1
2
Chicos
N. 43
Julho 2015
e-zine de literatura e ideias
de Cataguases – MG
Capa
Editores
Emerson Teixeira Cardoso
José Ant...
3
Sumário
FERNANDO ABRITTA
Jf _ jF e outros poemas...........................................................................
4
Fernando Abritta
Nasceu em Cataguases MG, Nativo de Cataguarino, Cataguases–
MG, em 1950. Mora em Juiz de Fora. Tem dois...
5
J u i z d e F o r a e s p a l h a
p o r e n t r e m o r r o s
e v a l e s
a p e r t a d a s
r u e l a s l o t a d a s :
...
6
Como fazer um bom café:
T e r n a m e d i d a
c o l h e r d a s d e s o p a
b e m c h e i a d o f i n o p ó n e g r o
p ...
7
Pirilampo
A b r a o s o l h o s
F e c h e o l h o s
A b r o l h o S
A v i d a é u m r e l â m p a g o
F e c h e o s o l ...
8
VODUM e A Árvore do Esquecimento
Talvez não entenda
a lenda silenciosa em mim.
Luiz Ruffato
– E m m i m O y á a b r e t ...
9
– E m m i m m e r g u l h a I e m a n j á ,
n o s a n g u e q u e n t e e l a n a d a s e u s p e i x e s .
V e l h a d ...
10
– E m m i m X a n g ô ,
e m m e u s o l h o s g ê m e o s
t e m s e u d u p l o ,
r e l â m p a g o e f o g o , v e n t...
11
– O x u m e m m i m e s c o r r e c o m o á g u a
p o r o l h o s , b r a ç o s , p e r n a s e f a l a .
M ã e p r o t...
12
– E m m i m O y á a b r e t r o n c o s d e b a o b á ,
e m m i m m e r g u l h a I e m a n j á ,
e m m i m X a n g ô ,...
13
Ferida
N ã o t i n h a t e m p o
J á h a v i a u m f i l h o
E e m p r e g o n o v o
E f r i o b a r r a c o d e f u n ...
14
Chicos 43
Flausina Márcia
Nasceu em Cataguases MG, mora em Belo Horizonte, onde trabalhou
na Secretaria de Cultura de M...
15
Chicos 43
Au
L e t r a f a z p a l a v r a
s o l e t r a p o e s i a , t r a z
d e l o n g e , L i a .
S e r c e l e s ...
16
D e n t r o e f o r a d e l a
c a r g a s e m l i m i t e ,
c e g u e i r a a o s b u r r o s ,
d e s a s t r e a o s h...
17
Chicos 43
Existência -1985 - Manabu Mabe
Antônio Perin
Baiano, nasceu em Itaobim MG, cresceu nas franjas do Meia Pataca...
18
Chicos 43
Eduardo Dalter
Nasceu em Buenos Aires, Argentina, em 1947. Em 1971 publicou seu
primeiro livro de poesia, tem...
19
Chicos 43
El hombre de bolso al hombro
E l h o m b r e d e b o l s o a l h o m b r o q u e v a
e n e l e s t r i b o ,
...
20
Chicos 43
Furgón de carga
E n e l o s c u r o f u r g ó n d e c a r g a ,
r e p l e t o
d e b i c i c l e t a s v i e j...
21
Chicos 43
Aire Duro
Dos poemas
Progresos
B u l l e n l o s s u b u r b i o s , s e
e x t i e n d e n
f e b r i l e s , ...
22
Chicos 43
Postal
R e s u e n a l a m ú s i c a
d e s d e e l g a l p ó n
d e c h a p a s , q u e l u c e
s u c a r t e ...
23
Chicos 43
Haroldo de Campos, poeta da “transcriação”
Haroldo de Campos
Nasceu em São Paulo SP, em 19.08.1929 e faleceu ...
24
Chicos 43
José Antonio Pereira
Nasceu em Cataguases MG, é coautor de A casa da Rua Alferes e outras crôni-
cas (2006) e...
25
Chicos 43
A m o r t e , n u m c l i m a d e f i c ç ã o c i e n t i -
f i c a , m o v i m e n t a - s e , u t i l i z a...
26
Chicos 43
Emerson Teixeira Cardoso
Nasceu em Cataguases MG, é autor de Símiles (2001) poesia, coautor de A
casa da Rua ...
27
Chicos 43
T í t u l o s d e f a b u l o s o s c a r t o o n s e x i -
b i d o s n o s t e m p o s h e r o i c o s d a T...
28
Chicos 43
Eltânia André
Nasceu em Cataguases MG, reside em São Paulo SP. Autora dos livros de
contos Meu nome agora é J...
29
Chicos 43
D e i x o m i n h a a n t i g a i m a g e m s o b r e
a m e s a .
M e s m o a s s i m , o f i l m e r e t o m...
30
Chicos 43
José Antonio Pereira
Nasceu em Cataguases MG, é coautor de A casa da Rua Alferes e outras crôni-
cas (2006) e...
31
Chicos 43
Artur da Távola
Nasceu no Rio de Janeiro em 03.01.1936. Faleceu em 09.05.2008.
Artur da Távola é o pseudônimo...
32
Chicos 43
Antônio Jaime Soares
Nasceu em Cataguases MG, lá na Chave.
Já foi redator de publicidade. Poeta e cronista pu...
33
Chicos 43
Paulo Flexinha
Paulo Márcio de Miranda
Apresentado pelo próprio no horário sertanejo da Rádio MEC AM—
RJ Prod...
34
Chicos 43
S e m l u a e m n o i t e e s c u r a
o s v a g a - l u m e a l u c i n a
r o ç a n u m v a i l u z i l é t r...
35
Chicos 43
P o r s o r t e u m a c a b r i n h a
q u e d a v a l e i t e f r e s q u i m
j u s t o p r a m o d e o s u s...
36
Chicos 43
N ó i s d r u m i a c u m a a r g a z a r r a
d o s s a p o e g r i l o n o b r e j á
p r a d i s p e r t á ,...
37
Chicos 43
N ó i s t o m é m f o i c a n d i ê r o
g u i a v a o s c a r r o d e b o i
q u e c a n t a v a n o s ê x o u...
38
Chicos 43
M e l e m b r o A b é r c i o , o “ N e g u i n a ”
u m c o i c e n a t e s t a , d a p o t r i n h a
n u m j...
39
Chicos 43
A i n d a t á n a l e m b r a n ç a
a s v a c a d e l e i t e , a o r d e n h a
o q u e i j o q u e e r a u m...
40
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Chicos 43

509 visualizações

Publicada em

e-zine literária de Cataguases

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
509
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
215
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Chicos 43

  1. 1. 1
  2. 2. 2 Chicos N. 43 Julho 2015 e-zine de literatura e ideias de Cataguases – MG Capa Editores Emerson Teixeira Cardoso José Antonio Pereira Fotógrafo Vicente Costa Ilustrador Altamir Soares Colaboradores desta edição Antônio Jaime Soares Antônio Perin Eduardo Dalter Eltãnia André Fernando Abritta Flausina Márcia da Silva Fale conosco em: cataletras.chicos@gmail.com Visite-nos em: http://chicoscataletras.blogspot.com/ Um dedo de prosa Cataguases comemora o centenário de sua Ponte Ve- lha. Ela liga as duas barrancas do Rio Pomba; já foi cantada em prosa e verso por seus velhos e novos poetas. Ela é a nossa capa num trabalho do Altamir. Nossas homenagens à velha senhora. Fernando Abritta nos brinda com uma nova fornada de ótimos poemas. Entre os poetas argentinos, quem reaparece por aqui é o Eduar- do Dalter. Vocês verão algumas considerações sobre Haroldo de Campos o poeta da transcriação. Eltânia André nos fala em sua crônica, sobre um filme de Ja- romil Jires. Filme que acabamos de assistir, dentro de um ciclo do cinema tcheco capitaneado pelo Fernando Cesario. Antônio Jaime enviou um interessante material sobre o Paulo Flexinha que compartilhamos com vocês. Divirtam-se! Os Chicos 18.11.1930 - 20.08.2014
  3. 3. 3 Sumário FERNANDO ABRITTA Jf _ jF e outros poemas......................................................................................04 FLAUSINA MÁRCIA Dígito F e outro poema .....................................................................................14 ANTÔNIO PERIN Chão da tecelagem..............................................................................................17 EDUARDO DALTER Papeles em la noche ...........................................................................................18 HAROLDO DE CAMPOS Poeta da “transcriação”.....................................................................................23 JOSÉ ANTONIO PEREIRA 23 horas e 3 minutos...........................................................................................24 EMERSON TEIXEIRA CARDOSO O Leitor..............................................................................................................26 ELTÂNIA ANDRÉ Deslumbramentos...............................................................................................28 JOSÉ ANTONIO PEREIRA Devotos do Santa Rita........................................................................................30 ARTUR DA TÁVOLA A morte do locutor...............................................................................................31 ANTÔNIO JAIME SOARES Era uma vez uma voz.........................................................................................32 PAULO MÁRCIO DE MIRANDA Paulo FleXinha.....................................................................................................33 Chicos 43
  4. 4. 4 Fernando Abritta Nasceu em Cataguases MG, Nativo de Cataguarino, Cataguases– MG, em 1950. Mora em Juiz de Fora. Tem dois livros publicados pela lei Murilo Mendes de Juiz de fora - umÁrvore e O Caso da Menina que Perdeu a Voz, e Uma Verde História pela lei Ascânio Lopes de Cata- guases em parceria com Joaquim Branco, um e-book - Relâmpago. E os inéditos MulaSemCabeça e A Árvore do Esquecimento. Outras participações: Grupo 13–RJ(1971); Expoética–RJ(1973); TO- TEM(1975 a 1977); Jornal DE FATO(1977); Jornal TABU(1977); Expoética–Natal-RGN(1977); Arte de Rua-Brusque–SC(1978); jor- nal A República-Natal–RGN(1978); Expoética–80-Cataguases-MG (1980); Cataguases-Cartazes(2014) J f _ j F P a r a R o n a l d o C a g i a n o J f p a s s a p o r p o n t e s n o P a r a i b u n a i m u n d o e n t r e p r é d i o s c o m p r i m i d o s p r e n d e n d o p o r t a i s e p o r t a s o n d e P e d r o , o s e g u n d o , d e v e r i a p a s s a r p a r a r p e r n o i t a r ( p r e f e r i u p a l á c i o d e P r o c ó p i o , o M a r i a n o ) . j F a t r a v e s s a f u n d o s e c a s a s a n t i g a s q u i n t a s , q u i n t a i s , v a r a n d a s p e r d i d a s g a l e r i a s f u r a n d o q u a d r a s q u a r t e i r õ e s i m e n s o s d e e x t e n s o s d o s f i l h o s ( h e r d a d o s d o e n g e n h e i r o v e l h o H a l f e d ) . J F c o r r e e n t r e B a r ã o d o R i o B r a n c o e G e t ú l i o V a r g a s n o l i m i t e d a I n d e p e n d ê n c i a a g o r a I t a m a r i n d e c ê n c i a d e a p e r t o p r e s s a s a c o l e j o ( u r b a n o t r a n s p o r t e a n i m a l i n u m a n o ) . e s c o r r e p a s s a a t r a v e s s a c o r r e o t e m p o n e n h u m c a f e z a l a s u s t e n t a n a d a m a i s d o s t a n t o s e s c r a v o s n e g r o s n e m d e a l e m ã e s i t a l i a n o s t u r c o s n ã o m a i s a l a b o r i o s a i n g l e s a n a d a m a i s d o s m u i t o s o p e r á r i o s n u n c a c a p i t a l s o n h a d a d o v e l h o e n g e n h e i r o . Chicos 43
  5. 5. 5 J u i z d e F o r a e s p a l h a p o r e n t r e m o r r o s e v a l e s a p e r t a d a s r u e l a s l o t a d a s : g e n t e f a z e n d o g e n t e v i d a c r i a n d o o c o m u m c o m u m v i r a n d o o v a l o r . E x p l o d e o c a s u l o e c r e s c e n e g r a b r a n c a a m a r e l a m e s t i ç a m i s c i g e n a d a a n t r o p o f á g i c a d e s e s p e r a d a e g a r g a l h a n o m i s s g a y . Chicos 43
