1
Mealhada
Trabalho elaborado por :
Ana Luísa, André Pereira, Marta Ferreira, Mário Vieira, nº 2, 6, 22, 21, 8 º E
2
Buçaco
Mata Nacional do Buçaco
Decidimos iniciar esta nossa reportagem, centrando a nossa
atenção na bela e magnífica ma...
3
Museu Militar do Buçaco
O Museu Militar do Buçaco foi
inaugurado em 27 de setembro de 1910, por
ocasião do 1º centenário...
4
hipercolesterolémia, diabetes e gota, afeções respiratórias crónicas-bronquite e asma; doenças reumáticas e
músculo-esqu...
5
Biblioteca Municipal da Mealhada
Localizada bem no centro da cidade de
Mealhada, a Biblioteca Municipal de Mealhada,
abe...
6
 Cabidela de Leitão
Prato típico da Região da Bairrada, confecionado com
sangue e miúdos do leitão (coração, pulmões e ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

2014 05-19 - reportagem marta mário e outros - 8 e

269 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
269
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
118
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2014 05-19 - reportagem marta mário e outros - 8 e

  1. 1. 1 Mealhada Trabalho elaborado por : Ana Luísa, André Pereira, Marta Ferreira, Mário Vieira, nº 2, 6, 22, 21, 8 º E
  2. 2. 2 Buçaco Mata Nacional do Buçaco Decidimos iniciar esta nossa reportagem, centrando a nossa atenção na bela e magnífica mata do Buçaco. A Floresta do Buçaco é um bosque espesso, muitas vezes secular, onde as árvores têm porte gigantesco e são ricas em essências, perfumes e fulgor. Nela encontramos cedros, abetos, sequóias, tílias, ulmeiros, loureiros, faias, rodoendros, fetos gigantes, acácias e freixos, provenientes da América, da Austrália, dos Himalaias ou de tantos outros locais do Mundo, plantadas e cuidadas por gerações de monges Carmelitas descalços, que viveram em clausura e contemplação por mais de 200 anos, entre 1630 e 1834, neste magnífico altar da Natureza, sagrado e protegido por bula do Papa Urbano VIII de 1634. Pela floresta, ao correr dos caminhos, há uma transparência de luz e frescura de sabor místico quase divino, há ermidas que evocam os Passos da Via Sacra, capelas votivas, alguns tugúrios, outrora refúgios dos frades em meditação, pequenos lagos e muitas fontes. Há ainda o maravilhoso Vale dos Fetos e um sítio idílico que todos deverão visitar e que é a deslumbrante Fonte Fria. Existe ainda, no cimo da colina sagrada, o miradouro da Cruz Alta, com um admirável panorama da floresta a guardar no seu coração o Convento das Carmelitas e o sumptuoso Palace Hotel do Buçaco, outrora residência de reis e que nos nossos dias recebe Homens de Estado e quem, na busca da tranquilidade, tem o gosto de se acolher num dos mais belos hotéis românticos da velha Europa.
  3. 3. 3 Museu Militar do Buçaco O Museu Militar do Buçaco foi inaugurado em 27 de setembro de 1910, por ocasião do 1º centenário da Batalha do Buçaco, que sintetiza a valentia e a ação heroica do exército anglo-luso durante o período da Guerra Peninsular. Ampliado e remodelado em 1962, dispõe de valiosas coleções de armas, uniformes e equipamentos utilizados na Batalha, de que se destaca uma peça de artilharia com a respetiva guarnição. Em painéis, aludindo aos brilhantes feitos de armas praticados, recorda-se com emoção e gratidão o comportamento corajoso e determinado de todas as Unidades portuguesas que tomaram parte na Guerra Peninsular (1808- 1814). À sua ação se ficou devendo a defesa da identidade e independência nacionais. Termas do Luso O Luso é uma estância termal e de férias situada no coração de Portugal. A tecnologia, associada à ação fisiológica da água termal, bem como os tratamentos especializados, sempre sob o acompanhamento de médicos e técnicos de saúde competentes, garantem ao visitante uma qualidade superior na prestação de todos os serviços associados ao complexo das termas. A água termal do Luso brota na parte central do balneário, situado em pleno centro da vila, com um caudal superior a 12.000 litros/hora e com uma temperatura de 27 graus centígrados. É utilizada pela clínica médica das termas, quer em curas de diurese, estimulando a função renal e potenciando uma ação depuradora e desintoxicante, quer no tratamento de afeções crónicas do aparelho reno-urinário-litiase renal e insuficiência renal. É utilizada ainda em doenças metabólicas-endócrinas – hipertensão arterial,
