Outros aspectos da Guerra Fria:
O muro de Berlim:• Quando a Segunda Guerra Mundial terminou,  a capital alemã, Berlim, foi dividida em quatro  áreas. Esta...
• No ano de 1949, os países capitalistas  (Estados Unidos, França e Grã-Bretanha)  fizeram um acordo para integrar suas ár...
• Até o ano de 1961, os cidadãos berlinenses podiam  passar livremente de um lado para o outro da  cidade. Porém, em agost...
• O muro, que começou a ser construído em 13  de agosto de 1961, não respeitou casas,  prédios ou ruas. Policiais e soldad...
• Possuía cercas elétricas e valas para dificultar  a passagem. Havia cerca de 300 torres de  vigilância com soldados prep...
• Cidadãos da Alemanha foram para as ruas  comemorar o momento histórico e ajudaram  a derrubar o muro. O ato simbólico  r...
Soldados construindo o muro:
Queda do Muro em 1989:
Comemoração no Portão de     Brandenburg:
O fim da Guerra Fria:• A Guerra Fria começou a esfriar durante a  década de 1980. Em 1989, a queda do muro  de Berlim foi ...
• Repúblicas Socialistas Soviéticas URSS). Na sequência  deste fato, ocorreu a reunificação da Alemanha  Ocidental e Orien...
União Soviética:
Mikhail Gorbachev:
• A falta de concorrência, os baixos salários e a falta de  produtos causaram uma grave crise econômica. A  falta de democ...
• A União Soviética estava pronta para deixar o  socialismo, ruma a economia de mercado capitalista,  com mais abertura po...
• Na década de 1990, sem a pressão soviética,  os outros países socialistas (Polônia, Hungria,  Romênia, Bulgária, entre o...
• Portanto, a década de 1990 marcou o fim da  Guerra Fria e também da divisão do mundo  em dois blocos ideológicos. O temo...
Fragmentação da URSS• Começa em Setembro de 1991 com a  independência das Repúblicas Bálticas  (Lituânia, Letônia e Estôni...
• Em 08 de Dezembro de 1991, foi assinado o  Acordo de Minsk por Rússia, Ucrânia e  Bielorússia (Bielorus) formado a CEI  ...
Projeto Guerra nas Estrelas:
A Guerra Fria na África:• Havia um motivo peculiar para o interesse dos  países desenvolvidos pela África: as ditaduras  a...
• Com isso, os Estados Unidos, vencedores da  Guerra Fria, tornaram-se a única  superpotência mundial e encontraram novos ...
• A saída de Portugal abriu caminho para o surgimento  de regimes comunistas em Angola e Moçambique, e  para a deflagração...
• O fim da Guerra Fria não mudou a situação no  continente africano. O único fato de grande  importância nos anos 90 foi o...
Alguns filmes sobre Guerra Fria:
Oriente Médio:
• A Guerra Fria envolveu também uma das áreas mais  fascinantes e estratégicas do planeta: o Oriente  Médio. Habitada desd...
• Com todas essas características, o Oriente Médio  tornou-se um dos centros nevrálgicos da Guerra Fria.  O interesse pela...
• Os palestinos e os países árabes vizinhos, no  entanto, nunca aceitaram a criação de Israel.  A primeira guerra árabe-is...
• Por trás de cada conflito estava um jogo de alianças  internacionais que evidenciava o interesse das  superpotências na ...
Arafat:
• Uma situação que fugia à lógica da Guerra  Fria. O aiatolá Khomeini tratava Estados  Unidos e União Soviética como o Gra...
• A Guerra Fria, na verdade, permeou os  principais fatos políticos no mundo inteiro,  desde o término da Segunda Guerra a...
Aiatolá Khomeini:
A Guerra Fria na América Latina:• Na verdade, no chamado Terceiro Mundo era  a América Latina o principal foco de atenção ...
Golpe Militar no Chile:
Golpe Militar na Argentina:
Golpe Militar no Brasil:
• A partir desse momento, não demorou para  que as superpotências se preocupassem com  o Brasil, o maior país da América L...
• A Casa Branca tinha medo que de a revolução  cubana, que resultou num regime socialista,  se espalhasse pelas Américas. ...
• O presidente João Goulart era apontado como  simpatizante do socialismo e a economia do país  estava em crise, com índic...
Outros aspectos da guerra fria
Outros aspectos da guerra fria
Outros aspectos da guerra fria
Outros aspectos da guerra fria
Outros aspectos da guerra fria
Outros aspectos da guerra fria
Outros aspectos da guerra fria
Outros aspectos da guerra fria
Outros aspectos da guerra fria
Outros aspectos da guerra fria
Outros aspectos da guerra fria
Outros aspectos da guerra fria
Outros aspectos da guerra fria
Outros aspectos da guerra fria
Outros aspectos da guerra fria
Outros aspectos da guerra fria
Outros aspectos da guerra fria
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Outros aspectos da guerra fria

2.231 visualizações

Publicada em

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • sobre aspectos culturais me ajudem por favor
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.231
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Outros aspectos da guerra fria