  6. 6. 6 Como fazer um bom café: T e r n a m e d i d a c o l h e r d a s d e s o p a b e m c h e i a d o f i n o p ó n e g r o p r a c a d a x í c a r a d e á g u a . ( u m a d a s v e l h a s c o l h e r e s d o s c a c a r e c o s h e r d a d o s . ) E s p e r a r f o g o i n i c i a r p u l o s d a á g u a e b e m n o i n í c i o d o j o g o ( p i c u m ã s q u e e n f e i t a v a m o t e t o s u m i r a m . ) d e i t a r n e s s a á g u a n u m e r a d a s c o l h e r a d a s d o p ó e d a f e r v u r a e s p e r a r e s p u m a t r e p a r b o r d a s d a p a n e l a q u e n t e . ( c h a m a s v e r m e l h a s n ã o q u e i m a m o l h o s , n e m f u m a ç a m d i s f a r ç a n d o l á g r i m a s . ) C a l m a e s o l e n e m e n t e v e r t e r l í q u i d o f e r v e n t e a o c o a d o r e s o r v e r ( b a r u l h o d e c e b o l a f r i t a n d o n a p a n e l a d e a r r o z , c o l h e r d e p a u b a t e n d o a n g u , a i n d a e m / c a n t a n o o u v i d o ) c h e i r o o d o r p e r f u m e d o c a f é q u e n t e e s p a r r a m a n d o p e l o a r d a c a s a q u e a c o r d a s o n o l e n t a . ( c h e i r o d o c a f é s e m p r e n o s l e v a ( r á ) p r a c a s a , C a r o l , p r a a l g u m a d e l a s . ) Chicos 43
  7. 7. 7 Pirilampo A b r a o s o l h o s F e c h e o l h o s A b r o l h o S A v i d a é u m r e l â m p a g o F e c h e o s o l h o s A b r a o l h o s F e c h o l h o S R e l â m p a g o P i r i l a m p o a p a g o u r a l a n d o a s a e r e l a n d o p e r n a r i s c o b r i l h o l u z p u l o u s u m i u R e l â m p a g o l u m i o u e s c u r o l o n g e b r e u d a n o i t e r e s p o n d e u p i r i l a m p a g o u n o c é u S o m c h e g o u t r o v ã o d e p o i s r e b o m b a n d o g r o t a a p ó s P i r i l a m p o p i r i l a m p e o u a t r á s l u z i n d o f r e s t a a d e n t r o C h u v a d e s c a r r e g o u l a v a n d o v e n t o P i r i l a m p o a p a g a d o r e s t o u . V i d a é r e l â m p a g o . Chicos 43
  8. 8. 8 VODUM e A Árvore do Esquecimento Talvez não entenda a lenda silenciosa em mim. Luiz Ruffato – E m m i m O y á a b r e t r o n c o s d e b a o b á , n o s g a l h o s o f e r e c e f o l h a s a o c h á . E m m i m b a o b á , t r o n c o f o r t e n o c h ã o , p r o t e ç ã o d o p o v o q u e o e n v o l v e . E m m i m r a í z e s d o b a o b á v i r a m v e r m e l h o s a n g u e n e g r o c r u z a n d o o c e a n o , s a l g a n d o m e d o . E m m e u s a n g u e O y á , s e n h o r a d a t e r r a , N a n á N a n ã I a n s ã , e m m e u s a n g u e f a l a . r e i A g o n g l ô v i s i t a o m e r c a d o , a p r e s e n t a a E x u s u a d e s c e n d ê n c i a : a o l a d o , A d o n d o z a m , f i l h o m a i s v e l h o , s e r i a r e g e n t e a p ó s s u a m o r t e , a t é q u e G u e z o , o h e r d e i r o i n f a n t e , e s t e j a p r o n t o p a r a s u b i r a o t r o n o . Chicos 43
  9. 9. 9 – E m m i m m e r g u l h a I e m a n j á , n o s a n g u e q u e n t e e l a n a d a s e u s p e i x e s . V e l h a d o n a d o m a r a b r e m u n d o e m s e u v e n t r e e m i n h a b o c a f a l a . F i l h o d a j o v e m e s p o s a N ã A g o t i m é , G u e z o s e r i a r e i . A d a n d o z a n , f i l h o d a o u t r a , t e r i a r e i n a d o c o m f i m d e t e r m i n a d o e i s s o n ã o s a t i s f e z A d a n d o z a n , i s s o n ã o o s a t i s f e z , n ã o s a t i s f e z A d a n d o z a n . Chicos 43
  10. 10. 10 – E m m i m X a n g ô , e m m e u s o l h o s g ê m e o s t e m s e u d u p l o , r e l â m p a g o e f o g o , v e n t o e t r o v ã o . E m m i m s e u m a c h a d o b a t e c o r a ç ã o e p u l s a s o m d o t a m b o r : e c o a e f a l a . A g o n g l ô m o r r e u , d e i x o u d o i s r e i s : A d a n d o z a n , v i o l e n t o s a n g u i n á r i o , G u e z o , c r i a n ç a , i n f a n t e . A d a n d o z a n a s s e n t o u - s e s o b r e o s e u t r o n o d e ú n i c o t r o n c o , n a m e d i d a e x a t a d e s e u t r a s e i r o , n a a l t u r a c o m p l e t a d e s e u j o e l h o e , d e c i m a d e l e , l á d e c i m a r e s o l v e u . S u b i u e n ã o d e s c e r i a m a i s , n i n g u é m o t i r a r i a d e l á . Chicos 43
  11. 11. 11 – O x u m e m m i m e s c o r r e c o m o á g u a p o r o l h o s , b r a ç o s , p e r n a s e f a l a . M ã e p r o t e t o r a , e d u c a d o r a , v a l e n t e s e n h o r a d e r i o s , d e c o r r e n t e s á g u a s e m m i n h a l í n g u a m o l h a d a f a l a . A d a n d o z a n f e z N ã A g o t i m é , e s p o s a d e A g o n - g l ô , m ã e d o i n f a n t e h e r d e i r o G u e z o , r o d a r o t r o n c o d a á r v o r e , d a q u e l a q u e r o u b a m e m ó r i a s , á r v o r e d o e s q u e c i m e n t o , p a r a q u e r a i n h a n ã o l e m b r a s s e s e r e s p o s a d e h e r ó i , m ã e d e h e r d e i r o , p a r a q u e e s q u e c e s s e e f o s s e e s q u e c i d a , s u m i s s e n o o u t r o l a d o d a s á g u a s e m t e r r a s d e s c o n h e c i d a s . A d a n d o z a n f e z N ã A g o t i m é , M ã e d e G u e z o , f e z d e l a e s c r a v a d e b r a n c o s . E m n a v i o n e g r e i r o , t u m b e i r o t ú m u l o , N ã A g o t i m é f o i Chicos 43
  12. 12. 12 – E m m i m O y á a b r e t r o n c o s d e b a o b á , e m m i m m e r g u l h a I e m a n j á , e m m i m X a n g ô , O x u m , e m m i m , e m m i n h a l í n g u a m o l h a d a f a l a . Á r v o r e d o E s q u e c i m e n t o , g u a r d o u h i s t ó r i a . E n q u a n t o G u e s o c r e s c i a , s e f o r t a l e c i a , p a s s a d o s v i n t e a n o s , e l e d e r r u b o u A d a n d o - z a n d o t r o n o . A d a n d o z a n m o r t o , g o v e r n o f i n d o , G u e s o e n t r e g o u a o b r a n c o n e g r e i r o o t r o n o q u e n a v i o t u m b e i r o l e v a s s e e m b o r a c o m o o f e r t a a o j o v e m i m p e r a d o r b r a s i l e i r o . E m t r o c a , v o l t a s s e m c o m N ã A g o t i m é . E n ã o e n c o n t r a n d o a r a i n h a - m ã e , G u e s o m a n d o u e m b a i x a d o r e s v a s c u l h a r e m p o r t o s d e t o d a s a s A m é r i c a s . S e N ã A g o t i m é v o l t o u r a i n h a p a r a o D a o m é , s e n o B r a s i l f i c o u , n i n g u é m s a b e . Q u e m s a b e r i a ? D e u s e s d a f a m í l i a r e a l d e A g o n g l ô , A d a n d o z a n , G u e z o , a t é h o j e p r o t e g e m a C a s a d a s M i n a s e m S ã o L u i z , Chicos 43
  13. 13. 13 Ferida N ã o t i n h a t e m p o J á h a v i a u m f i l h o E e m p r e g o n o v o E f r i o b a r r a c o d e f u n d o s N ã o h a v i a t e m p o n e m t e v e e s p a ç o p r a v o c ê , m a i s u m . q u a n d o c h e g o f o r t e à t e r c e i r a i d a d e h o j e s i n t o s u a a u s ê n c i a s i n t o s u a f a l t a a q u i . E u q u e n e m s e i s e v o c ê e x i s t i u o u s e r i a e u s e u p a i O u v o c ê s e r i a r o u b a r i a m a t a r i a i r i a s e r b r i l h a n t e e l a o u p r ó d i g o e l e . R e s u m i n d o , f i l h o , b e m f u n d o s u a f a l t a m e s m o f a l s a m e f e r e . Chicos 43
  14. 14. 14 Chicos 43 Flausina Márcia Nasceu em Cataguases MG, mora em Belo Horizonte, onde trabalhou na Secretaria de Cultura de Minas Gerais. Publicou entre outros: Va- galume (2002), Sua Casa Minha Cruz (2003) e Poemas Declives (2014). D í g i t o F F a z - m e f a l t a , d o s f i l h o s , o o l h a r a t e n t o a o p r ó x i m o p a s s e d e m á g i c a d a m ã e . F o r a m t o d o s a p r e n d i d o s . Q u e r o a g o r a o l h o i n f a n t e p a r a v ê - l o s d e s a t e n t o s . M a s s a b e d o r e s a i n d a , m ã e é f e r a e f a i s ã o e l a é f á b u l a e f a l c ã o . F o c a n ã o .
  15. 15. 15 Chicos 43 Au L e t r a f a z p a l a v r a s o l e t r a p o e s i a , t r a z d e l o n g e , L i a . S e r c e l e s t e Te r r á q u e o G r a n d e Q u e r m i n h a f a l a a l a - m e d e p e r m a n ê n c i a s , m a s n ã o s a b e d e m i m . F ê m e a S u s p e i t a A z i a g a A m i n a , t ã o v e l h a t ã o m o r r o , t ã o b e s t a l e m b r a s i l i c o s e e d o r.
  16. 16. 16 D e n t r o e f o r a d e l a c a r g a s e m l i m i t e , c e g u e i r a a o s b u r r o s , d e s a s t r e a o s h o m e n s . L i a s , s e e l o q ü e n t e s , p e r a n t e i n d e n i z a ç õ e s , c o b r a m b a r r a s d e o u r o , n o v o l u m e d o s c a i x õ e s , p a i s , f i l h o s , a m o r e s , e s p e r a n ç a s p e r d i d a s . S i r e n e f a z d i á r i a p u x a f u n d o , t r a z d e l o n g e , o t r a b a l h o . s e r c e l e s t e t e r r á q u e o g r a n d e Q u e r m e u s s e n t i d o s m i n e r a e m m i m o b r i l h o d a v i d a . Chicos 43
  17. 17. 17 Chicos 43 Existência -1985 - Manabu Mabe Antônio Perin Baiano, nasceu em Itaobim MG, cresceu nas franjas do Meia Pataca ouvindo sapateiros, costureiras, roceiros, tecelões contarem seus casos e suas histórias de trabalho. Se encantava com folias de reis e embria- gados calangueiros em seus desafios pelos becos da infância. Em casa escutava as alucinantes histórias paterna, ouvia a avó negra cantando benditos em latim enquanto costurava, estranhava a emoção materna entre novelas radiofônicas e os afazeres domésticos. Chão da tecelagem U m a l u z v a g a é r e f l e t i d a p e l a a l m o t o l i a , c r i a n d o n u v e n s ú m i d a s d e ó l e o e m e l a n c o l i a . E a o f u n d o e s c u r o , q u e n t e , s u j o c o m o m u n d a n a f e s t a , c r u z a m f i o s e r o s t o s a o c o m p a s s o d a f é r r i c a o r q u e s t r a . E n v o l t o s p o r m e d o s e s i l ê n c i o s d e p a l a v r a s e n g o l i d a s e n t r e o p ó r o s t o s o c u l t o s p e l o e s t r a n h o v é u . C a r e t a s d e f o m e e d e s e s p e r a n ç a , q u e m s a b e s o n h e m c o m o c é u . C r u z a m o a r o l h a r e s , b a l b u c i a s d e v a g a s s u g e s t õ e s . . . F u n d e m - s e s e n t i m e n t o s m í s t i c o s E h u m a n a s t e n t a ç õ e s . . . .
