TemasTemas• 26/03/11 - Daniel Cap. 1 – Quem sou eu?• 30/04/11 - Daniel Cap. 2 – Onde está a sabedoria?• 14/05/11 - Daniel ...
Mas o que é geração XYZ?Mas o que é geração XYZ?
Teoria geracionalTeoria geracionalGeração X Geração Y Geração ZNascidos entre osanos 1965 – 1976Nascidos entre osanos 1977...
Geração X Geração Y Geração ZNascidos entre os anos 1965 –1976Nascidos entre os anos 1977 e1994Nascidos entre os anos 1995...
Pontos negativos na avaliaçãoPontos negativos na avaliaçãogeracionalgeracional• Os estudos geralmente se referem sempre a ...
A cultura da BabilôniaA cultura da Babilônia
Babilônia – o maior reino que jáBabilônia – o maior reino que jáexistiuexistiu• Citada 290 vezes na Bíblia;• Principal Rei...
Cativeiro - Cronograma históricoCativeiro - Cronograma histórico605 – 536 – Cativeiro – Ministério de Daniel592 – 570 – Mi...
Situando-se:Situando-se:Quem foi Daniel?Quem foi Daniel?
Daniel – A 1ª impressãoDaniel – A 1ª impressão• Família rica, bem criado e formação familiar boa;• Seu nome foi dado em ho...
Daniel – Quem ele realmente eraDaniel – Quem ele realmente era• Se manteve à parte do paganismo cristão;• Recusava-se a se...
Daniel – Quem ele realmente eraDaniel – Quem ele realmente era• Era muito útil para Deus e para o rei (3 reinados);• Falav...
Quem sou eu?Quem sou eu?Daniel capítulo 1
A qualificação de um jovem na visãoA qualificação de um jovem na visãode uma cultura decaída (Dn 1.4)de uma cultura decaíd...
DeterminaçãoDeterminação“E Daniel propôs no seu coração não secontaminar com a porção das iguarias do rei,nem com o vinho ...
Visto de forma diferente pelasVisto de forma diferente pelaspessoaspessoas“Ora, Deus fez com que Daniel achasse graça emis...
Se destacam entre muitosSe destacam entre muitos“E o rei falou com eles; e entre todos eles não foramachados outros tais c...
A promessa sobre os queA promessa sobre os quepermanecem íntegrospermanecem íntegros“Viste um homem hábil naquilo que faz?...
Palavra-chave:Palavra-chave: ConvicçãoConvicção• Não sermos simplesmente mais um;• Termos comunhão com Deus;• Sermos humil...
Daniel 1
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Daniel 1