  1. 1. Outros aspectos da Guerra Fria:
  2. 2. O muro de Berlim:• Quando a Segunda Guerra Mundial terminou, a capital alemã, Berlim, foi dividida em quatro áreas. Estados Unidos, Grã-Bretanha, França e União Soviética passaram a comandar e administrar cada uma destas regiões.
  3. 3. • No ano de 1949, os países capitalistas (Estados Unidos, França e Grã-Bretanha) fizeram um acordo para integrar suas áreas à República Federal da Alemanha (Alemanha Ocidental). O setor soviético, Berlim Oriental, passou a ser integrado a República Democrática da Alemanha (Alemanha Oriental), seguindo o sistema socialista, pró- soviético.
  4. 4. • Até o ano de 1961, os cidadãos berlinenses podiam passar livremente de um lado para o outro da cidade. Porém, em agosto de 1961, com o acirramento da Guerra Fria e com a grande migração de berlinenses do lado oriental para o ocidental, o governo da Alemanha Oriental resolveu construir um muro dividindo os dois setores. Decretou também leis proibindo a passagem das pessoas para o setor ocidental da cidade.
  5. 5. • O muro, que começou a ser construído em 13 de agosto de 1961, não respeitou casas, prédios ou ruas. Policiais e soldados da Alemanha Oriental impediam e até mesmo matavam quem tentasse ultrapassar o muro. Muitas famílias foram separadas da noite para o dia. O muro chegou a ser reforçado por quatro vezes.
  6. 6. • Possuía cercas elétricas e valas para dificultar a passagem. Havia cerca de 300 torres de vigilância com soldados preparados para atirar. Em 9 de novembro de 1989, com a crise do sistema socialista no leste da Europa e o fim deste sistema na Alemanha Oriental, ocorreu a queda do muro.
  7. 7. • Cidadãos da Alemanha foram para as ruas comemorar o momento histórico e ajudaram a derrubar o muro. O ato simbólico representou também o fim da Guerra Fria e o primeiro passo na reunificação da Alemanha.
  8. 8. Soldados construindo o muro:
  9. 9. Queda do Muro em 1989:
  10. 10. Comemoração no Portão de Brandenburg:
  11. 11. O fim da Guerra Fria:• A Guerra Fria começou a esfriar durante a década de 1980. Em 1989, a queda do muro de Berlim foi o ato simbólico que decretou o encerramento de décadas de disputas econômicas, ideológicas e militares entre o bloco capitalista, comandado por Estados Unidos e o socialista, dirigido pela União das
  12. 12. • Repúblicas Socialistas Soviéticas URSS). Na sequência deste fato, ocorreu a reunificação da Alemanha Ocidental e Oriental.• Podemos afirmar que a crise nos países socialistas funcionou como um catalisador do fim da Guerra Fria. Os países do bloco socialistas, incluindo a União Soviética, passavam por uma grave crise econômica na década de 1980.
  13. 13. União Soviética:
  14. 14. Mikhail Gorbachev:
  15. 15. • A falta de concorrência, os baixos salários e a falta de produtos causaram uma grave crise econômica. A falta de democracia também gerava uma grande insatisfação popular.• No começo da década de 1990, o presidente da União Soviética Mikhail Gorbachev começou a implementar a Glasnost (reformas políticas priorizando a liberdade) e a Perestroika (reestruturação econômica).
  16. 16. • A União Soviética estava pronta para deixar o socialismo, ruma a economia de mercado capitalista, com mais abertura política e democrática. Na sequência, as diversas repúblicas que compunham a União Soviética foram retomando sua independência política. Futuros acordos militares entre Estados Unidos e Rússia garantiriam o início de um processo de desarmamento nuclear.
  17. 17. • Na década de 1990, sem a pressão soviética, os outros países socialistas (Polônia, Hungria, Romênia, Bulgária, entre outros) também foram implementando mudanças políticas e econômica no sentido do retorno da democracia e engajamento na economia de mercado.
  18. 18. • Portanto, a década de 1990 marcou o fim da Guerra Fria e também da divisão do mundo em dois blocos ideológicos. O temor de uma guerra nuclear e as disputas armamentistas e ideológicas também foram sepultadas.
  19. 19. Fragmentação da URSS• Começa em Setembro de 1991 com a independência das Repúblicas Bálticas (Lituânia, Letônia e Estônia). Após este acontecimento a URSS passou a ser formada por 12 repúblicas.
  20. 20. • Em 08 de Dezembro de 1991, foi assinado o Acordo de Minsk por Rússia, Ucrânia e Bielorússia (Bielorus) formado a CEI (Comunidade dos Estados Independentes). Em 14 de Dezembro de 1991 teve a adesão de 8 países. A CEI não funciona como país, pois é formada por países - membros, que têm leis e nacionalidade próprias.
  21. 21. Projeto Guerra nas Estrelas:
  22. 22. A Guerra Fria na África:• Havia um motivo peculiar para o interesse dos países desenvolvidos pela África: as ditaduras africanas, miseráveis e violentas, eram excelentes compradoras de armas. Só por esse fato o continente ganhou destaque no panorama global do período. Na África, a Guerra Fria foi particularmente acirrada pelo fim do colonialismo português, em 1975 .