  18. 18. 18 Chicos 43 Eduardo Dalter Nasceu em Buenos Aires, Argentina, em 1947. Em 1971 publicou seu primeiro livro de poesia, tem participado ao longo do tempo, com sua poesia, em importantes publicações em seu país e na América como: revista Crisis (Buenos Aires), a revista Alero (Universidade de Guate- mala), Shantih revista (Nova York), a revista National Cultura (Caracas), e da revista Casa de las Américas (Havana), entre outras. Durante os anos da ditadura militar na Argentina viveu no Oriente e na cidade venezuelana de Maracaibo, onde, em 1982, e publicou um de seus livros. Participou de palestras, reuniões e leituras poéticas inter- nacionais, entre outras: o Ginsberg Tribute, no Central Park, em Nova York. Papeles em la noche H a y a l g o q u e n o e n t i e n d o , m e d i j e . U n a t a b l a , o u n r e t a z o d e m e m o r i a , q u e d ó e n a l g ú n l u g a r , o b a j o t i e r r a . U n v i e n t o , a v e c e s , a l g u n a h o r a , d a n i n d i c i o s d e e s a p é r d i d a o e s e p o z o ; c o m o s i u m a r a í z e x t e n d i d a h u b i e r a c e s a d o e n a l g ú n t i e m p o ( y e n m í m i s m o ) ; u n a r a í z a r r a n c a d a y p u e s t a a s e c a r l e j o s ; l e j o s d e l a v i d a y d e l a s c o s a s .
  19. 19. 19 Chicos 43 El hombre de bolso al hombro E l h o m b r e d e b o l s o a l h o m b r o q u e v a e n e l e s t r i b o , a g a r r a d o c o m o p u e d e , y v e p a s a r l a s v í a s v e l o z m e n t e , c o n s ó l o a b r i r s u m a n o l l e g a r í a n o a l a p r ó x i m a e s t a c i ó n s i n o a l o t r o m u n d o , e l m u n d o c i e g o q u e l o m i r a , e n l a m a ñ a n a t e m p r a n o , c a s i n o c h e , y e n l a t a r d e . P e r o é l s i g u e , y e l p a í s s i g u e , e n e l f é r r e o e s t r i b o d e e s t o s a ñ o s , e n t r e s e ñ a l e s y s e ñ a l e s , s o b e r b i a s y s o b e r b i a s , c a n c i o n e s y c a n c i o n e s , e s p e r a n d o q u e n o l l u e v a n i t r u e n e , y e n l l e g a r a l a e s t a c i ó n , a u n q u e c o n u n a t r i s t e z a q u e , a f u e r z a d e s o l a c o s t u m b r e , y a e s c a s i u n a a l e g r í a q u e m e r e c e u n f e s t e j o .
  20. 20. 20 Chicos 43 Furgón de carga E n e l o s c u r o f u r g ó n d e c a r g a , r e p l e t o d e b i c i c l e t a s v i e j a s y t r i c i c l o s , v i a j a n l o s c a n s a d o s y l o s d e s o l a d o s d e l t r e n . H a b l a n a m e d i a l e n g u a , e n u n l u n f a r d o d u r o , e n v o z a l t a , m i e n t r a s s u b e u n e s p e s o o l o r a y e r b a , q u e c o m p a r t e n . P e r o e n e l f o n d o , r e i n a e l v a c í o , q u e e l p a í s d e e s t o s a ñ o s i n v e n t ó . H a y m o m e n t o s e n q u e c r e c e e l s i l e n c i o , q u e s e h a c e d e p i e d r a e n l o s r o s t r o s , m i e n t r a s l a s e s t a c i o n e s v a n p a s a n d o , y e s c o m o s i t o d o s d i j e r a n a l g o í n t i m o y m u y t r i s t e a l a v e z , q u e n a d i e e s c u c h a .
  21. 21. 21 Chicos 43 Aire Duro Dos poemas Progresos B u l l e n l o s s u b u r b i o s , s e e x t i e n d e n f e b r i l e s , e n m a d e r a s , c h a p a s o x i d a d a s y b o l s a s d e c o n s o r c i o ; y a s í l u c e e l p r o g r e s o , c o n p e r r o s , c o n c a r d o s y c o n z a n j a s , a s í c o m o e n u n m a p a v a s t o d e l o q u e s e c u e c e y l o q u e t a l l a , e n t r e s o l y s o l , l á g r i m a y l á g r i m a , q u e l a s n o c h e s d u r a s a b r a z a n d e v i e j o h e d o r y d e i n t e m p e r i e .
  22. 22. 22 Chicos 43 Postal R e s u e n a l a m ú s i c a d e s d e e l g a l p ó n d e c h a p a s , q u e l u c e s u c a r t e l i l u m i n a d o p o r d o s l u c e s m o r t e c i n a s , e n l a e s q u i n a d o n d e s e j u n t a n l a s d o s z a n j a s , u n a q u e l l e g a a l e s p e s o r i a c h u e l o y l a o t r a q u e s e p i e r d e e n t r e b a l d í o s . A ú n n o l l e g ó n a d i e , e x c e p t o e s o s p e r r o s q u e e s t á n a h í c o m o e s p e r a n d o a a l g u i e n , o q u e c o m i e n c e e l f e s t i v a l b a i l a b l e , q u e p o r a q u í , s e v e , t i e n e e s e t e l ó n d e f o n d o , m i e n t r a s l o s c o l e c t i v o s p a s a n r a u d o s y s e m i v a c í o s p o r d o n d e u n d í a , a c a s o , e n t r a r á c o n s u v i e n t o e l f u t u r o .
  23. 23. 23 Chicos 43 Haroldo de Campos, poeta da “transcriação” Haroldo de Campos Nasceu em São Paulo SP, em 19.08.1929 e faleceu em 16.08.2003. Poeta e tradutor “transcriou” em português poemas de autores como Ho- mero, Dante, Mallarmé, Goeth, Mayakovski, além de textos bíblicos, como o Gênesis e o Eclesiastes. Publicou, ainda, numerosos ensaios de teoria literária, entre eles A arte no Horizonte do Provável (1969) O n o m e d e H a r o l d o d e C a m p o s e s t á i n t i m a m e n t e r e l a c i o n a d o à P o e s i a C o n c r e t a , o m o v i m e n t o l i t e r á r i o s u r g i d o n o s a n o s 1 9 5 0 , q u e c o l o c o u a p o e s i a b r a s i l e i r a n o c e n á r i o i n t e r n a c i o n a l . M a i s d o q u e u m m o v i m e n t o l i t e r á r i o , o c o n c r e t i s m o – c o m o é c o n h e c i d a a P o e s i a C o n c r e t a – f o i u m p r o c e s s o d e r e n o v a ç ã o a r t í s t i c a r e u n i n d o t a m b é m a r t i s t a s p l á s t i c o s e m ú s i c o s . N o B r a s i l , c r i s t a l i z o u - s e c o m a c r i a ç ã o d o g r u p o N o i g r a n d e s ( 1 9 5 2 ) , r e u n i n d o , a l é m d e H a r o l d o d e C a m p o s , s e u i r m ã o A u g u s t o d e C a m p o s e p o e t a s c o m o D é c i o P i g n a t a r i , R o n a l d o A z e r e d o e J o s é L i n o G r ü n e w a l d . N o s p a í s e s d e l í n g u a a l e m ã , o c o n c r e t i s m o e s t á a s s o c i a d o a o s n o m e s d e E r n s t J a n d l , H e i n z G a p p m a y r , G e r h a r d R ü h m , a o g r u p o d e S t u t t g a r t e m t o r n o d e M a x B e n s e , H e l m u t H e i s s e n b ü t e l e R e i n h a r d D ö h l . A p a l a v r a , a i m a g e m e o s o m A r e v i s t a I n v e n ç ã o , l a n ç a d a e m S ã o P a u l o n o s a n o s 6 0 , c r i s t a l i z o u a s i d é i a s r a d i c a i s d e t o d a u m a g e r a ç ã o : r o m p e r c o m o l i r i s m o s e n t i m e n t a l p a r a v a l o r i z a r a p a l a v r a , a i m a g e m e o s o m . A p o e s i a s e a p r o x i m a t a n t o d a m ú s i c a , q u a n t o d a s a r t e s p l á s t i c a s . O e x e m p l o e m b l e m á t i c o é a " m ú s i c a c o n c r e t a " , m o v i m e n t o m u s i c a l l a n ç a d o e m P a r i s , n o f i n a l d a d é c a d a d e 4 0 , p e l o c o m p o s i t o r e t e ó r i c o f r a n c ê s P i e r r e S c h a e f f e r . A p o e s i a , n o f i n a l d a s c o n t a s , e s t á e n t r e a p i n t u r a e a m ú s i c a , a f i r m o u H a r o l d o d e C a m p o s . O s p o e m a s c o n c r e t a s a m p l i a m a s e m â n t i c a d o t e x t o , v a l o r i z a m a p a l a v r a n a s s u a s d i m e n s õ e s e s p a c i a i s ( d i s t r i b u i ç ã o n a p á g i n a ) , t i p o g r á f i c a s ( l e t r a s e c o r e s ) e f o n é t i c a s ( s o m ) . T u d o i s s o c o n t r i b u i p a r a c o n s t i t u i r o s e n t i d o . E m 1 9 6 4 , H a r o l d o d e C a m p o s f o i a S t u t t g a r t l e c i o n a r l i t e r a t u r a b r a s i l e i r a c o n t e m p o r â n e a . E s s a e s t a d i a e s t r e i t o u o s l a ç o s c o m o s p o e t a s e f i l ó s o f o s a l e m ã s . E s c r e v e u , p o r e x e m p l o , e n s a i o s s o b r e o p o e t a a l e m ã o K u r t S c h w i t t e r s ( 1 8 8 7 - 1 9 4 8 ) , u m d o s p i o n e i r o s d a p o e s i a s o n o r a , e s o b r e M a x B e n s e ( 1 9 1 0 - 1 9 9 0 ) , f i l ó s o f o , m a t e m á t i c o e s e m i o t i c i s t a a l e m ã o . A t r a d u ç ã o c o m o t r a n s c r i a ç ã o A t r a d u ç ã o é u m d o s a s p e c t o s m a i s i m p o r t a n t e s d a o b r a d e H a r o l d o d e C a m p o s . E l e t r a d u z i u , g r a n d e s n o m e s d a l i t e r a t u r a m u n d i a l , c o m o G o e t h e ( d o a l e m ã o ) , E z r a P o u n d , J a m e s J o y c e ( d o i n g l ê s ) , M a i a k o v s k i ( d o r u s s o ) , M a l l a r m é ( d o f r a n c ê s ) , D a n t e ( d o i t a l i a n o ) e O c t a v i o P a z ( d o e s p a n h o l ) . S u a s t r a d u ç õ e s i n c l u e m p o e s i a c h i n e s a , j a p o n e s a , g r e g a e t e x t o s e m h e b r e u . R e c e n t e m e n t e , p u b l i c o u u m a n o v a t r a d u ç ã o d a I l í a d a d e H o m e r o , a p ó s d e z a n o s d e t r a b a l h o . A t r a d u ç ã o , s e g u n d o H a r o l d o d e C a m p o s , é m u i t o m a i s d o q u e t r a n s p o r t a r o t e x t o d e u m i d i o m a p a r a o u t r o . E l e m e n t o s d a e s t r u t u r a d o p o e m a , c o m o o r i t m o e a s c o m b i n a ç õ e s s o n o r a s ( r i m a s , a s s o n â n c i a s , e t c ) , s ã o m u i t a s v e z e s m a i s i m p o r t a n t e s d o q u e a s e m â n t i c a d a s p a l a v r a s . P o r i s s o , n ã o b a s t a t r a d u z i r o s e n t i d o a s p a l a v r a s : é p r e c i s o r e c r i a r o t e x t o , r e s t i t u i r s u a e s t r u t u r a o r i g i n a l e m o u t r o i d i o m a . A t r a d u ç ã o v i r a a s s i m u m a " t r a n s c r i a ç ã o " , n a c o n c e p ç ã o d e H a r o l d o d e C a m p o s . L e i a , p o r e x e m p l o , e s s e s d o i s p o e m a s d e B r e c h t , t r a n s c r i a d o s p o r H a r o l d o d e C a m p o s : D i e M a s k e d e s B ö s e n A n m e i n e r W a n d h ä n g t e i n j a p a n i s c h e s H o l z w e r k , M a s k e e i n e s b ö s e n D ä m o n s , b e m a l t m i t G o l d l a c k . M i t f ü h l e n d s e h e i c h d i e g e s c h w o l l e n e n S t i r n a d e r n , a n d e u t e n d : w i e a n s t r e n g e n d e s i s t , b ö s e z u s e i n . A m á s c a r a d o m a l N a m i n h a p a r e d e , a m á s c a r a d e m a d e i r a d e u m d e m ô n i o m a l i g n o , j a p o n e s a – o u r o e l a c a . C o m p a s s i v o , o b s e r v o a s t ú m i d a s v e i a s f r o n t a i s , d e n u n c i a n d o o e s f o r ç o d e s e r m a l i g n o . E p i t a p h f ü r M a i a k o w k i D e n H a i e n e n t r a n n i c h D i e T i g e r e r l e g t e i c h A u f g e f r e s s e n w u r d e i c h V o n d e n W a n z e n . E p i t á f i o E s c a p e i a o s t i g r e s N u t r i o s p e r c e v e j o s F u i d e v o r a d o P e l a m e d i o c r i d a d e Haroldo de Campos, poeta da “transcriação”