163 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Daniel 1

  1. 1. TemasTemas• 26/03/11 - Daniel Cap. 1 – Quem sou eu?• 30/04/11 - Daniel Cap. 2 – Onde está a sabedoria?• 14/05/11 - Daniel Cap. 3 – Ser diferente num mundo de iguais• 28/05/11 - Daniel Cap. 4 – Tolice e Arrogância transformada emsabedoria e humildade• 18/06/11 - Daniel Cap. 5 – Até onde podemos pressionar a Deus?• Daniel Cap. 6 – Quando a adversidade bate à porta• Daniel Caps. 7 a 12 – ....
  2. 2. Mas o que é geração XYZ?Mas o que é geração XYZ?
  3. 3. Teoria geracionalTeoria geracionalGeração X Geração Y Geração ZNascidos entre osanos 1965 – 1976Nascidos entre osanos 1977 e 1994Nascidos entre osanos 1995 a 2000
  4. 4. Geração X Geração Y Geração ZNascidos entre os anos 1965 –1976Nascidos entre os anos 1977 e1994Nascidos entre os anos 1995 a2000Chamada de “geração falida” Estão sempre conectados Todos os traços da geração YNão apegados aos pais Procuram informação fácil eimediataExtremamente conectados(mobilidade)Abertos ao relacionamentoSexual antes do casamentoPreferem computadores alivrosGrupos virtuaisNão acreditam tanto em Deus Preferem e-mails a cartas Mais individualistas (dentro deseus quartos)Busca da individualidade Digitam ao invés de escrever Forte responsabilidade socialBusca de seus direitos Vivem em redes derelacionamentosPreocupação com o meioambienteBusca de liberdade Compartilham tudo – dados,fotos, hábitosPreocupados com asustentabilidadeQuestionamento dos valoresmorais e éticosEstão sempre a procura denovas tecnologiasPreocupados com a ecologia eo meio ambiente
  5. 5. Pontos negativos na avaliaçãoPontos negativos na avaliaçãogeracionalgeracional• Os estudos geralmente se referem sempre a uma estrita faixa de jovens,não ao todos os jovens;• Nem todos os jovens são iguais – as pessoas são complexas;• É preciso ir mais a fundo para conhecer as pessoas às quais queremospregar o evangelho;““Avaliar as pessoas por sua faixa etária faz tanto sentido quanto categorizarAvaliar as pessoas por sua faixa etária faz tanto sentido quanto categorizaralguém por sua altura” (Pr. Mark Driscoll)alguém por sua altura” (Pr. Mark Driscoll)
  6. 6. A cultura da BabilôniaA cultura da Babilônia
  7. 7. Babilônia – o maior reino que jáBabilônia – o maior reino que jáexistiuexistiu• Citada 290 vezes na Bíblia;• Principal Rei: Nabucodonosor;• Nação pagã e idólatra;• Cultura de moral livre e padrões baixos;• Deportaram o povo judeu (2x);• Usavam os utensílios de Deus para cultos promíscuos;• O maior reino humano que já existiu – não existirá outro igual.
  8. 8. Cativeiro - Cronograma históricoCativeiro - Cronograma histórico605 – 536 – Cativeiro – Ministério de Daniel592 – 570 – Ministério deEzequiel627 – 580 – Ministério de Jeremias740 – 680 – Ministériode Isaías538 – Ciro decreta oretorno dos judeus700 a.C. 600 a.C. 500 a.C.
  9. 9. Situando-se:Situando-se:Quem foi Daniel?Quem foi Daniel?
  10. 10. Daniel – A 1ª impressãoDaniel – A 1ª impressão• Família rica, bem criado e formação familiar boa;• Seu nome foi dado em homenagem a um dos filhos de Davi;• Foi levado ainda jovem para a Babilônia;• Teve seu nome mudado;• Estudou por 3 anos na UFBA;• Num primeiro momento, um caso clássico de cristão liberal, quemesclava o paganismo pagão à sua religião, para evitar conflitos.
  11. 11. Daniel – Quem ele realmente eraDaniel – Quem ele realmente era• Se manteve à parte do paganismo cristão;• Recusava-se a se curvar diante dos deuses falsos e dos ídolos;• Recusou a comida do rei;• Recusou ser chamado pelo nome pagão (Beltessazar) e deixar aBabilônia definir sua identidade;• Recusou-se a parar de orar, ainda que lhe custasse ser estraçalhadopelos leões;• Tinha amigos fiéis, a quem prestava contas.
  12. 12. Daniel – Quem ele realmente eraDaniel – Quem ele realmente era• Era muito útil para Deus e para o rei (3 reinados);• Falava abertamente ao rei que ele era um inimigo de Deus e que precisavase arrepender de seus pecados;• Tinha consciência sobre a cultura pecaminosa da Babilônia e não participavade seus elementos mundanos;• Atribuía sua sabedoria e habilidades a Deus;• Apesar de sua pouca idade e dificuldade de sua posição, conseguiu glorificara Deus, proclamando e vivendo a verdade de uma maneira fácil, masacessível à Babilônia.
  13. 13. Quem sou eu?Quem sou eu?Daniel capítulo 1
  14. 14. A qualificação de um jovem na visãoA qualificação de um jovem na visãode uma cultura decaída (Dn 1.4)de uma cultura decaída (Dn 1.4)• Jovens sem defeito algum;• De boa aparência;• Instruídos em toda a sabedoria;• Doutos em ciência;• Entendidos no conhecimento;• Com habilidades;• Aptos a ensinar.
  15. 15. DeterminaçãoDeterminação“E Daniel propôs no seu coração não secontaminar com a porção das iguarias do rei,nem com o vinho que ele bebia; portanto pediuao chefe dos eunucos que lhe permitisse não secontaminar.”(Daniel 1.6)
  16. 16. Visto de forma diferente pelasVisto de forma diferente pelaspessoaspessoas“Ora, Deus fez com que Daniel achasse graça emisericórdia diante do chefe dos eunucos.”(Daniel 1.9)(Compreensão, boa vontade, bondade)
  17. 17. Se destacam entre muitosSe destacam entre muitos“E o rei falou com eles; e entre todos eles não foramachados outros tais como Daniel, Hananias, Misael eAzarias; portanto ficaram assistindo diante do rei.E em toda a matéria de sabedoria e de discernimento,sobre o que o rei lhes perguntou, os achou dez vezesmais doutos do que todos os magos astrólogos quehavia em todo o seu reino.”(Daniel 1.19-20)
  18. 18. A promessa sobre os queA promessa sobre os quepermanecem íntegrospermanecem íntegros“Viste um homem hábil naquilo que faz? Perante reisserá colocado, e não com os demais.”(Provérbios 22.29)
  19. 19. Palavra-chave:Palavra-chave: ConvicçãoConvicção• Não sermos simplesmente mais um;• Termos comunhão com Deus;• Sermos humildes;• Sabermos quem somos e onde queremos chegar;• Perseverarmos;• Suportarmos as pressões de fora;• Termos amigos fiéis a Deus;• Dizer “não”!“Permaneça em mim... Sem mim nada podeis fazer...” (João 15.4 e 5)

×