei  Cristo é o Rei de um domínio eterno e espiritual, regendo-o por intermédio de seu Espírito Santo.  E, como tal ele dá ordens que espera sejam obedecidas. A primeira ordem do evangelho, é a pregação a respeito de Jesus. Ele revela que o verdadeiro significado das Escrituras é a salvação somente no Rei dos reis e Senhor dos senhores!
  • 18.  Ofício de Cristo como rei  “ ...mas acerca do Filho: O teu trono, ó Deus, é para todo o sempre; e: Cetro de equidade é o cetro do seu reino” (Hb 1.8).  Pois desta maneira é que vos será amplamente suprida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo” (2Pe 1.11).
  • 19.  O senhorio de Jesus  Cl 1.13-23  Introdução  Diante da singularidade de Jesus Cristo todo cristão deve reconhecê-lo como o Senhor de sua vida.  Neste texto encontramos cinco razões porque Jesus deve ser reconhecido como o Senhor de nossas vidas.
  • 20.  O senhorio de Jesus  Cl 1.13-23  1. Jesus é o Senhor por causa do seu relacionamento com Deus-Pai, v. 13, 15  2. Jesus é o Senhor por fazer parte dos planos eternos de Deus, v. 19-20  3. Jesus é o Senhor por causa da sua participação na criação do Universo, v.15-17
  • 21.  O senhorio de Jesus  Cl 1.13-23  3. Jesus é o Senhor por causa da sua participação na criação do Universo, v.15-17  4. Jesus é o Senhor por causa do seu relacionamento com a Igreja, v. 18,22  5. Jesus é o Senhor porque ele se tornou o ministro da reconciliação, v. 20, 15, 22
  • 22.  Paul Wascher (p. 62, 2014) recomenda:  Usemos a Bíblia para demonstrar a inutilidade das obras, das virtudes e do mérito pessoal;  Usemos a Palavra para dizer ao pecador olhar somente para Cristo e receber dele a salvação;  Usemos as Escrituras para demonstrar que necessitamos de uma autenticidade contínua com o confirmação da conversão e do senhorio de Cristo na vida!
  • 23.  Cristo, que é esse ser singular, tanto Deus como homem, para todo o sempre é a única e tão somente a única maneira pela qual podemos nos relacionar novamente com Deus, sendo ele mesmo o meio proposto por Deus para que isso aconteça.  “Permanecendo o que era, tornou-se o que não era” (Grudem, p. 465, 2006)
  • 24.  A importância da obra de Cristo  Só alguém que é verdadeira e plenamente Deus pode ser o mediador entre Deus e homem (1Tm 2.5), tanto para nos levar de volta a Deus como também para revelar Deus de maneira mais completa a nós (Jo 14.9).  Somente o sacrifício de alguém que era realmente divino poderia ter valor eterno e infinito. Um sacrifício de um mero ser humano e de um pecador não poderia perdoar pecado algum.
  • 25.  A importância da obra de Cristo  Somente alguém que fosse Deus infinito poderia arcar com toda a pena de todos os pecados de todos os que cressem nele — nenhuma criatura finita seria capaz de suportar a pena do pecado.  A salvação vem apenas do próprio Senhor, conforme o AT. Toda a mensagem das Escrituras é clara em dizer que nenhum ser humano, nenhuma criatura, jamais poderia salvar o homem. Só Deus pode salvar.