  24. 24. 24 Chicos 43 José Antonio Pereira Nasceu em Cataguases MG, é coautor de A casa da Rua Alferes e outras crôni- cas (2006) e Fantasias de Meia Pataca (2013). 22 horas e 3 minutos D e s d e a q u e l e d i a e j á s e p a s s a r a m v á r i o s a n o s ; o t e m p o , e s s a v a r i á v e l q u e m e n t i r o s a m e n t e a c r e d i t a v a s a n e a - d o r a . E s t a v a a l i n a s u a m e n t e . A q u e l e n o i t e . N o i t e q u e n u n c a o a b a n d o n a v a , s e m p r e a l i , d e n t r o d a c a b e ç a . To d o s , o s a l g o z e s , o s p e r d u l á r i o s n o m a l f a - z e r , o s t r a i d o r e s , o s e s c a s s o s d e c a r á - t e r , j á s e e s q u e c e r a m . A m i g o s a t é a q u e l e d i a , a f a s t a r a m - s e , l e n t a m e n t e o f o r a m e s q u e c e n d o . A s o l i t á r i a v i d a i n ú t i l p e r c o r r e r a t o d a l i n h a d o t e m p o , d e l á a t é a q u i . U m a r e t a d e s c r e v e n d o u m a c u r v a e m b a r r i - g a d a p e l o a l o n g a m e n t o d e t a n t o s v a z i - o s . A i n d a s e n t i a , q u a n d o s e c o n j u g a - v a m n o i t e q u e n t e , a l t a u m i d a d e d o a r , c é u s e m l u a , o m a l d i t o s i l ê n c i o s o n o - l e n t o d a c i d a d e c o m a q u e l a h o r a ( v i n t e d u a s e t r ê s ) . F i c a v a i n e r t e , t r e m u l o , c o m o s e p o s s u í d o p o r u m e s - t r a n h o f r i o q u e v a r r i a s u a a l m a . N ã o s a b i a o q u e f a z e r , s e m p r e o s o l h o s p r o c u r a v a m n a q u e l e e x a t o i n s - t a n t e u m a m p a r o , m a s a c a b a v a m s e m - p r e e n c o n t r a n d o u m r e l ó g i o , e s t i v e s s e o n d e e s t i v e s s e , n ã o t i n h a j e i t o . E r a m n ú m e r o s a r á b i c o s , r o m a n o s e o s m a l - d i t o s p o n t e i r o s c r a v a d o s n o v i n t e d o i s e t r ê s . O s d i g i t a i s e r a m c o m o s á d i c o s t o r t u r a d o r e s , p i s c a v a m e m v á r i o s t o n s d e d o l o r i d o s v e r m e l h o s o u s o f r i d o s a m a r e l o s ( v i n t e d u a s e t r ê s . . . v i n t e d u a s e t r ê s . . . ) A q u i , n e s t e a g o r a , v i n t e d u a s h o r a s e t r ê s m i n u t o s , e x a t o s s e t e a n o s . D o i s t i r o s r á p i d o s , r o m p e m o s i l ê n c i o d a n o i t e . D o i s b u r a c o s n o l a d o e s q u e r d o d o p e i t o e o j o r r o v e r m e l h o p u l s a n d o d o p e i t o , v e r m e l h a m e n t e e x p l o d e a d o r . U m g r i t o a t r a v e s s a a p r a ç a . D o n a d a a p r a ç a e n c h e - s e d e c u r i o s o s . O u t r o g r i t o , a g o r a s u f o c a d o p e l a d o r d o m o r i b u n d o , a s s u s t a a t u r b a . A t e r - r o r i z a d o s , e m s e u s s u s t o s a m a r e l o s , m e d r o s o s c o r r e m e m t o d a s d i r e ç õ e s . N o c a o s d a a n g ú s t i a e c u r i o s i d a d e , u m a o r d e m c o o r d e n a t o d o s o s m o v i - m e n t o s e o s s i n c r o n i z a m e v i t a n d o q u e t o d o s s e a t r o p e l e m . U m a s u b s e q u e n t e o n d a s o n o r a s e p r o p a g a n o u t r a f r e - q u ê n c i a . C a n u t o s u i c i d o u - s e ! C a n u t o R o s s i s u i c i d o u - s e ! L e n t a m e n t e , c o m o p r a z e r n e c r ó f i l o d o s a b u t r e s , c o m e ç a m a s e r e a p r o x i - m a r , u m . . . d o i s . . . t r ê s , p a r a m , o l h a m e e n t r e o l h a m , f e c h a m u m t r i â n g u l o , r a p i d a m e n t e f o r m a - s e u m c í r c u l o d e v i n t e e d o i s e m t o r n o d o t r i a n g u l o , i m e d i a t a m e n t e t o d o s o s t r a n s e u n t e s f e c h a m - s e n a m a i s c o m p l e t a d e s o r d e m e m t o r n o d o c í r c u l o . O s i l ê n c i o e s t a - b e l e c i d o a p ó s o s d i s p a r o s é q u e b r a d o p e l o b a t e r d e b o c a s d o s n o v o s a b u - t r e s . N a a u s ê n c i a d e a s a s , b a t e m l í n - g u a s .
  25. 25. 25 Chicos 43 A m o r t e , n u m c l i m a d e f i c ç ã o c i e n t i - f i c a , m o v i m e n t a - s e , u t i l i z a n d o r e - t r o f o g u e t e s s i l e n c i o s o s , b l i n d a d o s p o r u m e s c u d o i n v i s í v e l . E l a t a m - b é m m o d e r n i z o u - s e e t e m s u a s v a i - d a d e s . A b a n d o n o u a j á d e s g a s t a d a f a n t a s i a d e v e l h a d a f o i c e , h o j e , c o - m o v a n g u a r d i s t a r e c i c l a d a , s e a p r e - s e n t a c o m o u m a d r a g q u e e n . M u i t o p u t a c o m C a n u t o R o s s i , p o s t o q u e e l e a t r a s o u - s e p o r s e t e a n o s à s u a a g e n d a ; f a z e n d o - a a b a n d o n a r u m a g l o r i o s a n o i t e e m q u e e r a f a v o - r i t a n u m c o n c u r s o d e t r a v e s t i s n u m b a i l e d a r e a l e z a d e c a d e n t e n o p r i n - c i p a d o d o v i ú v o d a G r a c e K e l - l y. D r a g q u e e n e n o r m e , t i p o p i v ô d e b a s q u e t e , t e n t a n d o s e r d e l i c a d o . O p r o c e s s o d e u n i v e r s a l i z a ç ã o d a v i - o l ê n c i a t o r n a r a a a t i v i d a d e d a M o r t e u m o f í c i o e n f a d o n h o , a o s e a p r o x i - m a r d e a l g u é m p a r a c u m p r i r o r i t u a l d a p a s s a g e m d o e s t a d o v i v o p a r a o e t e r n o e s t a d o m o r t o , n ã o a s s u s t a v a m a i s n i n g u é m . S e n t i a q u e p e r d e r a a c r e d i b i l i d a d e , t o d o s j á v i v e m e m t o - t a l t e r r o r . A b r i n d o c a m i n h o n a p r a ç a , s u r g e m t r u c u l e n t o s p o l i c i a i s . E n r a i v e c i d o s p o r t e r e m d e a b a n d o n a r u m a o p e r a - ç ã o a c h a q u e a a l g u n s t r a f i c a n t e s q u e a j u d a r a m a t o m a r u m p o n t o d e v e n d a , n u m b a i r r o p e r i f é r i c o . A o s g r i t o s e e m p u r r õ e s a f a s t a m o s c u r i - o s o s . N a s t r a n s a ç õ e s d o s u b m u n d o o a c o r d a d o é a p e n a s u m a r e f e r ê n c i a o u p o n t o d e p a r t i d a p a r a a n e g o c i a - ç ã o . Q u e m a c h a c a , s e m p r e q u e r r e - c e b e r m a i s , o a c h a c a d o q u e r p a g a r m e n o s . S a b e m , q u e p e r d e r a m t o d a a n e g o c i a ç ã o . O c h e f e d o m o r r o , e s - p e r t a m e n t e v a i s u m i r p o r u m b o m t e m p o . U m d o s p o l i c i a i s , n e m b e m c h e g a - r a , r e p o r t a - s e v i a r á d i o à d e l e g a c i a e i n f o r m a : — I n d i v í d u o e n c o n t r a d o b a l e a d o . C a m b i o ! E m p r i n c í p i o , d u - a s h i p ó t e s e s : a s s a s s i n a t o o u s u i c í - d i o . C â m b i o ! S e a s s a s s i n a t o , o a u t o r e v a d i u - s e d o l o c a l . S e s u i c í d i o , s ó a p e r í c i a p o d e r á c o n s t a t a r . C â m b i o . D e s l i g o ! A m o r t e p õ e - s e a r i r d o p o l i c i a l p e l a f a l t a d e f a r o p r o f i s s i o n a l . Q u a n t a i n c o m p e t ê n c i a . . . O C a n u t o é a s e t e a n o s u m s u i c i d a n a t u r a l . N a q u e l a n o i t e e m q u e a m u - l h e r o a b a n d o n o u p e l a s m ã o s d e u m v a g a b u n d o e s p e r t o . F o i , e m s e g u i d a , d e m i t i d o d o e m p r e g o p e l a v i l a n i a d e u m p u x a s a c o . P e r d e r a t u d o , d i g n i - d a d e , c a s a , a m i g o s ; a t é o s i n i m i g o s h á t e m p o s e s p e r a v a m t a l d e s f e c h o . O s p o l i c i a i s r a b e c a m o c o r p o . O s a b u t r e s s e d i s p e r s a m . A m o r t e a i n d a r e s m u n g a v a p o r t e r e s q u e c i d o d a q u e l e i d i o t a , p o r t a n t o t e m p o . C o n s u l t a s e u s s u p e r i o r e s , i n d a g a n d o o q u e f a z e r c o m a q u e l e e s p í r i t o e s q u á l i d o , f r o u x o e v a - z i o . R e c e b e n d o c o n t r a r i a d a a o r - d e m , p a r t e p a r a u m c h i q u e i r o m i s e - r á v e l d a p e r i f e r i a . P r o c u r a u m p o r c o m a g r o q u a l q u e r p a r a c r a v a r - l h e a a l - m a d e C a n u t o .