  23. 23. • Com isso, os Estados Unidos, vencedores da Guerra Fria, tornaram-se a única superpotência mundial e encontraram novos inimigos contra os quais lutar, como os fanáticos do Islã, de um lado, e os narcotraficantes, de outro lado.
  24. 24. • A saída de Portugal abriu caminho para o surgimento de regimes comunistas em Angola e Moçambique, e para a deflagração de conflitos tribais em diversos países do continente. As disputas internas e regionais estimularam os governantes a investir em armas poderosas, apesar da situação de miséria de suas populações.
  25. 25. • O fim da Guerra Fria não mudou a situação no continente africano. O único fato de grande importância nos anos 90 foi o fim do regime racista da África do Sul e a ascensão ao poder do líder negro Nelson Mandela, em 1994. No aspecto político e econômico, a África não exercia influência no cenário internacional.
  26. 26. Alguns filmes sobre Guerra Fria:
  27. 27. Oriente Médio:
  28. 28. • A Guerra Fria envolveu também uma das áreas mais fascinantes e estratégicas do planeta: o Oriente Médio. Habitada desde tempos imemoriais, a região destaca-se por três razões. Do ponto de vista econômico, é a mais rica em reservas de petróleo. Do ponto de vista geopolítico, serve de passagem entre Ásia e Europa. E no aspecto cultural, é o berço das três principais religiões monoteístas: o judaísmo, o cristianismo e o islamismo.
  29. 29. • Com todas essas características, o Oriente Médio tornou-se um dos centros nevrálgicos da Guerra Fria. O interesse pela região já era visível nos anos 40, quando as principais potências mundiais negociaram a criação do Estado de Israel, em 1948. Havia muitos interesses geopolíticos em jogo no Oriente Médio. A União Soviética, de um lado, e os Estados Unidos, de outro lado, acreditavam que Israel poderia se tornar um importante parceiro político na região.
  30. 30. • Os palestinos e os países árabes vizinhos, no entanto, nunca aceitaram a criação de Israel. A primeira guerra árabe-israelense, vencida por Israel em 1949, teve como conseqüência o fim do Estado árabe-palestino. Foi dividido entre Israel, Jordânia e Egito. Nas décadas seguintes, outras três guerras modificariam o panorama geopolítico do Oriente Médio.
  31. 31. • Por trás de cada conflito estava um jogo de alianças internacionais que evidenciava o interesse das superpotências na região. Somente em 1993, quando Israel e a OLP assinaram um acordo de paz, é que se acendeu uma pequena luz de esperança na região. Em outra parte do Oriente Médio, no entanto, havia um elemento complicador: em 1979, o Irã converteu-se ao islamismo xiita, com pretensões de levar o mundo na direção da fé muçulmana.
  32. 32. Arafat:
  33. 33. • Uma situação que fugia à lógica da Guerra Fria. O aiatolá Khomeini tratava Estados Unidos e União Soviética como o Grande Satã, como inimigos que deveriam ser combatidos em nome do Islã. A revolução iraniana era um fato novo no cenário internacional no fim dos anos 70. Até hoje, terminada a Guerra Fria, o Islã continua sendo um grande enigma contemporâneo.
  34. 34. • A Guerra Fria, na verdade, permeou os principais fatos políticos no mundo inteiro, desde o término da Segunda Guerra até o final dos anos 80. O complexo jogo das superpotências envolveu todos os continentes, inclusive a África.
  35. 35. Aiatolá Khomeini:
  36. 36. A Guerra Fria na América Latina:• Na verdade, no chamado Terceiro Mundo era a América Latina o principal foco de atenção das superpotências. Esse interesse, natural por causa da proximidade geográfica dos Estados Unidos, aumentou bastante a partir de 1959, quando Fidel Castro chegou ao poder em Cuba.
  37. 37. Golpe Militar no Chile:
  38. 38. Golpe Militar na Argentina:
  39. 39. Golpe Militar no Brasil:
  40. 40. • A partir desse momento, não demorou para que as superpotências se preocupassem com o Brasil, o maior país da América Latina. O golpe militar no Brasil, em março de 64, atendia à estratégia política dos Estados Unidos para a América Latina.
  41. 41. • A Casa Branca tinha medo que de a revolução cubana, que resultou num regime socialista, se espalhasse pelas Américas. Por causa disso, passou a patrocinar ditaduras em toda a América Latina. No Brasil, o quadro político e econômico favorecia os conspiradores.
  42. 42. • O presidente João Goulart era apontado como simpatizante do socialismo e a economia do país estava em crise, com índices elevados de inflação. Nos anos que se seguiram ao golpe de 64, o regime militar tornou-se mais forte e repressivo. O Ato Institucional número 5, de 1968, restringiu as liberdades democráticas e deu ao regime poderes quase irrestritos para governar, prender, torturar e eliminar adversários.

×