  4. 4. 4 hipercolesterolémia, diabetes e gota, afeções respiratórias crónicas-bronquite e asma; doenças reumáticas e músculo-esqueléticas e patologia dérmica. Reabilitação do aparelho locomotor, fisioterapia correctiva e recuperação da forma física são outros serviços de elevada qualidade e eficiência oferecidos por um excelente bloco de fisioterapia. Cineteatro Municipal Messias É atualmente o polo cultural mealhadense com uma sala de espetáculos utilizada para exibição de filmes, peças de teatro de dimensão nacional, conferências, exposições, festas, tanto particulares como públicas, e outros eventos culturais, como a cerimónia anual de entrega dos prémios do desporto concelhio ou o concerto de ano novo. É um edifício com um traçado típico do Estado Novo, de cores amarelo e branca em que se destaca uma torre que sobressai no enquadramento do edifício. É um dos dois edifícios do concelho com este tipo de arquitetura, sendo o outro o Grande Hotel do Luso na vila termal do Luso. Pouco tempo após a sua reinauguração, toda a área envolvente foi recuperada e ajardinada, dando ao teatro estacionamentos e uma nova imagem ao centro da cidade. No seu interior várias são as atividades que se desenvolvem, entre as quais atividades culturais, sociais, bem como realização de eventos e um simples tirar fotografias e filmar.
  5. 5. 5 Biblioteca Municipal da Mealhada Localizada bem no centro da cidade de Mealhada, a Biblioteca Municipal de Mealhada, aberta ao público desde novembro de 2005, para além dos serviços de leitura e consulta (formal e informal) e de empréstimo domiciliário (livros, filmes, discos, cd-roms), presta serviços de animação, funcionando também como extensão cultural (exposições, hora do conto, etc.). Proporciona ainda o livre acesso a computadores multimédia (informática e internet) e o serviço de reprografia. Pratos típicos da Mealhada  Leitão à Bairrada O Leitão da Bairrada é uma das 7 Maravilhas Gastronómicas, outrora consumido em dias festivos, atualmente move visitantes e turistas para a experiência da sua degustação. Merecedor do título de Rei, é enviado para o estrangeiro como embaixador da gastronomia portuguesa, sendo um cartão de visita da gastronomia bairradina. O leitão mantém a sua qualidade devido à escolha das raças que são utilizadas para a sua confeção. As raças selecionadas pelas suas características foram a Bísara, depois a raça do porco Malhado de Alcobaça e com o evoluir das engenharias e tecnologias, existe atualmente a raça Bairradinos, resultado do cruzamento das raças na linha materna Land Race com a Large White que originou a Raça Camborough e na paterna 100% bísara.
  6. 6. 6  Cabidela de Leitão Prato típico da Região da Bairrada, confecionado com sangue e miúdos do leitão (coração, pulmões e fígado) cortado aos bocadinhos e temperados com o molho do leitão, banha, sal, azeite, cebola, vinho tinto e água. Tradicionalmente, este prato é assado no forno, por baixo do leitão, aparando o molho que escorre deste.  Feijoada de Leitão A Feijoada de Leitão é uma agradável forma de aproveitar as partes menos nobres do leitão assado, que geralmente são as cabeças, pés e pernas. Assim para aproveitamento destas partes surgiu na Bairrada este prato apreciado por muitos. A Feijoada de Leitão é preparada com um refogado bem puxado a que se juntam os pedaços de leitão assado e feijão branco cozido na hora. No tempero, tem-se a particularidade de se usar molho de leitão.  Chanfana à Bairrada A Chanfana da Bairrada é uma das grandes especialidades da região. Pode ser de cabra ou carneiro e é cozinhada em forno de lenha, durante 4 a 5 horas, dentro de caçarolas de barro preto. Uma vez confecionado só é servido dois ou três dias depois, acompanhado com vinhos da região. É servida em quase todos os restaurantes da região. Eis, então, vários motivos que na nossa humilde opinião justificam uma paragem na Mealhada, quer para visitar o seu centro quer para visitar as maravilhas que se encontram ao seu redor e, não poderá abandonar o local, sem se deliciar com uma das iguarias que vos acabámos de apresentar. Contamos assim com a vossa visita!

×