  26. 26. 26 Chicos 43 Emerson Teixeira Cardoso Nasceu em Cataguases MG, é autor de Símiles (2001) poesia, coautor de A casa da Rua Alferes e outras crônicas (2006). Traduziu O retorno do nativo de Tho- mas Herdy. Sempre ativo em publicações literárias. Iniciou-se em Estilete (1967), mimeografado, editor/fundador do Delirium Tremens (1983) e Trem Azul (1997). O leitor Pintura de Patrice Murciano M o v i m e n t o u o s o l h o s d a e s q u e r d a p r a d i r e i t a , e s t a v a e f e t i v a - m e n t e l e n d o . N ã o e s t a v a p r e p a r a d o p a r a a q u e l e a r r a s t ã o d e p a l a v r a s . P a l a v r a p u x a p a l a v r a e e r a e l e q u e e s t a v a s e n d o p u x a d o . S O R R I A , V O - C Ê E S T Á L E N D O ! N a d a m a i s o i m p e - d i a d e l e r , e n t ã o l i a . L i a i n d i s f a r ç á - v e i s i n t e n ç õ e s m a l i g n a s e s t a m p a d a s e m r o s t o s d e p r o v á v e i s c r á p u l a s ; b o - l a s d e c r i s t a l a n t i g o n a s e n c o n t r a d a s ( o n d e ? ) P e n s a m e n t o s n a v i d a f o r m u - l a d o s , ( c o m o ? ) , j o r n a i s s e n s a c i o n a - l i s t a s a n u n c i a n d o p r e v i s õ e s t e r r í - v e i s ( p a r a q u a n d o ? ) N ã o c o n v i n h a p a r a r d e l e r , i s t o s a - b i a , o u p e l o m e n o s i n t u í a : d e v o l e r . L i a d e t u d o q u e d i s p u n h a v i s i - t a n d o i n ú m e r a s b i b l i o t e c a s . N u m a l e u v i n t e m i l l é g u a s s u b m a r i n a s , n o u t r a p a s s o u l e n d o c i n c o s e m a n a s n u m b a l ã o . T i n h a u m p r o j e t o a r r o j a - d o e s e c r e t o : l e r d e n t r o d e u m b a l ã o d e o x i g ê n i o . A s s i m l e u l e t r a s d e c â m b i o s e m e n t e n d e r b u l h u f a s : r e s o l v e u i n - t r i n c a d o s j o g o s d e p a l a v r a s c r u z a - d a s . E m p r e e n d e u p e r i g o s a s e x p e d i - ç õ e s d e c a ç a - p a l a v r a s n u m s a f á r i q u e i m a g i n o u . L i a t a m b é m i n s c r i ç õ e s , h i e r ó g l i f o s , d i a n t e d e c â m a r a s d e t e v ê . L i a a t é d e b a i x o d ’ á g u a i m i t a n d o H o u d i n e r e a l i z a n d o e s c a p a d a s m i r a c u l o s a s . S e m p r e l e n d o S e p a r a s s e . . . m i l e u m a n o i t e s l e n d o - p r o j e t o d e S h e r a - z a d e a o c o n t r á r i o – l i a t a m b é m l e - g e n d a s d e c i n e m a i m i t a n d o M r . A r - n a l d o e m i m a g i n á r i o d o c a r t u n i s t a D o u n é p a r a S e s a u g a t a c , e n f i m : l i a . O q u e n ã o p o d i a e r a p a r a r d e l e r . L i a t r a d u ç õ e s c a n h e s t r a s d o g r e g o e x t r a í d a s s e m a n e s t e s i a d e u m d i c i o n á r i o p r o v i d e n c i a l m e n t e e n c o n - t r a d o p o i s i l i m i t a d a e r a s u a c a p a c i - d a d e d e l e r : b u l a s c o m p l i c a d a s e m l e t r a s m i n ú s c u l a s ; m u n i d o d e l u p a ; p l a c a s i n d i c a d o r a s d e m i l i t i n e r á - r i o s ; c o n v i t e s n ã o a s i e n d e r e ç a d o s e r a m s u m a r i a m e n t e v i o l a d o s t a m a - n h a e r a s u a f o m e d e l e r . C a r t õ e s c o m e r c i a i s e s o c i a i s , c o m u n i c a d o s d e e m p r e s a s e f ú n e b r e s ; r e s u l t a d o s a r r a n j a d o s e m c o n c u r s o s ( l e i t e i r o s , l i t e r á r i o s , d e b e l e z a ) e m m e a d o s d e j u l h o ; l e t r a s g r a n d e s e p e q u e n a s d e e x a m e s d e v i s t a s p a r a c h o f e r e s d e m e i a i d a d e .
  27. 27. 27 Chicos 43 T í t u l o s d e f a b u l o s o s c a r t o o n s e x i - b i d o s n o s t e m p o s h e r o i c o s d a T e v ê T u p i n o S u m a r é ; t e v e u m a b o a i n d i - g e s t ã o d e p o i s d e l a u t o j a n t a r e q u a s e m o r r e u d i s s o . N ã o h a v i a l i m i t e s p a r a a s u a c o m p u l s ã o d e l e r . L i a n a s l i - n h a s f e r r o v i á r i a s , n a s e n t r e l i n h a s e n a s e s t r e l a s c ó d i g o s p o é t i c o s s ó c o m - p r e e n s í v e i s p o r i n i c i a d o s n o s m e a n - d r o s d a a r t e o u p o r l o u c o s c a p a c i t a - d o s o u d e c a r t e i r i n h a . N a s b o l a s d e c r i s t a i s e n o s s i n a i s q u e a i n d a e x i s - t e m d e i x a d o s h á m i l ê n i o n a s c a v e r n a s p e l o s n o s s o s a n c e s t r a i s d e s d e a p r é - h i s t ó r i a . A n ú n c i o s d e c r e m e d e n t a l K o l y n o s . “ O c r e m e d e n t a l d a g e n t e d i n â m i c a ” V o c ê s e r á o u t r o h o m e m t r a n s f o r m a d o m i l a g r o s a m e n t e p e l o p o d e r d a l e i t u r a . R e n u n c i e u n i l a t e - r a l m e n t e d o m o d e l o d e h o m e m q u e v o c ê é e c o m e c e , a g o r a m e s m o a m u - d a r l e n d o p e l o v e l h o m é t o d o d a s t e n - t a t i v a s . I m a g i n e q u a n t a s o p o r t u n i d a - d e s v o c ê j á p e r d e u p o r n ã o t e r l i d o o s e u h o r ó s c o p o o s j o r n a i s c a d u c o s d a - q u e l a s u a b a r b e a r i a . L e m b r e - s e d a - q u e l a o p o r t u n i d a d e d e e m p r e g o q u e v o c ê p e r d e u p o r n ã o t e r l i d o o r e s u m o c o m p l e t o d a n o v e l a d a s o i t o n o j o r n a l d e n o t í c i a s d o p o v o n a m e s m a b a r b e a - r i a . S e e r a p r a l e r , l e r i a t u d o . N i n g u é m o a c o m p a n h a r i a n a s u a a v e n - t u r a d e l e r . A s s i m s e g u i a l e n d o , t u d o l e n d o , c a s o r a r o d e o b s e s s ã o p e l a p a l a v r a : p a n - f l e t o s , f a c h a d a s d e p r é d i o s t e o r i c a - m e n t e i n a t i n g í v e i s p o r t o d a q u a l i d a d e d e h o m e n s - a r a n h a s c u j a d e c o d i f i c a - ç ã o e x i g i a e s f o r ç o n u n c a d e s i s t i a . S o - n h a v a a d q u i r i r a c e r v o s i n c a l c u l á v e i s p e r t e n c e n t e s a b i b l i ó g r a f o s n o t á v e i s ( u m d e l e s à p o r t a d a m o r t e ) c o n t a t o s j á f e i t o s c o m h e r d e i r o s . M u i t a l e i t u r a p o r n a d a s e n ã o l e s s e t a m b é m a t a s d e r e u n i õ e s e x t r a - o r d i n á r i a s d e l i g a s c a m p o n e s a s e e s - p o r t i v a s d e q u a l q u e r c i d a d e d e s s e p a - í s . L i a r o m a n c e s l o u c o s e m l e t r a c u r - s i v a i n a u g u r a n d o v a n g u a r d a s l i t e r á - r i a s d e e s p í r i t o f u t u r i s t a . S ó l e r v a - l i a . A r t i g o s , n o t a s , c o m u n i c a d o s , t e s - t e s , a n t í t e s e s , d i s s e r t a ç õ e s d e m e s - t r a d o , m e n s a g e n s , t e l e m e n s a g e n s r e - d i g i d a s p a r a q u a l q u e r f i m ; r e c i b o s , s e n h a s e s t r a t e g i c a m e n t e d i s t r i b u í d a s p a r a a t e n d i m e n t o s b a n c á r i o s , a m b u - l a t o r i a i s ; f i c h a s g a r a n t i n d o m a t r í c u - l a s e m p r o g r a m a s d o g o v e r n o ; c a m p a - n h a s a n t i t a b a g i s t a s u t i l i z a n d o t é c n i - c a s t e r r o r i s t a s d e p e r s u a s ã o . V e r P a - r i s e m o r r e r , n ã o , l e r e m P a r i s , C r a - t o , S e v i l h a , N o v a I g u a ç u , C o n c e i ç ã o d o S e r r o , T e b a s d e L e o p o l d i n a , M a r d e E s p a n h a . Q u e r i a t e r u m a c o n g e s t ã o d e p a l a - v r a s . L e u D i c k e n s e s o f r e u h o r r o r e s ; a p a i x o n o u - s e p o r r o m a n c e s d e L a w r a n c e ; “ v a i r a g a z z o i n n a m o r a t t o ” d i z i a p a r a s i m e s m o . L e u e m c a s a d e p o r t a s f e c h a d a s ; n a r u a d e s v i a n d o - s e d e c i r c u n s t a n t e s , n o c a i x a d e u m b a n - c o o n d e t r a b a l h a v a e e r r o u n o t r o c o . D e u a v o l t a a o m u n d o l e n d o o i t e n t a d i a s n o b a l ã o d e F i l l e a s F o g g . E s t a b e - l e c e u p a r a s i u m p i s o m í n i m o d e t r e - z e n t a s p á g i n a s d i á r i a s d e l e i t u r a . E m p r e e n d e u j o r n a d a s d e s u b m a r i n o , p r o c u r a n d o o q u e ? M a i s e m a i s l i v r o s . L i v r o s j a m a i s l i d o s a f u n d a d o s e m p o s s í v e i s n a u f r á g i o s . C o l e ç õ e s i m a g i - n á r i a s d e g i b i s i r r e m e d i a v e l m e n t e p e r d i d a s n o t e m p o , m a s r e e n c o n t r a - d a s n u m m e e t i n g d e a f i c i o n a d o s a i n d a e x i s t e n t e s , m a s d e c r é p i t o s . T e v e c e r t e z a d e q u e t o d o s e s s e s e s f o r ç o s s ó s e c o n v e r g i a m p a r a a l e i - t u r a . T u d o p o s s o n a q u i l o q u e l e i o , p e n s o u a p r o p r i a n d o - s e d e c o n c e i t o s s a c r a t í s s i m o s s e m n e n h u m p u d o r . R e - c e a v a a i n d a e s m o r e c e r s e m l e v a r a t e r m o s u a g r a n d e c r u z a d a d e l e i t u r a . Q u e m s a b e i r i a p a r a o G u i n e s s B o o k q u e p r o v a v e l m e n t e l e r i a t a m b é m d e - v o r a d o r a u t o f á g i c o . D e p o i s i m i t a n d o P e n é l o p e l e u t u d o a o c o n t r á r i o . M o v i m e n t o u o s o l h o s d a d i r e i t a p r a e s q u e r d a .
  28. 28. 28 Chicos 43 Eltânia André Nasceu em Cataguases MG, reside em São Paulo SP. Autora dos livros de contos Meu nome agora é Jaque (contos, Ed. Rona, BH, 2007) e Manhãs Adiadas (Prêmio ProAC da Sec. de Cultura de SP 2011, Dobra Editora, SP, 2012). Deslumbramentos A ssist i a o film e “Vale ri e e su a s e - mana de de s lu mbrame nto s ”, p elícu la tcheca de 19 70, qu e a bo rda a p a ssag em da infância p a ra a a do lescência . Fem i- nino. Delica do. A p rim eira m enst ru a ção é ret rata da po et icam ent e em t oda a t ra - ma. Numa cena, p ingo s de s ang u e dei- tam - se sob re a s m arga rida s qu e deco - ram o ca m inho. A sema na d e deslum - bra m ento s. Tra jetó ria m ít ica desse rito de pa ssa g em p elo corredo r do t em po . Merg u lhei p ro fundam ent e no univ erso su rrea lista de Jarom il J ires. Ta mb ém u sa va o cab elo co m franja s qua ndo eu era Va lerie. Ta mb ém o fres- co r da p ele e o anseio na a lma . Não p er- ceb ia o mu ndo em sua trama encharca- da de sedu çã o, am eaça e v o lúp ia , ma s de a lg uma ma neira já p ressent ia gu er- ra s. Em m inha s m ão s a fot og ra fia do s meu s treze a no s, e po sso int u ir em m eu ro sto de a ntes a exp ressã o de desejo e esp a nto , a t rav és da luz do s o lhos, o mo - do com o o co rpo po sa . O t em po co rreu sem ba rreira s e ago ra m e p arece estra- nho reco rdar - me dessa fa se, tão dista n- te, tão esqu ecida . A b elez a da s cena s, a su av ida de com qu e a ino cênci a é ab orda da , a a m ea ça do s seres q u e vam p iriza m a j ov ia lida de de Va lerie, t u do m e sensib iliz ou e t ro u- xe à to na a ca rga do a fet o. Como em fla shba cks, a s sensações e a s lem bra nça s v êm e vão num mov imento int erm it ent e e ob scu ro . O ro sto de me- nina na fot og rafia est reit a -m e e eu não sei o qu e lhe di zer de nó s. Fa lt a uma is- ca , como u ma mú sica o u o go sto da ba la de ho rt elã pa ra trilhar a m emória. Se tento ret er u m mo mento da minha a do - lescência em sua com p let u de, m e é im- po ssív el, a ssim como o p ro cesso o nírico qu e nã o se rev ela com nit idez . Ta lv ez o ret orno a o to qu e, a u m sa bor, a um cheiro como o bo lo da mã e a ssa ndo no fo rno ; o u nova ment e o m edo da escuri- dã o, q u e a p ro x im a ssem a s du as m u lhe- res: aq u ela de trez e a no s e a de ago ra . Imp o ssív el.
  29. 29. 29 Chicos 43 D e i x o m i n h a a n t i g a i m a g e m s o b r e a m e s a . M e s m o a s s i m , o f i l m e r e t o m a e m m i m f r a g m e n t o s d e s s a é p o c a t ã o r e m o t a , v ê m - m e i n v o l u n t á r i a e t i - m i d a m e n t e c o m a s e n s a ç ã o d e e s - t r a n h a m e n t o . D e d e t a l h e s j á n e m m e l e m b r o . C o m o l i d e i c o m a q u e - l e s a n g u e p o n t u a l q u e a g o r a a m e - a ç a i r - s e ? O p a s s a d o c o m a c a i x a t r a n s b o r d a n d o . R e s i s t o , m a s v e n - c i d a . P o r q u e s i n t o q u e o s n ú m e - r o s s ã o i m p o s t o r e s ? N ã o a c r e d i t o n a s d a t a s , n o s r e g i s t r o s . S i n t o - m e a i n d a p o r d e s c o b r i r o m u n d o . N e s s e i m p a s s e p e n s o e m o u t r o f i l m e a q u e a s s i s t i h á t e m - p o s : C a r a m e l o . P r o d u ç ã o d e 2 0 0 7 , q u e c o n t a a h i s t ó r i a d e c i n - c o m u l h e r e s á r a b e s . U m a d e l a s e n f r e n t a o m e d o d o e n v e l h e c i - m e n t o c o m a c h e g a d a d a m e n o - p a u s a . P a r a e l a d e i x a r d e m e n s - t r u a r é d e i x a r d e s e r j o v e m . M e - n o p a u s a : o u t r a t r a n s i ç ã o q u e a s m u l h e r e s e n f r e n t a m ( c o m m e n o s p o e s i a ) , e v o c a n d o o u t r o s f a n t a s - m a s q u e a p o n t a m r u g a s e d e s p e - d i d a s . O v u l t o d a m o r t e r o n d a n d o o s a m i g o s e r e t i r a n d o p e s s o a s d o c o n v í v i o . A t e n t a t i v a d e v a n g l o r i - a r a e x p e r i ê n c i a a d q u i r i d a g a n h a o d i s c u r s o . N ã o t e n h o m a i s o c o r t e j o v i a l d o s c a b e l o s , e o b r a n c o t i n g e o s f i o s . N o v a m e n t e f i t o a g a r o t a d a f o t o - g r a f i a , e l a e n c a r a - m e , d e m i m p a - r a m i m . O l h a m o - n o s , m a s t e n h o d ú v i d a s , s e d e n t r o d a m u l h e r a i n - d a e x i s t e o e s p e c t r o d e V a l e r i e . O e t e r n o a c o r d a r p a r a o m u n d o . V i - v e r . A m e c â n i c a q u e g i r a a e n g r e - n a g e m é c o m p u l s ó r i a e a t r e v i d a ; g i r a n o s s a v i d a , g i r a n o s s a h i s t ó - r i a . . . a c r i a n ç a , a a d o l e s c e n t e , a m u l h e r , a m u l h e r e o t e m o r d a v e - l h i c e . P o r f i m : a v e l h i c e e o s e r m u l h e r d u r a n t e a v e l h i c e . S o m o s e n t ã o , s e p a r a d o s p o r f a s e s ? N ã o c r e i o , m a s o v i v e r é t ã o s u t i l q u e n ã o n o s p e r c e b e m o s s e n d o , t r a n s - f o r m a n d o , s e n d o , t r a n s f o r m a n d o , s e n d o . Q u e l i a m e s u n e m a s m u l h e r e s t c h e c a s , l i b a n e s a s , b r a s i l e i r a s e o u t r a s ? É a r r i s c a d o q u e s t i o n a r o q u e q u e r a m u l h e r , a f i r m a a p s i - c a n á l i s e . A d i t a d u r a c u l t u r a l p o - d e s e c h o c a r ( s e m f a l a r d o m a - c h i s m o ) , m a s o r e c o n h e c i m e n t o d o c o r p o – t e r ú t e r o , c ó l i c a s e T P M ’ s , s e i o s , c l i t ó r i s , m ú s c u l o s e c u r v a s ; a m e t á f o r a d e s e r m u l h e r p a r a a l é m d o f í s i c o ; s ã o s u s s u r - r o s q u e s e e s p a l h a m e c h e g a m a o u t r o s o u v i d o s f e m i n i n o s . S e r m u l h e r r e s s o a a l g o i n t r a d u z í v e l , d e s a f i a n t e e b e l o ( s i m , p e n s o e m b e l e z a q u a n d o e x i s t o ) e m q u a l - q u e r d a s e t a p a s d o d e s e n v o l v i - m e n t o . F i c a o c o n v i t e : d e s l u m b r e m o - n o s .
  30. 30. 30 Chicos 43 José Antonio Pereira Nasceu em Cataguases MG, é coautor de A casa da Rua Alferes e outras crôni- cas (2006) e Fantasias de Meia Pataca (2013). Devotos do Santa Rita Passando pela Praça da Padroeira, pa- rei na esquina do Paço. Me dei conta de que as portas do Santa Rita estavam baixadas. Fechou-se mais um dos bares por onde peregri- nei, conheci novos amigos e solidifiquei velhas amiza- des. Há muito tempo fica- mos órfãos da Santa Hele- na, a ilha e seu simpático conventilho; aterraram tu- do. Agora é o Santa Rita que desaparece. Além de abalar nossa sacro-profana fé, todos os nossos locais de farras têm nomes de santos. Nossos nietzschianos pon- tos de fuga se comungam nos mesmos espaços físicos. Lembram do bar do Paulo? Virou igreja. É a memória de muitos biriteiros virando poeira ao vento. Estou com o Antônio Jaime, o jeito é migrar lá pra Vila, onde o Deposito de Pão Nossa Senhora do Rosário resiste brava- mente. Dois episódios recentes conectaram meus neu- rônios ao boteco do Galba. O primeiro foi em fevereiro. Cheguei lá para uma cerveja matuti- na, recebi os cumprimentos, pelo meu aniver- sário, de Carlos Sérgio e seus fiéis cavalheiros de távola que por lá já se encontravam. Na oca- sião, ele recebia um grupo de belas jovens ci- ceroneadas pela filha do nosso intrépido ator - autor. Acabei virando a tarde por lá, com o Toquinho o Pequeno e a Alda Helena numa prosa bem-humorada. Bebi pouco, o meu pedi- atra de adolescentes da terceira idade reco- menda cerveja sem álcool ou light, como não tinha nenhuma das duas... Me diverti muito. O outro momento foi ao remexer umas fotogra- fias antigas, dei de cara com uma na mesa do Santa Rita. Acompanhado do amigo Paulo Nas- cimento, companheiro de sofridos plantões no hangar da VARIG – antigo cabide de reforma- dos da Aeronáutica - lá no Galeão. Ela não só existia como acabara de incorporar a Cruzeiro do Sul. Sentei-me naquele banco em frente ao quios- que de sorvetes e viajei no tempo. Lá atrás, haviam dois bares germinados que democrati- camente nos atendia; na esquina propriamente dita, ficava o Brasão e de “parede e meia” o Santa Rita, na ocasião pilotado por um dos Ro- manhol. Numa certa noite no Brasão, bar cheio, gente sentada em mesas na rua, debru- çado no balcão com alguns amigos debulháva- mos um papo, chega o Humberto Resende. Ele pede uma dose de cachaça, com o vozeirão que transformava o burburinho do bar em mero ru- ído de fundo, pediu também um cubo de gelo. Meteu a mão no bolso, tirou dois belos limões galego, na maior cara de anjo, apesar da bar- ba, pediu uma faca. Cortou. Com aquela mão enorme esmagou entre os dedos a metade de cada limão. Rapidamente, não sei se por des- treza ou receio dos limões, seu sumo saltou para dentro do copo. Mais um pedido ao balconista do bar e lá estava o açucareiro. Com um pouco de lábia e a pressa do balco- nista ele estava de posse, pe- lo preço de uma pinga, de uma bela caipirinha. En- quanto saboreava a bebida e criticava a ditadura, fui apresentado a ele naquela noite. Noutra ocasião, num sábado em torno das duas ou três horas da tarde, sentados num dos bancos da praça. Fernando Cesario, Zé Tarcísio Lima, eu e mais alguém que não me lembro, conversávamos até o Manoel Leite dar as caras. Sem a menor ceri- mônia ele monopolizou a palavra. Discorreu sobre as insatisfações dos bancários de Brasí- lia, passou pelo time do Manufatora, voltou aos pioneiros de Brasília que ficaram milioná- rios com a corrupção candanga. Numa das pou- cas intervenções de meus amigos alguém disse que ao bater da primeira estaca no planalto central já ia longe os desvios financeiros. Um destes larápios, anos depois compraria a VASP, acho que também o Lóide Aéreo Bolivia- no, trambicou tanto que não poderia pôr os pés na Bolívia, onde o aguardava um mandato de prisão. E o Manoelzinho, de pé, continuava ziguezagueando pelos mais variados assuntos, todos resignados em ouvi-lo. Lá pelas tantas Fernando tentou interrompê-lo e ele sem res- pirar, - Peraí! Deixa eu concluir meu raciocí- nio. Horas naquela conversa em espiral, de- pois de algumas outras tentativas de encerrar aquele monólogo, todos já cansados daquela lenga-lenga. Fernando levantou-se e Manoel- zinho, sem dar-lhe a menor chance. – Peraí! Deixa eu concluir meu raciocínio. – Então cê conclui rápido que eu tenho que abastecer meu carro. Retrucou Fernando. A turma que conti- nuava sentada, explodiu em gargalhadas. Aqui cabe um esclarecimento aos mais novos, a in- competência do ditador de plantão lá em Brasí- lia era tamanha que naquele tempo postos de gasolina fechavam às 19 horas. Era o raciona- mento de combustível. E aí daquele que falasse em racionamento. Alguém, para alivio de to- dos, – Vamos tomar uma cerveja! Nos aloja- mos nas mesas que ficavam na calçada do bar para uma gelada. E não é que o Manoelzinho nos surpreende mais uma vez. – Garçom, um copo de leite por favor!
  31. 31. 31 Chicos 43 Artur da Távola Nasceu no Rio de Janeiro em 03.01.1936. Faleceu em 09.05.2008. Artur da Távola é o pseudônimo de Paulo Alberto Artur da Tavola Mo- retzsonh Monteiro de Barros, foi advogado, jornalista, radialista, escri- tor, professor e político brasileiro. H á u n s d i a s f a l e c e u u m a d a s v o - z e s m a i s b o n i t a s e d e c o r r e t a d i c ç ã o d o r á d i o c a r i o c a , o P a u l o M á r c i o , l o - c u t o r , e n t r e o u t r a s e m i s s o r a s , d a R á - d i o M E C F M , q u e r e g i s t r o u n o a r a d o r d a p e r d a . S e u s c o l e g a s d e i x a r a m p a l a v r a s d e s a u d a d e n u m a r á d i o q u e f a l a p o u c o , a p e n a s o s u f i c i e n t e e , p o r i s s o , é b o a . O l o c u t o r d e r á d i o , g u a r d i ã o d a f a l a q u a l i f i c a d a , é u m s e r e m e x t i n - ç ã o , n ã o o b s t a n t e a i m p o r t â n c i a d e s u a t a r e f a , h o j e s e m i a n ô n i m a , m a l r e - m u n e r a d a e n ã o r e c o n h e c i d a . A R á d i o M E C , s o b r e t u d o a F M , é u m o á s i s d e r e s p e i t o a o f a l a r q u a l i f i c a d o , e l e g a n - t e , p r e c i s o . A c o m e ç a r p o r G u i l h e r m e d e S o u z a , h o j e o d e c a n o d o s g r a n d e s l o c u t o r e s d o R i o , i m p e c á v e l , e x p r e s - s i v o , c u l t o e a c o n t i n u a r p o r s e u s c o - l e g a s h o m e n s e m u l h e r e s , a t é p o r q u e u m a d a s m e l h o r e s v o z e s f e m i n i n a s d o r á d i o , a d e D a n i e l a L a p i d u s , t a m b é m t r a b a l h a n a e m i s s o r a . I s s o s e m f a l a r n a c l a s s e d o J . C a r l o s . C u r i o s o : o r á - d i o e s p o r t i v o a i n d a p r e s e r v a b o n s l o - c u t o r e s , v i d e E d s o n M a u r o e E v a l d o L e i t e , o G a r o t i n h o . P e r m i t a m - m e a e x p r e s s ã o : o r á d i o c a r i o c a a v a c a l h o u a f a l a c o m o i n s t r u - m e n t o e v o l u í d o d e c o m u n i c a ç ã o . C l a - r o q u e h á e x c e ç õ e s , p r i n c i p a l m e n t e n a F M O D i a , n a R á d i o R i o d e J a n e i - r o , n a J o r n a l d o B r a s i l F M , n a C B N , e m u m o u n o u t r o n o t i c i a r i s t a d a T u - p i . A G l o b o a c a b o u c o m o s e x c e l e n t e s l o c u t o r e s d e n o t i c i á r i o s q u e t i n h a . N o s s o r á d i o f i c o u g r i t a d o n a s A M s e , e m a l g u m a s F M s , a l i n g u a g e m é c h u l a , o i d i o m a p a u p é r r i m o e h o j e g r o s s u r a , p a l a v r ã o e b a i x a r i a i m p e r a m e m p e l o m e n o s 6 0 % d o s c a s o s . P o v o q u e n ã o c u i d a d a f a l a d á u m a t e s t a d o d e a t r a s o m e n t a l . D i c ç ã o r u i m , v o z m a l c o l o c a d a , i n f l e x õ e s g r o s s e i r a s , d i z e m d a a l m a e d a c u l t u - r a d e q u e m f a l a . E o r á d i o d e v e r i a s e r – c o m o e r a – e x e m p l o p a r a a p o p u l a - ç ã o . Q u e r s a b e r c o m o a n d a o n í v e l c u l t u r a l d e u m p o v o ? O u ç a - l h e o r á - d i o e r e p a r e c o m o é , e m q u e e s t á g i o e s t á a f a l a d a m é d i a d a s p e s s o a s . S e e l a é v u l g a r , o t o m g r o s s e i r o , a v o z m a l c o l o c a d a , p o b r e d e r e p e r t ó r i o , n ã o t e n h a d ú v i d a : o n í v e l e s t á b a i x o . U m l o c u t o r p r e c i s a : v o z b o a , a d e q u a d a c o l o c a ç ã o d e s s a v o z ; b o a d i c ç ã o p a r a s e f a z e r c l a r o ; c o n h e c i - m e n t o d e i d i o m a s t a n t o p a r a n o m e s d e m ú s i c o s e m ú s i c a s q u a n t o p a r a a l e i t u r a d e n o t i c i á r i o s ; m o d o s e d u c a - d o s e p e r s u a s i v o s , p e r c e p t í v e i s e m s u a f a l a . C h a m a - s e c a l i f a s i a . N ã o e x i s t e c a l i g r a f i a p a r a a b o a l e t r a ? P o i s e x i s t e c a l i f a s i a , n o m e c o m p l i c a - d o p a r a e x p r e s s a r a f a l a q u a l i f i c a d a . P o r i s s o a m o r t e d e u m e x c e - l e n t e l o c u t o r c o m o o P a u l o M á r c i o , a i n d a q u e p a s s e q u a s e e m b r a n c o p a - r a o p ú b l i c o e m g e r a l , é p e r d a m u i t o m a i o r d o q u e s e s u p õ e . N u m a i n d i s - p e n s á v e l e b e l a p r o f i s s ã o e m e x t i n - ç ã o , e l a c h e g a a s e r i r r e p a r á v e l . Publicado originalmente no jornal O Dia A morte do locutor
  32. 32. 32 Chicos 43 Antônio Jaime Soares Nasceu em Cataguases MG, lá na Chave. Já foi redator de publicidade. Poeta e cronista publicou Pedra que não quebra (2011) Era uma vez uma voz N o f i n z i n h o d e 2 0 0 2 p e r d e m o s u m a d a s m a i s b e l a s v o z e s d o r á d i o b r a - s i l e i r o : m o r r e u P a u l o M á r c i o d e M i r a n - d a , o P a u l o F l e x i n h a , d e i x a n d o m u i t o s a m i g o s e m C a t a g u a s e s e n o R i o . R e c e b e u h o m e n a g e n s n a R á d i o M E C F M , s e u ú l t i - m o e m p r e g o , e m d u a s r á d i o s d e C a t a - g u a s e s e u m a c r ô n i c a s i m p á t i c a d e A r - t h u r d a T á v o l a , n o j o r n a l O D i a . P a u l o f a l a v a q u e n u n c a t e v e v o - c a ç ã o p a r a p o r c a r i a n e n h u m a a t é d e s c o - b r i r q u e s u a v o z e r a b o a . E m p r e g o u - s e n a R á d i o C a t a g u a s e s e s e d e u b e m . P o - r é m , q u e r i a m a i s , f o i p a r a o R i o , e m 1 9 7 0 , e d e u - s e a i n d a m e l h o r . A t u o u e m m a i s d e u m a d ú z i a d e e m i s s o r a s , e n t r e e l a s a s r á d i o s J o r n a l d o B r a s i l , E l d o r a - d o , G l o b o , T u p i , N a c i o n a l e t a m b é m n a T V G l o b o . L o g o n o i n í c i o , E l i a k i m A r a ú j o , q u e g o s t a v a d e l e , o a l e r t o u , d i z e n d o q u e d e v e r i a s e r m a i s a m b i c i o s o e i n v e s t i r m a i s e m s e u p o t e n c i a l . C e r t o , n ã o f o s s e P a u l o , p o r i n c r í v e l q u e p a r e ç a , m u i t o t í m i d o , s ó s e s e n t i a à v o n t a d e e n t r e a m i g o s . C o m e s s e s , v i r a v a o j o g o , e r a s e m p r e o m a i s a n i m a d o d a t u r m a . A o m i c r o f o n e , e n t r e t a n t o , e r a s ó b r i o , o q u e n ã o o i m p e d i a d e r e c e b e r t e l e f o n e - m a s d e f ã s a p a i x o n a d a s e o u t r a s t i e t a - g e n s . V e z e m q u a n d o r e c e b i a e l o g i o s t a m b é m n a i m p r e n s a , g u a r d a v a o s r e - c o r t e s , s e m f a z e r a l a r d e , p o u c o s e l i - x a n d o p a r a a p o s s í v e l f a m a , e m b o r a a m e r e c e s s e . A r t h u r d a T á v o l a a c e r t o u a o d i z e r q u e s u a m o r t e , d e c e r t o m o d o , é u m s i n t o m a d a m o r t e d o p r ó p r i o r á d i o , e n q u a n t o v e í c u l o i n t e l i g e n t e d e i n f o r - m a ç ã o e l a z e r . O r á d i o , h o j e , e s t á m u i t o g r i t a d o e P a u l o n u n c a e n t r o u n e s s a , m a n t e n d o - s e m a i s e m s i n t o n i a c o m o f a - l a r s e m f l o r e i o s d e u m W i l l i a m B o n n e r e l o n g e d a i m p o s t a ç ã o c a n a s t r o n a d e u m C i d M o r e i r a . C h e g a d o a u m c o p o , f o i c i t a d o n u m l i v r o s o b r e o s b a r e s d o R i o , c o m o h a b i t u é d o T a n g a r á , b o t e c o d a C i n e l â n - d i a , f r e q u e n t a d o p o r b e b u n s f o l c l ó r i - c o s , c o m o J a g u a r e A l b i n o P i n h e i r o . M u i t o m a i s d e m i l e u m a n o i t e s r e g a d a s a S t e i n h e a g e r e b a f o r a d a s d e H o l l y w o - o d , q u e s ó l h e m a g o a v a m a s c o r d a s v o - c a i s , c o m o o p r ó p r i o a d m i t i u , n a ú l t i m a v e z q u e m e t e l e f o n o u . E s t a v a j á q u a s e s e m v o z , j u s t a m e n t e s e u i n s t r u m e n t o d e t r a b a l h o . G o s t a v a d e i r a o T e a t r o M u n i c i - p a l , d e l e i t a r - s e c o m ó p e r a s e c o n c e r t o s . E g o s t o u s o b r e m a n e i r a ( a d o r a v a p a l a - v r a s a s s i m , p o m p o s a s , p a r a g o z á - l a s ) d e t r a b a l h a r e m r á d i o s q u e t o c a m a c h a m a - d a m ú s i c a e r u d i t a . F o r a d e s t a , s ó m ú s i - c a s m a i s n o n s e n s e , c o m o C o m ad r e S e - b a s t i a n a . T a m b é m c o m p ô s u m a s t r i n t a , t o d a s m u i t o a p i m e n t a d a s . A p r e c i a v a a f i c ç ã o d e S a r t r e e l i v r o s c o m o O s m i s e - r á v e i s , A m o n t a n h a m á g i c a e G u e r r a e p a z . F a m i l i a r i z a d o c o m a o b r a d e J o r g e A m a d o , p a s s o u a r e l ê - l a e m f r a n c ê s , p a - r a a m p l i a r s e u d o m í n i o d a l í n g u a . P a u l o f o i , a c i m a d e t u d o , u m h u - m o r i s t a ( m a i s a d e q u a d o , n o s e u c a s o , s e r i a c o m i c o z i n h o ) . N ã o d e i x a v a e s c a - p a r a m e n o r s u t i l e z a , s e e s t a l h e d e s s e m o t i v o p a r a d a r u m a g o z a d i n h a , c o m o u s e m m a l í c i a . C ô m i c a t a m b é m é s u a a u t o - b i o g r a f i a , e m e s t i l o c o r d e l , n a l i n h a c o - l o q u i a l - i r ô n i c a d e A d o n i r a n B a r b o s a . “ D o s o f r ê b r o t a o p e n s á ” é o v e r s o d e q u e m a i s g o s t e i e A d e l z o n A l v e s g o s t o u d e t u d o , a p o n t o d e t e r p r o d u z i d o u m p r o g r a m a n a R á d i o M E C A M , r e g i s t r a d o e m C D , q u e , i n f e l i z m e n t e , n ã o o u v i . N a r r a s u a i n f â n c i a p a u p é r r i m a , n a r o ç a , q u a n d o n i n g u é m p o d i a s u p o r q u e i r i a t r a b a l h a r n o q u e g o s t a v a e p r o - p o r c i o n a r m e l h o r e s c o n d i ç õ e s d e v i d a p a r a s i e o s d e z i r m ã o s . E m t o m j o c o s o , e n q u a n t o u m i n t e l e c t o m a i s l i m i t a d o f a - r i a d a q u i l o u m a c h o r a d e i r a . E j á e s t a v a d o e n t e , q u a n d o c o m p ô s o t e x t o . F i c o u s e n d o s e u t e s t a m e n t o . R i r e f a z e r r i r e r a a s u a f o r m a d e d a r g r a ç a s à v i d a . P u b l i c a d o o r i g i n a l m e n t e e m H á N o t í c i a
  33. 33. 33 Chicos 43 Paulo Flexinha Paulo Márcio de Miranda Apresentado pelo próprio no horário sertanejo da Rádio MEC AM— RJ Produção: Adelzon Alves. Paulo imaginou este texto ( e seu irmão digitou) já pressentindo a che- gada da morte. E o fez de forma bem-humorada, como levou a vida, feito cantadores de feira do Nordeste. “Poetas jamais acadêmicos, últi- mo ouro do Brasil” Carlos Drummond de Andrade LAMENTO DOS MININO DO OTAVO E u s ô d a r o ç a , s e u m o ç o s ô m a t u t o , s i m , s i n h ô h o j e m o r o n a c i d a d e m a s s ô l á d o i n t e r i ô P r e s t ’ a t e n ç ã o n a h i s t ó r i a q u ’ e u a g o r a v ô c o n t á : “ O s m i n i n o d o O t a v o ” p o i s e u t o m é m t a v a l á S i r l e i , A b é r c i o , F e r n a n d o E d u a r d o e C a r l i m Z u l m i r a , E l i z a e R o n a l d o R e m i l d o , e u e t o m é m P e d r i m F a z e n d a d o N e r s o D u t r a G r o t ã o d e S a n t a M a r i a c o ’ s m i n i n o d o O t a v o M a r g a r i d a n e m d r u m i a S o d a d e d a q u e l a s b i b o c a a t a p e r a n o m a t a g á d o n d e c h e g á , s ó n a s c a n e l a ô n o l o m b o d e a n i m á S o d a d e d e S ô J u v e n á e D o n ’ A n a o c a s á q u e p o v o a v a o G r o t ã o t a v a l á q u a n d o c h e g u e m o H o j e s ó m e r m o n a i n s p i r a ç ã o
  34. 34. 34 Chicos 43 S e m l u a e m n o i t e e s c u r a o s v a g a - l u m e a l u c i n a r o ç a n u m v a i l u z i l é t r i c a l u m i a v a é l a m p a r i n a M a s s e o l u á d e p r a t a b a n h a s s e o ô r o d a s i s p i g a d o a r r o z á t a m a n h a a s e d e d o s z ó i o s a c i a d a n a f o n t e d o m a n a n c i á O m i o n ó i s d i b u i a v a m u í a c a n j i c a , f u b á a n g u q u a s e t o d o d i a n o a r m o ç o e n o j a n t á D e t r á i s d a c a s a u m c h i q u ê r o i n g o r d a v a u m l e i t ã o z i m d a c a r n e s ó m e r m o o c h ê r o e r a i n c u m e n d a o p o r q u i m P r a i n g a m b e l á a v o n t a d e d e c u m ê u m s a r g a d i m n ó i s i a t u d o p r a v a r g e p r a m o d e c a ç á p a s s a r i m L e v a v a o c a c h o r r o R e x c a ç a d ô d e s a r a c u r a q u e b a s t a v a v ê a a v e e a c a ç a t a v a s i g u r a Ô x e p a d e C u m p a d i O n o f o m e s t r e e m c a ç á t a t u q u a n d ’ i m b r e n h a v a n a m a t a t r a z i a o b i c h o ô u m v a r á d e j a c u A l é m d e b a t u t a n a c a ç a u m s u p i m p a s a n f o n ê r o s e O n o f o a b a r c a s s e o o i t o b a x o f r e v i a o f o r r ó n o t e r r ê r o L á m e r m o n o q u i n t á d e c a s a n ó i s a r m a v a u m a f u g u ê r a a s c a ç a n a b r a s a , u m a p i n g a e s a n f o n a a n o i t ’ i n t ê r a
  35. 35. 35 Chicos 43 P o r s o r t e u m a c a b r i n h a q u e d a v a l e i t e f r e s q u i m j u s t o p r a m o d e o s u s t e n t o m i n g á d o m a i s p i q u i t i m M a s o d i s t i n o é m a r v a d o é s i n a ô c o i s a a s s i m u m a c o b r a v e n e n o s a p i c ô c a b r a e c a b r i t i m N a r o ç a n u m t i n h a i s c o l a a s a u l a n a s o m b r a d a m a n g u ê r a p ’ f e s s o r a a j e i t a v a u n s b a n c o s e m g i z , q u a d r o n e g o ô c a r t ê r a P r a c i d a d e v ó Z u r m i r a l e v ô e u p r a m o d e i s t u d á g a z e t i e i o a n o i n t ê r o v o r t e i s e m p u d ê r e c r a m á J u c a F i r m i n o e P i q u i t a o s d o n o d o s í t i o d o l a d o n ó i s a j u d a v a n o i n g e n h o g a n h a v a g a r a p a e m e l a d o F o i s ó t r a v e s s u r a d ’ i n f a n ç a n e m s e i s e c a r e c e c o n t á a s m o ç a n o r i o a b a n h á e n ó i s n a m o i t a a e s p i á G a l i n h ê r o l á n u m t i n h a g a l i n h a s ó f a i z c i s c á b u t a v a o s o v o , s u m i a n a b o c a d e u m g a m b á E r a u m b á r s a m o p r o s z ó i o n a l a g o a a p a t a e o s p a t i m e l a d i s l i z a n o n ’ á g u a r e b o c a n o a f i e i r a d e b i c h i m
  36. 36. 36 Chicos 43 N ó i s d r u m i a c u m a a r g a z a r r a d o s s a p o e g r i l o n o b r e j á p r a d i s p e r t á , s i n f u n i a d e m i l p a s s a r i m a c a n t á A n u n c i a n o a a r v o r a d a o s ó r q u e n u m t a r d a b r o t á b r i n c a n o p r u r i b a d a s a r v r e p r a l o g o o m u n d o i s q u e n t á T ã o b u n i t a a s g o t a d e o r v á i o s a r p i c a d a n a s f r ô d o c a p i m q u e n ó i s s e r e l e p e e s p a i a v a p e l a s b ê r a d o c a m i m O p a i m a d r u g a v a c e d o b e m i n a n t e d o s ó r r a i á d a v a d u r o n a f a z e n d a g a n h a v a u n s c a r a m i n g u á G a s t a v a t u d o n a v e n d a c o m p r a v a o e s s e n c i á s a l e , f ó s f r o , q u e r o z e n i p u n h a t u d o n o i m b o r n á U m p ô c o a r r e d a d o d e c a s a l á n a v e n d a d o J a c i d o n d e o p a i f a z i a a s c o m p r a n ó i s i a p r a m o d e d i s t r a í A s r ô p a e o s a g a z a i o a g r a d o d e a r g u m p a d r i m p u í d o , à s v e i z r e m e n d a d o m ã e C i ç a t r a z i a l i m p i m P r a m i s s a , q u e r m e s s e a o s d o m i n g o n ó i s l e v a v a o s c a r ç a d o n a s m ã o o s p é l a m e a d o l a v a v a l á e m b a x o , b ê r a d o r i b e r ã o
  37. 37. 37 Chicos 43 N ó i s t o m é m f o i c a n d i ê r o g u i a v a o s c a r r o d e b o i q u e c a n t a v a n o s ê x o u m g i m i d o q u a n t o m a i s c a r r e g a d o f o i D e u m t r a b a i o n ó i s g o s t a v a e r a b ã o q u e n e m b r i n c á e s p a r r a m á c a f é c u m r o d o n o t e r r e r ã o p r a s e c á D e c o i ê o c a f é t o m é m n ó i s g o s t a v a p r a d a n á p u x a n o o s g r ã o p r o b a l a i e r a q u e n e m o r d e n h á M a s n a s a f r a d o c o r t e d e c a n a n ó i s a l i m a n e j a n o o f a c ã o e s s a l i d a n ó i s d e t e s t a v a a s p a i a d a c a n a a r r a n h a a m ã o M a s s e o s i s p i m d a d ô f á i z s o f r ê d o s o f r ê b r o t a o p e n s á o p e n s a m e n t o f r o r e c e é s ó s a b ê c u r t i v á O p a i , d e t a n t o c h a m e g o ( m a r e j a o s z ó i r e c o r d á ) n u m p u d i a d á o p e x e i n s i n ô n ó i s a p e s c á N ã o d e r e d e n o a ç u d e l o c á d e p r o c r i a ç ã o m a s d e a n z ó , d e p i n ê r a n o s b r e j o l á n o G r o t ã o N o s b r e j o a p e s c a d e p i n ê r a q u e n e m d e b a t é i a n a m ã o e u g a r i m p e i u m t i s ô r o n a s g r u t a d o c o r a ç ã o
  38. 38. 38 Chicos 43 M e l e m b r o A b é r c i o , o “ N e g u i n a ” u m c o i c e n a t e s t a , d a p o t r i n h a n u m j i p e a x i s p á p r a c i d a d e n o v o l a n t e , A l m i r , o “ T u t i n h a ” D o G r o t ã o i n t é a f a z e n d a c a r r e g a d o n a c a c u n d a m a i s u m a v e i z n e g o O n o f o d e a l m a b r a n c a , p r o f u n d a D a s f r u t a n u m c a r e c i a n i n h u m d e n ó i s r e c r a m á d u r a n t e h o r a s a f i o n ó i s d e p e n a v a o p o m á C o i e n o m a n g a l á n a s g r i m p a d i s p e n q u e i q u e n e m u m g u a r i b a v ó e m b a x o r e z a v a n a p e d r a d o n d e q u a s e i s t a t e l e i i n r i b a N a f a z e n d a , D o n a A n t o n h a f o i p r a c u z i n h á p r a s e i s c h e g a v a o s m i n i n o d o O t a v o l á c u m i a é d e z e s s e i s A m ã e f i c a v a e m c a s a c u i d a n o d o s m i u d i m q u e v o r t a e m e i a c h o r a v a m a s t u d o b a r r i g u d i m N ó i s r o ç a v a , b a t i a p a s t o n a f o i c e , n o e n x a d ã o l i v r a v a d a s e r v a d a n i n h a o c a p i m d o g a d o , a r a ç ã o O s b o i , a s v a c a , o s b i z ê r r o s u b i a p r o s m o r r o a p a s t á d i s c i a n a b o c a d a n o i t e p r a r u m i n á n o c u r r á
  39. 39. 39 Chicos 43 A i n d a t á n a l e m b r a n ç a a s v a c a d e l e i t e , a o r d e n h a o q u e i j o q u e e r a u m l u x o p r o p e s s o á d a f a z e n d a S ô N e r s o , o d o n o d e t u d o h o m e h u m i r d e d e c o r a ç ã o n u n c a f a r t ô u m a g r a d o n e m p a r i c i a o p a t r ã o À s v e i z i n t é c u n v i d a v a n ó i s a p e s c á n o a ç u d e o t u c u n a r é ê t a p e x e b u n i t o e g r a ú d o n ó i s b a r r o t a v a o c o i t é H o j e n u m t e m m a i s f a z e n d a N e r s o , n e m p a i , n e m G r o t ã o s e m d ó d e s m a t a r o o t e r r e n o e a f a z e n d a f o i p r o c h ã o F I M
  40. 40. 40

×